Sommelier ajuda na escolha dos melhores espumantespara suas festas de fim de ano

É possível encontrar espumantes brasileiros premiados internacionalmente com ótimo custo-benefício, revela especialista
Os espumantes brasileiros vêm, ano após ano, se destacando em premiações internacionais. Segundo a Associação Brasileira de Enologia (ABE), só no ano passado, foram conquistadas 147 medalhas pelo mundo. Com uma infinidade de rótulos disponíveis em adegas e em grandes supermercados, o consumidor pode ficar em dúvida sobre as melhores opções e custo-benefício para celebrar neste fim de ano. É onde a opinião de um sommelier pode ajudar.

De acordo com o professor do curso de Sommelier do Centro Europeu e enólogo consultor Alcioni Dümes, a escolha de um bom espumante deve levar em conta o gosto pessoal e a ocasião em que a bebida será consumida. “É para um momento mais descontraído, jovial, à beira da piscina ou praia? Pode ser um espumante leve e refrescante. Se for para acompanhar um jantar pode ser um espumante mais encorpado e estruturado”, comenta Dümes.

O especialista destaca que o consumidor também deve avaliar o investimento que pretende fazer na bebida e como um sommelier pode auxiliar na melhor escolha.

“Podemos encontrar espumantes com excelente custo-benefício. Atualmente um espumante brasileiro na casa dos R$ 60 a R$ 80, é possível encontrar boas opções. A vinícola Cave Geisse, com Amadeu Brut, Rosé, Demi-sec, Moscato Rosé, são excelentes nessa faixa de preço. Temos outras também como os da Chandon, Garibaldi e Aurora”, diz.

Também entre os espumantes brasileiros há opções mais refinadas, com qualidade superior e custo um pouco mais elevado. Segundo Dümes, é possível encontrar rótulos de vinícolas brasileiras com método champenoise brut e nature, mais encorpados e elaborados, com 24 meses de autólise (processo responsável por trazer mais complexidade aromática, textura e borbulhas à bebida) na faixa de R$ 120 a R$ 140.

“Creio que o consumidor precisa sim se orientar pelo preço, mas pensando em atendimento personalizado uma conversa com um sommelier pode, com certeza, ajudar muito na escolha desse produto para garantir uma melhor qualidade e custo-benefício”, explica.

Melhores opções na opinião do especialista – Para Dümes, pensando em qualidade, conceito, elaboração e estética, a melhor opção é a Cave Geisse. Seguida por rótulos da Casa Valduga e da Vinícola e Casa Perini, com produtos mais baratos e acessíveis. E em terceiro lugar a Chandon Brasil.

Expectativas de mercado e reconhecimento internacional – Produtores nacionais de espumantes têm a expectativa de um crescimento de 60% nas vendas neste ano. Reflexo da diminuição de restrições sociais, dos casos de COVID-19 e do retorno de eventos presenciais.

O estado em que mais se produz espumantes no Brasil segue sendo o Rio Grande do Sul. Com bastante chuva, a colheita de uvas é feita relativamente cedo, ainda verdes, o que garante mais acidez e menor teor alcoólico, produzindo bebidas mais refrescantes.

“O Brasil é um grande produtor de espumantes e reconhecido lá fora. Diversas vinícolas brasileiras são conceituadas no exterior pela produção dos espumantes. Levo em consideração o último comentário da crítica inglesa Jancis Robinson que colocou o Cave Geisse como um dos melhores da América Latina e obviamente outros críticos também reconhecem a qualidade do espumante brasileiro”, comenta o sommelier Alcioni Dümes.

Como harmonizar o espumante?

O espumante não é uma bebida apenas para brindar em festas de fim de ano e celebrações. Ele pode acompanhar uma refeição do começo ao fim, basta saber os pontos em comum entre o espumante e os pratos.

Um espumante mais encorpado e estruturado pode ser harmonizado com peixe, bacalhau ou até uma ave em um prato mais sofisticado. Já o espumante rosé pode harmonizar muito bem com salmão e camarão, onde a cor também harmoniza muito bem.

Nas sobremesas, que não necessariamente precisam ser doces, como uma cheesecake de frutas vermelhas e outras sobremesas que levam frutas em sua composição, podem ser harmonizadas com um espumante rosé levemente adocicado.

Segundo Dümes, a única contraindicação para a harmonização de espumantes é quando a sobremesa é de chocolate. Se o espumante for indispensável é importante que essa sobremesa leve também uma fruta para trazer acidez e frescor. Neste caso, um Demi-sec ou moscatel podem harmonizar com o prato.

Curso de Sommelier do Centro Europeu

O Centro Europeu é a maior escola de profissões da América Latina. Na Escola de Gastronomia, o Curso de Sommelier tem o objetivo de formar profissionais expert em vinhos, seus processos, origens, história, serviços da bebida com muita ênfase na harmonização enogastronômica.

O curso promove oficinas de degustação e palestras técnicas oferecidas em parceria com as principais importadoras do Brasil, para aprofundamento do conhecimento de diferentes regiões e produtores de vinhos nacionais e internacionais. As aulas são em ambiente propício para o estudo do vinho e gastronomia.

Mais informações, acesse o site.

Produtores de espumantes têm a expectativa de 60% de crescimento em vendas neste fim de ano │Foto: Divulgação
*com divulgação

Categorias:AGÊNCIAS DE COMUNICAÇÃO, AGENDA DA SEMANA, AGENDA DO FIM DE SEMANA, Bebidas, BRASIL, COLUNA VANESSA MALUCELLI, DIVIRTA-SE, evento, FREE LIFESTYLE, GASTRONOMIA, LANÇAMENTOSTags:, , , , , , , , , , ,

VanessaMalucelliAndersen

Colunista do Site — Divirta-se Curitiba!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s