KOPENHAGEN NA PÁSCOA 2020 — NOVO CLÁSSICO

A marca aposta em novos formatos para a Linha Exagero, reforçando sabores icônicos, além de apresentar lançamentos exclusivos
São Paulo, março de 2020 - Com a chegada de uma das épocas mais esperadas do ano para os amantes de chocolate, a Kopenhagen, líder do segmento no Brasil, apresenta uma Páscoa inspirada em seus clássicos irresistíveis e em novos clássicos.

Com um portfólio de 54 itens, sendo 25 lançamentos, a marca destaca as novas versões da sua linha Exagero, para oferecer uma experiência ainda mais marcante e com o dobro de recheio para fãs dos clássicos Nhá Benta, Lajotinha e Língua de Gato, e inova com edições inéditas, com o
lançamento dos novos clássicos Melt, Soul Good e Dark.

“O nosso objetivo para este ano é surpreender os nossos consumidores com produtos que ampliam a experiência do ano passado com a linha Exagero, trazendo para o mercado os Clássicos e Novos Clássicos, para reforçar a tradição e criar novas memórias. Esta Páscoa terá um gosto especial, afinal o chocolate Kopenhagen é amado por todo o Brasil, e queremos proporcionar uma comemoração exageradamente deliciosa”, afirma Renata Moraes Vichi, vice-presidente do Grupo CRM (Chocolates Cacau Brasil, Kopenhagen e Lindt).

Novidades na linha Exagero

Neste ano, a Kopenhagen traz como novidade seis novas versões na linha Exagero, sendo 3 delas inspiradas em seus produtos clássicos: Ovo Língua de Gato Exagero, Ovo Lajotinha Exagero e Ovo Nhá Benta Exagero. E os novos clássicos: Ovo Melt Exagero, Ovo Dark 60% Exagero e Ovo Soul Good Amendoim Exagero. Todos os ovos contam com um delicioso exagero de recheio.
Novidades na linha Infantil, figuras e Soul Good

A linha infantil apresenta cinco novidades no portfólio: o Lingato ganha a versão Ovo Lingato Garrafa, acompanhado de uma garrafa exclusiva; Ovo Infantil Almofada acompanha uma almofada Lingato e o Ovo Lingato Trufado, com recheio de chocolate ao leite. O Ovo Seleção Brasileirinha, em parceria com a CBF, acompanha bola oficial do canarinho e mascote da seleção, já o Ovo Kit Maquiagem acompanha estojo com seis pincéis.

Para a linha Figuras, ideal para quem deseja fugir dos ovos tradicionais, a marca também preparou lançamentos, e todos podem ser uma ótima opção de presente: Ovinho ao Leite, Figuras de Páscoa, com formatos variados de lebre, cenoura, ovinho e o famoso Kopelhão, além do Ovinho Língua de Gato Trufado, Ovinho Chumbinho e Ovinho Nhá Benta.

Já para a linha Soul Good, a marca traz dois ovos inéditos com o conceito clean label, os Ovos Língua de Gato Soul Good e o Soul Good 70% são
ideais para dietas com restrição a lactose.

Desconto de 30% e entrega grátis

Para garantir que toda a doçura e o encanto da Páscoa cheguem até as famílias brasileiras num contexto em que as medidas de prevenção ao Coronavírus COVID-19 recomendam que as pessoas fiquem em casa, a Kopenhagen incentiva seus consumidores a planejarem e anteciparem as compras de Páscoa pelo e-commerce, com frete grátis exclusivo até 12/04/2020, ou com o aplicativo de entregas Rappi para todas as áreas de cobertura, além do serviço de delivery que está sendo realizado pelas lojas Kopenhagen nesse contexto especial – os clientes podem consultar o site www.kopenhagen.com.br para saber as regiões atendidas pelo e-commerce.

A marca também oferece uma promoção especial para todo o país: 30% de desconto para todos os itens de Páscoa. O desconto é válido até 12/04/2020, ou enquanto durarem os estoques.

Promoção

Para incentivar ainda mais a frequência de compras do portfólio, como também a aproximação da marca com os clientes, a Kopenhagen preparou uma promoção exclusiva para clientes Kop Club. Do período de 09 de março a 12 de abril de 2020, nas compras acima de R$250,00, o cliente ganha um voucher de 50% de desconto para sua próxima compra. Algumas regras:

- Período de troca do voucher: 13/4 a 13/5, disponível no site Kop Club, acesso via login.
- Válido apenas 01 troca de voucher por CPF.
- Desconto máximo de R$1.000,00
Para conferir o regulamento e informações gerais da promoção, acesse www.kopclub.com.br

[+] SOBRE OS PRODUTOS DE PÁSCOA: LINHA EXAGERO

Lançamento

Ovo Língua de Gato Exagero

380g |Preço: R$ 119,90

Lançamento

Ovo Melt Exagero

380g |Preço: R$ 119,90

Lançamento

Ovo Lajotinha Exagero

380g |Preço: R$ 119,90

Lançamento

Ovo Nhá Benta Exagero

400g |Preço: R$ 119,90

Lançamento

Ovo Dark 60% Exagero

380g |Preço: R$ 119,90

Lançamento

Ovo Soul Good Amendoim Exagero

380g |Preço: R$ 119,90

CLÁSSICOS

Ovo 4 Clássicos

350g |Preço: R$ 119,90 650g |Preço: R$ 199,90

Ovo Cherry Brandy

360g |Preço: R$ 119,90 Lançamento 590g |Preço: R$ 199,90

Ovo Língua de Gato

150g |Preço: R$ 54,90 Lançamento 300g |Preço: R$ 99,90
500g |Preço: R$ 149,90

Ovo Língua de Gato Extra Cremoso

300g |Preço: R$ 99,90

Ovo Língua de Gato Branco

300g |Preço: R$ 99,9

TRADICIONAIS
Ovo Chumbinho

300g |Preço: R$ 99,90

Ovo Nhá Benta Special

210g |Preço: R$ 64,90

Lançamento

Ovo Lajotinha

200g |Preço: R$ 64,90

Ovo Keep Kop Crocâncias

300g |Preço: R$ 94,90

Ovo Special Nuts

300g |Preço: R$ 99,90

Ovo Crocante

150g |Preço: R$ 49,90 300g |Preço: R$ 94,90

Ovo ao Leite

150g |Preço: R$ 49,90 300g |Preço: R$ 94,90

ESPECIAIS

Ovo Língua de Gato Amargo

300g |Preço: R$ 99,90

Ovo Amargo com Laranja Cristalizada e Amêndoas

150g |Preço: R$ 54,90

Régua Ovinhos Amargos Degradê

120g |Preço: R$ 49,90

BLACK AND WHITE
Lançamento

Ovo Língua de Gato Soul Good

300g |Preço: R$ 109,90

Lançamento

Ovo Língua de Gato Soul Good

300g |Preço: R$ 109,90

DELUXE
Ovo Black & White Macadâmia Caramelizada

300g |Preço: R$ 109,90

Ovo Black & White

175g |Preço: R$ 56,90

Lançamento

Ovo Deluxe

1.1 Kg |Preço: R$ 399,90

INTANTIS

Lançamento

Ovo Lingato Garrafa

160g |Preço: R$ 109,90

Lançamento

Ovo Infantil Almofada

150g |Preço: R$ 109,90

Lançamento

Ovo Seleção Brasileira

150g |Preço: R$ 109,90

Lançamento

Ovo Kit Maquiagem

160g |Preço: R$ 109,90

Lançamento

Ovinho Lingato Trufado

75g |Preço: R$ 19,90

FIGURAS

Régua Ovinhos Clássicos
235g |Preço: R$ 62,90

Paskop ao Leite

80g |Preço: R$ 25,90

Lançamento

Figuras de Páscoa

98g |Preço: R$ 24,90

Cenoura ao Leite

50g |Preço: R$ 16,90
Lançamento

Figuras de Páscoa

60g |Preço: R$ 19,90 120g |Preço: R$ 29,90 155g |Preço: R$ 39,90

Lançamento

Ovinho Língua de Gato Trufado

75g |Preço: R$ 19,90

Lançamento

Ovinho Chumbinho

40g |Preço: R$ 14,90

Lançamento

Ovinho Nhá Benta

20g |Preço: R$ 9,90

Kopenhão

30g |Preço: R$ 14,90

LATAS

Miniovinhos Língua de Gato Trufado

250g |Preço: R$ 69,90

Miniovinhos Cremosos Licorosos

250g |Preço: R$ 69,90

Miniovinhos Soul Good

250g |Preço: R$ 69,90

CESTAS

[+] SOBRE A KOPENHAGEN
Cesta Premium

1.505 Kg |Preço: R$ 499,90

Cesta Special

1.035 Kg |Preço: R$ 390,90

Marca de luxo com 92 anos de história que se mostra ousada e inovadora. Esta é a Kopenhagen, líder e precursora no segmento de chocolates finos no Brasil que, desde 1928, está presente nos mais doces momentos dos fãs e apreciadores dos sabores únicos de seus produtos. A Kopenhagen demonstra ser a escolha certa na hora de presentear ou degustar clássicos, como Nhá Benta, Língua de Gato, Chumbinho, Lajotinha, Bala Leite ou Cherry Brandy. Hoje, a marca possui mais de 380 lojas, duas delas lojas-conceito, uma na cidade de São Paulo, na Rua Oscar Freire, e a outra no Rio de Janeiro, no Village Mall.

Para saber mais sobre a Kopenhagen, visite o site e as redes sociais:

Facebook: www.facebook.com/ChocolatesKopenhagen YouTube: www.youtube.com/user/ChocolatesKopenhagen

Instagram: @Kopenhagen_ Loja: loja.kopenhagen.com.br Twitter: @Kopenhagen_
SAC: 0800 100 678

*com divulgação SP

Escoteiros do Brasil lançam plataforma online de atividades educativas

Em meio à pandemia do coronavírus, os Escoteiros do Brasil oferecem novas iniciativas de educação não formal para crianças e jovens

Adeptos da vida ao ar livre e das atividades junto a natureza, mais de 110 mil jovens e adultos em todo o país estão buscando novas alternativas para seguir realizando atividades escoteiras. Pensando nisso, os Escoteiros do Brasil lançam nesta quarta-feira (25) o projeto Escoteiros Online. A iniciativa contribui para a democratização do acesso à informação e permite que o desenvolvimento do programa educativo proposto pela organização seja realizado nesse momento de afastamento social, mesmo que à distância e de forma virtual.

Segundo o presidente dos Escoteiros do Brasil, Rafael Macedo, esta é uma maneira de reforçar a importância do Movimento Escoteiro no enfrentamento da crise que toda a sociedade está passando neste momento. "O escotismo surgiu há mais de cem anos e sempre atuamos de modo a contribuir na construção de um mundo melhor, agora não seria diferente. Este novo projeto, mais do que uma medida de enfrentamento à crise atual, é também uma maneira inovadora de praticar o escotismo e levar a nossa proposta educativa para milhares de famílias brasileiras que agora estão procurando alternativas saudáveis de educação e entretenimento, enquanto permanecem no isolamento domiciliar. Afinal, o escotismo continua muito ativo e relevante para os jovens e suas famílias", considera Macedo.

Todo o trabalho será realizado por meio de uma nova plataforma disponível em www.escoteirosonline.org.br. A programação de conteúdo está sendo elaborada por voluntários e profissionais das mais diversas áreas, de diversos estados do país. Diariamente serão publicados artigos, dicas de saúde, sugestões de atividades escoteiras, transmissões ao vivo, vídeo aulas, além de atividades educacionais que serão realizadas com parceiros institucionais dos Escoteiros do Brasil.

A primeira grande ação online será no próximo sábado, dia 28 de abril, durante o Festival Digital da Hora do Planeta, promovido pelo WWF-Brasil. Os escoteiros irão realizar uma transmissão ao vivo sobre diferentes tipos de nós escoteiros, às 10h30, além de participarem de uma live exclusiva com especialistas sobre os cuidados com os oceanos, florestas, consumo consciente e mudanças climáticas, às 14h. Ambas as atividades serão divulgadas e compartilhadas nos canais oficiais do WWF-Brasil, dos Escoteiros do Brasil e, em especial, na nova plataforma dos Escoteiros Online.

Serviço:

Plataforma de educação não formal Escoteiros Online

Disponível em www.escoteirosonline.org.br

Escoteiros do Brasil

Os Escoteiros do Brasil é a única organização do país reconhecida e certificada pela Organização Mundial do Movimento Escoteiro. É responsável por dirigir e acompanhar as práticas escoteiras adotadas no Brasil. Ao todo, são mais de 110 mil escoteiros, reunidos em 1533 Unidades Escoteiras locais, em 722 cidades espalhadas em todo o território nacional.

Ferramenta de educação não formal, o Escotismo ultrapassa as barreiras e se firma como um movimento educacional por proporcionar aos jovens desenvolvimento em diferentes áreas, de forma sempre contemporânea e variada. O Movimento Escoteiro é uma organização do terceiro setor, sem fins lucrativos, que atende crianças, adolescentes e jovens por meio de um programa educativo próprio, presente há mais de 100 anos no Brasil. Saiba mais em https://www.escoteiros.org.br

https://www.facebook.com/EscoteirosDoBrasilOficial

https://www.instagram.com/escoteirosdobrasil

(COVID-19) Produtores de Cachaça doam 70 mil litros de álcool 70%

As primeiras doações estão previstas para os próximos dias e serão destinadas aos serviços do Sistema Único de Saúde (SUS), inicialmente, dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará, Alagoas e Rio Grande do Sul

O Instituto Brasileiro da Cachaça – IBRAC, entidade nacional representativa do setor produtivo Cachaça, anuncia a doação inicial, prevista já para os próximos dias, de mais de 70 mil litros de álcool etílico hidratado a 70% vol. feita por produtores de Cachaça associados e demais empresas do setor para colaborar no combate ao COVID-19. O volume será destinado para fins de emprego nos serviços do Sistema Único de Saúde (SUS) e demais órgãos públicos destinados ao atendimento da população, que poderão, por sua vez, doar estes produtos para as populações mais expostas.

A informação foi confirmada após a publicação de nota técnica da Anvisa esclarecendo procedimentos para a produção e a doação do álcool a 70% de volume.

Os serviços do SUS que receberão as doações serão, inicialmente, de cidades dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará, Alagoas e Rio Grande do Sul. Segundo Carlos Lima, diretor executivo do IBRAC, a expectativa é que mais empresas produtoras de Cachaça e de bebidas alcoólicas iniciem a produção de álcool etílico para doações.

"Houve do setor um cuidado muito grande em fazer esse processo com o máximo de segurança possível. Por esse motivo, na semana passada pleiteamos junto à Anvisa uma autorização, em caráter emergencial e excepcional, para que os nossos associados pudessem produzir, padronizar, envasar, transportar esse álcool. No fim de semana, a ANVISA publicou uma nota técnica, que foi atualizada nesta terça-feira, esclarecendo os critérios a serem adotados por todos que queiram produzir e doar álcool a 70%.", enfatiza Lima.

Considerando que a produção de bebidas alcoólicas é regulamentada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), o órgão foi devidamente comunicado pelo IBRAC sobre essa mobilização do setor e, também, para fins de orientação. O executivo do IBRAC ainda ressalta a agilidade com a qual o governo brasileiro vem tratando esses temas e informa que o Instituto está incentivando os seus associados diretos e entidades associadas a fazerem parte desta importante iniciativa.

Ouro Fino Estância Hidromineral Ouro Fino suspende visitações por tempo indeterminado

A medida foi tomada para conter a disseminação do novo coronavírus

A Estância Hidromineral Ouro Fino estará fechada para visitação por tempo indeterminado em razão da pandemia provocada pelo novo coronavírus (COVID-19). A medida começou na quarta-feira (18) como forma de precaução em relação à saúde pública e seguindo as recomendações do Ministério da Saúde e do Governo do Estado do Paraná.

Segundo o CEO da Águas Ouro Fino, Marcelo Marques, mesmo que o parque seja um local aberto, ele possui espaços de uso compartilhado que podem gerar aglomerações de pessoas. “Prezamos pelo bem-estar da comunidade local e dos nossos visitantes. Buscando evitar a disseminação do coronavírus, decidimos fechar a Estância para visitação, seguindo as orientações necessárias”, reforça Marques.

Para mais informações, entre em contato com a Estância Ouro Fino pelo telefone (41) 3648-6000 ou pelo e-mail sac@aguasourofino.com.br.

CONTATOS DE IMPRENSA

EXCOM COMUNIÇÃO
Kamilla de Almeida / Karina Trzeciak
41 99271-1281 / 41 99827-8063
kamilla@excom.com.br / karina@excom.com.br

SOBRE A OURO FINO

A Águas Ouro Fino, que envasa e comercializa água mineral natural há 120 anos, possui uma longa e expressiva trajetória. Uma empresa dedicada a hidratação saudável, bem estar e qualidade de vida, com uma área de preservação ambiental de mais de 6 milhões de m², que investe no crescimento de seus colaboradores e também em inovação, tecnologia e gestão. São nove linhas de envase e com uma fonte de água mineral natural de alta capacidade e qualidade assegurada. A sede está localizada no município de Campo Largo, região metropolitana de Curitiba.

Economia Criativa é uma aposta do Sesi Cultura Paraná

O segmento inspira criatividade e inovação, principalmente em época de coronavírus

Chico Santos.jpg
Crédito foto: Chico Santos

O Sesi Cultura Paraná investe no segmento cultural e aposta sempre em novidades e inovação. Grandes projetos são realizados desde 2008 e a evolução em cada ano traz à marca conquistas que atraem grandes talentos. Agora, com o impacto do coronavírus o setor precisa se reformular, buscando novas estratégias tecnológicas para que a arte continue a se manifestar.

Segundo a Rede de Economia Criativa (Rec), o setor gera 30 milhões de reais e movimenta 3% do PIB mundial. O segmento ganha cada vez mais espaço e as indústrias já geram em torno de 30 milhões de empregos com movimentação de US$ 2,5 bilhões ao ano. O Sesi Cultura Paraná faz parte desses números, tendo como exemplo os Núcleos Criativos espalhados por várias cidades do estado do Paraná, como também os 11 equipamentos (teatros) que trazem durante o ano programações que envolvem diversas áreas como - Artes Cênicas, Artes Visuais, Audiovisual, Música, Games, Moda e Design.

Para o ano de 2020, com a chegada do coranavírus que modificou a dinâmica do mundo em sua forma de viver, a arte não pode ficar para trás - com isso, o apoio a inovação e ferramentas tecnológicas para que os artistas continuem ativos não faltam para o Sesi.

Nesse cenário, o primeiro passo foi criar um movimento em suas redes sociais com a #SesiIndica, em que são divulgados os trabalhos dos artistas que exploram o universo online. O movimento é um incentivo às pessoas para continuarem consumindo arte. Por meio das redes sociais, é possível atingir um grande público que apoia a cultura. Outras ideias estão surgindo para que os artistas possam movimentar ainda mais a economia criativa em parceria com o Sesi.

Florense Carlos de Carvalho e chef Guga Torelli trazem projeto especial para as redes sociais em tempos de quarentena

Lives com o chef especialista em cuisine santé e alimentação saudável trazem dicas de lifestyle, saúde mental e cuidados com os alimentos
A Florense Carlos de Carvalho e o chef especialista em cuisine santé e alimentação saudável, Guga Torelli, juntaram-se nas redes sociais para criar conteúdos sobre gastronomia e cuidados com a mente e corpo, durante o período de quarentena. As lives no Instagram acontecem segundas, quartas e sextas-feiras, às 10h, e serão transmitidas no perfil @gugatorelli.
A proposta é trazer informações sobre como manter um estilo de vida saudável nesse momento de isolamento social. "A ideia é dar vida e criatividade a quarentena das pessoas, que estão nas redes sociais, por meio do paladar", esclarece Guga Torelli. Nas lives, serão apresentadas dicas de receitas para produzir com a família, cuidados com os alimentos e como manter a mente saudável durante a quarentena.
Para o sócio da Florense Carlos de Carvalho, Nelson Calcagnotto, o intuito da ação é ajudar os profissionais que escolheram ficar em casa, durante esse momento de quarentena, criando conteúdos voltados para o seu estilo de vida. "Sabemos que o isolamento pode ser difícil, por isso incentivamos projetos que visam ao bem-estar e à melhoria na qualidade de vida dos seguidores", finaliza.
Serviço
Florense Carlos de Carvalho
Endereço: Alameda Carlos de Carvalho, 1301, Batel – Curitiba (PR)
Telefone: 3013-1010
Site: www.florense.com
Instagram: @florensecarlosdecarvalho

Negociar aluguel é o melhor remédio para os empresários

Especialista em direito imobiliário explica que o diálogo e a boa vontade devem pautar as relações comerciais em momento de pandemia

Em tempos de pandemia causada pelo Covid-19, as ruas vazias e o fechamento do comércio traz muita insegurança para empresários dos mais diversos segmentos. Além da preocupação com o pagamento dos colaboradores, a falta de caixa para a quitação dos aluguéis é outra situação que tem tirado o sono de muita gente.

De acordo com o Sindicato das Empresas de Gastronomia, Entretenimento e Similares de Curitiba, o Sindiabrabar, até sexta-feira (dia 20 de março), o movimento já havia caído 80% em Curitiba e Região Metropolitana, situação que fica ainda mais comprometida com o fechamento de grande parte dos estabelecimentos comerciais nesta semana. Varejistas de shopping e de rua também já sentem reflexo direto, inclusive com a dispensa de funcionários.

Conforme a especialista em direito imobiliário, Morgana Borssuk, sócia do escritório Borssuk & Marcos Advocacia, em Curitiba, a melhor estratégia para o momento é o diálogo. Isso porque “não há na legislação locatícia e sequer em qualquer lei vigente uma solução explícita à situação vivida. Trata-se de algo atípico, popularmente conhecido como força maior”.

Desta forma, de um lado temos o locador que, por vezes, sobrevive do aluguel. Do outro, tem-se o locatário que devido ao cenário atual - em sua grande maioria – terá a renda reduzida e o aumento com gastos.

Assim, explica Morgana, a grande e melhor solução para essa situação é, sem dúvida, a negociação amigável entre as partes. “Da mesma forma como a lei não prevê de maneira explícita o que fazer numa situação como essa, também não impede que as partes negociem e encontrem uma forma amigável de resolução”, enfatiza. E isso é extremamente importante para o momento.

Negociação e boa fé

A advogada Morgana Borssuk argumenta que na falta de uma negociação favorável, a opção judicial será uma revisão contratual - tendo como pauta o Código Civil Brasileiro e um dos mais importantes princípios das relações contratuais, a boa fé.

Também será necessário levar em conta a chamada teoria da imprevisão, visto que não se trata de algo previsto ou consequência de qualquer ato lesivo entre as partes, mas algo de força maior. “O diálogo é a pauta da vez na tentativa de equilibrar as relações contratuais nesse período de incerteza”, pondera.

Litígio

Em casos de litígios, como toda ação judicial, a situação exigirá uma série de provas. Não basta a alegação de pandemia. Embora o evento seja inesperado e a essência do motivo do ingresso judicial, o empresário locador do imóvel terá que comprovar sua real incapacidade financeira. Neste caso, será importante fazer um levantamento de dados financeiros mostrando como a empresa se comportava em “dias normais” e o impacto causado na receita devido a suspensão das atividades.

Shopping centers

Para os lojistas de shopping centers, a orientação da especialista em direito imobiliário também é o diálogo e o acordo para equilibrar amigavelmente a relação comercial. Mas caso o entendimento não seja possível, a orientação é um pouco diferente.

Caso o shopping tenha fechado suas portas, seja por uma medida do poder público ou por decisão da direção do empreendimento, o lojista deverá ingressar com uma medida judicial para tentativa de suspensão dos valores e obrigações contratuais, visto que a interrupção foi um evento de força maior. Isso quer dizer que - mesmo que o lojista quisesse continuar aberto - não seria possível, uma vez que a direção do estabelecimento maior o proíbe.

“Mas na situação do shopping continuar aberto – e não ocorrer uma negociação amigável – o lojista deve entrar com medida judicial com pedido de suspensão temporária ou interrupção dos pagamentos locatícios, mantendo taxas acessórias como as despesas especificas da loja referentes a condomínio, fundo de promoção entre outros”, visto que - em alguns contratos deste tipo - os alugueis são variáveis de acordo com o faturamento do lojista, finaliza Morgana.

Para saber mais:

Morgana Borssuk é advogada, administradora e pós-graduada em Direito Empresarial pelo ISAE/FGV. Sócia proprietária do escritório www.borssukemarcos.com.br, é especialista em direito imobiliário - área em que atua há mais de oito anos - gestão patrimonial imobiliária e empresarial. Especializou-se em procedimentos extrajudiciais personalizados de modo a evitar o ingresso no judiciário para a resolução de questões cotidianas.

Como o COVID-19 está afetando os consumidores?

A pandemia afeta também a economia ativamente

Por conta da recente pandemia causada pelo vírus COVID-19, popularmente chamado de Coronavírus, muitos estão mudando seus planos para se proteger. Não há momento melhor para se falar sobre isso que o Dia Internacional do Consumidor, quando esse é um problema em massa.

A China é o país mais afetado, sendo o marco zero da doença, mas outros locais como a Itália, Japão, Coreia do Sul e Irã já informaram diversos casos confirmados, seguidos de algumas mortes.

“Para quem estava planejando viajar a trabalho ou férias, os planos se tornaram inacessíveis. Alguns países se mostraram fora de cogitação por conta da contaminação, outros fecharam as portas”, conta Dra. Sabrina Rui, advogada em direito tributário e imobiliário.

Mas o que fazer quando tudo já está pago? Desistir de uma viagem previamente organizada e perto da data de partida causa grande prejuízo ao consumidor.
Essa foi a situação enfrentada por três pessoas em Porto Alegre, que, com uma viagem marcada para a Itália, optaram por adiar o voo. A companhia aérea permitiu que a passagem fossa adiada por até um mês apenas.

Os consumidores alegaram que não seria viável diante do custo de cancelamento e remarcação da estadia e passeios turísticos previamente adquiridos. O caso foi levado ao Tribunal de Justiça de Porto Alegre, que decidiu o período de um ano para que os três possam reagendar os voos sem a cobrança de taxas usuais, tendo em vista a razão da mudança.

“É preciso levar em conta todos os fatores para não colocar em risco a segurança dos cidadãos. Uma viagem a um país que tem alto risco de contaminação não deve ser feita até que o quadro geral apresente melhoras”, finaliza a Dra. E o consumidor não pode ser penalizado por situações muito alheias a sua vontade.

Serviço: Dra. Sabrina Marcolli Rui

Advogada em direito tributário e imobiliário

www.sr.adv.br

SR Advogados Associados

@sradvogadosassociados

@sradvassociados

(41) 3077-6474

Rua Riachuelo, nº 102 - 20º andar - sala 202, centro – Curitiba.

Hospitais do Paraná destacam ações das instituições para enfrentar o novo coronavírus

O presidente da Federação das Santas Casas de Misericórdia e Hospitais Beneficentes do Estado do Paraná (Femipa) e do Sindicato dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Paraná (Sindipar), Flaviano Feu Ventorim, e os presidentes da Associação dos Hospitais do Paraná (Ahopar), José Octávio da Silva Leme Neto, e da Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde no Estado do Paraná (Fehospar), Rangel da Silva, realizaram, nessa segunda-feira, 23 de março, uma coletiva de imprensa para falar sobre as medidas adotadas pelos hospitais no combate à pandemia de Covid-19.

De acordo com Ventorim, os hospitais têm, hoje, uma estrutura organizada de atendimento e estão mantendo uma boa rotina de trabalho. Porém, apesar disso, a preocupação agora é com os itens básicos de proteção individual, como máscaras e luvas, por exemplo. “Houve um consumo intenso, inclusive da população, e o estoque que tínhamos para alguns meses foi consumido em duas semanas. Por isso, estamos adotando medidas para controle, para sanear essas situações, colocando algumas travas importantes na hora de distribuição, para não faltar nenhum equipamento de proteção para aqueles que estão na linha de frente, que são os profissionais de saúde”, destacou. Ele lembrou, ainda, que é importante a população se conscientizar de que não deve comprar esses insumos sem necessidade, gerando um desabastecimento no mercado.

Para garantir o atendimento à população, as instituições têm adotado algumas orientações do Ministério da Saúde, como o cancelamento de cirurgias eletivas e atendimento ambulatorial eletivo. No momento, a indicação é atender somente urgência e emergência, e a exceção são os pacientes crônicos, que precisam de continuidade no tratamento.

Outra medida apontada por Ventorim foi com relação à proibição de visitas nos hospitais, pois há uma grande preocupação com os colaboradores envolvidos no dia a dia das instituições de Saúde. “Por orientação do Ministério da Saúde, cancelamos visitas para justamente limitar o número de pessoas dentro de um hospital. Precisamos evitar que pessoas que estejam com COVID-19 e não tenham sintoma entrem no hospital e contaminem os demais. Isso protege os colaboradores e também a população de modo geral. Ainda não estamos em um momento crítico e, por isso, queremos tomar medidas extremas agora para que possamos estar preparados em uma eventual necessidade, se a situação se agravar”, garantiu.

Leitos
Ventorim destacou que o Paraná tem, hoje, 15.191 leitos, sendo 10.805 do Sistema Único de Saúde (SUS). Desse total, são 2.022 leitos de UTIs adulto – 1.218 do SUS. Na avaliação dele, o Paraná tem uma boa relação de leito-paciente quando comparado aos números do Brasil. Também é importante reforçar que há a possibilidade de se transformar enfermarias em leitos de cuidado intensivo, mas isso vai depender da demanda e da logística de equipamentos e insumos.

Preocupações
De acordo com o presidente da Femipa e do Sindipar, Flaviano Feu Ventorim, a preocupação no momento é com relação a medidas duras que estão sendo tomadas por alguns municípios, como fechar limites da cidade ou paralisar o transporte coletivo. “Fechar os limites dificulta a entrega de materiais e insumos e também a logística dos colaboradores, pois sabemos que, no interior, é muito comum que os profissionais de Saúde trabalhem em diferentes cidades. Além disso, eles precisam de transporte para chegar até o trabalho. Nesse sentido, nossa sugestão é que os prefeitos tenham esse cuidado na hora de adotar medidas. Em Curitiba, por exemplo, houve redução de horários de transporte, mas não paralisação. Assim, conseguimos organizar a sistemática de chegada nos hospitais”, ressaltou.

Para melhorar esse cenário, a primeira indicação dos hospitais do Paraná é para que as pessoas fiquem realmente em casa. Segundo ele, essa medida ajuda a diminuir o contágio de COVID-19; protege dos males da sociedade contemporânea que exigem ida aos hospitais, como acidentes; e reduz a exposição das pessoas ao sarampo e à dengue, doenças que ainda estão circulando pelo Paraná. “São ações que ajudam a reduzir o volume de pessoas dentro dos hospitais, garantindo que sobre espaço para aqueles que realmente precisam. O grande risco que corremos no sistema de saúde é justamente a doença chegar de forma abrupta e atingir muitas pessoas de uma vez. Por isso as medidas de contenção são tão importantes. Também indicamos que haja uma forte campanha de vacinação contra a gripe. Assim, conseguimos tomar medidas mais rápidas de atendimento em pessoas vacinadas que apresentem sintomas, pois a H1N1 já pode ser descartada”, afirmou.

Novas demandas
Para se antecipar às demandas, Ventorim comentou que cada hospital está criando a sua forma de se estruturar e de planejar seus fluxos internos, organizando o fluxo de pessoas e separando pacientes com problemas respiratórios dos demais, por exemplo. Nesse cenário, ele reforçou que as instituições de Saúde têm contado com o apoio da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e do governo do Estado. Uma das ações, por exemplo, foi buscar indústrias paranaenses que possam mudar sua linha de produção para atender às necessidades urgentes da saúde.

“Estamos tomando todas as medidas possíveis para proteger as pessoas. Talvez tenhamos que solicitar à população que fez estoques de materiais que traga esses produtos aos hospitais para que possamos proteger aqueles que estão na linha de frente, que estão envolvidos no atendimento ao doente. Há um esforço muito grande dos governantes para ajudar nesse momento difícil, e precisamos nos unir e olhar pelo outro”, reforçou.

Ainda sobre isso, José Octávio da Silva Leme Neto, presidente da Ahopar, salientou que os hospitais estão criando comitês de gestão de crise para discutir, diariamente, as ações e próximos passos. Ele reforçou que as entidades que representam o setor estão dando total apoio às instituições, inclusive na articulação com o governo e na troca de experiências.

Rangel da Silva, presidente da Fehospar, finalizou a coletiva, lembrando à imprensa que é preciso reforçar à população os protocolos de atendimento, pois esse é um momento de “combate à guerra e é preciso ter doentes nos lugares corretos”. “De acordo com o plano de contingência do Estado, cada macrorregional terá um hospital de referência e os demais serão de retaguarda”, completou.

Fehospar, Ahopar, Sindipar e Femipa

Jockey Plaza Shopping lança campanha para incentivar doação de sangue em Curitiba

Com risco de zerar os estoques no Estado, empreendimento direciona suas mídias externas para conscientização social em meio à pandemia

Nesta segunda-feira, 23 de março, o Jockey Plaza Shopping fez a substituição de suas campanhas publicitárias nas ruas para incentivar a doação de sangue na cidade. Com a orientação de isolamento social, devido à pandemia do COVID-19, o movimento dos hemocentros caiu muito, e a doação é essencial para salvar vidas.

Foram utilizados painéis de rua em vias de grande fluxo na cidade, onde o empreendimento já possui mídia contratada, incentivando a população a doar sangue. “A mensagem tem o intuito de gerar impacto: Já que está na rua, DOE SANGUE!”, afirma a gerente de marketing do shopping, Michelle Cirqueira. “Pensamos numa forma de otimizar a comunicação que já tínhamos, para algo que contribua com a comunidade nesse momento delicado. Além da conscientização sobre ficar em casa para evitar o contágio do coronavírus, desejamos falar com aqueles que precisaram sair por algum motivo, para contribuírem para o bem dos que estão hospitalizados por diversas outras situações” – afirma.

Com estoque quase zerado no Paraná, a Secretaria da Saúde do Paraná (SESA) tomou medidas para evitar aglomeração nos locais de espera para a doação. No Hemepar, responsável pela coleta, armazenamento, processamento, transfusão e distribuição de sangue para 384 hospitais públicos, privados e filantrópicos que atuam em todas as regiões do Estado, as poltronas de doação e cadeiras da recepção foram dispostas com distância de 1,5 metros, e todas as medidas cabíveis de limpeza e esterilização foram tomadas.

Quando existe filas de espera, são distribuídas senhas para que as pessoas esperem do lado de fora, ao ar livre. "Devido a pandemia do COVID-19, registramos uma grande queda no número de doações, com risco de os estoques acabarem nos próximos dias. Convidamos a população a contribuir nesse momento, tanto no Hemepar quando nos outros hemocentros da capital. Tomamos todas as medidas necessárias para garantir a segurança de todos no momento da coleta”, afirma a diretora do Hemepar, Liana Andrade Labres de Souza, lembrando que é possível fazer o agendamento online da coleta pelo aplicativo PIÁ - Paraná Inteligência Artificial.

Para doar, é preciso ter entre 16 e 67 anos (menores de idade com autorização e presença do responsável legal); pesar no mínimo 50Kg; estar descansado e alimentado (evitar alimentação gordurosa nas quatro horas que antecedem a doação) e apresentar documento oficial com foto ( Carteira de Identidade, Carteira do Conselho Profissional, Carteira de Trabalho, Passaporte ou Carteira Nacional de Habilitação)

Quem apresentar qualquer sintoma de gripe, resfriado, dengue ou até mesmo sintomas de COVID-19, não deve ir até os hemocentros. O procedimento dura em torno de 45 minutos, ao todo.

Lugares para doação de sangue em Curitiba:

Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (Hemepar)

De segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h30, e aos sábados, das 8h às 18h.

Endereço: Travessa João Prosdócimo, 145, Alto da XV.

Telefone: 41 3281-4010 / 3281-4065 / 3281-4000

Biobanco do Hospital de Clínicas (HC)

De segunda a sexta-feira, das 8h30 às 16h30.

Endereço: Avenida Agostinho Leão Junior, 108, Alto da Glória.

Telefone: (41) 3360-1875

Hemobanco

De segunda-feira a sábado, das 8h às 13h30.

Endereço: Rua Capitão Souza Franco, 290, Batel.

Telefone: (41) 3023-5545

Hospital Erasto Gaertner

De segunda a sexta- feira, das 10h às 17h.

Endereço: Rua Doutor Ovande do Amaral, 201, Jardim das Américas.

Telefone: (41) 3361-5000

Sobre o Jockey Plaza Shopping:

Inaugurado em junho de 2019, o Jockey Plaza Shopping possui mais de 200 mil m² de área construída, com 325 operações, sendo 28 opções na praça de alimentação, além de um boulevard gastronômico com vista panorâmica para a pista de corridas do Jockey Club do Paraná. O empreendimento conta ainda com oito salas de cinema Cinépolis e espaços para jogos e lazer, que tornam o local ainda mais completo. Com um vasto mix de lojas e serviços, é um shopping que se propõe a atender de forma democrática todos os seus perfis de público. O projeto arquitetônico prioriza espaços amplos, iluminação natural e muita área verde, e busca ressignificar o lazer, remetendo o local a uma extensão de um espaço externo. O Jockey Plaza Shopping é um empreendimento do Grupo Tacla Shopping, Casteval, Paysage e GRCA.

www.jockeyplaza.com.br

Rua Konrad Adenauer, 370 - Tarumã

Como o comércio está lidando com a quarentena?

Casa de Bolos conta sua experiência e planos para o futuro

Por conta do decreto da prefeitura de Curitiba em virtude da situação de quarentena no Brasil e no mundo, muitos estabelecimentos estão fechados, mas restaurantes estão autorizados a ficar abertos desde que com horários mais curtos e alto cuidado com a higiene.

“Nós estamos fazendo o máximo possível para que essa situação acabe rapidamente, então, passamos a entregar apenas delivery e encomendas dos clientes, afinal, é preciso se adaptar sem parar de trabalhar”, conta Luciana Ishibashi, proprietária da Bença Vó – Casa de bolos, junto com seu marido, Álvaro Ishibashi.

A Bença Vó conta com bolos dos mais diferentes sabores, tortas, pães e alguns salgados, além de bebidas quentes e geladas. Todos os pratos são focados na modalidade de comida afetiva.

Muitos empreendedores estão tendo que buscar novos recursos e formas de trabalho para não estagnar nesse momento de crise. Para Luciana, essa atitude foi a resposta. Ainda, para atrair clientes, a entrega por delivery não tem custo para quem vive próximo.

A pandemia não está afetando apenas os negócios locais, mas a sociedade em geral. Tanto provedores quanto consumidores estão aprendendo a se comportar de maneira diferente e estima-se que, após a quarentena, a maioria dos consumidores mantenham a nova forma de estar em contato com o comércio.

“Queremos nos adiantar para suprir todo o tipo de cliente, sejam adaptados ou tradicionais, fiéis ou novos. Esse atendimento é tão acolhedor quanto um abraço de vó”, finaliza Luciana.

Bença Vó

Luciana Costa Ishibashi

Álvaro Issao Ishibashi

contato@bencavo.com.br

41-3154-5955 / 99536-4878

Instagram/facebook: @bencavocasabolos

www.bencavo.com.br

Rua Eça de Queiroz, 1240, Ahu, Curitiba - PR