Tênis com vestido ainda está na moda? Como vão ser suas roupas do dia a dia pós pandemia

Depois de passar meses dentro de casa usando pijama, roupas de ginástica ou moletom, as pessoas recomeçam a sair na rua, e aí vem a dúvida: qual look usar para evitar o coronavírus e ainda, se sentir bonita?

A pandemia alterou absolutamente tudo em nossas vidas, inclusive a relação do consumidor com a moda. Ainda há muitas questões sem resposta, mas aqui vamos tentar entender algumas delas.

Menos é mais: o novo normal?

Entre as previsões da era pós-pandemia, não faltaram opiniões de especialistas e estudos de tendência afirmando que, a partir de agora, o consumidor passaria a comprar em menor quantidade, mas itens de mais qualidade, e o slow fashion seria a regra.

No entanto, não é isso que vimos em Paris, capital da moda, quando as lojas reabriram. Depois de 50 dias sem irem às compras, os franceses formaram filas em lojas de fast fashion e até mesmo nas lojas de luxo.

Fica a discussão: vale a pena arriscar a vida para comprar uma roupa ou um acessório novo? São itens urgentes, que alguém precisa muito? E se a resposta for sim, por que não comprar pela Internet?

Talvez, mais do que nunca, o hábito das compras esteja sendo usado para preencher a ansiedade, o vazio existencial deixado pelo coronavírus. Ou então as pessoas estejam desesperadas para sentir o mínimo de normalidade em suas vidas após tanto tempo confinadas.

Alta costura mais digital

Os últimos meses mostraram que a ostentação das semanas de moda internacionais podem estar quase no fim.

Já que as maiores casas de moda de todo o mundo não puderam desfilar suas coleções nas passarelas que atraem todos os olhares, elas tiveram que se reinventar: os desfiles virtuais foram a saída para exibir as novidades e lançar tendências, com a vantagem de tornar o show de moda acessível em todo o mundo.

Mesmo com a retomada das principais semanas de moda, como a Paris Fashion Week, que ocorrerá em setembro, grandes marcas já afirmaram que não vão participar. É uma oportunidade de explorar novas formas de divulgação e até mesmo fazer negócios.

Além da pandemia, uma possível debandada das semanas de moda acontece devido a prazos curtos entre os lançamentos. Agora, a questão considera também a situação da economia e da saúde da população mundial e mostra que a moda vai muito além de uma peça de roupa.

Roupas como forma de proteção

Camisetas, vestidos, calças, casacos… tudo com a promessa de ser antivírus. Esses itens começaram a pipocar nos e-commerces nos últimos meses, mostrando que a indústria têxtil está de olho nas demandas provocadas pela pandemia.

A promessa é o que determinados tipos de fios especiais inativam o coronavírus em apenas alguns minutos, após a realização de testes que comprovam a eficácia da tecnologia. A proteção resiste a um número elevado de lavagens, mas não é para sempre.

A boa notícia é que muitas das marcas que têm essas roupas tecnológicas estão comercializando-as por um preço acessível para que mais pessoas fiquem protegidas contra a doença, principalmente quando precisam sair de casa.

Máscaras obrigatórias

Um hábito comum nos países orientais talvez tenha vindo para ficar no Brasil: o uso de máscaras. Por lá, pessoas com sintomas de doenças respiratórias transmissíveis já estão acostumadas a usá-las, e o uso está sendo intensificado neste período crítico.

Na realidade brasileira, estados e cidades estão declarando a obrigatoriedade de máscaras em locais públicos, seja para fazer uma caminhada ao ar livre ou para ir ao mercado e até mesmo frequentar um restaurante. Ou seja, apesar do desrespeito às regras, é cada vez mais comum se deparar com pessoas vestindo esse novo item.

Para evitar a indisponibilidade para os hospitais e profissionais de saúde e também contribuir com o meio ambiente, as máscaras de tecido têm sido as mais usadas pela população.

Não à toa, marcas de moda já passaram a produzir seus modelos, que variam entre preços populares a valores exorbitantes.

A necessidade também tem ajudado a fomentar o DIY, ou seja, pessoas que aprendem a costurar para fabricar seu próprio modelo, e também tem sido o carro-chefe entre pequenos artesãos, que até personalizam os pedidos dos clientes.

Conforto é must have

Se o normcore, aquele estilo mais despojado, já estava em alta, com a pandemia de COVID-19 ele se tornou praticamente unânime. Quase todo mundo adotou como uniforme do dia a dia as roupas mais largas, confortáveis e aconchegantes do guarda-roupa, e a tendência veio para ficar.

Enquanto ainda não há segurança para realizar grandes eventos ou reuniões mais sociais, será muito difícil que os vestidos chiques e o salto alto voltem a ser destaque.

Por isso, a resposta para pergunta do título desse texto é: sim, o tênis com vestido ainda está na moda e assim continuará por mais algum tempo (provavelmente até termos uma boa parcela da população imunizada com uma vacina segura e eficaz).

Nos próximos meses, o conforto continuará sendo prioridade, mesmo com a flexibilização da quarentena. É o que já temos visto em outros países que estão em um estágio mais avançado de desconfinamento, inclusive com celebridades endossando o estilo.

Com tantas mudanças acontecendo e em meio a uma situação sem data para acabar, pensar no seu look de reestreia ao novo normal não seja mais a sua principal preocupação de moda, mas sim procurar reavaliar a sua relação com esse universo.

*com divulgação

Categorias:AGÊNCIAS DE COMUNICAÇÃO, AGENDA DA SEMANA, AGENDA DO FIM DE SEMANA, BRASIL, COLUNA VANESSA MALUCELLI, DIVIRTA-SE, FREE LIFESTYLE, LANÇAMENTOS, MODATags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

VanessaMalucelliAndersen

Colunista do Site — Divirta-se Curitiba!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s