JUNIOR DURSKI FAZ LANÇAMENTO INÉDITO EM BELO HORIZONTE

É o décimo Madero em Minas e o primeiro que traz o Empório da marca dentro do restaurante

Grupo Madero - Madero STH e Empório Shopping Del Rey.JPG

Os mineiros bons de garfo foram escolhidos para estrear em Belo Horizonte, o primeiro modelo do Madero STH com o Empório da marca. É que além das delícias já conhecidas do restaurante, o novo espaço também abriga o Empório Madero, com as guloseimas, sabores e acessórios de cozinha do chef Junior Durski: para levar para casa.

O local escolhido foi o Shopping Del Rey e a aguardada inauguração teve convidados muito especiais: mais de 50 crianças e adultos do www.centroacolhidabetania.org - entidade de serviço assistencial, que há 34 anos, promove a melhoria das condições econômicas e sociais de centenas de crianças e adolescentes.

O investimento do restaurante beira R$ 7 milhões e o espaço de quase 250 m² (com capacidade para 168 pessoas) promete encantar os fãs da marca! O projeto arquitetônico é de Kethlen Ribas Durski, que mantem a tradicional decoração com muita madeira, tijolos aparentes, ambiente acolhedor e sofisticação informal.

Além da gastronomia, que consagrou o Madero como a maior rede de casual dining do país, a grande novidade deste restaurante é a estreia do Empório Madero em Minas - a outra unidade foi lançada na Ecoparada Madero, na Rodovia Castello Branco no final de 2020.

Culinária afetiva para levar para casa

Segundo o empresário Junior Durski, o Empório Madero foi criado para o cliente levar para casa, aqueles sabores da infância, que fazem bem à alma e alimentam o coração. São as receitas preferidas do chef, como a Cocada com Chocolate, as tropicais Balas de Banana Antonina, os natalinos Panetones com frutas secas ou gotas de chocolate e o café embalado Madero. Há também pratos “to go” como empadões e empadinhas de camarão, frango, cebola e palmito, hambúrgueres e pães do Madero - com destaque para o Pão de Alho Baguete com Parmesão- a maravilhosa Baby Back Ribs, Linguiças Calabresa em quatro deliciosas versões, Gnocchi Bolognese, Kibe Assado, Penne com mini Polpettas e o Palmito Pupunha Assado. Tudo elaborado com ingredientes selecionados da Fazenda Madero, em Palmeira (PR) e feitos na Cozinha Central, em Ponta Grossa (PR), garantindo o rígido padrão de qualidade do Grupo Madero.

Já no salão, lado a lado, brilha o cardápio do Madero, com as receitas amadas pelo público e os hambúrgueres grelhados ao fogo forte, como o premiado Cheeseburger Madero, acompanhado por batatas fritas, crocantes por fora e macias por dentro. Também estrelados, o Choripán - famoso sandwich argentino (linguicinha artesanal 130gr, defumada e grelhada em fogo forte, alface, vinagrete e maionese artesanal) e o Palmito Assado com flor de sal e manteiga (260g). Impossível não citar o L’Entrecôte e o Filé Mignon (com quatro opções de molhos), a elogiada costelinha e o disputado Schnitzel. Fazem sucesso também opções vegetarianas e veganas – como o Burger Falafel Vegano - hambúrguer de 100g feito com grão- de- bico, gergelim e farinha de rosca, temperado com hortelã, salsinha, coentro, pimenta, páprica e cominho, com creme de palmito, tomate, alface e sem queijo – e fit como o Cheeseburger Madero Menos Sal. Para a comodidade dos clientes, há ainda a possibilidade de compra pelo aplicativo Madero APP, disponível na Apple Store e no Google Play -https://www.restaurantemadero.com.br/pt/delivery

Madero STH e Empório Shopping Del Rey
Av. Presidente Carlos Luz, 3001 - Entrada K - Piso: L1- Pampulha, Belo Horizonte – MG
Salão e Take Away :11h45 às 23h | Aplicativo:11h45 às 22h45

OS PARALAMAS DO SUCESSO: SÓ CLÁSSICOS EM CURITIBA

“No sábado, dia 23 de outubro, o power trio carioca desembarca na cidade para abrir o calendário da retomada de grandes shows e traz na bagagem os grandes hits da carreira. As duas apresentações vão contar com nada menos que 31 músicas e acontecem no palco do Teatro Positivo – Grande Auditório com capacidade reduzida”.

A experiência de curtir o show do artista preferido, no conforto da poltrona do Teatro, tem deixado a plateia com muita saudade, por conta da pandemia. Porém, a espera chega ao fim. Com realização da Prime, neste sábado, dia 23 de outubro, o grupo retorna à capital paranaense para abrir o calendário da retomada de grandes shows na cidade para duas apresentações no Teatro Positivo – Grande Auditório (R: Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300) às 17h15 e 21h15 com capacidade reduzida e seguindo todos os protocolos vigentes da OMS. Na bagagem, “Paralamas Clássicos”, que trazem os sucessos de todas as fases do grupo, representados em nada menos que 31 canções. Os Paralamas do Sucesso são uma das mais importantes bandas da história da música brasileira e latina. Com 38 anos de carreira, 27 discos lançados, dezenas de sucessos e incontáveis shows pelo Brasil e pelo mundo, o grupo segue na estrada, influenciando novas gerações e arrebatando plateias de todas as idades. Com todas estas credenciais, Os Paralamas do Sucesso tem lugar de destaque na vitrine da música brasileira.

Além dos Paralamas do Sucesso, a Prime já tem confirmado Roupa Nova (29 e 30.10/Teatro Positivo), Ira! Acústico (05.11/Teatro Positivo), Rodrigo Teaser – Tributo a Michael Jackson (06.11/Teatro Positivo), Varanda do Luan (06.11/Ópera de Arame), Humberto Gessinger (19.11 – Teatro Positivo) e Melim (27.11/Teatro Positivo). A produtora também já deu o pontapé inicial com a programação no litoral paranaense - Verão 2022 do Café Curaçao Guaratuba.

As apresentações vão seguir todas as diretrizes da Organização Mundial de Saúde (OMS) - medição de temperatura, distanciamento nas filas/poltronas, uso do álcool em gel, uso obrigatório de máscaras, entre outros. Para acesso ao local do evento é obrigatório a apresentação do comprovante de vacinação contra COVID-19, com no mínimo a primeira dose. O comprovante pode ser físico ou digital. Para garantir mais segurança, os lugares serão marcados e o público será acomodado a cada duas pessoas com intervalo de uma poltrona.

Paralamas Clássicos

Em 2021, o trio formado por Herbert Vianna (guitarra e voz), Bi Ribeiro (baixo) e João Barone (bateria) dá início a um novo espetáculo, "Paralamas Clássicos", em que olham para a própria história sob o filtro dos sucessos absolutos. No palco junto com eles, estão os três músicos que acompanham a banda há décadas: João Fera (teclados), Monteiro Jr. (saxofone) e Bidu Cordeiro (trombone).

O trio selecionou 31 faixas que sobrevoam as quase quatro décadas de carreira, numa viagem que começa pelo disco de estreia, "Cinema Mudo" (1983), e passa pelo mais recente álbum, "Sinais do Sim" (2017). O trajeto entre um ponto e outro é a história dos Paralamas contada em forma de música. Estão lá, por exemplo, as canções políticas que nos ajudam a entender a história recente do Brasil: "Alagados", "O Beco", "Perplexo", "O Calibre". Também não faltam músicas que cantam o amor em suas mais diversas facetas, como "Meu Erro", "Lanterna dos Afogados", "Aonde Quer Que Eu Vá", "Seguindo Estrelas". Fora "Vital", "Óculos", "Ela Disse Adeus", faixas tão peculiares quanto atemporais.

O repertório estrelado de "Paralamas Clássicos" é também um passeio pela variedade rítmica dos Paralamas, certamente o grupo que mais misturou gêneros musicais no país. É possível ver a influência do rock inglês no começo da carreira ("Fui Eu", "Mensagem de Amor"), do reggae e do dub ("A Novidade", "Melô do Marinheiro"), do requinte pop que se destacou na produção dos anos 90 ("Tendo a Lua", Busca Vida"), o diálogo com a música latina ("Trac-Trac", "Lourinha Bombril")... É também a chance de ver três músicos excepcionais que, a despeito da longa lista de serviços prestados, continuam produzindo uma das performances ao vivo mais vigorosas de que se tem notícia.

Em "Caleidoscópio", por exemplo, é impactante ver Herbert Vianna tocando guitarra e dirigindo a canção através de solos com sotaque blues. Vale observar João Barone em "O Beco", apenas um entre os muitos momentos do show em que sua destreza salta aos olhos. E acompanhar o grave absurdo que sai do baixo de Bi, fazendo a cama sonora do show do início ao fim.

Muito mais do que um show, "Paralamas Clássicos" é a história de uma paixão que se renova: da banda pelos palcos, do público pela banda, e de ambos pela obra.

Os ingressos limitados já estão à venda através do www.diskingressos.com.br e custam a partir de R$80,00 (meia-entrada) + taxa adm. Pessoas VACINADAS com pelo menos 1 dose pagam meia-entrada. A meia-entrada é para estudantes, maiores de 60 anos, professores, doadores de sangue, portadores de necessidades especiais (PNE) e de câncer. Pessoas vacinadas com pelo menos 1 dose, paga meia-entrada. Promoções não cumulativas com descontos previstos por Lei. Clientes Clube Prime e Clube Disk Ingressos possuem 50% de desconto na compra de até dois ingressos por associado. Promoções não cumulativas com descontos previstos por Lei. Os ingressos podem ser adquiridos através do Disk Ingressos (Ventura Shopping - de segunda a sexta, das 11hs às 22hs, aos sábados, das 10 às 22 horas, e aos domingos, das 14 às 20hs, - e quiosques instalados nos shoppings Mueller e Estação - de segunda a sábado, das 10hs às 22hs, e aos domingos, das 14hs às 20hs), Call-center Disk Ingressos (41) 33150808 (de segunda a sexta, das 9h às 22hs, e aos domingos, das 9 às 18hs). É obrigatória a apresentação de documento previsto em lei que comprove a condição do beneficiário na compra do ingresso e na entrada do teatro.

SERVIÇO:
OS PARALAMAS DO SUCESSO – “Paralamas Clássicos”
Quando: 23 de outubro de 2021 (Sábado)
Local: Teatro Positivo - Grande Auditório (R: Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300)
Horários:
SESSÃO EXTRA: Abertura do teatro: 16h/ Início do espetáculo: 17h15
1ª SESSÃO: Abertura do teatro: 20h/ Início do espetáculo: 21h15
Duração do show: cerca de 120min
Ingressos: a partir de R$80,00 (meia-entrada) + taxa adm
Pessoas VACINADAS com pelo menos 1 dose pagam meia-entrada.
A meia-entrada é para estudantes, maiores de 60 anos, professores, doadores de sangue, portadores de necessidades especiais (PNE) e de câncer. Clientes Clube Prime e Clube Disk Ingressos possuem 50% de desconto na compra de até dois ingressos por titular.
Promoções não cumulativas com descontos previstos por Lei.
É obrigatória a apresentação do documento previsto em lei que comprove a condição do beneficiário, na compra do ingresso e na entrada do teatro.
Forma de Pagamento: Dinheiro, Pix e cartões de crédito/débito Visa e Mastercard.
Pontos de Venda: Disk Ingressos (Ventura Shopping - de segunda a sexta, das 11hs às 22hs, aos sábados, das 10 às 22 horas, e aos domingos, das 14 às 20hs, - e quiosques instalados nos shoppings Mueller e Estação - de segunda a sábado, das 10hs às 22hs, e aos domingos, das 14hs às 20hs), Call-center Disk Ingressos (41) 33150808 (de segunda a sexta, das 9h às 22hs, e aos domingos, das 9 às 18hs), na bilheteria do teatro Guaira (de terça a sábado, das 12 às 21 horas).
**Entrega em domicílio com taxa de entrega.
Classificação etária: 16 anos
Informações p/ o público: (41) 33150808 / 33173283 / www.maisumadaprime.com.br
Realização: Prime

JOÃO E O PÉ DE FEIJÃO ENCERRA A TERCEIRA EDIÇÃO FESTIVAL DE TEATRO INFANTIL “ERA UMA VEZ…ERAM DUAS, ERAM TRÊS”

“A nova adaptação do clássico da literatura infantil marca o retorno das apresentações ao vivo e com plateia reduzida e ficará em cartaz no Teatro Bom Jesus, neste sábado e domingo, dias 23 e 24 de outubro. A obra aborda a preservação do meio ambiente e a valorização das virtudes humanas. Toda a renda será revertida para as crianças e adolescentes atendidos pelo Programa Dedica e na ala Pediátrica do HC”.

A experiência de curtir um bom espetáculo em família, no conforto da poltrona do Teatro, tem deixado a plateia com muita saudade, por conta da pandemia. Porém, a espera chega ao fim. Que tal assistir ao vivo a adaptação inédita de um dos clássicos da literatura infantil? João e o Pé de Feijão encerra a terceira edição do Festival de teatro infantil “Era uma vez...Eram duas, eram três”, com plateia aberta ao público. Realizado pela Montenegro, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura e apoio da Associação dos Amigos do HC, a última temporada de apresentações de 2021 acontece no sábado (23out) e domingo (24out) no Teatro Bom Jesus (R: 24 de maio, 135) às 16horas, com capacidade reduzida. Com direção da Cia do Abração, a peça aborda temas como a preservação do meio ambiente e a valorização das virtudes humanas. As apresentações vão seguir todas as diretrizes da Organização Mundial de Saúde (OMS) - medição de temperatura, distanciamento nas filas/poltronas, uso do álcool em gel, uso obrigatório de máscaras, entre outros. Para garantir mais segurança, os lugares serão marcados e o público será acomodado a cada duas pessoas com intervalo de uma poltrona.

Além do espetáculo, o público poderá apreciar o figurino do Pé de Feijão, criado pelo figurinista e artista visual Gustavo Krelling para a exposição “Caminhos do Encantamento”, que ficará disponível para visitação gratuita no foyer do teatro. “O figurino inspirado em João e o Pé de Feijão, assim como os outros que fazem parte da exposição, é feito com materiais reciclados ou inusitados, muitos deles de reutilização. Ele é feito com garrafas pet retorcidas, mangueiras de jardim, pedações de utensílios de cozinha, espuma e galhos. Tudo isso criando um volume e uma variedade de cores e texturas para representar o pé de feijão. Foram usados mais de 250 metros de mangueira, simbolizando os cipós e as raízes, o que resulta em um figurino muito inusitado e interessante”, comenta Gustavo.

“Estamos nos sentindo quase como se fosse a primeira vez! Toda estreia é emocionante, mas essa está sendo em dobro, pois estamos há quase dois anos (que pareceram um século!) longe das plateias presenciais”, revela Letícia Guimarães, da Cia do Abração, responsável pela direção.

As produções trazem leituras contemporâneas dos clássicos com linguagens que refletem temas cotidianos de pais e filhos. Um festival de múltiplas ideias, incontáveis saberes, diversas expressões de linguagens e qualificação, com atrações que ao mesmo tempo aproximam o tradicional teatro para a infância e juventude, da produção teatral contemporânea.

A Cia do Abração traz a releitura do clássico João e o Pé de Feijão, inspirada no original inglês de Joseph Jacobs, contextualizando-o na cultura brasileira das festas populares de São João, para ressaltar temas como a preservação do meio ambiente e a valorização de virtudes humanas, das produções artísticas e culturais, como caminho expressivo de possibilitar a renovação e recriação de nossas histórias, em busca de sempre novas “estórias”. “O artista é filtro de uma realidade que a companhia busca retratar, mas sempre com uma mensagem de esperança. Nosso intuito é que as crianças sejam tocadas e se conscientizem, porém de forma sensível e lúdica, para que cresçam serem humanos melhores”, comenta Letícia.

A montagem que o público terá oportunidade de assistir, o protagonista João do Fubá, jovem menino, da zona rural brasileira, em meio à fome e à seca que assolam seu povo e sua vila, vai ao mercado, à mando de sua mãe, vender a vaca da família. No caminho, encontra Ararin, um velho pássaro, que lhe propõe trocar a vaca por três feijões mágicos. Ao aceitar, João do Fubá embarca em uma aventura pelos céus, em busca de escapar da realidade em que vive: da seca e da fome. Nas alturas, conhece uma nova amiga, uma galinha, que o presenteia com um ovo de ouro, mas que nada serve, pois nem nas vendas estão tendo alimentos para oferecer. Em nova tentativa de trazer comida para casa, João sobe mais uma vez ao pé de feijão e lá descobre a beleza da arte da Viola Mágica. O encantamento foi tanto, que o protagonista decide trocar a viola, para que sua vila toda possa sentir na alma o que acabara de presenciar.

A arte traz de volta a esperança por dias melhores, e a natureza, de emocionada, enche as nuvens que transbordam em uma linda chuva de recomeço. A cidade por fim pode comemorar a festa de São João, e o João do Fubá passa a se chamar João do Pé de Feijão. “Toda dramaturgia é embasada em mitos universais. O teatro veste esses mitos com roupas diferentes. Nós fazemos com que essa roupa nos sirva”, finaliza Letícia.

A contrapartida social desse projeto é realizada em parceria com a Associação dos Amigos do HC, que ficará com a renda integral da bilheteria, além de apresentações exclusivas aos pacientes do DEDICA – Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente, programa de enfretamento à violência infantil mantido pela associação, oficinas criativas e de contação de histórias. Ainda como parte do projeto, a construção de um novo espaço de leitura nas instalações do DEDICA está prevista para ser entregue no segundo semestre. Escolas públicas vão receber também apresentações dos espetáculos, que devem atingir um público total de 5.000 mil pessoas, entre alunos e professores.

Os ingressos para o espetáculo João e o Pé de Feijão estão à venda e custam R$30,00 (inteira)/ R$15,00 (meia-entrada) / R$10,00 (promocional antecipado). A meia-entrada é para estudantes, pessoas com deficiência e jovens de 15 a 29 anos comprovadamente carentes, idosos acima de 60 anos, doadores de sangue, professores e portadores de câncer. Pontos de Venda: Disk Ingressos (Ventura Shopping - de segunda a sexta, das 11hs às 22hs, aos sábados, das 10 às 22 horas, e aos domingos, das 14 às 20hs), Call-center Disk Ingressos (41) 33150808 (de segunda a sexta, das 9h às 22hs, e aos domingos, das 9 às 18hs). É obrigatória a apresentação de documento previsto em lei que comprove a condição do beneficiário na compra do ingresso e na entrada do teatro.

Para quem não pôde assistir as montagens da temporada 2021 do “Era uma vez...Eram duas, eram três, a partir de 30 de outubro, os espetáculos Cinderela, João e Maria, Chapeuzinho Vermelho e João e o Pé de Feijão estarão disponíveis gratuitamente no canal youtube da Montenegro.

Com uma equipe de produção formada por criativos, cenógrafos, figurinistas, jornalistas, designers, fotógrafos, cinegrafistas, técnicos de som e luz, músicos, produtores, advogados, contadores, intérpretes, entre outros, o festival movimenta a cena cultural desse início de ano. Com essa terceira edição, o festival deverá ultrapassar a marca de 10 mil espectadores. “Gerar valor aos produtos culturais é a fórmula de sustentabilidade de um segmento tão sensível as oscilações da política e economia. Ao nos colocarmos como parte da máquina, gerando empregos, renda, impactos sociais e de imagem, garantimos a continuidade das produções artísticas”, afirma Carolina Montenegro, diretora da empresa, que já aprovou e executou mais de 80 projetos.

A edição 2021 do “Era uma vez...Eram duas, eram três conta com os patrocínios da Credipar, Fertipar Fertilizantes, Cattalini, Jaguáfrangos, Tecnolimp, RDP Petróleo, Servopa, Engepeças, Trützschler, Elejor, Sanepar, Banco Digimais, PASA (Paraná Operações Portuárias), Ravato, Greca Asfaltos, Impress The Decor Company, Nórdica, Quasar, Ítalo Supermercados, Magnetron Componentes Elétricos. Apoio: Teatro Bom Jesus, Teatro Guaíra, Tutu Ateliê de Sapatilhas, Kromossomos Estranhos, Espaço Fantástico das Artes, Padaria América, Atelie Miniart. Instituição Beneficiada: Associação dos Amigos do HC

O ERA UMA VEZ...ERAM DUAS, ERAM TRÊS conta com o apoio financeiro de mais de 70 empresas patrocinadoras, sendo que 70% dessas mantém seus investimentos em todas as edições do projeto. As notícias do festival computam mais de 1 bilhão de reais em mídia espontânea, somados ao plano de mídia com inserções em rádio, mobiliário urbano, impressos e internet.

Sobre a Montenegro
Atuando há 11 anos, a Montenegro sempre apostou na cultura, o maior valor do Brasil. A empresa busca, com a realização de seus espetáculos, debater e desenvolver o teatro para a infância e juventude no Brasil, movimentando e valorizando o cenário artístico com as suas contribuições.

Além de colaborar com a formação artístico-pedagógica das crianças e adolescentes, a empresa oferece, através de espetáculos, exposições, oficinas, contação de histórias, encontros temáticos e rodas de conversa, toda a bagagem necessária para o fortalecimento da cultura no país.

FICHA TÉCNICA
Direção: Cia do Abração - Letícia Guimarães
Assistência de Direção: Juliana Cordeiro
Elenco: Heloisa Giovenardi, Ana Sercunvius, Dylan Willms
Direção Musical e sonoplastia: Alysson Siqueira
Produção: Juliana Cordeiro
Assistência de Produção: Ana Sercunvius
Cenário: Blas Torres, Élio Chaves
Iluminação: Blas Torres
Assistência de Iluminação: Rayssa Gualberto
Cenotécnico: Dylan Willms
Figurinos: Rayssa Gualberto
Assistência de Figurino: Heloisa Giovenardi
Adereços: Élio Chaves

Serviço:
Ministério da Cidadania e Montenegro apresentam
“Era uma vez...Eram duas, eram três”
JOÃO E O PÉ DE FEIJÃO
Local: Teatro Bom Jesus (R: 24 de maio,135, Centro)
Quando: 23 e 24 de outubro de 2021 (Sábado e Domingo)
Horários: Abertura do teatro: 15h30 / Início do espetáculo: 16h
Duração da peça: 50 minutos
Ingressos: R$30,00 (inteira)/ R$15,00 (meia-entrada) / R$10,00 (promocional antecipado). A meia-entrada é para estudantes, pessoas com deficiência e jovens de 15 a 29 anos comprovadamente carentes, idosos acima de 60 anos, doadores de sangue, professores e portadores de câncer.
Pontos de Venda: Disk Ingressos (Ventura Shopping - de segunda a sexta, das 11hs às 22hs, aos sábados, das 10 às 22 horas, e aos domingos, das 14 às 20hs), Call-center Disk Ingressos (41) 33150808 (de segunda a sexta, das 9h às 22hs, e aos domingos, das 9 às 18hs). É obrigatória a apresentação de documento previsto em lei que comprove a condição do beneficiário na compra do ingresso e na entrada do teatro.
Classificação etária: Livre. De 04 a 08 anos para o público infantil, e 08 a 12 anos para o público infanto-juvenil.
Informações: www.montenegroproducoes.com
Realização: Montenegro