Embaixada reabre para emissão de vistos: intercâmbio nos EUA já podem ser realizados

Com os vistos de estudante, brasileiros não precisarão mais passar 14 dias em outro país antes de entrar nos Estados Unidos

Em maio, alguns estados americanos iniciaram uma campanha de vacinação de turistas que forem visitar as terras estadunidenses. Essa movimentação levantou diversos debates sobre ética e desigualdade, mas o fato é que não há irregularidades legais para essa movimentação e, para os que têm condições, é uma oportunidade de adiantar a imunização sem furar a fila brasileira.

7wUmYiZGM6InYu02bj5SYyJXZ0BUasxWZjVHbh1WYzNXZuFmd6QDN5ADO4EjNyIjOnVGcq5CO3UTO3ATOwMjMGJTJwMjMGJTJxgDMyEjRyUiN4AzMx8VL1ETLf12bj5icw1WLp5CcwFmRyUiRyUSQzUycwRHdopTM
A vacinação nos Estados Unidos não necessita de agendamento e está disponível para qualquer adulto que queira se vacinar. Mercados, aeroportos e até nas grandes avenidas são locais de vacinação (Foto: Pixabay)

Também criou-se questionamentos sobre o motivo do país estar oferecendo suas vacinas a estrangeiros. Além do fato de movimentar a economia do turismo, há doses de sobra, visto que muitos americanos, por conta de teorias da conspiração e resistências de algumas comunidades, não estão se vacinando.

Os brasileiros que desejam ir para fazer o "turismo de vacinação" precisam ter a dupla cidadania, ou passar por uma quarentena de pelo menos 14 dias em um país que tenha voos permitidos para os Estados Unidos. Todavia, para os indivíduos que têm o visto de estudante não há mais a necessidade de cumprir esses 14 dias isolados. Para os que não possuem o visto de estudante há várias opções no México, em que é possível aproveitar o tempo nas praias do país. Ao final, é necessário que apresente um teste negativo da Covid para, então, conseguir um embarque rumo às terras norte-americanas.

Com essa promessa, buscadores de viagem viram a procura de voos rumo aos EUA aumentarem. Em maio, só o buscador Kayak registrou 719% mais procuras de voos rumo à Nova York em relação ao mês anterior. Miami, Los Angeles e Orlando também tiveram um grande aumento (527%, 421% e 398% respectivamente).

Os beneficiados com esse programa, entretanto, eram apenas aqueles com documentos em mãos, já que a Embaixada Americana no Brasil parou de emitir vistos em 2020 por conta da pandemia. Agora, após um ano da suspensão, a Embaixada voltou a realizar agendamentos para o pedido de vistos de estudo no exterior.

Eduardo Heidemann, diretor da TravelMate , empresa associada da Belta (Associação que certifica a credibilidade das agências de intercâmbio brasileiras), explica que "para conseguir um visto F1 é necessário já estar aceito em alguma instituição de ensino nos EUA". Heidemann complementa que é possível fazer a aquisição do pacote de intercâmbio para estudar nos EUA com a Travelmate, de forma parcelada, e segura. Enfatizou que os programas devem ter início a partir do dia 1º de agosto, além disso, relembrou que a entrevista no consulado é de forma presencial e o embarque pode ser feito até 30 dias antes do início das aulas. Por isso, a importância de já aproveitar este mês de Junho para adquirir o intercâmbio.

Para a emissão do documento americano é necessário comprovar matrícula em instituições de ensino nos Estados Unidos, preencher três formulários (I-20, DS-160 e I-901), pagar a taxa de solicitação e a SEVIS (Student and Exchange Visitor), agendar a entrevista e entregar a documentação. Essas e mais informações estão disponíveis no site da Embaixada Americana .

Com esse tipo de visto, é possível ir ao exterior fazer um curso de idiomas, um programa high school ou higher education em alguma universidade americana e, ainda, aproveitar e se imunizar em outro país, sem os gastos da quarentena no México. "É uma ótima oportunidade para quem vem postergando o sonho de estudar nos Estados Unidos. Além de fazer um intercâmbio, estar imunizado contra a doença que aflige todo o mundo há quase 2 anos é uma ótima oportunidade", comenta Eduardo Heidemann.

Se com essa notícia, os ânimos aumentaram, entre aqui e confira as oportunidades no exterior.

Sobre a TravelMate
Criada há 19 anos, a TravelMate tem como objetivo promover a educação internacional, por meio de vários programas de intercâmbio que atendem pessoas em todas as fases da vida. O foco está em proporcionar segurança, atendimento e suporte durante toda a vivência desse intercambista em outro país. A rede de franquias de intercâmbio e turismo comandada por Alexandre Argenta e Eduardo Heidemann possui uma ampla equipe em 50 unidades do Brasil, que é treinada regularmente para promover uma ótima vivência aos que embarcam com a TravelMate e para que a experiência de trabalhar na TM seja satisfatória para todos e todas. Foram mais de 25 mil vidas transformadas pela rede TravelMate, 25 mil projetos tirados do papel, e 25 mil embarques para o exterior. A rede ainda é associada da Belta - Associação das Agências de Intercâmbio do Brasil - que existe há 26 anos e é a única associação que tem como foco certificar com o Selo Belta agências confiáveis no setor de intercâmbio, por meio de um processo cuidadoso de análise financeira, técnica e ética das agências. Atualmente, as agências especializadas Selo Belta representam 75% do mercado de educação internacional.

Oportunidade de trabalho: Sobram vagas, nos EUA, no setor de serviços

Empregadores do país passam por dificuldades em encontrar pessoas interessadas para preencher vagas de trabalho

Os Estados Unidos vêm passando por uma crise diferente. Após uma onda de desemprego por conta da covid-19, empresários buscam por novos funcionários para suas empresas, o problema é que não há pessoas interessadas nas vagas. Carlos Gazitua, presidente da rede de restaurantes Sergio's, na Flórida, comentou que "quando chega uma candidatura, os gerentes pulam de alegria, mas, na prática, os candidatos não aparecem para a entrevista." Alguns estabelecimentos, inclusive, oferecem uma quantia em dinheiro para os que comparecerem na entrevista, é o caso de um McDonald's em Tampa que oferece US﹩ 50.

Mesmo com o avanço da vacinação no país, muitas pessoas ainda não se sentem seguras e confortáveis em sair de casa. Além disso, há ainda um plano do governo federal que oferece US﹩ 300 por semana para os desempregados do país, auxílios e benefícios de cada estado.

Work&Travel
Para aproveitar essa oportunidade e ainda treinar um segundo idioma, algumas agências de intercâmbio oferecem viagens com possibilidades de trabalho, uma experiência enriquecedora para aqueles que desejam incrementar mais o currículo.

Aproveitar as férias para realizar uma nova experiência no exterior é para aqueles que realmente tem o desejo de aprender sobre o mercado de trabalho dos Estados Unidos (Foto: Arquivo Pessoal)

Eduardo Heidemann é especialista em intercâmbios e Diretor da TravelMate , empresa de intercâmbios que oferece esse serviço aos clientes. A TM é uma rede associada da Belta (Associação das Agências de Intercâmbio do Brasil) e possui o Selo Belta há 14 anos. Heidemann comentou que o principal objetivo do programa é fazer com que "o participante tenha uma experiência de intercâmbio de trabalho no exterior sem comprometer seus estudos no Brasil, já que o programa acontece exatamente no período de férias escolares das universidades no Brasil."

O programa, intitulado Work&Travel é voltado para estudantes universitários com idade entre 18 e 28 anos e com um inglês pelo menos intermediário. Esse programa é oferecido somente nos Estados Unidos devido às regras específicas daquele país. O intercâmbio tem duração de 3 a 4 meses e oferece ao participante grandes vantagens de desenvolvimento tanto na carreira quanto no âmbito pessoal, proporcionando a criação de networking exercício da flexibilidade, adaptabilidade e, claro, a prática do inglês no ambiente de trabalho.

O intercambista será contratado ainda aqui no Brasil para trabalhar em estações de ski, hotéis, restaurantes, lojas e outros estabelecimentos turísticos. "Com a remuneração o participante normalmente se mantém nos EUA e muitos conseguem arrecadar fundos para viajar e aproveitar a estadia e o tempo livre", explicou Eduardo. O diretor ainda adiciona que o programa existe apenas nos EUA, pois há grande demanda de mão de obra temporária nas temporadas de inverno, a qual coincide com as férias das universidades no Brasil.

Como se planejar
Para iniciar o processo é necessário que algumas etapas sejam concluídas. A TravelMate costuma avaliar o idioma e perfil do candidato, além de solicitar alguns documentos (como currículo, atestado de matrícula no brasil, formulários de inscrição), organizar entrevistas com possíveis empregadores, auxiliar na reserva de acomodação, no processo de visto, e nos preparativos de embarque e a viagem em si.

"Os participantes podem fazer tudo num período de 3 a 4 meses antes de Dezembro (data de embarque), mas é recomendável que procurem a agência de intercâmbio com mais tempo (uns 6 a 8 meses de antecedência) para que o processo aconteça de maneira mais tranquila", recomendou o diretor da TM. Eduardo ainda relembrou que as seletivas e entrevistas com os empregadores deste ano já começaram.

Priscila Pieper, estudante universitária e ex intercambista da TravelMate, compartilhou sobre a sua experiência no mercado de trabalho norte americano. Priscila trabalhou como Ski Checker em um resort em Vermont. "Minha entrevista de emprego foi muito tranquila e a entrevistadora foi compreensiva e entendeu que eu estava falando um idioma diferente do meu. As perguntas foram as tradicionais, as mesmas que são feitas aqui no Brasil, ou seja, pediram para que eu falasse sobre pontos fortes e fracos, situações que passei e etc, e nela eu apenas fui eu, apesar de todo o nervosismo, mostrando que tenho o perfil do Work&Travel, uma pessoa maleável, disposta, proativa e aberta a novas experiências".

0=gzNxEDZ2ojci5SbvNmLhJnclRHQpxGblNWdsFWbhN3cl5WY2pDN0ITNwUDN3IDN6cWZwpmL4ETN0EjN0ATOGJTJ0ATOGJTJxgDMyEjRyUiN4AzMx8VL1ETLf12bj5icw1WLp5CcwFmRyUiRyUSQzUycwRHdopjN
Como o próprio nome diz, o Work&Travel é ótimo para pausar a realidade de estudos e viajar enquanto recebe dinheiro trabalhando em outro país (Foto: Arquivo Pessoal)

Com o objetivo de auxiliar ainda mais os que pretendem e planejam obter experiência profissional fora do Brasil, Eduardo Heidemann, da Travelmate , ainda trouxe algumas dicas para que o processo todo, desde o planejamento até o fim da viagem, sejam realizados da melhor forma possível:

1 - Continue treinando o inglês, para melhores oportunidades de vagas. O nível mais avançado de inglês ajuda na performance não somente das entrevistas, mas também no desempenho das atividades e tarefas.

2 - Busque agências e empregadores com antecedência, pois dessa forma você evita surpresas e pode se planejar de maneira mais realista para o programa. Poucas agências oferecem esse serviço e, quanto antes se inscrever, mais oportunidades de vagas e empregadores estarão disponíveis

3 - Converse com outros participantes que já foram e também com outros que vão na mesma temporada que você. Fazer amigos ajuda a reduzir os custos de viagem, moradia, deslocamentos, etc.

Para animar ainda mais os que já estão decididos, e dar um impulso naqueles que estão em dúvida, Priscila narrou um pouco sobre a sua experiência em Vermont: "a minha posição era a melhor dentro do hotel para intercambistas, além dos salários nós recebíamos "tips" por cuidarmos e guardarmos dos materiais de snowboard dos hóspedes, era super simples e legal. Eu lidava diretamente com o público, e sendo sincera passei por algumas situações péssimas e constrangedoras, mas de modo geral era muito legal. Fiz muitas amizades, lembro de uma hóspede que era argentina e, no hotel, ela fez alfajores caseiros e as empanadas argentinas e levou para cada um".

Dicas
Para evitar problemas e adquirir a melhor experiência possível, a Priscila conta que a sua primeira dica é estar de mente aberta e viver a experiência. Para isso, ela diz que é interessante economizar tudo o que puder "eu trabalhei muito para poder gastar lá, viajar e conhecer o país, mas tenha o seu objetivo na cabeça, se você for para guardar dinheiro, saiba que poderá ser necessário fazer hora extra ou até mesmo achar um segundo emprego".

Sorrir e ser gentil independente da situação é a próxima indicação da intercambista "essa dica foi o meu próprio chefe, o hóspede não quer saber o que está acontecendo, apenas querem ser bem atendidos, então aprenda a ter esse domínio psicológico, por que senão é só choro." Priscila ainda conta que aprender a superar dificuldades é um dos maiores aprendizados do intercâmbio.

3=EjZkBDNmpjci5SbvNmLhJnclRHQpxGblNWdsFWbhN3cl5WY2pDN0ITNwUDN3IDN6cWZwpmLxcDN5YzNwETMGJTJwETMGJTJxgDMyEjRyUiN4AzMx8VL1ETLf12bj5icw1WLp5CcwFmRyUiRyUSQzUycwRHdopTM
O Work&Travel é uma experiência que abrange diversas oportunidades (Foto: Arquivo Pessoal)

Em terceiro lugar, a estudante diz que, assim como em toda posição de trabalho, é preciso mostrar sua melhor versão, representando a cultura brasileira, deixando os chefes orgulhosos, mostrando o interesse em aprender e adquirir novas experiências. Muitas das posições dos intercambistas são profissões desprezadas, como faxineiro e camareiro, o que abre os olhos dos viajantes para entender novas realidades.

Por fim, coloquei na cabeça que quem faz o intercâmbio é o intercambista, portanto busque atividades extras, converse com os locais, faça amizades e esteja disposto e aberto para trazer bons frutos e fazer a viagem valer a pena sem depender de ninguém.

Se você está interessado em preencher alguma dessas vagas, entre em contato com a TravelMate para mais informações!

Sobre a TravelMate

Criada há 19 anos, a TravelMate tem como objetivo promover a educação internacional, por meio de vários programas de intercâmbio que atendem pessoas em todas as fases da vida. O foco está em proporcionar segurança, atendimento e suporte durante toda a experiência transformadora da vivência internacional. A rede de franquias de intercâmbio comandada por Alexandre Argenta e Eduardo Heidemann possui uma ampla equipe em 50 unidades do Brasil e no exterior, que é treinada regularmente para promover atendimento e suporte de qualidade para todos os que embarcam com a TravelMate.

Foram mais de 25 mil vidas transformadas pela TravelMate, 25 mil projetos tirados do papel, e 25 mil embarques para o exterior. A rede ainda é associada da Belta - Associação das Agências de Intercâmbio do Brasil - que existe há 26 anos e é a única associação que tem como foco certificar com o Selo Belta agências confiáveis no setor de intercâmbio, por meio de um processo cuidadoso de análise financeira, técnica e ética das agências. Atualmente, as agências especializadas Selo Belta representam 75% do mercado de educação internacional.

Programa acelera negócios com impacto positivo na Grande Reserva Mata Atlântica

Ao todo, 15 empreendimentos que atuam em pelo menos um dos 50 municípios da região passarão por capacitação e mentoria gratuitas, visando potencializar os benefícios gerados ao meio ambiente e à sociedade. As três iniciativas mais bem avaliadas no final do processo receberão, ao todo, R$ 20 mil

Empreendedores de negócios que promovem impacto positivo para a proteção da natureza e para o desenvolvimento socioeconômico na região da Grande Reserva Mata Atlântica – o maior remanescente contínuo do bioma no Brasil, englobando áreas em São Paulo, Paraná e Santa Catarina – podem se inscrever a partir desta segunda-feira, 7 de junho, no novo ciclo do Programa Natureza Empreendedora. Ao todo, 15 negócios de impacto serão selecionados para passar por um processo gratuito de capacitação e aceleração. As três iniciativas mais bem avaliadas no final do processo receberão, ao todo, R$ 20 mil. As inscrições vão até 20 de junho.

A 3ª edição da iniciativa da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, com execução técnica do Sebrae, tem como objetivo fortalecer e dar visibilidade a empreendimentos inovadores que contribuam com a conservação da biodiversidade nos 50 municípios da Grande Reserva. Ao longo de 20 semanas, os negócios selecionados passarão por capacitações de gestão, marketing, finanças, liderança e mensuração de impacto em conservação, em cerca de 30 horas de capacitação e workshops on-line. Cada negócio também terá, a cada semana, duas horas de consultoria individual e uma hora de mentoria para acompanhamento individualizado do desempenho de cada negócio, tirar dúvidas e compartilhar experiências.

“Buscamos empreendedores que queiram aliar seus negócios à conservação ambiental, de forma que seu crescimento também traga maior impacto positivo à manutenção e à proteção da biodiversidade da região”, explica o coordenador de Negócios e Biodiversidade da Fundação Grupo Boticário, Guilherme Karam. “Temos cada vez mais convicção de que as empresas – assim como governos, organizações da sociedade civil e os cidadãos de forma geral – necessitam gerar impacto ambiental positivo a partir de suas atividades. Sem um planeta saudável não é possível que os negócios prosperem. Queremos ‘acelerar’ esses negócios que preservam a Mata Atlântica.”

São elegíveis ao iniciativas sediadas nos seguintes municípios: Apiaí, Barra do Turvo, Cajati, Cananéia, Capão Bonito, Eldorado, Guapiara, Ibiúna, Iguape, Ilha Comprida, Iporanga, Itaóca, Itariri, Jacupiranga, Juquiá, Juquitiba, Miracatu, Pariquera-Açu, Pedro de Toledo, Peruíbe, Piedade, Pilar do Sul, Ribeirão Grande, São Miguel Arcanjo, Sete Barras e Tapiraí (SP); Adrianópolis, Antonina, Bocaiúva do Sul, Campina Grande do Sul, Guaraqueçaba, Guaratuba, Matinhos, Morretes, Paranaguá, Piraquara, Pontal do Paraná, Quatro Barras, São José dos Pinhais, Tijucas do Sul e Tunas do Paraná (PR); Campo Alegre, Corupá, Garuva, Itapoá, Jaraguá do Sul, Joinville, São Bento do Sul, São Francisco do Sul e Schroeder (SC).

O formulário de inscrição e mais informações podem ser acessados no site https://www.sebraepr.com.br/natureza-empreendedora/. Ao final do Programa Natureza Empreendedora, os negócios passarão por uma banca que avaliará critérios de viabilidade técnica e econômica, impacto ambiental positivo, visão de futuro, envolvimento com a comunidade local e time e parceiros estratégicos. O primeiro colocado receberá R$ 10 mil, o segundo e o terceiro, R$ 5 mil cada.

Natureza Empreendedora
Iniciado em 2018, o Programa Natureza Empreendedora foi estruturado a partir da identificação do potencial empreendedor da região aliado à conservação da Mata Atlântica. No ano passado, os três negócios vencedores do programa foram, o delivery on-line Olha o peixe!, que conecta a pesca artesanal e o consumidor, impactando positivamente a economia das comunidades pesqueiras, os estoques pesqueiros, a informação de qualidade sobre espécies e alimentos e o consumo consciente; a cervejaria artesanal Porto de Cima Brewing, que mantém a floresta protegida, usa ingredientes de espécies nativas, fomenta a economia local e divulga a fauna e a flora da região nos rótulos de seus produtos; e a empresa turística Ekoways, que trabalha com turismo regenerativo e se propõe a incentivar uma mudança de valores e um olhar de sustentabilidade para toda a cadeia do turismo, impactando positivamente as comunidades visitadas, as boas práticas de gestão de resíduos e a educação ambiental.

Sobre a Fundação Grupo Boticário
Com 30 anos de história, a Fundação Grupo Boticário é uma das principais fundações empresariais do Brasil que atuam para proteger a natureza brasileira. A instituição atua para que a conservação da biodiversidade seja priorizada nos negócios e em políticas públicas e apoia ações que aproximem diferentes atores e mecanismos em busca de soluções para os principais desafios ambientais, sociais e econômicos. Já apoiou cerca de 1.600 iniciativas em todos os biomas no país. Protege duas áreas de Mata Atlântica e Cerrado – os biomas mais ameaçados do Brasil –, somando 11 mil hectares, o equivalente a 70 Parques do Ibirapuera. Com mais de 1,2 milhão de seguidores nas redes sociais, busca também aproximar a natureza do cotidiano das pessoas. A Fundação é fruto da inspiração de Miguel Krigsner, fundador de O Boticário e atual presidente do Conselho de Administração do Grupo Boticário. A instituição foi criada em 1990, dois anos antes da Rio-92 ou Cúpula da Terra, evento que foi um marco para a conservação ambiental mundial.

O desrespeito nos afasta de possíveis soluções

Por José Luiz Gomes do Amaral*

Como nas tantas pestes que precederam esta, elas nunca vieram sós; com frequência se fizeram acompanhar da ignorância e da intolerância.
Vivemos, também no Brasil, tristes momentos de tensão e agressividade.
É deplorável ver cidadãos e colegas serem alvo de agressões, ameaças, calúnias, apenas por externarem suas convicções. A liberdade de pensamento e expressão, bem como o respeito às ideias discordantes, são essenciais às sociedades civilizadas.
A sociedade brasileira está enlutada pela perda de cerca de meio milhão de pessoas: nossos familiares, amigos, colegas e pacientes. A morte nos ronda, levando-nos todos os dias aos milhares. Este é o foco da tragédia.
Quando a solidariedade e a convergência se fazem mais necessárias, vemos a discórdia prevalecer.
Profundamente lamentável!
No Congresso Nacional, uma CPI foi criada para que, da análise dos erros encontre-se o melhor caminho. Entre os protagonistas da gestão desta crise, vários têm sido chamados a depor: médicos, ministros, militares, advogados, economistas, empresários... Outros virão. Independentemente de seus cargos, formação, independentemente de suas convicções e matizes político-ideológicas, serão tirados de suas respostas os elementos que caracterizarão erros e acertos na condução da pandemia, de sorte a, com eles definir, o melhor caminho a seguir. Entretanto, não será jamais possível lograr o esperado êxito sem ouvi-los, em ambiente de civilidade e equilíbrio. Se não lhes é dado falar livremente, se não lhes dão ouvidos, de que serve obrigá-los a depor? Para expô-los a deploráveis cenas de humilhação? Inaceitável!
Assistimos o constrangimento dos depoentes, episódios que, a repetirem-se, afastar-nos-ão da desejada solução.
Acrescentar-se-á à peste a destruição dos nossos melhores valores e da nossa própria estrutura social.
Devemos resposta aos tantos que ficaram neste caminho.

*José Luiz Gomes do Amaral, presidente da Associação Paulista de Medicina

CIEE/PR lança campanha para arrecadar alimentos

Iniciativa deve contribuir para mitigar os efeitos econômicos da pandemia em diversas regiões do Estado

O Centro de Integração Empresa-Escola do Paraná (CIEE/PR) está lançando uma campanha para arrecadação de alimentos em todas as 37 unidades espalhadas pelo Estado. A iniciativa é uma forma de reduzir os impactos econômicos causados pela pandemia de Covid-19 em muitas famílias e manter, assim, uma das características mais importantes da instituição: sua atuação social. Em Curitiba, os alimentos arrecadados serão doados à Fundação de Ação Social (FAS).

Toda a arrecadação está sendo realizada por meio de doações que devem ser deixadas nas unidades do CIEE/PR, em cidades como Londrina, Maringá, Ponta Grossa, Foz do Iguaçu e Curitiba. A lista completa das unidades está disponível no site da entidade. Para o presidente do CIEE/PR, Domingos Murta, é preciso reforçar ações como essa neste momento. “A pandemia trouxe impactos inevitáveis para a vida de todos, mas há pessoas que sofreram consequências sociais muito graves. Juntos, podemos diminuir esses impactos e fazer a diferença na vida de muitos”, afirma.

A preocupação com as questões sociais tem norteado o trabalho da instituição desde sua fundação, há mais de 50 anos. Programas como o Jovem em Ação e o Família em Ação são inteiramente dedicados a promover a inserção de jovens em situação de vulnerabilidade no mundo do trabalho e, ao mesmo tempo, desenvolver os vínculos afetivos dentro das famílias.

Serviço

Campanha de arrecadação de alimentos não perecíveis

Onde: nas unidades do CIEE/PR em todo o estado

Quando: até o dia 17 de junho de 2021

Sobre o CIEE/PR

Há mais de 53 anos, o Centro de Integração Empresa-Escola do Paraná (CIEE/PR) atua para promover a integração dos jovens ao mercado de trabalho. Por meio de programas de estágios e aprendizagem, cursos de capacitação e cidadania e programas sociais, a instituição contribui para o desenvolvimento econômico e social do Estado. Com 37 unidades operacionais distribuídas em todas as regiões do Paraná, o CIEE/PR tem uma média mensal de 20 mil estagiários e já recebeu cerca de 30 títulos de Utilidade Pública. Está registrado nos Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente em mais de 70 municípios e tem como um de seus propósitos trabalhar para fortalecer o desenvolvimento humano e social.

JBS investe R$ 1,85 bilhão em nova fábrica de alimentos preparados e em expansão de unidade

Planos da Companhia preveem investimentos na cidade de Rolândia (PR). Previsão é gerar 2,6 mil novos empregos diretos

Paraná, 14 de maio de 2021 – A JBS, segunda maior empresa de alimentos e maior de proteína do mundo, oficializou nesta sexta-feira (14) o investimento de R$ 1,85 bilhão em Rolândia (PR) até 2025. A expectativa é criar cerca de 2,6 mil novos empregos diretos. Os planos incluem a construção de uma nova fábrica de alimentos preparados, além da modernização e expansão da atual unidade de aves já em operação. O objetivo é atender as demandas dos mercados interno e externo, tanto para produção de proteína in natura quanto de alimentos preparados. A obra já foi iniciada e tem previsão de conclusão no quarto trimestre de 2022.

“A JBS está sempre atenta às demandas do mercado para ampliar a sua capacidade produtiva. Os nossos investimentos demonstram a relevância global do estado do Paraná como polo produtor de alimentos para o mundo.”, destaca Wesley Batista Filho, Presidente da JBS América do Sul e da Seara.

Atualmente, a unidade de Rolândia emprega 3,7 mil colaboradores diretos, além da parceria com mais de 390 integrados. Com a ampliação, outros 150 produtores serão integrados. A empresa já possui operações em 14 municípios do Paraná, incluindo unidades produtivas, centros de distribuição, incubatórios e fábricas de ração. A Companhia já emprega mais de 14 mil pessoas no estado e ainda conta com uma rede de mais de 2 mil produtores integrados, que fornecem matéria-prima para a empresa e movimentam economicamente as regiões do entorno de suas fábricas.

Sobre a JBS 
 A JBS é a segunda maior companhia de alimentos do mundo e a maior de proteína animal. Com uma plataforma global diversificada por geografia e por tipos de produtos (aves, suínos, bovinos e ovinos), a Companhia conta com mais de 250 mil colaboradores, em unidades de produção e escritórios em todos os continentes, em países como Brasil, EUA, Canadá, Reino Unido, Austrália, China, entre outros. No Brasil são mais de 145 mil colaboradores, sendo a empresa a maior empregadora do país. No mundo todo, a JBS oferece um amplo portfólio de marcas reconhecidas pela excelência e inovação: Swift, Pilgrim’s Pride, Seara, Moy Park, Friboi, Primo, Just Bare, entre muitas outras, que chegam todos os dias às mesas de consumidores em 190 países. A Companhia investe também em negócios correlacionados, como couros, biodiesel, colágeno, higiene pessoal e limpeza, envoltórios naturais, soluções em gestão de resíduos sólidos, reciclagem, embalagens metálicas e transportes. A JBS conduz suas operações com foco na alta qualidade e na segurança dos alimentos e adota as melhores práticas de sustentabilidade e bem-estar animal em toda sua cadeia de valor.

Arrendamentos portuários devem gerar mais R$ 1 bilhão de investimentos no Porto de Paranaguá

Porto também terá a primeira concessão de manutenção do canal aquaviário,
com outros R$ 5 bi de investimentos
A assinatura do contrato de arrendamento do terminal portuário PAR12, com investimento privado previsto de R$ 22,2 milhões, nesta terça-feira (18), representa apenas uma pequena fração do que está por vir pela frente em relação à contratação de investimentos no Porto de Paranaguá (PR).

Até o fim de 2022, outros cinco projetos de arrendamentos devem assegurar mais de R$ 1 bilhão em melhorias e capacitação no porto paranaense. Além disso, mais R$ 5 bilhões são esperados com a concessão do canal de acesso aquaviário do complexo, que está em fase inicial de estudos do projeto.

"O Porto de Paranaguá tem sempre se destacado, com a segunda maior movimentação do Brasil, excelentes resultados e movimentações recordes", destacou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas. "Mais uma vez apresenta uma ousadia por ser o primeiro porto a ter uma com a concessão de manutenção de canal. Algo inédito e nada melhor do que fazer isso em Paranaguá."

VEÍCULOS - No PAR12, que passa a ser administrado pela empresa Ascensus Gestão e Participações, são esperados R$ 22,2 milhões para a movimentação e armazenagem de autoveículos (veículos, comerciais leves, caminhões, tratores e ônibus) no terminal. São mais de 74 mil metros quadrados de área e capacidade estática para quatro mil veículos - e armazenagem anual de 120 mil veículos - para atender as montadoras instaladas no país.

"Esse evento marca algo extremamente simbólico para o Ministério da Infraestrutura, à medida em que caminhamos para uma reassunção de autonomia local de gestão pelos portos do Brasil, tendo em vista ser o primeiro contrato celebrado por autoridade portuária com competência delegada pelo Governo Federal", completou o secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários, Diogo Piloni, que classificou a assinatura como um "dia histórico para o setor portuário brasileiro".

O próximo arrendamento previsto para o porto é o do terminal PAR32, já em análise no TCU, destinado à movimentação de carga geral, com um aporte de pelo menos R$ 28,5 milhões. Outra área, a PAR50, voltada a granéis líquidos (combustível), pode render investimentos de quase R$ 340 milhões. O PAR15 (em estudos), utilizado para movimentação e armazenagem de granéis vegetais, outros R$ 590 milhões.

Juntos, os três terminais têm a capacidade de gerar mais de 14 mil vagas de emprego ao longo dos contratos. Além disso, também estão em fase de estudos os arrendamentos dos terminais PAR09 e PAR14, ambos de granéis vegetais.

Empresas e trabalhadores se unem para combater fome e gripe em ação solidária

Com aproximadamente 19 milhões de brasileiros passando fome, o Brasil registrou, no último trimestre de 2020, o maior nível de insegurança alimentar grave desde 2004, segundo dados da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional. Pessoas de baixa renda e de reconhecida vulnerabilidade social, como os profissionais de Cooperativas de Catadores e Catadoras de Recicláveis e Reutilizáveis que, devido à redução da geração de resíduos sólidos com a diminuição do consumo e ao fechamento de estabelecimentos comerciais, sofreram impacto econômico e social, fazem parte dessa estatística.

Para contribuir com essas famílias, as empresas do Grupo Positivo - Colégio Positivo, Colégio Passo Certo, Colégio Semeador, Colégio Vila Olímpia, Posigraf, Curso Positivo, Positivo Tecnologia e Editora Aprende Brasil, por meio do Instituto Positivo, estão realizando uma campanha de arrecadação de alimentos não perecíveis e kits de higiene pessoal. A ação convida os colaboradores a realizarem as doações no ato da vacinação contra a gripe, que é viabilizada pela companhia. “A iniciativa valoriza o contágio da solidariedade, já que os trabalhadores demonstram gratidão à atitude da empresa onde trabalha com a ajuda ao próximo. E, assim, cada um faz a sua parte e, juntos, ajudamos milhares de pessoas”, afirma Eliziane Gorniak, diretora do Instituto Positivo.

A primeira entrega dos itens arrecadados foi realizada na segunda-feira, 26, no Colégio Positivo – Internacional, ao Instituto Lixo e Cidadania (ILIX), uma associação civil sem fins lucrativos que viabiliza assistência técnica administrativa, financeira-contábil e jurídica às associações e cooperativas de catadores de materiais recicláveis do Paraná e de outros estados, garantindo a autonomia, autogestão e independência desses grupos.

De acordo com a presidente do Instituto Lixo e Cidadania, Maria José de Oliveira Santos, as doações vão fazer a diferença na vida de muitas pessoas, não apenas os catadores. "Graças ao Ministério Público, ainda conseguimos continuar trabalhando, mas é muito difícil sair de casa com três, quatro filhos para sustentar, sem saber se vai ter comida na mesa", lamenta. Segundo ela, a suspensão das aulas presenciais piorou bastante a situação dessas famílias. "Com as crianças em casa, nossas despesas aumentaram muito, enquanto a nossa renda caiu de uma média de R$ 2 mil para R$ 200 ou R$ 300 no mês", conta. "Quando a gente vê uma instituição como o Positivo se preocupando com a gente, temos certeza que o nosso trabalho é valorizado como profissão e que existem pessoas que estão olhando para essa triste realidade e procurando fazer a diferença", completa.

A campanha é realizada em parceria com o Ministério Público do Trabalho do Paraná (MPT) e vai beneficiar mais de mil famílias. No Paraná, as arrecadações serão entregues ao Instituto Lixo e Cidadania e, em Santa Catarina, à Associação Ecológica de Recicladores e Catadores de Joinville (Assecrejo) e à ABACLIN, ligada à Federação Catarinense de Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis de Santa Catarina.

Campanha que mobilizou grandes nomes do futebol entra em nova fase para ajudar famílias durante pandemia

Ação do Instituto Futebol de Rua conta com apoio de ídolos da música, como Nando Reis, para que a mensagem chegue além do âmbito do futebol

Grandes nomes do futebol e da música estão se unindo para ajudar crianças e famílias em situação de vulnerabilidade social numa campanha promovida pelo Instituto Futebol de Rua, ONG nascida na Comunidade de Heliópolis (SP) e que atende mais de duas mil e quinhentas crianças, de 34 cidades, de 19 estados brasileiros. Alex, Alexandre Pato, Jô, Rogério Ceni, Kaká, Amoroso, Dorival Júnior e outras estrelas do futebol ajudaram na primeira fase da campanha Virando o Jogo, iniciada em abril de 2020, que realizou 37 ações no decorrer do ano.

Apenas no ano passado, foram distribuídas mais de 14 toneladas de alimentos, sopas, lanches, além de gás de cozinha, produtos de higiene pessoal, produtos de limpeza e outros itens essenciais para famílias impactadas pela pandemia. Porém, com o agravamento da situação no Brasil, a necessidade de auxílio nas comunidades em situação de vulnerabilidade social aumentou. Por isso, o Instituto acaba de dar o pontapé inicial na segunda fase do projeto.

Para o fundador do Futebol de Rua, Alceu Natal Neto, a iniciativa faz parte dos valores da instituição. "Desde que nascemos, há 14 anos, sempre trabalhamos para ajudar as crianças a construírem um futuro melhor. É um trabalho gratificante e foi mais gratificante ainda vermos o apoio que recebemos no ano passado. A ideia dessa nova etapa é aumentar o número de pessoas beneficiadas. Todas as doações são bem-vindas, desde alimentos e produtos, até o suporte de empresas que podem ajudar com quantias em dinheiro", ressalta.

Além de grandes nomes do futebol, a campanha "Virando o Jogo - Segundo Tempo" também contará com a ajuda de estrelas da música, como o cantor Nando Reis, que vão divulgar a iniciativa para seus fãs, nas redes sociais. “Nosso embaixador Carlinhos Neves foi quem trouxe a ideia de mobilizar jogadores, técnicos e até artistas nessa causa. Nesse momento, precisamos usar a influência e o alcance de todas as pessoas para fazer o bem”, explica Alceu. Os vídeos das estrelas que apoiam a campanha são postados nas redes sociais do Instituto Futebol de Rua e nos próprios perfis dos ídolos.

Quem quiser ajudar nessa causa, pode realizar as doações com data e horário marcados na sede do Instituto, em Curitiba. Além disso, a instituição também recebe contribuições financeiras para a compra de donativos, além de oferecer a possibilidade de parcerias com empresas e indústrias.

Confira os vídeos dos apoiadores da campanha nas redes sociais:

Instagram @institutofutebolderua

Facebook www.facebook.com/futebolderua.org/

Serviço:

Campanha Solidária - Instituto Futebol de Rua

Doações: alimentos não-perecíveis, itens de higiene pessoal, produtos de limpeza.

Data: de acordo com agendamento ou atraves do link https://ebanxbeep.com/instituto-futebol-de-rua/virando-o-jogo-2-tempo

Local: Sede do Instituto - Rua Antônio Moreira Lopes, 190 - Cajuru, Curitiba - PR.

Conta bancária: Instituto Futebol de Rua

CNPJ: 08.607.847/0001-40

Banco do Brasil

Agência: 1518-0

Conta Corrente: 28234-0

Sobre o Instituto Futebol de Rua

Criado em 2006, o Instituto Futebol de Rua é uma organização sem fins lucrativos que utiliza o esporte, a educação e a cultura como ferramentas para o desenvolvimento de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. Presente em 19 estados, 34 cidades e com mais de dois mil e quinhentos beneficiários, o Instituto conta com metodologia exclusiva que alia aulas de formação humana ao futebol de rua.

Renato Cavalher é o homenageado do 15° Festival do CCPR

O Head of Creative Strategy do Grupo OM Marketing & Comunicação, Renato Cavalher, foi homenageado na 15ª edição do Festival do Clube de Criação do Paraná (CCPR), realizada de forma remota na noite desta quinta-feira (08).

Ao final da divulgação dos resultados do festival, a entidade apresentou depoimentos de familiares e de profissionais que já atuaram com o publicitário, como a dupla Renato e Roberto Fernandez, Marcos Zanatti, Victor Amorim, James Feeler, Luis Henrique Groff, Celinha Camargo, Alexandre Catarino e Laila Rotter Schmidt.
“O fato do Clube ter resistido todo este tempo já é um motivo de muita satisfação, por teu ajudado a colocar os primeiros tijolinhos lá no começo. Fico muito feliz em ver o CCPR fazer 15 anos, uma criança que eu vi nascer e que carreguei no colo. É uma honra receber esta homenagem”, diz Cavalher, que é sócio fundador do CCPR e foi presidente da entidade de 2004 a 2008.

Foto: Felipe de Souza

Sobre o Grupo OM – O Grupo OM Marketing & Comunicação é o maior do Sul do Brasil, formado por seis empresas: OpusMúltipla (especializada em planejamento de comunicação integrada e na criação de propaganda), Brainbox (consultoria estratégica de marcas e design, com atuação em branding, packaging e retail), HouseCricket (empresa de comunicação dirigida com foco em engajamento), TailorMedia (especializada em planejamento, comercialização e distribuição de mídia em escala nacional), Senso Performance Omnichannel (especializada em performance de vendas, aquisição de leads e melhoria de experiência de compra multicanal) e AirPromo (especializada na entrega de soluções de comunicação para eventos, desde a concepção, criação e logística).

O Grupo OM se propõe a elaborar planos de marketing, comunicação e vendas para ajudar no aumento de vendas no curto prazo e no aumento das margens de lucro no longo prazo. Com mais de 200 funcionários, o Grupo OM faz parte da rede mundial TAAN e atende clientes como ANJ, Banco CNHi, Brevant, Casa Nissei, Corteva Agriscience, Digital & Print Premium Jornais, DSM, FCA, Frimesa, Grupo Alfa, Hebron Farmacêutica, Hiperfarma, Mili, Mosaic Fertilizantes, O Boticário, Prata Fina, Recco, Renault, Schulz, Shopping Mueller, Subway, Talken, TIM Sul, Uninter e Volvo. Contato: (41) 3362-1919 /http://www.grupoom.com.br

Araucária recebe 6 toneladas de alimentos da Corrente de Esperança Condor

Com o objetivo de ajudar Araucária neste momento difícil de pandemia, o Condor Super Center realizou a entrega de 6 toneladas de alimentos para o município, neste dia 6 de abril. A doação faz parte da Campanha “Corrente de Esperança Condor”, que segue até o dia 4 de maio e vai destinar parte da venda dos produtos anunciados nos tabloides específicos da ação.

Viabilizada em parceria com os fornecedores da rede, a “Corrente de Esperança Condor” já doou 14 toneladas de alimentos até o momento.

Segundo o diretor de operações do Condor, Maurício Bendixen, a campanha tem como objetivo ajudar as comunidades a enfrentarem este momento difícil. “No ano passado, já fizemos uma campanha semelhante, mas como a pandemia continua e os reflexos dela estão ainda mais fortes, decidimos criar uma corrente que ajude a população a passar por essas dificuldades com mais esperança e tranquilidade”.

A secretária de ação social de Araucária, Leonice Lara Lacerda, disse que a doação chega em boa hora. “Hoje, temos 8 regionais através do CRAS, que possuem critérios de vulnerabilidade que são avaliados por nossas assistentes sociais da linha de frente, por isso, agradeço o carinho do Condor por estar tendo este olhar neste momento difícil que estamos passando”.

A rede também vai entregar no dia 8 de abril, às 14h, quase 5,5 toneladas de alimentos para Campo Largo (Avenida Padre Natal Pigatto, 925 - gabinete do Prefeito).

Mais informações sobre a dinâmica da campanha e os produtos participantes podem ser conferidos no site www.condor.com.br.

Piraquara recebe 6 toneladas de alimentos da Corrente de Esperança Condor

Para ajudar Piraquara no enfrentamento da pandemia, o Instituto Joanir Zonta realizou a entrega de 6 toneladas de alimentos para o município, neste dia 5 de abril. A doação faz parte da Campanha “Corrente de Esperança Condor”, que segue até o dia 4 de maio e vai destinar parte da venda dos produtos anunciados nos tabloides específicos da ação.

Viabilizada em parceria com os fornecedores da rede, a “Corrente de Esperança Condor” também doou 2 toneladas de alimentos no dia 3 de abril para a comunidade Iguaçu III, em Curitiba. A moradora da comunidade, Rita Cássia Ferreira, destacou que as doações vão ajudar as famílias que trabalham com reciclagem, boa parte idosos. ‘É gratificante ver uma empresa olhando para as famílias aqui de dentro”.

Segundo o diretor administrativo do Condor, Wanclei Said, essa campanha foi idealizada para contribuir com as comunidades onde a rede atua. “Esperamos que estas doações possam minimizar o sofrimento das pessoas afetadas pela pandemia e que leve um pouco de esperança na vida delas”.

Para o prefeito de Piraquara, Josimar Aparecido Knupp Fróes, além de gerar empregos no município, o Condor também está ajudando Piraquara a enfrentar o momento atual. “O Condor é um grande parceiro da cidade e já nos ajudou no ano passado. Agora, esta doação chega em um momento econômico difícil, com desemprego em alta e com muitas famílias precisando”.

A rede também vai entregar amanhã, às 10h, 6 toneladas de alimentos para Araucária (Avenida Brasil, 379, Centro, Araucária – CRAS Centro).

Mais informações sobre a dinâmica da campanha e os produtos participantes podem ser conferidos no site www.condor.com.br.

Condor lança “Corrente de Esperança” para minimizar os impactos da pandemia

Devido ao agravamento da pandemia no Paraná e Santa Catarina, o Condor Super Center lança a campanha “Corrente de Esperança Condor”, que segue até o dia 4 de maio e vai contribuir com os órgãos sociais municipais das regiões onde a rede atua. As doações serão destinadas às Secretarias Sociais das prefeituras para a compra de alimentos, remédios, oxigênio e demais materiais conforme a necessidade.

A “Corrente de Esperança Condor” é viabilizada em parceira com os fornecedores e vai doar parte da venda dos produtos anunciados no tabloide específico da campanha. As entregas serão realizadas via Instituto Joanir Zonta no decorrer da ação.

Segundo o vice-presidente do Condor, Ricardo Zonta, a campanha foi idealizada com o objetivo de minimizar os impactos da pandemia de acordo com a demanda real de cada região. “Pensamos em uma forma de ajudar exatamente de acordo com as necessidades de cada cidade que atuamos, pois elas geralmente variam entre alimentos, oxigênio ou outros materiais essenciais para o atendimento dos pacientes em tratamento”, afirma.

Mais informações sobre a dinâmica da campanha e os produtos participantes podem ser conferidos no site www.condor.com.br.

Empresários paranaenses se unem para agilizar a vacinação no Estado

Movimento Unidos pela Vacina pretende acelerar a imunização por meio do fornecimento de insumos como seringas, agulhas, jalecos e outros

O movimento Unidos pela Vacina, liderado nacionalmente pela empresária Luiza Trajano, chega ao Paraná mobilizando empresas e entidades civis para acelerar o processo de vacinação contra o coronavírus. O objetivo desta mobilização é contribuir de diferentes formas para que todos os brasileiros sejam vacinados até setembro de 2021.

Artur Grynbaum, vice-presidente do Conselho de Administração do Grupo Boticário e Regina Arns, líder do Grupo Mulheres do Brasil-PR na campanha UPV e diretora Executiva da Lapidus Network, se reuniram virtualmente na última quinta-feira (24) com mais de 60 executivos associados da Amcham Curitiba (Câmara Americana de Comércio). “Estamos fazendo um levantamento em todo o Estado para descobrir e mapear as necessidades locais. Algumas cidades precisam de seringas e agulhas, em outras, falta até jaleco e internet. O foco não é comprar vacinas. Nossa intenção é solucionar gargalos para abastecer todos os municípios com os insumos necessários e da forma mais rápida possível”, explica Grynbaum que é uma das lideranças do projeto no Paraná.

O movimento é apartidário e sem pretensão financeira, atua em diversas frentes de trabalho, em interfaces com o governo federal, com os estados, secretarias de saúde e municípios. “Um dos nossos pilares é a comunicação e a conscientização da importância da vacina, e acredito que reunindo forças conseguiremos passar esse recado adiante”, afirma Regina.

Os 399 municípios paranaenses já responderam ao questionário prestando informações sobre os insumos relacionados aos itens da vacinação. “O apoio direto de empresas será essencial, pois elas irão apadrinhar os municípios e auxiliar com as necessidades prioritárias”, reforça Grynbaum.

Empresários, líderes comunitários, entidades representativas e profissionais liberais que queiram contribuir com o movimento podem se cadastrar no https://unidospelavacina.miisy.com/login.

Sobre a Amcham

A Amcham (Câmara Americana de Comércio) é uma das maiores associações de empresas do Brasil, com 15 filiais em todo o País e mais de 5,2 mil empresas associadas. O objetivo da Amcham é criar um ambiente favorável de negócios por meio de boas práticas de mercado, capacitação profissional e cidadania empresarial. A Amcham visa facilitar relações empresariais, gerar negócios, ser ponte no relacionamento governamental e internacional, além de prover conteúdos que amplifiquem o conhecimento de seus associados.

Próxima etapa do Circuito das Estações Shopping Mueller é adiada

Curitiba recebe a segunda etapa do maior circuito de corrida da América Latina no dia 23 de maio

A etapa Outono do Circuito das Estações Shopping Mueller foi adiada para 23 de maio. As inscrições continuam abertas para a prova no estilo Reverse VR. O atleta tem das 7h às 11h, para passar na Arena Pit Stop no Shopping Mueller, pegar a sua medalha, evitando aglomerações, e continuar o seu percurso com a distância definida individualmente por cada participante.

Seguindo o tema "O mesmo desafio. Uma nova experiência. Um novo jeito de se superar", a corrida traz o conceito inovador de Reverse VR. Ao invés de todos os atletas largarem juntos como em uma corrida tradicional, cada corredor larga do seu ponto inicial. Pode ser de casa, do parque ou onde quiser. O intuito é que os atletas corram e passem pela Arena Pit Stop, localizada no Mueller, peguem a medalha e voltem para o ponto de largada. A distância também fica a critério do atleta. Depois é só subir o tempo no site.

Ao passar pela Arena Pit Stop o atleta encontrará uma estrutura similar as de provas tradicionais. Neste ponto acontece a entrega de medalhas, hidratação e fotos, tudo seguindo os protocolos de saúde e higienização. A Arena Pit Stop foi planejada para evitar aglomerações. As medalhas serão distribuídas em embalagens individuais e higienizadas.

Neste ano, Curitiba já recebeu a primeira edição do evento, nos dias 30 e 31 de janeiro, em que mais de 1.500 atletas passaram pelo Shopping Mueller com toda a segurança que o momento exige. As inscrições podem ser feitas no site https://www.circuitodasestacoes.com.br/curitiba/outono/.

SERVIÇO:
Shopping Mueller
Local: Avenida Cândido de Abreu, 127 - Centro Cívico, Curitiba (PR)
Telefone: 41 3074-1000
Informações: www.shoppingmueller.com.br
Facebook: www.facebook.com/MuellerCtba
Instagram: @muellercwb

Docway anuncia trabalho remoto e tem vagas abertas para todo o país

Referência em soluções de saúde digital para empresas e operadoras de saúde,
a startup está à procura de profissionais multifuncionais

CURITIBA, 26/02/2021 – Referência em soluções de saúde digital para empresas e operadoras de saúde, a Docway cresceu 600% em 2020 na comparação com o faturamento do ano anterior. A expansão aconteceu na esteira do isolamento social, que acelerou a transformação digital em muitos segmentos, incluindo o da saúde, com destaque para a telemedicina. O crescimento exponencial da companhia fez também dobrar seu quadro de funcionários. Além de romper as fronteiras do cuidado da vida com a digitalização da saúde, a empresa optou também por derrubar as fronteiras geográficas na contratação dos seus colaboradores. Atualmente, 25% dos funcionários contratados não moram na capital paulista, cidade sede do escritório da Docway.

A liberdade de poder morar em qualquer lugar do mundo, combinada com a possibilidade de aumentar a diversidade e cultura da empresa, ampliando sua visão de negócio, é uma estratégia de atração de talentos na visão de Marcello Alvarenga, CFO e Diretor de Gente e Gestão. Com processos de recrutamento adaptados para a versão online, a startup está com vagas abertas para todas as regiões do país, incluindo oportunidades para quem deseja trabalhar de casa, no modelo home working, mesmo após o fim da pandemia. “Estamos à procura de profissionais que possam contribuir no desenvolvimento da Docway, independentemente de suas origens e formações. Desta forma, promovemos times diversos, porém com valores compartilhados”, conta Marcello.

Para viabilizar o recrutamento de pessoas de Norte a Sul do Brasil, a Docway firmou parceria com uma empresa de entregas, garantindo mais segurança e transparência às negociações. “Mesmo à distância, conseguimos contratar pessoas, enviar o kit de boas-vindas e fazer toda a gestão da equipe”, explica. “Dependendo do cargo, definimos uma periodicidade de visitas à sede, sempre com todas as despesas custeadas pela empresa. Buscamos um modelo sustentável e coerente com as necessidades e expectativas do gestor e dos colaboradores”, complementa.

Além das vagas já abertas para home working, diversos funcionários já contratados também tiveram a oportunidade de voltar para suas cidades de origem. “Não é mais necessário morar na capital paulista para trabalhar em uma empresa de saúde e tecnologia referência no país”, aponta. Atualmente, a Docway conta com colaboradores atuando à distância, nas áreas de tecnologia, enfermagem, jurídico, marketing e gestão de pessoas. Segundo Marcello, a expectativa é quebrar todas as fronteiras na contratação e, em breve, expandir também para a atuação no exterior. “Ainda que proporcionalmente não tenhamos muita gente de fora, as portas estão abertas”, afirma.

Pós-pandemia

“Até 2020, precisávamos estar no escritório porque lá estavam todos os equipamentos e recursos necessários para viabilizar nosso trabalho. Hoje, tudo o que precisamos é portátil e tem custo razoavelmente acessível”, diz. Marcello conta que ainda estão analisando a necessidade – ou não – de manter a sede fixa no pós-pandemia. “A gente ainda vai ter equipes médicas realizando atendimento, temos uma grande equipe de operação, então o que estamos observando é se faz sentido ter um escritório para alguns casos. Outra ideia é ter uma sede com posições rotativas, na qual apenas duas pessoas de cada cargo estarão atuando presencialmente a cada dia”, explica.

Neste momento, o principal objetivo da empresa é usufruir dos polos tecnológicos localizados nas demais regiões do país, principalmente no Nordeste. “O maior desafio da Docway é romper barreiras tecnológicas”, aponta. “Se temos a oportunidade de aproveitar as demais regiões do Brasil, porque se ater apenas ao mercado paulistano? Essa nova forma de contratação nos propiciou atrair novos talentos em regiões com menos oportunidade de emprego, por exemplo”, complementa.

Vagas abertas

A Docway está com oportunidades abertas para colaboradores de todas as regiões do país, em diversas áreas: Back end Pleno; Executivo Comercial (Closer); Back end Sênior; Engenheiro de Dados Pleno; Product Owner Pleno; Analista de Dados Sênior; e UI Design Pleno. Para saber de todas as vagas, acompanhe a página oficial da Docway no LinkedIn. Para se candidatar, os interessados devem enviar um e-mail para vagas@docway.com.br, colocando o nome da vaga no título.

Para mais informações, acesse o site www.docway.com.br.