Apras adere à Campanha #VaiterPáscoa da Abras e Abicab

A poucos dias da celebração da Páscoa e em meio ao isolamento social, a Apras (Associação Paranaense de Supermercados) adere à Campanha #VaiterPáscoa, promovida pela Abras (Associação Brasileira de Supermercados) e pela Abicab (Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas). O objetivo é incentivar a celebração da data e fomentar as vendas dos produtos sazonais com todo o cuidado e o respeito à saúde e à segurança dos consumidores.

A proximidade do consumidor com a data é reiterada por levantamento feito pela Kantar a pedido da Abicab. No último ano, mais de 67% dos lares brasileiros compraram ou ganharam produtos de chocolate nas semanas de Páscoa. E é por isso que as indústrias de chocolate, assim como os pontos de venda, têm ampliado as opções de acesso ao consumidor, com o fortalecimento de canais de venda online, serviços de delivery e entrega por aplicativos. Além disso, os supermercados estão empenhados em garantir um ambiente seguro e protegido aos seus clientes e colaboradores.

A comunicação da campanha mostra às pessoas que, apesar da distância, é possível viver esse momento tão importante com as suas famílias e amigos e que a tecnologia pode ser uma grande aliada para isso. A celebração será diferente, mas “estar longe, não quer dizer não estar junto”, como diz a campanha.

“Neste momento difícil, acho fundamental não desanimarmos e mantermos as celebrações que nos trazem alegria, amor, solidariedade e fé. Além de ser a segunda data mais importante para o varejo, a Páscoa representa o renascimento de Cristo e deve ser usada para fortalecer as pessoas, mesmo para quem não seja cristão, afinal, este é o momento de demonstrarmos o carinho que sentimos uns pelos outros”, afirma o superintendente da Apras, Valmor Rovaris.

Campanha

Criada pela agência NBS, a campanha #VaiterPáscoa será divulgada nas redes sociais e nos pontos de venda.

"Num momento difícil como esse, distância é a palavra da vez. Mas estar longe, não quer dizer não estar junto. Por isso, essa Páscoa vai ter que ser diferente [..]. Vai ter almoço pela internet, reza pela live, música pela janela [...]. Vai ter brinde pelo celular, vai ter abraço virtual, vai ter beijo só de longe. Vai ter alegria de quem não vai desistir nunca. Nesse domingo, #VaiterPáscoa", diz o filme manifesto da campanha.

Nas redes sociais, a campanha #VaiterPáscoa contará com conteúdos para Instagram, Facebook e para a plataforma Youtube, além da veiculação nos canais da Turma do Chocolate, gerenciados pela Abicab. Também haverá ativação nos pontos de venda, com cartazes e um spot de áudio, que estão sendo distribuídos pela Abras para redes supermercadistas em todo o Brasil.

Clique aqui e confira o vídeo da campanha

Mondelēz Brasil faz doação de ovos de chocolate para famílias em vulnerabilidade social

Empresa doou mais de 23 mil ovos distribuídos em associações de Curitiba.

Profissionais de saúde, crianças e seus familiares cadastrados em entidades sociais de Curitiba contarão com uma Páscoa mais doce e feliz. Eles recebem entre sexta-feira e domingo, mais de 23 mil ovos de chocolate doados pela Mondelēz Brasil, dona de marcas como Lacta, Oreo, Trident, Tang, entre outras. A ação acontece por meio do Instituto Pró-Cidadania de Curitiba (IPCC), Provopar e Conselho da Comunidade de Curitiba e Região Metropolitana.

“Para nós, a magia da Páscoa deve ser celebrada e, ainda que estejamos vivenciando um momento tão delicado, é gratificante podermos levar, por meio dos chocolates Lacta, um pouco da alegria na data para tantas famílias”, afirma Maria Claudia Souza, Diretora de Assuntos Corporativos e Governamentais da Mondelēz Brasil.

De acordo com o vice-presidente do IPCC, Arai Bello Filho, sem a parceria da empresa não seria possível realizar a ação. “Temos uma parceria há mais de 10 anos com a Mondelēz Brasil, contribuindo conosco nessas ações. A empresa já faz parte do IPCC e da família dos curitibanos, pois sem eles, não poderíamos oferecer esse chocolate tão significativo nesta época do ano”, ressaltou.

Para a presidente do Provopar, Carlise Kwiatkowski, essa é uma forma de levar mais alegria para as famílias. “As crianças esperam ansiosas o coelhinho da páscoa e com essa parceria, estamos garantindo que esse sonho não acabe. Nossa gratidão à Mondelēz e temos certeza que essa parceria ainda renderá bons frutos”, afirmou.

O Conselho da Comunidade de Curitiba e Região Metropolitana, atende famílias de apenados e também recebeu ovos para doar. Segundo Ricardo Medeiros, representante da instituição, muitas crianças só poderão contar com esse chocolate. “Atendemos famílias em vulnerabilidade social, e a maioria não possui condições de comprar ovos. Tenho certeza que essa doação fará a páscoa de muitas crianças muito mais feliz”, enfatizou.

Seguindo as orientações dos Órgãos de Saúde, nesse ano não foram realizados eventos de distribuição em nenhuma sede das instituições. Os responsáveis também estão orientando para que as entregas nas associações aconteçam de forma organizada com a presença de no máximo um membro da família, dessa forma, reduzindo os riscos de contaminação.

A doação de ovos de Páscoa da Mondelēz Brasil será repassada para mais de 11 associações que atendem famílias carentes, localizadas em Curitiba e Região Metropolitana.

Ao todo, a Mondelēz Brasil irá doar meio milhão de Ovos de Páscoa para instituições e entidades espalhadas pelo Brasil.

Imagens relacionadas

Carlise Kwiatkowski- Presidente Provopar, Arai Bello Filho- vice-presidente IPCC e Ricardo Medeiros- Representante do Conselho da Comunidade da RMC durante a entrega de ovos para entidades sociais
Carlise Kwiatkowski- Presidente Provopar, Arai Bello Filho- vice-presidente IPCC e Ricardo Medeiros- Representante do Conselho da Comunidade da RMC durante a entrega de ovos para entidades sociais

Apesar da pandemia do Novo coronavírus, cardíacos, renais, oncológicos e gestantes devem manter contato com seus médicos

A quarentena orientada pelas autoridades de saúde como medida para reduzir a disseminação do novo coronavírus (Covid-19) alterou drasticamente a rotina de muitas famílias, colocando em dúvida a necessidade de deslocamentos simples como ir ao dentista ou aos hospitais. Os médicos esclarecem que pacientes cardíacos, renais, oncológicos e gestantes devem manter os tratamentos e acompanhamentos de rotina.

O pré-natal, por exemplo, é de extrema importância para mãe e bebê para diagnosticar patologias que possam comprometer o curso normal da gestação. De acordo com o Dr. José Moura, ginecologista do Hospital da Mulher Anchieta, a recomendação é que o Pré-natal possa ser realizado rotineiramente e a paciente possa ter um contato mais próximo com seu médico. “Os dados dessa pandemia nas gestantes ainda estão muito precários e a recomendação é a de que devem evitar aglomerações, manter as medidas de isolamento e evitar contato com pessoas que tenham tido contato com a doença”, explica o ginecologista.

Para as gestantes que estão no final da gravidez, o especialista destaca que não há mudança de orientação em relação a via de parto, vaginal ou cesárea: “Não temos comprovações científicas de transmissão vertical e nem da passagem do vírus pelo leite materno até o momento. As futuras mamães devem seguir as orientações preconizadas pelo Ministério da Saúde e procurar uma maternidade segura para que o nascimento do seu bebê aconteça da melhor forma e sem riscos para o binômio mãe-bebê”.

Os pacientes que fazem tratamentos oncológicos também devem manter as visitas regulares ao médico, de acordo com o oncologista do Hospital do Câncer Anchieta, Dr. Marcos França. “Aqueles pacientes que estão em tratamento quimioterápico, hormonal ou tratamento imunoterápico, precisam manter o seu tratamento porque estão diante de uma situação que é grave, de uma doença que é complexa, talvez não tão aguda como a Covid-19, mas que pode trazer consequências se o tratamento for interrompido”, reforça o oncologista.

Responsável por pacientes cardíacos, um dos grupos de maior vulnerabilidade, o Dr. Thiago Germano, cardiologista do Hospital Anchieta, relembra a importância do isolamento social para reduzir a capacidade de propagação do vírus. No entanto, chama atenção para a importância do acompanhamento de pacientes com patologias cardiovasculares estabelecidas, considerados de alto risco para novos eventos, como por exemplo, reinfarto ou acidente vascular cerebral.

“Estes pacientes devem manter contato com seu cardiologista e relatar de imediato o aparecimento de novos sintomas como dor no peito ou nas costas, tonturas frequentes e cansaço aos esforços”, alerta o cardiologista. De acordo com o Dr. Thiago Germano, os pacientes devem manter os cuidados com a alimentação, evitando o consumo excessivo de sódio, além da necessidade de manter atividade física, reduzindo o ganho de peso.

Pacientes com doenças renais também precisam manter os cuidados com a saúde e o contato com os médicos, de acordo com a Dra. Isabela Novais, nefrologista do Hospital Anchieta. “Pacientes portadores de doença renal crônica dialítica, por exemplo, precisam manter as terapias renais para manutenção da vida e dessa forma precisam continuar se deslocando às Clínicas e Centros de Hemodiálise para a realização do tratamento”, explica.

A médica ressalta que há cuidados para casos suspeitos ou confirmados de Covid-19. “Existem cuidados específicos durante o seu tratamento para evitar o contágio entre os profissionais da saúde e demais pacientes. Nestes casos, os pacientes realizam a diálise em quarto separado, caso esteja disponível, ou mesmo no último turno ”, esclarece.

Medidas de prevenção ao novo coronavírus (Covid-19)

Lavar as mãos com água e sabão ou use álcool em gel;

Cobrir o nariz e a boca com a dobra do cotovelo ao espirrar ou tossir;

Evitar aglomerações;

Manter os ambientes bem ventilados;

Não compartilhar objetos pessoais;

Evitar saídas desnecessárias;

Higienizar roupas e sapatos;

Utilizar lenços de papel;

Manter limpas superfícies tocadas com frequência;

Evitar tocar olhos e boca.

Novo Coronavírus no Brasil

O primeiro caso de morte por Coronavírus no Brasil foi registrado em 23 de janeiro deste ano. De acordo com o Ministério da Saude, até o dia 8 de abril de 2020 foram confirmados em todo o país 15927 casos de Covid-19 e 800 óbitos, com taxa de letalidade de 5%.