Conheça os mitos e verdades sobre a imunização do público infantil contra a COVID-19

Maior hospital exclusivamente pediátrico do país recomenda a vacinação e ressalta que essa medida é essencial para proteger a vida e a saúde das crianças
Foto: Marieli Prestes/Hospital Pequeno Príncipe
Foto: Marieli Prestes/Hospital Pequeno Príncipe
Curitiba, 25 de janeiro de 2022 – O Pequeno Príncipe, maior hospital exclusivamente pediátrico do país, recomenda a vacinação do público infantil contra a COVID-19 e ressalta que essa medida é essencial para proteger a vida e a saúde das crianças. Diante das dúvidas de pais e responsáveis sobre a vacina para a faixa etária de 5 a 11 anos, a coordenadora do Centro de Vacinas Pequeno Príncipe, Heloisa Ihle Giamberardino, explica que as vacinas são completamente seguras e altamente eficazes para proteger as crianças e os adolescentes.

“Além de proteger a criança contra a COVID-19 – a partir dos 5 anos, as crianças apresentam uma melhor resposta imunogênica [produção de anticorpos] –, a vacinação também tem um efeito na saúde mental, à medida que, estando protegidas, as crianças poderão retomar as suas atividades normais, a sua convivência social, com mais segurança”, destaca a pediatra e imunologista.

Estatísticas mostram que o Brasil é o segundo país com mais óbitos infantis causados pelo coronavírus no mundo. Desde o início da pandemia, mais de 300 óbitos de crianças com idade entre 5 e 11 anos foram registrados em território brasileiro. O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) divulgou uma nota na qual diz que nenhuma outra doença imunoprevenível matou tantas crianças e adolescentes em 2021 quanto a COVID-19. No Pequeno Príncipe, os casos voltaram a subir em 2022, só nos primeiros 20 dias, 291 crianças foram diagnosticadas com a COVID-19, um aumento de 50% em relação a junho do ano passado, mês em que se registrou a maior ocorrência da doença, com 193 casos.

A especialista também lembra que a vacinação é um direito das crianças e dos adolescentes, assegurado pelo Estatuto da Criança e do Adolescente. “Vacinar é um ato de amor ao seu filho, ao filho dos outros e de toda a sociedade porque não recebemos vacinas apenas para a proteção individual, mas também para a proteção coletiva. Devemos sempre temer a doença e não a vacina.”

Para ajudar, as famílias com seus principais questionamentos, o Pequeno Príncipe elencou informações sobre o que é mito ou verdade em relação a imunização de crianças contra a COVID-19.

1- A vacina contra a COVID-19 para crianças é segura
VERDADE
Diversos estudos comprovam a segurança e a eficácia das vacinas em crianças. O imunizante da Pfizer, que começa a ser aplicado nas crianças brasileiras, foi aprovado pelas agências reguladoras dos Estados Unidos e da Europa, pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e também pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que é um órgão extremamente sério e competente no Brasil. A vacina foi testada em milhares de crianças, comprovando sua segurança e eficácia. Nos países em que a vacinação de crianças já está acontecendo, como os Estados Unidos, não há relatos de casos adversos de preocupação. A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e a Sociedade Brasileira de Imunização (SBIm) também recomendam a imunização. Na semana passada, a vacina CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan, também recebeu aprovação da Anvisa para ser utilizada em crianças na faixa etária entre 6 e 17 anos de idade. Esse imunizante possui também um excelente perfil de segurança, além de ser produzido com tecnologia já muito bem estabelecida, sendo uma excelente opção para contribuir no quantitativo de doses necessárias para serem disponibilizadas às crianças.

2- É melhor meu filho ser imunizado contra a COVID-19 pegando a doença do que tomando a vacina
MITO
Ao contrair a doença natural, a produção de anticorpos ocorre, mas por tempo limitado e indefinido, além de expor a criança a uma série de complicações, como a Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P), que afeta vários órgãos e sistemas do corpo, podendo levar a óbito. A vacinação, segundo os especialistas, ajuda a evitar que as crianças adoeçam gravemente, mesmo que contraiam a doença.

3- A vacina contra a COVID-19 altera o DNA das crianças
MITO
Existem muitas fake news circulando a respeito da vacinação, e uma dessas falsas notícias é que a vacina altera o DNA da criança. Essa informação não tem base científica. A vacina da Pfizer possui uma plataforma de RNA que é uma substância que circula no citoplasma da célula. Nosso código genético, ou seja, nosso DNA, localiza-se nos núcleos das células, portanto tal informação não possui nenhuma plausibilidade biológica, e nenhuma vacina tem esse poder.

4- A vacina contra a COVID-19 para crianças dá reação
DEPENDE
Assim como nos adultos e também como nas demais vacinas do Programa Nacional de Imunização (PNI), algumas crianças podem ter reações, e outras não. Geralmente, as reações mais comuns nas crianças ao receberem uma vacina são febre baixa e dor no local da aplicação, mas apresentam curta duração.

5- A vacina contra a COVID-19 dá problema no coração das crianças
MITO
As crianças que são infectadas pelo coronavírus possuem de 10 a 17 vezes mais chances de desenvolver uma miocardite do que as que tomam a vacina. O risco de ocorrência de miocardite em crianças na faixa etária entre 5 e 12 anos é, em média, de um caso para um milhão de doses. Mesmo que venham a desenvolver essa complicação em função do imunizante, ela se apresenta de forma muito mais branda e com uma evolução melhor do que a causada pelo vírus, sem sequelas e autolimitada.

6- Com a vacina, meu filho pode deixar de usar máscara e álcool em gel e de manter distanciamento social
MITO
Mesmo vacinados, adultos e crianças precisam continuar usando máscara, fazendo a higienização correta e frequente das mãos, utilizando álcool em gel e mantendo distanciamento, especialmente neste momento da pandemia, em que a variante Ômicron está predominando no cenário pandêmico. A variante Ômicron tem uma transmissibilidade muito elevada, o que aumenta as chances de contaminação se os cuidados não forem mantidos e associados à vacinação.

7- A criança não deve receber outra vacina no mesmo dia em que for imunizada contra a COVID-19
VERDADE
Neste primeiro momento, a recomendação do Ministério da Saúde é manter o intervalo de 15 dias entre as vacinas do Programa Nacional de Imunizações (PNI), apenas como uma medida de cautela e de melhor avaliação de eventuais eventos adversos. Em criança que apresentou COVID-19, o intervalo recomendado é de 30 dias para vacinação após o fim da quarentena.

Para mais informações, pais e responsáveis também podem acessar a live do infectologista e vice-diretor técnico do Pequeno Príncipe, Victor Horário, no canal da instituição no YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=MymenDhv76w

Sobre o Pequeno Príncipe
Com sede na capital paranaense, o Pequeno Príncipe é uma instituição filantrópica, sem fins lucrativos, que oferece assistência hospitalar há mais de 100 anos para crianças e adolescentes de todo o país. Disponibiliza desde consultas até tratamentos complexos, como transplantes de rim, fígado, coração, ossos e medula óssea. Oferece atendimento em 32 especialidades, com equipes multiprofissionais especializadas. Com 384 leitos, sendo 68 em UTIs, realiza 60% dos atendimentos a pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). Em 2020, mesmo com a pandemia de coronavírus, foram realizados 159 mil atendimentos e 12 mil cirurgias que beneficiaram meninos e meninas do Brasil inteiro.

Pacientes pós-covid precisam cuidar da saúde do coração antes de retomar as atividades físicas

Especialista do Pilar Hospital comenta os cuidados que os pacientes devem ter antes de praticar exercícios físicos

Curitiba, novembro de 2021 – A pandemia deu uma trégua, mas quem sofreu com a doença precisa tomar alguns cuidados antes de retomar a rotina de atividades físicas. É o que explica o médico cardiologista do Pilar Hospital, Dr. José Carlos Tarastchuk.
Segundo ele, uma das preocupações, neste momento, é com os pacientes pós-covid que pretendem retomar as atividades físicas. “Por essa ser uma doença viral ela pode causar, como efeitos indesejados, outros problemas para o corpo, como a miocardite, que é uma inflamação do músculo do coração, e uma maior predisposição à doença coronariana, justamente pelo estado pró-trombótico, que é uma chance maior de formação de trombos naqueles que foram infectados”, comenta.

Cuidados antes de retomar a prática de atividades físicas
Os cuidados se diferenciam de acordo com grau de intensidade vivenciado pelo paciente durante a sua contaminação e tratamento: leve, moderado, grave. De acordo com cada histórico, o cardiologista conta que será necessário um tipo de avaliação e exames diferenciados. Mas uma coisa é certa: todos precisam passar por uma avaliação cardiológica e, no mínimo, fazer um eletrocardiograma antes de se aventurar novamente nas atividades físicas. “É importante estar consciente da necessidade de uma consulta completa e, ao menos, passar por um eletrocardiograma, isso tudo porque exercícios vigorosos podem levar a um comprometimento grave do coração e, inclusive, mas raramente, a morte súbita em indivíduos mais suscetíveis, principalmente, naqueles que já têm uma doença cardíaca subjacente que ainda não foi diagnosticada”, avalia.

Pacientes pós-covid leve ou moderada
Para os pacientes que tiveram a versão leve da doença, que não necessitaram de internação, fizeram o tratamento em casa, orientamos passar pela avaliação cardiológica e fazer um eletrocardiograma. A depender do tipo de atividade física que irá realizar esses são exames suficientes para uma prática mais segura, principalmente, para aqueles que se dedicam atividades mais recreativas. “Para quem teve covid moderada é preciso incluir um teste ergométrico ou até mesmo o exame ergoespirométrico (aquele realizado com máscara), antes de uma liberação para se exercitar”, explica.

Casos graves e atletas de alto rendimento requerem mais cuidados
Se o paciente teve a versão mais grave da doença, precisou ficar internado e intubado, além dos exames iniciais precisa também realizar o teste ergoespirométrico e uma ressonância nuclear magnética antes de reiniciar a atividade física. “O mesmo vale para os atletas de alta performance, independentemente se passaram pela covid leve, moderada ou grave, é preciso fazer exames mais detalhados para ter segurança de que a prática da atividade física será segura. Além disso, quando ficar evidenciado a ocorrência de miocardite, o paciente deverá aguardar, pelo menos, uns três meses para uma nova avaliação e liberação médica”, comenta.

Acompanhamento pós-covid

Uma das facilidades para os pacientes que passarão pela avaliação cardiológica é poder fazer seus exames e contar com o apoio da CEDIP, uma das instituições de Exames e Diagnósticos de Imagens mais tradicionais da capital paranaense, que atua de forma integrada com o Pilar Hospital em Curitiba. Além disso, o hospital criou, no mês de julho, um Centro de Cuidados Pós-Covid para dar suporte e oferecer um acompanhamento ainda mais especializados para os pacientes pós-contaminados. Mesmo após a alta hospitalar, alguns pacientes apresentam sequelas, como redução da força e resistência muscular, disfunção respiratória e comprometimento da mobilidade, por exemplo.
O Centro de Cuidados Pós-Covid auxilia no tratamento dessas e outras sequelas e está preparado para dar uma assistência completa ao paciente e auxiliar no processo de recuperação. A unidade está localizada ao lado da Instituição, na Rua Emílio de Menezes, 833 - 2º andar, em Curitiba (PR).

Pacientes pós-covid precisam ficar atentos aos sintomas que exigem continuidade no tratamento

Síndrome pós-Covid: Pilar Hospital alerta para a importância de buscar tratamento

Curitiba, outubro de 2021 – Redução da força e resistência muscular, disfunção respiratória e comprometimento da mobilidade são alguns exemplos de sequelas que podem ocorrer em pacientes que foram contaminados pela covid-19. E a recuperação, muitas vezes, passa por um processo delicado e que exige uma série de cuidados especiais. Segundo o pneumologista do Pilar Hospital, Dr. Daniel Bruno Takizawa, os principais sintomas da chamada “síndrome pós-Covid” são: fadiga, falta de ar, tosse, dor torácica, dor nas articulações, dificuldade para se concentrar e dor de cabeça
“Estes sinais podem acometer tanto pacientes que tiveram casos leves, que não necessitam de internação, quanto casos graves. Caso esses sintomas persistam após a fase aguda, é melhor procurar um médico especialista para realizar exames complementares, como tomografia de tórax ou outros mais específicos”, explica.
O especialista explica que é difícil estimar uma porcentagem de pacientes que passam por essas complicações, pois os estudos mostram grandes variações. “Sabemos que quanto mais grave for a Covid, maior a chance de o paciente ter a síndrome. O problema pode acometer pacientes todas as idades, sendo mais comum em idosos”, relata.
A coordenadora de fisioterapia do Pilar, Emmanuelle Monteiro Groszewicz, afirma que há uma tendência de pacientes que se recuperaram em desenvolver fibrose nos pulmões, ou seja, doença que causa lesão e cicatrização do tecido pulmonar, o que dificulta a respiração e afeta a qualidade de vida, podendo levar à óbito. Ela explica que essa é uma doença crônica com alta taxa de mortalidade, que causa uma destruição difusa, progressiva e irreversível do pulmão, causada por uma cicatrização que leva à perda da função pulmonar, pois impede a troca gasosa. Essa cicatriz, por fim, é oriunda de um processo inflamatório grave e acomete cerca de 2% dos pacientes que tiveram covid-19. “O tratamento é realizado através de medicação e exercícios para melhorar a capacidade pulmonar e ainda retardar a evolução da doença. A reabilitação é feita para aliviar os sintomas, melhorar a qualidade de vida e consequentemente a oxigenação pulmonar”, diz a fisioterapeuta. A profissional conta que o transplante de pulmão é a única solução de cura. Os sintomas são dispneia (falta de ar), tosse seca, cansaço e perda de peso sem causa aparente.
A procura pelo profissional fisioterapeuta, segundo a Emmanuelle, deve ocorrer a partir do momento em que o paciente não consegue mais realizar algumas atividades que fazia anteriormente sem dificuldades, ou ainda quando sente algum cansaço para realizá-la. Até mesmo coisas simples, como subir um lance de escada ou andar uma quadra.
Centro de Cuidados pós-covid
Para prestar uma assistência ainda mais completa ao paciente e auxiliar no processo de recuperação, o Pilar Hospital inaugurou o seu Centro de Cuidados Pós-Covid, localizado ao lado da Instituição (na Rua Emílio de Menezes, 811 - 3º andar). O local tem como objetivo disponibilizar um serviço de saúde para a readequação físico-funcional e a reintegração dos pacientes por meio da reabilitação pulmonar. O espaço é exclusivo a esse público e conta com diferentes especialidades e serviços. Os que tiveram diagnóstico confirmado de Covid-19 deverão ligar para a Central de Atendimento (41 3072-7272) e solicitar o ambulatório de Cuidados Pós-Covid para agendamento da consulta inicial. O atendimento pode ser realizado em caráter particular ou via convênio.

Accor estimula vacinação entre os colaboradores

Empresa, pioneira no lançamento do selo de segurança ALLSAFE no início da pandemia, sai na frente mais uma vez ao anunciar ação que tem como objetivo garantir a segurança do cliente e de todo quadro de colaboradores

2==QZhhzM2MmOyJmLt92YuEmcyVGdAlGbsV2Y1xWYtF2czVmbhZnO3MzM4IDMzEzN6cWZwpmL39GbzMTMxUjM3kTY1ETNmNDNyUzY3ITNyM2YiJDZ1YWYyYjRyUSYyYjRyUyNyIDNGJTJ2IjNxEzXtUTMt8VbvNmLyBXbtkmRyUiRyUSQzUycwRHdopzM
ibis São Paulo Paulista, um dos hotéis da Accor com vacinômetro para incentivar seus colaboradores quanto a importância da vacinação contra a COVID-19

A Accor sai na frente mais uma vez no setor hoteleiro no combate à pandemia da Covid-19. A empresa, que no início da crise sanitária global foi pioneira em mostrar aos clientes que seus hotéis são ambientes seguros, agora anuncia mais uma medida nessa missão. No mês de agosto, gestores de 180 hotéis de marcas operadas pela Accor no país receberam um termo de compromisso para ser assinado por todos os colaboradores de cada unidade.

O documento engaja o colaborador nessa missão e informa que deve manter sua carteira de vacinação em dia, principalmente com vacinas contra doenças contagiosas, incluindo a Covid-19 e suas variantes. O termo ainda esclarece que o gestor do hotel pode pedir para qualquer colaborador a apresentação da carteira de vacinação como comprovação para que todos à sua volta e hóspedes estejam mais seguros dentro dos hotéis da operadora.

"O objetivo aqui é garantir ao nosso cliente que os hotéis são 100% seguros, além de dar segurança ao próprio colaborador ao ter contato com outros colegas no ambiente de trabalho adequado", explica Daniel Battistini, Gerente de Relações do Trabalho & Sindicais na Accor Brasil.

6==wN3I2NlljOyJmLt92YuEmcyVGdAlGbsV2Y1xWYtF2czVmbhZnO3MzM4IDMzEzN6cWZwpmL39GbkZWM0QWN0cTOjBTYhNTMjFjN0EWOmljM2U2MjZWO0UmRyUSO0UmRyUyNyIDNGJTJ2IjNxEzXtUTMt8VbvNmLyBXbtkmRyUiRyUSQzUycwRHdopTN
Vacinômetro do ibis São Paulo Paulista

"Até o momento, a aceitação por parte dos colaboradores tem sido surpreendente, o que nos enche de orgulho do nosso time. Mais de 6.500 profissionais que atuam na linha de frente dos hotéis da Accor assinaram o termo. O índice de não engajamento até agora não chega a 0,5%, bem abaixo de outras ações internas, até menos expressivas", contabiliza o executivo.

O termo de compromisso que aborda a questão de vacinação compõe um código interno chamado "Regras do Jogo". Trata-se de um guia de conduta para que os colaboradores se integrem à cultura de serviços da Accor. O documento define regras claras para que todos trabalhem com disposição, bem-estar, segurança e responsabilidade. O material, disponibilizado a todos os colaboradores da empresa, aborda questões diversas como o uso de armários e vestiários, crachás e uniformes, segurança e proteção, primeiros socorros, saúde e segurança no trabalho, entre outros pontos que são importantes na convivência das equipes e bem-estar do cliente.

Para motivar ainda mais seus colaboradores quanto ao avanço da vacinação contra a Covid-19, alguns hotéis da Accor adotaram ações individuais internas como a elaboração de vacinômetros, indicando quantos colaboradores tomaram a primeira dose ou quantos completaram seu primeiro ciclo vacinal contra a doença. "Não queremos impor a vacinação, mas sim conscientizar a todos que esse é o caminho para vencermos mais essa batalha, juntos", finaliza Battistini.

Selo ALLSAFE

O cuidado em garantir ao cliente que seus hotéis são ambientes seguros é uma preocupação da Accor desde o início da pandemia do novo coronavírus. Em 2020, a empresa foi a primeira do setor de turismo no mundo a anunciar a criação de um selo de segurança, que garante que os hotéis operados pela marca são ambientes limpos, seguindo os mais rígidos padrões de limpeza exigidos por órgãos competentes no Brasil e no mundo.

Atualmente todos os serviços ofertados pelos hotéis Accor contam com a garantia do ALLSAFE, selo exclusivo de limpeza, sanitização e segurança da Accor. Os padrões globais do ALLSAFE foram desenvolvidos e aprovados pela Bureau Veritas. A certificadora internacional segue as diretrizes dos órgãos sanitários, auditando e revisando documentos, inspecionando remota ou presencialmente a implementação das ações de biossegurança, assim como fazendo a emissão do certificado ALLSAFE - Bureau Veritas.

Para download de imagens, clique aqui.

Acesse a nossa press room para mais informações sobre a Accor e as suas marcas, clique aqui.

Sobre a Accor

A Accor é um Grupo líder global em hospitalidade, composto por mais de 5.100 propriedades e 10.000 locais de comidas e bebidas em 110 países. O grupo tem um dos ecossistemas de hospitalidade mais diversificados e totalmente integrados do setor, abrangendo marcas de luxo e premium; ofertas de classe média e econômica; conceitos de estilo de vida exclusivos; locais de entretenimento e vida noturna; restaurantes e bares; residências privadas de marca; propriedades de acomodação compartilhada; serviços de concierge; espaços de co-working e muito mais. A Accor também possui um portfólio incomparável de marcas distintas e aproximadamente 260.000 membros de equipe em todo o mundo. Mais de 68 milhões de membros se beneficiam do abrangente programa de fidelidade da empresa ALL - Accor Live Limitless - um companheiro de estilo de vida diário que oferece acesso a uma ampla variedade de recompensas, serviços e experiências. Por meio das iniciativas Planeta 21 - Acting Here, Accor Solidarity, RiiSE e ALL Heartist Fund, o grupo está focado em impulsionar ações positivas por meio da ética nos negócios, turismo responsável, sustentabilidade ambiental, engajamento comunitário, diversidade e inclusão. Fundada em 1967, a Accor SA está sediada na França e listada publicamente na Bolsa de Valores Euronext Paris Stock Exchange (código ISIN: FR0000120404) e no Mercado OTC (Ticker: ACCYY) nos Estados Unidos. Para obter mais informações, visite o site group.accor.com ou siga a Accor no Twitter, Facebook, LinkedIn e Instagram.

Livraria da Vila dá desconto para quem já tomou vacina contra a Covid-19

Consumidores que apresentam a carteira de vacinação contra Covid-19 tem direito a desconto de 20% na compra de livros. Ação acontece nos próximos dois finais de semana em todas as unidades da rede em São Paulo, Curitiba, Guarulhos, Londrina e São Caetano do Sul

downloadAttachment&Message%5Buid%5D=216482&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253CCP2P15201MB246693466346FFFCCA987029A5C19%2540CP2P15201MB2466.LAMP152.PROD.OUTLOOK.COM%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3CCP2P15201MB246693466346FFFCCA987029A5C19%40CP2P15201MB2466.LAMP152.PROD.OUTLOOK.COM%3E-1.2

Fotos em alta: https://drive.google.com/drive/u/2/folders/1hK1IYUCmcmSgSLacUjMRabWXU3itW36Z

Em apoio à campanha de vacinação contra Covid, a Livraria da Vila lançou a campanha “Vacina sim!” para ressaltar a importância da vacinação no enfrentamento da pandemia no país. Nos próximos dois finais de semana (dias 21 e 22/08 e 28 e 29/08), os consumidores que já tiverem sido vacinados contra Covid-19 ganharão 20% de desconto na compra de livros em qualquer uma das 14 unidades da Vila em São Paulo, Curitiba, Guarulhos, Londrina e São Caetano do Sul. Para usufruir do desconto, basta apresentar a carteira de vacinação com ao menos uma dose.

Lançada no último sábado, dia 14 de agosto, a promoção acontece sempre aos finais de semana. Como efeito, o movimento gerou 20% de aumento de público no final de semana. Com o lema “vacinar é cuidar do outro também”, a campanha vale para todos os livros disponíveis em estoque nas unidades da Vila (exceto didáticos).

SERVIÇO
Campanha Virada da Vacina Livraria da Vila
Período: todos os finais de semana até 29/08/2021
Local: Unidades físicas da Livraria da Vila em Curitiba, Guarulhos, Londrina, São Caetano do Sul e São Paulo
Observações: Desconto de 20% válido a cada compra, para aquisição de livros disponíveis em estoque nas lojas físicas da Livraria da Vila. Não aplicável a livros didáticos. Promoção não cumulativa com outros descontos. Necessária apresentação da carteira de vacinação da Covid-19 original no momento da compra.

Sobre a Livraria da Vila - Com 36 anos de mercado, a Livraria da Vila conta com doze lojas na Grande São Paulo e duas no Paraná. Consolidada como referência no cenário editorial, busca cada vez mais apresentar-se como um local acolhedor, receptivo e democrático, tornando-se ponto de encontro dos amantes dos livros, da literatura, da música e das artes. Muito mais do que um lugar que reúne grandes obras da literatura – são mais de 200 mil títulos em seu acervo, continuamente atualizado –, a Livraria da Vila se preocupa em participar ativamente das comunidades que cercam suas unidades. Em tempos normais, sem pandemia, todos os dias, os mais variados eventos são oferecidos gratuitamente ao público: palestras, rodas de conversa, pocket shows, clubes de leitura e atividades infantis diversas compõem uma programação para lá de especial. Neste momento, a rede conta com uma programação de lives no Instagram com autores e personalidades do universo literário que falam de seus lançamentos e debatem temas diversos em um bate-papo conduzido por Samuel Seibel, presidente da Vila.

Alimentação rica em nutrientes pode minimizar sequelas cognitivas causadas pela Covid-19

De acordo com o levantamento do Incor, 80% dos pacientes que enfrentaram a infecção viral tiveram problemas, como a perda de memória

Renata Guirau, nutricionista do Oba Hortifruti, destaca a importância de incluir alimentos ricos em ômega-3, antioxidantes e vitaminas para auxiliar na recuperação

Em fevereiro deste ano, o Instituto do Coração do Hospital das Clínicas (Incor), da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), realizou um estudo com pacientes recuperados da Covid-19. De acordo com o levantamento, foi possível identificar sequelas cognitivas em 80% dos avaliados, como a perda de memória recorrente.

Renata Guirau, nutricionista do Oba Hortifruti, explica que a infecção viral pode afetar o sistema neurológico, trazendo a confusão mental e, consequentemente, a falha na memória. Apesar de não haver uma estratégia comprovada para auxiliar os problemas posteriores causados pelo coronavírus, a alimentação rica em nutrientes pode auxiliar o corpo na recuperação.

“O consumo adequado de nutrientes ajuda na recuperação de um modo geral. Isso porque a nutrição reduz o estresse oxidativo e, no que diz respeito à atividade cerebral, garante a saúde das células relacionadas à memória por mais tempo”, explica.

De acordo com a nutricionista, é importante buscar alimentos ricos em ômega-3, visto que essa gordura - presente principalmente nos peixes - ajuda na formação de uma camada importante na estrutura dos neurônios e, portanto, é indicada que o seu consumo seja frequente.

Os compostos com ação antioxidante também favorecem a saúde das células do sistema nervoso central. Para as pessoas que sofrem com a perda de memória, é interessante incluir legumes e verduras no dia a dia das refeições.

“Quando o assunto é o cuidado com o cérebro, frutas como o morango, uva roxa e melancia são uma excelente opção. Esses alimentos são fontes de antocianinas, resveratrol e licopeno, respectivamente. Todas elas trazem efeitos positivos para a nossa mente”, destaca Renata.

Além disso, a vitamina B12, presente em grande quantidade nas carnes e nos ovos, está muito associada à saúde cerebral. Por essa razão, é importante avaliar a necessidade de suplementação para vegetarianos e veganos.

Com base nas informações passadas pela nutricionista, é possível concluir que alguns alimentos podem ser benéficos para minimizar as probabilidades de perda de memória. Contudo, também é importante destacar que há vilões no que diz respeito aos cuidados com a mente. Um deles, muito presente no nosso dia a dia, é o açúcar. Portanto, Renata alerta: é necessário dosar a quantidade.

“Já é bem definido pela ciência que o consumo frequente de açúcar pode favorecer doenças neurológicas, como o Alzheimer. Isso porque, quando em excesso, há o aumento do estresse oxidativo no nosso organismo, que prejudica diversos sistemas e funcionalidades internas”, pontua.

Saudabilidade
O consumo adequado de nutrientes gera um sistema nervoso saudável, principalmente a longo prazo. Quando há a busca por alimentos ricos em vitaminas, o sistema imune é favorecido. Esse hábito, segundo Renata, pode reduzir inflamações causadas pela Covid-19.

O consumo de proteínas e vegetais, durante o processo da infecção viral e no momento de recuperação após a doença, também é extremamente indicado para manter a saudabilidade do corpo. Porém, é fundamental estar atento aos casos mais graves do coronavírus. “Quando é necessário fazer reabilitação pulmonar, precisamos adequar a quantidade de calorias ingeridas, assim como o total de proteínas, para auxiliar na recuperação da massa muscular perdida e, também, na melhora da função pulmonar”, informa.

Algumas outras estratégias, segundo a nutricionista, também são bem-vindas, já que a Covid-19 é uma doença que afeta diversos órgãos. Portanto, o consumo de nutrientes que ajudam na melhora da coagulação, na função renal e hepática que podem ficar prejudicadas, deve ser avaliado junto com profissionais da área.

SOBRE O OBA HORTIFRUTI
A rede é referência em qualidade e variedade de produtos, e oferece diariamente um atendimento mais próximo, que prioriza o relacionamento com o cliente, garantindo o equilíbrio perfeito entre sabor e saúde para a vida das pessoas. Acredita que reunir a família e os amigos ao redor da mesa é um momento gostoso e saudável. Referência em saudabilidade e prazer em comer bem, O Oba é fonte para quem deseja manter uma boa alimentação.

A rede já foi premiada duas vezes pela Folha de S. Paulo, na pesquisa Top Of Mind, como a marca mais lembrada pelos brasileiros na categoria hortifruti, pela edição da revista Veja Comer & Beber, como o estabelecimento mais amado pelos paulistanos e também no ranking IBEVAR – FIA 2020, como uma das empresas mais eficientes do varejo brasileiro.

Atualmente, a marca possui mais de 60 lojas espalhadas pelos Estados de São Paulo, Goiás e Distrito Federal. Com mais de 40 anos de história, o Oba expandiu sua atuação no mercado com setores de frios e laticínios, açougue, adega, mercearia, importação própria, pré-lavados, lanchonete, floricultura, padaria e restaurante, que complementam o setor de hortifruti.

Como suporte para o processo de recuperação dos pacientes que enfrentaram o coronavírus, a nutricionista indica quatro receitas saborosas, fáceis e nutritivas que auxiliam na funcionalidade do corpo. Confira:

*Crédito das imagens das receitas: Divulgação

Salada de bacalhau com endívias
Ingredientes:
100g de endívias
2 xícaras de chá de salada de bacalhau Oba
2 colheres de sopa de creme de ricota ou cream cheese

Preparo:
1) Abra as folhas de endívia em uma travessa;
2) Espalhe uma pequena quantidade de creme de ricota ou cream cheese em cada folha;
3) Recheie com a salada de bacalhau Oba e sirva em seguida.

Pasta de avelã caseira com morangos
Ingredientes:
1 xícara de avelãs sem casca
1 colher de sopa de cacau em pó
2 xícaras de tâmaras sem caroço

Preparo:
1) Deixe as tâmaras picadas de molho por 30 minutos;
2) Bata as avelãs no liquidificador até formar uma farinha;
3) Acrescente o cacau em pó e as tâmaras hidratadas;
4) Bata até formar uma pasta. Se necessário, acrescente um pouco de água (o mínimo possível).
5) Corte os morangos ao meio e decore com uma pequena porção da pasta de castanhas.

Smoothie de uva com açaí

Ingredientes:
1 xícara de chá de uvas roxas com casca
1 xícara de chá de polpa de açaí
1 xícara de chá de banana picada congelada
2 colheres de sopa de mel

Preparo: bata tudo no liquidificador e sirva em seguida

Carne louca de pernil
Ingredientes:
1 kg de pernil suíno sem osso
2 tomates cortados em tiras
Suco de 2 limões
1 xícara de pimentão verde cortado em tiras
3 dentes de alho amassados
1 cebola cortada em tiras
½ xícara de cheiro verde picado
3 colheres de sopa de azeite
Orégano e sal a gosto

Preparo:
1) Corte a carne em fatias finas;
2) Tempere com sal, orégano, o azeite e o limão e deixe na geladeira por pelo menos duas horas;
3) Misture o tomate, o alho, a cebola e o cheiro verde à carne temperada;
4) Leve para a panela de pressão e cozinhe até que a carne fique bem macia (cerca de 50 minutos);
5) Retire da panela e termine de desfiar a carne;
6) Recheie tortas, sanduíches ou use como acompanhamento de saladas e batatas cozidas.

Apras lança Campanha #SuperUnidos contra a Covid-19

Os supermercados paranaenses estão engajados na Campanha #SuperUnidos contra a Covid-19, criada pela Apras (Associação Paranaense de Supermercados) com o objetivo de promover a conscientização e divulgar as medidas de combate ao coronavírus. A entidade desenvolveu uma comunicação clara, concisa e informativa direcionada tanto para os consumidores quanto para os colaboradores das lojas.

A Campanha #SuperUnidos foi desenvolvida pela Agência Zero para selar uma parceria entre a Apras e a Prefeitura Municipal de Curitiba, mas, devido à importância da ação, ela também será direcionada para todo o Paraná.

Os materiais da campanha estão disponíveis em vários formatos para que as lojas fixem os comunicados em diversos pontos estratégicos, como vestiários e frentes de caixa. O conteúdo também será postado nas redes sociais da Apras para intensificar os cuidados e incentivar o engajamento.

“Desde o início da pandemia, os supermercados estão unidos e engajados no combate ao Coronavírus, por isso, decidimos criar uma campanha que mostre o quanto é fundamental a união das lojas e dos consumidores para vencermos esta guerra contra a Covid-19”, afirma o presidente da Apras, Carlos Beal.

Entre os cuidados que a Apras vai enfatizar na campanha estão:

Pedir para que vá apenas uma pessoa por família ao supermercado;
Uso adequado da máscara e do álcool-gel 70%;
Manter o distanciamento das pessoas, tanto nas filas quanto em outros ambientes;
Estimular os horários de menor fluxo;
Estimular as compras solidárias para as pessoas que não tenham como ir ao supermercado.

Dia Internacional do Aperto de Mão (21/6): “Soquinho” não é cumprimento ideal na pandemia

No ambiente corporativo, aperto de mão, que é sinal de confiança e negócio fechado, precisou ser ressignificado e deu lugar a novas formas de fortalecer vínculos e engajar

A pandemia da Covid-19 impôs novas formas de trabalho, convivência e até mesmo de cumprimentar as pessoas. O tão utilizado aperto de mão que já foi sinônimo de boas-vindas, confiança e negócio fechado também precisou ser deixado de lado. O gesto, que segundo historiadores, já é utilizado há mais de 3 mil anos, acabou se tornando um risco maior de contaminação pelo coronavírus. A maioria das pessoas acaba adotando o “soquinho” para substituir esse gesto que é sinônimo de reciprocidade e confiança. Mas, ele também pode ser um risco à saúde.

Os médicos alertam que as mãos oferecem muitos perigos porque “capturam” as bactérias e vírus presentes em objetos manipulados. “O habitual soquinho que substituiu o aperto de mão apresenta risco menor. Mas o ideal é que, quando as pessoas se encontrarem, usem o cotovelo para cumprimentar ou apenas um aceno. Ainda precisamos ter paciência e manter os cuidados para evitar a infecção pela Covid-19”, alerta o cardiologista do Hospital Marcelino Champagnat, Gustavo Lenci.

Home office

E se há um ambiente em que o aperto de mão era rotina é o ambiente corporativo. Em reuniões entre equipes, negociações com clientes, fechamento de parcerias. Essa foi só mais uma das adaptações impostas pela Covid-19. Em 16 meses de pandemia e de trabalho remoto o gesto precisou ser ressignificado e deu lugar a novas formas que profissionais e gestores encontraram para fortalecer vínculos e engajar a equipe.

Reuniões virtuais que funcionam como “momento do cafezinho”, grupo de conversas voltadas para o compartilhamento de momentos familiares, dicas de vinhos e, até mesmo, a fabricação caseira de biscoito com direito a entrega “pessoal” de lembranças na casa dos colaboradores, mesmo dos que moram em outros estados. Essas foram algumas das formas que o diretor de Auditoria Interna, Riscos e Compliance do Grupo Marista, Renato Lara, encontrou para se aproximar da equipe na pandemia. “No último Natal, eu e meu filho fomos vestidos de Papai Noel entregar biscoitos para todos os colaboradores da minha equipe. Chegamos a ir até São Paulo e foi muito recompensador. Nosso grupo no whatsapp, que já existia antes da pandemia para compartilharmos assuntos mais pessoais, acabou ganhando ainda mais força. É uma maneira que encontramos de estarmos próximos”, explica.

Já o diretor financeiro do grupo, Maurício Zanforlin, aposta na verbalização dos sentimentos, no aumento da frequência das conversas com a equipe e na empatia para tentar amenizar a falta do aperto de mão e do convívio presencial. “Nós precisamos ser mais sensíveis e flexíveis à realidade do outro. Expressar nossos sentimentos de confiança e de agradecimento com palavras ou até mesmo ‘emojis’, que ganharam ainda mais espaço no mundo virtual”, argumenta. “Os momentos de espiritualização sobre o nosso papel, e como podemos ser melhores, ganharam uma importância muito grande em nossos encontros on-line”, complementa.

Segurança emocional

Segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), mais de 7,3 milhões de profissionais estão atuando de forma remota no Brasil. Garantir a estrutura organizacional, equipe engajada e produtiva tem sido cada vez mais desafiador para os gestores. E agora as empresas se dedicam novamente a pensar em como será a rotina num possível formato de trabalho híbrido.

Os desafios são muitos, mas a clareza e a profundidade da comunicação, o fortalecimento dos vínculos, os momentos de descontração e de criatividade também podem ser prejudicados nesses processos ainda incertos. “Não existe fórmula mágica, mas as empresas precisam criar cada vez mais espaços de segurança psicológica que sirvam de alicerce para que os indivíduos possam expressar seus sentimentos e pensamentos. Para que consigam se sentir inteiros dentro da organização, vistos e ouvidos não apenas como colaboradores, mas como pessoas”, ressalta a gestora de talentos do grupo, Lucia Lima Coelho.

Sobre o Grupo Marista

O Grupo Marista faz parte da Província Marista Brasil Centro-Sul, unidade administrativa do Instituto Marista, que foi idealizada em 1817 por Marcelino Champagnat, na França. Presente no Paraná, Santa Catarina, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal e na cidade de Goiânia, o Grupo Marista atua nas áreas da educação – com Colégios Maristas, Escola Champagnat, Marista Escolas Sociais e FTD Educação - e saúde, por meio de seus Hospitais Marcelino Champagnat e Universitário Cajuru, trabalhando por um mundo melhor, mais humano e mais solidário, promovendo a vivência e a disseminação de valores humanos, cristão e Maristas. Mais informações: www.grupomarista.org.br

Mesmo ainda sob o efeito da pandemia, rede de intercâmbio cresceu mais de 20% em 2021

Rede em 2020 faturou 20 milhões e bateu a marca de 25 mil intercambistas

6=UDNyQTMlpjci5SbvNmLhJnclRHQpxGblNWdsFWbhN3cl5WY2pDMyMzN2UjN1gjM6cWZwpmL1ITM1IzNwkzNyYkMlkzNyYkMlEjRyUiN4AzMx8VL1ETLf12bj5icw1WLp5CcwFmRyUiRyUSQzUycwRHdopTN

Photo by Ilia Schelkanov on Unsplash

Estamos vivenciando o segundo ano de isolamento social e a crise trazida pela Covid-19. As empresas precisaram se reinventar e revolucionar para atender ao novo perfil do consumidor 4.0 que exige uma experiência de compra mesmo no online. Hoje, trabalhar com a tecnologia de forma integrada, pessoal e eficaz tem sido o caminho trilhado. Para o professor Moacir de Miranda Oliveira Junior, Diretor do departamento de Administração da FEA-USP e membro do comitê de direção do C4AI (Center for Artificial Intelligence), uma parceria IBM com a USP e a Fapesp, "existem setores e empresas que estão prosperando em plena crise e há outros setores que vão prosperar fortemente com as mudanças dos modelos mentais e comportamentais dos consumidores a partir das experiências testadas na pandemia".

O segmento de turismo, viagens e intercâmbio teve um forte impacto, por isso a Travelmate, inovou na comunicação e fez aporte em tecnologia para seguir os atendimentos dos intercambistas e fechar novos pacotes. A agência foi fundada em 2002, por Alexandre Argenta e Eduardo Heidemann e já levou 25 mil intercambistas para realizarem o sonho de estudar fora. Mesmo na pandemia, a Travelmate faturou em 2020 mais de 20 milhões de reais, e tem a previsão de crescimento de mais de 25% em 2021. Isso porque muitos países já estão abrindo as fronteiras para os estudantes e pesquisadores brasileiros, como foi o caso dos Estados Unidos em Maio de 2021.

A comemoração em 2022 dos 20 anos da TravelMate já é celebrada por Heidemann e Argenta que celebram os 200 funcionários e as 50 unidades espalhadas pelo Brasil e exterior. "Levamos a segurança e a maturidade, e a pandemia nos tornou ainda mais resilientes e com os pés no chão! Investimos nos canais de atendimento, chat e redes sociais, trazendo as experiências dos nossos clientes como norte para nossa estratégia de comunicação. Não há receita de bolo, mas fizemos a lição de casa e levamos o nosso lema muito a sério: Sua experiência é a nossa experiência!", pontua Alexandre Argenta.

Além disso, o primeiro semestre do ano ainda teve os pacotes de intercâmbio com os preços congelados de 2020, que fez com que o intercambista pagasse mais barato com os mesmos serviços oferecidos, impulsionando ainda mais a rede. "Tivemos que mudar nosso modus operandi para uma forma que não imaginávamos, mas sem perder a nossa essência. O jeito simples para resolver as coisas, a rapidez e a personalização de todos os atendimentos contribuíram para que o clientes ficassem e planejassem melhor seu intercâmbio. Acredito que o sonho de estudar fora se intensificou na pandemia, sentindo essa necessidade de buscar melhores oportunidades", finaliza Eduardo Heidemann, sócio-fundador da TravelMate .

Para saber mais sobre como ter uma franquia da Travelmate e/ou fechar um programa de intercâmbio, acesse: https://www.travelmate.com.br

Sobre a TravelMate
Criada há 19 anos, a TravelMate tem como objetivo promover a educação internacional, por meio de vários programas de intercâmbio que atendem pessoas em todas as fases da vida. O foco está em proporcionar segurança, atendimento e suporte durante toda a vivência desse intercambista em outro país. Como única rede de franquias de intercâmbio e turismo comandada por Alexandre Argenta e Eduardo Heidemann, toda a equipe, das 50 unidades do Brasil, são treinadas regularmente para promover qualidade de vida aos que embarcam com a TravelMate e para que a experiência de trabalhar na TM seja satisfatória para todos(a). Foram mais de 25 mil vidas transformadas pela rede TravelMate, 25 mil projetos tirados do papel e 25 mil embarques para o exterior. A rede ainda é associada da Belta - Associação das Agências de Intercâmbio do Brasil- que existe há 26 anos e é a única associação que tem como foco certificar com o Selo Belta agências confiáveis no setor de intercâmbio, por meio de um processo cuidadoso de análise financeira, técnica e ética das agências. Atualmente, as agências especializadas Selo Belta representam 75% do mercado de educação internacional.

Hilab realiza testes de Covid-19 para os passageiros do Aeroporto Internacional Afonso Pena

Viajantes devem apresentar cartão de embarque para realizar o exame

Curitiba, junho de 2021 - Os passageiros que estão embarcando e desembarcando no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em Curitiba (PR), podem realizar testes de Covid-19 por meio da Hilab , health tech que desenvolveu o laboratório remoto Hilab. A startup montou um espaço localizado no 1º andar na área de embarque, próximo da entrada B e ao check-in das companhias aéreas LATAM e Azul.

No stand, ao apresentar o cartão de embarque, é possível ter acesso a três tipos de exames de Covid-19 e os resultados ficam prontos em aproximadamente uma hora. Os testes são: IgG/IgM para saber se já pegou Covid-19 (modalidade de coleta: sangue - furinho no dedo),PCR/LAMP que detecta se você tem ou não Covid-19 (modalidade de coleta: mucosa - swab nasal bem fininho), e o exame de Antígeno, voltado para saber se uma pessoa está transmitindo o vírus (modalidade de coleta: mucosa - swab nasal bem fininho). Esta é uma ação inédita na cidade de Curitiba que proporciona maior segurança para os passageiros e uma forma de prevenção na luta contra o Coronavírus.

"Para quem está chegando ao país, após uma viagem internacional, ou realizou algum voo doméstico é extremamente importante a realização do teste de Covid-19. O exame é a principal forma de detecção do vírus e suas variantes. Passageiros com casos positivos devem ficar isolados para que a cadeia de transmissão do coronavírus seja quebrada", explica o Dr. Bernardo Almeida, médico infectologista e chief medical officer na Hilab.

O espaço Hilab funciona de segunda a sábado, das 5h às 18h.Aos domingos, o atendimento é exclusivo para quem fez agendamento prévio presencialmente ou através do Whatsapp do UAU (unidade de atendimento ao usuário) - (41) 9 8764-5884. Os exames custam entre R﹩150,00 e 250,00. A realização do teste de Covid-19 para chegadas e partidas de voos internacionais é obrigatória.

Serviço

Espaço Hilab no Aeroporto Internacional Afonso Pena

Local: 1º andar na área de embarque, próximo à entrada B

Horário: segunda a sábado, das 5h às 18h . Aos domingos, os exames somente são realizados com agendamento prévio presencial ou pelo telefone (41) 9 8764-5884.

Preço: R﹩ 150,00 a 250,00

Sobre a Hilab:

Fundada pelos empreendedores Marcus Figueredo e Sérgio Rogal, respectivamente CEO e CTO, a Hilab começou com poucos recursos, mas não fez da falta de verbas uma barreira para seguir seu propósito de reinventar a tecnologia médica, criando produtos e soluções que ajudem a democratizar o acesso à saúde. Seu carro-chefe é um inovador laboratório de "bolso" conectado à internet, serviço de exames laboratoriais que usa inteligência artificial para acelerar o diagnóstico médico. Este serviço foi vencedor do prêmio Inova e Saúde em 2018 pela ABIMO (Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos e Odontológicos). A empresa também preza pela qualidade dos equipamentos, com certificações da ISO 9001:2015 e 13485:2016. Além de ter a Controllab como fornecedora de ensaios de proficiência e controles internos. Entre seus investidores, estão a Positivo Informática, a Qualcomm Ventures, a Monashees, Península Participações e a Endeavor Catalyst.

Turismo e lazer por um dia: uma alternativa viável para quem não abre mão de viajar

Adriana Czajkowski e Grazielle Ueno Maccoppi (*)

Ahhh viajar, passear, relaxar, conhecer novos lugares e se desligar da rotina. Sem dúvida estas são alternativas perfeitas para recarregarmos as energias, não é mesmo? Vale ir sozinho, com os amigos ou acompanhado da família. Como é bom desfrutar de uma boa paisagem, aproveitar os momentos de descanso e descobertas fora do nosso espaço habitual. Justamente por isso que o turismo é caracterizado como uma atividade completa de lazer.

Com tantos desafios impostos pela pandemia da COVID-19 é o reconhecimento da necessidade das atividades de lazer que está mantendo a cadeia de serviços turísticos ativa neste período de incertezas. De acordo com a Organização Mundial do Turismo, em dados divulgados esse ano, o turismo mundial sofreu, no ano de 2020, uma queda média de 70% no fluxo e movimentação de turistas, ocasionando uma reorganização do setor de forma ampla e estrutural.

Contudo, apesar do momento delicado para o setor, muitos empresários têm buscado alternativas viáveis aos seus empreendimentos para responder a necessidade da demanda reprimida, visando criar oportunidades de arrecadação coerentes aos seus negócios. Frente a esta nova realidade, também se tornaram premissas imprescindíveis aos empreendimentos do setor o cumprimento das medidas de prevenção da COVID-19, incluindo: atenção ao acesso de clientes, oferta de espaços exclusivos com pouca movimentação de pessoas, e observação das resoluções dos Órgãos Técnicos e Oficiais a respeito das questões higiênicas e sanitárias em vigor.

A partir disso, observa-se o crescimento dos deslocamentos e viagens com distâncias curtas e períodos reduzidos. Os atrativos e equipamentos turísticos próximos aos grandes polos emissores e livres das aglomerações caíram no gosto dos consumidores ávidos pelo turismo. E o serviço de day use está em pleno crescimento, sendo cada vez mais utilizado por diferentes empreendimentos que compõem a oferta turística. A expressão de origem inglesa significa “uso por um dia”, ou seja, uma “mini hospedagem” onde é possível usufruir de toda a infraestrutura e recursos oferecidos pelo empreendimento. Por exemplo: piscina, serviço de praia, SPA, restaurante, sauna, sala de jogos, espaço para eventos, entre outros. Mas o uso é durante um espaço de tempo mais reduzido, sem o pernoite.

Com a mudança de hábitos e a busca de locais seguros e próximos da própria residência, o day use se formata como uma importante alternativa de renda para os empreendimentos, trazendo retorno financeiro e garantia de lazer por um período de tempo viável aos visitantes. Este é um motivo em que é possível considerar o day use umas das grandes tendências atuais aos setores de turismo e hospedagem, destacando-se como uma opção segura para quem deseja uma boa experiência.

E para curtir um day use é importante se programar e reservar com antecedência: o controle do fluxo tem sido elemento fundamental para gerar segurança e conforto. Sendo assim, o limite no número de visitantes é essencial para empreendimento e visitante. Lembre-se, o conceito do day use está diretamente associado a sustentabilidade. Por esse motivo, aproveite as atividades e espaços de lazer de maneira consciente, respeitando o ambiente, cultura e raízes históricas locais.

Por fim, mas não menos importante: realize a confirmação do funcionamento das atividades antes de sair de casa. Com toda a dinâmica do momento, regras e decretos sobre o funcionamento dos empreendimentos podem comprometer a sua programação. Por isso, mesmo com reserva antecipada, é importante confirmar o seu passeio na véspera.

(*) Adriana Czajkowski é coordenadora dos Cursos de Secretariado e Assessoria Executiva Digital do Centro Universitário Internacional UNINTER

(*) Grazielle Ueno Maccoppi é coordenadora dos Cursos de Gestão de Turismo e Gestão Empreendedora de Serviços do Centro Universitário Internacional UNINTER

Petrobras inicia doação de cestas básicas no Paraná para população em vulnerabilidade por conta da pandemia

No estado serão doadas 2.270 cestas por intermédio da Associação de Proteção à Infância Vovô Vitorino, de Curitiba
24 de maio de 2021
A pandemia de Covid-19 agravou o desemprego no Brasil e aumentou o número de pessoas na linha da extrema pobreza. Para ajudar famílias que se encontram em estado de vulnerabilidade, a Petrobras inicia nesta semana a doação de 180 mil cestas básicas, sendo 2.270 no Paraná, por intermédio da Associação de Proteção à Infância Vovô Vitorino, de Curitiba. A doação totaliza R$ 22,7 milhões investidos e irá beneficiar, ao todo, 60 mil famílias, em 10 estados do país, que receberão a doação por três meses. Para definir as famílias contempladas foi realizado um mapeamento prévio em comunidades vizinhas de unidades de operações de refino e gás natural da companhia e dados de inscritos no Cadastro Único para programa sociais do Governo Federal.

“Essas cestas básicas ajudarão as comunidades vizinhas às nossas operações nesse período ainda tão crítico da pandemia. Entendemos as dificuldades da população e buscamos maneiras de ajudar a amenizar a situação”, afirma a gerente executiva de Responsabilidade Social da Petrobras, Olinta Cardoso.

A ação será executada por instituições parceiras da Petrobras e sem fins lucrativos, que receberão recursos da companhia para fazer a aquisição e entrega dos mantimentos às famílias, seguindo todos os protocolos de prevenção à Covid-19. Dependendo da localidade, as famílias também poderão ser atendidas com a distribuição de cartões para a aquisição dos alimentos em comércios locais previamente cadastrados.

“Com a aquisição das cestas no comércio local fortalecemos os pequenos empreendedores, que também foram bastante afetados pela pandemia”, conclui Olinta.

OUTRAS INICIATIVAS

A Petrobras vem realizando uma série de ações voluntárias de apoio à sociedade no enfrentamento da pandemia da Covid-19. Foram realizadas, por exemplo, doações de testes para diagnóstico, EPIs, equipamentos hospitalares e de combustível, visando abastecer ambulâncias, veículos de transporte de equipes de saúde e geradores de hospitais públicos que atendem pacientes com Covid-19.

Para 2021, a Petrobras iniciou a doação de 2,5 mil cilindros de oxigênio para beneficiar as secretarias estaduais de saúde. Até o momento, Amazonas, Bahia, Paraná , Ceará e Rio Grande do Sul já receberam cilindros. A companhia também investiu na aquisição de 12 miniusinas de oxigênio para abastecer hospitais públicos, com capacidade de suprir cerca de 20 leitos de UTI cada uma. Os estados onde as usinas serão instaladas seguem os mesmos critérios adotados para a doação dos cilindros de oxigênio: possuírem unidades de operações da Petrobras e criticidade das taxas de contaminação e mortalidade pela Covid-19.

O valor destinado pela Petrobras para essas ações voluntárias de apoio à sociedade no enfrentamento da pandemia da Covid-19 já alcançou R$ 100 milhões. Parte do valor aprovado para a realização destas ações é procedente de recursos recuperados pela Petrobras em acordo de leniência assinado recentemente.

EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA REVELA O TRABALHO DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE CONTRA A COVID-19 EM UTI`S DE CURITIBA

O primeiro hospital de Curitiba, a Santa Casa de Misericórdia, comemora 141 anos com uma exposição mostrando a rotina dos profissionais na linha de frente

Em homenagem ao aniversário de 141 anos, o hospital Santa Casa de Misericórdia de Curitiba lançou, no último sábado (22), a exposição física e virtual “Vivendo a pandemia no ambiente hospitalar”. A exposição fotográfica é uma iniciativa do Museu da História da Medicina do Paraná. As fotos estão instaladas nas áreas comuns do prédio histórico da Santa Casa, como corredores e nos jardins. De forma virtual, elas poderão ser acessadas pelo site www.exposicaovivendoapandemia.com.br
Devido a pandemia mundial de Covid-19, desde março de 2020 o museu realiza apenas atividades internas. O local faz parte do Espaço Cultural da Santa Casa de Misericórdia de Curitiba. Segundo o curador do Museu da História da Medicina do Paraná, Fábio André Chedid, a exposição virtual é uma forma de aproximar os visitantes e o museu. “Estes registros também eternizam, do ponto de vista histórico, a perpetuação da função misericordiosa e protetora do Hospital Santa Casa de Curitiba”, disse Fábio.
A proposta é que, no futuro, o museu possa receber os visitantes externos. Por questões de segurança, em razão do último Decreto n.º 890/2021 da Prefeitura de Curitiba, apenas os pacientes e visitantes de pessoas internadas poderão ter acesso ao museu e à exposição, instalada nas alas comuns do prédio histórico. Vale destacar que o hospital foi completamente adaptado ao período de quarentena. A Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Curitiba se tornou a maior instituição filantrópica do Paraná em atendimento a pacientes com COVID-19.
Em 2020, a Santa Casa reabriu o Instituto de Medicina do Paraná e o transformou em hospital de campanha, com 110 leitos dedicados ao atendimento de pacientes com COVID-19 do SUS. Ao todo, foram disponibilizados 70 leitos exclusivos de UTI’s. Mais de 1.500 vidas já foram salvas pela Santa Casa de vítimas de COVID-19. O trabalho destes profissionais na linha de frente foi registrado pelos fotógrafos Eduardo Kimmel e Guilherme Bressan.
A exposição revela dois ambientes distintos do hospital: as zonas quentes (como são chamadas as UTI’s) e as zonas frias (fora das UTI’s, com menor circulação do vírus). Segundo Guilherme, um dos fotógrafos da exposição, foram feitos registros fotográficos e também audiovisuais. A dupla conheceu o trabalho intenso da equipe médica. “A Santa Casa foi pioneira no registro histórico deste momento”, afirma Guilherme.
Cerca de 40 fotos e material audiovisual estão disponíveis no site. O lançamento da exposição também faz parte da 19° Semana de Museus, evento nacional promovido pelo Instituto Brasileiro de Museus. A exposição é a 1ª fase de um projeto viabilizado por doações de imposto de renda, por meio da Lei de Incentivo a Cultura. As doações são fundamentais para a criação de novas exposições com alta tecnologia como realidade virtual, projeções mapeadas e interações com equipamentos hospitalares pelos visitantes.

Sobre o Hospital Santa Casa de Curitiba
O Hospital de Caridade da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia foi o primeiro hospital de Curitiba e o segundo do Paraná. Com 141 anos, o hospital é voltado para o tratamento humanizado a pacientes e familiares. É considerado uma referência em especialidades médicas de média e alta complexidade. A Santa Casa é uma instituição filantrópica que conta com importantes apoiadores para manter os atendimentos médicos na Capital.
Exposição ‘Vivendo a Pandemia no Ambiente Hospitalar’
Data: 22 de maio até 31 de dezembro de 2021.
Local: www.exposicaovivendoapandemia.com.br. A exposição segue apenas assistida pelos públicos internos, respeitando o atual decreto da SMS (n.º 890/2021). Caso ocorra uma mudança de bandeira, que permita maior circulação de pessoas, será possível abrir a exposição para a entrada do grande público, que precisará agendar a visita pelo número (41) 3320-3502 e e-mail museu@santacasadecuritiba.com.br
XMA Header Image
Vivendo a Pandemia no Ambiente Hospitalar - HOME
exposicaovivendoapandemia.com.br

Você enviou Hoje às 12:09
credito das imagens: Eduardo Kimmel e Guilherme Bressan.

Complexo de Visitantes da NASA, próximo a Orlando, anuncia novas medidas de segurança

NASA Kennedy Space Center Visitor Complex atualizou as diretrizes de segurança de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC)

6==QOlBTM5YmOyJmLt92YuEmcyVGdAlGbsV2Y1xWYtF2czVmbhZnO2EjM5UTO4YjM0ozZlBnauc3bsdzY5YTZiJzM5gTOjlzY5MDOjVzY0ImN1gTYzYTMwUDOGJTJwUDOGJTJ0IjNyYkMlYTNwITMf1SNx0yXt92YuIHct1SaGJTJGJTJBNTJwRHdopTO

Desde segunda-feira, 17 de maio de 2021, os visitantes que estiverem totalmente vacinados contra a COVID-19 não precisam mais usar protetores faciais ao ar livre. No entanto, todos, incluindo aqueles totalmente imunizados, seguem tendo que usar máscaras nas instalações internas. Locais que incluem as atrações, filas, áreas de exibição de espetáculos, restaurantes e transporte de ônibus para o Centro Apollo / Saturn V. O distanciamento social também continua a ser necessário em todos os locais internos e externos.

O complexo de visitantes mantém todas as medidas de precaução, incluindo assistência limitada, encorajando de compras antecipadas de admissão diária, bem como uma constante frequência de higienização e desinfecção.

De acordo com as orientações do CDC, o NASA Kennedy Space Center Visitor Complex preocupado com a segurança dos visitantes e funcionários, segue mantendo e tomando as medidas necessárias para ajudar a prevenir a disseminação do novo coronavírus. Existe um risco inerente de exposição à COVID-19 em qualquer local público onde haja pessoas. Essas precauções são temporárias e estão sujeitas a alterações a qualquer momento com base nas recomendações do CDC, do Estado da Flórida e do Condado de Brevard.

Detalhes adicionais podem ser encontrados em: www.kennedyspacecenter.com/info/coronavirus

Para mais informações sobre o Complexo de Visitantes da NASA, visite kennedyspacecenter.com

Sobre o NASA Kennedy Space Center Visitor Complex

O NASA Kennedy Space Center Visitor Complex dá vida à épica história do programa especial dos Estados Unidos, oferecendo um ou mais dias inteiros de diversão, inspiração e atividades educacionais. Atualmente aberto com capacidade e atrações limitadas devido ao COVID-19, inclui no ingresso admission o Heroes & Legends, apresentando o U.S. Astronaut Hall of Fame®, exibido pela Boeing, Ônibus Espacial Atlantis®, Jornada para Marte: Procuram-se Exploradores, filmes espaciais, o Jardim de Foguetes e o novíssimo Planet Play. A reabertura do Apollo/Saturn V Center está prevista para março de 2021. Apenas 45 minutos de Orlando, Flórida, o NASA Kennedy Space Center Visitor Complex abre diariamente das 10h a.m. e o horário de fechamento varia de acordo com a época do ano. Para mais informações visite KennedySpaceCenter.com.

O NASA Kennedy Space Center Visitor Complex desenvolveu o protocolo de saúde e segurança "Trusted Space" com medidas e procedimentos que estão em vigor para visitantes e funcionários, incluindo limitação de capacidade, máscaras faciais obrigatórias e medições de temperatura, promovendo o distanciamento social e aumentando a frequência de higienização. Saiba mais sobre o compromisso do complexo de visitantes em criar um espaço confiável para você e sua turma. Siga nas redes sociais Instagram, Twitter e Facebook.

Sobre a TM Latin America

TM Latin America é uma renomada empresa internacional de marketing turístico especializada no mercado de destinos e atrações de classe mundial para o mercado latino-americano.

Conta com uma equipe de profissionais trilíngues, especializados em diferentes áreas: marketing, vendas, comunicações, marketing digital e posicionamento de marcas. Tem sua sede em Orlando, Florida e está presente no Brasil, na Colômbia, no México e na Argentina, cobrindo toda a América Latina.

TM Latin America é a agência de marketing na América Latina para o NASA Kennedy Space Center Visitor Complex através da Delaware North.

Santa Felicidade arrecada doações para ajudar a comunidade afetada pela pandemia

A campanha vai durar dois meses e objetiva atingir famílias carentes de Santa Felicidade e região - Vila Torres, Caximba, Parolin e Portelinha.

O desemprego no Brasil atingiu mais de 14 milhões de brasileiros em janeiro, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), cenário causado pela crise decorrente da pandemia de Covid-19. E, em tempos em que famílias passam por necessidades, faltam itens básicos, ações de solidariedade fazem a diferença.

Pensando nisso, em Curitiba, os moradores de Santa Felicidade uniram-se e criaram o projeto “Santa Solidariedade”, com o objetivo de arrecadar alimentos não perecíveis e de higiene pessoal, para atender às famílias necessitadas do bairro e de outras regiões do seu entorno, como a comunidade Vila Torres, Caximba, Parolin e Portelinha, algumas das mais carentes da cidade.

A iniciativa se deu através da Sociedade Operária Beneficente Esportiva Iguaçu (SOBE Iguaçu), e logo se estendeu para a Associação do Comércio e Indústria de Santa Felicidade (ACISF), reunindo comerciantes, entidades religiosas e moradores, todos em prol da causa.

“O objetivo é arrecadar doações para suprir a necessidade de famílias vulneráveis, colocar comida na mesa de quem não tem nem o básico”, afirma o presidente da Sociedade Iguaçu, Sidnei Toaldo.

Lançamento da campanha, da esq. para a dir.: Marcus Bertoli (Presidente da ACISF), Daniela Brum (Advogada da ACISF) e Sidnei Toaldo (Presidente do Iguaçu).

Segundo ele, toda a campanha foi montada através de doações, como: a arte, o banner, as faixas, as caixas e as embalagens. A ação acontece pelo período de dois meses, podendo ser estendida, caso necessário.

“Esse é o primeiro projeto registrado em Curitiba, em que um bairro se uniu para uma mesma causa. Pretendemos fazer campanhas de agasalhos, arrecadação de móveis, em casos de força maior, produtos de higiene, brinquedos para crianças, e, também, ações em datas comemorativas, como o Natal”, destacou Toaldo.

As arrecadações serão destinadas às famílias carentes, cadastradas nas seguintes instituições: Paróquia Nossa Senhora da Conceição do Butiatuvinha, SOS Vila Torres, comunidade Damas de Caridade da Igreja matriz de Santa Felicidade e Igreja do Evangelho Quadrangular do bairro.

Para doar, basta ir aos pontos de comércio de Santa Felicidade. “Todas as doações serão muito bem-vindas”, diz Toaldo.

Para informações, entre em contato pelo telefone (41) 99582-1366 (ACISF).

Central Press completa 23 anos com reposicionamento e campanha social

Gincana virtual com colaboradores, auxílio a ONGs e nova marca fazem parte da programação de aniversário da agência

Com o novo cenário do país e do mundo frente à pandemia da Covid-19, fazer o bem e praticar a solidariedade foram as formas que a Central Press, agência paranaense de comunicação corporativa, encontrou para comemorar 23 anos de história. Com uma campanha solidária para apoiar uma instituição social escolhida pelo voto popular via redes sociais, os colaboradores fazem parte de uma gincana virtual para celebrar e também praticar a caridade.

Segundo a sócia-fundadora da agência, Lorena Nogaroli, foi necessário adaptar a celebração ao momento. “Estamos muito felizes por completar mais um ano de história e, principalmente, por nos mantermos firmes e crescendo, mesmo durante a crise. Mas a celebração não faria sentido se não pudéssemos dar um pouco de nós e do nosso talento a quem realmente precisa”, explica.

Além disso, a empresa também investiu em um reposicionamento de marca e na modernização da logomarca. “Resolvemos usar o aniversário da agência para apresentar ao mercado nossa nova comunicação, que traduz um pouco do processo de internacionalização que a Central Press iniciou em outubro de 2019, quando abrimos uma unidade de negócios em Londres”, conta o sócio Claudio Stringari.

Além disso, a Central Press passa a utilizar uma "tagline" diferente. Na nova comunicação junto ao mercado, a empresa se posiciona como Agência de Reputação. "Sempre gostamos de contar as histórias das marcas e, ao longo desses 23 anos, nos especializamos em gerir crises. No momento em que vivemos, denominado por muitos de 'infodemia', as corporações precisam se comunicar de forma ágil, assertiva, transparente e humana. E nosso time de especialistas pode ajudar muito nesse processo de manutenção e reconstrução reputacional das marcas", ressalta Stringari.

Outro motivo que levou a agência a buscar uma nova apresentação ao mercado é a expansão de serviços e especialidades relacionadas ao segmento de marketing digital. “A Central Press investiu pesado em digitalização nos últimos anos, tanto em termos de infraestrutura, como de pessoal, e, nesse momento, estamos preparados para oferecer soluções completas de marketing digital e mídias sociais. Nascemos como assessoria de imprensa e nos tornamos uma agência 'full service'. Agora, podemos dizer que somos, também, uma agência digital. Porém, sem perder a essência do jornalismo, dos bons conteúdos e do poder das histórias verdadeiras”, completa Lorena.

Com a campanha social, o lançamento da nova identidade visual e o reposicionamento de marca, a Central Press estende as comemorações dos 23 anos até o final de 2021. Quem quiser acompanhar as novidades e fazer parte da ação solidária, basta seguir a agência nas redes sociais.