CLUBE CURITIBANO PROMOVE FESTIVAL DIGITAL DE ARTES E NOVAS TECNOLOGIAS

Entre 2 de outubro e 27 de novembro o Clube Curitibano realiza o Festival Impulso 2020, evento completamente digital que promove diferentes tipos de arte. Recheado de performances, bate-papos com artistas, show musicais e apresentações, o festival acontece completamente via a página do Instagram @impulsofestival.

Com a suspensão de todos os eventos sociais e culturais por tempo indeterminado, o Clube recorreu às redes sociais, com uma programação de lives desde abril deste ano. O festival vem como uma nova iniciativa, sendo o primeiro de seu gênero na instituição. Vinculado à tecnologia, o evento promove a versatilidade da arte em novas plataformas e em novos formatos.

E para esse projeto foi convidado um time de embaixadores, começando pela madrinha do evento, a prestigiada bailarina Ana Botafogo.

Com mais de 1 mês de programação, o festival é dividido em duas partes: o mostra artística, aberta ao público; e o concurso criativo, voltado aos associados do Clube.

O concurso convida todos os associados a exercitar a criatividade por meio das novas tecnologias. Depois de uma programação exclusiva de workshops, os participantes deverão fazer vídeos curtos mostrando o seu dom (seja cantando, atuando, dançando, tocando, imitando, dublando, o que achar melhor). O material passará por avaliação do júri e os melhores vídeos serão votados pelo público no Instagram oficial do Festival Impulso.

Regulamento do Concurso: http://bit.ly/regulamento_impulso2020

Para acompanhar todo o conteúdo do evento online, siga a página @impulsofestival. Confira a programação:

FESTIVAL IMPULSO 2020:

AO VIVO:

Instagram @impulsofestival

21/10 - 16h | Bate-papo com Jessé Batista Junior e Nathalia Tedeschi - “A Influência do Contemporâneo na Produção Artística”

YouTube oficial do Clube Curitibano

15/10 - 19h30 | Apresentação de dança com o grupo “Sashas”

16/10 - 18h | Show Jimmy Reuther

20/10 - 19h30 | Bate-papo com o coreógrafo Matheus Brusa

VÍDEOS DE PERFORMANCES, APRESENTAÇÕES E BATE-PAPOS:

17/10 | Leitura Dramática com Teatro Adulto do Clube Curitibano

19/10 | Bate-papo com o grupo de Dança “Sashas” - “A história e a criação de um estilo”

19/10 | Vídeodança “Cíclico” com Matheus Brusa

22/10 | Bate-papo com DANCEP (Companhia de Dança do Colégio Estadual do Paraná)

22/10 | Vídeo coreografia “Recalculando” com Matheus Brusa

26/10 | Performance da Curitiba Cia. de Dança

27/10 | Bate-papo com a Curitiba Cia. de Dança

27/10 | Apresentação do Grupo de Dança de Salão do Clube Curitibano e convidados

28/10 | Bate-papo com Grupo de Dança de Salão do Clube Curitibano

29/10 | Apresentação da peça “Let it Be” da Turma de Teatro Infantojuvenil do Clube Curitibano

30/10 | Bate-papo com o Professor Orly Veras de Teatro Infantojuvenil

Vídeos disponibilidades no Instagram @impulsofestival e no YouTube do Clube Curitibano

VINHO TINTA TRAZ A CURITIBA EXPERIÊNCIA QUE COMBINA ARTE, VINHOS E ENTRETENIMENTO

Inaugurado em dezembro de 2019, Vinho Tinta precisou adaptar-se à pandemia e já proporcionou momentos diferentes para muitas pessoas As atividades de final de semana ganharam uma opção diferente. Agora é possível ter uma experiência de pintura em tela, sem ser um curso ou aula. É o Vinho Tinta, que comercializa a experiência de pintar um quadro, com o auxílio de um instrutor, degustando o vinho e a companhia de sua preferência. A ideia é novidade no Brasil e está agradando vários tipos de público, como casais, turmas, solitários, crianças e idosos. Para criar Vinho Tinta, o empresário Marcos Santos (foto) inspirou-se nos empreendimentos semelhantes dos Estados Unidos e Europa, que teve contato quando morou fora do país. Com a ideia na cabeça e o propósito bem claro, adaptou a proposta para o Brasil, achou o espaço ideal para colocar tudo em prática e pôs literalmente a mão na massa. A reforma do local físico do Vinho Tinta foi feita por ele, sua namorada, família e amigos, até sua inauguração em dezembro passado. “A proposta é criar uma experiência em um evento. A pessoa escolhe a data e a obra que gostaria de pintar e vem participar de uma noite muito agradável conosco”, diz. Ao fechar a experiência, está inclusa uma taça de vinho e, no decorrer do evento pode continuar degustando sua bebida, em taças e até mesmo garrafa.
Marcos Santos, idealizador do Vinho Tinta O espaço físico, que lembra um loft novaiorquino da década de 1960, comporta 28 pessoas pintando ao mesmo tempo e conta também com um pequeno lounge e uma cozinha para preparação de aperitivos. A vivência dura cerca de duas horas. “Nosso propósito é ajudar as pessoas a viver o momento presente e mostrar que a arte está acessível a todos. Você não precisa ser um artista para pintar. Com essa ideia, acreditamos que vamos democratizar a arte”, comenta.
Pandemia inclui nova modalidade no Vinho Tinta Com o fechamento do comércio em março deste ano e como sua atividade principal passava pelos segmentos de bar e ensino, Vinho Tinta precisou se reinventar. Vieram as lives e o delivery de telas, pinceis, tintas e cavaletes e de vinhos. Depois de abril, a reabertura do negócio foi on-line. O instrutor de pintura mantém-se no espaço e a vivência é transmitida ao vivo via link para as pessoas que reservaram a experiência. Com essa modalidade, as pessoas recebem em casa seus kits de pintura, o vinho de sua preferência e um passo a passo para pintar é transmitido on-line. O alcance do negócio também foi ampliado, tendo operações da Vinho Tinta também em São Paulo, podendo atender clientes em todo o Brasil, mediante compras antecipadas. Abriu-se também a oportunidade de gravar a live e disponibilizar posteriormente para quem não poderia participar no horário do evento desejado, que é geralmente à noite. Com a gravação também é possível fazer as pausas na transmissão, o que é ideal para as crianças e para os idosos.

Com a boa receptividade da proposta, em um momento em que famílias inteiras e turmas de amigos estão buscando alternativas para entretenimento aos finais de semana, Marcos vislumbra a oportunidade da Vinho Tinta como evento corporativo. “Temos muitas ideias para expandir nosso negócio e levar a arte e o vinho até muitas pessoas”, diz Marcos.

Semana de Arte, Cultural e Literatura do Goethe-Institut Eventos virtuais ocorrem de 25 a 27 de agosto

Ocorre de 25 a 27 de agosto, a Semana de Arte, Cultura e Literatura do Goethe-Institut Curitiba, em parceria com a Secretaria Municipal da Educação. Os eventos, em ambiente virtual, são gratuitos e em português.
Nesta terça, 25, às 16h, o encontro terá como tema: “Berlim, a cidade de várias faces”. As vagas são limitadas e os ingressos estão disponíveis em https://bit.ly/SobreBerlim. Bastante procurada como destino turístico ou para intercâmbio, Berlim é uma capital cosmopolita e com grande diversidade cultural. Na live, serão abordados seus aspectos urbanos de capital que agrega várias nacionalidades, metrópole criativa e um caldeirão que reúne tendências comportamentais e culturais. O acesso ao Zoom será pelo link disponibilizado aos e-mails cadastrados em: https://bit.ly/SobreBerlim
No dia 26, às 16h, o bate-papo será “Delícia de conversa”, com a escritora Marli Dall Stella, estudiosa da culinária alemã e austríaca. Durante o encontro, a cozinheira fará a sua versão vegana, sem glúten e sem lactose, da Torta Sacher, que tradicionalmente leva chocolate e é recheada com geleia de damasco e coberta de chocolate. A transmissão será instagram.com/GoetheInstitut_Curitiba. Marli Dall Stella é admiradora da arte culinária austríaca e alemã e adapta as receitas à realidade gastronômica brasileira. Em 2014, lançou o livro “Receitas Austríacas do Tirol Brasileiro”, com 112 receitas doces e salgadas. Na obra também aborda curiosidades dos imigrantes austríacos de Treze Tílias, Santa Catarina.
O encontro, no dia 27, também às 16h, terá como foco a literatura e os autores alemães traduzidos para o português: “Vamos falar sobre livros - uma pequena viagem ao mundo da literatura alemã”, com Gisele Eberspächer. A transmissão será pelo link https://youtu.be/cmNqycewPzE. Gisele Eberspächer é booktuber, jornalista e mestre em Estudos Literários pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). A live, apresentada em seu canal do YouTube, “Vamos falar sobre livros”, enfocará a literatura alemã, seus autores traduzidos para o português e que estão ao alcance do público brasileiro.
A Semana de Arte Cultura e Literatura do Goethe Institut será encerrada às 20h30, com o recital de música alemã ao piano, pelo pianista Diego Zorrilla. O foco será o compositor Ludwig van Beethoven, conhecido por melodias como ‘Pour Elise’ e ‘Sonata ao Luar’, que completaria 250 anos em 2020. Também serão executados Mozart e Schumann. A live contará ainda com explanações sobre as obras desses compositores. A transmissão em facebook.com/dzpiano.

Sobre o Goethe-Institut Curitiba
Em Curitiba desde 1972, o Goethe-Institut é o Instituto Cultural oficial da República Federal da Alemanha, fundado em 1951 na cidade de Munique, na Alemanha. Atualmente, o Goethe-Institut possui 157 sedes em 98 países, sendo 12 somente na Alemanha e cinco no Brasil. O objetivo é promover o conhecimento da língua alemã em todo o mundo assim como o intercâmbio cultural. O Goethe-Institut Curitiba fica na Rua Reinaldino S. de Quadros, 33, mas está fechado para atendimento presencial. Os canais de comunicação são o e-mail info-curitiba@goethe.de e o telefone (41) 3262-8244, com atendimento de segunda a sexta, das 10h às 16h. Mais informações no site do Goethe-Institut Curitiba: https://www.goethe.de/curitiba.

Contações de histórias virtuais transformam a realidade hospitalar

Instituto História Viva se reinventa em tempos de isolamento social, levando histórias no formato on-line para crianças que estão internadas

Desde o início da pandemia, o Instituto História Viva tem feito contações de histórias virtuais, tanto pelo SOS Contadores de Histórias quanto pelo Disk Histórias. O Hospital Erasto Gaertner, de Curitiba, no Paraná, foi o primeiro a aceitar essa modalidade, em que os voluntários enviam histórias personalizadas e gravadas em formato de vídeo para as crianças que estão internadas.
“Para evitar o contato físico entre crianças e voluntários, e seguindo as orientações de isolamento social, vimos no movimento virtual uma oportunidade para continuar alegrando a vida das pessoas que se encontram hospitalizadas”, relata Roseli Bassi, fundadora e gestora do Instituto História Viva.
Além da instituição paranaense, o Hospital Infantil Darcy Vargas, de São Paulo, também tem se beneficiado das contações virtuais. “Em contrapartida, mobilizamos uma campanha de doação de tablets, para que os pacientes pudessem assistir às contações em vídeo”, conta.
Nesse processo on-line, as histórias são escolhidas pelas próprias crianças, mediante entrevistas, que são feitas pelas psicólogas das instituições. “Fazemos uma saudação com o nome de cada paciente e seguimos com a contação personalizada. Isso faz com que eles se sintam prestigiados e encantados. Tem sido gratificante despertar sorrisos em tempos tão difíceis, ainda que de forma virtual”, afirma Roseli.

Capacitação on-line para a formação de contadores será realizada em junho
Transformar histórias de vida em contos de fada, com o objetivo de levar alegria a pessoas em situações de fragilidade física e emocional, modificando a realidade em ambientes hospitalares, lares de idosos e abrigos, por meio da literatura oralizada. Desde a sua fundação, em 2015, essa tem sido a principal missão do Instituto História Viva, que já formou mais de 3.500 voluntários em diferentes estados do Brasil.
Em busca de recursos para a manutenção do Instituto, uma nova turma de contadores virtuais de histórias será aberta, nos dias 23, 24 e 25 de junho, com uma taxa de inscrição de R$ 25,00, enquanto o valor do treinamento presencial é de R$150,00.
“A ideia dessa capacitação é instruir os participantes a contarem histórias com o uso do celular. Os candidatos também precisarão se comprometer a mandar uma história por semana até o final de agosto deste ano, ou até o retorno das atividades presenciais”, reforça a fundadora da instituição.
Ainda de acordo com a gestora, após esse período de isolamento social, os voluntários precisarão completar a formação de modo presencial, passando pela parte prática de contação, seguida da formatura para obter o certificado e o jaleco, que é utilizado durante as visitas realizadas. Para essa etapa final, o valor será de R$125,00, pois os participantes receberão um desconto de R$ 25,00, já investidos no treinamento virtual.

Serviço:

Treinamento Instituto História Viva: “A arte de contar histórias com o uso do celular”

Data: 23, 24 e 25 de junho

Horário: 20h às 21h30, via Zoom

Investimento: R$ 25,00 (etapa virtual) / R$125,00 (etapa presencial, após o período de isolamento social).

Informações e voluntariado: contato@historiaviva.org.br ou (41) 98865-4218.

Quer conhecer mais sobre a ONG? Acesse: www.historiaviva.org.br .

Sobre o Instituto História Viva – Fundado em 2005 pela gestora Roseli Bassi, o Instituto História Viva tem como objetivo maior transformar ambientes de dor e sofrimento por meio da literatura oralizada. Por meio deste trabalho, a ONG, que nasceu em Curitiba e, hoje, atua em vários estados brasileiros, tem incentivado a leitura, a educação e a cultura brasileira. Em 15 anos de existência, a entidade já formou 3.500 voluntários na arte de ouvir e contar histórias. Semanalmente, asilos, hospitais, casas lares e abrigos recebem a visita dos voluntários do História Viva que, por ano, atendem cerca de 14 mil pessoas. Seus voluntários apresentam perfis variados e são capacitados a ouvir, escrever, contar e recontar histórias clássicas, casos de vida e contos da literatura brasileira no intuito de levar alegria a indivíduos em situações de fragilidade física e emocional. A seriedade desse trabalho tem rendido premiações diversas à entidade nos segmentos de cultura, educação e ação social. Saiba mais: www.historiaviva.org.br / www.facebook.com/institutohistoriaviva.

Mercedes-Benz apresenta veículos Sprinter transformados em estações de arte, cinema, sustentabilidade e tecnologia

· Em homenagem ao Dia Mundial do Meio Ambiente, a marca traz vídeo sobre o projeto Cinesolar em suas redes sociais de Vans
· Ação consiste no primeiro cinema itinerante do Brasil com exibição de filmes por meio de energia solar

Nesta sexta-feira, dia 5, em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, a Mercedes-Benz divulgou em todas as suas redes sociais de Vans um vídeo realizado em parceria com o Cinesolar, primeiro cinema itinerante do Brasil que exibe filmes por meio de energia solar. O conteúdo mostra detalhes desse projeto apoiado pela marca, que contém dois furgões Sprinter transformados em estações móveis de arte, cinema, sustentabilidade e tecnologia.

“O objetivo do Dia Mundial do Meio Ambiente é conscientizar as pessoas sobre a importância da preservação dos recursos naturais e o Cinesolar é um ótimo aliado nesta causa. Apoiado pela Mercedes-Benz, esse projeto leva cultura e conhecimento para todos com o auxílio da tecnologia inovadora da Sprinter, estimulando o uso de energia solar e a sustentabilidade”, afirma Evandro Cunha, gerente de Marketing & Comunicação de Vans da Mercedes-Benz.

No vídeo, os responsáveis pelo projeto contam os bastidores dessa ação, destacando como desenvolveram essa iniciativa e mostrando parte de sua rotina. Eles explicam ao público que, para possibilitar a conversão de energia solar para elétrica, foi instalado o sistema Fotovoltaico, que consiste em uma usina de geração de energia solar. Além disso, é destacado que os veículos foram grafitados com o intuito de disseminar ainda mais a arte urbana por onde os veículos estiverem.

Para otimizar o espaço do modelo, a parte interna do Furgão possui uma função dupla. O local é utilizado para carregar todos os equipamentos do cinema móvel, como o projetor, a tela e o sistema de sol e, em paralelo, também consiste em uma sala de aula lúdica onde as crianças e os adultos são convidados a entrar para vivenciar uma experiência única com arte, tecnologia e sustentabilidade.

O Cinesolar segue viagem com dois furgões Sprinter para exibir filmes a partir da energia solar, além de promover arte e sustentabilidade com a realização paralela de oficinas artísticas e lúdicas, como produção de vídeos, grafites, música e dança. O primeiro veículo é equipado com sistema de som para acompanhar as atividades, enquanto a segunda estação móvel, denominada Cinesolar Tupã, conta com um estúdio de TV.

Confira o vídeo por meio do link https://www.instagram.com/p/CBDnmVzAYLU/ e conheça melhor esse projeto em http://www.cinesolar.com.br/.

Download do Press Release

https://www.mercedes-benz.com.br/resources/media/releases/gallery/thumb/20200605_706526f719054327b7acd5af901baf69_sprinter-cinesolar.jpg https://www.mercedes-benz.com.br/resources/media/releases/gallery/thumb/20200605_510e7e9eb5b64a4fa596587de6dc885f_projeto-cinesolar-2.jpg https://www.mercedes-benz.com.br/resources/media/releases/gallery/thumb/20200605_b927d88a6f1e411b9a64470ae25c5221_sprinter-cinesolar-4.png https://www.mercedes-benz.com.br/resources/media/releases/gallery/thumb/20200605_bcb4f6564b4948fc8f520c4564dd2136_sprinter-cinesolar-3.png

Acesse o link: https://www.mercedes-benz.com.br/institucional/imprensa/releases/vans/2020/6/21803-mercedes-benz-apresenta-veiculos-sprinter-transformados-em-estacoes-de-arte-cinema-sustentabilidade-e-tecnologia

Visite o nosso site: https://www.mercedes-benz.com.br/

Siga nosso perfil no Facebook e no Instagram: @MercedesBenzVansBr e @mbvansbr

Artistas propõem reflexão sobre o mundo depois da pandemia

O “Pensando o Amanhã”, projeto do Goethe-Institut, apresenta depoimentos de artistas e intelectuais de diversos países que lançam olhares diferentes sobre o que será o planeta pós-coronavírus

O que será do mundo pós-pandemia? Tentar responder a essa pergunta atualmente é quase como tentar decifrar o sentido da vida. Para pensar sobre que mundo teremos passada a maior crise sanitária já vivida pelo planeta Terra, o Goethe-Institut buscou em “Pensando o Amanhã”, a partir do depoimento de artistas e intelectuais do mundo todo, uma reflexão sobre o futuro. Escritores, músicos, filósofos, historiadores tentaram, a partir da vivência de cada um, projetar o planeta encerrada a necessidade de isolamento social.

A transformação pela arte
Angela Su, artista de mídia e performer de Hong Kong, não acredita em mudanças radicais no comportamento humano pós-pandemia enquanto a sociedade ainda estiver enraizada em conceitos neoliberais, capitalistas e patriarcais. Ela teme uma guerra por recursos naturais, dependência ainda maior da internet e China e Rússia em luta para se tornar o país mais poderoso do mundo. Mas vê esperança na beleza, expressa na maneira em que a arte pode emocionar e transformar um indivíduo. “Continuo com a ilusão de que a arte de alguém, ou até mesmo meu trabalho, possa tocar uma pessoa em um canto remoto do mundo e fazer com que essa pessoa traga mudanças capazes de salvar a humanidade”.
https://www.goethe.de/ins/br/pt/kul/sup/dan/21841782.html
Treinador elíptico
A escritora tcheca Petra Hulová cita o filósofo também tcheco Václav Bělohradský para refletir sobre o momento e o que há de vir passada a pandemia. Václav definiu certa vez que uma crise deveria nos permitir a escolha entre catástrofe e alternativas. “O que estamos todos experimentando no momento é um empurrão nos limites da nossa imaginação”, acredita Petra. “Sempre nos foi dito que vivemos em um sistema que não pode ser mudado, para o qual não há alternativas. No entanto, agora vemos como a vida pode mudar radicalmente em questão de dias. Essa experiência em si é valiosa”, aponta. Para ela, a esperança está no potencial de mudança. Ela entende haver conexões entre o capitalismo, mudança climática e o covid-19, sendo o vírus a “personificação de uma natureza e uma sociedade doentes”. “O coronavírus é nosso treinador elíptico, nos ensinando a ver o mundo e a nós mesmos sob uma nova luz. Se ele não nos quebrar, vai nos fazer mais fortes”.
https://www.goethe.de/ins/br/pt/kul/sup/dan/21851280.html
Lidar com o luto
Ciente de que o número de mortos em alguns países da América Latina deve ficar na casa dos milhares – se não dos milhões – a filósofa mexicana Julieta Lomelí entende que o saldo final de vítimas deve causar um impacto indelével na saúde mental das populações. Fundamental para o enfrentamento da covid-19, o confinamento social também tem um preço a ser pago, não só econômico. E isso tem se refletido em seu país, onde boa parte da economia está pautada no comércio informal. “No longo prazo, a generalização da dor da perda de membros da família forçará o Estado a dedicar mais atenção e um orçamento maior a questões de saúde mental”, avalia. Neste caso, Julieta entende que o desafio imediato do México e também da América Latina será o de aprender a lidar com a morte em larga escala, superar o luto e lembrar que a recessão econômica, em algum momento, vai passar. “Uma consequência positiva será a exigência, vigilância e mobilização de cidadãos para que o Estado garanta o direito à saúde e faça da assistência médica um serviço universal e gratuito, independentemente da classe social.”
https://www.goethe.de/ins/br/pt/kul/sup/dan/21849895.html
Desejo insistente de viver
Vivendo no país em que o governo federal se coloca contra as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS), o artista soteropolitano Tiago Sant’anna vê com dificuldades fazer uma previsão do que será o mundo pós-pandemia. “Mas um fator é quase certo”, constata: “as desigualdades irão aumentar razoavelmente. As medidas para as pessoas mais pobres são limitadas. As campanhas de doação e as ações de filantropia não serão suficientes porque precisamos de políticas sociais mais profundas e efetivas – em curto e longo prazos”, lamenta. Apesar do desalento com que a realidade atual se apresenta, o artista vê que a superação a essa crise sanitária sem precedentes virá por meio de “lutas diárias, do senso comunitário que nos une e do desejo insistente de viver.”
https://www.goethe.de/ins/br/pt/kul/sup/dan/21856136.html
De volta à caverna
O jornalista alemão George Seesslen retorna à alegoria da caverna, de Platão, para apontar o momento atual, em que “somos dobrados novamente e, enquanto podemos esperar por um novo desdobramento, isso não é uma situação tão miserável. Mas quanto tempo dura essa espera? E que poder ganha a impaciência?”, questiona. Embora ainda veja o mundo enfrentando crises diferentes – a “matriosca” (uma crise dentro de uma crise); a “teoria da idade das trevas” (ascensão de doutrinas de salvação e redenção e teorias da conspiração; ameaça de uma ampla catástrofe ecológica; guerras civis como um estado permanente) e a própria crise do coronavírus, que une as crises entre si enquanto aparenta encobri-las – sua esperança está na libertação do sujeito que pensa criticamente. E que pode ser ele o agente provocador da mudança no mundo a partir do isolamento.
https://www.goethe.de/ins/br/pt/kul/sup/dan/21820816.html
De Curitiba
Em breve, o site apresentará também uma contribuição genuinamente curitibana: a escritora, jornalista e ativista Bebeti do Amaral Gurgel foi convidada pelo Goethe-Institut Curitiba a escrever para o site. O texto de Bebeti irá ao ar nos próximos dias.

Sobre o Goethe-Institut Curitiba
Em Curitiba desde 1972, o Goethe-Institut é o Instituto Cultural oficial da República Federal da Alemanha, fundado em 1951 na cidade de Munique, na Alemanha. Atualmente, o Goethe-Institut possui 157 sedes em 98 países, sendo 12 somente na Alemanha e cinco no Brasil. O objetivo é promover o conhecimento da língua alemã em todo o mundo assim como o intercâmbio cultural. Mais informações, acesse o site do Goethe-Institut Curitiba: https://www.goethe.de/de/index.html.

A maior animação em stop motion do mundo: novas tecnologias para se ensinar arte

Gulp é um vídeo de animação produzido pela equipe dos estúdios Aardman Animations juntamente com o Estúdio Sumo. Apenas para ter uma ideia da importância dessa empresa para a linguagem da animação, esse estúdio foi responsável pela produção do filme Fuga das Galinhas (2000), que movimentou mais de 45 milhões de dólares.

O projeto de animação foi encomendado pela Nokia, empresa fabricante de aparelhos de celular, que tinha por objetivo divulgar o “Nokia smarthphone N8”.

Nessa animação, existe um pescador que, durante o seu ofício, acaba por enfrentar uma circunstância nada comum. Enquanto fisgava os peixes, o pescador é engolido por um enorme tubarão. Dentro do estômago do peixe, o pescador se depara com um ambiente escuro, no qual descobre haver uma bomba. Ao explodir, a bomba acaba por devolver o pescador para a superfície. Posteriormente à explosão, a animação segue a normalidade até o final do filme.

Gulp entrou para Guinness Word Records como a maior animação em stop motion do mundo, pois utilizou o maior cenário já realizado para uma animação realizada nessa técnica. Geralmente uma animação quadro-a-quadro, como é conhecida a técnica do stop motion, é realizada a partir de frames (imagens) que são dispostas em ordem dentro de uma fração temporal.

No caso de Gulp, a animação foi realizada em uma praia no sudoeste do País de Gales chamada Pendine Sands, ou seja, o espaço fotografado no stop motion foi muito maior do que uma maquete de mesa para animação de bonecos tridimensionais ou uma perspectiva representada em uma folha de papel em uma animação bidimensional. A animação utilizou como suporte a própria praia da cidade.

Aqui poderíamos estabelecer conexões entre a animação Gulp e o ensino de artes visuais. Gulp pode permitir ao professor de arte, que trabalha no ensino básico, a possibilidade de articular na unidade temática de artes visuais os diversos objetos do conhecimento e habilidades em sua disciplina.

Para isso, sugere-se aqui a utilização dos princípios da educomunicação, que visam, dentre outras coisas, a educação por meio da utilização de tecnologia, partindo do princípio de que é possível a uma aprendizagem coletiva e significante.

Em Gulp, por exemplo, o professor poderá trabalhar com contextos e práticas, quando promover a apreciação e analise de formas distintas das artes visuais, nas quais discutam-se aspectos de percepção, imaginário e a capacidade de simbolizar. Poderá ainda propor aos estudantes um diálogo entre a animação vista e o movimento da Land Art e, com isso, promoveria a pesquisa e análise de estilos visuais variados, contextualizando-os no tempo e no espaço.

Talvez, a grande reforma do ensino, tão esperada por muitos, aconteça quando os educadores se conscientizarem, como já previa Paulo Freire, de que existe o mundo de seus estudantes e que se trata de uma realidade mediada pela tecnologia.

As necessidades e anseios do jovem de hoje precisam ser administradas pelo professor de forma que prolifere uma atmosfera propícia ao aprendizado autônomo, na qual leve-se em conta a troca de experiências, o conhecimento prévio dos estudantes, suas necessidades e seus costumes.

Gulp, portanto, é um pretexto para discutirmos a boa educação em arte, aquela que promove, de acordo com o professor Dr. Clóvis de Barros Filho. “a vida que vale a pena ser vivida”.

Autor: André Luiz Pinto dos Santos é professor especialista nos cursos de Licenciatura e Bacharelado em Artes Visuais do Centro Universitário Internacional Uninter.

PRESENTEIE COM OBRAS DE ARTE

LUIZ ARTHUR MONTES RIBEIRO TORNA O DIA DAS MÃES INESQUECÍVEL COM NOVA CAMPANHA QUE TRAZ DESCONTOS EM CONSAGRADAS OBRAS DE ARTE

Premiado artista paranaense lança promoção especial para o Dia das Mães com obras selecionadas com até 50% de desconto e outras novidades para marcar com muito amor e arte esta data tão sensível e especial

O Dia das Mães é considerado uma das datas mais importantes do ano, pois é uma oportunidade especial de reconhecermos para estas pessoas que dedicam tanto de sua vida e carinho a nós o quanto elas são importantes, imprescindíveis e amadas. Neste ano de 2020, particularmente, com o isolamento social e o grande desafio global da pandemia causada pelo coronavírus, atitudes sensíveis e delicadas podem fazer quem amamos tanto ainda mais felizes, com ternura, beleza e afeto. A arte tem um papel muito importante neste sentido. Presentear com arte no Dia das Mães é uma forma de eternizar nosso amor de geração a geração.

Pensando nisso, o reconhecido artista visual paranaense e galerista Luiz Arthur Montes Ribeiro lançou, a partir de 5 de maio, uma campanha especial para o Dia das Mães. As obras do artista, dos cobiçados quadros aos livros de sua autoria, são vendidas nesta campanha com até 50% de desconto. E tem mais, ao adquirir uma obra, o cliente ganha outra de igual valor, podendo presentear sua mãe e ainda tornar sua casa ainda mais bonita, personalizada e repleta de arte.

Dentro da promoção, o frete também é grátis na compra dos livros do artista.

Para facilitar, o espaço Luiz Arthur Montes Ribeiro Galeria de Arte atende os clientes por whatsapp, telefone, email e também com hora marcada individualmente, com todos os cuidados instruídos pela OMS.

SOBRE LUIZ ARTHUR MONTES RIBEIRO
O modelo espanhol, do artista e sua galeria, é a forma como Luiz Arthur Montes Ribeiro conduz sua carreira artística. “Sempre reservei as tardes para produzir e mantenho meu ateliê e galeria abertos aos visitantes e interessados”, conta o artista. Em sua prolífica produção, a expressão poética se alinha à acurada técnica, desenvolvida com os melhores mestres, entre eles Maria Ivone Bergamini, Sidney Mariano, Dallwa Lobo e Edilson Viriato.

Filho de um casal proeminente, que muito incentivou a arte e a cultura de Ponta Grossa, sempre contou com o apoio dos pais e da família em sua carreira artística. “A arte e a cultura estão presentes desde muito cedo em minha história”, conta o múltiplo artista. “Atuar como artista foi um caminho natural para mim, em que me comunico com as pessoas e celebro, a cada livro, a cada desenho, a cada tela e escultura, a vida.”

--

Serviço
PROMOÇÃO #DIADASMÃES #PRESENTEIECOMARTE
LUIZ ARTHUR MONTES RIBEIRO GALERIA DE ARTE
Telefone/Whatsapp: (41) 99920-7349
Email: galeriadearte@luizarthur.com.br
Endereço: Av. Vicente Machado, 160, 4º andar, Cj. 43, Centro – Curitiba (PR)
Site: luizarthurarteegastronomia.blogspot.com
Facebook: @galeriadearteluizarthurmontesribeiro
Instagram: @luizarthurmontesribeiro
Twitter: @MontesLuiz
* Visitas individuais, sempre sob agendamento com a galeria.

--

CONFIRA OBRAS DA NOVA CAMPANHA:

Artista: Luiz Arthur Montes Ribeiro

downloadAttachment&Message%5Buid%5D=168839&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253CCPXP215MB1207A605A620321E44D12D3CAEA70%2540CPXP215MB1207.LAMP215.PROD.OUTLOOK.COM%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3CCPXP215MB1207A605A620321E44D12D3CAEA70%40CPXP215MB1207.LAMP215.PROD.OUTLOOK.COM%3E-1.1.2
"Araucária 5", acrílica sobre tela, 50 x 40 cm, 2019. Valor final: R$ 1.099,00 (desconto de 50%)

downloadAttachment&Message%5Buid%5D=168839&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253CCPXP215MB1207A605A620321E44D12D3CAEA70%2540CPXP215MB1207.LAMP215.PROD.OUTLOOK.COM%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3CCPXP215MB1207A605A620321E44D12D3CAEA70%40CPXP215MB1207.LAMP215.PROD.OUTLOOK.COM%3E-1.1.3
"Florestas para meu amor 5", série "Árvores do meu ser III". aquarela e nanquim sobre papel, 33 x 12 cm, 2014. Valor final: R$ 434,90 (desconto de 30%)

downloadAttachment&Message%5Buid%5D=168839&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253CCPXP215MB1207A605A620321E44D12D3CAEA70%2540CPXP215MB1207.LAMP215.PROD.OUTLOOK.COM%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3CCPXP215MB1207A605A620321E44D12D3CAEA70%40CPXP215MB1207.LAMP215.PROD.OUTLOOK.COM%3E-1.1.4
"Jardim das Borboletas - Fêmea 2", aquarela sobre papel, 37 x 27 cm, 2018. Valor final: R$ 488,90 (desconto de 30%)

Governo do Paraná lança pacote de medidas de valorização, apoio e fortalecimento do setor cultural

O Governo do Paraná vai dar visibilidade a todo o potencial da produção cultural paranaense por meio do Pacote de Medidas de Apoio e Fortalecimento do Setor Cultural, uma série de ações voltadas a artistas, gestores e produtores culturais. Lançado nesta terça-feira (05/05) pela Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura (SECC) por meio da Superintendência-Geral da Cultura, o pacote tem como principal objetivo a valorização da cultura feita no Paraná, além de ser uma forma de auxiliar a classe artística a enfrentar este momento de crise.
“A pandemia do Covid-19 tem como efeitos colaterais impactos na economia de todos os países atingidos. No Brasil e no Paraná, não poderia ser diferente. Sensibilizado com a situação de nossos artistas e produtores culturais, o Governo do Paraná se mobilizou para elaborar e colocar em ação, o mais rápido possível, um pacote de medidas, cujo objetivo é valorizar a cultura do Estado, em suas mais diversas manifestações e frentes, porque entendemos que ela não pode de forma alguma parar e merece toda nossa atenção nesse momento”, afirma a superintendente de Cultura da SECC, Luciana Casagrande Pereira.
Uma das medidas é o edital Cultura feita em casa, que vai beneficiar 510 projetos de realizadores paranaenses nas áreas de artes cênicas; música; literatura, livro e leitura; audiovisual; artes visuais; e expressões culturais, populares, indígenas e de comunidades tradicionais. Os selecionados farão produções inéditas em vídeo ou áudio (podcast) de 20 a 30 minutos, que serão levadas ao público de todo o Estado e também poderão ser vistas por pessoas de diferentes regiões do Brasil e até mesmo no exterior. Isso porque essas produções serão veiculadas via streaming por meio da Plataforma Digital, ambiente para fomento e divulgação de conteúdo cultural paranaense que está sendo especialmente desenvolvido pelo Governo do Paraná.
A Plataforma Digital também terá uma seção com filmes paranaenses para assistir de forma completamente gratuita. Serão curtas e longas-metragens recentes, produzidos nos últimos dez anos no Estado, que passarão por uma seleção qualitativa por meio do edital de Licenciamento de curtas e longas-metragens/telefilmes. Uma oportunidade para que os paranaenses possam assistir e descobrir as produções feitas no Estado, muitas delas já premiadas.
Entre as medidas também há ferramentas de capacitação de profissionais da área cultural. Em parceria com a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), o Programa de Capacitação e Formação em Cultura inicia com a oferta de 4 mil vagas na modalidade ensino a distância (EaD) para os cursos: Fundamentos da Cultura; Introdução às políticas públicas culturais no Brasil; História da Arte: Vanguardas Europeias/século XX; e Semiologia e Cultura: a fotografia e o cinema. As inscrições estão abertas e seguem até o dia 11 de maio de 2020 pelo SIC.Cultura.
MAIS EDITAIS – Além dos já citados, os editais que integram o pacote de medidas contemplam inúmeras linguagens e setores culturais. Como o concurso literário Prêmio Biblioteca Digital, organizado pela Biblioteca Pública do Paraná, que vai incentivar a produção e a circulação de livros inéditos no formato e-book de autores residentes no Paraná. Também haverá uma categoria separada para artistas gráficos, que farão a criação das capas e ilustrações das obras vencedoras.
A arte contemporânea ganha fôlego com a 67a edição do Salão Paranaense, destinada a artistas brasileiros e estrangeiros residentes no país e promovida pelo Museu de Arte Contemporânea do Paraná. Serão selecionados projetos artísticos que fomentem a discussão e apresentem a arte contemporânea brasileira. Essa edição traz categorias inéditas como a de arte digital, linguagem web arte, audiovisual e site-specifics que usem a web como interface para realização, além de uma categoria de ensaios e artigos que reflitam sobre o momento atual, de suspensão das atividades sociais, e sobre as mudanças que irão repercutir pelo mundo da arte pós-pandemia.

Haverá, ainda, a 2ª edição do Programa de Incentivo Paraná Cultural, que destina recursos via incentivo fiscal de empresas públicas e/ou de economia mista estaduais a projetos culturais aprovados pela Lei Federal de Incentivo à Cultura. Para este edital serão selecionados projetos com previsão de execução até 2021, nas áreas de artes cênicas; audiovisual; música; artes visuais; patrimônio cultural; humanidades e artes integradas.
Também os espetáculos de circo-teatro ou pavilhão serão contemplados pelo Trilhando pelo Paraná, edital que vai fazer circular shows de pequenas companhias itinerantes pós-pandemia.
SUSPENSÃO DE PRAZOS – Desde a metade de março, três resoluções foram publicadas suspendendo os prazos de encerramento das atividades relativas ao Programa de Incentivo – Paraná Cultural (instituído pela Resolução nº 028/2019), ao edital 001/2017 do Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura (PROFICE), e ao edital 001/2019 de Produção e Desenvolvimento de Obras Audiovisuais, enquanto permanecer o estado de emergência pela pandemia de Covid-19.
LINHA DE CRÉDITO – Lançado em março pelo governo estadual, o Recupera Paraná é um programa de crédito emergencial com o objetivo de preservar salários e empregos de empreendimentos formais e informais, MEI, micro e pequenas empresas em razão dos efeitos da pandemia na economia paranaense. Os profissionais da área cultural que se enquadram como informais, microempreendedores ou micro e pequenas empresas podem solicitar o crédito, gerido pela Fomento Paraná.
Acesse o portal da Cultura para informações detalhadas sobre cada medida: www.cultura.pr.gov.br.

Galerias e artistas do Brasil lançam o grupo p.art.ilha para enfrentar impactos da pandemia

Primeira ação online é realizada durante todo o mês de maio nas redes sociais e sites das galerias participantes, apresentando obras disponíveis com condições especiais

partilha ação 1.jpg

Artistas, galerias e agentes culturais de várias cidades do país se unem para criar novas estratégias de fortalecimento do mercado de arte como um todo, ou seja, focando principalmente nos programas mais inovadores, experimentais e fora da curva – que são os mais afetados pela crise do Covid-19. A iniciativa cria também uma forma de rede de apoio à comunidades mais fragilizadas pelo momento.

A ideia do grupo, denominado p.art.ilha é buscar sinergia com colecionadores privados e institucionais, além de sensibilizar novos públicos para a arte, através de ações coordenadas, como a p.art.ilha: ação#1, primeira iniciativa do grupo, que acontecerá nas redes sociais e sites de todas as galerias simultaneamente.

Esta ação online acontece a partir de 1º de maio, estendendo-se durante todo o mês, quando as galerias lançarão uma criteriosa seleção de obras à venda com condições muito especiais: a cada aquisição durante o mês de maio, o colecionador ganhará um crédito de igual valor para novas aquisições de outros artistas da mesma galeria.

O objetivo de curto prazo é manter ativos os profissionais que atuam na cadeia criativa do setor artístico (artistas, galeristas, produtores, editores, curadores, pesquisadores, fotógrafos, montadores e técnicos). A rede de pequenas empresas que se uniram acredita que somente a união e a criatividade poderão minimizar as consequências desastrosas deste momento difícil.

No médio prazo, o grupo pretende explorar novos caminhos para a sustentabilidade dos negócios do setor, privilegiando processos colaborativos.

“Somos um grupo aberto a todas as galerias que se identifiquem com o nosso objetivo. Queremos arejar o mercado e recepcionar negócios inovadores, startups e projetos artísticos que não têm vez no nosso mercado atual. E na atual conjuntura, queremos também somar esforços para mitigar o impacto social da crise, doando recursos para instituições, como Casa Chama (SP), Lá da Favelinha (BH), Lanchonete (RJ), Por Nossa Conta (SP) e Salvando Vidas (SP)”.

Veja nos sites e nas redes sociais de cada galeria, as obras e artistas que fazem parte dessa ação coletiva.

galerias participantes:

aura (sp)
@galeria_aura
aura.art.br

b_arco (sp)
@galeria.b_arco
barco.art.br

c.galeria (rj)
@c.galeria
www.cgaleria.com

casanova (sp)
@casanovaartecultura
casanovaarte.com

desapê (sp)
@des_ape
desape.com

eduardo fernandes (sp)
@galeriaeduardofernandes_
galeriaeduardofernandes.com

janaina torres (sp)
@janainatorresgaleria
janainatorres.com.br

karla osorio (df)
@galeriakarlaosorio
karlaosorio.com

mamute (rs)
@galeriamamute
galeriamamute.com.br

mapa (sp)
@galeriamapa
galeriamapa.art.br

lume (sp)
@galerialume
galerialume.com

oma (sp)
@omagaleria
omagaleria.com

periscópio (mg)
@periscopioarte
periscopio.art.br

sé (sp)
@segaleria
segaleria.com.br

soma (pr)
@somagaleria
somagaleria.com

ybakatu (pr)
@ybakatu
ybakatu.com

Instagram do grupo p.art.ilha:
@p.art.ilha

Matheus Aleixo surpreende com nova campanha dedicada aos compositores

Cantor, que faz dupla com Kauan, cria oportunidades aos colegas em época de crise

downloadAttachment&Message%5Buid%5D=165947&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253CCP2P152MB0179EDF67A8F749E23E0D2C8BEC70%2540CP2P152MB0179.LAMP152.PROD.OUTLOOK.COM%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3CCP2P152MB0179EDF67A8F749E23E0D2C8BEC70%40CP2P152MB0179.LAMP152.PROD.OUTLOOK.COM%3E-1.2

Foto: Divulgação

A arte de conquistar o show business e ter as suas músicas reconhecidas pelo público e por colegas da profissão tem em Matheus Aleixo a sua mais perfeita tradução. No início de sua carreira, ele enfrentou grandes adversidades, mas a principal delas foi a falta de reconhecimento, o que lhe marcou de forma positiva. Dono das linhas e da melodia de hits como “Tudo que você quiser”, “Onde nasce o sol”, “Eu vou tentando te agarrar”, e “Mente pra mim” nas vozes de Luan Santana, Bruninho e Davi, Gusttavo Lima e Cristiano Araújo, respectivamente, ele decidiu criar um projeto que envolvesse os compositores dito anônimos, aqueles que buscam ter as suas criações ganhando vozes e sucesso. O projeto se chama “Compondo com Matheus_MeK” e consiste em dar visibilidade aos talentosos compositores do Brasil.

A ideia nasceu na necessidade em ficar em casa, diante da crise que todos enfrentam, de isolamento social por conta do COVID19. Matheus tem consciência do quanto a música pode e está preenchendo corações em todo mundo. “É uma forma de enaltecer o meu passado e a classe dos compositores. Trata-se de um desafio com novos compositores tendo as nossas redes sociais como ferramentas. Quando eu comecei minha carreira como compositor, era muito difícil para eu chegar nos artistas e mostrar as minhas músicas, enfrentei muitas dificuldades até que o primeiro artista gravasse uma canção de minha autoria. Acredito que muitas pessoas passam pelo mesmo, eu diria que a maioria dos compositores, por isso, lancei este projeto na semana passada. Acredito que tem muita gente boa sem oportunidades, infelizmente. Penso que agora é a hora, de mostrar muitos talentos para o mundo”, conta Matheus.

SUCESSO DE CRIAÇÃO:

Para se ter uma ideia, foram mais de mil vídeos na primeira etapa do processo. Com funcionou? Bem simples: os interessados gravaram um vídeo de uma composição de autoria própria e postaram no seu feed do Instagram com a tag #DesafioDoCompositorMeK. Matheus tem assistido aos vídeos e as composições. A vencedora terá direito a uma composição junto com o próprio astro e mais um ou dois compositores renomados no mercado. Incrível, né? A composição será ainda gravada na voz do Matheus e postada em suas redes sociais.

Importante ressaltar que o instagram de quem participar do desafio deverá seguir o perfil do @matheusekauan @matheus_mek @kauan (dupla e individuais) e ter o perfil como público, caso contrário não é possível ter acesso ao vídeo postado.

Início do desafio: 26/03 (quinta-feira)

Data limite para postar seu vídeo: 02/04 (quinta-feira)

Composição com Matheus: 04/04 (sábado)

Link Post Instagram: https://www.instagram.com/tv/B-NhQmSpEyJ/?igshid=94l6qnh7g7vv

Oficina de contação de histórias e ciclo de palestras para formação de voluntários em Curitiba

Capacitação representa oportunidade para quem deseja fazer parte

do Instituto História Viva

downloadAttachment&Message%5Buid%5D=159909&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253C035901d5d6ca%2524abdbbc20%252403933460%2524%2540smartcom.net.br%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3C035901d5d6ca%24abdbbc20%2403933460%24%40smartcom.net.br%3E-1.1.2

Ouvir, encantar e contar. Mais do que isso, transformar histórias reais em contos de fada, com o objetivo de transformar o ambiente hospitalar por meio da literatura oral e levar alegria a pessoas em situações de fragilidade física e emocional. Esses são os pilares do Instituto História Viva, que, desde a sua fundação, em 2005, já formou 3.500 voluntários na arte de contar histórias, em diversos estados brasileiros.

O próximo encontro já tem data marcada: será nos dias 1º e 8 de fevereiro, das 9h às 17h, em Curitiba. Além da oficina “A Arte de Encantar com Histórias”, haverá um ciclo de palestras para os participantes. De acordo com a gestora Roseli Bassi, a oficina é um pré-requisito para quem deseja se tornar um voluntário do Instituto e pode ser feita por educadores, estudantes, cuidadores de idosos, pais, avós e interessados em geral.

As inscrições podem ser feitas pelo e-mail voluntario@historiaviva.org.br ou pelo telefone (41) 98865-4218. Para conhecer mais sobre o Instituto, acesse: www.historiaviva.org.br.

Serviço:

“A Arte de Encantar com Histórias e Ciclo de Palestras” – Instituto História Viva

Local: Rua Teffé, 889 – Bom Retiro – Curitiba/PR

Datas: 1° e 8 de fevereiro

Horário: 9h às 17h

Contribuição: R$ 150,00

Inscrições e informações: voluntario@historiaviva.org.br ou pelo telefone (41) 98865-4218 .

Quer conhecer mais sobre a ONG, acesse: www.historiaviva.org.br .

Sobre o Instituto História Viva – Fundado em 2005 pela gestora Roseli Bassi, o Instituto História Viva tem como objetivo maior transformar ambientes de dor e sofrimento por meio da literatura oralizada. Por meio deste trabalho, a ONG, que nasceu em Curitiba e, hoje, atua em vários estados brasileiros, tem incentivado a leitura, a educação e a cultura brasileira. Em 15 anos de existência, a entidade já formou 3.500 voluntários na arte de ouvir e contar histórias. Semanalmente, asilos, hospitais, casas lares e abrigos recebem a visita dos voluntários do História Viva que, por ano, atendem cerca de 14 mil pessoas. Seus voluntários apresentam perfis variados e são capacitados a ouvir, escrever, contar e recontar histórias clássicas, casos de vida e contos da literatura brasileira no intuito de levar alegria a indivíduos em situações de fragilidade física e emocional. A seriedade desse trabalho tem rendido premiações diversas à entidade nos segmentos de cultura, educação e ação social. Saiba mais: www.historiaviva.org.br / www.facebook.com/institutohistoriaviva.

Premiação do Concurso Paranaense de Desenho vai para crianças e jovens de Barracão, Curitiba e Paranaguá

Premiação do Concurso Paranaense de Desenho vai para crianças e jovens de Barracão, Curitiba e Paranaguá
Entrega dos prêmios para os três primeiros colocados de cada categoria foi realizada em solenidade durante abertura da exposição no Palácio Iguaçu

O Centro Juvenil de Artes (CJA) da Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura (SECC) anunciou nesta quinta-feira (12/12) os vencedores do 1º Concurso Paranaense de Desenho durante solenidade no saguão de entrada do Palácio Iguaçu, local onde os 40 melhores desenhos selecionados ficam em exposição até o dia 19 de dezembro de 2019. Os primeiros lugares foram para Miguel Taborda Ribas Leocardio, de Curitiba (infantil), e Vitória Regina Seibt Da Cas, de Barracão (juvenil). Ambos ganharam um certificado, troféu, a reprodução de suas obras e a premiação maior da tarde: um aparelho de videogame Playstation 4.

O vencedor da categoria infantil, Miguel Leocardio de 8 anos, diz gostar de desenhar desde muito pequeno. “São bailarinas dançando”, explica sobre o seu desenho, que pela originalidade e traços levou o prêmio principal. Para incentivar o talento do filho, os pais o matricularam em um curso de desenho recentemente. “Ele ama desenhar, tem uma imaginação muito fértil. A gente ta muito feliz”, comentou o pai Anderson Leocadio.

Em segundo lugar ficaram Manuela Linck Rauber, de Paranaguá (infantil), e Tales Michelena Munhoz, de Curitiba (juvenil), que além do certificado, troféu e reprodução da obra, levaram pra casa uma máquina de fotografia digital. E na terceira posição, Kathellen Juliane Gonçalves da Silva, de Curitiba (infantil), e Maria Clara Bicalho Patzsch (juvenil), também de Curitiba, foram premiadas com um kit especial de desenho e receberam também certificado, troféu e reprodução das obras.

A princípio, Maria Clara Patzsch não queria se inscrever no concurso, mas incentivada pelos pais foi em frente e não se arrepende. Com o terceiro lugar na categoria Juvenil, a jovem de 14 anos gostou do desafio: “É bem divertido, vale muito a pena. A gente tem um impulso pra tentar fazer uma coisa maior, diferente dos outros”, comenta. Seu desenho selecionado, uma gralha azul estilizada, é fiel aos traços e estilo que desenvolveu desde que começou a desenhar. “Normalmente eu gosto de fugir um pouco da realidade e criar algo mais surrealista, algo que chame a atenção e que ninguém vê igual, como olhos grandes, ou criar algo novo. Eu crio muitos animais. Acho bem divertido criar espécies”, explica.

A cerimônia de premiação e a abertura da exposição contaram com a presença de várias crianças e adolescentes que tiveram seus desenhos selecionados, acompanhadas por seus familiares e professores. As escolas também foram homenageadas pela comissão organizadora do concurso, que entregou um certificado para aquelas em que os alunos tiveram desenhos selecionados. Uma cópia dos troféus de primeiro, segundo e terceiro colocados também foi entregue para as escolas dos alunos premiados.

Para o diretor-geral da Secretaria de Estado da Comunicação e da Cultura, Fabrício Ferreira, a arte pode ser transformadora na vida das crianças. “Eu acredito que a cultura é o grande mote para a construção do caráter de uma criança. Nós temos relatos de professores que quando a criança está envolvida com essa parte artística, ela se transforma dentro da escola e consegue absorver muito mais os conteúdos. É uma outra criança quando tem o envolvimento com as artes.”

Emocionado em sua fala durante a abertura do evento, o diretor do Centro Juvenil de Artes, Luiz Gustavo Vidal Pinto disse que estava muito feliz com o resultado do concurso e que as crianças “são a semente do amanhã”. Lembrou que o Centro Juvenil é a primeira escola de artes para crianças do Brasil, com mais de 65 anos. “É uma pérola do Estado do Paraná, onde colocamos nosso amor e nosso carinho no ensino das artes e à cultura.”

SELEÇÃO – Não foi tarefa fácil selecionar os 40 melhores desenhos em meio a quase 600 inscritos, comentou uma das juradas que integrou a Comissão Julgadora, formada pelos artistas plásticos Alfi Vivern, Ariana Labre e Luiza Urban. “A gente prezou bastante por pensar o tema e a personalidade do desenho. Não só a questão técnica, mas de você ver uma pessoa desenhando e pensando por si só, e não muito presa ao tema ou a influências de outras pessoas”, explica Luiza Urban, que integrou a comissão e já foi aluna do Centro Juvenil de Artes por muitos anos. Hoje atua como ilustradora, expõe e comercializa seu trabalho. Recentemente ilustrou o livro “Mosaicos”, lançado em agosto deste ano.

Os 40 desenhos selecionados são de crianças e adolescentes de 20 cidades paranaenses: Apucarana, Assaí, Barracão, Colombo, Curitiba, Dois Vizinhos, Fazenda Rio Grande, Goioerê, Iretama, Mandaguari, Maringá, Nova América da Colina, Paranaguá, Paula Freitas, Pinhais, Pinhão, Piraquara, Santo Antônio da Platina, São José dos Pinhais e Sertanópolis. “A gente sempre foi conversando sobre as temáticas que apareciam nos desenhos e conseguíamos identificar um pouco do Paraná e de onde vinham as pessoas. E depois descobrir que selecionamos gente de vários lugares foi bem gostoso”, acrescenta Luiza.

SERVIÇO
Exposição do 1º Concurso Paranaense de Desenho do Centro Juvenil de Artes
Período expositivo: de 12 a 19 de dezembro de 2019
Local: Saguão de entrada do Palácio Iguaçu. Praça Nossa Senhora de Salette, s/n - Centro Cívico. Curitiba – PR
Horário de visitação: Segunda a sexta-feira das 8h30 às 18h
Entrada gratuita

Crédito das fotos: Kraw Penas/SECC
Legendas na pasta zipada de fotos