Serra Verde Express anuncia 2ª edição do Trem do Bita

Serra Verde Express anuncia 2ª edição do Trem do Bita
Programa que mescla teatro e passeio de trem tem nova data confirmada para dezembro, em Curitiba

O “Mundo Bita” está de volta ao trem! Depois do sucesso da apresentação de outubro, a Serra Verde Express volta a oferecer essa divertida e diferenciada experiência que mistura a magia do teatro e do universo ferroviário num programa inesquecível para as crianças. Em parceria com a Cia. Regina Vogue de Teatro, acontece no dia 01 de dezembro, sábado, a segunda edição do “Trem do Bita”, passeio temático com os personagens do desenho infantil que é um dos maiores sucessos da internet, na atualidade. O programa acontece em duas sessões, 10h e 14h, e tem valores a partir de R$ 45.

Na história, os personagens do Mundo Bita embarcam com o público numa viagem cheia de enigmas e charadas sobre o universo dos animais e das brincadeiras. A programação começa no saguão da Serra Verde Express com atividades lúdicas e educativas. Logo depois, o público é convidado a embarcar em um passeio de trem com Bita, Tito, Lila, Dan e seus amigos. O trajeto tem duração aproximada de 40 minutos e a diversão continua após o desembarque com muita música, brincadeiras e fotos com os personagens.

A peça tem direção de Maurício Vogue, trilha sonora de Chaps Melo, dramaturgia de João Henrique de Souza e produção da Cia. Regina Vogue. No elenco estão os atores Amanda Leal, Alfredo Netto, Bia Marinho, Everson Silva, Emilly Anne, Fernanda Milani, Junior Rocha, Lucas Buzato, Marrara Mara e Wagner Jovanaci.

A composição do “Trem do Bita” tem capacidade para200 pessoas. O valor do ingresso é R$ 90, a inteira, e R$ 45 a meia- entrada. A doação de um brinquedo novo dá direito a 50% de desconto em compras diretas na agência da Serra Verde Express.

Mais informações: telefone (41) 3888 3488. Whatsapp (41) 98867 8022 ou www.serraverdeexpress.com.br .

Serviço:
“Trem do Bita”
Data: 01/12
Horário: 10h e 14h
Sessões: 60 minutos
Local: Serra Verde Express, Rodoferroviária de Curitiba
Valores: R$90,00 inteira / R$45,00 meia- entrada (a doação de 01 brinquedo novo dá direito a 50% de desconto. Crianças de até 02 anos, no colo, não pagam)

Sobre a Serra Verde Express:
A Serra Verde Express é a operadora oficial do trem turístico de passageiros da Serra do Mar Paranaense na ferrovia Paranaguá - Curitiba desde 1997. Em mais de vinte anos de trabalho, incrementou o turismo ferroviário do Paraná e se tornou uma das mais importantes operadoras de trens turísticos do Brasil. É considerada, hoje, referência no setor em todo o mundo e administra o único trem de luxo nacional. Anualmente, cerca de 200 mil pessoas passeiam nos trens operados pela empresa. Além do turismo ferroviário, a Serra Verde Express oferece city tour, pacotes turísticos, serviços de transfer, receptivo e eventos. Para garantir a satisfação dos visitantes a empresa investe periodicamente em melhorias, treinamentos de colaboradores e na preservação do meio ambiente.A Serra Verde Express pertence à Holding Higi Serv e tem como diretor geral Adonai Aires de Arruda Filho. O executivo é presidente da Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos Culturais (ABOTTC) e presidente do Curitiba Região e Litoral Convention & Visitors Bureau. Mais informações: www.serraverdeexpress.com.br.

Guairão recebe show em celebração ao Mês da Consciência Negra

Guairão recebe show em celebração ao Mês da Consciência Negra

Na próxima terça-feira (20/11), às 20 horas, o Guairão recebe o show da cantora Sandra de Sá, com a participação especial de Michele Mara, Janine Mathias, Kátia Drumond e da Soulution Orchestra. O evento acontece em celebração ao Mês da Consciência Negra, promovido pela Secretaria de Estado da Cultura (SEEC). Na data também será entregue a premiação às 10 personalidades afro-paranaenses de destaque na sociedade. A entrada é gratuita.

No repertório, além dos sucessos de Sandra de Sá, destaque para as canções autorais Pérola Negra, Esse som é pra dizer e Preta até o osso" interpretadas pelas cantoras convidadas. Já a Soulution Orchestra, vem com um repertório de clássicos internacionais adaptados às Big Bands.

Mais shows
Michele Mara, Janine Mathias, Kátia Drumond se apresentam também em Maringá (23/11), no Palco Resistências; e Ponta Grossa (24/11), no Complexo Ambiental. Os dois shows são abertos ao público e têm entrada livre.

Cantoras convidadas

Michele Mara
Cantora e compositora Curitibana, recebeu em 2017, o prêmio de Personalidade Afro-Paranaense, concedido pelo Governo do Paraná, em cerimônia no Palácio Iguaçu, por se destacar pelo trabalho e compromisso com a promoção da igualdade racial e pelas ações de valorização da população negra.
Foi a vencedora do quadro a Maior Imitadora da América Latina, no programa do Faustão, em 2011, ao imitar a rainha do Soul, Aretha Franklin.
É a organizadora da marcha do orgulho crespo Curitiba, movimento que valoriza a beleza, ancestralidade e estética negra, que começou em SP em 2015 e teve sua 1° edição em Curitiba em 2016, tido como a maior marcha com o maior número de negras (os) da história de Curitiba.

Janine Mathias
Janine Mathias é filha de sambista, nascida em Brasília e, desde 2009, está radicada em Curitiba. A cantora versa entre o rap, o soul e vai até o samba. Acaba de lançar o seu primeiro disco solo, "Dendê". Composto por 10 faixas, o álbum conta com a participação de Rincon Sapiência e traz canções de Leandro Lehart, Martinho da Vila, Tássia Reis e Val Andrade, além de composições próprias.

Kátia Drumond
Cantora e atriz, iniciou a carreira artística em 1984, na cidade de Curitiba. Em 1990 passou a se apresentar também como cantora profissional. Fez shows pelo Brasil e se apresentou também na Argentina, Europa e Japão. Com carreira extensa na música, Kátia é compositora e diretora artística do projeto musical MUV, já abriu shows para Gilberto Gil, Gal Costa, Elza Soares, Lenine, entre outros grandes nomes da música. Em 2012, cantou ao lado de Carlinhos Brown, Michele Mara e Jhonatan Matheus, no show "Criança Esperança 2012", da Rede Globo.
Com o MUV participou de Festivais importantes da música, como Nu Jazz Festival 2012, Lupaluna 2011, Virada Cultural 2012 e Quadra Cultural 2013, entre outros.

Serviço
Mês da Consciência Negra

Curitiba
Show com Sandra de Sá e convidados - Michele Mara, Janine Mathias, Kátia Drumond e Soulution Orchestra.
Dia 20 de novembro, às 20h
Auditório Bento Munhoz da Rocha Netto Guaírão
Entrada gratuita
Classificação: maiores de 16 anos

Maringá
Show Michele Mara convida Janine Mathias e Kátia Drumond
Dia 23 de novembro, às 21h
Palco Resistências | Travessa Jorge Amado, s/n,
Entrada gratuita
Classificação: maiores de 16 anos

Ponta Grossa
Show Michele Mara convida Janine Mathias e Kátia Drumond
Dia 24 de novembro, às 20h
Complexo Ambiental Ponta Grossa Gov. Manoel Ribas, s/n.
Entrada gratuita
Classificação: maiores de 16 anos

A ânsia de crescer Processo Multiartes remonta “CriÂnsia”

A ânsia de crescer
Processo Multiartes remonta “CriÂnsia”, espetáculo que propõe uma experiência sensorial ao contrapor infância e vida adulta, com referências atuais. Temporada no TEUNI será gratuita, a partir de 16 de novembro

Como a vida adulta quebra o espírito lúdico que é a essência da infância para programar as pessoas a partir de uma ótica mercadológica. Este é o ponto de partida da nova montagem de “CriÂnsia”, que a Processo Multiartes estreia no TEUNI (Teatro Experimental da UFPR). Com direção e roteiro de Adriano Esturilho, o espetáculo foi montado inicialmente em 2003 e retorna agora como outro elenco, novas cenas e um olhar que dialoga com o momento atual.

A peça fará temporada gratuita de 16 de novembro a 16 de dezembro. De quinta a sábado, às 20h30 e aos domingos, ás 19h30.

“A ‘ânsia de crescer’ e a ‘cria de ansiar’ são as frases que dão o norte para o espetáculo”, adianta o diretor. “Queremos falar sobre como a vida adulta, desde cedo, faz a gente perder o espírito lúdico para ir nos programando e condicionando para a selvageria do mercado, do trabalho, da sede de consumismo", completa.

Brincadeiras, brinquedos e referências a programas de auditório populares nos anos 80, bem como algumas cenas que tencionam a vontade de manter-se neste universo lúdico em meio à intolerância e violência que crescem, ajudam na construção de uma metáfora do teatro em escombros. A ambientação envolve e convida a plateia a participar de um grande quebra-cabeças. “E ao artista cabe envelhecer mantendo esse espírito lúdico da infância. E isso se manifesta na forma sensível como faz e observa as coisas, como ele critica, no jeito como tenta sair dessa caixinha para a qual somos preparados desde cedo”, pontua Esturilho. “É uma atitude que tem parentesco claro com o olhar supostamente irresponsável da criança, sob o viés adulto”.

Com intervenções musicais ao vivo, uma marca dos trabalhos da Processo, CriÂnsia é um trabalho mais visual e propõe imagens que suscitam sensorialmente o público. Os temas aparecem mais diluídos, mas são claramente perceptíveis. “É mais sensorial, mas também reforça um lado cruel que procuramos dar... Fala da infância, mas tem muito a ideia da ânsia muito presente no conceito de construir”, pontua o diretor que ao optar pelos tambores ao vivo trouxe um clima um tanto ritualístico à cena.

A Processo também toca em outro tema caro a seu currículo, que é a interação. O cenário é um grande quebra cabeças, em meio aos escombros de um teatro, e as pessoas são convidadas a participar. “Elas estarão espalhadas pelo espaço e as arquibancadas não serão usadas. Queremos criar uma simbologia do momento: a gente ainda tem o teatro, ainda temos acesso a ele, mas as pessoas já não podem sentar nas poltronas. O que está em escombros, será destruído, que é o que acontece em momentos como o que vivemos. É um desconforto que propomos à plateia” fala Esturilho.

As referências ao momento político foram inevitáveis. “Isso influencia no olhar das pessoas para o espetáculo e, claro, nos influencia também! Em 2003 era outro o planeta em que vivíamos. Essas questões, ligadas à violência e intolerância existiam, mas não ressoavam tanto”, diz comentando sobre uma cena de malhação do Judas que traduz a intolerância com minorias. “E com a não aceitação da diferença, que também é uma forma da vida adulta podar este espirito livre da criança”.

Viabilizado pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Curitiba, CriÂnsia tem o incentivo do Banco do Brasil."

Serviço:
O que: CriÂnsia
Quando: 16 de novembro a 16 de dezembro. De quinta a sábado, às 20h30 e aos domingos, ás 19h30.
Onde: TEUNI (Praça Santos Andrade, s/n – Prédio História da UFPR).
Quanto: gratuito