TEKA BRAGA CÔRTES EXPÕE EM NOVA GALERIA DE ARTE EM ITAJAÍ

ARTISTAS DO PARANÁ PARTICIPAM DA EXPOSIÇÃO DE GALERIA DE ARTE EM ITAJAÍ

Estamos a menos de uma semana da inauguração e da exposição de arte da SAVE GLOBAL ART GALLERY do fotógrafo e empreendedor Luiz Todeschi (Tod) que acontece no próximo dia 31 de Maio, em Itajaí, Santa Catarina.

O Luiz Todeschi é um artista premiado em diversos salões e concursos internacionais mostrando e retratando o que de melhor sabe fazer a fotografia. Sempre com uma preocupação com o mundo e a sustentabilidade, é um ser de sensibilidade apurada. Agora a abertura da Save Global Arte Gallery é a realização de um dos seus muitos projetos. O paranaense, durante a pandemia foi morar em Balneário e região, por lá encontrou um lugar que transformou totalmente, com o propósito de ser um ponto de encontro e de conversa sobre arte, cultura e economia criativa, também com um portfólio repleto de potenciais artistas e suas criações.

Participam da primeira exposição alguns artistas do Paraná, entretanto vou destacar em especial as obras da artista visual e gravadora TEKA Braga Côrtes.

TEKA, participa com uma dezena de gravuras selecionadas pessoalmente por Luiz Todeschi no atelier da artista em Curitiba, no início do ano.

Um ímpeto da vontade

Repleta de expressividade e sutilezas, as obras, leia-se Gravuras de Teka Braga Côrtes, nos conduzem por técnicas e meios que surgiram no período medieval e quando processadas pelas mãos da artista, nos trazem o traço significativo da contemporaneidade. São relevos, linhas e cores que com a predominância do preto, que aqui não é a ausência de luz, mas sim a luz gráfica, estabelecem um diálogo aberto e direto com o espectador. Segundo Gaston Barchelard “o poeta é um estado d´alma, a paisagem do gravador é um caráter, um ímpeto da vontade, uma ação impaciente por agir sobre o mundo.” Estamos diante de uma artista paranaense que cheia de ímpeto e vontade nos trás suas ações sobre o mundo. Suas Obras.

A Save Global Art Gallery, acertou em cheio ao trazer para seu espaço os trabalhos de Teka Braga Côrtes uma das mais representativas gravadoras contemporâneas do Brasil.

Carlos Henrique Tullio, Curitiba 26, de maio de 2022. -------------------------------------------------------------------------------

Serviço: A Save Global Art Gallery será inaugurada na próxima terça-feira, dia 31 de Maio, às 20 horas, na Rua Ernesto Schneider, 210 – Itajaí – SC.

Contatos com a artista e gravadora Teka Braga Côrtes em Curitiba @tekabragacortes

EM ANEXO:

- A artista Teka Braga Côrtes. | Fotografia: Carlos Henrique Tullio.

Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba – divulga as datas de sua 11° edição

Festival reúne longas e curtas-metragens de todo o mundo e retorna à modalidade presencial, com parte da programação online,
de 1º a 9 de junho

Arte de Bruna Pereira
A nova edição do Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba já tem data para acontecer. O festival, que é voltado a todos os apaixonados pela sétima arte e pela cultura de forma geral, retorna com sua 11ª edição em formato presencial e com parte de sua programação no online, de 1º a 9 de junho.

“Depois de dois anos atuando em formato online, estamos muito felizes em poder voltar a ocupar as salas de cinema, exibindo produções que fogem dos grandes circuitos e que dão a oportunidade para longas e curtas-metragens de todo o mundo de serem apreciados pelos cinéfilos de plantão, além de promover encontros e bate-papos com críticos, cineastas e profissionais da área”, comenta Antonio Gonçalves, um dos idealizadores do Olhar de Cinema.

Entre as salas de cinema e espaços que receberão as produções selecionadas pela curadoria do festival, estão o Cine Passeio (R. Riachuelo, 410 – Centro, Curitiba); Teatro da Vila (R. Davi Xavier da Silva, 451 – Cidade Industrial, Curitiba); Cinemark Mueller (Av. Cândido de Abreu, 124 – Centro Cívico, Curitiba); a Cinemateca de Curitiba (R. Presidente Carlos Cavalcanti, 1174 – São Francisco, Curitiba); e o Museu Oscar Niemeyer (R. Mal. Hermes, 999 – Centro Cívico, Curitiba).

A relação completa de filmes selecionados para a edição será divulgada em breve.

Olhar de Cinema - Festival Internacional de Curitiba retorna em formato presencial e parte da programação no online - Cred Olhar de Cinema/Divulgação
O 11ª Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba ainda será marcado pela volta das mostras Pequenos Olhares, Olhares Clássicos e Olhar Respectivo.

“A Mostra Pequenos Olhares é voltada às crianças e adolescentes e tem o intuito de apresentar a experiência cinematográfica para as mais variadas idades, tornando-a um programa para toda a família. Já a Olhares Clássicos traz um panorama dos mais diversos filmes que marcaram a história do Cinema, passando por diferentes países, cineastas, gêneros e épocas. E a Olhar Retrospectivo dá destaque a um grande nome do cinema mundial, estudando sua trajetória e uma reflexão sobre suas obras”, explica Gonçalves.

O festival ainda reúne as mostras:

- Mostra Competitiva: Reúne longas e curtas-metragens inéditos no Brasil com narrativas que se apresentam de forma envolvente e arriscada, em busca do equilíbrio entre inventividade e potencial de comunicação com o público;

- Mostra Novos Olhares: Reúne longas-metragens com propostas estéticas mais radicais, convidando o público a diferentes sensações, podendo ser um mergulho lírico, investigações das criações alegóricas;

- Mostra Outros Olhares: Reúne longas e curtas-metragens com uma grande variedade de propostas, estilos, linguagens e abordagens que refletem o mundo atual de extremos que vivemos, fazendo um diálogo entre produções inéditas e outras que já possuem trajetória internacional em festivais e mostras recentes;

- Olhares Brasil: Reúne curtas e longas-metragens nacionais inéditos ou que já estiveram em festivais de cinema do Brasil e do mundo;

- Mostra Foco: Destaca a uma obra ainda não conhecida pelo público, ou pouco vista nos circuitos de festivais brasileiros, dando a chance ao público de explorar uma produção ainda em formação e maturação, porém dentro de um conjunto de filmes que contém a força necessária para lançar um nome à posição de cineasta contemporâneo;

- Mirada Paranaense: Convida o público a conhecer as primeiras produções de novos (as) diretores (as), assim como acompanhar obras inéditas de cineastas experientes, resultando em um panorama da produção audiovisual do Paraná;

- Exibições Especiais: Um espaço privilegiado para destaques do cinema nacional, mundial, pré-estreias e para a redescoberta de produções, passando por diferentes culturas, realidades e mesclando elementos do passado e presente para criar possibilidades futuras;

Com o retorno do formato presencial, 11ª edição do Olhar de Cinema promete lotar as salas de cinema da cidade - Cred Olhar de Cinema / Divulgação
CURITIBAlab 2022

Além das mostras especiais dentro do período do festival, o Olhar de Cinema ainda realiza seminários e oficinas gratuitas, em que o público é convidado a refletir e debater sobre a linguagem cinematográfica e seus impactos no espectador.

Há ainda o CURITIBAlab, um laboratório de desenvolvimento voltado exclusivamente para projetos de primeiros longas-metragens de ficção em andamento. A proposta do laboratório é de se consolidar como um espaço de escuta, troca e construção de conhecimentos para quem está iniciando no segmento de longas. Seis projetos brasileiros serão selecionados e, ao longo de quatro dias, receberão consultorias com profissionais de destaque do cinema nacional e internacional.

As inscrições para o CURITIBAlab 2022 podem ser feitas até o dia 21 de abril de 2022, pelo https://www.olhardecinema.combr/curitiba-lab/ .

A 11ª edição do Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba tem patrocínio da Sanepar, Compagas, Copel, Uninter e Peroxidos do Brasil; apoio do Grupo Servopa e Tintas Verginia; apoio cultural do Projeto Paradiso; e produção da Grafo. O projeto também tem recursos do Programa de Apoio de Incentivo à Cultura - Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba -, com realização do Ministério do Turismo, por meio da Secretaria Especial da Cultura.

Cartaz 11º Olhar de Cinema - Festival Internacional de Curitiba - Arte de Bruna Pereira
Serviço:
11º Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba
Data: 1º a 9 de junho de 2022
Site oficial: www.olhardecinema.com.br
Redes sociais: Instagram | Facebook | Twitter
Patrocínio: Sanepar, Compagas, Copel, Uninter e Peroxidos do Brasil
Apoio: Grupo Servopa e Tintas Terginia
Apoio Cultural: Projeto Paradiso
Produção: Grafo
Projeto realizado com recursos do Programa de Apoio de Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba, com realização do Ministério do Turismo, por meio da Secretaria Especial da Cultura

CURITIBALab 2022
Inscrições até o dia 21 de abril: https://www.olhardecinema.com.br/curitiba-lab/

Sugestões de Tag’s: Olhar de Cinema, Festival Internacional de Curitiba, cinema, arte, cultura, Curitiba, cine passeio, festival de cinema, CuritibaLab, Museu Oscar Niemeyer, sétima arte, Curitiba Int’l Film Festival

Escolas públicas de Campo Largo recebem projeto de arte e tecnologia

Tetear Tech é um catalisador de potenciais humanos e contribui para formação cultural de crianças e adolescentes

Com o objetivo de transformar a educação por meio da arte e da tecnologia, a cidade de Campo Largo, pioneira do projeto e da Região Metropolitana de Curitiba, receberá pela nona vez, a partir de 21 de março, o projeto Tetear Tech em escolas municipais e estaduais que beneficiará 600 alunos no ano. Em sua 9ª edição, o projeto realizado pela Criacom e Parabolé, oferece aulas de Artes Plásticas, Musicalização, Circo, Teatro, Dança e CIT – Criatividade, Inovação e Tecnologia.

O projeto Tetear Tech, que ganhou força e espaço nas escolas públicas nos estados do Paraná e São Paulo, traz uma novidade para este ano: essas modalidades, agora, estão inclusas na grade curricular dos estudantes, o que reforça, ainda mais o caráter pedagógico atrelado a tais práticas, assim como valoriza a possibilidade de educar por meio de diferentes linguagens.

O coordenador cultural do Tetear Tech em Campo Largo, Thiago Domingues, está feliz com a retomada do projeto depois das dificuldades da pandemia. “A educação passou por muitas transformações neste período pandêmico. E o projeto fez parte disso também, em que ser flexível nos ajudou muito a encarar as mudanças e adaptações necessárias para se viver em um mundo em constantes alterações. A educação do futuro é a educação para a incerteza. É exatamente isso que trabalhamos com os estudantes, o olhar curioso, a possibilidade de investigar, tentar, encontrar alternativas, colocar em questão preceitos básicos, tudo isso voltado ao âmbito social mais amplo, que valoriza a importância de sermos adaptáveis, conectados, atentos ao mundo e às pessoas com quem vivemos. O Tetear Tech é uma oportunidade de desenvolvimento não apenas profissional, com qualificação nas áreas artísticas e tecnológicas, mas, principalmente, favorece o olhar sensível de cada participante, de maneira a observar e praticar a simplicidade da vida”, conta.

O projeto é um catalizador de potenciais humanos, colaborando com a comunidade escolar para ampliar os horizontes dos estudantes em relação a aplicação prática dos conteúdos curriculares aprendidos na escola e, também, no desenvolvimento de aprendizagem sociais e emocionais - como o trabalho em equipe, a empatia, o autoconhecimento e a comunicação efetiva.

Para isso, as atividades são direcionadas para vivências de processos criativos e experiências estéticas que promovam o contato dos estudantes com as diferentes linguagens artísticas e com atividades de cunho tecnológico, representadas pelo movimento maker e pelo currículo STEAM (Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática), por meio de um viés “mão na massa” e na perspectiva do “aprender fazendo”.

Um dos objetivos do Tetear Tech é contribuir para a formação cultural de crianças e adolescentes de diferentes níveis socioeconômicos, fortalecendo a autoestima de cada sujeito, assim como a inclusão social. Os alunos passam a ter contato com novas perspectivas de aprendizagem, desenvolvem habilidades de trabalho em equipe, acessam diferentes tecnologias e ampliam seu repertório cultural. “O projeto favorece as competências para a vida. Ele possibilita a descoberta, pesquisa, investigação e a criação, tudo isso associado ao conviver em grupo. São as competências socioemocionais”, revela Thiago.

O coordenador ainda fala sobre exemplos reais de participantes do projeto que conseguiram seguir carreira na área. “Ao longo dos anos, uma participante do projeto, depois, virou professora de dança do próprio Tetear e, futuramente, seguiu carreira na área, em Portugal. Sabemos o quanto contribuímos para o desenvolvimento dela. Outro exemplo é de uma aluna de circo que achou que nunca faria a atividade, pois não tinha recursos financeiros para investir em aulas especializadas em tal área. Então, sabemos que realizamos e proporcionamos acesso aos sonhos dos alunos”, revela Thiago.

Outra novidade é que o projeto está pautado nas ODS (Objetivos do Desenvolvimento Sustentável), causando uma aproximação com importantes temas a serem desenvolvidos em relação a agenda 2030, construída e trabalhada pela ONU. Isso fortalece o pensamento sistêmico, o olhar para sustentabilidade e dialoga com as questões sociais e ambientais que afetam a todos e da qual fazemos parte.

Patrocinadores e Apoiadores

O projeto Tetear Tech é uma realização da Criacom e Parabolé através da lei de incentivo à cultura e tem como patrocinadores:

Scala Data Center, Blau Farmacêutica, Oji Papéis Especiais, Frameport, Ademicon, Atlas Eletrodomésticos, Caterpillar, ScanSource, ArcelorMittal, Gonvarri, Artely, Metisa e Ritmo Logística.

Apoiadores

Instituto CLQ e Prefeitura Municipal de Campo Largo.

Instituição Beneficiada

Hospital Pequeno Príncipe.

Exposição permanente de João Turin em espaço público promove acessibilidade da arte

As 100 obras mais representativas do artista podem ser apreciadas gratuitamente no Parque São Lourenço, em Curitiba, contribuindo para a popularização do legado deixado por João Turin

banner.png

Uma seleção representativa das obras do artista João Turin (1878-1949) está hoje acessível em um ambiente público, e pode ser apreciada gratuitamente por todas as pessoas que visitarem o Parque São Lourenço, na cidade de Curitiba. Lá foi construído pela Prefeitura da cidade o Memorial Paranista, em homenagem ao artista como um espaço para preservação e difusão de obras de arte, que abriga cerca de 100 esculturas e baixos relevos de João Turin em uma exposição permanente e em um jardim de esculturas ampliadas, a céu aberto. “Ser público e de graça nos aproxima do ideal de popularização da arte. O local passa a ser um espaço de convivência”, afirma Samuel Lago, um dos detentores dos direitos autorais do artista.

A conquista de um espaço privilegiado como este, que proporciona grande visibilidade ao legado de João Turin é um dos pontos mais altos de um trabalho minucioso de levantamento de seu legado: um resgate de ponta a ponta, realizado pela Família Lago e SSTP Investimentos, algo até então inédito no mundo das artes. Iniciado em 2008, quando tiveram início as negociações com a família de João Turin, o resgate compreendeu uma série de etapas, tais como pesquisa, localização de obras, catalogação, recuperação, fundição, entre outras.

Foram catalogadas 410 obras, contemplando não somente esculturas, mas também desenhos, pinturas, design de moda e criações arquitetônicas mostrando o quanto João Turin foi um artista versátil. As cerca de 100 obras presentes no Parque São Lourenço compreendem esculturas e baixos relevos em bronze. Antes do resgate artístico, muitos trabalhos deixados pelo artista estavam disponíveis apenas em gesso. “Estamos em um caminho de tornar o João Turin cada vez mais conhecido e sem dúvida uma exposição permanente é importante nessa estratégia e funciona super bem”, comenta Samuel Lago.

Construído pela Prefeitura de Curitiba e inaugurado em maio de 2021, o Memorial Paranista, no Parque São Lourenço, reuniu quase 100 obras de Turin graças a uma junção de esforços. Das 15 esculturas ampliadas, 12 foram compradas pela Prefeitura, e as outras 3 foram doadas pela Companhia Paranaense de Energia (Copel), por meio da Lei Rouanet (de incentivo à cultura). 78 esculturas em tamanho original foram doadas pela Família Lago para o Governo do Estado do Paraná, que emprestou as obras à Prefeitura de Curitiba em regime de comodato.

“É muito significativo ter um espaço de exposição permanente para um artista como João Turin, que retrata o imaginário do povo paranaense. Isso é muito importante como reconhecimento ao artista e como reforço de auto-estima do paranaense, que é um povo multifacetado devido a suas influências de colonização. É imprescindível que as pessoas conheçam os artistas locais. A gente só consegue isso com algo de larga extensão como uma exposição permanente, pois uma exposição temporária não teria esse alcance”, avalia Samuel Lago.

Na área externa há um Jardim de Esculturas com mais 13 obras em bronze, que podem ser vistas pelo público que visitar o parque. Todas essas esculturas são ampliadas e algumas ganharam proporções heróicas. A maior de todas é Marumbi, com 3 metros de altura e aproximadamente 700 quilos. Outro espaço importante é uma fundição elétrica e moderna, que também foi doada pela Família Lago e SSTP Investimentos, substituindo uma antiga fundição que estava obsoleta. Para agendar uma visita guiada, basta fazer um agendamento através do site www.curitiba.pr.gov.br/memorialparanista.

Além de um reconhecimento de preservação cultural tão importante, o Memorial Paranista é também uma oportunidade de incentivar o turismo na cidade de Curitiba. “Do ponto de vista econômico para a cidade é muito interessante, pois tem um grande potencial de se tornar um local de visitação de turistas, como a Pedreira Paulo Leminski e a Ópera de Arame, que ficam próximas do Parque São Lourenço”, observa Samuel Lago.

Sobre João Turin
Em quase 50 anos de carreira, João Turin deixou mais de 400 obras. Há esculturas em locais públicos de municípios do Paraná, Rio de Janeiro e na França. Turin também está no acervo de arte do Vaticano. A escultura “Frade Lendo” foi entregue como presente do povo brasileiro para o Papa Francisco, em 2013, na primeira visita do pontífice ao Brasil.

Nascido em 1878 em Morretes, no litoral do estado do Paraná, João Turin veio ainda garoto para a capital Curitiba, iniciando seus estudos em artes, chegando a ser professor. Especializou-se em escultura na Bélgica. Retornou ao Brasil em 1922, trazendo comentários elogiosos da imprensa francesa. Foi premiado no salão de Belas Artes do Rio de Janeiro em 1944 e 1947. Faleceu em 1949.

Em junho de 2014, seu legado foi prestigiado pelas 266 mil pessoas que visitaram “João Turin – Vida, Obra, Arte”, a exposição mais visitada da história do Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba, que ficou em cartaz por 8 meses. Esta exposição também teve uma versão condensada, exibida em 2015 no Museu Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro, e na Pinacoteca de São Paulo.

Serviço:
Memorial Paranista João Turin: Rua Mateus Leme, 4700 (Curitiba, Paraná).
Entrada gratuita.
Agendamento de visitas guiadas no site www.curitiba.pr.gov.br/memorialparanista
Site sobre João Turin: joaoturin.com.br
Redes sociais: @escultorjoaoturin e facebook.com/escultorjoaoturin

Vídeo sobre o Memorial Paranista João Turin:
https://youtu.be/0ZevRuwdti8

Hostel Bebel é opção de hospedagem para os participantes da 39ª Oficina de Música de Curitiba

Evento será realizado de 16 a 30 de janeiro, em formato híbrido, tanto na etapa pedagógica quanto na programação de espetáculos, shows e concertos abertos ao público que acontecerão em teatros, parques, cinemas, bares e igrejas espalhados pela cidade
A Fundação Cultural e o Instituto Curitiba de Arte e Cultura confirmaram a realização da 39ª Oficina de Música de Curitiba de 16 a 30 de janeiro, em formato híbrido, tanto na etapa pedagógica quanto na programação de espetáculos, shows e concertos abertos ao público. As inscrições podem ser feitas até o dia 10 de janeiro pelo site www.oficinademusica.curitiba.pr.gov.br.

A 39ª Oficina de Música de Curitiba terá as atividades divididas nas seguintes fases: música erudita (16 a 22 de janeiro), música antiga (16 a 29 de janeiro) e música popular (23 a 30 de janeiro).

Marcada pela descentralização e pela oferta à população de uma programação intensa, a Oficina de Música traz nesta 39ª edição apresentações de música erudita à popular brasileira em espaços por toda a cidade: teatros, parques, cinemas, bares e igrejas, promovendo o acesso de diferentes plateias ao talento de artistas nacionais e internacionais e as demonstrações do aprendizado dos alunos da Oficina.

Onde se hospedar

Com fácil acesso para os locais que acontecerão as atividades da 39ª Oficina de Música de Curitiba, o Hostel Bebel, a mais nova opção de hospedagem de Curitiba, está disponível para receber as pessoas que vierem à capital para participar ou acompanhar o evento.

O Hostel Bebel fica na Rua Vinte e Quatro de Maio esquina com a Rua Engenheiros Rebouças, no bairro Rebouças. O prédio se destaca no local pela sua arquitetura e cores; à noite, ganha uma iluminação toda especial que chama muito a atenção porque valoriza ainda mais o visual.

Construído na década de 1940, o Hostel Bebel tem a capacidade para receber 50 pessoas e dispõe de dois quartos coletivos com 12 leitos, três suítes (uma é pet friendly) com aparelho de tv, três quartos para família e um quarto preparado para pessoas com deficiências e idosos com toda a acessibilidade e estrutura necessárias. O espaço ainda oferece lockers individuais e com chaves, roupa de cama, cozinha e banheiros compartilhados e um deck superior para lazer com mesa e churrasqueira, além de uma vista panorâmica da cidade. Além disso, o hostel tem a Sala Mercedes com televisão e lareira e o Espaço Gagá com redes para descanso. As diárias variam de R$ 70 a R$ 90 por pessoa, o café da manhã é opcional com agendamento, bem como o aluguem de tolhas.

Para mais informações e reservas acesse www.hostelbebel.com.br ou via whatsapp (41) 9 9957-1547.

A arte de João Turin é tema de cursos no Memorial Paranista

Artista que foi um dos fundadores do movimento conhecido como Paranismo tem sua obra preservada por meio de exposição permanente e também por uma série de atividades artísticas para pessoas de todas as idades no Memorial Paranista

Memorial Paranista João Turin - Foto Cido Marques-FCC (3).jpeg
Foto: Cido Marques/FCC

O legado artístico do escultor João Turin (1878-1949) está perpetuado no Memorial Paranista não apenas pela exposição permanente de cerca de 100 obras do artista no local, mas também através de cursos e oficinas que fazem referência a este importante nome da arte do Paraná. Turin, que foi um dos fundadores do movimento artístico conhecido como Paranismo (que buscava construir a identidade do estado do Paraná por meio da arte e de símbolos locais), se destacou criando esculturas e baixos relevos sobre animais selvagens, povos indígenas e reproduções de momentos históricos.

Construído no Parque São Lourenço pela Prefeitura de Curitiba, o Memorial Paranista conta com diversos espaços culturais e educativos. Os cursos e oficinas são realizados em um Liceu de Artes. A área interna de exposição tem 78 esculturas de João Turin em tamanho original que foram doadas pela Família Lago (detentora dos direitos autorais do artista) e pela SSTP Investimentos, para o Governo do Estado do Paraná, que emprestou as obras à Prefeitura em regime de comodato. Outro espaço importante é uma fundição elétrica e moderna, que também foi doada pela Família Lago e SSTP Investimentos, substituindo uma antiga fundição que estava obsoleta.

Desde o mês de outubro, o Liceu de Artes realiza diversas atividades artísticas gratuitas para pessoas de todas as idades. Entre elas está a oficina de escultura, direcionada para crianças, que se relacionam com técnicas básicas de modelagem feita com argila, um dos materiais mais utilizados por João Turin. Esta oficina tem sido oferecida ao público mensalmente, com algumas variações. No mês de dezembro, ela é realizada não só com crianças, mas também com seus pais, avós, ou outros parentes, com a proposta de estimular habilidades artísticas e a criatividade em grupos familiares de até 4 pessoas.

Em outra oficina, chamada “Imagens afetivas”, pessoas com mais de 60 anos entram em contato com suas memórias e experiências com o objetivo de se aproximarem das narrativas próprias de João Turin para desenvolver inspiração para produções artísticas com diversos materiais como fotografias, pinturas, gravuras e colagens.

A programação também contempla palestras relacionadas à obra do artista, como ocorreu em “Diálogos entre a escultura de João Turin e a fotografia na Illustração Paranaense”. De caráter acadêmico, essa palestra trouxe reflexões sobre as imagens no Paraná dos anos 1920, especialmente as esculturas de Turin e as fotos publicadas em uma revista daquela época.

“O trabalho desenvolvido no Liceu de Artes do Memorial Paranista João Turin é de imensa importância, pois permite que crianças, famílias, jovens, adultos e estudantes universitários tenham oficinas, palestras, atividades formativas e informativas acerca dos temas ligados às artes e à cultura. O próprio João Turin, como um dos professores fundadores da escola de Belas artes do Paraná certamente ficaria feliz em ver toda esta movimentação”, comenta Samuel Lago, um dos detentores dos direitos autorais de João Turin.

As inscrições para os cursos ocorrem no início de cada mês no site www.sympla.com.br/memorialparanista. As vagas são limitadas e as oficinas respeitam as regras sanitárias e os decretos municipais de combate à Covid 19. O uso de máscaras e o distanciamento entre pessoas é obrigatório. O limite de capacidade respeita o decreto municipal vigente no momento da oficina.

"As atividades no setor educativo do Memorial Paranista têm tido grande procura, especialmente as oficinas infantis. Notamos nas crianças uma curiosidade muito grande em relação às obras de João Turin, elas têm questionamentos muito contundentes sobre os processos de criação e de execução das peças. Aproveitamos essa curiosidade para trabalhar experiências que vinculem o acervo do Memorial ao imaginário infantil", destaca Desire Fabri, coordenadora do Memorial Paranista.

Exposição permanente
Inaugurado em maio de 2021 no Parque São Lourenço, o Memorial Paranista é um espaço de preservação e difusão de obras de arte em Curitiba. Possui um Jardim de Esculturas com 13 obras de João Turin em bronze, que podem ser apreciadas pelo público que visitar o parque. Todas essas obras são ampliadas e algumas ganharam proporções heróicas. A maior de todas é “Marumbi”, com 3 metros de altura e aproximadamente 700 quilos. O Memorial também conta com três edificações interligadas por uma galeria com cobertura de vidro. Para visitar a exposição de João Turin na parte interna é necessário fazer um agendamento através do site www.curitiba.pr.gov.br/memorialparanista.

Sobre João Turin
Em quase 50 anos de carreira, João Turin deixou mais de 400 obras. Há esculturas em locais públicos de municípios paranaenses, no Rio de Janeiro e até na França, onde o artista tem exposta uma Pietá, feita em 1917. Turin também está no acervo de arte do Vaticano. A escultura “Frade Lendo” foi entregue como presente do povo brasileiro para o Papa Francisco, em 2013, na primeira visita do pontífice ao Brasil.

Nascido em 1878 em Morretes, no litoral do Paraná, João Turin veio ainda garoto para a capital Curitiba, iniciando seus estudos em artes, chegando a ser professor. Especializou-se em escultura na Bélgica. Retornou ao Brasil em 1922, trazendo comentários elogiosos da imprensa francesa. Foi premiado no salão de Belas Artes do Rio de Janeiro em 1944 e 1947. Faleceu em 1949.

Em junho de 2014, seu legado foi prestigiado pelas 266 mil pessoas que visitaram “João Turin – Vida, Obra, Arte”, a exposição mais visitada da história do Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba, que ficou em cartaz por 8 meses. Esta exposição também teve uma versão condensada, exibida em 2015 no Museu Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro, e na Pinacoteca de São Paulo.

Vídeo sobre o Memorial Paranista João Turin:
https://youtu.be/0ZevRuwdti8

Memorial Paranista João Turin - Fundição - foto Daniel Castellano-SMCS (2).jpeg
Foto: Daniel Catellano/SMCS

Memorial-Paranista-João-Turin---foto-Maringas-Maciel-(5).jpg
Foto: Maringas Maciel

Arranjos geométricos é o título da extensa série de pinturas que Celso Orsini

Vem realizando ao longo da pandemia, da qual ele reservou algumas das mais bem sucedidas para exibir nesta sua individual em Curitiba. É fácil imaginar a rígida disciplina de trabalho do artista, os dias passados no atelier em isolamento ainda maior, posto que sua localização na edícula de uma casa por si só já convida a solidão e ao silêncio, fazendo-o esquecer, até por tornar quase inaudível, o ruído baixo e incessante do fluxo de carros e caminhões pela avenida dos Bandeirantes, distante dali dois quarteirões, que ao seu final liga São Paulo às rodovias que levam ao litoral e ao Rio de Janeiro. Nada disso o perturba. Nada? Bem, apuremos o olhar:
Todas essas pinturas nascem de um evidente desejo de ordem, expresso em planos quadrados e retângulos coloridos, justapostos, eventualmente arranjados entre planos magros retilíneos, linhas retas, pode-se dizer, muito embora seja difícil definir quando elas, linhas, se transformam, por inchaço, em plano, metamorfoseiam-se em um outro ente geométrico. Essa é uma ambiguidade dessa série fundada em ambiguidades. Lembremo-nos de Plotino, que escreveu “Num círculo, o centro é naturalmente imóvel; mas, se a circunferência também o fosse, não seria ela senão um centro imenso”, sinalizando o caráter ambíguo da geometria, um dos parâmetros da nossa capacidade de elaborar precisões e certezas. Pois bem, todas as pinturas de Celso Orsini trazem consigo a falência das certezas, do impulso de organização que subjaz a nossas ações, das extraordinárias às triviais. Notemos que a maior parte das formas geométricas mencionadas estão como que abafadas, recobertas por véus, por camadas finas de tinta, mais ou menos homogêneas, mais ou menos densas, como a água que escorre pelos vidros embaçando-os, tornando difuso o mundo lá fora, convidando-nos a assoprá-lo, condensando o nosso hálito, para em seguida passarmos o dedo desenhando sobre ele. Trata-se de um hábito que trazemos desde sempre, mas não seria ele uma boa metáfora da nossa distância do mundo?
Examinemos a magnífica Arranjos geométricos 6, de um metro e meio de altura por um e setenta de largura, cujo azul profundo -Ultramar- cuida em eclipsar todas as formas existentes, as linhas verticais e horizontais, melhor dizendo, os planos mais ou menos esquálidos, que variam do branco ao preto. Gostaríamos, talvez, de ver as formas de modo nítido, seus contornos bem delimitados, mas o artista prefere que isso não se dê. Coisa semelhante acontece nas telas vermelhas, produzidas a partir de jornais, tomando como base a organização reticular das imagens e textos com os quais despeja-se informações sobre o mundo que nos cerca, do mundo imediato, tangível, as notícias de porções distantes do planeta, às vezes até de fora do planeta. Nelas também o impulso de organização que perpassa nossas atitudes, submerge no imponderável.
Realizadas em plena pandemia, as pinturas recentes de Celso Orsini, fundadas na ambivalência, na oposição entre certeza e a dúvida, são filhas de um tempo em que nossas vidas são postas em risco, totalmente desestabilizadas, pelos caprichos de um vírus tão sutil e ardiloso que alguns, como os Inocentes do Leblon, do grande Drummond, insistem em se manter alheios a eles, seguem acreditando num
óleo suave
que eles passam nas costas, e esquecem

Agnaldo Farias
Siga-nos nas redes sociais
Facebook Instagram WhatsApp Website E-mail

Obras de arte serão leiloadas para ajudar pessoas em tratamento contra o câncer

Os recursos serão destinados aos pacientes oncológicos em situação de vulnerabilidade social
No próximo dia 26 de outubro (terça-feira) ocorrerá um leilão beneficente de obras de arte para gerar recursos em prol de pacientes oncológicos em situação de vulnerabilidade social. Não há lance mínimo e todas as pessoas podem participar. Metade da renda obtida por meio da iniciativa será destinada à ONG Anjos Sem Asas, dedicada exclusivamente para a oncologia. No total serão oito pinturas que retratam o céu de Curitiba. As obras são inéditas de autoria da artista plástica Raquel de Andrade. O leilão começa às 18h e ocorrerá por meio da plataforma www.kronbergleiloes.com.br.

“Há muitas pessoas sem condições para arcar com despesas básicas e inerentes ao tratamento do câncer. Algumas delas vêm de cidades do interior, outras são estrangeiras, refugiadas, que já lidam com diversas dificuldades pregressas à própria doença”, revela Liz Tratz, fundadora da instituição Anjos Sem Asas, beneficiada pelo leilão.

Diante desta realidade, a jornalista e artista plástica Raquel de Andrade criou a exposição “Céus de Curitiba”, como um vislumbre de novos dias, horizontes e fé na cura, para passar adiante sua visão sobre Curitiba e uma mensagem de esperança para os que lidam com o desafio de superar o câncer. “Sou carioca, muito ligada à natureza, o que sempre me levou a contemplar o céu de Curitiba, elemento que considero um dos mais bonitos e fascinantes da capital paranaense. Suas cores, nuances, texturas e formas me inspiraram a criar oito obras, por meio das quais resumo a fé em dias melhores, enquanto também desejo contribuir com a causa oncológica”, comenta.

Andrade diz ainda que escolheu a instituição Anjos Sem Asas porque, além da causa ser séria, considera a aplicação de todos os recursos muito transparente. “Percebi que a instituição é extremamente idônea, o que se somou à sensibilidade quanto a esta causa humanitária, para que a Anjos sem Asas fosse contemplada”, explica.

“Céus de Curitiba” reúne acrílicas sobre tela, em diferentes formatos e dimensões e estará disponível no dia 26, às 18h, por meio da plataforma de leilões www.kronbergleiloes.com.br.

Serviço
Leilão beneficente em prol de pacientes com câncer
Data: 26/10, às 18h
Onde: Na plataforma de leilões www.kronbergleiloes.com.br

INTERVENÇÃO CULTURAL EM CURITIBA PROMOVE A UNIÃO DA ARTE DO SKATE COM O GRAFITE

“O 8º festival de Graffiti Street of Styles - vai reunir na capital paranaense, nos dias 17 e 18 de julho, artistas de diversas partes do país, em um movimento de expressão e revolução da arte visual na Curitiba Skate Park” street_of_styles

Arte dentro de casa: museus e eventos culturais com exposições virtuais

Ícones nacionais da arte, da Pinacoteca à Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba, contam com atrações gratuitas em meios digitais

CURITIBA, 15/06/2021 – O acesso à arte e cultura, ainda que limitado pela pandemia, continua sendo essencial às pessoas. Conhecer artistas e obras, revisitar importantes períodos históricos do Brasil e apreciar a produção cultural do país são ótimas pedidas. Ainda que muitos espaços estejam fechados ou com visitas limitadas, plataformas digitais fornecem conteúdo e qualidade para o público.

Confira uma lista de indicações:

Bienal On-Line: Ação digital da 14ª Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba, a Bienal On-Line apresenta muito conteúdo gratuito pelas redes sociais. Até dezembro, o evento tem programação de exposições, lives e bate-papos, entre outras atividades como a chamada aberta para artistas divulgarem seus trabalhos nos stories do Instagram @bienaldecuritiba. Pintura, escultura, vídeoarte, design e arquitetura, entre muitos outros, são apresentados na Bienal, que celebra discussões sobre responsabilidade socioambiental, tecnologia e arte. Mais informações em www.instagram.com/bienaldecuritiba e bienaldecuritiba.com.br.

Museu do Amanhã: Localizado no Rio de Janeiro, o Museu do Amanhã é dedicado à ciência. Foi inaugurado em 2015 com a proposta de pensar o futuro, sobre como podemos moldar os próximos 50 anos. Discussões ambientais, de sustentabilidade e convivência são promovidas pelo espaço e por suas exposições. A visita virtual apresenta fotos, vídeos e áudios explicando o conceito dos detalhes da construção, das obras de arte e das pesquisas que ganham as paredes do museu. Confira em: https://museudoamanha.org.br/tourvirtualpratodomundo/.

Museu Oscar Niemeyer: Com um espaço de 35 mil metros quadrados de área construída, é considerado o maior museu de arte da América Latina. Contando com acervo próprio e recebendo grandes exposições, já realizou desde 2002mais de 350 mostras nacionais, internacionais e itinerantes. No site, é possível conferir informações e imagens de algumas destas atrações. A visita virtual 3D destaca os espaços do MON, do famoso Olho ao jardim de esculturas, passando pelas maquetes e até uma sala de exposição. Disponível em www.museuoscarniemeyer.org.br/visite/visita-virtual-3D.

Pinacoteca de São Paulo: Fundada em 1905, a Pinacoteca de São Paulo é um museu de artes visuais, destacando produções a partir do século XIX até hoje. Seu cervo conta com 11 mil peças, incluindo nomes que mudaram os rumos da arte brasileira, como Tarsila do Amaral e Candido Portinari. A visita virtual conta com vídeo pelos corredores do prédio centenário que abriga o museu e a apreciação de obras, com explicações e links para entender a trajetória da arte brasileira. Mais em pinacoteca.org.br/visite/tour-virtual.

Museu Nacional de Belas Artes: Localizado no Rio de Janeiro, o Museu Nacional de Belas Artes abriga o maior acervo de obras de arte do século XIX. Inaugurado em 1938, abriga pinturas e esculturas de variados temas, desde um conjunto de esculturas africanas e arte decorativa até mobiliário e obras de arte popular e sacra. Documentos, livros, desenhos e objetos históricos também completam o acervo. Há dois roteiros de visita disponíveis, além da visualização de coleções, em artsandculture.google.com/partner/museu-nacional-de-belas-artes.

Três curtas-metragens de Curitiba são selecionados para festival internacional de animação“Um Dia Frio”, “Agária” e “Efúgio”

Produções de estudantes do curso de Design de Animação do UniCuritiba se destacaram entre mais de 4 mil trabalhos de diversos países e serão exibidos no ANIM!ARTE 2021

O que a investigação de um assassinato, uma égua em um planeta desconhecido e dois personagens em busca de liberdade têm em comum? Para o curso de Design de Animação do UniCuritiba – instituição de ensino superior que faz parte da Ânima, uma das principais organizações educacionais do país –, tudo!

É que os curtas-metragens “Um Dia Frio”, “Agária” e “Efúgio” foram selecionados, entre mais de 4 mil trabalhos, para o ANIM!ARTE 2021 – 16th International Student Animation Festival of Brazil.

Criado em 2001, o festival promove o intercâmbio de experiências culturais entre estudantes e é referência na mostra de produções audiovisuais, exibindo filmes de animação de mais de 90 países. “Esta é a primeira vez que o UniCuritiba tem trabalhos selecionados no festival, o que nos enche de orgulho”, diz a coordenadora do curso de Design de Animação, Ana Claudia Stangarlin Fróes.

Talentos reconhecidos
O ANIM!ARTE ocorrerá de 24 de maio a 13 de julho, em edição online. Além da mostra de filmes, a programação inclui oficinas, cursos, workshops, master classes e fóruns. O evento é o único da América Latina a integrar a Youth Cinema Network (YCN), a mais importante rede internacional de festivais de cinema juvenil. Nos últimos anos realizou itinerâncias por países como Dinamarca, Rússia, Espanha, Estados Unidos, Moçambique e País de Gales.

De acordo com a professora Marcia Maria Alves, o curso de Design de Animação tem uma ampla produção de curtas-metragens e web séries animadas. “As aprovações no ANIM!ARTE reafirmam a qualidade dos filmes produzidos e representam uma grande conquista para os estudantes e para o UniCuritiba”, comenta.

Elaborados na disciplina de Projeto Integrador, os trabalhos foram orientados pelas professoras Marcia Alves (“Efúgio” e “Agária”) e Jani Mendonça (“Um Dia Frio”), co-orientados e supervisionados pela professora Lucina Reitenbach Viana, idealizadora do projeto pedagógico do curso e da disciplina de projeto integrador. “Essa matéria integra todas as outras em um projeto inter relacionado em que os estudantes fazem um trabalho autoral e artístico, desde a concepção até a produção e divulgação”, explica Marcia.

A professora Lucina, que supervisiona todas as produções do curso desde a primeira turma, comenta sobre o retorno internacional dos trabalhos. “É muito gratificante perceber a maturidade dos alunos e a qualidade dos filmes realizados, evidenciados pelas diversas premiações internacionais alcançadas nessa jornada, resultados sólidos que afirmam a eficácia da metodologia de ensino por projetos e do aprendizado prático baseado em problemas.”

Roteiros
“Efúgio”, dos estudantes Rilary Wallace e Jorge Bueno, narra a história de dois personagens em busca de liberdade, sejam quais forem as consequências. Ambos superam abusos físicos e psicológicos para seguir seus sonhos em épocas e lugares diferentes. “Receber a notícia da seleção no ANIM!ARTE foi uma ótima surpresa, uma felicidade imensa e mostra que o esforço de toda a equipe valeu a pena”, diz Rilary.

Antes de se classificar para o 16th International Student Animation Festival of Brazil, “Efúgio” foi selecionado para outros dois festivais: First-Time Filmmaker 2021 - Lift-Off Global Network e Filmóptico - International Art Visual and Film Festival. Quem quiser pode assistir a animação em https://www.youtube.com/watch?v=PstWcvymiLY

Dirigido por Yasmin Sawtchuk de França, “Agária” conta a jornada de Cacao, uma égua que caiu em um planeta desconhecido e, ao explorar o novo ambiente, encontra unicórnios assustados que se afugentam em uma pequena vila. No local há uma gosma verde que provoca destruição e assusta os moradores. Ao enfrentar e derrotar a geleca, Cacao é premiada pelo rei, se tornando assim um unicórnio.

“Este é o primeiro evento no qual a animação será exibida, mas estamos aguardando o resultado de outros festivais e estou extremamente feliz”, conta Yasmin. Para conferir a história de Cacao, acesse https://www.youtube.com/watch?v=qH_8uCk1ahs

Filme noir de suspense policial, “Um Dia Frio” já foi exibido em festivais de cinema no Brasil, Estados Unidos, Portugal, Reino Unido, Croácia e Rússia. Vencedor do 5º Santos Film Fest - Festival Internacional de Cinema de Santos na categoria Melhor Curta-Metragem/Voto Popular, a produção chega agora ao ANIM!ARTE.

Quem assina a direção, roteiro e produção é o estudante Victor Percy, que trabalhou com outros colegas na realização do filme. “Experiências como essa são importantes porque mostram o potencial do trabalho realizado dentro do curso e demonstram o empenho e a dedicação de toda a equipe”, comemora. “Um Dia Frio” ainda não está disponível no Youtube. No momento, segue apenas em exibição nos festivais.

Sugestão de legenda
Estudantes do UniCuritiba se destacaram entre mais de 4 mil inscritos; produções cinematográficas premiadas serão exibidas no ANIM!ARTE 2021

Crédito das fotos
Divulgação

CLUBE CURITIBANO PROMOVE FESTIVAL DIGITAL DE ARTES E NOVAS TECNOLOGIAS

Entre 2 de outubro e 27 de novembro o Clube Curitibano realiza o Festival Impulso 2020, evento completamente digital que promove diferentes tipos de arte. Recheado de performances, bate-papos com artistas, show musicais e apresentações, o festival acontece completamente via a página do Instagram @impulsofestival.

Com a suspensão de todos os eventos sociais e culturais por tempo indeterminado, o Clube recorreu às redes sociais, com uma programação de lives desde abril deste ano. O festival vem como uma nova iniciativa, sendo o primeiro de seu gênero na instituição. Vinculado à tecnologia, o evento promove a versatilidade da arte em novas plataformas e em novos formatos.

E para esse projeto foi convidado um time de embaixadores, começando pela madrinha do evento, a prestigiada bailarina Ana Botafogo.

Com mais de 1 mês de programação, o festival é dividido em duas partes: o mostra artística, aberta ao público; e o concurso criativo, voltado aos associados do Clube.

O concurso convida todos os associados a exercitar a criatividade por meio das novas tecnologias. Depois de uma programação exclusiva de workshops, os participantes deverão fazer vídeos curtos mostrando o seu dom (seja cantando, atuando, dançando, tocando, imitando, dublando, o que achar melhor). O material passará por avaliação do júri e os melhores vídeos serão votados pelo público no Instagram oficial do Festival Impulso.

Regulamento do Concurso: http://bit.ly/regulamento_impulso2020

Para acompanhar todo o conteúdo do evento online, siga a página @impulsofestival. Confira a programação:

FESTIVAL IMPULSO 2020:

AO VIVO:

Instagram @impulsofestival

21/10 - 16h | Bate-papo com Jessé Batista Junior e Nathalia Tedeschi - “A Influência do Contemporâneo na Produção Artística”

YouTube oficial do Clube Curitibano

15/10 - 19h30 | Apresentação de dança com o grupo “Sashas”

16/10 - 18h | Show Jimmy Reuther

20/10 - 19h30 | Bate-papo com o coreógrafo Matheus Brusa

VÍDEOS DE PERFORMANCES, APRESENTAÇÕES E BATE-PAPOS:

17/10 | Leitura Dramática com Teatro Adulto do Clube Curitibano

19/10 | Bate-papo com o grupo de Dança “Sashas” - “A história e a criação de um estilo”

19/10 | Vídeodança “Cíclico” com Matheus Brusa

22/10 | Bate-papo com DANCEP (Companhia de Dança do Colégio Estadual do Paraná)

22/10 | Vídeo coreografia “Recalculando” com Matheus Brusa

26/10 | Performance da Curitiba Cia. de Dança

27/10 | Bate-papo com a Curitiba Cia. de Dança

27/10 | Apresentação do Grupo de Dança de Salão do Clube Curitibano e convidados

28/10 | Bate-papo com Grupo de Dança de Salão do Clube Curitibano

29/10 | Apresentação da peça “Let it Be” da Turma de Teatro Infantojuvenil do Clube Curitibano

30/10 | Bate-papo com o Professor Orly Veras de Teatro Infantojuvenil

Vídeos disponibilidades no Instagram @impulsofestival e no YouTube do Clube Curitibano

VINHO TINTA TRAZ A CURITIBA EXPERIÊNCIA QUE COMBINA ARTE, VINHOS E ENTRETENIMENTO

Inaugurado em dezembro de 2019, Vinho Tinta precisou adaptar-se à pandemia e já proporcionou momentos diferentes para muitas pessoas As atividades de final de semana ganharam uma opção diferente. Agora é possível ter uma experiência de pintura em tela, sem ser um curso ou aula. É o Vinho Tinta, que comercializa a experiência de pintar um quadro, com o auxílio de um instrutor, degustando o vinho e a companhia de sua preferência. A ideia é novidade no Brasil e está agradando vários tipos de público, como casais, turmas, solitários, crianças e idosos. Para criar Vinho Tinta, o empresário Marcos Santos (foto) inspirou-se nos empreendimentos semelhantes dos Estados Unidos e Europa, que teve contato quando morou fora do país. Com a ideia na cabeça e o propósito bem claro, adaptou a proposta para o Brasil, achou o espaço ideal para colocar tudo em prática e pôs literalmente a mão na massa. A reforma do local físico do Vinho Tinta foi feita por ele, sua namorada, família e amigos, até sua inauguração em dezembro passado. “A proposta é criar uma experiência em um evento. A pessoa escolhe a data e a obra que gostaria de pintar e vem participar de uma noite muito agradável conosco”, diz. Ao fechar a experiência, está inclusa uma taça de vinho e, no decorrer do evento pode continuar degustando sua bebida, em taças e até mesmo garrafa.
Marcos Santos, idealizador do Vinho Tinta O espaço físico, que lembra um loft novaiorquino da década de 1960, comporta 28 pessoas pintando ao mesmo tempo e conta também com um pequeno lounge e uma cozinha para preparação de aperitivos. A vivência dura cerca de duas horas. “Nosso propósito é ajudar as pessoas a viver o momento presente e mostrar que a arte está acessível a todos. Você não precisa ser um artista para pintar. Com essa ideia, acreditamos que vamos democratizar a arte”, comenta.
Pandemia inclui nova modalidade no Vinho Tinta Com o fechamento do comércio em março deste ano e como sua atividade principal passava pelos segmentos de bar e ensino, Vinho Tinta precisou se reinventar. Vieram as lives e o delivery de telas, pinceis, tintas e cavaletes e de vinhos. Depois de abril, a reabertura do negócio foi on-line. O instrutor de pintura mantém-se no espaço e a vivência é transmitida ao vivo via link para as pessoas que reservaram a experiência. Com essa modalidade, as pessoas recebem em casa seus kits de pintura, o vinho de sua preferência e um passo a passo para pintar é transmitido on-line. O alcance do negócio também foi ampliado, tendo operações da Vinho Tinta também em São Paulo, podendo atender clientes em todo o Brasil, mediante compras antecipadas. Abriu-se também a oportunidade de gravar a live e disponibilizar posteriormente para quem não poderia participar no horário do evento desejado, que é geralmente à noite. Com a gravação também é possível fazer as pausas na transmissão, o que é ideal para as crianças e para os idosos.

Com a boa receptividade da proposta, em um momento em que famílias inteiras e turmas de amigos estão buscando alternativas para entretenimento aos finais de semana, Marcos vislumbra a oportunidade da Vinho Tinta como evento corporativo. “Temos muitas ideias para expandir nosso negócio e levar a arte e o vinho até muitas pessoas”, diz Marcos.

Semana de Arte, Cultural e Literatura do Goethe-Institut Eventos virtuais ocorrem de 25 a 27 de agosto

Ocorre de 25 a 27 de agosto, a Semana de Arte, Cultura e Literatura do Goethe-Institut Curitiba, em parceria com a Secretaria Municipal da Educação. Os eventos, em ambiente virtual, são gratuitos e em português.
Nesta terça, 25, às 16h, o encontro terá como tema: “Berlim, a cidade de várias faces”. As vagas são limitadas e os ingressos estão disponíveis em https://bit.ly/SobreBerlim. Bastante procurada como destino turístico ou para intercâmbio, Berlim é uma capital cosmopolita e com grande diversidade cultural. Na live, serão abordados seus aspectos urbanos de capital que agrega várias nacionalidades, metrópole criativa e um caldeirão que reúne tendências comportamentais e culturais. O acesso ao Zoom será pelo link disponibilizado aos e-mails cadastrados em: https://bit.ly/SobreBerlim
No dia 26, às 16h, o bate-papo será “Delícia de conversa”, com a escritora Marli Dall Stella, estudiosa da culinária alemã e austríaca. Durante o encontro, a cozinheira fará a sua versão vegana, sem glúten e sem lactose, da Torta Sacher, que tradicionalmente leva chocolate e é recheada com geleia de damasco e coberta de chocolate. A transmissão será instagram.com/GoetheInstitut_Curitiba. Marli Dall Stella é admiradora da arte culinária austríaca e alemã e adapta as receitas à realidade gastronômica brasileira. Em 2014, lançou o livro “Receitas Austríacas do Tirol Brasileiro”, com 112 receitas doces e salgadas. Na obra também aborda curiosidades dos imigrantes austríacos de Treze Tílias, Santa Catarina.
O encontro, no dia 27, também às 16h, terá como foco a literatura e os autores alemães traduzidos para o português: “Vamos falar sobre livros - uma pequena viagem ao mundo da literatura alemã”, com Gisele Eberspächer. A transmissão será pelo link https://youtu.be/cmNqycewPzE. Gisele Eberspächer é booktuber, jornalista e mestre em Estudos Literários pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). A live, apresentada em seu canal do YouTube, “Vamos falar sobre livros”, enfocará a literatura alemã, seus autores traduzidos para o português e que estão ao alcance do público brasileiro.
A Semana de Arte Cultura e Literatura do Goethe Institut será encerrada às 20h30, com o recital de música alemã ao piano, pelo pianista Diego Zorrilla. O foco será o compositor Ludwig van Beethoven, conhecido por melodias como ‘Pour Elise’ e ‘Sonata ao Luar’, que completaria 250 anos em 2020. Também serão executados Mozart e Schumann. A live contará ainda com explanações sobre as obras desses compositores. A transmissão em facebook.com/dzpiano.

Sobre o Goethe-Institut Curitiba
Em Curitiba desde 1972, o Goethe-Institut é o Instituto Cultural oficial da República Federal da Alemanha, fundado em 1951 na cidade de Munique, na Alemanha. Atualmente, o Goethe-Institut possui 157 sedes em 98 países, sendo 12 somente na Alemanha e cinco no Brasil. O objetivo é promover o conhecimento da língua alemã em todo o mundo assim como o intercâmbio cultural. O Goethe-Institut Curitiba fica na Rua Reinaldino S. de Quadros, 33, mas está fechado para atendimento presencial. Os canais de comunicação são o e-mail info-curitiba@goethe.de e o telefone (41) 3262-8244, com atendimento de segunda a sexta, das 10h às 16h. Mais informações no site do Goethe-Institut Curitiba: https://www.goethe.de/curitiba.