Setembro Roxo relaciona rotina de pessoas com fibrose cística com realidade imposta pela covid-19

Com o tema “A gente te entende”, campanha deste ano mostra que os cuidados contra o coronavírus já são velhos conhecidos de quem convive com a fibrose cística

Setembro é o mês que representa e lembra a importância de tornar pública uma doença rara e que aos poucos vem sendo conhecida no Brasil. A fibrose cística, também chamada de doença do beijo salgado ou mucoviscidose, é genética, ainda não tem cura e atinge uma a cada 10 mil nascidos vivos no País.

Neste ano, em função da pandemia, a campanha Setembro Roxo traz o mote “A gente te entende”, e relaciona os recentes cuidados obrigatórios para a prevenção contra a covid-19 com os costumes de quem tem a fibrose cística. “Muita gente vai se identificar com o tema deste ano. O uso de álcool em gel, máscaras e o isolamento social são há muito tempo, grandes aliados das pessoas com a fibrose cística. São cuidados que tomamos desde que recebemos nosso diagnóstico, e que agora, com a pandemia, se tornaram comuns a toda a população”, explica Verônica Stasiak Bednarczuk, diagnosticada com fibrose cística aos 23 anos e diretora geral e fundadora do Unidos pela Vida - Instituto Brasileiro de Atenção à Fibrose Cística, organização social que realiza a campanha em parceria com associações, voluntários e apoiadores de todo o Brasil.

O mês de setembro foi escolhido para lembrar a fibrose cística pois 05 de setembro marca a passagem do Dia Nacional de Conscientização e Divulgação da doença e o dia 08 de setembro é o Dia Mundial da Fibrose Cística. Foi nessa data que, em 1989, foi publicada na Revista Science a descoberta do gene causador da doença, o CFTR.

Por se tratar de uma doença genética, a fibrose cística não é contagiosa, a pessoa já nasce com ela, e pode ser detectada logo no nascimento, com o teste do pezinho. A conscientização é fundamental para garantir o diagnóstico precoce e, com isso, o tratamento adequado ao longo da vida do paciente, diminuindo os seus efeitos sobre o organismo.

Ações online

Devido à pandemia, as ações para conscientização quanto à doença serão realizadas online em todo o País. Espaços públicos e pontos turísticos, como o Senado Federal e a Câmara dos Deputados, em Brasília (DF); a Arena da Baixada e o Jardim Botânico, em Curitiba (PR); e a Arena Fonte Nova, em Salvador (BA) estarão iluminados entre os dias 05 e 10 de setembro, em referência à campanha (outras localidades devem ser confirmadas em breve).

De 01 a 26 de setembro, acontece a Corrida e Caminhada Virtual da Fibrose Cística, que tem o objetivo de incentivar a prática de atividades físicas em toda a comunidade. Pessoas de todo o Brasil poderão participar, as inscrições são gratuitas e estão abertas pelo link www.unidospelavida.org.br/corrida2020.

Além de campanha em vídeo, spot para rádio e outdoor, durante todo o mês, as redes sociais do Instituto Unidos pela Vida trarão histórias inspiradoras sobre como, mesmo em situações de restrições como as que todos vivem neste momento, é possível aprender e evoluir.

Haverá ainda a série online "Setembro Roxo Ao Vivo", com: Conversa com a Vero (Verônica Stasiak Bednarczuk, diretora geral do Unidos pela Vida); Papo de Fibra com Rafaeli Dallabrida e Daniele Soares Neves, que vão falar sobre a vida do jovem com fibrose cística; lançamento do mini-documentário Dia de Olga, que mostra um dia na vida de uma criança com a doença e sua mãe; edição especial ao vivo do podcast Conversando sobre Fibrose Cística; e festa de celebração da campanha, com pocket show ao vivo de Marco Mattoli (vocalista da banda Clube do Balanço).

Para os profissionais da saúde, será publicada uma edição especial da Revista Visão Acadêmica, produzida em parceria com a Universidade Federal do Paraná (UFPR), com 20 artigos inéditos de pesquisadores do Brasil.

O que é a Fibrose Cística?

É uma doença genética, cujas manifestações clínicas resultam da disfunção de uma proteína denominada condutor transmembranar de fibrose cística (CFTR). É recessiva - deve-se herdar um gene do pai e um da mãe, obrigatoriamente - e acomete homens e mulheres na mesma proporção. A secreção do organismo é mais espessa que o normal, dificultando sua eliminação.

Sintomas mais comuns

Pneumonia de repetição, tosse crônica, dificuldade para ganhar peso e estatura, diarreia, suor mais salgado que o normal, pólipos nasais, baqueteamento digital. Isso não significa que todas as pessoas terão os mesmos sintomas.

Diagnóstico

A triagem começa pelo teste do pezinho, logo que a criança nasce, entre o 3º e 7º dia de vida. Para confirmar ou descartar o diagnóstico, o teste do suor deve ser realizado. É importante ressaltar que o teste do suor pode ser feito em qualquer fase da vida, em crianças, adolescentes, jovens e adultos que apresentem sintomas. O diagnóstico também pode ser feito por meio de exames genéticos.

Tratamento

De modo geral, é composto por fisioterapia respiratória diária, que contempla exercícios para ajudar na expectoração e limpeza do pulmão, evitando assim infecções; atividade física para fortalecimento e aumento da capacidade respiratória; ingestão de medicamentos como enzimas pancreáticas para absorção de gorduras e nutrientes; antibióticos; polivitamínicos; inalação com mucolíticos, que também auxiliam na expectoração e limpeza do pulmão, entre outros. O tratamento deve ser acompanhado por profissional da saúde especializado.

Sobre o Unidos pela Vida: Instituto Brasileiro de Atenção à Fibrose Cística

O Instituto Unidos pela Vida foi fundado em 2011 pela psicóloga Verônica Stasiak Bednarczuk diagnosticada com fibrose cística aos 23 anos. Sua missão é fortalecer e desenvolver o ecossistema da doença por meio de ações que impactem na melhora da qualidade de vida dos pacientes, familiares e demais envolvidos. Em 2019, pelo segundo ano consecutivo, foi eleito pelo Instituto Doar, da Rede Filantropia, e do O Mundo que Queremos, como a melhor ONG de Pequeno Porte do Brasil, dentre as 100 melhores do País, e como a melhor prática do Terceiro Setor do Paraná pelo Instituto GRPCOM, além de já ter recebido mais de 25 prêmios que destacam sua transparência e profissionalismo ao longo dos 9 anos de existência.

Mais informações:

Site: www.unidospelavida.org.br

Instagram: www.instagram.com/institutounidospelavida

Facebook: www.facebook.com/unidospelavida

YouTube: www.youtube.com/institutounidospelavidafibrosecistica

Setembro roxo marca um importante debate sobre a saúde do cérebro

Cerca de 50 milhões de pessoas em todo mundo são portadoras de demência, e segundo dados recentes da Alzheimer´s Disease International, a cada 3 segundos uma pessoa desenvolve demência no mundo.

Setembro é o mês dedicado a falar sobre doenças relacionadas a saúde do cérebro, como depressão e o mal de Alzheimer. Colocar esses assuntos em pauta é afastar o fantasma do negacionismo e desconhecimento, abrindo espaço para o diálogo, otimizando o diagnóstico e o tratamento. Para contribuir com a discussão, o Método Supera estará realizando nesse período uma série de lives gratuitas nas redes sociais do grupo de escolas franqueadas, com especialistas da área médica trazendo a temática “Despertando a Sociedade para a Saúde do cérebro”.

Afinal, a Doença de Alzheimer é um dos principais desafios globais em termos de saúde, abarcando cerca de 50 milhões de pessoas atualmente nesta condição. Com o envelhecimento da população, esse número deve aumentar consideravelmente. Entretanto, há evidências da existência de fatores de risco para demência, o que mostra que estilo de vida e outras intervenções, como a ginástica para o cérebro, podem ser implementadas de forma eficaz, retardando o início e reduzindo o número futuro de pessoas com demência.

O Adriano Saldanha, diretor franqueado da Supera Ginástica para o Cérebro, engenheiro, que tem se especializado em neurociência, diz que assim como a ginástica para o corpo evita certos problemas e mantém a pessoa em forma, o exercício para o cérebro também é fundamental. “Assim o declínio cognitivo passa a ser mais lento, possibilitando uma vida mais ativa, mesmo na velhice. Por isso, o que a gente defende não é só a postergação do Alzheimer, mas a boa saúde mental para evitar que esse tipo de problema apareça mais cedo do que deveria.”

No fim das contas, o saldo é positivo para toda a família, porque além de ser uma atividade de treino cognitivo, é também um lugar onde as pessoas criam um forte senso de comunidade e pertencimento, se desenvolvendo a partir do cuidado e encantamento. De acordo com Saldanha, os alunos se sentem mais jovens, passam a se relacionar melhor com os familiares e se sentem mais criativos e ativos no trabalho, quando ainda o fazem. O balanço final é de mais atenção e ânimo e menos estresse.

É possível desenvolver um cérebro mais resiliente

Ainda que as doenças neurológicas não tenham cura, é possível desenvolver uma “reserva neurológica”, ou seja, fazer uma ginástica para que o cérebro fique mais resistente a possíveis problemas. E quem explica como isso é possível é Adriano Saldanha, que atende mais de 80 pessoas com mais de 60 anos. “Atividades que estimulam o cérebro, como jogos, desafios e incentivo a memória e concentração, trazem benefícios para a vida das pessoas idosas, tanto para dificultar o aparecimento de doenças quanto para ajudar no cotidiano, fazendo a pessoa ser mais ativa e atenta”, explica. Adriano tem duas escolas da franquia Supera em Curitiba, situada nos bairros Juvevê e Rebouças e diz que eles estão preparados para atender com total segurança as pessoas que quiserem mais informações, presencialmente ou à distância. “Desenvolvemos inúmeras ações para estimular o cérebro e podemos, inclusive, oferecer uma aula grátis, para que as pessoas entendam como é prazeroso e divertido estimular o cérebro e afastar doenças como o Alzheimer”, diz Adriano Saldanha.

Despertando a Sociedade para a Saúde do Cérebro

O objetivo da ação é informar sobre todas as particularidades que envolvem a doença de Alzheimer, que já acomete mais de 50 milhões de pessoas em todo o mundo. Os responsáveis por conduzir os debates são profissionais neurologistas, neuropsicólogos, gerontólogos e gerontologistas.

Os interessados em participar das transmissões, conferir a programação do evento, e ter acesso às gravações das palestras no pós-evento, devem realizar a sua inscrição pelo link: https://mautic.superajuveve.com.br/despertando-a-sociedade-para-a-saude-do-cerebro

A primeira transmissão da série de lives acontecerá no dia 2 de setembro, às 19h30, e terá como tema “Entendendo a Doença de Alzheimer em seus aspectos, seu tratamento e os custos relacionados aos cuidados nas demências”, com Profa. Dra. Jerusa Smid e Profa. Dra. Ceres Ferreti”. Todas as transmissões serão ao vivo e poderão ser assistidas na página do Facebook do Método Supera e em seu canal do Youtube.

Sobre o SUPERA

O Método Supera é uma rede de escolas que promove a prática de exercícios de ginástica para o cérebro que garantem o desenvolvimento de habilidades cognitivas e socioemocionais, entregando performance e qualidade de vida aos alunos. A ginástica cerebral oferecida pelo Método Supera pode e deve ser praticada em todas as idades.

As aulas do Método Supera acontecem uma vez por semana e têm duração de duas horas. Durante o período de aprendizado os alunos desenvolvem atividades lúdicas específicas que estimulam o exercício do cérebro, como dinâmicas que se utilizam de jogos de tabuleiros e cartas, além de livros com exercícios para a mente. A interação estimula o lado cognitivo, psicossocial e de relacionamento dos alunos entre si e com as pessoas.

Hospital Erastinho inaugurado em 1º de setembro

Hospital Erastinho inaugurado em 1º de setembro
Cerimônia apresentou a estrutura do primeiro hospital oncopediátrico do Sul do Brasil transmissão ao vivo

Depois de um ano e meio de obras e de uma série de campanhas de intenso engajamento da sociedade para a construção, o martelo final foi batido: o Erastinho já tem data de inauguração. Será no próximo dia 1º de setembro. Idealizado pelo Hospital Erasto Gaertner, o primeiro hospital oncopediátrico do Sul do Brasil vai atender exclusivamente crianças e adolescentes com câncer, oferecendo toda a estrutura necessária para prestar os melhores serviços em 4.800 metros quadrados, num ambiente moderno e humanizado, com tratamento especializado e multiprofissional.

Para a inauguração, a organização optou por uma transmissão ao vivo nos canais do Hospital Erastinho e Hospital Erasto Gaertner. Assim, toda a sociedade poderá marcar a sua presença virtual e sentir-se no local mesmo em tempos de pandemia. É mais uma medida de segurança adotada pela direção para evitar o contágio do novo coronavírus.

“É uma grande felicidade para toda a família Erastiana. Ver esse projeto, que abracei como uma meta pessoal, concretizado, traz muita emoção. Foram diversas pessoas envolvidas, gente de todo o Brasil. Tudo pelo Erastinho. E por essas pessoas, que não poderão acompanhar de perto a inauguração, devido às medidas de segurança que a pandemia nos impõe, faremos uma transmissão ao vivo de alta qualidade, porque quero que todos se sintam aqui conosco”, diz Adriano Lago, superintendente do Hospital Erasto Gaertner

A capacidade anual da nova unidade será de até 17 mil consultas, 500 cirurgias e mais de 85 mil procedimentos. O complexo terá 43 leitos de internamento privativos e semiprivativos, recepção, lobby, atendimento ambulatorial, hospital-dia, centro cirúrgico e alas de internação (clínica, cirúrgica, TMO e UTI)

Crianças e adolescentes que hoje são atendidos na Ala Pediátrica do Hospital Erasto Gaertner passarão a ter, com a abertura, um espaço exclusivo, evitando totalmente o contato com pacientes adultos, que muitas vezes sofrem, como consequência do tratamento, alterações corporais de impacto negativo.

“No Paraná esperamos registrar 600 novos casos de câncer em crianças e adolescentes por ano. Com o Erastinho, estaremos preparados para atender pelo menos 50% desse número de pacientes que serão diagnosticados. Com certeza o Erastinho está vindo para contribuir, e muito, com a melhoria do atendimento e do tratamento de crianças e adolescentes no nosso estado e de todo o Brasil”, afirma Mara Albonei Pianovski, diretora do Hospital Erastinho e atual chefe do Departamento de Pediatria do Hospital Erasto Gaertner.

Mobilização que fez a diferença

O Erastinho é resultado de muito afinco, mobilização e dedicação. O projeto foi lançado em 2015 e contou com o apoio massivo da sociedade civil e de parceria entre os diferentes Poderes.

O projeto completo, e finalizado, custou R$ 30 milhões. Deste valor, R$ 22 milhões foram investidos na construção do Hospital através de um convênio firmado com o Governo do Estado do Paraná, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), que destinou, ao todo, cerca de R$ 11 milhões. O restante do valor necessário para a conclusão da obra foi captado pelo Hospital Erasto Gaertner junto à sociedade civil através de eventos, projetos e doações espontâneas.

Para mobiliar e equipar o Hospital Erastinho, a participação do poder público novamente fez a diferença: foram R$ 8 milhões destinados pela Sesa, sob a liderança do Secretário Beto Preto, juntamente com a Assembléia Legislativa do Estado do Paraná (Alep). Com o apoio dos deputados Ademar Luiz Traiano, Alexandre Khury, Luiz Cláudio Romanelli, Homero Marchese, Fernando Francischini, Subtenente Everton e Rubens Recalcatti foi possível garantir o investimento necessário para a fase final do projeto. No âmbito federal, a instituição contou com a colaboração dos deputados Ney Leprevost, Pedro Lupion e Leandre Dal Ponte.

Hospital sustentável
A cada intervenção, a obra do Erastinho respeitou os parâmetros internacionais de sustentabilidade e de promoção da saúde, dentro do conceito Green Hospital. Construído pela RAC Engenharia, empresa vencedora da licitação pública, o hospital desponta como a primeira instituição brasileira a conquistar, simultaneamente, as certificações LEED for Healthcare e WELL Building Certification.

São os selos que atestam o menor impacto ambiental nos serviços e a possibilidade de otimizar recursos na operação do edifício, visando a práticas sustentáveis. “Os padrões por trás do WELL foram o resultado de sete anos de pesquisa envolvendo cientistas, médicos e arquitetos”, pontua Ricardo Luiz Cansian, presidente da RAC.

Projetado pela arquiteta Adriana Sarneli, o Erastinho teve como pilares do partido arquitetônico adotado, uma volumetria dinâmica e um paisagismo orgânico. “Isso expressa o caráter lúdico do projeto e um espaço acolhedor, o que transforma a ida ao hospital em um momento associado ao alívio da ansiedade e da dor,” explica Sarneli.

As chancelas poderão alçar o Hospital Erastinho à condição de único do país a contar com a inédita dupla certificação internacional, um lastro de excelência no uso das edificações para a promoção da saúde e da redução de impacto no meio ambiente.

“A partir do momento que se faz um diagnóstico de câncer, são muitas as variáveis que têm de ser contempladas. Não é simplesmente tirar sangue, fazer uma quimioterapia, dar um comprimido, fazer uma cirurgia. Existe uma desestruturação emocional e social. Então, um ambiente como este, do Erastinho, vai permitir que essas crianças encontrem conforto, tranquilidade e paz para enfrentar todos os desafios do tratamento. Uma estrutura como essa prima pelo amor à vida, para onde a gente olha, a gente vê sinal de alegria, de vida, de natureza. Obviamente, ser tratado em um ambiente como esse vai fazer com que o resultado seja melhor, as energias poderão ser canalizadas para o tratamento. E isso integra a família toda, todo o grupo de colaboradores, a equipe multiprofissional. É benefício para todo mundo”, conclui Mara Albonei.

INAUGURAÇÃO HOSPITAL ERASTINHO
DATA: 1º de setembro de 2020
HORÁRIO: 10h
LOCAL: Hospital Erastinho
ESTRUTURA DO EVENTO: Transmissão ao vivo - Live - pelos canais oficiais do Hospital Erasto Gaertner e Hospital Erastinho.

Setembro Amarelo: “Em meio a pandemia, nunca esta campanha de prevenção ao suicídio se tornou tão necessária,” diz profissional da saúde

O neurocientista e psicanalista Fabiano de Abreu dá dicas para pacientes com depressão.

Estamos no 'Setembro Amarelo', e nunca na história este tema se tornou tão relevante como no momento de pandemia que vivemos. A campanha iniciada em 2015 no Brasil escolheu o mês de setembro para que possamos nos conscientizar e ajudar contribuindo com a prevenção, assim é possível evitar que a depressão leve ao suicídio.

Após relatos de suicídios relacionado com o coronavírus e o confinamento a ele associada, o neurocientista, psicanalista, membro da Mensa e especialista em estudos da mente humana, Fabiano de Abreu, foi contactado. Após ter confirmado que o número de casos de depressão se acentuou com esta crise psicológica da pandemia, o pesquisador logo concentrou-se em pesquisas e análises para avaliar o que ele já previa ocorrer.

“Eu já temia a possibilidade de que pessoas com depressão e/ou ansiedade potencializada, no confinamento, sendo bombardeadas com notícias ruins e a má utilização da ansiedade, poderiam piorar o quadro depressivo ou chegar nele; e ter um aumento no número de suicídios. Tomando ciência do ocorrido, reuni o meu grupo de pesquisa para tentarmos contribuir de alguma maneira para que isso não eleve mais ainda o número de mortos por causa do coronavírus, seja diretamente ou indiretamente.

Pessoas com uma ansiedade potencializada e contínua podem entrar em depressão, e pessoas em depressão têm maior risco de suicídio. O risco é maior na vigência da doença e de comorbidades. Estamos imersos num cenário de incertezas e elas geram medos e angústias. É importante cuidar do equilíbrio emocional a fim de evitar ações definitivas para problemas transitórios. O suicídio não é solução; e sim mais um problema de saúde pública a ser tratado."

Fabiano encontra dificuldades em aprofundar a sua pesquisa no Brasil devido a burocracia para fazer pesquisas no país, mas como vive também em Portugal, aproveitou a maior facilidade em pesquisas na Europa para chegar às suas conclusões.

Sou registrado na ‘Plataforma Brasil’ onde preciso protocolar uma simples pesquisa e o procedimento é lento e burocrático e eu tenho pressa já que cada dia perdido podem significar vidas perdidas por falta de auxílio. Em Portugal, profissionais da saúde podem fazer pesquisas de forma independente assinando embaixo a responsabilidade. Minha pesquisa foi baseada em entrevistas com psicólogos membros do meu centro de pesquisas, também com base no Instituto Gaio, membro da Unesco onde fiz o meu mestrado em psicanálise e atendo pacientes sem condições financeiras de pagar tratamento, e com base na pesquisa que fiz em Portugal com portugueses e brasileiros que vivem no país. “

“Quanto mais cedo o diagnóstico, melhor o prognóstico", diz o psicanalista.

Seguem as dicas do profissional para observar o caso mais próximo e tentar ajudar

Em momento de reclusão e isolamento social, por conta do cenário mundial - Pandemia de Coronavírus - se você é portador da doença “Depressão”, observe algumas questões “preventivas” bastante pertinentes:

Mantenha o seu tratamento psicoterápico via on-line, a grande maioria dos profissionais estão a trabalhar nessa modalidade.
Se faz uso de medicação, siga corretamente a prescrição médica. Não aumente a dosagem, nem faça desmame por conta própria.
Se a sua medicação está a findar, entre em contato com o seu Psiquiatra, todos estão a trabalhar sob novos protocolos.
Mantenha-se informado somente por vias sérias e éticas de notícias. Evite “Fake News”.
Trabalhe a sua respiração através da meditação. A respiração consciente e ritmada, mantém a homeostase do corpo.
Durma bem, o sono fisiológico possibilita uma “psicoprofilaxia”, filtragem e limpeza de metabólitos cerebrais.
Mantenha uma alimentação equilibrada. Alimentos funcionais, menos processados e coloridos. “Descasque mais e desembrulhe menos”
Beba água, mantenha-se hidratado para o melhor funcionamento de todo o sistema de filtragem e eliminação, mantendo o organismo em bom funcionamento.
Use a criatividade e o espaço possível para uma atividade física que goste.
Evite excesso de álcool, evite drogas. Mantenha-se lúcido.
Mantenha a rotina, isso faz com que você continue orientado no tempo.
Desenvolva um plano, e faça um planejamento para realizar uma “comemoração” quando tudo isso passar.
Traga para sua mente bons pensamentos e boas emoções. O que nós pensamos nós sentimos.
Pense coisas boas!
Sinta-se pertencendo a um grupo, o sentimento de pertença traz-nos importância.
Faça chamadas de vídeo ou mesmo videoconferência para reunir os amigos.
Não falta tempo, por isso organize a casa, os armários, leia os livros que guardou na estante, assista aos filmes e as séries que queria e não tinha “tempo”.
Descubra um talento oculto, e trabalhe-o como uma TO - Terapia Ocupacional: Escrever, desenhar, pintar, esculpir, cozinhar, bordar…

Para casos mais graves em que tenha ocorrido uma tentativa ou pensamentos de suicídio, trabalhe na “redução de danos”, seguindo orientações básicas:

Seja presente de forma integral na vida do sujeito portador do transtorno - depressão.
Aproxime-se de pessoas que estão em sofrimento emocional/psicológico.
Ofereça conversa com escuta de qualidade.
Conduza a conversa até perceber que a pessoa está segura e confiando em si.
Pergunte abertamente se ela já pensou na própria morte.
Com o terreno preparado, pergunte se ela já pensou em tirar a própria vida.
Pergunte que método ela escolheria e por que seria assim?
Deixe-a falar, chorar, contar todo o seu plano.
Após tomar conhecimento da idealização e do planeamento, mostra-se solidário.
Compreenda “sem julgar”, a partir daí ofereça um “pacto ou um contrato de preservação” à vida.
O desafio e a confissão trazem alívio. Deixando a pessoa com o recurso de procurar ajuda naquele confidente ou num grupo de ajuda.
Quando nos esvaziamos desse sentimento de angústia e desesperança, começamos a valorizar a vida.
Ter alguém que guarda o nosso segredo conecta-nos a um outro ser. Esse sentimento de confiança forma um elo e traz motivação para superar o momento.
Ter ciência do plano e do planeamento para a execução, podendo tirar da pessoa a ferramenta que ela utilizaria.
Recolha a medicação, retire o que puder ser feito de corda, lâminas cortantes, e não deixe a pessoa sozinha.
A presença traz a companhia e inibe a tentativa de atentar contra a própria vida.

Fabiano de Abreu - Neurofilósofo - neurocientista, neuropsicólogo, neuropsicanalista, neuroplasticista, psicanalista, psicopedagogo, jornalista, filósofo, nutricionista clínico, poeta e empresário.

Registro e currículo como pesquisador: http://lattes.cnpq.br/1428461891222558

Créditos de: Divulgação / MF Press Global
Para entrevistas e dúvidas eu respondo no whatsapp +351 939 895 966 / +55 21 999 989 695

Cúrcuma e sálvia são estudadas em pesquisa da UFPR como possíveis opções fitoterápicas contra a covid-19

Estudo é interdisciplinas e vai envolver também a inovação da nanotecnologia

Uma pesquisa realizada na UFPR vai investigar produtos e inovações terapêuticas naturais para propor o uso de quatro fitoterápicos do Sistema Único de Saúde (SUS) como opções para tratamento e enfrentamento da covid-19 e de síndromes respiratórias agudas graves (SRAG). O estudo utilizará formulações terapêuticas produzidas com nanotecnologia e teve início com duas espécies medicinais: Curcuma longa e Salvia officinalis L.

A professora Juliana Bello Baron Maurer, do Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular e do Núcleo Paranaense de Pesquisa Científica e Educacional de Plantas Medicinais (NUPPLAMED) é uma das líderes da equipe, que é interdisciplinar. De acordo com ela, as plantas medicinais investigadas ao longo da pesquisa fazem parte das 54 espécies disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS).

A seleção foi feita a partir dos dados da literatura que apontavam para propriedades antivirais das plantas. ” As plantas medicinais e os produtos naturais, representam uma fonte imensa para a descoberta de novas drogas, que podem ser utilizadas como tratamento complementar aos convencionais”, explica a professora.Ela explica que os compostos sintéticos antivirais perdem sua eficiência pelo rápido aparecimento à resistência, custo elevado e também pelos efeitos secundários relacionados com a terapia medicamentosa. Como os fitoterápicos são uma mistura de constituintes, o que se chama de fitocomplexo, podem apresentar propriedades diferentes, sendo capazes de contribuir com o tratamento.

Além da ação antiviral que se espera no combate à covid-19, os fitocomplexos também são capazes de ter ação anti-inflamatória, imunomoduladora e antimicrobiana, entre outras. “Como são muitas moléculas, a chance de apresentarem mais de uma propriedade é grande”, resume Juliana. Por isso, mesmo em fase inicial as expectativas para a pesquisa são otimistas. “Estes compostos também poderiam atuar nas comorbidades e na síndrome respiratória grave”, sugere.

A investigação está, neste momento, em sua primeira etapa, que consiste justamente na caracterização química e padronização de formas terapêuticas dos fitocompostos. Depois disso, passa-se à fase de desenvolvimento e caracterização de formulações terapêuticas com nanotecnologia, seguidos dos ensaios pré-clínicos in vitro, que não exigem testes em humanos.

A nanotecnologia é um dos recursos de inovação do projeto e pode potencializar a ação do fitoterápico, pois trabalha com unidades moleculares e pode dar mais precisão às formulações. “Já há resultados de estudos recentemente publicados que mostram que os fitocomplexos são mais eficientes com formulações de nanotecnologia”, diz. “Como muitas vezes a forma como se ingere o fitoterápico não é tão eficiente, a proposta é testar também o desenvolvimento de uma formulação”, explica.

Além da sálvia e da cúrcuma, que já começaram a ser estudadas, outras espécies também serão estudadas, como Mentha x piperita L. e Trifolium pratense L. Fazem parte da equipe o professor Marcelo Molento, do departamento de Ciências Veterinárias, a doutoranda Camila Peitz, a professora Selma Faria Zawadzki-Baggio, do departamento de Bioquímica e Biologia Molecular, além de parceiros dos departamentos de Patologia e Farmácia, do Instituto Federal Catarinense (IFC) e da Epagri (SC).

Links:
Opção de imagem para download gratuito: https://pixabay.com/pt/photos/s%C3%A1lvia-salvia-flores-roxas-erva-3520814/
Texto no portal: https://www.ufpr.br/portalufpr/noticias/curcuma-e-salvia-sao-estudadas-em-pesquisa-da-ufpr-como-possiveis-opcoes-fitoterapicas-contra-a-covid-19/

17:17

Além dos exercícios físicos, a dieta é um dos pilares para garantir a manutenção dos músculos
V9BCrbg6blNZtFRPYi26QHXoGFB4NF82yi_TOahjSRE6kAjmqdoX-skxLl_8apEeEi6X5bpS_UKpDYuflq6eSQvLPP61Kqf3SrEOtsRpsYVRzEVzsKVWfA16M1kNfgCo_dAcoZcR
(Crédito: Divulgação)

Para grande parte das pessoas que dedicam um tempo à prática de atividade física, visitando a academia e incluindo hábitos saudáveis na rotina, um dos principais objetivos é a obtenção da massa magra, importante não só para o desempenho atlético ou a estética, mas auxilia na manutenção de uma vida saudável a longo prazo. A massa magra consiste em tudo aquilo que não for gordura no corpo, incluindo massa muscular, pele, órgãos, entre outros.

A massa muscular vai além do corpo sarado, sendo fundamental para a saúde a longo prazo. Entre os principais benefícios está o combate a doenças, o fortalecimento dos ossos, a prevenção contra a resistência à insulina, entre outros. Além de uma rotina saudável e voltada para a criação de massa muscular, com uma sequência de treino pensada com este objetivo, a alimentação tem uma grande influência na formação e manutenção dos músculos do corpo.

Antes de definir uma dieta, é essencial visitar um médico especialista, como um nutricionista, para garantir que a alimentação diária irá suprir todas as necessidades energéticas. Além disso, conversando com um profissional, é possível encontrar a necessidade ou receber a recomendação correta do uso de suplementos alimentares, como o Whey Isolado, definindo a dose indicada para consumo e as possíveis causas da necessidade por trás do uso, caso a questão seja relacionada a algum problema de absorção de nutrientes, por exemplo. Confira os alimentos mais indicados para quem quer desenvolver massa muscular.

Frango, carne e peixes

Esses alimentos são ricos em proteína e ferro, nutrientes que estimulam a hipertrofia, que consiste no crescimento dos músculos. Eles também colaboram para aumentar a quantidade de oxigênio nos músculos, importante para evitar a fadiga muscular. Além disso, peixes como salmão e atum são ricos em ômega 3, que garante o bom funcionamento do cérebro, ajuda na recuperação muscular e previne a inflamação, que pode gerar dores.
Oleaginosas

Castanhas, nozes, amendoim, semente de linhaça e outras oleaginosas são uma boa fonte de vitaminas do complexo B, grupo importante para fortalecer o sistema imunológico, ajudando também na melhoria das funções cerebrais, redução na degeneração de cartilagens e alívio de dores musculares, que podem aparecer em decorrência do exercício físico.

Abacate

O abacate é uma fonte de gordura boa que ajuda a reduzir o acúmulo de gordura presente no corpo e facilita o aumento de calorias na dieta para ganhar massa muscular. Ele é rico também em vitaminas do complexo B, K e C, além de potássio e cobre, conjunto que ajuda na perda de peso, no fortalecimento dos ossos e colaborando para a diminuição da pressão arterial.

Derivados do leite

Inserir na dieta leite, iogurte e queijos é essencial para permitir o crescimento muscular por serem ótimas fontes de proteína, cálcio, fósforo e magnésio, também ajudando a estimular a contração muscular, garantindo um treino com maior rendimento. Além disso, alimentos desse tipo aumentam as calorias na dieta, o que colabora para o aumento dos músculos quando combinados com uma rotina de exercícios apropriada.

Personal Trainer promove treinos gratuitos com o intuito de motivar as mulheres a cuidarem da saúde e do corpo

Se exercitar em casa foi um hábito que muitos brasileiros adquiriram durante a pandemia. Mesmo com as academias em pleno funcionamento, muitos ainda optaram em realizar as atividades em casa, seja com personais trainer ou em grupos de treinamento, ou até mesmo nas aulas que as próprias academias vêm promovendo.
Com a demanda alta, a personal trainer Viviane Freitas, além de atender seus alunos de forma individual – seja presencial ou online, passou a oferecer aulões gratuitos para que as mulheres não desanimem e busquem entrar em forma, não apenas para o tão sonhado biquini do verão, mas para melhorar a autoestima.
“Percebi que muitas mulheres me procuravam para saber mais sobre os treinos, mas ou faltava iniciativa de começar a treinar, ou o valor das aulas não encaixava no orçamento. Criei essas aulas gratuitas, como forma de mostrar que todos podem entrar em forma, basta ter força de vontade”, ressalta Viviane.
Os treinos, mesmo acontecendo de forma online, possuem adaptações para todos os níveis. “O importante é a pessoa iniciar a atividade física e respeitar o seu limite, e fazer o que é capaz para progredir dentro do seu tempo” enfatiza Viviane.
Os treinos acontecem todas as quintas-feiras às 10h, pelo perfil @vivifreitas.personal no Instagram. Todas as dúvidas a respeito dos exercícios e da forma de executá-los são respondidos durante a live, ou em mensagem do aplicativo. A partir do dia 31 de agosto seraão abertos grupos no WhatsApp e Telegram para interagir melhor com as alunas que buscam se cuidar mais e melhorar a autoestima.

Nas fotos: Personal Vivi Freitas
Crédito das Imagens : Valterci Santos

A Família Fardo, vinícola situada na Região Metropolitana de Curitiba, conquistou o ‘Travellers’Choice’

É Tetra!

Choice’, prêmio do Tripadvisor para empreendimentos com avalições, classificações e itens salvos por viajantes no mundo todo durante um período de 12 meses, bem como a classificação e a estabilidade da empresa no Índice de popularidade do site.

Este é o quarto ano consecutivo, que a vinícola recebe o certificado de excelência, este ano na versão ‘plus’ surpreendeu até mesmo os sócios, o casal Ambrósio e Justina Fardo. “Nosso sentimento é de gratidão e muito orgulho por saber que os visitantes reconhecem o empenho dos colaborares em fazer um atendimento merecedor de excelência”, comemora Justina Fardo.

Fibracem disponibiliza cartilha para instaladores

Material para cadeia Telecom é de prevenção e distribuído em todo o país

A Fibracem criou uma cartilha para os instaladores de internet com as medidas preventivas indicadas pelo Organização Mundial da Saúde (OMS), totalmente adaptada à realidade de trabalho deles. O material exemplifica situações do dia a dia como entrar na casa do cliente, se deslocar no veículo com o parceiro de campo, ou mesmo o uso adequado dos novos aliados nas ferramentas: álcool 70 ou álcool em gel, e as máscaras. Os distribuidores autorizados Fibracem foram convidados a aderir à campanha, pois é com a ajuda deles que a mensagem chega até a ponta, aumentando o número de conscientização.

Segundo Carina Bitencourt, diretora da Fibracem, “a iniciativa visou orientar os instaladores e auxiliá-los a manter um atendimento seguro durante a pandemia do novo coronavírus, a fim de preservar a saúde deles e dos assinantes”. E, agora no segundo semestre, a Fibracem também enviará ao PDV dos seus distribuidores dispenser de álcool em gel, álcool em gel e máscaras personalizadas, afinal o cuidado continua para conter a pandemia da Covid-19. A cartilha disponibilizada em abril é gratuita e, até o momento, já são mais de 700 acessos. Baixe a sua aqui: https://bit.ly/3j8kXGN

Máscaras de tecido precisam respeitar as recomendações da OMS para serem eficazes

Grupo Arquitetizze produz 200 mil máscaras com tecido protect, que inibe a proliferação de bactérias, fungos e contém propriedades de repelência à água

A máscara já virou objeto indispensável no dia a dia dos brasileiros e em diversos países do mundo. Há quem tem uma de cada cor, para combinar com o look, quem faça suas próprias máscaras e quem produza em casa para revender.

A máscara caseira ou artesanal precisa seguir alguns critérios, seja dos tecidos utilizados, como também sobre a limpeza e descarte do material. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), todos os indivíduos devem usar a máscara onde houver transmissão ampla da doença e em situações em que o distanciamento social não é possível, como no transporte público, por exemplo.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) indica que as máscaras devem cobrir totalmente a boca e o nariz, sem deixar espaços nas laterais, além de serem confeccionadas com tecido confortável e adaptar-se bem ao rosto, para evitar sua recolocação toda hora. Para a confecção da máscara, são recomendados tecidos 100% algodão ou cotton. O coronavírus pode ser espalhado por gotículas suspensas no ar quando pessoas infectadas conversam, tossem ou espirram e essas gotículas podem ter sua formação diminuída pelo uso de máscaras não profissionais.

O Grupo Arquitetizze, que atua importação e comercialização de produtos inovadores de diferentes segmentos, fez a produção de 200 mil máscaras com o tecido protect. Fabricado pela Tecidos Fiama, indústria têxtil de Campinas, o material apresenta acabamento em alta performance que inibe a proliferação de bactérias, fungos e contém propriedades de repelência à água. Indicado para uso doméstico, a máscara é reutilizável e a proteção tem duração atestada pelo fabricante de até 30 lavagens. O acabamento possui tecnologia antimicrobiana, que evita o crescimento desses microrganismos e colabora da diminuição da propagação da COVID-19.

“A grande demanda dessas máscaras se dá pela proteção oferecida. Muitas máscaras vendidas no mercado são de tecidos não recomendados pela Anvisa e não oferecem uma proteção para quem utiliza”, afirma o diretor de negócios do grupo, Franklin Freiberger. As máscaras da Arquitetizze são vendidas tanto para pessoas físicas, a partir de cinco unidades, quanto para empresas. O grupo tem capacidade de produção em alta escala e é possível personalizá-las com logomarca de empresas.

Sobre o Grupo Arquitetizze:
Design inovador e produtos de qualidade - essa é a premissa do Grupo Arquitetizze, referência em sua área de atuação desde 2011. O grupo engloba a Arquitetizze, especializada em venda e importação de lustres, e a Design Chair - ícone no mercado de cadeiras para escritório e decorativas. Com sede em Pinhais, no Paraná, e Araquari em Santa Catarina, o Grupo atua também na importação e comercialização de produtos inovadores de diferentes segmentos.

BelClinic doa 300 frascos de álcool em gel para Hospital Pequeno Príncipe

Empresa paranaense entrega doação para auxiliar profissionais da área de saúde no combate ao novo coronavírus, na quarta-feira (20).

Comando News, agosto de 2020 - A BelClinic Dermoativos entrega 300 frascos de 130 ml de álcool em gel 70% com aloe vera para o Hospital Pequeno Príncipe. À doação aconteceu na quarta-feira, 20 de agosto. Cleyton Ogura, CEO da empresa, conta que tem uma ligação muito forte e especial com o hospital infantil.

“Minha filha mais velha ficou internada por um mês na UTI do Hospital Pequeno Príncipe sob os cuidados de profissionais incríveis que não mediram esforços para salvar a vida dela. Dessa forma, como pai, presenciei o comprometimento de médicos, enfermeiros e funcionários com a saúde e o bem-estar dela e de tantas outras crianças que passam por lá diariamente. Então, nesse momento de pandemia, em que todos esses profissionais estão tão expostos ao risco de contaminação pelo novo coronavírus precisava retribuir de forma prática todo cuidado que eles tiveram com a Luisa”, explica Ogura. Além da doação dos frascos de álcool em gel, a BelClinic Dermoativos contribui mensalmente com o Hospital Pequeno Príncipe há dois anos.

Sobre o Álcool em Gel 70% com Aloe Vera

A versão de álcool gel 70% com alta concentração Aloe Vera com fórmula exclusiva e hidratante da BelClinic Dermoativos é um aliado de profissionais de saúde, para quem precisa trabalhar ou sair de casa e de das pessoas que precisam desinfetar as mãos diversas vezes por dia, pois estão em movimento.

“A BelClinic possui um histórico de quase 30 anos cuidando da pele e do bem-estar das pessoas. Neste momento, não poderia ser diferente. Por isso, formulamos um álcool em gel de alta qualidade que, além de desinfetar as mãos, garante conforto e hidratação da pele. A diferença na hidratação da pele com o nosso álcool gel é perceptível no toque, no deslizar e na hidratação das mãos”, revela Cleyton Ogura, CEO da BelClinic Dermoativos.

BelClinic Álcool em Gel com Alta Concentração de Aloe Vera - 130ml
Composição: álcool etílico 70% INPM
Mais informações: https://www.belclinicbrasil.com.br/

Sobre Cleyton Ogura

Cleyton Ogura é engenheiro formado pela Unicamp, pós-graduado em administração pela FGV/SP e CEO da BelClinic Dermoativos. Profissional focado, Ogura está à frente da BelClinic desde janeiro de 2017, tem como principal missão inspirar pessoas a empreender. Cleyton também atuou na área de tecnologia da informação, desenvolvimento de pólos ecoturísticos e foi responsável técnico e comercial de diversas empresas no Brasil, quase sempre sendo dono ou o principal executivo do negócio www.instagram/cleyton.ogura.

Sobre a BelClinic Dermoativos
A empresa fundada em 1991 por Mutsumi Ogura, imigrante japonesa, é conduzida por Cleyton Ogura desde 2017. Referência em tratamento de pele, com presença em 11 estados por meio de uma rede de distribuidores.

Cleyton Ogura é palestrante e engenheiro formado pela Unicamp e pós-graduado em administração pela FGV-SP. Para mais informações sobre a BelClinic Dermoativos www.belclinicbrasil.com.br

Go Cycle reabre com segurança e muitas novidades

Medidas foram reforçadas para garantir o treino com ainda mais animação

Neste sábado, dia 22 de agosto, as atividades do maior estúdio de bike indoor do país serão retomadas. A Go Cycle reabre suas portas, com muitas novidades e medidas de segurança que devem ser adotadas pelos profissionais e pelos alunos.
A Go Cycle sempre teve um elevado padrão de higienização dos seus ambientes, mas ampliou os cuidados com a instalação de equipamentos de oxi-sanitização em cada aparelho de ar-condicionado, que libera um gás com alto poder germicida e oxidante, uma revolução no que diz respeito à limpeza sustentável. Através da captação do ar do ambiente, ocorre a quebra das moléculas, transformando oxigênio em ozônio, garantindo assim um ambiente mais limpo e seguro.
A higienização dos equipamentos foi reforçada, com a realização de uma limpeza terminal entre cada aula, que compreende a limpeza de superfícies, sejam elas verticais ou horizontais, e a desinfecção do mobiliário. A capacidade da sala será reduzida para manter o distanciamento adequado entre as bikes. O estúdio oferece álcool em gel em todos os ambientes e vai realizar a aferição de temperatura de todas as pessoas que chegarem ao estúdio, além do uso obrigatório de máscaras nos ambientes de circulação.

Novas modalidades e pacotes promocionais
Entre as novidades está uma nova modalidade de treino, o Go Virtua. Um telão foi instalado no estúdio para a simulação de corridas e passeios de bike em diferentes cenários. As aulas de Go Move, Go Race e o Bootcamp estão mantidas. O agendamento das aulas continua sendo realizado pelo site, mas agora a Go Cycle também conta com o App exclusivo, disponível para as plataformas Android e IOS.
Para quem quiser treinar na hora do almoço, nas aulas de bike ou bootcamp, tem uma promoção exclusiva para as aulas entre 11h30 e 14h, de segunda-feira a sexta-feira: 10 créditos por R$ 199,00 e um brinde da Superfood comidas saudáveis. O aluno também poderá optar por um plano mensal, e frequentar a Go Cycle nos dias e horários que preferir.
Saiba mais pelo site e pelas redes sociais.

Serviço:
Go Cycle - Avenida Vicente Machado, 878 Batel – Curitiba (PR)- Estacionamento próprio gratuito.
Site: www.gocycle.com.br
Email: contato@gocycle.com.br
Redes sociais: @gocycle.studio
--

Amanco Wavin doa mais de 78 mil suportes de viseira para a confecção de máscaras do tipo face shield

Amanco Wavin doa mais de 78 mil suportes de viseira
para a confecção de máscaras do tipo face shield

6afe49a6367bb1da8b4eec7e08e29056low.jpeg?jiggle=1597850638223

São Paulo, 20 de agosto de 2020 - A Amanco Wavin (amancowavin.com.br), marca comercial da Wavin (wavin.com), uma das maiores empresas mundiais em tubos e conexões, produziu e doou mais de 78 mil suportes de viseira para a confecção de máscaras do tipo face shield.

Uma face shield é composta por três partes: suporte, elástico e viseira. Dessa forma, a marca confeccionou a estrutura que fixa a máscara na cabeça de quem irá utilizá-la.

Todo o material foi produzido na unidade de Joinville (SC) e encaminhado para a Associação Brasileira da Indústria de Ferramentais (Abinfer), uma entidade sem fins lucrativos que representa as empresas de ferramentais de todo o Brasil. A Abinfer vai receber o restante das partes que compõem a face shield de outras companhias e realizará a montagem e doação das máscaras.

Sobre a Amanco Wavin

A Amanco Wavin (amancowavin.com.br) é uma das marcas comerciais da Wavin, a primeira empresa do mundo a criar tubulação de pressão de PVC, em 1955, em Zwolle, na Holanda. Hoje está presente em mais de 40 países e é líder na fabricação e no fornecimento de tubulações plásticas. Lançada em 2006 no Brasil, tem o propósito de cooperar para o bem-estar das pessoas e para o desenvolvimento saudável e sustentável da sociedade, produzindo produtos inovadores e com alto padrão de qualidade. A marca atua nos mercados predial e de infraestrutura.

Sobre a Wavin

A Wavin é fornecedora de soluções inovadoras para o setor de construção e infraestrutura em vários continentes. Com mais de 60 anos de experiência, a empresa está preparada para enfrentar alguns dos maiores desafios do mundo em fornecimento seguro e eficiente de água, saneamento e higiene, cidades resilientes ao clima e melhor desempenho na construção.

A Wavin tem como foco criar mudanças positivas no mundo e está comprometida em construir ambientes saudáveis e sustentáveis. A empresa se relaciona e colabora com os líderes das cidades, engenheiros, empreiteiros e instaladores, a fim de ajudar a tornar as cidades preparadas para o futuro e as construções confortáveis e eficientes em termos de energia.

Com mais de 12.000 funcionários em mais de 40 países, a Wavin faz parte da Orbia, uma comunidade de empresas unidas por um objetivo comum: melhorar a vida ao redor do mundo.

LIDE Paraná apoia iniciativas para o enfrentamento à pandemia na área da saúde

Durante um dos períodos mais difíceis que o Brasil vivencia, empresários se unem para ajudar no combate à prevenção do contágio seja na arrecadação de recursos e disseminação de informações para a população

Ultrapassamos a triste marca de mais de 110 mil óbitos e vemos uma série de iniciativas nas quais os empresários se mobilizaram para ajudar no combate à pandemia do Covid 19. O LIDE Paraná é um grande exemplo disso, já vinha apoiando as iniciativas da Santa Casa de Misericórdia de Curitiba e passou também a apoiar o projeto Rooms Agains Covid Brasil.

Em evento realizado no último dia 13 de agosto o LIDE TALKS PARANÁ, recebeu Nastassia Romanó Leite de Castro, coordenadora do Rooms Against Covid Brasil e Eduardo Otoni, diretor geral da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Curitiba. "Estamos promovendo uma pauta para acelerar nossa economia, mas proteger e saúde dos que estão na linha de frente do combate à pandemia e usar da força da nossa rede para alavancar recursos é essencial", destaca a presidente do LIDE, Heloisa Garrett, que coordenou o debate.

Iniciativas que salvam vidas

Com ínicio em Portugal e lançado no Brasil, inicialmente no estado do Paraná, o Rooms Against Covid Brasil é um projeto sem fins lucrativos do movimento tech4 COVID19 Brasil, que por meio de uma plataforma online, oferece acomodações individuais e temporárias para profissionais da saúde na linha de frente do combate ao novo coronavírus no país. Assim, o profissional consegue se manter isolado de sua família e evita qualquer chance de contaminação em seu domicílio. “Esse movimento voluntário que busca hotéis, parceiras e os profissionais da saúde, divulga a necessidade desse olhar à esse profissional da saúde, sobretudo em tempos de pandemia, provendo condições para que todos estejam em segurança. É algo solidário e necessário para mitigarmos os efeitos da pandemia pensando na saúde como foco, porém sem esquecer da economia”, conta Nastassia Romanó Leite de Castro, coordenadora do Rooms Against Covid Brasil.

O projeto já viabilizou 688 diárias e já atendeu 22 profissionais da linha de frente que estão dentro dos grupos mais vulneráveis, sendo dois deles da Santa Casa de Curitiba. O projeto atende a capital do Paraná, Porto Alegre, São Paulo, Campinas, Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro e Salvador. A startup Gear Up, filiada e patrocinadora do LIDE Paraná, também é parceira do projeto.

A Santa Casa de Curitiba é um dos hospitais que está na linha de frente no atendimento a pacientes com o novo coronavírus e, com a abertura do novo Hospital especializado em tratamento da Covid, soma 130 leitos exclusivos SUS para atendimento à doença, o maior do Paraná. “Em um momento complicado, conseguimos abrir mais leitos para ajudar a população. Temos 140 altas de pacientes que saíram do nosso instituto direto para sua família, são relatos lindíssimos. Isso é o que nos dá energia todos os dias para continuar”, declara Eduardo Otoni, diretor geral da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Curitiba.

Segundo Eduardo, a iniciativa privada por meio das empresas possui grande importância nessas conquistas. “Eles que nos deram condições de levar o nosso atendimento adiante, mesmo nos momentos mais críticos.”

Para manter os atendimentos, a Santa Casa teve um aumento significativo em seus custos. Foi preciso reforçar a compra de EPIs, equipamentos e insumos, como álcool gel, além de intensificar os procedimentos de assepsia de leitos, enxovais e roupas usadas pelos profissionais, medidas essenciais para evitar a contaminação. Para ajudar nas despesas até o fim da pandemia, o hospital deu início à Campanha Santa Casa a Favor da Vida, cujo objetivo é arrecadar R$ 3 milhões e conta mais uma vez com o apoio da sociedade.

“É uma função do poder público ajudar esses profissionais da linha de produção do atendimento hospitalar, mas os entes do poder executivo mal estão conseguindo manter medicamentos, quem dirá pensar no bem-estar destes colaboradores ou nesta cadeia de atendimento. Então, se nós como iniciativa privada conseguimos nos mobilizar para ajudar de alguma maneira, estaremos ajudando estes heróis de alguma forma”, conclui Heloisa.

LIDE Paraná Talks – A websérie criada pelo LIDE Paraná tem a finalidade de auxiliar os empresários neste momento de incertezas, trazendo uma rica agenda com participação de especialistas e autoridades em diversos assuntos. Assista o episódio complete em www.lideparana.com.br/talks

Conheça o ICostantini: plataforma on-line de cursos para área de Saúde

Materiais são elaborados e conduzidos por renomados profissionais multidisciplinares do Hospital Cardiológico Costantini

Com 22 anos de experiência e atuação na área de cardiologia, o Hospital Cardiológico Costantini conta com uma plataforma própria para cursos de especialização na área de Saúde. O ICostantini — Instituto Costantini de Ensino e Pesquisa — foi idealizado pelo Dr. Costantino Costantini com o objetivo de disseminar conhecimento e oportunizar o ensino.

Sob coordenação do Dr. Rafael Michel de Macedo, diretor de prevenção do Hospital, a plataforma conta com cursos em diversas esferas, abrangendo cardiologia, fisioterapia, nutrição, atividades físicas, ortopedia, enfermagem, entre outros. Todo o material é produzido e conduzido por profissionais multidisciplinares do Hospital Cardiológico Costantini, referência nacional e internacional em Cardiologia Intervencionista, e renomados médicos convidados.

“Com os cursos do ICostantini, o participante receberá um conteúdo teórico-prático, fundamentado em literatura e em casos reais que dificilmente serão encontrados em outros locais de ensino. Esperamos transferir a excelência da assistência para a excelência no ensino e, para isso, contamos com a colaboração de professores especialistas nas diferentes áreas de Saúde e uma metodologia reativa de ensino associado ao jeito Costantini de ser”, explica o Dr. Macedo.

Para ter acesso aos cursos, basta acessar o site: icostantini.com.br. A plataforma conta com opções gratuitas e com seminários e discussões ao vivo que ficam, posteriormente, gravadas. Toda a extensa lista de opções oferece certificado aos participantes. Com o objetivo de formação complementar e aprimoramento técnico em práticas assistenciais, o público-alvo são os profissionais da área de Saúde. Porém, com linguagem clara e objetiva, a plataforma é aberta à sociedade em geral.

PROJETO VIABILIZA ACOMODAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE SAÚDE EM HOTÉIS

Foto economista Nastássia Romanó Leite de Castro, coordenadora do projeto Rooms Against Covid Brasil.
Um projeto voluntário que viabilizou acomodação temporária a profissionais de saúde que atuam no combate ao coronavírus em Portugal chegou ao Brasil. Ou mais precisamente, em Curitiba, Porto Alegre, São Paulo, Sorocaba, Campinas, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá e Salvador.
Trata-se do projeto Rooms Against Covid Brasil (Quartos contra Covid) que está operando desde maio na capital paranaense e deve ser implantado além das capitais, também em cidades do interior do Paraná onde o problema com o corona vírus é sério. A coordenação do projeto é da economista Nastássia Romanó Leite de Castro. O objetivo é mostrar que tem como projetos mitigarem efeitos na saúde e também na economia. Se é verdade que 1 pessoa tem potencial de contaminar 80 em 30 dias, o projeto já permitiu que 7.200 não fossem atingidas pelo coronavírus. “Assim, contribuímos para não lotar a saúde pública e privada, e também movimentamos quartos antes vazios, através de uma rede de voluntários, parceiros, apoiadores”, comenta a coordenadora do projeto
E prossegue Nastássia Romanó: “Já viabilizamos 240 noites a profissionais de saúde. Temos 150 cadastrados em nossa base, em quase todos os estados do Brasil. Estas pessoas tem necessidade urgente; Como as condições salariais não permitem que consigam arcar com o custo total da estadia, mesmo com as tarifas promocionais, o projeto busca doações. Para que possamos ter impacto ainda mais significativo e alavancar a operação, necessitamos de capital que ajude a alocar o quanto antes os já cadastrados, além de outros que se interessem pelo projeto.”

Em Curitiba, São Paulo e Brasília, hotéis aderiram à campanha, cedendo apartamentos para abrigar profissionais que estão trabalhando na linha de frente no combate ao Coronavirus, para que não tenham que ir para suas casas, o que leva a expor seus familiares ao risco.
De acordo com a coordenadora do trabalho, “entendemos que para o projeto poder alavancar e ter impacto ainda mais significativo, é necessário captar doações. Hoje, os hotéis entram como participantes com uma tarifa solidária (valor que mantenha seus custos, não dando prejuízo). Porém, a remuneração desses profissionais de saúde hoje ainda não viabiliza que possam arcar com os custos promocionais. Por isso, o projeto resolveu criar campanha de doações em que o valor total é revertido para subsidiar as acomodações e viabilizar a alocação dos profissionais de saúde. Podem participar empresas, com cotas maiores, e também pessoas físicas.”

RESPONSABILIDADE SOCIAL

Para a coordenadora do projeto, Nastássia Romanó, “estar no Rooms Against Covid significa participar de uma rede de solidariedade. Para o hotel, é uma ação de responsabilidade social ao acolher profissionais de saúde cobrando tarifas simbólicas, mas é algo que além de gerar valor à sua marca, auxilia para que mantenha sua operação.”
Ao explicar os procedimentos, a coordenadora salienta que “os quartos são completamente higienizados . Se durante a estadia alguém apresentar algum sintoma da Covid-19, os protocolos ficam ainda mais rigorosos. O profissional de saúde pode ficar no mesmo quarto e depois que ele faz checkout, o quarto fica em quarentena (de 3 dias) antes de profissionais da limpeza entrarem no quarto”.
Mais adiante, Nastássia explica que existem algumas especificações que ajudam para que mais hotéis consigam participar, dando segurança a todos envolvidos (incluindo seus colaboradores). São boas práticas de limpeza, que garantem segurança. Para tal, o projeto criou um estudo de protocolos de limpeza e biossegurança, apartir das recomendações da OMS e também das secretarias de saúde. Além disso, fez uma parceria com a FACOP, que oferece consultores especializados em limpeza para atrair hotéis e apoiá-los a manter sua operação em meio à pandemia.
A maioria do nosso público (enfermeiros, técnicos em enfermagem, fisioterapeutas) mora em residências com ambientes compartilhados, que não permitem que eles, dentro de suas próprias casas, consigam ter distanciamento social necessário para não levarem o risco a seus familiares. Além disso, muitos deles moram com pessoas do grupo de risco. No caso da hospedagem em hotel, além de poderem dormir bem, tranquilos, para que possam ter melhores condições de exercer seu trabalho, conseguem descansar por saberem que não estão expondo ninguém. Ao fazer isso, o projeto também contribui para que reduza o risco de contaminação da COVID-19.
Nastássia Romanó assistiu ao início da pandemia enquanto ainda estava na França. Segundo ela, “Quis aproveitar que o Brasil estava atrasado em relação à Europa, epicentro da pandemia. Pensei que fazia sentido olhar projetos bem sucedidos e trazer ao Brasil. Em Portugal, o governo lançou um desafio à comunidade de tecnologia, para que criassem soluções com potencial de crescer mais rápido que o vírus. Da reunião de startups, surgiu o movimento tech4covid19, que reuniu mais de 5.000 voluntários, 40 projetos – um deles, o Rooms Against Covid”.
A coordenadora do projeto, citou alguns exemplos, como de “um hotel em Curitiba destinou 20 dos 178 apartamentos para o projeto. Os demais hóspedes não têm contato com a ala, que está fechada por causa da crise do coronavírus. Os profissionais de saúde não podem ficar circulando e todas as refeições têm de ser feitas do lado de dentro. Após checkout, 3 dias de quarentena e só depois é limpo.
Na prática, a iniciativa funciona por meio de uma plataforma, que não tem custo algum. Nela, interessados em ofertar apoio (proprietários de acomodações, hotéis) se cadastram, bem como os que precisam de ajuda (profissionais da saúde da linha de frente no combate ao coronavírus). “Assim, provemos bem-estar, conforto, acolhendo essas pessoas que estão trabalhando sob pressão, amenizando sua árdua rotina. Ao fazer isso, viabilizamos a conexão com quartos de hotéis, flats, studios que hoje estão vazios por conta da pandemia, ocupando-os., explica a coordenadora.
No geral, são analisadas a jornada de trabalho dos profissionais de saúde para verificar exposição ao coronavírus, o local de trabalho, valor que pode pagar a diária e a partir desses dados, são ofertadas acomodações mais convenientes.
O contato para parcerias é no info@roomsagainstcovid.com.br.
E informações sobre o estão disponíveis no Site www.roomsagainstcovid.com.br e pelo whats 41 9 9969-1858

Imprensa: jornalista Luiz Augusto Juk
juknatv@gmail.com e 41 9 88381912 (whats)

“COMO A INICIATIVA PRIVADA APOIA NA LUTA CONTRA O COVID-19?”

Nesta quinta-feira (13) às 17h00 o LIDE Paraná Talks abordará o tema: “Como a iniciativa privada apoia na luta contra o Covid-19?”
Chegamos a triste marca de mais de 100 mil óbitos e vemos uma série de iniciativas onde os empresários se mobilizam para ajudar no combate à pandemia. Os convidados são: economista Nastássia Romanó Leite de Castro que coordena o projeto “Rooms Against Covid Brasil (Quartos contra Covid)” que está operando desde maio na capital paranaense e Eduardo Otoni, Diretor Geral Irmandade Santa Casa de Misericórdia.
A live é aberta a todos os interessados acessando o link:
Participe pelo link:
https://bit.ly/LIDEtalksSAUDE