Mercado estuda uso de Drones para entregas em casa

A pandemia ocasionada pelo novo Coronavírus (COVID-19) está fazendo com que muitas empresas de delivery repensem suas alternativas de entrega. Uma das opções é o uso de drone, tendo em vista que a tecnologia aumenta a velocidade da entrega e evita o contato entre cliente e entregador.

“Grandes marcas já estão com projetos de uso de drone prontos para serem colocados em prática. Em diversos países este sistema é uma realidade e, neste momento, se mostra uma alternativa eficaz e segura”, afirma o professor do curso de pilotagem de drones do Centro Europeu, Alexandre Scussel.

O mercado de delivery no Brasil está em constante expansão. O último levantamento realizado pelo Sebrae (2017) aponta que a movimentação chegou a R$ 9 bilhões em um ano, com crescimento de aproximadamente 12% no mesmo período. Em 2018 a movimentação ultrapassou R$ 10 bilhões.

Segundo ele, além da comodidade de escolher o que precisa por aplicativo e esperar o produto chegar em casa, agrada a muitos brasileiros e o serviço de entrega está passando por uma transformação. “Outra contribuição desta tecnologia - utilizada em países da Europa e África - está associada ao transporte de órgãos e medicamentos”, afirma.

Alexander Scussel conta que na área da alimentação os primeiros testes para entregas utilizando drones no Brasil foram feitas em 2018. “A realidade da entrega de comida por drones está mais distante do que o delivery utilizado pela indústria, mas tende a crescer rapidamente”, completa.

EXEMPLO - A startup SMX Systems é a primeira e única a atuar no Brasil com drones para o transporte e entrega de cargas leves. O serviço é prestado em Rifaina, cidade no interior de São Paulo que é cortada por um rio, e consiste na entrega de medicamentos.

Os equipamentos realizam entregas com segurança em um raio de aproximadamente 5 quilômetros. “Às vezes a distância não é tão grande, mas existem entroncamentos ou algum outro obstáculo de trânsito.Também sabemos que a quantidade de carros nas ruas é um problema global, o que pode incentivar ainda mais o mercado de entregas por drone”, explica Scussel.

MERCADO DE TRABALHO

Para prestar o serviço de pilotagem de drone é necessário ter autorização e cumprir as determinações da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). Em Curitiba, o Centro Europeu possui um curso específico para a formação de pilotos de drone, demanda que surgiu devido ao crescimento do mercado.

“Hoje os pilotos trabalham principalmente com a produção de imagens e vistorias técnicas de áreas. No entanto, as crise está gerando novas áreas de atuação. Sabemos que será necessário muitos profissionais capacitados”, explica Alexandre.

--

Turnê do KISS no Brasil Adiamento

Segundo Esclarecimento Público sobre a Turnê do KISS no Brasil: Adiamento

Prezados fãs e consumidores;

A produtora de eventos Mercury Concerts, responsável pela turnê da banda KISS, End Of The Road World Tour, no Brasil, juntamente com a banda e seus representantes, vêm a público informar que, em razão da crise do coronavírus, todos os shows da turnê foram adiados. Seguem abaixo as novas datas:

- em São Paulo/SP, dia 14/11/2020, no Allianz Parque; 

- em Brasília/DF, dia 10/11/2020, no Ginásio Nilson Nelson;

- em Uberlândia/MG, dia 12/11/2020, no Estádio Parque do Sabiá;

- em Ribeirão Preto/SP, dia 15/11/2020, na Arena Eurobike;

- em Curitiba/PR, dia 17/11/2020, na Pedreira Paulo Leminski; e

- em Porto Alegre/RS, dia 19/11/2020, local a definir. 

             

Por fim, destacamos que todos os ingressos já adquiridos serão válidos para as respectivas novas datas, não havendo necessidade de troca/substituição de nenhum ticket. 

São Paulo/SP, 30 de março de 2020

Supermercado cria aplicativo e faz entrega em menos de 3 horas em Curitiba

Na contramão das grandes redes de supermercados que estão demorando dias para fazer entregas de compras online devido ao coronavírus o Super Telêmaco lançou seu aplicativo, “Meu Telêmaco”, que faz entregas em menos de três horas para as compras realizadas até às 18h, em mais de 20 bairros de Curitiba.

“Lançamos o aplicativo para dar comodidade aos nossos clientes nesse momento tão difícil em que a melhor opção é ficar dentro de casa com os familiares. O aplicativo é muito prático e a entrega é ágil devido a nossa localização”, explica o diretor geral do Super Telêmaco, Carlos Alberto Gomes.

Com 19 anos de tradição no bairro Portão, o Super Telêmaco encontrou na tecnologia uma aliada para atender seus clientes em tempos de pandemia de coronavírus.

“As vendas online com delivery aumentaram pelo menos 10 vezes nos supermercados de Curitiba, então vimos que era a hora de evoluirmos para esses sistema de vendas também”, explica Gomes.

As entregas ocorrem nos bairros; Portão, Santa Quitéria, Vila Izabel, Água Verde, Batel, Rebouças, Vila Guaíra, Lindóia, Vila Fanny, Novo Mundo, Xaxim, Capão Raso, Pinheirinho, Fazendinha, Cidade Industrial, Campo Comprido, Seminário, Campina do Siqueira, Mossunguê, Vila Hauer, Bigorrilho e Campo Comprido.

Para baixar o aplicativo é só procurar “Meu Telêmaco” em sua loja virtual no smartphone.

Serviço

Super Telêmaco- Rua Agostinho Merlin, 586 - Portão

Telefone: (41) 3085 4800

Instagram: https://www.instagram.com/supertelemaco/

Facebook :https://www.facebook.com/supertelemaco.com.br/

Impressoras 3D confeccionam protetores faciais para médicos e enfermeiros

Itens serão entregues gratuitamente aos profissionais de saúde de Curitiba

A informação correta, as ações preventivas de higiene e o isolamento social são as melhores armas no combate à Covid-19. Diversas medidas de segurança estão sendo recomendadas pelos órgãos de governo e veiculadas nos meios de comunicação.

Médicos, enfermeiros e profissionais da área de saúde se desdobram nas unidades de atendimento e hospitais para atender às demandas, orientar a população em relação aos sintomas e aos cuidados necessários em época de pandemia de Coronavírus.

Mas como eles também precisam se cuidar e usar os equipamentos adequados para se proteger, uma comunidade internacional de mulheres – chamada de Women in 3D Printing Brazil - criou o www.projetohigia.com.br cujo objetivo é confeccionar protetores faciais e destinar gratuitamente a esses profissionais.

Tecnologia a serviço do bem comum

Em Curitiba, a Boa Impressão 3D participa dessa causa. “Dispensamos os funcionários para home-office ou férias, mudamos a rotina interna e colocamos 11 Stella 2 (impressoras 3D) para trabalhar ininterruptamente e confeccionar os protetores faciais para ajudar no combate ao Coronavírus”, conta a diretora Vanessa Peixoto.

Ela e o marido Thiago Peixoto coordenam a atividade na companhia. Já os colaboradores que têm as máquinas 3D em suas residências também ajudam nas impressões.

“A meta inicial é produzir pelo menos 700 kits, que serão doados à Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação. Uma equipe dessa agência vai recolher e fazer a entrega nos hospitais e nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da capital paranaense”, explica Vanessa.

Para evitar contaminações, o casal toma as devidas precauções de higiene, faz a limpeza de todos os materiais utilizados na produção dos kits e envia um manual de orientações por escrito que explica como montar o kit antes do uso.

Ação de solidariedade nacional

Em todo Brasil, a meta do Projeto Hígia é confeccionar 100 mil protetores faciais. Para isso, foi criada uma vaquinha virtual na internet para arrecadar R$ 50 mil. Os recursos serão destinados à compra de filamentos para impressão 3D, elásticos, acessórios, custear o transporte e o envio dos materiais aos hospitais.

O endereço é https://www.vakinha.com.br/vaquinha/protetores-faciais-ajude-a-combater-o-coronavirus Até agora o projeto tem 200 apoiadores e foi coletado mais de R$ 29 mil.

Proteção extra

Os protetores faciais não substituem o uso da máscara e sim formam uma barreira a mais para o rosto e pescoço.

Cada protetor é formado por uma haste para a cabeça que pode ser impressa com qualquer tipo de filamento para modelagem por fusão e deposição, em impressoras 3D, montado com uma folha de acetato transparente.

“Ao chegar aos hospitais e UPAS, esses itens estarão desmontados e embalados numa caixa. Inserimos também um manual de orientações - por escrito – que reforça o jeito certo de como eles devem ser montados. Depois da higienização rotineira para entrada de equipamentos e acessórios em hospitais, os médicos e enfermeiras podem colocar sobre o rosto e pescoço e se resguardar ainda mais”, conta Vanessa.

Quem reside em Curitiba e Região Metropolitana e quiser ajudar com a doação de insumos - como folhas de acetatos transparentes ou lâminas de acrílico – pode entrar em contato com a Boa Impressão 3D pelo tel. 41-3180-0113 (também é WhatsApp) ou direto nas redes sociais @boaimpressao3d.

O que uma impressora 3D pode fazer?

Elas são capazes de criar os mais variados objetos - desde os simples aos complexos - de maneira eficiente, com alta qualidade, baixo custo e com materiais variados. Ou seja, vieram para revolucionar a indústria e a maneira de consumo da sociedade atual.

Sejam itens como brindes para eventos, miniaturas, maquetes, brincos, protótipos, brinquedos educativos, ferramentas, acessórios para celular e videogame, vasos para decoração, móveis para residências.

Em alguns países, as impressoras 3D já confeccionaram bicicletas de nylon, carros, casas, prédios, castelos, roupas, bolsas, perucas, instrumentos musicais, próteses, tatuagens e muito mais.

Quem deseja obter uma renda extra, pode ter em sua casa uma dessas máquinas – que custa a partir de R$ 2.500,00 - e criar seu próprio negócio.

Sobre a Boa Impressão 3D

A Boa Impressão 3D começou suas atividades em Curitiba há 5 anos e promove uma nova forma de aproximar a tecnologia à sociedade.

Mais do que comercializar impressoras 3D, linhas de filamentos e acessórios, a empresa realiza cursos e workshops para mostrar os conceitos iniciais para modelar objetos e utilizar a ciência em benefício das pessoas.

Para quem é totalmente leigo no assunto, a empresa faz treinamento completo para utilizar o equipamento, oferece suporte online e desmistifica o uso da impressora 3D, que ganhará cada vez mais utilidade nos próximos anos.

Sugestão de legendas

Impressora iniciando a confecção do protetor facial

Foto 8ª = Vanessa e Thiago Peixoto mostram as bases dos protetores faciais feitos por impressoras 3D

Mais fotos e vídeos no https://photos.app.goo.gl/EzCVvyHZiCk664GY9

No vídeo, Thiago Peixoto explica cuidados e mostra as máquinas trabalhando para confeccionar os 700 protetores faciais que serão entregues aos hospitais e Unidades de Pronto Atendimento da capital paranaense

Pague agora, leve depois: restaurante de Curitiba aplica nova estratégia de mercado

Micro e pequenos empresários buscam soluções criativas para atravessar a crise

Vouchers poderão ser utilizados sem prazo de validade nem restrição de cardápio. (Foto: Rafael Graminho)

Diversos setores da economia já sentem os efeitos da crise causada pelo Coronavirus. De acordo com um levantamento realizado pelo Sebrae, os pequenos negócios de alimentação fora do lar, lazer e serviços de beleza são os mais afetados. A queda do público e das vendas obriga empreendedores a buscar por soluções criativas para reduzir custos e aumentar a receita. Diversas estratégias são utilizadas por diferentes segmentos para manter o negócio em funcionamento, mas uma delas se destaca pelo inusitado: é o sistema “pague agora, leve depois”.

A utilização de vouchers para consumo não é novidade no setor alimentício, mas os sócios Mario Ferrari e André Smanhotto, do GastroPub Flame, em Curitiba, decidiram modificar a ideia original e oferecer o serviço com o adicional de 20% no valor para o consumo. Ou seja, se o cliente compra um voucher de R$100, pode consumir até R$120 quando o local retornar ao atendimento normal. As vendas dos vouchers são feitas via redes sociais. Os sócios enviam os dados da conta corrente e os clientes retornam com o comprovante de transferência.

“Não há prazo de validade para uso do voucher, nem restrição de produtos. O valor poderá ser utilizado a qualquer momento e para qualquer item do cardápio. Deixamos nossos clientes bastante à vontade para uso do valor adquirido no retorno de nossas atividades”, comenta Mario.

A ideia do Cashback é positiva para os clientes que conseguem consumir um valor mais alto do que aquele que pagaram e também é positiva para os empreendedores, que conseguem manter um giro de caixa neste momento tão crucial do negócio.

“Essa é uma forma de obter capital de giro sem precisar recorrer a empréstimos junto a instituições financeiras. Além disso, acreditamos que isso nos traz uma proximidade ainda maior de nossos clientes. Em meio a tantas notícias ruins, sabermos que há pessoas que acreditam em nossa proposta e que estão se esforçando para nos ver abertos novamente é um alento. Estamos surpresos com a receptividade”, diz Mario.

A ideia surgiu pela necessidade em manter o negócio em funcionamento. O GastroPub havia reaberto há apenas uma semana depois te ter passado quatro meses em reforma para ampliação. Com o capital de giro comprometido, as contas começaram a vencer e foi preciso iniciar uma busca por soluções criativas.

“Passamos a olhar com mais atenção as medidas alternativas que estavam sendo adotadas em outras regiões e nos chamou a atenção que alguns estabelecimentos de São Paulo estavam vendendo vouchers para uso no pós-crise. Porém, dificilmente conseguiríamos replicar com o mesmo efeito modelos bem-sucedidos por lá. Foi então que, depois de fazermos alguns cálculos, entendemos que seria viável retornar 20% do valor dos vouchers às pessoas que nos apoiassem neste momento tão delicado”, conta Mario.

Para a consultora do Sebrae/PR, Vivian Escorsin, o mais importante para o empreendedor neste momento é buscar alternativas para enfrentar a crise. “A estratégia de antecipação da receita com prorrogação na entrega do serviço ou produto é positiva porque gera o recebimento em um momento em que não haveria. Considerando que essa crise não deve se resolver em poucos dias, é importante manter a receita o mais regular possível durante este período”, indica.

O momento pede para que o micro e pequeno empresário seja criativo, busque inovação para o negócio e apresente soluções, mas é importante lembrar que nem toda ideia é viável para todos os negócios.

Atendimento

O Sebrae/PR promove uma força-tarefa para atender digitalmente e sem custos os empreendedores de micro e pequenas empresas em todo Estado, diante das medidas previstas para combater a pandemia do Coronavírus (Covid-19). O contato com essa força de trabalho pode ser feito pelo portal do Sebrae/PR (https://www.sebraepr.com.br/). Nele é possível acessar canais como WhatsApp, 0800 570 0800 e telefones regionais, onde o empresário tem acesso livre e gratuito a orientações, exemplos de outros empreendedores que encontraram soluções inovadoras, dicas de como lidar com a atual situação, além de cursos online com conteúdo diverso.

Delivery de cervejas e ovos trufados — “quarentena” dos curitibanos

BeerMad investe em delivery próprio com entregas programadas de growlers e latinhas,

além de antecipar a Páscoa com opções de chocolate 100% belga

Quarentena. Home Office. Crianças em Casa. Sorte dos curitibanos que têm opções para quebrar a rotina, não é mesmo? Nos últimos dias uma onda ainda mais forte de delivery invadiu a capital, com opções que deixam o tédio de ficar em casa de lado, levando alegria e momentos especiais para dentro das casas.

Enquanto o SOUQ Curitiba permanece fechado – em medidas preventivas pela saúde e segurança da população - a BEERMAD (loja de cervejas artesanais) inovou mais uma vez e criou um serviço de delivery próprio, com atendimento personalizado de sommelier e entregas agendadas.

Growlers PET de 1 ou 2 litros, além de latinhas de 473 ml (crowler) estão disponíveis para o curitibano. “A cada semana pretendemos mudar os estilos de cervejas para levar a esse público novos sabores e experiências. Além de estarmos no iFood, estamos recebendo pedidos via ‘whats’ para dar um atendimento ainda mais personificado ao nosso cliente. Mas estamos torcendo muito para que tudo isso passe rápido, né” - comenta Daiane Santos – beer sommelier da loja.

A partir de hoje (27.03) as cervejas disponíveis para delivery são Weizenbock da Alright, Ipê Amarelo da Cervejaria Blumenau Crazy Train, da Locomotive, e Dry Stout da Haenchbier. Todos os rótulos foram premiados no Festival Brasileiro da Cerveja de 2020.

Páscoa: chocolate e cerveja!

E, de olho na páscoa, a BEERMAD já está fazendo entregas dos chocolates CACAU BEER. São ovos 100% feitos de chocolate belga, trufados e maciços com os sabores dos melhores estilos de cerveja. Estão disponíveis os ovos grandes no estilo “IPA” e “DRY STOUT” – com cristais de malte - e o kit com 4 ovos sortidos: IPA, APA, PURO MALTE e STOUT.

- IPA: (Indian Pale Ale): chocolate belga ao leite com 33% de cacau, marcante nota de lúpulo, além de aromas cítricos e frutados.

- APA (American Pale Ale): chocolate belga ao leite, 33% de cacau e cristais de malte, equilibrado, com delicados tons cítricos e florais e um leve toque de caramelo.

- PURO MALTE: puro malte em chocolate belga branco, cristais de malte, com sabor suave, finalizando com aromas cítricos.

- STOUT: chocolate belga de dry stout, com 40% de cacau e notáveis tons de torras de malte e café.

Serviço

Compras acima de R$ 80 tem frete grátis. Pagamento por transferência bancária ou com a máquina de cartão (nesse caso, o entregador toma todas as precauções de higiene orientadas pelos órgãos oficiais). Entregas via iFood ou Delivery próprio, pelo telefone/whats 041. 99721.4399

Valores

Kit com 4 latas: R$ 45

Litro da cerveja: R$ 28 (qualquer estilo)

Kit com 4 ovos pequenos: R$ 40

Ovos grandes: R$ 60 (unidade)

ARTIGO DA PRESIDENTE DO INSTITUTO TMO SOBRE DOAÇÕES:

Em tempos de pandemia, Instituto TMO solicita recursos para pessoas em tratamento de medula óssea

Instituto TMO - Sonia Moritz Perussolo e Casa Malice - foto Lourivalde Vieira Filho.jpg

Há 31 anos, o Instituto TMO dedica seu esforço, trabalho e dedicação a ações em prol do transplante de medula óssea. Em atividade desde 1988, esta associação de apoio sem fins lucrativos foi fundada por um grupo de empresários que perceberam a importância de colocar em prática uma necessidade fundamental de apoiar os centros de TMO (transplante de medula óssea) e outras doenças raras.

Nessa trajetória, o Instituto TMO realizou e apoiou ações beneficentes, jornadas e encontros nacionais, lançamentos de campanhas solidárias, além de levantar recursos para aquisição de equipamentos médicos e de insumos que beneficiam centenas de pacientes em tratamento de TMO no HC-UFPR/EBSERH. Desde 2016, mantém em funcionamento a Casa Malice, que acolhe e hospeda gratuitamente pessoas de outras cidades que vêm até Curitiba para realizar tratamento de medula óssea – este é o maior projeto da entidade.

No atual momento em que o mundo passa por movimentações de enfrentamento ao coronavírus, mais do que nunca o Instituto TMO precisa da colaboração do maior número de pessoas para dar continuidade a este trabalho e apoiar com recursos financeiros as necessidades de urgência e emergência do TMO-HC, que não são poucas, além da manutenção da Casa Malice.

Uma das formas de doar é por meio da campanha “Abrace o Leão e doe parte do seu imposto”, em que pessoas físicas podem doar até 3% do seu imposto de renda para Instituto TMO até o dia 30 de abril, prazo final em que a Receita Federal receberá as declarações dos contribuintes. As orientações sobre como doar estão no final deste texto.

Pessoas Jurídicas também podem contribuir, mas de uma forma diferente: doando até 1% do imposto devido, deduzindo o valor destinado no pagamento que será realizado no ano subsequente.

Além de doações via renúncia fiscal, o Instituto TMO conta com outras formas para receber contribuições, por meio de notas fiscais (nos programas Nota Paraná e Nota Curitibana) e doações diretas.

Caso você tenha interesse em abraçar a nossa causa e ajudar a manter nossa missão de acolhimento às pessoas na Casa Macile, é possível doar qualquer quantia por meio de deposito ou transferência bancária para a conta do Instituto TMO (Banco Bradesco – Agência 5759 – C.C: 0096331-3). Assim você não precisa sair da sua casa e pode fazer o bem a outras pessoas. Para mais informações, acesse o site www.institutotmo.org.br e clique na aba ‘apoie’.

Toda ajuda é muito bem vinda, para que pessoas em tratamento de transplante de medula óssea possam ter o apoio mais adequado possível nesta condição delicada pela qual passam suas vidas.

Sonia Regina Moritz Perussolo
Presidente do Instituto TMO

.....................................................

Como doar:

Critério: Declarar por formulário completo (seja IR a restituir ou a pagar). Valor: Até 3% do IR devido, referente ao exercício. O valor será calculado automaticamente pelo programa de declaração da receita federal.
1. DOAÇÃO: Depois de informar as possíveis doações realizadas em 2019 e terminar o preenchimento da sua declaração, selecione, “Resumo da Declaração” e escolha a opção “Doação diretamente na declaração – ECA”. Clique em “Novo”, escolha o “Fundo Municipal”; em UF, selecione “PR – Paraná”; e em Município, “Curitiba”. Na sequência digite o valor calculado pelo programa da receita federal.
2. IMPRESSÃO: Entre na opção “Imprimir” e selecione “DARF – Doações diretamente na declaração – ECA”.
3. PAGAMENTO: Pague a guia até o dia 30 de abri de 2020.
4. E-MAIL DE CONFIRMAÇÃO: Para direcionar sua doação a Associação Alírio Pfiffer/Instituto TMO, envie um e-mail para captacao@institutotmo.org.br, contendo as seguintes informações: Comprovante de pagamento do DARF de doação; nome completo, CPF, endereço e telefone. Obs.: O envio deste e-mail é fundamental para que o seu recurso direcionado aos nossos projetos.
Ou se preferir, entre em contato com o Instituto TMO para emitir a Darf.

Para outras formas de doação, acesse o site: www.institutotmo.org.br

RELEASE CAMPANHA:

Instituto TMO solicita recursos para pessoas em tratamento de medula óssea na campanha “Abrace o Leão e doe parte do seu imposto”

Há 31 anos, o Instituto TMO apoia o transplante de medula óssea (TMO) por meio de ações beneficentes, jornadas e encontros nacionais, lançamentos de campanhas solidárias, além de levantar recursos para aquisição de equipamentos médicos e de insumos que beneficiam centenas de pacientes em tratamento de TMO no HC-UFPR/EBSERH. Desde 2016, mantém em funcionamento a Casa Malice, que acolhe e hospeda gratuitamente pessoas de outras cidades que vêm até Curitiba para realizar tratamento de medula óssea – este é o maior projeto da entidade, que contabiliza mais de 373 pessoas atendidas e 8.522 hospedagens.

No atual momento de enfrentamento ao coronavírus, o Instituto TMO precisa mais do que nunca de colaboração para apoiar com recursos financeiros as necessidades de urgência e emergência o Setor de Transplante de Medula Óssea do HC, além da manutenção da Casa Malice.

Uma das formas de doar é por meio da campanha “Abrace o Leão e doe parte do seu imposto”, em que pessoas físicas podem doar até 3% do seu imposto de renda para Instituto TMO até o dia 30 de abril, prazo final em que a Receita Federal receberá as declarações dos contribuintes.

Pessoas Jurídicas também podem contribuir, mas de uma forma diferente: doando até 1% do imposto devido, deduzindo o valor destinado no pagamento que será realizado no ano subsequente.

Como doar:

Critério: Declarar por formulário completo (seja IR a restituir ou a pagar). Valor: Até 3% do IR devido, referente ao exercício. O valor será calculado automaticamente pelo programa de declaração da receita federal.

1. DOAÇÃO: Depois de informar as possíveis doações realizadas em 2019 e terminar o preenchimento da sua declaração, selecione, “Resumo da Declaração” e escolha a opção “Doação diretamente na declaração – ECA”. Clique em “Novo”, escolha o “Fundo Municipal”; em UF, selecione “PR – Paraná”; e em Município, “Curitiba”. Na sequência digite o valor calculado pelo programa da receita federal.

2. IMPRESSÃO: Entre na opção “Imprimir” e selecione “DARF – Doações diretamente na declaração – ECA”.

3. PAGAMENTO: Pague a guia até o dia 30 de abri de 2020.

4. E-MAIL DE CONFIRMAÇÃO: Para direcionar sua doação a Associação Alírio Pfiffer/Instituto TMO, envie um e-mail para captacao@institutotmo.org.br, contendo as seguintes informações: Comprovante de pagamento do DARF de doação; nome completo, CPF, endereço e telefone. Obs.: O envio deste e-mail é fundamental para que o seu recurso direcionado aos nossos projetos.

Para outras formas de doação, acesse o site: www.institutotmo.org.br

MOVIMENTO CRIADO POR STELLA ARTOIS “APOIE UM RESTAURANTE” VAI AJUDAR MAIS DE MIL ESTABELECIMENTOS AFETADOS PELO ISOLAMENTO SOCIAL

Consumidores podem comprar vouchers com 50% de desconto para usar no futuro, ajudando estabelecimentos a se manterem financeiramente durante período de crise

Homem sentado à mesa Descrição gerada automaticamente
Na foto, a chef Ieda de Matos, do restaurante Casa de Ieda, em São Paulo. Crédito: Pablo Lobo

Março de 2020 – O isolamento social impôs diversas mudanças na rotina das pessoas e das empresas – entre os segmentos impactados está o dos restaurantes, que sofrem pela paralisação ou funcionamento parcial e correm risco de fechar as portas: segundo a Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), cerca de 10% dos estabelecimentos da capital paulista devem encerrar suas atividades por conta da crise do COVID-19. Por isso Stella Artois criou o movimento “Apoie Um Restaurante”, uma corrente para unir parceiros de todo o Brasil – restaurantes, comunidade e marcas – pela sobrevivência destes negócios.

“Apoie Um Restaurante” é uma plataforma colaborativa, criada com a ChefsClub para gerar caixa para que esses estabelecimentos, em especial os menores, se mantenham em funcionamento durante a fase de baixa demanda. Acessando www.apoieumrestaurante.com.br, o consumidor escolhe um restaurante e na compra de um voucher de R$ 100 paga só R$ 50 para consumir presencialmente no futuro – é um desconto de 50%, custeado por Stella Artois e outros parceiros da ação. Entre os apoiadores do projeto está o chef Alex Atala, uma das principais vozes da gastronomia brasileira e parceiro de Stella em outros projetos.

Serão milhares de cupons para resgate em diversas regiões do Brasil, entre elas Curitiba, com o objetivo de reunir mais de 1.000 restaurantes. O valor arrecadado será 100% revertido aos estabelecimentos participantes, com potencial de injetar milhões no setor. A fintech brasileira de meios de pagamento Stone também entrou na parceria, realizando as transações sem cobrança de taxas para os restaurantes e transferindo na hora para cada um deles a verba obtida pela venda dos vouchers.

A plataforma ainda deve receber em breve uma seção pela qual empresas e pessoas físicas poderão realizar doações diretas e comprar créditos para dar de presente. #ApoieUmRestaurante é uma ação criada pela CP+B, agência de publicidade de Stella Artois no Brasil.

Ouro Fino Estância Hidromineral Ouro Fino suspende visitações por tempo indeterminado

A medida foi tomada para conter a disseminação do novo coronavírus

A Estância Hidromineral Ouro Fino estará fechada para visitação por tempo indeterminado em razão da pandemia provocada pelo novo coronavírus (COVID-19). A medida começou na quarta-feira (18) como forma de precaução em relação à saúde pública e seguindo as recomendações do Ministério da Saúde e do Governo do Estado do Paraná.

Segundo o CEO da Águas Ouro Fino, Marcelo Marques, mesmo que o parque seja um local aberto, ele possui espaços de uso compartilhado que podem gerar aglomerações de pessoas. “Prezamos pelo bem-estar da comunidade local e dos nossos visitantes. Buscando evitar a disseminação do coronavírus, decidimos fechar a Estância para visitação, seguindo as orientações necessárias”, reforça Marques.

Para mais informações, entre em contato com a Estância Ouro Fino pelo telefone (41) 3648-6000 ou pelo e-mail sac@aguasourofino.com.br.

CONTATOS DE IMPRENSA

EXCOM COMUNIÇÃO
Kamilla de Almeida / Karina Trzeciak
41 99271-1281 / 41 99827-8063
kamilla@excom.com.br / karina@excom.com.br

SOBRE A OURO FINO

A Águas Ouro Fino, que envasa e comercializa água mineral natural há 120 anos, possui uma longa e expressiva trajetória. Uma empresa dedicada a hidratação saudável, bem estar e qualidade de vida, com uma área de preservação ambiental de mais de 6 milhões de m², que investe no crescimento de seus colaboradores e também em inovação, tecnologia e gestão. São nove linhas de envase e com uma fonte de água mineral natural de alta capacidade e qualidade assegurada. A sede está localizada no município de Campo Largo, região metropolitana de Curitiba.

Negociar aluguel é o melhor remédio para os empresários

Especialista em direito imobiliário explica que o diálogo e a boa vontade devem pautar as relações comerciais em momento de pandemia

Em tempos de pandemia causada pelo Covid-19, as ruas vazias e o fechamento do comércio traz muita insegurança para empresários dos mais diversos segmentos. Além da preocupação com o pagamento dos colaboradores, a falta de caixa para a quitação dos aluguéis é outra situação que tem tirado o sono de muita gente.

De acordo com o Sindicato das Empresas de Gastronomia, Entretenimento e Similares de Curitiba, o Sindiabrabar, até sexta-feira (dia 20 de março), o movimento já havia caído 80% em Curitiba e Região Metropolitana, situação que fica ainda mais comprometida com o fechamento de grande parte dos estabelecimentos comerciais nesta semana. Varejistas de shopping e de rua também já sentem reflexo direto, inclusive com a dispensa de funcionários.

Conforme a especialista em direito imobiliário, Morgana Borssuk, sócia do escritório Borssuk & Marcos Advocacia, em Curitiba, a melhor estratégia para o momento é o diálogo. Isso porque “não há na legislação locatícia e sequer em qualquer lei vigente uma solução explícita à situação vivida. Trata-se de algo atípico, popularmente conhecido como força maior”.

Desta forma, de um lado temos o locador que, por vezes, sobrevive do aluguel. Do outro, tem-se o locatário que devido ao cenário atual - em sua grande maioria – terá a renda reduzida e o aumento com gastos.

Assim, explica Morgana, a grande e melhor solução para essa situação é, sem dúvida, a negociação amigável entre as partes. “Da mesma forma como a lei não prevê de maneira explícita o que fazer numa situação como essa, também não impede que as partes negociem e encontrem uma forma amigável de resolução”, enfatiza. E isso é extremamente importante para o momento.

Negociação e boa fé

A advogada Morgana Borssuk argumenta que na falta de uma negociação favorável, a opção judicial será uma revisão contratual - tendo como pauta o Código Civil Brasileiro e um dos mais importantes princípios das relações contratuais, a boa fé.

Também será necessário levar em conta a chamada teoria da imprevisão, visto que não se trata de algo previsto ou consequência de qualquer ato lesivo entre as partes, mas algo de força maior. “O diálogo é a pauta da vez na tentativa de equilibrar as relações contratuais nesse período de incerteza”, pondera.

Litígio

Em casos de litígios, como toda ação judicial, a situação exigirá uma série de provas. Não basta a alegação de pandemia. Embora o evento seja inesperado e a essência do motivo do ingresso judicial, o empresário locador do imóvel terá que comprovar sua real incapacidade financeira. Neste caso, será importante fazer um levantamento de dados financeiros mostrando como a empresa se comportava em “dias normais” e o impacto causado na receita devido a suspensão das atividades.

Shopping centers

Para os lojistas de shopping centers, a orientação da especialista em direito imobiliário também é o diálogo e o acordo para equilibrar amigavelmente a relação comercial. Mas caso o entendimento não seja possível, a orientação é um pouco diferente.

Caso o shopping tenha fechado suas portas, seja por uma medida do poder público ou por decisão da direção do empreendimento, o lojista deverá ingressar com uma medida judicial para tentativa de suspensão dos valores e obrigações contratuais, visto que a interrupção foi um evento de força maior. Isso quer dizer que - mesmo que o lojista quisesse continuar aberto - não seria possível, uma vez que a direção do estabelecimento maior o proíbe.

“Mas na situação do shopping continuar aberto – e não ocorrer uma negociação amigável – o lojista deve entrar com medida judicial com pedido de suspensão temporária ou interrupção dos pagamentos locatícios, mantendo taxas acessórias como as despesas especificas da loja referentes a condomínio, fundo de promoção entre outros”, visto que - em alguns contratos deste tipo - os alugueis são variáveis de acordo com o faturamento do lojista, finaliza Morgana.

Para saber mais:

Morgana Borssuk é advogada, administradora e pós-graduada em Direito Empresarial pelo ISAE/FGV. Sócia proprietária do escritório www.borssukemarcos.com.br, é especialista em direito imobiliário - área em que atua há mais de oito anos - gestão patrimonial imobiliária e empresarial. Especializou-se em procedimentos extrajudiciais personalizados de modo a evitar o ingresso no judiciário para a resolução de questões cotidianas.

Jockey Plaza Shopping lança campanha para incentivar doação de sangue em Curitiba

Com risco de zerar os estoques no Estado, empreendimento direciona suas mídias externas para conscientização social em meio à pandemia

Nesta segunda-feira, 23 de março, o Jockey Plaza Shopping fez a substituição de suas campanhas publicitárias nas ruas para incentivar a doação de sangue na cidade. Com a orientação de isolamento social, devido à pandemia do COVID-19, o movimento dos hemocentros caiu muito, e a doação é essencial para salvar vidas.

Foram utilizados painéis de rua em vias de grande fluxo na cidade, onde o empreendimento já possui mídia contratada, incentivando a população a doar sangue. “A mensagem tem o intuito de gerar impacto: Já que está na rua, DOE SANGUE!”, afirma a gerente de marketing do shopping, Michelle Cirqueira. “Pensamos numa forma de otimizar a comunicação que já tínhamos, para algo que contribua com a comunidade nesse momento delicado. Além da conscientização sobre ficar em casa para evitar o contágio do coronavírus, desejamos falar com aqueles que precisaram sair por algum motivo, para contribuírem para o bem dos que estão hospitalizados por diversas outras situações” – afirma.

Com estoque quase zerado no Paraná, a Secretaria da Saúde do Paraná (SESA) tomou medidas para evitar aglomeração nos locais de espera para a doação. No Hemepar, responsável pela coleta, armazenamento, processamento, transfusão e distribuição de sangue para 384 hospitais públicos, privados e filantrópicos que atuam em todas as regiões do Estado, as poltronas de doação e cadeiras da recepção foram dispostas com distância de 1,5 metros, e todas as medidas cabíveis de limpeza e esterilização foram tomadas.

Quando existe filas de espera, são distribuídas senhas para que as pessoas esperem do lado de fora, ao ar livre. "Devido a pandemia do COVID-19, registramos uma grande queda no número de doações, com risco de os estoques acabarem nos próximos dias. Convidamos a população a contribuir nesse momento, tanto no Hemepar quando nos outros hemocentros da capital. Tomamos todas as medidas necessárias para garantir a segurança de todos no momento da coleta”, afirma a diretora do Hemepar, Liana Andrade Labres de Souza, lembrando que é possível fazer o agendamento online da coleta pelo aplicativo PIÁ - Paraná Inteligência Artificial.

Para doar, é preciso ter entre 16 e 67 anos (menores de idade com autorização e presença do responsável legal); pesar no mínimo 50Kg; estar descansado e alimentado (evitar alimentação gordurosa nas quatro horas que antecedem a doação) e apresentar documento oficial com foto ( Carteira de Identidade, Carteira do Conselho Profissional, Carteira de Trabalho, Passaporte ou Carteira Nacional de Habilitação)

Quem apresentar qualquer sintoma de gripe, resfriado, dengue ou até mesmo sintomas de COVID-19, não deve ir até os hemocentros. O procedimento dura em torno de 45 minutos, ao todo.

Lugares para doação de sangue em Curitiba:

Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (Hemepar)

De segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h30, e aos sábados, das 8h às 18h.

Endereço: Travessa João Prosdócimo, 145, Alto da XV.

Telefone: 41 3281-4010 / 3281-4065 / 3281-4000

Biobanco do Hospital de Clínicas (HC)

De segunda a sexta-feira, das 8h30 às 16h30.

Endereço: Avenida Agostinho Leão Junior, 108, Alto da Glória.

Telefone: (41) 3360-1875

Hemobanco

De segunda-feira a sábado, das 8h às 13h30.

Endereço: Rua Capitão Souza Franco, 290, Batel.

Telefone: (41) 3023-5545

Hospital Erasto Gaertner

De segunda a sexta- feira, das 10h às 17h.

Endereço: Rua Doutor Ovande do Amaral, 201, Jardim das Américas.

Telefone: (41) 3361-5000

Sobre o Jockey Plaza Shopping:

Inaugurado em junho de 2019, o Jockey Plaza Shopping possui mais de 200 mil m² de área construída, com 325 operações, sendo 28 opções na praça de alimentação, além de um boulevard gastronômico com vista panorâmica para a pista de corridas do Jockey Club do Paraná. O empreendimento conta ainda com oito salas de cinema Cinépolis e espaços para jogos e lazer, que tornam o local ainda mais completo. Com um vasto mix de lojas e serviços, é um shopping que se propõe a atender de forma democrática todos os seus perfis de público. O projeto arquitetônico prioriza espaços amplos, iluminação natural e muita área verde, e busca ressignificar o lazer, remetendo o local a uma extensão de um espaço externo. O Jockey Plaza Shopping é um empreendimento do Grupo Tacla Shopping, Casteval, Paysage e GRCA.

www.jockeyplaza.com.br

Rua Konrad Adenauer, 370 - Tarumã

Como o comércio está lidando com a quarentena?

Casa de Bolos conta sua experiência e planos para o futuro

Por conta do decreto da prefeitura de Curitiba em virtude da situação de quarentena no Brasil e no mundo, muitos estabelecimentos estão fechados, mas restaurantes estão autorizados a ficar abertos desde que com horários mais curtos e alto cuidado com a higiene.

“Nós estamos fazendo o máximo possível para que essa situação acabe rapidamente, então, passamos a entregar apenas delivery e encomendas dos clientes, afinal, é preciso se adaptar sem parar de trabalhar”, conta Luciana Ishibashi, proprietária da Bença Vó – Casa de bolos, junto com seu marido, Álvaro Ishibashi.

A Bença Vó conta com bolos dos mais diferentes sabores, tortas, pães e alguns salgados, além de bebidas quentes e geladas. Todos os pratos são focados na modalidade de comida afetiva.

Muitos empreendedores estão tendo que buscar novos recursos e formas de trabalho para não estagnar nesse momento de crise. Para Luciana, essa atitude foi a resposta. Ainda, para atrair clientes, a entrega por delivery não tem custo para quem vive próximo.

A pandemia não está afetando apenas os negócios locais, mas a sociedade em geral. Tanto provedores quanto consumidores estão aprendendo a se comportar de maneira diferente e estima-se que, após a quarentena, a maioria dos consumidores mantenham a nova forma de estar em contato com o comércio.

“Queremos nos adiantar para suprir todo o tipo de cliente, sejam adaptados ou tradicionais, fiéis ou novos. Esse atendimento é tão acolhedor quanto um abraço de vó”, finaliza Luciana.

Bença Vó

Luciana Costa Ishibashi

Álvaro Issao Ishibashi

contato@bencavo.com.br

41-3154-5955 / 99536-4878

Instagram/facebook: @bencavocasabolos

www.bencavo.com.br

Rua Eça de Queiroz, 1240, Ahu, Curitiba - PR

Pequenos negócios de chocolate e doces buscam alternativas para driblar a perda de clientes na Páscoa

Com a crise provocada pela pandemia do coronavírus, empresas estão investindo, principalmente, nas mídias sociais para se aproximar do público

A Páscoa, principal período de vendas para a indústria do chocolate durante o ano, se transformou, em 2020, em um dos maiores desafios já encarados pelos setores. Com a crise provocada pela pandemia do coronavírus, os empresários que esperavam um crescimento de 5% a 10% nas vendas este ano (de acordo com pesquisas do segmento), estão tendo de criar soluções alternativas para reduzir o impacto com a restrição de deslocamento dos clientes imposta em praticamente todos os estados.

A crise foi um duro golpe para a empreendedora de Curitiba, Rosana Correa, que já trabalhava com doces há dois anos, mas que começou a se dedicar exclusivamente à atividade no final de 2019. Ela já havia comprado embalagens e produtos para a produção de ovos de páscoa e outros doces, além de ter recebido as encomendas quando a pandemia atingiu o país. “Com a situação atual fiquei com receio de atender os clientes, mesmo com todos os cuidados e com a utilização de recursos como o delivery. Comecei a me preocupar com os prejuízos que teria”, afirma.

Foi quando ela descobriu a campanha nas redes sociais “Páscoa Adiada” #pascoaatéjunho, criada por confeiteiros de diferentes locais para estender os pedidos da data para o mês de junho, período que daria um fôlego para a produção dos confeiteiros. Ela resolveu aderir à campanha e o resultado foi bem recebido pelos clientes. “Muitos clientes me apoiaram. Alguns estavam pensando em cancelar os pedidos voltaram atrás e outros realizaram até mesmo mais pedidos. Acredito que dessa forma poderemos produzir com mais segurança qualidade para o nosso cliente”, ressalta a empresária. Com isso, ela espera começar a produzir os ovos em maio e assim recuperar boa parte das vendas perdidas ao longo do período de Páscoa.

A empresária Adeline Torquato, de Pinhais, região metropolitana de Curitiba, também afirmou que as vendas devem ser muito prejudicadas por conta da crise do coronavirus, especialmente por forçar uma contenção de gastos durante a Páscoa para muitas pessoas. Ela afirma que deve intensificar os informativos para a realização de encomendas e retomar o delivery de ovos e doces. “Queremos estimular a realização de mais pedidos por parte de nossos clientes para que possamos atingir um faturamento mínimo para manter as contas em dia”, explica.

Atento às necessidades específicas desses empreendedores, o Sebrae preparou um conjunto de sugestões que podem ser adotadas para reduzir as perdas com a pandemia do Coronavírus.

CUIDADOS FINANCEIROS

O momento pede que empreendedores revejam seus gastos e cuidem do controle do fluxo de caixa. Repense expectativas de vendas, evitando compras desnecessárias, inclusive para o período da Páscoa. Se trabalha com encomenda, peça mais prazo de produção para seu cliente. Se tem contas em aberto com fornecedores, renegocie prazos de pagamentos. Se necessário, reduza sua oferta (mix) de produtos, trabalhando apenas com aqueles que garantem boa margem de lucro, priorizando liquidar o estoque acumulado e não fazer compras arriscadas. A hora é de apertar os cintos.

CUIDADOS COM A PRODUÇÃO

Todo estabelecimento de alimentação deve cumprir as Boas Práticas de Fabricação (BPF) e manipulação de alimentos. No cenário atual, as BPFs devem ser revistas e implementadas por completo, caso haja falhas de operação, conforme estabelece a RDC ANVISA nº 216/04, disponível em no link. A RDC deve ser lida e compreendida, destacando-se que os responsáveis pela manipulação devem ter conhecimentos sobre contaminantes alimentares, doenças transmitidas por alimentos, manipulação higiênica dos alimentos e boas práticas. Um exemplo de cuidados é a redução de microrganismos presentes na pele em níveis seguros, durante a lavagem das mãos com sabonete antisséptico ou por uso de agente antisséptico (como o álcool 70%) após a lavagem e secagem das mãos. Luvas e máscaras também podem ser aliadas, mas devem ser substituídas com frequência. No Portal do Sebrae estão disponíveis materiais orientativos, incluindo um curso EAD de boas práticas, disponível no Portal do Sebrae.

CUIDADOS COM A SAÚDE

Esteja atento à sua saúde e das pessoas ao seu redor, seja sua família, fornecedores ou clientes. Respeite as distâncias e oriente a todos sobre as cautelas necessárias. Muitas confeitarias são formadas por empreendedores que trabalham sozinhos, ou que contam com poucos auxiliares. É fundamental que você ou seu colaborador se afaste totalmente da produção caso haja suspeita da doença ou de contato com doentes, ainda que a princípio pareça um leve resfriado. Monitore a temperatura corporal e esteja atento a tosses e falta de ar.

REPENSANDO O MODELO DE NEGÓCIO

É importante repensar o modelo de negócio nesse momento. Se a empresa trabalha com um ponto fixo, a alternativa para driblar a falta dos clientes é investir imediatamente nas mídias sociais, nas plataformas de comércio eletrônico e nos aplicativos de entrega. Comunique ao cliente (o que muitas vezes acontece por aplicativos de comunicação e redes sociais) que seu negócio está adotando todas as medidas cabíveis que prezam pela segurança e qualidade do seu produto. Atente-se para que todos os seus fornecedores e prestadores de serviço (como entregadores) também tenham todo o cuidado necessário com o coronavírus.

OPORTUNIDADES PARA CONFEITARIAS
Para a confeitaria, o momento é mais propício para produtos que sejam protegidos (embalados individualmente). Alimentos a serem compartilhados (como bolos de corte) são um possível foco de contaminação no momento de o cliente compartilhá-los com seus amigos e familiares. Além disso, o adiamento de diversos eventos e confraternização limitarão essas demandas. A confeitaria apresenta muitos produtos de tamanhos menores, e apostar nessas opções, embalando-as individualmente, é uma oportunidade. Nessa linha de produtos, entram os brownies, cupcakes, pão de mel, docinhos, bolo de amanhã, bolo no pote, dentre outros.

Show de ZECA BALEIRO em Curitiba é adiado para julho

Foto: Silvia Zamboni

A produtora Orth Produções comunica o adiamento do show de Zeca Baleiro “O amor no caos, voz e violões”, que aconteceria no dia 19 de junho na Ópera de Arame, em Curitiba. O show na capital paranaense confirmou a nova data para dia 18 de julho de 2020, às 21h, na Ópera de Arame.

A produção está atenta aos recentes acontecimentos relacionados ao COVID-19 e a importância das restrições de aglomerações de pessoas. "É muito sério o que estamos vivendo, mas temos que enfrentar este momento com serenidade e prevenção seguindo as orientações dos órgãos oficiais de saúde e não propagando fake news. É momento de solidariedade e de cuidados necessários, onde devemos fazer a nossa parte para que tudo passe da maneira mais rápida e com os menores danos possíveis. A saúde do público e de todos os profissionais envolvidos nas nossas produções é a nossa prioridade".

Quem comprou o ingresso

As pessoas que compraram ingressos, e querem assistir o show na nova data, não precisam trocar os mesmos bilhetes, eles continuam valendo para a nova na poltrona adquirida.

Se optar pela restituição de valor de compra, os clientes devem enviar e-mail para: atendimento@diskingressos.com.br ou entrar em contato com 41 3315-0808.

SERVIÇO:

A nova data: dia 18 de julho de 2020

Local: Ópera de Arame – Curitiba/ PR

Horário: 21h

Os ingressos continuam à venda pelo Disk Ingressos. Para mais informações, acesse www.diskingressos.com.br ou entre em contato pelo telefone (41) 3315-0808

Coronavírus, existe amor em Curitiba!

Plataforma tem como proposta facilitar a comunicação e interação entre iniciativas de apoio e suporte àqueles que necessitam.

Março de 2020 - Será que situações de crise, como a atual pandemia do Covid-19, deixam aprendizados para além do pânico, desesperança e apatia? A consternação coletiva e suas ações, motivadas pelo individualismo e desespero, fazem que crer, inicialmente, que não. Contudo, um olhar mais minucioso põe em evidência características humanas que, mesmo adormecidas, são inalienáveis. A solidariedade é uma delas.

A população contemporânea não foi a única a ser pega de surpresa pelo vírus, nossos princípios, comportamentos, organização social e estilo de vida também estavam despreparados. Se apenas há um mês a rotina global ainda era de fleuma, desprezo ou indiferença diante do outro, agora, a realidade está absolutamente transformada e este torpor precisa ser substituído pela fraternidade, empatia e generosidade.

Certamente podemos superar esta crise, a questão essencial é se conseguiremos sendo e agindo como fizemos até aqui: em completo desrespeito e alheamento.

A resposta é “não”, e iniciativas – brotando de diversos espaços – tem demonstrado que mais do que sobrevivência, está em nossas mãos a construção de uma nova sociabilidade, voltada ao bem-estar coletivo.

Tendo em vista este cenário, um grupo de amigos fundou a plataforma Existe Amor em Curitiba, com o objetivo de reunir e facilitar a comunicação entre aqueles que querem ajudar e os que precisam de suporte.

Segundo Diogo Busse, um dos idealizadores do projeto, períodos de crise podem ser catalisados para o fortalecimento de conexões e o aprimoramento de afetos.

“Em momentos como este, vemos emergir a solidariedade e a criatividade. Precisamos enxergar e criar, nestas circunstâncias, novas possibilidades de existência comum”.

Busse também explica que a plataforma, lançada nesta quinta-feira (19), é resultado de diferentes anseios e desejos, que deram ensejo a uma mobilização espontânea e genuína.

Existe Amor em Curitiba surgiu, portanto, da necessidade, expressa por muitos, de ajudar e oferecer apoio e suporte coletivo.

“A ideia é conectar pessoas que têm meios e disposição de contribuir àqueles que necessitam. Nossa rede está integrando serviços, talentos, vocações e boa vontade em prol do bem-estar comunitário”, esclarece.

A plataforma viabiliza e simplifica o acesso, a comunicação e interação entre pessoas e torna profissional liberais, iniciativas privadas e voluntários mais próximos daqueles que precisam de doações, mantimentos e serviços.

“O simples contato com estas iniciativas já inspira, traz esperança, gentiliza, bons sentimentos. O contexto atual está nos abalando de muitas formas e para não sermos tragados pelo pânico ou pela indiferença, precisamos agir de forma empática, caridosa e afetiva”, finaliza Busse.

Se a história se apresenta como o desenvolvimento da própria humanidade, temos aqui uma grande oportunidade de definir novos caminhos em direção a um futuro melhor, mais gentil, civilizado, empático e solidário.

Para conhecer, participar e/ou receber ajuda, basta acessar:

https://tinyurl.com/existeamoremcuritiba