AMPARA ANIMAL LANÇA CALENDÁRIO COM APOIO DE CELEBRIDADES BRASILEIRAS

Personalidades foram transformadas em desenhos de super-heróis batizados de ‘Liga da Proteção’ para lutar contra o mal e colocar o mundo em ordem.

O significado de super-herói está diretamente ligado à definição de seres imaginários capacitados com poderes sobre-humanos que fazem voar, atravessar paredes, decifrar mentes etc. Tudo isso aliado a uma força extraordinária para defender o bem e combater incansavelmente o mal. Quem nunca sonhou em ser um deles para poder salvar as pessoas, os animais, a natureza e o planeta? Mas o verdadeiro significado de um super-herói está ligado à pessoa que respeita o próximo, transmite felicidade, compartilha conhecimento e busca espalhar o bem, o amor e a paz.

Tatá Werneck e Paolla Oliveira

Pensando nisso, a organização sem fins lucrativos, AMPARA Animal, decidiu lançar um calendário 2020 com personagens batizados de ‘Liga da Proteção’. A missão é colocar ordem em um mundo caótico, aparentemente tomado de catástrofes e “supervilões”, que destroem o lugar em que habitamos e do qual deveríamos cuidar para viver em equilíbrio com os outros seres.

Atores, cantores e celebridades que aderiram à causa foram transformados em super-heróis, representando várias espécies de animais domésticos e silvestres. Nomes como o da humorista, atriz e apresentadora, Tatá Werneck, da modelo e apresentadora Ellen Jabour e da cantora e influenciadora digital, Luiza Sonza, foram usados para representar várias espécies de animais que correm risco de extinção e até mesmo aqueles que fazem parte do cotidiano e são vítimas de maus tratos regularmente, como os cachorros.

Premiação

Em 2019, a AMPARA Animal recebeu dois prêmios relevantes do terceiro setor: Melhores ONGs 2019 e Melhor ONG da Região Sudeste, ambos concedidos pelo Instituto Doar. O prêmio tem como missão promover as ONGs do Brasil que mais se destacam pela transparência e gestão nas suas atuações. Para chegar ao resultado, é realizado um mapeamento com centenas de organizações pelo Brasil, todos os anos. Equipes de jornalismo e de pesquisa decidem, juntas, quais são as melhores com base em critérios transparentes de gestão.

“Nossas escolhas afetam muito todo o sistema. Elas têm consequência direta na vida de outros seres que dividem esse planeta conosco. Nossa forma de viver, de se alimentar ou de se divertir pode ser responsável por grandes danos globais, aos animais e a nós mesmos”, explica Juliana Camargo, da AMPARA Animal.

Desanimar com um cenário tão desfavorável, desesperador e insustentável não é uma opção. A AMPARA Animal tem como objetivo falar por aqueles que não têm voz. Acesse o link https://amparanimal.org.br/produto/calendario-ampara-animal-2020/ e faça parte da Liga da Proteção. Juntos por eles sempre.

Sobre a AMPARA Animal

Em atividade desde 2010, A AMPARA Animal nasceu quando as fundadoras se uniram por amor e respeito aos animais. Juntas sonharam em criar um projeto para mudar a realidade dos animais rejeitados e abandonados do Brasil. Com os mesmos ideais e amor incondicional àqueles que não têm voz, iniciaram uma luta em prol da desafiadora e negligenciada causa.

Em 2013, recebeu a certificação de OSCIP, Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, comprovando sua seriedade e transparência administrativa. Em 2015 se tornou a instituição que mais ajuda animais no país, ao se tornar uma "ONG mãe" que ampara mais de 450 abrigos cadastrados em nível nacional, que são auxiliados em um sistema de rodízio com ração, medicamentos, vacinas, atendimento veterinário, eventos de adoção e projetos de conscientização. Os parceiros da instituição auxiliam diretamente e mensalmente cerca de 10 mil animais. São oito anos de trabalho, realizações e grandes conquistas, e é empreendendo socialmente que a AMPARA atua de forma preventiva com seus três principais pilares: adoção, castração e, principalmente, a conscientização, através de projetos educativos voltados para o público infantil e adulto.

Gerenciando o maior programa de adoção do país, o “Adotar é Tudo de Bom” que se encontra em 11 estados brasileiros e desenvolvendo grandes campanhas como a “Somos todos Vira-Latas”, a organização é responsável por desmistificar preconceitos e esclarecer prejulgamentos, valorizando a imagem da causa animal e mudando a forma como as pessoas a enxergam.

Em 2016, uma nova frente da entidade foi criada, a AMPARA Silvestre, com foco em conservação ao reabilitar animais que possam ser devolvidos à natureza e também oferecer bem-estar aos animais condenados ao cativeiro. Com sete exposições à mostra atualmente, que circulam por todo o país e já atingiram milhões de pessoas, a AMPARA acredita que a união de forças entre primeiro, segundo e terceiro setores é o caminho para minimizar e até solucionar o problema em sua raiz. Os ideais da ONG são comprovados na prática, com resultados significativos e de grande impacto, que têm merecido o respeito, o carinho e o reconhecimento das organizações parceiras além da confiança de grandes empresas brasileiras, obtendo subsídios para a continuação desse trabalho em prol dos animais carentes.

Em 9 anos somam-se mais de 1,6 milhão de quilos de ração distribuídos, 155 mil animais vacinados, 350 mil animais medicados, 4.600 animais castrados e mais de 12.000 animais adotados. É com estes números e muitos projetos em mente que a AMPARA pretende atingir e conscientizar as pessoas sobre estas vítimas de tanto sofrimento e descaso. Difundir este tema tão importante para o equilíbrio da humanidade e mensurar os resultados das ações a curto, médio e longo prazo.

Prazo final de entrega da declaração anual do MEI é prorrogado para 30 de junho

Medida faz parte de um conjunto de ações do Governo Federal no enfrentamento ao Coronavírus
Por causa dos impactos da pandemia do Coronavírus (Covid-19), o prazo final para entrega da Declaração Anual Simplificada, referente a 2019, para o microempreendedor individual (MEI) foi prorrogado para 30 de junho de 2020. A medida, aprovada pelo Comitê Gestor do Simples Nacional, foi publicada no Diário Oficial desta quinta-feira (26). Além disso, também foi prorrogado, para a mesma data, o prazo para apresentação da Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais (Defis) referente ao ano passado.

O consultor do Sebrae/PR, Rodrigo Feyerabend, elogiou a decisão e explicou que a equipe de consultores está à disposição para realizar todas as orientações necessárias aos microempreendedores individuais, por meios digitais.

“A prorrogação é uma importante medida tomada durante esse período de combate aos efeitos do Coronavirus. Ela possibilitará que os empreendedores cumpram com essa obrigação acessória e consigam se reorganizar diante da situação inesperada. Os empreendedores que tiverem qualquer dúvida ou que busquem orientações à respeito do assunto poderão procurar o Sebrae/PR em vários canais digitais para auxiliar no processo de declaração”, afirmou.

Atendimento

O Sebrae/PR promove uma força-tarefa para atender digitalmente e sem custos os empreendedores de micro e pequenas empresas em todo Estado, diante das medidas previstas para combater a pandemia do coronavírus (Covid-19). O contato com essa força de trabalho pode ser feito pelo portal do Sebrae/PR (https://www.sebraepr.com.br/). Nele é possível acessar canais como WhatsApp, 0800 570 0800 e telefones regionais, onde o empresário tem acesso livre e gratuito a orientações, exemplos de outros empreendedores que encontraram soluções inovadoras, dicas de como lidar com a atual situação, além de cursos online com conteúdo diverso.

Ida ao mercado, caminhada e imunidade: cientistas da UFPR respondem novas perguntas da sociedade sobre coronavírus

Cuidados na ida ao mercado, possibilidades de caminhar nas ruas, aumento da imunidade durante isolamento social e confecção de máscaras foram algumas das dúvidas enviadas para a campanha “Pergunte aos Cientistas” nesta semana. As perguntas da sociedade sobre coronavírus foram respondidas pelas cientistas Cristina Jark Stern, Maria Fernanda Werner, Juliana Geremias Chichorro, Janaina Menezes Zanoveli, Maíra Valle e Alexandra Acco, do Departamento de Farmacologia da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Também participou o presidente da comissão criada na UFPR para o enfrentamento e prevenção da doença Covid-19, Emanuel Maltempi de Souza, professor do Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular.
A população pode continuar enviando dúvidas para a campanha “Pergunte aos cientistas”, da Agência Escola de Comunicação Pública e Divulgação Científica e Cultural da UFPR. Para participar, basta enviar a pergunta ao e-mail agenciacomunicacaoufpr@gmail.com ou no direct do perfil @agenciaescolaufpr no Instagram, com nome completo, idade, profissão e cidade onde reside.
Sobre cuidados para prevenção
“Se eu precisar sair do isolamento para comprar comida para os meus pais que moram em outra residência, quais cuidados devo tomar no mercado?” (Priscila Pugsley Grahl, 42 anos, estudante, Curitiba-PR)
Cientistas UFPR – Olá, Priscila! O correto é evitar sair de casa sempre que possível. Você pode fazer compras online e pedir entrega na casa dos seus pais. Aqui em Curitiba há muitos mercados que fazem entrega online. Para compras na farmácia, dizemos o mesmo. Quando não for possível fazer compras online, alguns pontos precisam ser levados em consideração:
– Antes de sair de casa, pense bem: tem algum sintoma? Se tiver qualquer sintoma, não saia.
– Planeje bem a sua ida ao supermercado e vá sozinha. Gaste o menos tempo possível. Portanto, vá com sua lista de compras.
– Como vai sair de casa sem sintomas, não precisa de máscara. As máscaras são para quem tem sintomas.
Quando já está no supermercado:
1. Limpe o carrinho com álcool gel antes de tocá-lo. Muitos mercados já estão deixando o álcool gel na entrada para seus clientes.
2. Tente não usar dinheiro em espécie para pagar, uma vez que é um grande transmissor de microrganismos.
3. Não toque no seu rosto desde que saiu de casa até o momento do retorno, quando irá lavar as mãos com sabão e passar álcool gel.
4. Afaste-se das pessoas. Mantenha uma distância de pelo menos 1,5 metro da pessoa que está à sua frente.
5. Evite tocar nos alimentos diretamente. Se possível, leve suas próprias sacolas. Você pode usar a própria sacola para tocar nos alimentos.
6. Ao voltar para casa, lave bem as mãos, tome banho e troque de roupa. A roupa pode ser lavada normalmente.
7. Em casa (se for na residência de seus pais, deixe as compras na porta para seguirem as próximas indicações), limpe bem a sacola com álcool antes de tirar os alimentos. Na sequência, lave bem as mãos com água e sabão, evitando sempre o contato no rosto e mucosas. Os alimentos devem ser colocados numa superfície limpa e desinfetada, para depois lavá-los adequadamente antes de cozinhar. Se a compra for online, siga essas dicas também.
“Gostaria de saber se existe algum tecido que ofereça proteção equivalente à máscara, pois as pessoas poderiam confeccionar suas próprias máscaras já que estão em falta no mercado” (Cynthia Faria, 46 anos, estudante, Matinhos-PR)
Cientistas UFPR – Cynthia, em primeiro lugar, é importante salientar que não é recomendado o uso de máscara para se proteger. A máscara é recomendada para médicos, enfermeiros e outros profissionais da saúde (em geral junto à proteção facial transparente) e para quem tem quadro gripal, nesse caso para não transmitir doença para outras pessoas. Se você for usar a máscara facial, a recomendada é a chamada N95, que filtra partículas de até 0,3 micrometros e se adapta bem à face. Também é necessário conhecer a técnica correta para uso das máscaras. Por exemplo, o material precisa seguir perfeitamente os contornos do rosto para impedir que gotículas cheguem ao nariz e boca pelas frestas. As máscaras caseiras não teriam essas características, e os materiais utilizados na indústria não estão disponíveis. Portanto, não é possível fabricação caseira de máscaras adequadas. Além disso, é impossível testá-las.
“Minha dúvida é sobre andar a pé. Moro em uma casa e numa região de Curitiba que tem poucos prédios. As ruas são bastante vazias em geral. Posso sair, caminhar sem me aproximar de ninguém, nem cumprimentar ou pegar em qualquer coisa, e voltar pra casa?” (Emerson de Castro Firmo da Silva, 56 anos, professor, Curitiba-PR)
Cientistas UFPR – Olá, Emerson! Você não está proibido de fazer isto, desde que vá sozinho, não tenha nenhum dos sintomas e que não haja aglomeração. O correto é sempre evitar sair de casa. Se a intenção é fazer exercício, uma boa alternativa é fazer em casa. Na internet você encontra vários vídeos de exercícios para serem feitos em casa. Agora, se sua necessidade de sair de casa uma vez ao dia é para sentir o sol e a brisa for muito grande, não se esqueça da limpeza das mãos com água e sabão quando entrar em casa, lembrando da maçaneta da porta também. Algo importante é deixar os sapatos de rua fora de casa, tomar banho e trocar de roupa. Toda medida de prevenção é importante nesse momento.
“Como faço para aumentar minha imunidade durante o isolamento social?” (Mirian Rahn, 35 anos, assistente de faturamento, Pomerode-SC)
Cientistas UFPR – Olá, Mirian! Para aumentar a imunidade você deve seguir as recomendações de uma vida saudável. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda a realização de atividades físicas, que nesse momento de distanciamento social com isolamento domiciliar podem ser feitas dentro de casa mesmo. Ou caminhadas nas ruas desde que sozinha e sem aglomerações (mantenha distância de 1,5 metro pelo menos das pessoas e nenhum contato físico), se você não pertencer ao grupo de risco. É recomendada a realização de 30 minutos diários. Em casa você pode fazer exercícios de agachamento com o uso de cadeiras, levantando-se e sentando-se; escadas podem ser utilizadas para uma atividade mais aeróbica; você fazer polichinelos, pular cordas etc. – enfim, essas são algumas dicas de especialistas. A realização da atividade física também é importante no combate à ansiedade, que tem afetado muitas pessoas no isolamento. Uma alimentação baseada no maior consumo de frutas e vegetais e menor consumo de alimentos gordurosos e processados também é importante para uma vida saudável. Recomenda-se consumo de cinco porções de aproximadamente 80 gramas de frutas e vegetais frescos por dia. Mas lembre-se: não existe nada que melhore a imunidade especificamente contra a Covid-19. Por isso, nesse momento é tão importante ficarmos em casa para evitar o contato com o vírus.
“Ir visitar amigos que também não saem de casa é errado? Isso rompe a quarentena?” (Felipe Dalla Pria Leme, 19 anos, estudante, Curitiba-PR)
Cientistas UFPR – No momento nenhuma região do país está em quarentena. No entanto, está recomendado que todos façam um distanciamento social para minimizar a propagação do vírus. Recomenda-se que as saídas de casa sejam apenas para atividades essenciais (farmácia, mercado, hospital). As visitas a amigos e familiares neste momento não são recomendadas, porque existe um grupo de pessoas que não apresentam sintomas (assintomáticas), mas que podem estar contaminadas e transmitir a doença.
“Meu marido e filho, de 21 anos, são asmáticos. O que faço para protegê-los? Outra dúvida: a vacina pneumocócica 23 nestes casos ajuda?” (Lucilene Ozilio, 46 anos, artesã, Araucária-PR)
Cientistas UFPR – Lucilene, como a Covid-19 causa pneumonia severa, os asmáticos estão no grupo de risco. A melhor maneira de protegê-los continua sendo permanecer em isolamento: “Fique em casa“. Já a vacina pneumocócica é eficaz em proteger o indivíduo contra pneumonias causadas por bactérias. Portanto, não é eficaz em proteger as pessoas contra a infecção pelo coronavírus, mas pode impedir uma infecção secundária pela bactéria após uma infecção viral.
“Uma familiar está trabalhando e, quando for liberada, ficará em isolamento com os pais, que pertencem ao grupo de risco e já se encontram em isolamento. Quantos dias ela precisará ficar sozinha para não correr risco de contaminar os pais, caso ela esteja contaminada e não sabe?” (Sabrina Mara Tristão, 34 anos, autônoma, Pirassununga-SP)
Cientistas UFPR – Olá, Sabrina. Esperamos que esteja bem! Até agora acredita-se que o vírus possa ter um período de incubação de até 14 dias. A ciência ainda não tem todas as respostas sobre este vírus, pois ele é muito recente. Entretanto, sabemos que o tempo médio de manifestação é de cinco dias, mas pode variar de pessoa para pessoa. Assim, o ideal é que a pessoa evite o contato por duas semanas, não abrace, ou toque os pais, separe seus talheres, prato e copo e, se possível, durma sozinha e tenha um banheiro só pra si. Sabemos que tudo isso muitas vezes é impossível. Mas podemos reforçar a higiene, manter os ambientes ventilados e sempre lavar as mãos.
“Tenho 62 anos, tomo a vacina para H1N1 anualmente, sou hipertensa com controle por medicamentos. Estive na Bahia aguardando um voo de retorno a Curitiba, que espero que seja nesta segunda (23). Posso ou devo tomar a vacina H1N1 assim que chegar em Curitiba ou devo aguardar alguns dias?” (Clarissa Gomes, 62 anos, arquiteta, Curitiba-PR)
Cientistas UFPR – A recomendação médica é que todos do grupo de risco se vacinem para H1N1, o que inclui todas as pessoas acima de 60 anos (mesmo que tenham doenças como a hipertensão ou diabetes). Os médicos indicam a vacinação, pois ela ajudará a proteger os pacientes da gripe, e assim diminuirão os casos de pessoas com sintomas respiratórios. Estão sendo tomadas providências para que não haja aglomerações durante a vacinação – assim, não precisa se preocupar sobre isso. Além disso, é importante reforçar os cuidados de higiene e se manter em isolamento social para evitar a contaminação, pois o vírus possui uma alta taxa de infectividade. No seu caso recomenda-se cuidado redobrado com as regras de distanciamento social e pode lavar as mãos à vontade com água e sabão.
“Moro com a minha avó de 80 anos, que tem uma saúde muito boa. A campanha de vacinação contra gripe começou. E uma boa ideia ela ir tomar essa vacina? Pergunto isso porque se eu não me engano a vacina abaixa a imunidade. O isolamento não seria melhor do que se expor visto essa contaminação crescente?” (Drica Seki, Curitiba-PR)
Cientistas UFPR – Oi, Drica! Muito importante a sua pergunta. A vacina da gripe não baixa a imunidade, e sim irá melhorar a imunidade da sua avó contra o influenza, o vírus da gripe. Essa vacina é produzida a partir do vírus morto e fracionado, então não existe o risco de pegar a gripe após a vacinação. Os anticorpos contra o vírus da gripe serão formados dentro de aproximadamente 15 dias. E por isso é tão importante a vacinação nesse momento. Os sintomas da gripe e da Covid-19 são bem semelhantes. Se a sua avó não pegar a gripe porque foi vacinada, ela não precisará recorrer ao sistema de saúde que já está tão sobrecarregado, e isso também irá reduzir a exposição da sua avó a um potencial infectado com a Covid-19. Pode ser que em aproximadamente 48 horas após a vacinação, ela sinta algumas reações como febre, mal-estar e dor no corpo. Essa reação é comum, e não significa que baixou a imunidade. Sobre a questão do distanciamento, tanto em Curitiba quanto em várias outras cidades do Brasil, a Secretaria de Saúde montou postos externos para evitar a aglomeração de pessoas e também está oferecendo postos de drive thru – o agente de saúde vai até o carro e vacina o idoso. O isolamento por causa da Covid-19 acontece justamente por não termos ainda uma vacina eficaz contra o vírus SARS-CoV-2. Mas certamente muitos pesquisadores no Brasil e no mundo estão trabalhando para isso!
O processo de contaminação
“Depois que a pessoa tem contato com o vírus, ela passa a propagar imediatamente? E no caso de quem é contaminado, manifesta a doença e vai melhorando, depois de quanto tempo a pessoa para de propagar o vírus?” (Cristiane da Silva Lopes, servidora técnica, Curitiba-PR)
Cientistas UFPR – Cristiane, sabemos que a transmissão pode ocorrer a partir do momento que a pessoa infectada apresenta sintomas, mas ainda não há confirmação de quando exatamente pode começar a transmissão do vírus antes dos sintomas. Em relação à propagação após recuperação, a pessoa é considerada curada quando testar negativo em tratamento hospitalar. Importante lembrar que a principal maneira pela qual a doença Covid-19 se espalha é através de gotículas respiratórias expelidas por alguém que está tossindo ou espirrando ou por contato com secreções contaminadas. Existem portadores assintomáticos, que podem transmitir a Covid-19, e muitas pessoas têm apenas sintomas leves. Portanto, é possível pegar Covid-19 de alguém que tenha, por exemplo, apenas uma tosse leve e não se sinta mal. O tempo entre a exposição ao vírus e o início dos sintomas é em média de cinco dias, mas pode chegar a duas semanas. Pacientes com risco de estarem contaminados ou confirmados para Covid-19 com sintomas leves devem cumprir isolamento domiciliar de 14 dias para evitar a transmissão na comunidade.
“Já é possível saber se alguma condição climática é melhor para o alastramento e sobrevivência do vírus?” (Francielle Cristina de Pádua, 29 anos, Curitiba-PR)
Cientistas UFPR – Francielle, este vírus não gosta muito de calor, é termolábil, ou seja, pode ser destruído em altas temperaturas. A persistência de vírus em temperaturas de 30 ou 40 graus é bem reduzida. Já em temperaturas mais baixas consegue sobreviver mais tempo, e em temperaturas extremas negativas (menos 20 graus) pode ficar estável por até dois anos. Há estudos mostrando que o coronavírus persiste com sua infectividade em superfícies como metal, vidro ou plásticos por até nove dias dependendo das condições de temperatura, umidade e luz, mas em ambiente seco cai para seis dias. Como é termolábil, será destruído em temperatura de cozimento de alimentos (70 graus). Por outro lado, isso não significa que a doença não vai se disseminar no Brasil, pois o vírus passa de um hospedeiro para outro. Os dados preliminares mostram que a taxa de disseminação no Brasil e a letalidade são muito semelhantes a de outros países.
“O vírus sobrevive em ambiente externo? Recebi uma imagem afirmando que pode ser até nove dias e achei que pode ser um tempo muito grande” (Ana Carolina Rodrigues, 23 anos, estudante, Curitiba-PR)
Cientistas UFPR – Ana Carolina, você tem certa razão. Há estudos mostrando que o coronavírus SARS-CoV, que causa a síndrome respiratória grave que está ocorrendo na pandemia, persiste com sua infectividade em superfícies como metal, vidro ou plásticos por até nove dias, mas em ambiente seco isto cai para seis dias. Em materiais porosos, como papel, a sobrevivência é bem menor. Mas veja que interessante: o vírus pode ser eficientemente inativado em apenas um minuto pela desinfecção destas superfícies com álcool 62 a 71%, peróxido de hidrogênio (água oxigenada) 0,5% ou hipoclorito de sódio (Q-Boa diluída 20 vezes) a 0,1%. Por isso, a importância de manter as superfícies limpas e desinfetadas.
“Gostaria de saber mais sobre a reinfecção. Se eu estiver infectada hoje testando positivo para o Covid-19, fizer o tratamento e passar a testar negativo, posso ir ver meus pais sem medo de eventualmente desenvolver a doença novamente?” (Fabiana Santos, 36 anos, bioquímica, Curitiba-PR)
Cientistas UFPR – Fabiana, ainda não há muitas informações sobre a reinfecção do coronavírus, pois a doença ainda é muito nova e vários aspectos da evolução da Covid-19 e comportamento do vírus estão sendo detectados à medida que os casos avançam pelo mundo, infelizmente. Há ainda dúvidas, mas já foram descritos poucos casos (China e Japão) de pacientes que tiveram a infecção, foram tratados e depois foram internados novamente testando positivo. Especialistas dizem que há várias maneiras pelas quais os pacientes que recebem alta podem adoecer novamente com o vírus. Por exemplo, os pacientes podem não acumular anticorpos suficientes para desenvolver imunidade ao vírus; o vírus pode ser bifásico, o que significa que permanece “adormecido” e depois volta a provocar os sintomas; ou ainda que houve falhas ou discrepâncias nos testes destes pacientes. Como isto ainda não está esclarecido, o melhor é continuar seguindo as recomendações de isolamento domiciliar de 14 dias e os cuidados de higienização.
O atendimento e a recuperação
“Estou com sintomas do que parece o começo de uma gripe leve. Pode ser uma gripe normal ou reação à temperatura que está oscilando um pouco. Mas quando devo realmente me preocupar e buscar atendimento?” (Natalia Zardo, 18 anos, estudante, Florianópolis-SC)
Cientistas UFPR – Os sintomas mais comuns da Covid-19 são febre, cansaço e tosse seca. Alguns pacientes podem ter dores no corpo, congestão e corrimento nasal, dor de garganta ou diarreia. Esses sintomas geralmente são leves e começam gradualmente. O ideal é acompanhar a evolução dos seus sintomas e ficar em casa. Se você tiver febre, tosse e dificuldade em respirar, procure atendimento médico. Enquanto você acompanha os sintomas, mantenha distância das pessoas, use lenço descartável quando tossir ou espirrar, deixe ambiente bem arejado, lave as mãos frequentemente. Se compartilhar casa com outras pessoas, atente para limpar superfícies com álcool 70%. Se puder, pode usar máscara para evitar contaminação de outras pessoas.
“Quando contraída a doença Covid-19, quais ações devem ser tomadas para uma boa recuperação em casa, considerando que a pessoa infectada apresenta sintomas leves?” (Richard Schack Müller, 19 anos, estudante, Curitiba-PR)
Cientistas UFPR – A pessoa diagnosticada com Covid-19 deve permanecer em casa, em isolamento domiciliar com o mínimo contato possível com outros moradores. O doente deve ficar em quarto isolado e ventilado, se possível usar banheiro privativo, não compartilhar utensílios e as roupas usadas de cama e banho devem ser acondicionadas em sacos plásticos e lavadas separadamente (a pessoa que lavá-las deve usar luvas para manuseá-las). Escolha um familiar para atender o enfermo – de preferência, alguém com boa saúde e sem doenças crônicas. Quando estiver perto do doente, o cuidador deve utilizar uma máscara descartável e trocá-la caso fique úmida ou com secreções. Importante higienizar as superfícies do quarto e do banheiro diariamente, de preferência use primeiro sabão ou detergente e depois um desinfetante comum com hipoclorito de sódio a 0,1% (uma xícara de café de água sanitária em um litro de água). Lavar as roupas com mais frequência, em separado, com sabão e água.
“O corona é um vírus potente ao ponto de causar a morte de uma pessoa saudável de meia idade com facilidade? Além disso, o que difere tanto a Covid-19 em questão de danos ao corpo de uma gripe forte?” (Leandro Brandão de Paula, 22 anos, contador, Curitiba-PR)
Cientistas UFPR – Leandro, embora a doença causada pelo coronavírus seja mais branda em crianças e adultos jovens, infelizmente há relatos de pessoas muito jovens acometidas gravemente, inclusive com óbito, como ocorrido com uma moça de 21 anos na Inglaterra. As autoridades de saúde demonstram preocupação de que os jovens ignorem os avisos sobre a propagação do vírus, uma vez que acreditam que a doença apenas acomete idosos, o que está se provando não ser verdade. Os sintomas mais comuns da Covid-19 podem se parecer com uma gripe causada por outros vírus. O que diferencia a Covid-19 é sua alta capacidade de infectividade e transmissibilidade entre pessoas. Pessoas com febre, tosse e dificuldade em respirar devem procurar atendimento médico. No caso de Covid-19 grave quanto antes iniciar o tratamento, maior a chance de sobreviver.
Confira outras perguntas da sociedade sobre coronavírus respondidas por cientistas da UFPR
Segue link da notícia no portal UFPR: https://www.ufpr.br/portalufpr/noticias/ida-ao-mercado-caminhada-e-imunidade-cientistas-respondem-novas-perguntas-da-sociedade-sobre-coronavirus/

A recomendação da Organização Mundial da Saúde para ficar em casa

Como forma de prevenir a disseminação do novo coronavírus fez com que empresas expandissem a prática de home office ou a implementassem pela primeira vez. Reunimos depoimentos de profissionais que atuam nos setores de tecnologia e mobilidade elétrica para sabermos quais os pontos positivos e os desafios de se trabalhar de forma remota, principalmente para minimizar o avanço da covid-19.

Douglas Klassen, analista de Negócios da Anker, marca americana de acessórios para carregamento de dispositivos e soluções portáteis de áudio.

Pessoa posando para foto em frente a computador Descrição gerada automaticamente“Evitar o trânsito e tempo de transporte são as principais vantagens do trabalho remoto. Isso permite com que eu acorde com mais disposição e contribui muito em todas as tarefas do dia. Sinto a falta de contato pessoal, o que contorno bem com as ferramentas de comunicação digital, as mesmas que também ajudam na manutenção da produtividade. O principal desafio é entender que o novo local de trabalho é o mesmo do descanso. Por isso, é muito importante separá-los, de alguma maneira. Neste sentido, visto-me como se estivesse na empresa e tenho um espaço preparado especificamente para ser a minha estação de trabalho.”

Jonatan Alan, analista de projetos da unidade de tecnologias educacionais da Positivo.

Homem sentado em frente a mesa com computador Descrição gerada automaticamente“Minha produtividade melhorou. Fico muito mais focado estando em casa, mesmo com toda a família por aqui. Consigo ouvir música durante minhas atividades, o que potencializa a criatividade. Se algo gera estresse, posso abraçar meu cachorro. Isso é muito confortante. Em alguns momentos do dia sinto falta de conversar com as pessoas, por isso criei o hábito de convidá-las para um encontro on-line e, pouco a pouco, vamos nos acostumamos com essa interação virtual. Para um home office efetivo, ter atividades bem definidas e disciplina é fundamental. ”

Mateus Renosto, Relações Públicas da Hitech Electric, empresa especializada em soluções de mobilidade elétrica que lançou o primeiro carro autônomo elétrico do Brasil.

Homem sentado em frente a computador Descrição gerada automaticamente“O melhor do trabalho remoto é, sem sombra de dúvidas, o ganho de tempo. O que antes era gasto no deslocamento, agora pode ser utilizado para fazer outras coisas. Por outro lado, é desafiador manter a rotina, gerenciar as distrações e elevar a produtividade. É importante fixar um local de trabalho e seguir estabelecidos de expediente. A empresa segue funcionando nestes tempos de pandemia e a minha contribuição se torna ainda mais importante. A única diferença entre desempenhar o trabalho no escritório ou em casa é que as pessoas vão te ver com roupas informais e conhecer um pouco da sua residência. ”

Roberto Silva, gerente comercial da Accept, empresa especializada na produção e comercialização de Servidores, Storages, Workstations, GPUS Appliances de alta performance, Mini PCs, Desktops e Soluções em computação de alto desempenho.

downloadAttachment&Message%5Buid%5D=165261&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253C8e43d1c478401a22c7a3169ca15d6c46%2540mail.gmail.com%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3C8e43d1c478401a22c7a3169ca15d6c46%40mail.gmail.com%3E-1.9“Trabalhando em São Paulo, o home office agrega ainda mais na economia de tempo. Você pode investir esse ganho na vida familiar, em hobbies, projetos pessoais e na saúde. Por sermos seres sociais, o isolamento é um desafio do home office, principalmente em função da covid-19. As ferramentas de comunicação on-line atenuam a necessidade de interação. Em termos financeiros, há impacto. A casa vai ficar um bom tempo mais ativa e isso aumenta gastos. A maior recomendação para um home office eficiente é organização. É necessário separar um espaço na residência e não se distrair. É preciso também comprometimento com as atividades, consigo e com a empresa. Só mudamos de ambiente. O restante segue no mesmo ritmo.”

Elton John Bonfim, especialista de produtos da VAIO, marca de computadores pessoais representada no Brasil pela Positivo Tecnologia.

Homem sentado em frente a computador Descrição gerada automaticamente“Percebi um ganho de produtividade e na qualidade do trabalho. Consigo ser mais eficiente quando estou sozinho, mas isso é bem pessoal. Outro ponto positivo é a qualidade vida. Sem deslocamentos, ganhamos tempo. Em casa, é preciso ter ainda mais disciplina, manter boa alimentação e tirar o pijama. Colocar uma roupa, mesmo que casual, faz parte do ritual. Nosso cérebro precisa desses sinais. Por outro lado, relacionamento com as pessoas fica menos frequente. Mas minimizo esse fato ao interagir on-line com minha equipe e outros colegas. Entendo que será um período diferente, em que vamos desenvolver outros hábitos e criar novas formas de se relacionar e trabalhar. Esse é o lado bom da crise mundial relacionada ao novo coronavírus”.

Delivery de cervejas e ovos trufados — “quarentena” dos curitibanos

BeerMad investe em delivery próprio com entregas programadas de growlers e latinhas,

além de antecipar a Páscoa com opções de chocolate 100% belga

Quarentena. Home Office. Crianças em Casa. Sorte dos curitibanos que têm opções para quebrar a rotina, não é mesmo? Nos últimos dias uma onda ainda mais forte de delivery invadiu a capital, com opções que deixam o tédio de ficar em casa de lado, levando alegria e momentos especiais para dentro das casas.

Enquanto o SOUQ Curitiba permanece fechado – em medidas preventivas pela saúde e segurança da população - a BEERMAD (loja de cervejas artesanais) inovou mais uma vez e criou um serviço de delivery próprio, com atendimento personalizado de sommelier e entregas agendadas.

Growlers PET de 1 ou 2 litros, além de latinhas de 473 ml (crowler) estão disponíveis para o curitibano. “A cada semana pretendemos mudar os estilos de cervejas para levar a esse público novos sabores e experiências. Além de estarmos no iFood, estamos recebendo pedidos via ‘whats’ para dar um atendimento ainda mais personificado ao nosso cliente. Mas estamos torcendo muito para que tudo isso passe rápido, né” - comenta Daiane Santos – beer sommelier da loja.

A partir de hoje (27.03) as cervejas disponíveis para delivery são Weizenbock da Alright, Ipê Amarelo da Cervejaria Blumenau Crazy Train, da Locomotive, e Dry Stout da Haenchbier. Todos os rótulos foram premiados no Festival Brasileiro da Cerveja de 2020.

Páscoa: chocolate e cerveja!

E, de olho na páscoa, a BEERMAD já está fazendo entregas dos chocolates CACAU BEER. São ovos 100% feitos de chocolate belga, trufados e maciços com os sabores dos melhores estilos de cerveja. Estão disponíveis os ovos grandes no estilo “IPA” e “DRY STOUT” – com cristais de malte - e o kit com 4 ovos sortidos: IPA, APA, PURO MALTE e STOUT.

- IPA: (Indian Pale Ale): chocolate belga ao leite com 33% de cacau, marcante nota de lúpulo, além de aromas cítricos e frutados.

- APA (American Pale Ale): chocolate belga ao leite, 33% de cacau e cristais de malte, equilibrado, com delicados tons cítricos e florais e um leve toque de caramelo.

- PURO MALTE: puro malte em chocolate belga branco, cristais de malte, com sabor suave, finalizando com aromas cítricos.

- STOUT: chocolate belga de dry stout, com 40% de cacau e notáveis tons de torras de malte e café.

Serviço

Compras acima de R$ 80 tem frete grátis. Pagamento por transferência bancária ou com a máquina de cartão (nesse caso, o entregador toma todas as precauções de higiene orientadas pelos órgãos oficiais). Entregas via iFood ou Delivery próprio, pelo telefone/whats 041. 99721.4399

Valores

Kit com 4 latas: R$ 45

Litro da cerveja: R$ 28 (qualquer estilo)

Kit com 4 ovos pequenos: R$ 40

Ovos grandes: R$ 60 (unidade)

ARTIGO DA PRESIDENTE DO INSTITUTO TMO SOBRE DOAÇÕES:

Em tempos de pandemia, Instituto TMO solicita recursos para pessoas em tratamento de medula óssea

Instituto TMO - Sonia Moritz Perussolo e Casa Malice - foto Lourivalde Vieira Filho.jpg

Há 31 anos, o Instituto TMO dedica seu esforço, trabalho e dedicação a ações em prol do transplante de medula óssea. Em atividade desde 1988, esta associação de apoio sem fins lucrativos foi fundada por um grupo de empresários que perceberam a importância de colocar em prática uma necessidade fundamental de apoiar os centros de TMO (transplante de medula óssea) e outras doenças raras.

Nessa trajetória, o Instituto TMO realizou e apoiou ações beneficentes, jornadas e encontros nacionais, lançamentos de campanhas solidárias, além de levantar recursos para aquisição de equipamentos médicos e de insumos que beneficiam centenas de pacientes em tratamento de TMO no HC-UFPR/EBSERH. Desde 2016, mantém em funcionamento a Casa Malice, que acolhe e hospeda gratuitamente pessoas de outras cidades que vêm até Curitiba para realizar tratamento de medula óssea – este é o maior projeto da entidade.

No atual momento em que o mundo passa por movimentações de enfrentamento ao coronavírus, mais do que nunca o Instituto TMO precisa da colaboração do maior número de pessoas para dar continuidade a este trabalho e apoiar com recursos financeiros as necessidades de urgência e emergência do TMO-HC, que não são poucas, além da manutenção da Casa Malice.

Uma das formas de doar é por meio da campanha “Abrace o Leão e doe parte do seu imposto”, em que pessoas físicas podem doar até 3% do seu imposto de renda para Instituto TMO até o dia 30 de abril, prazo final em que a Receita Federal receberá as declarações dos contribuintes. As orientações sobre como doar estão no final deste texto.

Pessoas Jurídicas também podem contribuir, mas de uma forma diferente: doando até 1% do imposto devido, deduzindo o valor destinado no pagamento que será realizado no ano subsequente.

Além de doações via renúncia fiscal, o Instituto TMO conta com outras formas para receber contribuições, por meio de notas fiscais (nos programas Nota Paraná e Nota Curitibana) e doações diretas.

Caso você tenha interesse em abraçar a nossa causa e ajudar a manter nossa missão de acolhimento às pessoas na Casa Macile, é possível doar qualquer quantia por meio de deposito ou transferência bancária para a conta do Instituto TMO (Banco Bradesco – Agência 5759 – C.C: 0096331-3). Assim você não precisa sair da sua casa e pode fazer o bem a outras pessoas. Para mais informações, acesse o site www.institutotmo.org.br e clique na aba ‘apoie’.

Toda ajuda é muito bem vinda, para que pessoas em tratamento de transplante de medula óssea possam ter o apoio mais adequado possível nesta condição delicada pela qual passam suas vidas.

Sonia Regina Moritz Perussolo
Presidente do Instituto TMO

.....................................................

Como doar:

Critério: Declarar por formulário completo (seja IR a restituir ou a pagar). Valor: Até 3% do IR devido, referente ao exercício. O valor será calculado automaticamente pelo programa de declaração da receita federal.
1. DOAÇÃO: Depois de informar as possíveis doações realizadas em 2019 e terminar o preenchimento da sua declaração, selecione, “Resumo da Declaração” e escolha a opção “Doação diretamente na declaração – ECA”. Clique em “Novo”, escolha o “Fundo Municipal”; em UF, selecione “PR – Paraná”; e em Município, “Curitiba”. Na sequência digite o valor calculado pelo programa da receita federal.
2. IMPRESSÃO: Entre na opção “Imprimir” e selecione “DARF – Doações diretamente na declaração – ECA”.
3. PAGAMENTO: Pague a guia até o dia 30 de abri de 2020.
4. E-MAIL DE CONFIRMAÇÃO: Para direcionar sua doação a Associação Alírio Pfiffer/Instituto TMO, envie um e-mail para captacao@institutotmo.org.br, contendo as seguintes informações: Comprovante de pagamento do DARF de doação; nome completo, CPF, endereço e telefone. Obs.: O envio deste e-mail é fundamental para que o seu recurso direcionado aos nossos projetos.
Ou se preferir, entre em contato com o Instituto TMO para emitir a Darf.

Para outras formas de doação, acesse o site: www.institutotmo.org.br

RELEASE CAMPANHA:

Instituto TMO solicita recursos para pessoas em tratamento de medula óssea na campanha “Abrace o Leão e doe parte do seu imposto”

Há 31 anos, o Instituto TMO apoia o transplante de medula óssea (TMO) por meio de ações beneficentes, jornadas e encontros nacionais, lançamentos de campanhas solidárias, além de levantar recursos para aquisição de equipamentos médicos e de insumos que beneficiam centenas de pacientes em tratamento de TMO no HC-UFPR/EBSERH. Desde 2016, mantém em funcionamento a Casa Malice, que acolhe e hospeda gratuitamente pessoas de outras cidades que vêm até Curitiba para realizar tratamento de medula óssea – este é o maior projeto da entidade, que contabiliza mais de 373 pessoas atendidas e 8.522 hospedagens.

No atual momento de enfrentamento ao coronavírus, o Instituto TMO precisa mais do que nunca de colaboração para apoiar com recursos financeiros as necessidades de urgência e emergência o Setor de Transplante de Medula Óssea do HC, além da manutenção da Casa Malice.

Uma das formas de doar é por meio da campanha “Abrace o Leão e doe parte do seu imposto”, em que pessoas físicas podem doar até 3% do seu imposto de renda para Instituto TMO até o dia 30 de abril, prazo final em que a Receita Federal receberá as declarações dos contribuintes.

Pessoas Jurídicas também podem contribuir, mas de uma forma diferente: doando até 1% do imposto devido, deduzindo o valor destinado no pagamento que será realizado no ano subsequente.

Como doar:

Critério: Declarar por formulário completo (seja IR a restituir ou a pagar). Valor: Até 3% do IR devido, referente ao exercício. O valor será calculado automaticamente pelo programa de declaração da receita federal.

1. DOAÇÃO: Depois de informar as possíveis doações realizadas em 2019 e terminar o preenchimento da sua declaração, selecione, “Resumo da Declaração” e escolha a opção “Doação diretamente na declaração – ECA”. Clique em “Novo”, escolha o “Fundo Municipal”; em UF, selecione “PR – Paraná”; e em Município, “Curitiba”. Na sequência digite o valor calculado pelo programa da receita federal.

2. IMPRESSÃO: Entre na opção “Imprimir” e selecione “DARF – Doações diretamente na declaração – ECA”.

3. PAGAMENTO: Pague a guia até o dia 30 de abri de 2020.

4. E-MAIL DE CONFIRMAÇÃO: Para direcionar sua doação a Associação Alírio Pfiffer/Instituto TMO, envie um e-mail para captacao@institutotmo.org.br, contendo as seguintes informações: Comprovante de pagamento do DARF de doação; nome completo, CPF, endereço e telefone. Obs.: O envio deste e-mail é fundamental para que o seu recurso direcionado aos nossos projetos.

Para outras formas de doação, acesse o site: www.institutotmo.org.br

Orgânicos — abastecimento é normal

Organis lança ebook com orientações sobre orgânicos

A Organis – entidade representativa do setor orgânico, anuncia que o primeiro trimestre foi estável para o setor de orgânicos, apesar do cancelamento de algumas feiras internacionais, a produção e as exportações se mantiveram nos prazos, apesar da pandemia do Covid-19.
“Os impactos começam agora, em especial no mercado externo porque há muitas restrições de logística. No mercado interno, até agora, não se vislumbra desabastecimento de matéria prima e nem de produtos industrializados. Muitos dos associados da Organis destinaram estratégias de emergência para atender os varejistas e o consumidor final porque praticamente dobrou o interesse do cidadão, e com muita disposição em pagar o valor de um alimento mais saudável”, explica Clauber Cobi Cruz, diretor da Organis.
Com o aumento da demanda por alimentos orgânicos, a Organis lança um ebook com todas as informações sobre o produto. “Com o ebook “O que é produto orgânico?”, queremos que as pessoas saibam e valorize toda cadeia do setor, da semente ao cliente; consiga entender a legislação e o processo de rastreabilidade que garante o produto orgânico além do selo oficial. Empresas associadas foram sensíveis nesse momento e investiram na produção desse material, com informação de qualidade para o cidadão numa linguagem bem amigável”, explica o diretor da Organis.
Uma imagem contendo texto, placar Descrição gerada automaticamenteA Organis reestruturou seu planejamento de 2020, mas mantém a projeção de crescimento de 10% no ano. “Nossa estimativa era conservadora e com a crise da pandemia, talvez seja um número real: 10% ao ano. As feiras e os eventos nacionais foram adiados, mas as empresas vão manter seus lançamentos. Já dá para sentir que a procura por produto orgânico aumentou com a pandemia e novos consumidores vão conhecer a cadeia e colocar pelo menos um item na sua rotina de compras. Isso é muito importante e beneficia o produtor familiar e o supermercadista que terá mais opções para oferecer.
O ebook “O que é produto orgânico?” foi elaborado pela Organis e patrocinado por parceiros e empresas associadas: Ecocert, Organic4, Vapza, Itajá, Fazenda da Mata, Rio Bonito, Sta Julieta Bio. O download deve ser feito no site da entidade ou pelo link https://organis.org.br/o-que-e-produto-organico/

Tratamentos para calvície ajudam a recuperar autoestima

No início, é possível usar estimulantes para o crescimento dos fios, e atualmente já existe a opção de transplantes capilares mais precisos e naturais para casos mais avançados

O cabelo de Sansão, os diferentes penteados de Neymar, as ondas e o volume de Farrah Fawcett, o corte chanel e toda simbologia e significado por trás do Black Power e tranças de origem afro são alguns exemplos da importância que o cabelo sempre teve na sociedade.

Justamente por isso o cabelo é considerado a moldura do rosto. O corte que escolhemos e as cores que usamos ou não usamos são um reflexo de nossa personalidade e autoestima, e é por isso que a calvície pode afetar o emocional de quem sofre com a perda dos fios.

Para se ter uma ideia, homens revelaram que preferiam ter um pênis pequeno do que ficar careca em pesquisa realizada na Europa com dez mil entrevistados. A falta de cabelo os fazia se sentir menos masculinos, menos atraentes e até mesmo menos bem-sucedidos e poderosos, como informa reportagem do “The Guardian”.

Felizmente, hoje já é mais fácil para os homens falarem sobre o assunto. O fato de personalidades como o jogador de futebol Wayne Rooney já terem exposto publicamente a calvície e o que fizeram para reverter a falta dos fios impulsionou discussões sobre o tema.

O que é a alopecia androgenética

A calvície, ou alopecia androgenética, é uma forma de queda de cabelos geneticamente determinada, como explica a SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia).

Tanto homens quanto mulheres podem ser acometidos pela alopecia androgenética. A perda dos fios se inicia já na adolescência, mas só costuma ser realmente aparente após alguns anos, por volta dos 40 ou 50 anos.

Os cabelos ficam ralos e, progressivamente, o couro cabeludo fica mais aberto. Enquanto nos homens a perda de cabelo fica mais óbvia com o surgimento das conhecidas entradas da região frontal e a falta de fios na coroa, nas mulheres a região central é a mais acometida.

Tratamentos para a calvície

A SBD informa que o tratamento é feito com estimulantes para o crescimento dos fios e bloqueadores hormonais. O objetivo é barrar o avanço dos sintomas e tentar recuperar parte da perda, por isso é essencial buscar ajuda especializada assim que os primeiros sinais de calvície surgirem.

Nos casos mais avançados da alopecia androgenética, é possível apostar em um transplante capilar para recuperar o cabelo. Atualmente, os resultados são mais precisos e naturais, um ponto importante e essencial para quem já teve a autoestima abalada pela mudança na aparência.

O transplante robótico capilar ARTAS, por exemplo, utiliza um mecanismo que auxilia o cirurgião na execução da FUE, técnica consagrada que extrai fio a fio de uma região mais cheia do cabelo e transfere para a área onde ocorreu perda dos fios.

O robô realiza movimentos mais precisos, difíceis e repetitivos, melhorando os resultados da técnica. Além disso, esse mecanismo também atua diretamente na escolha dos folículos capilares que contém de um a seis fios, a partir do escaneamento do couro cabeludo.

Desta forma, o robô não apenas reduz o tempo de cirurgia como também apresenta uma perda quase desprezível de folículos no processo de retirada: cerca de 3% do total. Outro ponto positivo da técnica é que ela não deixa aquela cicatriz linear na região posterior da cabeça.

O transplante robótico capilar ARTAS é feito de forma exclusiva na cidade de São Paulo na EVERIN, novo Centro de Transplante Capilar.

Site para consulta: http://www.roboartas.com

Pesquisador do ICMC lança robô no WhatsApp para identificar sintomas da Covid-19

Pesquisador do ICMC lança robô no WhatsApp para identificar sintomas da Covid-19

Objetivo do CheckCorona é facilitar a triagem inicial de quem apresenta sintomas, orientando a procurar os hospitais somente as pessoas que, de fato, necessitem; ideia foi uma das selecionadas em desafio lançado para combater a pandemia

Usar a tecnologia para combater o novo coronavírus é um desafio que está mobilizando cientistas em todo o mundo. O doutorando Murilo Gazzola, do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, criou uma solução específica para ser utilizada no aplicativo de mensagens WhatsApp: o CheckCorona.

Basta adicionar o número +55 16 981128986 no WhatsApp, escrever CheckCorona e enviar a mensagem. Automaticamente, o robô criado por Murilo responde a solicitação e envia instruções para ajudar você a identificar quais medidas deve tomar. “Trata-se de um robô programado para fazer perguntas simples e realizar uma espécie de primeiro atendimento por meio do aplicativo de mensagens”, explica Gazzola.

Quando a pandemia do novo coronavírus avançou mundo afora, o doutorando identificou que muitas dúvidas surgiriam, especialmente sobre quando as pessoas deveriam ir ao hospital, caso apresentassem algum sintoma. Assim, voluntariamente, ele desenvolveu o robô e colocou a solução no ar dia 29 de fevereiro.

O projeto está entre as 71 ideias selecionadas no Desafio Covid-19, iniciativa do Ministério Público de Pernambuco e da Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco que contabilizou um total de 543 propostas inscritas e disponibilizará até R$ 1,3 milhão em prêmios.

Realizado por meio do Porto Digital e de seu Open Innovation Lab, o Desafio Covid-19 começou na sexta-feira, dia 20 de março, e propôs o desenvolvimento de soluções para a pandemia que fossem altamente impactantes e implementadas em curtíssimo prazo. “O impacto desejado é o de diminuir a velocidade de contágio possibilitando que o número de infectados graves com necessidade de internação esteja dentro da capacidade operacional do sistema de saúde, bem como a minimização do impacto da transmissão do vírus”, consta no site da iniciativa.

Segundo Gazzola, o robô foi criado a partir das normas internacionais do Centro Europeu de Prevenção e Controle das Doenças (ECDC) para ajudar as pessoas a tomarem as melhores decisões, evitando pânico desnecessário e tranquilizando pacientes que não estão com sintomas claros da doença. Em caso de um resultado afirmativo, a ferramenta orienta a pessoa aos próximos passos, como isolamento e quando buscar por tratamento e testes laboratoriais.

Aprendizado aplicado – Foi durante seus estudos no ICMC, sob orientação da professora Sandra Aluísio, que Gazzola teve a oportunidade de compreender técnicas de processamento de língua natural (PLN) e aprendizado de máquina profundo (deep learning) e obter os conhecimentos técnicos fundamentais para construir esse tipo de solução em grandes volumes de dados (big data). Antes de criar o CheckCorona, o doutorando desenvolveu, em 2018, uma aplicação para WhatsApp voltada a detectar fake news em conjunto com outros pesquisadores do Núcleo Interinstitucional de Linguística Computacional (NILC) do ICMC.

“Meu objetivo é colocar em prática o que aprendi e ajudar a sociedade. Esse foi um dos motivos que me levaram a não ir embora do Brasil”, revela Gazzola. Ele diz ainda que optou por criar uma aplicação para o WhatsApp porque a ferramenta é amplamente utilizada no país por pessoas de todas as classes sociais, diferentemente de aplicativos que, para serem instalados, demandam a utilização de smartphones mais modernos.

Texto: Denise Casatti – Assessoria de Comunicação do ICMC

Saiba mais
Acesse o CheckCorona: adicione o número +55 16 981128986 no WhatsApp, escreva CheckCorona e envie a mensagem
Site com mais informações: https://otwoo.com.br/?p=1149
Sobre o Desafio Covid-19: https://desafiocovid19.mppe.mp.br

Legendas e créditos das imagens:
imagem1.jpg - Para ter acesso ao robô, basta adicionar o número +55 16 981128986 no WhatsApp, escrever CheckCorona e enviar a mensagem. Automaticamente, o robô começará a interagir com você. (crédito da imagem: tela do WhatsApp)

imagem2.jpg - Murilo Gazzola faz doutorado no ICMC, sob orientação da professora Sandra Aluísio (crédito da imagem: Reinaldo Mizutani)

imagem3.jpg - O CheckCorona foi um dos 71 projetos selecionados no Desafio Covid-19, iniciativa do Ministério Público de Pernambuco e da Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco que contabilizou um total de 543 propostas inscritas.(crédito da imagem: site do Desafio Covid-19)

M. Dias Branco Sul e Sudete Isabela ensina como incrementar massas instantâneas e sugere duas receitas deliciosas

Os preparos são super fáceis de fazer e vão surpreender todos de casa!

Se tem um ingrediente que não pode faltar na despensa são as massas instantâneas, práticas e econômicas, são opções que agradam toda família. Além disso, elas podem ser incrementadas com itens comuns e fáceis de encontrar na despensa.

Legumes, verduras e carnes, por exemplo, podem se tornar deliciosos incrementos no preparo de lámens, tornando a receita ainda mais nutritiva e saborosa.

Confira duas dicas de Isabela, marca de massas, biscoitos e torradas da região Sul do País, para surpreender todos de casa, afinal o sabor de família fica!

Lámen de galinha ao molho cremoso com amêndoas

Ingredientes:
1 pacote de Macarrão Instantâneo Isabela Sabor Galinha
200ml de leite
50 g de queijo cremoso
20 g de amêndoas, trituradas
20 g de parmesão, ralado
raspas de limão a gosto

Modo de Preparo:

- Em uma panela pequena, aqueça o leite, junte o queijo cremoso, o pacotinho de tempero de galinha, mexa delicadamente e deixe ferver.

- Acrescente as raspas de limão e reserve.

- Em uma panela pequena, ferva 450ml de água. Junte o Macarrão Instantâneo Sabor Galinha e deixe cozinhar por 3 minutos.

- Retire do fogo, escorra, acrescente o molho cremoso, polvilhe por cima as amêndoas, o queijo parmesão e sirva a seguir.

Rendimento: 1 porção
Tempo de Preparo: 10 minutos

Lámen Italiano

Ingredientes:
1 embalagem de Lámen sabor Galinha Caipira Isabela
1 tomate picado em cubinhos
¼ xícara (chá) de azeitonas verdes picadas
3 colheres (sopa) de requeijão cremoso
orégano seco a gosto
3 colheres (sopa) de folhas de manjericão

Modo de Preparo:

- Em uma panela, ferva 2 ½ copos de água (450 ml), junte o Lámen e cozinhe-o por 3 minutos.

- Acrescente o tempero do envelope, mexa, junte o tomate, as azeitonas, o requeijão e o orégano. Retire do fogo, finalize com o manjericão e sirva imediatamente.

Rendimento: 2 porções
Tempo de preparo: 10 minutos

Para mais informações sobre a Isabela, acesse www.isabela.com.br

Sobre a Isabela

Líder em vendas nas categorias de Massas e Biscoitos na Região Sul do Brasil, a marca Isabela, que pertence ao portfólio da M. Dias Branco S.A Indústria e Comércio de Alimentos, atua no mercado há mais de 60 anos. A marca é Top of Mind de massas e biscoitos há 29 anos consecutivos segundo a Revista Amanhã (RS) e foi contemplada pela 19ª vez consecutiva como a marca preferida e mais lembrada na categoria Biscoitos do Prêmio Marcas de Quem Decide 2019, segundo o Jornal do Comércio. Com o slogan “O sabor de família fica”, possui mais de 70 produtos em seu portfólio, entre eles as crocantes e fresquinhas Torradas, os Bolinhos Toons e o biscoito sabor Leite, um ícone da marca. Recentemente, foram lançadas as farinhas de Trigo que compõem a nova linha de produtos da marca, atendendo consumidores e, também, transformadores. As farinhas Isabela têm alta performance e são ideais para o preparo de bolos, pizzas, pasteis, massas frescas, entre outros pratos.

Sobre M. Dias Branco S. A. Indústria e Comércio de Alimentos

Contando com mais de sessenta e cinco anos de existência, a M. Dias Branco S.A. Indústria e Comércio de Alimentos é uma empresa do setor de alimentos com ações negociadas no segmento do Novo Mercado na B3. A Companhia produz e comercializa biscoitos, massas, farinha e farelo de trigo, margarinas e gorduras vegetais, snacks, bolos, mistura para bolos, cobertos de chocolates e torradas. Sediada em Eusébio (CE), a empresa é líder de mercado em biscoitos e massas no Brasil, é a sexta maior empresa de massas e a sétima de biscoitos no ranking global por faturamento. Suas operações geram mais de 17 mil empregos diretos em diferentes regiões, refletindo o seu compromisso com fatores importantes para o desenvolvimento econômico e social do país.

Sua história começou ainda na década de 40 quando o comerciante e imigrante português, Manuel Dias Branco inaugurou a Padaria Imperial, em Fortaleza (CE). Atualmente, a M. Dias Branco possui um moderno parque industrial com equipamentos de última geração, seguindo os mais rigorosos padrões de qualidade, operando com um modelo de integração vertical que permite a produção de suas mais importantes matérias-primas, a farinha de trigo e a gordura vegetal, utilizadas no processo de produção. Suas marcas são sinônimo de tradição e qualidade, estabelecendo um vínculo de confiança e respeito com o consumidor. A estrutura operacional da M. Dias Branco S.A. Indústria e Comércio de Alimentos, com sede no Estado do Ceará, conta com 15 unidades industriais e mais de 35 filiais comerciais distribuídas em diferentes Estados do País, garantindo uma cobertura nacional que possibilita a presença de suas marcas em todo o território nacional, assim como em mais de 30 países em todos os continentes.

mmartan e casa moysés dão dicas para manter o lavabo higienizado e bem decorado

Pequeno, porém não menos importante, os lavabos vêm ganhando protagonismo no cenário atual. Nunca antes foi tão urgente lavar as mãos assim que se entra em casa, higienizar objetos de uso comum e ter atenção ao uso de itens comuns, como toalhas de mãos e rosto. Por isso, a mmartan e a casa moysés indicam abaixo alguns itens para deixar seu lavabo em dia e dá dicas sobre como mantê-los higienizados:

Funcional, o porta-sabonete líquido Exuberante da mmartan confere elegância ao lavabo, com seu design que combina minimalismo e sofisticação. Para manter a superfície de contato do objeto sempre limpa e livre do risco de contágio de doenças, faça higienização com água e sabão ou álcool 70%. Não esqueça também de higienizar da mesma maneira a torneira e a maçaneta da porta do lavabo.

Confeccionada em puro algodão, a toalha de lavabo fio penteado Luxury, da casa moysés, proporciona maciez e conforto ao secar das mãos. Com acabamento bordado, a peça é neutra e combina com todos os estilos de décor. Procure trocar todos os dias a toalha de lavabo para evitar mal cheiro, causado pela umidade em razão do uso. É importante também separar uma toalha específica para quem está com sintomas de gripe ou resfriado.

Toalha de piso One for All mmartan é confeccionada em puro algodão. De toque macio e suave, a toalha de piso está disponível em diversas cores para atender as mais diversas personalidades e decorações. Procure trocar a toalha de piso após três dias de uso, mais ou menos, para evitar o acumulo de sujeira.

Um dos hits casa moysés, o aromatizante de ambiente Bamboo traz uma fragrância floral cítrica, unindo notas que criam uma atmosfera energizante e fresca. Bamboo transforma a atmosfera dos espaços, transmitindo sensação de bem-estar. Não esqueça de higienizar a superfície da embalagem com água e sabão ou álcool 70%.

mmartan
www.mmartan.com.br
casa moysés
www.casamoyses.com.br

PENSANDO EM PROVAR UM CHARUTO PELA PRIMEIRA VEZ? NOVATOS: FIQUEM ATENTOS A ESSAS DICAS

Tradicionalmente entregue em maternidade e comum em reuniões de negócios, os charutos ainda aguçam a curiosidade e são repletos de pré-conceitos.
No mundo corporativo, por exemplo, ele se faz presente em reuniões e acordos comerciais, na vida pessoal, ele costuma ser entregue na maternidade, aos amigos e familiares na primeira visita ao novo membro da família. E no dia a dia, é comumente visto em rodas de executivos ou em momentos solo, após o jantar.
Por isso, se quiser aderir a esse hábito ou apenas conhecer mais sobre esse universo, fique atento as dicas que a Europa Lounge nos repassou. Para começar, é importante dizer que assim como os vinhos, os charutos também podem variar de acordo com a safra e o formato e que o novo apreciador precisará conhecer desde as técnicas de armazenamento e transporte, até como acender e tragar.
Afinal, pequenos detalhes fazem toda a diferença. O primeiro passo é olhar a espessura e a cor da folha que envolve o charuto. Não é uma regra, mas em geral, os mais finos e mais claros costumam ser mais suaves, assim como os charutos mais longos que costumam ser ótimas escolhas para iniciantes. Os charutos possuem notas que variam desde madeiras e condimentos até especiarias e frutas, e aos poucos o novo adepto irá conhecendo o seu paladar. Ainda sobre o visual, a alteração de cor ao redor da capa deve ser sutil ou inexistente, se ela estiver ressacada, evite, já que essa é uma das características de um charuto de má qualidade. Um bom charuto precisa ser firme, nem muito mole, nem duro.
Depois de definido o tipo de charuto, é preciso saber cortá-lo. Adquira um cortador estilo guilhotina que fará um corte mais preciso, sem picotar o charuto (fundamental para equilibrar o nível de fumaça e gerar um fluxo mais agradável). Em seguida, vai surgir aquela dúvida: por que algumas pessoas retiram a anilha e outras não? Isso é uma regra? Esse selo que envolve o charuto e traz informações sobre modelo e fabricante, ainda gera controvérsias nos amantes de charutos.
Por fim, chegou a hora de degustar do charuto. Bebidas como rum, uísque, vinho do porto e licor harmonizam super bem com qualquer estilo. Mas, se a escolha foi por um charuto leve, bebidas que possuam teor alcoólico mais baixo (ou nenhum), tornam-se as ideais.
Com o charuto definido e a bebida escolhida, basta se posicionar em um lugar agradável. Na hora de acendê-lo, opte por isqueiros de gás butano e jamais um de fluído. Procure criar uma chama inodora de modo que não altere as características iniciais do charuto.
Após o acendimento por completo, leve-o a boca e dê a primeira puxada. Não trague! Cheire, sinta o aroma e a textura e desfrute de cada puxada.
Sobre a Europa Lounge: Composta por quatro ambientes autorizados para o consumo de produtos fumageiros e um deck ao ar livre, a Europa Cigar Lounge está localizada em uma privilegiada região (Jardins) o que a torna ponto de encontro dos amantes dos charutos. Com wi-fi, televisão e ar condicionado, os espaços permitem solitude e privacidade, seja para aproveitar momentos individuais ou para compartilhar com amigos e realizar reuniões com até oito pessoas. A Tabacaria comercializa charutos a partir de R$ 20,00 como o nacional Dona Flor; passando pelo Romeu e Julieta e o Patagás (R$ 38,00) até chegar a um Cohiba Pirâmide Extra (R$350,00), de modo a atender o seleto e fiel público frequentador da casa. Eles ainda realizam e sediam inúmeros eventos de degustação de charutos, oferecem cofres com umidificadores para os clientes e um bar completo de drinks. Saiba mais em: www.europacigarlounge.com.br