Sistema de Transmissão Gralha Azul conclui a instalação da primeira torre no Paraná

O projeto contempla mais de duas mil torres que serão implementadas em 27 municípios do Estado

Curitiba, julho de 2020 – Foi concluída, na última semana, a montagem da primeira torre do Sistema de Transmissão Gralha Azul. A instalação, no trecho Ivaiporã-Ponta Grossa, marca o início de uma nova etapa das obras de implantação do projeto, que tem como objetivo melhorar a qualidade do fornecimento de energia na região Centro-Sul do Paraná.
Com aproximadamente mil quilômetros de extensão de linhas de transmissão e 2,2 mil torres, as obras do ST Gralha Azul passarão por 27 municípios paranaenses, movimentando cerca de cinco mil vagas de emprego ainda em 2020. Em execução pela ENGIE desde setembro de 2019, o projeto tem investimento de R$ 2 bilhões e contempla, além de 15 linhas de transmissão, a construção de cinco novas subestações de energia e cinco ampliações de subestações já existentes. A previsão é que o Sistema seja concluído em 2021, com a operação escalonada iniciando no mês de julho.
“Esse projeto contribui para o desenvolvimento local, com um reforço de suprimento de energia. As empresas da região precisam desse reforço para seus negócios. Isso gera empregos, renda, desenvolvimento, de forma sustentável. Para implementar um projeto desse porte, precisamos ter mais de 200 licenças, como as ambientais e de proteção cultural”, destaca Márcio Daian Neves, diretor de implementação do ST Gralha Azul. Ele ressalta que o projeto contempla a identificação, proteção e conservação do patrimônio arqueológico, além de incentivos à pesquisa científica nas regiões interceptadas pelas obras. “Esse projeto – considerado de utilidade pública – vem sendo desenvolvido em total conformidade com a legislação ambiental vigente, acompanhado do diálogo contínuo com as comunidades locais”, afirma.
Presente no Paraná e no Brasil desde 1998, a ENGIE tem no respeito ao meio ambiente um valor fundamental, que, junto à responsabilidade social, orienta todos os seus projetos, como o Sistema de Transmissão Gralha Azul. “A Companhia opera usinas hidrelétricas que integram a história do Paraná, contribuindo para o desenvolvimento socioeconômico do Estado e também para a conservação dos recursos naturais nas regiões onde estão inseridas. O Sistema de Transmissão Gralha Azul se soma, agora, a essa contribuição”, completa.

No dia dos Pais, o melhor presente é um kit de vinhos

Vinhos da Wine To You e Rosé Piscine são sugestões para as comemorações
downloadAttachment&Message%5Buid%5D=174796&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253CFR1P152MB3002AAF8FBBCB3653826BBBCE3720%2540FR1P152MB3002.LAMP152.PROD.OUTLOOK.COM%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3CFR1P152MB3002AAF8FBBCB3653826BBBCE3720%40FR1P152MB3002.LAMP152.PROD.OUTLOOK.COM%3E-1.3downloadAttachment&Message%5Buid%5D=174796&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253CFR1P152MB3002AAF8FBBCB3653826BBBCE3720%2540FR1P152MB3002.LAMP152.PROD.OUTLOOK.COM%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3CFR1P152MB3002AAF8FBBCB3653826BBBCE3720%40FR1P152MB3002.LAMP152.PROD.OUTLOOK.COM%3E-1.4downloadAttachment&Message%5Buid%5D=174796&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253CFR1P152MB3002AAF8FBBCB3653826BBBCE3720%2540FR1P152MB3002.LAMP152.PROD.OUTLOOK.COM%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3CFR1P152MB3002AAF8FBBCB3653826BBBCE3720%40FR1P152MB3002.LAMP152.PROD.OUTLOOK.COM%3E-1.5
No dia 9 de agosto é comemorado o Dia dos Pais e a Wine To You, responsável peala importação do vinho francês Rosé Piscine criou uma série de kits especiais que prometem agradar os mais diferentes estilos de pais enólogos e você ainda pode degustar o rótulo ao lado do grande homenageado além de compartilhar boas conversas.

Com a facilidade de comprar pela internet e receber em casa, o primeiro kit traz uma garrafa do Rosé Piscine Stripes, que por dois anos foi o vinho rosé francês mais vendido do Brasil, acompanhado de uma bag de Neoprene perfeita para levar o seu vinho para onde desejar com segurança, praticidade e para conservar a temperatura da sua bebida por mais tempo. Por R$ 263,30, o kit ainda contempla uma garrafa de Tarani Cahors Malbec, conhecido como “vinho negro” devido a sua coloração intensa e escura, proveniente de um processo em que uma grande fração do suco fermentado é fervida. Essa variedade de vinho denota taninos mais aveludados, consequência das técnicas de vinificação empregadas.

No segundo kit, por R$ 319,15 o pai leva pra casa uma garrafa da Rosé Piscine Stripes, o espumante da marca Rosé Piscine Freez, também feito para ser degustado com duas pedrinhas de gelo e ideal para ser degustado como aperitivo. Para acompanhar o kit, uma Champanheira Rosé Piscine para 1 garrafa perfeita para os momentos de celebração.

Com valor de R$ 300,50, o último kit de Dia dos Pais da Wine To You inclui três vinhos tintos. Além de uma garrafa do Tarani Cahors Malbec; o kit inclui o exclusivo Tarani Reserve Cahors Malbec, ideal para ser degustado em momentos especiais e um Sang-Mêlé, vinho conhecido por sua intensidade aromática marcada por aromas de cerejas kirsch.

Para mais informações acesse www.rosepiscine.com.br e siga o perfil @rosepiscineoficial, no Instagram.

Serviço
www.rosepiscine.com.br
Instagram: @rosepiscineoficial
euquero@rosepiscine.com.br
Telefone: (11) 3122-9500 | (11) 94353-5739
Descubra esse novo universo onde as bolhas são as rainhas do momento.

Sobre o Rosé Piscine
O Rosé Piscine é uma bebida sofisticada e irreverente, já que possibilita ao consumidor degustar o vinho de forma diferenciada – com duas a três pedras de gelo. Feito sob medida para aqueles que gostam de drinques refrescantes, ele é composto por 100% de uva Negrette, traz graduação alcoólica de 11% e deve ser consumido em uma temperatura que varia entre 6 e 8 graus. Seu aroma é levemente frutado, com notas de pêssego, limão e morango e traz um sabor com toque de lichia, mistura que proporciona um final exótico para quem o aprecia. Reconhecido como o primeiro vinho rosé do mundo a ser bebido com cubos de gelo, Rosé Piscine tem se tornado cada vez mais uma das preferências dos brasileiros, sendo o vinho francês importado mais vendido no Brasil, em 2018 –, segundo dados da Ideal Consulting. Seu rótulo colorido, com listras azuis e brancas, a garrafa se destaca em qualquer lugar que é exibida. Este refrescante vinho foi criado em Saint-Tropez e produzido na região sudoeste da França, país onde a bebida vende mais de um milhão de garrafas por ano.

UFPR assina protocolo para início de testes da vacina contra a Covid-19

A Universidade Federal do Paraná (UFPR) assinou na última sexta-feira, dia 24, um acordo de parceria técnico-cientifica com o Instituto Butantan, de São Paulo. Essa cooperação permitirá o início da fase 3, em humanos, dos testes da vacina contra o novo coronavírus no Complexo Hospital de Clínicas (CHC).

O complexo é uma das 12 instituições brasileiras que serão responsáveis pelos testes da CoronaVac, uma vacina produzida na China e que é uma das mais promissoras contra o novo coronavírus em todo o mundo. O Butantan enviará ao CHC as doses da vacina produzida pela empresa Sinovac Biotech para a realização de testes clínicos em voluntários, com o objetivo de demonstrar sua eficácia e segurança.

Participaram da assinatura o reitor da UFPR, Ricardo Marcelo Fonseca; a vice-reitora Graciela Bolzon de Muniz; a superintendente do CHC, Claudete Reggiani; a professora do Departamento de Saúde Coletiva e chefe da Unidade de Infectologia do CHC, Sonia Raboni; e Rosires Pereira de Andrade, gerente de ensino e pesquisa do CHC.

Um grupo de pesquisadores liderados por Raboni selecionará 850 voluntários entre trabalhadores da linha de frente contra a Covid-19. Metade dos voluntários receberá a vacina, feita com o vírus inativado quimicamente, para estimular a produção de anticorpos. Outra metade receberá um placebo, substância sem efeito direto para a doença. Depois de 14 dias, haverá uma segunda dose.

Após esse período, a equipe do CHC acompanhará os voluntários por até 16 meses, monitorando quem desenvolveu sintomas de Covid ou anticorpos contra o vírus nos dois grupos, em consultas e coletas de sangue. “Se houver maior prevalência de doentes entre os que não receberam a vacina, será possível constatar a eficácia da vacina para quem a recebeu”, explica Raboni. O estudo é duplo-cego, ou seja, nem o profissional do CHC responsável pela aplicação, nem os voluntários saberão se a aplicação é de vacina ou de placebo.

Os interessados em participar dos testes podem acessar a página do Instituto Butantan em que há uma série de perguntas e respostas para triagem. Se a pessoa se encaixar no perfil, é orientada a entrar em contato com o grupo do CHC para agendamento da consulta presencial, pelo email sinovac@hc.ufpr.br e pelo whatsapp (41) 98522-5146.
Durante a consulta, a equipe analisará as respostas do questionário e realizará outros exames para verificar se o voluntário pode participar da pesquisa. A triagem dos voluntários e a aplicação da vacina começam na próxima segunda-feira, dia 03 de agosto.

Os testes da CoronaVac no CHC juntam-se a outros 27 estudos sobre a Covid-19 que estão em andamento dentro do complexo, o que reforça a sua importância nas pesquisas da área de saúde, de acordo com a superintendente Claudete Reggiani. “Nesse momento, atuar em pesquisa nas áreas mais promissoras, é um grande orgulho”, sintetiza.Para o reitor da UFPR, a escolha da instituição para realização dos testes reflete o conhecimento científico já estabelecido pela universidade. “Os testes da vacina chinesa reforçam o protagonismo que a universidade pública tem em situações de emergência, contribuindo para uma solução de saída da crise da pandemia”, ressalta Ricardo Marcelo Fonseca.

Links

Matéria completa - https://www.ufpr.br/portalufpr/noticias/ufpr-assina-protocolo-para-inicio-de-testes-da-vacina-contra-a-covid-19/ Site de avaliação do Instituto Butantan - https://app.profiscov.com/avaliacao
Anexos

Participaram da assinatura (da esquerda para a direita) Rosires Pereira de Andrade, gerente de ensino e pesquisa do CHC; a vice-reitora da UFPR, Graciela Inês Bolzon de Muniz; o reitor da UFPR, Ricardo Marcelo Fonseca; a superintendente do CHC, Claudete Re
Convênio permitirá o início da fase 3 de testes no complexo CHC. Foto: Marcos Solivan

SANTA CASA PROMOVE CAMPANHA PARA ARRECADAR FUNDOS PARA ATENDIMENTO À COVID 19

Ocupação de leitos exclusivos para COVID aumentou nas últimas semanas e despesas com materiais e insumos também cresceu

A Santa Casa de Curitiba é um dos hospitais que está na linha de frente no atendimento a pacientes com o novo coronavírus e, com a abertura do novo Hospital especializado em tratamento da Covid, em julho, soma hoje 130 leitos exclusivos SUS para atendimento à doença, o maior de toda a cidade.

Para um atendimento desse porte, houve um aumento significativo nos custos do hospital, que precisou reforçar compra de EPIs, equipamentos e insumos, como álcool gel, além de intensificar os procedimentos de assepsia de leitos, enxovais e roupas usadas pelos profissionais – medidas essenciais para evitar a contaminação de pacientes e profissionais. Por isso, o hospital deu início à Campanha Santa Casa a Favor da Vida, cujo objetivo é arrecadar R$ 3 milhões que serão destinados ao custeio dessas despesas até o fim da pandemia. Até o momento, com ajuda de empresas, desde abril, quase metade deste valor já foi arrecadado, com o qual foi possível adquirir novos respiradores e monitores cardíacos e inaugurar uma nova UTI com 10 leitos.

Com o apoio do LIDE Paraná (Grupo de Líderes Empresariais), que abraçou a campanha e vem dialogando com empresários e outros representantes de segmentos da sociedade que podem contribuir neste momento, a meta é atingir a marca de 3 milhões. Para a presidente do Lide Paraná, Heloisa Garrett, "É fundamental que as empresas e a comunidade ajudem nesta situação emergencial. Vemos que os casos são crescentes e os insumos não estão sendo suficientes. Como entidade estamos mobilizados para levantar recursos para que a Santa Casa consiga atender todos os seus pacientes, sem faltar nenhum insumo", destaca.

NOVO HOSPITAL ESPECIALIZADO EM TRATAMENTO DA COVID

A Santa Casa assumiu neste mês de julho a gestão (em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba) do novo hospital especializado em tratamento da COVID - instalado no antigo Instituto de Medicina, no Alto XV. Nesta unidade, estão em funcionamento 110 leitos, sendo 60 de enfermaria e 50 de UTI, todos para pacientes do SUS.

Segundo o diretor-geral da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Curitiba, Eduardo Otoni, a estimativa é de que em apenas um trimestre mais de 1.000 pacientes sejam assistidos nesta nova unidade. “Estruturamos o antigo Instituto de Medicina, que possui mais de 3,2 mil m2 de área construída, para atender em média 340 pacientes/mês. Foi um trabalho árduo e rápido, já que a necessidade de abertura desses leitos era urgente devido ao aumento de novos casos de covid nas últimas semanas”, destaca o diretor.

Até então, a Santa Casa já vinha atuando na linha de frente com 20 leitos exclusivos para atendimento covid a pacientes do SUS, sendo 10 de UTI e 10 em enfermaria. Com a queda das temperaturas no fim de maio, foram vários os dias em que a ocupação desses leitos atingiu 100%.

Hoje, somados, são 130 leitos exclusivos SUS, prontos para atender a população neste período de pico da pandemia na cidade.

DOAÇÕES

Para ajudar a Santa Casa na Campanha Santa Casa a Favor da Vida é simples. Pelo link http://santacasacuritiba.com.br/santacasaafavordavida/ é possível entrar em uma aba descrita como "Doação" em que o participante escolhe como prefere contribuir: pelo Botão pagseguro, Paypal, Conta bancária do Bradesco do Hospital ou Cartão. Podem doar pessoas físicas e jurídicas e não há valores fixos para a doação. Qualquer quantia é bem-vinda.

Com a abertura da nova unidade, a necessidade de compra de itens de proteção e segurança torna-se ainda mais importante. Por isso, o hospital continua contando com o apoio daqueles que puderem ajudar.

Serviço:
Setor de captação de recursos da Santa Casa
Telefone: (41) 3271-5721
Celular / WhatsApp: (41) 99177-6299
E-mail: doesantacasa@santacasacuritiba.com.br
Depósitos bancários:
Banco: Bradesco (237) Agência: 3645
Conta corrente: 6156-5
CNPJ: 76.613.835/0001-89
Razão Social: Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Curitiba

A importância da nutrição na mielomeningocele é tema de live no Instagram

A nutricionista Angela Federau é convidada de Kelly Cavalcanti, presidente da APSAM - Associação Paranaense Superando a Mielomeningocele, o evento acontece quarta-feira (29), às 19h30

Comando News, 27 de julho de 2020 - A nutricionista Angela Federau é a convidada de Kelly Cavalcanti, presidente da APSAM - Associação Paranaense Superando a Mielomeningocele, para live sobre a importância da nutrição na mielomeningocele. O evento acontece quarta-feira (29), às 19h30, nos perfis da @angelafederau.nutri e @superando_mielo no Instagram

A mielomeningocele tem sua origem em um defeito no tubo neural do feto ainda na gestação. O principal fator influenciador dessa malformação congênita é a carência de ácido fólico no início da gestação. Por isso, a nutrição tem um papel fundamental em todas as fases da vida de uma pessoa com mielomenigocele. “A mielomemingocele traz consigo algumas características físicas, nas quais a nutrição exerce papel fundamental como o correto funcionamento intestinal, melhora da qualidade renal e urinária (na bexiga e intestino neurogênicos), aumento do tônus e força muscular e melhor construção óssea e articular. Além disso, auxilia na resposta emocional, metabólica e melhora à adesão e resposta às terapias” afirma Angela Federau, nutricionista.

Serviço
Live - A importância da nutrição na mielomeningocele
Data: Quarta-feira, 29, às 19h30
Local: Instagram @angelafederau.nutri e @superando_mielo
Sobre Angela Federau
Angela Federau é nutricionista clínica (CRN-8: 5047), pós-graduada em fitoterapia aplicada à nutrição, especializada em nutrição funcional, pediátrica e escolar. Atua como professora de nutripediatria na pós-graduação de medicina da Faculdade Inspirar, participa como convidada de pesquisas científicas e genéticas da UFPR como o mapeamento e estudo genético da comunidade Menonita e é revisora de artigos científicos e textos para sites médicos. É palestrante, escritora de livros, artigos e colunas em jornais e revistas. Nutricionista responsável pela APSAM - Associação Paranaense Superando a Mielomeningocele. Além disso, a nutricionista é empresária do segmento alimentício e atua como parceira da Polícia Militar do Paraná e de clínicas de fertilidade.

Sobre APSAM - Associação Paranaense Superando a Mielomeningocele

A Associação Paranaense Superando a Mielomeningocele (APSAM) foi criada com o intuito de colaborar com as famílias destes pacientes para que tenham acesso aos melhores tratamentos existentes, pois sabe-se que o cuidado iniciado desde a sua vida intrauterina reduz muito as possíveis sequelas desta malformação, o que repercute sobremaneira na qualidade de vida desta família e da própria criança.

Além disso, os gastos financeiros e o tempo dispendido em terapias se tornam muito menores, possibilitando que o cuidador desta criança possa trabalhar, além da chance real da própria criança se tornar produtiva e independente no futuro.

Do contrário, quando a família não tem acesso às terapias necessárias as consequências podem ser desastrosas, como sequelas neurológicas importantes, insuficiência renal crônica e comprometimentos ortopédicos graves.

Oito capitais brasileiras, incluindo as do Sul, estão longe do pico de mortalidade de Covid-19, indica sistema ModInterv

Sistema baseado em modelo matemática desenvolvido por rede de pesquisadores da UFPR, UFPE e UFS aponta que Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre regrediram no combate à doença, enquanto Recife e Belém já ultrapassaram o pico de mortes

26478_curitiba_prefeitura_reforca_limpeza_dos_22_terminais_da_cidade_contra_o_covid_19_foto_luiz_costa_smcs_30_3_20_6_3190599039758105404.jpg
Curitiba, Porto Alegre e Florianópolis estão entre as capitais brasileiras que mostram, nesta segunda metade de julho, distância em relação ao pico da mortalidade por Covid-19, o que indica retração do combate à pandemia. A análise é baseada no ModInterv, sistema para projeções criado por pesquisadores de áreas de Exatas das universidades federais do Paraná (UFPR), Pernambuco (UFPE) e Sergipe (UFS). Segundo o sistema, a situação ocorre também com outras cinco capitais: Goiânia, Belo Horizonte, Campo Grande, João Pessoa e Brasília. A avaliação foi registrada em artigo no banco de pré-prints da Scielo e considera a situação das 27 capitais no dia 19 de julho (que vem se mantendo desde então).

Segundo os cientistas, as oito capitais mencionadas estão com a curva acumulada de mortalidade em ascensão, seja ela mais ou menos acentuada. Considerando que todos os estados brasileiros tinham mortes confirmadas por Covid-19 já na primeira quinzena de abril, o cenário sugere que as cidades estão falhando nas medidas de combate (o que faz com que a curva permaneça ascendente desde o início) ou houve retrocessos no combate ao vírus por causa do afrouxamento de medidas de prevenção.

Nesse último caso, é possível notar uma mudança de rumo na curva dos gráficos de mortalidade que os autores do trabalho chamaram de “relargada”.

“Em Curitiba foi o que aconteceu, certamente, porque a curva de óbitos da cidade parecia perto de ponto de inflexão para formar o platô e houve a ‘relargada’ no fim de junho. É um quadro parecido como o das outras capitais do Sul”, avalia o professor Giovani Vasconcelos, do Departamento de Física da UFPR, que faz parte da Rede Cooperativa de Pesquisa em Modelagem da Epidemia de Covid-19 e Intervenções não Farmacológicas (Modinterv), criadora do sistema. “É diferente de cidades que estão na mesma situação porque a curva sempre mostrou crescimento, caso de João Pessoa”.

Saturação

Recife e Belém são as únicas capitais já na fase de saturação, ou seja, que atingiram o pico de mortes, o que significa que o gráfico de óbitos tende a formar um platô que aponta regressão da pandemia — a linha reta significa que as mortes pela pandemia pararam de se acumular. As outras 17 capitais se encontram em situação de combate à pandemia (curvas de óbitos em ritmo desacelerado, próximas do ponto de inflexão).

Desse último grupo, Maceió é a que parece mais propensa a alcançar a mesma situação das outras duas cidades nordestinas. É preciso cautela, porém, já que a piora do cenário tem se mostrado mais rápida e fácil do que o contrário. “O gráfico da capital alagoana é exemplo de como a situação é dinâmica: no domingo passado, o modelo que prevê saturação ainda não ‘convergia’ para Maceió”, explica Vasconcelos. A instabilidade fica mais clara quando se analisa o motivo pelo qual Maceió ainda não faz parte do mesmo grupo que Recife e Belém: aumentos esporádicos no número de mortes neste fim de julho, que têm adiado a inflexão da curva de óbitos e a formação do platô.

Mudanças bruscas

Da mesma forma Recife e Belém devem manter cautela, afirma o professor Raydonal Ospina, do Departamento de Estatística da UFPE e membro da rede de pesquisa. Entre as duas cidades, Recife tem números melhores no que diz respeito à taxa de mortalidade por milhão de habitantes (126,63 óbitos por 100 mil habitantes no último dia 26, contra 137,93 de Belém segundo a plataforma Brasil.io) e apresenta uma aproximação mais rápida em relação ao que se pode considerar o fim da pandemia. Ospina ressalta que a capital pernambucana Implementou em meados de maio um “lockdown”, com fechamento de escolas, comércio e serviços não essenciais, assim como do acesso às praias.

O município também fez campanhas de conscientização — obtendo altos índices de cidadãos adeptos do isolamento social — e criou grupos de trabalho com a participação de cientistas para planejar a reação à escalada de mortes. Para o professor, os resultados dessas medidas parecem se refletir nas estatísticas. Por outro lado, há o risco de uma reabertura precoce, como a decretada neste mês, suscitar uma “relargada” como a vivenciada pelas capitais sulistas.

“Ter chegado ao platô ou à fase de saturação não implica que estamos terminando. Indica que as medidas de prevenção têm sido adequadas a fim de manter o número de óbitos controlados. Mas isso assumindo que as condições se mantenham. Se mudar as medidas de contenção da doença, por exemplo, relaxando o quadro, a doença pode recrudescer. Sem vacina fica muito difícil pensar em fim de epidemia”, analisa.

Aplicativo

O sistema ModInterv se baseia em um modelo matemática descrito em um artigo científico publicado em maio na revista “PeerJ”, focada em ciências da vida e ambientais. A inovação do modelo é a capacidade de adaptação da sua fórmula, que permite fazer projeções em diferentes cenários e localidades, desde que a hipótese de um tratamento farmacológico específico para a doença esteja
fora da equação.

Em breve o ModInterv poderá ser acessado, por qualquer interessado, por meio de um aplicativo para celulares batizado com o nome do sistema. Assim como na ferramenta on-line, o aplicativo permitirá escolher curva (contágio ou óbitos) e localidade (cidade, estado ou país). Há ainda a opção de gerar imagens dos gráficos para download.

O aplicativo foi desenvolvido por pós-graduandos dos programas de Física da UFPE e pesquisadores dos Departamentos de Física da UFS e da UFPR. O lançamento ocorreu durante um seminário on-line, em junho. Atualmente o app está em fase de avaliação pela Google Play Store.

LINKS

Matéria no Portal da UFPR (com gráficos): https://bit.ly/3hJBOym

Acesso ao sistema: http://fisica.ufpr.br/modinterv/

Artigo "Recife and Belém are currently the only capitals that are already in the saturation phase of Covid-19 in Brazil" (2020), no Scielo Preprints: https://preprints.scielo.org/index.php/scielo/preprint/view/1001

Matéria no Portal da UFPR com explicação da metodologia: https://bit.ly/2VTGyrH

Legenda da foto: "Para pesquisadores da Rede ModInterv, Curitiba teve retrocessos no combate à mortalidade por Covid-19 aparentes no gráfico no fim de junho e passou a ter um ritmo de crescimento ainda maior do que no início da pandemia. Foto: Luiz Costa/SMCS, 30/3/2020"

Centro de Oncologia do Paraná lança campanha “Faça a Diferença”

Colaboradores criaram vídeo para arrecadar doações e ajudar famílias em situação de vulnerabilidade social

O Centro de Oncologia do Paraná lançou a campanha “Faça a Diferença”. O objetivo é ajudar as famílias de Curitiba que estão em situação de vulnerabilidade social com alimentos não perecíveis, agasalhos e produtos de higiene. A iniciativa estará ativa durante os meses de julho e agosto.
Colaboradores da clínica se mobilizaram e produziram um vídeo para chamar atenção da comunidade sobre a importância da ação, principalmente neste momento de crise econômica causada pela pandemia da Covid-19.
A mobilização tem dado certo. Em menos de 15 dias já foram arrecadados mais de 200 quilos de alimentos e 100 peças de roupas. As doações estão vindo de pacientes, familiares e mesmo dos colaboradores da clínica, que fazem uma disputa saudável para ver quem leva mais donativos.
As doações estão sendo recebidas nas três unidades do Centro de Oncologia do Paraná: Saldanha Marinho, Oncoville e São José dos Pinhais, durante o horário normal de funcionamento.

Serviço
Campanha “Faça a Diferença”
Local: Centro de Oncologia do Paraná
- Unidade Oncoville
Endereço: BR 277, 1437, Ecoville - 2º Andar – Curitiba
Horário: de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h30.

- Unidade Saldanha Marinho
Endereço: Rua Saldanha Marinho, 2167 - Bigorrilho - Curitiba
Horário: de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h30.

- Unidade São José dos Pinhais
Endereço: Rua Alcídio Vianna, 916 - Centro - São José dos Pinhais - PR-
10º andar. Edifício The One
Horário: de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 18h.

DOCE LOVERS: Confira os doces mais doces do Shopping Mueller

Os cafés do Mueller estão atendendo com as deliciosas tortas, bolos e doces

Quando bate aquela vontade de um doce, os cafés do Shopping Mueller apresentam diversas sugestões. Seja para aquela sobremesa após o almoço ou um lanchinho no final da tarde, os restaurantes estão atendendo por delivery, take away, drive thru ou para comer no local com toda a segurança que o Mueller oferece.

Exclusivo em Curitiba, a Dark Sugar é especialista em donuts artesanais com diversos sabores. Os clássicos sabores de chocolate, baunilha e goiabada também são acompanhados com recheios de framboesas, amora ou marshmellow, em diversas combinações, e muitos outros sabores. Os pedidos podem ser feitos por WhatsApp através do número (41) 98870-5436, a loja está no piso L2.

Tradicionais pelas suas tortas e bolos, a Bella Gula mantém as primeiras receitas da franquia, há 27 anos. Os sabores Mesclado, Nega Maluca e a Torta de Limão fazem sucesso entre os clientes. Os pedidos e encomendas pode ser feita pelo número (41) 98838-1143 e o café está localizado no piso L1.

Além dos clássicos donuts e as tortas, no Mueller é possível tomar aquele delicioso café na Kopenhagem, Casa Bauducco, Casa do Pão de Queijo e no AuAu Café.

SERVIÇO:
Shopping Mueller
Local: Avenida Cândido de Abreu, 127 - Centro Cívico, Curitiba (PR)
Telefone: 41 3074-1000
Informações: www.shoppingmueller.com.br
Facebook: www.facebook.com/MuellerCtba
Instagram: @muellercwb

Amanhã: Live solidária com Ricardo Amorim, Clóvis Arns e diretores imobiliários

Irão debater cenário atual e ajudar diretamente no combate à pandemia

O movimento W/Move, da W/Investments e parceiros, irá contribuir com o projeto 'O amor Contagia', que beneficia hospitais, lares e asilos paranaenses

No dia 28 de julho (terça-feira), às 19h, o economista Ricardo Amorim se unirá ao presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia, Clóvis Arns da Cunha, e aos diretores da W/Investiments, GT Building, Laguna e AG7 em uma live nas redes sociais. O encontro tem o objetivo de discutir como a pandemia está impactando o mercado imobiliário, e também anunciar o projeto W/MOVE, que une as empresas citadas em prol de uma nobre atitude: beneficiar financeiramente hospitais, lares e asilos paranaenses por meio da campanha O Amor Contagia.

Rodrigo Mendes de Camargo, sócio-diretor da W/Investments e um dos idealizadores da W/Move, afirma que o movimento foi criado com a intenção de unir forças para contribuir com a sociedade pelos vieses da saúde e da economia. “Por conta da pandemia, muitas pessoas estão considerando que esses setores estão em lados opostos ou anulam um ao outro. No entanto, queremos mostrar que é possível existir um equilíbrio por meio de atitudes responsáveis e verdadeira contribuição social. Queremos estimular a economia, ajudar a saúde e contagiar o amor”, reflete.

A contribuição a qual Camargo se refere está diretamente ligada às empresas que fazem parte do projeto, que são: GT Building, Laguna e AG7. As incorporadoras imobiliárias se uniram ao W/MOVE e, por conta disso, irão doar parte dos valores das vendas de imóveis de todos os empreendimentos até o final de 2020 para o projeto O Amor Contagia. A W/Investments também irá doar uma porcentagem do faturamento. Durante a live, os espectadores também poderão fazer a sua parte.

O CEO da GT Building, Geninho Thomé, ressalta a importância da construção civil em toda a esfera econômica e aponta para a relevância de empresas de grande porte desse setor agirem em favor da sociedade. “A construção civil é uma área fundamental em âmbito econômico e social, pois é responsável pela geração de diversos empregos diretos e indiretos e, consequentemente, pelo mantimento de milhares de famílias. O impacto que o novo coronavírus vem causando é inegável, porém, o mercado imobiliário é uma potência que tem tido reflexos menos severos, o que comprova a força do setor”, reforça.

Thomé propõe que, nesse sentido, o movimento W/MOVE vem para demonstrar que é preciso movimentação, pró-atividade e comprometimento para contribuir efetivamente com a sociedade. “É com essa união de forças que conseguiremos promover, por meio da construção civil, o desenvolvimento de ações de saúde para conter a pandemia e estimular uma atuação mais justa e voltada àqueles que realmente precisam”, conclui.

Boas ações

Desde o início da pandemia, empresas de diversos segmentos têm doado bens materiais e financeiros para ajudar a conter as dificuldades que hospitais e projetos sociais estão enfrentando. A GT Building beneficiou a Santa Casa de Misericórdia de Curitiba com 200 mil reais que foram revertidos para a compra de novos respiradores e monitores. A AG7, por sua vez, está promovendo lives com vários especialistas para oferecer conhecimento e conteúdo durante o isolamento social.

De acordo com o site Monitor de Doações, que contabiliza semanalmente a quantidade de empresas e a valoração doada desde o início da pandemia no Brasil, mais de seis bilhões de reais beneficiaram diversas instituições por meio de mais de 400 mil empresas ou doadores individuais.

Serviço

Live Ricardo Amorim, Clóvis Arns Cunha e integrantes W/MOVE

Data: 28 de julho, terça-feira

Horário: 19h

Canal: YouTube da W/Investments, Facebook da W/Investments ou Instagram da W/Investments

Para saber mais e doar: W/MOVE

Para saber mais e doar: O Amor Contagia

Sobre a GT Building

A partir de um conceito inovador, aliado à tecnologia, modernidade, qualidade e diferentes projetos de vida, a GT Building faz parte do grupo GT Company, que desde 2017 empreende no setor imobiliário em Curitiba por meio da GT Invest. Com foco na construção de alta qualidade e na excleência por meio de ideias inovadoras guiadas pelas mãos dos líderes, a incorporadora chega como uma das maiores empresas do ramo no Paraná, com 20 empreendimentos em diferentes fases, entre eles o Denmark, Bosco Centrale, o Maison Alto da Glória e o Fly Top Life, em Londrina. Para saber mais, acesse: www.gtbuilding.com.br