Atividades físicas são indispensáveis para a imunidade durante a pandemia

O Educador Físico do Santa Mônica Clube de Campo, Gabriel Nappi, dá dicas importantes sobre os cuidados que devem ser tomados ao frequentar a academia

A pandemia ainda afeta muito o cotidiano das pessoas e impõe uma série de cuidados para a realização de atividades físicas. Exercitar-se é fundamental para ter uma vida mais saudável, pois ajuda a aumentar a imunidade e a evitar aqueles quilos indesejados. Não praticar exercícios físicos pode ser um risco para o surgimento de doenças crônicas associadas ao sedentarismo, como problemas cardíacos e obesidade. E, essas condições tornam o indivíduo mais propenso aos efeitos do coronavírus, potencializando os riscos de casos graves e de morte.

Conforme mostra uma análise promovida pelo Banco Mundial e publicada no Obesity Reviews, a obesidade chega a aumentar cerca 50% o risco de fatalidade entre pacientes com Covid-19.De acordo com dados do IBGE, um em cada quatro adultos brasileiros está obeso. Essa proporção mais que dobrou em 17 anos. Em 2003, o índice era de 12,2%. Já, no levantamento de 2019, saltou para 26,8% de adultos obesos. Além disso, 61,7% da população de 20 anos ou mais estão acima do peso.

Para evitar que esse número seja ainda maior, já que esse levantamento não levou em conta o período da pandemia, as pessoas precisam adotar um estilo de vida mais saudável. E, o exercício físico é um dos mais importantes aliados nesse processo. “A atividade física melhora a saúde de várias formas: reduzindo o risco de doenças crônicas como hipertensão e diabetes e diminuindo a gordura corporal, além de combater o estresse, a ansiedade, melhorar a autoestima e, de quebra aumentar a imunidade”, comenta o professor de educação física do Santa Mônica Clube de Campo, Gabriel Nappi.

Cuidados ao utilizar a academia na Pandemia

Muitas pessoas ainda têm receio de frequentar a academia. Segundo Gabriel Nappi, é possível realizar atividades para manter a saúde e boa forma, com todos os cuidados necessários para o momento. Na Academia do Santa Mônica, clube onde o profissional trabalha, os protocolos de segurança estão sendo respeitados à risca, para garantir o bem-estar e saúde dos frequentadores.

O profissional ressalta a importância dos cuidados que todos devem ter ao voltar a frequentar uma academia. "Fique atento à temperatura do seu corpo; Higienize as mãos e os calçados; Use máscaras; Lave sempre bem as mãos; Higienize os equipamentos; Mantenha distanciamento de 1,5 m; Evite o uso do celular enquanto se exercita; Use toalha individual no treino; Prenda os cabelos, se o seu for comprido ; Leve a sua própria garrafa de água; Não extrapole 60 minutos de atividade; Não utilize o chuveiro e evite ter contato das mãos com boca, olhos e nariz", diz.

Gabriel comenta ainda que o Santa Mônica Clube de Campo segue os protocolos exigidos pela Secretaria de Saúde de Colombo, e que ainda não liberou as atividades coletivas, como pilates solo, ginástica, dança e alongamento.

Venda de imóveis de alto padrão cresce durante pandemia

Alta do setor entre maio e julho foi de 43%, de acordo com Abrainc. Em Curitiba, empreendimento recém-lançado pela A.Yoshii Engenharia surpreende, com 64% das unidades vendidas

De acordo com o balanço da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) divulgado no início de outubro, a venda de imóveis de médio e alto padrão teve alta nos últimos meses. Os dados mostram que o total de unidades vendidas nesse segmento, em julho de 2020, foi 34,8% maior do que no mesmo mês em 2019. Quando considerado somente o resultado líquido, sem os distratos, o aumento foi de 43,2%.

O levantamento também aponta que os lançamentos de imóveis registraram alta de 38,2% em julho. Em Curitiba (PR), o Grupo A.Yoshii lançou recentemente o Talent, um edifício de alto padrão, que já está com 64% das unidades vendidas. O gerente de unidade da construtora em Curitiba, Erick Takada, conta que a segurança em todo o processo de venda 100% online e estudos de comportamento do consumidor fizeram com que os clientes se sentissem valorizados e confiantes na hora de investir. "Além da alta qualidade de nossos produtos, investimos fortemente nas soluções tecnológicas e digitais e estamos colhendo os frutos", celebra.

Outra estratégia de sucesso foi a campanha de lançamento do empreendimento, que contou com a participação de grandes destaques da cidade - referências em áreas como moda, comportamento, bem-estar, gastronomia e beleza.

Compradora de uma unidade do Talent, Lidiane Dalaqua de Paula explica que, “mesmo com a pandemia e dificuldades no cenário econômico, consegui realizar um dos meus maiores sonhos. No processo de vendas e visita ao showroom, me deparei com um trabalho que envolve excelência e me identifiquei com o empreendimento e com a marca. Realmente, fiquei muito impressionada com a construtora e a qualidade em todos os processos”, comenta.

O quinto empreendimento da construtora em Curitiba, tem 19 andares e está localizado em uma das áreas mais valorizadas da cidade, o bairro Água Verde. As unidades possuem 146 ou 157m² privativos e varanda, um diferencial que vem ajudando a alavancar as vendas, conforme pesquisa recente da Imovelweb. Outra tendência que está presente no Talent são os ambientes integrados e amplos.

“Muitas famílias buscam estabelecer residência no bairro Água Verde, por sua localização estratégica e facilidade de acesso a outros bairros. O edifício chega para suprir essa busca e apresenta, junto a um design contemporâneo, pontos muito desejados, como a sacada ampla com churrasqueira”, reforça o gerente.

O empreendimento, que fica ao lado do Clube Curitibano, oferece ainda estrutura completa de lazer, com espaço fitness, espaço família, brinquedoteca, playground, mini quadra esportiva e salão de festas.

Mais informações: https://www.talent.ayoshii.com.br/.

Grupo A.Yoshii

Fundado em 1965, o Grupo A.Yoshii já construiu mais de 2 milhões de m² do Sul ao Nordeste do Brasil, entre obras industriais, edifícios corporativos e residenciais, escolas, universidades, teatros e centros esportivos. É composto pela A.Yoshii Engenharia, com sólida atuação em construções de edifícios residenciais e comerciais de alto padrão em Londrina, Maringá, Curitiba e Campinas; pela Yticon Construção e Incorporação, que realiza empreendimentos econômicos, localizados em regiões de potencial valorização em municípios do Paraná e interior de São Paulo; pelo Instituto A.Yoshii, voltado para a inserção social e a democratização cultural; e atua em Obras Corporativas, atendendo a grandes corporações em suas plantas industriais, nos mais variados segmentos da economia, como papel e celulose, alimentício, químico, agronegócio, energia, assim como usinas sucroalcooleiras, centros logísticos, plantas automobilísticas, entre outros. Mais informações: www.ayoshii.com.br

União Brasileira de Compositores convida artistas para série de lives que apoiam a campanha “Juntos Pela Música”

Russo Passapusso, do grupo BaianaSystem e Hyldon são alguns dos participantes desta semana. A programação colabora com fundo financeiro criado para auxiliar profissionais do meio musical durante a pandemia.

Desenvolvida no início do período de quarentena pela União Brasileira de Compositores com transmissões em seu perfil do Instagram, a Janela UBC é uma série de lives que conecta profissionais de diferentes áreas da indústria musical ao grande público. De 12 a 15 de outubro, receberá sempre às 16h Sandra de Sá, Russo Passapusso, Hyldon e Iuri Freiberger no link http://www.instagram.com/ubcmusica/ .

Criado pela UBC, o fundo Juntos Pela Música visa auxiliar financeiramente profissionais da indústria musical que foram severamente prejudicados pelas consequências da pandemia da Covid-19. Em seis meses de campanha, a organização arrecadou mais de R﹩ 1,7 milhão através de doações realizadas via Benfeitoria, plataforma brasileira de crowdfunding. Aqueles que quiserem continuar ajudando a iniciativa podem doar diretamente para a instituição, por meio de depósito. O valor conquistado tem sido capaz de ajudar aproximadamente 1.057 famílias pelo curso de 4 meses, e foi alcançado graças à parceria de matchfunding feita com o Spotify, que como parte de seu programa global de suporte, intitulado Covid-19 Music Relief, dobrou as doações recebidas pela UBC até agosto.

6=ImN4Q2N0ojci5SbvNmLhJnclRHQpxGblNWdsFWbhN3cl5WY2pjMyIjNzYzN2YjOnVGcq5iN4gjM0MTOwMzMGJTJwMzMGJTJyADM1YkMlUDMyQTMf1SNx0yXt92YuIHct1SaGJTJGJTJBNTJwRHdopTO

Abrindo a programação da semana, na segunda-feira, 12/10, às 16h, a cantora Sandra de Sá entrevistará o produtor, compositor e cantor baiano Hyldon, responsável por sucessos como "Na Rua, Na Chuva, Na Fazenda" e "As Dores do Mundo", que foram popularizados por nomes como Kid Abelha e Jota Quest. O artista começou sua carreira musical aos 14 anos e ganhou reconhecimento na década de 1970, integrando a tríade da soul music brasileira juntamente com Tim Maia e Cassiano. A conversa faz parte do quadro "Música Preta Importa", no qual todas as segundas-feiras Sandra convida uma personalidade marcante para a cultura negra no país.

4=kjM3UWOzojci5SbvNmLhJnclRHQpxGblNWdsFWbhN3cl5WY2pjMyIjNzYzN2YjOnVGcq5SN3QDN5kDN5UjMGJTJ5UjMGJTJyADM1YkMlUDMyQTMf1SNx0yXt92YuIHct1SaGJTJGJTJBNTJwRHdopzM

As entrevistas prosseguem na terça-feira, 13/10, às 16h, quando Elisa Eisenlohr, Gerente de Comunicação da UBC conversa com Iuri Freiberger sobre aceleração de carreiras artísticas e o Projeto Impulso, iniciativa da organização para auxiliar artistas, a qual oferece mentoria, capacitação, networking e um aporte monetário para seguimento do trabalho. Iuri, além de ser produtor musical desde a década de 1990, é mestre em Design Estratégica, e também tem experiência como gestor público, professor universitário e gestor de projetos.

5=MjZmljMwojci5SbvNmLhJnclRHQpxGblNWdsFWbhN3cl5WY2pjMyIjNzYzN2YjOnVGcq5iN2UTNyMDO1EzMGJTJ1EzMGJTJyADM1YkMlUDMyQTMf1SNx0yXt92YuIHct1SaGJTJGJTJBNTJwRHdopjN

Quarta-feira, 14/10, é a vez do cantor e compositor baiano Manno Goés receber o duo OutroEu, composto pelos músicos Mike Tulio e Guto Oliveira. O conjunto teve início no programa Superstar, da Rede Globo, e em sua formação inicial havia outros dois integrantes. O grupo ficou em terceiro lugar da edição de 2016 do reality show, assinando com o selo SLAP. Em 2017 lançaram seu primeiro álbum, "OutroEu" e passaram a se apresentar como uma dupla, tendo participado em um single da dupla Anavitória. No ano passado passaram a fazer parte do casting da Universal Music Brasil e lançaram o EP "Encaixe", que conta com a faixa "Não Olha Assim para Mim", parte da trilha sonora da novela "Amor Sem Igual", da emissora Record.

4=AzNiFjNjpjci5SbvNmLhJnclRHQpxGblNWdsFWbhN3cl5WY2pjMyIjNzYzN2YjOnVGcq5iMxgzNzcDOxQjMGJTJxQjMGJTJyADM1YkMlUDMyQTMf1SNx0yXt92YuIHct1SaGJTJGJTJBNTJwRHdopTM

Encerrando a programação desta semana, na quinta-feira, 15/10, às 16h, a cantora Paula Lima conversará com Russo Passapusso, frontman do grupo BaianaSystem. O músico é dono de uma voz e estilo marcantes que têm feito enorme sucesso ao redor do país nos últimos anos, tanto em seus trabalhos com a banda, vencedora do prêmio de melhor álbum de Rock ou de Música Alternativa em Língua Portuguesa da edição de 2019 do Grammy Latino, quanto em sua carreira solo. Desde 2008, Russo trabalhou juntamente com artistas como Margareth Menezes, Gilberto Gil, Curumin, Manu Chao e Elza Soares.

Sobre o fundo "Juntos Pela Música"

A pandemia do Covid-19 acertou em cheio a indústria da música. A proibição da realização de eventos estancou quase por inteira a fonte de renda de milhares de artistas. A crise afeta também a arrecadação de direitos autorais por execução pública, que terá queda de R﹩ 140 milhões em 3 meses, segundo o Ecad. Diante deste cenário, a União Brasileira de Compositores (UBC) e o Spotify lançam o fundo "Juntos Pela Música", que remunerará artistas que enfrentam dificuldades financeiras. O fundo nasceu com R﹩ 1 milhão, sendo R﹩ 500 mil da UBC e outros R﹩ 500 mil do Spotify, destinados a milhares de artistas afetados pela quarentena.

Para ampliar o alcance dos benefícios, as entidades abriram a campanha para doações da sociedade civil, através de uma plataforma de crowdfunding, a Benfeitoria, mas já alcançaram a meta estipulada no início do projeto, que conseguiu apoiar 1.057 famílias. Agora a campanha segue para a fase dois: aqueles que quiserem continuar contribuindo com a causa poderão fazer suas doações por meio de depósito direto para a organização, por meio da conta da UBC no Banco Santander: agência 0057, conta corrente 13005545-5, CNPJ 33.576.166/0001-00. Após a doação, solicita-se que seja enviado um comprovante para o e-mail comunicacao@ubc.org.br, para que o valor seja contabilizado.

O movimento faz parte do projeto global " Spotify COVID-19 Music Relief ". A empresa irá igualar as doações arrecadadas via crowdfunding, em parceria com a UBC, para atender os artistas. Neste caso, o Spotify se compromete a equiparar a doação em 1:1. Para cada real doado pela sociedade, a empresa doará o mesmo valor, além do aporte inicial de R﹩ 500 mil, até o limite do seu programa global de ajudas do gênero.

Atualmente, a campanha já soma mais de R﹩1,6 milhão. O valor arrecadado ajudará 1.057. 896 músicos já foram aprovados para receber o benefício de R﹩1.600, divididos em 4 parcelas.

Sobre a UBC

A União Brasileira de Compositores - UBC é uma associação sem fins lucrativos, dirigida por autores, que tem como objetivo principal a defesa e a promoção dos interesses dos titulares de direitos autorais de músicas e a distribuição dos rendimentos gerados pela utilização das mesmas, bem como o desenvolvimento cultural.

A UBC foi fundada em 1942 por autores e atua até hoje com dinamismo, excelência em tecnologia da informação e transparência, representando mais de 30 mil associados, entre autores, intérpretes, músicos, editoras e gravadoras. Para mais informações: Elisa Eisenlohr: elisa.eisenlohr@ubc.org.br / Whatsapp: (21) 99746-4047

SERVIÇO - JANELA UBC

Transmissão: http://www.instagram.com/ubcmusica/

Data: 12/10 (segunda-feira)

Horário: 16 horas

Convidados: Sandra de Sá e Hyldon

Data: 13/10 (terça-feira)

Horário: 16 horas

Convidados: Elisa Eisenlohr e Iuri Freiberger

Data: 14/10 (quarta-feira)

Horário: 16 horas

Convidados: Manno Goés e OutroEu

Data: 15/10 (quinta-feira)

Horário: 16 horas

Convidados: Paula Lima e Russo Passsapusso

Como a consultoria de imagem pode ajudar a recuperar a autoestima no pós-pandemia

Ilse Gaedke, consultora de imagem, dá dicas para começar a retomar a rotina de se arrumar para trabalhar, mesmo mantendo o trabalho remoto

Comando News, setembro de 2020 - A pandemia do novo coronavírus afastou as pessoas dos ambientes de trabalho, escola, academia e tantas outras atividades externas por meses. Desde meados do mês de março, a casa passou a ser o ambiente central da vida de milhões de brasileiros. Essa mudança forçada de hábitos fez com que o estilo e a necessidade de roupas mudassem junto. “Durante a pandemia as pessoas estão preferindo roupas, calçados e acessórios mais práticos e confortáveis. A tendência comfy deve permanecer no pós-pandemia, com roupas e acessórios que transitem bem em diversos ambientes, mantendo sempre o conforto e praticidade sem perder o estilo”, explica Ilse Gaedke, consultora de imagem pessoal.
Porém, esse período usando apenas roupas despojadas, pode impactar a autoestima. Muitas pessoas têm se sentido desmotivadas para se vestir, uma vez que a recomendação ainda é para sair de casa somente se necessário. “Minha dica é estabelecer uma rotina diária que ajude a retomar, mesmo que aos poucos, o hábito de se arrumar para sair. A ideia é ir voltando ao normal e procurando restabelecer a vontade de elaborar mais o visual do dia-a-dia”, sugere Ilse.

A consultora de imagem ainda reforça que em termos de estilo não existe certo e errado e que cada pessoa tem o seu. “A nossa missão é fazer com que a pessoa se sinta bem em sua melhor versão de apresentação pessoal. Para isso, é importante ter a cabeça aberta para receber as informações e, a seu tempo, colocar em prática os ajustes propostos no processo de consultoria de imagem”, finaliza Ilse Gaedke.
Sobre Ilse Gaedke

Consultora de imagem desde 2017, quando fez transição de carreira da área de gerenciamento de projetos, Ilse Gaedke já ajudou dezenas de pessoas com seu método exclusivo de trabalho. Em seus atendimentos, Ilse faz análise de estilo e cores, análise facial e visagismo, etiqueta, montagem de visuais, orientação para compra de peças sempre de forma objetiva e levando em consideração o perfil de cada cliente.

WhatsApp: 41 9.9175-6998
https://www.ilsegaedkeconsultoria.com.br/
https://www.instagram.com/ilsegaedke/
https://www.facebook.com/ilsegaedkeconsultoria
https://www.linkedin.com/in/ilse-gaedke-consultora-de-imagem/

Como fortalecer sua marca online e vender mais

Especialista dá dicas para posicionar melhor a empresa online e atrair mais clientes

As vendas online, que já eram uma realidade em crescente e rápida ascensão no país, apresentaram números expressivos durante a pandemia da COVID-19. Segundo um levantamento feito pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm), foram abertas mais de uma loja virtual por minuto desde o início do isolamento social, em março. Mais de 107 mil novas empresas foram criadas na internet em pouco mais de dois meses.

Com a concorrência acirrada no mercado online, as empresas precisam estabelecer estratégias para se comunicar com seus públicos. Segundo o especialista em marketing e estratégia de negócios, Frederico Burlamaqui, a presença online precisa ser planejada, estruturada e embasada em pesquisas e conhecimento técnico. “Quem não é visto não é lembrado. As marcas precisam traçar estratégias para aparecer e estarem disponíveis para seus clientes”, explica. Confira as dicas do especialista para se manter presente no mundo online:

1- Tenha um site otimizado para os mecanismos de busca. Uma página na internet ainda é essencial para qualquer empresa. Ela é a sua casa e precisa estar organizada para ser funcional. Invista em ter um site com conteúdos otimizados com SEO, para conseguir ranqueamento e posicionar seu produto e serviço no topo dos resultados de busca;

2- Esteja presente nas redes sociais. Facebook, LinkedIn, Instagram, TikTok. Priorize a criação de conteúdo para as redes nas quais seu consumidor se encontra mais predisposto para a compra e/ou construção de afinidade com sua marca.

3 – Invista em Google Ads e tráfego pago. Sabe aquelas empresas que são destaque na página do Google, que aparecem primeiro nas pesquisas? Que surgem nas páginas das redes sociais sem você ser seguidor? Todas elas investem recursos no Google Ads e em tráfego pago nas redes sociais. Hoje, com pouco investimento, já é possível conseguir um bom alcance, posicionamento e impactar um maior número de clientes;

4 – Crie conteúdos exclusivos. Criar uma identificação com seu cliente, empatia e oferecer para ele informação de qualidade, são ações essenciais para gerar um vínculo e fidelidade com seu consumidor. Os conteúdos disponíveis da sua empresa, seja no site, redes sociais, e-mail marketing ou qualquer outra forma de comunicação, devem ser exclusivos e direcionados para os clientes;

5 – Defina seu público. Se você não sabe quem é o seu público, como vai se comunicar com essas pessoas? Conheça o seu mercado, tenha claro o que o seu produto ou serviço proporciona ao cliente e realize pesquisas. Sabendo quem é e onde está o seu consumidor, é possível criar campanhas e ações mais direcionadas para o negócio. Ferramentas digitais, como o Google Trends ou o Google Think Insights podem ajudar também nessas ações, porém é de maior importância conhecer o comportamento do seu consumidor no todo.

7 - Invista na relevância e no fortalecimento da sua marca. Tenha uma personalidade do negócio clara e bem definida, que seja relevante para o público que se destina a atender. Incentive recomendações públicas e crie afinidade com uma ótima entrega, pois as pessoas tendem a preferir marcas pelas quais sentem afinidade e/ou já tiveram experiências positivas.

O índice MCC-ENET, desenvolvido pelo Comitê de Métricas da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net) em parceria com o Movimento Compre & Confie, aponta que as vendas online mais que dobraram (137,35%) ao comparar maio de 2020 com o mesmo período do ano passado, e o faturamento do setor, no mesmo período, seguiu essa tendência, com alta de 127,77%.

Burlamaqui alerta para a importância de planejar de forma estruturada e embasada a presença digital das empresas. “Mais do que postar com frequência nas mídias sociais, o mais importante é se destacar positivamente na percepção do consumidor e gerar confiança", afirma, lembrando que pode levar anos para construir a reputação de uma empresa, mas segundos para acabar com ela. “O marketing deve ser focado na construção de uma marca forte, com o objetivo de encantar o cliente, gerando desejo pelo produto ou serviço que a empresa oferece”, finaliza.

Sobre Frederico Burlamaqui Marketing & Estratégia:

Consultoria de marketing e estratégia de negócios mais recomendada no Sul do Brasil, segundo o Google Places, a Frederico Burlamaqui Marketing & Estratégia atua nas áreas de marketing, estratégia de negócios, fortalecimento de marcas e inovação. Com metodologia única, atua capacitando empresas e estruturando processos para que os clientes sejam vistos e desejados pelo seu público alvo, ampliando assim o faturamento, com maior vantagem competitiva na área de atuação. A empresa conta com escritórios em Curitiba, São Bento do Sul e Porto Alegre.

www.marketingestrategia.com.br

Assaí Atacadista completa 46 anos e distribui R$ 6 milhões em prêmios

Ingrid Guimarães estrela campanha da rede, que irá transformar um cliente em milionário, premiar mais de 26 mil consumidores e apoiar 69 instituições parceiras pelo país com a ação Abrace uma Causa Com a Gente

A pandemia de Covid-19 e os decretos de quarentena em todo o mundo fizeram com que muitos projetos pessoais e profissionais fossem adiados. E é pensando em quem está refazendo planos que o Assaí Atacadista vai distribuir R$ 6 milhões em prêmios. A rede de atacado de autosserviço completa 46 anos em 2020 e quer incentivar a todos a traçarem novos objetivos. Com a campanha "Faça Uma Nova História", válida até 31 de outubro nas 174 lojas da rede, o Assaí irá premiar 25 mil clientes com vale-compras no valor de R$ 100,00, mais de mil clientes com três meses de compras grátis e um cliente com o prêmio de R$ 1 milhão.

"A capacidade de se reinventar está no DNA dos brasileiros. Por isso, queremos inspirar nossos clientes a retomarem seus planos ou construírem um futuro totalmente novo. Como parceiros, seguiremos lado a lado, ajudando-os a escrever esses novos capítulos de suas histórias. Durante 46 dias, seja com o prêmio de R$ 1 milhão ou apoiando-os no que é mais urgente, esperamos contribuir para as novas conquistas", explica Marly Yamamoto, Diretora de Marketing e Sustentabilidade do Assaí Atacadista.

Para espalhar essa corrente do bem por todo o país, o Assaí irá convidar seus clientes a também fazerem a diferença na vida de milhares de pessoas. Por meio da ação Abrace uma Causa Com a Gente, criada especialmente para o aniversário da rede, o Assaí irá doar, por meio do Instituto GPA, 460 toneladas de produtos de limpeza, itens de higiene pessoal e alimentos não perecíveis para instituições parceiras pelo Brasil. E é a votação dos clientes que irá definir quais receberão um volume maior de doações.

Os clientes poderão escolher entre três causas - Alimentação, Saúde ou Educação - e, em cada estado em que o Assaí está presente, além do Distrito Federal, cada uma das três causas será representada por uma instituição parceira. "O Assaí atua nas cinco regiões do Brasil e, para nós, era fundamental que essa ajuda chegasse em todos os cantos e cada cliente pudesse acompanhar as iniciativas em seu estado. No total, 69 instituições serão beneficiadas pela ação, que também é uma forma de retribuirmos pela confiança e parceria dos nossos clientes nesses 46 anos", afirma Marly.

Investimento histórico - A campanha "Faça Uma Nova História", assinada pela agência StarMKT, house da marca, com plano de mídia da BETC, será estrelada pela atriz Ingrid Guimarães, embaixadora Assaí, e contará com filmes para TV aberta e PayTV, spots para rádios, inserções em mídia impressa e online e ativações de marketing mobility, como distribuição de anúncios pelo Waze e envelopamento de vagões do metrô de Salvador (BA) e Recife (PE) e do VLT em Natal (RN), João Pessoa (PB) e Maceió (AL), além de conteúdo exclusivo para os perfis da marca nas redes.

"A campanha de aniversário da rede é sempre a principal data em nosso calendário anual. Neste ano, estamos fazendo o maior investimento da história da marca em uma campanha. Preparamos um plano de mídia forte, que nos permitirá marcar presença em diferentes canais durante todo o período da campanha atingindo os diferentes perfis de clientes que frequentam as lojas da rede", explica Marly.

No digital, o Assaí irá ativar mais de 50 microinfluenciadores, em 11 estados. Entre eles estão perfis cadastrados na Digital Favela, joint Venture da agência Peppery com a Favela Holding, cujo braço social é a Central Única das Favelas (CUFA). A empresa conecta marcas com influenciadores comunitários e selecionou nomes de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia especialmente para a campanha.

"Era fundamental nos conectarmos também com esses influenciadores, que falam para uma parcela importante de clientes da rede. As comunidades abrigam milhares de micros e pequenos empreendedores, que têm no Assaí um parceiro para abastecerem seus negócios. Sem contar os consumidores finais, que também encontram produtos de qualidade e preços competitivos em nossas lojas todos os dias", finaliza Marly.

Mecânica - Para concorrer aos prêmios oferecidos pela rede, os clientes devem se cadastrar, uma única vez, pelo site www.aniversarioassai.com.br, pelos totens instalados nas lojas ou pelo app Assaí, disponível para download na Play Store e na App Store. Os consumidores que participaram da última campanha de aniversário da rede têm também a opção de apenas atualizar os dados cadastrados em 2019. Todos devem escolher, ainda, uma causa para abraçar - Alimentação, Saúde ou Educação. Depois, basta informar o CPF ou CNPJ direto no caixa, antes de cada compra.

A cada R$ 100,00 em produtos, o sistema irá gerar um número da sorte para concorrer aos prêmios. Pagando com o Cartão Passaí, ou comprando R$ 20,00 em produtos das marcas participantes da promoção, os clientes receberão números da sorte em dobro.

Sobre o Assaí Atacadista
Negócio de atacado de autosserviço do GPA, um dos maiores grupos varejistas do país, o Assaí atende pequenos e médios comerciantes e consumidores em geral que buscam economia em compras de grande volume. Atacadista que mais cresce no Brasil, a rede está presente nas cinco regiões do País, com 173 lojas distribuídas em 22 estados e no Distrito Federal. Conta com uma plataforma própria de serviços financeiros, o Passaí, composta por cartão próprio e uma maquininha de cartão de crédito e débito. Anualmente, o Assaí recebe mais de 250 milhões clientes em suas unidades. Em 2019, foi eleito o atacadista mais admirado do País pelo ranking IBEVAR-FIA.

COMO A PANDEMIA AFETOU NOSSOS CORAÇÕES?

Para lembrar do Dia Mundial do Coração (29), a Sociedade Paranaense de Cardiologia (SPC), em parceria com a plataforma O Coração tem Razões, promove neste domingo (27), às 18h30, a live “Como a pandemia afetou nossos corações?”.

Comemorada no dia 29 de setembro, a data alerta e conscientiza a população sobre a importância de manter hábitos saudáveis e preservar a saúde do coração, visto que as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no mundo, de acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS).

Transmitida pelo YouTube (O Coração tem Razões), a live contará com a presença do Dr. Raul D’Aurea Mora (Cardiologista e Presidente da SPC), falando sobre “Pandemia e o coração”, da Dra. Renata Barreto Giaxa (Psicóloga da Universidade de Fortaleza), abordando o tema “Saúde mental na pandemia” e do Dr. José Knopfholz (Professor de Cardiologia da PUCPR), apresentando o tema “O coração através do tempo”.

O projeto “O Coração Tem Razões” é uma iniciativa do Dr. José Knopfholz e de alunos de Medicina que pretende informar a população a respeito de cuidados com a saúde do coração e das artérias. Trata-se de um projeto totalmente voluntário com a missão de reduzir a incidência de doenças e promover o bem-estar através de informações científicas confiáveis e verdadeiras. O projeto promove ações informativas, eventos, vídeos e se comunica ativamente com a sociedade.

A Sociedade Paranaense de Cardiologia (SPC) difunde a Cardiologia em todo o Estado, centralizando esforços dos cardiologistas paranaenses e interagindo com a sociedade civil e os poderes constituídos numa busca da otimização dos esforços para redução do impacto das doenças cardiovasculares na sociedade.

Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência: as adaptações no trabalho durante a pandemia

Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência: as adaptações no trabalho durante a pandemia

* Márcia Glomb

O Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência é em 21 de setembro. A data, que visa a reflexão sobre a necessidade de inclusão e participação de todos no corpo social, foi oficializada em 14 de julho de 2005, por meio da Lei nº 11.133.

De acordo com a legislação, pessoa com deficiência (PcD) é “aquela que tem impedimento de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, o qual, em interação com uma ou mais barreiras, pode obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com os demais”.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as pessoas portadoras de deficiência representam cerca de 23% da população brasileira, aproximadamente 45 milhões de indivíduos. Com a pandemia da Covid-19, que assola o país desde meados de março, essa foi uma das categorias que precisou de mais adaptações e cuidados, pois as chances de contrair o vírus podem ser maiores nestas pessoas, além do fato de uma grande parte estar no grupo de risco da doença.

A viabilidade de contágio aumenta porque muitos precisam se apoiar em outros locais para se movimentar ou necessitam da ajuda de terceiros para atividades do dia a dia. Outra questão é a das condições que fazem parte naturalmente do grupo de risco, como síndrome de Down, lesões medulares, sequelas graves de AVC, autismo, paralisia cerebral e doenças degenerativas, como a Esclerose Múltipla.

Por conta deste cenário, as PcD precisaram, mais uma vez, que a sociedade fizesse sua parte e se readaptasse, visto que é seu dever assegurar a efetivação dos direitos desses cidadãos. O direito ao trabalho, embora não tão abrangente como deveria, já é garantido. Com a implementação da Lei 8.213/1991, toda empresa com 100 ou mais empregados passou a ser obrigada a preencher de 2% a 5% de seus cargos com beneficiários reabilitados ou pessoas portadoras de deficiência.

Apenas essa imposição, todavia, não é suficiente para que essas pessoas sejam bem recebidas no mercado de trabalho, sobretudo em uma pandemia. Pensando nisso, o Ministério Público do Trabalho (MPT) emitiu a Nota Conjunta nº 07/2020, em que constam diretrizes para reduzir a disseminação do novo agente do coronavírus em trabalhadores com deficiência.

A nota recomenda aos empregadores adotarem medidas como home office; dispensas de comparecimento ao trabalho com remuneração garantida; orientações acessíveis sobre prevenção; não redução de salários; treinamentos para a utilização de EPIs e flexibilização de jornadas, entre outros pontos.

Caso o empregador não cumpra com as diretrizes, é possível oficializar uma denúncia no próprio MPT. Lembrando que é considerado discriminação a recusa em promover adaptações razoáveis e fornecer tecnologias assistivas às PcD, e que esses indivíduos têm prioridade na fila de processos trabalhistas, direito assegurado pela Lei 12.008/2009.

A Lei Brasileira de Inclusão afirma ainda que, “em situações de risco, emergência ou estado de calamidade pública, a pessoa com deficiência será considerada vulnerável, devendo o poder público adotar medidas para sua proteção e segurança”. É essencial que todos façam sua parte e busquem prestar todo o auxílio necessário para que as pessoas com deficiência tenham uma vida, tanto pessoal quanto profissional, plena, igualitária e honrosa, com participação realmente ativa na sociedade.

* Márcia Glomb, formada também em administração de empresas, é advogada especialista em Direito do Trabalho e atua no Glomb & Advogados Associados.

marcia@glomb.com.br

Sobre o Glomb & Advogados Associados

O escritório Glomb & Advogados Associados, fundado há mais de 40 anos pelo titular José Lucio Glomb, atua em Direito do Trabalho e Direito Previdenciário. Selecionado em 2018 e em 2019 como um dos 500 melhores escritórios de advocacia do País, ocupando a posição de quinto mais admirado nacionalmente na categoria trabalhista e o quarto mais admirado no Paraná, de modo geral em 2019, tem em sua história milhares de clientes atendidos com eficiência e resultados positivos. Para saber mais, acesse: www.glomb.com.br.

Laboratório da UFPR oferece testes gratuitos a consumidores de todo Brasil para identificar álcool gel falsificado durante pandemia

Amostras podem ser entregues pessoalmente em Curitiba ou enviadas por correio; resultado da espectometria sai em minutos e serve para orientar sobre sanitizantes

26545_alcool70_25_7599178336555562112.jpg
A pandemia elevou a procura por sanitizantes à base de álcool gel no Brasil em mais de seis vezes ainda no início da pandemia de Covid-19, em março, o que aponta mudança de hábitos dos brasileiros devido ao novo coronavírus. A escolha do produto também ficou mais difícil: o abrandamento nas regras de registro pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para suprir a demanda fez aumentar a quantidade de marcas nas prateleiras. Como agravante, o consumidor que desconfia da qualidade do álcool gel que está em mãos para combater o coronavírus tem um problema pela frente.

“É extremamente difícil saber se uma amostra de álcool gel contém realmente 70% de álcool etílico ou qualquer outra porcentagem sem análise laboratorial, porque as características físicas, como a consistência e o odor, são as mesmas”, explica o professor Andersson Barison, do Departamento de Química da Universidade Federal do Paraná (UFPR), em Curitiba. Isso explica a utilidade do serviço de testagem gratuito que o Laboratório de Ressonância Magnética Nuclear (RMN), do departamento, tem disponibilizado à sociedade.

O serviço de análise de álcool gel começou para apoiar as polícias Civil e Federal, que apuram casos de fraudes nessa indústria, e desde agosto foi aberto à comunidade em geral (pessoas físicas e pequenas empresas) de forma gratuita.

Para solicitar a análise, basta entregar entrar em contato através do e-mail alcoolgel@c3sl.ufpr.br e levar uma amostra do produto à guarita do Centro Politécnico da UFPR (Av. Cel. Francisco H. dos Santos, 100, Jardim das Américas). Quem não reside em Curitiba pode enviar amostra pelo correio — apenas um mililitro é suficiente para o teste --, informando dados pessoais e de contato. O resultado é encaminhado por e-mail.

Análise rápida

Em média, o laboratório tem recebido de 10 a 15 amostras por semana. Segundo a professora Caroline D’Oca, também do Departamento de Química, a análise realizada no equipamento, chamado espectômetro de ressonância magnética nuclear, leva cerca de dois minutos. O espectômetro é capaz de identificar de forma precisa a formulação química de compostos orgânicos por meio das propriedades magnéticas dos átomos dos elementos químicos.

É preciso, porém, prestar atenção ao aspecto orientativo do serviço, diz Caroline. “As análises não têm valor jurídico e guardam o sigilo das marcas. O nosso único objetivo é deixar o consumidor mais seguro com relação ao que está utilizando, seja no restaurante, na escola, no ambiente público, numa clínica ou numa farmácia. Assim damos retorno à sociedade pelo investimento feito na universidade, oferecendo um serviço público gratuito, para contribuir com esse momento tão delicado que todos estamos passando”, explica.

Ela ressalta que o percentual de fraudes nas amostras entregues pela comunidade tem sido baixo. Mas já houve casos de produtos com quantidades muito baixa de álcool etílico, não apropriados para uso sanitizante. “A gente encontrou amostras de álcool gel produzido de forma inadequada, em fundo de quintal. O álcool utilizava produtos de partida que não são adequados para uso farmacêutico, por exemplo, o álcool combustível”, conta.

A incerteza acaba sendo um fator que interfere não apenas individualmente, mas na saúde pública. ”A pessoa que usa um álcool gel falsificado tem a falsa impressão de estar protegida contra o vírus, quando na verdade está somente ajudando a disseminar ainda mais o vírus”, diz Barison.

Pesquisas

A experiência do Laboratório de RMN na análise de álcool gel também será usada em uma pesquisa no Departamento de Química da UFPR. O objetivo é desenvolver um método de análise da qualidade do produto que não seja vulnerável a alterações na composição dos produtos em caso de escassez de matérias-primas no mercado, por exemplo. Segundo Barison, que orienta a pesquisadora Maria de Fátima Costa Santos, além de mais aplicável, o método terá custo zero e poderá beneficiar indústria e governo. “É uma metodologia absoluta, sem erro. Além disso as análises são muito rápidas permitindo analisar diversas amostras por dia”, afirma ele.

Outro projeto dos pesquisadores é desenvolver um dispositivo de RMN portátil que permite averiguar a qualidade de álcool gel diretamente nos pontos de venda. O dispositivo atenderia a uma procura real dos consumidores, bem como agilizaria o controle de qualidade pelo produtor. “Estamos buscando recursos financeiros para esse projeto”, conta Barison, que atua no desenvolvimento de métodos de controle de qualidade usando a ferramenta de RMN há mais de 15 anos.

Centro de Ciências Forenses

Paralelamente a isso, o Laboratório de RMN fornece apoio aos peritos da Polícia Civil do Paraná e da Polícia Federal. O Laboratório de RMN é integrante do Centro de Ciências Forenses da UFPR, inaugurado em maio pelo Setor de Ciências Exatas da UFPR. Trata-se de um grupo multidisciplinar que atua em parceria com órgãos de segurança pública e controle na elaboração de estudos e nas ofertas de serviços e de apoio em geral. A meta é fortalecer a ciência forense no Brasil.

No caso do álcool gel, o apoio mais constante do laboratório tem sido em relação às denúncias de fraude investigadas pela Delegacia de Crimes Contra a Economia e Proteção ao Consumidor (Delcon), por meio da Polícia Científica do Paraná. Já foram avaliadas mais de dez amostras relativas a essas denúncias no Estado.

Já o suporte do Laboratório de RMN da UFPR à Polícia Federal ocorre há cerca de quatro anos e se estende a outras operações, como a análise de drogas. “Essas amostras, após confirmação, permanecem como material de referência para a gente utilizar em apreensões futuras”, explica o perito Ricardo Mascarenhas.

No fim de abril, a PF solicitou ao laboratório a análise de amostras de álcool gel apreendidas em uma operação que tratava de fornecedores da União, daí a competência da instituição federal. Foram entregues 15 amostras de cerca de 3,1 mil litros de álcool gel apreendidos.

Por que 70?

O álcool gel capaz de destruir o novo coronavírus, prevenindo contra a Covid-19, tem uma proporção delicada a ser seguida: 70% de álcool etílico (etanol) para 30% de água e eventuais substâncias emolientes, o chamado “álcool 70”. Segundo a Anvisa, concentrações menores ou maiores de álcool não são efetivas em destruir o vírus, seja pela falta da substância ativa ou porque ela, sem água suficiente, evapora antes de agir. O processo de evaporação explica por que o álcool gel é mais eficaz do que o álcool líquido contra o novo coronavírus.

A agência recomenda que consumidores em dúvida busquem saber se o produto é registrado pelo governo federal. A busca pode ser feita no site da agência, em "consultas" e, depois, em "consultas genéricas".

Além de potencialmente não proteger contra o vírus, o álcool gel falsificado apresenta risco à saúde, uma vez que pode apresentar contaminantes que não devem entrar em contato com a pele e nem serem aspirados ao evaporarem, por exemplo. O risco é maior quando crianças são atingidas. Segundo a Anvisa, o número de registros de intoxicação infantil por álcool de janeiro a abril deste ano foi dez vezes maior do que a média dos anos anteriores.

LINKS

Matéria no Portal da UFPR: https://bit.ly/3kmJ9F3
Fotos de divulgação: https://bit.ly/2QQM9g9 (crédito: Marcos Solivan/Sucom-UFPR)

Áudios de divulgação: https://bit.ly/2YSyolS

Legenda da foto: (Laboratório no Departamento de Química da UFPR, em Curitiba, tem recebido de dez a 15 amostras por semana de álcool gel para análise da qualidade. Na foto, amostra sendo preparada para o exame. Fotos: Marcos Solivan/Sucom-UFPR)

Rock in pandemia está no ar: série documental fala sobre os desafios da música durante a quarentena

No episódio X de ‘A tirania da minúscula coroa: Covid-19’, músicos contam como tiveram de se reinventar para buscar alternativas de renda com a impossibilidade de se apresentarem ao vivo
Tercio David Braga
São Paulo, 15 de setembro de 2020. A equipe de produção da Via d'Idea concluiu a montagem do episódio X da documental ‘A tirania da minúscula coroa: Covid-19’, que conta a história sobre como a pandemia e a quarenta atingiram em cheio o rock e, com turnês suspensas por tempo indeterminado, a rotina dos músicos mudou completamente. O capítulo traz depoimentos de nomes importantes do cenário brasileiro do rock n'roll. O novo episódio teve como orientador o jornalista Charley Gima, editor-chefe do Blog FuteRock, que trabalhou em conjunto na construção da narrativa. O vídeo completo está no link:
De acordo com Charley Gima, o mercado de entretenimento e o da música foram muito abalados pela pandemia do Covid-19. O setor de shows foi o primeiro a parar e, consequentemente, deve ser um dos últimos a voltar. Os músicos e bandas de Rock sentiram este efeito devastador em suas vidas e tiveram que se adaptar aos novos tempos, seja realizando lives, tocando covers em collabs ou criando novas músicas.
“A mídia especializada que cobre os lançamentos e os shows de rock também tiveram que ser muito criativos, pois os assuntos tornaram-se escassos. Por incrível que pareça, gravadoras especializadas encararam bem este momento, pois a venda online continuou e muitos fãs aproveitaram para garimpar os discos que faltavam em suas coleções”, conta Gima. “As produtoras, casas de shows e seus funcionários, terceirizados ou não, também sofrem com a escassez de shows, criando uma bola de neve econômico nunca antes visto no setor!
O ano de 2020 pode ser considerado um 'ano morto' para os artistas e produtoras, mas vamos pensar positivo e aprender com está situação, entender que fãs e artistas estão juntos na luta pela sobrevivência e ávidos pela vacina contra o coronavírus”, completa.
O documentário ouviu Andreas Kisser, guitarrista do Sepultura, Felipe Andreoli, baixista do Angra, Karma e Almah, Alírio Netto, vocalista do Shaman e Queen Extravaganz, Luis Mariutti, baixista do Shaman, Marcello Pompeu, vocalista do Korzus, Eduardo Parras, vocalista do Armored Dawn e dono da Prevent Senior, Aquiles Priester, baterista conhecido pelo seu trabalho no Angra, Freakeys, Hangar, Noturnall e W.A.S.P, Guilherme Rujão - guitarrista da banda inglesa Los Pepes (London-UK), Sílvio Golfetti, ex-guitarrista do Korzus e atual CEO da gravadora Voice Music e da loja virtual Black Rock, Guilherme 'Ziggy' Mendonça - guitarrista de Made in Brazil, Corazones Muertos, Screw’d, Zé Luís ‘Heavy’ Carrato - engenheiro de som e gravações, Felipe Machado, do Viper, Pedro Kaluf, técnico de som, Caio Bertti produtor musical do Korzus, empresário e integrante do movimento passeata com cases, daqueles que vivem dos shows.
Gustavo Girotto, diretor-geral da série, destaca que a passeata dos profissionais da área técnica de eventos, conhecidos nos bastidores como "graxa", levando os cases que usam para trabalhar em protesto em frente a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), acendeu ainda mais a discussão do episódio. “Como fã e frequentador de shows de rock, esse era um capítulo que estava sendo trabalhado há algum tempo. As aglomerações, parte indissociável dos espetáculos, agora passaram a ser sinônimo de risco à vida. Buscamos acompanhar os bastidores dos profissionais que vivem desta importante indústria nacional, que emprega e movimenta milhares de pessoas”, destacou Girotto, mencionado que o objetivo foi “tentar captar esse período também de introspecção dos músicos”.
Para Juliano Sartori, diretor de produção, e Ricardo Sartori, diretor de arte, o Brasil prometia muito aos fãs brasileiros do bom, do velho e do novo rock n'roll esse ano. “A agenda estava movimentada e, do dia para noite, o cenário mudou. Para não desamparar os admiradores, artistas decidiram levar sua arte para o mundo virtual, se aventurando em lives ou streaming de performances. Tentamos captar esse momento – até como proposta editorial do documentário – e esse que é um dos capítulos mais ricos em termos de imagem e edição”, destacam Sartoris.
Por fim, com edição de Via d’Ideia, trabalho jornalístico de Gustavo Girotto, com colaboração jornalística de Tercio David Braga e orientação de Adalberto Piotto – o episódio X, que conta com a mentoria de Charley Gima – “A tirania da minúscula coroa: Covid-19” já pode ser visto no
Ficha Técnica:
“A tirania da minúscula coroa: Covid-19”.
Título – série documental
Gustavo Girotto
Direção geral / Entrevistas
Ricardo Sartori
Diretor de arte
Juliano Sartori
Diretor de produção
Adalberto Piotto
Orientação/mentoria
Tercio David Braga
Estruturação de temas/Divulgação
Nana Santiago
Redes Sociais/Estratégia
Redes Sociais:
https://www.facebook.com/atiraniadaminusculacoroa
Instagram: @atiraniadaminusculacoroa
Twitter: @seriecovid19
Informações: Gustavo Girotto (11) 9.9602.1317

Mercado de veículos seminovos registra aumento de 9% em agosto e segue em recuperação mesmo com pandemia

Os dados foram divulgados pela Associação dos Revendedores de Veículos Automotores do Paraná (Assovepar).

Apesar de ainda viver os impactos causados pela pandemia do novo coronavírus no Brasil, o setor automotivo, nos últimos meses vêm recebendo notícias animadoras. Dados do levantamento mais recente da Associação dos Revendedores de Veículos Automotores do Paraná (Assovepar), referente ao mês de agosto, revelam mais um crescimento, desta vez com o aumento de 9%, em relação ao mês de julho de 2020, na venda de veículos seminovos em todas as categorias que abrangem automóvel, comercial leve, comercial pesado, motos e outros. Foram vendidos 102.429 automóveis, contra 93.678 comercializados, no mês de julho de 2020. Os números evidenciam a gradual e firme retomada do segmento automotivo no Estado do Paraná.

Segundo o presidente da Assovepar, César Lançoni Santos, os dados de agosto só reforçam o crescimento e a expansão das vendas após o período a crise vivenciada no primeiro semestre deste ano. “Se continuarmos neste ritmo nos próximos meses, podemos até ter um balanço anual positivo das nossas lojas, mesmo diante deste cenário ainda incerto”.

De acordo com o levantamento, foram comercializados em agosto de 2020, 102.429 automóveis enquanto no mesmo período no ano passado, foram registrados 97.955 veículos vendidos, observando-se assim um aumento de 4% nas vendas em relação a 2019, quando não se previa o cenário pandêmico sofrido hoje no mundo inteiro.

Para César Lançoni Santos, os dados são animadores e as expectativas daqui pra frente, se tudo se mantiver como está, só tendem a melhorar os negócios, antes do fechamento de final de ano.

Expectativa X Capacitação: como se preparar para o mercado de trabalho pós-pandemia?

Glomb & Advogados Associados
Márcia Glomb
José Lucio Glomb,

*Márcia Glomb

A pandemia causada pelo novo coronavírus tem impactado profundamente a sociedade em diversos aspectos, inclusive o profissional. Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no fim de agosto, 12,8 milhões de brasileiros estão desempregados.

Aplicativo de mercado facilita a compra para idosos durante pandemia

Supermercado de Curitiba aposta em aplicativo próprio para ter mais contato com o cliente e agilidade na entrega. O app Meu Telêmaco é fácil de usar e tem agilidade na entrega, podendo a compra ser realizada pelo próprio usuário ou por terceiros.

Hábitos de consumo que há poucos meses nem passavam pela cabeça das pessoas, tornaram-se importantes neste momento de distanciamento social para conter a proliferação do Coronavírus. A tecnologia passou a ser a grande aliada, inclusive dos idosos, que estão no grupo de risco e precisam redobrar os cuidados. Com o isolamento social fazer compras está sendo um grande desafio para eles, e está exigindo que os filhos ou eles mesmos tenham novos aprendizados, como por exemplo, aprender a utilizar aplicativos de smartphones, para facilitar esse processo.

E essa tendência de apps só cresce principalmente neste período. O mercado curitibano, o Super Telêmaco, localizado no Portão, tem sentido este crescimento através do seu aplicativo “Meu Telêmaco”, lançado no início da crise, em março deste ano. Os dados mostram que as vendas pelo app representam atualmente 12% do faturamento do mercado.

Carlos Alberto Gomes, diretor do Super Telêmaco, comenta que esta modalidade de compra é uma tendência do setor, pois além das pessoas estarem cada vez mais conectadas, buscam alternativas para facilitar o dia a dia, para proporcionar comodidade, podendo ser realizada pelo próprio usuário ou por terceiros. “Os clientes têm gostado da novidade, pois o aplicativo veio para dar mais segurança, agilidade e conforto com essa nova experiência. O seu fácil e intuitivo modo de uso oferece um mix de produtos que podem ser acessados, por item na busca ou por suas categorias como: hortifruti, açougue, bebidas, biscoito, e muitos outros. É ter o mercado todo nas mãos. E os filhos também podem acessar o aplicativo e enviar a compra para os pais no endereço selecionado, tudo de uma forma rápida e ágil” finaliza.

Desde início da pandemia Priscila da Silva Duarte, tem se apoiado no aplicativo para fazer as compras para ela e seus pais idosos. “Eu utilizo muito o aplicativo Meu Telêmaco, pois é bem fácil de usar e tem agilidade na entrega. No início da crise eu fazia as minhas compras e as dos meus pais, pois eles estavam morando em outro lugar, e eu selecionava no app para entregar lá no endereço deles, e isso me ajudou muito naquele momento. Agora eles estão morando comigo, mas continuo comprando pelo aplicativo, pois adorei a praticidade e a segurança para todos nós. Outra coisa que gosto muito é da pontualidade nas entregas”.

Diferenciais da compra pelo app "Meu Telêmaco"

O diretor comenta que os clientes têm elogiado o app Meu Telêmaco, pela entrega rápida e bom atendimento prestado pelo mercado. “Temos recebido elogios pelo novo serviço, pois sabemos que quando a pessoa compra algo é porque precisa, e por isso buscamos entregar as compras em até 3 horas, para toda a Curitiba, se a venda for realizada até às 18h, e este é um dos grandes diferenciais do app do Super Telêmaco. Além disso, prezamos pela segurança, pois quem entrega são os nossos próprios funcionários, não terceirizamos, temos uma equipe que cuida só dessas demandas o que torna a resolução de qualquer contratempo de forma ágil e rápida.”

SERVIÇO:

Mercado Super Telêmaco

Endereço: Rua Agostinho Merlin, 586 – Portão

Informações: (41) 3085 4800

Aplicativo Meu Telêmaco

Baixe o aplicativo “Meu Telêmaco” que está disponível gratuitamente nas lojas virtuais disponíveis no seu smartphone.