Global Shopper conquista conta de e-commerce da Mondelēz International

Empresa de snacks amplia investimentos em canais de e-commerce e agência assina a estratégia de digital commerce de todas as marcas da companhia no canal.

São Paulo, março de 2020 – A Global Shopper é a agência de digital commerce escolhida pela Mondelēz International, líder mundial em biscoitos, chocolates, gomas, balas e bebidas em pó, que tem em seu portfólio marcas valiosas como Lacta, Sonho de Valsa, Bis, Trident, Halls, entre outras.

Estreando no segmento de snacks, em que as lojas de varejo predominam com 99% na comercialização, segundo dados da Euromonitor International, a GS será responsável pelo atendimento de todos os produtos da Mondelēz no varejo online. O desafio da agência é ativar estrategicamente canal de e-commerce a fim de ampliar a estratégia de negócios da companhia e promover o desempenho das marcas nos varejistas e novos players com abrangência B2C e B2B.

A campanha de Páscoa criada pela GS já está no forno. A estratégia desenvolvida pela agência para a companhia tem o objetivo de melhorar a experiência de compra com as marcas no canal, ressaltando os desejos e hábitos dos consumidores e oferecendo o snack certo, para o momento certo, feito da maneira certa. “Nosso modelo de negócio está se consolidando cada vez mais e as indústrias vêm enxergando isso como “um braço” para suas operações de e-commerce. O grande desafio está em conquistar visibilidade, com foco na conversão. Isso tem se tornado uma premissa decisiva para entender a particularidade de cada modelo de venda, atuar na estratégia mais assertiva e assim desenvolver o segmento de maneira efetiva nestas plataformas.”, explica Martina Azevedo, diretora de operações da GS.

“O e-commerce é um dos nossos pilares de crescimento esse ano. O canal digital tem um papel de atender uma nova demanda de consumidores que buscam conveniência e praticidade, além de ser um ótimo ambiente para iniciativas de branding. “Estamos crescendo forte nas vendas digitais e a nossa expectativa é crescer 3 dígitos esse ano no e-commerce“, conclui Theo Vieira, Head de eCommerce da Mondelēz.

Segundo a National Retail Federation, NRF 99th Annual Convention & EXPO, no cenário do futuro, o predomínio não será de apenas um formato de loja, mas de modelos pulverizados para atender à multiplicidade de estilos de vida e de comunidades da nova era em 2020. O desafio consistirá em fazer desses formatos projetos comercialmente viáveis, tanto de lojas físicas quanto de lojas virtuais. Em meio à grande oferta de modelos de varejo explorando a conveniência deverão destacar-se os canais que melhor compreenderem os consumidores e proporcionarem a eles a melhor experiência. Conquistar a confiança do consumidor será o grande desafio para as lojas virtuais do futuro, reitera o estudo da Virtual Supermarket of the Future.

Sobre a GS - Especializada em Digital Commerce, a GS conecta estratégias de digital e shopper marketing com uma inteligência criativa de data, olhando para toda a jornada e buscando pontos de contato onde quer que o shopper esteja, oferecendo uma plataforma sem fricções entre o On & Off. Inspirada na cultura das startups, é comandada pelo CEO Mauricio Gallian e conta com uma equipe de profissionais multidisciplinares. Entre os clientes atendidos estão: J&J Consumo Brasil e América Latina, The Coca Cola Company e C&A Fashiontronics. Mais informações sobre a GS no http://www.globalshopper.com.br.

Siga a agência também nas redes sociais:

https://www.facebook.com/globalshopperbr

https://www.linkedin.com/company/globalshopper/

https://www.instagram.com/globalshopperbr/

Abastecimento está normal, mas Transporte e Gestão de Pessoas ainda preocupam

Nessa segunda-feira (23), a PMA Brasil, que representa a cadeia de flores, frutas, legumes e verduras, avaliou o final de semana e as perspectivas com a nova rotina de quarentena.

O abastecimento está normal, apesar de questões pontuais de proibições municipais de escoamento da produção: da colheita à distribuição. No caso de São Paulo, a Secretaria da Agricultura do Estado interviu e determinou que se cumpra a Medida Provisória nº 926, de 20/3/2020, que altera a Lei nº 13.979/2020, para dispor sobre procedimentos de aquisição de bens, serviços e insumos destinados ao enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrentes do Coronavírus.

Pacificar o entendimento dos municípios é um dos desafios apontados pela PMA, somos uma Nação e tudo precisa estar conectado: “Temos uma indústria que começa com insumos, plantação, colheita, logística até a manipulação no varejo. São milhares de pessoas trabalhando 24 horas para não faltar alimentos frescos, cuidando do seu espaço de trabalho e de sua própria saúde”, explica Giampaolo Buso, Presidente do Conselho da PMA no Brasil.

Varejo: Crescimento das Vendas em 30% para Frutas, Legumes e Verduras

O consumo de produtos frescos aumentou muito na semana passada, supermercados relatam alta em média de 30%. Algumas lojas chegaram a dobrar a vendas. As vendas on-line também tiveram crescimento. No entanto, a partir do último domingo se percebe um início de estabilização, de acordo com levantamento realizado com algumas redes de supermercados do Estado de São Paulo. A população se assustou com o início da quarentena, o isolamento social e as dúvidas decorrentes de definições do governo e, neste cenário, buscou abastecer e estocar alimentos. Porém, na análise dos supermercados, para os alimentos perecíveis, a tendência é de que o consumo continue alto, com compras mais regulares à medida que a população confirme que não há desabastecimento.

O varejo também relata a orientação e máxima atenção às práticas de higienização das lojas bem como, em alguns casos, a instalação de uma proteção entre o cliente e o operador de caixa como alternativa de evitar contaminação.

Alguns itens da cesta básica, como Batata e Ovo foram citados como de grande procura nos últimos dias e impacto no preço. Segundo produtores de Batata, associados ao PMA, o aumento do preço do produto é resultado de menor safra e um período de muita chuva, resultando na menor oferta.

Flores: Alimento para a Alma

O setor de Flores é o mais afetado até o momento, com quase 70% de queda nas vendas em uma semana. A campanha “Alimento para a alma” será lançada com apoio dos supermercados, com o mote de alegrar o ambiente, dar mais colorido às casas e ter fôlego para estruturar o Dia das Mães. O segmento de Flores no Brasil é referência internacional, sendo produtor para o mercado interno e externo. Toda a comunidade de Flores, Frutas, Legumes e Verduras estão juntos ativando e estimulando as pessoas a trazerem alegria para suas casas.

Gestão de Pessoas: Campanhas de Conscientização junto às Equipes: do Campo ao Varejo

Neste momento, passado a tensão inicial, manter o moral dos funcionários está sendo o maior desafio segundo as empresas do setor, do campo a supermercado.

Os funcionários mais idosos e com algum tipo de problema de saúde já foram afastados/

Campanhas internas de conscientização, reconhecimento financeiro, ambientação do local de trabalho para garantir tranquilidade e respeito as regras de sanidade são todas ações colocadas em prática para os times que estão na operação de garantir do abastecimento.

Este esforço é conjunto, sincronizado e alinhado pois é evidente a interdependência de cada elo da cadeia de abastecimento.

Neste sentido, os encontros de alinhamento do Conselho do PMA também têm trazido a necessidade de atenção em cadeias de suprimentos que suportam o abastecimento, como por exemplo, embalagens e insumos para produção (adubo e sementes).

Em conjunto, vídeos de orientação e estímulo estão sendo compartilhados entre a cadeia de abastecimento.

Acima de qualquer aspecto, o objetivo é garantir a saúde dos colaboradores e pessoas envolvidas no abastecimento para garantirmos a sanidade do alimento e atender a população.

Food Service

As vendas de quem comercializa Frutas, Legumes e Verduras para o setor de Food Service despencaram. Queda apontada de 80% pelas empresas. O motivo é o fechamento de grandes redes de fast food e também dos restaurantes. O consumidor está em casa seguindo as instruções do isolamento social.

INSUMOS: cuidado para evitar uma Crise depois da Crise!

Esse é um assunto que ainda não foi abordado e que seguiremos atentamente nos próximos dias. A preocupação é que os produtores, receosos sobre as definições do governo, estão segurando o investimento em novos plantios

Se o cronograma de produção não for seguido, naturalmente haverá atrasos na Colheita e problema de abastecimento.

Algumas companhias aéreas não têm trechos operando para regiões que precisamos de insumos (sementes, papelão etc.). Petrolina é um exemplo deste cenário

Detalhes aparentemente invisíveis

Equalizado ou encaminhado as questões sobre transporte, outros aspectos tornam-se aparentes: manutenção dos caminhões, almoço para os caminhoneiros e atendimento de saúde em caso de emergência.

Algumas das empresas associadas estão preparando Kits alimentação para os motoristas com capacidade de suprir todo o trecho de deslocamento.

Aprendizado Rápido

As empresas estão tendo que aprender rapidamente a lidar com a nova realidade. Ter o apoio dos colaboradores, mas também o da população, principalmente nas regiões produtoras é imprescindível para a continuidade do abastecimento. Apesar do isolamento, as ações devem ser humanizadas.

Muitas soluções empregadas por produtores e varejistas em outros países têm sido compartilhadas e estão inspirando nossa indústria local. Existem propriedades agrícolas estudando, com o apoio de autoridades, como utilizar tratores de pulverização para higienizar as cidades. Compartilhe também conosco suas práticas sociais, de gestão, de produção e ajude a Nação! Juntos somos mais fortes #forçafflv

Sobre PMA – Produce Marketing Association é uma associação de produtos agrícolas frescos e flores, fundada em 1949 nos Estados Unidos, com a missão de conectar os interesses das cadeias produtivas de frutas, flores, legumes e verduras. A entidade conta com 2.900 empresas associadas, 54.000 compradores e fornecedores, em 55 países de cinco continentes. No Brasil, a entidade conta com 93 associados (produtores, distribuidores e varejistas).

COVID-19: Não é tempo de acelerar, basta não parar e ficar em casa

*Por Joel Moraes

O Coranavírus é uma realidade e mudou a rotina de todos, inclusive a minha. Logo eu que sempre digo para mim mesmo e para todos que me seguem nas mídias sociais: “Vamos. Não pega leva com você. Você pode mais”. Esse pensamento que eu acredito é uma verdade, mas não nessa situação específica. Agora não é hora, não é tempo de se cobrar tanto. Não, enquanto temos a nossa realidade, a nossa rotina alterada por cota desse vírus. Agora, para todos que podem, é momento de ficar em casa, rever as atividades, cuidar ainda mais da família.

Afinal, você colocaria a vida de uma pessoa que ama em risco? Estamos passando por uma situação bem complexa no mundo todo, trata-se de uma pandemia. Quando você não para, não se recolhe, não faz o isolamento, coloca as pessoas, inclusive, um ente querido em risco. Um familiar seu pode vir a óbito por conta disso. O ciclo de vida desse ente pode dar-se por encerrado na Terra por causa de um vírus que, quem sabe, poderia ter o contagio evitado. Com o isolamento, podemos fazer com que essa transmissão não aconteça, mas é preciso entender que quarentena não é férias. Não é porque você não vai trabalhar em seu ambiente normal que você pode aproveitar esse período para ter atitudes irresponsáveis. Temos habilidade cognitiva suficiente para perceber que a coisa está exponencial, piorando a cada dia.

Precisamos usar nossa inteligência, criatividade e, acima de tudo, responsabilidade. Defendo sempre que, em primeiro lugar na nossa vida vem a saúde, depois a família e só então devemos pensar no trabalho. Mas nessas horas de incertezas, percebemos o quanto nossa rotina é importante, e o quanto instáveis nos sentimos por não saber o que fazer. Apesar de persistência, foco e hábitos serem guias essenciais para o sucesso dos nossos projetos, em tempos como os que estamos vivendo agora, não podemos pegar tão pesado conosco. Pegar leve significa protegermos nossa saúde mental e psicológica, além da convivência familiar.

O peso da rotina na exceção

Você sabia que a cobrança de manter a mesma rotina em situações diferentes pode ser um gatilho para desenvolver transtornos? Segundo estudo do The American Journal of Psychiatry, 19% das pessoas pesquisadas tinham transtorno de ajustamento que persistiam três meses após a mudança, muitas vezes por tentar, forçadamente, seguir a rotina acostumada, gerando dificuldade para dormir, ansiedade e até depressão, por exemplo. Por isso, entender que precisamos nos adequar as situações é muito importante.

Estamos vivendo uma exceção, então lide com a situação como uma exceção, ela não é constante. Se permita fazer diferente. Se não der para ir para a academia, faça os exercícios em casa; se não conseguir fazer sua atividade física diária por ter outras funções novas, tudo bem, a situação pediu que você atendesse outra demanda.

Vou dar um exemplo para vocês de como a minha rotina mudou, e não tem problema nenhum nisso, a situação pede adaptação: no meu dia a dia, a minha rotina de entrada é muito importante. Começo meu dia com uma rotina de entrada de TLA, ou seja, toca o despertador, eu levanto e me envolvo com água, seja um banho, ou o simples ato de lavar o rosto. Normalmente faço as minhas lives às 5h07 da manhã e sigo para fazer os meus exercícios matinais.

No entanto, nesse momento, a academia estava fechada, a do meu condomínio também. Moro em Santos, mas não posso e não devo correr na praia, pois a orientação é evitar sair de casa. A saída é manter a prática em casa, mas não é todo dia que isso dá certo. Tem dia que o meu filho acorda, minha esposa tem que levantar-se diversas vezes para amamentar. Então com tanta alteração, tenho decidido ficar com o meu filho durante a manhãs que forem necessárias, assim minha esposa pode descansar. E está tudo bem. A situação pediu que eu alterasse a minha rotina, e se amanhã, por algum outro motivo, não der também, tudo bem de novo.

Quem tem criança em casa sabe que os pequenos sentem toda essa energia diferente, e as vezes não conseguimos pensar em uma atividade mirabolante, educativa e lúdica para ocupar o tempo. Se precisar usar a tecnologia, por exemplo, como um recurso pontual nessas horas, não se cobre, você não será o “pior” ou um “irresponsável” por isso. Use todas as ferramentas que tem disponível, vá no seu tempo. O estresse e tensão gerados pela vontade de manter uma rotina externa, dentro de casa, pode trazer maiores consequências.

Mas atenção, não se cobrar pela mudança da rotina não é ficar parado. É aceitar e se reinventar. Não deixe suas obrigações de lado, apenas as adapte e faça no seu tempo, você dá conta. Os hábitos e rotinas foram afetados drasticamente, portando se cobre menos com as coisas que você vai deixar de fazer para fazer o que está aparecendo no meio do caminho, porque quarentena não é férias. E aproveita para ficar atento a todas as recomendações do Ministério da Saúde, como lavar sempre as mãos, desinfetar os objetos que vieram de fora, e principalmente, ficar em casa (quem conseguir).

Joel Moraes é ex-nadador da seleção brasileira, mestre em esportes pela EEFE-USP e autor do livro Esteja, viva, permaneça 100% presente. Foi coordenador geral do Instituto Neymar e professor universitário. Atuou no esporte nos mais variados setores como: gestão de imagem de atletas, eventos e treinamento. Atualmente, Joel Moraes é empresário, investidor e influencer digital, que tem como missão fazer pessoas comuns se tornarem atletas de alta performance em suas vidas.

COVID-19: Não é tempo de acelerar, basta não parar e ficar em casa

*Por Joel Moraes

O Coranavírus é uma realidade e mudou a rotina de todos, inclusive a minha. Logo eu que sempre digo para mim mesmo e para todos que me seguem nas mídias sociais: “Vamos. Não pega leva com você. Você pode mais”. Esse pensamento que eu acredito é uma verdade, mas não nessa situação específica. Agora não é hora, não é tempo de se cobrar tanto. Não, enquanto temos a nossa realidade, a nossa rotina alterada por cota desse vírus. Agora, para todos que podem, é momento de ficar em casa, rever as atividades, cuidar ainda mais da família.

Afinal, você colocaria a vida de uma pessoa que ama em risco? Estamos passando por uma situação bem complexa no mundo todo, trata-se de uma pandemia. Quando você não para, não se recolhe, não faz o isolamento, coloca as pessoas, inclusive, um ente querido em risco. Um familiar seu pode vir a óbito por conta disso. O ciclo de vida desse ente pode dar-se por encerrado na Terra por causa de um vírus que, quem sabe, poderia ter o contagio evitado. Com o isolamento, podemos fazer com que essa transmissão não aconteça, mas é preciso entender que quarentena não é férias. Não é porque você não vai trabalhar em seu ambiente normal que você pode aproveitar esse período para ter atitudes irresponsáveis. Temos habilidade cognitiva suficiente para perceber que a coisa está exponencial, piorando a cada dia.

Precisamos usar nossa inteligência, criatividade e, acima de tudo, responsabilidade. Defendo sempre que, em primeiro lugar na nossa vida vem a saúde, depois a família e só então devemos pensar no trabalho. Mas nessas horas de incertezas, percebemos o quanto nossa rotina é importante, e o quanto instáveis nos sentimos por não saber o que fazer. Apesar de persistência, foco e hábitos serem guias essenciais para o sucesso dos nossos projetos, em tempos como os que estamos vivendo agora, não podemos pegar tão pesado conosco. Pegar leve significa protegermos nossa saúde mental e psicológica, além da convivência familiar.

O peso da rotina na exceção

Você sabia que a cobrança de manter a mesma rotina em situações diferentes pode ser um gatilho para desenvolver transtornos? Segundo estudo do The American Journal of Psychiatry, 19% das pessoas pesquisadas tinham transtorno de ajustamento que persistiam três meses após a mudança, muitas vezes por tentar, forçadamente, seguir a rotina acostumada, gerando dificuldade para dormir, ansiedade e até depressão, por exemplo. Por isso, entender que precisamos nos adequar as situações é muito importante.

Estamos vivendo uma exceção, então lide com a situação como uma exceção, ela não é constante. Se permita fazer diferente. Se não der para ir para a academia, faça os exercícios em casa; se não conseguir fazer sua atividade física diária por ter outras funções novas, tudo bem, a situação pediu que você atendesse outra demanda.

Vou dar um exemplo para vocês de como a minha rotina mudou, e não tem problema nenhum nisso, a situação pede adaptação: no meu dia a dia, a minha rotina de entrada é muito importante. Começo meu dia com uma rotina de entrada de TLA, ou seja, toca o despertador, eu levanto e me envolvo com água, seja um banho, ou o simples ato de lavar o rosto. Normalmente faço as minhas lives às 5h07 da manhã e sigo para fazer os meus exercícios matinais.

No entanto, nesse momento, a academia estava fechada, a do meu condomínio também. Moro em Santos, mas não posso e não devo correr na praia, pois a orientação é evitar sair de casa. A saída é manter a prática em casa, mas não é todo dia que isso dá certo. Tem dia que o meu filho acorda, minha esposa tem que levantar-se diversas vezes para amamentar. Então com tanta alteração, tenho decidido ficar com o meu filho durante a manhãs que forem necessárias, assim minha esposa pode descansar. E está tudo bem. A situação pediu que eu alterasse a minha rotina, e se amanhã, por algum outro motivo, não der também, tudo bem de novo.

Quem tem criança em casa sabe que os pequenos sentem toda essa energia diferente, e as vezes não conseguimos pensar em uma atividade mirabolante, educativa e lúdica para ocupar o tempo. Se precisar usar a tecnologia, por exemplo, como um recurso pontual nessas horas, não se cobre, você não será o “pior” ou um “irresponsável” por isso. Use todas as ferramentas que tem disponível, vá no seu tempo. O estresse e tensão gerados pela vontade de manter uma rotina externa, dentro de casa, pode trazer maiores consequências.

Mas atenção, não se cobrar pela mudança da rotina não é ficar parado. É aceitar e se reinventar. Não deixe suas obrigações de lado, apenas as adapte e faça no seu tempo, você dá conta. Os hábitos e rotinas foram afetados drasticamente, portando se cobre menos com as coisas que você vai deixar de fazer para fazer o que está aparecendo no meio do caminho, porque quarentena não é férias. E aproveita para ficar atento a todas as recomendações do Ministério da Saúde, como lavar sempre as mãos, desinfetar os objetos que vieram de fora, e principalmente, ficar em casa (quem conseguir).

Joel Moraes é ex-nadador da seleção brasileira, mestre em esportes pela EEFE-USP e autor do livro Esteja, viva, permaneça 100% presente. Foi coordenador geral do Instituto Neymar e professor universitário. Atuou no esporte nos mais variados setores como: gestão de imagem de atletas, eventos e treinamento. Atualmente, Joel Moraes é empresário, investidor e influencer digital, que tem como missão fazer pessoas comuns se tornarem atletas de alta performance em suas vidas.

10 dicas de atividades em casa para cuidar da saúde mental durante pandemia, segundo pesquisadora da UFPR

A pandemia do coronavírus colocou as pessoas diante do medo do desconhecido e da sensação de vulnerabilidade, o que pode ocasionar aumento de ansiedade e até depressão. É o que explica a pesquisadora Lidia Weber, do Departamento de Psicologia e Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná (UFPR), líder do grupo de pesquisa “Infância, Adolescência, Família e Comunidade”. A Organização Mundial de Saúde (OMS) também alerta que as incertezas provocadas pela Covid-19, doença causada pelo coronavírus, os riscos de contaminação e a obrigação de isolamento social podem agravar ou gerar problemas mentais.
Diante disso, a OMS publicou um guia para cuidar da saúde mental durante a pandemia para profissionais de saúde, crianças e idosos, líderes de equipes e pessoas em quarentena. Para pessoas em isolamento social, a orientação é ficar em contato e manter a rede de amigos e conhecidos, estar atento aos sentimentos e seguir notícias confiáveis, evitando boatos e “fake news”.

Atividades sugeridas produzem previsibilidade, diminuem a vulnerabilidade diante do desconhecido e acalmam o estresse. Ilustração: Luiza M. Nery/Agência Escola UFPR
Nesse sentido, a professora da UFPR sugere atividades em casa para para cuidar da saúde mental. “O ser humano é um ser de afeto por excelência. É o que temos de mais importante na vida: as relações afetivas. Agora precisamos ficar longe fisicamente, mas podemos desenvolver estratégias bem bacanas de proximidade”, diz Lidia.
De acordo com a pesquisadora da UFPR, todas as atividades indicadas abaixo produzem previsibilidade, diminuem a vulnerabilidade diante do desconhecido e acalmam o estresse – algumas, geram alegria, emoções e proximidade afetiva entre as pessoas. Confira:
1) Pratique autocuidado
O autocuidado refere-se ao enfrentamento do desconhecido, permite sair da vulnerabilidade do desconhecido que assusta e tomar as rédeas com as próprias mãos. Esse também é um fator de prevenção para a saúde mental, pois com autocuidado diminuímos os riscos, a ansiedade e o estresse, podendo fazer outras atividades. Pensar em coisas que podemos controlar é fundamental para o ser humano. É o que se denomina de autocompaixão, ajudar a si mesmo. E nessa crise ajudar a si mesmo é também ajudar o outro. Ter autocuidado é pensar em si mesmo e nos outros, é um fator humanitário. Isso aumenta nosso nível de esperança e positividade.
2) Ajude com o que você já faz
Como você, por meio de sua profissão, pode disponibilizar gratuitamente algo pela internet? Um vídeo com dicas de Psicologia ou de imposto de renda? Ou tocar um instrumento musical? Ensinar a fazer um bolo diferente? O que você está esperando? Somos uma só humanidade.
3) Faça cursos online gratuitos
São úteis, tiram o foco da pandemia por algum tempo e ensinam. Atualmente estão sendo disponibilizados cursos e vídeos em várias áreas, desde algo novo dentro de cada área (Psicologia, Nutrição, Artes etc.) até atividades que já eram feitas, como aulas de ginástica de academias.
4) Programe atividades de organização
Atividades de organização trazem sensação de controle e reduzem ansiedade. Aquelas gavetas cheias de coisas que não são mais usadas, o monte de roupas que pode separar para doar, as mil fotos do celular que nunca organizou etc. Com crianças, é bem interessante inventar coisas fofas, como arrumar as meias por cor, limpar os brinquedos e colocar na estante por tamanho. Para quem tem jardim, é bem especial anotar quantas vezes o passarinho pousou na árvore, tirar as pequenas ervas daninhas e alinhá-las lado a lado por tamanho etc.
5) Faça visitas online para amigos e familiares
Programe as visitas online por Skype ou chamada de vídeo. Não vale ficar só falando do drama atual. Dá para inventar brincadeiras: cada um traz uma lembrança da infância ou cada um conta uma piada ou charada (assim precisa procurar, anotar…) etc.
6) Assista a filmes e séries
Permite muitas risadas e acalma o estresse. Se você gosta de dramas, alterne dramas com comédias. Assista junto à família e depois brinque com qual personagem cada familiar é parecido.
7) Medite
A Psicologia já tem comprovado o quanto exercícios simples de meditação trazem retorno para diminuir estresse e ansiedade, mesmo em curto tempo. Podem ser 10 minutos de meditação pela manhã e à tarde. Sente-se em um espaço calmo, feche os olhos, observe mentalmente o seu corpo, respire profundamente pelo nariz, segure um pouco e solte pela boca de modo profundo. Preste atenção em sua respiração. Deixe seu pensamento solto, calmo, pense como é bom estar aqui e agora. Depois, mexa-se com tranquilidade, espreguice e dê os parabéns a si mesmo.
8) Elogie
Faça potes de elogios. Uma vez por dia cada membro da família escreve um elogio para os outros. Os bilhetes podem ser abertos no final de semana, por exemplo. Pode-se fazer o mesmo com outros membros da família que estão distantes e depois os elogios serão lidos online. Para ainda se divertir, a família pode programar peças de teatro em que as crianças fazem o roteiro e são protagonistas.
9) Exerça a gratidão
Escreva cartas de gratidão. Pelo o que você é grato em sua vida? O passarinho que viu hoje no jardim? O fato de ter uma casa para ficar em quarentena? A quem você é grato? E para você mesmo, o que você fez que tem orgulho e quer agradecer a si mesmo? Depois marque momentos para que as cartas sejam lidas para todos.
10) Faça um quadro de rotina e identifique emoções
No quadro de rotina diária, insira atividades com os membros da família, de cuidado, organização e diversão. Com crianças, tire fotos das emoções básicas de cada um dos membros: alegria, surpresa, medo, raiva, nojo, tristeza. Coloque as fotos de todos os membros da família lado a lado (se não conseguir imprimir, podem verificar digitalmente) e dê risadas. Depois das emoções primárias, tire fotos de outras emoções mais complexas: vergonha, orgulho, desprezo, culpa, melancolia, alívio, vergonha, frustração, ternura, irritação, saudade, gratidão etc. Essa atividade ajuda crianças, adolescentes e adultos a identificarem e aprenderam mais sobre as suas emoções.

Pequenos negócios de chocolate e doces buscam alternativas para driblar a perda de clientes na Páscoa

Com a crise provocada pela pandemia do coronavírus, empresas estão investindo, principalmente, nas mídias sociais para se aproximar do público

A Páscoa, principal período de vendas para a indústria do chocolate durante o ano, se transformou, em 2020, em um dos maiores desafios já encarados pelos setores. Com a crise provocada pela pandemia do coronavírus, os empresários que esperavam um crescimento de 5% a 10% nas vendas este ano (de acordo com pesquisas do segmento), estão tendo de criar soluções alternativas para reduzir o impacto com a restrição de deslocamento dos clientes imposta em praticamente todos os estados.

A crise foi um duro golpe para a empreendedora de Curitiba, Rosana Correa, que já trabalhava com doces há dois anos, mas que começou a se dedicar exclusivamente à atividade no final de 2019. Ela já havia comprado embalagens e produtos para a produção de ovos de páscoa e outros doces, além de ter recebido as encomendas quando a pandemia atingiu o país. “Com a situação atual fiquei com receio de atender os clientes, mesmo com todos os cuidados e com a utilização de recursos como o delivery. Comecei a me preocupar com os prejuízos que teria”, afirma.

Foi quando ela descobriu a campanha nas redes sociais “Páscoa Adiada” #pascoaatéjunho, criada por confeiteiros de diferentes locais para estender os pedidos da data para o mês de junho, período que daria um fôlego para a produção dos confeiteiros. Ela resolveu aderir à campanha e o resultado foi bem recebido pelos clientes. “Muitos clientes me apoiaram. Alguns estavam pensando em cancelar os pedidos voltaram atrás e outros realizaram até mesmo mais pedidos. Acredito que dessa forma poderemos produzir com mais segurança qualidade para o nosso cliente”, ressalta a empresária. Com isso, ela espera começar a produzir os ovos em maio e assim recuperar boa parte das vendas perdidas ao longo do período de Páscoa.

A empresária Adeline Torquato, de Pinhais, região metropolitana de Curitiba, também afirmou que as vendas devem ser muito prejudicadas por conta da crise do coronavirus, especialmente por forçar uma contenção de gastos durante a Páscoa para muitas pessoas. Ela afirma que deve intensificar os informativos para a realização de encomendas e retomar o delivery de ovos e doces. “Queremos estimular a realização de mais pedidos por parte de nossos clientes para que possamos atingir um faturamento mínimo para manter as contas em dia”, explica.

Atento às necessidades específicas desses empreendedores, o Sebrae preparou um conjunto de sugestões que podem ser adotadas para reduzir as perdas com a pandemia do Coronavírus.

CUIDADOS FINANCEIROS

O momento pede que empreendedores revejam seus gastos e cuidem do controle do fluxo de caixa. Repense expectativas de vendas, evitando compras desnecessárias, inclusive para o período da Páscoa. Se trabalha com encomenda, peça mais prazo de produção para seu cliente. Se tem contas em aberto com fornecedores, renegocie prazos de pagamentos. Se necessário, reduza sua oferta (mix) de produtos, trabalhando apenas com aqueles que garantem boa margem de lucro, priorizando liquidar o estoque acumulado e não fazer compras arriscadas. A hora é de apertar os cintos.

CUIDADOS COM A PRODUÇÃO

Todo estabelecimento de alimentação deve cumprir as Boas Práticas de Fabricação (BPF) e manipulação de alimentos. No cenário atual, as BPFs devem ser revistas e implementadas por completo, caso haja falhas de operação, conforme estabelece a RDC ANVISA nº 216/04, disponível em no link. A RDC deve ser lida e compreendida, destacando-se que os responsáveis pela manipulação devem ter conhecimentos sobre contaminantes alimentares, doenças transmitidas por alimentos, manipulação higiênica dos alimentos e boas práticas. Um exemplo de cuidados é a redução de microrganismos presentes na pele em níveis seguros, durante a lavagem das mãos com sabonete antisséptico ou por uso de agente antisséptico (como o álcool 70%) após a lavagem e secagem das mãos. Luvas e máscaras também podem ser aliadas, mas devem ser substituídas com frequência. No Portal do Sebrae estão disponíveis materiais orientativos, incluindo um curso EAD de boas práticas, disponível no Portal do Sebrae.

CUIDADOS COM A SAÚDE

Esteja atento à sua saúde e das pessoas ao seu redor, seja sua família, fornecedores ou clientes. Respeite as distâncias e oriente a todos sobre as cautelas necessárias. Muitas confeitarias são formadas por empreendedores que trabalham sozinhos, ou que contam com poucos auxiliares. É fundamental que você ou seu colaborador se afaste totalmente da produção caso haja suspeita da doença ou de contato com doentes, ainda que a princípio pareça um leve resfriado. Monitore a temperatura corporal e esteja atento a tosses e falta de ar.

REPENSANDO O MODELO DE NEGÓCIO

É importante repensar o modelo de negócio nesse momento. Se a empresa trabalha com um ponto fixo, a alternativa para driblar a falta dos clientes é investir imediatamente nas mídias sociais, nas plataformas de comércio eletrônico e nos aplicativos de entrega. Comunique ao cliente (o que muitas vezes acontece por aplicativos de comunicação e redes sociais) que seu negócio está adotando todas as medidas cabíveis que prezam pela segurança e qualidade do seu produto. Atente-se para que todos os seus fornecedores e prestadores de serviço (como entregadores) também tenham todo o cuidado necessário com o coronavírus.

OPORTUNIDADES PARA CONFEITARIAS
Para a confeitaria, o momento é mais propício para produtos que sejam protegidos (embalados individualmente). Alimentos a serem compartilhados (como bolos de corte) são um possível foco de contaminação no momento de o cliente compartilhá-los com seus amigos e familiares. Além disso, o adiamento de diversos eventos e confraternização limitarão essas demandas. A confeitaria apresenta muitos produtos de tamanhos menores, e apostar nessas opções, embalando-as individualmente, é uma oportunidade. Nessa linha de produtos, entram os brownies, cupcakes, pão de mel, docinhos, bolo de amanhã, bolo no pote, dentre outros.

10 Atividades que geram experiências duradouras

Passeios virtuais e atividades lúdicas podem fazer parte da programação de pais e filhos

Diante das mudanças na rotina pelas quais o mundo está passando, é importante adequar comportamentos e atividades para manter a segurança e bem-estar de todos. A coordenadora de Educação Infantil do Colégio Marista Santa Maria, Ana Paula Detzel, ressalta que, especialmente no caso de crianças pequenas, é interessante que alguns horários, como o do sono e das refeições, sejam mantidos. Porém, isso não impede que sejam feitas programações diferentes, como escolher um dia para ver um filme até tarde, ou dormir na cama dos pais. “É bom manter uma rotina dentro do que for possível. A criança pequena precisa desse hábito para se organizar, quando ela não tem uma programação fixa acaba ficando sem os limites que ajudam na organização do dia a dia”, explica a coordenadora.

Ela orienta também que mesmo com a suspensão das aulas, é possível realizar atividades que trazem informação e aprendizado de uma forma divertida. “Realizar atividades com as crianças reforçam a convivência social e estimulam a aprendizagem prazerosa. Como os pequenos estão descobrindo o mundo, tudo vira fonte de conhecimento”, lembra.

Veja algumas ideias para aproveitar o tempo em casa sem deixar de aprender:

1. Cozinhar

Preparar receitas fáceis com a ajuda das crianças é uma boa oportunidade de integrá-las às atividades de casa. Os filhos podem participar desde a escolha do que fazer, passando pela seleção dos ingredientes, até pôr a mão na massa para fazer biscoitos, sanduíches, pizzas e o que mais a imaginação permitir.

2. Fazer piquenique

Ao invés de parques, use o jardim de casa ou do prédio em horários sem movimento. Montar uma cesta com frutas e coisas gostosas para aproveitar um pouco do tempo fora de casa ajuda a distrair e criar momentos que podem ficar na lembrança de todos. Se não for possível usar as áreas comuns fora de casa, vale explorar outros cômodos. Fazendo uma cabana com lençol, o lanche já ganha ares de aventura.

3. Plantar

Mesmo para quem mora em apartamento, é possível preparar uma hortinha na varanda, por exemplo. As crianças adoram mexer com a terra e ter uma plantinha para cuidar ensina sobre responsabilidade e cuidado.

4. Fazer bolinhas de sabão

Outra atividade ao ar livre que sempre faz sucesso são as bolinhas de sabão. Além das tradicionais, que já vem prontas, dá pra fazer a mistura em casa e confeccionar moldes com arame ou barbante para fazer bolhas gigantes. Se não for possível sair, vale brincar da janela mesmo.

5. Inventar um brinquedo

Reaproveitando materiais que todos têm em casa, como papéis, rolos de papel higiênico, retalhos de tecido e garrafas pet é possível criar os mais variados brinquedos. Uma boa chance de exercitar a criatividade e o talento manual para dar forma à imaginação.

6. Escrever um livro

Com algumas folhas de sulfite dobradas ao meio e grampeadas, é possível criar um pequeno livro em branco que pode ser colorido, desenhado e escrito pelo seu filho. Se a criança ainda não souber escrever, a família pode ajudar colocando no papel o texto da história.

7. Contar histórias

Crianças adoram ouvir histórias. Como parte da rotina, dá para incluir um momento do dia para a contação de histórias. Além da leitura de livros, a mãe e o pai podem narrar aventuras da sua própria infância, lembrando de fatos divertidos para compartilhar com os filhos.

8. Dar banho nos brinquedos

Que tal aproveitar o calor para brincar com água? Especialmente nesses dias, as crianças podem usar bacias para lavar os brinquedos. Além de ser uma atividade que elas gostam muito, ensina sobre responsabilidade com os seus objetos e pode ser uma oportunidade para reforçar atitudes que evitam o desperdício de água.

9. Acampar dentro de casa

Fazer cabaninhas de lençol, com almofadas no chão, é o ambiente perfeito para uma brincadeira que entretém as crianças por bastante tempo.

10. Visitar locais online

Conhecer museus no mundo inteiro se tornou possível com o avanço da tecnologia e da internet. Basta fazer uma pesquisa rápida para achar dezenas de locais que oferecem visitas virtuais e conhecer acervos sem gastar nada.

Sobre a Rede Marista de Colégios: A Rede Marista de Colégios (RMC) está presente no Distrito Federal, Goiás, Paraná, Santa Catarina e São Paulo com 18 unidades. Nelas, os mais de 25 mil alunos recebem formação integral, composta pela tradição dos valores Maristas e pela excelência acadêmica. Por meio de propostas pedagógicas diferenciadas, crianças e jovens desenvolvem conhecimento, pensamento crítico, autonomia e se tornam mais preparados para viver em uma sociedade em constante transformação. Saiba mais em www.colegiosmaristas.com.br.

[quem disse, berenice?] lança Máscara 4D: quatro intensidades para cílios com o máximo de efeito

Marca anuncia também ação de venda digital com lucro revertidos para força de vendas das suas lojas fechadas durante a quarentena

nVwANCG4rZDzkFqCYpFjLj3bU6fIPAjeckL4BRt24zwpinAM3-fUwifq6ZcDwPDnL4Cj1qIgdPkz8XsLChukFoIH52Oy4-mOdKuptBCT8OuSPfkzpmE8Del8EABxHAHuT5dpBwjQOzFvSGHMBg

São Paulo, março de 2019 – Volume, alongamento, curvatura ou definição? Não é fácil a vida do fã de maquiagem que só encontra o efeito perfeito para os cílios juntando dois ou mais produtos. Mas, agora, a Máscara 4D, de quem disse, berenice? veio para revolucionar, com quatro fases você consegue todos os benefícios em uma única máscara.

A Máscara 4D proporciona cílios com 15x mais volume, 4x mais alongamento, super curvatura e alta definição, ampliando o seu olhar em quatro dimensões.

Para usar, é muito fácil: basta passar a primeira fase do pincel e sentir seus cílios mais volumosos, alongados, curvados e definidos. Para intensificar o efeito, vá girando o pincel e aplique até chegar na última fase para seus cílios alcançarem uma nova dimensão.

U0OnluMJWMGQZR6FqDm4fMWSQGYXxRRDiRPmXxfUrAMR7qmt-j9NjHbYgXAY6_TQDGWoLprYyZlLwcx9so33TLzXdOrkYBPHB-Fh9Rkt5BcJK7jw-ck3O3p8ki6VWWp5KhWb7rgSt5fEC3GSuw0irENj6CoiUwe_nHkELAeewydCKbULMJXSUlXP2dRgB-84psXMWADnEMrgiMaEz3du0ljq-hkSOZkP_3fBXBscYFXD44ErnYBvYk0EDwjk9gx5EXVqFeXoJpW_rQIq59_1sp9oKNwSOdu9EQ0Q-y4lTsvVG0M2mgDO6j7KWyjXerWzuAgTQ1qGmTk4r9PF1ZA1iBsnTKm-U25wZULalmCGG-NQEvC3fSwJ49_r1k1fUMdJC8FVHAfYL8YYjBmfOu1qs9oBSSWHUZXq3ud9D4X8NnJTUeZGf6NxxAqA16PDdrX1or_DPqg7qEiCongny2b4B8nkGc0V4Fts8aBY1Mw0kXKuDE8eC1t1IZMKs_U7S8wdA58vewHprQ96tPSJKU7tx_fEdb83QyKMleaisuI7mfmvotJrTzH8QGfZNBunlk_4QMRQL8ew

Preço: R$78,00.

Ação digital
A quem disse, berenice? está disponibilizando cupons com 10% de desconto em todas as compras no seu e-commerce, incluindo produtos promocionados. O melhor dessa novidade é que existe um cupom para cada uma das lojas físicas da marca, conforme indicado em link do perfil da empresa, e parte do faturamento de cada compra utilizando este cupom vai para a comissão da força de vendas daquela loja. Então, se você tem uma loja preferida, ou puder escolher o cupom referente à loja mais próxima da sua casa, não deixem de fazê-lo! Além do desconto de 10%, estarão todos contribuindo, também, para mantermos nossas consultoras em casa, com sua comissão de vendas, durante a quarentena indicada para evitarmos a propagação do vírus Covid-19. Os cupons estão disponíveis no site da marca.

--
Siga-nos:
www.quemdisseberenice.com.br

IG: @quemdisseberenice
YT: quem disse, berenice?
FB: [quem disse, berenice?]

--

Sobre quem disse, berenice?
A quem disse, berenice? nasceu em 2012 para questionar e ampliar os conceitos sobre maquiagem. Com a essência de liberdade, a marca inspira e provoca as mulheres a expressarem suas individualidades por meio de um portfólio completo com mais de 500 produtos para pele, olhos, boca, fragrâncias e acessórios. São mais de 100 cores de batom, 40 cores de sombra e uma régua de 27 cores de base, pós e corretivos com tonalidades desenvolvidas especialmente para a pele das brasileiras. Hoje, quem disse, berenice? possui 239 lojas no Brasil, 6 em Portugal, além dos e-commerces em cada país.

Rede de voluntários se mobiliza para enfrentar COVID-19 com soluções inovadoras

À frente da área de Inovação Social, Instituto Legado é parte do esforço da Rede Quarentena Solidária. Objetivo é minimizar danos da pandemia do novo coronavírus.

O Instituto Legado de Empreendedorismo Social se uniu a um grupo de mais de 250 voluntários com o objetivo de minimizar os efeitos da crise causada pelo novo coronavírus. A Rede Quarentena Solidária conecta organizações e pessoas de diferentes áreas interessadas em contribuir de forma colaborativa. Um das frentes é o INOVA CONTRA CORONAVÍRUS, um chamamento para que empreendedores sociais, inovadores, negócios sociais, startups de impacto social, empreendedores cívicos desenvolvam soluções que possam contribuir para reduzir os efeitos desastrosos da doença COVID-19. Em 72h, mais de 30 propostas já foram cadastradas.

A área de inovação é coordenada pelo presidente do Instituto Legado, James Marins, e tem como proposta conectar soluções inovadoras com doadores capazes de prover condições para execução. No site inova.contracoronavirus.com.br é possível cadastrar ideias e soluções. Após o registro, as propostas passam por uma curadoria, encaminhamento para subgrupo, onde poderão receber contribuições com recursos como tecnologia, logística, pessoas, rede, mídia e, inclusive, recursos financeiros de acordo com cada caso. Por fim, os projetos seguem para execução.

O Comitê Curadoria está selecionando e encaminhando diversas ações. Das 32 ideias inscritas, 43% são consideradas aptas para execução; em 46% dos casos estamos solicitando mais informações e apenas 3,1% não são viáveis no momento. Para serem executadas, as ações propostas necessitam de voluntários, conexões e recursos financeiros.

Em execução

Algumas soluções já foram encaminhadas. É o caso da iniciativa da Academia Médica que necessita de recursos para oferecer um curso técnico de ventilação mecânica para casos graves de pacientes de COVID-19 internados em UTI. Nesse caso, o Instituto Legado viabilizou que investidores sociais fizessem o aporte inicial que possibilitou a oferta do curso que proporciona conhecimento técnico que pode salvar muitas vidas (www.academiamedica.com.br).

Ainda na área médica, a iniciativa promoveu a conexão entre o Portal SIM – Serviços de Inteligência Médica, que é uma plataforma de médicos voluntários que podem dar aconselhamento profissional via chat - com a Academia Médica, que tem mais de 140.000 profissionais, muitos dos quais poderão ser voluntários na iniciativa (www.portalmedsim.com.br).

A Bioeng, empresa de especializada em arquitetura hospitalar, criou metodologia para oferecer seus conhecimentos por meio eletrônico para reformar e adaptar unidades hospitalares, duas startups estão oferecendo tecnologia de impressoras 3D para a construção de equipamentos para hospitais (www.bioengsaude.com.br).

A DDN – Tecnologia Textil está oferecendo a fabricação de máscaras de proteção elaboradas com tecido biodegradável e impregnadas com produto antibacteriano. Além disso são laváveis e podem ser reutilizadas, reduzindo o impacto ambiental desse equipamento de proteção.

Há também iniciativas na área jurídica, para a construção de uma plataforma para acompanhamento de todas as mudanças legislativas referentes ao Coronavírus e também para facilitar a contratação à distância, inclusive com assinatura digital para que os usuários não deixem de realizar negócios.

No campo da alimentação, a Cooltivando criou um modelo de negócios para vender hortifrutigranjeiros diretamente em condomínios, evitando assim a aglomeração em feiras e mercados (www.cooltivando.com.br). Essas iniciativas estão em diferentes estágios de desenvolvimento e serão lançadas ao longo dos próximos dias.

Sobre a Rede Quarentena Solidária

A Rede Quarentena Solidária reúne esforços da comunidade paranaense e realiza ações, estabelece discussões e trocas por meio digital, por meio das redes sociais e de uma plataforma onde os participantes podem publicar conteúdos informativos, educativos e analíticos sobre o atual cenário de pandemia. O objetivo da rede é mobilizar todo o tipo de recursos para contribuir com as famílias carentes, com o esforço público e com os hospitais para reduzir o impacto da pandemia. Saiba mais: https://contracoronavirus.com.br/. Para participar da Rede de Mobilização: https://chat.whatsapp.com/GaEqGdjBw4oJLVSvbQqWyV

Corpus Academia disponibiliza aulas nas redes sociais

A mensagem das academias sempre foi com o propósito de tirar as pessoas de casa e estimular a praticar atividade física. Mas por causa Covid 19 a mensagem agora é ficar em casa. Porém, nunca parado.

Para isso, a Corpus Academia está apostando nas aulas através do Instagram. Uma vez por dia entra um professor ao vivo para ministrar aulas variadas como pilates, localizada, mix corpus, power hit e alongamento. Além disso, outras aulas são gravadas e dicas de exercícios serão postadas no instagram e no facebook da academia. Mesmo que não usa o aplicativo pode acompanhar

“Praticar atividade física é fundamental para manter a saúde em dia. Não é porque está em casa que a pessoas não podem se cuidar. Estamos dando todo o estímulo necessário para que nossos alunos continuem ativos”, explicou o proprietário da Corpus, Anderson Lorenzatto.

Jockey Plaza Shopping colore sua fachada de roxo em apoio ao Purple Day

Preconceito e falta de informação são obstáculos para controle e tratamento da epilepsia

O dia 26 de março é considerado o Dia Mundial de Conscientização da Epilepsia. Chamada de Dia Roxo, ou Purple Day, a data é dedicada a aumentar a consciência sobre a epilepsia em todo o mundo. Entre os dias 21 e 28 de março, o Jockey Plaza Shopping colore a sua fachada de roxo, para chamar a atenção para a doença, que acomete cerca de 3% da população mundial. A ação será realizada em parceria com a associação Luta pela Epilepsia no PR – LEPIPR e da Associação Brasileira de Epilepsia – ABE / SP.

A doença neurológica pode ser de origem genética, ou adquirida por meio de traumatismo, acidente vascular cerebral ou qualquer outra lesão que traumatize o cérebro. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 1,9 milhão brasileiros sofrem com a epilepsia. “Nossa fachada roxa alerta para a busca por informações sobre a doença, e apoia as instituições que lutam contra a falta de informação e preconceito com as pessoas que apresentam a epilepsia”, afirma a gerente de marketing do Jockey, Michelle Cirqueira.

Segundo a integrante da LEPIPR, Luana Vieira, o diagnóstico e tratamento adequado são fundamentais para controle da doença e qualidade de vida dos portadores. “Em 80% dos casos, o uso contínuo dos medicamentos indicados proporciona vida normal as pessoas com epilepsia. Mas infelizmente, para os demais, é uma doença de difícil controle”, afirma, lembrando que os 20% de difícil controle estão no grupo de risco para o COVID-19. Neste ano, a influenciadora digital Camila Coelho, de 31 anos, afirmou que foi diagnosticada com a epilepsia aos 9 anos, e o uso de remédio contínuo faz com que não apresente as crises.

“Na hora da crise, é importante deitar a pessoa de lado para que não se engasgue com a própria saliva ou vômito, afrouxar as roupas, erguer o queixo para facilitar a passagem de ar e levar a pessoa para o atendimento médico, caso a crise dure mais de cinco minutos. São dicas básicas para manter a pessoa em crise em segurança, porém muitas pessoas desconhecem”, explica Luana.

Sobre o Jockey Plaza Shopping:

Inaugurado em junho de 2019, o Jockey Plaza Shopping possui mais de 200 mil m² de área construída, com 325 operações, sendo 28 opções na praça de alimentação, além de um boulevard gastronômico com vista panorâmica para a pista de corridas do Jockey Club do Paraná. O empreendimento conta ainda com oito salas de cinema Cinépolis e espaços para jogos e lazer, que tornam o local ainda mais completo. Com um vasto mix de lojas e serviços, é um shopping que se propõe a atender de forma democrática todos os seus perfis de público. O projeto arquitetônico prioriza espaços amplos, iluminação natural e muita área verde, e busca ressignificar o lazer, remetendo o local a uma extensão de um espaço externo. O Jockey Plaza Shopping é um empreendimento do Grupo Tacla Shopping, Casteval, Paysage e GRCA.

www.jockeyplaza.com.br

Rua Konrad Adenauer, 370 – Tarumã

Empresas se reinventam para prestar serviços remotamente durante a pandemia do novo coronavírus

De tour virtual em apartamentos decorados a pagamento por QR Code, o foco é usar a criatividade e a tecnologia para não perder o contato com o cliente

Com o rápido avanço do novo coronavírus no Brasil, muitos setores tiveram de encontrar soluções para não “fechar as portas” e continuar a oferecer seus serviços normalmente, mas de forma remota. Foi o que aconteceu com quatro empresas de diferentes segmentos, que se reinventaram e criaram meios para continuar atendendo seu público com qualidade mesmo que a distância.

A GT Building, uma das maiores incorporadoras imobiliárias do Paraná, disponibilizou uma série de possibilidades ao consumidor, que não precisa esperar a pandemia passar para conhecer os empreendimentos. Sendo pioneira a implementar um sistema de atendimento remoto via computador ou aplicativo, a empresa consegue proporcionar por meio de vídeochamada e transmissão ao vivo várias funções que dão andamento à busca e à compra do imóvel ideal.

O sistema funciona da seguinte forma: o cliente preenche um formulário com nome e-mail e telefone, e esses dados são encaminhados a um especialista da empresa, que está conectado à mesma plataforma. Após o cliente receber um link para realizar a vídeochamada com esse profissional, é iniciada uma transmissão em que o especialista apresenta os empreendimentos, envia materiais de apoio, expõe a tabela de preços simulando opções de financiamento e realiza um tour virtual do apartamento decorado. Se o interessado já quiser fechar negócio, é possível realizar a assinatura do novo imóvel por meio de contrato eletrônico.

Para conferir todos os detalhes dos empreendimentos, também é possível entrar em contato por meio de chat online, e-mail, telefone e WhatsApp. Mas, para quem precisa manter o relacionamento pessoal para retirar as chaves do novo imóvel ou realizar vistorias, por exemplo, a incorporadora encontrou uma alternativa. Seguindo de forma rigorosa as normas de higienização recomendadas pelos órgãos oficias de saúde, irá disponibilizar álcool em gel e cuidar para que distâncias seguras entre os envolvidos seja mantida, além de possibilitar visitas físicas apenas com agendamento prévio para que a demonstração seja individual e a fundamental higienização dos apartamentos seja realizada.

Quem também está apostando no meio virtual para manter suas atividades é a Cultura Inglesa, uma das principais escolas de inglês do Brasil. Atendendo às recomendações dos órgãos de saúde, a companhia passou a transmitir suas aulas por meio de videoconferência desde o dia 23 de março. Para que isso fosse possível, os professores que estão fora do grupo de risco passaram por uma capacitação para atender aos alunos nesse novo momento. Além disso, os estudantes estão recebendo atividades para realizar em casa com a família.

Sem contato físico

Para evitar a manipulação de cédulas de dinheiro, usuários têm utilizado aplicativos de pagamento via QR Code para realizar compras. Uma empresa que oferece esse tipo de serviço é a Connecty Pay, sistema de gestão de pagamentos criado em Curitiba que disponibiliza essa funcionalidade em diversos estabelecimentos do Paraná.

Para utilizar a ferramenta, o cliente deve cadastrar seu cartão de crédito, de preferência no app, acionar a função de pagamento por QR Code, fazer a leitura do código no estabelecimento e, na sequência, realizar o pagamento. A casa comercial aprova a venda do usuário pelo sistema e envia o comprovante da transação por e-mail. Tudo isso é feito de forma rápida e segura, pois o usuário não tem contato nenhum com dinheiro, nota fiscal e outras pessoas. Em alguns casos, como em postos de combustível, não é necessário nem sair de dentro do carro para efetuar o pagamento. Para facilitar ainda mais, a Connecty Pay disponibiliza a função ‘retire na loja’, que oferece aos usuários a possibilidade de comprar os produtos de estabelecimentos credenciados pelo aplicativo e passar no local apenas para fazer a retirada.

Já a Arcos Dorados, maior franquia independente do McDonald’s no mundo, tomou a decisão de fechar o salão de seus restaurantes no Brasil a partir de 23 de março. A rede informa que recomendou o fechamento temporário dos seus mais de 1000 restaurantes no país, atendendo aos clientes exclusivamente pelo Delivery, Drive-thru e, em algumas situações, pedidos para viagem, incluindo as lojas de rua. A empresa reitera ainda que está tomando todas as medidas de prevenção e proteção de seus funcionários, clientes e parceiros, reforçando seus protocolos de higiene e limpeza. A companhia segue acompanhando dia a dia a evolução da questão no país, seguindo todas as determinações das autoridades sanitárias do Brasil e considerando todas as situações excepcionais. No início da semana, os tradicionais Uber Eats, Rappi e iFood já anunciaram a “entrega sem contato”, modelo em que os entregadores deixam os pedidos na porta, sem ter contato com o cliente.

Show de ZECA BALEIRO em Curitiba é adiado para julho

Foto: Silvia Zamboni

A produtora Orth Produções comunica o adiamento do show de Zeca Baleiro “O amor no caos, voz e violões”, que aconteceria no dia 19 de junho na Ópera de Arame, em Curitiba. O show na capital paranaense confirmou a nova data para dia 18 de julho de 2020, às 21h, na Ópera de Arame.

A produção está atenta aos recentes acontecimentos relacionados ao COVID-19 e a importância das restrições de aglomerações de pessoas. "É muito sério o que estamos vivendo, mas temos que enfrentar este momento com serenidade e prevenção seguindo as orientações dos órgãos oficiais de saúde e não propagando fake news. É momento de solidariedade e de cuidados necessários, onde devemos fazer a nossa parte para que tudo passe da maneira mais rápida e com os menores danos possíveis. A saúde do público e de todos os profissionais envolvidos nas nossas produções é a nossa prioridade".

Quem comprou o ingresso

As pessoas que compraram ingressos, e querem assistir o show na nova data, não precisam trocar os mesmos bilhetes, eles continuam valendo para a nova na poltrona adquirida.

Se optar pela restituição de valor de compra, os clientes devem enviar e-mail para: atendimento@diskingressos.com.br ou entrar em contato com 41 3315-0808.

SERVIÇO:

A nova data: dia 18 de julho de 2020

Local: Ópera de Arame – Curitiba/ PR

Horário: 21h

Os ingressos continuam à venda pelo Disk Ingressos. Para mais informações, acesse www.diskingressos.com.br ou entre em contato pelo telefone (41) 3315-0808