12º Festival de Cinema da Lapa acontece na próxima semana com dezenas de atrações gratuitas

12º Festival de Cinema da Lapa acontece na próxima semana com dezenas de atrações gratuitas
​Realizado na histórica cidade da Lapa, localizada na Região Metropolitana de Curitiba, o festival se consagrou como uma das principais celebrações do cinema nacional nos últimos anos

CURITIBA, 31/10/2019 – Entre os dias 07 e 10 de novembro, será realizada a 12ª edição do tradicional Festival de Cinema da Lapa, na histórica cidade da Lapa (PR), localizada na Região Metropolitana de Curitiba. Promovido pelo Instituto Histórico e Cultural da Lapa, em parceria com o Instituto Borges da Silveira, o evento se consolidou como uma das principais celebrações do cinema nacional e contará com uma programação gratuita repleta de atrações especiais.

Durante a programação oficial, serão exibidos gratuitamente, ao longo de quatro dias, dezenas de filmes, que serão divididos em diferentes mostras, além da realização de shows, homenagens e exposições. O evento acontece em espaços selecionados especialmente para o festival. Um dos destaques da programação ficará por conta da Mostra Competitiva de longa-metragem, que contará com a exibição dos filmes “O Amor dá Trabalho”, “Eu sou Brasileiro”, “Nóis por Nóis” e “Maria do Caritó”. Estarão em disputa, entre outros, os prêmios de Melhor Ator, Melhor Atriz, Melhor Diretor e Melhor Filme.

A programação oficial trará, também, diversos filmes de curta e longa-metragem que vão ser exibidos na “Mostra Infantil” voltadas para as escolas, com destaque para a produção “Turma da Mônica: Laços”; na “Mostra Filmados na Lapa”, somente com produções locais; e nas mostras “Curtas-metragens Paranaenses” e “Celulapa”, com filmes produzidos em celular. Para completar a programação oficial, duas exposições fazem parte do evento: “O Cinema no Olhar ”, que trará fotografias do acervo do Museu da Imagem e do Som do Paraná (MIS – PR), com curadoria de Gefferson Vaz e produção de Tiomkim, em cartaz na Casa Ney Braga; e “Projeções através do tempo”, que vai apresentar o acervo do do colecionador Orlando Gonçalves, disponível para visitação no Theatro São João.

Assim como aconteceu em todas suas edições, o 12º Festival de Cinema da Lapa vai homenagear grandes nomes do cinema nacional com o Troféu Tropeiro da Lapa, que destaca a carreira de grandes artistas brasileiros. Neste ano, o festival vai celebrar a carreira da atriz Lilia Cabral, que desembarca na cidade no sábado (09). Além da tradicional homenagem, o festival entregará a Comenda Tropeiro da Lapa para o Dr. Luiz Lauro Lacks e o Diploma de Mérito para o ator paranaense Licurgo Espínola e para o exibidor Milton Durski.

Mostra competitiva

A primeira exibição da Mostra Competitiva será o filme “O Amor dá Trabalho”, que será apresentado na quinta-feira (07), a partir das 21h. O filme é dirigido por Ale McHaddo e conta a história de Ancelmo, interpretado pelo ator Leandro Hassun, um malandro e aproveitador que morre e acaba ficando preso no limbo. Para garantir seu lugar no céu, o personagem precisa praticar uma boa ação cumprindo a missão de unir um homem e uma mulher com personalidades muito divergentes. O elenco conta, ainda, com Flávia Alessandra e Bruno Garcia.

Na sexta-feira (08), a partir das 20h, será a vez da exibição do filme “Eu sou brasileiro”, dirigido por Alessandro Barros, cujo enredo aborda a vida de Léo, homem que passou a sua vida inteira tentando se tornar um jogador de futebol famoso e bem-sucedido, mas nunca teve sucesso e encontra sua força na família e na vocação ao unir o amor por futebol com a escrita. A sessão contará com a presença do ator Daniel Rocha, interprete do protagonista do longa-metragem. Já no sábado (09), a partir das 20h, será a vez do filme “Nóis por Nóis”, dirigido por Jandir Santir e Aly Muritiba, que mostra a trajetória de quatro jovens que vagam pela pista de um baile de rap, com vidas e objetivos completamente distintos, mas que terão seus destinos selados para sempre após a noite.

Para completar a Mostra Competitiva, também no sábado (09), a partir das 21h, acontece a exibição do filme “Maria do Caritó”, dirigido por João Paulo Jabur. O filme aborda a história de Maria do Caritó, interpretada pela atriz Lilia Cabral, que nas vésperas de completar 50 anos vive em uma pequena cidade do Nordeste e se vê em meio a simpatias para que, enfim, consiga se casar. Prometida a São Djalminha assim que nasceu, devido a um parto difícil, Maria do Caritó nunca encontrou um companheiro de verdade, mas vê suas esperanças ressurgirem com a chegada de um circo, já que uma cartomante lhe disse que seu pretendente seria um homem de fora.

O 12º Festival de Cinema da Lapa é promovido pelo Instituto Histórico e Cultural da Lapa e Instituto Borges da Silveira, com produção à cargo de A Labirinto Produtora. Toda programação é gratuita e aberta para a população da cidade e turistas. A organização do evento disponibilizará uma van para transporte gratuito, durante os 4 dias de evento, com saídas do Guairinha ao 12h30 e retorno ás 23h. Mais informações no site www.festivalcinemalapa.com.br, nas redes sociais do evento ou pelo telefone (41) 3622-0055.

Propulsão Local divulga lista de negócios selecionados para maratona de comunicação e tecnologia

Propulsão Local divulga lista de negócios selecionados para maratona de comunicação e tecnologia

Negócios criativos e sustentáveis da Grande Curitiba ganharão website completo, rebranding estratégico e sessões fotográficas, além de fazerem conexões de impacto

Foi dada a largada para o Propulsão Local, grande maratona de comunicação e tecnologia voltada para negócios criativos, sustentáveis e locais. Até 10 de novembro, as cinquenta iniciativas selecionadas receberão acompanhamento de mentores e makers para desenvolver soluções como rebranding estratégico, website, ensaio fotográfico, loja virtual, clipe audiovisual e podcast. Ao longo destes intensos 14 dias de cocriação, a Região Metropolitana ganhará empreendimentos mais fortalecidos, com maior impacto socioambiental e capazes de gerar mais receita.

“Toda ideia precisa de um cenário para nascer e se desenvolver, além de uma conexão que gere histórias de sucesso. O Propulsão Local nasceu com a proposta de ser o fio condutor que alimenta todo esse processo, criando um movimento com ações inovadoras e planejadas para impulsionar negócios locais”, diz o empreendedor João Paulo Mehl, um dos idealizadores do projeto. Nos últimos dias da maratona, 9 e 10 de novembro, estão previstas oficinas, mini-cursos, rodas de conversa, atividades culturais e o lançamento dos 50 projetos impulsionados.

Processo Seletivo

Mais de 150 profissionais estão envolvidos no Propulsão Local, entre designers, redatores, fotógrafos, vídeo-makers e programadores. O processo de curadoria e seleção contou com 15 profissionais das diversas áreas envolvidas. A consultora de branding Valquíria Porto foi uma das avaliadoras. “Foi muito bacana a experiência de curadoria. Recebemos a inscrição de negócios muito interessantes, com propostas inovadoras e preocupadas com a sustentabilidade e a cadeia produtiva - do envolvimento com a comunidade, passando pelo produto e pelo descarte”, afirma Valquíria. Cada negócio foi avaliado por quatro profissionais diferentes, que levaram em consideração critérios como estágio de maturidade, representatividade e alinhamento com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU.

Pluralidade

A edição de estreia foi um sucesso: 235 projetos inscritos, de oito cidades da Região Metropolitana de Curitiba e 20 bairros da capital. Na avaliação de Mehl, o sucesso da ação vai além da quantidade - perpassa qualidade e representatividade. Dos cinquenta negócios selecionados, 54% são liderados por mulheres, 10% por negros e pardos, 16% por LGBTTI, 2% por indígenas, 2% por pessoas com deficiência e 2% por refugiados. “Mesmo compreendendo que esta representatividade não corresponde ao extrato social, vemos como uma conquista”, afirma Mehl. A maior parte pertence aos setores de alimentos e bebidas (26%), moda (12%), arquitetura e urbanismo (12%), patrimônio, artes e expressão culturais (12%) e sustentabilidade (8%).

Confira a lista dos selecionados:

Negócio
Temática
A Ostra Bêbada
Alimentos e bebidas
Alecrim Urbano
Produção Cultural
Ambiens Sociedade Cooperativa
Arquitetura e urbanismo
Amora Mia Buttons
Negócio Social
Amuscária Fungi
Alimentos e bebidas
AOPA - Associação Paranaense de Agroecologia
Alimentos e bebidas
Ar Livre - Vivências na Natureza
Educação
Aria 41 Arquitetura e Sustentabilidade
Arquitetura e urbanismo
Art Alle
Design
Bazar das Manas e Baratechó
Moda
Bicicletaria Cultural
Negócio Social
Bloco Base
Arquitetura e urbanismo
Bosque águas claras soluções ambientais
Arquitetura e urbanismo
Cacaúba Chocolates
Alimentos e bebidas
Casa Quatro Ventos - Movimento e Arte
Produção Cultural
Chácara Aguro
Alimentos e bebidas
Coalhada Artesanal Preciosa
Alimentos e bebidas
CSA CEAFIM
Alimentos e bebidas
Cupido das Finanças
Negócio Social
Dança Livre a Dois
Patrimônio e artes
Desafinado Café
Alimentos e bebidas
diznopeito
Negócio Social
Ébano Essentials
Sustentabilidade
Eco Angels Educação Sustentável
Educação
Escola da Política
Educação
Estúdio Yby
Design
Fervol Colagens
Patrimônio e artes
Flower Power Artes
Design
Hello Soluções em Lot. e Engenharia
Tecnologia
Kria Kombucha
Alimentos e bebidas
Luan Valloto
Moda
Marco Gural - Agroecologia urbana
Alimentos e bebidas
MATTE N' ROLL
Alimentos e bebidas
mCmE - minha Causa . meu Estilo
Moda
Milho Guerreiro Confecções Ltda
Moda
Mucha Tinta Produções Culturais
Produção Cultural
Oficina de Fine Arts
Sustentabilidade
Padaria Local
Alimentos e bebidas
Projeto Compostar Curitiba
Sustentabilidade
Raissa Fayet
Patrimônio e artes
Rodrigo Zin
Patrimônio e artes
Sabiá Laranjeira
Produção Cultural
Samambaia Eco Hair
Sustentabilidade
Sevena Quimonaria
Moda
SIAMESE
Patrimônio e artes
Seven8
Mídia
Tüz Cerâmica Criativa
Patrimônio e artes
Verdelaranja - hortas urbanas e design
Arquitetura e urbanismo
Yasmin Comida Árabe
Alimentos e bebidas
Zyklus Construções Sustentáveis
Arquitetura e urbanismo

Sobre o Propulsão Local
Ação de impacto que consiste em uma maratona de reestruturação, impulsionamento, aprendizado e desenvolvimento de soluções de comunicação e tecnologia para cinquenta negócios locais, criativos e sustentáveis, através de metodologias ágeis de comunicação compartilhada e conexão. A iniciativa é do Coletivo Soylocoporti e da Rede Livre, em parceria com Lab1299, Instituto LocalBIz, Terraço Verde e uma rede de profissionais, organizações e negócios. Saiba mais em http://propulsaolocal.com.br

Últimos concertos da OSP em 2019 com o maestro Stefan Geiger

Últimos concertos da OSP em 2019 com o maestro Stefan Geiger
#FimDoAnoNoGuaíra: o maestro-titular da OSP irá reger o Concerto Heroico, dia 10/11, e My Fair Lady, dia 16/11

No segundo domingo de novembro, dia 10/11, às 10h30, no Guairão, a Orquestra Sinfônica do Paraná apresenta os primeiros concertos de sua programação especial para o fim do ano. Com regência do maestro-titular Stefan Geiger, o Concerto Heroico, na semana seguinte, dia 16/11, às 20h30, será a vez de My Fair Lady. Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada) e estão à venda na bilheteria do teatro e pelo site Ticket Fácil.

Concerto Heroico

No Concerto Heroico, os músicos da OSP se apresentam ao lado da violinista Sarah Christian, também uma das convidadas para o juri que selecionará novos músicos para a OSP em novembro. Sarah venceu concursos internacionais de violino e tocará com a OSP o Concerto para Violino nº 1, de Max Bruch.

Além da peça com a solista, completa o programa a obra Vida de Herói, de Richard Strauss. Esta música faz parte de uma série de poemas sinfônicos do compositor. Nela, Strauss transporta o conceito literário da jornada do herói para a linguagem da música sinfônica. Os cinco movimentos retratam o herói, seus inimigos, sua companheira, suas obras de paz e suas conquistas.

Quem conhece música sinfônica poderá perceber trechos de outras obras famosas de Richard Strauss em Vida de Herói. Os temas de Assim Falava Zaratrusta, Don Quixote e Macbeth aparecem como obras de paz do herói no quinto movimento do poema sinfônico.

Para a orquestra, tocar Uma Vida de Herói é um grande desafio. Ao todo, serão 92 músicos no palco. Segundo o maestro-titular Stefan Geiger, a obra exige muita técnica e preparo por parte da orquestra. “É uma obra que demanda muito de cada um dos solistas, mas acima de tudo é uma obra com senso de humor”, disse o maestro.

Nessa peça, o compositor deixou mensagens escondidas na música que faziam piadas com Edward Hanslick, um crítico musical da época e principal antagonista de Strauss No movimento em que descreve a companheira do herói, o violino solo imita a voz soprano da esposa de Strauss, discutindo com os sons graves da orquestra que representam o herói.

Serviço
Concerto Heroico
Domingo, 10/11, 10h30
Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto – Guairão
Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)
My Fair Lady

Atenção fãs da Broadway! O espetáculo My Fair Lady contará com 14 trechos do musical clássico e será cantado ao vivo em português. Os convidados Lina Mendes, Anderson Barbosa, Michel de Souza e o coro Ensemble Projeto Broadway se juntam à OSP para um espetáculo em homenagem a este ícone do teatro musical.

My Fair Lady conta a história de uma jovem florista chamada Eliza Doolittle que se torna o centro de uma aposta entre o coronel Pickering e o professor Higgins. Os dois homens apostam que conseguem fazer a pobre garota se passar por uma duquesa em uma festa da corte apenas dando-lhe aulas de fonética.

Com músicas de Friederick Loewe, o musical estreou na Broadway em 1956 e teve Julie Andrews no papel da protagonista Eliza. No concerto do dia 16, a personagem será interpretada pela soprano Lina Mendes, atualmente em cartaz na montagem de O Fantasma da Ópera, em São Paulo, como Christine Daée, a protagonista.

Além de Lina, os barítonos Michel de Souza e Anderson Barbosa se juntam ao elenco respectivamente nos papéis de prof. Higgins e Alfred Doolittle, o pai de Eliza. Michel já se apresentou com grandes orquestras, incluindo a Orquestra Sinfônica da BBC no Royal Albert Hall. Já Anderson também está em cartaz em O Fantasma da Ópera, além de ter no currículo prêmios nacionais e internacionais, e passagens por teatros como o Amazonas e o Municipal do Rio de Janeiro.

No Brasil, My Fair Lady já foi encenado na íntegra em São Paulo. As versões em português das músicas que serão apresentadas no concerto da OSP são de Claudio Botelho, as mesmas utilizadas nas montagens cênicas da capital paulista. Segundo o maestro-titular da OSP, Stefan Geiger, a escolha das versões em português foi feita pensando na acessibilidade para o público.

“As músicas cantadas em português facilitam a compreensão para o público. Em uma obra como My Fair Lady, que é cheia de humor e detalhes, ter uma boa versão brasileira deixa o concerto muito mais agradável e acessível”, disse o maestro.

Serviço
My Fair Lady
Sábado, 16 de novembro, 10h30
Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto – Guairão
Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)

Ícone da Surf Music mundial, Donavon Frankenreiter, anuncia show inédito em Curitiba

Ícone da Surf Music mundial, Donavon Frankenreiter, anuncia show inédito em Curitiba
Em 2020, o artista californiano apresenta a “The Record Player Tour” na Ópera de Arame, um dos principais pontos turísticos e de entretenimento da capital paranaense

CURITIBA, 01/11/2019 – Considerado um dos maiores nomes da Surf Music mundial, a músico californiano Donavon Frankenreiter retorna ao Brasil em 2020. Com a “The Record Player Tour”, o artista vai desembarcar pela primeira vez em Curitiba, no dia 08 de janeiro, para um show imperdível na tradicional Ópera de Arame.

Em 20 anos de carreira, Donavon Frankenreiter coleciona fãs no Brasil, esgotando diversos shows no país ao longo da última década. Com quatro novas canções, “Them Blues”, “Boom Boom”, “Is It You” e “Could Be One of Those Days”, o rei da Surf Music apresenta em sua nova turnê um formato inédito de show, que reverencia o seu amor por discos de vinil.

Na “The Record Player Tour”, o californiano e seu parceiro de longa data, o multi-instumentista Matt Grundy, farão um set, lado a lado, com uma vitrola posicionada entre eles. O duo apresentará as músicas ao vivo em hi-fi, girando o baixo analógico e a bateria, como se fossem uma banda. “Nós amamos discos de vinil e somos completamente viciados em equipamentos vintage... e foi por isso que tive essa ideia”, comenta Donavon.

O show de Donavon Frankenreiter na cidade de Curitiba, apresentando a turnê “The Record Player Tour”, será realizado no dia 08 de janeiro, na Ópera de Arame, a partir das 21h. Os ingressos custam a partir de R$ 50 e estão disponíveis no site Alô Ingressos (https://bit.ly/2WzHeSQ). Mais informações nas redes sociais oficiais da Planeta Brasil Entretenimento.

Continua a experiência imersiva do Instagram no Shopping Mueller

Continua a experiência imersiva do Instagram no Shopping Mueller
Atração gratuita faz uma imersão no mundo digital e foi prorrogada até o dia 10

O Museum of me – um mergulho em sua alma digital - já recebeu mais de seis mil visitantes, nas primeiras semanas de experiência. A atração do Shopping Mueller também foi prorrogada até o dia 10 de novembro, para que os clientes do shopping possam rever as suas publicações no Instagram através de uma inteligência artificial customizada para cada usuário das redes sociais.

O Museum of me traz a história do usuário, exibida em forma dinâmica, ao longo de um minuto e meio, onde cada pessoa pode realizar uma verdadeira imersão em seu mundo virtual. A experiência é única e o processo é simples, basta inserir o username do Instagram e, em segundos, percorrer toda a vida social em diversas telas dos mais variados tamanhos. As fotos aparecem e somem nos displays, acompanhadas de sons e leituras das hashtags, localizações e comentários.

Toda a experiência de imersão do Museum of me é gratuita e está disponível para os visitantes no piso L2, durante o horário de atendimento do Shopping Mueller, de segunda a sábado das 10h às 22h e domingos e feriados das 14h às 20h.

SERVIÇO:
Shopping Mueller | Museum of me
Local: Avenida Cândido de Abreu, 127 - Centro Cívico, Curitiba (PR)
Data: de 8 de outubro a 10 de novembro
Horários: de segunda-feira a sábado, das 10h às 22h, e domingos e feriados, das 14h às 20h
Ingresso: Gratuito
Informações: www.shoppingmueller.com.br
Facebook: www.facebook.com/MuellerCtba
Instagram: @muellercwb

HOJE, 03 DE NOVEMBRO, COMEMORAMOS O ANIVERSÁRIO DE ALFREDO ANDERSEN . VIVA ALFREDO ANDERSEN !

HOJE, 03 DE NOVEMBRO, COMEMORAMOS O ANIVERSÁRIO DE ALFREDO ANDERSEN .
VIVA ALFREDO ANDERSEN !Alfred Emil Andersen nasceu em Khristiansand, sul da Noruega, dia 3 de novembro de 1860, único filho homem dentre os cinco do casal Tobias Andersen e Hanna Carina Andersen.

Sua formação artística ocorreu na Europa, em ateliês particulares na Noruega e Dinamarca, e na Academia Real de Belas Artes de Copenhagen; foi aluno de artistas e decoradores de destaque em seu tempo, como Wilhelm Krogh e Carl A. Andersen.

Entre as décadas de 1880 e 1890, Andersen atuou como artista profissional na Noruega e na Dinamarca, desempenhando atividades como pintor (com mostras individuais em Oslo e Copenhagen), professor, cenógrafo e jornalista. Aqueles eram anos conturbados no norte da Europa, particularmente para a Noruega, que após anos de dominação dinamarquesa e sueca conquistava sua independência política e cultural. Um grande movimento nacionalista e de busca por elementos que caracterizassem a identidade norueguesa impulsionou a criação artística e definiu essas décadas como umas das mais produtivas nas artes na Noruega.

É nesse contexto que encontramos aqueles que são considerados alguns dos maiores artistas noruegueses: o compositor Edvard Grieg (1843-1907), o dramaturgo Henrik Ibsen (1828-1906) e o escritor Knut Hamsun (1859-1952). Andersen foi impregnado por esse espírito nacionalista romântico, especialmente pelo contato que teve com Hamsun e com o pintor regionalista Olaf W. Isaachsen (1835-1893).

Sendo filho de um capitão da marinha mercante, Andersen teve a oportunidade de visitar vários locais do mundo e, devido a essa facilidade, em 1889 foi para Paris fazer a cobertura jornalística do Salão Oficial de Belas Artes, no ano em que a Torre Eiffel foi inaugurada como um marco da Exposição Universal de Paris.

Em 1892, após um longo período de viagens pela Europa e América, Andersen desembarcou no Paraná, fixando residência em Paranaguá, num período tenso da história do Brasil, marcado pela consolidação do regime republicano e por motins e levantes populares como a Revolução Federalista.

Apesar do desconhecimento da língua portuguesa e das diferenças culturais, Andersen se adaptou à sociedade brasileira. Primeiramente, ele se estabeleceu no litoral do Paraná, e lá residiu por cerca de dez anos, vivendo de retratos sob encomenda e de decorações cênicas para casas que fazia.

Com 42 anos, pouco tempo após casar com a parnanguara Ana de Oliveira (1882-1945), Andersen se mudou para Curitiba. Na capital do Paraná abriu um ateliê na Rua General Deodoro (atual Rua Marechal Deodoro) no espaço antes ocupado pelo fotógrafo alemão Adolpho Volk. Nos anos em que manteve seu ateliê, Andersen retomou suas atividades profissionais mais próximo o possível com o que fazia na Europa, realizando exposições individuais, participando de mostras coletivas e retomando seu papel como professor de desenho e pintura. Naqueles anos Andersen também buscou incentivar o desenvolvimento do mercado de obras de arte, entretanto, Curitiba ainda se encontrava muito aquém das localidades por onde havia passado. Esta era uma cidade em processo de implantação de infraestrutura urbana, (poucas ruas tinham pavimentação, com fornecimento deficitário de luz elétrica, e o transporte de pessoas, bens e produtos era feito basicamente por tração animal), cuja população se dividia entre agricultores (imigrantes de diferentes etnias assentados em colônias), comerciantes (que negociavam muitos produtos vindos de outras localidades), industriais (relacionados ao processo de produção de erva-mate e produtos alimentícios, ou à indústria gráfica e metalúrgica), políticos, religiosos, profissionais liberais e manufatureiros.

Na década de 1910, Andersen, então pai de três filhos, passou a lecionar desenho em instituições de ensino formal da cidade, como a Escola Alemã, o Colégio Paranaense e a Escola de Belas Artes e Indústrias (primeira instituição voltada para o ensino de técnicas artísticas do Paraná e que em 1893 causou grande impacto em Andersen). Além disso, ele estreitou seus laços com o Governo do Estado, executando o primeiro projeto para o brasão do Estado do Paraná. Naquela década, mais precisamente em 1915, um ano após o nascimento de sua última filha, Andersen mudou seu ateliê-escola para a edificação onde hoje é o Museu Alfredo Andersen, localizada na então Rua Assunguy, atual Rua Mateus Leme.

Nos anos seguintes àquela década, o trabalho de Andersen como pintor, educador e agente cultural foi extremamente rico, e sua reputação profissional solidificou-se, demonstrando como a classe burguesa que se estabelecia em Curitiba mantinha um gosto enraizado nas tradições artísticas europeias do século XIX.

Em 1927, Andersen retornou à Noruega para visitar a família e amigos e reencontrou seu antigo professor Wilhelm Krogh. Lá, recebeu um convite do governo norueguês para ficar e dirigir a Escola de Belas Artes de Oslo, mas Andersen declinou e retornou ao Brasil.

Os últimos anos de sua vida foram marcados pelo reconhecimento de seu trabalho e por homenagens, como o título de Cidadão Honorário de Curitiba que recebeu em 1931 da Câmara Municipal de Curitiba. O pintor, já então chamado de “Alfredo” Andersen, faleceu em Curitiba no dia 9 de agosto de 1935.
Meu bisavô, com muita honra! meus aplausos!

http://www.mcaa.pr.gov.br

*com divulgação

O Museu Casa Alfredo Andersen é uma instituição administrada pelo poder público estadual, vinculada à COSEM.

mcaa@seec.pr.gov.br

Rua Mateus Leme 336
Curitiba
m.me/museucasaalfredoandersen
(41) 3323-5148

Serra Verde Express terá camarote exclusivo no show da cantora britânica Dido, em Curitiba

Serra Verde Express terá camarote exclusivo no show da cantora britânica Dido, em Curitiba
Em sua primeira apresentação no Brasil, artista traz os sucessos de seu álbum mais recente e da carreira consagrada

A Serra Verde Express, maior operadora de trens turístico do Brasil, inova mais uma vez e traz uma experiência única para os fãs da cantora britânica Dido com um camarote exclusivo. O show será realizado no dia 06 de novembro de 2019 (quarta-feira) no Teatro Positivo, em Curitiba, PR.

Durante o evento, a Serra Verde Express preparou uma condição diferenciada para os clientes, com um camarote especial no valor de R$ 295,00 (meia-entrada) que poderá ser comprado pelo site ou telefone da Serra Verde Express com a doação de um brinquedo novo no dia do show.

O ingresso inclui a experiência do show, entrada uma hora antes do início e poderá permanecer até uma hora após o show. No camarote estão inclusas as bebidas e finger food. O estacionamento também é incluso.

Os brinquedos arrecadados serão doados para a tradicional ação da Serra Verde Express, no Trem do Natal, que todos os anos alcança 400 crianças de instituições carentes.

A cantora que faz sua primeira apresentação no Brasil, traz em sua set list os sucessos de uma carreira consagrada de mais de 20 anos, como Thank You, White Flag, Life For Rent, Sand In my Shoes, entre outros. Além disso, traz os sucessos do seu álbum mais recente, Still on my mind".

A artista coleciona uma série de prêmios como o Critics Choice Award de Melhor Canção de 2011 e o Brit Award de Artista Solo Britânica Feminina em 2002 e 2004, além de cinco álbuns na carreira.

As compram podem ser feitas pelo site www.serraverdexpress.com.br ou diretamente na Estação de trem. Mais informações: (41) 3888 3488, whatsapp (41) 98867 8022 ou email contato@serraverdeexpress.com.br .

Sobre a Serra Verde Express
A Serra Verde Express é a operadora oficial do trem turístico de passageiros da Serra do Mar Paranaense na ferrovia Paranaguá - Curitiba desde 1997. Em mais de vinte anos de trabalho, incrementou o turismo ferroviário do Paraná e se tornou uma das mais importantes operadoras de trens turísticos do Brasil. É considerada, hoje, referência no setor em todo o mundo e administra o único trem de luxo nacional. Anualmente, cerca de 200 mil pessoas passeiam nos trens operados pela empresa. Além do turismo ferroviário, a Serra Verde Express oferece city tour, pacotes turísticos, serviços de transfer, receptivo e eventos. Para garantir a satisfação dos visitantes a empresa investe periodicamente em melhorias, treinamentos de colaboradores e na preservação do meio ambiente. A Serra Verde Express pertence à Holding Higi Serv e tem como diretor geral Adonai Aires de Arruda Filho. O executivo é presidente da Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos Culturais (ABOTTC). Mais informações: www.serraverdeexpress.com.br.

ONDE CANTA O SABIÁ – LITERATURA BRASILEIRA NO LITORAL DO PARANÁ

ONDE CANTA O SABIÁ – LITERATURA BRASILEIRA NO LITORAL DO PARANÁ
Projeto leva contação de histórias e rodas de leitura para as escolas públicas de Guaraqueçaba, Guaratuba, Matinhos, Pontal do Paraná, Antonina e Morretes.
ONDE CANTA O SABIÁ é um programa de incentivo à leitura que está circulando por escolas públicas do litoral do Paraná, realizando ao todo 120 sessões de contação de histórias, 120 rodas de leitura e 6 oficinas para educadores. Vai circular, até junho de 2020, por Guaraqueçaba, Guaratuba, Matinhos, Pontal do Paraná, Antonina e Morretes, beneficiando cerca de 10 mil alunos do Ensino Fundamental I (1ª a 5ª séries) e aproximadamente 300 professores.
O projeto é uma realização da Travessia – Arte e Educação em conjunto com a Passaredo – Educação e Arte e objetiva levar a narração e a leitura de contos tradicionais e contemporâneos brasileiros como processo de valorização da literatura oral e da cultura nacional, incentivando a leitura de livros. O foco é a relação entre Oralidade, Literatura e Incentivo à Leitura. Além disso, promove a continuidade da prática ancestral de narrar histórias, compreendendo as expressões da oralidade brasileira e os regionalismos como importante patrimônio cultural.
“É um projeto que celebra a literatura, compartilhando com as crianças os afetos, surpresas e descobertas que surgem quando uma história é contada ou um livro é aberto”, conta Michelle Peixoto, mediadora de leitura.
As sessões de contação de histórias e rodas de leitura são, de fato, um mergulho na cultura tradicional brasileira, duram cerca de 60 minutos e recriam o ambiente em que os contos populares vêm sendo transmitidos ao longo dos anos: ouvintes bem próximos do contador/mediador com total liberdade para participar e criar junto a narrativa. Canções, quadrinhas e adivinhas também fazem parte das sessões oferecidas e promovem um espaço descontraído que convida à interação e troca de impressões e experiências entre os participantes. Isso permite que a elaboração de cada indivíduo seja compartilhada, ampliando os sentidos possíveis para os textos e histórias. “Ao ouvirem as diferentes opiniões e valores eles aprendem sobre a riqueza de ouvir o outro. Ao compartilharem a leitura, por exemplo, não só criam o gosto de ler, mas passam a fazer isso de forma lúdica e crítica”, explica Michelle.
Em cada município também será realizada, em parceria com as Secretarias Municipais de Educação, Oficina de Formação de Agentes de Leitura voltada para educadores da rede pública. Elas terão como tema “Oralidade, Literatura infanto-juvenil e Leitura” e buscam estimular os educadores a serem agentes multiplicadores de leitura.
“Acreditamos que não há emancipação sem a capacidade de leitura bem desenvolvida, por isso nosso intuito com este tipo de projeto é proporcionar um conhecimento mais amplo e profundo da produção literária infanto-juvenil nacional, valorizando a diversidade cultural brasileira, fruto da multiplicidade étnica que deu origem no Brasil a um repertório particularmente rico de narrativas”, declara Vinícius Mazzon.
O repertório escolhido para a região do litoral envolve questões ligadas à natureza, poemas e contos com animais silvestres, principalmente os pássaros, além, é claro, de assuntos da cultura popular. Mário Quintana, Alice Ruiz, Zé Bernadinho e outros autores consagrados como Ana Maria Machado, Figueiredo Pimentel, Ricardo Azevedo, Ruth Rocha, Monteiro Lobato, Câmara Cascudo, Mário de Andrade, Silvio Romero e Franklin Cascaes são fontes do projeto. “Este maravilhoso e riquíssimo repertório do folclore e da oralidade popular é uma porta de entrada privilegiada para o universo da literatura escrita”, conta Vinícius.
Michelle Peixoto e Vinícius Mazzon são os idealizadores, empreendedores e mediadores do projeto. Ela é pedagoga e desenvolve trabalhos como esse há mais de 10 anos. Ele é integrante da Associação Malasartes, da Travessia – Arte e Educação e do Trio Dedo de Prosa, com os quais já circulou com apresentações de teatro e narração de histórias por diversas regiões do país.
Este projeto é uma realização da Passaredo – Educação e Arte em parceria com a Travessia – Arte e Educação e foi viabilizado com apoio da Copel por meio do PROFICE (Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura), da Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura.

Rodas de Leitura e Oficinas Literárias: Michelle Peixoto
Contações de Histórias: Vinícius Mazzon

Contato:

Produção
Vinícius Mazzon
41 99622 2829
viniciusmazzon@gmail.com