Fim dos smartphones, robôs domesticados e a conexão de tudo: guia apresenta “bússola do futuro” para empreendedores

Guia do Sebrae/PR traz transformações comportamentais e de hábitos de consumo para os próximos anos; mudanças abrem oportunidades para micro e pequenos negócios

Voltar para o passado com um bilhete premiado, apostar na loteria, ganhar uma bolada e nunca mais se preocupar com dinheiro na vida (em qualquer lugar do espaço-tempo): ficção científica pura. Não quer dizer, entretanto, que não seja possível “enxergar” o futuro e – por que não? – empreender com base nas tendências. Com base em pesquisas, números e vertentes, o Sebrae/PR lançou o Guia de Tendências para Pequenos Negócios - 2020/2021. É gratuito e está disponível para download aqui.

São 35 páginas com as principais apostas de especialistas para os próximos anos, pautadas pela análise de diversos relatórios de empresas internacionais especializadas em estudos de tendências. Por exemplo, enquanto muitos falam que, cada vez mais, não conseguimos viver sem o celular, o Guia do Sebrae/PR aponta: os smartphones estão com os dias contados. Por outro lado, os e-sports - esportes eletrônicos: alguns até podem torcer o nariz, mas os tempos mudaram, joguinhos passaram a ser coisa de gente grande e o segmento apresenta um enorme potencial para o empreendedorismo.

Da domesticação de robôs às moedas invisíveis; da disputa tecnologia versus emprego ao futuro das redes sociais, o documento faz projeções sobre comportamentos de consumo e de relações no ambiente empresarial – e como isso pode criar oportunidades de negócio para as micro e pequenas empresas paranaenses.

“Apesar de sua concretude nunca poder ser garantida (afinal, ninguém é verdadeiramente capaz de adivinhar o futuro), esses estudos ainda são uma ferramenta poderosa, podendo ser de grande ajuda para o mercado e, até mesmo, para a humanidade. Podem, inclusive, ser o grande diferencial no desenvolvimento de estratégias das empresas, colocando-as um passo à frente e antecipando-as quanto a possíveis problemas ou comportamentos ‘inesperados’ dos consumidores; assim como pode, ainda, ajudá-las a compreender as proporções de seus impactos e demais responsabilidades diante da sociedade e do planeta”, apresenta um trecho do Guia.

O Guia

Estruturado em quatro grandes temas – Re-Humanização Globalizada; Conexão de Tudo; Vivenciando Experiências; e Gestão Inteligente – o guia do Sebrae/PR se debruça sobre uma série de microtendências, de forma clara e objetiva, e trazendo em cada uma delas pontos de reflexão para os empreendedores.

“Os estudos de tendências são capazes de ampliar a nossa visão, tornando-a muito mais holística, e de modo que podemos assimilar com mais precisão os atuais contextos globais”, explica o consultor do Sebrae/PR, Maurício Reck. Com a publicação, é possível compreender diversos insights sobre o que a sociedade anseia ou necessita no momento, podendo ser crucial para as tomadas de decisões nos negócios.

Com o material acompanha uma ferramenta que oferece uma reflexão sobre como se encaixar com as atuais macrotendências e também um posterior plano de ação para botar as ideias em prática.

“Por meio de exercícios, o empreendedor pode avaliar a aplicabilidade das tendências no seu negócio, de que forma pode trabalhá-las ou, se já trabalha, como melhorar o processo, de acordo com a sua condição. Além disso, quem tiver dúvidas, pode entrar em contato com o Sebrae/PR por meio do telefone 0800 570 0800 ou marcar uma consultoria presencial”, finaliza Reck.

Melado de Capanema recebe registro de indicação geográfica

INPI concedeu registro na espécie indicação de procedência; a IG é a primeira da região Sudoeste e a oitava do Paraná

Legenda da foto: Produtos à base de melado e potes com o melado escorrido e batido (crédito - Maikelly Ribas)

O Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) publicou na terça-feira (17), na Revista da Propriedade Industrial (RPI) nº 2554, a concessão da indicação geográfica (IG) “Capanema”, na espécie indicação de procedência (IP), para o produto “melado batido e melado escorrido”. A área geográfica delimitada totaliza 419,403 km2 e está integralmente localizada no município de Capanema, no sudoeste do Paraná. A IG foi concedida em nome da Associação de Turismo Doce Iguassu.

A IG de Capanema é a oitava registrada no INPI e a primeira da região Sudoeste. A primeira foi a IP Norte Pioneiro do Paraná para café verde em grão e industrializado torrado em grão e ou moído, concedida em 2012. Em 2017, o Instituto concedeu IG para a Indicação de Procedência São Matheus, em São Mateus do Sul e municípios vizinhos (território que faz parte da Regional Sul do Sebrae/PR), a primeira do Brasil relacionada à erva-mate. Atualmente, existem 75 registros de IG no Instituto, sendo 55 indicações de procedência nacionais e 20 denominações de origem (11 nacionais e nove estrangeiras).

O prefeito de Capanema, Américo Bellé, acredita que a IG do melado contribuirá para dar maior destaque aos atrativos do município.

“Vai projetar a cidade, nossa cultura, o turismo da região. É uma grande conquista, com um trabalho que veio sendo feito há muitos anos. Acredito que será um incentivo para que as agroindústrias aproveitem essa oportunidade e invistam na melhoria da produção”, declara o prefeito.

Segundo a secretária municipal de Agricultura e Meio Ambiente, Raquel Belchior Szimanski, Capanema conta atualmente com oito agroindústrias e 16 produtores de cana-de-açúcar.

“A concessão da IG é resultado de iniciativa do Sebrae, que conhecia bem a qualidade dos nossos produtos e incentivou o movimento. O melado de Capanema é reconhecido, com grande demanda e oferta muito aquém. A indicação de procedência deverá gerar processo de desenvolvimento das agroindústrias, com a necessidade de mais fornecedores de matéria prima”, observa. Raquel relata ainda que produtores de leite estão pensando em mudar de ramo e plantar cana-de-açúcar.

Legenda da foto: A IG foi concedida para o melado batido e o melado escorrido de Capanema (crédito - Maikelly Ribas)

O pedido de IG foi depositado no INPI, em Curitiba, no dia 29 de outubro de 2015. Alyne Chicocki, consultora do Sebrae/PR, revela que o documento tem 1.300 páginas, com informações, histórias, fotos, relatos e reportagens sobre a cultura e a produção do melado. Nesses quatro anos, foram necessários três envios de exigências solicitadas pelo Instituto.

“O melado de Capanema já é reconhecido pela qualidade e sabor. A concessão da IG é a chancela do INPI que liga o melado escorrido e batido com a história e a cultura do município.”

Alyne conta que o Sebrae/PR fomentou o processo de indicação geográfica desde o início, com apoio técnico de consultoria em campo, para a pesquisa, coleta e redação do material. “Produtores, entidades, Administração Pública e Sebrae uniram-se e acreditaram no processo, desde o início. Paralelamente, o Sebrae apoiou a organização dos produtores, que criaram a Aprocana, em 2018, que tornou-se a Cooperfronteira neste ano”, completa Alyne.

Ciclo do turismo
A IG foi concedida à da Associação de Turismo Doce Iguassu, proponente do processo no INPI. Odair Fernando Martini é o presidente da entidade de turismo rural, que engloba produtores de melado, bolachas e proprietários de balneários no rio Iguaçu.

“[A IG] Vem beneficiar o município de Capanema, especialmente os agricultores familiares, que poderão ampliar a renda e continuar no setor. Também reforçará o ciclo do turismo, é mais um fator para atrair pessoas e agregar renda os produtores”, avalia. “A associação agradece a todos aqueles que contribuíram, foram muitos anos de luta”, acrescenta Martini.

Itamar Schuck é o diretor-presidente da Cooperfronteira (Cooperativa Agroindustrial Fronteira Iguaçu) que conta com 45 cooperados, entre agroindústrias e produtores de cana e outras pessoas que têm interesse em participar do processo produtivo. Para ele, a concessão da IG para o melado é mais um fator de motivação para dar continuidade ao trabalho.

“Hoje, aumentar a produção é o nosso gargalo. O desafio é inovar e modernizar as agroindústrias. Esse foi um dos objetivos para a criação da cooperativa, para unir forças e ganhar escala.”

Schuck acredita ainda que a IG ajudará a demonstrar que o melado de Capanema não recebe aditivos químicos ou açúcar branco. “Muitos perguntam qual é o segredo do melado ficar branquinho. É uma particularidade da região, resultado da combinação de temperatura, tipo de solo e forma de produção. Temos temperaturas mais altas, clima mais seco, condições propícias para a produção de uma cana-de-açúcar com maior teor de sacarose”, explica.

No ano que vem, deverá ser criada uma comissão para implantar o sistema nas usinas de melado e também junto aos produtores interessados em obter o selo da IG, seguindo as boas práticas agrícolas e de produção e os demais requisitos do Caderno de Especificações Técnicas. A expectativa é que ainda em 2020 sejam lançados os primeiros produtos com a IG.

As IGs do Paraná
Hoje, o Paraná possui oito produtos com IG: São Mateus do Sul com a erva mate e derivados; Norte Pioneiro com os cafés especiais; Carlópolis com a goiaba de mesa; Oeste do Paraná como mel; Witmarsun com o queijo colonial; Marialva com as uvas finas de mesa; Ortigueira com o mel; e o melado de Capanema. Outros quatro territórios têm pedidos prestes a serem protocolados e/ou sendo analisados pelo INPI: Morretes com a cachaça, Antonina com a bala de banana e o Litoral com barreado e farinha de mandioca.

As Indicações Geográficas podem ser na modalidade Indicação de Procedência (IP) ou Denominação de Origem (DO). São registros diferentes que não possuem uma hierarquia ou ordem de solicitação e, normalmente, são representados nos produtos por um selo. O registro de Indicação de Procedência garante a tradição histórica da produção em certa região geográfica. Já a Denominação de Origem indica propriedades de qualidade e sabor que são ligadas ao ambiente, meio geográfico, incluindo fatores naturais e humanos, onde é produzido e aos processos e tecnologias utilizados.

SouCuritiba lança coleção com sotaque alemão

SouCuritiba lança coleção com sotaque alemão

Linha de souvenires que ajuda a estimular o turismo e a economia criativa na capital paranaense chega à 7ª edição, com homenagem ao Bar do Alemão

(Foto: Inove)

Prost! Em sua 7ª edição, o projeto SouCuritiba presta uma homenagem ao Bar do Alemão, um dos mais tradicionais da capital paranaense, que completa 40 anos. O lançamento dos 36 novos souvenires foi nessa terça-feira (19), no endereço homenageado, no Centro Histórico de Curitiba. A nova coleção do projeto que associa economia criativa e turismo tem nove produtos inspirados no bar e surpreendeu o público com novidades gastronômicas: pimenta de steinhaeger e chás para curar a ressaca!

A coordenadora estadual de turismo do Sebrae/PR, Patrícia Albanez, conta que a proposta do SouCuritiba é surpreender, sempre. “A escolha do Bar do Alemão como tema desta sétima edição foi uma forma de homenagear um ícone da cidade e também uma das etnias que formam a cultura curitibana, que é a alemã. Como Curitiba é reconhecida pela Unesco como uma cidade de design, buscamos sempre apresentar o trabalho diferenciado de designers curitibanos, estimulando esses profissionais a criarem algo totalmente novo. Não ter uma ideia pronta é perfeito para o Sou Curitiba”, explica.

(Foto: Inove)

Para chegar aos 36 lançamentos, os 18 produtores fizeram visitas técnicas, conheceram curiosidades e a história do local, tiveram vivência da cidade, que culminou com uma pesquisa de mercado e os produtos lançados. Para Alessandra Gebur Kuster, foi fácil imaginar a linha de chás que lançaria, com as informações da pesquisa de impressões do turista em relação a Curitiba. “Escolhemos trabalhar com a erva-mate, por ser um produto regional, mas faltava uma alma, um ar de Curitiba. Na palestra que tivemos sobre Turismo, descobrimos que os visitantes que passavam pela cidade tinham três impressões mais marcantes da cidade: o frio, a tranquilidade e a beleza. Com essas três características, criamos três sabores, todos com a erva-mate: o Tranquilidade, com adicional de camomila e laranja, o Frio, com menta, hortelã e anis, e o simples Belíssima, com o mate puro”, conta a produtora.

(Foto: Inove)

O proprietário do Bar do Alemão, Jorge Tonatto, ficou surpreso com a diversidade de produtos e a criatividade dos desenvolvedores, que pensaram na experiência do bar para criar os souvenires. “A ideia de ter o Bar do Alemão homenageada pela linha SouCuritiba, quando completamos 40 anos de história na cidade, tornou este aniversário especial. Temos pontos fortes como o Submarino, que é um drink feito com um canequinho de steinhaeger mergulhado no caneco de chopp, e os designers e artesãos aproveitaram bastante diferenciais como esse. Mas nunca imaginaria pimenta de steinhaeger ou uma linha de chás para curar a ressaca! A equipe é sensacional e pensou em tudo – até na experiência do dia seguinte”, avaliou o empresário.

(Foto: Inove)

Histórico - A iniciativa colaborativa SouCuritiba surgiu na época da Copa do Mundo de 2014 com o objetivo de aproveitar o fluxo de turistas para oferecer souvenires inovadores, que contassem a história de locais e personagens tradicionais e, com isso, incrementar o desenvolvimento do turismo da cidade. Os produtos da marca são vendidos em locais estratégicos da cidade que vão de pontos turísticos como o Museu Oscar Niemeyer e Ópera de Arame, até cafés, hotéis, bares e restaurantes. Em sete edições, já foram selecionados 306 produtos, sendo 50 deles apenas na edição de 2019 e já passaram pelo projeto 187 empreendedores criativos. No total, já foram vendidos mais de 80 mil produtos, o que representa quase R$ 1,5 milhão em vendas.

O projeto é uma iniciativa do Sebrae/PR, em parceria com o Instituto Municipal de Turismo de Curitiba, Fundação Cultural de Curitiba (FCC), Universidade Federal do Paraná (UFPR), Centro Brasil Design e Curitiba Convention & Visitors Bureau. O objetivo é a qualificação de produtores locais em etapas como consultoria, treinamento e criação de produtos inovadores, associados a imersão no turismo e cultural da capital paranaense.

Nova coleção do projeto SouCuritiba “brinda” aos 40 anos do Bar do Alemão

Nova coleção do projeto SouCuritiba “brinda” aos 40 anos do Bar do Alemão

Souvenires inovadores de Curitiba serão apresentados nesta terça-feira (19), às 16 horas

O Bar do Alemão receberá nessa terça-feira (19), a partir das 16 horas, o lançamento de uma coleção de souvenires do projeto Sou Curitiba, iniciativa de economia criativa que ajuda a estimular o turismo na capital paranaense. Como comemoração aos 40 anos de um dos mais tradicionais bares de Curitiba, os participantes do programa criaram uma coleção específica com nove produtos, que incluem camisetas, placas, porta objetos, chaveiros, entre outros.

Os produtores criativos fizeram uma visita técnica, conheceram curiosidades e a história do estabelecimento e desenvolveram produtos. “A criação dessa coleção destaca a importância da cultura alemã para a colonização da cidade e a formação de alguns dos hábitos dos curitibanos. E também foi uma forma de homenagear o bar que faz parte da história de Curitiba”, explica a coordenadora estadual de turismo do Sebrae/PR, Patrícia Albanez.

O dono do Bar do Alemão, Jorge Tonatto, elogiou a qualidade das peças que serão exibidas na terça-feira. “Ficamos lisonjeados com o convite para os artistas produzirem as peças em homenagem ao bar. Esses são materiais muito bem produzidos, com ótimo acabamento e que superaram as nossas expectativas”, afirmou.

Os produtores credenciados pelo Sou Curitiba também realizaram uma visita guiada por alguns pontos turísticos através da Linha Turismo com o objetivo de conhecerem importantes elementos da iconografia, símbolos e momentos da história da capital curitibana como inspiração para a criação dos produtos.

A iniciativa colaborativa Sou Curitiba surgiu na época da Copa do Mundo de 2014 com o objetivo de aproveitar o fluxo de turistas para oferecer souvenires inovadores, que contassem a história de locais e personagens tradicionais e, com isso, incrementar o desenvolvimento do turismo da cidade. Voltado para designers, artesãos, arquitetos e criativos, o projeto passa pelas etapas de empreendedorismo, imersão na cultura e no turismo da cidade e inovação com o design.

Os souvenires aprovados em uma curadoria passam a ter a marca SouCuritiba e são vendidos em locais estratégicos da cidade que vão de pontos turísticos como o Museu Oscar Niemeyer e Ópera de Arame, até cafés, hotéis, bares e restaurantes. São 12 pontos de venda físicos parceiros e um ponto de venda online.

Em sete edições, já foram selecionados 306 produtos, sendo 50 deles apenas na edição de 2019 e já passaram pelo projeto 187 empreendedores criativos. Ao todo, já foram vendidos mais de 80 mil produtos, o que representou quase R$1,5 milhão de reais em vendas.

22:07

11/11/2019
Fashion Branding abordou mudanças
e inovação no mercado da moda

O evento foi realizado pelo Sebrae/PR e reuniu cerca de 500 empreendedores paranaenses

(foto: Inove)

Marcas fortes sobrevivem mesmo diante de cenários desanimadores. A operação pode falir, mas uma marca – com suas experiências e com a simbologia que entrega para um consumidor fiel - se mantém. É por isso que em tempos de economia lenta, investir em construção de marca é um bom negócio. Principalmente no segmento da moda. Foi com essa mensagem que o consultor do mercado de luxo, Carlos Ferreirinha, abriu a tarde de palestras e painéis do Fashion Branding, evento realizado pelo Sebrae/PR para promover negócios e fomentar o setor têxtil e de vestuário autorais no Paraná.

Ferreirinha também chamou a atenção para mudanças recentes no mercado da moda que devem estar no radar de quem trabalha com essa área.

“Somos seres vivos que nos conectamos com o que está ao nosso redor. É por isso que Rihanna e Anita são fenômenos. Não é só o talento. É ser do gueto e trazer isso em sua história”, disparou o especialista, provocando a plateia com um questionamento: “Como vamos ser relevantes para a nova geração, que é hiperconectada, que busca a experiência, que quer consumo consciente e sustentável?”

Vender, vender, vender...
Mas, para chegar a isso, o pequeno empresário do setor da moda precisam aprender a conhecer seu público, seus concorrentes e o valor real de seus produtos. Para inspirar a tal alma do negócio, a tarde seguiu com um painel, com a especialista em negócios de moda Andressa Rando Favorito, com a consultora do Sebrae/PR, Adriana Kalinowski, e com o consultor Jorge Biff Netto. Andressa explorou os caminhos para triplicar resultados para marcas de moda, passeando por temas como pricing, sortimento e itens importantes para o mercado do varejo.
Adriana Kalinowski apresentou uma pesquisa sobre tendências e desafios da pequena indústria de moda no Paraná, apontando números e soluções para o público. E José Biff Netto chamou a atenção dos empreendedores para as mudanças provocadas pela transformação digital no segmento da moda.
“Mesmo com a ideia de que você precisa experimentar uma peça para ver se caiu bem em você, é uma ingenuidade pensar que as pessoas não vão comprar cada vez mais no online. Há nesse segmento um modelo de negócio muito inovador e que vem dando muito certo, que é ter apoio recíproco entre o virtual e a loja física. Um pode levar para o outro e aumentar as vendas”, explicou o especialista.
Quando o evento traz cases, fica mais fácil entender os conceitos e se inspirar. Uma das histórias enfatizou o conteúdo apresentado por Biff, sobre a necessidade de ter estratégias para o digital e o online. A marca de Maringá Perfect Way passou a ter 96% de sua operação concentrada no online, com ganhos significativos para o negócio.

Chic

(Foto: Inove)

Quando ela conta que foi jornalista especialista em moda e dona da marca italiana Fiorucci no Brasil, a plateia mais jovem se surpreende. A marca mais indelével de Gloria Kalil é mesmo a sofisticação.
A autora de seis livros sobre moda e estilo, entre eles Chic, falou sobre comportamento de consumo e a evolução das marcas de moda. “Na década de 90, o jogo virou e o consumidor passou a dominar o processo. Dessa revolução, conhecemos um consumidor exigente, informatizado, volúvel e mimado”, brincou, bem humorada. Gloria Kalil deixou uma mensagem importante aos empreendedores interessados em prosperar nos próximos anos: “Não existe mais grande centro. Não existe mais essa conversa. A pirâmide da moda virou de cabeça pra baixo e a moda deixou de dominar. Quem domina é seu cliente, que busca na moda uma filosofia para o estilo dele, que combine com sua personalidade e que represente sua individualidade.”

Moda e marca
O Fashion Branding, realizado nesta quinta-feira (7), reuniu cerca de 500 empresas ligadas ao setor da moda e foi realizado pela primeira vez pelo Sebrae/PR com o propósito de estimular o desenvolvimento das pequenas empresas dos segmentos da moda e do vestuário do Paraná. Além do seminário da tarde, com palestras e painéis, o evento teve rodada de negócios com 24 empresas âncoras e dez compradores. A programação foi encerrada com uma performance no palco, um desfile coletivo surpresa, com looks compostos pelas marcas paranaenses Cyntia Fontanella, Rocio Canvas, Felini, Isabela Pagnan, Dress For Freedom, Reptilia, Chaouiche, Elyane Fiuza, Rodrigo Alarcon e Amey.

“Essa primeira edição do evento Fashion Branding foi importante para geração de negócios na indústria da moda, e foi um encontro exclusivamente empresarial que gerou conexões, novas parcerias e conhecimento inovadores relacionados ao tema branding. Abordamos todo o processo de gestão e comunicação que uma marca precisa para se fortalecer”, avaliou o diretor de Administração e Finanças do Sebrae/PR, José Gava Neto.

Para a jornalista Dani Brito, o Fashion Branding foi uma oportunidade de ressignificar a atuação no mundo do trabalho. “Achei totalmente coerente e pertinente o evento promovido pelo Sebrae/PR porque confirmou algumas intuições minhas a respeito do caminho da moda daqui para frente. No que toca a moda, a tecnologia mudou a forma de consumo e numa economia capitalista isso muda tudo.Precisamos estar abertos às mudanças, arriscar e dar chance para aprender com o erro. Olhar para novas formas de criação, produção e comunicação da moda é imprescindível para sobreviver no mercado hoje”, avaliou a jornalista.

Sebrae/PR promove evento com Gloria Kalil e Carlos Ferreirinha sobre inovação e negócios para a moda

Sebrae/PR promove evento com Gloria Kalil e Carlos

Ferreirinha sobre inovação e negócios para a moda

Gratuito e exclusivo para empresas do setor, programação contará com palestras de especialistas, rodada de negócios com empresas âncora e desfile

Estimular o desenvolvimento das pequenas empresas do segmento na moda e vestuário no Paraná. Esse é o propósito do Fashion Branding Sebrae, que acontece nessa quinta-feira (07), das 08h30 às 19h30, na sede do Sebrae/PR, em Curitiba. Os participantes poderão realizar negócios, assistir a palestras com especialistas sobre temas ligados a tendências, comportamento e branding, além de conferir uma performance com marcas paranaenses.

O evento é gratuito e direcionado a empreendedores de pequenas indústrias e confecções. As vagas são limitadas. No site https://www.sebraepr.com.br/fashion-branding/ é possível acessar informações e encaminhar inscrições.

Das 08h30 às 12h30, haverá rodadas de negócios em que pequenas empresas da moda e fornecedoras poderão apresentar seus produtos e realizar negócios com oito marcas âncora, sendo cinco do Paraná e três de São Paulo.

O Seminário Empresarial acontece das 13h às 18h30 e contará com uma premiação das dez empresas que mais se destacaram no Eixo Moda Indústria, trabalho do Sebrae/PR destinado a impulsionar esse segmento no estado. A partir das 18h30, dez pequenas empresas paranaenses realizarão uma performance com marcas autorais.

Entre as atrações do Fashion Brandingestarão as palestras de Gloria Kalil, jornalista e empresária e uma das mais renomadas especialistas do Brasil na área, que falará sobre comportamento de consumo e evolução das marcas de moda. Também estará presente Carlos Ferreirinha, presidente e fundador da MCF Consultoria e formador de opinião sobre o mercado e gestão de luxo e premium. Ele falará sobre a construção e consolidação de uma marca.

O setor de vestuário no Paraná é responsável pela geração de 105 mil empregos gerados na indústria e no comércio e é o 2º setor industrial que mais gera empregos no Paraná, com 55 mil vagas geradas. O segmento também está na 4ª posição no ranking nacional em estabelecimentos industriais.

Serviço
Fashion Branding Sebrae
Local: Sebrae/PR (Rua Caeté, 150 – Prado Velho – Curitiba/PR)
Data: quinta-feira – 07 de novembro
Horário: das 08h30 às 19h30
Inscrições: gratuitas através do número (41) 98746-6058

Consultor da Jaguar falará sobre o design para um mundo melhor em evento do Sebrae/PR e Centro Brasil Design

O Sebrae/PR e o Centro Brasil Design realizam nessa terça-feira (05), o evento “Design for a Better World”, que vai debater o papel do design e da sustentabilidade e a utilização de seus processos e ferramentas para o cumprimento dos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no link.

Para falar sobre o assunto estará presente Cesar Pieri, consultor da Jaguar, diretor da Savannah College of Art and Design (SCAD), na cidade de Atlanta, nos Estados Unidos. A programação conta ainda com palestras de Rafael Alonso, diretor de design da Electrolux e com um painel sobre Economia Verde com as presenças de Bruno Sezerban, coordenador de design do Boticário, os designers da Furf Design Studio Rodrigo Brenner e Maurício Noronha e o arquiteto Sergio Pires. O encontro será moderado por Aguinaldo dos Santos, professor da UFPR.

O evento conta com o patrocínio da Electrolux. O Centro Brasil Design (CBD) é uma instituição com 20 anos de existência que conecta pessoas, setores do governo, empresas e criativos com o objetivo de viabilizar projetos inovadores e negócios de sucesso, além de promover a importância do design e da inovação. O CBD foi a primeira instituição de design a assinar o Pacto Global para se alinhar aos ODS da ONU.

Serviço

Design for a Better World

Data: 05 de novembro (terça-feira)

Horário: das 09h às 12h30

Mais informações e inscrições em: https://www.sympla.com.br/design-for-a-better-world__682599

SAVE THE DATE: 07/11/2019 Fashion Branding Sebrae/PR

SAVE THE DATE: 07/11/2019 Fashion Branding Sebrae/PR

O Sebrae/PR promove no dia 7 de novembro o Fashion Branding, um evento com foco no desenvolvimento de negócios para players do setor da moda do Paraná.

Das 8h30 às 19h30, o evento será dividido em três momentos: Business, Seminário Empresarial e Desfile de Marcas.

Das 8h30 às 12h, durante a manhã Business, pequenas empresas, fornecedoras do segmento do vestuário, apresentarão seus produtos e vão prospectar negócios com oito marcas âncora – cinco do Paraná e três de São Paulo.

Após o almoço, o Seminário Empresarial terá palestras de tendências, comportamento e branding, com convidados nacionais como Glória Kalil e Carlos Ferreirinha.

A partir das 18h30, haverá uma performance com coleções de dez marcas paranaenses.

Setor do vestuário do Paraná em números:

- 105 mil empregos gerados na indústria e no comércio (Rais / Fiep)

- 2º setor industrial que mais gera empregos no Paraná (55 mil) (Fiep)

- 4ª posição no ranking nacional em estabelecimentos industriais

O Fashion Branding será no dia 7 de novembro, das 8h30 às 19h30, no Sebrae/PR, em Curitiba.

Evento no Sebrae/PR estimula a participação de pequenos negócios nas compras públicas

23/10/2019
AVISO DE PAUTA - Evento no Sebrae/PR estimula a participação de pequenos negócios nas compras públicas
Somente em Curitiba, em 2018, foram R$ 3 bilhões de compras públicas. Mercado é oportunidade para MPEs

Acontece nesta quinta-feira (24), o Fomenta Curitiba, evento que promove a participação de micro e pequenas empresas nas licitações para aquisição de produtos e serviços para a administração pública. O encontro que acontece na sede do Sebrae, em Curitiba, acontece das 08 às 17 horas, e contará com uma série de palestras e um espaço destinado para rodadas de negócios entre empresários e o poder público.

Apenas em 2018, Curitiba realizou R$ 3 bilhões em compras públicas, sendo R$2 bilhões de compras de empresas locais. Do montante total, R$139 milhões foram negociados por micro e pequenas empresas, sendo R$ 90 milhões de MPEs locais.

Somente no Governo do Estado do Paraná existem oportunidades de 222 processos em andamento com valor estimado de R$ 500 milhões.

A consultora do Sebrae/PR, Juliana Schvenger, detalha o objetivo do evento. “Queremos aproximar empresários e o poder público e mostrar as vantagens desta modalidade de negócio. Esse é um mercado que ainda pode ser muito explorado e representa uma boa oportunidade de crescimento para as micro e pequenas empresas”, projeta.

A programação incluirá palestras e oficinas sobre temas como a política brasileira de fomento às micro e pequenas empresas pela administração pública, o poder das compras públicas para o desenvolvimento das MPEs, licitações e o estatuto da microempresa e empresa de pequeno porte, a desburocratização dos procedimentos contratação, a lei geral de proteção de dados, entre outros temas relevantes para esse mercado.

Além disso, das 13 às 16 horas acontecerá um encontro de oportunidades que permitirá aos empresários apresentar seus produtos e serviços aos compradores do poder público, realizar negociações e compreender melhor as particularidades desse mercado. Participam deste encontro como empresas âncoras, o Governo do Estado, a Prefeitura de Curitiba e prefeituras da Região Metropolitana.

O estímulo às compras governamentais para as micro e pequenas empresas segue a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, que oferece benefícios na participação de processos licitatórios relacionados à simplificação das obrigações administrativas, tributárias, previdenciárias e de créditos. Entre algumas dessas vantagens estão processos seletivos exclusivos, regularidade fiscal e subcontratação de microempresa e empresa de pequeno porte.

O evento conta com a parceria do Governo do Estado, Prefeitura de Curitiba, Faciap, Fecomércio PR, Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte do Estado do Paraná (Fopeme), Tribunal de Contas do Paraná, Observatório Social, Pró-Metrópole, IMAP e Agência Curitiba, além da participação das prefeituras dos municípios da Região Metropolitana e do Litoral do Estado.

As inscrições para o Fomenta Curitiba podem ser feitas por meio do link.

Sebrae apresenta soluções para setor de alimentos funcionais na Exposaudável 2019

Sebrae apresenta soluções para setor de
alimentos funcionais na Exposaudável 2019

A feira reuniu os diversos integrantes da cadeia de alimentação saudável e sustentável, para buscar fomentar o segmento que cresce no país

Alimentos funcionais; receitas tradicionais atualizadas, que conquistam o público; chás e produção certificada. Esses foram alguns dos produtos encontrados pelos visitantes da Exposaudável 2019 que passaram pelo estande do Sebrae/PR, no último final de semana, em Curitiba. A feira de produtos, serviços e práticas que respeitam o ambiente e promovem a saúde e o bem-estar dos consumidores apresentou produtos com o selo Alimentos do Paraná, da categoria Alimentos Funcionais, Orgânicos e Veganos. O Sebrae/PR também promoveu rodadas de negócios e vários painéis e palestras sobre alimentação saudável e sustentável sob diferentes aspectos.

A categoria dos alimentos funcionais, orgânicos e veganos deixou de ser tendência para ser uma realidade bem consolidada, segundo a consultora do Sebrae, Andreia Claudino. “A gente começa a entender que esse movimentoestá crescendo quando olhamos para o selo Alimentos do Paraná: de 300 empresas cadastradas, 30% estão nessa categoria. E isso, de dois anos para cá”, analisa Claudino.

Rodrigo Siqueira é um bom exemplo de empreendedor que percebeu a mudança no mercado e buscou a ajuda do Sebrae para atualizar seu produto, a gelatina Tremendinha, popular em Curitiba e região. Depois de consultorias, cursos, e financiamento do Sebraetech, o empresário Siqueira desenvolveu novas linhas – uma sem açúcar e uma com colágeno, zinco, selênio e vitamina C – para conquistar novos compradores.

“Encontramos todo o suporte para elaborarmos não só uma estratégia de negócios para repensar um produto que existia no mercado desde 1995, mas também para desenvolvermos um produto funcional, com propriedades antioxidantes, o Nutrimix, que estamos lançando aqui. Estamos buscando empórios naturais, lojas de produtos fitness, academias. É uma virada de chave, para novos públicos e pontos de venda que não conseguíamos atender”, afirma Siqueira.

O empreendedor Marco Ziliotto apresentou no stand os produtos da linha Granola da Dinda. Com versões diferenciadas, salgada, sem glúten e com chocolate, as granolas que eram feitas em casa, por sua esposa, são produzidas e comercializadas como produtos premium, disponíveis em alguns pontos de vendas estratégicos.

“Era funcionário de carreira quando minha vida deu um giro e decidi empreender. Participei de uma oficina do Sebrae, sem ter ideia do que eu comercializaria, quando fui convidado, com os outros alunos, a escolher um produto para criar um projeto. E assim, de um exercício em sala de aula, começou minha empresa que só tem crescido”, lembra Ziliotto, destacando os ganhos por ter escolhido uma linha de produtos ligados à alimentação saudável e à sustentabilidade.

“A receita veio de minha esposa, meus sobrinhos que escolheram o nome da empresa, e trabalho com embalagens de vidro, o que me agrada como engenheiro florestal, sempre preocupado com as questões ambientais. Eu acredito muito nesse produto porque tem uma história de família sendo compartilhada com nosso público”, conta o empresário.

As granolas devem em breve estar nas prateleiras de um novo supermercado inaugurado há um ano em São Paulo, em Pinheiros. A loja - que já teve até 5 mil diferentes itens e oferece atualmente 2.500 itens do setor de alimentação - enviou uma compradora para participar da rodada de negócios da Exposaudável.

“Curitiba tem essa boa reputação de qualidade de vida, alimentação saudável e sustentabilidade. Encontrei nessa rodada alguns produtos que não vejo em São Paulo e, com certeza, quero ter em minha loja. Volto com ótimas perspectivas de novos fornecedores”, afirma a compradora Railane Rodrigues.

Os chás produzidos no Paraná também ganharam uma tarde de discussão, durante a Exposaudável. O setor movimenta uma ampla cadeia em Curitiba e região metropolitana. Mandirituba tem a maior produção nacional de Camomila e a plantação, que vem da agricultura familiar, é considerada a melhor do país. Durante o encontro, o grupo discutiu sobre restrições e regras da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), sobre inovações no setor e sobre histórias de empreendedores dessa área que se destacam por sua produção.

Chancela - O selo Alimentos do Paraná reconhece a eficiência na gestão, segurança e qualidade alimentar de produtos de agroindústrias, indústrias e empreendimentos que beneficiam alimentos e bebidas de pequeno porte. Realizado pelo Sebrae/PR, com a Fecomércio PR, Fiep, Associação Paranaense de Supermercados (Apras) e Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), o Programa Selo Alimentos do Paraná tem como objetivo promover e oportunizar a melhoria de processos produtivos, aprimoramento da qualidade e boas práticas de gestão.

“Culinária com IG” aproxima chefs e produtores paranaenses

“Culinária com IG” aproxima chefs e produtores paranaenses

Receitas com produtos detentores de Indicações Geográficas foram apresentadas durante a cerimônia do Prêmio Bom Gourmet, em Curitiba

Crédito: Regis Santos/Sebrae/PR

Oferecer pratos com ingredientes regionais que contam histórias e aproximar os chefs de cozinha dos produtores de alimentos de todo o Paraná. Essa foi a proposta da primeira ação da campanha Gastronomia Origens Paraná, promovida pelo Sebrae/PR, na noite dessa terça-feira (27), em Curitiba. As receitas foram apresentadas durante a cerimônia do Prêmio Bom Gourmet, da Gazeta do Povo, que traz os destaques da gastronomia curitibana.

Segundo o diretor-superintendente do Sebrae/PR, Vitor Roberto Tioqueta, a proposta aproxima o público de chefs, de produtores paranaenses e valoriza alimentos típicos e reconhecidos com o registro de IG.

“Foi uma ação que trouxe visibilidade para o trabalho que estamos realizando. Os produtores realizaram novos contatos e encaminharam negócios com os chefs presentes. Já os chefs mostraram que é possível valorizar os produtos regionais com pratos de alta qualidade”, explicou.

Crédito: Regis Santos/Sebrae/PR

Ao todo, chefs consagrados de quatro restaurantes curitibanos que possuem o Selo de Qualidade no Turismo do Paraná prepararam pratos exclusivos com produtos que possuem ou estão pleiteando os registros de Indicações Geográficas e integram o movimento Origens Paraná, de valorização aos produtos locais.

Os chefs Rafael Fusco e Lucas Cintra, do Ostra Bêbada, prepararam ostras gratinadas com queijo colonial de Witmarsum; Paulo Hruschka e Giovane Ramos dos Santos, da Tartuferia San Paolo, fizeram um tambaqui em textura de erva-mate de São Mateus do Sul e aioli de trufas, Jorge Tonatto, do Bar do Alemão, serviu Confit de marreco com molho de mel do Oeste do Paraná e laranja, repolho roxo e purê de maçã; Delio e Renata Canabrava e Rafael Gonçalves, da Cantina do Délio, prepararam um sorvete de queijo com calda de goiaba de Carlópolis e uma batida de cachaça ouro de Morretes com coco e abacaxi.

Crédito: Regis Santos/Sebrae/PR

O chef Rafael Fusco conta que já utiliza o queijo de Witmarsum desde 2014, antes da abertura do restaurante Ostra Bêbada, e reforça a importância de valorizar os produtos locais. “Esse é um trabalho que fortalece a nossa gastronomia. Todos esses são produtos artesanais que contam as histórias e os conhecimentos de famílias paranaenses que merecem ser ressaltados e preservados. A receptividade foi muito boa. Queremos continuar utilizando esses ingredientes locais e trazer para perto os produtores locais”, ressalta.

Andreia Cardoso, gerente comercial da Cooperativa de Witmarsum, afirma que o Ostra Bêbada foi o primeiro restaurante a utilizar o queijo colonial que possui o registro de Indicação Geográfica e que hoje já é vendido para os principais mercados do país. Segundo ela, a oportunidade de ter os queijos coloniais sendo utilizados pelos chefs em um grande evento é algo extremamente importante para a marca.

“É relevante estarmos próximos dos chefs porque podemos conversar com as pessoas, fortalecer nossa rede de contatos e levar o nosso produto para novos mercados. É uma grande satisfação ter o nosso trabalho reconhecido e alcançar essa grande visibilidade”, destaca Cardoso.

Crédito: Regis Santos/Sebrae/PR

O Origens Paraná é fruto do Programa de Desenvolvimento de Indicações Geográficas e Marcas Coletivas do Sebrae/PR e hoje conta com aproximadamente 50 integrantes que representam grupos de produtores e instituições (www.sebraepr.com.br/origensparana e https://comunidadesebrae.com.br/origensparana).