Comunicação Apreciativa e Assertiva em tempos de home office é tema de palestra gratuita na ESIC Internacional

No dia 8 de julho, quarta-feira, às 15h, a psicóloga Heide Castro promove uma palestra online sobre comunicação apreciativa e assertiva em tempos de trabalho online. O evento é gratuito, promovido pela ESIC Internacional.
Como se comunicar online? Como ser claro e assertivo na comunicação, sem a presença física? A especialista dará dicas de comunicação online para conversas produtivas, com o objetivo de otimizar as relações e a clareza das informações transmitidas online.
Cleide é especialista em psicologia organizacional e do trabalho, intervenção cognitiva e aprendizagem mediada. Possui certificação em investigação apreciativa pela Case Western Reverse / Cleveland / USA.
O evento é online e gratuito, e as vagas são limitadas, mediante inscrição pelo link https://pages.esic.br/masterclass-conversas-produtivas

Sobre a ESIC Internacional:

A ESIC é uma Business School Internacional especializada em Gestão de Negócios e Marketing. Com mais de 50 anos de experiência, possui matriz em Madrid e Barcelona, 10 campus na Europa, campus brasileiro em Curitiba, acordos e convênios nos 5 continentes, especialmente E.U.A., Índia e China. A instituição atua em oito áreas: Graduação, Pós-Graduação (Master e MBA), Executive Education (cursos avançados e sob medida para empresas e formação in company), Módulos e Missões Empresariais Internacionais, ESIC Idiomas (Escola de idiomas Internacional), Colégio Internacional, Simuladores/Competições Empresariais Globais e ESIC Editora (com tradição em publicações renomadas, atualizadas e especializadas em Gestão de Negócios e Marketing). Para garantir respaldo internacional aos certificados de seus alunos, a ESIC está entre o seleto grupo que segue os padrões do Executive MBA Council (Conselho Internacional de MBAs), é membro da EFMD (European Foundation for Management Development), AACSB (Associationto Advance Collegiate Schools of Business of USA), AMBA (International Association of MBAs) e CLADEA (ConsejoLatinoamericano de Escuelas de Administración).

Segundo especialistas, razões climáticas podem explicar nuvem de gafanhotos que avança para o Brasil

O chamado ‘comportamento gregário’ é um gatilho biológico deflagrado por períodos de secas intensas e prolongadas seguidos de chuvas fortes e altas temperaturas

A nuvem de gafanhotos que se movimenta em direção ao Brasil causa preocupação na região Sul do País. O Ministério da Agricultura declarou estado de emergência fitossanitária em áreas do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, estados que podem ser afetados pelos insetos.

Segundo André Ferretti, gerente de Economia da Biodiversidade da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, distúrbios climáticos provocados pelo aquecimento global e o desrespeito aos limites da natureza têm causado fenômenos disruptivos, que vão desde a nuvem de gafanhotos até eventos mais rigorosos, como a pandemia do novo coronavírus. “A forma como lidamos com a natureza precisa ser repensada para que as sociedades não fiquem sujeitas às consequências danosas de fenômenos como esses. Ao mesmo tempo, os governos precisam começar a pensar em planos de contingenciamento que ajudem os países a serem resilientes a situações cada vez mais danosas e intensas.”

Uma análise preliminar feita pelo climatologista Carlos Nobre, membro da Rede de Especialistas em Conservação da Natureza, em parceria com o pesquisador Marcelo Seluchi, coordenador geral da área operacional do Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais), aponta que o longo período seco no centro-sul da América do Sul – incluindo Paraguai, Uruguai, sul do Brasil e centro-leste da Argentina –, nos primeiros meses do ano, com um mês de abril extremamente seco, pode ser uma das condicionantes climáticas por trás do comportamento dos gafanhotos.

“Chuvas intensas em alguns dias de maio, notadamente na região do Paraguai, onde se originou a nuvem de gafanhotos, podem explicar o fenômeno. Isto é, período curto de chuvas intensas após meses de secas”, diz o relatório dos dois especialistas. A forte onda de calor entre 14 e 20 de junho no sul do Paraguai (suposto epicentro do fenômeno) associada a temperaturas superiores a 7º C acima das normais climatológicas também é indicada como possível catalisador.

De acordo com os cientistas, o gafanhoto costuma ter comportamento solitário, sem muito contato com outros da espécie. Entretanto, esses sinais climáticos deflagram um gatilho biológico chamado de comportamento gregário, no qual gafanhotos se associam e iniciam os enxames, com altas taxas de reprodução.

A previsão de entrada de uma frente fria na região poderá influenciar a migração dos gafanhotos para leste, atingindo o sul do Brasil, principalmente o Rio Grande do Sul e Santa Catarina, e também pode inibir as taxas de reprodução do inseto, o que ocorre em ciclos de temperaturas baixas.

Informações para a imprensa

Fundação Grupo Boticário
Tamer Comunicação (www.tamer.com.br)

Renato Santana – 11 3031-2388 - ramal 225 – 11 99996-6388 (renato.santana@tamer.com.br)
Claudia Leone – 11 3031-2388 - ramal 247 – 11 99482-7556 (claudialeone@tamer.com.br)
Direção de Núcleo:
Ana Claudia Bellintane – 11 3031-2388 - ramal 238 – 11 998495628 (anaclaudia@tamer.com.br)

Sobre a Fundação Grupo Boticário

Com 30 anos de história, a Fundação Grupo Boticário é uma das principais fundações empresariais do Brasil que atuam para proteger a natureza brasileira. A instituição atua para que a conservação da biodiversidade seja priorizada nos negócios e em políticas públicas e apoia ações que aproximem diferentes atores e mecanismos em busca de soluções para os principais desafios ambientais, sociais e econômicos. Já doou mais de R$ 80 milhões para mais de 1.600 iniciativas dedicadas à causa da conservação em todo o País. Protege duas áreas de Mata Atlântica e Cerrado – os biomas mais ameaçados do Brasil –, somando 11 mil hectares, o equivalente a 70 Parques do Ibirapuera. Com mais de 1,2 milhão de seguidores nas redes sociais, busca também aproximar a natureza do cotidiano das pessoas. A Fundação é fruto da inspiração de Miguel Krigsner, fundador de O Boticário e atual presidente do Conselho de Administração do Grupo Boticário. A instituição foi criada em 1990, dois anos antes da Rio-92 ou Cúpula da Terra, evento que foi um marco para a conservação ambiental mundial.

Sobre a Rede de Especialistas

A Rede de Especialistas em Conservação da Natureza (RECN) reúne cerca de 80 profissionais de todas as regiões do Brasil e alguns do exterior que trazem ao trabalho que desenvolvem a importância da conservação da natureza e da proteção da biodiversidade. São juristas, urbanistas, biólogos, engenheiros, ambientalistas, cientistas, professores universitários – de referência nacional e internacional – que se voluntariaram para serem porta-vozes da natureza, dando entrevistas, trazendo novas perspectivas, gerando conteúdo e enriquecendo informações de reportagens das mais diversas editorias. Criada em 2014, a Rede é uma iniciativa da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza. Os pronunciamentos e artigos dos membros da Rede refletem exclusivamente a opinião dos respectivos autores. Acesse o Guia de Fontes em www.fundacaogrupoboticario.org.br

ESIC Internacional promove palestra online sobre comportamento de compra e investimentos

No dia 1º de julho, às 21h, a ESIC Internacional promove a Master Class Online: Poupe Comprando e ainda Invista!, com a terapeuta financeira Fernanda Meneguine Wichinievski.
Comprar é como uma chave que abre a porta do sucesso ou a do caos financeiro. Qual a porta que você abrirá? No evento será possível entender sobre os perfis de consumidores e os comportamentos de compra. Como poupar mesmo consumindo? Como otimizar suas finanças e garantir seu futuro?
A terapeuta financeira é também fundadora e mentora de negócios na Enough (www.enough.com.br), empresa de consultoria financeira pessoal, para casais, mentoria para negócios, treinamentos e palestras, e Master Coach formada pela Act Coaching.
O evento é online, gratuito, com vagas limitadas mediante inscrição pelo link https://pages.esic.br/masterclass-invista.

Sobre a ESIC:

A ESIC é uma Business School Internacional especializada em Gestão de Negócios e Marketing. Com mais de 50 anos de experiência, possui matriz em Madrid e Barcelona, 10 campus na Europa, campus brasileiro em Curitiba, acordos e convênios nos 5 continentes, especialmente E.U.A., Índia e China. A instituição atua em oito áreas: Graduação, Pós-Graduação (Master e MBA), Executive Education (cursos avançados e sob medida para empresas e formação in company), Módulos e Missões Empresariais Internacionais, ESIC Idiomas (Escola de idiomas Internacional), Colégio Internacional, Simuladores/Competições Empresariais Globais e ESIC Editora (com tradição em publicações renomadas, atualizadas e especializadas em Gestão de Negócios e Marketing). Para garantir respaldo internacional aos certificados de seus alunos, a ESIC está entre o seleto grupo que segue os padrões do Executive MBA Council (Conselho Internacional de MBAs), é membro da EFMD (European Foundation for Management Development), AACSB (Associationto Advance Collegiate Schools of Business of USA), AMBA (International Association of MBAs) e CLADEA (ConsejoLatinoamericano de Escuelas de Administración).

​Senac RJ promove o bate-papo Boom das lives: um novo caminho para o mercado do audiovisual

Novo fenômeno das transmissões ao vivo pela web aquece o mercado audiovisual em meio à pandemia.
Gerente de Tecnologia, Esportes e Eventos do Grupo Globo é o convidado da live que acontecerá na próxima
segunda-feira, 25 de maio, às 17h, no canal do Senac RJ no YouTube.

O distanciamento imposto pelo protocolo de combate ao novo coronavírus impulsionou a utilização da tecnologia como meio de interação social. Com isso, artistas, empresários, comerciantes, educadores, marcas e até o Papa se renderam às lives. O formato de transmissão ao vivo pela web, comum em plataformas como o YouTube e o Instagram, onde emissor e receptor da mensagem estão a uma curtida de distância, uniu profissionais e público em torno de um fenômeno que parece ter vindo para ficar.

Para apresentar as tendências, ferramentas, oportunidades, erros e acertos de uma live de sucesso, o gerente de Tecnologia, Esportes e Eventos do Grupo Globo, Luiz Augusto Morais, será o convidado do bate-papo Boom das lives: um novo caminho para o mercado do audiovisual, promovido pelo núcleo de Produção Cultural e Design do Senac RJ. Responsável pelas incensadas lives de Ivete Sangalo, DJ Alok e Roberto Carlos, Luiz também acumula experiência nas transmissões de eventos como Rock in Rio, Prêmio Multishow, Jogos Olímpicos e Copa do Mundo.

Leana Braga, gerente do Eixo Produção Cultural e Design do Senac RJ, comporá o bate-papo que também abordará o modelo de negócio que sustenta o novo fenômeno e a relevância das lives no mercado audiovisual, que sofreu grande impacto econômico com a pandemia; que surgiram como uma luz no fim do túnel para os profissionais da área, especialmente os que trabalham com eventos ao vivo.

A live Boom das lives: um novo caminho para o mercado do audiovisual acontecerá na próxima segunda-feira, dia 25 de maio, às 17h, no canal do Senac RJ no YouTube.

Serviço

Boom das lives: um novo caminho para o mercado do audiovisual, com Luiz Augusto Morais e Leana Braga.
Segunda-feira, 25 de maio, às 17h.
Assista em youtube.com/SenacRJ

Museu Paranaense promove simpósio virtual sobre arte indígena

Programação contará com palestras, relatos das aldeias e outros vídeos de 25 a 29 de maio na conta do museu no Instagram
O Museu Paranaense (MUPA) promove de 25 a 29 de maio o I Simpósio Virtual “Arte indígena em comunicação: diálogos entre saberes tradicionais, estética e sustentabilidade”. O evento, que será transmitido na conta @museuparanaense no Instagram, tem a colaboração de diferentes comunidades indígenas, pesquisadores e instituições. Todos os dias será publicada a biografia do convidado e, em seguida, exibida a palestra e outros vídeos, além de uma transmissão ao vivo.

Em tempos de muitas reflexões decorrentes da pandemia em um mundo globalizado, o simpósio busca valorizar o sentido de comunidade, formada tanto pelos pesquisadores quanto por indígenas, em atividades que rompem as fronteiras do museu, chegando também nas aldeias. Ele visa criar um espaço de diálogos entre as memórias, o cotidiano nas aldeias, as coleções de arte indígena e as instituições culturais da América do Sul. São contribuições importantes que vão entrelaçar narrativas sobre saberes tradicionais, tanto de povos amazônicos como do sul do Brasil e nordeste da Argentina, com estudos acadêmicos apresentados por pesquisadores experientes.

A diretora do Museu Paranaense, Gabriela Bettega, explica que a arte indígena será analisada sob várias perspectivas, como patrimônio, diversidade, cinema, memórias, produção cultural, e acervos em instituições públicas e privadas. “No simpósio virtual será destacada a importância dos saberes tradicionais em relação à sustentabilidade e à construção das identidades. Serão abordados também os diálogos e articulações da arte indígena com a cosmologia, as narrativas míticas, os saberes tradicionais, os artefatos e os agentes mediadores. A ideia é promover a aproximação entre várias temáticas que vêm sendo estudadas no Museu Paranaense desde as suas origens, em 1876”.

PROGRAMAÇÃO – Na segunda-feira (25/05), às 18h, tem palestra com a professora da Universidad Nacional Mayor de San Marcos, Luisa Elvira Belaunde, sobre a trajetória de mulheres indígenas em Cantagallo, no Peru, na busca de sustentabilidade e no reconhecimento da arte Shipibo-Konibo, e suas relações sociocosmológicas, especialmente a da artista Olinda Silvano.

Dia 26/05 (terça) a programação começa às 13h, com um mergulho na cultura Mbyá-Guarani do litoral paranaense. A cacica Mbyá-Guarani Juliana Kerexu Mirim Mariano, liderança indígena feminina no sul do Brasil, mostra a diversidade e a importância das artes no perpetuar da memória ancestral e na construção da identidade ameríndia. Danças e músicas que se conectam com o sagrado e com a natureza socialmente transformada.

Ainda na terça, às 18h, o professor da Universidade de São Paulo, Pedro de Niemeyer Cesarino, faz uma análise contextualizada das artes de povos ameríndios, especialmente da bacia amazônica e outras regiões das terras baixas da América do Sul, destacando os processos na produção de artefatos e construções. Ele discute as relações entre pessoas e objetos, mitos e ritos, percorrendo múltiplas trajetórias convergentes à impermanência material nas artes.

Na quarta-feira (27/05), às 18h, será realizada uma live com os diretores do filme “Bicicletas de Nhanderú”, os indígenas Mbyá-Guarani Patrícia Ferreira e Ariel Ortega, e a arqueóloga do Museu Paranaense, Claudia Inês Parellada. O link do filme será disponibilizado pelo Instagram do MUPA no próximo domingo, dia 24 de maio, para quem quiser assistir antes do bate-papo.

Na quinta-feira (28/05) tem programação dupla: às 13h será exibido vídeo produzido pelo professor Florêncio Rekayg Fernandes que apresenta aspectos culturais Kaingang na Terra Indígena Rio das Cobras, sudoeste do Paraná, incluindo a herança de saberes e fazeres, como o trançado, importantes na sustentabilidade e na afirmação da identidade étnica. O vídeo mostra a elaboração de cestos em taquara, da forma tradicional e raramente observada, com os motivos decorativos alternando fibras mais claras com as enegrecidas por carvão fixados com cera de abelha jataí.

E às 18h, a arqueóloga responsável pelo Departamento de Arqueologia do Museu Paranaense, Claudia Inês Parellada, fala sobre a busca de novos horizontes no estudo das artes indígenas no Paraná entrelaçando com dados arqueológicos e históricos, e discutindo materialidade e imaterialidade, diversidade e herança cultural. A pesquisadora destaca as coleções arqueológicas e etnográficas do MUPA possibilitando diferentes conexões e rupturas em análises sobre representações simbólicas, mitos e cultura material no transcorrer do tempo.

Encerrando o simpósio, na sexta (29/05), às 18h, a pesquisadora do Museu Paraense Emílio Goeldi, Lúcia Hussak Van Velthem, apresenta um histórico das principais pesquisas já desenvolvidas sobre artes indígenas no Brasil, com a análise de diferentes conceitos que buscam englobar e destacar a diversidade cultural. Com muitos exemplos, aponta articulações entre mitologia e arte, e elenca referências fundamentais para reflexões sobre essa temática.
CONTINUA – Além do simpósio virtual, o Museu Paranaense vai promover também um encontro presencial, previsto para o segundo semestre de 2020, dando continuidade ao projeto, com mais convidados de comunidades indígenas e científicas.

SERVIÇO
I Simpósio Virtual Arte indígena em comunicação: diálogos entre saberes tradicionais, estética e sustentabilidade
De 25 a 29 de maio de 2020
Pelo Instagram do Museu Paranaense – @museuparanaense

PROGRAMAÇÃO
Dia 25 de maio de 2020 (segunda) às 18h
Palestra “Uma biografia urbana do Kene Shipibo-Konibo” com a professora Dra. Luisa Elvira Belaunde (Universidad Nacional Mayor de San Marcos, Lima, Peru)

Dia 26 de maio de 2020 (terça) às 13h
Vídeo “Arte Mbyá-Guarani da Tekoa Takuaty, Ilha da Cotinga, litoral do Paraná” de Juliana Kerexu Mirim Mariano (Cacica Mbyá-Guarani do Tekoa Takuaty, Paraná).

Dia 26 de maio de 2020 (terça) às 18h
Palestra “A política da impermanência nas artes ameríndias” com o professor Dr. Pedro de Niemeyer Cesarino (Universidade de São Paulo).

Dia 27 de maio de 2020 (quarta) às 18h
Live com os diretores do filme “Bicicletas de Nhanderú”, os indígenas Mbyá-Guarani Patrícia Ferreira e Ariel Ortega, e a arqueóloga Dra. Claudia Inês Parellada (Departamento de Arqueologia do Museu Paranaense).

Dia 28 de maio de 2020 (quinta) às 13h
Vídeo “Memória e arte Kaingang em Rio das Cobras, Paraná” do professor Kaingang Florêncio Rekayg Fernandes (doutorando em Antropologia na Universidade Federal do Paraná).

Dia 28 de maio de 2020 (quinta) às 18h
Palestra “Entrelaçando arqueologias e artes indígenas no Paraná, sul do Brasil” com a Dra. Claudia Inês Parellada (Departamento de Arqueologia do Museu Paranaense).

Dia 29 de maio de 2020 (sexta) às 18h
Palestra “Artes dos povos indígenas no Brasil” com a professora Dra. Lúcia Hussak Van Velthem (Museu Paraense Emílio Goeldi).

Agenda: Hospital Cardiológico Costantini realiza evento gratuito e online sobre Futebol Moderno

Série de palestras acontece nesta sexta, das 19 às 22h

No dia 24 de abril, o Hospital Cardiológico Costantini realiza um seminário informativo gratuito e online com o tema Futebol Moderno. As palestras terão início às 19h e contarão com a presença de profissionais da instituição, além de representantes de times paranaenses de futebol. O evento é voltado para profissionais da área da saúde, educadores físicos, esportistas, jogadores e comunidade, em geral. Passa assistir, basta acessar o endereço https://bit.ly/2KAdSyw no horário de início. Os participantes receberão certificado

SERVIÇO:

Seminário Informativo de Futebol - Gratuito e Online

Tema: Futebol Moderno;
Data: 24/04/2020 (sexta-feira);
Horário: 19h às 22h;
Local: Online - https://bit.ly/2KAdSyw
Gratuito
PROGRAMAÇÃO:

19h – Início;
19h-19h05 – Abertura;
19h05-19h30 – Uma visão além das 4 linhas;
19h30- 20h30 – Mesa-redonda: o impacto da mudança do esporte no metabolismo, nutrição e a na musculatura de jovens atletas:
19h30- 19h50 – Alterações no metabolismo de jovens atletas;
19h50-20h10 – A nutrição como apoio para o alto rendimento;
20h10-20h30 – Futebol de base e lesões: impressão do mundo real;
20h30-21h – Controle e monitoramento de carga no futebol profissional. Como eu faço?
21h-21h30 – Recovery: como otimizar a recuperação de atletas profissionais?
21h30-22h – Discussão e perguntas.

LIDE Paraná Talks discute sobre a importância da criatividade em tempos de crise

"Inovação pressupõe mudanças, não apenas no cenário tecnológico, mas sim de comportamento humano"

Nesta segunda-feira (13), o LIDE Paraná no quinto episódio da websérie "LIDE Paraná Talks" discutiu sobre a necessidade da inovação em tempos de crise e sobre a grande oportunidade atual das empresas em ganharem aliados ao contarem com a capacidade criativa e atitude de liderança de suas equipes.

Especialistas no assunto criatividade, os entrevistados foram Jean Sigel, fundador da Escola de Criatividade e Rafael Bretas, publicitário e fundador da agência FOG.

Em rápidas mudanças de cenários fica difícil reconhecer o que está acontecendo e quais decisões devem ser tomadas, para isso é necessário que tenha reflexão. "O primeiro passo é entender que está em uma crise. Entenda que isso é sério e que precisa ser tomadas decisões, que não podem ocorrer por impulsos." diz Rafael Bretas.

Inovação pressupõe mudanças, não apenas no cenário tecnológico, mas sim de comportamento humano. Um dos temas abordados foi que neste momento, mais do que em outros, as conexões entre as pessoas de uma mesma empresa devem estar mais fortes, pois pessoas são peças chaves no processo de inovação, consideradas até mesmo motores da inovação. "Transparência e conexão são fundamentais, para extrair o melhor das pessoas e criar confiança, se relacionando verdadeiramente com os funcionários". diz Jean Sigel.

Outra reflexão foi sobre como reconhecer o que faz cada um ser criativo, sendo um processo individual. O cenário de crises deixa as pessoas mais criativas em diversas áreas e isso deve ser aproveitado como uma chance de descoberta atraindo o espírito de equipe. Refletir sobre todos os processos é fundamental. "Refletir de qual maneira eu preciso do conhecimento e da minha equipe. Sobre como minha empresa está se comunicando e como eu estou fazendo isto acontecer." afirma Jean.

Os episódios do LIDE Paraná Talks podem ser acompanhados na íntegra no site lideparana.com.br/talks

LIDE Paraná Talks - A websérie do LIDE Paraná se posiciona como uma ferramenta com o objetivo de trazer informações precisas e consistentes que vão principalmente auxiliar os empresários na tomada de decisões nesse período do COVID-19 e no cenário pós epidemia.
Crédito do texto: Lide Paraná

As empresas estão preparadas para o mundo online?

AHK Paraná promove webinar gratuito e aberto ao público

sobre gestão e produtividade da equipe em home office

Como gerenciar os colaboradores a distância? Manter o ritmo e o engajamento em home office funciona? Como se fazer indispensável para os clientes em tempos de isolamento social? Afinal, quais as melhores práticas para manter a produtividade da equipe e, consequentemente, a sustentabilidade do negócio?
Com o objetivo de responder tais questionamentos e auxiliar as organizações diante deste novo cenário, em que o sistema de trabalho home office ganhou espaço, a Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha (AHK Paraná) promove um evento online gratuito e aberto ao público.
O webinar “As empresas estão preparadas para o mundo online? Saiba como garantir a produtividade da equipe em home office” será realizado no dia 14 de abril (terça-feira), das 10h às 11h10. Na linha de frente, um time de palestrantes formado pelo CEO e Partner da De Bernt, Fábio Souza, pela diretora da Projetual Comunicação, Milena Mancini, e pela diretora da Smartcom – Inteligência em Comunicação, Silvana Piñeiro Nogueira. O encontro virtual é o primeiro de uma série de eventos gratuitos que a AHK Paraná realizará, por meio da plataforma Zoom.
De acordo com Silvana Piñeiro Nogueira, diretora da Smartcom, agência responsável pela comunicação da entidade, a ideia principal do webinar é abordar a relação e o preparo das empresas quanto ao mundo online. “Em um momento de crise, foi necessário o deslocamento dos colaboradores em um curto período de tempo para o sistema de trabalho home office. Diante disso, foi possível constatar que a maioria das empresas não está preparada para esse método de trabalho remoto, mesmo com a tecnologia cada vez mais avançada”, relata.
Silvana, que há mais de um ano faz a gestão da agência Smartcom diretamente da Alemanha, acredita que também há um certo preconceito em relação ao home office e, até mesmo, um desconforto por parte da própria equipe. “Sendo assim, o posicionamento do líder deve ser ainda mais incisivo, cabe a ele manter a equipe focada em um objetivo comum”, completa.
Por fim, a jornalista destaca que o papel da liderança é a ferramenta mais importante neste momento, mais do que qualquer ferramenta tecnológica. “Isso é o que vai gerar o engajamento e a motivação dos colaboradores, que precisam se manter produtivos, a fim de garantir a sustentabilidade da empresa”, pontua.
As inscrições podem ser feitas pelo link: https://bit.ly/3b06gRF. Para mais informações, entre em contato com a AHK Paraná pelo e-mail: ahkparana@ahkbrasil.com .

Serviço:
As empresas estão preparadas para o mundo online? Saiba como garantir a produtividade da equipe em home office

Webinar gratuito e aberto ao público (AHK Paraná)

Data: 14 de abril (terça-feira)

Horário: 10h às 11h10

Local: Webinar via Zoom

Inscrições: https://bit.ly/3b06gRF

Informações pelo e-mail: ahkparana@ahkbrasil.com

Palestrantes:

Fábio Souza é pós-graduado em Gestão de Negócios pela FGV, tendo consolidado sua carreira como headhunter expert em recrutamento de executivos. Com passagens pela AMCHAM e Michael Page, atualmente exerce o papel de CEO & Partner da De Bernt no Brasil, uma das maiores consultorias de atração e gestão de talentos do país, que chega aos seus 33 anos com mais de 20 mil executivos abordados anualmente e única representante no Brasil da AIMS International.

Milena Mancini é diretora da Projetual Comunicação desde 2003. É especialista em Marketing e Consultora de Marketing Digital do SEBRAE/PR. Atua com Marketing Digital e com comércio eletrônico em empresas B2B e B2C.

Silvana Piñeiro Nogueira mora na Alemanha e administra a distância a Smartcom Inteligência em Comunicação, com sede em Curitiba, que há 10 anos atua na área de comunicação nacional e internacional B2B. É jornalista com 25 anos de atuação, mestre em Estudos Políticos pela Sorbonne - Paris II e pós-graduada em Marketing pela FAE Business School.

Sobre a AHK Paraná – Estimular a economia de mercado por meio da promoção do intercâmbio de investimentos, comércio e serviços entre a Alemanha e o Brasil, além de promover a cooperação regional e global entre os blocos econômicos. Esta é a missão da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha (AHK Paraná), entidade atualmente dirigida pelo Conselheiro de Administração certificado pelo IBGC e Cônsul Honorário da Alemanha em Curitiba Andreas F. H. Hoffrichter.

Fundada em 1972, a AHK Paraná integra uma rede composta por mais de 130 Câmaras binacionais alemãs em 90 países ao redor do mundo que trabalham em prol do fomento profissional de seus associados e no estímulo ao networking entre diferentes organizações. Com foco no desenvolvimento do Paraná, a AHK Paraná está entre as cinco melhores e mais completas câmaras bilaterais do Brasil e agrupa empresas de capital ou know how alemão e companhias brasileiras instaladas no estado com interesses na Alemanha.

Painel online discute ações empresariais em meio à pandemia da COVID-19

Nesta sexta-feira, dia 27 de março, às 8h, a ESIC Internacional promove um painel online, direcionado a empresários de pequenas e grandes empresas, com a finalidade de discutir as ações imediatas para que as instituições enfrentem o novo cenário econômico mundial.

Com o objetivo de compartilhar de forma prática os principais pontos de discussão no ambiente empresarial no Brasil, o professor Luciano Salamacha traz informações atuais sobre a nova realidade das empresas, com ideias de ações imediatas e também a curto e médio prazo, com o objetivo de manter a saúde financeira e prestações de serviço das companhias. O evento promove ainda networking, e abre espaço para perguntas e dúvidas dos empresários participantes.

Professor e coordenador da Master em Neuroestratégia e Pensamento Transversal® da ESIC, Salamacha é doutor em administração e mestre em engenharia de produção. Ele preside e integra conselhos de administração de empresas brasileiras e de multinacionais, atuando como consultor e palestrante internacional, professor em programas de pós-graduação, mestrado e doutorado no Brasil, Argentina e nos EUA, e também autor de livros e artigos científicos publicados no mundo todo. Foi pioneiro na América Latina em pesquisas sobre Neuroestratégia - neurociência aplicada à estratégia empresarial. O painel é gratuito e o acesso é feito pelo link https://bit.ly/2xqn3yw.

Sobre a ESIC:

A ESIC é uma Business School Internacional especializada em Gestão de Negócios e Marketing. Com mais de 50 anos de experiência, possui matriz em Madrid e Barcelona, 10 campus na Europa, campus brasileiro em Curitiba, acordos e convênios nos 5 continentes, especialmente E.U.A., Índia e China. A instituição atua em oito áreas: Graduação, Pós-Graduação (Master e MBA), Executive Education (cursos avançados e sob medida para empresas e formação in company), Módulos e Missões Empresariais Internacionais, ESIC Idiomas (Escola de idiomas Internacional), Colégio Internacional, Simuladores/Competições Empresariais Globais e ESIC Editora (com tradição em publicações renomadas, atualizadas e especializadas em Gestão de Negócios e Marketing). Para garantir respaldo internacional aos certificados de seus alunos, a ESIC está entre o seleto grupo que segue os padrões do Executive MBA Council (Conselho Internacional de MBAs), é membro da EFMD (European Foundation for Management Development), AACSB (Associationto Advance Collegiate Schools of Business of USA), AMBA (International Association of MBAs) e CLADEA (ConsejoLatinoamericano de Escuelas de Administración).

Mercado de chás e ervas une empreendedores e especialistas no Sebrae/PR

Promovido pelo Sebrae/PR, SlowTea atraiu participantes da cadeia para debater o mercado e aproximar atores
Dani Lieuthier fala sobre as experiências de chás e ervas ao redor do mundo. (Foto: InoveFoto)
Um encontro realizado na última sexta-feira (13), em Curitiba, aproximou participantes da cadeia produtiva de chás, ervas aromáticas, condimentares e medicinais. O evento, que integra o Comunidades Sebrae, teve como foco a promoção de networking, negócios e o debate sobre formas de impulsionar a produção e comercialização de chás e ervas no Paraná. Produtores, empresários, consumidores e instituições participaram do SlowTea.
“Produtores, especialistas, profissionais e até mesmo pessoas de outras regiões do Brasil compareceram ao evento em busca de um elo. O estado produz chás, ervas aromáticas, condimentares e medicinais que são distribuídos para o país, mas há falta de informação sobre isso. O propósito do Sebrae/PR é ligar toda esta cadeia”, explica Maria Isabel Guimarães, coordenadora estadual de agronegócios do Sebrae/PR.
Tradicionalmente, os chás são conhecidos como bebidas quentes e/ou medicinais, mas sua utilização vem sendo ampliada. A participante do evento e chef de cozinha Vânia Krekniski comenta que sempre gostou de chás, contudo, começou a utilizar as ervas nos preparos de seus pratos recentemente.
“As ervas estão muito ligadas à gastronomia. Estou trabalhando com a cozinha local e, a partir de agora, quase todos os pratos terão algum tipo de erva que remeta à infância, por exemplo. Uso muito a camomila e a erva-doce e agora estou produzindo um ravioli de cordeiro com infusão de óleo de poejo, que é conhecida como hortelãzinha e me lembra bons momentos”, pontua.

Paineis foram apresentados e promoveram o debate entre participantes. (Foto: InoveFoto)
Alessandra Gebur, participante do evento, começou a trajetória de empreendedora por meio do SouCuritiba, projeto de economia criativa que tem o apoio do Sebrae/PR e desenvolve souvenirs da capital paranaense. A partir disso, ela e a sócia decidiram abrir a BlenderiaCuritiba e trabalhar a erva-mate como matéria-prima para a loja de chás e ervas.
“Há uma grande oportunidade neste momento porque o mercado está em expansão e a porta de entrada é a curiosidade sobre esses novos usos. O evento foi genial porque uniu a cadeia do começo ao fim. Como empreendedora, preciso estar em contato com os produtores e conhecer os ingredientes. Há também o benefício de outras visões de mercado de outros empreendedores que podem trazer ótimas ideias. Um evento como esse só favorece o mercado porque beneficia desde o produtor até o consumidor final, que terá produtos mais interessantes à disposição”, finaliza.
Rômulo Marinho de Mello é pesquisador e produtor rural de óleos essenciais no Rio Grande do Sul. Ele participou do encontro e comentou que iniciativas como essas são benéficas para o setor.
“Acredito que esse tipo de evento fortalece a cadeia pela aproximação de pessoas e porque incentiva ao consumo de plantas de formas diferentes. Conhecemos os chás medicinais, mas há também o incentivo do consumo de chás como bebidas energéticas, chás gelados e tantos outros. Essas iniciativas são interessantes e vão agregar e favorecer negócios na área. Acho interessante que esse movimento continue abrindo novos caminhos”, pontua.
O evento contou com uma palestra de abertura ministrada por Dani Lieuthier sobre as expedições de chás e ervas por diferentes biomas do Brasil e do mundo, seguida por uma apresentação das frentes de atuação e projetos do SlowTea. Um painel da análise sensorial da erva-mate também foi apresentado, assim como o mapeamento ecológico de produtores de ervas aromáticas e medicinais.

Participantes puderam realizar networking e fechar negócios durante o TeaBreak (Foto: InoveFoto)

Projeto vai promover o desenvolvimento do litoral do Paraná tendo a inovação como base

Sistema Regional de Inovação visa fomentar o ambiente de negócios, atrair empresas e reter mão de obra qualificada para promover o desenvolvimento do litoral

Evento de lançamento do SRI Litoral reuniu mais de 80 representantes do ecossistema de inovação da região. Crédito: Inove Foto

Promover a inovação com o objetivo de impulsionar o desenvolvimento econômico e proporcionar a qualidade de vida para a população do litoral paranaense. Foi com esse objetivo que o Sebrae/PR e a Funespar (Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da Universidade Estadual do Paraná) lançaram o Sistema Regional de Inovação do Litoral, iniciativa que busca reter a mão de obra qualificada, atrair empresas e criar oportunidades de emprego na região.

Mais de 80 representantes de empresas, órgãos públicos, instituições de ensino, ONGs e associações empresariais participaram lançamento na última sexta-feira (13), em Paranaguá.

“O engajamento e essa conexão entre os atores desse ecossistema para a potencialização das ações na nossa região é um fator estratégico. Queremos promover um desenvolvimento sustentável e inovador que respeite as particularidades da região”, afirma a consultora do Sebrae/PR, Catiane dos Santos.

A formação do projeto do SRI Litoral contou com a elaboração de uma pesquisa quantitativa e qualitativa do Sebrae/PR. O estudo traz a identificação das principais necessidades da população litorânea e de propostas que visem impulsionar o ambiente de inovação e o desenvolvimento econômico.

A pesquisa apontou que 83% acreditam que a inovação pode melhorar a vida da população no litoral e 82% defendem que um ambiente inovador pode colaborar para o empreendedorismo. Além disso, foram elencadas três áreas de grande potencial da região: a aquicultura, o empreendedorismo e o turismo, especialmente com foco na sustentabilidade. A iniciativa está primeiramente voltada para as cidades de Paranaguá, Matinhos, Guaratuba, Pontal do Paraná e Morretes, mas deverá impactar a realidade de todos os municípios do litoral paranaense.

O projeto tem como um de seus principais focos envolver a sociedade, gerar aproximação e relacionamento entre empresas, universidades da região, governo, instituições públicas, privadas e de fomento, como resultado teremos a geração de oportunidades evitando o escoamento da mão de obra qualificada. Segundo a pesquisa, existem mais de 500 pesquisadores (entre mestrado e doutorado) atuando no litoral paranaense.

A diretora-presidente da Funespar, Danyelle Stringari, destacou a importância da colaboração entre os entes para o desenvolvimento de talentos para a região. “Precisamos dos setores público e privado apoiando o ensino de qualidade e a inovação. Nossa região tem grande potencialidades e queremos reter esses talentos que vão ajudar no seu desenvolvimento. Que esse seja apenas o primeiro passo”, afirma.

O Litoral do Paraná conta com três instituições de ensino superior públicas, além de particulares que devem fomentar o ambiente de inovação. Nos próximos meses, a Unespar, uma das principais da região, deve realizar a ampliação de seu câmpus em Paranaguá.

A atuação do SRI também tem como objetivo promover a aproximação entre o poder público e o poder privado e a capacitação entre os empreendedores e a população local. O trabalho visa atingir as seis hélices necessárias para a formação do ecossistema: governo, institucional, conhecimento, habitat de inovação, empresarial e capital de fomento.

“Para isso, o objetivo é fomentar a criação de novas empresas, incubadoras, aceleradoras e instituições de fomento com foco no desenvolvimento integrado. Com um ambiente completo, as empresas locais trazem renda e empregos e isso impacta positivamente em toda a região”, afirma Silvestre Labiak Júnior, professor da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, uma das instituições parceiras.

O professor também contou um pouco sobre o trabalho de criação e consolidação do SRI no Sudoeste que completou dez anos em 2019 e se tornou um dos principais polos tecnológicos do Estado.

“O SRI foi construído com o envolvimento e o interesse de todas as pessoas da região. O poder público sozinho não resolve todos os problemas, a sociedade tem que se mobilizar. E hoje temos um polo de empresas na região e um ambiente inovador que retém a mão de obra local”, explicou.

Objetivo do SRI é promover o desenvolvimento econômico estimulando a atração de empresas e a retenção de mão de obra local. Crédito: Inove Foto

Ações

O processo de formação do SRI no litoral contou com a assinatura de um convênio entre o Sebrae e a Funespar e com os primeiros diálogos com as universidades locais. A intenção é que as conversas para a elaboração de ações envolvam todas as seis hélices previstas de maneira integrada, além de mapear os ativos tecnológicos e os ativos de conhecimentos da região. “Queremos envolver toda a sociedade na criação dessas ações e tangibilizá-las a fim de que produzam efeitos práticos em curto, médio e longo prazos”, ressalta a consultora do Sebrae/PR, Ana Lucia Sousa.

Também está prevista a criação de políticas públicas de fomento à região. Como primeiro passo, a Fundação Araucária, que realiza o apoio ao desenvolvimento científico e tecnológico no Estado, anunciou um investimento de R$500 mil em projetos inovadores. Há ainda a possibilidade de criação de um centro de inovação na região por parte do governo do Paraná.

Além disso, o Sebrae/PR também realizará nos dias 17 e 18 de abril o primeiro hackaton do Litoral para 60 alunos do ensino técnico e universitário. Os participantes terão dois dias para elaborar uma identidade visual e um canal de comunicação para o SRI no litoral. O melhor projeto será premiado e colocado em prática. A banca de avaliação será formada por membros da sociedade civil e permitirá candidaturas até o dia 25 de março, por meio dos e-mails asousa@pr.sebrae.com.br e robertocandido1960@gmail.com.

JUIZ SAMI STORCH FAZ WORKSHOP DE DIREITO SISTÊMICO PARA DESENVOLVIMENTO PESSOAL NA RESOLUÇÃO DE CONFLITOS

O evento acontece no dia 07 de abril e os ingressos estão sendo vendidos pelo Disk Ingressos.

Conhecer profundamente a própria essência para eliminar problemas e conflitos é uma das tendências para o desenvolvimento pessoal e humano. E para auxiliar nesta busca de desenvolvimento pessoal, será realizada o workshop de DIREITO SISTÊMICO "CONSTELAÇÕES FAMILIARES E O DIREITO SISTÊMICO NA RESOLUÇÃO DE CONFLITOS", com um dos maiores especialistas em constelação sistêmica, o juiz Sami Storch, no dia 07 de abril, às 18h30, no Teatro Bom Jesus, em Curitiba. Promovido pela Neoconnection 4.0, os ingressos estão sendo vendidos pelo Disk Ingressos.

O evento é voltado para estudantes e profissionais do direito, da mediação e da resolução de conflitos, líderes e para todos os interessados em resolver conflitos de qualquer natureza, que buscam o desenvolvimento pessoal.

No conteúdo serão abordados: as leis básicas que regem os relacionamentos como o amor, o pertencimento, a hierarquia, o equilíbrio entre dar e receber; a origem do envolvimento em relações conflituosas, como por exemplo, boa e má consciência, amor cego e amor claro; as constelações aplicadas às questões de família, sucessões, infância e juventude, civil, penal, empresarial, imobiliário, previdenciário e público (noções gerais); dinâmicas inconscientes (exclusão, identificação e expiação); e a constelação e exercício para resolução de conflitos.

Quem é Sami Storch

Doutorando em Direito Civil (PUC-SP), Mestre em Administração Pública e Governo (EAESP-FGV/SP), Sami Storch é Juiz de Direito do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia. Tendo também formação em Consultoria Sistêmica Empresarial, Coaching e Constelações Organizacionais - Abordagem Bert Hellinger e Treinamento Avançado Intensivo em Constelações Familiares com Bert Hellinger pela Hellingerschulle, Storch foi o precursor do Direito Sistêmico no Brasil.

Desde 2006, ministra palestras e workshops no Brasil sobre o Direito Sistêmico e a prática das constelações como métodos de resolução de problemas e conflitos que surjam nas esferas dos indivíduos. Na área judicial, foco de seu trabalho, inúmeros conflitos vêm sendo conciliados ao longo dos anos, com base no uso da constelação familiar nos moldes de Hellinger.

SERVIÇO:
WORKSHOP DE DIREITO SISTÊMICO: CONSTELAÇÕES FAMILIARES E O DIREITO SISTÊMICO NA RESOLUÇÃO DE CONFLITOS COM JUIZ SAMI STORCH

Data: 07 de abril de 2020 (terça-feira)
Horário: 18h30.
Local: Rua 24 de Maio, 135 – Centro, Curitiba, PR
Classificação etária: Livre
Realização: Neoconnection 4.0
Ingressos: R$ 280 a inteira e R$ 140,00 a meia-entrada (plateia superior) + taxa administrativa Disk Ingressos
Mais informações: https://www.diskingressos.com.br/evento/1054/07-04-2020/pr/curitiba/direito-sistemico-com-sami-storch

LIDE Futuro realiza mentoring com o engenheiro Ricardo Cansian

A RAC Engenharia, empresa filiada do LIDE Paraná, é uma referência em construções sustentáveis e governança corporativa

Na quarta-feira (19) o engenheiro Ricardo Cansian recebeu os filiados do LIDE Futuro Paraná para um mentoring sobre a vivência da RAC Engenharia no mercado. O encontro aconteceu na sede da empresa em Curitiba. O prédio tem a maior pontuação LEED da América Latina, certificação para construções sustentáveis, concebida e concedida pela United States Green Building Council, que tem como objetivo promover e estimular práticas de construções sustentáveis.

Durante o mentoring, de forma descontraída Ricardo compartilhou a trajetória da RAC Engenharia até se tornar o que é agora, um exemplo de inovação e sustentabilidade. "A RAC é uma empresa jovem, hoje nós temos 18 anos de mercado. Porém mesmo sendo novos já lidamos com valores muito altos, desenvolvendo obras estruturais importantes em todo o país" destaca o engenheiro que, assim como a empresa, a maior parte da parte da equipe da RAC é formada por jovens talentos. "Incentivamos muito a formação de jovens, essa é a nossa cultura. Tentamos colocar uma cultura muito forte dentro da nossa empresa de formar jovens talentos que já nascem com esse nosso DNA", afirmou.

Ao longo do encontro, o engenheiro e sócio da RAC contou sobre uma das principais metas da empresa, de melhorar a vida das pessoas fazendo com que um ambiente construído seja mais eficiente e sustentável. Além disso, trouxe exemplos reais de inovação dentro da empresa, como o modelo de partnership empregado por eles atualmente, onde sua linha de gestores podem comprar suas ações disponíveis, assim tornando-se seus sócios. "Inovar não é simplesmente tecnologia, pode ser qualquer coisa. Se achamos que dá certo, vivemos em um ambiente que precisa disso, por que ficar pensando em crise e ter medo de crescer, se podemos inovar?", destacou.

"A RAC é uma referência da nova engenharia, a construção de prédios sustentáveis, pensados não só no meio ambiente ou na otimização de insumos, mas principalmente, no bem estar dos usuários. Nossa filiada a empresa é um orgulho de nós paranaenses, destaca a presidente do LIDE Paraná, Heloisa Garrett que acompanhou o mentoria.

O mentoring é uma das modalidades do LIDE FUTURO, braço de atuação do LIDE Paraná que é formado foi jovens lideranças empresariais que atuam em diferentes áreas de atuação, desde sucessores de grandes grupos empresariais, e empreendedores. Para conhecer mais sobre a atuação do LIDE Futuro, acesse o site oficial www.lideparana.com.br.

Sebrae/PR aproxima empreendedores da cadeia de panificação e cafeterias

Comunidades Sebrae promove debate sobre o mercado e aproxima empresários da cadeia

Empreendedores e entusiastas do setor de panificação e cafeterias se reuniram nesta quinta-feira (20), no Sebrae/PR, para dialogar sobre as mudanças, desafios e projeções para o futuro nesses mercados. O evento contou com a presença de Divanildo Carvalho Junior, da Trilhas do Trigo, Oscar Pablo Luzardo, da La Panoteca, Rodrigo Santiago, do Chicago Bakery, Georgia Franco de Souza, do Lucca Cafés Especiais, Lara Saya, da Supernova Coffee Roasters e Guilherme Lucavei, do Moka Club, para os debates. Os painéis do evento “O que está mudando na panificação e nas cafeterias” tiveram moderação da jornalista Jussara Voss.
O Paraná tem uma longa tradição de ser o maior produtor de trigo no país, apesar de ter registrado uma perda de 34% na produção em 2019, de acordo com o Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento. Por outro lado, Divanildo Carvalho Junior, do Trilhas do Trigo, afirma que já é possível produzir no Paraná grãos de excelente qualidade e que suprem a demanda de mercado devido aos avanços em pesquisas científicas. Essa foi apenas uma das várias modificações que ocorreram nesse setor.
"São muitas transformações em diferentes vertentes. Tivemos mudanças também nos equipamentos com a volta dos fornos de lastro e masseiras que trabalham melhor a massa. Porém, o fundamental é a formação de padeiros no Brasil. Precisamos ter grades curriculares formais e de longo tempo, com aulas de segurança alimentar, domínios de panificação e fermentação, além de outras para entender a padaria como negócio. Precisamos ter essa formação porque o mercado vai demandar”, analisa.
O Paraná também teve grande relevância para a história do mercado do café, uma vez que foi o maior produtor desse grão no país até 1975. A tradição do consumo da bebida é refletida hoje em consumidores mais exigentes e paladares mais apurados. Nessa perspectiva, existe uma abertura do mercado para os cafés especiais. Guilherme Lucavei, do Moka Club, comenta que, ao mesmo tempo em que existe a demanda do consumidor, também há a oferta do mercado em produtos diferenciados.
“A mudança vem nas duas pontas: da demanda de consumidores com referências diversas que procuram cafés diferenciados e, ao mesmo tempo, também vem do movimento da indústria que está buscando formas de agregar valor aos seus produtos. Os comerciantes de cafeterias querem trazer produtos melhores para vender mais”, pontua.

O evento
Assim como a união perfeita do feijão com arroz, a dupla café e pão também é símbolo de parceria na mesa do brasileiro. Entender os dois como complementares e conseguir explorar da melhor forma este dueto é a indicação da coordenadora estadual de agronegócios do Sebrae/PR, Maria Isabel Guimarães.
“São dois segmentos que estão em uma vertical. Estamos falando de produtores de grãos que fazem o trigo para panificadoras e o café para cafeterias. Hoje, o Sebrae trabalha o negócio como um todo. Não é só abrir uma cafeteria ou panificadora, é entender que existe um cliente que procura por produtos especiais. Para fazer um bom produto, precisa de conhecimento, que foi ofertado aqui. O ‘Comunidades Sebrae’ vem para trazer informações não só de gestão, mas também técnicas para microempresários que tem um bom produto e conseguem oferecê-lo com valor diferenciado para um cliente que está cada vez mais exigente”, analisa.
O evento contou com, aproximadamente, 100 participantes, entre eles, Leilane Locatelli, que fez a inscrição para o evento logo que soube da data.
“Tenho uma cafeteria que vende doces e cafés especiais, além de pão de fermentação natural. Este evento foi bem alinhado ao que meu negócio oferece. Tive vários insights do que foi falando aqui, como tendências para o mercado. Às vezes a gente não se atenta e, no fim, isso faz toda a diferença”, considera.
O Comunidades Sebrae é uma estratégia de relacionamento presencial do Sebrae/PR direcionada para um conjunto de empresas que possuem perfil de crescimento e que estão nos setores de Comércio e Serviços, Agronegócios, Indústria, Turismo, TI e Economia Criativa. No evento desta quinta-feira, depois dos painéis e debates, os empreendedores participaram de rodadas de networking, apresentação e degustação de produtos.

CURSO: ARQUITETANDO SORRISOS

Amigo dentista,

💎 Oportunidade única para aprimorar seus resultados em Harmonização Orofacial e Dentística com os 03 profissionais de maior destaque na área, no Brasil e no mundo!

CURSO: ARQUITETANDO SORRISOS
COM: Dr Rey, Dra Bibiana B.Grassi e Dr Sérgio Vieira 🙌
DATA: 17 a 20/03

PROGRAMA:

✨ Laminados Cerâmicos
✨ Planejamento
✨ Harmonização Orofacial
✨ Fios de PDO
✨ Preenchedores
✨ Toxina Botulínica
✨ Skinbooster

Informações: (41) 3015-6800/(41) 98828-7741
e-mail : bibianacursos@gmail.com

Shopping Mueller recebe a 10º edição do evento Pós-NRF Retail’s Big Show

O tradicional evento, que reuniu cerca de 360 convidados, apresentou as maiores tendências do varejo para 2020

No último dia 11, os principais rumos esperados para o mercado de vendas em 2020, observados no evento NRF Retail’s Big Show, em Nova York, foram apresentados pelo Grupo OM, em pareceria com o Shopping Mueller. O encontro, que lotou a Cinemark do shopping, reuniu lojistas e convidados para uma conferência sobre o maior evento de varejo do mundo.

Durante o evento, o público pôde confeirir informações exclusivas trazidas por três palestrantes especialistas no segmento de vendas, foram eles: o professor da Univerdade Avans na Holanda, Edward Nieuwland; O CEO da Brainbox Branding 360, Zeh Henrique Rodrigues; e o CEO da Senso Omnichannel, Renato Vertemati.

A Superintendente do Shopping Mueller, Daniela Baruch, conta que o Pós-NRF já virou tradição, e que é imprescindível trazer o conteúdo que está sendo discutido fora do Brasil. “Todo ano, o Mueller traz mais informações sobre tecnologia, novidades, layouts de lojas, para que nosso lojista fique atualizado com o que está acontecendo no mercado”, relata Daniela.

A primeira palestra, foi ministrada pelo professor Edward Nieuwland, que apresentou cases de sucesso de marcas varejistas com foco na experiência do cliente. “Você deve se questionar sobre três coisas: o que a minha empresa faz bem?, o que a concorrência faz bem? e o que o cliente quer?. Isso fortalece a conexão com nossos consumidores”, disse.

O diretor da Senso Performance Omnichannel, Renato Vertemati falou sobre “Inovação e Performance”, compartilhando com o mercado local algumas de suas impressões referentes aos expositores da edição deste ano da NRF. “Destaco três aprendizados principais, a presença e a interação do fator humano com a tecnologia, a inteligência artificial como item básico e a busca por soluções focadas em operações de retaguarda”, comentou.

O palestrante Zeh Henrique Rodrigues encerrou o evento, mostrando a store tour feita pelos executivos e pela caravana de clientes e parceiros do Grupo OM durante a NRF 2020. “A palavra mais importante para as marcas é relevância. E fazer sentido é ainda mais primordial em um contexto de excesso de informação, de cobranças pessoais e profissionais. Existe uma demanda crescente para que as marcas auxiliem o consumidor a resolver ou minimizar esses desconfortos emocionais”, pontuou Rodrigues

SERVIÇO:
Shopping Mueller | Pós-NRF Retail’s Big Show (11/2)
Local: Shopping Mueller | Avenida Cândido de Abreu, 127 - Centro Cívico
Informações: www.shoppingmueller.com.br
Facebook: www.facebook.com/MuellerCtba
Twitter: twitter.com/muellercwb
Instagram: @muellercwb