Evento reúne 100 gatos de 13 raças diferentes em Curitiba – 18 e 19 de junho

O encontro promove ainda uma ação solidária, orientação nutricional com veterinários especialistas e lojinhas com produtos exclusivos!

5bb0ad9d-ff72-44c9-9314-fce3bfe3d74d.jpg
56bdd1f4-2e44-4f13-886f-fefd3d5ad559.jpg
1c613ec7-9e48-40de-869f-5aa56478229a.jpg

Da esq. para a dir.: a raça American Curl, Sphynx e Maine Coon (Crédito: Shutterstock/Divulgação PremieRpet®)
O tradicional evento de gatos realizado pelo CGP - Clube do Gato do Paraná e pela PremieRpet® está de volta a Curitiba! Após uma pausa nos últimos dois anos em razão da pandemia, está confirmada a primeira edição de 2022, no fim de semana de 18 e 19 de junho, com a presença de 100 gatos de 13 raças diferentes, na Sociedade Morgenau (Cristo Rei).

Os eventos felinos do CGP e da PremieRpet® já fazem parte da programação cultural da cidade e tem um público cativo de gateiros e gateiras. Os visitantes poderão ter um contato mais próximo com os animais, aprender sobre as peculiaridades das diversas raças, além de conferir produtos exclusivos nas lojinhas e tirar dúvidas sobre cuidados e nutrição com os médicos-veterinários especialistas da PremieRpet®.

“É uma satisfação estar mais uma vez junto ao público de Curitiba em um evento tão importante para o universo felino. Reunimos os melhores criadores e um público apaixonado por gatos, propiciando a troca de experiências, a disseminação de informações e orientações sobre cuidados, nutrição e guarda responsável", diz Madalena Spinazzola, diretora de planejamento estratégico e marketing corporativo da PremieRpet®.

Variedade de gatos
Nos dois dias de evento, os visitantes que passarem pelo local poderão ver de perto a beleza e o exotismo de diversas raças. O grande destaque será a raça American Curl, que tem como característica principal o formato de suas orelhas curvadas para fora e para trás. “O gato dessa raça é bastante afetuoso e ativo, gosta de estar em companhia de seus tutores e sempre próximo das pessoas”, afirma Vera Gabardo, presidente do CGP - Clube do Gato do Paraná.
TÃO DE ALIMENTO PARA ESTA RAÇA:
Outras raças que estarão presentes são: Maine Coon (conhecido como gigante gentil, é a maior raça que existe), Persa (raça mais conhecida pelos brasileiros), Sphynx (gato sem pelo que sempre desperta a curiosidade do público), além, é claro, do indispensável SRD (Sem Raça Definida), entre outras.

Quem estiver por lá poderá acompanhar ainda um concurso de beleza felina. Três juízes convidados do Brasil, Colômbia e Argentina irão eleger os melhores exemplares e o grande campeão de cada dia, de acordo com categorias que consideram raça e faixa etária e se baseiam nos critérios da TICA – The Cat International Cat Association.

“Este encontro já é tradicional entre os gateiros e reúne informação e orientação com a oportunidade de ter contato mais próximo com os animais. É uma experiência única para aqueles que querem aprender mais sobre o mundo felino. No sábado, os visitantes também poderão acompanhar uma palestra exclusiva com a especialista em felinos Dra. Luana Ballardin, do Hospital Veterinário Santa Mônica”, afirma Vera.

Solidariedade
A entrada é gratuita, mas todos estão convidados a participar de uma ação solidária e doar uma lata/pacote de leite em pó, que serão destinados ao Complexo de Saúde Pequeno Cotolengo. Além disso, a mesma quantidade arrecadada em leite em pó será doada em alimentos pela PremieRpet® para a ONG Beco da Esperança.

Serviço:
Evento do Clube do Gato do Paraná
Data: 18 e 19 de junho de 2022
Horário: das 13h às 18h30
Local: Sociedade Morgenau (Avenida Senador Souza Naves, 945 – Cristo Rei – Curitiba)
A palestra da Dra. Luana Ballardin será no sábado (18/06) às 16h.
Entrada gratuita. Não é permitida a entrada de animais que não estejam inscritos no evento.
Mais informações: www.clubedogatopr.com.br

Sobre a PremieRpet®
Desde 1995 a PremieRpet® existe para tornar a relação das pessoas com seus animais de estimação a mais próxima, prazerosa e longa possível. Uma empresa orgulhosamente brasileira, especialista em alimentos de alta qualidade para cães e gatos, é detentora das marcas PremieR, GoldeN e Vitta Natural. Com uma trajetória pautada pela inovação constante e direcionada pelo consumo consciente em todos os níveis de atividade, a PremieRpet® prioriza a alta qualidade dos insumos e o bem-estar animal. É destaque no segmento super premium por oferecer a melhor nutrição para cães e gatos em todas as fases da vida. O portfólio da marca inclui alimentos secos, úmidos e cookies, com mais de 300 itens comercializados exclusivamente em pet shops e clínicas veterinárias. Mais informações no site www.premierpet.com.br e pelo PremieRpet® Responde: 0800 055 6666 (de segunda a sexta, das 8h30 às 17h30).

Chico Buarque anuncia dois shows em Curitiba

Nesta sexta-feira, dia 17, Chico Buarque vai lançar em todas as plataformas de streaming o seu novo single, ‘Que tal um samba? ’, que batiza a próxima turnê do compositor, e tem duas apresentações confirmadas em Curitiba, no Grande Auditório do Teatro Guaíra, nos dias 23 e 24 de setembro. Afastado dos palcos há quatro anos, Chico vai circular o Brasil – já tem shows confirmados em 11 cidades – e traz a cantora Mônica Salmaso como convidada em toda a temporada. A turnê tem patrocínio da ICATU. A venda começa no dia 1º de julho pelo Disk Ingressos e os valores dos ingressos serão anunciados em breve.
Por enquanto ainda não foi revelado o repertório que, a princípio, só terá o novo samba como música inédita. A banda será formada pelos músicos que acompanham Chico há alguns anos. O maestro Luiz Claudio Ramos (Violão, Guitarra, direção musical e arranjos), João Rebouças (Piano), Jorge Helder (Baixo acústico e elétrico), Jurim Moreira (Bateria), Chico Batera (Percussão), Bia Paes Leme (Teclados e vocais) e Marcelo Bernardes (Sopros). A equipe de criação do show traz ainda Daniela Thomas no cenário, Maneco Quinderé na iluminação, Cao Albuquerque nos figurinos.

Serviço: ‘Que tal um samba?’ – Show com Chico Buarque. Convidada: Mônica Salmaso. Sexta-feira, dia 23 e Sábado, dia 24 de setembro de 2022, às 21h, no Grande Auditório do Teatro Guaíra (Praça Santos Andrade s/n٥).
Assessoria de Imprensa Curitiba:
RB – Escritório de Comunicação
Rodrigo Browne – 99145-7027

‘Que tal um samba’
Foram antes os dedos no violão – antes mesmo da cabeça pensar, do peito sentir – que pareciam fazer uma proposta à cabeça e ao coração: ‘Que tal um samba?’.
Depois de alguns anos praticamente dedicados à literatura, que resultaram no romance ‘Essa gente’ e no volume de contos ‘Anos de chumbo’ - cujo título e histórias refletem o contexto desses anos de baixo astral, pandemia, abandono e tragédia política – os dedos largaram as teclas do computador e finalmente de volta ao instrumento pareciam mesmo se rebelar e a procurar uma batida diferente, feliz, quase eufórica, uma levada ao violão como a insistir: ‘Que tal um samba?’.
E aí, levada de samba nos dedos, cabeça e coração voltaram a pensar e a sentir a música e a agir. E Chico Buarque, como é bem de seu feitio, começou a recordar velhos sambas, um especialmente, sucesso de Blecaute no carnaval feliz de 1949, ‘Que samba bom’, composição de Geraldo Pereira também numa levada toda sincopada como a sua, algo eufórica, “ô, que samba bom/ô, que coisa louca/eu também tô aí/tô aí, que é que há/também tô nessa boca...”. Sambas sobre samba, o ‘Feitio de oração’ de Vadico e Noel Rosa, essa tradição e esse espírito vinham junto com a levada ao violão como a propor ao compositor enferrujado: ‘Que tal um samba?’.
E aí, da levada criada exclusivamente pelos dedos se exercitando ao violão, o coração e a cabeça fizeram brotar uma melodia espontânea, fluente, a harmonia como sempre personalíssima. A letra, depois de alguns caminhos abandonados, veio aos borbotões. Um samba novo enfim, diferente de todos os outros que já fez, mas no mesmo espírito que baixa sempre quando o compositor de ‘Tem mais samba’, de ‘Apesar de você’, de ‘Vai passar’, de ‘De volta ao samba’ parece ter algo importante a notar e a dizer. Como sempre, nessas ocasiões importantes, em forma de samba.
“Um samba pra alegrar o dia
Pra zerar o jogo
Coração pegando fogo
E a cabeça fria
Um samba com categoria, com calma”
‘Que tal um samba?’ é o que nos propõe agora, em junho de 2022, Chico Buarque: “Para espantar o tempo feio/Para remediar o estrago”.
É o novo hino que Chico nos oferece, um samba que parece, como os dedos do compositor no início de tudo, buscar um tempo melhor (“Cair no mar, lavar a alma/Tomar um banho de sal grosso, que tal?”), espantar o baixo astral (“Sair do fundo do poço/Andar de boa”), procurar um samba pela cidade para se divertir (“Ver um batuque lá no Cais do Valongo/Dançar um jongo lá na Pedra do Sal/Entrar na roda da Gamboa”, diz, referindo-se aos berços e até hoje rodas de samba importantes no Rio).
‘Que tal um samba?’, este samba tão ao mesmo tempo urgente e já histórico, será lançado pela Biscoito Fino nas plataformas digitais neste dia 17 de junho. E é a grande novidade da turnê pelo Brasil que o compositor inicia em setembro, por João Pessoa e, depois de percorrer Natal, Curitiba, Belo Horizonte, Recife, Fortaleza, Porto Alegre, Salvador e Brasília, chega ao Rio em janeiro e a São Paulo em março do ano que vem. No show, Chico terá no palco a companhia de Mônica Salmaso, a cantora dos compositores, que já gravou dois discos dedicados à sua obra (‘Noites de gala, samba na rua’, em estúdio e ao vivo) e fará números solo e duetos com ele, em todas as apresentações da turnê.
Conduzida evidentemente pela tal levada do violão de Chico, a gravação de ‘Que tal um samba?’ foi feita no estúdio da Biscoito Fino pelo conjunto que o acompanha há muitos anos, dirigido por Luiz Claudio Ramos, que toca o outro violão, João Rebouças no piano, Jorge Helder no baixo e Jurim Moreira na bateria. A cadência vibrante do samba fez necessária uma percussão, e para isso foi convidado Thiago da Serrinha. E um bandolim, do revolucionário do instrumento Hamilton de Holanda. Ambos, Thiago e Hamilton desde a introdução acompanham a caminhada literal do samba e costuram e enfeitam a gravação de contracantos e contrapontos exuberantes. Tornam-no ainda mais feliz.
Como ‘Apesar de você’ em 1970, ‘Que tal um samba?’ é em 2022 ao mesmo tempo um samba eterno, popular, mas essencialmente histórico, político. Política aí no sentido contemporâneo: vivida nas ruas, na praia, no futebol (“Fazer um gol de bicicleta/Dar de goleada”), no amor e na arte (“Deitar na cama da amada/Despertar poeta/Achar a rima que completa o estribilho”). E, sobretudo, na incorporação das causas mais abrangentes da vida das pessoas, como o antirracismo, explícito quando o samba propõe “Fazer um filho, que tal?”: “Um filho com a pele escura/Com formosura/Bem brasileiro, que tal?/Não com dinheiro/Mas a cultura/Que tal uma beleza pura”, em versos que citam a canção ‘Beleza pura’, de Caetano Veloso.
Tanto em 70, como agora, os sambas adotam uma posição evidente contra os governos de turno, e já celebram antecipadamente o seu fim (“Depois de tanta mutreta/Depois de tanta cascata/Depois de tanta derrota/Depois de tanta demência/E uma dor filha da puta, que tal?/Puxar um samba”).
É nessa postura desabridamente política que está, a meu ver, outro fascinante segredo da gênese de ‘Que tal um samba?’ e de seu encanto e importância. Sim, ele foi feito, como vimos, com os dedos, a cabeça e o coração, mas também com o inconsciente, esse “ambiente” tão importante para criação. Ele nem notou, enquanto compunha ou gravava, a identidade de seu samba novo com ‘Eu quero um samba’, música consagrada pela gravação de João Gilberto que Chico escolheu para cantar quando, depois de quase 15 anos sem fazer show, voltou a se apresentar ao vivo em 1988. Além da levada parecida no próprio violão de Chico, ‘Que tal um samba?’ e ‘Eu quero um samba’ são versos em cinco sílabas, redondilhas menores, e sugerem a mesma coisa, o samba para superar o tempo ruim.
Aí entram talvez os caprichos do inconsciente e das coincidências: a dupla Janet de Almeida e Haroldo Barbosa também lançou seu samba num mês de junho, só que de 1945. Não, como no caso de Chico, em forma de delicada proposta, ‘Que tal um samba?’, mas de desejo afirmativo, ‘Eu quero um samba’: “Porque no samba eu sei que vou/Me acabar, me virar, me espalhar/A noite inteira até o sol raiar”.
É que em junho de 45, eufóricos enfim com a derrota do nazifascismo depois de seis anos de guerra na Europa, e com a participação do Brasil, Janet, Haroldo e todo o samba brasileiro queriam e tinham mais é que já comemorar: “Vai melancolia/Eu quero alegria dentro do meu coração”, cantaria a plenos pulmões o grupo vocal Os Namorados da Lua, como a festejar a vitória do samba brasileiro sobre o fascismo e já vislumbrando a democracia brasileira que também seria estabelecida no ano seguinte.
Vivemos tempos ainda incertos, duros, pesados, e se Chico é mais cauteloso na proposta – ‘Que tal um samba?’ – já é ousadamente eufórico no samba que compôs para os dias que correm e os que virão. Que serão ainda de luta, afinal: “De novo com a coluna ereta, que tal?/Juntar os cacos, ir à luta/Manter o rumo e a cadência/Esconjurar a ignorância, que tal/Desmantelar a força bruta”.
Ignorância e força bruta, talvez uma definição de fascismo, certamente do espírito que se apossou do Brasil nos últimos anos, e que agora o samba brasileiro vem esconjurar, desmantelar. Cantando e feliz, no streaming, no teatro, na rua, até o pesadelo acabar. Hugo Sukman, junho de 2022.

*link pra divulgação* (Disponível a partir 00h01 17/7)
https://orcd.co/quetalumsamba
*link para imprensa embedar online* (Disponível a partir 00h01 17/7)
https://youtu.be/G7i1g3I2AT4

SUGESTÃO DE BOX

QUE TAL UM SAMBA? (Chico Buarque)

Um samba
Que tal um samba?
Puxar um samba, que tal?
Para espantar o tempo feio
Para remediar o estrago
Que tal um trago?
Um desafogo, um devaneio

Um samba pra alegrar o dia
Pra zerar o jogo
Coração pegando fogo
E cabeça fria
Um samba com categoria, com calma

Cair no mar, lavar a alma
Tomar um banho de sal grosso, que tal?
Sair do fundo do poço
Andar de boa
Ver um batuque lá no cais do Valongo
Dançar o jongo lá na Pedra do Sal
Entrar na roda da Gamboa

Fazer um gol de bicicleta
Dar de goleada
Deitar na cama da amada
Despertar poeta
Achar a rima que completa o estribilho

Fazer um filho, que tal?
Pra ver crescer, criar um filho
Num bom lugar, numa cidade legal
Um filho com a pele escura
Com formosura
Bem brasileiro, que tal?
Não com dinheiro
Mas a cultura

Que tal uma beleza pura
No fim da borrasca?
Já depois de criar casca
E perder a ternura
Depois de muita bola fora da meta

De novo com a coluna ereta, que tal?
Juntar os cacos, ir à luta
Manter o rumo e a cadência
Esconjurar a ignorância, que tal?

Desmantelar a força bruta
Então que tal puxar um samba
Puxar um samba legal
Puxar um samba porreta
Depois de tanta mutreta
Depois de tanta cascata
Depois de tanta derrota
Depois de tanta demência
E uma dor filha da puta, que tal?
Puxar um samba
Que tal um samba?
Um samba

Participação especial / Feat Hamilton de Holanda
Voz e violão: Chico Buarque
Bandolim - Hamilton de Holanda
Violão: Luiz Claudio Ramos
Piano - João Rebouças
Baixo - Jorge Helder
Bateria e percussão: Jurim Moreira
Percussão - Thiago da Serrinha
Gravado e mixado no estúdio Biscoito Fino por Lucas Ariel
Masterizado no estúdio Batmasterson por Luiz Tornaghi
Produção musical: Luiz Claudio Ramos

ROTEIRO DA TURNÊ 2022/2023

JOÃO PESSOA – Teatro Pedra do Reino
Dias 06 e 07 de setembro

NATAL – Teatro Riachuelo
Dias 09 e 10 de setembro

CURITIBA – Teatro Guaíra
Dias 23 e 24 de setembro

BELO HORIZONTE – Palácio das Artes
Dias 05, 06, 07 e 08 de outubro

FORTALEZA – Centro de Eventos do Ceará
Dias 22 e 23 de outubro

PORTO ALEGRE – Auditório Araújo Vianna
Dias 03 e 04 de novembro

SALVADOR – Concha Acústica
Dias 11, 12 e 13 de novembro

BRASÍLIA – local a ser anunciado
Dias 29 e 30 de novembro

RECIFE – Teatro Guararapes
Dias 08, 09 e 10 de dezembro

RIO DE JANEIRO – Vivo Rio
De 05 a 15 de janeiro (quinta a domingo)

SÃO PAULO – Tokio Marine Hall
De 02 a 12 de março; de 23 de março a 02 de abril (quinta a domingo)

MCA ConcertsBoyce Avenue traz show inédito a Curitiba

Apresentação acontece no dia 26 de junho, no Teatro Positivo; últimos ingressos à venda a partir de R$ 180

A banda americana Boyce Avenue, um dos maiores fenômenos da internet, desembarca no Brasil neste mês de junho para oito apresentações. Uma delas acontecerá em Curitiba, no dia 26 de junho, domingo, às 20h30, no Teatro Positivo. Os últimos ingressos estão à venda via Disk Ingressos, a partir de R$ 180. O show da capital paranaense contará com a abertura do brasileiro Gabriel Gonti, uma das grandes promessas da nova MPB. A produção fica por conta da MCA Concerts.

Além de Curitiba, o grupo passará por Fortaleza, Brasília, Ribeirão Preto, Vitória, Rio De Janeiro, São Paulo e Porto Alegre. No setlist o público poderá acompanhar os hits “Yellow” do Codplay, “Wake Me Up”, do Avici, e “Photograph” conhecida na voz de Ed Sheeran e que no canal do grupo conta com mais de 350 milhões de visualizações.

De Saratosa na Flórida, o Boyce Avenue ganhou destaque entre 2004 e 2009 com covers muito bem gravados e aceitos pela crítica atual. Com mais de 15 milhões de inscritos no canal, e mais de 5 trilhões de visualizações, o grupo é sem dúvida um dos gigantes no quesito streaming nas plataformas digitais.

O nome Boyce Avenue é a combinação das ruas do Bairro onde os 3 irmãos, Daniel, Alejandro e Fabian cresceram na infância. Alejandro, o vocalista e principal músico do grupo, quando questionado sobre essa extensa turnê, deixou claro “Fazer turnê pelo Brasil, é como estar tocando em casa, para fans enérgicos e ao mesmo tempo muito leais, ao longo da nossa carreira, Brasil se tornou nosso país favorito, é sempre inesquecível cada vez que estamos aí. Estou contando os dias para conhecer todas essas novas cidades. Muito Obrigado por tudo.”

Gabriel Gonti

Gabriel Gonti, uma das grandes promessas da nova MPB, conquista novos ares e palcos em 2022. O mineiro de Pato de Minas promete grandes sucessos para o público curitibano. No show, Gonti prepara um repertório especial com músicas de sua carreira, como “Nuvens”, de seu primeiro álbum, composto por Ana Caetano, do duo Anavitória; “A Gente Se Dá Bem”, parceria com a cantora Ana Gabriela; “Carnaval a Dois” e “Menina Salvador”, do seu último EP “Amaré”; “Atrás da Cortina”, primeiro single de seu novo álbum - ainda sem nome - que estreia este ano; entre outros.

Serviço – Boyce Avenue em Curitiba

Quando: 26 de junho de 2022 (domingo)

Local: Teatro Positivo (Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300)

Horários: abertura da casa às 19h

Show Gabriel Gonti às 19h30

Show Boyce Avenue às 20h30

Ingressos: variam de R$ 180 (meia-entrada) a R$ 440 (inteira), de acordo com setor e modalidade escolhidos

Plateia Superior – R$ 180 (meia-entrada e promocional) e R$ 360 (inteira)

Plateia Inferior – R$ 220 (meia-entrada e promocional) e R$ 440 (inteira)

Vendas: Disk Ingressos (Ventura Shopping - de segunda a sexta, das 11h às 22h, aos sábados, das 10h às 22h, e aos domingos, das 14h às 20h, Call-center Disk Ingressos (41) 33150808 (de segunda a sexta, das 9h às 22h, e aos domingos, das 9 às 18h), na bilheteria do Teatro Guaira (de terça a sábado, das 12h às 21h)

Forma de pagamento: Dinheiro | Cartão de Débito | Pix | Cartão de Crédito em até 3x sem juros

Classificação Etária: 14 anos, menores de 14 anos somente acompanhados dos pais ou responsável legal

Realização: MCA Concerts