Maestro Roberto Tibiriçá assume a Orquestra Sinfônica do Paraná em concerto com repertório brasileiro e promete novidades para 2023

O maestro Roberto Tibiriçá assume como diretor musical e regente titular a Orquestra Sinfônica do Paraná (OSP) com repertório brasileiro no próximo domingo (27). No programa estão as icônicas Três Danças e Choro Para Piano, de Mozart Camargo Guarnieri, e as Bachianas nº 8, de Heitor Villa-Lobos, encerrando a temporada de 2022 da Orquestra Sinfônica do Paraná (OSP). O concerto que serve como boas-vindas ao condutor acontece no auditório Bento Munhoz da Rocha Neto (Guairão) às 10h30, com a participação especial da pianista Olga Kopylova. Os ingressos já estão à venda.

“Sou convidado da OSP já há muitos anos e agora me elegeram como regente titular, o que me deixou muito honrado e muito feliz, porque gosto muito dos colegas e sou sempre muito bem recebido”, conta o maestro. “A orquestra cresceu muito e acredito que vamos poder fazer um grande trabalho”, completou Tibiriçá, que já prepara o concerto do próximo domingo, focado na obra de forte caráter modernista de “dois dos maiores compositores brasileiros de música erudita”, para poder “valorizar a nossa cultura brasileira” e homenagear os 100 anos da Semana de Arte Moderna de 1922.

“Poder contar com a experiência do maestro Tibiriçá à frente da nossa orquestra é um presente que o Teatro Guaíra oferece ao público paranaense”, afirma Cleverson Cavalheiro, diretor-presidente do Centro Cultural Teatro Guaíra. “Estamos muito felizes que ele tenha aceitado o convite e ansiosos para poder mostrar ao público tudo o que estamos planejando para a próxima temporada”, finalizou.

Olga Kopylova
A solista convidada pelo Centro Cultural Teatro Guaíra para tocar no concerto deste domingo é bastante íntima da obra. Pianista uzbeque radicada no Brasil desde 2000, Olga Kopylova gravou há pouco uma versão (ouça aqui, no Spotify // https://open.spotify.com/track/1mn3GfQyWqykF9o5pmw34i?si=E__1vn3mQoyisC1gF3BK-g&context=spotify%3Aartist%3A10b6IIxvCkupBJNb1gRW1U&nd=1) dos choros de Camargo Guarnieri regida por Tibiriçá. “Amo esses dois compositores e já toquei e gravei várias músicas deles, justamente por atribuir inestimável valor a ambos”, conta.

“Como eu nunca tinha tocado com a Orquestra Sinfônica do Paraná e essa será a minha primeira vez, estou confiante de que vai ser um concerto muito especial, por se tratar de uma importante orquestra brasileira, com uma tradição de longa data e sinto gratidão por poder estar inserida neste contexto de tocar música brasileira”, afirma Kopylova, que desde 2000 atua como pianista titular da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. Maestro Tibiriçá reforça a expectativa, elogiando a técnica de Olga: “ela é uma pianista refinadíssima, excelente”.

Concerto
Tanto Mozart Camargo Guarnieri quanto Heitor Villa-Lobos são fruto do espírito modernista que tomou o Brasil no contexto da Semana de Arte Moderna de 1922 – o primeiro foi por muitos anos protegido de Mário de Andrade, um dos grandes expoentes do grupo de artistas. Ambos irão, ainda que de formas diferentes, unir o erudito ao popular (com destaque para a incorporação dos ritmos do choro, tocados nas ruas por músicos amadores, às composições para orquestra), buscando inspiração em todo tipo de fonte para criar algo tão original quanto brasileiro.

“É um concerto que representa de uma forma marcante os temas e ritmos com coloração tipicamente brasileira”, comenta Olga Kopylova. Ela completa dizendo que “o gingado e embolado transpassam a composição inteira, do início ao fim, desafiando o intérprete a procurar pelo equilíbrio entre a flexibilidade dos fraseados e dos ritmos e precisão da participação orquestral. O solista precisa achar uma maneira de alcançar a liberdade em cada frase enquanto a orquestra responde com um acompanhamento sólido”.

Temporada 2023
“A nossa grande preocupação é agradar ao público”, crava o maestro Tibiriçá sobre o que está planejando para a temporada de 2023. Ele não entrega tudo, guardando algumas boas surpresas que serão reveladas em momento oportuno, mas já dá para ter uma ideia do que os paranaenses podem esperar para o próximo ano. A perspectiva, revela ele, é um repertório bem eclético, com solistas internacionais e grandes produções.

“Teremos um concerto do dia das Mães que vai ser uma surpresa muito boa para todos os públicos; vai ter um grande concerto de aniversário da OSP, no dia 28 de maio, com coro, orquestra e solistas; depois temos algumas reapresentações, de pequenas óperas no Guairinha; La Traviatta, a ópera mais famosa do repertório lírico, uma grande produção em parceria com a Fundação Clóvis Salgado; e récitas do Balé Quebra-Nozes, do Tchaikovski, junto do Balé Teatro Guaíra”, finaliza o maestro, com uma palhinha de tudo de bom que vem por aí.

Serviço
Concerto da Orquestra Sinfônica do Paraná, com Maestro Roberto Tibiriçá
27 de novembro, 10h30 – Bento Munhoz da Rocha Neto – Guairão.
Tempo de duração do espetáculo: 90 minutos
Classificação etária: 7 anos
Ingressos: Inteira: R$ 20,00 (vinte reais); Meia: R$ 10,00 (dez reais)
Ticket Fácil – https://www.ticketfacil.com.br/eventos/cctg-concerto-osp-maestro-roberto-tibirica.aspx

Sinfonia de Mahler desafia público e Orquestra Sinfônica do Paraná em concerto no Teatro Guaíra

Na manhã de domingo (20), a Orquestra Sinfônica do Paraná (OSP) apresenta um programa com a 7ª Sinfonia de Mahler. A regência fica por conta do maestro Ira Levin, que vem pela primeira vez a Curitiba especialmente para trabalhar com a OSP. O concerto acontece no auditório Bento Munhoz da Rocha Neto (Guairão). Os ingressos já estão à venda pelo site Ticket Fácil.

“Estou ansioso para conhecer a orquestra e a cidade”, comentou o maestro. “Sempre ouvi coisas boas sobre a orquestra, mas ainda não tive contato. Estou ansioso para isso. É uma obra bem difícil e desafiadora. Acho que vai ser um primeiro encontro muito bom. Tenho boas expectativas”, completou.

Cleverson Cavalheiro, diretor-presidente do Centro Cultural Teatro Guaíra, diz que “é uma grande responsabilidade trabalhar com uma peça tão tecnicamente complexa e emocionalmente instigante quanto a 7ª de Mahler”. Daí, reflete, a importância de se ter a regência de alguém como o maestro Levin: “a experiência dele, tanto com as composições de Mahler quanto com o romantismo alemão, são fundamentais para que a Orquestra Sinfônica do Paraná possa oferecer toda a emoção que o público merece através dessa peça”.

Mahler
A Sinfonia n.º 7 em mi menor do compositor Gustav Mahler, chamada Canto da Noite, foi escrita entre 1904 e 1905 e constitui o ponto mais avançado de seu modernismo e, talvez por isso, a que mais demorou a ser reconhecida pelo público. “A 7ª de Mahler foi considerada por muitos anos a ovelha negra. Na verdade, especialmente o final. É até difícil dizer em poucas palavras. É uma sinfonia muito excêntrica. O primeiro movimento, que eu adoro, é um dos mais complicados de Mahler”, conta Levin.
Apesar de ser uma obra de execução complexa e avançada harmonicamente, o público não terá problemas para apreciar, comenta o maestro. Ele garante que “é fácil de ouvir, mas é difícil decifrar os temas”. A questão está nas possibilidades de compreensão e significados: “o que ele quis dizer com essa sinfonia é que é bem problemático”.
O maestro evita cair na armadilha da interpretação rasa, dizendo que “o significado da música muda ao longo do tempo”. Ele afirma, porém, que parte do segredo está em “entender a literatura romântica alemã”, citando nomes como E. T. A. Hoffmann.

Serviço
Concerto da Orquestra Sinfônica do Paraná, com maestro convidado Ira Levin
20 de novembro, 10h30 – Bento Munhoz da Rocha Neto (Guairão)
Tempo de duração do espetáculo: 90 minutos
Classificação etária: 7 anos
Ticket Fácil // https://www.ticketfacil.com.br/eventos/cctg-concerto-osp-maestro-ira-levin.aspx

Cláudio Cruz retorna para reger a Orquestra Sinfônica do Paraná em programa com Mozart e Brahms no Teatro Guaíra

Veterano de concertos à frente da Orquestra Sinfônica do Paraná, o maestro Cláudio Cruz retorna à regência em um repertório que conta com Mozart e Brahms. Ele já havia conduzido a OSP nesta temporada de 2022, no concerto em homenagem ao dia das mães, em maio passado. A apresentação acontece no auditório Bento Munhoz da Rocha Neto – o Guairão – no dia 13 de novembro, domingo, 10h30. Os ingressos já estão à venda e custam R$ 20,00.

“A OSP é uma das boas orquestras do Brasil e é um privilégio ser convidado para regê-la, ainda por cima pela segunda vez na mesma temporada”, afirma o maestro. Para ele, o retorno é uma demonstração da boa relação que desenvolveu com os músicos. “Vou reger os solistas – e a OSP tem bons solistas – a pedido deles, em especial porque uma das peças é feita para o naipe de sopros”, completa Cruz, se referindo à sinfonia concertante de Mozart, que ocupa boa parte da primeira metade do programa.

Para Cleverson Cavalheiro, diretor-presidente do Centro Cultural Teatro Guaíra, não importa que não seja comum repetir maestros, se o resultado for bom para os músicos e, especialmente, para o público. "Em maio o maestro Cláudio Cruz fez um grande trabalho regendo as Bachianas Brasileiras de Villa-Lobos. Tenho certeza que ele vai fazer o Guaíra se emocionar com Mozart e Bhrams", disse.

Mozart
O programa inicia combinando duas obras de Mozart, a abertura da ópera Don Giovanni e a sinfonia concertante para oboé, clarineta, fagote, trompa e orquestra, em mi bemol maior (K 297-b). Cláudio Cruz justifica a seleção: “como é uma obra muito particular, com seus solos de sopro, era importante escolher uma abertura que pudesse manter um diálogo. Por isso iremos tocar este primeiro movimento de Don Giovanni, para dialogar com a sinfonia consertante”.

Se, por um lado, a abertura de Don Giovanni apresenta um Mozart já confiante em suas construções harmônicas, a sinfonia concertante, composta uma década antes, é justamente o ponto de rompimento com as formas barrocas. Os solos marcam essa ruptura, mas o compositor austríaco o personaliza ao focar nos sopros (uma predileção particular), com a excepcionalidade de que todos os três movimentos são no mesmo tom de Mi bemol maior.

Os solos serão tocados por Paulo Barreto (oboé), Jairo Wilkens (clarinete), Jamil Bark (fagote) e André Vieira Rocha (trompa).

Brahms
"Além disso, vou reger a 2ª sinfonia de Brahms, que é magnífica, uma obra prima", se empolga o maestro. A segunda Sinfonia recebeu, desde as primeiras sessões, um grande clamor do público austríaco, inclusive superior ao da primeira. Ela possui uma compreensão mais fácil, com uma seção sonora mais imediata, sobretudo em seu primeiro movimento. Cruz concorda: “é uma sinfonia com grande apelo popular, com tudo o que se pode querer de otimismo, com esperança no destino da humanidade. Uma obra robusta, romântica".

Serviço
Concerto da Orquestra Sinfônica do Paraná, com Maestro Cláudio Cruz
13 de novembro, 10h30 - Bento Munhoz da Rocha Neto - Guairão.
Tempo de duração do espetáculo: 90 minutos
Classificação etária: 7 anos
Especificações do espetáculo: Mozart: abertura Don Giovanni; Mozart: sinfonia concertante para Sopros; Brahms: 2ª sinfonia.
PREÇOS DOS INGRESSOS: Inteira: R$ 20,00 (vinte reais); Meia: R$ 10,00 (dez reais)
Ticket Fácil // https://www.ticketfacil.com.br/eventos/cctg-concerto-osp-maestro-claudio-cruz.aspx

Orquestra Sinfônica do Paraná apresenta a quinta sinfonia de Bruckner no Guairão

O palco do Guairão recebe na manhã deste domingo, 23 de outubro, a Orquestra Sinfônica do Paraná. No programa está a Sinfonia nº 5, de Anton Bruckner, compositor com inclinação fortemente religiosa, o que torna o maestro Alexandre Brasolim, concertino da OSP e especialista em arte sacra, ideal para reger o concerto. Os ingressos custam R$ 20,00 a inteira e R$ 10,00 a meia.

“É muito importante poder oferecer as composições de Bruckner, que ajudaram a definir o cenário musical contemporâneo”, comenda Cleverson Cavalheiro, diretor-presidente do Centro Cultural Teatro Guaíra. “Ter o maestro Brasolim, que é uma prata da casa, na regência é mais uma demonstração da qualidade técnica e paixão pela arte que a nossa Orquestra é capaz de entregar ao público”, completa.

Segundo Brasolim, “é muito bom poder reger a Orquestra Sinfônica do Paraná, por ser a orquestra da qual eu faço parte como violinista há 30 anos e também por ser uma das grandes orquestras do cenário musical brasileiro”. Para o maestro, “subir no pódio para reger é um nível de emoção e uma responsabilidade muito grandes. É um nível de concentração diferente de quando eu estou tocando, pois agora eu preciso que os músicos sintam segurança e musicalidade na minha condução para que eles também possam fazer música com tranquilidade”.

Bruckner
Anton Bruckner é um compositor austríaco do século XIX, com profunda inclinação teológica e influência de Richard Wagner em suas obras. Rejeitou a inclinação romântica e mais popular da época, como o Lied, Poema Sinfônico, da ópera e da música de câmara, e se dedicou a criar uma espécie de gênero próprio, a missa-sinfonia. Nunca foi plenamente aceito pelos seus pares, dada sua origem camponesa, mas compensava a falta de erudição com um perfeccionismo febril.

A peça que será executada pela Orquestra Sinfônica do Paraná é a quinta de nove publicadas por Bruckner – há uma primeira, rejeitada pelo compositor. Colossal e mais francamente teológica, a Sinfonia nº 5 levou três anos para ser finalizada. Do ponto de vista técnico, exige dedicação total da orquestra e fervor e precisão do maestro. A obra é uma meditação sobre a solidão e decepção terrestres do homem, que, por sua vez, são contrapostas pela revolta, o apelo à fé e a liberação final pelo transcendente.

“Reger uma sinfonia não é algo muito simples, agora reger Bruckner é ainda mais complicado, por que não é uma música muito comum aos nossos ouvidos, é uma música de muitos contrastes”, revela Brasolim. O maestro, então, completa, sobre o desafio: “até mesmo para a orquestra a música de Bruckner exige muita concentração e muita resistência física. Porque são sinfonias longas e difíceis, que vão gastando a energia física e mental, tanto dos músicos, quanto a do maestro também”.

Serviço
Concerto da Orquestra Sinfônica do Paraná, com Maestro Alexandre Brasolim
23 de outubro (domingo), 10h30
Bento Munhoz da Rocha Neto – Guairão.
Classificação etária: 7 anos
Inteira: R$ 20,00; Meia: R$ 10,00
Ingressos a venda pelo Ticket Fácil https://www.ticketfacil.com.br/eventos/cctg-concerto-osp-maestro-alexandre-brasolim.aspx

Orquestra Sinfônica do Paraná se apresenta no próximo domingo no Guairão

Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada) e estão disponíveis na bilheteria do teatro ou pelo site Ticket Fácil.

Foto: Maringas Maciel
A Orquestra Sinfônica do Paraná apresenta um concerto com regência do maestro convidado Raphael Haeger no próximo domingo (17). O espetáculo será no Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto (Guairão), às 10h30. Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada) e estão disponíveis na bilheteria do teatro ou pelo site Ticket Fácil.

O maestro, que integra o corpo de músicos da Orquestra Filarmônica de Berlim, já regeu a OSP em outras ocasiões. Desta vez, as obras escolhidas para o concerto são a Sinfonia nº 4, de Johannes Brahms, e o Concerto para Violino, de Jean Sibelius.

No violino solo estará Ângelo Martins, spalla da Orquestra Sinfônica do Paraná. Ângelo atua como solista em outras orquestras e já se apresentou nessa posição com a OSP durante o balé Terra Brasilis, que estreou em abril.

A programação para o segundo semestre da Orquestra já está disponível no site do Teatro Guaíra.

Serviço
Data: domingo, 17 de julho
Horário: 10h30
Local: Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto – Guairão
Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada).
Disponíveis na bilheteria do teatro ou pelo site: http://bit.ly/OSP1707

Orquestra Sinfônica do Paraná se apresenta neste fim de semana no Guairão

Concerto será domingo (10), com início às 10h30. Concerto terá a regente convidada Ligia Amadio e o pianista convidado Luiz Guilherme Pozzi. No programa estão obras de Johannes Brahms, Jean Sibelius e da compositora brasileira contemporânea Marisa Rezende.

A Orquestra Sinfônica do Paraná se apresenta no Guairão com a regente convidada Ligia Amadio e o pianista convidado Luiz Guilherme Pozzi no próximo domingo (10). O concerto será às 10h30 e os ingressos já estão disponíveis na bilheteria do teatro e pelo site Ticket Fácil no valor de R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada).

No programa de concerto estão obras de Johannes Brahms, Jean Sibelius e da compositora brasileira contemporânea Marisa Rezende. A música "Concerto para Piano nº 2", de Brahms, terá solo de piano nas mãos de Luiz Guilherme Pozzi.

O concerto traz o romantismo de Brahms, passa pelo nacionalismo nórdico de Sibelius, e chega na contemporaneidade da música orquestral brasileira dos dias de hoje, com a obra "Fragmentos", de Marisa Rezende.

No dia 17 de julho a Orquestra Sinfônica se apresenta com o maestro convidado Raphael Haeger, também no Guairão.

Serviço
Concerto da Orquestra Sinfônica do Paraná
Data: Domingo - 10/07
Horário: 10h30
Local: Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto – Guairão
Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)
Disponíveis em https://www.ticketfacil.com.br/categoria.aspx?guairao ou na bilheteria do teatro

Orquestra Sinfônica do Paraná apresenta obras de Brahms e Korsakov no Guairão

Concerto terá regência do maestro Roberto Tibiriçá e presença de Winston Ramalho no violino solo

A Orquestra Sinfônica do Paraná se apresenta no domingo, dia 19/06, às 10h30, no Guairão. O maestro convidado Roberto Tibiriçá irá reger o Concerto para Violino, de Johannes Brahms, e Sheherazade, de Rimsky-Korsakov. O solo do violino será executado pelo músico curitibano Winston Ramalho.
As duas obras foram compostas no período do romantismo, movimento artístico que ocorreu no século XIX. Sheherazade é uma música inspirada em contos e cenários das Mil e Uma Noites. Ao longo da música, o público é convidado a visualizar a princesa árabe contando as aventuras de Sinbad, Aladim e vários outros personagens. Apesar de ser uma música romântica orquestral e, portanto, sem falas, os acordes da obra são vívidos e estimulam a imaginação.
Já o Concerto para Violino, de Johannes Brahms, é inventivo. Na época de seu lançamento, essa foi uma música que gerou debates entre os críticos. Houve quem disse que deveria ter sido chamada de Concerto contra o Violino e até músicos que se recusaram a tocar a obra por divergências artísticas com a maneira como ela explora os sons da orquestra.
No domingo, dia 19/06, o público em Curitiba poderá ouvir o Concerto para Violino com o violinista curitibano Winston Ramalho. O premiado solista já tocou com a Orquestra Sinfônica do Paraná em outras ocasiões, inclusive durante o encerramento do festival Violinfestspiele, na edição realizada em 2018.
Os ingressos para o concerto já estão à venda na bilheteria do Teatro Guaíra e também pelo site Ticket Fácil. As entradas custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada).

Para ficar por dentro de curiosidades, imagens históricas e momentos dos bastidores, siga a OSP nas redes sociais: facebook.com/OrquestraSinfonicaDoParana e @orquestrasinfonicaparana no Instagram. Acompanhe também o Teatro Guaíra no facebook.com/TeatroGuaira e no Instagram @teatroguaira.
Serviço
Concerto da Orquestra Sinfônica do Paraná
Domingo, 19/06, às 10h30
Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto – Guairão
Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)
Disponíveis em: https://bit.ly/OSP1906

Orquestra Sinfônica do Paraná apresenta concerto em homenagem ao Dia das Mães

Com músicas de Villa-Lobos, o concerto será na manhã de domingo

A Orquestra Sinfônica do Paraná apresenta seu próximo concerto em Curitiba no domingo, dia 08/05, às 10h30, Dia das Mães. O concerto terá regência do maestro convidado Cláudio Cruz e participação da soprano solo Rosana Lamosa. No programa, estão três músicas de Heitor Villa-Lobos. Os ingressos já estão à venda pelo site Ticket Fácil e na bilheteria do Guairão com os valores de R$ 10 (meia-entrada) e R$ 20 (inteira).

O programa do concerto reúne músicas conhecidas do maior compositor brasileiro: Villa-Lobos. No repertório estão as Bachianas Brasileiras nº 4 e nº 5, parte da série de sinfonias brasileiras mais famosas ao redor do mundo. Em seguida, teremos Floresta do Amazonas, música composta para o filme Green Mansions, estrelado por Audrey Hepburn e Anthony Perkins.

Após o lançamento do filme, Villa-Lobos decidiu reescrever a música em formato de suíte sinfônica para poder ser tocada pelas grandes orquestras. Floresta do Amazonas contém em si duas músicas que já foram imortalizadas na cultura popular brasileira: a Melodia Sentimental e a Canção do Amor. No concerto especial de Dia das Mães, ambas serão apresentadas na voz de Rosana Lamosa, soprano convidada.

Lamosa é uma das cantoras líricas mais reconhecidas nacionalmente. Ela já protagonizou a estreia de grandes óperas como Magdalena (Villa-Lobos), A Tempestade (Ronaldo Miranda) e Alma (Claudio Santoro). A soprano também foi uma das convidadas a se apresentar na visita do Papa João Paulo II ao Brasil.

No comando da OSP estará o maestro convidado Cláudio Cruz. O maestro já se apresentou com a Orquestra na Temporada 2021, regendo o primeiro concerto online com orquestra completa no palco em outubro de 2021. O concerto não teve público presencial, mas foi transmitido ao vivo via redes sociais. Esta é a chance de quem assistiu o maestro online poder conferir seu trabalho pessoalmente.

O concerto especial de Dia das Mães é um presente e homenagem da Orquestra Sinfônica do Paraná e do Centro Cultural Teatro Guaíra para todas as mães do nosso querido público.

Serviço
Concerto da Orquestra Sinfônica do Paraná – Dia das Mães
Domingo, 08/05, 10h30
Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto – Guairão
Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada), disponíveis em: https://bit.ly/OSP0805

Centro Cultural Teatro Guaíra Terra Brasilis Bale Guaira – Orquestra Sinfônica do Paraná

20 de abril às 20:25 ·
Últimos detalhes desse espetáculo maravilhoso. Vocês sabiam que nossos bailarinos ensaiaram mais de 450 horas para Terra Brasilis? Vocês podem conferir parte desse esforço nesses fotões do Maringas Maciel
Esperamos vocês aqui neste fim de semana.
Serviço
Terra Brasilis
Dias 22, 23 e 24 de abril
Sexta e sábado às 20h30 e domingo às 18h
Classificação indicativa: 14 anos
Ingressos: bit.ly/baleguaira

ESCUTA

Primeiro episódio será com a escritora Joice Berth

O Instituto de Apoio à Orquestra Sinfônica do Paraná (IAOSP) lançará no YouTube, a segunda temporada do projeto Escuta, uma série de entrevistas sobre música, arte e cultura no Brasil, com personalidades que muito acrescentam a esses temas. O primeiro episódio irá ao ar no dia 16 de fevereiro, às 19 horas, com escritora e arquiteta urbanista Joice Berth. Na pauta, as relações humanas, o empoderamento dentro das artes, as desigualdades sociais e a cultura.

Sempre às quartas, a cada 15 dias, um novo convidado. Gravada na Sala São Paulo, na capital paulista, além de Joice, participam dessa temporada, Fernanda Pitta, Zé Ibarra e Arthur Nestrovski. As conversas são conduzidas por Francisco Bley, músico, produtor cultural e um dos diretores do IAOSP.

A primeira temporada da série foi gravada na Pinacoteca de São Paulo e a estreia contou com as participações da professora e drag queen Rita Von Hunt, o violeiro Ivan Vilela, o coreógrafo e criador do Grupo Corpo Rodrigo Pederneiras e o sociólogo Jessé de Souza.

Acesse: https://www.youtube.com/watch?v=5uSjcVCgI-A

Escuta é um espaço para uma discussão ampla sobre cultura, especialmente a música, com as participações de artistas, produtores e pensadores que apresentam suas vivências, estudos e percepções. Uma mistura de entretenimento, história, política, consumo e movimentos sociais em diálogos profundos.

Para conhecer, acesse: Instagram: @_escuta

YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCFkECyTSGvJNIiuNZiKdLVQ

Orquestra Sinfônica do Paraná apresenta concerto com maestro Stefan Geiger

Geiger, ex-maestro titular da OSP, retorna como convidado para o encerramento da Temporada 2021

A Orquestra Sinfônica do Paraná encerra sua Temporada 2021 com um tradicional concerto no domingo pela manhã. No dia 05/12, às 10h30, o maestro convidado Stefan Geiger irá reger obras de Beethoven e Schumann. Os ingressos estão disponíveis na bilheteria do Guairão ou no site Ticket Fácil pelo valor de R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia-entrada).

O concerto é realizado em parceria com o Instituto de Apoio à Orquestra Sinfônica do Paraná. O programa de concerto traz, coincidentemente, os mesmos compositores que a OSP tocou em seu último concerto presencial em 2019, antes do fechamento do Teatro Guaíra por conta da pandemia.

"Este é um programa de concerto que fala sobre recomeços e esperança", disse o maestro Stefan Geiger. A Orquestra apresentará a Abertura Egmont, trecho da única ópera composta por Beethoven. Em seguida, a Sinfonia nº 1 de Schumann, também chamada de "Primavera".

Após a flexibilização das medidas restritivas em Curitiba e no Paraná, o Guairão está liberado para sua ocupação total neste concerto. A procura de ingressos pelas redes sociais já começou e os lugares disponíveis devem esgotar rapidamente.

Apesar deste ser o último concerto presencial da OSP em 2021 no Guairão, a Orquestra segue participando do Natal no Palácio Iguaçu até o dia 18/12. A programação virtual também continua nas redes sociais.

Acompanhe a OSP nas redes sociais e confira conteúdos exclusivos: facebook.com/OrquestraSinfonicaDoParana e @orquestrasinfonicaparana, no Instagram. Acompanhe também o Teatro Guaíra no facebook.com/TeatroGuaira e no Instagram @teatroguaira.
Serviço
Encerramento da Temporada 2021
Domingo, 05/12, 10h30
Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto (Guairão)
Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia-entrada)

Disponíveis na bilheteria do Teatro Guaíra ou pelo site: https://www.ticketfacil.com.br/eventos/cctg-concerto-da-orquestra-sinfonica-do-parana.aspx

Série de entrevistas realizada pelo Instituto de Apoio à Orquestra Sinfônica do Paraná

ESCUTA

O Instituto de Apoio à Orquestra Sinfônica do Paraná (IAOSP) acaba de lançar no YouTube o projeto Escuta, uma série de entrevistas sobre música, arte e cultura no Brasil, com personalidades que muito acrescentam a esses temas. Em duas temporadas, os episódios entram no ar a cada 15 dias, sempre às quartas, às 19 horas. As conversas são conduzidas por Francisco Bley, músico, produtor cultural e um dos diretores do IAOSP.

A primeira temporada foi gravada na Pinacoteca de São Paulo e o episódio de estreia já está no ar, com a professora e drag queen Rita Von Hunt. Na pauta, a crítica cultural, noções de cultura popular e erudita, música de orquestra, funk, e muito mais.

Escuta é um espaço para uma discussão ampla sobre cultura, especialmente a música, com as participações de artistas, produtores e pensadores que apresentam suas vivências, estudos e percepções. Uma mistura de entretenimento, história, política, consumo e movimentos sociais em diálogos profundos.

No dia 17/11, será a vez da entrevista com o compositor, professor e violeiro Ivan Vilela. No dia 1/12, o escritor e sociólogo Jessé Souza e no dia 15/12, o bailarino, coreógrafo e fundador do Grupo Corpo Rodrigo Pederneiras. Cada entrevista tem em média 30 minutos.

A segunda temporada foi gravada na Sala São Paulo, e tem como convidados Joice Berth, Fernanda Pitta, Zé Ibarra, e Arthur Nestrovski.

Para conhecer, acesse:

Instagram: @_escuta

YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=5uSjcVCgI-A

Orquestra Sinfônica do Paraná retoma os concertos presenciais

A OSP volta aos palcos em Cascavel, no dia 13/11. A primeira apresentação presencial em Curitiba será no dia 17/11 com o maestro convidado Norton Morozowicz

É com muita alegria que a Orquestra Sinfônica do Paraná retoma seus concertos presenciais! Após 19 meses realizando atividades virtuais, a OSP volta aos palcos em Cascavel no dia 13 de novembro, às 20h, no Teatro Sefrin Filho. O concerto será repetido no Guairão no dia 17/11, às 20h. Ambos serão regidos pelo maestro convidado Norton Morozowicz.

Em Cascavel, o concerto marca o aniversário de 70 anos da cidade. Já em Curitiba, o momento também é de comemoração, pois trata-se do primeiro concerto presencial da Orquestra em 2021. O concerto é realizado em parceria com o Consulado da Polônia e marca os 150 anos da imigração polonesa para o Brasil. O programa do concerto trará três compositores poloneses: Stanislaw Moniuszko, Wojciech Kilar e Frederic Chopin.

Para executar o solo do Concerto para Piano e Orquestra nº 1, a Orquestra recebe o pianista polonês Wojciech Waleczek. O solista já se apresentou em diversos países nos cinco continentes do mundo, inclusive no Brasil.

Os ingressos para este concerto serão distribuídos gratuitamente. Em respeito às normas de prevenção à Covid-19, o número de ingressos disponíveis para o público será de 700. A reserva de ingressos poderá ser realizada pelo formulário disponível no link: https://forms.gle/8SRHxgt4etEvBeAEA. Após a reserva, os ingressos podem ser retirados na bilheteria do Guairão nos dias 14, 15 e 16/11, das 12h às 18h.

Para comparecer ao concerto é necessário estar com as duas doses da vacina contra Covid-19 ou com exame negativo para Covid-19 realizado, no máximo, nas 48 horas anteriores ao evento. O comprovante do exame ou da vacinação será verificado na entrada. A exigência também se aplica a crianças e adolescentes. Vale lembrar que a classificação indicativa do concerto é para pessoas acima dos 7 anos.

Serviço
Concerto Polonês – Homenagem aos 150 Anos da Imigração Polonesa no Brasil

17 de novembro de 2021, às 20h
Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto (Guairão)
Ingressos gratuitos
Reserve seu ingresso: https://forms.gle/8SRHxgt4etEvBeAEA

Orquestra Sinfônica do Paraná apresenta concerto virtual de encerramento da Série Música de Câmara 2020

Os músicos da OSP convidaram bailarinos do Balé Teatro Guaíra para um concerto especial de encerramento da Série que será transmitido no Facebook em dezembro
No próximo dia 11 os músicos da OSP apresentam o concerto virtual de encerramento da Série Música de Câmara 2020. O projeto é uma iniciativa dos músicos com a curadoria do maestro-titular Stefan Geiger. Desde junho a Série Música de Câmara apresentou quinzenalmente concertos virtuais com grupos de dois a oito músicos.

Para o concerto de encerramento, a coordenação da Série Música de Câmara preparou uma programação especial. Serão três obras do compositor argentino Astor Piazzolla com a participação especial de bailarinos do Balé Teatro Guaíra. Os concertos foram gravados em estúdio, respeitando as normas de distanciamento social da Organização Mundial da Saúde.

"Fazer a Série Música de Câmara em formato virtual foi divertido, mas também desafiador", conta a violinista da OSP, Martina Lohmann, uma das responsáveis pela coordenação do projeto. "Os músicos estavam interessados em manter a Série, mesmo que não fosse possível ir ao palco. Como não tivemos verba para a maioria dos concertos, tarefas como a edição do áudio e a sincronização de vídeo foram realizadas voluntariamente pelos próprios músicos ou por amigos da orquestra", completa a violinista.

Para os músicos que participaram do projeto, a Série Música de Câmara foi uma forma de canalizar a energia criativa, a vontade de trabalhar e de ter contato, por mais que restrito ao ambiente virtual, com o público. "A pandemia tem sido desafiadora para todos. A grande maioria dos meus colegas músicos nunca passou por mais de 3 meses sem ensaios, concertos ou concursos. Em um contexto de tantas privações e dificuldades, o poder da arte de criar e expressar um sentido de comunidade tem feito toda a diferença, para nós e para o público", disse Júlio Zabaleta, flautista da OSP e um dos coordenadores da Série.
Parceria com o Balé Teatro Guaíra

A escolha dos repertórios tocados na Série Música de Câmara parte dos próprios músicos. As propostas são enviadas e aprovadas pelo maestro-titular da OSP, Stefan Geiger. Neste ano, vários grupos trouxeram propostas de músicas do compositor argentino Astor Piazzolla.

Piazzolla foi o compositor mais tocado na OSP em 2020. Historicamente, ele é conhecido por incorporar elementos do tango em suas composições. As três obras que serão apresentadas no concerto de encerramento são consideradas tangos e, por isso, surgiu a ideia de convidar os bailarinos do Balé Teatro Guaíra a se juntarem ao projeto.

"A música de Piazzolla é muito instigante e inspiradora e é impossível ouvi-la sem pensar nos movimentos de bailarinos. A interação da Orquestra com o Balé é sempre artisticamente enriquecedora para os dois grupos e o resultado dos vídeos ficou muito bonito", explica Ricardo Molter, spalla da OSP e um dos coordenadores da Série Música de Câmara 2020.

As coreografias foram criadas especialmente para o projeto. Os bailarinos participantes gravaram no Teatro José Maria Santos.

O concerto virtual de encerramento
"É a nossa função dentro da sociedade proporcionar momentos de exploração interior e ajudar a dar vazão à alegria, ao luto, à esperança e todas outros sentimentos que temos experimentado tão intensamente. Uma pandemia sem arte seria insuportável", disse Júlio Zabaleta, flautista da OSP.

No dia 11/12, às 18h, a Orquestra Sinfônica do Paraná convida a todos para participarem do concerto virtual de encerramento da Série Música de Câmara. O público poderá interagir ao vivo e, além das músicas, haverá depoimentos dos participantes no projeto.

Após a exibição no Facebook da OSP o material completo estará disponível nas redes sociais da Orquestra e do Teatro Guaíra.

Serviço
Série Música de Câmara 2020 | Temporada Virtual
Concerto de Encerramento

Quando: 11 de dezembro de 2020
Horário: 18h
Onde: http://www.facebook.com/OrquestraSinfonicaDoParana
Valor: gratuito
Programa de concerto: Astor Piazzolla (1921-1992)
Se Fue Sin Decirme Adiós
Saint Louis en l'Île
La Misma Pena.

A ORQUESTRA SINFÔNICA DO PARANÁ apresenta CIO DA TERRA

Gravado com músicos em casa, concerto em homenagem aos trabalhadores do campo
conta com as participações do cantor Marcelo Archetti e do Coral Itaipu

A Orquestra Sinfônica do Paraná acaba de estrear um concerto diretamente da casa dos músicos, executando a canção O Cio da Terra (Chico Buarque / Milton Nascimento) com as participações do cantor Marcelo Archetti e do Coral Itaipu. O vídeo é uma homenagem às raízes agrícolas do nosso país e aos trabalhadores do campo, pelo importante papel no crescimento do Brasil.

Natural de Pato Branco, no Paraná, Marcelo Archetti é cantor, compositor, participou da última edição do programa The Voice Brasil, se prepara para lançar seu próximo trabalho, pela Universal Music. O Coral de Itaipu, criado em 1996, é aberto à participação de funcionários ativos e inativos brasileiros e paraguaios, de todas as áreas da empresa. Já gravaram cinco cds, quatro dvds, além de terem participado em apresentações de músicos como Ivan Lins, Guilherme Arantes, Kleiton e Kledir, Agnaldo Rayol, Carmem Monarcha, entre outros.

Essa é a quinta ação digital executada pelo corpo orquestral paranaense após o início da quarentena. O primeiro foi o concerto Assim Falou Kubrick, com a trilha Sonora de 2001: Uma Odisseia no Espaço, seguido por O Trenzinho Caipira, de Heitor Villa-Lobos com a voz de Uyara Torrente, d’A Banda Mais Bonita da Cidade, no terceiro, o ator Alexandre Nero homenageou os profissionais da saúde cantando Carinhoso, de Pixinguinha e João de Barro e no quarto, a atriz e cantora Letícia Sabatella interpretou O Bebado e a Equilibrista, em homenagem ao compositor Aldir Blanc.

O segmento mais afetado pela atual situação foi o mercado de apresentações ao vivo. Por esse motivo, a Orquestra Sinfônica do Paraná, com a regência do Maestro Stefan Geiger, reformulou o escopo de todo o segundo semestre da temporada 2020 para ações digitais que, por meio da música, possam transmitir uma mensagem de solidariedade em meio à pandemia.

O concerto virtual O Cio da Terra contou com o apoio do Instituto de Apoio à Orquestra Sinfônica do Paraná, Palco Paraná, Centro Cultural Teatro Guaíra, Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura e Governo do Estado. A realização é do BRDE (Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul).

Para conhecer, acesse: https://www.youtube.com/watch?v=mBKW-4826yQ

Orquestra Sinfônica do Paraná e BRDE apresentam homenagem aos trabalhadores do campo

Os músicos da OSP apresentam O Cio da Terra, de Chico Buarque e Milton Nascimento, no concerto virtual desta semana

O mês de setembro começa com concerto virtual na Orquestra Sinfônica do Paraná. A obra, que será apresentada nesta terça-feira (1) nas redes sociais, será O Cio da Terra, de Chico Buarque e Milton Nascimento. Os músicos da OSP gravaram cada uma de suas partes em suas próprias casas. A regência, também remota, é do maestro-titular Stefan Geiger. O vídeo teve a realização do Banco de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e o apoio do Instituto de Apoio à Orquestra Sinfônica do Paraná.

Os concertos virtuais da Orquestra Sinfônica do Paraná são um sucesso de público desde o mês de março. O primeiro da série foi O Trenzinho do Caipira, seguido por Carinhoso, uma homenagem aos profissionais de saúde, Parabéns pra Você, em comemoração ao aniversário da OSP e O Bêbado e a Equilibrista, em homenagem a Aldir Blanc.

Os homenageados do novo concerto são os trabalhadores do campo. O Estado do Paraná, assim como todo o Brasil, deve grande parte do seu crescimento econômico às famílias agrícolas. Assim como os profissionais da saúde, os trabalhadores do campo também merecem reconhecimento por manterem o país funcionando mesmo em tempos de crise.

O BRDE é agente financeiro repassador de recursos do Plano Safra viabilizando crédito ao setor agrícola paranaense há 59 anos. O Paraná vai receber R$ 460 milhões por meio do Sistema Paranaense de Fomento, valor que será integralmente destinado a financiar a próxima safra. Este projeto visa aproximar a marca do banco com o pequeno agricultor, consolidando o BRDE como banco do Agricultor.

O concerto virtual O Cio da Terra contou com o apoio do Instituto de Apoio à Orquestra Sinfônica do Paraná, PalcoParaná, Centro Cultural Teatro Guaíra, Secretaria de Estado da Comunicação e da Cultura e Governo do Estado do Paraná. A realização é do BRDE (Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul).

O Cio da Terra
Estreia terça-feira, 01/09, às 18h
Onde assistir:
www.facebook.com/OrquestraSinfonicaDoParana
www.instagram.com/orquestrasinfonicaparana
www.youtube.com/c/OrquestraSinfonicaDoParana
O vídeo também estará disponível nas redes sociais do BRDE e do Instituto de Apoio à Orquestra Sinfônica do Paraná.
==============================================