Pacientes com sequelas da Covid-19 recebem tratamento especializado pelo SUS em hospital de Curitiba

Ambulatório do Hospital Universitário Cajuru reúne profissionais de várias especialidades; fadiga e abalo psicológico estão entre os principais sintomas persistentes da doença

Muitos pacientes que recebem alta hospitalar da Covid-19 têm um novo desafio: superar as marcas deixadas pelo novo coronavírus. Para alguns, a dificuldade de andar e o cansaço extremo; para outros, a falta de ar. Falar e voltar a se alimentar da mesma maneira de meses atrás também pode ser um martírio para aqueles que precisaram de traqueostomia ou que seguem sem olfato e paladar; enquanto a dor de cabeça forte e os sinais de estresse pós traumático rondam a mente de muitas pessoas e até mesmo de seus familiares.

Para garantir uma melhora na qualidade de vida e para que os pacientes que venceram a Covid-19 superem as sequelas, o Hospital Universitário Cajuru, em Curitiba (PR), em parceria com a PUCPR, montou um ambulatório especializado nesse tratamento para atender a população por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). Mais de 60 pessoas já receberam acompanhamento no local. São cerca de 6 a 8 pacientes por semana. O atendimento no ambulatório começou em novembro de 2020 como projeto piloto e, ao longo dos meses, novas especialidades entraram para a equipe.

Dependendo da sequela, os pacientes recebem atendimento especializado em pneumologia, fisioterapia respiratória e funcional, psicologia, neuropsicologia e cardiologia. Junto ao corpo clínico também atuam alunos de Medicina, Fisioterapia e Psicologia da PUCPR. São profissionais que, desde o começo da pandemia, formam uma força-tarefa de pesquisadores para entender o coronavírus e contribuir com formas de combater a Covid-19 e melhorar a assistência e a qualidade de vida dos pacientes infectados.

O serviço é oferecido às quintas-feiras no ambulatório do Cajuru, no período da tarde. Com o encaminhamento e agendamento de uma Unidade Básica de Saúde (UBS) ou alta em hospital do SUS, o paciente passa por uma consulta e uma série de exames após avaliação médica.

Sintomas e tratamentos

O gerente médico do Hospital Cajuru, José Augusto Ribas Fortes, um dos responsáveis pela coordenação do ambulatório, conta que há um maior índice de pacientes com fadiga crônica, dificuldade cognitiva, persistência de dores no corpo e, principalmente, sequelas psicológicas como transtorno do estresse pós-traumático. “Essa doença tão nova tem nos mostrado desafios diários. No primeiro momento, passamos pela complexidade de entender as formas de contágio, depois veio a luta para encontrar os melhores tratamentos (situação que ainda segue) e agora precisamos avaliar as sequelas e as melhores formas de tratá-las”, analisa.

A manicure Ruthe Plefka, de 59 anos, recebeu a confirmação do contágio no dia 24 de fevereiro e, cerca de duas semanas depois, foi internada e ficou intubada por 8 dias. “Para mim, no começo, foi como uma crise de rinite alérgica. Fui até uma farmácia e fiz o exame que deu positivo. Depois disso, eu procurei o postinho e, por estar com falta de ar, fui internada e intubada. Duas semanas depois eu melhorei e fui para o quarto, mas com muita dificuldade devido ao tempo de internação”, diz.

No caso de pessoas que ficaram internadas para tratamento contra o coronavírus, as consequências também apresentam agravantes, como é o caso de Ruthe que, após receber alta da UTI, teve o novo desafio de recuperar o equilíbrio e voltar a andar. “Quando eu saí do hospital, eu não conseguia nem ficar em pé. Perdi muita massa muscular no tempo que fiquei internada e, com isso, só ia de um lugar para outro com ajuda de um andador ou cadeira de rodas. Nos primeiros dias em casa, até para tomar banho eu precisava de ajuda e o auxílio de uma cadeira apropriada”, conta.

Além do impacto físico, o abalo psicológico tem se mostrado uma das grandes sequelas para aqueles que passam pelos sintomas mais graves da Covid-19 e o acompanhamento especializado é essencial nessa nova fase. “Eu fui para o ambulatório do Hospital Cajuru algumas semanas após receber alta e me surpreendi com o atendimento. Foram cerca de oito médicos especializados em áreas diferentes que me atenderam da melhor forma possível. Para mim, foi extremamente importante ter esse acompanhamento porque eu estava muito preocupada com as sequelas que poderiam ficar e pude fazer todos os exames de forma gratuita. Para aqueles que não têm condições de pagar pelo serviço, é essencial. Além disso, pude conversar com a psicóloga. Hoje meu maior medo é pegar Covid-19 de novo e voltar para a UTI”, revela.

O gerente médico do hospital reforça a importância dos ambulatórios nesse momento, principalmente aqueles prestados pelo SUS. “Nós queremos permitir que essas pessoas superem os traumas, a dor, tanto as sequelas físicas quanto psicológicas. Com um serviço 100% SUS, alcançamos os pacientes que apresentam alguma sequela após o contágio, mas que não tem condições financeiras para fazer o tratamento e acompanhamento necessário”, revela o médico.

Sobre o Hospital Universitário Cajuru

O Hospital Universitário Cajuru é uma instituição filantrópica com atendimento 100% SUS. Está orientada pelos princípios éticos, cristãos e valores do Grupo Marista. Vinculado às escolas de Medicina e Ciências da Vida da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), preza pelo atendimento humanizado, com destaque para procedimentos cirúrgicos, transplante renal, urgência, emergência, traumas e atendimento de retaguarda a Pronto Atendimentos e UPAs de Curitiba e cidades da Região Metropolitana.

PUCPR promove live musical com Alexandre Nero

Festival “Revele Seu Talento” terá edição 2020 em formato virtual,

com show transmitido ao vivo para o público

downloadAttachment&Message%5Buid%5D=180079&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253CDM6PR02MB65110EC0108353ECFF88D85E990A0%2540DM6PR02MB6511.namprd02.prod.outlook.com%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3CDM6PR02MB65110EC0108353ECFF88D85E990A0%40DM6PR02MB6511.namprd02.prod.outlook.com%3E-1.2

Há 18 anos, um dos maiores festivais universitários de música do Brasil tem despertado talentos entre jovens estudantes do Estado. O “Revele Seu Talento” é um evento promovido anualmente pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR). A ação já lançou no cenário nacional nomes como Tiago Iorc e, a cada edição, oferece ao público de Curitiba shows musicais gratuitos com a participação de artistas renomados. Este ano, a iniciativa expande suas fronteiras com uma edição virtual, que conta com a apresentação do cantor e ator Alexandre Nero no dia 9 de outubro.

O novo formato da 18ª edição do “Revele Seu Talento” surge por medida de segurança diante da pandemia da COVID-19. A seleção dos jovens artistas foi toda realizada por meio da avaliação de vídeos inscritos no site oficial (reveleseutalento.pucpr.br) e apreciados por uma banca especializada de maneira remota.

A esperada final, sempre coroada com um show gratuito de celebração, se transformou em uma live com cara de programa de auditório comandado pelo ator global e cantor Alexandre Nero – que também se apresenta musicalmente. No teatro, apenas os vencedores revelam seus talentos, subindo ao palco um por vez e acompanhados de um trio musical que seguirá um protocolo de distanciamento e segurança. A plateia, se transformará em um telão onde aparecerão familiares e amigos que acompanharão o evento de suas casas.

A Orquestra da PUCPR, que sempre abrilhantou o evento, não ficará de fora. O grupo composto por estudantes e músicos da comunidade participará com a apresentação, em primeira mão, de um vídeo gravado com cada componente de sua casa.

“Em tempos difíceis, a arte se faz ainda mais necessária. E, diante do fato de as mídias sociais já fazerem parte do dia a dia desses jovens, a iniciativa ganhou um fôlego ainda maior”, enfatiza André Turbay, Diretor de Cultura e Esporte da PUCPR.

A live musical que vai apresentar os vencedores da 18ª edição do Revele Seu Talento e contará com a participação de Alexandre Nero acontece no dia 9 de outubro, às 20h, e será transmitida ao vivo do palco do TUCA (Teatro da PUCPR). O público em geral poderá acompanhar pelo canal oficial da PUCPR no youtube: https://www.youtube.com/user/canalpucpr

SERVIÇO

Grande Live de Celebração do

XVIII Revele Seu Talento – edição virtual

Data: dia 9 de outubro

Hora: 20h

Local: https://www.youtube.com/user/canalpucpr

Participação especial: Alexandre Nero

Hospitais e instituições sociais recebem doações no Paraná

União entre os setores público e privado viabiliza doações para fundos da saúde e de assistência social

A curva de número de casos do novo coronavírus teve crescimento no Paraná nas últimas semanas, afetando direta e indiretamente toda a população, principalmente a mais vulnerável. Como forma de ajudar, um grupo de organizações públicas e privadas se uniu para arrecadar fundos para o combate à covid-19 no Estado. As doações já somam cerca de R$ 4 milhões, em dinheiro e em materiais, e estão sendo entregues para hospitais e outras entidades de todo o Paraná.

As primeiras arrecadações de equipamentos hospitalares já foram destinadas para o Hospital de Clínicas, Hospital do Trabalhador e Casa de Misericórdia de Jacarezinho. Comunidades de Guaraqueçaba, no litoral paranaense, e diversos asilos do município, também foram beneficiados com doações de cestas básicas, máscaras, itens de higiene e álcool em gel.

As doações somam mais de R$ 4 milhões, entre dinheiro e materiais para apoio às demandas emergenciais na área da saúde e para prestar apoio às ações e entidades sociais, como lares e asilos. Cerca de 20 instituições já foram beneficiadas. Apesar do resultado, o grupo que conduz a iniciativa reforça que as demandas continuam crescendo. “Ainda há muito o que ser feito. As instituições e o setor da saúde necessitam de muito auxílio neste momento. Quanto mais pessoas e empresas se juntarem a causa, maior será o benefício para toda a sociedade”, afirma a promotora de justiça do Ministério Público do Paraná, Karina Anastácio Faria de Moura Cordeiro.

Capacidade de atendimento

A Santa Casa de Misericórdia de Jacarezinho foi uma das instituições beneficiadas com a doação de materiais. “As arrecadações ajudaram a adquirir equipamentos e insumos muito necessários para o tratamento, aumentando assim a capacidade do hospital de atender os pacientes da região”, diz Caio Gome Tinti, analista Contábil do Hospital.

Rejane Costa de Oliveira Paredes, responsável do Instituto Lixo e Cidadania, uma organização criada para apoiar as associações de catadores de recicláveis na Região Metropolitana de Curitiba, afirma que as doações foram importantes para as famílias. “As arrecadações de máscaras e cestas básicas impactaram 72 associações e mais de 1,3 mil catadores de materiais recicláveis. Em sua maioria eles não podem parar de trabalhar. Cerca de 70% do nosso público é composto por mulheres, mães de família, que necessitam de muita proteção para continuar o seu trabalho de maneira segura”, reforça.

Como doar

Empresas, pessoas físicas e organizações podem fazer suas contribuições via depósito bancário tanto para o fundo de apoio à área da saúde, quanto para o de iniciativas sociais. As doações são feitas de forma direta e não podem ser abatidas do cálculo do Imposto de Renda. Aqueles que quiserem contribuir de forma anônima podem fazer depósito ou transferência.

Os recursos dos fundos serão administrados por um comitê gestor que fiscaliza a destinação das doações. A prestação de contas para a sociedade é feita em tempo real e com fácil acesso pelo site da Funpar.

Para doar ou saber mais detalhes sobre a campanha acesse http://www.funpar.ufpr.br/oamorcontagia/

O amor contagia

A maior campanha de arrecadação vigente no Estado do Paraná nasceu da união das promotorias de Justiça do Ministério Público do Paraná e Ministério Público do Trabalho que firmaram uma parceria com a UFPR (Universidade Federal do Paraná) e a Funpar (Fundação de Apoio da Universidade Federal do Paraná). Logo em seguida se uniram ao grupo Instituto GRPCOM, Grupo Marista, PUCPR, Instituto Positivo, a comissão do Terceiro Setor da OAB-PR e associações da sociedade civil organizadas com sede no Estado. A expectativa é que mais organizações integrem o grupo e ajudem a fortalecer ainda mais a iniciativa, intitulada como “O amor contagia” para reforçar a mensagem

A campanha conta com o apoio do Instituto Oportunidade Social, Instituto Renault, Facop. JCS Group, Instituto Purunã, Instituto Massa, Instituto Robert Bosch e das agências de comunicação 433, Vivas, Páprica, Página 1 Comunicação e Central Press

Segunda edição do Innovation Day- PUCPR

O Grupo Marista promove na próxima quarta-feira, 13, às 8h30, a segunda edição do Innovation Day. O evento será na PUCPR e contará com a presença de três especialistas em Inovação, que discutirão a transformação digital e o futuro das relações entre as pessoas no mercado de trabalho.

Elatia Abate – O futuro do mercado de trabalho

Ex-VP de Pessoas da Dow Jones, atualmente ensina líderes do mundo todo a criarem culturas colaborativas e inovadoras para poderem resolver os desafios no futuro do mercado de trabalho. Além disso, ministra aulas em universidades como New York University, University of Michigan, Stanford University, University of Toronto, Chicago Booth School of Business e The University of Arizona Libraries.

Gustavo Schmal – Inteligência artificial impulsionando negócios e melhorando as relações humanas

Profissional experiente em aplicações de tecnologias para negócios. Com passagem pelo HSBC, Grupo Boticário e Nissan-Renault é co-fundador da Atendrium, uma startup baseada em Inteligência Artificial que impulsiona negócios e a satisfação do cliente.

Guga Stocco – 2025, o mundo novo

Fundador da GR1D, co-fundador da Domo Invest, embaixador do Stanford Research Institute (SRI) no Brasil e membro dos conselhos consultivos da B3, Carrefour e Hapvida e do conselho administrativo da TOTVS. Possui mais de 20 anos de experiência na criação de Negócios Digitais e Transformação Digital.

Thiago Chaer e Juliana Massi – Transformação digital na educação e o futuro do mercado

Thiago Chaer é co-fundador da Future Education, aceleradora de startups de educação. Além disso, faz parte da Comissão Especial de Educação Digital da OAB (2016-2019). Juliana Massi é co-fundadora da Future Education e Coordenadora do Centro de Ensino e Aprendizagem na Insper.

https://www.sympla.com.br/innovation-day-2019---o-futuro-e-logo-aqui__688631

*com divulgação