Uso de máscara na pandemia de coronavírus: como deve ser o acessório


Diversos estados e municípios decretaram a obrigatoriedade do uso do acessório, porém, para que seja eficiente, alguns cuidados são essenciais

A pandemia de coronavírus tem levado os governantes a tomarem uma série de medidas que envolvem a sociedade civil e as empresas. Entre elas estão a obrigatoriedade do uso de máscaras em vias e espaços públicos, transportes coletivos, ambientes fechados com aglomeração e organizações. Até o momento, os Estados do Paraná, Piauí, Minas Gerais, Rondônia, bem como o Distrito Federal e as capitais do Espírito Santo, Pará, Amazonas, Rio de Janeiro, Ceará e Santa Catarina estão adotando a medida.

Essa visa reduzir o contágio entre as pessoas, já que se sabe que o coronavírus é transmitido por gotículas e contato próximo. Inclusive, muitos são assintomáticos e, ao deixarem de usar o acessório, acabam contaminando terceiros. Para se ter ideia, um estudo desenvolvido por pesquisadores chineses e publicado na revista Science, no mês de março, apontou que até o isolamento forçado em Wuhan, 86% das infecções por Covid-19 se deu por pessoas assintomáticas. Dessas, 55% eram tão contagiosas quanto aqueles que apresentavam sintomas comuns da doença, como dificuldade respiratória e febre.

No entanto, apesar das regulamentações governamentais, é comum haver dúvidas sobre o tipo de máscara a ser utilizada, já que nem todas são efetivas contra o coronavírus. De acordo com orientações do Ministério da Saúde, para serem eficientes como uma barreira física, as máscaras caseiras, por exemplo, devem ter ao menos duas camadas de pano, ou serem dupla face. Os tecidos utilizados podem ser algodão, tricoline, TNT e outros, desde que desenhados e higienizados de forma adequada. É importante frisar que se trata de um acessório de uso individual.

Para garantir que a máscara de proteção seja, de fato, eficiente, é possível investir em produtos desenvolvidos com essa finalidade, na mesma medida em que oferecem um bom custo-benefício tanto para pessoas físicas quanto jurídicas. Um exemplo é a máscara de proteção tripla, desenvolvida pela WAP, que está sendo comercializada pela empresa 18 Gigas para todo o território nacional.

O acessório é antialérgico, possui cinco níveis de ajustes auriculares e dispensa a necessidade de elástico. O objetivo é atuar como uma proteção efetiva e confortável das vias bucais e nasais, pois, a composição de duas camadas externas de TNT e uma camada interna de Microfibras P.P têm maior eficácia contra vírus, bactérias, pólens e poeiras.

Mais informações sobre o produto pelo e-mail comercial@18gigas.com.br ou pelo telefone/WhatsApp (41) 99505-0350.

mascarawap2

*com divulgação

 

Categorias:AGÊNCIAS DE COMUNICAÇÃO, AGENDA DA SEMANA, AGENDA DO FIM DE SEMANA, BRASIL, COLUNA VANESSA MALUCELLI, DIVIRTA-SE, evento, FREE LIFESTYLE, LANÇAMENTOS, SAÚDETags:, , , , , , , , , ,

VanessaMalucelliAndersen

Colunista do Site — Divirta-se Curitiba!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s