Especialistas respondem dúvidas sobre o uso de máscaras caseiras

Resumo: O uso de máscaras caseiras no combate à pandemia de Coronavírus tem trazido muitas questões sobre sua eficácia, produção e modos de uso. As precauções aumentam quando se leva em conta que, se não forem manipuladas com os cuidados devidos, podem mais atrapalhar do que ajudar. Em nota técnica, a Comissão de Acompanhamento e Controle de Propagação do Coronavírus da Universidade Federal do Paraná (UFPR) recomenda o uso de máscaras caseiras, desde que confeccionadas de modo adequado, especialmente para reduzir a transmissão do vírus por indivíduos assintomáticos.

Pessoas assintomáticas são aquelas que desenvolvem sintomas leves do vírus e que podem nem saber que estão contaminadas. A professora Lucy Ono, uma das integrantes da Comissão, explica que o grupo tem estudado todos os trabalhos sobre essa forma de transmissão. Ela cita uma pesquisa alemã, publicada na Nature, que identificou a eliminacão de uma alta carga viral por assintomáticos. “Como não estamos fazendo testes, qualquer um de nós poderia estar assintomático e transmitindo“, comenta. Assim, o uso universal das máscaras caseiras pode contribuir para diminuir a propagação por gotículas liberadas por pessoas doentes e assintomáticas para os ambientes.

A comissão lembra que máscaras cirúrgicas devem ser utilizadas por profissionais da saúde, por isso é recomendado à população em geral a utilização das máscaras caseiras, que não podem ser confeccionadas de qualquer forma.

Os especialistas responderam 8 questões sobre as máscaras. SAIBA MAIS.

Engenheiros da UFPR fazem manutenção e consertos em respiradores hospitalares

Resumo: Depois de “lave as mãos com água e sabão e use álcool gel”, uma das coisas que mais se ouve falar no contexto de pandemia da Covid-19 (coronavírus) é sobre o colapso no sistema de saúde que pode acontecer caso muitas pessoas adoeçam simultaneamente. “Não haverá leitos com respiradores para todo mundo”, é o que dizem as autoridades da área. Foi pensando nisso que o curso de especialização em Engenharia da Manutenção 4.0 da Universidade Federal do Paraná (UFPR) criou o grupo “Médicos de máquinas”, com o objetivo de, gratuitamente, colocar em funcionamento respiradores hospitalares que não estejam operando.

Os engenheiros, que são focados em máquinas da indústria automotiva e petrolífera, resolveram abraçar, mesmo sem experiência, a área hospitalar. Em seguida, a iniciativa ganhou o apoio de especialistas da área da saúde, de engenheiros clínicos do Hospital de Clínicas da UFPR e de engenheiros voluntários.

Nesta terça-feira (31), o grupo realizou os primeiros atendimentos no Hospital São Vicente e no Hospital das Nações, em Curitiba, e no Hospital de Caridade Dona Darcy Vargas, no município de Rebouças (Paraná). Esse último tinha apenas um respirador, o único da cidade, e estava estragado.

SAIBA MAIS

DUPLA PEDRO HENRIQUE E FERNANDO LANÇA OFICIALMENTE O DVD DIA VERSUS NOITE

Chegou o dia! O DVD Dia versus Noite, da dupla Pedro Henrique e Fernando, foi lançado oficialmente nesta sexta-feira (03 de abril), em todo o país, podendo ser conferido nas principais plataformas musicais digitais. Este novo trabalho, que foi gravado no dia 18 de fevereiro (terça-feira), no Mirante da Águas, em Várzea Grande (MT), mostra bem a marca da dupla, que apresenta um repertório bastante variado, atual e que vai agradar e mexer com os fãs.

“O DVD será lançado em duas partes: a primeira delas, que conta com a música carro chefe, ‘Final do Rolê’, já está disponível nas principais plataformas, incluindo o YouTube”, explicou Fernando.

“Já a segunda parte do DVD Dia versus Noite será lançada na próxima semana”, acrescentou o cantor Pedro Henrique.

Criada em 2006, o sucesso da dupla Pedro Henrique e Fernando foi rápido e crescente, já que depois de um ano se apresentando em bares de Paranaíta (MT), os músicos seguiram para Cuiabá (MT) e, em 2009, com "Larga esse Whisky" (vem beber pinga), o reconhecimento dos fãs e da opinião pública chegou. A canção foi muito bem, ocupando o primeiro lugar nas paradas de sucesso, além de ser a mais pedida e tocada em diversas rádios, ganhando o status da revelação do citado ano.

Daí em diante, a dupla Pedro Henrique e Fernando, que ficou carinhosamente conhecida como “Mamonas do Sertanejo”, foi se destacando cada vez mais, com outros grandes sucessos: Varinha Mágica, Afoga o Ganso, To Mais Bonito, Bonito e Gostosão e Dói Né, entre outras.

Cleber & Cauan lançam álbum “Resenha em Casa” nesta sexta (03)

Composto por 14 faixas, todas ganham videoclipe no canal do YouTube da dupla

Créditos: Robson Henrique e Shodo Yassunaga

Cleber & Cauan prometem animar a galera no estilo que mais gostam. A dupla lança o álbum “Resenha em Casa” nesta sexta-feira (03) pela Som Livre – ouça aqui. O projeto conta com 14 músicas, sendo seis inéditas, e “No Seu Tempo” possui a participação especial da dupla Max & Luan. Todas as faixas ganham cortes do DVD no canal do YouTube da dupla. Nesta sexta, o público já pode conferir o clipe de “Bobão” - assista aqui.

A música de trabalho intitulada “Bobão” traz a história de um amigo que chama atenção do outro por desvalorizar sua mulher, apenas ressaltando o lado negativo. A letra traz a reflexão do amigo vendo a situação: “Eu sei que é exagero o que ela faz/Com ela a paciência nunca é demais/Ela compra um sapato toda vez que sai de casa/Exagera na fatura do cartão/Mas olha esse sorriso quando ela te vê/Você está reclamando à toa/Ela se arruma para você/Seu Bobão e daí se ela chama atenção?”.

O álbum “Resenha em Casa” conta ainda com a releitura de músicas de grandes artistas como Bruno & Marrone, Leoni, Edson & Hudson e João Bosco & Vinicius. No YouTube, Cleber & Cauan já somam 400 milhões de visualizações e mais de 1,5 milhão de inscritos. No Spotify, a dupla conta atuamente com mais de 1,2 milhão de ouvintes mensais.

"Resenha em Casa" - Cleber & Cauan
Lançamento Som Livre - 03 de abril/2020

14 faixas

1) Pedaço Meu
2) Pot-Pourri: Não Olhe Assim, Por toda a Vida e Meu Calor
3) Bobão
4) 200 Reais
5) Ela que Lute
6) Pot-Pourri: Falando Sério e Porta-Retrato
7) Foi Você
8) Pot-Pourri: Hormônios, Hoje Eu Sei e Você Não Me Ensinou a Te Esquecer
9) Duas Saudades
10) Pot-Pourri: Só Pro Meu Prazer e Meu Melhor Amor
11) Pot-Pourri: Não Posso Ter Medo de Amar, Seu Amor Ainda é Tudo e Só Mais Uma Vez
12) Gostinho de Cerveja
13) Eu Gosto É De Problema
14) No Seu Tempo, em parceria com Max & Luan

Sobre Cleber & Cauan
Com apenas cinco anos de idade, Cleber já sabia que queria ser cantor e participava de festivais e eventos na sua cidade natal, Ceres, interior de Goiás. Cauan, também criança, tinha em casa a dupla formada, já que cantava por hobby com a irmã e também participava nos festivais da cidade. A rádio de Ceres proporcionava esses festivais de jovens talentos e foi num desses que os dois começaram a amizade, que não imaginavam que era para vida toda. Os dois cresceram, fizeram faculdade, mas a música falou mais alto. Em 2010, decidiram seguir cantando nos bares de Brasília e pelo interior de Goiás. Em 2015 a dupla gravou em Brasília seu primeiro DVD da carreira, intitulado “Sonho”, com participações especiais de alguns amigos, como Solange Almeida, Israel Novaes e Marília Mendonça. Em Goiânia, na capital da música sertaneja, eles gravaram o projeto intimista “Resenha” em 2017. Com música boa, muitos amigos, bate-papo descontraído e diversão garantida, o projeto “Resenha 2” foi gravado em 2018, com participações de Fernando Zor (da dupla com Sorocaba), Thaeme & Thiago e Israel & Rodolffo. Em 2019, a dupla lançou o DVD “SURREAL” gravado em um grandioso show ao vivo em Brasília. A dupla começa 2020 com muito entusiasmo e lançam pela Som Livre a novidade “Resenha em Casa”, álbum com 14 faixas.

Sobre a Som Livre

De 1969 para cá o mercado fonográfico mudou, assim como a forma de se consumir música. Hoje, 50 anos depois de sua criação, a Som Livre é muito mais do que uma gravadora, é o espelho musical do país. Uma empresa 100% nacional voltada para a música, seja qual for a sua plataforma e que reflete, através de seus lançamentos, o gosto e o hábito de consumo do brasileiro.

A Som Livre possui diversas frentes de negócios: venda física, digital, shows, licenciamento e editora. Em seu time são mais de 100 artistas e sua editora é uma das mais importantes do país, representando os direitos de compositores nacionais e internacionais. Na linha de shows, a empresa aposta em festivais de música, que acontecem por todo o país, com as marcas Festeja, Viva Mais Música e Arena Pop.

somlivre.com

facebook.com/somlivre

instagram.com/somlivre

twitter.com/somlivre

CANTORES DETALHAM MILIONÁRIO MERCADO DA MÚSICA SERTANEJA EM DOCUMENTÁRIO

O Fenômeno Sertanejo estreia no dia 9 de abril, às 22h, no canal de TV por assinatura Music Box Brazil

Nem MPB e nem rock. O sertanejo é o estilo mais laico da música brasileira, isto é, que não se furta a fusões para continuar em evidência. É o ritmo mais rentável e que movimenta cadeia econômica milionária em que investidores, nem sempre ligados à cultura, definem o que é sucesso. O assunto é tema do documentário O Fenômeno Sertanejo, com Luan Santana, Chitãozinho & Xororó, Michel Teló, Alok e Naiara Azevedo, entre outros cantores, o produtor musical João Marcello Bôscoli, compositores, empresários e especialistas. A obra estreia em 9 de abril, às 22h, no canal de TV por assinatura Music Box Brazil.

Estruturado em nove capítulos, o filme resume três mutações do sertanejo até se tornar estritamente comercial. Surge em 1929 como música caipira e regional, com o retrato dos interiores do país. Canta o sertão, Chico Mineiro, cavalo e o arreio. O sertanejo moderno em 1982 com Chitãozinho & Xororó introduzindo banda nos arranjos de Fio de Cabelo, tocando em rádios e TVs das grandes cidades. Ganha fôlego na década seguinte com Zezé di Camargo & Luciano e Leandro & Leonardo no projeto Amigos. Em 2000, o país conhece o sertanejo universitário dos pioneiros João Bosco & Vinícius.

Aumento do poder de consumo dos brasileiros, pulverização das redes sociais e pirataria de discos. Os universitários João Bosco & Vinícius se apresentam em festas estudantis de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, até que um registro amador deles se espalha por repúblicas do Estado e pelo Brasil. “Deram um nome: sertanejo universitário”, explica Bôscoli. Os consumidores são “Um público jovem, que compra ticket, que consome shows e música na internet”, define Michel Teló. A explosão de novas duplas vem nesse embalo.

O sertanejo universitário se torna música de estética urbana consumida pela grande massa e elite brasileira, embora rejeitada pela MPB. Vira um negócio e um novo termo se populariza: gestor de carreiras. Isto é, investidores que acreditam no potencial econômico do meio, lançando duplas como espécie de startups. “São pessoas físicas, às vezes empresários, que não têm muito a ver com o mundo da música, mas gostam e injetam dinheiro num projeto”, caracteriza Cuiabano, locutor anfitrião da Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos.

O debate também abordará o monopólio de grandes escritórios nos investimentos e faturamentos do meio, a mensuração de novos singles, fusões com pagode, música eletrônica e outros ritmos, o artista como um produto e o lançamento de novos talentos na dependência de investidores. Sorocaba, dupla com Fernando, refletirá sobre compras de posições em paradas de sucesso e engajamento nas redes sociais. A autoafirmação das mulheres como contraponto a letras machistas cantadas por homens no movimento Feminejo, com Maiara & Maraísa, Naiara Azevedo e Marília Mendonça.

O Fenômeno Sertanejo é uma produção da Clube Filmes com direção geral e artística de Fabrício Bitttar. “O sertanejo, com certeza, vai ficar muito tempo ainda nas paradas. Ele tem uma estrutura já montada e construída, com rádios e shows, pessoas vendendo esses eventos, uma estrutura de produção e criação de conteúdo. Há um interesse muito grande de jovens em se lançarem nesse mundo. Quer dizer, existe material humano. A gente não vê no horizonte da música brasileira uma reação da MPB e do rock”, avalia o pesquisador Edvan Antunes.

SERVIÇO
DOCUMENTÁRIO O FENÔMENO SERTANEJO
Canal de TV por assinatura: Music Box Brazil
Quando: 9 de abril, às 22h
Duração: 77: 26
Produção: Clube Filmes
Direção geral e artística: Fabrício Bittar
Classificação indicativa: Livre

SOBRE MUSIC BOX BRAZIL

O canal Music Box Brazil dedica 24 horas de programação voltada ao melhor da música brasileira. Exibe shows, videoclipes, documentários, entrevistas e programas exclusivos com os principais nomes do cenário nacional. Integra a Box Brazil, maior programadora independente de canais de TV por assinatura brasileira, que alcança diariamente 36 milhões de pessoas no Brasil. A empresa também possui outros quatro canais, sendo um deles voltado ao mercado internacional: Prime Box Brazil (dedicado a conteúdos ficcionais), Travel Box Brazil (focado no universo de viagens) e FashionTV (versão nacional do mais importante canal de moda do mundo), além do BOOM TV (canal de filmes e séries dos grandes estúdios transmitido na Angola e Moçambique). O Music Box Brazil é distribuído pelas principais operadoras, entre elas NET, Claro, Vivo, Oi e Algar. No mercado internacional, está presente nas plataformas Amazon Prime, TeleUP e Brusa.

A SOCIEDADE MUNDIAL VIVE A ACELERAÇÃO TECNOLÓGICA EM TEMPOS DE DISTANCIAMENTO SOCIAL

Vivemos um momento de intensas mudanças, com novos hábitos de consumo e necessidade de se reinventar, tanto nos negócios como na carreira. Para discutir essas mudanças rápidas que estão ocorrendo no mundo por conta da Covid-19, a Neoconnection promoveu na última quinta-feira, dia 02, uma Live com Gil Giardelli, um dos maiores difusores de conteúdos ligados à futuro, tecnologia e inovação no Brasil e no Mundo. O tema abordado foi “Sociedade 5.0 e Inovação Global. E Agora?”

Intermediada pela diretora da Neoconnection, Maria Almeida Garcia, a Live com grande interatividade do público, destacou o momento atual, em que a sociedade está conectada em um ambiente global, sem fronteiras. Segundo Gil Giardelli, as relações de trabalho, hoje home office, em grande parte, por conta da necessidade de distanciamento humano para evitar a contaminação pelo Covid-19, estão promovendo uma grande mudança de comportamento, com maior uso de tecnologia para reuniões à distância, palestras, aulas e compras on-line.

Sociedade mais tecnológica

A comunidade científica também tem explorado bastante o uso da tecnologia para se manter conectada, acompanhando e interagindo em busca de soluções para combater o novo coronavírus. Ao todo, já foram realizados mais de 26 mil estudos com o Covid-19, utilizando a Inteligência Artificial.

As indústrias e o comércio estão vivendo um novo momento, com a necessidade de rever o seu negócio, inovando os seus processos e canais. Gil Giardelli destaca que os monopólios precisam rever seus negócios, os micronegócios e a economia compartilhada ganham força na nova era.

Ele ainda ressalta que a projeção do período de distanciamento social deve ser longo, em torno de 18 meses. A sociedade vai passar por momentos difíceis, com picos de quarentena e retornos a vida normal. Será uma mudança de era, com receio de caos social em alguns países, mas depois deste período a humanidade sairá fortalecida.

Distanciamento Social X Distanciamento Digital

Com tudo isso, a tendência é que com o distanciamento social, ocorra em paralelo o distanciamento digital. “Não podemos ficar 16 horas em casa somente olhando para uma tela. Experimente a desconexão”, destacou.

Dificuldades

Ele destacou as dificuldades que as empresas vão encontrar para manter os empregos e a suas atividades, pois 80% das empresas não possuem capital de giro para sustentar as despesas por mais de 30 dias.

Ressalta que todos terão que se reinventar e contribuir para sobreviver neste período, com redução de salários, tanto por empresas como pelo poder público, incluindo o executivo, legislativo e judiciário. “É um absurdo, num momento como este, o judiciário aprovar bônus porque está trabalhando em casa”.

Realidade Virtual

Um dos setores mais afetados neste momento, o do turismo, terá que adotar novas estratégias para se manter no mercado. Ele exemplificou o uso da Realidade Virtual, amplamente utilizada na China, por 90% dos habitantes. Giardelli argumentou que os Programas de Realidade Virtual possuem uma sensação muito próxima de estar presente fisicamente. “A realidade virtual, certamente, vai ajudar muitas empresas, não só no turismo. Em Manaus, por exemplo, já existe robô ajudando a população nessa linha”.

Blockchain no Agronegócio

Um dos setores mais sólidos no Brasil, o agronegócio tem inovado bastante os seus processos com o uso da blockchain para toda a cadeia do agrobusiness. Ele destaca o case da Unilever, que implementou um projeto que monitora e fiscaliza toda a cadeia de produção, desde as sementes até a entrega nas prateleiras dos supermercados.

Roboticista

Em alta, os cursos de Roboticistas (aquele que mexe com robôs eletrônicos e humanoides), ainda são pouco ofertados. Segundo ele, existem mercados ansiosos por esta profissão, pois cada vez mais humanos devem ter interação com robôs humanoides.

Giardelli disse que engenheiros agrônomos, por exemplo, podem ter que assumir várias funções, desde operar uma máquina de colheita, até fazer relatórios de análises de dados como um analista de dados.

Na Educação

A transformação está sendo ampla na educação. O ensino à distância está ganhando força, mas ainda é preciso inovar o conteúdo. Ele cita o exemplo da Escola Eurekando de Curitiba, que trabalha com professores do Século XXI, trazendo a tecnologia para as crianças. É um modelo similar utilizado em São Paulo, a Explore. O ensino é pautado no futuro, com conteúdo criativo e ensino do empreendedorismo.

Redes Sociais Neoconnection 4.0

www.instagram.com/neoconnection4.0/

https://www.facebook.com/neoconnection4.0/

“VillaMix Esperança – Música é Vida”: VillaMix Festival vai fazer 10h de live no próximo domingo (5)

O VillaMix Festival, maior festival de música do país vai levar alegria e entretenimento para você nessa quarentena

O VillaMix Festival, maior festival de música do país vai fazer uma live especial em seu canal oficial do Youtube no próximo domingo, dia 5 de abril, a partir das 12h.

A live intitulada “VillaMix Esperança – Música é Vida”, terá 10h de duração (das 12h às 22h) apresentando os melhores shows e momentos desses 10 anos de história do evento.

O festival reconhece a importância da população estar em quarentena neste momento tão delicado, devido a pandemia do coronavírus (COVID19) em todo o mundo, e convida você a curtir com a gente aí da sua casa.

Vale ressaltar que durante a transmissão teremos diversas ações solidárias, para ajudar aqueles que mais precisam neste momento. Não perca! Para conferir a live especial, acesse: https://www.youtube.com/villamix

Jorge & Mateus fazem live sábado no YouTube

Show “Na Garagem” começa a partir das 20h no canal da dupla

“Na Garagem” é o nome escolhido para a live que Jorge & Mateus fazem no próximo sábado, 04 de abril. O título remete a um show do início da história da dupla, que completa 15 anos de carreira em 2020. A partir das 20h, Jorge & Mateus fazem um show exclusivamente no YouTube com um repertório de tirar o fôlego, que vai de sucessos antigos a lançamentos mais recentes. O intuito da dupla é levar entretenimento musical para o público que se encontra em distanciamento social.

A live de Jorge & Mateus é uma parceria com o YouTube e faz parte da campanha #FiqueEmCasa #Comigo, uma iniciativa da plataforma para unir o mundo através de vídeos que possam ser consumidos em segurança, cada um na sua casa.

No último domingo (29), fãs de Jorge & Mateus pediram na Internet uma live da dupla para aproveitarem o período de isolamento social. Após a repercussão, os cantores anunciaram que atenderam ao pedido e todos foram a loucura. Somente no Instagram, a dupla ganhou cerca de 1 milhão de seguidores em 24h. No Twitter, 16 dos 30 assuntos mais comentados eram relacionados a Jorge & Mateus.

Os donos dos hits “Tijolão” e “Propaganda”, seguem trabalhando o último álbum “T.E.P”, lançado pela J&M Produções e Som Livre recentemente nos aplicativos de música. Para o repertório da live, a dupla vai levar em consideração alguns pedidos dos fãs que estão chegando desde então através das redes sociais. Para mais informações basta ficar ligado nas redes oficiais de Jorge & Mateus.

Confira fotos de divulgação aqui.

Sobre a Som Livre

De 1969 para cá o mercado fonográfico mudou, assim como a forma de se consumir música. Hoje, 50 anos depois de sua criação, a Som Livre é muito mais do que uma gravadora, é o espelho musical do país. Uma empresa 100% nacional voltada para a música, seja qual for a sua plataforma e que reflete, através de seus lançamentos, o gosto e o hábito de consumo do brasileiro.

A Som Livre possui diversas frentes de negócios: venda física, digital, shows, licenciamento e editora. Em seu time são mais de 100 artistas e sua editora é uma das mais importantes do país, representando os direitos de compositores nacionais e internacionais. Na linha de shows, a empresa aposta em festivais de música, que acontecem por todo o país, com as marcas Festeja, Viva Mais Música e Arena Pop.

somlivre.com

facebook.com/somlivre

instagram.com/somlivre

twitter.com/somlivre

Beto Carrero anuncia espetáculo ao vivo com mais de 50 artistas e gera revolta nas redes sociais

O “O Sonho do Cowboy”, maior musical da América Latina, será apresentado ao vivo nesta sexta-feira, dia 3 abril, às 20 horas, pelas redes sociais do parque Beto Carrero. Fãs do espetáculo e artistas de todo o país tem se manifestado nas redes sociais contra a exibição, que contraria as recomendações do governo e expõe os artistas a riscos de saúde em troca de likes para a empresa. “Que exemplo está sendo passado às pessoas em casa?” “Utilizar da fragilidade de profissionais num momento em que podem perder seus empregos é algo que passa do ridículo”, “Mais uma empresa que se aproveita do poder do capital para explorar seus funcionários, que aproveita a situação grave, pisa em cima da OMS e coloca uma mordaça em seus funcionários”, são alguns dos comentários do público, incluindo dos atores protagonistas do espetáculo na montagem original.

O autor, dramaturgo, diretor e coreógrafo do musical “O Sonho do Cowboy”, Maicon Clenk, discorda da atitude e reforça que não possui qualquer envolvimento com a exibição. Além disso, ele ressalta que o “Beto Carrero World” não poderia utilizar a obra, tampouco veicular a apresentação, pois não possui autorização para sua exibição e comercialização, tendo inclusive feito um registro da obra na Biblioteca Nacional, na tentativa de apropriação. Maicon Clenk é o autor da obra que estreou em 2010 e foi diretor artístico geral do parque entre os anos de 2009 a 2011.

Segundo os advogados do autor, o parque não possui o direito de transmitir a obra, muito menos de exibi-la desrespeitando a lei autoral e o autor. O parque utiliza ilegalmente duas obras do autor que são objeto de ações judiciais para apuração dos danos causados por exploração ilegal, plágios, modificações não autorizadas, venda de produtos e omissão de créditos. O Tribunal de Justiça do Paraná em Curitiba proibiu com uma liminar, ainda em 2013, o Beto Carrero World de apresentar o espetáculo fora das diretrizes do autor e da lei, porém, quando a multa ultrapassava a casa dos 15 milhões de reais por descumprimento, o processo foi transferido para a comarca de Piçarras em Santa Catarina, onde o juiz desconsiderou a decisão do Tribunal Paranaense.

O processo segue a passos lentos aguardando avaliação, inclusive com fatos no mínimo curiosos como o desaparecimento de provas do cartório local. Um novo pedido emergencial de interrupção total das exibições do “O Sonho do Cowboy” foi protocolado pelos advogados do autor e aguarda decisão. “Os danos aos artistas e o descumprimento às determinações de saúde são questões exclusivas que responderá unicamente o Beto Carrero World, JB World. Nesta quinta feira, dia 02, protocolamos uma petição de urgência que visa proibir a exibição do espetáculo também pela internet devido à falta de regularização”, disse o advogado do autor, Marcio Andraus.

O espetáculo musical “O Sonho do Cowboy”, no Parque Beto Carrero World já foi assistido por mais de dez milhões de pagantes desde sua estreia, em 2010. A plateia lota um teatro com capacidade para quatro mil pessoas, que adquire ingressos de até duzentos reais para frequentar o parque e chega a pagar quarenta reais extras por um lugar VIP no espetáculo. Só em 2019 o parque recebeu mais de 2 milhões de pessoas.

Pipocas prontas e para micro-ondas da Cinemark levam o cinema até a sua casa em Curitiba

COM CINCO SABORES DIFERENTES, PRODUTOS PODEM SER ENCONTRADOS EM REDES DE SUPERMERCADO E LOJAS DE CONVENIÊNCIA

A Cinemark sabe que a saudade de quem gosta de cinema já bateu. Para diminuir um pouco esse sentimento e aproximar ainda mais os espectadores, nada melhor do que levar o gostinho de pipoca de cinema para o conforto de casa. Lançadas em 2017, as pipocas da Rede nas versões pronta e de micro-ondas têm os mesmos ingredientes e sabores das que são encontradas nas bombonieres dos cinemas.

Para estourar em casa, as pipocas de micro-ondas podem ser adquiridas tanto no sabor natural quanto no tradicional Manteiga Cinemark, sucesso entre os cinéfilos de carteirinha. Já as prontas vêm com os sabores doces de Chocolate ou Caramelo e o salgado Lemon Pepper.

Os produtos estão à venda em Curitiba nos supermercados BIG e nas lojas de conveniência AM/PM. Alguns desses estabelecimentos disponibilizam a opção de compra online – basta consultar os respectivos sites e aplicativos.

“Neste momento, os fãs de cinema não podem vir até nós, mas podem se sentir numa sessão da Cinemark com a pipoca para consumir em casa. Com sabores variados, elas são perfeitas para um lanche e também para acompanhar série ou filme”, diz Bruno Oliveira, diretor de Alimentos e Bebidas da Cinemark.

Onde comprar:
BIG Supermercado
AM/PM

Sabores: http://twixar.me/VBMT

Quarentena com Vigor Mortis

Quarentena com Vigor Mortis

A recomendação nos dias de hoje é não sair de casa. Por conta disso, a Companhia Vigor Mortis está disponibilizando gratuitamente online os registros das peças de maior sucesso ao longo de mais de 20 anos de estrada. Paulo Biscaia Filho, diretor do grupo, informa que irá disponibilizar seis peças para o público, entre elas Morgue Story - Sangue Baiacu e quadrinhos, Graphic, Nervo Craniano Zero e Marlon Brando, Whiskey, Zumbis e Outros Apocalipses montagem que ainda estava inédita na internet.
“No momento que as pessoas estão em confinamento por causa do coronavírus (Covid 19) creio que a cultura é uma forma de tornar esse período mais agradável. No nosso caso, vamos disponibilizar na internet, sem custos, algumas das produções que realizamos e foram muito bem recebidas pelo público. Quem já viu poderá assistir de novo, quem não viu terá uma nova chance ao alcance do computador, do tablet, do celular ou da smart TV”, comenta Biscaia. As peças da Vigor Mortis que estarão disponíveis online são:

Morgue Story - Sangue Baiacu e quadrinhos (67 minutos) - Vencedora de 5 troféus gralha azul , incluindo de melhor espetáculo e melhor diretor. https://vimeo.com/vigormortis/morguestorystage

Graphic (92 minutos) - vencedora de três troféus gralha azul incluindo melhor espetáculo e melhor direção - https://vimeo.com/4449876

Nervo Craniano Zero (69 minutos) - a peça de que deu origem ao premiado filme. https://vimeo.com/10517570

Nevermore (45minutos) - três pesadelos e um delírio de edgar allan poe - coletânea de 4 curtas metragens de horror baseados em obras do célebre escritor norte-americano. https://vimeo.com/22015081

Conte até 10 (10 minutos)- curta metragem de horror com Michelle Rodrigues, Uyara Torrente e Guenia Lemos.
https://vimeo.com/129366497

Marlon Brando, Whiskey, Zumbis e Outros Apocalipses (86 minutos) - peça que ainda estava inédia na internet e que foi um dos maiores sucessos de público da Vigor Mortis -https://vimeo.com/88315796

VIGOR MORTIS
Fundada em 1997 e sob a direção de Paulo Biscaia Filho, a Vigor Mortis se estabeleceu como uma das mais profícuas e criativas companhias de Curitiba, Paraná. A companhia pesquisa possibilidades e vertentes do Grand Guignol, bem como a integração de linguagens entre teatro, HQs e cinema. Entre mais de 30 montagens estão os sucessos Morgue Story (2004), Graphic (2006), Manson Superstar (2009) e Marlon Brando, Whiskey, Zumbis e Outros Apocalipses (2013) entre outras. A companhia já se apresentou em festivais nacionais e internacionais e conquistou mais de duas dezenas de prêmios. Além do teatro, a companhia vem conquistando espaço no cinema com suas adaptações de Morgue Story e Nervo Craniano Zero, que recebeu prêmio de Melhor Filme em Montevideo, e San Francisco, além do prêmio de Melhor Diretor no New Orleans Horror Film Festival.
Em 2015, a companhia foi selecionada para ser a representante paranaense no projeto SESC Palco Giratório com o espetáculo, Vigor Mortis Mortis Jukebox Vol. 1. Em 2017 foram realizadas várias novas produções e eventos como o lançamento de Virgin Cheerleaders in Chains, a primeira coprodução internacional em cinema, as montagens teatrais A Macabra Biblioteca do Dr. Lucchetti e Acordei Cedo no Dia em Que Morri, a terceira edição do Grotesc-O-Vision, festival internacional de horror e o lançamento do piloto da série Lavínia.
Saiba mais sobre a Vigor Mortis em facebook.com/vigormortissx

Turnê do KISS no Brasil Adiamento

Segundo Esclarecimento Público sobre a Turnê do KISS no Brasil: Adiamento

Prezados fãs e consumidores;

A produtora de eventos Mercury Concerts, responsável pela turnê da banda KISS, End Of The Road World Tour, no Brasil, juntamente com a banda e seus representantes, vêm a público informar que, em razão da crise do coronavírus, todos os shows da turnê foram adiados. Seguem abaixo as novas datas:

- em São Paulo/SP, dia 14/11/2020, no Allianz Parque; 

- em Brasília/DF, dia 10/11/2020, no Ginásio Nilson Nelson;

- em Uberlândia/MG, dia 12/11/2020, no Estádio Parque do Sabiá;

- em Ribeirão Preto/SP, dia 15/11/2020, na Arena Eurobike;

- em Curitiba/PR, dia 17/11/2020, na Pedreira Paulo Leminski; e

- em Porto Alegre/RS, dia 19/11/2020, local a definir. 

             

Por fim, destacamos que todos os ingressos já adquiridos serão válidos para as respectivas novas datas, não havendo necessidade de troca/substituição de nenhum ticket. 

São Paulo/SP, 30 de março de 2020

Como surgiu a Via-Sacra? E reze a Via-Sacra da Solidariedade de Padre Zezinho, scj, e convidados

Rezar a Via-Sacra é uma bela prática muito comum na Igreja há alguns séculos. Tradicionalmente, é rezada às sextas-feiras - dia em que se recorda a morte de Jesus - sobretudo durante a Quaresma.

E como surgiu e foi estruturada a Via-Sacra?

A partir do século XIII, os franciscanos começaram a guiar peregrinos oriundos do ocidente para visitar Jerusalém e percorrer o mesmo trajeto onde, segundo a tradição, Jesus seguiu até ao Calvário, localizado hoje dentro da Basílica do Santo Sepulcro.

Uma prática de piedade aceita como autêntica pela Igreja e baseada no Evangelho. Contudo, algumas estações da Via-Sacra não se encontram nos textos sagrados, sendo inseridas a partir da tradição construída na Cidade Santa. Entre os episódios não descritos nos Evangelhos estão, por exemplo, o encontro de Jesus com Verônica e a queda por três vezes.

O formato atual de 14 estações da Via Dolorosa foi construído, no decorrer dos séculos, com a presença dos franciscanos na Custódia da Terra Santa. O ponto de partida, onde seria o pretório de Pilatos, na Fortaleza Antônia, é hoje uma escola muçulmana, vizinha ao Convento da Flagelação. A primeira estação, a da condenação de Jesus, está a cerca de 600 metros do Santo Sepulcro e todo o percurso acontece dentro da Cidade Velha de Jerusalém, seguindo os passos dos locais por onde Jesus, provavelmente, passou em meio à multidão que o observava.

De Jerusalém para o mundo. A devoção de rezar a Via-Sacra se difundiu mais consideravelmente a partir da Itália com a atuação do franciscano São Leonardo de Porto Maurício, no século XVIII, em suas missões populares em diversas cidades italianas.

Na Terra Santa, mesmo fora do período quaresmal, os frades franciscanos, fiéis locais e peregrinos mantém o costume de percorrer e rezar as estações da Via Dolorosa todas às sextas, a partir das 15h.

“Via-Sacra da Solidariedade” de Padre Zezinho, scj, e convidados

A oração da Via-sacra é um convite a todos os cristãos para não somente recordar, mas unir a própria vida ao caminho de Cristo até a Cruz. Este é a proposta dos dehonianos Padre Zezinho, scj e Padre Joãozinho, scj, com a “Via-Sacra da Solidariedade”.

Além da participação de Padre Zezinho, scj na narração, a “Via-Sacra da Solidariedade” conta com convidados muito especiais: Solange Silva, Nikki Ramos, Marcelo Mattos e Elivânia Ferreira.

Esta agora é uma nova oportunidade para seguir os passos de Jesus no trajeto da solidariedade. Ele, ao longo de sua Via Crucis, encontrou quem lhe desse um conforto e suporte, como sua Mãe Maria Santíssima, Cirineu e Verônica. Era o Senhor ali, mas sofria, foi flagelado e crucificado. Da mesma forma, somos convidados a sermos solidários ao Cristo que encontramos na pessoa dos irmãos e irmãs.

São tantas as dores deste mundo e pecados que acarretam os males da humanidade. Violência, pobreza, drogas, prostituição, cultura de morte. Situações que necessitam da luz e dos instrumentos do Pai: missionários; vocações para a Igreja; evangelização em diferentes campos, como nas universidades e redes sociais; famílias que valorizem a vida.

A “Via-Sacra da Solidariedade” nos conduz a uma atitude de compaixão e de misericórdia. Oferecemos as nossas dores a Cristo e também acolhemos quem sofre para ser consolo, apoio e refrigério. Um roteiro com meditações da Via-Sacra, a ser rezada em diferentes momentos durante a Quaresma e, nas proximidades da Semana Santa, chega um tempo mais intenso de realizar esta oração:

- Na paróquia ou comunidade eclesial;

- Nas ruas do bairro;

- Em família;

- Durante a oração pessoal;

- No auto da Paixão de Nosso Senhor na Sexta-feira Santa.

E mais uma novidade: seja qual for o momento para rezar, um eBook da “Via-Sacra da Solidariedade” pode ser baixado gratuitamente. Faça o download gratuito aqui [https://bit.ly/ViaSacradaSolidariedadeeBook]

YouTube: https://bit.ly/ViaSacradaSolidariedadeYouTube

Spotify: http://bit.ly/ViaSacradaSolidariedadeSpotify

Deezer: http://bit.ly/ViaSacradaSolidariedadeDeezer

iTunes: http://bit.ly/ViaSacradaSolidariedadeiTunes

Google Play: http://bit.ly/ViaSacradaSolidariedadeGooglePlay

Pandemia: pesquisadores da UFPR explicam incidência nos pets, importância do isolamento

*Comunidade científica não tem consenso sobre efeitos do Coronavírus nos pets

*Pesquisador defende isolamento social para reduzir impactos na saúde pública

*Pesquisador alerta para necessidade de mudança radical nos estilos de vida por conta da pandemia

As fontes são o professor o Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular Emanuel Maltempi de Souza e o professor sênior do Programa de Pós Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento, Dimas Floriani. Solicitações de entrevista dependem da disponibilidade de ambos, mas o material abaixo pode ser livremente utilizado.

Valorize a ciência! Valorize o saber técnico e o conhecimento científico!
__________________________________________________________________________________

Animais de estimação não adquirem Covid-19; tutores doentes não devem ter contato com humanos ou animais

Resumo: Presidente da comissão, o professor do Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular Emanuel Maltempi de Souza, orienta a manutenção dos hábitos de higiene em humanos e animais. “É bom sempre manter os animais bem asseados e lavar as mãos depois de manuseá-los, alimentá-los ou limpar as áreas que ocupam. Se tiver dúvida sobre quais produtos usar nos pets, é indicado consultar um veterinário”.
Caso o animal de estimação teste positivo para o novo coronavírus, é necessário que fique em quarentena e seja isolado do contato com outras pessoas. “Mas isso é extremamente raro e, até agora, nenhum teste tem sido feito em animais de estimação no Brasil”, afirma Souza.
As orientações do Conselho Federal de Medicina Veterinária e do Conselho Regional de Medicina Veterinária de São Paulo são para que pessoas infectadas evitem contato com seus cães e gatos, fazendo quarentena de convivência com eles durante o período de isolamento domiciliar. A medida tem o objetivo de evitar que o tutor infectado, ao espirrar ou tossir, espalhe partículas virais na pelagem no animal.
Os veterinários recomendam, ainda, que as saídas com os animais sejam curtas, buscando lugares não aglomerados e horários de menor movimento. Ao retornar para a residência, é necessário higienizar as patas dos pets com água e sabão neutro, para evitar que o contato com superfícies contaminadas na rua leve partículas virais para o ambiente domiciliar.
SAIBA MAIS
__________________________________________________________________________________

Pesquisador defende isolamento social para reduzir impactos na saúde pública

Resumo: O quadro demonstra que, até este ponto, a evolução do Coronavírus no Brasil foi parecida com a da Itália, dos Estados Unidos e da Espanha, afirma o cientista Emanuel Maltempi de Souza, professor do Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e presidente da Comissão de Acompanhamento e Controle de Propagação do Coronavírus na universidade. Nesses países, quando cerca de duas mil pessoas apresentavam a condição, já haviam morrido aproximadamente 50.
“Todos esses países estabeleceram medidas semelhantes às do Brasil para diminuir a transmissão entre as pessoas: medidas de distanciamento social rígidas – como suspensão de aulas em escolas e universidades, fechamento de comércio e ordem para ficar em casa – e de higiene pessoal, principalmente lavar as mãos e não tocar o rosto”, comenta Souza. Após a implantação dessas providências, espera-se que o número de novos doentes apresente redução. Contudo, o professor lembra que o resultado deve aparecer claramente entre duas a três semanas depois da adesão da população às medidas, já que o período de incubação do vírus pode ser de até 14 dias, embora na maioria das vezes seja de três a cinco dias.
Atitudes de distanciamento social foram empregadas no Brasil e no Paraná ainda no início da expansão da Covid-19, em comparação com outros países. A região italiana da Lombardia, por exemplo, foi isolada quando já havia 237 casos e três mortes (em 23 de fevereiro), mas as universidades e escolas do país só suspenderam as atividades quando já existiam cerca de 3800 doentes (em 8 de março). “Esse atraso para romper o ciclo de contaminação provavelmente levou à transmissão disseminada da enfermidade. Apenas nos últimos dois ou três dias (23 a 25 de março) é que foi possível notar a estabilização do número de novos casos, cerca de duas semanas após a implantação de medidas rigorosas. Ou seja, mesmo em casos extremos como o da Itália, o distanciamento social realmente funciona”, reitera o cientista.
“Mesmo em casos extremos como o da Itália, o distanciamento social realmente funciona”.
SAIBA MAIS
________________________________________________________________

Pesquisador da UFPR alerta para momento de mudança social, mas também de perigos que podem custar a vida

Resumo: Professor sênior e pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento (PPGMAD), o sociólogo Dimas Floriani pode ser considerado, a partir dos seus estudos, um analista de vanguarda do que vivemos hoje. Amparado em referenciais teóricos que pensam as relações do homem com a natureza, ele sinaliza, retomando os gregos, que a crise é momento de criação, mas também de perigos que nos podem custar a vida. “E sem ela não há nada a fazer”, aponta.
A questão traz um conjunto de complexidades que não escapam aos argumentos do pesquisador. De acordo com ele, a forma como os modelos de organização social deixaram marcas na natureza, alterando condições de vida, pintou um quadro difícil de ser revertido, como o surgimento de um estilo de vida consumista e a crise climática registrada desde o século passado.
“Os estilos de vida, a concentração urbana, questões relacionadas ao saneamento e à higiene, os hábitos alimentares. Todos esses fatores se conjugam naquilo que se chama de sociedade de risco”, explica. De acordo com ele, a medicina estuda os fatores biológicos e genéticos, mas há causas da doença que estão internalizadas nestes estilos de vida.
Para Floriani, esse é um momento em que o lado racional da humanidade pensa em questões práticas, mas sua necessidade de preservação da espécie mobiliza medidas de cooperação e solidariedade.“No imediato não há luz possível que acenda qualquer esperança: é o completo aleatório, uma ameaça permanente sobre nós. Contudo, os seres humanos carregam a esperança que lhes restitui a capacidade de reagir frente ao caos”.
SAIBA MAIS

Cachaçaria de Morretes produzirá álcool 70 para combater o Coronavírus

Produção foi autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e vai suprir a falta do produto na cidade do litoral paranaense

Crédito: Divulgação Porto Morretes

A cachaçaria Porto Morretes começou a produzir nessa quinta-feira (26), álcool 70%, que será doado para a Secretaria Municipal de Saúde de Morretes, município do litoral do estado. O produto será destinado para a limpeza e higienização do hospital e de postos de saúde da cidade.

Ao todo, poderão ser produzidos 500 litros de álcool por dia, pelo menos durante os próximos 30 dias. O período poderá ser prorrogado de acordo com a necessidade do município. Embora a cidade ainda não tenha registrado nenhum caso da Covid-19, o Coronavirus, a procura pelo álcool na cidade foi grande e o produto sumiu dos mercados.

Segundo o sócio-diretor da empresa, Fulgêncio Torres, a própria empresa entrou em contato com o hospital e se disponibilizou a realizar a doação do produto que está sendo muito demandado. “Esse é um momento de dificuldade para todos nós e nessas horas temos que procurar ajudar aqueles que mais precisam. Esperamos oferecer essa contribuição para fortalecer a luta contra a doença”, afirma ele.

Crédito: Divulgação Porto Morretes

Para iniciar a fabricação do álcool, os produtores de cachaça entraram em contato com o Instituto Brasileiro da Cachaça (Ibrac), que fez a solicitação da produção à Anvisa. Como as cachaças têm graduação alcoólica de 45 e os aguardentes de 54, foi necessária a autorização do órgão de Vigilância Sanitária, que permitiu a produção.

A cachaçaria precisou realizar alguns rápidos ajustes em seus equipamentos para iniciar a fabricação do álcool. O produto passará por todas as inspeções necessárias antes de ser utilizado.

A Porto Morretes é uma cachaça premium que esteve por vários anos entre as melhores e, em 2016 foi eleita a melhor Brasil, além de já ter recebido premiações internacionais.

Segundo a coordenadora estadual de agronegócios do Sebrae/PR, Maria Isabel Guimarães, a iniciativa é um exemplo de empreendedorismo solidário e demonstra como micro e pequenas empresas podem ajudar durante o período do Coronavirus.

“Temos em nosso estado micro e pequenas empresas com insumos, produtos e uma capacidade técnica que podem ser de grande utilidade nesse momento. Precisamos estimulá-las e valorizá-las para que possam prestar sua contribuição”, afirma.

Escoteiros do Brasil lançam plataforma online de atividades educativas

Em meio à pandemia do coronavírus, os Escoteiros do Brasil oferecem novas iniciativas de educação não formal para crianças e jovens

Adeptos da vida ao ar livre e das atividades junto a natureza, mais de 110 mil jovens e adultos em todo o país estão buscando novas alternativas para seguir realizando atividades escoteiras. Pensando nisso, os Escoteiros do Brasil lançam nesta quarta-feira (25) o projeto Escoteiros Online. A iniciativa contribui para a democratização do acesso à informação e permite que o desenvolvimento do programa educativo proposto pela organização seja realizado nesse momento de afastamento social, mesmo que à distância e de forma virtual.

Segundo o presidente dos Escoteiros do Brasil, Rafael Macedo, esta é uma maneira de reforçar a importância do Movimento Escoteiro no enfrentamento da crise que toda a sociedade está passando neste momento. "O escotismo surgiu há mais de cem anos e sempre atuamos de modo a contribuir na construção de um mundo melhor, agora não seria diferente. Este novo projeto, mais do que uma medida de enfrentamento à crise atual, é também uma maneira inovadora de praticar o escotismo e levar a nossa proposta educativa para milhares de famílias brasileiras que agora estão procurando alternativas saudáveis de educação e entretenimento, enquanto permanecem no isolamento domiciliar. Afinal, o escotismo continua muito ativo e relevante para os jovens e suas famílias", considera Macedo.

Todo o trabalho será realizado por meio de uma nova plataforma disponível em www.escoteirosonline.org.br. A programação de conteúdo está sendo elaborada por voluntários e profissionais das mais diversas áreas, de diversos estados do país. Diariamente serão publicados artigos, dicas de saúde, sugestões de atividades escoteiras, transmissões ao vivo, vídeo aulas, além de atividades educacionais que serão realizadas com parceiros institucionais dos Escoteiros do Brasil.

A primeira grande ação online será no próximo sábado, dia 28 de abril, durante o Festival Digital da Hora do Planeta, promovido pelo WWF-Brasil. Os escoteiros irão realizar uma transmissão ao vivo sobre diferentes tipos de nós escoteiros, às 10h30, além de participarem de uma live exclusiva com especialistas sobre os cuidados com os oceanos, florestas, consumo consciente e mudanças climáticas, às 14h. Ambas as atividades serão divulgadas e compartilhadas nos canais oficiais do WWF-Brasil, dos Escoteiros do Brasil e, em especial, na nova plataforma dos Escoteiros Online.

Serviço:

Plataforma de educação não formal Escoteiros Online

Disponível em www.escoteirosonline.org.br

Escoteiros do Brasil

Os Escoteiros do Brasil é a única organização do país reconhecida e certificada pela Organização Mundial do Movimento Escoteiro. É responsável por dirigir e acompanhar as práticas escoteiras adotadas no Brasil. Ao todo, são mais de 110 mil escoteiros, reunidos em 1533 Unidades Escoteiras locais, em 722 cidades espalhadas em todo o território nacional.

Ferramenta de educação não formal, o Escotismo ultrapassa as barreiras e se firma como um movimento educacional por proporcionar aos jovens desenvolvimento em diferentes áreas, de forma sempre contemporânea e variada. O Movimento Escoteiro é uma organização do terceiro setor, sem fins lucrativos, que atende crianças, adolescentes e jovens por meio de um programa educativo próprio, presente há mais de 100 anos no Brasil. Saiba mais em https://www.escoteiros.org.br

https://www.facebook.com/EscoteirosDoBrasilOficial

https://www.instagram.com/escoteirosdobrasil

Economia Criativa é uma aposta do Sesi Cultura Paraná

O segmento inspira criatividade e inovação, principalmente em época de coronavírus

Chico Santos.jpg
Crédito foto: Chico Santos

O Sesi Cultura Paraná investe no segmento cultural e aposta sempre em novidades e inovação. Grandes projetos são realizados desde 2008 e a evolução em cada ano traz à marca conquistas que atraem grandes talentos. Agora, com o impacto do coronavírus o setor precisa se reformular, buscando novas estratégias tecnológicas para que a arte continue a se manifestar.

Segundo a Rede de Economia Criativa (Rec), o setor gera 30 milhões de reais e movimenta 3% do PIB mundial. O segmento ganha cada vez mais espaço e as indústrias já geram em torno de 30 milhões de empregos com movimentação de US$ 2,5 bilhões ao ano. O Sesi Cultura Paraná faz parte desses números, tendo como exemplo os Núcleos Criativos espalhados por várias cidades do estado do Paraná, como também os 11 equipamentos (teatros) que trazem durante o ano programações que envolvem diversas áreas como - Artes Cênicas, Artes Visuais, Audiovisual, Música, Games, Moda e Design.

Para o ano de 2020, com a chegada do coranavírus que modificou a dinâmica do mundo em sua forma de viver, a arte não pode ficar para trás - com isso, o apoio a inovação e ferramentas tecnológicas para que os artistas continuem ativos não faltam para o Sesi.

Nesse cenário, o primeiro passo foi criar um movimento em suas redes sociais com a #SesiIndica, em que são divulgados os trabalhos dos artistas que exploram o universo online. O movimento é um incentivo às pessoas para continuarem consumindo arte. Por meio das redes sociais, é possível atingir um grande público que apoia a cultura. Outras ideias estão surgindo para que os artistas possam movimentar ainda mais a economia criativa em parceria com o Sesi.