Museu Paranaense promove simpósio virtual sobre arte indígena

Programação contará com palestras, relatos das aldeias e outros vídeos de 25 a 29 de maio na conta do museu no Instagram
O Museu Paranaense (MUPA) promove de 25 a 29 de maio o I Simpósio Virtual “Arte indígena em comunicação: diálogos entre saberes tradicionais, estética e sustentabilidade”. O evento, que será transmitido na conta @museuparanaense no Instagram, tem a colaboração de diferentes comunidades indígenas, pesquisadores e instituições. Todos os dias será publicada a biografia do convidado e, em seguida, exibida a palestra e outros vídeos, além de uma transmissão ao vivo.

Em tempos de muitas reflexões decorrentes da pandemia em um mundo globalizado, o simpósio busca valorizar o sentido de comunidade, formada tanto pelos pesquisadores quanto por indígenas, em atividades que rompem as fronteiras do museu, chegando também nas aldeias. Ele visa criar um espaço de diálogos entre as memórias, o cotidiano nas aldeias, as coleções de arte indígena e as instituições culturais da América do Sul. São contribuições importantes que vão entrelaçar narrativas sobre saberes tradicionais, tanto de povos amazônicos como do sul do Brasil e nordeste da Argentina, com estudos acadêmicos apresentados por pesquisadores experientes.

A diretora do Museu Paranaense, Gabriela Bettega, explica que a arte indígena será analisada sob várias perspectivas, como patrimônio, diversidade, cinema, memórias, produção cultural, e acervos em instituições públicas e privadas. “No simpósio virtual será destacada a importância dos saberes tradicionais em relação à sustentabilidade e à construção das identidades. Serão abordados também os diálogos e articulações da arte indígena com a cosmologia, as narrativas míticas, os saberes tradicionais, os artefatos e os agentes mediadores. A ideia é promover a aproximação entre várias temáticas que vêm sendo estudadas no Museu Paranaense desde as suas origens, em 1876”.

PROGRAMAÇÃO – Na segunda-feira (25/05), às 18h, tem palestra com a professora da Universidad Nacional Mayor de San Marcos, Luisa Elvira Belaunde, sobre a trajetória de mulheres indígenas em Cantagallo, no Peru, na busca de sustentabilidade e no reconhecimento da arte Shipibo-Konibo, e suas relações sociocosmológicas, especialmente a da artista Olinda Silvano.

Dia 26/05 (terça) a programação começa às 13h, com um mergulho na cultura Mbyá-Guarani do litoral paranaense. A cacica Mbyá-Guarani Juliana Kerexu Mirim Mariano, liderança indígena feminina no sul do Brasil, mostra a diversidade e a importância das artes no perpetuar da memória ancestral e na construção da identidade ameríndia. Danças e músicas que se conectam com o sagrado e com a natureza socialmente transformada.

Ainda na terça, às 18h, o professor da Universidade de São Paulo, Pedro de Niemeyer Cesarino, faz uma análise contextualizada das artes de povos ameríndios, especialmente da bacia amazônica e outras regiões das terras baixas da América do Sul, destacando os processos na produção de artefatos e construções. Ele discute as relações entre pessoas e objetos, mitos e ritos, percorrendo múltiplas trajetórias convergentes à impermanência material nas artes.

Na quarta-feira (27/05), às 18h, será realizada uma live com os diretores do filme “Bicicletas de Nhanderú”, os indígenas Mbyá-Guarani Patrícia Ferreira e Ariel Ortega, e a arqueóloga do Museu Paranaense, Claudia Inês Parellada. O link do filme será disponibilizado pelo Instagram do MUPA no próximo domingo, dia 24 de maio, para quem quiser assistir antes do bate-papo.

Na quinta-feira (28/05) tem programação dupla: às 13h será exibido vídeo produzido pelo professor Florêncio Rekayg Fernandes que apresenta aspectos culturais Kaingang na Terra Indígena Rio das Cobras, sudoeste do Paraná, incluindo a herança de saberes e fazeres, como o trançado, importantes na sustentabilidade e na afirmação da identidade étnica. O vídeo mostra a elaboração de cestos em taquara, da forma tradicional e raramente observada, com os motivos decorativos alternando fibras mais claras com as enegrecidas por carvão fixados com cera de abelha jataí.

E às 18h, a arqueóloga responsável pelo Departamento de Arqueologia do Museu Paranaense, Claudia Inês Parellada, fala sobre a busca de novos horizontes no estudo das artes indígenas no Paraná entrelaçando com dados arqueológicos e históricos, e discutindo materialidade e imaterialidade, diversidade e herança cultural. A pesquisadora destaca as coleções arqueológicas e etnográficas do MUPA possibilitando diferentes conexões e rupturas em análises sobre representações simbólicas, mitos e cultura material no transcorrer do tempo.

Encerrando o simpósio, na sexta (29/05), às 18h, a pesquisadora do Museu Paraense Emílio Goeldi, Lúcia Hussak Van Velthem, apresenta um histórico das principais pesquisas já desenvolvidas sobre artes indígenas no Brasil, com a análise de diferentes conceitos que buscam englobar e destacar a diversidade cultural. Com muitos exemplos, aponta articulações entre mitologia e arte, e elenca referências fundamentais para reflexões sobre essa temática.
CONTINUA – Além do simpósio virtual, o Museu Paranaense vai promover também um encontro presencial, previsto para o segundo semestre de 2020, dando continuidade ao projeto, com mais convidados de comunidades indígenas e científicas.

SERVIÇO
I Simpósio Virtual Arte indígena em comunicação: diálogos entre saberes tradicionais, estética e sustentabilidade
De 25 a 29 de maio de 2020
Pelo Instagram do Museu Paranaense – @museuparanaense

PROGRAMAÇÃO
Dia 25 de maio de 2020 (segunda) às 18h
Palestra “Uma biografia urbana do Kene Shipibo-Konibo” com a professora Dra. Luisa Elvira Belaunde (Universidad Nacional Mayor de San Marcos, Lima, Peru)

Dia 26 de maio de 2020 (terça) às 13h
Vídeo “Arte Mbyá-Guarani da Tekoa Takuaty, Ilha da Cotinga, litoral do Paraná” de Juliana Kerexu Mirim Mariano (Cacica Mbyá-Guarani do Tekoa Takuaty, Paraná).

Dia 26 de maio de 2020 (terça) às 18h
Palestra “A política da impermanência nas artes ameríndias” com o professor Dr. Pedro de Niemeyer Cesarino (Universidade de São Paulo).

Dia 27 de maio de 2020 (quarta) às 18h
Live com os diretores do filme “Bicicletas de Nhanderú”, os indígenas Mbyá-Guarani Patrícia Ferreira e Ariel Ortega, e a arqueóloga Dra. Claudia Inês Parellada (Departamento de Arqueologia do Museu Paranaense).

Dia 28 de maio de 2020 (quinta) às 13h
Vídeo “Memória e arte Kaingang em Rio das Cobras, Paraná” do professor Kaingang Florêncio Rekayg Fernandes (doutorando em Antropologia na Universidade Federal do Paraná).

Dia 28 de maio de 2020 (quinta) às 18h
Palestra “Entrelaçando arqueologias e artes indígenas no Paraná, sul do Brasil” com a Dra. Claudia Inês Parellada (Departamento de Arqueologia do Museu Paranaense).

Dia 29 de maio de 2020 (sexta) às 18h
Palestra “Artes dos povos indígenas no Brasil” com a professora Dra. Lúcia Hussak Van Velthem (Museu Paraense Emílio Goeldi).

Logística urbana ganha força com a pandemia

A logística é responsável pelas atividades de transporte, movimentação, armazenamento, produção e distribuição de produtos, tendo como principal objetivo facilitar o fluxo de materiais na cadeia produtiva, unindo produtos e serviços aos consumidores finais.

A partir da década de 1990, com o advento da internet e a consolidação da globalização, a logística vem passando por grandes transformações e novos termos e metodologias vão sendo incorporados a esta área. Um deles é a logística urbana, também conhecida pelas terminologias city logistics (logística da cidade) e last mile (última milha), a qual trata do processo de otimização das atividades logísticas e de transportes em áreas urbanas.

Tal conceito vem ganhando força nos últimos anos em consequência das evoluções tecnológicas e informacionais e do aumento da demanda de consumo, associado ao sistema de produção puxada e à necessidade de redução de estoques por parte das organizações e da explosão do e-commerce. Fatores estes que alteram a dinâmica de distribuição de cargas nos centros urbanos, onde as entregas passam a ser de volumes cada vez menores, com maior frequência e forma pulverizada.

De acordo com a E-bit, uma empresa Nielsen, os principais produtos comprados no e-commerce brasileiro são artigos de moda e acessórios, com ticket médio de R$ 169,00; juntamente com o setor de perfumaria, cosméticos e saúde, com ticket médio de R$ 197,00 — o que torna as entregas mais fracionadas com volumes de menor porte.

No entanto, neste cenário de pandemia enfrentado atualmente, em que muitas pessoas passaram a realizar isolamento social e teletrabalho (home office) a fim de evitar aglomerações, a logística urbana se tornou ainda mais evidente. E enquanto presenciamos a redução de veículos e pessoas circulando pelas ruas, vemos o expressivo aumento do uso de aplicativos de delivery de refeições, alimentos e produtos em geral, como forma de evitar idas aos supermercados, restaurantes, farmácias e serviços em geral.

E assim, vemos um novo cenário, pós-pandemia, sendo desenhado também na logística, onde serão necessários cada vez mais profissionais capazes de trabalhar com softwares de roteirização e otimização de entregas/veículo, priorizando entregas por motos, bicicletas e até mesmo a pé. Pensando neste cenário do “novo normal”, ideias de formas alternativas de entregas que, até então, soavam como futurísticas, começam a ganhar força, como é o caso dos drones e veículos autônomos.

Autoria: Rafaela Aparecida de Almeida é professora da Escola de Gestão, Comunicação e Negócios do Centro Universitário Internacional Uninter

A economia doméstica na crise

A falta de controle financeiro é fonte de dívidas e da inadimplência

Ficar de olho na economia doméstica é fundamental para todas as pessoas, diante pandemia e crise brasileira, saber administrar a situação fará com que muitos se mantenham fortes.

Gisele Machioski, Contadora, apresenta algumas dicas para aqueles que querem entender um pouco mais sobre a economia doméstica.

Antes de comprar, analise se há realmente a necessidade do item. Caso a sua família consiga viver sem, adie a decisão de compra, pois você poderá achar preços melhores no futuro. Além disso, é importante comprar apenas a quantidade necessária para manter a casa.

Gisele explica que é importante organizar todos os aspectos da residência, assim será mais fácil de avaliar as necessidades do ambiente.

No armário de comida

- Tire todos os alimentos do armário, organize ele por categoria (farinha, macarrão temperos, doces), para ser ter noção do que tem e do que falta, do que está sobrando e o que já passou da data de validade.

- Guarde tudo novamente, deixe os pacotes fechados na parte de trás e coloque na frente os abertos e mais utilizados. Isso economiza tempo na hora de procurar pelo alimento, e fica mais fácil de fazer a lista do mercado, pois evita a compra de algo supérfluo.

O gás de cozinha

-É importante sempre observar a cor da chama, se estas forem amareladas ou alaranjadas, indica que a boca do fogão não está funcionando corretamente, ou que o gás está acabando e é hora de comprar um novo.

- Cozinhar com a panela tampada concentra o calor e o alimento fica cozido mais rápido. Sempre que possível, utilize a potência máxima do forno, assim você poderá aproveitar e cozinhar vários alimentos ao mesmo tempo.

- Utilize a panela de pressão, os alimentos cozinham rapidamente, o que economiza tempo e gás.

A economia no mercado

- Fazer listas é imprescindível, elas ajudam a não esquecer os produtos e comprar apenas o que foi marcado, gera economia.

- Limite os gastos, se for possível pague sempre em dinheiro, o cartão não costuma ser um aliado na hora das compras.

- Evite ir ao supermercado com fome, parece bobeira, mas ir às compras de estômago vazio, condiciona a sair comprando tudo o que é visto à frente.

- Confira as promoções, compare produtos, marcas, tamanhos, para não haver desperdício.

- Entenda o consumo da sua família, saiba o que é consumido diariamente, e compre apenas o essencial, não é legal precisar jogar um alimento fora pois ele passou muito tempo no armário e venceu.

Fazer as refeições em casa

- Comer fora de casa gera altos gastos. Por exemplo, ao pagar R$ 20 para almoçar fora todos os dias, em um ano você terá gastado mais de R$ 5.000. Impressionante, não é?

Conheça as frutas da estação

- Conhecer as frutas da estação ajuda a escolher a que vai ser mais barata e melhor para a sua família.

Energia

- Lembre- se de apagar as luzes da casa, reduzir o tempo nos banhos e lavar as roupas quando a quantidade for equivalente à capacidade máxima da sua máquina de lavar.

- Evite dormir com os aparelhos domésticos como televisão e ar-condicionado ligados.

Água

- Feche todas as torneiras que não estão sendo utilizadas, escove os dentes e lave a louça sem que elas estejam abertas, evite o desperdício.

- Verifique vazamentos, conserte ou troque as torneiras que estiverem com algum problema.

- Reaproveite, a água que você utilizou para lavar as roupas pode ser útil para limpar a calçada ou regar a horta.

Seguindo essas dicas, é certo que a economia doméstica não será prejudicada, e a família não passará por necessidades, “Esse planejamento é necessário em todos os lares, assim a casa saberá no que realmente gastar e o que pode economizar” comenta a contadora.
Serviço: Machioski Contabilidade

Gisele Machioski

Contadora

Instagram @giselemachioski

gisele@machioski.com.br

https://www.linkedin.com/in/giselemachioski

3656-2020 e ou 9.9946 0021

Av João Batista Lovato, 67, sobre loja, centro, Colombo, PR.

Setor cultural tenta diminuir impacto da pandemia realizando lives

Retorno financeiro não é grande; artistas ganham com a visibilidade

O número de pessoas on-line aumentou e, em conjunto, também o volume de transmissões ao vivo — as chamadas lives. Segundo o Business Insider, o Instagram teve um aumento de 70% no uso das lives – tanto para transmissão quanto para consumo. Esse crescimento é um indicativo de que setores como a cultura estão tentando ficar mais próximos ao seu público para diminuir o impacto econômico.

“Diversos artistas de maior ou menor apelo popular começaram a utilizar o recurso para manter contato com o público e buscar, em casos pontuais, alguma forma de compensar a queda brusca nas receitas”, afirma Alysson Siqueira, professor mestre no curso de Licenciatura em Música do Centro Universitário Internacional Uninter.

Segundo ele, o retorno financeiro imediato não é grande. “Os artistas estão colhendo mais frutos em relação à visibilidade, ao aumento de seguidores nas redes sociais. Isso sim, pode render dinheiro para os artistas em geral no futuro”, completa Siqueira.

Outras alternativas

Além das lives, muitos musicistas também são professores de instrumentos e de canto. Alguns se adaptaram para dar aulas a distância e, com isso, reforçar o orçamento. “Há diversas alternativas que auxiliam o profissional nesse sentido, e a nossa situação tem se mostrado uma oportunidade de aprender e de se adequar. Tenho certeza que muitos alunos e professores deverão optar por continuar a ter aulas a distância mesmo depois da pandemia”, afirma.

Mas Siqueira alerta para o fato de muitos profissionais da área estarem passando por dificuldade, especialmente aqueles que dependem de cachês de bares, festas e bailes. Segundo o professor, o apoio a que eles têm acesso é o mesmo que qualquer autônomo está recebendo — a ajuda de custo do Governo Federal. Além disso, há alguns editais que oferecem cachês em troca da permissão para a exibição de produção audiovisual. “Um exemplo é o programa FCC Digital da Fundação Cultural de Curitiba, que oferece cachê para os artistas locais veicularem seus vídeos relacionados a diversas expressões artísticas”, comenta.

Retomada

Siqueira acredita que a cultura é um setor que tem potencial de retomada assim que a pandemia da Covid-19 passar. Mas ressalta que para isso acontecer, é preciso vontade política. “É difícil saber se os governantes olharão para a retomada de forma ampla, percebendo que além de retomar o trabalho, as pessoas precisarão voltar a sorrir, dançar, jogar, correr, cantar, enfim, elas precisarão retomar práticas que construíram as próprias personalidades enquanto seres sociais”, finaliza.

Inimigos da HP comemoram 21 anos de carreira com live solidária

A transmissão acontecerá neste domingo, 24, pelo canal do YouTube e toda arrecadação será destinada à campanha Êxito Solidário

Comemorando 21 anos de carreira agora no mês de maio, os integrantes do grupo de pagode Inimigos da HP, acabam de anunciar a data para a segunda live. O show online que os fãs vinham pedindo nas redes sociais, acontecerá neste domingo, 24, às 15h, pelo canal oficial do grupo, no YouTube.

A transmissão será uma forma de celebrar esses 21 anos, e muitas músicas que fizeram sucesso nessas duas décadas farão parte do repertório da tarde de domingo: “Toca Um Samba Aí”, “Nosso Filme” e “Bons Momentos” além de releituras do sertanejo para o pagode e também sucessos dos anos 2000.

“Agora o momento pede responsabilidade. Como todo mundo que faz e fez aniversário nesse período de pandemia, o que queríamos era comemorar muito, mas precisamos pensar no próximo e nas pessoas que amamos. Vamos fazer essa live como uma forma de comemorar, respeitando todas as recomendações, mas mais do que comemorar, queremos levar um pouco de alegria e alto astral para a sua casa, afinal, nesses 21 anos de carreira, o que mais nos realiza é ver o sorriso no rosto de cada um de vocês, esse é o nosso maior presente” se emocionam os artistas.

O grupo formado por Sebá, Alemão, Gui, Tocha e Cebola realizou a primeira live no mês passado, dia 5 de abril e chegaram a ultrapassar um milhão de visualizações.

O perfil oficial de Inimigos da HP no YouTube é: youtube.com/ihpoficial

Live Solidária

O Grupo Inimigos da HP apoia a campanha Êxito Solidário, realizada pelo Instituto Êxito de Empreendedorismo, que tem como objetivo arrecadar 50 mil cestas básicas para famílias que estão passando por dificuldades durante o período da pandemia. Durante a live o grupo irá falar sobre o tema e pedir para que os fãs realizarem doações.

O presidente do instituto Êxito de Empreendedorismo, Janguiê Diniz, ressalta a importância do apoio do Grupo na campanha Êxito Solidário. “Estou muito feliz com a participação do Inimigos da HP na nossa campanha. A banda tem um alcance incrível, é muito amada por todos e ter sua ajuda é extremamente importante para nós. Tenho certeza que esse grande show vai alegrar todos através da música e das doações. Gostaria de agradecer a banda por esse momento”, finaliza.

A sócia-fundadora do Instituto Êxito de Empreendedorismo, Carol Paiffer, responsável pelo elo com o pessoal do Inimigos da HP, fala dessa iniciativa. “A participação da banda na nossa campanha é muito importante. Sou super fã do trabalho deles de longa data, desde minha juventude. Fiquei muito feliz quando entrei em contato e eles aceitaram o convite. Poder assistir uma live deles, que além de levar alegria, vai poder ajudar muitas pessoas que precisam, arrecadando cestas básicas, não tem nem o que falar sobre esse momento. Então estou muito animada, muito feliz pela parceria”, finaliza.

Para realizar as doações os fãs devem entrar no site: www.institutoexito.com.br/doacoes . O valor de cada cesta básica é de R$ 50,00 (Cinquenta Reais).

Sobre o Instituto Êxito

O Instituto Êxito de Empreendedorismo é o resultado de um sonho que envolve empreendedores visionários dos mais variados segmentos do Brasil. Hoje, já conta mais com mais de 400 sócios que compactuam de um mesmo propósito: fazer do empreendedorismo a turbina para impulsionar vidas e histórias.

O Êxito tem a filosofia de que, independente da classe social e econômica, qualquer pessoa pode transformar suas ideias em ações que mudem e melhorem a realidade e a comunidade na qual vive. Por isso, nasceu com o objetivo de estimular o dom empreendedor dos jovens, especialmente os de escolas públicas, onde há muitos talentos escondidos e boas ideias a serem impulsionadas. Nomeado como uma instituição sem fins lucrativos, seu principal plano de ação está em oferecer uma plataforma de cursos online e gratuitos, além de realizar diversas ações voltadas para o fomento ao empreendedorismo.

Para acompanhar as novidades do grupo, acesse:
www.agenciaprodutora.com.br/artist/inimigos-da-hp
Facebook: facebook.com/inimigosdahp/
Instagram: @inimigosdahpoficial
Twitter: @inimigosdaHP

Emagrecer Online? Sim! Saiba como perder até 10kg por mês na quarentena

Protocolo totalmente online desenvolvido pela esteticista Thais Mugani da Slimcenter está ajudando pessoas a emagrecerem até 10kg em um mês durante a quarentena.

Com o Home office, o isolamento e as restrições impostas pelo lockdown que acontece em muitas cidades no Brasil e ao redor do mundo para conter o avanço do novo coronavírus, muitas pessoas têm relatado o ganho de peso como consequência de menor movimentação e maior ingestão de alimentos.

Pensando nisso, a esteticista Thais Mugani, CEO da Slimcenter, desenvolveu um protocolo online que tem ajudado pessoas a perder peso durante a quarentena, sendo benéfico não apenas para a saúde física mas para o bem estar emocional e mental: “Desenvolvi este protocolo com a minha equipe para ajudar as pessoas neste período tão difícil da pandemia da covid-19. Estar de bem consigo mesma, com o espelho e com o corpo durante a quarentena é uma forma de cuidar da saúde em todos os aspectos, evitar ganho de peso e as doenças associadas e manter a cabeça no lugar.”

Emagrecer até 10kg por mês online

Mugani explica porque o método online tem sido cada vez mais uma alternativa viável: “Mesmo depois do fim da pandemia da covid-19, o mundo tende a ficar cada vez mais digital, então estamos dentro desta tendência levando saúde e autoestima através da internet, ajudando pessoas que têm dificuldade no emagrecimento e agora não podem sair de casa para ir à academia ou a uma clínica de estética, spa, ou procurar um nutricionista. Além disso, pessoas que antes não tinham acesso aos grandes centros urbanos onde se encontram mais facilmente estes profissionais e serviços, agora podem acessá-los em qualquer lugar, a qualquer hora.”

O segredo deste protocolo online, totalmente customizado e individualizado, é combinar o acompanhamento profissional multidisciplinar e o monitoramento individualizado: “Tudo é customizado, desde as estratégias de fortalecimento do mindset ao planejamento de exercícios físicos individualizados, em produtos da linha slimcenter exclusivos como chá detox, sopas e suplementos e no incentivo diário através do nosso grupo do WhatsApp. Temos uma equipe multidisciplinar em um só protocolo com objetivo de fazer a cliente eliminar até 10kg em 1 mês. E os resultados têm falado por si.”

100% digital

Para atender a todos, foi criada uma plataforma online dedicada: “Tudo é feito online, sem contato presencial. Hoje a pessoa interessada faz contato conosco através das nossas redes sociais e do WhatsApp e, em seguida à adesão ao protocolo, concedemos acesso à nossa plataforma exclusiva com login e senha, onde ela será acompanhada e terá a disposição os exercícios físicos, coach, acompanhamento nutricional, grupo de apoio e tudo que precisa para emagrecer desde já, mesmo durante a quarentena.

Iniciativa inédita reúne 15 especialistas em meditação Raja Yoga para inspirar a criação de uma nova consciência, diante de um futuro incerto

Com a participação especial do indiano Sushil Chandra, doutor em Neurociência Cognitiva, a Brahma Kumaris promove o primeiro Congresso on line “Aplicação da meditação Raja Yoga nas diversas áreas da vida” de 29 a 31 de maio de 2020

Estão todos se perguntando: “quando a vida voltará ao normal”? Mas será que após a experiência da pandemia o “normal” nos basta? Ou queremos criar novidade em nós, nos outros e no mundo?

Essa crise sem precedentes nos oferece uma chance de ouro para ser e fazer diferente. Uma oportunidade para expandir a consciência e ir além dos limites impostos pelas circunstâncias incontroláveis.

Nessa perspectiva, o Congresso on line “Aplicação da meditação Raja Yoga nas diversas áreas da vida” vem para oferecer, ao maior número de pessoas, as ferramentas e os métodos visando a autotransformação. Um time de especialistas, educadores e profissionais com dez a 40 anos de experiência em meditação e ensino serão os facilitadores dessa jornada de três dias. Eles vão dar dicas práticas de como cada pensamento, cada palavra e cada ação pode promover vida plena.

O Congresso é gratuito e destinado a todos que desejam desenvolver sua força interior e aumentar sua capacidade de discernir e enfrentar com leveza as situações que surgem nas diferentes áreas da vida. É necessário fazer inscrições através do link https://congresso.brahmakumaris.org.br/

O evento é promovido pela Brahma Kumaris, uma organização sem fins lucrativos fundada na Índia em 1936 e presente há 40 anos no Brasil. Tem como missão resgatar os valores humanos e espirituais através do ensino da meditação Raja Yoga e de cursos de qualidade de vida.

Especialistas convidados

Dia 29/05 - O “Eu”: o poder do autoconhecimento através da meditação

Palestrantes

image002.jpg
Dr. Sushil Chandra, doutor em Neurociência Cognitiva e mestre em Engenharia (Instrumentação Biomédica), é Diretor Associado do Instituto de Medicina Nuclear e Ciências Afins, do Governo da Índia em Nova Deli. Desde 1986, trabalha ativamente nas áreas não tradicionais como Realidade Virtual e Aumentada, meditação e videogame. Sua atuação visa favorecer uma abordagem interdisciplinar na interligação das ciências da psicologia experimental, neurociência, ergonomia cognitiva e engenharia. Participou recentemente do Webinar "Música e meditação: curando o sofrimento emocional na pandemia de COVID-19". Pratica meditação Raja Yoga desde 1999. É consultor científico do Centro de Pesquisa de Aplicações Espirituais da Rajyoga Education & Research Foundation.

image003.jpg

Marcia Maria Lins de Medeiros é formada em Jornalismo pela PUC/RJ com diversas especializações na área de Educação. Dedicou-se, por sete anos, à Coordenação Nacional do Programa Vivendo Valores na Educação. Viajou mais de 20 vezes para Índia e Europa para cursos de Aprofundamento em Vivência de Valores Humanos na Educação e na Vida, técnicas de meditação, qualidade de vida e relaxamento. Ministra palestras sobre valores na educação, qualidade de vida, vencendo o stress, meditação e autoestima. Atualmente coordena as atividades da Brahma Kumaris em Porto Alegre.
image004.jpg

Juliana Vilarinho é Jornalista de formação, atua como professora de inglês há 30 anos e há 26, pratica meditação Raja Yoga junto à Brahma Kumaris. É palestrante e professora dos cursos fundamentais de Raja Yoga e do programa de qualidade de vida, com especial atenção no curso Pensar Bem. Coordena voluntariamente as atividades da Brahma Kumaris na grande São Paulo.

image005.jpg

Liliani Zunino Duarte é praticante de meditação Raja Yoga desde 1995 onde atua como professora, moderadora de workshops e palestrante nos fundamentos da meditação e práticas que melhoram a qualidade de vida, nos formatos presencial e a distância. Formada em arquitetura e mestre em Arquitetura e Urbanismo e história da Cidade. Professora Universitária.

Painel

image006.jpg

Vitor Kerber é PhD em Ciências Farmacêuticas e professor titular da Universidade Federal do Paraná. Começou a praticar meditação na Brahma Kumaris em 1984 onde é professor há 34 anos. Atualmente coordena as atividades dessa instituição em Florianópolis.

image007.jpg

Aloisio Jorge de Jesus Monteiro é Pesquisador em Estágio Pós-Doutoral no Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra e junto à Paris-Sorbonne. É PhD e Mestre em Educação. Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação, Contextos Contemporâneos e Demandas Populares e do Departamento de Educação do Campo, Movimentos sociais e Diversidade da UFRRJ. Pesquisa e trabalha na área da Educação, com ênfase em Antropologia, História e Política Educacional. Na Brahma Kumaris, é coordenador em uma das escolas no Rio de Janeiro. Praticante da meditação Raja Yoga desde 1996.

image008.jpg

Dr. Celso Galhardo é médico com especialização em Ginecologia e Obstetrícia, pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia e Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo; em Saúde Pública, pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo; em Gestão em Saúde Pública/MBA, pela Universidade Federal de São Paulo; em Medicina Homeopática, pela Associação Paulista de Homeopatia e em Medicina Antroposófica, pela Associação Brasileira de Medicina Antroposófica. É Médico da Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo desde 1988. Membro da Brahma Kumaris desde 1988, onde desenvolve palestras, cursos e seminários com foco na interface entre ciência, filosofia e espiritualidade.

Dia 30/05 - O “Eu” e os outros: meditação e o poder da experiência

Palestrantes

image009.jpg

Rosângela Palmeira - Formada em ciências contábeis é praticante da meditação Raja Yoga desde 1997, é professora de Raja Yoga e palestrante experiente em temas relacionados a prática do silêncio como ferramenta de auto-observação ativa e resgate das qualidades pessoais voltadas a construção de relacionamentos harmoniosos e superação de adversidades.
image010.jpg

Érica Berto é gerente de operação de tecnologia para área de telecomunicação. É praticante da meditação Raja Yoga há mais de 10 anos, professora do curso fundamental de meditação Raja Yoga e do programa de Qualidade de Vida da Brahma Kumaris. Como voluntária dessa organização, faz parte do time de coordenação da Campanha de 40 anos e do gerenciamento da escola de São Paulo.

image011.jpg

Ezequiel Neves – com 15 anos de prática da meditação Raja Yoga é facilitador dos cursos de Qualidade de Vida da Brahma Kumaris. Com personalidade calma, segue princípios relacionados à raiz do Raja Yoga personificando qualidades como paz e contentamento. Atualmente é corresponsável pelas áreas de criação, produção e distribuição na Editora Brahma Kumaris.

image012.jpg

Luciana Marques de Souza Ferraz é socióloga e professora sênior da Brahma Kumaris com vasta experiência na área de treinamento de pessoas que buscam uma vida melhor. Ministrou cursos na Índia, Estados Unidos, Europa e América Latina sobre estresse, saúde integral, consciência positiva e meditação. Coordenou, no Brasil, projetos internacionais em conexão com a ONU: "Um Milhão de Minutos de Paz", "Cooperação Global para um Mundo Melhor" e "Partilhando Valores para um Mundo Melhor”. É coordenadora da Brahma Kumaris no Brasil.

Dia 31/05 - O “Eu” e o mundo: meditação e a força da criatividade

Palestrantes

image013.jpg

Patricia Schmidt Carvalho é Cirurgiã-dentista, professora da Brahma Kumaris há 30 anos. Gaúcha, reside em Belo Horizonte há 28 anos, onde faz parte da coordenação da Brahma Kumaris. Espontaneidade, autenticidade e sua busca incansável pela verdade tem sido a mola propulsora de sua experiência e de sua jornada espiritual. Nos últimos anos, Patricia fez alguns períodos sabáticos, nos quais se dedicou extensivamente a ir além de seus limites e descobrir um pouco mais do sentido de viver uma vida grandiosa.

image014.jpg

Goreth Dunningham é graduada em Comunicação e Design de Moda, editora da revista digital OmLine, coordenada uma unidade da Brahma Kumaris em Salvador e escreveu dois livros: “Diário de um Anjo em Construção” e “A Cara do Bem”. É professora curso de Raja Yoga e palestrante experiente de temática relacionada à prática de valores. Criadora e curadora da exposição “A Paz pede passagem”.

image015.jpg

Rodrigo Ambros é professor de meditação Raja Yoga desde 1984 e especialista em treinamento mental para profissionais e atletas. Desde 2002 atua como profissional da área de treinamentos empresariais nos temas de mudança comportamental e desenvolvimento humano. É responsável pela área de Tecnologia da Brahma Kumaris no Brasil.

image016.jpg

Ken O'Donnell é Coordenador para a América do Sul da Brahma Kumaris. Praticante e professor de meditação desde 1975, é autor de 18 livros sobre desenvolvimento pessoal e de organizações, sendo alguns publicados em diversos idiomas. Atua profissionalmente como consultor internacional nas áreas de planejamento e gestão.

Serviço

1º CONGRESSO ON-LINE DE MEDITAÇÃO RAJA YOGA:
a aplicação da meditação Raja Yoga nas diversas áreas da vida

Data: 29 a 31 de maio de 2020

Programa:

29 de maio, sexta-feira:
O “Eu”: o poder do autoconhecimento através da meditação

30 de maio, sábado:
O “Eu” e os outros: meditação e o poder da experiência

31 de maio, Domingo:
O “Eu” e o mundo: meditação e a força da criatividade

Horários:
Sessões diárias às 9h, 11h, 18h e 20h

Informações e inscrições: https://congresso.brahmakumaris.org.br

Realização: Organização Brahma Kumaris

Contato:
congresso@brahmakumaris.org.br

Atendimento médico em tempos de COVID-19

Como agendar uma consulta e realizar cirurgias com segurança em meio à pandemia

A pandemia do coronavírus trouxe muitas incertezas para a área da saúde. Consultórios e hospitais que eram lotados, hoje se encontram mais vazios - apenas os casos graves chegam até as emergências. Segundo o médico Bruno Legnani, as pessoas estão receosas de sair de casa, com medo do vírus, e optam por não irem até o médico, mesmo quando necessitam. “Ter um atendimento médico eficiente é um direito de todos e se o paciente julgar que precisa realmente se consultar, deve agendar e contar com a avaliação médica”, afirma.

Cirurgião plástico, o profissional teve uma redução de mais de 80% nas consultas e agendamentos. Porém, como especialista em cirurgias reparadoras e microcirurgia reconstrutiva, os procedimentos não param. “Realizo todos os dias cirurgias que não podem esperar, e os pacientes têm um atendimento seguro e eficaz”, afirma.

Todos os procedimentos seguem a Nota Técnica 6/2020, com orientações para a prevenção e o controle das infecções pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2) durante a realização de procedimentos cirúrgicos, publicada no dia 30 de abril pela Anvisa. De acordo com o documento, toda a programação cirúrgica deverá ser revista em relação aos riscos, prioridades e recursos da unidade e as cirurgias eletivas não essenciais devem ser adiadas. “Não é o momento de fazer procedimentos que podem esperar. Estamos realizando diariamente as cirurgias necessárias, com todos os cuidados para garantir a segurança e saúde dos pacientes”, afirma Legnani.

No consultório, medidas foram tomadas para garantir a segurança de todos, de acordo com as orientações dos órgãos oficiais de saúde. As consultas espaçadas, para evitar contato entre os pacientes, e a higienização constante das áreas tocáveis, como maçanetas, sofás e materiais usados para a avaliação que já eram constantes, foram intensificadas. “Orientamos os pacientes a usarem máscara durante toda a consulta e higienizar as mãos com frequência, para garantir a segurança tanto do paciente como dos profissionais do consultório”, completa.

Sobre Bruno Legnani:

O médico cirurgião plástico Bruno Legnani possui título de especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), tem residência médica em cirurgia plástica e microcirurgia pelo Instituto Nacional do Câncer e fellow internacional em cirurgia plástica estética na Akademikliniken, na Suécia.

Amcham realiza eventos online gratuitos para apoiar empresas durante a pandemia da covid-19

Até o final de maio, serão dez eventos online e gratuitos sobre temas econômicos, políticos e jurídicos

A Amcham (Câmara Americana de Comércio) realiza, durante o mês de maio, eventos online, os webinários. O calendário inclui discussões sobre áreas jurídica, econômica, política e temas diretamente ligados ao setor privado. Especialistas nas áreas vão comentar e compartilhar suas experiências durante o período pré e durante a pandemia do coronavírus e suas expectativas pós-covid-19.

De acordo com o gerente regional da Amcham Curitiba e Amcham Joinville, Gustavo Silvino, os eventos online são uma maneira de manter os associados e convidados atualizados sobre o mercado. ‘‘Todos os temas trabalhados passam pelas áreas mais e menos afetadas pela pandemia e a troca de experiências entre os participantes pode trazer insights e oportunidades de resoluções de problemas para a situação de cada empresa’’, diz.

Os eventos têm participação gratuita para os associados da entidade que reúne mais de cinco mil empresas em todo o País. A Amcham Curitiba e Amcham Joinville agregam 350 organizações no Paraná e em Santa Catarina, e colaboradores de todas elas poderão participar. Basta acessar o site da entidade www.amcham.com.br para saber mais e fazer a inscrição.

Confira abaixo os webinários programados em maio:

21/05, às 9h - Missões internacionais - o pós-China: estratégias inovadoras de negócios. O CEO na ChinaInvest, Thomaz Machado e o editor do portal de notícias Xinhua News, Rafael Gonçalves Lima serão os painelistas do evento;
22/05, às 16h – Webinar aberto de experiência do cliente – prevenção de churn: estratégias de retenção de clientes e redução dos índices de cancelamentos. O evento vai contar com a palestra do coordenador de Customer Success na Resultados Digitais, Yorran Rogick Dias;
22/05, às 11h – Webinar de compliance: compliance e gestão de risco em tempos de covid-19. O conselheiro da Unidade de Inteligência Financeira, Antônio Carlos da Nobrega; o diretor de compliance da Petrobrás, Marcelo Zencker; o diretor de compliance da BRF, Reynaldo Goto; e a chief risk & compliance da Votorantim, Ana Paula Carracedo serão os palestrantes do evento;
26/05, às 17h – Webcomitê de Tecnologia & Inovação – Robô Laura: Inteligência artificial salvando vidas, como a tecnologia pode salvar a sua empresa? O evento online realizado pela Amcham Curitiba, terá a palestra do CEO da Robô Laura, Cristian Rocha;
27/05, às 8h30 – Covid-19: força maior/onerosidade excessiva de contratos em tempos de pandemia. A sócia da Demarest, Maria Helena Ortiz Bragaglia Marques; o presidente do Comitê aberto de Legislação da Amcham, Maximilian Fierro Paschoal; e a vice-presidente do Comitê aberto de Legislação da Amcham, Monica Ailt, serão os palestrantes;
27/05, às 9h – Comitê Aberto de Gestão de Pessoas: O papel do RH na retomada das atividades. O evento terá as palestras do CEO & Cofounder, Enora Leaders, João Marcelo Furlan e a diretora de Recursos Humanos da Vedacit, Elizabeth Rodrigues;
28/05, às 11h – Comitê de Economia e Finanças – Ensaio para a retormada: quais impactos de uma possível flexibilização? O economista chefe do banco Bradesco, Fernando Honorato e o CEO da rede Mastercard, João Pedro Paro Neto, serão os palestrantes do evento online.

Sobre a Amcham

A Amcham (Câmara Americana de Comércio) é uma das maiores associações de empresas do Brasil, com 15 filiais em todo o país e mais de 5.200 empresas associadas. O objetivo da Amcham é criar um ambiente favorável de negócios por meio de boas práticas de mercado, capacitação profissional e cidadania empresarial. A Amcham visa facilitar relações empresariais, gerar negócios, ser ponte no relacionamento governamental e internacional, além de prover conteúdos que amplifiquem o conhecimento de seus associados.

Conselho da Universidade Federal do Paraná (UFPR) decide adiar vestibular devido a pandemia

De outubro, data da prova objetiva (primeira fase) do Vestibular 2020/2021 fica preliminarmente agendada para 10 de janeiro de 2021. Comissão de acompanhamento lança nova nota técnica

O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFPR (Cepe) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) aprovou nesta quarta-feira (20) o adiamento do Vestibular 2020/2021 devido às condições decorrentes da pandemia de covid-19. Antes prevista para 18 de outubro deste ano, a data da prova objetiva do vestibular (primeira fase) fica agendada para 10 de janeiro de 2021.

O conselho decidiu ainda, seguindo a proposta do Núcleo de Concursos, estabelecer o dia 10 de agosto como data máxima para confirmar ou postergar a nova data, de acordo com a evolução da pandemia. Outras datas referentes ao processo serão divulgadas posteriormente.

A decisão segue as recomendações do Plano de Contingência Nacional para Infecção Humana pelo Novo Coronavírus do Ministério da Saúde e de plano definido em sequência pela Secretaria Estadual de Saúde do Governo do Estado do Paraná, que também decidiu, no dia 16 de março de 2020, suspender eventos abertos ao público, de qualquer natureza, com aglomeração acima de 50 pessoas.

O relator da proposta e coordenador do Núcleo de Concursos da UFPR, Altair Pivovar, apresentou diversas razões para o adiamento, sem o qual haveria risco de contaminação para os candidatos e para os aplicadores de provas. Para cumprir as medidas de afastamento seriam necessários dobrar o número de salas de 800 para 1600 que comportem 25 candidatos cada, em vez de 50 em uma situação normal, além disso, o montante de pessoal para aplicação por sala deveria ser de 25, o que mobilizaria ainda mais pessoas, trazendo mais riscos.

O transporte de candidatos, que vêm de diversas regiões e têm de circular por aeroportos e rodoviárias também foi citado, o que contraria as recomendações das autoridades de saúde.

Análise

Durante o Cepe a comissão criada pela universidade para acompanhamento e controle de propagação do novo coronavírus apresentou nova nota técnica em que avalia a situação da pandemia no Paraná.

A nota alerta para o aumento do número de novos casos diários, com o consequente crescimento da taxa de ocupação de leitos hospitalares no período verificado (entre fim de abril e início de maio). De acordo com a comissão, contribuíram para esse retrocesso (em relação ao achatamento da curva de transmissão verificado na nota técnica anterior) o aumento da mobilidade social e a diminuição do distanciamento social.

Considerando que as projeções futuras da Covid-19 no Brasil indicam "um número alto de novos casos devem ocorrer pelos menos até agosto", a comissão avalia que a testagem da população deve ser um fator considerado para ampliar a eficiência do distanciamento social. Os exames aptos ao monitoramento da população nessa estratégia são os para detecção do vírus e testes imunológicos.

Isso é necessário, apontam os pesquisadores, frente à projeção de que apenas vacina apropriada encurtaria o período de alta circulação do vírus.

LINKS

Matérias no site da UFPR:

"Conselho adia data do Vestibular UFPR 2020/2021 para janeiro"
https://www.ufpr.br/portalufpr/noticias/conselho-adia-data-do-vestibular-ufpr-2020-2021-para-janeiro/

"Comissão da UFPR lança nota com novas informações e recomendações sobre a covid-19"
https://www.ufpr.br/portalufpr/noticias/comissao_da_ufpr_lanca_nota_com_novas_informacoes_e_recomendacoes_sobre_a_covid-19/ (acesso a links e gráficos)

PARA SOLICITAÇÃO DE ENTREVISTAS, FAVOR USAR O E-MAIL jornalismo.sucom@ufpr.br.

A COMUNICAÇÃO DA UFPR ESTÁ EM TRABALHO REMOTO DURANTE A PANDEMIA DE CORONAVÍRUS. MAIS INFORMAÇÕES AQUI: https://www.ufpr.br/portalufpr/noticias/comunicacao-da-ufpr-passa-a-trabalhar-em-regime-remoto-demandas-devem-ser-enviadas-digitalmente/

Mamonas Assassinas serão relembrados em live neste sábado – 23 de maio

Por conta da pandemia do novo coronavírus, artistas encontraram nas transmissões ao vivo uma alternativa para manterem seu trabalho ativo e o contato com o público. A fim de evitar aglomerações, realizam ‘lives’ para milhares de pessoas sem que essas precisem sair de suas casas. E com Beto Hinoto, sobrinho de Bento Hinoto (o Japa do Mamonas Assassinas), cid:10513486508110940369899não é diferente.

Neste sábado – 23 de maio, às 20h30, em seu perfil do Instagram, Beto Hinoto fará um quiz musical com fãs da banda, permitindo que o público entre simultaneamente na transmissão. Além de responder perguntas, os admiradores poderão curtir as músicas dos Mamonas que fizeram mais sucesso, conhecer o trabalho autoral do sobrinho do “Japa” e aguardar por uma surpresa preparada com muito carinho.

O jovem se emociona quando fala da interatividade com os fãs dos Mamonas: “Mesmo não estando aqui há mais de 20 anos, o carinho que os fãs têm com o meu tio é impressionante! Saber que enxergam ele em mim é muito inspirador, um dos meus combustíveis é esse. Terei a oportunidade de mostrar meu trabalho, homenagear uma das pessoas mais influentes da minha vida e entreter o público, tudo ao mesmo tempo. É muito gratificante”.

(Foto: Montagem | Beto Hinoto | Reprodução)

Live: Quiz musical com Beto Hinoto
Dia 23 de maio (sábado) - 20h30
Transmissão ao vivo no perfil @_beetohinoto (Instagram)
Beto Hinoto - www.betohinoto.com.br

Dispara demanda por produtos práticos e cestas de orgânicos desde o início da pandemia

O segmento de produtos orgânicos fechou a primeira quinzena de maio com aumento na demanda de produtos prontos e estabilidade no consumo de frutas, legumes e verduras.

Segundo a Organis, entidade promotora do setor orgânico, os produtos orgânicos industrializados, quase sempre relacionado com alguma marca, processados ou semiprocessados, estão em curva ascendente nesta pandemia.

“Nesta categoria o que tem se destacado nas vendas são os produtos práticos, aqueles que já vem prontos, semiprontos ou de preparo fácil. Para se ter uma ideia, a marca Vapza, associada Organis, teve um crescimento de 82% em março e abril. A Fazenda Santa Julieta Bio, de cestas de FLV, cresceu 52% desde o início da pandemia. Nossa leitura é que as pessoas que se alimentavam em seus locais de trabalho, sem o Uma imagem contendo pessoa, no interior, mesa, homem Descrição gerada automaticamentehábito de cozinhar todos os dias, estão preocupadas com a saúde e optando por orgânicos com uma forma de preparo mais amigável, do ponto de vista da praticidade, nessa transição que ninguém sabe direito até agora como e quando irá se assentar”, argumenta Clauber Cobi Cruz, diretor da Organis.

A entidade mensura esse aumento do interesse nos orgânicos diariamente. “Temos recebido pedidos de informações sobre certificação para os orgânicos, pequenos lojistas, fora dos grandes centros, que buscam por estes produtos para atender a demanda, pois o consumidor está exposto à tantas notícias sobre os benefícios dos orgânicos. Outro movimento que detectamos é o interesse de produtores sobre a conversão para o orgânico”, comenta o diretor da Organis.

ORGANIS – www.organis.org.br
Fonte – Clauber Cobi Cruz – diretor

“É tempo de cooperar”

“É tempo de cooperar”

Pandemia levanta a necessidade de compartilhamento e uso racional de recursos tecnológicos

CURITIBA – MAIO DE 2020 – LIDE MULTIMÍDIA – No próximo dia 15 de maio, às 19h, Diogo Arndt Silva, presidente da Rede Lojacorr, maior rede de corretoras de seguros independentes do Brasil, estará num bate-papo com Gustavo Doria Filho, fundador do CQCS - Centro de Qualificação do Corretor de Seguros, com o tema “É tempo de cooperar”, que poderá ser acessado no link https://youtu.be/ACPxPlirk7k.

Para Diogo Arndt Silva, presidente da Rede Lojacorr, "em tempos de incerteza, mais do que nunca é importante trabalhar com cooperação. Utilizar a tecnologia como meio para reduzir custos e gerar novos negócios também tem se mostrado um importante aliado dos corretores para redução dos custos e aumentar a eficiência operacional: vender mais gastando menos", afirma.

O CQCS está realizando uma série de talks com profissionais e personalidades do Brasil e do segmento da proteção para auxiliar o setor com melhores práticas, soluções para lidar com a pandemia e com as dificuldades em tempos de crise. Além de gerar insights para potencializar os negócios e assistir o segurado. O canal recebeu recentemente para esses encontros o deputado Federal, Lucas Vergílio; Roberto Bittar, presidente da ENS – Escola Nacional de Seguros; e Bruno Garfinkel, presidente do Conselho de Administração da Porto Seguro.

Independentes do Brasil. Por meio do seu modelo de negócios disruptivo, realiza a intermediação entre corretoras de seguros e as seguradoras, disponibilizando suporte operacional, comercial e estratégico. Fundada em 1996, a empresa se dedica para oferecer as melhores soluções em distribuição de seguros e produtos financeiros às corretoras e clientes. Presente em 22 estados e no Distrito Federal, por meio de 55 Unidades de Negócios, as 360 mil apólices ativas, foram comercializadas por 3.330 profissionais de seguros, que atuam em mais de 3600 municípios. Tendo como sede administrativa, Curitiba (PR) e sede comercial em São Paulo (SP), a Rede Lojacorr conta também com 220 colaboradores. A Rede Lojacorr está entre as empresas emergentes do Sul e é certificada pelo Great Place to Work.

As medidas tomadas noutros séculos para combater as epidemias são replicadas no presente

As medidas tomadas noutros séculos para combater as epidemias são replicadas no presente

Combater a propagação de uma epidemia nunca foi tarefa fácil. Se analisarmos o que acontece hoje em dia, não é difícil imaginar o esforço gigante feito em outras épocas. Segundo a arqueóloga portuguesa Joana Freitas se analisarmos como combatiam o alastramento das doenças em séculos passados podemos ficar surpreendidos com as semelhanças.

"Ao analisarmos dados e documentos que se referem a outros surtos epidêmicos ao longo da história verificamos que algumas medidas que tomamos hoje eram as usadas à data para reprimir o avanço das doenças. Em diversas alturas o isolamento, a quarentena e o estabelecimento de cordões sanitários foram uso recorrente."

Estas medidas eram aplicadas e replicadas em muitos países do mundo. A realidade que vivemos hoje em dia não é novidade.

" Havia cuidados, as pessoas tinham consciência de que se não travassem um surto no seu início seria muito difícil não evitar uma catástrofe. Temos variados exemplos além dos referidos acima. Em Portugal,por exemplo, já no século 15 existia um controlo sanitário das embarcações. Embora incipiente demonstrava a clara noção dos pontos que podiam ser rastilhos de uma epidemia. Mais tarde,os barcos teriam mesmo de ficar em quarentena para que houvesse certeza que tanto marinheiros como mercadorias não seriam um veículo de transporte para convidados indesejados.", explica Joana Freitas.

Ainda segundo a arqueóloga, "as próprias linhas que delimitavam cidades, uma muralha ou estrutura semelhante funcionavam como cerco sanitário. Há inclusive documentos que atestam que em algumas cidades era exigido que apresentassem uma declaração da sua boa saúde, garantindo que não estivera em nenhum lugar exposto a alguma doença nos 30 dias anteriores antes de ser autorizado a entrar.".

A realidade que vivemos com a pandemia de covid-19 é nova para nós mas não é nova para o mundo.

"Como costumo dizer, ciclicamente o ser humano lida com situações desta natureza. A história é boa professora. As medidas de hoje foram as medidas de ontem. Mesmo algumas como o fecho de fronteiras entre países ou o esforço para diminuir as pessoas que circulavam. Não é nova a noção de que quanto mais pessoas estiverem em contato umas com as outras maior será a dimensão do surto.", explica.

Ainda segundo a arqueóloga, " já no combate a outras pestes, verifica-se um esforço de deixar circular apenas quem era indispensável. Trabalhadores agrícolas, forças de segurança como exército ou marinha, padres e madres que muitas vezes auxiliavam nas práticas da medicina, padeiros e vendedores de alimentos. Como vemos embora com séculos de diferença a realidade é bastante semelhante.", conclui.

Joana Freitas, formada em arqueologia pela Universidade do Porto e pela Universidade Autónoma de Barcelona, tem por áreas de estudo a pré-história e a evolução da espécie humana. Membro e sócia da CPAH – Centro de Pesquisas e Análises Heráclito, com sede em Portugal e unidades no Brasil e na Holanda.
De entre dezenas de trabalhos de campo de diversas épocas, os mais importantes foram os trabalhos e estudos nos lugares calcolíticos de Foz Côa. Desenvolve ainda trabalhos nas áreas da arquitetura de terra e a sua presença no desenvolvimento humano.

Combater a propagação de uma epidemia nunca foi tarefa fácil. Se analisarmos o que acontece hoje em dia, não é difícil imaginar o esforço gigante feito em outras épocas. Segundo a arqueóloga portuguesa Joana Freitas se analisarmos como combatiam o alastramento das doenças em séculos passados podemos ficar surpreendidos com as semelhanças.

"Ao analisarmos dados e documentos que se referem a outros surtos epidêmicos ao longo da história verificamos que algumas medidas que tomamos hoje eram as usadas à data para reprimir o avanço das doenças. Em diversas alturas o isolamento, a quarentena e o estabelecimento de cordões sanitários foram uso recorrente."

Estas medidas eram aplicadas e replicadas em muitos países do mundo. A realidade que vivemos hoje em dia não é novidade.

" Havia cuidados, as pessoas tinham consciência de que se não travassem um surto no seu início seria muito difícil não evitar uma catástrofe. Temos variados exemplos além dos referidos acima. Em Portugal,por exemplo, já no século 15 existia um controlo sanitário das embarcações. Embora incipiente demonstrava a clara noção dos pontos que podiam ser rastilhos de uma epidemia. Mais tarde,os barcos teriam mesmo de ficar em quarentena para que houvesse certeza que tanto marinheiros como mercadorias não seriam um veículo de transporte para convidados indesejados.", explica Joana Freitas.

Ainda segundo a arqueóloga, "as próprias linhas que delimitavam cidades, uma muralha ou estrutura semelhante funcionavam como cerco sanitário. Há inclusive documentos que atestam que em algumas cidades era exigido que apresentassem uma declaração da sua boa saúde, garantindo que não estivera em nenhum lugar exposto a alguma doença nos 30 dias anteriores antes de ser autorizado a entrar.".

A realidade que vivemos com a pandemia de covid-19 é nova para nós mas não é nova para o mundo.

"Como costumo dizer, ciclicamente o ser humano lida com situações desta natureza. A história é boa professora. As medidas de hoje foram as medidas de ontem. Mesmo algumas como o fecho de fronteiras entre países ou o esforço para diminuir as pessoas que circulavam. Não é nova a noção de que quanto mais pessoas estiverem em contato umas com as outras maior será a dimensão do surto.", explica.

Ainda segundo a arqueóloga, " já no combate a outras pestes, verifica-se um esforço de deixar circular apenas quem era indispensável. Trabalhadores agrícolas, forças de segurança como exército ou marinha, padres e madres que muitas vezes auxiliavam nas práticas da medicina, padeiros e vendedores de alimentos. Como vemos embora com séculos de diferença a realidade é bastante semelhante.", conclui.

Joana Freitas, formada em arqueologia pela Universidade do Porto e pela Universidade Autónoma de Barcelona, tem por áreas de estudo a pré-história e a evolução da espécie humana. Membro e sócia da CPAH – Centro de Pesquisas e Análises Heráclito, com sede em Portugal e unidades no Brasil e na Holanda.
De entre dezenas de trabalhos de campo de diversas épocas, os mais importantes foram os trabalhos e estudos nos lugares calcolíticos de Foz Côa. Desenvolve ainda trabalhos nas áreas da arquitetura de terra e a sua presença no desenvolvimento humano.

Como está o seu mindset durante a pandemia?

Rede Lojacorr alerta para o cuidado com a saúde mental e corporal

CURITIBA, ABRIL DE 2020 – LIDE MULTIMÍDIA – Se você é daquelas pessoas que está acumulando uma série de atividades durante o dia e mal tem tempo para pensar na sua saúde mental e corporal, pare já e leia esse texto. Durante a pandemia, os brasileiros estão aprendendo a trabalhar sem chefe em casa, mas com as mesmas metas, sendo professores dos filhos, tendo que brincar e dar atenção aos pequenos mesmo em enquanto trabalham, limpando e cozinhando. Tudo isso junto e misturado. Há também aqueles solitários que mal recebem visitas de parentes. Não é tarefa fácil dar conta dessa situação e não existe a receita de bolo! Entretanto, de acordo com especialistas em psicologia, treinamento e coach, há maneiras de driblar alguns desconfortos.

A Rede Lojacorr, maior rede de corretoras de seguros independentes do País, criou o programa de comportamento mental: “Como você se sente neste período de quarentena?”, um projeto que tem o objetivo de acolher colaboradores e familiares, com apoio e orientação psicoterapêutica à distância, que pode ser em vídeo, voz ou texto.

De acordo com Carolina Quintino (CRP 08/13621), psicóloga da Rede Lojacorr, esse é também um momento de autoconhecimento, aprendizado e crescimento, além de levar esse repertório para outros desafios da vida. Ela explica que em períodos difíceis é natural sentir ansiedade, principalmente quando sensibilizam os três pilares de sustentação humana: biológico, psicológico e social. “O Coronavírus tem sensibilizado essa estrutura deixando o biológico vulnerável, pois ainda estamos aprendendo sobre a melhor maneira de se imunizar. O psicológico porque o momento solicita novos repertórios comportamentais, expõe as pessoas a estresses, perdas ou trocas de fontes de prazer e aciona o sistema de alerta. O social, pois estamos acostumados a nos protegermos em comunidade, e neste momento, estamos em isolamento, privados do contato”, descreve.

Diante deste cenário de privações é muito comum desorganizar o comportamento, principalmente o alimentar. Embora essas reações sejam naturais, segundo a especialista, é possível ter outra maneira de fazer a travessia deste momento focando no autoconhecimento e ter outras ações que possam trazer mudanças positivas e favoráveis em longo prazo. Entre as sugestões da psicóloga estão: 1) estruture/escreva seu CHAVE+FE, quais são seus Conhecimentos, Habilidades, Atitudes, Valores, Emoções, Fé de propósito, de sentido de vida e Expectativas, potencialize essas características, percebe que você as têm e as terá independente das circunstâncias e isso o torna único, 2) focar no que deu certo durante o dia (escrever diariamente ao que você é grato), isso ajuda a liberar dopamina (neurotransmissor relacionado à motivação); 2) brincar com os pets (momento de ensinar alguns truques de adestramento) ou cuidar de plantas, isso pode auxiliar a reduzir o tédio e se sentir importante; 3) olhar para um lugar amplo, se está difícil porque mora em apartamento, olhe para o céu, perceba que há espaço, se a maior parte de seu corpo está em um lugar menor do que estava antes, seus olhos não precisam estar, dê amplitude a eles; 4) tudo bem se as crianças têm passado mais tempo em frente ao celular ou computador para que você consiga trabalhar, desde que seja em equilíbrio entre os 3 Cs do uso da tecnologia (Conexão com as pessoas de afeto que estão longe -aquela ligadinha por vídeo para os avós e amigos da escola- , Criação de novos conhecimentos – aula de idioma, artes e dentre muitos outros ), Consumo de entretenimento (desenhos), menos do que os outros dois e, é claro, compondo com atividades presenciais (pode ser até brincadeiras associadas a rotina da casa, preparar uma gelatina, ou de estética e higiene, hidratar o cabelo - crianças geralmente gostam de texturas como as dos cremes- separar roupas coloridas das brancas para lavar) e também aquelas espontaneamente sugeridas por elas. “Quanto ao comportamento alimentar, buscar fontes novas de satisfação pode auxiliar a reduzir o poder imediato de prazer da comida, principalmente do doce. E aí, todos os outros tópicos citados, podem ajudar juntamente com a importância de estar no aqui e agora, atento a vocês e as várias possibilidades que o momento lhe dá. Estas são algumas sugestões, o importante é você se conhecer, filtrar as informações e personalizar o seu jeito de aprender e crescer com esse período”, conta.

Marlise Ferreira, professional coach, pós-graduada em Psicologia Organizacional e analista comportamental, acrescenta ainda que a respiração consciente é muito importante para o autocontrole, pois organiza os pensamentos, alivia o estresse, amplia a consciência e contribui para a vivência do momento presente. “A respiração mais longa leva mais oxigênio para o cérebro e nos deixa menos confusos e irritados. Quando nos focamos no presente por meio da atenção que damos à nossa respiração, observamos que, lentamente, vamos tomando as rédeas de nossas emoções e acalmando a mente. Experimente agora: encha o pulmão de ar, trazendo do abdômen até o peito, sinta a ampliação nos pulmões que recebe uma maior quantidade de ar. Segure alguns segundos e solte bem devagar, deixando sair ainda mais ar do que entrou. Repita este exercício de 3 a 5 vezes e vai sentir os efeitos imediatamente”, ressalta.

A Rede Lojacorr também estabeleceu há alguns dias o programa de ginástica laboral à distância, para que o quadro de colaboradores não perdesse a rotina de cuidar da sua saúde física, mesmo em home office.

Sobre a Rede Lojacorr: A Lojacorr é a maior Rede de Corretoras de Seguros Independentes do Brasil. Por meio do seu modelo de negócios disruptivo, realiza a intermediação entre corretoras de seguros e as seguradoras, disponibilizando suporte operacional, comercial e estratégico. Fundada em 1996, a empresa se dedica para oferecer as melhores soluções em distribuição de seguros e produtos financeiros às corretoras e clientes. Presente em 22 estados e no Distrito Federal, por meio de 55 Unidades de Negócios, as 360 mil apólices ativas, foram comercializadas por 3.330 profissionais de seguros, que atuam em mais de 3600 municípios. Tendo como sede administrativa, Curitiba (PR) e sede comercial em São Paulo (SP), a Rede Lojacorr conta também com 220 colaboradores. A Rede Lojacorr está entre as empresas emergentes do Sul e é certificada pelo Great Place to Work.

Psicopedagoga dá dicas de como retomar os estudos em casa durante a pandemia

Para pais/responsáveis com filhos em casa nesse momento de isolamento social, tem sido um desafio lidar com tantas atividades pessoais e profissionais. Como conciliar o home office com o homeschooling? Pensando nesse assunto, a mestre em educação e psicopedagoga Ana Regina Caminha Braga deu algumas dicas de como os responsáveis podem agir para tornar esse momento produtivo para ambos.

O chamado homeschooling, (educação domiciliar) é uma prática comum em alguns países, mas no Brasil ainda é uma novidade que gera algumas discordâncias e discussões em torno do assunto. Contudo, neste momento pandêmico, a prática foi a alternativa encontrada pelas escolas para que os alunos continuem e aprendam os conteúdos escolares dentro da realidade de cada um, sem sair de casa e mantendo o isolamento social como solicita a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde.

Algumas escolas optaram por aulas on-line de maneira síncrona (tempo real) com a presença do professor na transmissão do vídeo, no horário em que o aluno estaria na escola; outras enviaram vídeos de forma assíncrona (gravado) para o aluno assistir; e algumas preferiram transmitir as aulas pela televisão. Todas as opções com conteúdo virtual para aproximar os professores dos alunos.

No entanto, com este cenário é necessário contar com a presença e a mediação dos pais/responsáveis ao organizar a rotina semanal do seu filho; para isso acontecer, é preciso dialogar e explicar como acontecerá o novo desafio para todos: escola, aluno e família.

A psicopedagoga reforça que a rotina é parte essencial para colocar o homeschooling em prática e de forma eficiente. O ideal é que os pais/responsáveis estipulem um local específico da casa (se houver a possibilidade) para que o aluno possa ficar durante as aulas, e assim mantenha-se concentrado e organizado para esse momento. “A minha orientação é um lugar calmo, que não seja o quarto, o local em que ficam os brinquedos ou o computador, por exemplo. Dessa forma, o conteúdo será melhor compreendido e o aluno assimilará de forma significativa e consciente o conhecimento proposto”.

Ana Regina contribui também ao destacar a importância de intercalar o estudo com os momentos lúdicos e brincadeiras, afinal, o equilíbrio em tempos de isolamento social é primordial se refletirmos que na escola, a rotina também é dividida com momentos diversificados.

Outro aspecto relevante é os pais/responsáveis manterem a calma na hora de explicar o conteúdo para o filho, sendo um mediador e incentivador. Caso perceba que ele não entendeu, ou você, responsável, não esclareceu a dúvida a contento, é possível anotar a atividade ou dificuldade em questão para saná-la junto ao professor. Outra alternativa é buscar outros meio e ferramentas que sejam mais lúdicas, simples e atrativas.

“Os pais/responsáveis agora podem acompanhar com precisão o planejamento e o trabalho desenvolvido pelos professores em sala de aula, inclusive conhecer os materiais e instrumentos, como diversas atividades, projetos e ludicidade para a construção da aprendizagem do seu filho. Apesar de não vivenciarmos dias estáveis, esse é o momento para que os pais/responsáveis se aproximem ainda mais dos seus filhos, estreitando os laços, passando mais tempo juntos e serem conhecedores conscientes dos conteúdos contemplados e repassados pela escola,” afirma a psicopedagoga.