Cuide de sua pele no verão

Estação mais quente do ano exige cuidados para evitar micoses, queimaduras e câncer de pele; leia esse guia e aproveite o melhor do verão, em dia com sua saúde

O verão está no ar! A estação mais queridinha do ano é sinônimo de férias, sol, calor e diversão para toda a família. Mas para não sentir os efeitos colaterais das altas temperaturas, você deve tomar cuidados especiais com a saúde, sobretudo com sua pele.

O sol e a e a desidratação acarretam problemas como queimaduras, envelhecimento precoce, aumentando até mesmo o risco de câncer. Para passar por essa temperada ileso, livre de doenças, é preciso se proteger. Confira nossas dicas para manter a pele seca, livre do suor, mas devidamente hidratada.

1. Pele linda e hidratada é sinônimo de saúde

Algumas alergias de pele são mais comuns no verão, como as brotoejas. Por isso, além de investir no filtro solar, é muito importante caprichar na limpeza e na hidratação. Seque bem o corpo após o banho, especialmente nas dobras, e aplique uma dose generosa de cremes hidratantes para evitar o ressecamento excessivo da pele.

2. O rosto merece atenção especial

O rosto precisa de cuidados redobrados no verão. Com o calor, a tendência é que a pele fique mais oleosa. Aposte em loções de limpeza livres de álcool, com formulações suaves, e busque hidratantes que já contêm FPS.

3. O protetor solar é seu melhor amigo no verão

Além de prevenir queimaduras e insolação, o protetor solar é essencial para garantir uma pele jovem e saudável. Esse produto desse ver usado diariamente, até nos dias chuvosos.

Aplique o produto pelo menos 30 minutos antes da exposição solar e reaplique a cada três horas. Na praia e na piscina o protetor deve ser usado sempre que sair da água e com a frequência indicada na embalagem do produto que você estiver utilizando.

Não esqueça de passar o protetor em locais como a orelha, pés, axilas e couro cabeludo – principalmente os calvos. O esquecimento pode causar queimaduras que, acumuladas, podem ser fator de risco de câncer de pele.

Evite filtros com fragrância e corantes, que podem provocar fotoalergias. Confira também se o produto é apropriado ao grau de oleosidade da sua pele, para prevenir a formação de cravos e espinhas.

4. Intensifique a hidratação

Com as altas temperaturas suamos mais e nosso corpo perde mais água. Por isso, tenha sempre a mão uma garrafinha no verão. A água ajuda a distribuir os nutrientes pelo sangue, deixando a pele e os cabelos mais saudáveis – o ideal é consumir entre dois e três litros por dia.

Uma dica é consumir chás gelados sem açúcar e águas saborizadas feitas em casa: misture algumas gotinhas de limão, gengibre e hortelã e você terá uma bebida refrescante para consumir o dia todo. Atenção para os sucos de frutas naturais: apesar de serem saudáveis, são calóricos e devem ser consumidos com moderação.

5. Banho de sol com cuidado

Todo mundo já sabe que a exposição solar excessiva causa queimaduras, insolação e é uma das responsáveis pela desidratação do corpo, que precisa de mais água para manter a temperatura do organismo.

Prefira tomar sol antes das 10h e depois das 16h. Nos outros horários, aproveite o verão na sombra ou debaixo do guarda-sol, sempre com muito filtro solar ou roupas com proteção UVA e UVB.

E se quiser manter o bronzeado por mais tempo, de preferência para alimentos ricos em vitamina C, como laranja, cenoura e abóbora, que ajudam a acelerar o processo de bronzeamento.

Dermatites então entre as doenças de pele mais comuns

A Sociedade Brasileira de Dermatologia aponta que 7% dos adultos e 25% das crianças convivem com a dermatite atópica: uma patologia crônica que se manifesta em ciclos. Os principais sintomas são coceira, vermelhidão e ressecamento intenso da pele nas regiões afetadas.

Fernanda Aguiar (CRM 30977), dermatologista da Clinipam, explica que não há uma causa específica para o problema. “A dermatite atópica é uma doença multifatorial, com caráter genético. A predisposição hereditária associada a fatores imunológicos e ambientais é que dá origem aos sintomas”, diz.

A dermatite atópica não é contagiosa e apresenta outros sintomas que vão além da vermelhidão e ressecamento da pele. Não é raro que os portadores também apresentem problemas de insônia, estresse e até depressão em casos mais graves, quando as manchas ocupam boa parte do corpo.

Por ser uma doença cíclica, pode até desaparecer por alguns anos. No entanto, há quem passe a vida toda sem buscar ajuda, apenas lidando com os sintomas quando eles surgem. “O diagnóstico é feito com base na história completa e detalhada da doença e pelo exame clínico. Não há um exame sanguíneo específico”, cita Fernanda.

Tratamento

O tratamento deve ser ministrado por um dermatologista, que vai sugerir cuidados para minimizar os desconfortos cutâneos e, consequentemente, melhorar a qualidade de vida dos pacientes. “Há diversas pomadas e medicações via oral que permitem controlar a doença. O uso de hidratantes como vaselina líquida e óleo de amêndoas também é recomendado”, finaliza Fernanda.

5 cuidados para um Verão mais saudável

Segundo especialista, com o aumento das temperaturas os cuidados com a saúde precisam ser redobrados

CURITIBA, 08/01/2020 – O Verão é sem dúvidas a estação mais aguardada do ano pela grande maioria da população. Praia, piscina e viagens animam os brasileiros. Porém, segundo o Dr. Aier Adriano Costa, coordenador da equipe médica do Docway (www.docway.co), devido ao aumento das temperaturas, radiação solar e desidratação alguns cuidados com a saúde devem redobrados. Para facilitar essa tarefa, o médico separou algumas dicas especiais para que o Verão seja tranquilo para todos.

Beba muita água: segundo o médico, nesta época do ano nosso organismo tende a perder mais líquidos e sais minerais, já que transpiramos em maior quantidade para manter a temperatura do corpo controlada, o que pode causar distração. “Consuma pelo menos 2 litros de água e evite o excesso de bebidas alcoólicas ou refrescos muitos doces, já que eles podem acelerar o processo de desidratação”, explica.

Alimentação rica em frutas, verduras e legumes: é sempre bom optar por uma alimentação mais leve (menos energética) e por alimentos ricos em vitaminas e ricos sais minerais, que fornecem um reforço necessário para o nosso organismo, evitando várias doenças.

Evite o sol entre das 10h às 15h: esse é o período de maior radiação solar, por isso é bom evitar ficar expostos ao sol durante esse horário, já que os riscos de queimaduras e câncer de pele aumentam.

Use protetor solar: utilize o protetor sempre 20 minutos antes de sair de casa. Além disso, ele deve ser reforçado a cada duas horas, principalmente se você estiver na praia ou na piscina.

Abuse dos acessórios: chapéus, bonés e óculos são muito bem-vindos. Sapatos abertos e roupas leves também são aliadas, de preferência as roupas claras, que ajudam a evitar a radiação solar, evitando doenças.

Para finalizar, o Dr. Aier Adriano Costa lembra que os cuidados com idosos, crianças e pessoas com problemas cardíacos e pressão alta devem ser ainda maiores, já que eles estão mais suscetíveis aos problemas causados pelas altas temperaturas. “Aproveite o Verão para se divertir, melhorar seus hábitos e praticar atividades físicas. Mas não esqueça da saúde, principalmente se fizer parte de grupos de risco, que exigem cuidados ainda maiores”, completa o Dr. Aier Adriano Costa.

Consulta Pública da Anvisa quer melhorar funcionamento de UTIs

A Associação dos Hospitais do Paraná (Ahopar) apoia a Consulta Pública 753/2019 lançada pela Anvisa desde o dia 2 de janeiro e que trata da alteração da Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 7/2010), que dispõe sobre os requisitos mínimos para o funcionamento das unidades de terapia intensiva (UTIs). Os interessados têm até o dia 17 de fevereiro deste ano para contribuir com comentários e sugestões. O objetivo da consulta é coletar informações para aperfeiçoar a regulação relacionada ao tema.

O primeiro passo para participar desse processo é conhecer a proposta, já disponível na área de consultas públicas do portal da Anvisa. Depois da leitura e avaliação do texto, sugestões poderão ser enviadas eletronicamente, por meio do preenchimento de um formulário específico.

As contribuições recebidas são consideradas públicas e estarão disponíveis a qualquer interessado, por meio de ferramentas contidas no menu “resultado” do formulário eletrônico, inclusive durante o processo de consulta.

Ao término do preenchimento do formulário, será disponibilizado ao interessado o número de protocolo do registro de sua participação, sendo dispensado o envio postal ou protocolo presencial de documentos.

Aqueles que não têm acesso à internet também podem participar. Nesse caso, as sugestões e comentários podem ser enviados por escrito, para o seguinte endereço: Agência Nacional de Vigilância Sanitária/Grecs/GGTES – SIA, Trecho 5, Área Especial 57, Brasília-DF, CEP 71.205-050.

Excepcionalmente, contribuições internacionais poderão ser encaminhadas em meio físico, para o mesmo endereço, mas direcionadas especificamente à Assessoria de Assuntos Internacionais (Ainte).

Ahopar – Associação dos Hospitais do Paraná

Fisioterapia no pré e no pós-parto

Saiba a importância da fisioterapia uroginecológica

A gestação exige muito do assoalho pélvico (conjunto de músculos e ligamentos que fazem a sustentação dos órgãos pélvicos como bexiga, útero, reto e intestino, além de todo o conteúdo que fica na pelve, parte baixa do abdômen), pois, além da sustentação da bexiga, do útero e do intestino, sustentará o peso do bebê, da placenta e dos anexos embrionários, levando a sobrecarga.
Devido a estas mudanças, podem ocorrer alterações ou lesões na região perineal (região que fica entre o ânus e a vagina), como, incontinência urinária e fecal, prolapso de órgãos pélvicos, bem como, prejuízos na vida sexual.
Por este motivo, a avaliação, a preparação e a conscientização desta parte do corpo são de fundamental importância, independente da via de parto.
Além dos benefícios comprovados durante a gestação, no parto normal e na cesárea, a fisioterapia uroginecológica atua no período após o parto, melhorando as questões posturais, respiratórias e de bem-estar. Também orientando sobre as dores na incisão cirúrgica e as posturas para minimizá-las, além de atuar, posteriormente, na diástase abdominal, bem como, nas alterações sofridas no períneo.
Independente da escolha da via de parto (normal ou cesariana), é importante buscar um acompanhamento da musculatura do assoalho pélvico durante o pré e o pós-parto.

Dra. Viviane Sobania

A Dra. Viviane Sobania, fisioterapeuta formada pela Universidade Tuiuti do Paraná, é especialista em Pediatria e em Saúde da Mulher – Uroginecologia. Além de ser formada em Uropediatria e Disfunção Miccional na Infância e em Saúde Estética, Laser e Intradermoterapia Pressurizada.

Fonoaudiólogos se mobilizam para orientar cidadãos sobre a Saúde da Comunicação

Fonoaudiólogos se mobilizam para orientar cidadãos sobre a Saúde da Comunicação
Eventos gratuitos acontecem no Paraná e Santa Catarina no Dia do Fonoaudiólogo

Pedestres que circularem pelo Calçadão da Rua XV de Novembro, em Curitiba, no próxima sábado (7), das 9h até às 12h, terão acesso gratuito a orientações sobre a ‘Saúde da Comunicação e a Importância de se Comunicar Bem’. Profissionais Fonoaudiólogos irão atender os cidadãos dando dicas sobre diferentes áreas que envolvem as especialidades da Fonoaudiologia.

Entre os serviços de orientação está o iminente risco que os jovens mundo afora estão expostos ao utilizarem o fone de ouvido. Fonoaudiólogos especialistas em saúde auditiva farão o alerta e aproveitarão a oportunidade para dar dicas e sobre como usar um fone (volume), qual o tempo de uso adequado e quais os sintomas que devem ser levados em consideração, indicando que a audição eventualmente esteja sendo comprometida.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 1 bilhão de jovens no mundo correm risco de desenvolver problemas auditivos devido à exposição prolongada e excessiva a sons em volume alto, um problema que atinge 50% da população na faixa dos 12 aos 35 anos.

Para chamar a atenção da população sobre o assunto, a ação de sábado (7/12), que está sendo encabeçada pelo Conselho Regional de Fonoaudiologia 3ª Região (CREFONO3), vai inflar uma ‘orelha gigante’, em que as pessoas poderão visualizar os detalhes de como os ruídos podem causar lesões no aparelho auditivo.

Outra orientação que será repassada se refere ao ‘Trauma de Face’, muito comum em consequência de acidentes frontais nas estradas ou mesmo em quedas. Neste tema os especialistas vão orientar a população sobre a importância de se ter um Fonoaudiólogo na equipe de tratamento, como se deve exigir ou buscar por esse profissional e quais os as implicações para a comunicação do paciente após passar por esse processo de trauma.

“Um paciente nunca é igual ao outro e por isso a atuação do Fonoaudiólogo precisa ser específica e individualizada, fato que vai atender a necessidade de quem sofreu o acidente. O profissional, por exemplo, vai ajudar a restabelecer a mobilidade mandibular, evitando o surgimento de assimetrias ou limitações funcionais promovendo por diversas técnicas a estabilidade das funções respiração, mastigação, deglutição e fala”, destaca Talita Todeschini uma das Fonoaudiólogas que estará presente nas orientações.

Temas como Motricidade Orofacial (MO), Linguagem, Voz e Aleitamento Materno, também serão abordados. “Comunicar-se bem, é uma questão de saúde e o Fonoaudiólogo é o profissional que pode ajudar o cidadão a ter uma saudável comunicação ao longo da vida”, explica o presidente do Crefono3, Dr. Celso Luiz Gonçalves dos Santos Junior.

A ação que aborda a ‘Saúde da Comunicação e a Importância de se Comunicar Bem’ vai ocorrer em outras praças do Estado do Paraná e Santa Catarina. No Brasil, o Sistema de Conselhos também inicia no dia 9 de dezembro – Dia do Fonoaudiólogo, uma campanha que vai abordar o tema nos mesmos moldes e que levará o nome de “A Comunicação Muda o Mundo”.

Delegacia de Londrina

Data: 9/12, das 9h às 15h

Orientação: Uso adequado de fones de ouvido.

Onde: Calçadão do Cento da Cidade, em frente as Lojas Pernambucanas.

Gratuito

Data: 12/12

Também em Londrina haverá uma Sessão Solene na Câmara Municipal em comemoração ao Dia do Fonoaudiólogo com a presença da vereadora e Fonoaudióloga Daniela Ziober Sborgi.

Delegacia de Florianópolis

Data: 7/12, das 9h às 13h

Orientações: Saúde Auditiva, Trauma de face, Aleitamento Materno, Motricidade Orofacial (MO), Linguagem e Voz.

Onde: Calçadão Filipe Schmidt esquina com rua Álvaro de Carvalho, Centro de Florianópolis

Gratuito

Aplicativo premiado pelo Google e indicado pela ONU é implantado em empresas para integrar colaboradores com deficiência auditiva

Aplicativo premiado pelo Google e indicado pela ONU é implantado
em empresas para integrar colaboradores com deficiência auditiva
Cerca de 80% dos surdos têm dificuldade em ler e escrever uma língua e, por isso,
dependem da experiência visual com libras para comunicação

Dados da Organização Mundial da Saúde alertam que 900 milhões de pessoas no mundo poderão ter surdez até 2050. Isso representa quase o dobro do número atual e traz um grande alerta para maiores desafios no que se refere a falta da audição, deficiência que requer condições especiais para os portadores. A plataforma Hand Talk, aplicativo premiado pelo Google em R$5 milhões de créditos e consultoria do Google Cloud - que também já foi apontado pela ONU como o melhor “APP” social do mundo – afirma que “cerca de 80% dos surdos tem dificuldade em ler e escrever a língua escrita de seu país, pois a experiência de comunicação deles é extremamente visual”, assim como a Língua de Sinais.

A Hand Talk surgiu em 2012 e foi criada para traduzir/converter, em tempo real e de forma automática, os conteúdos digitais de texto e áudio para a Língua Brasileira de Sinais – Libras. As atuais opções oferecidas pela plataforma são duas: um aplicativo para tablet ou smartphone e uso individual ou um tradutor para sites, que pode tornar os conteúdos acessíveis para os surdos automaticamente. A plataforma tem a ajuda do Hugo, intérprete virtual em 3D que faz a tradução, ou seja: enquanto os vídeos e textos estão rolando por uma página, o Hugo está traduzindo simultaneamente no canto inferior direito da tela.

Desde a sua criação, o Hugo vem chamando a atenção de muitas pessoas físicas e empresários, que já contam com esse serviço de inclusão e acessibilidade nos seus portais. Esse é o caso do Grupo Risotolândia, empresa paranaense especializada em refeições coletivas, que acaba de inserir a Hand Talk em sua Universidade Corporativa – a UCR. De acordo com Kamille Dantas, gerente de RH do Grupo, as marcas da empresa são responsáveis pela produção de mais de 550 mil refeições diárias e, para isso, contam com um quadro de quase 5 mil colaboradores. “Temos uma equipe muito grande, nos seis estados que atuamos. E, cada um de nossos profissionais tem suas características e necessidades. É nosso dever atender a todas essas demandas. Estamos otimistas com a “amizade” entre e o Hugo e nossa equipe”, diz.

A gerente ainda complementa que além de agregar valor ao relacionamento com o colaborador, é lei. Está firmado na lei brasileira de inclusão nº 13.146, de 6 de julho de 2015, que “sítios da internet” mantidos por empresas com sede no país devem garantir acesso às informações disponíveis para uso da pessoa com deficiência. “É exatamente isso que estamos fazendo com a ajuda do Hugo. Além de incluir o portador de surdez na UCR, estamos incentivando que os colaboradores ouvintes do Grupo se familiarizarem com as Libras, valorizando essa importante linguagem”, finaliza Kamille.

COMPLEXO GASTRONÔMICO SOUQ  APOIA MARATONA DE CURITIBA

COMPLEXO GASTRONÔMICO SOUQ APOIA MARATONA DE CURITIBA
Espaço, com mais de 30 opções gastronômicas, garante descontos especiais para os mais
de 8 mil participantes da Maratona que acontece nesse domingo na capital

Nesse domingo, 17/11, acontece a Maratona de Curitiba. Cerca de 8.850 atletas vão competir as distâncias de 5, 10 ou 42 km solo ou duplas. Desse total de participantes, 3 mil são de outras cidades. A maratona vai premiar em dinheiros todos os campeões: categorias gerais, cadeirantes, pcd e melhor atleta curitibano.

O SOUQ Curitiba é um dos apoiadores de maratona, garantindo a todos os atletas descontos diferenciados para consumo no complexo gastronômico. Para validar o desconto de 10%, é necessário apresentar a medalha ou inscrição de participação e retirar a pulseira no caixa do estacionamento do complexo. São mais de 30 opções gastronômicas para curtir o domingo, afinal de contas, depois de correr tanto, todo mundo merece um descanso e momentos especiais.

Inscrições para a 4ª etapa da Corrida Clinipam já iniciaram no próximo dia 11

Inscrições para a 4ª etapa da Corrida Clinipam já iniciaram no próximo dia 11

Evento será no dia 1º de dezembro, no Parque Barigui, em Curitiba, e tem como objetivo estimular mudanças de hábitos para diminuir a obesidade infantil, além de promover integração com a comunidade

Crianças e adolescentes atletas que gostam de corrida de rua poderão se inscrever para a 4ª etapa da Corrida Clinipam - Circuito Infantil de Corridas de Curitiba, uma realização da Prefeitura com patrocínio da Clinipam. O período de inscrição vai de 11 a 21 de novembro, no próprio site da operadora (www.clinipam.com.br) e vale para os nascidos entre 2003 e 2010. As crianças que nascerem em 2011, 2012 e 2013 participam da corrida festiva e poderão se inscrever no dia da competição. O evento é gratuito e acontece em 1º de dezembro, a partir das 8h, no Parque Barigui (estacionamento da BR-277). Todos os participantes ganham medalhas e os primeiros colocados sobem no pódium.

Como nas edições anteriores, a expectativa é da participação de 2.500 crianças e adolescentes. A corrida Clinipam já se tornou uma tradição entre os pequenos que apreciam essa modalidade. A competição é uma forma de estimular a mudança de hábitos: a obesidade infantil atinge pelo menos cinco milhões de crianças com menos de cinco anos em todo o mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Além disso, dados de uma pesquisa do Ministério da Saúde em parceria com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), trazem informações alarmantes sobre a obesidade infantil: nas últimas quatro décadas, o número de crianças e adolescentes de até 17 anos com sobrepeso aumentou em 10 vezes, sendo 13% dos meninos e 10% das meninas, nessa faixa etária. O estudo, que contou com entrevistas por telefone, revela ainda que 53% dos brasileiros estão acima do peso e 45,8% praticam atividade física insuficiente.

Nesse sentido, o objetivo da Corrida Clinipam, segundo Cadri Massuda, diretor executivo da empresa de planos de saúde familiares e empresariais, é estimular a promoção da saúde, desde a infância. “Nosso foco não é tratar doenças, mas, acima de tudo, desenvolver programas capazes de melhorar a condição de saúde dos nossos beneficiários. Por isso criamos, há mais de 10 anos, o Centro de Qualidade de Vida (CQV) da Clinipam, uma unidade especializada para atendimento de pacientes com doenças crônicas. Nossa equipe multidisciplinar não mede esforço para melhorar a qualidade de vida e a sensação de bem-estar dos nossos clientes. E quando nos envolvemos em eventos como a corrida infantil, nossa intenção é estender nossas ações voltadas para a promoção da saúde, como fazemos no CQV, para toda a comunidade. Dentro do CQV, temos um Programa voltado à obesidade infantil, chamado de Mova-se”, explica Massuda.

O Programa é ofertado gratuitamente a pacientes em tratamento realizado pelo Ambulatório de Sobrepeso e Obesidade Infantil, da Unidade da Criança. Trata-se de mais uma frente da operadora paranaense no compromisso de atuar sob as premissas da medicina preventiva – desde a infância. “Não vale deixar os filhos apenas no sofá, em frente à televisão e fixados nos jogos eletrônicos. Esse estilo de vida prejudica a saúde das crianças, que devem fazer qualquer atividade física, sem maiores cobranças, para evitar problemas como a obesidade. Temos que cuidar e respeitar as fases de desenvolvimento e não cobrar desempenho esportivo de idades iniciais. O importante é se movimentar”, diz o preparador físico da Clinipam, Diego Mariano de Souza.

Taciana Bonete, gerente da Unidade Materno Infantil da Clinipam, enfatiza que, a médio e longo prazo, quando não tratada corretamente, a obesidade infantil pode causar ansiedade, irritabilidade e problemas sociais. “Buscar ajuda e mudar comportamentos melhora o sono, auxilia na imunidade e previne doenças mais sérias, como diabetes, pressão alta, problemas cardíacos e até mesmo alguns distúrbios psicológicos”.

Ação solidária

A 4ª etapa da Corrida Clinipam - Circuito Infantil de Corridas de Curitiba também incentiva a ajuda à comunidade com a doação de tênis (novos ou usados), como nas edições anteriores.

Dia Mundial do Veganismo: conheça essa filosofia de vida

Professora de nutrição explica que o veganismo contribui para a saúde e minimiza os impactos ambientais; o maior ponto de atenção é a vitamina B12, que precisa ser suplementada

No dia 1º de novembro, comemora-se internacionalmente o veganismo, filosofia de vida que prega o respeito a todos os animais. Para isso, os veganos evitam produtos de origem animal a todo custo, seja na alimentação, no vestuário, nos medicamentos, nos produtos de limpeza, entre outras áreas.

Foto: Marco Verch, Creative Commons 2.0.

“A opção por um estilo de vida vegano pode ser vista como uma adoção de filosofia de vida, pois pretende minimizar os impactos ambientais, preservar os animais e ter um estilo de vida mais saudável”, explica a coordenadora do curso de Nutrição do Centro Universitário Internacional Uninter, Thaís Mezzomo.

Ela esclarece que o veganismo é diferente do vegetarianismo, pois os vegetarianos não consomem carne na dieta, seja ela vermelha, branca ou de peixe, mas podem consumir produtos de origem animal, como ovos, leite, iogurte, manteiga, mel, entre outros. Diferentemente dos veganos, que não incluem produtos de qualquer origem animal nas refeições.

 “Os veganos apresentam menores índices de sobrepeso e obesidade, melhor controle da pressão arterial, melhor controle glicêmico e menores taxas de doenças crônicas não transmissíveis, tais como infarto agudo do miocárdio”, diz.

As fontes de proteínas na alimentação são as leguminosas (feijão, lentilha e grão-de-bico, por exemplo) e as oleaginosas (castanhas, nozes, amendoim). O único nutriente ausente desta dieta é a vitamina B12, pois só pode ser encontrada em produtos de origem animal. Para obtê-la, os veganos podem fazer suplementação e consumir produtos enriquecidos com ela, como leites vegetais.

Para aqueles que desejam tornar-se veganos, a professora recomenda acompanhamento nutricional. “Uma pessoa com hábitos alimentares ruins que decide tornar-se vegana sem uma reeducação alimentar pode ter cansaço, sonolência, queda de cabelo, dores musculares e enfraquecimento das unhas. Em casos mais graves, deficiências de proteínas e micronutrientes. Todos, veganos ou não, devem estar atentos à ingestão dos nutrientes necessários para um bom funcionamento do organismo”, explica.

Fabiano de Abreu dá dicas para combater a depressão no Jornal do Continente da Record News 

Fotos de: Reprodução / MF Press Global

Fabiano de Abreu dá dicas para combater a depressão no Jornal do Continente da Record News

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) a depressão deverá ser, até 2030, a segunda maior causa da perda de qualidade de vida no mundo. A depressão é uma doença que ainda é pouco compreendida e que afeta o estado de humor e reduz a capacidade de sentir satisfação ou prazer com as coisas da vida. Segundo a Associação Brasileira de Psiquiatria, a depressão acomete cerca de 15% dos brasileiros, com maior incidência entre pessoas de 20 a 30 anos e acima dos 60 anos.

Em entrevista ao Jornal do Continente, da Record News catarinense, o filósofo, escritor, jornalista e pesquisador Fabiano de Abreu define a importância de se perceber verdadeiramente do que se trata esta doença, como forma de evitar pré julgamentos equivocados: “Há quem diga que depressão é coisa da cabeça. No entanto, isso a meu ver, são pessoas que não compreendem nem a si mesmo e não tem a possibilidade, profissional e intelectual de compreender o que realmente é a depressão, e logo julgam de forma ansiosa e precipitada a questão”.

Durante a entrevista, Fabiano de Abreu trouxe 10 conselhos, aparentemente muito simples, que podem ser muito eficazes para prevenir e combater a depressão. Confira:

1 — Veja o lado positivo em tudo

Tudo na vida tem um lado positivo. Em todos os acontecimentos ruins têm um lado positivo, seja que agora ou lá na frente descobriremos. Basta um pouco de criatividade para encontrá-lo e assim buscar o alívio necessário para não sofrer.

2 — Resolva a sua tristeza

Resolva a sua tristeza para que ela não se potencialize e assim potencialize as demais tristezas e acumuladas dentro de si, de modo que se transforme em uma depressão.

3 — Resolva os seus problemas

Não protele os seus problemas. Nossos problemas existem para serem resolvidos.

4 — Tudo na vida passa

Tenha ciência e convicção de que tudo na vida passa. Não tome medidas impulsivas, já que tudo se transforma, se modifica.

5 — O passado já passou

Não se prenda ao passado. Viva o melhor presente para que no futuro tenha as melhores recordações.

6 — Autorreconhecimento

Faça um autorreconhecimento para saber lidar melhor com todo o universo que o faz ser o melhor de si.

7 — Desabafo de confiança

Desabafe sobre o que te incomoda ou deixa-te triste com pessoas da sua confiança. A opinião do outro pode ajudar ou causar alívio.

8 — Ocupe o seu tempo

Ocupe o seu tempo para cumprir as suas metas: sejam elas profissionais ou para o bem-estar físico.

9 — Aja agora

Não deixe para amanhã o que pode fazer hoje, ou o marasmo e a falta de acontecimentos e resultados poderão resultar em depressão.

10 — Transforme sentimentos e emoções

Use a sua ansiedade para ocupar o seu tempo com coisas úteis. Use a sua ira para transformá-la em criatividade, para assim obter novas conquistas. Deste modo, não terá tempo de pensar nas coisas ruins da vida e terá mais momentos felizes e de plenitude.

Assista a entrevista: https://youtu.be/HDbFyXhBRFI

Link: https://ndmais.com.br/videos/jornal-do-continente/filosofo-da-10-dicas-para-nao-entrar-em-depressao/

Curso gratuito de Técnico em Agente Comunitário de Saúde da UFPR recebe inscrições até 1º de novembro

Curso gratuito de Técnico em Agente Comunitário de Saúde da UFPR recebe inscrições até 1º de novembro

Estão abertas as inscrições para o curso técnico em Agente Comunitário de Saúde (TACS) da Universidade Federal do Paraná (UFPR), que é oferecido no Setor de Educação Profissional e Tecnológica (Sept), em Curitiba. O prazo segue até 17 horas do dia 1º de novembro e as inscrições são gratuitas.

O processo seletivo consiste na análise do histórico escola do 1º e 2º ano do ensino médio. Após preencher o formulário pelo site do Núcleo de Concursos (NC) (aqui: http://app.nc.ufpr.br/concursos_institucionais/pspet/pspet2020/inscricao.php), o candidato deve entregar a documentação exigida em edital até o dia oito de novembro na secretaria de cursos do Setor de Educação Profissional e Tecnológica (Sept).

São ofertadas 30 vagas para candidatos que já possuam ou irão concluir o ensino médio até o dia 31 de dezembro deste ano. As aulas serão ministradas no turno da manhã no Sept e o curso tem duração de dois anos.

Confira o edital aqui (http://portal.nc.ufpr.br/PortalNC/PublicacaoDocumento?pub=1301). Mais informações estão disponíveis na página do NC ou pelo e-mail sept.coord.tacs@ufpr.br

SERVIÇO
Curso Técnico em Agente Comunitário de Saúde
Período: abertas até 01/11/2019
Vagas: 30
Processo seletivo: sem provas – análise do histórico escolar do 1º e 2º ano do ensino médio
Inscrições: site do Núcleo de Concursos da UFPR (http://portal.nc.ufpr.br/PortalNC/Concurso?concurso=SEPT2020, mesmo hotsite do processo seletivo do Curso Técnico de Petróleo e Gás)
Entrega da documentação exigida: – até 08/11/2019 na secretaria de cursos do SEPT
Local das aulas: Setor de Educação Profissional e Tecnológica – Sept (R. Dr. Alcides Vieira Arcoverde, 1225, Jd. das Américas, Curitiba/PR)

Casos de sarampo avançam 1.044% no Paraná

Casos de sarampo avançam 1.044% no Paraná
Em 30 dias, os registros da doença em território paranaense cresceram assustadoramente segundo dados da Sesa

CURITIBA, 11/10/2019 – A Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (Sesa) acaba de divulgar um novo Informe Epidemiológico referente aos casos de sarampo. Cada vez mais alarmantes, os casos avançaram 1044% em apenas 30 dias, entre 10 de setembro e 10 de outubro. Agora, o Paraná já registra 103 casos confirmados da doença em 2019. Segundo o informe, a Região Metropolitana de Curitiba concentra quase a totalidade dos casos. Apenas em Curitiba, 80 pessoas estão infectadas.

O sarampo é uma doença considerada de contágio fácil, similar ao da gripe, com a transmissão feita por meio de tosse, fala ou contato íntimo. Outro fator que agrava as chances de epidemia é que um paciente contaminado pode transmitir o vírus para, em média, 18 pessoas. Entre os principais sintomas do sarampo estão manchas vermelhas na pele, tosse persistente, manchas brancas na parte interna da bochecha e irritação nos olhos. “As vacinas são consideradas um dos grandes avanços da medicina e salvam vidas todos os dias há mais de 200 anos. Doenças como o sarampo, já vencidas, retornam em surtos por conceitos equivocados de ‘movimentos antivacinas’, gerando um retrocesso na saúde”, explica o Dr. Aier Adriano Costa, clínico geral e coordenador médico da Docway.

A doença pode ocasionar febre, convulsões, infecções, conjuntivite, perda de apetite, diarreia e, em casos mais graves, até lesão cerebral e infecções no encéfalo. A enfermidade é considerada de maior risco para crianças menores de 5 anos, podendo causar meningite, encefalite e pneumonia. “Em casos mais graves, o sarampo pode ocasionar até a morte do paciente. Em locais onde a vacinação ainda não está implantada nos sistemas de saúde, a doença está entre as principais causas de morte de crianças de até 5 anos de idade”, afirma o médico.

Sem um tratamento específico, a única prevenção garantida é a vacinação. “A doença pode ser prevenida por meio da vacina tríplice viral contra sarampo, caxumba e rubéola. Uma dose gera imunidade em aproximadamente 93% dos vacinados. O emprego de duas doses possui eficácia de proteção em torno de 97%”, explica Deivis Junior Paludo do grupo Diagnósticos do Brasil. De acordo com a Sociedade Brasileira de Imunização e o Ministério da Saúde, a primeira dose deve ser aplicada aos 12 meses de vida e a segunda aos 15 meses, que pode ser substituída pela vacina tetravalente. “A vacina contra o sarampo é altamente efetiva e com certeza a melhor forma de prevenir a doença”, confirma o Dr. Aier.

Apesar de, na maioria dos casos, o diagnóstico do sarampo ser feito por meio de avaliação clínica, o especialista do Diagnósticos do Brasil ressalta que está disponível no mercado nacional o exame que identifica a doença. “Ele é realizado por meio da sorologia, que detecta a presença de anticorpos IgM e IgG específicos, com resultados em até 10 dias úteis”, explica Deivis.

Em 2016, o Brasil recebeu o certificado de erradicação do sarampo, emitido pela Organização Pan-Americana de Saúde, mas o título foi retirado em fevereiro deste ano após a verificação do surto ocorrido em 2018. O motivo da epidemia da doença é extremamente preocupante, pois se resume à redução da cobertura vacinal, proporcionando um ambiente populacional menos protegido ao vírus. Na cidade de São Paulo, por exemplo, a cobertura vacinal chegou a ser em torno de 100%, em 2014, mas caiu para 90% no ano passado.

“A vacina contra o sarampo integra o calendário nacional de vacinação, e é de extrema importância que a população retome seus cuidados em segui-lo à risca. Afinal, esta é a única maneira comprovada de se prevenir contra essa e muitas outras doenças que podem ter consequências graves”, reforça Deivis. O Ministério da Saúde indica que crianças de seis meses a um ano de idade, que vão se deslocar para municípios que apresentem surto ativo de sarampo, devem ser vacinadas contra a doença pelo menos 15 dias antes da data da viagem.

Adultos que ainda não foram imunizados contra o sarampo, também devem seguir as indicações das autoridades: pessoas de até 29 anos devem receber duas doses para a imunização. “Para a população entre 30 e 49 anos, o indicado é que recebam uma dose da vacina tríplice viral. A exceção fica para pessoas imunodeprimidas, acima 50 anos ou mulheres grávidas, que não devem tomá-la”, completa o Dr. Aier.