Cientistas da UFPR esclarecem dúvidas da sociedade sobre coronavírus

Você já se perguntou se a utilização do vinagre é recomendada para eliminar o coronavírus? Ou quanto tempo o vírus permanece nas superfícies ou nas mãos? Essas e outras perguntas da sociedade foram respondidas pelo cientista Emanuel Maltempi de Souza, professor do Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Ele preside a comissão de especialistas criada na UFPR para o enfrentamento e prevenção da doença Covid-19, causada pelo coronavírus.
As dúvidas enviadas pela população fazem parte da campanha “Pergunte aos cientistas”, da Agência Escola de Comunicação Pública e Divulgação Científica e Cultural da UFPR. No momento atual de pandemia do coronavírus, o público interno e externo à Universidade pode continuar enviando dúvidas sobre o assunto. Para participar, basta enviar a pergunta ao e-mail agenciacomunicacaoufpr@gmail.com ou no direct do perfil @agenciaescolaufpr no Instagram, com nome completo, idade, profissão e cidade onde reside.
Perguntas sobre prevenção
“O uso do álcool sem ser em gel tem a mesma eficácia? E a utilização do vinagre é recomendado ou é uma notícia falsa?” (Flavia Cristina Furtuoso Barbosa, 20 anos, estudante de Comunicação, de Pinhais – PR). “Se não encontro álcool em gel, posso substituir por álcool de mercado?” (Priscila Gaia, 41 anos, advogada, de Curitiba – PR)
Emanuel, cientista UFPR – Álcool na concentração de 70% é um agente desinfetante eficiente, matando bactérias e vírus patogênicos, inclusive o coronavírus SARS-CoV-2. Para as mãos e pele é recomendado álcool gel, que possui ingredientes para impedir a desidratação da pele. Se não encontrar álcool gel, procure lavar as mãos frequentemente com água e sabonete e atente para a técnica correta. Se você usar muito frequentemente solução de álcool a 70%, a pele ficará ressecada. Finalmente, vinagre é ineficiente e não vai matar o coronavírus seja em superfícies, pele ou na garganta fazendo gargarejo. Essa é 100% fake.
“Para alguém com sintomas de gripe, qual o tempo de isolamento recomendado?” (Ana Rank, administradora, 29 anos, de Curitiba – PR)
Emanuel, cientista UFPR – O problema do sintoma de gripe é que pode ser Covid-19. Se for a doença leve, deve ser curada em 14 dias e após esse período o vírus não deve estar mais presente. Portanto, o recomendado seriam 14 dias de isolamento voluntário.
“É verdade que se os sintomas forem leves é melhor nem ir ao hospital e ficar em repouso, cuidando como uma gripe normal?” (Patrícia Dall Agnol, 29 anos, engenheira ambiental, de Curitiba – PR)
Emanuel, cientista UFPR – Sim, é verdade. O sistema de saúde estará sobrecarregado, não só por causa da Covid-19, mas por um grande número de doenças que circulam. Além disso, você provavelmente vai se expor à contaminação no caso de não ter Covid-19. O melhor é se tratar em casa num regime de isolamento voluntário durante pelo menos 14 dias. Evite sair e principalmente evite contato com outras pessoas para não passar seu vírus para frente (se for o SARS-CoV2 ou não). Vale lembrar que a grande maioria dos casos de Covid-19 são leves (cerca de 80%). Cerca de 15% requerem cuidados médicos e 5% desenvolvem quadro grave. O sistema de saúde tem que se preocupar com esses casos que se não forem tratados imediatamente, pode ir a óbito.
“Minha filha e eu viajamos a São Paulo. Minha avó faleceu. Por isso, não foi possível evitar/adiar. É necessário isolamento domiciliar, sem contato externo algum? Caso sim, por quantos dias?” (Sarah Rezende, 31 anos, designer gráfico, de Curitiba – PR)
Emanuel, cientista UFPR – No momento não existe uma recomendação para isolamento. Porém, como vocês vêm de uma região onde tem transmissão comunitária e devem ter frequentado locais com número razoável de pessoas, isolamento voluntário é indicado. O período de incubação em geral é de até cinco dias. Portanto, no seu caso sete dias de isolamento seria suficiente.
“Vou viajar para minha casa de ônibus. Quais cuidados devo ter em relação ao coronavírus?” (Ariane Welke, 23 anos, estudante, de Jandaia do Sul (PR), com viagem para Ponta Grossa – PR)
Emanuel, cientista UFPR – Ariane, você deve manter distância das pessoas. O ideal seria um assento de intervalo, pois você ficará tempo razoável no ônibus (cerca de uma hora). O que é preconizado é um afastamento de 1,5 metro, que é a distância que gotículas de secreção oral e nasal alcançam quando se tosse ou espirra. Se a distância for menor que 1,5 metro, é recomendado que não dure mais que 15 minutos. Se o passageiro que estiver ao seu lado apresentar sintoma de gripe ou resfriado, talvez você pudesse pedir para mudar de lugar. O assento também pode estar contaminado. Por isso, não passe as mãos no rosto. Use álcool gel para desinfetar as mãos e lave-as bem quando tiver oportunidade. Nos pontos de parada é comum aglomeração de pessoas: procure se distanciar dessas situações. Não é questão de ser antissocial, é necessário para você se proteger e proteger a comunidade evitando que o vírus se espalhe.
“Tenho um pai diabético e cardíaco em casa. Eu tenho que sair de casa já que tenho que trabalhar e não posso ficar em quarentena? Como devo agir e o que fazer para garantir a saúde e segurança dele?” (Patrícia Dall Agnol, 29 anos, engenheira ambiental, de Curitiba – PR)
Emanuel, cientista UFPR – Patrícia, você precisa proteger seu pai, pois ele faz parte do grupo de risco. Evite que seu pai saia de casa, principalmente se for para lugares onde ele pode entrar em contato com muitas pessoas. Você também deve se policiar para não contaminá-lo. Para isso, será necessário se distanciar fisicamente de seu pai: o contato deve ser de aproximadamente 1,5 metro. Quando chegar em casa, lave bem as mãos e outras áreas expostas, e troque de roupa. Procure limpar mesas e bancadas com detergente/sabão e água e desinfetar com álcool 70% (ou produtos de limpeza geral) regularmente. No trabalho siga as regras de distanciamento social: cumprimentar as pessoas a distância, mantenha distância de 1,5 metro das pessoas, lave mãos sempre que possível ou use álcool gel e procure não passar mãos no rosto. Se você tiver sintoma gripal, sugiro restringir mais ainda contato para o que chamamos de isolamento. Algumas empresas estão liberando os colaboradores que coabitam com pessoas do grupo de risco. Verifique se não é o seu caso.
Sobre a contaminação
“Quanto tempo o vírus permanece vivo na mão e permanece nas superfícies?” (Simone Moraes Christini, 46 anos, decoradora autônoma, de Curitiba – PR, e Mariana Thais Megel, 20 anos, estudante, de Curitiba – PR)
Emanuel, cientista UFPR – Depende o tipo de superfície. O coronavírus pode sobreviver de horas até vários dias em certas superfícies e outros fatores como umidade e temperatura. Por isso, é recomendado limpar superfícies com água e sabão e, em seguida, desinfetar com álcool 70% ou usar produto de limpeza de uso geral. Já na sua mão ele vai sobreviver o mínimo de tempo possível, pois você vai lavar as mãos frequentemente e usar álcool em gel.
“É verdade que o coronavírus fica na garganta por mais ou menos quatro dias? E se fizer gargarejo de água quente com sal e vinagre é possível matar o vírus?” (Vinícius Rocha Sampaio, 18 anos, estudante de Fisioterapia, de Curitiba – PR)
Emanuel, cientista UFPR – Isso é totalmente fake. O vírus não será inativado com água quente, sal e vinagre. A forma de evitar o coronavírus e não ser contaminado é manter distanciamento social, lavar as mãos com água e sabão, usar álcool gel (quando não puder usar álcool gel, lavar as mãos), não levar mãos ao rosto e ficar longe de fake news.
“Coronavírus pode ser transmitido pelo ar?” (Venilson Farias)
Emanuel, cientista UFPR – Sim. Gotículas de secreção nasal e saliva expelidas na tosse e espirro contêm o vírus. Essas gotículas caem sobre superfícies que ficam contaminadas. Quando as pessoas passam as mãos nessas superfícies contaminadas e levam ao rosto, permitem a entrada do vírus pela boca, nariz ou olhos. Acredita-se que essa seja a principal forma de infecção. Por isso, a insistência: fique a no mínimo 1,5 metro das pessoas (para evitar contaminação direta no caso da pessoa tossir ou espirrar ou lançar gotículas ao falar), lavar as mãos frequentemente e não levar mãos ao rosto.
“Qual é a célula específica que o coronavírus ataca? E quais os prejuízos fisiológicos?” (Marwim Renan, 25 anos, estudante de Medicina, de Curitiba – PR)
Emanuel, cientista UFPR – O vírus infecta células epiteliais pulmonares (e de outros órgãos) que expressam o seu receptor, que é a proteína chamada enzima conversora da angiotensina 2 (abreviada ECA2 ou ACE2, em inglês). As espículas (projeções da camada lipídica na superfície do vírus composta pela proteína viral S) são as estruturas que interagem com a ECA2.
Perguntas sobre saúde
“É verdade que perde de 20 a 30% da capacidade respiratória depois de curado? E pode pegar coronavírus duas vezes?” (Letícia Bengtsson, 23 anos, estudante, de Curitiba – PR)
Emanuel, cientista UFPR – De fato os relatos indicam que há perda da capacidade respiratória e que o pulmão pode ter lesões. Se essas lesões serão permanentes, ainda não se sabe. Embora o vírus prefira os pulmões, pode infectar membranas mucosas do nariz e sistema digestório, podendo inclusive alcançar rins, fígado e sistema vascular, onde pode provocar inflamação e falha de funcionamento do órgão.
“Quanto tempo o coronavírus fica no corpo de alguém infectado?” (Rafael Krasinki, 22 anos, técnico em mecânica, de Curitiba – PR)
Emanuel, cientista UFPR – Acredita-se que nos casos leves cerca de 14 dias. Pacientes com casos graves têm a doença pelo menos três semanas, podendo se estender até seis.

Para conter ansiedade, especialista realiza meditação online gratuita

O Estúdio Contemplo está disponibilizando sessões de meditação online gratuita durante este período de isolamento (e ansiedade). No dia 24 março, terça-feira, às 13h, haverá a sessão Cuidando das Emoções, promovida por Vivian Wolff, coach especialista em desenvolvimento humano e mindfulness pelo Integrated Coaching Institute (ICI) e formada em Mindfulness pela Georgetown University Institute for Transformational Leadership, Washington DC.

O evento terá duração de 30 minutos e a inscrição gratuita pode ser feita pelo site https://zoom.us/meeting/register/v5IlceCvqj8uEvamz3s0mFUEeM_aK628wQ

Coronavírus

As diretorias da Associação dos Hospitais do Paraná (Ahopar), Sindicato dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Paraná (Sindipar), Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde no Estado do Paraná (Fehospar) e Federação das Santas Casas de Misericórdia e Hospitais Beneficentes do Estado do Paraná (Femipa) se reuniram nesta quinta-feira (dia 19 de março) para tratar de medidas conjuntas na condução dos diversos desdobramentos da pandemia de Covid-19 e comunicam que:

- Os hospitais do Paraná estão empenhando todos os esforços sem qualquer limitação financeira, operacional, técnica ou de pessoal para oferecer à população o melhor atendimento no combate à disseminação do COVID-19;

- Estão dando aos profissionais de saúde todas as condições para que exerçam suas funções plenamente e esperam das autoridades a mesma atenção para que estes profissionais e toda a cadeia ligada ao setor tenha a estrutura necessária para trabalhar;

- Já solicitaram às operadoras de saúde que não alterem suas rotinas de trabalho;

- As falsas notícias têm criado pânico e têm atrapalhado o bom andamento dos atendimentos;

- A população só deve procurar pelo pronto-atendimento se tiver sintomas associados à doença e se realmente precisar de atendimento médico-hospitalar. Assim, além de não sobrecarregar os serviços, as pessoas não se expõem desnecessariamente;

- Mesmo os que possuem planos de saúde devem buscar orientação dada pelas Secretarias Municipais e Estadual de Saúde;

- Pedem aos profissionais da área que utilizem com parcimônia os insumos hospitalares, especialmente álcool gel, máscaras, luvas, aventais, toucas etc, pois já há dificuldade de encontrá-los no mercado;

- Os hospitais limitaram visitas hospitalares e a permanência de acompanhantes quando não necessário, isso para evitar a circulação de pessoas possivelmente contaminadas dentro das unidades hospitalares, medida essencial para conter a disseminação do vírus;

- A melhor fonte de informação é a oficial e o compartilhamento de informações de origem duvidosa só gera prejuízos.

José Octavio da Silva Leme Neto – presidente em exercício da Ahopar

Flaviano Feu Ventorim – presidente do Sindipar e da Femipa

Rangel da Silva – presidente da Fehospar

Lellis Trattoria e Pizzaria promovem descontos especiais para delivery

Para acompanhar você e sua família nesse momento de reclusão em prol da saúde de todos os brasileiros a Lellis Trattoria e Pizzaria promovem até o dia 28 de março uma promoção especial para seu serviço de Delivery.

Para todos os pratos do serviço de entrega da Cantina 20% de desconto.

Já na Pizzaria Lellis todas as pizzas, com exceção das brotinhos, terão 30% de desconto.

Agora é só escolher seu prato predileto e pedir para o Lellis entregar na sua casa com preço especial e sabor único

Lellis Trattoria @lellistrattoria
Delivery: ifood, Rappi, ubereats ou Telefone: 3064-2727

Lellis Pizzaria @lellispizzaria
Delivery: Ifood e Rappi (11) 3062-7699

Nutricionista alerta para métodos e suplementos alimentares que prometem fortalecer a imunidade do corpo contra o coronavírus

Ainda não há vacina ou medicamentos contra o coronavírus, por isso a melhor defesa é o seu sistema imunológico. No entanto, o Dr. Leone Gonçalves alerta para os cuidados a ter com falsas promessas de alimentos ou suplementos ditos milagrosos para aumento da imunidade.

Vivemos dias em que o mundo inteiro está preocupado com a ameaça de uma pandemia do coronavírus, que se originou na China e hoje é uma questão de saúde pública em todo o mundo, com o aumento diário do registro de casos, inclusive no Brasil. Como ainda não existem medicamentos ou vacinas contra isso, a busca por medidas preventivas e maneiras de evitar o contágio tem sido cada vez maior por parte da população.

O nutricionista Dr. Leone Gonçalves relata a importância diante deste cenário de emergência global de estar com o sistema imunológico fortalecido e de como a alimentação e hábitos saudáveis contribuem para isso: “muitos de nós acabamos jogando contra nossas próprias defesas, ao levar uma vida de menos sono do que o recomendado, alimentação pobre em nutrientes, estresse, poluição e automedicação, o que infelizmente ainda é uma prática muito comum no Brasil. O nosso sistema imunológico é a principal defesa do corpo contra agentes infecciosos, como vírus, fungos, bactérias e até mesmo certos parasitas. Por isso, é importante cuidar da alimentação, pois as deficiências nutricionais e uma rotina de hábitos não saudáveis podem diminuir a capacidade do nosso sistema imune de reagir e nos proteger”.

Como se proteger do coronavírus

O Dr. Leone Gonçalves aponta que a melhor defesa é o fortalecimento do sistema imunológico: “Ainda não há uma vacina para o coronavírus e pouco se sabe sobre a doença. Logo, não há no momento melhor defesa contra essa ameaça do que um sistema imunológico ativo e em pleno funcionamento.”

No entanto, o especialista reforça que o coronavírus e a infecção causada por este tipo de vírus é diferente de uma gripe comum. Sendo assim, os cuidados mais efetivos não são os mesmos recomendados para casos de gripes e resfriados e a prevenção não está diretamente relacionada ao aumento da ingestão de vitaminas ou minerais em específico: "infelizmente muitos estão se aproveitando do momento de crise para vender produtos e induzir. As mais recentes informações sobre o novo coronavírus mostram que as medidas mais eficazes para combater o vírus não estão relacionadas a aumentar a ingestão de vitamina C, zinco, vitamina D, glutamina ou outras substancias que podem ser eficazes para uma gripe comum.”

Segundo o Dr. Leone, os estudos apontam para uma mudança de hábitos e costumes como maneira de prevenir o contágio com o coronavírus: “as melhores medidas que podem ser tomadas agora estão relacionadas a manter a higiene corporal e a limpeza dos objetos em dia, lavar as mãos com sabão ou fazer uso do álcool gel, manter uma boa ingestão de proteínas, dormir bem, evitar o consumo de bebidas alcoólicas, não fazer dietas restritivas, manter a hidratação bebendo bastante líquido, evitar aglomerações, compartilhamento de objetos pessoas e contato físico. Essas orientações são condizentes com as orientações do Ministério da Saúde. ”

Cuidado com falsas promessas

O especialista revela que é preciso tomar cuidado com informações divulgadas na internet, que são inverdades ou meias verdades, ou com produtos e suplementos que prometem o fortalecimento do sistema imunológico contra o coronavírus: “Como profissional sério jamais poderia deixar de alertar às pessoas sobre as mentiras que estão sendo espalhadas por aí em busca de aumentar vendas e lucros. É errado pensar que de um dia para o outro, por começar a ingerir suplementos alimentares, vitaminas sintetizadas, ou mais verduras, frutas cítricas e alimentos que possam favorecem a imunidade, que no dia seguinte o corpo já vai responder. É preciso ter a consciência que pessoas que têm a imunidade alta são aquelas que tem uma constância em bons hábitos alimentares, que mantém boa higiene, uma rotina com quantidade adequada de horas de sono, que se mantém ativas praticando exercícios físicos regularmente e sem exageros. Cuidado com falsas prometas de alimentos e medicamentos milagrosos, são inverdades.”

DIA MUNDIAL SEM CARNE COMPLETA 35 ANOS E SVB CELEBRA NÚMEROS RECORDES NA PROMOÇÃO DO VEGANISMO

Programa Segunda Sem Carne (SSC) registrou crescimento de 20% em relação a 2019, com mais de 80 milhões de refeições a base de vegetais servidas nos estabelecimentos parceiros.

O Dia Mundial Sem Carne é comemorado, hoje, como o maior símbolo dos benefícios da alimentação a base de frutas, verduras, grãos e legumes na saúde das pessoas. Criada em 20 de março de 1985, a data representa mais de três décadas de trabalho dos movimentos vegetariano e vegano em todo o planeta.

Para a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), os números são igualmente relevantes. Criada há pouco mais de 17 anos, a organização fechou o ano passado com núcleos ou grupos presentes em 50 cidades do Brasil, promovendo a alimentação vegetariana como uma escolha ética, saudável, sustentável e socialmente justa.

Promoção do veganismo

Mais de 1,2 mil cozinheiras(os) e 52 nutricionistas foram capacitados por meio da SSC, no último ano. Com os resultados alcançados por meio das refeições vegetais, cerca de seis toneladas de carne deixaram de ser consumidas ano. O meio ambiente foi poupado em um bilhão de litros de água, 981 mil metros quadrados de área agrícola, 331 mil toneladas de grãos (que poderiam alimentar quase cinco milhões de pessoas), além de 400 mil toneladas de gases que contribuem para o efeito estufa, que deixaram de ser emitidos na atmosfera.

O programa Opção Vegana (OPV) foi outro grande canal de promoção do veganismo, oferecendo consultoria gratuita e levando a alimentação a base de vegetais para mais de 1,4 mil estabelecimentos comerciais, em diversos locais do Brasil. O Curso de Capacitação em Nutrição Vegetariana, por sua vez, capacitou mais de três mil profissionais que atuam na área da saúde.

Defesa dos animais

A SVB ainda foi reconhecida, pelo segundo ano consecutivo, como uma das nove instituições sem fins lucrativos mais eficazes do mundo na defesa da causa animal. A avaliação foi feita pela Organização Internacional Animal Charity Evaluators (ACE), referência mundial no setor, e considerou o trabalho de 166 organizações que atuam no mundo.

SOBRE A SOCIEDADE VEGETARIANA BRASILEIRA

Fundada em 2003, a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) é uma organização sem fins lucrativos que promove a alimentação vegetariana como uma escolha ética, saudável, sustentável e socialmente justa. Por meio de campanhas, programas, convênios, eventos, pesquisa e ativismo, a SVB realiza conscientização sobre os benefícios do vegetarianismo e trabalha para aumentar o acesso da população a produtos e serviços vegetarianos. Para mais informações, acesse www.svb.org.br ou os nossos perfis no Instagram, Facebook e Youtube.

McDonald’s vai operar exclusivamente por delivery, drive-thru e pedidos para viagem

McDonald's

Medida visa ampliar a proteção de funcionários, clientes e parceiros

A Arcos Dorados, maior franquia independente do McDonald's no mundo, tomou a decisão de fechar o salão de seus restaurantes no Brasil a partir de 23 de março, medida que amplia a proteção de seus clientes e funcionários num período de expansão da contaminação pelo novo Coronavírus.

A rede informa que recomendou o fechamento temporário dos seus mais de 1000 restaurantes no país, atendendo aos clientes exclusivamente pelo Delivery, Drive-thru e, em algumas situações, pedidos para viagem, incluindo as lojas de rua. “Mesmo compreendendo que fornecemos um serviço essencial, afinal as pessoas precisam continuar se alimentando, esse é o momento de pensar na proteção dos nossos funcionários, clientes e comunidade, e ter uma visão de longo prazo para o nosso negócio”, explica Paulo Camargo, Presidente da Divisão da Brasil,

A empresa reitera ainda que está tomando todas as medidas de prevenção e proteção de seus funcionários, clientes e parceiros, reforçando seus protocolos de higiene e limpeza. A companhia segue acompanhando dia a dia a evolução da questão no país, seguindo todas as determinações das autoridades sanitárias do Brasil e considerando todas as situações excepcionais.

Para simbolizar a importância do distanciamento social neste momento, a marca separou os icônicos arcos dourados de sua logomarca em uma imagem criada especialmente para as redes sociais. A ideia da equipe de Marketing da empresa foi concretizada pela DPZ&T.

“Acreditamos que, juntos e com responsabilidade, o país será capaz de superar esse momento. Aproveito aqui para reconhecer publicamente o esforço que nossos times estão fazendo para continuar servindo ao nosso cliente”, ressalta Paulo Camargo.

Sobre a Arcos Dorados

A Arcos Dorados é a maior franquia independente do McDonald’s do mundo, tanto em vendas totais do sistema quanto em número de restaurantes. A Companhia é a maior rede de serviço rápido de alimentação da América Latina e Caribe, com direitos exclusivos de possuir, operar e conceder franquias de restaurantes McDonald’s em 20 países e territórios, incluindo Argentina, Aruba, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Curaçao, Equador, Guiana Francesa, Guadalupe, Martinica, México, Panamá, Peru, Porto Rico, St. Croix, St. Thomas, Trinidad & Tobago, Uruguai e Venezuela. A Companhia opera ou franqueia mais de 2.200 restaurantes McDonald’s com mais de 90.000 funcionários e é reconhecida como uma das melhores empresas para se trabalhar no América Latina. A Arcos Dorados está listada na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE: ARCO). Para saber mais sobre a Companhia visite a seção de Investiores de nosso site: www.arcosdorados.com/ir.

BACIO DI LATTE FECHA TEMPORARIAMENTE TODAS AS SUAS OPERAÇÕES NO BRASIL

BACIO DI LATTE FECHA TEMPORARIAMENTE
TODAS AS SUAS OPERAÇÕES NO BRASIL

Todas as operações da Bacio di Latte, incluindo lojas e quiosques, estão fechadas em todo o Brasil. A decisão foi tomada visando a segurança e saúde dos colaboradores, clientes e parceiros da marca diante da atual pandemia do novo coronavírus.

A Bacio vai continuar oferecendo seus produtos através do iFood: são 20 sabores sempre muito cremosos como o clássico Bacio di Latte, os novos Pistacchio com Cioccolato Bianco, Pistacchio com Mascarpone e Pistacchio Crocante, Cioccolato Belga, Cocco, Doce de Leite, Nutellina, Cremino, Fragola e Maracujá, entre outros. Nas versões Famiglia (1,3l – R$ 89,00), Amici (630 ml – R$ 55,00) e Solo (490 ml – R$ 34,00).

Além dos gelatos, há também opções de bolos e tortas: bem casado (R$ 13,90), bem casado de Nutella (R$ 13,90), brownie de chocolate (R$ 9,90), crostata de Nutella (R$ 10l,90) e torta de nozes pecan (R$ 13,90). E doce de leite uruguaio em pote de 400 gramas (R$ 29,00) e creme de avelã com chocolate de 250 gramas (R$ 35,00).

Mais info: www.baciodilatte.com.br
E também nos perfis da marca: @baciodilatte no Instagram e Facebook

Shopping Mueller & COMUNICADO

COMUNICADO

A partir de hoje, 20/03/2020, o Shopping Mueller estará temporariamente fechado, por tempo indeterminado. Permanecemos à disposição em nossos canais oficiais e esperamos retornar às nossas atividades em breve.
Consulte as opções de alimentação pelos aplicativos de delivery.

SERVIÇO:
Shopping Mueller
Local: Avenida Cândido de Abreu, 127 - Centro Cívico, Curitiba (PR)
Telefone: 41 3074-1000
Informações: www.shoppingmueller.com.br
Facebook: www.facebook.com/MuellerCtba
Instagram: @muellercwb