Brasileiros aderem à prática da destilação de bebidas em casa

 

  Mini alambique para destilação em casa (à esq.) e o catarinense José Correa destilando em casa

 image007

Os motivos que levam ao hobby vão desde a conquista de novas experiências sensoriais até a economia, já que ao produzir o próprio destilado o interessado pode economizar até 1000%

 

Gim, whisky, rum, cachaça, vodka. Três especialistas em bebidas se reuniram e resolveram abrir para os interessados todos os segredos da produção de destilados, trazendo novos horizontes para o home distilling, em português, destilação em casa.

 

O que antes era somente visto no ramo cervejeiro com a possibilidade de fazer a própria cerveja em casa, a Escola da Cachaça, fundada por Leandro Dias, João Almeida e Arnaldo Ribeiro, iniciou suas operações neste ano e vem mostrando que acertou em cheio ao expandir essa fronteira. Já são mais de 400 alunos formados e até o final de 2018 a expectativa é que este número chegue a dois mil.

 

O movimento que conquistou a Nova Zelândia, Estados Unidos e em alguns países na Europa vem tomando conta dos brasileiros, inclusive dos catarinenses, como é o caso de José Correa, mecânico industrial, de Blumenau. O aluno contou que iniciou o curso por curiosidade neste hobby, que traz a possibilidade de exclusivas experiências sensoriais. “Gostei bastante do curso. Vou me aposentar e pretendo me aprofundar ainda mais para complemento de ganho”, disse Correa.

 

O curso, que é chamado de Mestre dos Destilados, com duração de um mês ensina os conceitos de destilação e o passo a passo de todos os processos. Em 15 dias o aprendiz já consegue fazer o seu primeiro destilado em casa. A cachaça fica pronta em apenas 24 horas. O valor para participar do curso é de R$997,00. Para mais informações, acesse: https://escoladacachaca.com.br/mestredosdestilados-inscreva-se.

 

Além de conquistar exclusivas formas de experiências sensoriais, é possível obter uma economia de até 1000% se comparado a compra de tradicionais rótulos do mercado.

 

As aulas serem 100% online, o aluno ganha de bônus um dia de estágio presencial em um alambique profissional para conhecer todo o processo de uma destilaria.

 

O aluno aprende os conceitos de destilação e o passo a passo de todos os processos. Também será possível saber quais equipamentos são necessários para a fabricação, desde a dorna de fermentação até o alambique. Outros pontos que serão abordados variam entre o processo de fermentação, medidas e quantidades de leveduras para fermentação, potencialização de aromas e sabores até o processo de destilação.

 

Após conhecer todos esses detalhes para a fabricação do próprio destilado, será necessário realizar o investimento em um mini alambique. “Com R$1.200,00 é possível ter a estrutura completa”, comenta Leandro Dias, da Escola da Cachaça.

 

Para lançar o curso de Mestre dos Destilados os empresários pesquisaram o mercado externo. “Para viabilizarmos o projeto tivemos que encontrar as ferramentas certas para a destilação caseira e fomentamos uma rede de fornecedores, principalmente por causa do mini alambique, já que o aluno deveria ter a possibilidade de ter uma estrutura que coubesse dentro da própria casa, sem ocupar espaço exagerado”, explica Dias.

 

Conheça o perfil dos professores e idealizadores do curso:

 

Leandro Dias

Fundador da Middas Cachaça

Criador da única cachaça com flocos de ouro do mundo e idealizador do 1º Congresso Nacional da Cachaça. Começou no mundo da cachaça aos 13 anos de idade quando servia a “bendita” no bar dos avós em troca de poder escolher os doces que ia comer. Vive diariamente no mundo da cachaça, desde a produção até a venda. Co-autor do livro Os Segredos da Cachaça.

 

João Almeida

Jornalista e Sommelier de Cachaças

Profundo conhecedor da cachaça, bartender e criador do blog Brasil No Copo, um dos blogs de maior prestígio e alcance mundial do setor. Também é co-fundador do 1º Congresso Nacional da Cachaça e administrador do grupo Apreciadores de Cachaça no Facebook. Co-autor do livro Os Segredos da Cachaça.

 

Arnaldo Ribeiro

Proprietário do Cana Brasil e Cachaça Taverna de Minas

Considerado um dos gurus da destilação no Brasil, o mestre Arnaldo já treinou mais de quatro mil mestres alambiqueiros em todo o país. Suas técnicas de destilação permitiram com que vários destilados brasileiros conseguissem medalhas internacionais em todos os continentes.

 

Mitos e verdades sobre a destilação em casa

Um dos fundadores da Escola da Cachaça, o especialista Leandro Dias, esclareceu as principais verdades e mitos sobre esta prática. Confira:

 

Mito – Os equipamentos para se fazer o destilado em casa são caros.

Isso é mito. O “alambiquinho”, por exemplo, custa em torno de mil reais. Um kit completo com balde, alambique, sacarímetro, entre outras coisas, sai cerca de R$1200, o que é algo acessível, já que as pessoas podem parcelar também.

 

Verdade – É possível economizar produzindo o próprio destilado?

Sim, é possível obter uma economia de até 1000% se comparado a compra de tradicionais rótulos do mercado.

 

Mito – É necessário um espaço grande para se ter um home distilling.

As pessoas acham que precisa montar o home distilling em um sítio ou fazenda, mas não é nada disso. É possível montar em uma mesa de um apartamento.

 

Verdade – A bebida feita por meio da destilação em casa é personalizada?

A bebida que o aluno vai produzir em casa, nunca será igual a nenhum outro rótulo disponível no mundo. É algo extremamente personalizado, já que a própria pessoa fará o processo de fermentação, destilação, envelhecimento e o blend (mistura de ingredientes).

 

Mito – As pessoas acham que é muito difícil fazer as suas próprias bebidas destiladas.

É difícil quando você não conhece as técnicas. No home distilling é ensinado a receita de procedimentos a serem executados. Qualquer pessoa, independente da idade, consegue fazer.

 

Verdade – É possível iniciar um negócio ao fazer a destilação em casa?

Como empreendedorismo, a pessoa pode começar a aprender as técnicas em um mini alambique, já que no home distilling as técnicas de produção são as mesmas de um alambique profissional, considerando a maneira que fermenta e destila. Tudo o que é ensinado é praticado em grande escala. O aluno estará apto a montar a própria destilaria ou trabalhar em uma.

 

Mito – É perigoso destilar bebidas em casa.

O mesmo cuidado que você tem para fazer um arroz na sua casa é o mesmo cuidado que você vai ter que ter ao fazer o seu destilado. O alambique é um sistema aberto, não é como a panela de pressão. Não há perigo de explodir, por exemplo.

 

Mito – Há dificuldades em conseguir a matéria prima para a produção de destilados.

Há muitos fornecedores no Brasil, não sendo isso um impeditivo.

*com divulgação

 

 

Categorias:AGÊNCIAS DE COMUNICAÇÃO, AGENDA DA SEMANA, AGENDA DO FIM DE SEMANA, BARES, Bebidas, BELEZA, BRASIL, COLUNA VANESSA MALUCELLI, DIVIRTA-SE, FREE LIFESTYLE, GASTRONOMIA, LANÇAMENTOSTags:, , , , , , , , , , , ,

VanessaMalucelliAndersen

Colunista do Site — Divirta-se Curitiba!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s