O desafiante Leonardo ‘Macarrão’: dor, superação e volta por cima no BRAVE CF

Distrito de Seef, Bahrein - 5 de Janeiro de 2021

O desafiante ao cinturão peso super leve do BRAVE Combat Federation Leonardo “Mafra” Macarrão chegou ao BRAVE Combat Federation em 2017 cercado de expectativas. Sendo um rosto familiar para a comunidade do MMA internacional, Macarrão foi membro do TUF Brasil 1 e é tido como um dos mais importantes representantes do MMA do sul brasileiro.

Mas toda essa expectativa acabou se tornando decepção e desespero. Assim que ele entrou no cage do BRAVE CF pela primeira vez, em maio de 2018, Macarrão não foi capaz de se apresentar por sequer um round completo e acabou sofrendo a lesão mais grave de sua carreira.

Enquanto estava na trocação franca com Gadzhimusa Gaziev no BRAVE CF 12, Macarrão gritou de dor e, por um momento, o público presente na arena, os fãs acompanhando pela TV, o árbitro ou mesmo o adversário Gaziev não puderam entender o que havia acontecido.

Não foi um soco, um chute ou algo do tipo que fez com que Leonardo tivesse se jogado ao solo de dor. Ele rompeu os ligamentos do seu joelho enquanto preparava um avanço sobre Gaziev e ficou completamente fora de ação.

Com o apoio do BRAVE CF, Macarrão iniciou um longo processo de recuperação, que envolveu uma viagem da Califórnia, onde reside com a família, para o Brasil, onde passou por uma intervenção no joelho. Após a operação, mais um período de fisioterapia e, só então, ele pode pensar em retornar aos treinos.

A lesão foi grave, mas, tão pesada quanto, foi a ansiedade de finalmente calçar as luvas novamente, treinar e, finalmente, pisar no cage para competir profissionalmente.

Mas Macarrão passou por esse momento delicado com a grandeza e disciplina que se espera de um verdadeiro artista marcial. Recuperado, ele decidiu se mudar para a nova categoria peso super leve, com limite até 75kg e lançada com exclusividade pelo BRAVE CF a fim de manter os atletas em faixas de peso mais seguros, evitando cortes severos.

Ele bateu o promissor holandês Djamil Chan em sua estreia na nova categoria de forma dominante. O duelo marcou sua primeira luta no Brasil em quase três anos e, de quebra, lhe rendeu o holofote necessário para pleitear uma disputa de título contra o dono do cinturão Eldar Eldarov.

Com os dias mais turbulentos de sua vida deixados para trás, Macarrão, que recentemente se tornou pai, vive seu melhor momento dentro e fora dos cages. E é justamente nessa grande fase que ele se prepara para o maior desafio da sua carreira, coroando uma trajetória marcada pela superação.

Seu encontro com Eldar Eldarov pelo título mundial peso super leve acontece na luta principal no BRAVE CF 46, no dia 16 de janeiro, em Sochi. O evento, que será realizado em colaboração com os promotores locais da Krepost Selection, marca a estreia da principal organização de MMA do Oriente Médio na Rússia e contará com importantes nomes das artes marciais mistas russas, como Ali Bagautinov, Roman Bogatov e Konstantin Erokhin na programação.

Museu Histórico de Witmarsum reformará sede com doação

Doação de R$ 50 mil foi realizada pelo Sistema de Transmissão Gralha Azul, da ENGIE

Curitiba, janeiro de 2021 – Em dezembro, o Sistema de Transmissão Gralha Azul (STGA), da ENGIE Brasil Energia, realizou a doação de R$ 50 mil para investimentos no Museu Histórico de Witmarsum (Heimat Museum), localizado no município de Palmeira (PR). A verba ajudará na reforma física da sede, localizada na antiga Fazenda Cancela da própria colônia.
O museu histórico, fundado em 15 de setembro de 1989, conta a trajetória dos imigrantes menonitas russo-alemães que formaram a Colônia Witmarsum. Há 30 anos, realiza um papel fundamental na preservação da história local da comunidade, considerado também parte do Patrimônio Histórico do Estado do Paraná.
De acordo com o Diretor de Implantação do STGA, Márcio Daian, doações como essa são resultados de reconhecimento e respeito à cultural local. “Sabemos que o Museu Histórico de Witmarsum tem um papel indispensável, não só para a região em que atua, mas para a história do Paraná e do Brasil. Realiza atividades de preservação cultural e educacional de suma importância para manter viva a tradição e a união das famílias da colônia. O STGA também acredita na conservação patrimonial e, por isso, tem a certeza de que essa parceria traz inúmeros benefícios”, finaliza.
Para o diretor do museu, Ricardo Philippsen, essa doação é uma ajuda extremamente necessária. “Em momentos de pandemia, sabemos que devidos às restrições e todos os cuidados, tivemos que nos adaptar. Nesse ano ficamos fechados, mas conseguimos a autorização para reformar a estrutura do museu que é um bem tombado pelo Patrimônio Histórico do PR”. Philippsen relata ainda que a reforma recebeu também a parceria de alunos universitários do curso de Arquitetura, que farão o projeto dessa reestruturação. Ainda, de acordo com o diretor do museu, a prioridade é realmente investir na estrutura e na manutenção das atividades da instituição.
O Presidente da Associação de Moradores da Colônia Witmarsum, Rubens Kliewer, também esteve presente no ato da doação e reforçou o diferencial que trará esse investimento. “Com a possibilidade de fazermos a reforma com essa doação, o museu deixará de ser apenas um lugar que reúne nossas histórias para ser reconhecido como um agente cultural da comunidade”, acredita. Ainda de acordo com Kliewer, a comunidade luta para manter a tradição e já possui um idioma próprio reconhecido como Patrimônio Material, chamado de Plautdeutsch. “Aqui temos uma história de 500 anos que temos que preservar. Essa doação, não se trata só de uma reforma estrutural e sim, de preservar nossas origens”, finaliza.
O repasse dos recursos foi oficializado na Colônia Wittmarsun com a participação de representantes da ENGIE, o Gerente Local Gustavo Poyer e o Coordenador Socioambiental e Consultor Jurídico do STGA, Carlo Bruno Lopes do Nascimento.
Ao todo, o Sistema de Transmissão Gralha Azul (STGA), da ENGIE, já investiu neste ano mais de R$ 1.4 milhão em ações socioambientais voluntárias.

Sobre o ST Gralha Azul
O Sistema de Transmissão Gralha Azul, da ENGIE, passará por 27 municípios do Centro-Sul e Centro-Oriental paranaense, movimentando cerca de cinco mil vagas de emprego ainda em 2020, com a construção de mais de 1.000 quilômetros de linhas de transmissão e 2.200 torres. Em execução no Paraná desde setembro de 2019, o projeto - que tem o investimento de R$ 2 bilhões - contempla ainda quinze linhas de transmissão, construção de cinco novas subestações de energia e a ampliação de cinco subestações já existentes. Sua implantação deverá ser concluída em setembro de 2021, com a operação escalonada prevista para iniciar em julho.

Pilar Hospital recebe certificação como referência no atendimento em AVC

O Pilar Hospital foi certificado, em dezembro de 2020, no Programa Angels (Angels Award). A premiação é uma iniciativa internacional da Boehringer Ingelheim para qualificar os centros de atendimento a Acidentes Vascular Cerebral (AVC) já existentes e auxiliar na implementação de novos centros. Mais de 150 hospitais no Brasil participam e mais de 2.800 hospitais no mundo.
O Pilar Hospital agora é um dos hospitais certificados com esse prêmio que foi lançado na Europa e acontece desde 2018 na América Latina, com o objetivo de reconhecer e honrar o comprometimento de profissionais e hospitais em qualificar o atendimento ao AVC, estimulando uma cultura de monitoramento de indicadores.
Para conquistar a certificação é necessário que a instituição de saída mantenha protocolos rígidos de atendimento, além de monitoramento constante, o que é fundamental para que os centros identifiquem possíveis déficits no seu atendimento, comparando-se com resultados de sua região e do mundo, e a partir dos déficits encontrados possam fazer melhorias em seu processo que vão repercutir em melhores resultados para seus pacientes.
O Angels Award classifica os hospitais como “Prontos para o atendimento do AVC” – quando tem a estrutura mínima e monitora os dados e estes hospitais recebem certificados e são reconhecidos nos grandes congressos nacionais e internacionais.

Legenda: Diretor técnico do Pilar Hospital, Paulo Sergio Matschinske, a diretora de enfermagem Mariangela Toledo Czornei (ao centro) e a gerente de enfermagem Débora Cordeiro de Melo.
Crédito: Divulgação

Verão e carne suína combinam! Confira como montar pratos leves e saudáveis

Seja em saladas ou em assados, proteína é uma boa fonte de EPA e DHA, componentes do ômega 3

Nem só de frango é feito um projeto verão. A carne suína também pode ser uma boa aliada para quem quer começar 2021 com a promessa de ter uma alimentação mais saudável. Isso porque o segredo repassado por especialistas para conseguir atingir - e principalmente manter - a meta a longo prazo é variar o cardápio. Para isso, é essencial conhecer os alimentos e compor refeições leves, mas completas, com todos os nutrientes necessários para a manutenção da saúde do organismo.

A carne suína, por exemplo, é uma opção pouco procurada por quem está querendo entrar na linha, mas que fornece diversos benefícios. Excelente fonte de proteína, ferro, potássio e vitaminas do complexo B, além da gordura, é considerada uma fonte nutricional rica em energia - além de ser uma boa fonte de EPA e DHA, componentes do ômega 3. A carne pode ser usada em diversos pratos, com frutas e até mesmo em saladas. Pensando nisso, a Alegra, indústria de alimentos de carne suína, elaborou algumas receitas para variar o cardápio e ajudar no projeto verão.

Salada de lombo suíno com molho de curry

Ingredientes:

1kg de lombo suíno Alegra

1/2 xícara (chá) de manteiga

1 colher (sopa) de sal

1 pé de alface mimosa pequeno

1 pé de alface crespa roxa pequeno

2 laranjas médias cortadas em gomos

2 bananas cortadas em rodelas

1/2 xícara (chá) de uva-passa

1 colher (sopa) de molho inglês

1/4 xícara (chá) de geleia de framboesa

3/4 xícara (chá) de maionese

1 copo de iogurte natural

2 colheres (chá) de curry

Modo de preparo:

Corte o lombo suíno em tirinhas. Numa frigideira, coloque a manteiga e o lombo. Polvilhe 1/2 colher (sopa) de sal e refogue em fogo alto, mexendo de vez em quando. Regue aos poucos com a água por 30 minutos ou até o lombo ficar dourado. Deixe esfriar.

Lave e rasgue as folhas de alface em pedaços. Numa saladeira grande, disponha a alface e, por cima, a laranja, a banana, o lombo e a uva-passa. Numa tigela, misture bem o molho inglês, 1/2 colher (chá) de sal, a geleia de framboesa, a maionese, o iogurte natural e o curry. Transfira para a molheira e sirva com a salada.

Lombo suíno com laranja

Ingredientes:

1kg de lombo suíno Alegra

200g de doce de laranja em calda escorrida e cortada em tiras (1 vidro)

250g de queijo minas(ou branco) meia cura picado

1 ½ xícara (chá) de azeite de oliva

1 cenoura picada

1 talo de salsão (ou aipo) picado

1 cebola picada

1 alho-poró picado (só a parte branca)

¼ xícara (chá) de manteiga

1 xícara (chá) de vinho tinto

sal a gosto

pimenta-do-reino a gosto

Modo de Preparo

Abra o lombo ao meio sem separar as metades e tempere-o com o sal e a pimenta-do-reino. Recheie com o doce de laranja e o queijo e feche. Frite-o no azeite e reserve. Na mesma panela, refogue a cenoura, o salsão, a cebola e o alho-poró.

Disponha o lombo em uma assadeira, espalhe os legumes refogados e regue com o azeite. Cubra com papel alumínio e leve ao forno médio (170º C a 190º C), preaquecido, por 45 minutos. Retire do forno e reserve. Despeje o vinho na assadeira e leve-a ao fogo. Com uma colher de pau, desgrude os resíduos da assadeira e mexa. Coe e incorpore a manteiga batendo-a vigorosamente.

Sirva o lombo fatiado com os legumes ao lado e regue com o molho. Dica: Se você perceber que o fundo da assadeira está queimando durante o cozimento, pingue água quente aos poucos.

Sobre a Alegra

A indústria de alimentos Alegra é a união das cooperativas de origem holandesa, Frísia, Castrolanda e Capal, que constituem o grupo Unium. Uma empresa que combina condições de trabalho ideais aliando tecnologia, equipamentos de última geração, preocupação com o bem-estar dos animais e sustentabilidade em seu parque industrial, sempre primando pela excelência em seu produto final, que utiliza as melhores carnes suínas.

Em 2017, a marca conquistou o reconhecimento internacional quanto às Práticas de Bem-estar Animal no abate, tornando-se a primeira planta brasileira a receber essa certificação em bem-estar suíno, pela WQS. Mais informações em www.alegrafoods.com.br.

Hostel Bebel inaugura opção inovadora de hospedagem em Curitiba

O isolamento dos tempos de predomínio digital exige o resgate do diálogo, da convivência e de novos e inusitados encontros. Essa experiência é oferecida para quem viaja sozinho, com a família ou em grupo
Prédio foi construído na década de 1940
Quem passa pela esquina das ruas Engenheiros Rebouças e Vinte e Quatro de Maio, no bairro Rebouças, em Curitiba, fica admirado e curioso ao avistar um prédio que se destaca pela sua arquitetura e cores, e que, à noite, ganha uma iluminação toda especial.

Construído há 80 anos, na década de 1940, por Edgard Maranhão e sua esposa Josephina, o prédio foi totalmente revitalizado para abrigar o Hostel Bebel, da empresária e jornalista Maria Isabel Ritzmann, neta do casal. Conhecida no meio da comunicação como Bebel Ritzmann, ela conduz as atividades da NCA Comunicação e Editora, assessoria de imprensa, editora de jornais, revistas e livros publicados pelo Selo Editorial Livros Legais.

O projeto arquitetônico, assinado por Ana Padilha Arquitetura, conferiu ao prédio ares de galeria de arte, visível já na fachada com o painel do artista plástico e advogado Luiz Gustavo Vardânega Vidal, e pela escolha da palheta de cores que conversam entre si e envolvem o hostel numa atmosfera convidativa para conhecer as surpresas do seu interior.

Histórias de família

O prédio foi totalmente adaptado para oferecer um ambiente confortável e moderno ao hóspede, resgatando as histórias da família. “Por muitos anos, foi meu lar e dos meus irmãos”, conta Bebel Ritzmann. “Quando decidi transformar o prédio em hostel queria trazer as memórias de uma infância feliz, da convivência com meus avós, (aliás, minha avó completou no ano passado 104 anos), das brincadeiras, dos almoços com todos reunidos...., enfim, queria reviver a história da minha família e passar para os hóspedes esse clima de acolhimento e pertencimento”, sublinha.

Modalidade de hospedagem que avança no setor hoteleiro brasileiro, o conceito de hostel foi exportado da Europa e oferece inúmeras vantagens para quem viaja com frequência. O isolamento dos tempos de predomínio digital exige o resgate do diálogo, da convivência e de novos e inusitados encontros. Essa experiência é oferecida para quem viaja sozinho, com a família ou em grupo.

De acordo com Bebel Ritzmann, todos os ambientes do hostel têm elementos decorativos como quadros, fotografias, instalações, esculturas e móveis garimpados, além do resgate histórico que remete à boa vida caseira. A curadoria do espaço contou com o olhar atento da artista plástica Mercedes e Sérgio Ritzmann, mãe e irmão da empresária.

Estrutura de hospedagem

O Hostel Bebel tem a capacidade para receber aproximadamente 50 pessoas, dispõe de três suítes (uma é pet friendly) com aparelho de Smart TV, três quartos para família, quarto preparado para pessoas com deficiências e idosos com toda a acessibilidade e estrutura necessárias, além de dois quartos coletivos com 12 leitos, todos com ar condicionado.

Também oferece lockers individuais, roupa de cama, cozinha, banheiros individuais e compartilhados, deck superior para lazer com mesa e churrasqueira, além de uma bela vista da região sul da cidade. O hostel tem à disposição dos hóspedes a Sala Mercedes com televisão e lareira e o Espaço Gagá com redes para descanso. As diárias variam de R$ 70 a R$ 90 por pessoa; o café da manhã é opcional com agendamento, bem como o aluguel de tolhas e os serviços de lavanderia.

O Hostel Bebel não é apenas um meio de hospedagem. “Nossa intenção foi revitalizar o prédio e também estimular a cultura e a criatividade. Pensando nisso, idealizamos ainda o Espaço Elefante Voador, um ambiente para a realização de eventos e atividades culturais como lançamento de livros, exposições de arte, música, fotografia, workshops, coquetéis, confraternizações e minipalestras para grupos de até 40 pessoas”, afirma Bebel Ritzmann.

Para mais informações e reservas acesse www.hostelbebel.com.br ou via whatsApp (41) 9 9957-1547.

É Verão em casa: bebidas e aperitivos via delivery também prometem estação animada

Drinks pra finalizar, Chopp em growler e aperitivos generosos são opções perfeitas para curtir o período mais quente do ano usando apenas delivery

4=cTZlVTNjpjci5SbvNmLhJnclRHQpxGblNWdsFWbhN3cl5WY2pzMxUzM3MTMzcjM6cWZwpmL39Gb1UjMiJjNzYmM1cTMyM2MxEDMjRGN3gTY1ADMlljZ3kjRyUiZ3kjRyUSMzQzMGJTJzcTMzEzXtUTMt8VbvNmLyBXbtkmRyUiRyUSQzUycwRHdopDM
Crédito: Bruno Marçal
Quando pensamos no verão, já logo imaginamos muitas combinações de bebidas refrescantes e acompanhamentos deliciosos. Pensando nisso, a rede de restaurantes Outback Steakhouse apresenta em seu menu opções que prometem deixar esta época do ano ainda mais gostosa. Com dicas para agradar todos os gostos, os consumidores têm a opção de saborear tudo, sem nem precisar sair de casa, pedindo no delivery ou para retirada.

Drinks Outback DIY

A plataforma Drinks Outback DIY traz quatro drinks diferentes, dois compostos pela bebida queridinha do momento, o gin Tanqueray London Dry , e dois à base de vodka Ketel One. As bebidas tem como inspiração o conceito do it yourself - faça você mesmo - e o objetivo é permitir que o cliente aproveite o sabor dos drinks do menu do restaurante sem precisar sair de casa. As opções com gin são o Passion G&T (R﹩ 38,90), que é composto por um bag com mix de maracujá e outro com laranja, uma garrafinha de gin Tanqueray London Dry, já com a quantidade exata para preparar o drink, e água tônica para fechar com chave de ouro e trazer toda a refrescância que a bebida pede. O outro sabor marcante é o Mango G&T (R﹩ 38,90), que traz um bag com mix de manga, um bag com laranja e canela, além da garrafinha com Gin Tanqueray London Dry e uma água tônica.

Os apaixonados por vodka podem optar pelo Brazilian Beach Cocktail (R﹩ 29,90), uma saborosa mistura de kiwis e morangos, inspirada nas famosas praias brasileiras. O kit traz um bag com mix de frutas e uma garrafinha contendo vodka Ketel One. Quem prefere ainda misturas com frutas vermelhas, também vai poder degustar a Aussie Caipiroska Frutas Vermelhas (R﹩ 29,90) que combina framboesa, morango e amora, enviadas em uma bag contendo o mix de frutas vermelhas, e uma garrafinha de vodka Ketel One.

Chopp Brahma Outback

Já para os amantes de cerveja, os fãs do icônico Chopp Brahma Outback podem saborear a bebida de forma única. A opção vai em um growler customizado reciclável de 1 litro por R﹩ 29,90, perfeito para dias mais quentes. A bebida é transportada dentro de uma bag com gelo, o que garante que ela chegue na temperatura ideal na casa do consumidor. O chopp é uma das bebidas mais pedidas do restaurante e é uma ótima opção para celebrações e momentos de quebra de rotina, além de harmonizar perfeitamente com diversos pratos.

Box com aperitivos icônicos

Todas as bebidas acima casam perfeitamente com o famoso Mates Box (R﹩ 184,90) do Outback. Ele é um generoso combo para compartilhar, que traz 15 unidades de Kookaburra Wings (sobreasas de frango empanadas em um mix de temperos Outback servidas com aipo crocante), 10 unidades de Billy Ribs (costeletas de porco regadas com o molho Billabong - um molho barbecue com toque agridoce e gergelim), Pétalas de Bloomin' Onion (pétalas da famosa cebola gigante dourada Bloomin' Onion) e Crispy Chips (batatas fritas em formato chips e temperadas com um mix exclusivo). Percebeu um nome diferente entre os tradicionais pratos do Outback? Porque é uma novidade mesmo, e é exclusiva para o delivery. As incríveis Crispy Chips chegarão à casa do cliente super crocantes. E para completar, o combo também acompanha os molhos Bloom, Billabong, Blue Cheese e Cheese Ranch.

Decoração: como utilizar as cores de 2021 em casa

Cinza e amarelo foram escolhidas pela Pantone para marcar o ano com resiliência e esperança

As apostas para 2021 já estão lançadas, inclusive a paleta de cores que irá influenciar a moda até a arquitetura e decoração ao redor do mundo. A Pantone Color Institute, empresa americana de consultoria de cores, buscou inspiração na natureza e acaba de eleger o "Ultimate Gray" e "Illuminating Yellow" como as cores para o próximo ano.

Para a escolha, o time de pesquisadores da Pantone refletiu sobre as mudanças sociais impostas pela pandemia. Como o “Ultimate Gray” representa a coloração das rochas e pedras existentes há milhões de anos, a tonalidade é uma expressão de força e resiliência. Já a vibrante “Illuminating”, ligada ao sol, é a aposta para luz, esperança e positividade.

Assim como esses tons ditaram as passarelas das coleções de verão 2021 das notáveis marcas Prada, Gucci, Balmain e Givenchy, eles virão com tudo na decoração de interiores para criar um clima de otimismo, influenciando comportamentos e atitudes. Propostas certas após um ano em que todos viveram cercados de incertezas.

Como utilizar as cores de 2021 na decoração

De acordo com a arquiteta do Grupo A.Yoshii, Andressa Bassinelli, os tons são opostos, que se completam e criam um equilíbrio entre si. “Em muitos projetos de interiores e arquitetônicos, o cinza já era destaque há algum tempo. A cor pode ser utilizada em móveis, nas paredes ou em objetos decorativos em grandes proporções. Pertencente à cartela de tons neutros, o cinza combina com várias cores, como azul, laranja e amarelo - também eleita como cor de 2021”, explica Andressa.

Em vários apartamentos decorados da A.Yoshii observamos a predominância do cinza e, com o significado da cor, vai estar ainda mais em alta daqui para frente. “Em Curitiba, por exemplo, o cinza está presente na decoração e no mobiliário do quarto modelo do La Serena (empreendimento localizado no bairro Batel). Um tom mais escuro de cinza compõe muito bem com branco e dourado”, explica.

O Positano Residenza, localizado em Maringá, também possui o apartamento decorado com inspiração no tom. “Nesse empreendimento destaco a cozinha, que possui móveis, mesa, paredes e eletrodomésticos nessa cor, trazendo muita harmonia. E ainda, no Legend de Campinas, temos um quarto todo em cinza, com decoração, almofadas, mantas, móveis e o mármore também puxando para a cor”, observa a arquiteta.

Já o "Illuminating Yellow" é uma cor brilhante e com presença. A arquiteta explica que, utilizar o amarelo na decoração de casa traz uma vibração positiva e deve ser utilizada para destacar algum elemento. “Essa é uma cor muito alegre e marca presença. Pode ser aplicada em grandes locais, como uma parede, ou em detalhes, como em vasos, almofadas ou móveis. O amarelo combina com tons mais claros, como bege, branco, e cinza, é claro”, explica.

O apartamento decorado do Glória Residence, em Londrina, também conta com detalhes na decoração em tom amarelo. “Com a predominância da madeira no apartamento, essa cor é a melhor 'amiga' para trazer um ar mais clean e compor a decoração”, finaliza.

Grupo A.Yoshii

Fundado em 1965, o Grupo A.Yoshii já construiu mais de 2 milhões de m² do Sul ao Nordeste do Brasil, entre obras industriais, edifícios corporativos e residenciais, escolas, universidades, teatros e centros esportivos. É composto pela A.Yoshii Engenharia, com sólida atuação em construções de edifícios residenciais e comerciais de alto padrão em Londrina, Maringá, Curitiba e Campinas; pela Yticon Construção e Incorporação, que realiza empreendimentos econômicos, localizados em regiões de potencial valorização em municípios do Paraná e interior de São Paulo; pelo Instituto A.Yoshii, voltado para a inserção social e a democratização cultural; e atua em Obras Corporativas, atendendo a grandes corporações em suas plantas industriais, nos mais variados segmentos da economia, como papel e celulose, alimentício, químico, agronegócio, energia, assim como usinas sucroalcooleiras, centros logísticos, plantas automobilísticas, entre outros. Mais informações: www.ayoshii.com.br

Obst. será inaugurado nesta quinta-feira (07)

Comandado pelo badalado chef Lênin Palhano, o empreendimento reúne outros grandes nomes do mercado gastronômico paranaense e promete surpreender com um conceito único e autêntico

CURITIBA, 05/01/2021 - O premiado chef paranaense Lênin Palhano, um dos grandes nomes da gastronomia brasileira, anunciou no último mês de novembro a abertura de seu primeiro empreendimento próprio na cidade de Curitiba. Batizado de Obst., o novo espaço, uma parceria de Lênin com o sommelier José Vinícius Chupil e o empresário Marcelo Muggiati Vaz, abrirá as portas oficialmente nesta quinta-feira, dia 07 de janeiro, seguindo todas as regulamentações relacionadas ao coronavírus, prometendo um conceito inédito na capital paranaense.

O novo espaço, com capacidade para 55 lugares, foi implantado em uma aconchegante casa térrea, na charmosa Alameda Prudente de Moraes, região central de Curitiba, divisa entre os bairros Mercês e Batel. Com portas e janelas que dão diretamente para a calçada arborizada, onde também haverá mesas, o Obst. chega para oferecer uma experiência gastronômica com produtos de alto nível de forma descomplicada, informal e divertida, apostando em uma interação direta entre os principais personagens do empreendimento e o público. O Obst. contará, por exemplo, com um balcão dentro da cozinha, semelhante aos de restaurantes orientais, com lugar para quatro pessoas, onde o serviço, com valor fechado, será feito "às cegas", sem escolha de cardápio. "O cliente vai poder nos ver trabalhando, enquanto servimos um menu surpresa, com o que tivermos de melhor naquele dia", explica Lênin.

Conceito

Após sete anos no comando do Nomade – restaurante de sua concepção, que funciona no sofisticado Nomaa Hotel – e dezenas de prêmios, Lênin resolveu aproveitar o período de isolamento social para colocar em prática sua vontade de empreender. "O Obst. surgiu da minha vontade de ter um projeto meu. Após 15 anos de profissão, achei que era um bom momento. Fui sacudido por essa ideia durante a pandemia. Foi quando tive tempo e energia para executar algo que já estava na minha cabeça há uns dois anos", conta.

Com apenas 34 anos de idade, Lênin Palhano tornou-se na última década um dos principais nomes do cenário gastronômico nacional, graças a uma proposta culinária multicultural e seu livre trânsito entre diversas técnicas. A brilhante trajetória, coroada com inúmeros prêmios, é fruto de um trabalho incessante, de uma pesquisa minuciosa e de uma quase obsessão pela perfeição do que é servido. E é justamente essa obstinação que dá nome ao novo projeto: Obst. (pronuncia-se óbsti). "Eu queria um nome imponente, sério, mas que causasse uma certa dúvida e despertasse a curiosidade. Tem muito a ver comigo e com os profissionais envolvidos. As pessoas vão entender quando chegarem lá", explica.

À frente do Obst., Lênin dará continuidade a elementos que caracterizam a identidade de seu trabalho, como a valorização e a busca pelo preparo ideal de cada ingrediente, além da utilização de produtos frescos e de pequenos produtores. Porém, nesta nova fase, com uma ênfase mais sutil ao viés regional e de forma ainda mais autoral e criativa. "Apesar de eu sempre ter tido liberdade total, a operação hoteleira exigia um grande envolvimento em todo o serviço de refeições. Eu agora vou poder trabalhar com mais criatividade e tempo para desenvolver as minhas pesquisas."

No que depender da chef Julia Schwabe, Lênin terá tempo de sobra para seguir seus estudos. Seu braço direito no Nomade, a jovem de 28 anos agora será a chef de cozinha do Obst., comandando todo o serviço no dia a dia. A preocupação na formação de novos chefs de cozinha é uma das características do trabalho de Lênin, que se enche de orgulho ao falar de Julia e de Luan Honorato, seu ex-sous-chef, que o substituiu no posto de chef do Nomade. "É uma felicidade enorme saber que o Nomade agora está nas mãos de um chef jovem como o Luan, que começou como auxiliar e teve sua formação praticamente toda no lá no restaurante", ressalta.

Inspirado em alguns de seus restaurantes favoritos de ambientes descolados e menus não convencionais – entre eles, o Tickets (dos irmãos Albert e Ferran Adrià, em Barcelona, na Espanha), o Nit (do chef catalão Oscar Bosch, em São Paulo) e o badalado A Casa do Porco (do casal Jefferson e Janaína Rueda, também em São Paulo) – Lênin tenta trazer o mesmo tipo de leveza e despojamento a seu primeiro empreendimento. "Eu quis criar um lugar que eu acho que não existe em Curitiba. Onde eu gostaria de estar e onde me sentisse bem como me senti quando estive nesses restaurantes", conta.

A começar pelo conceito aberto do Obst., que segundo o chef, não pode ser definido como um restaurante ou um bar, mas sim um ambiente que reúne ambas as coisas e que oferece uma experiência gastronômica de excelência, mas descontraída. "Vai ser tudo mais leve, solto e casual", descreve. Essa liberdade também se reflete no cardápio, que é flutuante e estará em constante transformação, seguindo a disponibilidade dos melhores ingredientes. Outra novidade é a ausência dos tradicionais pratos principais individuais: todo o menu é voltado ao consumo compartilhado de porções, algumas para comer com as mãos, ao estilo Tapas, que podem ser combinadas entre si ou saboreadas separadamente.

Entre os ingredientes de mais destaque no cardápio do Obst., segundo Lênin, está "o mar", referindo-se ao contato próximo que mantém com produtores especializados em pesca e cultivo de ostras, mariscos e vieiras, em Santa Catarina. Os produtos e técnicas paranaenses, objetos de uma vasta pesquisa do chef, continuam presentes no Obst., que vai expandir os limites até São Paulo, Minas Gerais ou até onde for preciso na busca pelo ingrediente ideal. Mas o chef faz questão de frisar que continua a praticar uma gastronomia sem rótulos ou especialidades. "É uma culinária sem fronteiras, que busca servir os melhores e mais diversos produtos, com foco na técnica", define. Lênin tranquiliza os clientes mais saudosos, adiantando que eles que vão encontrar no Obst. o famoso "Porquinho na Couve" (consagrada entrada servida no Nomade). Mas o chef também alerta para que eles se preparem para uma experiência menos convencional que de costume. "O cliente precisa botar na cabeça que não vai comer nhoque ou bacalhau. Precisa só saber que vai comer bem, em um bom ambiente, com bons vinhos e bons drinks", destaca.

Vinhos e coquetéis

Para harmonizar com tamanha variedade de opções, Lênin tem a seu lado como sócio no Obst. o também laureado sommelier José Vinícius Chupil (ex-La Varenne), que garante uma carta de vinhos dinâmica, em que prevalece a qualidade, a safra e a diversidade. Ao todo, a casa servirá cerca de 45 rótulos, que vão variar na mesma medida (ou quase!) que as mudanças de cardápio. Além de uma excelente carta de vinhos, o Obst. terá um bar de drinks sob o comando do jovem prodígio Zé Augusto Swaiger (ex-Officina Restô Bar), de 28 anos. Zé, único finalista paranaense no concurso nacional Bacardí Legacy, em 2018, já havia trabalhado durante três anos com Lênin no bar do Nomade e foi a escolha natural do chef para liderar a coquetelaria do Obst. Recém-chegado de uma temporada como barman no Bistrô Felissimo, na Praia Brava, em Balneário Camboriú, Zé traz para os coquetéis do Obst. o frescor e o descompromisso da praia, em equilíbrio com uma estética mais sóbria.

O Obst. vai funcionar a partir desta quinta-feira, dia 07 de janeiro, na Alameda Prudente de Moraes (nº 983), no Centro de Curitiba, de terça a sexta-feira, das 18h às 23h, e aos sábados, das 14h às 23h. Para mais informações, acesse o perfil oficial do empreendimento no Instagram (@obst.lugar).