LIDE Mulher Paraná lança iniciativa que visa enfrentamento à violência e reinserção das vítimas na sociedade

Programa “Um novo olhar” atua no resgate da auto-estima e a recolocação no mercado de trabalho. LIDE Talks da última quinta-feira (30) apresentou o time de embaixadoras que vai atuar na linha de frente das ações no Paraná.

A cada 4 minutos uma mulher é agredida no Brasil e os números só aumentam. Além de agravar as situações de conflito, a pandemia intensificou a tensão no ambiente familiar e tem dificultado o pedido de ajuda das vítimas que, muitas vezes, são vigiadas pelo agressor. Por isso a importância de ampliar a discussão e os pontos de contato da vítima com os canais que ela possa pedir ajuda, independente da sua classe social.

Como forma de auxiliar mulheres na retomada de suas relações pessoais e profissionais e assim, dar a oportunidade de acreditarem que uma nova história possa ser construída, o LIDE Talks da última quinta-feira (30) reuniu autoridades e embaixadoras do projeto “Um novo olhar”, recentemente lançado pelo LIDE Mulher Paraná.

Para a médica cirurgiã Carla Góes, idealizadora do Programa, a informação é fundamental para o combate dessa violência como forma de prevenção e uma alternativa de diminuir agressões e até o feminicídio. Como forma de levar essa informação, o projeto se expandiu para outros estados, como no caso do Paraná, o primeiro a receber o projeto depois de São Paulo. “Atendi a vítima de número 1.000 do Programa Justiceiras e isso me fez pensar em levar o Um novo Olhar para outros estados, e nossa primeira primeira prisão em flagrante aconteceu no Paraná.” Além de idealizadora do “Um novo Olhar”, Carla é a líder médica nacional do Programa Justiceiras que vem atuando em todo o Brasil no enfrentamento aos casos de violência contra mulher.

A iniciativa que teve início em seu consultório em São Paulo, surgiu como uma forma de olhar de outra maneira para essa violência. Com a união de mulheres no resgate de outras mulheres sem julgamento e adversão, as fortalecendo emocionalmente para que tenham uma vida digna. “50,62% da nossa população é de mulheres, somos a maioria nesse país. Temos que aprender sororidade”, reforçou a Desembargadora Lenice Bodstein, referência na defesa dos direitos da mulher no Paraná e uma das embaixadoras do programa no estado.

No Paraná o projeto será ampliado dentro das empresas, na escola, e até mesmo no mercado do luxo, não só dentro das delegacias, desmistificando que esse problema ocorre apenas nas classes mais baixas e trazendo outras vertentes para se trabalhar dentro da temática.

Também participaram do encontro a publicitária Letícia Lopes que está cuidando da condução da temática em diferentes segmentos, a joalheira Tania Vicenzi, que vai desenvolver a temática dentro do segmento do luxo, Gisele Mantovani Pinheiro, empresária no segmento da educação, Julianne Stier, advogada e empresária no segmento da moda, Heloisa Koerner, médica otorrinolaringologista especialista em rinoplastia e cirurgia de face e Priscilla Placha Sá, desembargadora e coordenadora Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Tribunal de Justiça do Paraná.

No próximo dia 07 de agosto a Lei Maria da Penha completa 14 anos, e o Projeto “Um novo olhar” desenvolveu uma cartilha que vai disponibilizar para download gratuito. “Falar desse tema é sensível e deve ser feito por toda a sociedade, os números são alarmantes e a violência está infelizmente dentro das empresas, dos nossos grupos de amigos. A responsabilidade de reduzir esses números, que são dignos de uma epidemia, é de todos nós! Este é um problema problema social do nosso país que faz vítimas a cada minuto!” destaca a presidente do LIDE Paraná, Heloisa Garrett.

LIDE Paraná Talks – Assista o episódio completo em www.lideparana.com.br/talks

Sistema de Transmissão Gralha Azul beneficia mais de 230 famílias de comunidades tradicionais quilombolas no Paraná

Ao todo, cerca de 7 toneladas de alimentos e kits de prevenção à pandemia estão sendo distribuídos

Curitiba, julho de 2020 – Desde o início da implantação do Sistema de Transmissão Gralha Azul, no Paraná, a ENGIE vem buscando realizar ações sociais em diversas áreas. São atividades sociais, educacionais e filantrópicas em apoio às comunidades e aos municípios onde o projeto está inserido.
Um exemplo são as ações realizadas junto às cinco comunidades tradicionais quilombolas localizadas nas proximidades do Sistema, nos municípios de Guarapuava, Ivaí e Ponta Grossa. Nesta última semana de julho, a Companhia está realizando a doação de 235 cestas básicas com 30kg cada, totalizando mais de 7 toneladas de alimentos. Além dos itens de necessidade básica contidos nas cestas, estão sendo distribuídos para as famílias kits com máscaras reutilizáveis, álcool gel e materiais educacionais informativos, como forma de auxiliar na prevenção à pandemia pela Covid-19.
De acordo com César Murilo Souza, presidente da Associação de Moradores da Comunidade Quilombola Sutil, uma das comunidades beneficiadas pelo projeto, as doações representam muito para a população. “Só nesta comunidade contamos com o total de 70 famílias que receberão as cestas e temos certeza de que essa ação ajudará muito. Têm pessoas que devido à pandemia estão passando por mais necessidades e essa contribuição é fundamental neste momento”, afirma.
Segundo a moradora Marilda Gonçalves, essa é uma oportunidade de poder ajudar todos os membros da família. “Somos em 10 pessoas, fora meus netos. Com a cesta básica, todos serão ajudados também”, destaca.

Sobre o ST Gralha Azul
As obras do ST Gralha Azul passarão por 27 municípios do Centro-Sul e Centro-Oriental paranaense, movimentando cerca de cinco mil vagas de emprego ainda em 2020, para implementar mais de 1.000 quilômetros de linhas de transmissão no estado e 2.200 torres. As obras do Sistema de Transmissão Gralha Azul, da ENGIE, estão em execução no Paraná desde o mês de setembro de 2019. O projeto, que tem o investimento de R$ 2 bilhões, contempla a construção de cinco novas subestações de energia, cinco ampliações de subestações já existentes e quinze linhas de transmissão. O projeto deverá ser concluído em 2021, com a operação escalonada prevista para iniciar em julho.

Importações realizadas pelo Paraná ganham incentivo do governo

Diretor da ES Logistics acredita que mais de 300 empresas paranaenses realizam suas importações por outros estados

O programa Paraná Competitivo trouxe benefícios fiscais para as importações realizadas pelo estado, segundo o decreto nº 6.434/2017. Em abril, o governo estadual publicou atualizações do decreto e ampliou a abrangência dos benefícios para outras empresas. “Com números mais competitivos, acreditamos que muitas companhias que usavam portos e aeroportos de outros estados, como Santa Catarina e Espírito Santo, por exemplo, voltem a fazer suas importações pelo Paraná”, afirma o diretor da ES Logistics, Fabiano Ardigó.

O decreto também cria tratamento tributário diferenciado para as empresas que operam pelos portos e aeroportos paranaenses, concedendo o crédito presumido nas operações de saídas dos produtos. “Entramos no início de um novo ciclo econômico, com uma legislação muito mais simples e atrativa. O Paraná espera aumentar o volume de importação, com melhores condições para nossas empresas e maior arrecadação para o estado”, comemora Ardigó.

Com o novo benefício para as importações feitas pelo Paraná, a ES Logistcs, atualmente posicionada como quinto maior agente de carga da região Sul, já registra o interesse de empresas de voltarem a importar pelo nosso estado. “Estamos informando e incentivando empresas que levaram suas importações para outros estados para voltarem operarem pelo Paraná. O enquadramento é simples e os custos logísticos ficam bem mais atrativos. Nós temos o segundo maior porto do Brasil, e estados vizinhos ainda recebem um maior volume de containers”, afirma.

O diretor da ES Logistics acredita que hoje mais de 300 empresas paranaenses estão importando pelos estados vizinhos, em torno de R$5 bilhões de reais em mercadorias, que pagam impostos para outros estados. “Com o novo incentivo, o Paraná garante que a arrecadação de impostos fique aqui, e consequentemente, gere mais investimentos dentro do nosso estado”, afirma.

O programa Paraná Competitivo ainda contempla uma série de medidas, como o crédito presumido, incentivos para melhoria da infraestrutura, comércio exterior, desburocratização e de capacitação profissional, com objetivo de tornar o estado mais atrativo para novos empreendimentos produtivos que gerem emprego, renda, riqueza e desenvolvimento sustentável.

Sobre a ES Logistics:

Há 19 anos no mercado, a ES Logistics possui hoje um dos maiores portfólios de transporte de cargas do Brasil e é especialista em afretamentos marítimos e aéreos, transporte de parques fabris completos, e a movimentação de cargas superpesadas. A empresa possui nove filiais localizadas nos Estados de São Paulo, Santa Catarina, Paraná e Espírito Santo e mantém a certificação ISO 9001 atualizada desde 2015.

Sistema de Transmissão Gralha Azul conclui a instalação da primeira torre no Paraná

O projeto contempla mais de duas mil torres que serão implementadas em 27 municípios do Estado

Curitiba, julho de 2020 – Foi concluída, na última semana, a montagem da primeira torre do Sistema de Transmissão Gralha Azul. A instalação, no trecho Ivaiporã-Ponta Grossa, marca o início de uma nova etapa das obras de implantação do projeto, que tem como objetivo melhorar a qualidade do fornecimento de energia na região Centro-Sul do Paraná.
Com aproximadamente mil quilômetros de extensão de linhas de transmissão e 2,2 mil torres, as obras do ST Gralha Azul passarão por 27 municípios paranaenses, movimentando cerca de cinco mil vagas de emprego ainda em 2020. Em execução pela ENGIE desde setembro de 2019, o projeto tem investimento de R$ 2 bilhões e contempla, além de 15 linhas de transmissão, a construção de cinco novas subestações de energia e cinco ampliações de subestações já existentes. A previsão é que o Sistema seja concluído em 2021, com a operação escalonada iniciando no mês de julho.
“Esse projeto contribui para o desenvolvimento local, com um reforço de suprimento de energia. As empresas da região precisam desse reforço para seus negócios. Isso gera empregos, renda, desenvolvimento, de forma sustentável. Para implementar um projeto desse porte, precisamos ter mais de 200 licenças, como as ambientais e de proteção cultural”, destaca Márcio Daian Neves, diretor de implementação do ST Gralha Azul. Ele ressalta que o projeto contempla a identificação, proteção e conservação do patrimônio arqueológico, além de incentivos à pesquisa científica nas regiões interceptadas pelas obras. “Esse projeto – considerado de utilidade pública – vem sendo desenvolvido em total conformidade com a legislação ambiental vigente, acompanhado do diálogo contínuo com as comunidades locais”, afirma.
Presente no Paraná e no Brasil desde 1998, a ENGIE tem no respeito ao meio ambiente um valor fundamental, que, junto à responsabilidade social, orienta todos os seus projetos, como o Sistema de Transmissão Gralha Azul. “A Companhia opera usinas hidrelétricas que integram a história do Paraná, contribuindo para o desenvolvimento socioeconômico do Estado e também para a conservação dos recursos naturais nas regiões onde estão inseridas. O Sistema de Transmissão Gralha Azul se soma, agora, a essa contribuição”, completa.

Centro de Oncologia do Paraná lança campanha “Faça a Diferença”

Colaboradores criaram vídeo para arrecadar doações e ajudar famílias em situação de vulnerabilidade social

O Centro de Oncologia do Paraná lançou a campanha “Faça a Diferença”. O objetivo é ajudar as famílias de Curitiba que estão em situação de vulnerabilidade social com alimentos não perecíveis, agasalhos e produtos de higiene. A iniciativa estará ativa durante os meses de julho e agosto.
Colaboradores da clínica se mobilizaram e produziram um vídeo para chamar atenção da comunidade sobre a importância da ação, principalmente neste momento de crise econômica causada pela pandemia da Covid-19.
A mobilização tem dado certo. Em menos de 15 dias já foram arrecadados mais de 200 quilos de alimentos e 100 peças de roupas. As doações estão vindo de pacientes, familiares e mesmo dos colaboradores da clínica, que fazem uma disputa saudável para ver quem leva mais donativos.
As doações estão sendo recebidas nas três unidades do Centro de Oncologia do Paraná: Saldanha Marinho, Oncoville e São José dos Pinhais, durante o horário normal de funcionamento.

Serviço
Campanha “Faça a Diferença”
Local: Centro de Oncologia do Paraná
- Unidade Oncoville
Endereço: BR 277, 1437, Ecoville - 2º Andar – Curitiba
Horário: de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h30.

- Unidade Saldanha Marinho
Endereço: Rua Saldanha Marinho, 2167 - Bigorrilho - Curitiba
Horário: de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h30.

- Unidade São José dos Pinhais
Endereço: Rua Alcídio Vianna, 916 - Centro - São José dos Pinhais - PR-
10º andar. Edifício The One
Horário: de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 18h.

Amanhã: Live solidária com Ricardo Amorim, Clóvis Arns e diretores imobiliários

Irão debater cenário atual e ajudar diretamente no combate à pandemia

O movimento W/Move, da W/Investments e parceiros, irá contribuir com o projeto 'O amor Contagia', que beneficia hospitais, lares e asilos paranaenses

No dia 28 de julho (terça-feira), às 19h, o economista Ricardo Amorim se unirá ao presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia, Clóvis Arns da Cunha, e aos diretores da W/Investiments, GT Building, Laguna e AG7 em uma live nas redes sociais. O encontro tem o objetivo de discutir como a pandemia está impactando o mercado imobiliário, e também anunciar o projeto W/MOVE, que une as empresas citadas em prol de uma nobre atitude: beneficiar financeiramente hospitais, lares e asilos paranaenses por meio da campanha O Amor Contagia.

Rodrigo Mendes de Camargo, sócio-diretor da W/Investments e um dos idealizadores da W/Move, afirma que o movimento foi criado com a intenção de unir forças para contribuir com a sociedade pelos vieses da saúde e da economia. “Por conta da pandemia, muitas pessoas estão considerando que esses setores estão em lados opostos ou anulam um ao outro. No entanto, queremos mostrar que é possível existir um equilíbrio por meio de atitudes responsáveis e verdadeira contribuição social. Queremos estimular a economia, ajudar a saúde e contagiar o amor”, reflete.

A contribuição a qual Camargo se refere está diretamente ligada às empresas que fazem parte do projeto, que são: GT Building, Laguna e AG7. As incorporadoras imobiliárias se uniram ao W/MOVE e, por conta disso, irão doar parte dos valores das vendas de imóveis de todos os empreendimentos até o final de 2020 para o projeto O Amor Contagia. A W/Investments também irá doar uma porcentagem do faturamento. Durante a live, os espectadores também poderão fazer a sua parte.

O CEO da GT Building, Geninho Thomé, ressalta a importância da construção civil em toda a esfera econômica e aponta para a relevância de empresas de grande porte desse setor agirem em favor da sociedade. “A construção civil é uma área fundamental em âmbito econômico e social, pois é responsável pela geração de diversos empregos diretos e indiretos e, consequentemente, pelo mantimento de milhares de famílias. O impacto que o novo coronavírus vem causando é inegável, porém, o mercado imobiliário é uma potência que tem tido reflexos menos severos, o que comprova a força do setor”, reforça.

Thomé propõe que, nesse sentido, o movimento W/MOVE vem para demonstrar que é preciso movimentação, pró-atividade e comprometimento para contribuir efetivamente com a sociedade. “É com essa união de forças que conseguiremos promover, por meio da construção civil, o desenvolvimento de ações de saúde para conter a pandemia e estimular uma atuação mais justa e voltada àqueles que realmente precisam”, conclui.

Boas ações

Desde o início da pandemia, empresas de diversos segmentos têm doado bens materiais e financeiros para ajudar a conter as dificuldades que hospitais e projetos sociais estão enfrentando. A GT Building beneficiou a Santa Casa de Misericórdia de Curitiba com 200 mil reais que foram revertidos para a compra de novos respiradores e monitores. A AG7, por sua vez, está promovendo lives com vários especialistas para oferecer conhecimento e conteúdo durante o isolamento social.

De acordo com o site Monitor de Doações, que contabiliza semanalmente a quantidade de empresas e a valoração doada desde o início da pandemia no Brasil, mais de seis bilhões de reais beneficiaram diversas instituições por meio de mais de 400 mil empresas ou doadores individuais.

Serviço

Live Ricardo Amorim, Clóvis Arns Cunha e integrantes W/MOVE

Data: 28 de julho, terça-feira

Horário: 19h

Canal: YouTube da W/Investments, Facebook da W/Investments ou Instagram da W/Investments

Para saber mais e doar: W/MOVE

Para saber mais e doar: O Amor Contagia

Sobre a GT Building

A partir de um conceito inovador, aliado à tecnologia, modernidade, qualidade e diferentes projetos de vida, a GT Building faz parte do grupo GT Company, que desde 2017 empreende no setor imobiliário em Curitiba por meio da GT Invest. Com foco na construção de alta qualidade e na excleência por meio de ideias inovadoras guiadas pelas mãos dos líderes, a incorporadora chega como uma das maiores empresas do ramo no Paraná, com 20 empreendimentos em diferentes fases, entre eles o Denmark, Bosco Centrale, o Maison Alto da Glória e o Fly Top Life, em Londrina. Para saber mais, acesse: www.gtbuilding.com.br

Cerca de 400 mil mudas foram plantadas ou doadas pela Engie no último ano

Cerca de 400 mil mudas foram plantadas ou doadas pela Engie no último ano
Só no Paraná foram produzidas e disponibilizadas 50 mil mudas

Curitiba, julho de 2020 – Uma das principais ações ambientais da ENGIE tem apresentado resultados relevantes não apenas para as localidades onde a Companhia está presente, mas também para a preservação de matas e florestas pelo Brasil. Somando as iniciativas desenvolvidas em diversos estados, cerca de 400 mil mudas de espécies nativas foram plantadas ou doadas somente no último ano – no Paraná, no mesmo período, foram cerca de 50 mil. “Essa ação reitera o compromisso da Companhia com a conservação da biodiversidade, refletido nas diversas iniciativas ambientais que a Companhia desenvolve nas diferentes regiões onde atua, entre elas o Paraná”, comenta Marcio Neves, diretor de Implantação do Gralha Azul Transmissão de Energia, que está sendo desenvolvido em 27 municípios paranaenses.
Presente no estado desde 1998, a Companhia opera também as Usinas Hidrelétricas Salto Santiago e Salto Osório, que integram a história paranaense, contribuindo para o desenvolvimento socioeconômico e para a conservação dos recursos naturais. Como exemplos dessa contribuição, destaca-se o plantio de 785 mil mudas no entorno dos nos reservatórios dessas usinas desde 2006. Outra iniciativa de destaque é o Programa de Conservação de Nascentes, desenvolvido com a participação de comunidades rurais, que já preservou cerca de 1.250 nascentes, envolvendo aproximadamente 1.350 famílias.
Nesse contexto também se insere o Sistema de Transmissão Gralha Azul, em implantação Estado do Paraná. “Essa obra segue os preceitos de sustentabilidade exercidos pela Companhia. Entre os 17 programas socioambientais que acompanham as obras de implantação do Sistema, há iniciativas dedicadas à conservação de espécies nativas da flora, tais como o resgate de sementes, o transplante de bromélias e orquídeas, a reposição florestal e a recuperação de áreas degradadas. São ações que se integram a outras práticas de conservação dos recursos naturais, a exemplo de monitoramento e resgate de fauna e educação ambiental”, destaca Marcio.
Para além do Paraná, as iniciativas se estendem a outros 20 estados do Brasil, onde a Companhia mantém sete viveiros, que cooperam para a manutenção dos biomas das regiões onde estão inseridos, por meio da criação de mudas de espécies nativas, doação às comunidades e ações de plantio. Além de contribuir para a conservação da biodiversidade, essa ação tem caráter de conscientização das futuras gerações, pois parte das doações são realizadas em eventos promovidos em escolas e outros ambientes comunitários.
Somam-se à essas ações os investimentos Parques e Unidades de Conservação (UC) em diversas regiões do país. Ao todo, já foram aplicados cerca de R$ 70 milhões na implantação e construção de parques e no apoio à UCs dos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Endeavor seleciona Lojacorr em programa de aceleração

WhatsApp Image 2020-07-14 at 11.40.58.jpeg

Rede passa a fazer parte da comunidade de empreendedores de alto crescimento do Paraná

CURITIBA, JULHO DE 2020 – LIDE MULTIMÍDIA - A Rede Lojacorr, maior rede de corretoras de seguros independentes do País, foi uma das scale-ups selecionadas pela Endeavor, maior organização de apoio a empreendedores de alto impacto do mundo, para participar do programa de aceleração Scale-Up Endeavor Paraná.

Para o presidente da Rede Lojacorr, Diogo Arndt Silva, a aprovação vem em ótima oportunidade para a Rede, que mesmo durante a crise econômica e social do Brasil vem mostrando potencial de crescimento, já que apresenta aumento na produção de 27,7% e a conquista de 103 novas corretoras para o ecossistema no período, além de também pensar em possibilidades de perenidade para as corretoras que fazem parte da Rede.

“Para nós será uma grande honra participar do Programa Scale Up Endeavor. Fomos selecionados num processo rigoroso, que leva em consideração o potencial de crescimento da empresa e a capacidade de entregar resultado dos empreendedores. Será uma grande oportunidade de trocarmos melhores práticas com empreendedores de alto impacto de diversos segmentos, que tocam negócios de crescimento potencialmente exponenciais. Também teremos a oportunidade de aprender ainda mais com mentores da Endeavor, que atravessaram por desafios semelhantes aos que estamos atravessando. Com certeza será uma grande e enriquecedora experiência”, salienta o gestor.

A Endeavor é uma organização global sem fins lucrativos, presente há 20 anos no Brasil, que visa acelerar empreendedoras que aceleram o crescimento no Brasil, além de mobilizar o poder público para pavimentar um ambiente de negócios mais favorável para as scale-ups. São operações ativas em 8 estados, mais de 100 empreendedores Endeavor apoiados ativamente, liderando mais de 53 empresas, que geram cerca de R$ 4 bilhões em faturamento e 36 mil empregos. São cerca de 200 empreendedores apoiados anualmente nos programas de aceleração Scale-Up Endeavor e mais de 300 mil empreendedores capacitados por meio dos conteúdos do Portal Endeavor.

Foto: Os sócios-fundadores da Rede Lojacorr André Duarte (Diretor Financeiro), Sandro Ribeiro dos Santos (Diretor de Tecnologia) e Diogo Arndt Silva (presidente).

Sobre a Rede Lojacorr: A Lojacorr é a maior Rede de Corretoras de Seguros Independentes do Brasil. Por meio do seu modelo de negócios disruptivo, realiza a intermediação entre corretoras de seguros e as seguradoras, disponibilizando suporte operacional, comercial e estratégico. Fundada em 1996, a empresa se dedica para oferecer as melhores soluções em distribuição de seguros e produtos financeiros às corretoras e clientes. Presente em 22 estados e no Distrito Federal, por meio de 55 Unidades de Negócios, as 360 mil apólices ativas, foram comercializadas por 3.330 profissionais de seguros, que atuam em mais de 3600 municípios. Tendo como sede administrativa, Curitiba (PR) e sede comercial em São Paulo (SP), a Rede Lojacorr conta também com 220 colaboradores. A Rede Lojacorr está entre as empresas emergentes do Sul e é certificada pelo Great Place to Work.

Equipe Chef´s da Estrada leva carinho e refeições a cabines dos caminhoneiros no Porto de Paranaguá/PR nesta terça

Projeto com o chef Marcos Baldassari, participante do MasterChef Brasil, serve refeições em 27 paradas no Sul e Sudeste aos caminhoneiros que trabalham incansavelmente para abastecer o país durante a pandemia. Nesta terça,21, chega ao Paraná

Informações: www.chefsdaestrada.com.br

Aurora 12.jpg
Crédito da foto: Letícia do Prado

IMG_20200713_141856.jpg
Crédito da foto: Celso Volpon

O projeto social Chef´s da Estrada chega ao Porto de Paranaguá nesta terça-feira, dia 21 de julho, para servir refeições nas cabines dos caminhoneiros e prestar serviços de desinfecção e distribuição de máscaras e álcool em gel 70% a estes profissionais que trabalham incansavelmente na pandemia para abastecer o país.

"O Porto de Paranaguá é estratégico para o transporte brasileiro com enorme quantidade de tráfego de caminhões, são mais de 10,4 mil toneladas de carga movimentadas por cada metro de cais, por isso escolhemos o local para esta ação solidária”, afirma Walter Cavalheiro Filho, idealizador do projeto que tem parceiros da iniciativa privada como Aurora, Truckvan e Desinfecta Express.

Ao todo, o projeto percorrerá 27 pontos de concentração e paradas de caminhoneiros nas regiões Sul e Sudeste do país durante os meses de julho e agosto deste ano, servindo cerca de 50 refeições por parada no horário do almoço, das 11h30 às 14h.

O projeto já passou pelas cidades de Chapecó, Itajaí, Nova Santa Rita, Osório e Tubarão e agora segue para o Paraná.

Além das refeições preparadas pelo chef Marcos Baldassari, ex-participante do MasterChef Brasil, e sua equipe, também são realizadas a desinfecção das cabines dos veículos, distribuição de máscaras, álcool em gel 70% e orientação sobre prevenção do Covid-19 e preservação da saúde.

A iniciativa passará por sete cidades no estado de São Paulo: pela capital, Guarulhos, São Bernardo do Campo, Santos, Pariquera-Açu, Arujá e Campinas. Em Minas Gerais, as paradas acontecerão em Muriaé, Governador Valadares, Belo Horizonte, Pouso Alegre, Oliveira e Extrema. O projeto também seguirá para a cidade do Rio de Janeiro.

O chef Marcos Baldassari, apaixonado pela gastronomia desde a infância e proprietário de uma hamburgueria (MB Burger) e de uma empresa especializada em serviço de buffet, conta como foi a escolha dos pratos: “A inspiração veio das comidas típicas brasileiras, que remetem à casa e ao lar, pois a carga horária destes profissionais é intensa e eles precisam de energia para a jornada diária. Sentiremos na pele o que é estar todo dia na estrada, assim como os caminhoneiros, e a nossa dedicação será grande para servir uma comida de excelência a esses guerreiros”, comenta Baldassari.

"Essa é uma união para ganharmos mais força e a Aurora Alimentos como cooperativa entende bem como é isso. Apoiar quem precisa, ajudar a garantir mais segurança e homenagear o trabalho desses profissionais que não pararam e continuam trabalhando firmemente na estrada, para garantir o abastecimento de milhões de famílias brasileiras. Ficamos honrados em poder contribuir com esse projeto", afirma o diretor Leomar Luiz Somensi.

Alcides Braga, presidente da Truckvan, fornecedora do Food Truck Chef´s da Estrada, ressalta a importância de fazer parte deste projeto de valorização aos caminhoneiros. “Profissionais tão essenciais para economia do nosso país e que estão se mostrando grandes guerreiros neste momento de pandemia”.

A ação de desinfecção vai levar mais segurança aos caminhoneiros, o trabalho será desenvolvido pela Desinfecta Express, empresa que nasceu para proteger as pessoas dentro deste período difícil da pandemia. “Nada mais justo que a Desinfecta Express levar aos profissionais da estrada uma atividade de proteção às cabines de seus caminhões. Afinal eles nos protegeram do desabastecimento, e agora é nossa vez de retribuir com muito carinho a eles, grandes profissionais da estrada”, afirma Soraia Carrasco, representante de vendas da Desinfecta Express.

A estrutura do projeto é formada por food truck para base da cozinha do chef, trailer dormitório para a equipe, veículo contendo materiais de prevenção à saúde que serão distribuídos, e pelos profissionais (chef e assistente de cozinha, produtor e assistente de produção e prestadores de serviço de desinfecção dos caminhões).

Serviço do Chef´s da Estrada – Paradas

Horário: 11h30 às 14h

Datas e Locais

08.07 | CHAPECÓ/SC
Local: Fábrica Aurora

10.07 | ITAJAÍ/SC
Local: CDL Aurora

11.07 | ITAJAÍ/SC
Local: Posto Santa Rosa

15.07 | PORTO ALEGRE/RS
Local: CDL Aurora

16.07 | Osório/RS
Local: Posto Buffon

17.07 | TUBARÃO/SC
Local: Posto Cidade Azul
Rodovia BR 101, Km 337, Bairro Morrotes

21.07 | PARANAGUÁ/PR
Local: Porto de Paranaguá – Pátio de Triagem
Endereço: Av. Sen. Atílio Fontana, 2747-2949 - Parque São João, Paranaguá – PR

22.07 | SÃO JOSÉ DOS PINHAIS/PR
Local: CDL Aurora

23.07 | CAMPINA GRANDE SUL/PR

24.07 | PARIQUERA-AÇU/SP

25.07 | GUARULHOS/SP
Local: Truckvan

28.07 | SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP

30.07 | SÃO PAULO/SP
Parada 1

31.07 | SÃO PAULO/SP
Parada 2

03.08 | SANTOS/SP

04.08 | GUARULHOS/SP

06.08 | RIO DE JANEIRO/RJ
Local: CDL Aurora

07.08 | MURIAÉ/MG

10.08 | GOVERNADOR VALADARES/MG

12.08 | BELO HORIZONTE/MG
Local: CDL Aurora

13.08 | BELO HORIZONTE/MG

14.08 | OLIVEIRA/MG

15.08 | POUSO ALEGRE/MG

17.08 | EXTREMA/MG

18.08 | ARUJÁ/SP
Local: CDL Aurora

19.08 | CAMPINAS/SP
Local: Concessionária Sambaíba Mercedes-Benz

Informações: https://www.chefsdaestrada.com.br/

LIDE Talks reúne especialistas para discutir as novas fontes de energia de baixa emissão de gases de efeito estufa

Tema é essencial para alertar a sociedade em relação a uma nova forma de pensar na sustentabilidade aliada ao desenvolvimento econômico

No mundo todo, são discutidos temas que podem contribuir efetivamente para a redução da emissão de gases de efeito estufa no planeta. Neste cenário, o gás natural ganha destaque, por ser um combustível que apresenta uma menor emissão de poluentes quando comparado a outros de origem fóssil e por suas características competitivas para o desenvolvimento industrial.

Na próxima terça-feira (21), LIDE Paraná reunirá especialistas para debater o assunto com o intuito de alertar a sociedade para uma nova forma de pensar na sustentabilidade aliada ao desenvolvimento . O LIDE TALKS receberá Rafael Lamastra, Presidente da Compagás e vice-presidente do Conselho de Administração da Abegás (Associação Brasileira de Gás Canalizado), Alessandro Gardemann, Presidente da Abiogás (Associação Brasileira de Biogás) e Cassio Silva – Diretor de Desenvolvimento de Negócios da Copel.

O objetivo é compartilhar experiências e informações sobre como o uso de combustíveis que apresentam baixa emissão pode contribuir de forma significativa para a economia da indústria e ainda trazer ganhos importantes ao meio ambiente.

"O gás natural é um insumo que contribui para o desenvolvimento e a nossa expectativa é de crescimento no uso deste combustível e da sua participação na matriz energética, tanto em cenário nacional quanto estadual", declara Rafael Lamastra, Presidente da Compagás e vice-presidente do Conselho de Administração da Abegás.

Segundo Lamastra, a abertura de mercado proposta pelo Governo Federal está estimulando a entrada de novos players do segmento e com isso será possível ter uma maior competitividade nos preços praticados, o que beneficiará todos os consumidores. O processo deve contribuir também para a aceleração da expansão da rede canalizada e para o desenvolvimento de aplicações do uso do gás – como geração de energia elétrica, usos industriais, veículos leves e pesados e também nas residências.

No entanto, o país ainda carece de uma infraestrutura de transporte maior e que dê suporte ao crescimento do consumo. "Penso que isso é algo que tem que começar a trabalhar agora para se resolver daqui a alguns anos – é necessário investimento e suporte legal para permitir a ampliação da infraestrutura de distribuição, buscando a interiorização."

Com relação aos impactos da pandemia, de março até aqui, a Compagás, chegou a perder 30% do volume distribuído, mas a indústria já mostra sua recuperação e a curva de consumo começa a mostrar uma retomada e estabilização. Diferente de outros Estados, no Paraná a redução demorou algumas semanas para acontecer e, em consequência, demorará um pouco mais de tempo para se normalizar. "No entanto, acreditamos que parte deste volume pode não ser recuperado ou que essa recuperação aconteça de forma mais espaçada – reflexo dos efeitos negativos que a pandemia vai deixar como herança para a nossa Economia."

A missão do LIDE (Grupo de Líderes Empresariais) é fomentar a livre iniciativa e a presidente da entidade no Paraná, Heloisa Garrett, comenta que promover esta discurso neste momento é importante para nos prepararmos para a retomada e para um novo momento da indústria. "Estamos repensando novas formas de produção, e a energia é um dos fatores cruciais que também precisamos discutir, interfere diretamente na competitividade e no meio ambiente", destaca.

Para ampliar o debate, o webinar promovido pelo LIDE será aberto ao público por meio da plataforma zoom. O acesso será pelo link: https://bit.ly/omercadodogas

Um novo olhar contra a violência

No Dia do Homem, LIDE Mulher PR lança projeto de conscientização contra a agressão às mulheres e cuidado às vítimas

Além da pandemia do Covid-19, as mulheres também estão enfrentando uma batalha que está invisível aos olhos de muitos, a cada 4 minutos uma mulher é agredida no Brasil. E neste dia 15 de julho, quando se comemora o Dia do Homem, o LIDE Mulher Paraná, dá início a uma campanha de mobilização para a conscientização ao tema, lançando o projeto "Um novo olhar".

"Muito se fala sobre o Dia da Mulher, e resolvemos dar início a este movimento no Dia do Homem, valorizando os homens que respeitam às mulheres, a sua mulher e a dos outros" destaca a presidente do LIDE Paraná, Heloisa Garrett.

A pandemia agravou as situações de conflito, aumentando a pressão social, psicológica, medo e insegurança, muitos homens estão cumprindo seu papel de masculinidade tóxica e, potencializado por questões econômicas, estão aumentando os casos de violência. "A convivência nos lares está se tornando mais intensa e as pessoas estão vivendo um turbilhão de emoções, e muitas vezes o lugar de aconchego e cuidado que é o lar, acaba se tornando uma prisão com seu próprio agressor". destaca a médica cirurgiã especialista em dermatologia Carla Góes, que idealizou o projeto Um novo Olhar, que tem como objetivo resgatar mulheres que foram vítimas de agressões. Além da reconstrução facial, necessária em muitos casos de agressões graves, o projeto visa romper ciclo da violência.

A presidente do LIDE Paraná, conta que o objetivo de trazer o projeto "Um novo olhar" para o estado é para ampliar a conscientização sobre a rede de proteção e cuidado às mulheres. "Além da rede de apoio legal, o cuidado que a Dra Carla possibilita no resgate à autoestima dessas mulheres, o retorno delas no mercado de trabalho e ao convívio social e essencial para que elas retomem suas atividades e possam recomeçar". Dentro do LIDE Mulher, as filiadas da entidade serão convidadas a se envolver em uma série de iniciativas visando o fortalecimento da rede de proteção, cuidado, amparo e reinserção das vítimas no mercado de trabalho.

Além de aumentar a tensão no ambiente familiar, a quarentena também tem dificultado o pedido de ajuda das vítimas que muitas vezes são vigiadas pelo agressor. Por isso a importância de ampliar a discussão e os pontos de contato da vítima com os canais que ela possa pedir ajuda, independente da sua classe social.

Violência no Paraná

De acordo com dados publicados pelo 13º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, publicado em 2019, com números de 2018 - um caso de violência contra mulher ocorre a cada 24 minutos no Paraná. Fato que certamente se intensificou durante a quarentena, mas sem dados oficiais e com a subnotificação, a rede que atua no enfrentamento à violência contra a mulher atua no escuro. Um levantamento feito pelo Portal Catarinas mostrou que a cada 1 hora, 15 mulheres denunciaram terem sofrido algum tipo de violência no Paraná no período de isolamento social.

Rede Nacional de Proteção

O projeto Um novo Olhar de Carla Góes também faz parte da Rede as Justiceiras, idealizada pela promotora Gabriela Mansur que já conta com 3.000 profissionais voluntárias entre advogadas, assistentes sociais e psicólogas que atendem durante a quarentena mulheres vítimas de violência em todo o Brasil, oferecendo apoio e orientação gratuíto e online por meio do whatsapp (11) 99639-1212.

"Atendi a vítima de número 1.000 do Justiceiras e isso me fez pensar em levar o Um novo Olhar para outros estados, e nossa primeira primeira prisão em flagrante aconteceu no Paraná. Acredito que a força de mobilização do LIDE no estado será muito importante para conscientizarmos a comunidade empresarial e as lideranças desse assunto latente e que merece tanta atenção", destaca Dra. Carla que é a líder médica nacional da Rede Justiceiras.

Na última semana a Câmara dos Deputados aprovou um projeto de lei que estabelece medidas de combate à violência doméstica durante o estado de emergência de saúde pública provocado pela pandemia. O texto visa assegurar a continuidade do atendimento das mulheres vítimas de violência domésticas em meio à pandemia.

Sistema de Transmissão Gralha Azul movimentará 5 mil vagas de emprego

Vagas de trabalho serão distribuídas entre municípios que receberão as obras

Curitiba, julho de 2020 - As obras do Sistema de Transmissão Gralha Azul, da Engie, estão em execução no Paraná desde o mês de setembro de 2019. Com investimento de R$ 2 bilhões, o projeto irá movimentar cinco mil vagas de emprego quando no pico de execução, ainda em 2020. Ao todo, são cinco novas subestações, cinco ampliações de subestações e quinze linhas de transmissão, o Sistema deverá estar concluído em 2021, com a operação escalonada prevista para iniciar em julho.
Com aproximadamente 1.000 km de extensão, o ST Gralha Azul passará por 27 municípios do Centro-Sul e Centro-Oriental paranaense, sendo sua maior parte na região dos Campos Gerais. Em Ponta Grossa, por exemplo, na região da Colônia Moema, entre o rio Tibagi e a estrada de terra que liga a Estrada José Kalinoski e a BR-373, está sendo construída a maior subestação do Gralha Azul, a Subestação Ponta Grossa, que receberá um investimento de aproximadamente R$ 200 milhões para sua construção. Em um terreno de quase 230 mil m², será implantado o pátio da subestação (SE), com aproximadamente 62 mil m². Essas dimensões são necessárias porque a SE Ponta Grossa será constituída por dois setores, um em 525 kV e outro em 230 kV. “Essa é uma subestação muito grande e por dar condição de escoamento a todas as demais linhas de transmissão foi a primeira a ser iniciada. As obras civis da subestação Ponta Grossa seguem em ritmo acelerado em 2020, sendo que no segundo semestre deve ser iniciada a montagem eletromecânica dos equipamentos”, informa Márcio Daian Neves, diretor de implementação do Sistema de Transmissão Gralha Azul.
Somente no município de Ponta Grossa, são mais de mil colaboradores trabalhando no momento – na implantação das linhas de transmissão e da subestação. As obras estão sendo realizadas pela construtora Tabocas, empresa especializada na construção de linhas de transmissão, e no caso das subestações, também contam com a atuação da Siemens, multinacional com grande expertise no setor elétrico. “O projeto prevê que no pico das obras teremos em torno de 5 mil trabalhadores, diretos e indiretos, distribuídos em diferentes frentes de serviços”, destaca Marcio Neves.

Vagas de trabalho serão ‘pulverizadas’ junto aos municípios que receberão as obras
As vagas estão sendo geradas de forma gradativa e ‘pulverizadas’ junto aos municípios que receberão as obras. Hoje temos mais de 2.800 trabalhadores atuando, e esse número deve crescer com o aumento do volume das obras ao longo do ano”, destaca o diretor.
As vagas de trabalho estão sendo ofertadas por agências e o processo de contratação vem sendo feito pela empresa construtora, a Tabocas. A empresa geralmente aproveita os bancos de currículos do SINE e Agências do Trabalhado locais. “A construtora está consolidando as parcerias com as agências de intermediação de mão-de-obra locais desde o início de janeiro, fazendo ampla divulgação pelos quais os candidatos podem acessar as vagas”, relata.
Quanto à qualificação dos profissionais demandados, no primeiro semestre as contratações focaram em trabalhadores da construção civil. “Já para o segundo semestre, quando se iniciam as atividades de montagem eletromecânica das linhas de transmissão e subestações elétricas, devem iniciar as contratações de eletrotécnicos e montadores, vagas que requerem um pouco mais de conhecimentos específicos”, afirma Neves.

Aumenta a necessidade de energia no Estado do Paraná

O Sistema de Transmissão Gralha Azul vem ao encontro da necessidade crescente de energia no Estado do Paraná. “O objetivo do projeto é melhorar a oferta e a qualidade de energia para o Centro-Sul do estado, principalmente. O projeto é oriundo de um estudo da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), liderado pela ANEEL, que estuda carências energéticas. Realizado em 2016, esse estudo mostra que aqui existe uma lacuna no sistema local de transmissão que dificulta o escoamento. Por exemplo: toda a geração da usina de Itaipu, atualmente, vai para São Paulo e depois volta para o Paraná. Por isso, o projeto interligará Ponta Grossa à Ivaiporã, trazendo essa energia para a subestação Ponta Grossa, de onde sairão diversas outras linhas de transmissão permitindo maior capilaridade”, explica o diretor.
O estudo da EPE mostrou que já em 2018 o Estado do Paraná enfrentaria uma grande dificuldade energética. Essa carência pode ser percebida, ao longo dos últimos anos, principalmente no setor de agronegócios e industrial, que têm sofrido grandes oscilações. “Com o sistema em operação, além do reforço energético, que trará mais qualidade e maior oferta de energia ao Estado, o ST Gralha azul também oportunizará que aquelas regiões nas quais a oferta de energia era baixa, passem a ter condições de atender às necessidades de indústrias e empreendimentos trazendo, com isso, novos negócios, geração de empregos e desenvolvimento para os municípios”, destaca Neves. “O ST Gralha Azul é sim um grande projeto, um projeto importante e necessário não só para os paranaenses, mas para os brasileiros. Com a demanda energética crescendo – e todos vemos esse impacto diariamente em nossas casas, empresas, escolas, hospitais – é preciso que o sistema de transmissão seja efetivo, seguro e confiável para garantir não só uma energia mais barata para a sociedade, mas, sim, que não falte energia e que as cidades do estado possam se desenvolver”, completa.

Preocupação Ambiental

O Sistema de Transmissão Gralha Azul foi projetado, assim como todos os projetos da Engie, com todo zelo e cuidado na preservação do meio ambiente, que além das matas nativas se preocupou também na salvaguarda das espécies de fauna e flora, bem como a proteção da cultura e história do Paraná.
A preocupação da empresa é causar o menor impacto possível. O respeito ao meio ambiente está entre os compromissos fundamentais da ENGIE, refletido em suas políticas e práticas – o que inclui o desenvolvimento de todos os seus projetos, como o ST Gralha Azul. Por isso, a Companhia conta com dezenas de profissionais, das mais diversas formações, dedicados exclusivamente à área socioambiental, de modo a garantir a conformidade legal das atividades e também a adoção de boas práticas, que ultrapassam o exigido pela legislação, em caráter voluntário.
No caso do Sistema de Transmissão Gralha Azul, por se tratar de um projeto de Utilidade Pública, a ENGIE obteve, junto aos órgãos responsáveis todas as autorizações e licenças ambientais necessárias, as quais permitem a supressão de vegetação que porventura seja necessária para a implantação do Sistema de Transmissão, onde não houver alternativa locacional. Quando necessária, essa atividade é realizada com a devida autorização do órgão ambiental, acompanhada de uma série de cuidados para minimizar o impacto ao meio ambiente, à comunidade e aos proprietários das áreas envolvidas.
Conforme preveem as licenças ambientais concedidas ao ST Gralha Azul, ao longo de toda a implantação do projeto, diversos programas ambientais estão sendo implantados nas regiões de implantação. “Como, por exemplo, o monitoramento de flora, fauna e resgate de germoplasma, resgate e monitoramento arqueológico, gestão ambiental, educação ambiental, programas ambientais que supervisionam a construção, programas de recuperação de áreas degradadas, entre outros, de forma a minimizar, mitigar ou compensar os impactos do projeto”, explica Marcio Neves. O acompanhamento dos trabalhos de recuperação é contínuo, tanto nas áreas a serem recuperadas, quanto nas áreas já em processo de recuperação.
O diretor de implementação do projeto destaca que, adicionalmente, será efetuada compensação ambiental, por meio de desenvolvimento de ação a ser definida pelo órgão licenciador em conformidade com as diretrizes previstas na Lei nº 9.985/2000, que institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC). Além desta, ressalta-se também a execução de compensação ambiental estabelecida pela Lei nº 11.428/2006, denominada Lei da Mata Atlântica, que trata das compensações decorrentes da supressão de vegetação primária ou secundária nos estágios médio ou avançado de regeneração do Bioma Mata Atlântica, bem como a reposição florestal, determinada pela Lei n° 12.651/2012, que institui o Código Florestal
Entre os impactos sociais positivos do Sistema de Transmissão Gralha Azul – para além da contribuição ao desenvolvimento econômico por meio do suprimento de energia – está a geração de oportunidades de emprego nas áreas de construção civil, saúde e segurança do trabalho, ambiental e do terceiro setor, com priorização para a contratação de mão de obra local. “Cabe ressaltar também que empreendimento está sendo realizado com total transparência, principalmente junto às comunidades adjacentes por onde as linhas passam, que desde a fase de estudos puderam esclarecer dúvidas e vêm sendo informadas sobre as etapas de construção, por meio do desenvolvimento dos programas de comunicação social e sensibilização ambiental. Para tanto, foram realizadas audiências e reuniões públicas e implantadas diversos mecanismos de comunicação social, incluindo ouvidorias”, complementa o diretor.

Sobre o empreendimento da Engie no Paraná
Trata-se de uma concessão federal. A Engie venceu o Leilão de Transmissão da Aneel em 2017 e conquistou a concessão. Após, iniciou diversas etapas para obter as licenças ambientais, declarações de utilidade pública e também começou as negociações com diversos proprietários e comunidades. Essa concessão é de 30 anos e começou com a assinatura do contrato em março de 2018. Até o término do projeto, previsto para setembro de 2021, as obras devem gerar aproximadamente 5 mil empregos diretos e indiretos por meio do investimento de aproximadamente R$ 2 bilhões.

Sesc PR lança terceira edição de concurso de cartões postais

Lendas, mitos, personagens históricos e elementos culturais do Paraná são o tema da 3ª edição do Concurso Entre Lendas – uma seleção de ilustrações para compor uma coletânea de cartões postais inéditos – promovido pelo Sesc PR em parceria com a Academia Paranaense de Letras.
Em 2020, a seleção de ilustrações se propõe a incentivar a valorização dos aspectos culturais do Paraná, a despertar nas crianças o senso de pertencimento ao Paraná, por meio de suas lendas, personagens e histórias, e amplia as categorias do concurso. Agora, podem participar estudantes do Sesc, matriculados em algum projeto de educação da instituição no Paraná; trabalhadores do comércio e dependentes com cartão cliente válido, e o público em geral. Outra novidade é a categoria Ilustração Digital, em que o participante pode inscrever uma ilustração feita digitalmente, por meio de softwares.
Para o gerente de Educação do Sesc PR, Adriano Trentin, a proposta do concurso é “resgatar a cultura do Paraná, trabalhar elementos que são históricos, mas também contemporâneos e fortalecer a identidade regional. São várias as histórias que compõem o Paraná e pretendemos contá-las e levá-las ao maior número possível de pessoas, criando um relação de simpatia e de identidade.”
Serão selecionadas 105 ilustrações que serão impressas em cartões postais a serem produzidos pelo Sesc PR. As inscrições estão abertas até o dia 30 de setembro e o edital completo do concurso está disponível no site
https://www.sescpr.com.br/wp-content/uploads/2020/07/Edital-Entre-Lendas-3%C2%BA-Edi%C3%A7ao.pdf

Associação de Assistência ao Excepcional do Paraná lança vaquinha virtual para pedir ajuda em meio à pandemia

Ela irá angariar recursos para a Escola Especial Mercedes Stresser que atende 330 alunos com deficiências. Antes a arrecadação era através de eventos beneficentes que ficaram inviáveis pelo isolamento social.

Ajudar o próximo faz bem. A Associação de Assistência ao Excepcional do Paraná (AAEPR) lança vaquinha virtual para angariar recursos para ajudar neste período difícil de isolamento social a Escola Especial Mercedes Stresser, que atende 330 alunos com deficiências. Antes a arrecadação era realizada através de eventos beneficentes que ficaram praticamente inviáveis pela Covid-19. Além de estar prestando serviços pedagógicos e psicológicos, de forma virtual, a instituição continua desenvolvendo ações para captação e distribuição de cestas básicas às famílias dos alunos mais necessitados que estão precisando de ajuda em meio à pandemia.

O presidente da AAEPR, Antonio Luiz Bom, comenta que a motivação da vaquinha virtual foi em decorrência do isolamento social. “A complementação dos recursos necessários, sempre foi suprida através de eventos beneficentes como almoços, bingos, brechó, rifas, bazar, e outros, que são inviáveis neste momento. Por isso toda contribuição será bem-vinda e já agradeço o apoio de todos.”

Ele reforça ainda a importância da vaquinha para o prosseguimento do trabalho e faz ainda um convite pós-pandemia. “Estamos em busca de parcerias que viabilizem suprir estes recursos, quer seja através da divulgação da “vaquinha virtual” ou através de doações na conta da entidade. Aproveito ainda para fazer o convite para que, em época oportuna, conheçam a nossa entidade e constate a importância do serviço que ela realiza”.

Escola Especial Mercedes Stresser
A Escola Especial Mercedes Stresser foi fundada em 1961, e tem como missão: desenvolver o potencial da pessoa com deficiência intelectual e múltiplas deficiências para a igualdade de oportunidades, inclusão social e o exercício da cidadania. Ela atende atualmente 330 alunos com idades de 15 a 68 anos, dos quais 70% são carentes e recebem, além da educação, alimentação e vestuário. A escola tem o compromisso com a educação especial, em quase 60 anos de história, valorizando a eficiência, atendendo a diversidade e formando cidadãos, tendo conseguido o respeito e a credibilidade da sociedade pela responsabilidade e qualidade do atendimento.

SERVIÇO:
Vaquinha Virtual
Associação de Assistência ao Excepcional do Paraná - AAEPR
Banco do Brasil
Agência 1518-0, Conta 26645-0 – CNPJ: 76.675.552/0001-61.

https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ajuda-a-escola-mercedes-stresser

GRUPO MADERO CUMPRE A MISSÃO DE OFERECER HORTIFRÚTIS ORGÂNICOS EM 100% DOS SEUS RESTAURANTES

Produção na Fazenda Madero comemora dois anos e abastece hoje toda a rede

Toda a produção de hortifrútis orgânicos da Fazenda Madero, iniciada em Janeiro de 2018, é hoje 100% absorvida pelos restaurantes do Grupo, que também continua apoiando outros produtores de orgânicos, para complementar o fornecimento de alface, tomate, brócolis, couve-flor, morango, cenoura, limão, salsinha, cebolinha e alho, para as receitas dos pratos na Cozinha Central.

Localizada em Palmeira, no Paraná, a Fazenda Madero contou com investimentos que ultrapassam R$ 6.5 milhões em infraestrutura, estufas, câmaras refrigeradas, captação de água e irrigação de alta tecnologia, lhe rendendo a certificação do selo ORGÂNICO BRASIL, conferido pelo Instituto de Tecnologia do Paraná - TECPAR, que garante ao consumidor que os alimentos estão dentro dos preceitos e normas nacionais de produção orgânica.

“Cumprimos a promessa de oferecer aos nossos clientes, em todos os nossos restaurantes no Brasil, hortifrútis e temperos orgânicos, que não prejudicam a saúde e não causam danos ao ambiente em seu processo de produção”, comenta o chef e empresário Junior Durski.

De acordo com Durski, entre os processos para a produção orgânica é necessária a descontaminação da terra, bem como fazer barreiras vegetais e com árvores, para impedir a contaminação de plantações vizinhas. E apesar do cultivo orgânico ser em torno de 40% mais caro, o empresário não repassou os novos custos para os clientes; com a missão de atender a demanda crescente do público interessado em ingredientes orgânicos nos restaurantes.

McDonald’s doa mais de mil refeições em seis cidades do Paraná na Campanha McObrigado

Com a meta de chegar a 100 mil doações, empresa aderiu à ação global Thank You Meal e preparou refeições especiais para os profissionais de saúde

Desde o início da pandemia provocada pelo novo coronavírus, o Mcdonald’s, operado pela Arcos Dorados no Brasil, está doando refeições aos profissionais que estão atuando na linha de frente do combate à covid-19, como forma de agradecer ao trabalho que eles têm realizado.

Em junho, no Paraná, em um período de uma semana, os profissionais de saúde de seis cidades foram reconhecidos pela marca e, juntos, receberam mais de mil refeições. Em Curitiba, o Hospital Pequeno Príncipe e o SAMU foram as instituições que receberam combos de Quarterão e acompanhamento. Já na região metropolitana, as entidades foram o Hospital São Lucas, em Campo Largo, e UPA Alto Maracanã, em Colombo. A Santa Casa de Misericórdia de Ponta Grossa também foi agraciada, assim como o Hospital Germano Lauck, em Foz do Iguaçu. Para fechar, as doações foram entregues à equipe que está sediada na Secretaria de Saúde de Cascavel e fazendo a maior parte de atendimento da covid-19 no município.

A ação faz parte da campanha global Thank you Meal, lançada nos Estados Unidos. No Brasil, o nome da campanha foi ajustado para McObrigado. “Trata-se de uma forma de levar, além de comida, solidariedade e mensagens de encorajamento para esses profissionais que têm tido uma atuação incansável e excepcional”, explica Paulo Camargo, presidente da Divisão Brasil da Arcos Dorados. Por aqui, a meta é chegar a 100 mil combos doados, o que equivale a um investimento de cerca de R$ 2,5 milhões de reais.

Até o momento, já foram realizadas mais de 65 mil doações para profissionais de saúde, instituições que atuam no combate à fome, cooperativas e caminhoneiros. Todas têm sido preparadas pelos funcionários da rede, que também estão se mobilizando para colocar recados de agradecimento juntos das refeições. No Paraná, cerca de duas mil refeições já foram doadas nas cidades de Curitiba, São José dos Pinhais, Maringá e Londrina.

Outras medidas da Arcos Dorados

Acreditando na união de forças para que o país possa superar esse momento de crise, o McDonald’s decidiu apoiar micro e pequenas empresas do setor de alimentação no Brasil, abrindo turmas de formação gratuita e online voltadas a profissionais que atuam nesse segmento.

A companhia criou um curso para microempreendedores, que conta com uma grade dividida em três pilares principais: Segurança Alimentar, Higiene e Desenvolvimento Sustentável, áreas em que a companhia é reconhecida internacionalmente por sua excelência. Essas são esferas fundamentais para garantir medidas de prevenção de contaminação por microrganismos, incluindo o novo coronavírus.

Os módulos estão sendo disponibilizados por meio do site https://trilhas.info/ para que os novos interessados possam acompanhar o conteúdo.

Além disso, O McDonald’s abriu vagas gratuitas para o curso de Desenvolvimento Sustentável em Foco, que nos últimos dois anos contou com cerca de dois mil inscritos e aborda uma grade que contempla 12 temas como Compromisso Social, Energia Renovável, Diversidade & Inclusão, Economia Circular, Mudanças Climáticas e Gestão de Resíduos, entre outros. O curso é o maior programa corporativo de educação para o desenvolvimento sustentável do Brasil.

Medidas para segurança de seus colaboradores

Tendo como prioridade proteger a saúde e bem-estar de seus funcionários e clientes, a companhia implementou um comitê focado especialmente em monitorar e agir em torno de diversos assuntos relacionados ao tema. Abaixo as principais ações da marca para garantir a segurança nos restaurantes:

Todos os funcionários passaram a atender com luvas e máscaras nas interações de entrega no balcão, Drive, Quiosques e McCafé. Além disso, todos os pedidos estão sendo entregues já em embalagens para viagem.
No interior dos restaurantes, o chão recebeu a aplicação de adesivos de segurança, formando linhas que delimitam o distanciamento social exigido na aproximação dos entregadores ou de clientes.
Nos caixas do Balcão, Quiosque e McCafé, nas áreas de retirada e nas cabines do Drive-Thru foram implantadas barreiras de acrílico para reduzir o contato.
Aumento na frequência da limpeza dos balcões, equipamentos e portas e no número de dispensers de álcool em gel no salão.
As máquinas de cartão passaram a ser higienizadas após cada uso e os restaurantes estão sugerindo que os clientes do Drive-Thru façam uso de formas de pagamento à distância, como o Sem Parar.
As unidades também oferecem materiais para higienização das bolsas dos profissionais que entregam os pedidos feitos pelo McDelivery. A marca tem estimulado que esses profissionais higienizem as bolsas, lavem as mãos ou façam uso do álcool gel todas as vezes que chegam para retirar um pedido.

Sobre a Arcos Dorados

A Arcos Dorados é a maior franquia independente do McDonald’s do mundo e a maior rede de serviço rápido de alimentação da América Latina e Caribe. A companhia conta com direitos exclusivos de possuir, operar e conceder franquias locais de restaurantes McDonald’s em 20 países e territórios dessas regiões. Atualmente, a rede possui quase 2.300 restaurantes, entre unidades próprias e de seus subfranqueados, que juntos empregam mais de 100.000 funcionários (dados de 31/12/2019). A empresa também mantém um sólido compromisso com o desenvolvimento das comunidades nas quais está presente e com a geração de primeiro emprego formal para jovens, além de utilizar sua escala para impactar de maneira positiva o meio-ambiente. A Arcos Dorados está listada na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE: ARCO). Para saber mais sobre a Companhia por favor visite o nosso site: www.arcosdorados.com.