Lançamento vinho chileno Qué Bella, rótulo exclusivo Adega Condor

Cara amiga, temos um convite especial para você 😍 Na próxima quinta-feira (1º/9), vamos lançar o Qué Bella, o nosso vinho chileno de importação exclusiva da Adega Condor, que foi desenvolvido especialmente para agradar o paladar feminino.

Convite recebido, presença confirmada,

Vinho chileno Qué Bella, degustar os rótulos, participar de bate-papo inspirador com mulheres protagonistas e com representantes da vinícola TerrAustral.

Evento aconteceu no Dizzy Café Concerto, com a presença da sommelière Debora Breginski e seleto grupo de convidadas.

Rua Treze de Maio,894 -São Francisco, Curitiba-Pr

Fiz algumas imagens  para você meu leitor:

@redecondor

@wbccomunicacao

@deborabreginski

Mostra de cinema “Giallo” é destaque no Mia Cara 2022

Programação reúne 13 filmes clássicos do cultuado movimento de cinema italiano das décadas de 1960 e 70

A seleção de 13 filmes icônicos da mostra “Giallo, a Cor do Suspense” é um dos destaques da programação do Mia Cara 2022 e a melhor forma de conhecer e apreciar o movimento cinematográfico italiano que lançou grandes diretores, produziu muitos filmes e influenciou o cinema mundial.

Entre os dias 1º e 8 de setembro, a mostra reúne 13 filmes de diretores como Mario Bava, Dario Argento e Umberto Lenzi, entre outros, que criaram a mitologia do subgênero de suspense e terror que só poderia ter surgido na Itália da década de 1960.

O curador Antonio Cava, explica que giallo em italiano significa amarelo e remete à cor da capa de uma série de romances policiais de grande apelo popular e publicadas em material barato com equivalente no termo de língua inglesa pulp fiction.

Quando a geração de diretores italianos cujos filmes compõem a mostra levou o gênero ao cinema, o fez incorporando um tom mais violento, carregado de suspense e erotismo.

As produções de baixo orçamento das produções tem características peculiares como a composição visual, a trilha sonora expressiva, a estetização da violência e o terror psicológico que criaram um estilo de cinema exclusivamente italiano.

“O Giallo tornou-se uma versão mais sensual, colorida e pop do filme noir”, afirma Cava. Com o passar dos anos, as produções Giallo passaram a ser cultuadas e serviram de inspiração a muitos cineastas contemporâneos fãs do gênero como Quentin Tarantino, Guillermo Del Toro, Eli Roth e James Wan.

Todos as sessões têm entrada franca e serão exibidas no Estúdio Valêncio Xavier, no Cine Passeio, com capacidade para 30 pessoas. Os ingressos podem ser retirados na bilheteria 60 minutos antes da exibição presencial. Mais informações no site https://www.cinepasseio.org/

Dez anos de Mia Cara

Com o tema “Salute a Tutti” (saúde para todos), a décima edição do Mia Cara 2022 retorna com eventos presenciais, de 02 a 11 de setembro, nas cidades de Curitiba e Colombo (PR). Durante dez dias, o festival oferece uma rica programação cultural com festivais de cinema, teatro, danças folclóricas, apresentações musicais, exposições, ações de gastronomia, esportes e a iluminação de pontos turísticos. A programação completa está no site https://miacara.com.br .

Realização, apoios e patrocínios

Com patrocínio da Havan, Santa Maria, Helisul Aviação, Celepar e Sanepar. A realização do evento é feita pelo Consulado Geral da Itália em Curitiba, pela ONG Unicultura e pela Trento Edições, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura com apoio da ENIT, ITALOCAM – Câmara Ítalo Brasileira de Comércio e Indústria do Paraná, Sociedade Garibaldi, Sistema SESC Fecomércio Paço da Liberdade, Museu Oscar Niemeyer, Solar do Rosário, Comites Paraná e Santa Catarina, UFPR, Shopping Itália, Centro Cultural Dante Alighieri Curitiba, BRDE, Editora LT, Hospital Angelina Caron, Festval, Prefeitura Municipal de Curitiba, Fundação Cultural de Curitiba, Instituto Curitiba de Arte e Cultura - Icac e Cine Passeio.

PROGRAMAÇÃO
Mostra “Giallo, a Cor do Suspense”
Quinta 01/09
17h: Sete Orquídeas Manchadas de Sangue (“Sette orchidee macchiate di sangue”, 1972, 92 min.)
De Umberto Lenzi. Com Antonio Sabato, Uschi Glas, Marina Malfatti.
Um misterioso assassino está matando jovens mulheres com violência, deixando sempre um adorno em formato de meia-lua junto aos cadáveres.

19h: O pássaro das plumas de cristal (“L'uccello Dalle Piume Di Cristallo” – 1970. 97 min.)
De Dario Argento. Com Tony Musante, Suzy Kendall e Enrico Maria Salerno.
Brilhante estreia de Argento, marco da popularização do Giallo. Escritor testemunha ação de um serial killer vestido de preto e decide investigar por conta própria até entrar na lista do assassino.

Sexta 02/09
17h: A Cauda do Escorpião (La Coda dello Scorpione, 1971, 95 min.)
De Sergio Martino. Com George Hilton, Anita Strindberg, Alberto de Mendoza.
Após a misteriosa morte de um milionário, tem início uma série de sangrentos assassinatos. Giallo clássico trilha antológica de Bruno Nicolai.

19h: Prelúdio para matar (“Profondo Rosso”, 1975, 127 min.)
De Dario Argento. Com David Hemmings, Daria Nicolodi e Clara Calamai. Um pianista inglês testemunha o brutal assassinato de uma famosa médium, mas não consegue identificar o criminoso.

Sábado 03/09
17h: Debate com o curador da mostra Antonio Cava e o convidado Fernando Brito, curador da Série Giallo da DVD Versátil.
19h30: Seis Mulheres para o Assassino (“Sei donne per l’assassino”, 1964, 89 min.)
De Mario Bava. Com Cameron Mitchell, Eva Bartok, Thomas Reiner.
Após fundar o Giallo com “A Garota que Sabia Demais”, o mestre Mario Bava realiza uma influente obra-prima que codifica as convenções do gênero.

Domingo 04/09
17h: Os Passos (Le Orme, 1975, 96 min.)
De Luigi Bazzoni. Com Florinda Bolkan, Peter McEnery, Klaus Kinski.
Atormentada por estranhos sonhos de astronautas na lua, uma mulher visita uma cidade litorânea cujos moradores afirmam já conhecê-la. Com a atriz brasileira Florinda Bolkan, fotografia do mestre Vittorio Storaro e trilha sonora de Nicola Piovani.

19h: Tenebre (“Tenebre”, 1982, 106 min.)
De Dario Argento. Com Anthony Franciosa, Christian Borromeo, Mirella D’Angelo.
Sangrento e metalinguístico, esse Giallo é uma das obras-primas de Dario Argento, o maior diretor do gênero.

Terça, 06/09
17h: Quem a viu morrer? (“Chia l’ha vista morire?”, 1972, 95 min.)
De Aldo Lado. Com George Lazenby, Anita Strindberg e Adolfo Celi.
Escultor hospeda filha de seu fracassado casamento, em Veneza, enquanto um assassino de crianças está atacando nos canais da cidade. Com trilha de Ennio Morricone, este é um dos melhores Gialli de todos os tempos.

19h - O Segredo do Bosque dos Sonhos (“Non si Sevizia um Paperino”, 1972, 98 min.)
De Lucio Fulci. Com Florinda Bolkan, Barbara Bouchet, Irene Papas e Tomas Milian.
Em um vilarejo italiano, estranhos assassinatos de crianças aterrorizam a população, levando grande número de policiais e jornalistas ao local.

Quarta, 07/09
17h – As Lágrimas de Jennifer (Perché quelle strane gocce di sangue sul corpo di Jennifer?, 1972, 96 min.)
De Giuliano Carnimeo. Com Edwige Fenech, George Hilton, Paola Quattrini.
Uma linda modelo e sua amiga mudam-se para um apartamento cuja última inquilina foi assassinada brutalmente. Eletrizante giallo estrelado pelo “casal 20” do gênero: Edwige Fenech e George Hilton.

19h - O que vocês fizeram com Solange? (“Cosa Avete Fatto a Solange?”, 1972, 102 min.)
De Massimo Dallamano. Com Fabio Testi, Cristina Galbó, Karin Baal.
Várias moças são brutalmente assassinadas em uma escola feminina. Com uma ótima trilha de Ennio Morricone e a presença marcante do astro Fabio Testi, este é um dos maiores clássicos do gênero.

Quinta 08/09
17h – O Perfume da Senhora de Preto (Il Profumo della Signora in Nero, 1974, 104 min.)
De Francesco Barilli. Com Mimsy Farmer, Maurizio Bonuglia, Mario Scaccia. Uma cientista industrial, é assombrada por estranhas alucinações relacionadas à trágica morte de sua mãe nessa é uma obra-prima do giallo e do cinema horror italiano.

19h - Premonição (“Sette Note in Nero”, 1977, 96 min.)
De Lucio Fulci. Com Jennifer O’Neill, Gabriele Ferzetti e Marc Porel.
Mulher acometida por estranhas visões encontra um esqueleto atrás da parede de sua sala. Perturbada, ela decide investigar o que aconteceu. Com ótima trilha de Fabio Frizzi.
Classificação 18 anos para todos os filmes.

Poesia de Shakespeare inspira concerto da Orquestra Ladies Ensemble

Ator Alexandre Barillari, conhecido por papéis na TV e no teatro, vai interpretar alguns dos sonetos do bardo. O espetáculo é realizado pelo Ministério da Cultura e Solar do Rosário.

A Orquestra Ladies Ensemble apresenta em setembro dois concertos com músicas baseadas na obra e nos tempos de William Shakespeare, num espetáculo realizado pelo Ministério do Turismo e Centro Cultural Solar do Rosário. As apresentações acontecem nos dias 23 e 24 de setembro, no Auditório Regina Casillo, no centro da cidade. O ator Alexandre Barillari, conhecido por papéis na televisão e no teatro, participa interpretando sonetos de Shakespeare.

Na sexta-feira, o espetáculo será às 20h. No sábado, às 17h. Os ingressos custam R$ 35 (inteira) e R$ 17,50 (meia) e já estão disponíveis para compra antecipada no site da Disk Ingressos: https://www.diskingressos.com.br/

O roteiro da apresentação é de Liana de Camargo Leão, professora titular de Literaturas de Língua Inglesa na Universidade Federal do Paraná e uma das maiores especialistas brasileiras em Shakespeare. Ela conta que os ingleses da época do poeta adoravam música. Eles tocavam, cantavam, dançavam ou simplesmente sentavam e apreciavam.

A música era também uma parte vital no teatro do autor. Ele incluiu muitas músicas em suas peças. Os personagens frequentemente cantam baladas e canções populares, sendo acompanhados por instrumentos como flauta, alaúde, trompas, tambores e violino. “Mas as próprias palavras de Shakespeare podem ser entendidas como uma espécie de música falada”, diz Liana, que é vice-presidente do Centro de Estudos Shakespearianos do Brasil e coautora do livro O que você precisa saber sobre Shakespeare antes que o mundo acabe (2022). Liana também ministra cursos de extensão no Solar do Rosário.

Os concertos terão a participação do músico Roger Burmester, solista no alaúde, instrumento da época. O ator Alexandre Barillari interpretará alguns sonetos, mostrando sua versatilidade. Na televisão, teve atuação em novelas da Rede Globo como Alma Gêmea, Caminhos do Coração e Nos Tempos do Imperador. A regência será do maestro venezuelano Roberto Ramos.

Programa e dificuldade

O programa conta com músicas de compositores da época de Shakespeare, como Lachrimae Pavan de John Dowland, e Greensleeves, de autoria desconhecida - mas há uma lenda que atribui a composição ao rei Henrique VIII. Outras composições são baseadas na obra do dramaturgo, como as suítes Romeu e Julieta, de Sergei Prokofiev, e Sonho de uma Noite de Verão, de Felix Mendelssohn.

“É um repertório muito difícil, principalmente as suítes do Prokofiev e do Mendelssohn”, afirma a fundadora, diretora artística e musical da orquestra, Fabiola Bach Akel. São obras feitas para orquestras completas, e a Ladies Ensemble é uma orquestra de cordas. Para que tudo funcione com a qualidade que caracteriza as Ladies, os arranjadores Alexandre Brasolin, de Curitiba, e Paulo Galvão Filho, de São Paulo, estão fazendo um arranjo inédito. “Estamos fazendo uma ‘mágica’ para isso soar bem só com cordas, percussão e piano. Temos essa ousadia de tocar repertórios originalmente compostos para grandes orquestras e fazê-los soar tão bem. Não vemos isso como uma limitação, mas como um desafio”, orgulha-se Fabiola.

“A ideia do tema das músicas da época de obras de Shakespeare surgiu pela parceria que o Solar do Rosário tem com a professora Liana Leão e por ser algo diferente do visto normalmente em concertos”, diz Lucia Casillo Malucelli, diretora do Solar do Rosário, um centro cultural mantido pela iniciativa privada. “As pessoas poderão perceber que as músicas reconhecidas, que são usadas no ballet, teatro e cinema, são músicas clássicas tocadas por uma orquestra. E são essas diversas artes que fazem o chamado erudito ser mais acessível ao público. Quem nunca ouviu o tema de Romeu e Julieta, por exemplo? E é essa democratização, acesso e formação de plateia que queremos nos projetos do Solar do Rosário”, completa.

A Ladies Ensemble

Primeira orquestra formada só por mulheres no Brasil, a Ladies Ensemble atua desde 2009 e reúne musicistas de diferentes idades, vertentes, influências e inspirações, o grupo é expoente em um universo com diminuta presença feminina em posições de liderança e mostra que mulheres podem ser protagonistas em uma orquestra.

O apoio a causas da mulher é uma de suas missões centrais - entre elas, a conscientização sobre o câncer de mama. Para isso, produz iniciativas como o “Concerto das Rosas” - espetáculo apresentado para milhares de pessoas entre 2017 e 2018 com o objetivo de arrecadar fundos para a compra de próteses mamárias.

Hoje com “casa própria” no Auditório Regina Casillo, a Ladies Ensemble tem entre suas missões a formação de plateia, a democratização da música clássica e a formação de musicistas. Desde seu início pioneiro como noneto até hoje, a orquestra influencia e inspira outras mulheres a seguirem seus sonhos e paixões sem medo.

Neste ano, em parceria com o Solar do Rosário, o projeto “Orquestra Ladies Ensemble no Auditório Regina Casillo” tem dois concertos mensais com programação diferente a cada mês. O projeto foi viabilizado pela Lei Federal de Incentivo à Cultura, do Ministério do Turismo.

A qualidade musical e artística da Orquestra Ladies Ensemble tem possibilitado que o grupo receba músicos de grande talento e renome, como o pianista Arnaldo Cohen, as cantoras Fortuna, Daniele de Oliveira e Masami Ganev e as violinistas Carolina Kliemann e Soraia Landim.

O projeto anual “Orquestra Ladies Ensemble no Auditório Regina Casillo” foi viabilizado pela Lei Federal de Incentivo à Cultura, do Ministério do Turismo, Secretaria Especial da Cultura e Governo Federal, e conta com patrocínio das empresas BHS Corrugated, Oregon, Nórdica Veículos, Guararapes, Impextraco, Tintas Dacar, Sollo Sul, Ferragens Negrão, Transunion, Abase Vet, Grupo Barigui Veículos, Grasp, Milium, Trutzschler, Agrosul Catarinense, GV2C, Tintas Alessi, Fobras, PASA, Delta Cable, Plast & Pack, M.A. Máquinas, Dissul, Stampa Food e Perkons. A Instituição beneficiada é o Hospital Pequeno Príncipe. A realização é do Solar do Rosário, espaço particular de Arte e Cultura em Curitiba fundado em 1992. Com direção geral de Lucia Casillo Malucelli e direção musical de Fabiola Bach Akel.

Serviço
Concerto Músicas do tempo e baseadas na obra de Shakespeare
Datas: 23 e 24 de setembro de 2022
Horário: Sexta às 20h | Sábado às 17h
Local: Auditório Regina Casillo - Rua Lourenço Pinto, 500, Centro, Curitiba – PR
Ingressos: R$ 35 (inteira) / R$ 17,50 (meia)
Vendas pelo Disk Ingressos: (41) 3315-0808 | https://www.diskingressos.com.br/

Estacionamento gratuito no local

Crédito das fotos
Ladies Ensemble: @marceloeliasfoto
Alexandre Barillari: Divulgação

Parque Estadual de Vila Velha, em Ponta Grossa/PR, funciona normalmente no feriado de 7 de setembro

Visitantes poderão curtir todos os atrativos do Parque, inclusive as atividades radicais

Durante o feriado de 7 de setembro, o Parque Vila Velha, localizado a 1h de Curitiba, receberá os visitantes normalmente.

Para quem deseja estreitar o contato com a natureza e viver experiências diferenciadas, ou até mesmo se aventurar em uma tirolesa ou arvorismo, encontra no Parque Vila Velha a opção perfeita para unir divertimento e atrativos naturais em um dos mais belos cartões postais do estado do Paraná.

O local conta com atrações para todos os tipos de público, que envolvem o circuito de Arvorismo, a descida na Tirolesa, o passeio de cicloturismo, além de todas as belezas naturais que encantam os visitantes de todo o mundo.

O Parque Vila Velha fica aberto de quarta a segunda-feira, das 9h às 17h. A bilheteria funciona até às 15 horas. Para conhecer todos os atrativos naturais e aproveitar as atrações de aventura, recomenda-se chegar antes do almoço para saborear as delícias da gastronomia paranaense com diversos pratos típicos regionais, como a alcatra na chapa, barreado, pão no bafo, entre outras saborosas opções.

Sobre o Parque Vila Velha

Localizado a uma hora de Curitiba, o Parque Estadual de Vila Velha é o primeiro parque estadual criado no Paraná, em 1953, e atualmente é uma concessão do Governo do Estado do Paraná, por meio do Instituto Água e Terra, à Soul Vila Velha, uma empresa da Soul Parques.

Os ingressos dão direito a passar o dia todo no Parque, aproveitando a natureza e conhecendo os famosos Arenitos, Furnas, a Lagoa Dourada, incluindo traslado interno entre um ponto e outro. Os traslados internos são realizados pelas charmosas Jardineiras do parque (sem custo adicional) e o passeio leva, em média, quatro horas para ser concluído.

A entrada pode ser garantida antecipadamente pelo site www.parquevilavelha.com.br ou diretamente no local.

Mais informações podem ser obtidas no site www.parquevilavelha.com.br e nas redes através do @parquevilavelha.

4ª edição da Super Mostra de Palhaços acontece de 07 a 18 de setembro em Curitiba

Os espetáculos serão apresentados no Teatro EBANX Regina Vogue e Centro Cultural Boqueirão

A SUPER MOSTRA DE PALHAÇOS chega a sua 4ª edição com espetáculos para todas as idades. O evento acontece de 07 a 18 de setembro em dois locais de Curitiba: Teatro EBANX Regina Vogue e Centro Cultural Boqueirão.

A SUPER MOSTRA nasceu da união de ARTISTAS CURITIBANOS DA PALHAÇARIA e tem como objetivo fomentar a cena curitibana com a produção contemporânea local através da formação de rede de artistas e da formação de plateia. "A palhaçaria faz parte de uma tradição popular que tem raízes profundas. A SUPER MOSTRA traz a diversidade dessa linguagem que se renova a cada edição com espetáculos, oficinas e rodas de conversa de artistas consagrados e também jovens palhaços e palhaças, gente de circo, de teatro e de rua." Rodrigo Fowolski, coordenador geral do evento.

A 4ª edição conta com 20 espetáculos de artistas e grupos reunindo velhos e jovens palhaços e palhaças, além de rodas de conversa e oficinas, retratando a diversidade de práticas artísticas associadas ao universo da palhaçaria. A SUPER MOSTRA resgata a memória dos circos de lona, da palhaçaria de rua e também da palhaçaria contemporânea trazendo muito improviso aos espetáculos com a participação do próprio público. Segundo Rafael Alípio, responsável pela curadoria e direção artística do evento, "a SUPER MOSTRA de Palhaços tem como missão difundir a Arte da Palhaçaria, promover uma troca entre artistas e deixar como legado uma cena mais forte e ativa na cidade por meio de debates e cursos, além da formação de plateia local, que passa a descobrir a riqueza e a multiplicidade de linguagens abrangentes no ofício desta Arte”.

Entre os artistas convidados para essa edição estão: Palhaço Klaus, de São Paulo/SP, com o espetáculo "Animo Festas" e a oficina O Sombrio no Jogo do Palhaço; Ésio Magalhães, do Barracão Teatro, de Campinas/SP, com o espetáculo "O Pintor" e a oficina "E o Palhaço o que é?"; e Lu Lopes, a Palhaça Rubra, que é Arte-educadora, diretora, escritora, musicista, mestre de cerimônias e apresentadora de TV, de São Paulo/SP, com o espetáculo Gramophone 2000 e a oficina Autonomia Criativa.

Em meio aos espetáculos, o evento também promove oficinas artísticas com o objetivo de implementar uma mostra de artes cênicas e apresentar a arte da palhaçaria. Entre as oficinas que serão realizadas entre os dias 06 e 16 de setembro estão: “Autonomia Criativa”, “O Sombrio no Jogo do Palhaço”, “Levando o Riso a Sério”, “E o Palhaço o que é?”.

Tabela com mais informações sobre as oficinas:

terça a sexta

6 a 9/09

14 às 17h

AUTONOMIA CRIATIVA

PALHAÇA RUBRA

SÃO PAULO

Teatro EBANX Regina Vogue

sábado

10/set.

9 às 13h

O SOMBRIO NO JOGO DO PALHAÇO

PALHAÇO KLAUS

SÃO PAULO

Centro Cultural Boqueirão

domingo

11/set.

9 às 13h

LEVANDO O RISO A SÉRIO

PALHAÇO ALÍPIO

CURITIBA

Centro Cultural Boqueirão

terça a sexta

13 a 16/09

14 às 17h

E O PALHAÇO O QUE É?

ÉSIO MAGALHÃES

CAMPINAS

Teatro EBANX Regina Vogue

Ao final de cada espetáculo, como em apresentações de rua os artistas "passam o chapéu". Assim o público, consciente do trabalho envolvido para realização do espetáculo, e do valor que ele dá para vivenciar esta experiência, escolhe quanto acha adequado pagar pelo seu ingresso, de acordo com sua condição financeira. Confira a programação dos espetáculos no site https://www.supermostra.com.

Confira a ficha técnica do evento:

Curadoria e direção artística: Rafael Alípio

Coordenação Geral: Rodrigo Fowolski

Direção de Produção: Prescila do Amaral

Assessoria de Imprensa: BelPress Agência de Conteúdo

Design gráfico e redes sociais: Tanity Miranda

Realização: Ohz Produções

Apoio: O Pão que o Viado Amassou; Pipoteca

Incentivo: Grupo TIMBER; Randon – Rodoparaná; Fundação Cultural de Curitiba; Prefeitura Municipal de Curitiba

PROJETO REALIZADO COM RECURSOS DO PROGRAMA DE APOIO E INCENTIVO À CULTURA – FUNDAÇÃO CULTURAL DE CURITIBA E DA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA.

SERVIÇO:
SUPER MOSTRA DE PALHAÇOS | 4ª EDIÇÃO
Quando? De 7 a 18 de setembro
Locais: Teatro EBANX Regina Vogue (Shopping Estação - Av. Sete de Setembro, 2775, lj 2004 – Rebouças) e Centro Cultural Boqueirão (Rua José Guercheski, 281 – Boqueirão)
Espetáculos: https://www.supermostra.com
Entrada: Pague quanto vale ou Contribuição voluntária ao chapéu*
*Ingresso consciente é uma parceria entre o público e o artista para viabilizar as apresentações, sem abrir mão da democratização da cultura.
Mais informações: (41) 991912588 ou https://www.supermostra.com
Instagram: @supermostra
Facebook: https://www.facebook.com/ohzproducoes

Sugestão de tags: Super Mostra de Palhaços, Curitiba , palhaçaria, cultura, comédia, entretenimento, eventos

Atrações de renome na música e sucesso de público marcam 8ª edição do Jazz na Ilha

Festival já torna mês de agosto um dos mais procurados na Ilha do Mel

(Confira fotos oficiais aqui. Créditos: Pangea Narrativas Ilimitadas)
8==gMyoTZ4Q2MyUmOyJmLt92YuEmcyVGdAlGbsV2Y1xWYtF2czVmbhZnO2IDOyMzMwcDOyozZwpmL1cTN0UTNygjMGJTJygjMvRXdhZkMlUTOyIjM5kzM18VL0ETLfpTO
Festival animou os finais de semana do mês de agosto em um dos destinos mais importantes do Paraná (Foto: Pangea Narrativas Ilimitadas)

Paraná, 2 de setembro de 2022 - O que antes era um mês de baixa temporada, agora se tornou um dos mais movimentados do ano. O Festival Jazz na Ilha terminou no último fim de semana na Ilha do Mel, no Paraná, movimentando cerca de 16 mil turistas de quinta a domingo durante todo o mês de agosto, segundo dados da produção do evento. Em quase todos os dias de festival, a ocupação das pousadas e hotéis da Ilha esteve em mais de 90%, e os bares e restaurantes com movimento de alta temporada.

“Começamos o Jazz na Ilha com intuito de fomentar a economia local trazendo arte, música e cultura para um mês de baixa procura do destino. Hoje, esse é um dos meses mais concorridos, disputando com pacotes de ano novo e carnaval”, aponta Luis Henrique Stinglin, idealizador e diretor geral do Jazz na Ilha.

Entre os 12 dias de evento, mais de 100 músicos passaram pela Ilha em cerca de 90 apresentações entre os palcos públicos e o Circuito +Jazz - os shows extra oficiais em bares, restaurantes e pousadas. Foram 137 inscrições de bandas no festival, e o palco público em Encantadas esse ano dobrou as possibilidades de escolha de músicos.

Ian Giller Branco, curador, produtor e diretor de palco do festival, destacou na programação Marília Giller, pianista de Jazz; Amanda Ventura, gaiteira de Blues; Jamaican Quartet, tocando reggae instrumental; Marinonio Trio, pianista e cantora; Matita Peré, com “Maria Bethânia” no violino, Rebeca no violoncelo e Celso no piano; Sotak Comfusion Family, uma banda com mais de 40 anos; Wes Ventura; além de 8 DJs, que subiram ao palco como atração e, para ele, “somaram muito ao festival”.

8=IjM6IDO4EzN0ojci5SbvNmLhJnclRHQpxGblNWdsFWbhN3cl5WY2pjNygjMzMDM3gjM6cGcq5yM4QTM0gDO1cTMGJTJ1cTMvRXdhZkMlUTOyIjM5kzM18VL0ETLfpjM
Festival recebeu públicos de todas as idades e estilos (Foto: Pangea Narrativas Ilimitadas)

“Conseguimos fazer uma curadoria com vários estilos diferentes, entre música latina, brasileira, blues, jazz rock, jazz fusion, jazz reggae, jazz tradional… O Jazz é uma mescla de muitos estilos”, aponta o curador. “Produzir o Jazz na Ilha é uma experiência que exige muita energia, mas ver a comunidade envolvida e notar que as pessoas já não conseguem lembrar de agosto sem Jazz na Ilha é algo que traz muito orgulho e muita satisfação”, completa Giller.

Para o próximo ano, agosto segue sendo a data pretendida para realização do festival. “Esperamos voltar, como tradicionalmente, em agosto de 2023. Mas é bom todo mundo ficar ligado, pois pode vir novidade por aí!”, provoca Luiz Mourão, produtor executivo do Jazz na Ilha, sobre possibilidade do festival migrar para outro mês considerado de baixa temporada.

A 8ª edição do Festival Jazz na Ilha foi uma realização de Pagea Narrativas Ilimitadas e Jazz na Ilha Produções, com patrocínio da Ligga e cervejaria St. Paulie e apoio Thoro Empreendimentos, Vale Fértil, PUC-PR, Agência 433 e Brisa Arquitetura. Para mais informações, visite o site ou acesse o Instagram jazznailha.

Sobre o Festival Jazz na Ilha:
Realizado anualmente desde 2014, o Jazz na Ilha mudou o panorama do mês de agosto da Ilha do Mel, no Paraná, transformando um período de baixa procura e movimento em um dos mais disputados pelos turistas. A programação do festival oferece aos espectadores artistas de renome na cena com shows intimistas ao vivo e gratuitos. Quem visita a Ilha do Mel para prestigiar o evento, pode se hospedar nas pousadas apoiadoras oficiais, as quais estarão distribuindo copos reutilizáveis, fortalecendo um movimento ambientalmente consciente e coletivo que contribui cultural e economicamente com a região. Além das praias paradisíacas e trilhas, os participantes também podem realizar atividades como yoga, mutirões de limpeza e oficinas.

Sobre a JAZZNAILHA Produções Ltda:
Jazznailha é uma produtora cultural com base no litoral paranaense, mais precisamente em Pontal do Paraná. Criada a partir das demandas de um dos maiores eventos de jazz do país, o Jazz na Ilha, realizado há nove anos na Ilha do Mel (PR), a empresa busca levar a outros ambientes paradisíacos a marca de uma execução profissional e ecologicamente responsável em festivais e mostras culturais.

Administrada por Luis Henrique Stinglin, a empresa se credibilizou a atuar em todas as esferas da realização de um evento de grande porte e longa duração em meio à natureza. Buscando equilíbrio socioeconômico e ambiental, uma de suas principais premissas é executar projetos em baixa temporada, para oferecer variedade ao turismo, movimentando um mercado sazonal em momento oportuno e beneficiando toda a cadeia produtiva da região.

Sobre a Pangea Narrativas Ilimitadas:
Produtora audiovisual e cultural baseada em Curitiba, responsável pela realização do Jazz na Ilha em 2022, a Pangea Narrativas Ilimitadas tem foco na música e registros documentais, atuando como promotora da cultura em mais de 50 clipes musicais, 6 festivais, mostras de arte e live streams. Mais informações no site e Instagram pangeanarrativas.

Informações de Imprensa | Jazz na Ilha
Juliana Andrade: (41) 99914 5453
juliana@agenciacasa.com.br
Rafaela Nogueira: (11) 97161 1995
rafaela@agenciacasa.com.br
CASA Coletivo de Comunicação
São Paulo | Curitiba

Complexo de Saúde Pequeno Cotolengo e Curitiba Restaurant Week: experiência que transforma vidas

Aproveite a experiência de um dos maiores festivais gastronômicos e faça o bem para mais de 230 pessoas.

Neste ano, o Complexo de Saúde Pequeno Cotolengo é a ação social apoiada pela Restaurant Week. O festival gastronômico, que vai acontecer entre os dias 05 e 25 de setembro, une a alta gastronomia com a solidariedade. Ao final da experiência, os clientes que saborearem o menu exclusivo do evento podem optar por adicionar R$2 como doação para a Organização.

Os valores arrecadados serão revertidos para manter a obra do Pequeno Cotolengo, que oferece, de forma gratuita, atendimento em 19 especialidades médicas, além de educação e acolhimento para mais de 230 pessoas com múltiplas deficiências, que estavam em situação de abandono familiar, vulnerabilidade social e asilados hospitalares.

Para Carlos Thomazelli, Gerente de Captação de Recursos do Complexo de Saúde Pequeno Cotolengo, a participação neste evento é importantíssima. “Cerca de 70% da nossa receita é composta pela captação, por isso os repasses realizados pelos restaurantes será muito relevante para a arrecadação de recursos financeiros”, destaca.

Os clientes que optarem por realizar a doação vão proporcionar maior qualidade de vida, atendimento especializado, humanizado e inclusão social.

O Complexo de Saúde Pequeno Cotolengo

A Organização está presente em mais de 30 países e realiza, de forma gratuita, atendimentos baseados em três pilares: acolhimento, saúde e educação. A estrutura, localizada no Campo Comprido, em Curitiba, conta com uma escola, quatro Grandes Lares, oito Casas Lares, uma Unidade de Cuidados Continuados e Integrados e, em breve, uma Unidade Hospitalar, com atendimento aberto à comunidade.

Cinema: Documentário conta a trajetória da Rádio Educativa do Paraná

DOCUMENTÁRIO RADIO EDUCATIVA DO PARANÁ
Em comemoração ao centenário do Rádio no Brasil!

“Rádio Educativa do Paraná” é um documentário que apresenta o olhar de pessoas que ajudaram a construir a emissora ao longo dos seus quase 70 anos de história.
Para “contar” essa jornada, foi criado um programa de rádio fictício, onde a jornalista e locutora Claudia Vicentin, no estúdio da emissora, anuncia que o assunto do dia será a história do rádio. O ouvinte, que na verdade é o telespectador, é convidado a fazer uma viagem no tempo, relembrando os primeiros anos da chegada do rádio ao Brasil, fato que ocorreu em setembro de 1922.
Ou seja, estamos comemorando 100 anos do veículo no nosso país, momento mais que pertinente para resgatar e registrar a trajetória desse herói da resistência, entre todos os veículos de comunicação inventados até hoje. São incontáveis músicas, gêneros, programas, artistas, personagens que ajudaram a contar a história do Brasil, ao longo de um século.

Após esta breve introdução realizada por áudios históricos, fotos e vídeos, o conteúdo encaminha-se para os primeiros anos da trajetória do rádio no Paraná, até desembocar no principal foco do filme: a Rádio Educativa do Paraná.

Situada na cidade de Curitiba, a Rádio Educativa do Paraná começou suas atividades em 1953, quando o então governador Bento Munhoz da Rocha Neto incluiu sua criação nas festividades da comemoração do centenário da emancipação política do Estado. Há poucos registros históricos, documentais e até testemunhais dos quase 70 anos de existência, e de resistência da Educativa, fato que reforçou a necessidade de realizar esse trabalho de resgate de uma emissora que sobrevive muito devido à paixão e dedicação de funcionários e colaboradores que abraçaram a missão de divulgar e exaltar as culturas paranaense, brasileira e do mundo, através da música.

Dirigido por Geraldo Pioli, com apresentação de Claudia Vicentin que também divide o roteiro com a escritora e ex-diretora da Rádio Educativa, Adriana Sydor, direção de produção de Carla Pioli, e produção executiva de Luciana Monteiro, o filme está estruturado com base em depoimentos de colaboradores, ouvintes, artistas, radialistas, além de imagens da rotina diária da emissora, das atribuições dos funcionários, materiais em arquivos de áudio, fotografias, imagens de acervos particulares e algumas captações atuais que ajudaram a compor visualmente a narrativa.

A Rádio Educativa do Paraná é uma emissora pública que ao longo dos anos desfilou em diferentes pastas no governo do Estado. Foi gerida pela Educação, pela Cultura e pela Comunicação, com mais ou menos interesse a depender de cada momento.

Mesmo sendo mantida financeiramente pelo Governo do Estado, e portanto, sujeita à interferência de diferentes gestões, a Rádio Educativa do Paraná conseguiu, ao longo de décadas, ser reconhecida como uma das rádios públicas mais importantes do Brasil, por sua riquíssima e eclética programação, resultado de um tenso equilíbrio de forças não excludentes, mas que se complementaram em manutenção, gestão e desenvolvimento de trabalho.

Acima de tudo, o filme pretende instigar as pessoas a olharem essa rádio tão importante para o Paraná e para o Brasil, como uma rádio de Estado, e não de governo.

Esse projeto teve incentivo cultural da CELEPAR – Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná, e foi realizado com recursos do programa de apoio e incentivo à cultura – Fundação Cultural de Curitiba, e da Prefeitura Municipal de Curitiba.

Serviço:
Documentário Rádio Educativa do Paraná
Lançamento oficial: 06 de setembro, às 19h
Sessões nos dias 07 setembro às 19h
e 11 de setembro: sessões a partir das 14:30h
Local: Cinemateca de Curitiba – Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 1174
B: São Francisco – Curitiba – Tel: 3321 3252
Contato: 41-99198-0830 (Geraldo)
41-99629-0837 (Luciana Monteiro)
Entrada franca.

Artefacto Curitiba inaugura Mostra 2022

Tradicional Mostra Artefacto que reúne relevantes nomes da arquitetura em ambientes que abordam a Natureza Modernista

Nossa natureza é Modernista – tanto na arquitetura quanto na interação com o seu entorno. O DNA da Artefacto também é Modernista. Com 46 anos de história completos este ano, em pleno centenário da Semana de Arte Moderna de 1922, a Edition 2022 estreia valorizando mais do que nunca essas características: a organicidade e originalidade do desenho, a sofisticação das matérias-primas naturais e a excelência do fatto a mano. Foi assim que a Artefacto conquistou a liderança no Sul dos Estados Unidos e hoje está presente em projetos de alguns dos arquitetos mais renomados do planeta, como Norman Foster, Bjarke Ingels, Antonio Citterio, Herzog & de Meuron, Renzo Piano e Zaha Hadid. Do novíssimo Rosewood, novo point paulistano, ao Cipriani Club, em Nova York, além de hotéis de luxo que vão de Jumby Bay Island ao Hotel du Cap-Eden-Roc, no sul da França, nossa marca vai se perpetuando no tempo e no espaço. Convidamos você a conhecer a nova coleção e os espaços assinados por grandes profissionais brasileiros. Cada qual à sua maneira, eles interpretam o lifestyle Artefacto com soluções inspiradoras que poderiam estar em qualquer lugar do mundo. Bem-vindos à Mostra Artefacto 2022.

MOSTRA ARTEFACTO 2022

Ana Letícia Virmond, André Bertoluci, Antonella Volpe e Fabricia Pompeu, Camilla Mota e Carla Ribas, Camila, Cymara e Jacy Ebrahim, Caroline Andrusko, Elaine Zanon e Claudia Machado, Elke Fadel, Ivan Wodzinsky, Jayme Bernardo Arquitetos, Jocymara Nicolau, Josianne Madalosso Vassão, Juliana Meda, Luiz Mori Neto, Patricia Fouani, Priscila Muller, Samara Barbosa, Studio AK 16, Suelen Parizotto, Talita Nogueira, Viviane Loyola, participam desta edição da Mostra Artefacto 2022.

Ana Letícia Virmond (@analeticiavirmond)

O convívio e o gosto pelas artes de uma forma geral levaram a Curitibana Ana Letícia à graduação em arquitetura e urbanismo. Atuando nos segmentos residencial e corporativo, seu escritório conta com projetos no Paraná (capital, interior e litoral), Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro e diversos outros CEPs Brasil afora. A arquiteta, que participa de Mostras Artefacto em Curitiba desde 2002, criou desta vez um loft de praia com 89 metros quadrados – sofisticado, confortável e atemporal. “Inspirada nos elementos do Modernismo e por meio da composição entre linhas retas e sinuosas, criamos ambientes amplos, totalmente integrados, em harmonia com o paisagismo, trazendo a natureza para dentro do espaço e tornando a casa viva. Em uma suave setorização, contemplamos um lounge com sala de jantar, um estar íntimo e um quarto de casal, com móveis cuidadosamente selecionados de forma que se harmonizasse com perfeição nas cores, materiais e texturas”, explica. Para ela, “a Artefacto tem qualidade e sofisticação impecáveis nos produtos, com design extremamente estudado, organização e atendimento perfeito, atingindo a excelência em todos os setores, inclusive no pós-venda. É uma honra fazer parte dessa história”.

André Bertolucci (@andrebertoluciarquitetura)

Em atividade nos segmentos de arquitetura e interiores – residenciais, corporativos, comerciais e incorporadoras –, e com projetos no Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Miami e Orlando, para a sua oitava participação na Mostra Artefacto Curitiba, André assina um espaço de 65 metros quadrados, composto por living, área de jogos e jantar com adega. “O ponto inicial do projeto foi o amplo living. A proposta foi conceber um ambiente integrado com linhas retas e sofisticação. Fiz isso pensando em uma rotina mais orgânica, em pessoas que adoram a reunião com familiares ou com amigos e que buscam espaços totalmente integrados e funcionais. Para esse projeto eu quis trazer um conceito clean e contemporâneo, emoldurado por uma paleta com pontos de cor”, explica. Para ele, “o alto investimento e tecnologia aliada ao design de cada produto, além da altíssima qualidade, faz com que todos nós, profissionais do segmento de arquitetura e decoração, optemos pelos itens que levam a assinatura da Artefacto, oferecendo o que há de melhor aos nossos clientes. Os produtos Artefacto são objeto de desejo para muitos clientes e isso se reflete na percepção de valor da marca, pela qualidade e sofisticação”.

Antonella Volpe e Fabricia Pompeu (@duo.arch)

A curitibana Antonella e a carioca Fabricia têm em comum uma paixão pela arquitetura que vem desde muito cedo e iniciaram a carreira em 2006, com atuação nos segmentos de arquitetura e interiores, e projetos no Paraná, Santa Catarina, São Paulo e Rio de Janeiro. A dupla estreia na Mostra Artefacto com um banheiro funcional e circulação, de aproximadamente 25 metros quadrados, um SPA sensorial para momentos de relaxamento e descompressão do dia a dia. Inspiradas por Burle Marx e Niemeyer, elas apostaram na mescla de materiais, texturas e acabamentos para aguçar os sentidos. “Trabalhamos a visão com cores e iluminação que aquecem e aconchegam o ambiente; o olfato com aromas agradáveis para criarmos experiências únicas; a audição através de um som que transmite tranquilidade para relaxamento; o tato com texturas e tecidos que traduzem o conceito rústico com apelo sofisticado, tecidos leves e composição que reforçam essa sensação de acolhimento”, revelam. Para elas, “a Artefacto tem um design atemporal, pontualidade na entrega, qualidade e personalização de acabamentos que traduzem projetos únicos, sem deixar de lado o pós-venda e o atendimento exclusivo”.

Camila Mota e Carla Ribas (@a3arquitetasassociadas)

Em atividade no segmento desde 2003, a dupla assina projetos arquitetônicos para residenciais e corporativos, assim como projetos completos de interiores que estão por Santa Catarina, Rio de Janeiro, Goiás, Paraná e São Paulo. Para a estreia na Mostra Artefacto, projetaram um ambiente único, caracterizado por ser um escritório funcional e descontraído com 28 metros quadrados. “Estudamos um conceito de resgate de época para acomodar os móveis e mesclar tendências”, revelam. Para elas, “a Artefato está sempre pensando à frente e trazendo qualidade. Essa afirmação abrange tanto o design de móveis, assim como venda e pós-venda. É uma marca que tem o diferencial de moldar conceitos e trazer tendências com muita qualidade”, afirmam as profissionais Camilla Mota e Carla Ribas.

Camila, Cymara e Jacy Ebrahim (@ebrahimarquitetura)
O escritório da família Ebrahim nasceu nos anos 80, na capital pernambucana, partindo de um sonho de realizar e encantar clientes em seus lares. Hoje consolidado k cone sul do Brasil, soma projetos residenciais e comerciais em Cascavel, Foz do Iguaçu, Nova Aurora, Toledo, Curitiba, Balneário Camboriú, Itapema, Florianópolis, Miami, Los Angeles, Líbano, Paraguai e Austrália. Para esta primeira edição da Mostra Artefacto Floripa, o escritório preparou um ambiente de 125 metros quadrados, composto por living gourmet com uma atmosfera fluida e aconchegante. “Neste ano o tema veio como uma composição, juntando nossa paixão por elementos naturais, um novo espaço amplo e aberto, com lançamentos de móveis orgânicos, possibilitando colocar a natureza dentro desse espaço”, explica o trio. Para Camila, a Artefacto é “uma empresa que está sempre à frente, que une a exigência de conforto do mercado americano com a exigência do mercado italiano, resultando em produtos que fazem toda diferença na finalização de cada projeto. Uma marca que se destaca pela qualidade, design e conforto”.

Caroline Andrusko (@carolineandruskoarquitetos)
Para a sua décima primeira participação na Mostra Artefacto, Caroline criou um loft de 68 metros quadrados composto por sala de jantar, living e quarto. “Utilizamos diversas matérias-primas que remetem à natureza, trazendo o meio ambiente para dentro de casa e, desta forma, o resgate da origem e a valorização dos elementos essenciais para vivermos bem – como madeira, fibras têxteis, pedras e couro. A paleta de cores neutras tem toques de azul marinho. Também trouxemos itens como espelhos e pedras em locais estratégicos, criando uma composição única e especial, pensando em todos os detalhes e prezando sempre pela identidade do escritório em criar projetos com exclusividade e personalidade”, explica. “Diferenciamos a Artefacto das outras empresas que atuam neste segmento por meio do mobiliário de alto padrão sofisticado com design, sempre seguindo as tendências do mercado e, simultaneamente, com efeito atemporal. O processo de escolha dos materiais e produtos é sempre uma experiência única e encantadora para ambos escritório e clientes”, conclui.

Elaine Zanon e Claudia Machado (@arquitetareoficial)
Atuando há mais de 30 anos nos segmentos de arquitetura residencial e corporativa, interiores, design e assessoria de execução de interiores, a dupla Elaine e Claudia tem projetos em quase todo Brasil e em alguns países da América do Sul. Completando 13 participações em Mostras Artefacto, as profissionais criaram um estar íntimo e acolhedor, juntamente com uma área de jantar, totalizando 80 metros quadrados. “O ponto focal do projeto é uma escultura de parede do artista Emanoel de Araújo, em tom vermelho vibrante, que se destaca no entorno em tons neutros do ambiente com a uma lareira imponente em mármore branco em contraste com os painéis amadeirados escuros”, explicam. “A proposta do tema foi traduzida nas formas puras do movimento modernista, com a utilização de materiais e texturas mais naturais nos acabamentos selecionados e inspirações artísticas com referências nas formas e cores da Bauhaus, juntamente com o olhar da sutileza da curva do grande mestre Oscar Niemeyer”, complementam. Para as sócias, “A Artefacto é um primor desde a venda até a entrega final, e a qualidade dos produtos e design são, definitivamente, os pontos fortes da marca – que sempre proporciona uma infinidade de possibilidades para explorar a criatividade nos projetos, afirmam”.

Elke Fadel (@elke_bernardelli_fadel)
Tão logo concluiu sua graduação em Arquitetura e Urbanismo, em 1991, Elke foi convidada a exercer o cargo de Coordenadora do Plano Diretor da Cidade de Ponta Grossa. Hoje seu escritório atua nos segmentos arquitetônicos residencial, corporativo, e de interiores com projetos realizados em Ponta Grossa, Curitiba, São Paulo, Castro, Londrina e Balneário Camboriú. Para sua primeira atuação solo em uma Mostra Artefacto, Elke criou um quarto com 37 metros quadrados com espaço para trabalho, um closet butique e um canto de leitura e contemplação. “Nossa inspiração foi ‘areia da praia’. A forma dos mobiliários e os tons escolhidos resgatam na memória a sensação da enseada em suas nuances de cores que vão do bege ao cinza – quando o sedimento se encontra com a água do mar. Areia também se faz presente na escultura da Sergio Gonçalves Galeria, em que a matéria-prima atiça a imaginação”, explica. Para ela, “a Artefacto é atual, desde um passado distante a um futuro próximo. Além do mais, a marca garante a certeza de finalizar uma obra com satisfação. O ambiente com móveis Artefacto é um espaço onde eu, e meus clientes queremos estar”.

Ivan Wodzinsky (@ivanwodzinsky)
Há 25 anos atuando com sucesso nos segmentos residencial, comercial e corporativo e com projetos no Sul do Brasil e em Paris, Ivan se define “eclético”. Ao que segue: “Sou partidário de que não tem estilo feio, mas tem estilo mal resolvido, portanto todo estilo bem resolvido é bom”, define. São quase incontáveis suas participações na Mostra Artefacto e, para essa edição, o profissional projetou uma sala de jantar com um jardim anexo, totalizando 75 metros quadrados. “Traduzi o tema ‘Natureza Modernista’ com muita modernidade e charme, com jeito de casa chique. O jardim tem um papel à parte porque é branco e minimalista”, detalha. Para ele, sua parceria com a Artefacto “é muito antiga, praticamente desde que a loja da Haddock Lobo foi aberta, décadas atrás, eu uso móveis antes mesmo da loja em Curitiba. E Artefacto é Artefacto. É sinônimo de qualidade e contemporaneidade o tempo todo, em todos os sentidos. Com atendimento impecável e muita qualidade, os produtos têm a capacidade de abraçar o cliente e, pelo menos os meus clientes, são super fãs da marca. Aqui no Brasil a Artefacto sempre está à frente do seu tempo”.

Jayme Bernardo Arquitetos (@jaymebernardoarquitetura)
No mercado há quase 40 anos, hoje o escritório sob comando de Jayme Bernardo conta com um mix de profissionais que enriquece tanto no processo criativo quanto executivo. Atuando nos segmentos arquitetônicos e interiores, possui projetos tanto no exterior quanto no Brasil, sobretudo na região Sul do país. Participando de praticamente todas as Mostras da Artefacto quase ininterruptamente desde 2007, para esta edição o time criou dois amplos espaços envidraçados, de 96 metros quadrados, com uma sala de jogos e um living com jantar. “Traduzimos nossa relação com a Artefacto como uma real parceria, que começa por um sistema produtivo eficiente, com atenção à sustentabilidade – que fica bem claro na peça pronta, no produto. O pós-venda é fundamental, nenhuma empresa sem um atendimento especial ao cliente tem chances de sucesso, a Artefacto sabe disso e cuida com maestria desta etapa de venda. Além disso, a atenção dedicada aos arquitetos e valorização dos profissionais é uma atitude rara no mercado. Não basta mobiliário de qualidade, o bom atendimento tanto para clientes como profissionais do segmento, é fundamental”, conclui.

Jocymara Nicolau (@jocymaranicolauarq)
Comemorando 15 participações na Mostra Artefacto, a veterana projetou um ambiente de 65 metros quadrados que está localizado em uma das vitrines da loja. “Circundado por uma grande área de vidros, o ambiente traz a natureza do jardim para dentro do espaço, criando um fundo natural para a vitrine. Fazendo uso de um elemento vazado, inspirado nos cobogós modernistas, a proposta foi criar uma grande textura horizontal de fundo. O painel foi instalado de forma suspensa, como se flutuasse em cima do vidro, por todo o ambiente. Um espaço com certo ar despojado, sem perder a sofisticação”, explica. Para ela, “o diferencial da Artefacto começa pela gama de produtos, possibilidades de acabamentos, tecidos, pinturas, estruturas, tanto para áreas internas quanto externas. A qualidade das peças é impecável, praticamente tudo é produzido dentro da fábrica, garantindo assim a qualidade integral dos produtos, E por fim, a grande diferença está na garantia e na possibilidade de assistência técnica vitalícia. Costumo dizer para os meus clientes que quando compram uma peça Artefacto, ela ficará de herança, pois caso precise de alguma manutenção, a fábrica sempre tem como atender”.

Josianne Madalosso Vassão (@josiannemadalosso)
Arquiteta e urbanista, atua nos segmentos de arquitetura de edificações e de interiores, com projetos no Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo, Piauí e Santa Catarina. “A minha preocupação é transformar o ‘espaço em lugar’. Com isso em mente o meu trabalho é personalizado, projetando sempre para o usuário”, reflete. Para a sua segunda participação na Mostra Artefacto, a profissional criou um projeto de aproximadamente 43 metros quadrados, dividido em dois ambientes: um estar íntimo com um espaço para relaxar, ler, conversar, e um quarto confortável e funcional. “Eu queria fazer um ambiente restaurador e para isso me inspirei em técnicas utilizadas na neuroarquitetura (como o uso da biofilia), e o uso da arquitetura sensorial”, explica. “A Artefacto se destaca pela qualidade e design de seus produtos e, quanto à pós-venda, eu só tenho a elogiar, pois nunca deixaram de atender às minhas solicitações. Alguns clientes buscam status, exclusividade, qualidade e beleza. Levando em consideração estes aspectos, a Artefacto, por si só, se destaca das outras, pois ela é voltada para um público diferenciado”, finaliza.

Juliana Meda (@julianamedaarquiteta)
O marido e a irmã incentivaram Juliana a se graduar em arquitetura e urbanismo em Londrina e a começar a sua trajetória em 1998, abrindo o escritório que atua no segmento de arquitetura de interiores e que atualmente assina projetos espalhados pelo Pará, Piauí, Minas Gerais, Bahia, Paraná, São Paulo, Santa Catarina, Mato Grosso, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e até na região do Porto, em Portugal. Matérias-primas orgânicas como madeira, pedra e vidro, além de um DNA natural, caracterizam o trabalho desta profissional que participa pela sétima vez da Mostra Artefacto com um dos grandes projetos. Nesta edição, Juliana preparou a área gourmet funcional do evento – um espaço único de 80 metros quadrados – com muito conforto, identidade e personalidade. Para a profissional, “a Artefacto é perfeita. Uma marca atemporal que se destaca muito pelo seu pós-venda impecável”.

Luiz Mori Neto (@luizmorinetoarquiteto)
Aos nove anos, em Capinzal, sua cidade natal, Luiz já tinha a certeza do que queria fazer quando crescesse. Aos 12, passou a frequentar o ateliê de um arquiteto amigo da família e sua trajetória profissional foi se desenhando e se desenvolvendo fluída e organicamente. Arquiteto e urbanista abriu seu escritório em 1994 e, desde então, vem atuando nos segmentos comercial e residencial, hotelaria, concessionárias de veículos, e interiores, com projetos concluídos por Maceió, Gramado, Salvador, Aracaju, Foz do Iguaçú, São Paulo, Belo Horizonte, Joinville, Cascavel, Maringá e Curitiba, entre outros destinos. Para sua terceira participação na Mostra Artefacto, o profissional criou um grande quarto de hotel. “Além do mobiliário Artefacto, a banheira de pedra vulcânica, o carvalho preto e a marcenaria ajudam a destacar o projeto”, revela. Para ele, “a Artefacto produz o melhor mobiliário nacional – tem ousadia no design, além do suporte da equipe de vendas de Curitiba que é maravilhosa!”.

Patricia Fouani (@studiopatriciafouani)
Patricia teve o primeiro contato com a arquitetura quando cursou desenho industrial – em seguida, concluiu a graduação em arquitetura e lá se foram 25 anos dedicados à profissão. Atuando nos segmentos de arquitetura e interiores, seu escritório tem projetos em Curitiba, Maringá, Londrina, União da Vitória, Santa Catarina, Balneário Camboriú e Canoinhas. “Acredito na simplicidade das formas, na leveza dos ambientes e na integração com a natureza. Criar ambientes confortáveis e ao mesmo tempo visualmente atraentes é a premissa no meu trabalho”, define a estreante em Mostras Artefacto, que projetou uma sala de 40 metros quadrados que se integra aos jardins externos, abraçando e convidando à convivência. Para ela, “a Artefacto é um sucesso por tudo que representa e por sua busca constante pela qualidade de seus produtos – agrega design, inovação, tecnologia e originalidade e oferece uma infinidade de materiais, texturas e produtos que permitem criar sem limites. Trazer um cliente em uma loja Artefacto é proporcionar a ele uma experiência única. Além do tratamento personalizado, o cliente tem a possibilidade de conhecer toda a linha de produtos, e isso é fundamental”, finaliza.

Priscilla Muller (@priscillamuller.arquitetura)
O gosto pela arte, desenho e estética impulsionou a curitibana Priscilla para a arquitetura. Pós-graduada em interior design pela Universidade Politécnica da Catalunya e Máster em Projeto de Interiores e Luminotécnica pelo Istituto Europeo di Design, em Barcelona, atua desde 2004 nos segmentos de arquitetura e interiores e já desenvolveu projetos em Miami, Barcelona, Fernando de Noronha, Bahia, Santa Catarina e Paraná. Esta é a sua sexta participação em uma Mostra Artefacto, com um living integrado a uma bancada gourmet de convívio, de 80 metros quadrados. “Um espaço com um pé direito elevado e com as esquadrias projetadas exclusivamente para este ambiente, tomamos como partido projetual a entrada de luz natural. Assim, as escolhas de elementos claros e monocromáticos em conjunto com os acabamentos amadeirados da Artefacto foram peças fundamentais”, explica. “A Artefacto sempre nos surpreende a cada ano, seja pelo seu design inovador ou pelas escolhas de materiais. E, mesmo com todo impulso que a marca conquistou no mercado, não perdeu a sua principal essência: o excelente atendimento, oferecendo todo suporte, desde a escolha do produto até a pós-venda”, finaliza a profissional.

Samara Barbosa (@arq_samarabarbosa)
A paixão de Samara a conduziu à graduação de Arquitetura e Urbanismo e ao curso de Arquitetura de Interiores, no IED, em Milão. Seu escritório, aberto em 2005, atua no segmento com projetos em Curitiba, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Estocolmo e Gotemburgo. “Meu perfil se traduz em bases neutras, materiais nobres e um estilo contemporâneo com sutis toques clássicos, inconfundível. Sou atenta aos detalhes e ao que existe de mais atual no mercado de arquitetura, executando meus projetos sempre com qualidade e excelência”, define. Para a oitava participação na Mostra, a profissional criou a Artefacto Home, composta por living, jantar, atendimento e galeria de objetos. Um ambiente acolhedor e aconchegante, como a nossa casa. Para ela, “a Artefacto é uma marca extremamente consolidada, sonho de consumo e objetos de desejo de grande parte dos nossos clientes. Pontuais na entrega, atendimento impecável desde que entramos na loja, pós venda incrível, padrão de qualidade sempre supera as expectativas, é um prazer ser parceira da marca”.

Studio AK 16 (@studioak16)
A dupla estreia na Mostra Artefacto com um loft de 75 metros quadrados, num projeto dividido em sala de jantar, sala de estar e dormitório – todos integrados. “Acreditamos que o que se destaca no ambiente, juntamente com os produtos da Artefacto, é a mistura de elementos, revestimentos, texturas. Buscamos criar um espaço acolhedor, aconchegante, que traga sensação de bem estar e que tenha cara de casa’, explicam. Para Alfonso e Cassiana, “a Artefacto surpreende nos acabamentos impecáveis, no desenho do mobiliário, no conceito, design e sofisticação. A qualidade dos produtos abrilhanta ainda mais os projetos, fazendo da marca um objeto de desejo. A excelência da Artefacto é vista em todas as etapas, desde o primeiro contato no atendimento até a entrega do produto final na casa do cliente. É uma marca referência em termos de luxo e sofisticação”.

Suelen Parizotto (@suelen_parizotto_arquiteta)
Graduada em arquitetura e urbanismo, Suelen nunca teve dúvidas sobre a profissão. Atuando nos segmentos de arquitetura e interiores residencial e comercial há 10 anos, seus projetos estão no Paraná, em São Paulo e também Miami, nos EUA. Para sua quinta participação na Mostra Artefacto, ela criou um espaço de 90 metros quadrados com jantar, living e adega integrados. “Assinamos um projeto onde mescla a natureza da madeira com um irresistível acento urbano, marcado pelos tons claros e off-white, criando sensações de bem-estar e conexão com a natureza por meio de elementos simples e naturais, como couro, camurça, linho, fibras naturais, pedras e madeiras, resultando em um ambiente único e acolhedor”, explica. Para Suelen, “a Artefacto é uma marca referência no mercado moveleiro, e é também uma grande família, acolhedora com seus parceiros e muito transparente nos processos que a envolve. Nós, como profissionais, agradecemos a paleta de opções de cores e acabamentos que nos possibilitam a personalização de cada produto conforme necessidade de cada cliente”.

Talita Nogueira (@talitanogueiraarquitetura)
“Desde cedo na vida tenho aptidão para desenhos e artes. Na arquitetura consegui aliar minhas paixões e, por isso, escolhi essa profissão”, resume a curitibana Talita, graduada em arquitetura e urbanismo e com estudos complementares na Technishe Universität München (TUM), em Munique, na Alemanha. Desde 2011 ela atua nos segmentos de arquitetura e interiores residencial, corporativo e comercial, com projetos desenvolvidos nas regiões Sul e Sudeste do Brasil, com sedes do escritório em Curitiba e São Paulo. Com três Mostras Curitiba na bagagem, Talita preparou um espaço de 100 metros quadrados dividido em living, suíte, sala de jantar e garden para esta edição. “Os principais destaques do projeto são as cores vibrantes em diferentes planos e formas, em contraste com o mobiliário com tons mais neutros e sóbrios”, explica. Para ela, “ao escolher uma peça Artefacto para um projeto, é certo que o produto entregue ao cliente terá qualidade em todos os aspectos possíveis do mobiliário – desde a estrutura até os acabamentos. A qualidade e cordialidade das equipes, assim como o excelente atendimento no suporte pós-vendas, tornam o processo da escolha e disposição do mobiliário para os ambientes uma experiência agradável e encantadora”.

Viviane Loyola (@viviane_loyola)
“O que me impulsionou – e ainda me impulsiona – é trazer bem-estar, qualidade de vida e felicidade por meio da arquitetura. É sonhar junto com o cliente cada projeto de forma única”, conta Viviane, graduada em arquitetura e urbanismo. Desde 2005 seu escritório atua na área de arquitetura e interiores residenciais, com projetos espalhados em Curitiba e região, Ponta Grossa, litoral paranaense, Balneário Camboriú, Florianópolis e São Paulo. Para a sua quinta participação na Mostra Artefacto, a profissional criou um ambiente de 81 m², dividido em quarto, estar e jantar. “A ideia é um ambiente sem exageros, fluido, com linhas orgânicas que trazem elementos da natureza, através do uso da madeira, da pedra e de bastante vegetação”, explica. Para ela, “a Artefacto tem impresso em seu DNA um design único, personalizado, algo pensado em cada detalhe. É uma marca de desejo no mercado de luxo que se destaca pela qualidade ímpar e inovação constante. É uma loja que está sempre buscando novidades, o detalhe de cada móvel é algo muito especial, com um acabamento incrível. É um privilégio trabalhar com a Artefacto pela solidez da marca e pelo excelente pós-venda”, atesta.

@artefactooficialbrasil

#ArtefactoNaturezaModernista / #ArtefactoModernista

Serviço
Artefacto
Rua Comendador Araújo, 672 / Curitiba-PR