CAIXA CULTURAL CURITIBA APRESENTA ESPETÁCULO DE PALHAÇOS, EXPOSIÇÕES E OFICINAS

Programação é gratuita, com atividades presenciais e virtuais para todas
as idades

A CAIXA Cultural Curitiba apresenta, no mês de fevereiro, uma programação variada, que inclui espetáculo de palhaços, exposições e oficinas gratuitas, presenciais e virtuais, para todas as idades. Ao longo do mês, o público poderá criar pinturas e trabalhos artesanais, como a confecção de máscaras festivas, bordados com lantejoulas e arte com papelão, e, ainda, aproveitar os jogos e brincadeiras na oficina de palhaçaria.

Todas as oficinas são gratuitas e as inscrições podem ser realizadas no site da CAIXA Cultural.

Na oficina Máscaras Festivas, os participantes vão aprender a criar uma máscara com as cores e as formas da sua preferência utilizando a técnica de papietagem. A atividade será presencial, com turma única e dois encontros, nos dias 4 e 11 de fevereiro, das 15h às 16h30.

Oficina Máscaras Festivas

A exposição Mulheres que Mudaram 200 Anos segue em cartaz na CAIXA Cultural Curitiba até 16 de abril e propõe o resgate de personalidades importantes ligadas ao processo de construção do Brasil independente, como Maria Leopoldina, Maria Felipa, Maria Quitéria e Nísia Floresta, por meio de pesquisa histórica e da obra de artistas contemporâneas, convidadas a retratar essas mulheres.

Exposição Mulheres que Mudaram 200 Anos

No ateliê virtual O Retrato na História da Arte, serão analisadas imagens de retratos de diferentes épocas. O encontro será virtual, no dia 5 de fevereiro, das 15h às 16h30.

Aproveitando a presença das artistas Erika Lourenço, Fernanda Rodrigues, Mariê Balbinot e Thaiz Zafalon na exposição Mulheres que Mudaram 200 Anos, o encontro Artistas Mulheres em Curitiba propõe um bate-papo a respeito da produção das artistas da cidade. A atividade acontecerá no dia 26 de fevereiro, presencialmente, das 15h às 16h30.

Na oficina Como Criar com Papelão, os participantes aprenderão noções de como criar peças interessantes e com bom acabamento. Usando diferentes tipos de papelão, os participantes aprenderão a explorar as propriedades desse material, que pode ser usado para criar de porta-retratos a brinquedos. O encontro será online, no dia 8 de fevereiro, das 14h às 15h30.

Oficina Como Criar com Papelão

A oficina Bordado com Lantejoulas propõe o contato com referências do uso da lantejoula na arte e na cultura popular brasileira para a criação de bordados com o material. O encontro acontecerá presencialmente no dia 12 de fevereiro, das 15h às 16h30.

Na oficina Tinta Têmpera: da antiguidade ao século XX, os participantes irão conhecer obras produzidas com esse tipo de tinta, na qual pigmentos de terra são misturados à uma emulsão de água e ovos; às vezes também se usa cola ou leite. O público aprenderá suas principais características e produzirá suas próprias têmperas. A atividade ocorrerá em duas modalidades diferentes: no dia 15 de fevereiro, às 14h, será online e no dia 25 de fevereiro será presencial.

Outro destaque da programação de fevereiro é exposição Sussurro, da artista visual Pina, que apresenta um conjunto de trabalhos em pintura, escultura e instalação na Galeria Térreo. A programação da exposição inclui ainda a oficina de prática artística Figura humana e sensações: investigações poéticas, ministrada pela própria artista. A exposição abre no dia 3 de fevereiro, às 19h.

Além disso, a CAIXA Cultural Curitiba apresentará, de 3 a 12 de fevereiro, o espetáculo “Alcateia de Palhaços", da companhia Les Lupines, que também traz a “Oficina de Palhaçaria: Jogos e Brincadeiras”, entre os dias 7 e 9 de fevereiro, das 18h30 às 21h30.
A programação completa pode ser conferida no site da CAIXA Cultural.

SERVIÇO:
Espetáculo: Alcateia de Palhaços - Les Lupines
Local: CAIXA Cultural Curitiba -- Rua Conselheiro Laurindo, 280 -- Centro. Curitiba (PR) - Teatro
Data: de 03 a 12 de fevereiro de 2023
Horário: sextas e sábados, às 15 e 17h, e domingos, às 17h
Bilheteria: R$ 10,00 (inteira) R$5,00 (meia). Até 15 minutos antes dos espetáculos
Classificação indicativa: livre para todos os públicos
Informações: (41) 4501-8309/8502 | caixaculturalcuritiba@caixa.gov.br

Exposição: Mulheres que Mudaram 200 Anos
Local: CAIXA Cultural Curitiba -- Rua Conselheiro Laurindo, 280 -- Centro. Curitiba (PR) - Galeria do Térreo
Data: até 11 de abril de 2023
Visitação: terça a domingo
Horário: terça a sábado das 10h às 20h e domingos e feriados das 10h às 19h
Entrada franca
Classificação indicativa: livre para todos os públicos
Informações: (41) 4501-8309/8502 | caixaculturalcuritiba@caixa.gov.br

Exposição: Sussurro - Artista Pina
Local: CAIXA Cultural Curitiba -- Rua Conselheiro Laurindo, 280 -- Centro. Curitiba (PR) - Galeria do Térreo
Abertura: 03 de fevereiro de 2023, às 19h
Data: de 04 a 26 de fevereiro de 2023
Visitação: terça a domingo
Horário: terça a sábado das 10h às 20h e domingos e feriados das 10h às 19h
Entrada franca
Classificação indicativa: livre para todos os públicos
Informações: (41) 4501-8309/8502 | caixaculturalcuritiba@caixa.gov.br

Máscaras Festivas
Local: CAIXA Cultural Curitiba -- Rua Conselheiro Laurindo, 280 -- Centro. Curitiba (PR) -- Sala de Oficinas
Datas: 4 e 11 de fevereiro de 2023
Vagas: 15
Horário: 15h às 16h30​
Duração: 3 horas
Classificação indicativa: livre para todos os públicos
Inscrições gratuitas: CAIXA Cultural
Informações: (41) 4501-8309 / 4501-8502 | caixaculturalcuritiba@caixa.gov.br

Figura humana e sensações: investigações poéticas -- Oficina com Pina
Local: CAIXA Cultural Curitiba -- Rua Conselheiro Laurindo, 280 -- Centro. Curitiba (PR) - Galeria do Térreo
Datas: 07, 08, 09, 10, 14, 15 e 16 de fevereiro de 2023
Vagas: 15 (turma única)
Horário: 18h30 às 20h
Duração: 10 horas e 30 minutos
Classificação indicativa: a partir de 14 anos
Inscrições gratuitas: CAIXA Cultural
Informações: (41) 4501-8309 / 4501-8502 | caixaculturalcuritiba@caixa.gov.br

Oficina de Palhaçaria: jogos e brincadeiras
Local: CAIXA Cultural Curitiba -- Rua Conselheiro Laurindo, 280 -- Centro. Curitiba (PR) - Teatro
Datas: 07 a 09 de fevereiro de 2023
Vagas: 50
Horário: 18h30 às 21h30 (turma única)
Duração: 9 horas
Classificação indicativa: acima de 16 anos
Inscrições gratuitas: Grupo Les Lupines - link
Informações: (41) 4501-8309 / 4501-8502 | caixaculturalcuritiba@caixa.gov.br

Bordado com Lantejoulas
Local: CAIXA Cultural Curitiba -- Rua Conselheiro Laurindo, 280 -- Centro. Curitiba (PR) -- Sala de Oficinas
Datas: 12 de fevereiro de 2023
Vagas: 15
Horário: 15h às 16h30​
Duração: 3 horas
Classificação indicativa: A partir de 16 anos
Inscrições gratuitas: CAIXA Cultural
Informações: (41) 4501-8309 / 4501-8502 | caixaculturalcuritiba@caixa.gov.br

Tinta Têmpera: da antiguidade ao século XX
Local: CAIXA Cultural Curitiba -- Rua Conselheiro Laurindo, 280 -- Centro. Curitiba (PR) - Sala de Oficinas
Datas: 25 de fevereiro de 2023
Vagas: 15
Horário: 15h às 16h30​
Duração: 3 horas
Classificação indicativa: livre para todos os públicos
Inscrições gratuitas: CAIXA Cultural
Informações: (41) 4501-8309 / 4501-8502 | caixaculturalcuritiba@caixa.gov.br

Artistas Mulheres de Curitiba
Local: CAIXA Cultural Curitiba -- Rua Conselheiro Laurindo, 280 -- Centro. Curitiba (PR) - Sala de Oficinas
Datas: 26 de fevereiro de 2023
Vagas: 15
Horário: 15h às 16h30​
Duração: 3 horas
Classificação indicativa: A partir de 14 anos
Inscrições gratuitas: CAIXA Cultural
Informações: (41) 4501-8309 / 4501-8502 | caixaculturalcuritiba@caixa.gov.br

PROGRAMAÇÃO VIRTUAL
O Retrato na História da Arte
Local: Plataforma Microsoft Teams
Datas: 5 de fevereiro de 2023
Horário: 15h às 16h30
Duração: 90 min
Classificação indicativa: A partir de 14 anos
Inscrições gratuitas: CAIXA Cultural
Informações: (41) 4501-8309 / 4501-8502 | caixaculturalcuritiba@caixa.gov.br

Como Criar com Papelão
Local: Plataforma Microsoft Teams
Datas: 8 de fevereiro de 2023
Horário: 14h às 15h30
Duração: 90 min
Classificação indicativa: livre para todos os públicos
Inscrições gratuitas: CAIXA Cultural
Informações: (41) 4501-8309 / 4501-8502 | caixaculturalcuritiba@caixa.gov.br

Tinta Têmpera: da antiguidade ao século XX
Local: Plataforma Microsoft Teams
Datas: 15 de fevereiro de 2023
Horário: 14h às 15h30
Duração: 90 min
Classificação indicativa: livre para todos os públicos
Inscrições gratuitas: CAIXA Cultural
Informações: (41) 4501-8309 / 4501-8502 | caixaculturalcuritiba@caixa.gov.br

CAIXA CULTURAL CURITIBA RECEBE A EXPOSIÇÃO “SUSSURRO”

Mostra é a primeira exposição individual da artista visual Pina e reúne trabalhos em pintura, escultura e instalação

A CAIXA Cultural Curitiba apresenta, entre os dias 03 e 26 de fevereiro, a primeira exposição individual da artista visual Pina. A mostra Sussurro traz um conjunto de trabalhos em pintura, escultura e instalação que focam na temática do corpo humano e seus detalhes.

A partir de suas experiências pessoais, Pina cria retratos de personagens baseados em fotografias e memórias de sua infância, destacando gestos e características físicas e emocionais desses personagens. Os retratos apresentados na exposição possuem tamanho em escala natural e são produzidos em tinta à óleo sobre papel craft modulado.

A exposição é resultado de pesquisa iniciada pela artista durante sua formação universitária em Artes Visuais na Escola de Música e Belas Artes do Paraná. A pesquisa, voltada para as poéticas visuais, aprofundou estudos em pintura e investigação da figura humana.

A artista também ministrará entre os dias 07 e 16 de fevereiro, a oficina Figura humana e sensações: investigações poéticas. São quinze vagas disponíveis e os trabalhos produzidos pelos participantes serão apresentados na própria exposição Sussurro, fomentando a circulação da produção artística na cidade.

Paisagem-carne -- Pina -- óleo sobre papel (2021)

SERVIÇO:
Exposição: Sussurro -- artista Pina
Local: Galeria Térreo da CAIXA Cultural Curitiba
Endereço: Rua Conselheiro Laurindo, 280 -- Centro, Curitiba (PR)
Abertura: 03 de fevereiro de 2023, às 19h
Visitação: De 04 a 26 de fevereiro de 2023
Horário: terça a sábado das 10h às 20h e domingos e feriados das 10h às 19h
Entrada franca
Classificação indicativa: livre para todos os públicos
Acesso para pessoas com deficiência
Informações: (41) 4501-8309/ 8722
CAIXA Cultural

Oficina: Figura humana e sensações: investigações poéticas
Local: Galeria Térreo da CAIXA Cultural Curitiba
Endereço: Rua Conselheiro Laurindo, 280 -- Centro, Curitiba (PR)
Período: 07, 08, 09, 10, 14, 15 e 16 de fevereiro de 2023, das 18h30 às 20h
Capacidade: 15 vagas (turma única)
Inscrições: caixaculturalcuritiba@caixa.gov.br
Classificação Indicativa: 14 anos
Informações: (41) 4501-8309/ 8722
CAIXA Cultural

Manoel Felipe Doria abre exposição em Curitiba celebrando a lineart

O coquetel de abertura terá bate-papo com o artista nesta quinta-feira (26); exposição fica em cartaz até 26 de abril

CURITIBA, 25/01/2023 - A força da simplicidade nas linhas desenhadas sobre o canvas cria espetáculos visuais na nova exposição artística de Manoel Felipe Doria. A mostra “infinito a infinito” reúne obras do artista, arquiteto e ilustrador, focadas na técnica lineart, e ganharão as paredes do Nex – Casa de Pedra a partir desta quinta-feira, dia 26 de janeiro. O coquetel de lançamento acontece a partir das 19h30, com bate-papo com o artista. A exposição ficará em cartaz até 26 de abril.

Graduado em Arquitetura e Urbanismo e sócio do escritório Doria+Arquitetos, Manoel Felipe Doria carrega sua expressão artística tanto na vida profissional como na pessoal, que permitem o uso de seus desenhos em interesses diversos. Com a lineart, técnica focada no uso de linhas, encontrou uma forma de trabalhar as camadas simbólicas da sua percepção sobre a linearidade da vida por meio do traçado ágil e intuitivo, uma expressão que define sua particularidade. Como artista já desenvolveu outros trabalhos variados, que vão do EP musical, “Olhos Nus” (2015) e o material ilustrativo da Bienal Internacional do Cairo (2018) até produções encomendadas para galerias particulares, como o caso da obra “O Mural” (2022).

Em “infinito a infinito”, Doria explora a ideia do movimento que direciona uma narrativa através do espaço ocupado por linhas. “É surpreendente a possibilidade de representar tudo o que é complexo através de uma simples linha”, conta. A técnica aplicada pelo artista pretende revelar sua expressão mais íntima concentrada no essencial.

O título da exposição reflete a característica dessa tipologia de traçado: “linhas paralelas possuem muito em comum, mesmo que jamais se cruzem. Por outro lado, qualquer outro par de linhas retas se encontram somente uma vez e depois se afastam no infinito.” reflete o artista sobre a visão de seus trabalhos. As obras carregam a magnitude da linha, seus movimentos e suas infinitas possibilidades de uso. A curadoria é de Monica Hirano e a produção de Altieres Fim Biela.

A exposição “infinito a infinito”, de Manoel Felipe Doria, será aberta oficialmente nesta quinta-feira, dia 26 de janeiro, a partir das 19h30, com coquetel e bate-papo com o artista. O Nex – Casa de Pedra fica na Alameda Presidente Taunay (nº 130), no bairro Batel. A exposição pode ser visitada até 26 de abril, de segunda a sexta, das 08h às 19h. Mais informações no perfil oficial do Nex no Instagram (@nexcoworking).

MON realiza workshop para crianças sobre o tema sustentabilidade

No dia 27 de janeiro, às 10h, o Museu Oscar Niemeyer vai oferecer ao público infantil o workshop gratuito “Terzo Paradiso”, que irá promover um diálogo sobre sustentabilidade, reciclagem de materiais e paz no planeta. Também será criado um manifesto sobre tais princípios.

O projeto foi desenvolvido e produzido a partir do movimento “Terzo Paradiso”, idealizado pelo artista italiano Michelangelo Pistoletto, um dos principais representantes da “Arte Povera” italiana.

“Terzo Paradiso” é um movimento mundial, já desenvolvido em diversos países do mundo, realizado pela primeira vez na América do Sul, em 2022, pelo Museu Oscar Niemeyer. Atualmente, uma instalação coletiva que reúne dezenas de artistas locais pode ser vista no Vão-Livre do MON. A exposição, produzida por Consuelo Cornelsen e com curadoria de Marc Pottier, fez parte das comemorações de 20 anos do Museu.

O Terceiro Paraíso é um símbolo concebido para difundir uma mensagem de renascimento e de partilha no mundo, por meio da promoção de atividades artísticas orientadas para alcançar efeitos tangíveis com impacto social nos lugares onde é realizado.

O workshop é recomendado para maiores de 5 anos, mas a participação de um adulto que acompanhe a criança é obrigatória durante as atividades. As inscrições são liberadas 15 minutos antes e por ordem de chegada na fila. Atividade sujeita a lotação.
Mais informações: (41) 3350-4448 ou educativo@mon.org.br.

SOBRE O MON
O Museu Oscar Niemeyer (MON) é patrimônio estatal vinculado à Secretaria de Estado da Cultura. A instituição abriga referenciais importantes da produção artística nacional e internacional nas áreas de artes visuais, arquitetura e design, além de grandiosas coleções asiática e africana. No total, o acervo conta com aproximadamente 14 mil obras de arte, abrigadas em um espaço superior a 35 mil metros quadrados de área construída, sendo 17 mil metros quadrados de área para exposições, o que torna o MON o maior museu de arte da América Latina.

Serviço
Workshop gratuito “Terzo Paradiso”
Dia 27 de janeiro, das 10h ao meio-dia.
As inscrições são liberadas 15 minutos antes e por ordem de chegada na fila. Atividade sujeita a lotação.
Mais informações: (41) 3350-4448 ou educativo@mon.org.br.

MON promove Colônia de Férias 2023 com atividades especiais

Entre os dias 24 e 27 de janeiro, o Museu Oscar Niemeyer (MON) promove uma série de atividades para as crianças. As palavras “imaginar, investigar, descobrir e compartilhar” inspiraram a programação especial. Elas representam a essência das ações educativas, com oficinas dirigidas, atividades em grupos, brincadeiras, dinâmicas e novas experiências que irão se conectar com o museu e as suas exposições, promovendo a criatividade e a sensibilização para a arte entre crianças e adultos.

As atividades vão ocupar diversas áreas do MON, como o Olho, o Espaço de Oficinas e a área externa (gramado do museu e Vão-livre), oportunizando novas experiências individuais, sensoriais e coletivas.

A programação é direcionada para crianças entre 7 e 10 anos que devem estar acompanhadas de um adulto responsável. Diariamente, uma das ações sempre será um ateliê aberto que funcionará das 13h30 às 17h (com entrada permitida até 16h30), no Espaço de Oficinas. Nas atividades será possível experimentar algum material ou técnica pelo tempo que cada um achar ideal. Para participar é necessário adquirir o ingresso para entrada no museu.

Outras duas oficinas serão realizadas diariamente. Com 1h30 de duração, elas são gratuitas e têm limite de 20 crianças por atividade. A primeira tem início às 13h30 e a segunda às 15h30. As inscrições são sujeitas à lotação e devem ser feitas 30 minutos antes em frente ao Salão de Eventos. Durante toda a programação a criança deve estar acompanhada de até um adulto responsável (um adulto poderá acompanhar até duas crianças inscritas).

NOVIDADE
Em 2023, o MON também oferta oficinas e atividades para crianças entre 2 e 3 anos completos. A programação acontece no dia 24 janeiro (terça-feira), das 10h30 às 11h30, no Espaço de Oficinas. Para participar basta adquirir o ingresso de entrada no Museu. São 10 vagas, sendo necessário chegar 15 minutos antes. É obrigatário o acompanhamento por um ou dois adultos. Sujeito à lotação.

Confira a programação completa para escolher as atividades que deseja:

24/01 – Terça-feira | IMAGINAR

10h30 às 11h30 – Imaginar o MON com pequenos passos (atividade destinada às crianças entre 2 e 3 anos completos)

Local: Espaço de Oficinas (subsolo)

Por meio de investigações e ações multissensoriais, o objetivo dessa atividade é proporcionar para os pequenos caminhantes um contato sensível com a arte, bem como com o espaço do museu. Nessa ação as crianças serão protagonistas das suas próprias experiências.

Necessária inscrição 15 minutos antes. Sujeito à lotação. Obrigatória a participação de um adulto.

13h30 às 17h (entrada permitida até 16h30)

Ateliê aberto de argila

Local: Espaço de Oficinas (subsolo)

Será possível criar uma escultura nova, pensar em algo que ninguém nunca fez? Ou ainda, você já imaginou como seria modelar de olhos fechados? Nesse ateliê aberto de argila convidamos você para imaginar outras formas de criar.

Sem inscrição prévia, basta chegar ao local e participar. Sujeito à lotação. Necessária aquisição de ingresso para entrar no museu.

13h30 – Dança das Esculturas

Ponto de encontro: Salão de Eventos

Prepare-se para movimentar o seu corpo. Imagine um movimento que você nunca fez antes. Não esqueça de compartilhar conosco. Neste dia vamos ocupar o Pátio das Esculturas de diferentes formas enquanto pensamos: as esculturas possuem movimento? Como nosso corpo se comporta no espaço?

Necessária inscrição meia hora antes da atividade. Sujeito à lotação.

15h30 – Universo Coletivo

Ponto de encontro: Salão de Eventos

Imagine que você está conhecendo um lugar completamente novo, em um novo universo. Como seriam os animais? Partindo de uma contação de história da cosmologia Senufo, a proposta será criar um novo animal para compor um universo coletivo através do desenho.

Necessária inscrição meia hora antes da atividade. Sujeito à lotação.

25/01 – Quarta-feira | INVESTIGAR

13h30 às 17h (entrada permitida até as 16h30) – Ateliê aberto de cores

Local: Espaço de Oficinas (subsolo)

Como seria fazer uma colagem sem cola e uma pintura sem tinta? Nessa oficina vamos provar que isso é possível. Utilizando cores, transparências e vidro vamos investigar as cores e criar composições que vão deixar o espaço de oficinas super colorido.

Atividade sem inscrição prévia, basta chegar ao local e participar. Sujeito à lotação. Necessária aquisição de ingresso para entrar no museu.

13h30 – Caça às sombras

Ponto de encontro: Salão de Eventos

Já parou para investigar as sombras que estão à sua volta? Nesta atividade vamos caçar sombras e registrá-las em desenho. Para isso, escolhemos uma exposição repleta de sombras inusitadas: “Invisível e Indizível” do artista Jaume Plensa, em cartaz no Olho.

Necessária inscrição meia hora antes da atividade. Sujeito à lotação.

15h30 – Pintura com luz

Ponto de encontro: Salão de Eventos

A inspiração desta vez será a exposição “Luz e Espaço”. Vamos usar o espaço a luz como suporte e material para as nossas “pinturas de luz”. Registraremos isso tudo em fotografias, pela técnica conhecida como “Light Painting”. Venha investigar como os nossos movimentos podem criar diferentes tipos de traços.

Necessária inscrição meia hora antes da atividade. Sujeito à lotação.

26/01 – Quinta-feira | DESCOBRIR

13h30 às 17h (entrada permitida até as 16h30) – Ateliê aberto de desenho

Local: Espaço de Oficinas

Neste ateliê de desenho você poderá experimentar diversas formas de desenhar, como desenhar no vidro, desenhar com uma linha só ou de um jeito completamente inusitado. A partir de propostas criadas pelo Educativo a oficina se tornará palco para diversas descobertas e desafios.

Sem inscrição prévia. Basta chegar ao local e participar. Sujeito à lotação de espaço. Necessária aquisição de ingresso para entrar no Museu.

13h30 – Paisagens Costuradas

Ponto de encontro: Salão de Eventos

Como você percebe a paisagem? A partir de uma expedição sensorial na área externa do MON, vamos expandir nossa capacidade de sentir a paisagem à nossa volta, além de coletar alguns vestígios materiais. Esses fragmentos do mundo com suas cores, formas e texturas vão ser colados ou costurados em outras imagens. Esta atividade está relacionada com a obra de Mariana Palma, artista da exposição “Afinidades-Elas”.

Inscrição meia hora antes da atividade. Sujeito à lotação.

15h30 – Expedição criativa, uma oficina ambulante

Ponto de encontro: Salão de Eventos

Como ver com outros olhos um lugar que você já conhece? O que ainda não descobrimos no MON? Essas perguntas que guiarão nossa investigação pelo museu, vão nos levar a lugares e sensações únicas, capazes de transformar nossa percepção do espaço.

Inscrição meia hora antes da atividade. Sujeito à lotação.

27/01 – Sexta-feira | COMPARTILHAR

13h30 às 17h (entrada permitida até as 16h30) – Ateliê aberto de monotipia

Local: Espaço de Oficinas

A monotipia é uma técnica na qual realizamos apenas uma cópia de cada desenho, geralmente feito com tinta. Nesse ateliê você vai aprender como fazer isso para depois compartilhar os vestígios do seu desenho com as outras pessoas, resultando em produções com sobreposições de cores e traços.

Sem inscrição prévia, basta chegar ao local e participar. Sujeito à lotação de espaço. Necessária aquisição de ingresso para entrar no museu.

13h30 – Pintura por um fio

Ponto de encontro: Salão de Eventos

Como pintar com um pincel de apenas um fio? Tendo como inspiração obras da artista Vera Martins, nas quais ela usa o que chama de “pincel chicote”, vamos criar nossos próprios pincéis e realizar uma pintura coletiva com muito movimento. Prepare-se para compartilhar com a gente uma grande pintura.

Necessária inscrição meia hora antes. Sujeito à lotação.

15h30 – Soprando Cores

Ponto de encontro: Salão de Eventos

As bolhas podem pintar? Nesta oficina vamos unir duas coisas capazes de divertir qualquer um: bolhas de sabão e cores. Venha compartilhar essa curiosa experiência com a gente e descobrir novas formas de colorir.

Necessária inscrição meia hora antes da atividade. Sujeito à lotação.

Serviço:
Colônia de Férias do MON
Para crianças de 7 a 10 anos (e um adulto responsável):
Entre os dias 24 e 27 de janeiro

Ateliê
13h30 até às 17h (entrada permitida até 16h30)
No Espaço de Oficinas

Oficinas
As atividades acontecem em dois horários: 13h30 e 15h30
Inscrições devem ser feitas 30 minutos antes.
Limite de 20 crianças por horário
Ponto de encontro: Salão de Eventos
Para crianças entre 2 e 3 anos completos (e um ou dois adultos responsáveis)

Oficinas e atividades
Dia 24 de janeiro (terça-feira)
10h30 às 11h30
No Espaço de Oficinas

É necessário chegar com 15 minutos de antecedência. São 10 vagas por dia, sujeito à lotação.

Mais informações pelo fone: (41) 3350-4468.

Há atividades gratuitas e para outras é necessário comprar o ingresso de entrada no MON.

Valores: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia-entrada) para professores e estudantes com identificação, doadores de sangue, pessoas com deficiência, titulares da ID Jovem e portadores de câncer com documento comprovatório. Entrada gratuita para menores de 12 anos e maiores de 60 anos.

LINK PARA IMAGENS: https://drive.google.com/drive/folders/1GiTMnCnkQt_2GyS1boprZjlBZIQyrcEg?usp=share_link
Museu Oscar Niemeyer
Rua Marechal Hermes, 999, Centro Cívico
CEP 80530.230 - Curitiba | PR
+55 41 3350-4400

CAIXA COMEMORA 162º ANIVERSÁRIO COM EXPOSIÇÃO “MULHERES QUE MUDARAM 200 ANOS”

Mostra destaca a participação de mulheres no processo de independência do Brasil e fica em cartaz nas unidades da CAIXA Cultural até 16 de abril

Imagem de divulgação. Da esquerda para a direita: Maria Leopoldina, Maria Felipa, Nísia Floresta e Maria Quitéria.

A CAIXA comemora 162 anos nesta quinta-feira (12) e, para celebrar a data, todas unidades da CAIXA Cultural - Brasília, Curitiba, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo - recebem a exposição “Mulheres que Mudaram 200 anos”. Com visitação gratuita, a exposição estará aberta ao público a partir de 12 de janeiro em todas as unidades, com exceção da CAIXA Cultural Brasília, que abrirá a exposição no dia 13.

“Mulheres que Mudaram 200 anos” é uma exposição histórico-biográfica sobre mulheres que tiveram participação relevante durante o processo de independência do Brasil e nos anos de sustentação do movimento.

Com pesquisa historiográfica de Mary del Priore e direção curatorial de Marina Bortoluzzi, a exposição apresenta obras de arte de artistas visuais mulheres. Toda a equipe de produção da exposição é integralmente formada por mulheres.

As experiências vividas por Maria Leopoldina, Maria Felipa, Maria Quitéria e Nísia Floresta demonstram a importância das mulheres para o desenvolvimento do Brasil como nação. Destacando o legado delas, a CAIXA Cultural propõe, por meio da exposição, a valorização e a divulgação da arte e da cultura brasileira, além de trazer diferentes olhares sobre ser mulher.

Em cada unidade da CAIXA Cultural serão apresentadas visões diferentes das personagens, ilustradas em pinturas, desenhos, esculturas, fotografias, vídeos, instalações e bandeiras, através do olhar de artistas como Janaína Vieira, Dani Rampe, Aline Motta, Moara Tupinambá, Keila Sankofa, Salissa Rosa, Maré de Matos, Mônica Ventura, dentre outras.

Mulheres homenageadas:
Maria Felipa fez história por sua grande coragem. Mulher negra, pescadora, capoeirista, marisqueira, ficou conhecida pelo episódio em que liderou um grupo de 40 pessoas que incendiou navios portugueses na luta pela independência do Brasil e da Bahia.

Maria Leopoldina, arquiduquesa da Áustria, imperatriz consorte do Brasil e rainha consorte de Portugal e Algarves, foi a primeira mulher a estar no poder do Brasil e quem assinou o decreto de separação entre Brasil e Portugal.

Maria Quitéria foi uma heroína de guerra brasileira na luta contra as tropas portuguesas na Independência. Em 1822, Quitéria fugiu da casa de seu pai, escondeu sua identidade, travestiu-se de homem e se tornou Soldado Medeiros, sobrenome de seu cunhado, de quem também levou o uniforme ao se alistar. No exército, ascendeu em muitos cargos, foi homenageada, condecorada e abriu precedentes para a presença feminina nas forças armadas. Com a derrota das tropas portuguesas, foi promovida a Cadete do Exército Pacificador, e recebeu o título de “Cavalheiro da Ordem Imperial do Cruzeiro" do imperador D. Pedro I.

Nísia Floresta, considerada a precursora do feminismo no Brasil, foi uma escritora, intelectual e revolucionária que transcendeu os limites impostos da sua época e lutou, através da literatura e da educação, pela emancipação da independência das mulheres. Publicou o primeiro livro feminista do país, em 1832, aos 22 anos de idade, “Direitos das mulheres e injustiça dos homens”, que reivindicava igualdade de direitos e de educação para suas contemporâneas.

Além dessas mulheres, a exposição resgata a memória de Hipólita Jacinta de Teixeira de Melo, Bárbara Alencar, Urânia Vanério, Joana Angélica, Caretas do Mingau, Ana Lins, Mariana Crioula, Maria Joaquina de Almeida e Maria Josephine Matilde Duroche.

Mais informações podem ser consultadas no site da CAIXA Cultural.

SERVIÇO:
Exposição “Mulheres que Mudaram 200 anos”

Local: CAIXA Cultural Curitiba, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo
Data: De 12 de janeiro a 16 de abril de 2023
Entrada franca
Classificação: Livre
Acesso para pessoas com deficiência

Local: CAIXA Cultural Brasília (DF)
Data: De 13 de janeiro a 16 de abril de 2023
Entrada franca
Classificação: Livre
Acesso para pessoas com deficiência

CAIXA CULTURAL CURITIBA APRESENTA PROGRAMAÇÃO DE JANEIRO COM OFICINAS GRATUITAS PARA AS FÉRIAS DE VERÃO

Atividades contemplam cursos de artesanato, experimentações gráficas na pintura e duas exposições

A programação de janeiro da CAIXA Cultural Curitiba oferece diversas oficinas gratuitas para as férias de verão de toda a família. Ao longo do mês, crianças e adultos poderão usar a criatividade em trabalhos com um material comum e acessível: o papel. As atividades propõem a criação de miniaturas de objetos de papelão, brinquedos, técnicas de decoração e papel machê. Além de participar de experimentações gráficas na pintura, o público contará ainda com programação virtual e exposições artísticas.

Todas as atividades são gratuitas e as inscrições das oficinas podem ser realizadas no site da CAIXA Cultural.

Confira os detalhes da programação:

Arte com papel:
No ateliê Miniaturas de Papelão, os participantes conhecerão técnicas e ferramentas para criar pequenos projetos tridimensionais com o material. As atividades serão presenciais, nos dias 7 e 8 de janeiro, em turma única.

Já na oficina Cumbucas de Papel Machê, a proposta é que os interessados se familiarizem com a técnica artesanal de origem chinesa que mistura papel, cola e água. A papietagem vai ser usada para moldar cumbucas que poderão ser usadas como fruteiras, organizadores e vasos. Os encontros serão presenciais, nos dias 14 e 21 de janeiro, às 15h, em turma única.

O ateliê Papel Artesanal Decorado vai trazer os passos básicos para a produção desse tipo de trabalho, utilizando folhas vegetais e flores da flora local na finalização dos papeis. O produto pode incrementar projetos de encadernação de álbuns de fotos, livros de receitas, diários, entre outros. As atividades serão presenciais, nos dias 15 e 22 de janeiro, às 15h, em turma única.

Na oficina Paper Toys, crianças e suas famílias criarão seus próprios brinquedos a partir de planificações em branco, que serão customizadas de acordo com suas preferências. O paper toy é um brinquedo de papel em 3D criado para a decorar ambientes e para se colecionar. Fabricados com base nos princípios do origami, envolvem também recorte e colagem. A atividade será presencial, no dia 29 de janeiro, às 15h.

Pintura:
Na oficina Experimentações Gráficas na Pintura -- Monotipia e Stencil, o artista plástico Lavalle vai decifrar a técnica artesanal de produção de matrizes de gravura com o stencil, e a técnica de impressão de gravura através da reprodução de um desenho ou gravura, a chamada monotipia. As atividades acontecerão de forma presencial, nos dias 18 e 19 de janeiro, às 10h (turma 1); 18 e 19 de janeiro, às 18h30 (turma 2); e 25 e 26 de janeiro, às 18h30 (turma 3).

Tintas produzidas com minerais do solo são uma alternativa sustentável e eficiente para a criação artística e o acabamento de objetos artesanais, móveis e mesmo paredes. No ateliê Tintas Naturais de Terra, os participantes conhecerão algumas obras feitas a partir destes elementos e aprenderão a produzir suas próprias tintas com terra local. A atividade será presencial, no dia 28 de janeiro, às 15h.

Programação Virtual:
Na atividade História das Tintas, os participantes irão conhecer detalhes sobre a história desses elementos, estudando quais obras foram produzidas com cada uma delas, entre aquarela, óleo, têmpera, guache, acrílica, nanquim e tinta de esmalte. ​A programação será realizada de modo virtual, pela Plataforma Microsoft Teams, nos dias 18 e 19 de janeiro.

Exposições:
Além das oficinas, até 12 de março está em cartaz a exposição Bioformas, do artista plástico Lavalle. Na mostra estão expostas 20 pinturas em tinta acrílica, nas quais o artista explora a anatomia de corpo humano com elementos da natureza.

Aberta até 22 de janeiro, a exposição Aves do Paraná, do fotógrafo de natureza Marcelo Krause, exibe 26 fotografias originalmente publicadas em dois diferentes volumes do livro homônimo à exposição. As imagens retratam aves símbolos do estado do Paraná, além de espécies raras, as quais Krause clicou em seus habitats. A mostra é complementada por textos assinados pelo consultor ambiental Fernando Costa Straube.

Além da visitação espontânea, a CAIXA Cultural Curitiba oferece visitas mediadas gratuitas às exposições e jornadas pedagógicas para grupos escolares e instituições sociais.
Informações: (41) 4501-8309 / 4501-8502 | caixaculturalcuritiba@caixa.gov.br

Instalação coletiva é realizada pelo MON Como parte das comemorações de 20 anos, o Museu Oscar Niemeyer

(MON) realiza uma instalação coletiva de artistas, “Terzo Paradiso”. A exposição pode ser vista pelo público no Vão-livre do MON, onde estará até 29/1/2023.

“Buscamos uma ação que mostrasse união, reencontro e celebração, especialmente após o difícil período de pandemia que todos atravessamos”, explicou a diretora-presidente do MON, Juliana Vosnika, no lançamento do projeto. “É uma grande manifestação de paz e sustentabilidade, por meio da arte”, disse.

A superintendente-geral da Cultura, Luciana Casagrande Pereira, comentou que os artistas fazem parte dos 20 anos do MON. “É uma emoção realizar um projeto como este, com mãos unidas e espírito coletivo numa ação com muito simbolismo”, afirmou.

A maioria dos artistas participantes da mostra é paranaense. São eles: Abrão Assad, Alberth Diego Murta, Alejandro Magnere, Alfi Vivern, Aline Volpato, Ana Penso, André Azevedo, André Mendes, André Nacli, Christian Sampaio, Fernando C. de Lacerda e Pedro Amin (Arquea), Cleverson Oliveira, Eduardo Bragança, Eliane Prolik, Emerson Persona, Fernanda Castro, Fernando Canalli, Fernando Velloso, Flávia Itiberê, Maurício Noronha e Rodrigo Brenner (Furf Design), Geraldo Zamproni, Guita Soifer, Henrique Hellström, Aleverson Ecker e Luiz Pellanda (Holaria), Hugo Mendes, José Antonio de Lima, Juliane Fuganti, Laura Miranda, Leandro Garcia, Leila Pugnaloni, Leonardo Franco, Leonardo Sokolovicz, Lilian Gassen, Livia Piantavini, Lívia Fontana, Lucas Machado, Luiz Martins, Mano Penalva, Marcelo Conrado, Marcelo Stefanovicz, Max Kampa, Mazé Mendes, Nino Cais, Pedro Loyola, Pedro Sunyé, Rafael Silveira, Rimon Guimarães, Rogerio Ghomes, Ronald Simon, Alexandre Ruiz e João Sarturi (Saboia e Ruiz), Tatiana Stropp, Tom Lisboa, Toni Graton, Tony Camargo, Verônica Filipak, Vilma Slomp e Washington Silvera.

A mostra também conta com reproduções de obras do acervo MON, o que inclui nomes como os de Rosana Paulino, Gustavo Caboco, Miguel Bakun, Beatriz Milhazes, Francisco Faria, Oscar Niemeyer, Tomie Ohtake e Maureen Bisilliat.

Movimento mundial
“Terzo Paradiso” é um movimento mundial, já desenvolvido em diversos países do mundo e que ocorrerá pela primeira vez na América do Sul, em 2022, como parte das comemorações do aniversário do Museu. A curadoria da exposição realizada pelo MON é de Marc Pottier e a produção, de Consuelo Cornelsen.

O movimento foi idealizado pelo artista italiano Michelangelo Pistoletto, um dos principais representantes da “Arte Povera” italiana. O Terceiro Paraíso é um símbolo concebido para difundir uma mensagem de renascimento e de partilha no mundo, por meio da promoção de atividades artísticas orientadas para alcançar efeitos tangíveis com impacto social nos lugares onde é realizado.

“Pistoletto é uma das grandes figuras da arte contemporânea mundial e é um grande prestígio trabalhar com ele”, afirma Marc Pottier. O curador adianta que, em breve, haverá um workshop em parceria entre o artista italiano e o MON.

SOBRE O MON
O Museu Oscar Niemeyer (MON) é patrimônio estatal vinculado à Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura do Paraná. A instituição abriga referenciais importantes da produção artística nacional e internacional nas áreas de artes visuais, arquitetura e design, além de grandiosas coleções asiática e africana. No total, o acervo conta com aproximadamente 14 mil obras de arte, abrigadas em um espaço superior a 35 mil metros quadrados de área construída, sendo 17 mil metros quadrados de área para exposições, o que torna o MON o maior museu de arte da América Latina.

Serviço
Terzo Paradiso
No Vão-livre do MON até 29/1/2023.
www.museuoscarniemeyer.org.br

Obra perdida de João Turin ganha releitura e será símbolo de comemorações em Curitiba

Escultura foi realizada pelo artista em Bruxelas e premiada em Paris; releitura vai celebrar os 100 anos do Movimento Paranista

João Turin - No Exílio - montagem com 3 fotos (web).jpg

Durante os 15 anos em que viveu na Europa, o escultor João Turin (1878-1949) realizou diversas obras, tanto na Bélgica quanto na França, onde fixou residência. Parte dos trabalhos produzidos pelo artista naquele período não puderam ser trazidos ao Brasil e foram perdidos. Um deles foi “No Exílio”, primeira escultura de grandes proporções feita por Turin, concebida em Bruxelas e premiada com Menção Honrosa em Paris.

Uma iniciativa vai possibilitar que o público de hoje aprecie esta obra. A artista Luna do Rio Apa fez uma releitura de “No Exílio” a partir de fotografias de época. O trabalho foi realizado no Atelier de Esculturas do Memorial Paranista, em Curitiba, onde também há uma exposição permanente e um jardim de esculturas ampliadas de João Turin, com uma centena de obras. A releitura de “No Exílio” vai simbolizar os 100 anos do Movimento Paranista (do qual João Turin foi um dos fundadores), a ser comemorado em 2023.

A releitura tem 2,70m de altura e foi moldada em argila. Em uma segunda etapa, o escultor Edson de Lima realiza a moldagem para produção da escultura em gesso pedra. A Prefeitura de Curitiba tem a intenção de fazer uma fundição em bronze da obra.

Resgate de ponta a ponta do legado de João Turin
Desde 2011, quando os direitos patrimoniais sobre as obras de João Turin foram adquiridos pela Família Lago, foi iniciado um resgate de ponta a ponta de seu legado artístico, algo até então inédito na área de artes no Brasil), com nova catalogação dentro de critérios museológicos, numeração, higienização e preservação das obras.

A realização da releitura de “No Exílio” é uma nova etapa deste resgate, conforme explica Samuel Ferrari Lago, um dos gestores da obra de João Turin. “Em 2013 conseguimos localizar a obra perdida de João Turin ‘Pietá’ em uma cidade da França. Fizemos uma busca também por ‘No Exílio’. Durante muito tempo procuramos por essa obra tanto em Bruxelas quanto em Paris, mas não conseguimos localizar. Por sugestão do pesquisador Maurício Appel, convidamos a artista Luna do Rio Apa para fazer uma releitura. Ela havia trabalhado conosco no Ateliê João Turin e fez esta releitura de forma brilhante”, afirma.

Sobre João Turin
Em quase 50 anos de carreira, João Turin deixou mais de 400 obras. Nascido em 1878 em Morretes, no litoral do Paraná, ele veio ainda garoto para a capital Curitiba, iniciando seus estudos em artes, chegando a ser professor. Especializou-se em escultura em Bruxelas e em seguida morou por 10 anos em Paris. Retornou ao Brasil em 1922, trazendo comentários elogiosos da imprensa francesa, além de dar início à etapa mais produtiva de sua trajetória. Foi premiado no salão de Belas Artes do Rio de Janeiro em 1944 e 1947. Faleceu em 1949 e é considerado o maior escultor animalista do Brasil. Possui obras em espaços públicos no Paraná, Rio de janeiro e França. Em sua homenagem, foi inaugurado o Memorial Paranista, em Curitiba, que reúne 100 obras.

Em junho de 2014, seu legado foi prestigiado pelas 266 mil pessoas que visitaram “João Turin – Vida, Obra, Arte”, a exposição mais visitada da história do Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba, que ficou em cartaz por 8 meses e foi citada em um ranking da revista britânica The Art Newspaper. Esta exposição também teve uma versão condensada, exibida em 2015 no Museu Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro, e em 2016 na Pinacoteca de São Paulo.

João Turin - No Exílio - montagem com 2 fotos 1 (web).jpg

Eklético GastroMusicBar e Toca Cultural inauguram exposição de fotografia

Novo estabelecimento em Curitiba inaugura no dia 23/11 exposição de fotografia que retrata shows de diversos artistas, sobretudo nacionais, que passaram pela capital paranaense

Do rock ao pop, do MPB ao punk, o que importa é que uma coisa uniu Luis Sant’Ana e Karina Graf Morozowicz, proprietários do Eklético GastroMusicBar, Lana Seganfredo e Paulo Sérgio de Oliveira - apresentadores do Toca PodCast da Toca Cultural: a paixão pela música. O novo bar de Curitiba, Eklético, que inaugura no dia 22/11 promete, além de ter gastronomia bem pensada e drinks únicos, ser reconhecido “como um dos melhores bares de música ao vivo de Curitiba”, segundo o próprio Luis, e por meio dessa proposta, unir-se ao público amante de música, seja qual for o gênero.

Com isso, a convite dos organizadores do Gastro Music Bar, Lana e Paulo terão suas fotografias - captadas em shows de diversos artistas de múltiplos gêneros que passaram por Curitiba - expostas no bar por poucos meses, quando deverá ser renovada a exposição. “O mais legal é que nós deixamos eles mesmos fazerem a curadoria das fotografias e escolhessem o que mais encaixava no estilo do bar, seguindo essa proposta da versatilidade musical”, explica Lana.

Com as artes expostas no Eklético, o objetivo de tornar o estabelecimento um ambiente acolhedor com verdadeira expressão da paixão pela música, é alcançado com êxito. “Me emocionei em ver as fotos minhas e do Paulo ao vivo, a cores e não somente no digital. Tenho certeza que para os amantes de música, ir ao Eklético será um programa muito interessante”, conta Lana. As fotografias serão expostas um dia após a inauguração do bar, ou seja, no dia 23/11 (quarta-feira), das 17h30 às 00h, com música ao vivo e tudo de bom que o Eklético nos oferece.

Serviço: Eklético GastroMusicBar

Luis Sant’Ana

Proprietário e fundador

Instagram e Facebook: @ekleticogastromusicbar

marketing@ekle.com.br

Av. Iguaçu, 2172, Batel, Curitiba, PR.

Tendência dos 3 F’s: peças e ambientes fluídos, flexíveis e funcionais

Projeto assinado pela arquiteta Alessandra Gandolfi | Foto: Eduardo Macarios

Guia para empresas e profissionais, as tendências são capazes de ditar novas formas de comportamento em todos os segmentos da sociedade. Quando falamos em arquitetura e decoração, as previsões são essenciais na hora de criar peças ou projetar ambientes alinhados com o mercado mundial.

Referência global no assunto, a WGSN apontou uma inclinação do segmento para peças que sigam a premissa dos 3 F’s: fluído, flexível e funcional. Esse direcionamento ainda segue os efeitos pós-pandemia, que aumentaram a necessidade de união entre conforto e estética. Dessa forma, o público pede por itens que oferecem essa sensação de leveza, versatilidade e, claro, utilidade.

Pensando nessa temática, reunimos alguns ambientes e peças que já expressam essa tendência. Confira:

downloadAttachment&Message%5Buid%5D=259151&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253C00fa01d8fac5%2524c4605ae0%25244d2110a0%2524%2540primecomunicacao.com.br%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3C00fa01d8fac5%24c4605ae0%244d2110a0%24%40primecomunicacao.com.br%3E-1.3

Para conferir fluidez a esta sala de jantar, o escritório Ammo Arquitetura apostou em um tapete com formas orgânicas. As linhas puras da geometria deste modelo, assinado por Juliana Vasconcellos & Matheus Barreto para Botteh Handmade Rugs, aliam estética e forma. A peça é versátil e pode compor diversos ambientes, como quartos, escritórios e até mesmo brinquedotecas. l Foto: Mahani Siqueira.

downloadAttachment&Message%5Buid%5D=259151&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253C00fa01d8fac5%2524c4605ae0%25244d2110a0%2524%2540primecomunicacao.com.br%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3C00fa01d8fac5%24c4605ae0%244d2110a0%24%40primecomunicacao.com.br%3E-1.4

A linha Orvalho, da Estofados Jardim, propõe ao cliente um verdadeiro jogo de formas: com várias dimensões disponíveis, é possível criar ambientes e propostas totalmente diferentes. Além disso, a linha ainda conta com baú para garantir a funcionalidade. | Foto: Divulgação.

downloadAttachment&Message%5Buid%5D=259151&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253C00fa01d8fac5%2524c4605ae0%25244d2110a0%2524%2540primecomunicacao.com.br%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3C00fa01d8fac5%24c4605ae0%244d2110a0%24%40primecomunicacao.com.br%3E-1.5

Neste quarto, assinado pela arquiteta Viviane Loyola, o painel de madeira apresenta: fluidez através do design com aberturas; funcionalidade por setorizar os ambientes; e versatilidade na própria solução, que pode ser implementada em qualquer ambiente - seja para dar um toque na decoração ou para delimitar espaços. l Foto: Eduardo Macarios.

downloadAttachment&Message%5Buid%5D=259151&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253C00fa01d8fac5%2524c4605ae0%25244d2110a0%2524%2540primecomunicacao.com.br%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3C00fa01d8fac5%24c4605ae0%244d2110a0%24%40primecomunicacao.com.br%3E-1.6

Neste projeto assinado por Carolina Kist, o principal pedido dos moradores era de que o quarto fosse flexível para acompanhar o crescimento do filho. Além do amplo espaço, livre e fluído para criança realizar diferentes atividades, a marcenaria executada pela Gava Ambientes foi uma solução fundamental. Futuramente, a cabeceira estofada que reveste toda a parede permitirá a mudança do colchão para uma cama de casal, tornando-se super versátil. Foto: Renata Salles.

downloadAttachment&Message%5Buid%5D=259151&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253C00fa01d8fac5%2524c4605ae0%25244d2110a0%2524%2540primecomunicacao.com.br%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3C00fa01d8fac5%24c4605ae0%244d2110a0%24%40primecomunicacao.com.br%3E-1.7

Assinado pelo escritório Luiz Volpato Arquitetura, este espaço comercial reflete as premissas dos 3 F’s. A integração total dinamiza a empresa. As matérias-primas são versáteis, o desgaste natural do tempo se alia à estética. As cores são funcionais, definindo o fracionamento da área de atendimento e de uso privado. l Foto: Celso Pilati.

downloadAttachment&Message%5Buid%5D=259151&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253C00fa01d8fac5%2524c4605ae0%25244d2110a0%2524%2540primecomunicacao.com.br%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3C00fa01d8fac5%24c4605ae0%244d2110a0%24%40primecomunicacao.com.br%3E-1.8

O espaço assinado por Roger França traz diversos elementos que adentram na tendência. O mobiliário com formas orgânicas, disponível na Villa Batel, dá leveza ao espaço, ao mesmo tempo que se adequa à diversos cômodos da casa em variadas funções. | Foto: Patrícia Amancio.

downloadAttachment&Message%5Buid%5D=259151&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253C00fa01d8fac5%2524c4605ae0%25244d2110a0%2524%2540primecomunicacao.com.br%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3C00fa01d8fac5%24c4605ae0%244d2110a0%24%40primecomunicacao.com.br%3E-1.9

Muita fluidez e organicidade marcam este ambiente assinado por Cristina da Luz para a Mostra Glass Home 2022. Os espelhos com formas orgânicas e a iluminação indireta contrastam de forma harmônica o tom madeirado do MDF Ipê, da Sudati, utilizado nos painéis e no móvel em destaque | Foto: Yuri Panichi

Público terá entrada gratuita no dia do aniversário do MON

Na próxima terça-feira, 22/11, dia do aniversário de 20 anos do Museu Oscar Niemeyer (MON), o visitante terá entrada gratuita. O horário de funcionamento será normal, das 10h às 18h, com acesso às exposições até 17h30.

“Esse é um dia muito simbólico para a cultura paranaense. Um museu também se constrói com o seu público. Então, abrir as portas de forma gratuita é um presente do MON para a comunidade que tanto nos prestigia e faz parte desses 20 anos”, afirma a superintendente-geral da Cultura, Luciana Casagrande Pereira.

“O maior presente que o Museu pode receber neste dia é um grande número de visitantes”, comenta a diretora-presidente do Museu Oscar Niemeyer, Juliana Vosnika.

O MON é o maior museu de arte da América Latina, com 35 mil metros quadrados, dos quais 17 mil são dedicados a áreas expositivas. O Museu recebe aproximadamente 380 mil visitantes anuais.

Atualmente, o público pode visitar as exposições em cartaz: “Afinidades II – Elas!”; “Poty, Entre Dois Mundos”; “Ásia: a Terra, os Homens, os Deuses (Colonialismo)”; “Sou Patrono”; “Fora das Sombras: Novas Gerações do Feminino na Arte Contemporânea”; “Recortes de um Lugar”; “Luz e Espaço”; “Grid”; “Bancos Indígenas do Brasil”; “África, Expressões Artísticas de um Continente” e “O Mundo Mágico dos Ningyos”, além do “Espaço Niemeyer”, “Pátio das Esculturas” e “Cones”.

Para comemorar o aniversário de 20 anos, várias atrações foram programadas. Entre elas:

– Exposição “Poty, Entre Dois Mundos”;
– Exposição “Afinidades II – Elas!”;
– Instalação da obra “Terzo-Paradiso”, um coletivo de artistas locais, na área externa;
– Exposição “Invisível e Indizível”, do escultor espanhol Jaume Plensa;
– Projeto “Museu Fora das Paredes”, no parque do MON;
– Lançamento de 3 novos catálogos de exposições recentes do MON: “Ascânio MMM”, “Orlando Azevedo” e “Rodrigo Andrade”;
– Lançamento do catálogo do acervo do MON.

SOBRE O MON
O Museu Oscar Niemeyer (MON) é patrimônio estatal vinculado à Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura do Paraná. A instituição abriga referenciais importantes da produção artística nacional e internacional nas áreas de artes visuais, arquitetura e design, além de grandiosas coleções asiática e africana. No total, o acervo conta com aproximadamente 14 mil obras de arte, abrigadas em um espaço superior a 35 mil metros quadrados de área construída, sendo 17 mil metros quadrados de área para exposições, o que torna o MON o maior museu de arte da América Latina.

Exposição revela olhares sobre a arquitetura de Curitiba

Segundo Desafio Fotográfico Confraria AD reúne na Sierra Móveis Curitiba profissionais do mercado de arquitetura e decoração

[Curitiba, 18 de novembro de 2022] Em um mundo repleto de imagens, cultivar o olhar sensível pode ser um verdadeiro desafio. Como forma de incentivar e valorizar a cultura fotográfica entre profissionais das áreas de arquitetura e decoração, acontece nesta quarta-feira (23), na Sierra Móveis Curitiba, a exposição do 2º Desafio Fotográfico Confraria AD.

Voltado para temas relacionados à arquitetura, design e paisagismo, o evento surge como parte da constante capacitação continuada em diversas áreas deste mercado. Por conta disso, é direcionado apenas aos associados, proporcionando uma aproximação com o espaço de forma mais individual, sensível e exploratória.

O 2º Desafio Fotográfico Confraria AD é dividido em dois temas – “Olhando para baixo” e “Olhando para cima” - e compreende fotos capturadas na cidade de Curitiba. Três jurados das áreas de artes, arquitetura e fotografia selecionaram os quatro primeiros colocados em cada categoria, cujas fotos estão expostas no evento.

A categoria “Olhando para baixo” é um convite para observar os lugares por onde andamos e pisamos. O chão muitas vezes passa despercebido, mas tem o poder de reunir a cultura e a história de uma sociedade e revelar muito sobre a identidade de uma cidade ou região. Isso pode ser percebido tanto pelos materiais utilizados quanto pelo solo ou vegetação.

A outra categoria, intitulada “Olhando para cima”, destaca a presença marcante das construções, galhos e folhas. Essa composição revela a riqueza de cores e formas únicas que contrastam com a grande tela criada pelo céu. Por meio dela, também se observa a passagem das estações e as interações entre construções e espécies diversas de plantas que se entrelaçam.

Sobre a Confraria AD

A Confraria AD é uma associação sem fins lucrativos que surgiu da união de arquitetos, designers de interiores, paisagistas e construtores com o propósito de colaboração mútua entre os profissionais atuantes no setor da construção civil.

Com 150 profissionais associados, a Confraria AD busca soluções para melhorias da atuação profissional e para valorização da categoria, tornando-se referência para a sociedade em qualidade e excelência de boas práticas.

SERVIÇO:

Exposição - 2º Desafio Fotográfico Confraria AD
Quando: 23 de novembro (quarta-feira)
Horário: 19 horas
Local: Sierra Móveis Curitiba (Al. Dr. Carlos de Carvalho, 1941, Batel)

MON abre ao público nesta segunda, dia 14/11

O Museu Oscar Niemeyer (MON) abrirá, excepcionalmente, na próxima segunda-feira, dia 14, véspera de feriado. Na terça, dia 15, o Museu também funcionará em horário normal, das 10h às 18h, com acesso às exposições até 17h30. Os ingressos estão disponíveis no site ou na bilheteria física do MON.

O público poderá visitar todas as exposições atualmente em cartaz: “Afinidades II – Elas!”; “Poty, Entre Dois Mundos”; “Ásia: a Terra, os Homens, os Deuses (Colonialismo)”; “Sou Patrono”; “Fora das Sombras: Novas Gerações do Feminino na Arte Contemporânea”; “Recortes de um Lugar”; “Luz e Espaço”; “Grid”; “Bancos Indígenas do Brasil”; “África, Expressões Artísticas de um Continente” e “O Mundo Mágico dos Ningyos”, além do “Espaço Niemeyer”, “Pátio das Esculturas” e “Cones”.

SOBRE O MON
O Museu Oscar Niemeyer (MON) é patrimônio estatal vinculado à Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura do Paraná. A instituição abriga referenciais importantes da produção artística nacional e internacional nas áreas de artes visuais, arquitetura e design, além de grandiosas coleções asiática e africana. No total, o acervo conta com aproximadamente 14 mil obras de arte, abrigadas em um espaço superior a 35 mil metros quadrados de área construída, sendo 17 mil metros quadrados de área para exposições, o que torna o MON o maior museu de arte da América Latina.

Serviço
Horários especiais no feriado:
Segunda e terça (dias 14 e 15/11)
Aberto das 10h às 18h, com acesso às exposições até 17h30.
Museu Oscar Niemeyer
www.museuoscarniemeyer.org.br

ParkShoppingBarigüi recebe o 29º Encontro Sul-Brasileiro de Veículos Antigos

A partir do próximo sábado (12), o Museu do Automóvel de Curitiba promove o tradicional Encontro Sul-Brasileiro de Veículos Antigos que acontece no pátio do ParkShoppingBarigüi

Entre os dias 12 e 15 de novembro, o público curitibano poderá ver de perto os carros que encantam gerações e hoje são ícones do setor automobilístico. Em sua 29ª edição, o evento vai reunir veículos de várias nacionalidades e modelos, com mais de 30 anos de fabricação, seguindo uma trajetória de avanços tecnológicos e designs que caíram no gosto dos consumidores.

“No início do século 20 o automóvel passou a ganhar um lugar de destaque na vida do brasileiro. O público poderá acompanhar as diferentes fases da indústria automotiva que promoveu uma verdadeira corrida para atrair consumidores, indo ao encontro de suas necessidades e demandas, o que conferiu ao país um lugar de destaque na moderna economia industrial”, explica Luiz Carlos Cooper, presidente do Museu do Automóvel de Curitiba e organizador do evento.

O 29º Encontro Sul-Brasileiro de Veículos Antigos irá contar com uma feira de peças, antiguidades e acessórios automotivos.

Colecionadores particulares ou clubes do gênero poderão colocar seu veículos em exposição. Para mais informações acesse: www.museuautomovel.com.br

Serviço:

29 º Encontro Sul-Brasileiro de Veículos Antigos

Onde: ParkShoppingBarigüi

Quando: 12 a 15 de novembro de 2022

Horário: a partir das 9h.

Entrada Franca

Endereço: Rua Rosa Neuman, 583

(Paralela à Rodovia do Café – BR 277)

Bairro Campina do Siqueira

Curitiba – Paraná

Realização: Museu do Automóvel de Curitiba

Inscrições e informações:

(41) 99801-0913

(41) 3335-1440

www.museuautomovel.com.br

Siga-nos Instagram:

@museuautomovel

É proibida a venda de bebidas alcoólicas dentro do evento. Som automotivo e manobras perigosas também não serão permitidos.

Apoio:

Federação Brasileira de Veículos Antigos

ParkShoppingBarigüi

Patrocínio:

Sigma Car – Soluções Automotivas

@sigmacar

Cral – A bateria nota 10

https://www.cral.com.br/

EXPOSIÇÃO VIDA – HISTÓRIAS DA PANDEMIA TRANSFORMA SUPERAÇÃO EM ARTE

“Inédita no país, exposição de artes visuais VIDA – Histórias da Pandemia une instalações artísticas, vídeos e fotografia para contar como a nossa sociedade vem ressignificando a pandemia de Covid-19 com criatividade e esperança. Mostra fica em cartaz de 1.º a 30 de novembro no Estádio Athletico Paranaense e integra projeto cultural com desdobramentos sociais”.

A pandemia ainda não terminou, mas as máscaras foram dispensadas, o medo do vírus se foi e os beijos e abraços voltaram. O que mudou desde quando tudo começou, em março de 2020? O quanto as pessoas se transformaram desde então? Com o intuito de gerar reflexão sobre a capacidade criativa do ser humano em produzir esperança diante das adversidades, a Montenegro Produções, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, lança VIDA – Histórias da Pandemia, primeira exposição de artes visuais multimídia a apresentar recortes sobre a reinvenção e a ressignificação da existência humana diante da pandemia de Covid-19. Com direção artística do arquiteto e urbanista Felipe Guerra, VIDA traz ambientes que representam áreas da sociedade fortemente impactadas pela pandemia. Os visitantes serão conduzidos por um percurso afetivo composto por instalações artísticas criadas pelo artista visual, designer e figurinista Gustavo Krelling; projeções de minidocumentários com roteiro e direção do artista Eduardo Ramos; e retratos do fotojornalista Brunno Covello. Com entrada gratuita, a mostra fica em cartaz de 1.º a 30 de novembro, ocupando totalmente o Piso P3 do prédio do Estádio Athletico Paranaense, a famosa Arena da Baixada, que pela primeira vez sedia uma exposição de artes visuais em suas instalações.

A rotina em sala de aula, em ambientes de trabalho, os impactos nas relações humanas, as modificações estéticas na arquitetura urbana, as descobertas da ciência, a solidão na velhice. Recortes comuns com objetivo de conectar as cenas à vida das pessoas. Perspectivas e percepções que além da relevância histórica, também assumem a função artística de inspirar o olhar dos visitantes da exposição para o futuro.

"Em épocas de grandes rupturas, os produtos culturais e artísticos contribuem para a transformação da sociedade como respostas criativas às tragédias. VIDA – Histórias da Pandemia, enquanto produto cultural gerado a partir de uma lei de incentivo federal com apoio da iniciativa privada, cumpre com o propósito de democratizar as vozes dessa história e traça um mapa singular dos espaços que operam nossas escolhas do que lembrar e do que esquecer diante de tudo o que vivemos", explica Carolina Montenegro, gestora da Montenegro Produções.

Como parte integrante de um projeto cultural de ARTES VISUAIS que traz em seu resultado uma exposição gratuita, a iniciativa apresenta trabalhos de artistas curitibanos em um formato original, que irá proporcionar uma experiência imersiva aos visitantes. "As paredes que compõem o espaço expositivo, onde essas histórias serão contadas, são paredes de ar, pneumáticas, que funcionam como se fossem grandes pulmões e isso é totalmente inédito", destaca Felipe Guerra, diretor artístico da mostra. Nessas paredes infláveis serão projetados minidocumentários com roteiro e direção do artista Eduardo Ramos, que captou em vídeo as histórias vividas durante a pandemia por 25 pessoas dos mais variados perfis sociais. "Entender que a razão pela qual nós sobrevivemos e estamos diante do outro talvez seja algum tipo de propósito que possamos lembrar diariamente: somos uma única vida. Somos um só", ressalta o videomaker.

Completa a exposição VIDA – Histórias da Pandemia um conjunto de três instalações do artista visual, designer e figurinista Gustavo Krelling totalmente confeccionadas com materiais inusitados e descartáveis, tratando de questões como: vida e morte, aceitação e negação, lixo e ressignificação. A primeira delas é uma releitura da obra de arte “A Lição de Anatomia do Dr. Tulp”, do pintor barroco holandês Rembrandt, representando a união entre arte e ciência médica. "A releitura é feita com materiais hospitalares inusitados, as golas rufo do período são feitas com gaze tingida, máscaras descartáveis, luvas, seringas, radiografias e outros materiais do universo médico que estiveram presentes em nosso cotidiano recente. Trazemos a obra barroca para a contemporaneidade e levantamos reflexões sobre o período pandêmico que estamos atravessando de uma maneira artística", explica Krelling, que somente nos trajes da cena utilizou 2 mil pedaços de gaze tingida costurados em patchwork. "As instalações do Gustavo trazem a textura humana do artesanato para dentro da exposição. Então, temos uma coisa mais hi-tech, das projeções em vídeo, mas também temos o elemento feito à mão, trabalhado por ele", comenta Guerra.

A experiência dos visitantes será ainda mais imersiva nos dias 5 e 11 de novembro, quando a exposição VIDA recebe o gupo LAMUSA – Laboratório de Música Antiga da UFPR, para apresentações gratuitas do recital "As Representações do Humano na Música Barroca". Com duração de 30 minutos, o programa reúne obras de três compositores barrocos europeus – Marin Marais (1656-1728), Giovanni Rovetta (1595/7-1668) e Giovanni Felice Sances (1600-1679) –, que dialogam com o conjunto de instalações artísticas criadas por Gustavo Krelling a partir dos conceitos de vida, morte e fé. Há mais de dez anos se dedicando à recuperação de obras raras do período barroco, o grupo LAMUSA é formado pelos músicos Matheus Prust (violino), Silvana Scarinci (alaúde), Thomas Gunther Jucksch (violoncelo) e a soprano Ana Luisa Vargas, que recriam as técnicas de interpretação da época ao resgatar óperas inéditas e concertos com repertórios esquecidos no tempo.

Livro e ações sociais

Além da exposição de artes visuais, o projeto cultural VIDA – Histórias da Pandemia também inclui a publicação de um livro de mesmo nome, que reúne mais de 100 relatos de médicos, historiadores, pesquisadores, professores, psicólogos, filósofos entre outros profissionais sobre a vida na pandemia, em textos dos jornalistas Daniélle Carazzai, Guilherme Krauss, Katia Brembatti e Rafaela Mascarenhas Rocha.

Uma primeira edição do livro foi lançada em 2021, com tiragem de 2 mil exemplares e distribuição gratuita e dirigida para escolas e bibliotecas. Uma reedição online, com novos textos atualizando o contexto da pandemia nos dias de hoje, será lançada junto com a exposição e disponibilizada para download gratuito no site da Montenegro (https://montenegroproducoes.com/projeto/vida/ ).
Como desdobramento social do projeto, a primeira ação do projeto cultural VIDA – Histórias da Pandemia foi apresentada pela Montenegro, a Unimed Curitiba e a Associação dos Amigos do HC em maio de 2021: uma projeção de vídeos na fachada do Hospital de Clínicas, em que profissionais de saúde diretamente envolvidos no enfrentamento da pandemia contavam suas experiências dentro de um dos maiores centros de combate à Covid-19 no país. Este ano, as ações sociais do projeto tiveram sequência nas sedes da Associação Amigos do HC, instituição apoiadora do projeto, e da Associação Beneficente São Roque, localizada em Piraquara, Região Metropolitana de Curitiba, que puderam oferecer oficinas de grafitti para seus colaboradores e frequentadores com o artista visual curitibano Michael Devis, um dos produtores do renomado encontro internacional de grafiteiros Street of Styles. Juntos, eles criaram murais que inspiram a superação após a pandemia. “A proposta é refletir sobre o que passamos e externar de forma mais leve tudo o que aconteceu”, conta Devis, para quem a arte tem um papel muito importante, pois expressa sentimentos, convida à superação e inspira as pessoas a seguirem em frente.

O projeto VIDA tem patrocínios das empresas Unimed Curitiba, Grupo Barigüi, Greca Asfaltos, Sanepar, Sideral Linhas Aéreas, GDM Genética do Brasil, Peróxidos do Brasil, Jaguá Frangos, Vanleather Indústria e Comércio de Couros, Tecnolimp, BRDE – Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul, BRFértil, Eletrofrio, Schattdecor, Engepeças, Ravato Combustíveis, Nórdica Veículos, Magnetron, Tratornew, MA Máquinas Agrícolas, Magparaná e Agromaster Máquinas Agrícolas, com apoios de Casa da Fazenda, F2 Iluminação, JSA Consultoria e Treinamentos em Segurança do Trabalho, Nordecor e Guanabara Produção Cultural.

SERVIÇO:
VIDA – HISTÓRIAS DA PANDEMIA – EXPOSIÇÃO DE ARTES VISUAIS
CURITIBA
De 1.º a 30 de novembro de 2022
Local: Estádio Athletico Paranaense (R. Buenos Aires, 1.260, Piso P3)
Horários: Todos os dias, das 10h às 22h (dias 8 e 13, das 10h às 17h; dias 14 e 21, excepcionalmente fechada para visitação).
Entrada gratuita
Classificação indicativa: livre

RECITAIS – LAMUSA – LABORATÓRIO DE MÚSICA ANTIGA DA UFPR
Dias 5 e 11 de novembro de 2022
Local: Estádio Athletico Paranaense (R. Buenos Aires, 1.260, Piso P3)
Horários: Dia 5/11 (sábado), às 11h, 12h e 17h30; dia 11/11 (sexta-feira), às 17h, 17h30 e 18h
Duração: 30 minutos
Entrada gratuita
Classificação indicativa: livre