Férias: destino na natureza melhora a saúde e bem-estar

Contato com a natureza favorece hábitos saudáveis, reduz o estresse e alia descanso e entretenimento. Turismo de bem-estar deve representar 18% do turismo global até 2022
Foto: Gustavo Gatti
Fonte: Pixabay
A relação entre saúde, bem-estar e natureza é objeto de estudo em diferentes áreas do conhecimento. De maneira geral, há evidências científicas de que a maior conexão com a natureza pode oferecer inúmeros benefícios tanto para a dimensão física quanto para a saúde mental dos indivíduos. Tais experiências favorecem a realização de atividades físicas que ajudam a reduzir a pressão e o estresse; além de trazer tranquilidade, elevar as emoções positivas e aliar descanso e entretenimento.

“A natureza faz parte da nossa essência e, portanto, o contato com áreas verdes é fundamental para nossa saúde e bem-estar. É comprovado que esse tipo de experiência reduz níveis de estresse e depressão, melhora a imunidade, a qualidade do sono e estimula a criatividade”, afirma a gerente de Conservação da Natureza da Fundação Grupo Boticário e membro da Rede de Especialistas em Conservação da Natureza (RECN), Leide Takahashi.

O turismo de bem-estar é definido pelo Global Wellness Institute (GWI) como "viagens associadas à busca por manter ou melhorar o bem-estar pessoal". A previsão é de que até 2022 o faturamento desse mercado chegue a US$ 919 bilhões, o que significa 18% de todo o turismo global. Serão mais de um bilhão de viagens individuais em todo o mundo.

Trilhas com crianças: Dicas de lugares na natureza

O contato com a natureza e o livre brincar são essenciais para o pleno desenvolvimento da infância saudável. O aumento da ansiedade e do déficit de atenção na infância são alguns dos impactos da vida nos grandes centros urbanos em crianças e adolescentes.

“A natureza é reconhecida e recomendada pelos pediatras e profissionais da área da saúde como forma de incentivar a adoção de hábitos salutares no cotidiano das famílias, como forma de contribuir para o desenvolvimento sadio e integral das múltiplas infâncias”, declara Laís Fleury, que também é membro da RECN. A infância, mesmo antes da pandemia, já sofria um certo confinamento, trazendo impactos negativos na saúde. É importante trazer luz a este tema e mostrar que as crianças e adolescentes precisam da natureza tanto quanto a natureza precisa deles para permanecer viva”.

Nem toda viagem de verão precisa seguir o tradicional roteiro sentido beira-mar. Para quem deseja fugir do trânsito intenso e da multidão de turistas, existem inúmeros roteiros distantes da folia.

Veja algumas opções de trilhas que podem ser feitas por crianças em diferentes partes do Brasil:

Trilha do Bauzinho, São Bento do Sapucaí (SP)
A trilha de mais ou menos 400 metros conduz a uma vista da cidade de São Bento do Sapucaí e de parte da Pedra do Baú. O local é ideal para contemplação e relaxamento. Durante a caminhada é possível avistar pequenos animais.

Floresta da Tijuca, Rio de Janeiro (RJ)
Com quase 100 trilhas ecológicas, o parque nacional contempla trilhas, cachoeiras, passeios e montanhas. O nível de dificuldade é baixo para as crianças tirarem de letra.

Reserva Natural Salto Morato, em Guaraqueçaba (PR)
A Reserva Natural Salto Morato é opção de tranquilidade em meio ao tumulto das férias de verão. Criada e mantida pela Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, é uma opção que oferece tranquilidade e contato com a natureza. O conceito da Trilha Infantil é propiciar uma experiência ao ar livre para ativar corpo e mente. Com um total de 600 metros, a ideia é que a criança, sempre acompanhada dos pais, crie a sua própria estratégia e consiga trabalhar sentidos, percepção, estratégia, força, equilíbrio, uso de braço e perna e noção de diferentes tipos de relevo. A trilha termina com um caminho sensorial para fazer descalço. O uso de máscara é obrigatório.

Dicas
Indica-se levar alimentos leves, de preferência com embalagens resistentes à água (barra de cereal, frutas e garrafa d’água), repelente, chapéu, blusa fina de manga comprida e calça leve para proteger dos mosquitos e do sol e roupa de banho de secagem rápida. O ideal é usar mochilas leves, que evitem o desgaste físico e permitam que as mãos estejam sempre livres. Botas fechadas de cano alto ou sapatilhas de polímero antiderrapante também são uma boa opção. É fundamental pesquisar sobre a trilha que pretende fazer e conferir horários e regras de funcionamento de cada local.

Confira alguns benefícios que o contato com a natureza traz à saúde das crianças:
- reduz sintomas de Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade e do estresse;
- melhora a nutrição: crianças que plantam seus próprios alimentos são mais propensas a comer frutas e vegetais, têm um conhecimento maior sobre nutrição e mais chances de manter hábitos alimentares saudáveis por toda a vida;
- estimula a atividade física: brincar em diferentes ambientes naturais as torna mais ativas fisicamente e mais cuidadosas com o outro;
- inspira momentos de concentração: proporciona a experiência do belo, aumenta o equilíbrio e a autorregulação em jovens que vivem na cidade;
- estimula os sentidos e a criatividade.
(fonte: projeto Criança e Natureza)
Sobre a Fundação Grupo Boticário
Com 30 anos de história, a Fundação Grupo Boticário é uma das principais fundações empresariais do Brasil que atuam para proteger a natureza brasileira. A instituição atua para que a conservação da biodiversidade seja priorizada nos negócios e em políticas públicas e apoia ações que aproximem diferentes atores e mecanismos em busca de soluções para os principais desafios ambientais, sociais e econômicos. Já apoiou cerca de 1.600 iniciativas em todos os biomas no país. Protege duas áreas de Mata Atlântica e Cerrado – os biomas mais ameaçados do Brasil –, somando 11 mil hectares, o equivalente a 70 Parques do Ibirapuera. Com mais de 1,2 milhão de seguidores nas redes sociais, busca também aproximar a natureza do cotidiano das pessoas. A Fundação é fruto da inspiração de Miguel Krigsner, fundador de O Boticário e atual presidente do Conselho de Administração do Grupo Boticário. A instituição foi criada em 1990, dois anos antes da Rio-92 ou Cúpula da Terra, evento que foi um marco para a conservação ambiental mundial.

Sobre a Rede de Especialistas em Conservação da Natureza
A Rede de Especialistas em Conservação da Natureza (RECN) reúne cerca de 80 profissionais de todas as regiões do Brasil e alguns do exterior que trazem ao trabalho que desenvolvem a importância da conservação da natureza e da proteção da biodiversidade. São juristas, urbanistas, biólogos, engenheiros, ambientalistas, cientistas, professores universitários – de referência nacional e internacional – que se voluntariaram para serem porta-vozes da natureza, dando entrevistas, trazendo novas perspectivas, gerando conteúdo e enriquecendo informações de reportagens das mais diversas editorias. Criada em 2014, a Rede é uma iniciativa da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza. Os pronunciamentos e artigos dos membros da Rede refletem exclusivamente a opinião dos respectivos autores. Acesse o Guia de Fontes em www.fundacaogrupoboticario.org.br

Nasce uma holding: Evino e Grand Cru anunciam maior grupo varejista e omnichannel de vinhos importados no Brasil

Expectativa é faturar R$800 milhões em 2022, com 20 milhões em garrafas vendidas e a abertura de novas unidades físicas em ambas as marcas; que seguem as operações de maneira complementar, visando a melhor e mais completa experiência para os consumidores
Após a aquisição de 100% das operações da Grand Cru pela Evino, as marcas encerram o ano com mais uma novidade: a criação da holding, constituindo o maior grupo de varejo de vinhos importados do Brasil. A holding é fruto da soma das expertises das marcas (Evino: maior e-commerce de vinhos e Grand Cru: maior importadora, distribuidora e varejista premium da América Latina), que seguirão suas atividades separadamente e de maneira complementar. A holding deve faturar R$800 milhões em 2022, com 20 milhões de garrafas vendidas e o portfólio mais completo do País. Além de novidades em projetos físicos e vendas online e muita tecnologia integrando os canais.

Para liderar a holding, Alexandre Bratt foi nomeado CEO e conduzirá o novo grupo por seus desafios futuros. Os fundadores da Evino, Ari Gorenstein e Marcos Leal, passam a fazer parte do Conselho Administrativo e ainda acumulam funções de Special Advisor (Ari) e CTO Interino (Leal). Dessa maneira, a holding assume o comando das marcas Evino e Grand Cru, que se manterão apartadas sob a ótica do consumidor, mas juntos em eficiência no âmbito corporativo.

As mudanças não param por aí. Com amplo portfólio e alta rentabilidade, a holding (que passa por um processo de branding e integração, que deve ser concluído até março de 2022) prevê a abertura de 35 novas lojas da Grand Cru em todo o território nacional. Ainda para o próximo ano, está previsto o lançamento da primeira unidade da Evino em um ponto físico.

“A fusão das empresas e consequente criação da holding representa um projeto ousado de expansão nacional e ampliação da capilaridade de atendimento aos clientes B2C e B2B, on e offline. Ela será o centro corporativo, com Evino e Grand Cru se mantendo como marcas líderes de mercado em seus segmentos e seguindo suas operações com suas próprias expertises. Como um todo, buscaremos por mais inovação, melhores experiências de consumo e atendimento para os clientes. Sem dúvida, temos o melhor portfólio de vinhos, espumantes e drinks em latas e muitas novidades que ainda virão. É apenas o começo de uma grande história”, afirma Alexandre Bratt.

Além do CEO e do Conselho Administrativo, o Grupo está se estruturando para atuar através de Unidades de Negócio (BUs), que responderão diretamente ao CEO. Eduardo Souza, que também atuava como co-CEO da Evino, assume a diretoria da BU Digital. Completam as lideranças: Diego Bonassa, na liderança da BU de Varejo, Rodrigo Anunciato que liderará a BU de B2B, Fabio Merlo liderando as operações, Eurico Cruvinel liderando Finanças, Maria Fernanda Trentini liderando o Marketing Institucional e Leonardo Santos supervisionando o Planejamento Estratégico. Marcos Leal assume de forma interina a liderança de Tecnologia.

Para Ari Gorenstein, a holding representa uma transformação do consumo e do mercado brasileiro de vinhos nos últimos anos. “Fizemos boas escolhas e tivemos um crescimento sólido e sustentável, por isso acreditamos que a união potencialize o crescimento das marcas. Agora, prevemos um novo olhar com caminhos mais ousados e estratégicos, maior proximidade com as vinícolas, ampliação das lojas físicas, segmentação de clientes e novos projetos para os próximos anos”, conta Gorenstein.

“No final, queremos atender o consumidor de vinho em todas as fases do consumo com qualidade, como e onde o cliente quiser; com os melhores produtos e serviços para que sejam cada vez mais amplos e direcionados a todos, seja o consumidor um expert ou novato. Queremos que a experiência de consumo atinja um outro patamar, igual de norte a sul do Brasil.”, finaliza Bratt.

Sobre a Holding

A holding é fruto da soma das expertises das marcas Evino (maior e-commerce de vinhos) e Grand Cru (maior importadora, distribuidora e varejista premium da América Latina), que seguem suas operações de maneira complementar. Com a criação da holding, formou-se o maior grupo de varejo de vinhos importados do Brasil. A holding deve faturar R$800 milhões em 2022, com 20 milhões de garrafas transacionadas e o portfólio mais completo do País. Além de novidades em projetos físicos e vendas online. O novo grupo é ainda líder da importação de vinhos italianos, franceses e de espumantes de todas as origens.

Sobre a Evino

Maior e-commerce de vinhos da América Latina, a Evino já vendeu para mais de 1 milhão de pessoas no Brasil. Começou a operação em 2013 com o objetivo de compartilhar a paixão pelo vinho e o desejo de descomplicar a bebida, oferecendo a melhor relação de custo-benefício do mercado, e recebeu em 2021 o selo Great Place to Work (GPTW), que reconhece a empresa como uma das melhores para se trabalhar. Negociando diretamente com os produtores para fornecer rótulos para todos os gostos e bolsos, a Evino se tornou a maior importadora de vinhos da Itália, França e Espanha no Brasil. Tudo isso para que o brasileiro viva mais histórias, seja mais vinho. Site: www.evino.com.br

Sobre a Grand Cru

A Grand Cru é a maior importadora e distribuidora de vinhos premium do Brasil. Fundada em 1998, hoje possui um portfólio com mais de 1300 rótulos de todo o mundo entregue para qualquer região do país. É a única empresa do segmento com forte atuação multicanal, incluindo franquias, lojas de operação própria, live commerce, app, e-commerce, clube de assinaturas e distribuição aos melhores restaurantes, hotéis e bares, além de empórios e supermercados. São décadas de tradição sendo reconhecida como sinônimo de qualidade pela experiência única que proporciona aos apaixonados por vinhos, dos experts aos iniciantes, com selo Great Place to Work (GPTW), que reconhece a empresa como uma das melhores para se trabalhar. Site: www.grandcru.com.br

Festival Internacional FEMUSC traz grandes nomes da música erudita

Concertos serão transmitidos ao vivo para todo o Brasil pelo Canal do YouTube do Festival

Profissionais que já atuam nas melhores orquestras e iniciantes se apresentam em grandes espetáculos. Foto Cesar Castro.
A Semana de Arte Moderna e o bicentenário da Independência serão os destaques da 17ª edição do Festival Internacional FEMUSC, que acontece de 16 a 29 de janeiro, em Jaraguá do Sul, Santa Catarina. O evento, que retorna ao formato presencial, com respeito às normas sanitárias de combate à Covid-19, terá 46 apresentações abertas ao público no Auditório do Centro Cultural SCAR. Todos as principais apresentações serão transmitidas ao vivo, em alta definição, pelo Canal do YouTube do Festival: https://www.youtube.com/user/institutofemusc.

A programação do FEMUSC 2022, focada nas datas históricas brasileiras, contará com apresentações, por exemplo, do Hino da Independência do Brasil com canto acompanhado apenas pelo cravo como instrumento musical, em referência às apresentações do século 17. Já em relação à Semana de Arte Moderna, o evento vai homenagear personagens da música brasileira como Pixinguinha, Ernesto Nazaré e Chiquinha Gonzaga, que se destacaram na época com a aproximação da proposta do Modernismo brasileiro.
“Nossa programação é extensa e é fundamental que os músicos, principalmente os estrangeiros, vivam nossa brasilidade. O festival vai muito além das apresentações. Ele reforça nosso orgulho de ser quem realmente somos", diz o maestro Alex Klein, um dos principais oboístas da atualidade, ganhador do “Grammy” na música erudita e idealizador do FEMUSC.
O Festival, que reúne músicos profissionais e amadores do Brasil e exterior, terá também dois programas de estudo: Música Popular Brasileira e Música Antiga, essa última vai apresentar obras dos períodos barroco, clássico e colonial, com instrumentos da época.

Apresentação de Ópera – Foto: Chan
Espetáculos de alto nível artístico
Diariamente, o público poderá prestigiar diferentes apresentações divididas em quatro séries: shows de música popular (Série MPB), concertos de música barroca, clássica e colonial (Série Música Antiga), concertos orquestrais, óperas e música de câmara (Série Grandes Concertos), além de palestras informativas (Série Musicalmente Falando).
Na programação, além das comemorações do bicentenário da Independência e da Semana da Arte Moderna, estarão presentes obras de mestres da música erudita como W. A. Mozart, Antonio Vivaldi, Johann Sebastian Bach e grandes nomes da MPB como Djavan, Chico Buarque, Edu Lobo, Flavio Venturini e Dominguinhos.

Unindo gerações
O FEMUSC é considerado o maior festival-escola não competitivo do País, e que atrai músicos iniciantes e profissionais de diversos estados brasileiros e do exterior. Durante 14 dias, os participantes aprendem e trocam experiências com músicos e professores das mais renomadas orquestras e instituições de educação musical do mundo. Entre os destaques já confirmados para esta edição estão Jane Duboc, uma das grandes vozes da MPB, Marc Destrubé, do violino barroco, a cravista Béatrice Martin, que tocou na abertura da nova Filarmonie de Paris, e Fernando Cordella, um dos principais cravistas de sua geração na América Latina. Ao final , profissionais e estudantes se apresentam juntos em espetáculos de alto nível artístico internacional.

Desde cedo, as crianças são estimuladas a ter contato com diferentes instrumentos musicais – Foto: Chan
Femusckinho
Aprender boa música não tem idade, por isso, paralelamente ao Festival Internacional FEMUSC, acontece o Femusckinho, voltado para o público infanto-juvenil. O objetivo é despertar o interesse pela música erudita em crianças de 6 a 12 anos e adolescentes de 12 a 17 anos. São oferecidas aulas de canto coral, percussão corporal e violino. Em duas semanas, mesmo as crianças sem nenhum conhecimento musical, apresentam seu primeiro concerto como participante de orquestra.

Segurança
Para garantir a segurança, o Festival Internacional FEMUSC 2022 mantém os Protocolo de Segurança Sanitária, com uso obrigatório de máscaras e distanciamento social em um plano de contingência aplicado durante o festival.
O Festival Internacional FEMUSC é uma realização da Associação Cultural do Forte São João, do Instituto FEMUSC e da Prefeitura Municipal de Jaraguá do Sul por meio da Lei de Incentivo à Cultura do Ministério do Turismo - Secretaria Especial de Cultura.

A turística cidade de Jaraguá do Sul
Nem só de música vive a cidade de Jaraguá do Sul, em Santa Catarina. Em 2010, Jaraguá do Sul foi classificada como a 8ª cidade com maior IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) do estado e 34ª posição no ranking nacional.
Conhecida como Capital Nacional das Malhas e turismo ecológico, a cidade é uma ótima opção de turismo para quem procura natureza exuberante, boa gastronomia, ótima infraestrutura hoteleira e uma população acolhedora.
Colonizada por imigrantes europeus, especialmente alemães, italianos e húngaros, a cidade ainda conserva muitas tradições de seus antepassados, incluindo a arquitetura e festas típicas. Muitos são os passeios pela região, entre eles, o Parque Malwee, com área de 1,5 milhão de m² de área preservada, 17 lagoas e 133 espécies de aves catalogadas, museus e uma casa no estilo enxaimel, construída em 1938.

Serviço:
17ª edição do Festival Internacional FEMUSC
De 16 a 29 de janeiro de 2022
Local :Auditório do Centro Cultural SCAR
Transmissão ao vivo para todo o Brasil: https://www.youtube.com/user/institutofemusc
Informações: festival@femusc.com.br
Acesse e curta o FEMUSC o ano inteiro:
Facebook: https://www.facebook.com/groups/femusc
Instagran: https://www.instagram.com/femusc/
YouTube :https://www.youtube.com/user/institutofemusc
Flickr :https://www.flickr.com/photos/femusc
Site: https://www.femusc.com.br/

Programação "Série Grandes Concertos
Principais atrações:
18/1, evento dedicado à poesia e música da "Décima Musa", Sor Juana Inés de laCruz
22/1, Show de Música Popular Brasileira
27/1, Hanacpachapcussicuinin, de Juan Pérez de Bocanegra, Hanacpachapcussicuinin (cantado em quechua)
28/1, ópera "As Bodas de Fígaro" de Wolfgang Amadeus Mozart

Principais Séries de Concertos:
Série MPB: shows de música popular com professores e participantes, diariamente, às 18h30, no Grande Auditório do Centro Cultural SCAR.
Série Música Antiga: concertos de música barroca, clássica e colonial com professores e participantes, diariamente, às 19h, no Pequeno Auditório do Centro Cultural SCAR
Série Musicalmente Falando: palestras informativas, diariamente, às 20h, no Grande Auditório do Centro Cultural SCAR.
Série Grandes Concertos: concertos orquestrais, óperas e música de câmara, diariamente, às 20h30, no Grande Auditório do Centro Cultural SCAR

Série Grandes Concertos
Domingo, 16 de janeiro - Concerto de Abertura
Francisco Manuel da Silva, Hino Nacional Brasileiro D. Pedro I, Hino da Independência
Show de MPB com obras de Djavan, Chico Buarque, Edu Lobo, Flavio Venturini e Dominguinhos. Além de AstorPiazzolla

Segunda-feira, 17 de janeiro - Concerto das Nações
Obras coloniais, populares, tradicionais provenientes das culturas representadas no festival.

Terça-feira, 18 de janeiro - A Décima Musa
Concerto dedicado à poesia e música centrada em Sor Juana Inés de la Cruz
Andrés Flores, A este Edifício Celebre
José de Loaysa y Agurto, AquellaHermosaNube
Antonio Durán de la Mota, Dios y José
Sor Juana de la Cruz, Madre de los primores
Antonio Durán de la Mota, Fuego, Fuego

Quarta-feira, 19 de janeiro - Música de Câmara I
Programa a ser anunciado

Quinta-feira, 20 de janeiro - Música de Câmara II
W. A. Mozart, Quinteto para Clarinete e Cordas, K 581
Angeliza Meza, clarinete
CramerStringQuartet
Jessica Park e Chiara FasaniStauffer, violinos
KeatsDieffenbach, viola
Ana Kim, violoncelo

Sexta-feira, 21 de janeiro - Orquestra Barroca
Jean-Philippe Rameau, “LesSauvages”
Antonio Vivaldi, Concerto Grosso em Sol menor
Johann Sebastian Bach, Concerto de Brandemburgo n. 1
Orquestra Barroca do FEMUSC
Ricardo Kanji, direção

Sábado, 22 de janeiro - Show de MPB
Programa a ser anunciado

Segunda-feira, 24 de janeiro - Raízes
José Maurício Nunes Garcia, Abertura em Ré
José Maurício Nunes Garcia, Abertura Zemira
José Maurício Nunes Garcia, Missa de Nossa Senhora da Conceição (trechos)
Orquestra Colonial do FEMUSC
Ricardo Kanji, direção
Raízes da Música Popular
Priscila Brigante, direção

Terça-feira, 25 de janeiro - Família Bach
Johann Sebastian Bach, Concerto de Brandemburgo n. 4
Wilhelm Friedmann Bach, Adagio e Fuga
Carl-Philip Emannuel Bach, Sinfonia
Johann Sebastian Bach, Concerto de Brandemburgo n. 5
Marc Destrubé, violino barroco
Ricardo Kanji, traverso
Béatrice Martin, cravo
Orquestra Barroca do FEMUSC

Quarta-feira, 26 de janeiro - Mozart e Amigos
EineKleineNachtmusik
CramerStringQuartet
Jessica Park e Chiara FasaniStauffer, violinos
KeatsDieffenbach, viola
Ana Kim, violoncelo
Shanti Nachtergaele, violone

Quinta-feira, 27 de janeiro - Concerto de Gala
Johann Sebastian Bach, Concerto de Brandemburgo n. 3
Orquestra Barroca do FEMUSC
Ricardo Kanji, direção

Quechua, Hanacpachapcussicuinin
W.A. Mozart, Abertura da ópera “As Bodas de Fígaro”
W.A. Mozart, Sinfonia n. 40 (MoltoAllegro)
Orquestra Clássica do FEMUSC
Ricardo Kanji, direção
Femusckinho, apresentação
Show de MPB

Sexta-feira, 28 de janeiro - Noite de Ópera
W.A. Mozart, “As Bodas de Fígaro”
Raquel Winnica Young, Diretora de Cena
Ricardo Kanji, Direção Musical
Orquestra Clássica do FEMUSC

Sábado, 29 de janeiro - Concerto de Encerramento
J.S. Bach, Cantata n. 140, “Wachetauf”
Orquestra e Coro Barroco do FEMUSC
Ricardo Kanji, direção
Tom Jobim/Vinícius de Moraes, “Chega de Saudade”
Orquestra Barroca do FEMUSC
Marcelo Ghelfi, direção

Casa Vogue apresenta o apartamento de Chris Glass em Berlim

Cores sóbrias e elegantes norteiam todo o décor do apartamento do americano Chris Glass, radicado em Berlim

0==gNxUTM4EjOyJmLt92YuEmcyVGdAlGbsV2Y1xWYtF2czVmbhZnO4QjN1QjMwkDMxozZlBnauc3bsZzMjNWMhRWNxQTZkhzY3cTO5IWOkBTMiBDN1MjNwMGOGJTJwMGOGJTJ1UDM5IjRyUiM0YTMx8VL0ETLfpzM
Casa Vogue_edição dupla dezembro e janeiro_Fotos_Daniel Schafer
Fotos em alta para imprensa

Vivendo em Berlim, o americano Chris Glass considera-se um cidadão do mundo. Para definir o seu apartamento de 110 m2, onde mora há oito anos na área central da capital alemã, ele recorre a adjetivos que poderiam muito bem descrever a si mesmo: chique, global, ousado e cheio de camadas.

Nascido e criado em Atlanta, nos Estados Unidos, Glass tem uma trajetória tão plural quanto sua maneira de levar a vida e enxergar o morar. Fez de tudo um pouco: estudou teatro musical em Boston, trabalhou em Nova York, depois se mudou para a Alemanha, onde se estabeleceu primeiro em Munique e então seguiu para Berlim, quando assumiu, em 2009, o cargo de diretor de associados da Soho House europeia (clube privado para pessoas vinculadas às artes, ao design, à moda e à economia criativa com hotéis e casas exclusivas em mais de dez países). “Viajo muito, então o meu jeito de decorar reflete a minha curiosidade. Tudo aqui se conecta às minhas experiências. A decoração conta a história dos lugares que visitei, dos amigos e artistas que conheci”, analisa.

A paixão por móveis vintage -- em sua maioria, itens dos anos 1950, 60 e 70 -- também define o décor. O living, por exemplo, combina o sofá Togo, de Michel Ducaroy, com o modelo Rio, de Jean Gillon, e um par de poltronas Modus, de Kristian Solmer Vedel. E não para por aí: a mesa de centro da Maison Jansen, de Paris, encontrada por acaso em um passeio pela capital francesa, é seu móvel preferido. “Ela é perfeita porque pode expandir-se. Como é feita de latão, cromo e vidro, me dá espaço para mostrar objetos menores, esculturas e livros que são especiais para mim”, diz.

Esse olhar sensível, o senso estético apurado e a capacidade de promover encontros (sua principal atividade profissional à frente do braço europeu da Soho House) acabaram se desdobrando recentemente em um projeto pessoal. Glass criou o Aptm, espaço para acolher pequenos eventos e reuniões, decorado por ele como um showroom, com peças que podem ser compradas e levadas na hora para casa.

Ciente da transitoriedade das coisas, o empreendedor entende que, apesar de ter apontado inclusive caminhos inesperados na carreira, o apartamento em Berlim é uma fotografia deste capítulo de sua vida. “Estou sempre crescendo e mudando. Sei que, cedo ou tarde, vou buscar um local totalmente novo, que se comunique comigo de outras formas, tanto interna quanto externamente”, sintetiza, destemido, já vislumbrando seu próximo destino.

Serviço
Revista Casa Vogue | Edição dupla dezembro e janeiro

Sobre a Casa Vogue
Casa Vogue é a revista de maior prestígio do Brasil em decoração, design, arquitetura e lifestyle. Referência máxima em comportamento e tendências, todos os meses encanta e inspira os amantes do bom viver.