Evento de palestrantes reúne mais de 20 milhões de seguidores nas redes sociais e tem ingressos esgotados em duas semanas

A cada dia que passa, se torna mais visível como as redes sociais podem ter força de movimentação de pessoas engajadas em um objetivo comum. O evento “Arrasta pra cima” é a prova disso, onde 20 milhões de seguidores se mobilizaram e esgotaram rapidamente os ingressos para o grande encontro de palestrantes, empreendedores e influenciadores que será nesta quinta-feira, no estádio Allianz Parque, em São Paulo.

Amanhã, dia 17 de setembro, um dos maiores eventos agendados para 2020 reunirá marketing, empreendedorismo, espiritualidade e solidariedade. A organização é de alguns empresários e palestrantes, dentre eles, Diego Vergílio, Jonas Kaz, e Gustavo Gambit. É esperada a participação do ator Bruno Gagliasso, do empresário Geraldo Rufino e do terapeuta Tadashi Kadomoto neste encontro no Allianz Parque que transformará a vida de todo o público que poderá participar presencialmente.
Todos os 25 experts, empreendedores e influenciadores digitais de várias partes do Brasil, possuem muitos seguidores. A mobilização para o encontro foi tão instantânea que os ingressos para o evento se esgotaram em duas semanas. Para garantir a segurança e o distanciamento social por conta da pandemia da Covid-19, a apresentação será no sistema drive in.
Ou seja, são esperados 285 automóveis dentro do gramado do estádio para acompanhar o evento, mesmo com todas as recomendações anti-covid. Assim, aliando solidariedade e conhecimento reunidos em um único espaço, grandes nomes das mais das áreas de empreendedorismo, marketing digital, desenvolvimento profissional e pessoal, espiritualidade, cultura estarão em 6 horas de total imersão com o objetivo de impactar nações e levar os participantes para o próximo nível.
Neste momento onde a sociedade enfrenta uma profunda crise, a expectativa da organização é provar que o ditado “grandes crises revelam ótimas oportunidades” está certo, mas ressaltando como diferencial deste encontro as maneiras de como descobrir as melhores oportunidades e o caminho para sair na frente. Um dos palestrantes é Tadashi Kadamoto. Ele acredita que todas as situações, mesmo as mais terríveis têm coisas positivas. “Cabe a nós descobrir o lado positivo de cada situação. O evento mostrará como entender o cenário pós-pandemia e tirar o melhor proveito disso, sendo a maior oportunidade do século para quem quer se tornar um empreendedor de sucesso”.
Parte da renda do evento será repassada à ONG Fraternidade sem
Fronteiras, uma organização de ajuda humanitária, que nasceu no Brasil e atua
em mais 5 países, com milhares de acolhidos. “Será um grande momento
inesquecível e em prol de uma causa nobre, o movimento Arrasta para Cima está
só no começo e apoia o projeto dessa ONG, que neste momento de pandemia precisa
mais do que nunca do nosso apoio”, afirma um dos idealizadores do evento, Jonas Kaz.
O Arrasta para Cima Solidário será uma apresentação única no próximo dia 17 de setembro, amparada por uma estrutura diferenciada, com qualidade e segurança ao público. Exibição em 2 telões de 103 metros quadrados e som distribuído em mais de 400 caixas, posicionadas ao lado dos veículos, também há a opção por rádio para sintonizar o áudio. A venda de alimentos e bebidas será através de aplicativo, com a garantia de todos os cuidados nesse período de pandemia.
O time de palestrantes escalados estará assim: Gustavo Gambit, Bruno Gagliasso, Tadashi Kadomoto, Geraldo Rufino, Jonas Kaz, Davi Braga, Diego Vergílio, Carol Cantelli, Tathi Deândhela, Elainne Ourives, Jhanne Pires, Felipe Marx, Marcos Strider, Vinicius Areb, Ricardo Bellino, Dani Rigo, Ricardo Resstel, Larissa Mocelin, Rafael Martins, Rafael Albano, Aguinaldo Alberto, Sandra Regina, Rafael Magalhães, Loise Velasco e Rafa Trader.

Jequiti apresenta a nova e surpreendente linha Rebeca Abravanel

A personalidade, a cor e o elemento prediletos da apresentadora dão o tom dos produtos, tanto na estética quanto na essência

Depois do grande sucesso de vendas da sua primeira coleção Eu Rebeca Abravanel da Jequiti, a apresentadora chega com uma nova linha, que dessa vez veio para ficar! As preferências da apresentadora do Programa Roda a Roda Jequiti, foram intensamente absorvidas na concepção da nova linha de produtos Jequiti que leva o seu nome. Na coleção Rebeca Abravanel, a cor rosa e as flores estão impressas nas embalagens externas e no frasco da fragrância, retratando a essência delicada e espontânea da apresentadora.

A coleção personifica a mulher que vive intensamente sem medo de ser quem é e deixa sua marca registrada por onde passa. O design da linha foi criado especialmente para esse projeto e traz a delicadeza das flores combinadas a um layout moderno e delicado que transmite a personalidade autêntica da Rebeca.

Embora seja reservada, Rebeca é a verdadeira tradução de espontaneidade, charme, simpatia e alegria. Ela não tem medo de ser quem é, vive intensamente e sem script.

A linha Rebeca Abravanel é formada por colônia desodorante (25ml) com buquê floral, notas de frutas vermelhas e toque de baunilha, trio de sabonetes hidratantes em barra (50g cada), loção hidratante (200ml) com bisnaga laminada que retrata o brilho de Rebeca e esmalte (7ml) de tom nude exclusivo.

Desenvolvido pela casa de fragrâncias Symrise, o caminho olfativo da colônia, da loção hidratante e dos sabonetes é o floral vibrante, com notas de frutos vermelhos, maçã e orquídeas no topo, jasmin, ylang-ylang e caramelo no coração e baunilha, âmbar e musk na saída. Originária das Filipinas, Ylang-ylang (árvore tropical de flores amarelas) significa ‘flor das flores’ e adiciona à fragrância um aroma muito abstrato, dotado de efeito floral, mas sem determinar a flor exata.

Os produtos:

Colônia Desodorante Rebeca Abravanel

Preço: R$24,90

Sua fragrância traz a delicadeza de um buquê floral com a alegria das notas de frutas vermelhas e um sutil toque de baunilha.

Desodorante Hidratante Corporal Rebeca Abravanel

Preço: R$26,90

O Desodorante Hidratante Corporal Jequiti Rebeca Abravanel deixa a pele macia, hidratada e perfumada com a fragrância exclusiva da marca.

Sabonete Hidratante em Barra Rebeca Abravanel

Preço: R$15,90

O Sabonete Hidratante em Barra Jequiti Rebeca Abravanel deixa a pele limpa e suavemente perfumada com a fragrância exclusiva da marca.

São 3 sabonetes com o lindo formato exclusivo das flores que compõem todo o layout da marca.

Esmalte Rebeca Abravanel

Preço: R$9,90

O esmalte cremoso Rebeca Abravanel nude tem uma cor exclusiva na marca com a mesma qualidade dos nossos esmaltes de linha.

Os produtos podem ser adquiridos por meio de uma das 300 mil consultoras localizadas em todo o país ou pela loja online: jequiti.com.br

SAC 0800 776 7575

Conecte-se à Jequiti - www.jequiti.com.br

Siga e curta no Instagram: @Jequiti
Curta e compartilhe no Facebook: www.facebook.com/JequitiCosmeticos
Siga no Twitter: www.twitter.com/jequiti ou @Jequiti
Inscreva-se no Youtube: www.youtube.com/jequiticomvoce

Sobre a Jequiti
​A Jequiti é uma das maiores empresas de cosméticos do Brasil. Fundada em 2006, a empresa está presente em todo o território brasileiro por meio das mais de 240 mil consultoras e consultores. Comercializa a perfumaria das estrelas e possui um amplo portfólio de produtos nas categorias Cuidado para o Corpo, Maquiagem e Teen. Composto por mais de 300 itens que são atualizados a cada 21 dias com novos lançamentos. A empresa trabalha com as principais casas de fragrâncias do país.
Atuando com o modelo comercial de venda direta e e-commerce, além de parcerias no varejo com as Pernambucanas e lojas Marisa.
​ A Jequiti possui sede em Osasco (São Paulo) e faz parte do Grupo Silvio Santos, um dos mais tradicionais e respeitados conglomerados empresariais do Brasil.

DIA DO SORVETE – 23/09: Locais oferecem essa delícia com acompanhamentos de “tirar” o fôlego!

No próximo dia 23 de setembro comemoramos o Dia do Sorvete! A data é super especial, porque essa sobremesa é unanimidade para todo perfil de público, desde crianças até idosos, englobando todas as classes sociais. De acordo com a ABIS – Associação Brasileira das Indústrias de Sorvetes – o brasileiro consome cerca de 6 a 8 litros de sorvetes por ano e o país é um dos primeiros colocados no ranking de consumo dessa iguaria.

Sabendo disso, o que você acha de uma matéria ou mesmo um roteiro sobre o Dia do Sorvete indicando locais onde provar a sobremesa? Se topar a sugestão, temos duas indicações de lugares que servem essa delícia em formas inusitadas e com acompanhamentos para lá de irresistíveis!

A primeira parada para se refrescar com um sorvete especial é o Mania de Churrasco ! – rede de restaurantes reconhecida por oferecer os melhores cortes de carnes nobres temperados apenas com sal grosso e preparados em fogo forte, como manda a tradição do “bom churrasco” – que oferece a sobremesa, com exclusividade, na unidade JK 500 (Av. Juscelino Kubistchek, 500 – V. Nova Conceição, em São Paulo). Lá os clientes encontram três opções de doces com o sorvete como a estrela principal, tudo para adoçar o paladar e finalizar a refeição com “chave de ouro”.

A primeira delas é a mais simples e, também, uma das mais procuradas: bolas de sorvete de creme, chocolate ou frutas vermelhas, com cobertura opcional de chocolate ou de frutas vermelhas. A segunda opção, saborosíssima, é o famoso Brownie, que é servido com sorvete de creme, doce de leite argentino, calda de chocolate hot fudge e coberto com pedações de chocolate. A terceira sugestão exclusiva do Mania de Churrasco !, é a Cocada cremosa, que é servida com sorvete de creme, quantidade generosa de doce de leite argentino, calda de frutas vermelhas e, para finalizar, chips de coco.

O segundo local que sugerimos para saborear sobremesas com sorvete é o Busger - hamburgueria que tem suas cozinhas a bordo de ônibus antigos e oferece o melhor da experiência da comida de rua com o conforto das lanchonetes tradicionais. São nove endereços em São Paulo, que oferecem o Ice Burger, um irresistível hambúrguer de sorvete. A delícia é feita com dois biscoitos de chocolate, que recebem recheio de sorvete nos sabores churros com doce de leite, frutas vermelhas, torta holandesa ou, ainda, na versão cookies recheado com sorvete de creme e calda de chocolate. As combinações são irresistíveis!

Para os que preferem um tradicional Milk Shake, a casa oferece o sabor especial Choco Óreo, que tem como base o sorvete, uma tentadora cobertura de chocolate e biscoitos Óreo triturados.

O que você acha da sugestão? Vamos trabalhar essa pauta com sugestões de endereços para comemorar o DIA DO SORVETE?

Ah! Se precisar de imagens em alta resolução, endereços completos e outros detalhes sobre os locais e sobre as sobremesas, podemos disponibilizar, ok?!

Anarco participa de mais uma edição da Restaurant Week

Tradicional evento gastronômico acontece até dia 04 de outubro

A segunda edição 2020 da Brasil Restaurant Week já começou e novamente em sintonia com a realidade do mundo frente à pandemia da covid-19. Em Curitiba, os clientes, além de poderem saborear os menus nos restaurantes participantes, também têm a opção de delivery e take away. Outro diferencial é que a cada menu consumido, o consumidor pode optar por doar R$ 1 para o projeto Vai Ficar Tudo Bem, que assiste pessoas em vulnerabilidade na cidade.

O Anarco Empório e Restaurante, tradicional em Curitiba elaborou um menu especial. São dois menus diferentes, para almoço e jantar, válidos para as duas unidades, Batel e Mercado Municipal. De entrada, tem Carpaccio de Salmão Defumado com broa de centeio e molho de alcaparras; como prato principal as opções são Papardelle a la Carbonara com mignon ou Risotto de Funghi com pinhão servido com cordeiro assado. De sobremesa, Petit Gateau com calda de chocolate e sorvete de creme ou Panna Cota com Frutas Vermelhas. Já para o jantar, válido somente para o Batel, as opções são Polenta com ragu de mignon ou Carpaccio de Salmão; prato principal Papardelle ao Funghi trufado servido com mignon ou Risotto de Limão Siciliano com Salmão e Molho Brie; de sobremesa Tiramissu ou Petit Gateau.

O valor do menu completo é de R$ 46,90 para almoço e R$ 58,90 o jantar. Ambas as unidades atendem presencialmente seguindo os protocolos de segurança e também nos sistemas delivery e take away. Os pedidos podem ser feitos por aplicativos como Vai de Vina e Ifood e pelo whats 41 3029-6154. O horário de atendimento das casas também é diferenciado. No Mercado Municipal de terça a sábado das 10h às 15h30 e domingo das 10h às 14h; no Batel abre de terça a domingo para almoço (11h às 15h) e jantar de terça a sábado (19h30 às 22h30). Lembrando que os horários podem sofrer alterações conforme decretos estabelecidos frente ao novo coronavírus. Mais detalhes no site www.anarco.com.br ou nas redes sociais @anarcorestaurante. A Restaurant Week acontece até dia 04 de outubro.

Unidade Batel
Almoço Diariamente das 11h às 15h
Jantar de terça à sexta-feira das 19h30 às 22h30
Rua Marechal José Bernardino Bormann, 600
Informações e reservas pelo 41 3013 5379

Unidade Mercado Municipal
Segunda-feira das 11h às 14h; terça à sábado das 11h às 16h e domingo das 11h às 15h
Av. Sete de Setembro, 1865 Mercado Municipal de Curitiba – Box 339 – Praça João Snege
Informações e reservas pelo 41 3264 1764

Crédito de fotos: Divulgação

Roupa Nova, Belo e Kell Smith agitam o “Boteco do Ratinho” nesta quarta-feira (16)

Nesta quarta-feira, 16 de setembro, logo após o jogo da Copa Libertadores, o “Boteco do Ratinho” traz muita música para divertir a noite. No palco, a banda Roupa Nova, o pagodeiro Belo e a cantora pop Kell Smith agitam o programa cantando seus sucessos e batendo um papo super descontraído com Ratinho.

E a atração continua com o apresentador Otávio Mesquita surpreendendo o Santos do Programa do Ratinho, fazendo a maior bagunça, acordando ele logo cedo e não deixando mais ninguém dormir em paz.

Tem também o resultado de DNA de Laerson x Jussiara.

O Programa do Ratinho vai ao ar de segunda a sexta-feira, a partir das 22h15. Site oficial: http://www.sbt.com.br/ratinho

Laboratório da UFPR oferece testes gratuitos a consumidores de todo Brasil para identificar álcool gel falsificado durante pandemia

Amostras podem ser entregues pessoalmente em Curitiba ou enviadas por correio; resultado da espectometria sai em minutos e serve para orientar sobre sanitizantes

26545_alcool70_25_7599178336555562112.jpg
A pandemia elevou a procura por sanitizantes à base de álcool gel no Brasil em mais de seis vezes ainda no início da pandemia de Covid-19, em março, o que aponta mudança de hábitos dos brasileiros devido ao novo coronavírus. A escolha do produto também ficou mais difícil: o abrandamento nas regras de registro pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para suprir a demanda fez aumentar a quantidade de marcas nas prateleiras. Como agravante, o consumidor que desconfia da qualidade do álcool gel que está em mãos para combater o coronavírus tem um problema pela frente.

“É extremamente difícil saber se uma amostra de álcool gel contém realmente 70% de álcool etílico ou qualquer outra porcentagem sem análise laboratorial, porque as características físicas, como a consistência e o odor, são as mesmas”, explica o professor Andersson Barison, do Departamento de Química da Universidade Federal do Paraná (UFPR), em Curitiba. Isso explica a utilidade do serviço de testagem gratuito que o Laboratório de Ressonância Magnética Nuclear (RMN), do departamento, tem disponibilizado à sociedade.

O serviço de análise de álcool gel começou para apoiar as polícias Civil e Federal, que apuram casos de fraudes nessa indústria, e desde agosto foi aberto à comunidade em geral (pessoas físicas e pequenas empresas) de forma gratuita.

Para solicitar a análise, basta entregar entrar em contato através do e-mail alcoolgel@c3sl.ufpr.br e levar uma amostra do produto à guarita do Centro Politécnico da UFPR (Av. Cel. Francisco H. dos Santos, 100, Jardim das Américas). Quem não reside em Curitiba pode enviar amostra pelo correio — apenas um mililitro é suficiente para o teste --, informando dados pessoais e de contato. O resultado é encaminhado por e-mail.

Análise rápida

Em média, o laboratório tem recebido de 10 a 15 amostras por semana. Segundo a professora Caroline D’Oca, também do Departamento de Química, a análise realizada no equipamento, chamado espectômetro de ressonância magnética nuclear, leva cerca de dois minutos. O espectômetro é capaz de identificar de forma precisa a formulação química de compostos orgânicos por meio das propriedades magnéticas dos átomos dos elementos químicos.

É preciso, porém, prestar atenção ao aspecto orientativo do serviço, diz Caroline. “As análises não têm valor jurídico e guardam o sigilo das marcas. O nosso único objetivo é deixar o consumidor mais seguro com relação ao que está utilizando, seja no restaurante, na escola, no ambiente público, numa clínica ou numa farmácia. Assim damos retorno à sociedade pelo investimento feito na universidade, oferecendo um serviço público gratuito, para contribuir com esse momento tão delicado que todos estamos passando”, explica.

Ela ressalta que o percentual de fraudes nas amostras entregues pela comunidade tem sido baixo. Mas já houve casos de produtos com quantidades muito baixa de álcool etílico, não apropriados para uso sanitizante. “A gente encontrou amostras de álcool gel produzido de forma inadequada, em fundo de quintal. O álcool utilizava produtos de partida que não são adequados para uso farmacêutico, por exemplo, o álcool combustível”, conta.

A incerteza acaba sendo um fator que interfere não apenas individualmente, mas na saúde pública. ”A pessoa que usa um álcool gel falsificado tem a falsa impressão de estar protegida contra o vírus, quando na verdade está somente ajudando a disseminar ainda mais o vírus”, diz Barison.

Pesquisas

A experiência do Laboratório de RMN na análise de álcool gel também será usada em uma pesquisa no Departamento de Química da UFPR. O objetivo é desenvolver um método de análise da qualidade do produto que não seja vulnerável a alterações na composição dos produtos em caso de escassez de matérias-primas no mercado, por exemplo. Segundo Barison, que orienta a pesquisadora Maria de Fátima Costa Santos, além de mais aplicável, o método terá custo zero e poderá beneficiar indústria e governo. “É uma metodologia absoluta, sem erro. Além disso as análises são muito rápidas permitindo analisar diversas amostras por dia”, afirma ele.

Outro projeto dos pesquisadores é desenvolver um dispositivo de RMN portátil que permite averiguar a qualidade de álcool gel diretamente nos pontos de venda. O dispositivo atenderia a uma procura real dos consumidores, bem como agilizaria o controle de qualidade pelo produtor. “Estamos buscando recursos financeiros para esse projeto”, conta Barison, que atua no desenvolvimento de métodos de controle de qualidade usando a ferramenta de RMN há mais de 15 anos.

Centro de Ciências Forenses

Paralelamente a isso, o Laboratório de RMN fornece apoio aos peritos da Polícia Civil do Paraná e da Polícia Federal. O Laboratório de RMN é integrante do Centro de Ciências Forenses da UFPR, inaugurado em maio pelo Setor de Ciências Exatas da UFPR. Trata-se de um grupo multidisciplinar que atua em parceria com órgãos de segurança pública e controle na elaboração de estudos e nas ofertas de serviços e de apoio em geral. A meta é fortalecer a ciência forense no Brasil.

No caso do álcool gel, o apoio mais constante do laboratório tem sido em relação às denúncias de fraude investigadas pela Delegacia de Crimes Contra a Economia e Proteção ao Consumidor (Delcon), por meio da Polícia Científica do Paraná. Já foram avaliadas mais de dez amostras relativas a essas denúncias no Estado.

Já o suporte do Laboratório de RMN da UFPR à Polícia Federal ocorre há cerca de quatro anos e se estende a outras operações, como a análise de drogas. “Essas amostras, após confirmação, permanecem como material de referência para a gente utilizar em apreensões futuras”, explica o perito Ricardo Mascarenhas.

No fim de abril, a PF solicitou ao laboratório a análise de amostras de álcool gel apreendidas em uma operação que tratava de fornecedores da União, daí a competência da instituição federal. Foram entregues 15 amostras de cerca de 3,1 mil litros de álcool gel apreendidos.

Por que 70?

O álcool gel capaz de destruir o novo coronavírus, prevenindo contra a Covid-19, tem uma proporção delicada a ser seguida: 70% de álcool etílico (etanol) para 30% de água e eventuais substâncias emolientes, o chamado “álcool 70”. Segundo a Anvisa, concentrações menores ou maiores de álcool não são efetivas em destruir o vírus, seja pela falta da substância ativa ou porque ela, sem água suficiente, evapora antes de agir. O processo de evaporação explica por que o álcool gel é mais eficaz do que o álcool líquido contra o novo coronavírus.

A agência recomenda que consumidores em dúvida busquem saber se o produto é registrado pelo governo federal. A busca pode ser feita no site da agência, em "consultas" e, depois, em "consultas genéricas".

Além de potencialmente não proteger contra o vírus, o álcool gel falsificado apresenta risco à saúde, uma vez que pode apresentar contaminantes que não devem entrar em contato com a pele e nem serem aspirados ao evaporarem, por exemplo. O risco é maior quando crianças são atingidas. Segundo a Anvisa, o número de registros de intoxicação infantil por álcool de janeiro a abril deste ano foi dez vezes maior do que a média dos anos anteriores.

LINKS

Matéria no Portal da UFPR: https://bit.ly/3kmJ9F3
Fotos de divulgação: https://bit.ly/2QQM9g9 (crédito: Marcos Solivan/Sucom-UFPR)

Áudios de divulgação: https://bit.ly/2YSyolS

Legenda da foto: (Laboratório no Departamento de Química da UFPR, em Curitiba, tem recebido de dez a 15 amostras por semana de álcool gel para análise da qualidade. Na foto, amostra sendo preparada para o exame. Fotos: Marcos Solivan/Sucom-UFPR)

Luan Santana, Luísa Sonza e Giulia Be se juntam para ensaio glamouroso

Luan Santana, Luísa Sonza e Giulia Be se juntam para ensaio glamouroso

Trio usou palácio paulistano como cenário para registro sobre projeto musical

downloadAttachment&Message%5Buid%5D=178286&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253CCP2P152MB35853455FB37EC37DA81FD05F5210%2540CP2P152MB3585.LAMP152.PROD.OUTLOOK.COM%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3CCP2P152MB35853455FB37EC37DA81FD05F5210%40CP2P152MB3585.LAMP152.PROD.OUTLOOK.COM%3E-1.2

Créditos: Luciano Marques

Anote aí: no dia 26 de setembro, Luan Santana se une a Luísa Sonza e a Giulia BE no jardim de um tradicional palácio da cidade de São Paulo, um cenário glamouroso para um repertório clássico e absolutamente conceitual do universo romântico de um show que terá cerca de quatro horas de duração. Para mostrar a grandiosidade do que vem por aí, ontem (13/9), o trio se reuniu no Palácio dos Cedros, no Ipiranga, Zona Sul de São Paulo, para registrar o material de divulgação do projeto, que vai juntar as vozes e belezas dos artistas num espetáculo virtual de marcar a história. As fotos e vídeos trazem a assinatura de Luciano Marques, que captou o material durante seis horas de trabalho.

A apresentação será um constante revezamento de vozes em duetos e trietos, tudo isso junto e misturado, em torno de canções como “Corazón Partío”, de Alejandro Sanz (com Luan e Giulia), “Água com Açúcar”, de Luan (Luan e Luísa), “É o Amor”, de Zezé Di Camargo (Giulia e Luan), Kid Abelha (Luísa e Giulia), “Garçom”, de Reginaldo Rossi (Luan e Luísa), “Can’t Help Falling in Love”, de Elvis Presley e “What a Wonderful World”, de Louis Armstrong, entre outros hits de uma extensa lista que promete espichar a apresentação para quase quatro horas de show.

‘“Vai ser um show só de clássicos, bem classudo”, promete Luan, avisando que a escolha pelo repertório seguiu critérios conceituais para honrar a ideia da live com Luísa e Giulia, pensando na combinação entre as três vozes e nos devidos cuidados com os arranjos das canções tão cuidadosamente selecionadas.

Como já denuncia a prévia de playlist aqui divulgada, o trio vai gastar seus conhecimentos poliglotas para cantar também em espanhol e inglês, sagrando, acima de tudo, uma ocasião que será uma grande diversão para os três, sem deixar, é claro, o profissionalismo de lado.

“Queremos focar muito nas nossas crenças como artistas, sublinhar a emoção e aquilo em que acreditamos, apoiados por uma qualidade musical muito bem cuidada”, completa Luan, que promete ainda mais surpresas para o show.

Luísa Sonza se declara ansiosa pela chegada do dia 26. “Muito feliz e ansiosa, mesmo, para participar desta live com Luan e Giulia. São dois artistas muito talentosos que admiro demais e que será um grande prazer poder dividir o palco. Espero todos vocês para curtirmos juntos este show que vai ser inesquecível.”

Giulia, por sua vez, revela que este encontro marca também a sua estreia em show virtual. “Estou muito feliz, não fiz LIVE ainda. É a minha primeira LIVE, não podia estar em melhor companhia. Eu amei conhecer o Luan, ele é um artista incrível. A Luísa eu já sou amiga dela há um tempo, foi uma das pessoas desse meio que foi mais carinhosa, sincera e fofa comigo. Então, realmente, estou me sentindo muito em casa, muito à vontade. Eu admiro o trabalho deles há muito tempo e é muito bom você poder estar com pessoas que você admira. Hoje em dia, considerá-los amigos e poder ter uma oportunidade como essa de estar junto com eles é muito bom. E o Luan tem a personalidade de tirar o melhor de você e ‘botar’ isso à mostra. Eu sinto que este sentimento entre nós vai acontecer e ficar em evidência na LIVE, a gente vai se divertir bastante e cantar várias músicas muito boas. Porque, no fundo, o que nos une é o amor pelo que a gente faz”, declara.

Recentemente, a Revista Veja declarou Luan Santana como um artista “hors concours” (nomenclatura usada para alguém fora de competição, por possuir qualidade superior aos demais). Como o artista mais tocado na década e a nobreza de quem não se vangloria de títulos ou adjetivos, ele se sente honrado pelas declarações de Luísa e Giulia, até porque grande parte do repertório do show trará uma releitura dos clássicos do próprio Luan. “Além de clássicos de grandes artistas do Brasil e do mundo, teremos músicas da minha carreira, vai ser como ouvir as histórias de amor nas vozes de duas cantoras que usam essas histórias como inspirações para elas mesmas. Isso é mágico!’, finaliza Luan Santana.

(ARLEYDE CALDI - MTB 23.331)

Link de Fotos:

https://drive.google.com/drive/u/1/folders/1NC0zCWoTpaXZZ_ktyCivv3J7J2ScMIXA

Créditos: Luciano Marques

STF decide que o IPI incidente na revenda de produtos importados é constitucional

Empresário do setor lamenta a decisão e diz que ela vai contra a OMC

O STF julgou no final de agosto que é constitucional a incidência do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) no desembaraço aduaneiro de bem industrializado e na saída do estabelecimento importador para comercialização no mercado interno. Com a decisão, os importadores pagam duas vezes o imposto: a primeira no desembaraço aduaneiro de produto industrializado e a segunda na saída do estabelecimento importador para comercialização no mercado interno, que representa violação ao princípio da isonomia, previsto no artigo 150, II, da Constituição.

No passado, alguns casos chegaram a ser julgados favoravelmente aos importadores pelo STJ, e estima-se que 14 mil empresas brasileiras tinham o processo finalizado ou estavam em processo com liminares para não pagar IPI em duplicidade. Com a queda dessa liminar, o impacto será de aumento de recolhimento de R$68,6 bilhões aos cofres públicos e, consequentemente, aumento de custos do produto final.

Segundo o advogado Alexandre Dalla Vecchia, o impacto imediato no setor de importação é a oneração do produto importado mesmo que pronto e acabado, em um setor que já sofre com a alta carga tributária e volatilidade do dólar. “É recomendável aguardar a finalização do julgamento e, até lá, certamente as empresas que ostentam decisões favoráveis com exclusão do IPI na revenda do produto vão se valer das decisões conquistadas no âmbito do STJ”, explica. “Os desdobramentos de cada caso é particular, e é provável que com o trânsito em julgado já conquistado por alguns importadores, que algum sigam em frente mesmo que com essa decisão contrária em face de todo esse contexto”, completa Vecchia.

A decisão foi recebida com repúdio pelos empresários do setor. O diretor da ES Logistics, Fabiano Ardigó, afirma que essa decisão vai contra a Organização Mundial do Comercio (OMC). “Vemos com preocupação o que aconteceu. O cancelamento da bitributação abriria uma nova perspectiva para o setor de importação no Brasil”, afirma. “Empresas que estavam com liminares com autorização de não recolher o IPI não terão condições de conquistar essa mesma vantagem. A reincidência do imposto na revenda de importados impacta diretamente no valor do produto final pago pelo contribuinte e essa bitributação é um retrocesso para o mercado de importação brasileiro”, completa Ardigó.

A advogada responsável pela área de comércio internacional da Catta-Preta & Salomão Advogados, Maria Eugênia Catta-Preta, dedicou sua dissertação de mestrado na FGV/SP ao tema da não incidência do IPI na revenda de mercadorias nacionalizadas já que, segundo ela, essa discussão é complexa e antiga no país, iniciando-se em 1999 nos tribunais. “Considero que foi uma perda muito grande no debate jurídico a realização de um julgamento virtual, e que não levou em consideração a criação de disparidade entre empresas, inclusive entre importadoras, gerada pelo Judiciário. Lutamos todos os dias para o direito acontecer da forma mais justa possível, mas o direito nos tribunais tem cada vez mais relação com política e economia, do que ele em si”, lamenta Maria Eugênia.

Segundo a advogada, a interpretação da lei precisa acompanhar a evolução do tempo. “Tanto no STF como no STJ, não houve uma análise adequada do contexto apresentado e dos acordos de comércio internacional firmados no âmbito da OMC pelo Brasil. Foi feita uma análise bem superficial que favorece a concorrência desleal e fora dos compromissos internacionais assumidos, o que abre espaço para mais discussões, inclusive nos organismos internacionais. A violação dos Acordos da OMC coloca o país em uma posição delicada que pode ter consequências para a economia como um todo”, alerta a especialista. “Para a indústria nacional, a múltipla incidência do IPI certamente desestimulará investimentos em tecnologia e modernização, e poderá colocar o país em posição ainda mais desfavorável no cenário do comercial internacional”, destaca.

Campeão Daniel Gaúcho confirma defesa de título em dia de encaradas tensas no BRAVE CF 41

Manama, Bahrein - 16 de Setembro de 2020

O BRAVE Combat Federation realiza sua 41ª edição nesta quinta-feira (17), na abertura da “Kombat Kingdom”, sequência de três eventos consecutivos da organização no Bahrein. Liderados pelo brasileiro campeão dos médios Daniel Gaúcho, os 14 atletas da noite de lutas subiram na balança e bateram o peso. Nas encaradas, o clima ficou pesado e os ânimos se acirraram, aumentando o clima de tensão e expectativa no último encontro dos oponentes antes de entrarem no cage.

Estrelas da luta principal, o campeão Daniel Gaúcho e o desafiante Mohammad Fakhreddine bateram o peso com tranquilidade, ficando inclusive abaixo do limite permitido de 83,9 kg. Quando ficaram frente a frente, o libanês gritou “And New” (tradicional anúncio da vitória de um desafiante), mas Gaúcho ficou imóvel e não se mostrou abalado pela provocação.

A encarada mais agitada do dia ficou por conta do irlandês Cian Cowley, companheiro de treinos de Conor McGregor, e o egípcio Ahmed Amir, que lutam na categoria peso super leve. Os dois se estranharam e trocaram ofensas após baterem o peso.

O BRAVE CF 41 acontece no Estádio Nacional do Bahrein, de portões fechados ao público, e começa às 12h, horário de Brasília, desta quinta-feira (17). No Brasil, o card pode ser acompanhado gratuitamente por meio do site oficial www.bravecftv.com.

ASSISTA ÀS ENCARADAS DO BRAVE CF 41 - https://www.instagram.com/p/CFMURnwnU2N/

Confira os resultados da pesagem do BRAVE CF 41:

Cinturão Peso Médio - Daniel Gaúcho (Brasil) 83,6 kg vs Mohammad Fakhreddine (Líbano) 83,8 kg
Peso médio - Denis Tiuliulin (Rússia) 83,6 kg vs Ikram Aliskerov (Rússia) 83,8 kg
Peso leve - Felipe Silva (Brasil) 70,7 kg vs Sam Patterson (Inglaterra) 69,8 kg
Peso super leve - Cian Cowley (Irlanda) 74,8 kg vs Ahmed Amir (Egito/Bahrein) 75,1 kg
Peso mosca- John Cris Corton (Filipinas) 57,2 kg vs Magomed Idrisov (Rússia) 57,2 kg
Peso combinado (63kg) - Rahmatullah Yousufzai (Afeganistão) 61,9 kg vs Abdulmanap Magomedov (Rússia) 62,8 kg
Peso galo (amador) - Abdulla Alyaqoob (Bahrein) 61,2 kg vs Umed Urfonov (Tadjiquistão) 59,7 kg

Instagram @bravemmaf
Facebook @BRAVE Combat Federation
Twitter @bravemmaf
www.bravecf.com

Rock in pandemia está no ar: série documental fala sobre os desafios da música durante a quarentena

No episódio X de ‘A tirania da minúscula coroa: Covid-19’, músicos contam como tiveram de se reinventar para buscar alternativas de renda com a impossibilidade de se apresentarem ao vivo
Tercio David Braga
São Paulo, 15 de setembro de 2020. A equipe de produção da Via d'Idea concluiu a montagem do episódio X da documental ‘A tirania da minúscula coroa: Covid-19’, que conta a história sobre como a pandemia e a quarenta atingiram em cheio o rock e, com turnês suspensas por tempo indeterminado, a rotina dos músicos mudou completamente. O capítulo traz depoimentos de nomes importantes do cenário brasileiro do rock n'roll. O novo episódio teve como orientador o jornalista Charley Gima, editor-chefe do Blog FuteRock, que trabalhou em conjunto na construção da narrativa. O vídeo completo está no link:
De acordo com Charley Gima, o mercado de entretenimento e o da música foram muito abalados pela pandemia do Covid-19. O setor de shows foi o primeiro a parar e, consequentemente, deve ser um dos últimos a voltar. Os músicos e bandas de Rock sentiram este efeito devastador em suas vidas e tiveram que se adaptar aos novos tempos, seja realizando lives, tocando covers em collabs ou criando novas músicas.
“A mídia especializada que cobre os lançamentos e os shows de rock também tiveram que ser muito criativos, pois os assuntos tornaram-se escassos. Por incrível que pareça, gravadoras especializadas encararam bem este momento, pois a venda online continuou e muitos fãs aproveitaram para garimpar os discos que faltavam em suas coleções”, conta Gima. “As produtoras, casas de shows e seus funcionários, terceirizados ou não, também sofrem com a escassez de shows, criando uma bola de neve econômico nunca antes visto no setor!
O ano de 2020 pode ser considerado um 'ano morto' para os artistas e produtoras, mas vamos pensar positivo e aprender com está situação, entender que fãs e artistas estão juntos na luta pela sobrevivência e ávidos pela vacina contra o coronavírus”, completa.
O documentário ouviu Andreas Kisser, guitarrista do Sepultura, Felipe Andreoli, baixista do Angra, Karma e Almah, Alírio Netto, vocalista do Shaman e Queen Extravaganz, Luis Mariutti, baixista do Shaman, Marcello Pompeu, vocalista do Korzus, Eduardo Parras, vocalista do Armored Dawn e dono da Prevent Senior, Aquiles Priester, baterista conhecido pelo seu trabalho no Angra, Freakeys, Hangar, Noturnall e W.A.S.P, Guilherme Rujão - guitarrista da banda inglesa Los Pepes (London-UK), Sílvio Golfetti, ex-guitarrista do Korzus e atual CEO da gravadora Voice Music e da loja virtual Black Rock, Guilherme 'Ziggy' Mendonça - guitarrista de Made in Brazil, Corazones Muertos, Screw’d, Zé Luís ‘Heavy’ Carrato - engenheiro de som e gravações, Felipe Machado, do Viper, Pedro Kaluf, técnico de som, Caio Bertti produtor musical do Korzus, empresário e integrante do movimento passeata com cases, daqueles que vivem dos shows.
Gustavo Girotto, diretor-geral da série, destaca que a passeata dos profissionais da área técnica de eventos, conhecidos nos bastidores como "graxa", levando os cases que usam para trabalhar em protesto em frente a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), acendeu ainda mais a discussão do episódio. “Como fã e frequentador de shows de rock, esse era um capítulo que estava sendo trabalhado há algum tempo. As aglomerações, parte indissociável dos espetáculos, agora passaram a ser sinônimo de risco à vida. Buscamos acompanhar os bastidores dos profissionais que vivem desta importante indústria nacional, que emprega e movimenta milhares de pessoas”, destacou Girotto, mencionado que o objetivo foi “tentar captar esse período também de introspecção dos músicos”.
Para Juliano Sartori, diretor de produção, e Ricardo Sartori, diretor de arte, o Brasil prometia muito aos fãs brasileiros do bom, do velho e do novo rock n'roll esse ano. “A agenda estava movimentada e, do dia para noite, o cenário mudou. Para não desamparar os admiradores, artistas decidiram levar sua arte para o mundo virtual, se aventurando em lives ou streaming de performances. Tentamos captar esse momento – até como proposta editorial do documentário – e esse que é um dos capítulos mais ricos em termos de imagem e edição”, destacam Sartoris.
Por fim, com edição de Via d’Ideia, trabalho jornalístico de Gustavo Girotto, com colaboração jornalística de Tercio David Braga e orientação de Adalberto Piotto – o episódio X, que conta com a mentoria de Charley Gima – “A tirania da minúscula coroa: Covid-19” já pode ser visto no
Ficha Técnica:
“A tirania da minúscula coroa: Covid-19”.
Título – série documental
Gustavo Girotto
Direção geral / Entrevistas
Ricardo Sartori
Diretor de arte
Juliano Sartori
Diretor de produção
Adalberto Piotto
Orientação/mentoria
Tercio David Braga
Estruturação de temas/Divulgação
Nana Santiago
Redes Sociais/Estratégia
Redes Sociais:
https://www.facebook.com/atiraniadaminusculacoroa
Instagram: @atiraniadaminusculacoroa
Twitter: @seriecovid19
Informações: Gustavo Girotto (11) 9.9602.1317

Madame Josefina Doces Artesanais

 Andréa Moritz, curitibana, mãe de três e proprietária da Madame Josefina Doces Artesanais. Confeiteira de coração, sou muito detalhista e amante de doces; "estou sempre disposta a dar o meu melhor em tudo que faço", me relatou Andréa.

Na quarentena desenvolveu uma linha única de embalagens de presentes que levassem meus doces para todas as ocasiões.
"Aqui, na minha cozinha, é tudo feito por mim com muito amor, desde a seleção dos produtos aos menores detalhes de acabamento".

Teve oportunidade de fazer meus brigadeiros para artistas como Eva Maria Murtinho, Letícia Spiller, Marcos Veras, Nicette Bruno, Suely Franco, Elizabeth Savalla, entre outros.
Também participou de programas televisivos locais para divulgar seu trabalho e inspirar as pessoas a se aventurarem na confeitaria.

Os valores variam de R$ 35,00 (caixinhas de brigadeiros) a R$ 280,00 (gift box com bolo, brigadeiros e trufas). Vocês podem entrar em contato com Andréa  no Instagram @madamejosefina e no WhatsApp 41 98400-8185.
Parabéns pelo seu  trabalho que deixa a vida mais doce!