Xampus sólidos: a tendência sustentável que tem ganhado o mercado

Produzidos artesanalmente com ativos naturais, os xampus em barra são benéficos para o corpo e o meio ambiente

Indispensável em qualquer lista de cuidados básicos de beleza e bem-estar, o uso do xampu como principal forma de lavar os cabelos é uma prática tão comum a toda rotina de higiene que as opções disponíveis no mercado são incontáveis. A cada temporada, a indústria de artigos de cosmética e beleza desenvolve e disponibiliza novas soluções nesse âmbito, com inúmeras alternativas para os mais variados tipos de fios, resultados e necessidades. Nos últimos anos, o setor viu uma tendência crescer na contramão dos produtos cada vez mais industrializados: a dos xampus sólidos.

Pautado em experiências de autocuidado menos agressivas com o corpo e o meio ambiente, os xampus sólidos seguem a premissa do movimento global “slow beauty”, que propõe práticas de consumo mais conscientes e ecológicas com itens de beleza. A nomenclatura já explica que o formato é a principal distinção do produto para as alternativas mais comuns de xampus. “Embora não seja uma novidade, já que há registros de comercialização deste modelo desde a década de 1970, os xampus sólidos têm se popularizado muito entre os usuários adeptos de um estilo de vida mais natural e sustentável”, comenta Thiago Pissaia, fundador e idealizador da NESH, marca de cosméticos veganos e naturalmente artesanais.

A forma dos xampus sólidos lembra uma barra de sabonete, porém, é elaborado com componentes destinados especificamente aos cabelos. Um dos seus principais atrativos é a significativa redução de elementos nocivos e ingredientes sintéticos em sua composição, comparada as opções líquidas, isso faz com que os xampus sólidos sejam menos agressivos aos fios e couro cabeludo e, também, ao meio ambiente, já que os resíduos que são despejados na natureza não são prejudiciais, sua espuma é derivada da saponificação natural, e também seus ingredientes de limpeza e proteção aos fios é de forma natural. “Além disso, são produtos práticos, duráveis e ricos em ativos naturais que garantem higienização e tratamento livre dos danos provocados por substâncias químicas”, detalha Pissaia.

A NESH, que conta com loja física na cidade de Curitiba, oferece opções de xampus e condicionadores sólidos ‘’sem embalagem’’ ou com embalagem sustentável embalado com papel celofane e papel reciclável para todo tipo de cabelo, além de uma linha completa de cosméticos de ativos naturais com sabonetes vegetais com argila e óleos essenciais, sabonetes variados de frutas e sais de banho efervescentes. Para Thiago Pissaia, dar visibilidade a essa tendência é fundamental para a construção de uma nova forma de consumir. “Mais do que um novo formato, a difusão do uso de xampus sólidos e demais produtos veganos e naturalmente artesanais no dia a dia representa uma quebra no padrão da indústria que torna consciente, a busca pela beleza natural e o bem-estar do corpo e do planeta”, comenta.

Um dos destaques da marca é o Xampu Sólido Detox, desenvolvido com carvão ativado, lama vulcânica e castanha, além de óleos essenciais de menta, laranja doce e May Chang que proporciona uma limpeza profunda. Além das outras três opções de xampus da marca para cabelos oleosos, secos, ondulados e quebradiços. Quanto ao método de utilização do produto, Pissaia dá algumas dicas importantes: “A barra precisa ser friccionada ao couro cabeludo úmido até fazer espuma. Depois é só massagear. Após a utilização, o usuário por utilizar um condicionador natural ou, até mesmo, enxaguar com vinagre para equilibrar o pH dos fios”, detalha. “O uso do xampu natural requer um período de adaptação, que varia dependendo do cabelo. Nos primeiros dias é normal o cabelo ficar pesado até que o equilíbrio se estabeleça. Após essa adaptação o cabelo fica mais equilibrado ao seu natural e não precisa de lavagem todos os dias”, complementa.

Outro ponto que torna os xampus sólidos ainda mais sustentáveis é o fato de usarem pouca ou quase nenhuma embalagem plástica. “As pessoas estão cada vez mais preocupadas com o impacto ambiental de suas escolhas de consumo focados em aderir a hábitos de menor impacto ambiental no cotidiano, e não há dúvidas de que rever as formas convencionais de consumo na indústria da beleza é um dos passos de grande importância para fazer a diferença no futuro”, completa Pissaia.

Cuide de sua pele no verão

Estação mais quente do ano exige cuidados para evitar micoses, queimaduras e câncer de pele; leia esse guia e aproveite o melhor do verão, em dia com sua saúde

O verão está no ar! A estação mais queridinha do ano é sinônimo de férias, sol, calor e diversão para toda a família. Mas para não sentir os efeitos colaterais das altas temperaturas, você deve tomar cuidados especiais com a saúde, sobretudo com sua pele.

O sol e a e a desidratação acarretam problemas como queimaduras, envelhecimento precoce, aumentando até mesmo o risco de câncer. Para passar por essa temperada ileso, livre de doenças, é preciso se proteger. Confira nossas dicas para manter a pele seca, livre do suor, mas devidamente hidratada.

1. Pele linda e hidratada é sinônimo de saúde

Algumas alergias de pele são mais comuns no verão, como as brotoejas. Por isso, além de investir no filtro solar, é muito importante caprichar na limpeza e na hidratação. Seque bem o corpo após o banho, especialmente nas dobras, e aplique uma dose generosa de cremes hidratantes para evitar o ressecamento excessivo da pele.

2. O rosto merece atenção especial

O rosto precisa de cuidados redobrados no verão. Com o calor, a tendência é que a pele fique mais oleosa. Aposte em loções de limpeza livres de álcool, com formulações suaves, e busque hidratantes que já contêm FPS.

3. O protetor solar é seu melhor amigo no verão

Além de prevenir queimaduras e insolação, o protetor solar é essencial para garantir uma pele jovem e saudável. Esse produto desse ver usado diariamente, até nos dias chuvosos.

Aplique o produto pelo menos 30 minutos antes da exposição solar e reaplique a cada três horas. Na praia e na piscina o protetor deve ser usado sempre que sair da água e com a frequência indicada na embalagem do produto que você estiver utilizando.

Não esqueça de passar o protetor em locais como a orelha, pés, axilas e couro cabeludo – principalmente os calvos. O esquecimento pode causar queimaduras que, acumuladas, podem ser fator de risco de câncer de pele.

Evite filtros com fragrância e corantes, que podem provocar fotoalergias. Confira também se o produto é apropriado ao grau de oleosidade da sua pele, para prevenir a formação de cravos e espinhas.

4. Intensifique a hidratação

Com as altas temperaturas suamos mais e nosso corpo perde mais água. Por isso, tenha sempre a mão uma garrafinha no verão. A água ajuda a distribuir os nutrientes pelo sangue, deixando a pele e os cabelos mais saudáveis – o ideal é consumir entre dois e três litros por dia.

Uma dica é consumir chás gelados sem açúcar e águas saborizadas feitas em casa: misture algumas gotinhas de limão, gengibre e hortelã e você terá uma bebida refrescante para consumir o dia todo. Atenção para os sucos de frutas naturais: apesar de serem saudáveis, são calóricos e devem ser consumidos com moderação.

5. Banho de sol com cuidado

Todo mundo já sabe que a exposição solar excessiva causa queimaduras, insolação e é uma das responsáveis pela desidratação do corpo, que precisa de mais água para manter a temperatura do organismo.

Prefira tomar sol antes das 10h e depois das 16h. Nos outros horários, aproveite o verão na sombra ou debaixo do guarda-sol, sempre com muito filtro solar ou roupas com proteção UVA e UVB.

E se quiser manter o bronzeado por mais tempo, de preferência para alimentos ricos em vitamina C, como laranja, cenoura e abóbora, que ajudam a acelerar o processo de bronzeamento.

Dermatites então entre as doenças de pele mais comuns

A Sociedade Brasileira de Dermatologia aponta que 7% dos adultos e 25% das crianças convivem com a dermatite atópica: uma patologia crônica que se manifesta em ciclos. Os principais sintomas são coceira, vermelhidão e ressecamento intenso da pele nas regiões afetadas.

Fernanda Aguiar (CRM 30977), dermatologista da Clinipam, explica que não há uma causa específica para o problema. “A dermatite atópica é uma doença multifatorial, com caráter genético. A predisposição hereditária associada a fatores imunológicos e ambientais é que dá origem aos sintomas”, diz.

A dermatite atópica não é contagiosa e apresenta outros sintomas que vão além da vermelhidão e ressecamento da pele. Não é raro que os portadores também apresentem problemas de insônia, estresse e até depressão em casos mais graves, quando as manchas ocupam boa parte do corpo.

Por ser uma doença cíclica, pode até desaparecer por alguns anos. No entanto, há quem passe a vida toda sem buscar ajuda, apenas lidando com os sintomas quando eles surgem. “O diagnóstico é feito com base na história completa e detalhada da doença e pelo exame clínico. Não há um exame sanguíneo específico”, cita Fernanda.

Tratamento

O tratamento deve ser ministrado por um dermatologista, que vai sugerir cuidados para minimizar os desconfortos cutâneos e, consequentemente, melhorar a qualidade de vida dos pacientes. “Há diversas pomadas e medicações via oral que permitem controlar a doença. O uso de hidratantes como vaselina líquida e óleo de amêndoas também é recomendado”, finaliza Fernanda.

Especialista em assuntos espaciais que afirma que houve vida inteligente em Marte virá a Curitiba

De física quântica à investigação dos efeitos físicos dos UFOs, de casos de ataques perpetrados por extraterrestres aos anunnakis, de contatos alienígenas a abduções, dezenas de assuntos instigantes serão tratados em evento

A Revista UFO acaba de anunciar a realização, em 27 a 29 de março, de seu XXV Congresso Brasileiro de Ufologia, com a presença de um dos mais reconhecidos especialistas em assuntos espaciais dos Estados Unidos, o autor e conferencista Mike Bara. Ele é também uma das maiores celebridades da série Alienígenas do Passado, do canal History, onde fala sobre seres extraterrestres que conviveram com os sumérios no passado, os chamados anunnaki, termo que significa “aqueles que do céu desceram à Terra”.

A história dos anunnaki é bem conhecida desde os anos 60, quando o pesquisador e linguista Zecharia Sitchin traduziu tabulas sumérias em argila que descrevem como chegaram e como viveram na Terra estes misteriosos seres. Esta é parte importante da conhecida Teoria dos Antigos Astronautas, defendida, entre outros, por Erich von Däniken, autor de Eram os Deuses Astronautas?, e Mike Bara, que escreveu Ancient Aliens on the Moon e Ancient Aliens on Mars, ainda sem tradução no Brasil.

Release-01-Lançamento-09_01_2020-Imagem-1
O especialista em assuntos espaciais americano Mike Bara garante que a NASA esconde ter descoberto vestígios de vida inteligente em Marte há mais de 50 anos.
Civilização marciana

Segundo Bara, antes de virem à Terra na Antiguidade e conviverem com os sumérios, os anunnakis viveram em Marte e lá erigiram uma fabulosa civilização altamente sofisticada. Devido a um cataclismo, tudo foi transformado em ruínas, mas que já foram abundantemente registradas em missões espaciais da Agência Espacial Norte-Americana (NASA), como as sondas Voyager I e II, em 1977, e muitas outras depois.

Em inúmeras imagens até hoje secretas, mas que vazaram em várias ocasiões, aparecem pirâmides, edifícios enormes e cidades inteiras construídas pelos anunnakis. “A NASA manipulou e até falsificou fotos da superfície marciana para fazer o planeta parecer menos alienígena. Fontes da própria agência garantem já se sabe ter havido vida inteligente em Marte há pelo menos 50 anos”, diz o especialista em assuntos espaciais.

Release-01-Lançamento-09_01_2020-Imagem-2
Fotos de UFOs no espaço e até na Lua, recentemente vazadas dos arquivos da NASA, mostram que outras formas de vida inteligente acompanham nossas atividades espacais.
Data limite

Mike Bara é um dos 13 conferencistas convocados pela Revista UFO para palestrarem no XXV Congresso Brasileiro de Ufologia, que ocorrerá no Hotel Bourbon Curitiba. Entre os demais estão o cientista Alcides Côres, que tratará de física quântica, o rabino Paulo Sergio Batalini, que apresentará o tema “Manifestações Ufológicas Registradas em Código Secreto na Bíblia”, o professor de TI Jackson Camargo, que mostrará fotografias secretas da NASA de UFOs no Espaço e até na Lua.

Os cineastas paulistas Fabio Medeiros e Rebeca Casagrande, que produziram o documentário “A Data Limite Segundo Chico Xavier”, recorde absoluto de visualizações de um documentário brasileiro no Youtube, com 7,5 milhões de visitas, mostrarão que fatos recentes que estão ocorrendo agora – a exemplo das inéditas revelações dos Estados Unidos a respeito dos discos voadores –, seriam um efeito direto da chamada Data Limite.

Serviço:

XXV Congresso Brasileiro de Ufologia
27 a 29 de março, Hotel Bourbon Curitiba
Site oficial: www.ufologiabrasileira.com.br
Ingressos a partir de R$ 120

Jovens engrossam estatísticas de desemprego no Brasil

Na contramão do censo, a dbm oferece oportunidades para jovens aprendizes no mercado de trabalho e 70% deles são efetivados

A taxa de desemprego no país está em 11,8%, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada no último mês de setembro pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Driblar essa situação é um desafio ainda mais difícil para a população entre 18 e 24 anos. Dados apontados pelo mesmo estudo mostram que, entre os jovens, a estatística sobe para 26% — mais do que o dobro em comparação ao índice geral.

Na contramão do censo estão Guilherme Coelho, 20 anos, e João Carlos Costin, 19 anos, colaboradores da equipe da dbm, empresa paranaense especializada no desenvolvimento de tecnologias para o setor de contact center. Os dois ingressaram na companhia muito jovens, como menores aprendizes, e foram efetivados. Guilherme está na dbm há 3 anos e 7 meses, cursa administração de empresas e já ganhou algumas promoções até virar analista de control desk, seu cargo atualmente. Para ele, todo esse crescimento é sinônimo de segurança. “Estou numa empresa que pode me proporcionar um futuro promissor e meu plano é fazer carreira na dbm”, conta.

João Carlos também começou como menor aprendiz e foi efetivado após 7 meses. Já tem diploma de técnico em informática e agora faz o curso de análise de desenvolvimento de sistemas. E além do ótimo ambiente de trabalho – o alto astral é a marca registrada da empresa, segundo os colaboradores da dbm – a possibilidade de crescimento é outro fator que faz João Carlos vestir a camisa da corporação. “A chance de crescimento profissional é uma conversa recorrente por aqui e vemos que a empresa valoriza essa questão. A dbm é um lugar muito importante para mim, para minha autoestima. Eu organizo a parte técnica de todos os sistemas que serão usados pelas operações. Amo o que eu faço e ter contato com todas as pessoas do prédio inteiro é uma responsabilidade muito grande. Por isso, me orgulho do meu trabalho”, depõe.

E todo esse entusiasmo é reflexo da política da área de recursos humanos da dbm, com foco no desenvolvimento e retenção de talentos. A capacitação faz parte da filosofia da corporação, tanto para os jovens, que passam pelo estágio do primeiro emprego, como para as pessoas que estão na faixa dos 50 anos ou mais e que buscam a recolocação no mercado de trabalho.

Eliana Tartaglione, gerente de RH na dbm, explica que, os jovens aprendizes, que ingressam na companhia antes de completar 18 anos, passam por um grupo específico conhecido como job rotation, com duração de três meses, no qual têm a oportunidade de transitar por várias áreas. E quando percebem que determinado colaborador tem um perfil diferenciado e habilidades específicas, ele já é alocado nessa área na qual apresenta familiaridade e afinidade.
Mas, antes disso, esses jovens que nunca tiveram contato com o mercado de trabalho, passam por um processo de integração que irá norteá-los por toda a vida profissional. “Eles são acompanhados por uma psicóloga que os ajuda a acalmar toda essa ansiedade, gerada por uma grande mudança, que é a entrada no mercado de trabalho. Além de receberem todo esse acolhimento, os colaboradores aprendem como se portar no novo ambiente, qual a vestimenta e as formas de comunicações adequadas ao regime funcional e o que fazer para se destacar”, complementa Eliana.
Todo esse esforço por parte da companhia traz grande recompensa para a contratante e para o contratado: cerca de 70% dos menores aprendizes, que ingressa na empresa na faixa etária dos 16 anos são efetivados. Aqueles que não continuam na dbm, ao concluírem 18 anos, geralmente vão se dedicar aos estudos e procurar uma oportunidade de trabalho na sua área de atuação. Para todos eles, porém, a bagagem adquirida na dbm tem um grande peso na trajetória profissional. “Os colaboradores amadurecem e ganham segurança quando passam pelo processo de formação dos menores aprendizes. Desde o primeiro dia são acompanhados de perto por supervisores e iniciam em atividades de baixa complexidade. Assim que vão ficando mais seguros, ganham mais responsabilidade. É bem comum encontrar jovens retraídos, devido à insegurança. O acompanhamento, no dia a dia, por profissionais da área, é uma forma de reverter esse quadro. No final do processo eles estão aptos a realizar suas funções e seguir adiante na dbm ou em outra empresa”, informa Eliana.
Via de mão dupla

Todo esse trabalho de treinamento e capacitação de pessoal gera crescimento para os profissionais e para a empresa. Reter talentos é fundamental em companhias nas quais a equipe é encarada como o principal ativo. “No setor de contact center as pessoas fazem muita diferença. Sabemos a importância de investir em nossos colaboradores para que eles prestem o melhor atendimento para representar a marca dos nossos clientes. O nosso sucesso depende do comprometimento e atenção da nossa equipe”, ressalta a gerente de RH da dbm.

E se reter talentos é uma dificuldade geral das empresas, no setor de contact center esse desafio é maior ainda: “o turn over da nossa área de atuação é muito alto, porque as pessoas enxergam o setor de call center como um trabalho de passagem”, conta Eliana Tartaglione. Ela acrescenta que essa é mais uma razão para a empresa investir em ações para motivar e valorizar os colaboradores. “Sempre inovamos para satisfazer os anseios das novas gerações. Parte da nossa capacitação, por exemplo, passa pelo conceito da gamificação, que ajuda no engajamento da equipe no processo de treinamento. Na essência, a técnica é uma mistura de competição, recompensa e diversão. Ou seja, a gamificação trabalha com o lado lúdico e facilita a inclusão dos colaboradores no mundo da empresa”, finaliza.

Depressão: Cães e gatos também sofrem com a doença

O Brasil é o país mais deprimido da América Latina, são quase 12 milhões de brasileiros sofrendo com a doença. Porém, quem pensa que o transtorno depressivo aflige apenas seres humanos está enganado. Cães e gatos também convivem com o problema, conforme explica Luana Sartori, veterinária responsável pela Monello Select.

Traumas, abandono, chegada de um novo membro, mudança de ambiente e solidão são algumas das causas da depressão nos animais. “A tristeza profunda acomete cães e gatos que passam por experiências difíceis, por sustos grandes ou que ficam muito tempo sozinhos. Cada animal responde de uma forma a esses fatos expostos”, conta Luana.

É importante não confundir a depressão com a Síndrome da Ansiedade de Separação - conhecida pela sigla SAS. Muito embora os sintomas sejam semelhantes, são problemas diferentes. Alguns sinais indicam que o pet pode estar em estado de depressão como, por exemplo, a falta de apetite que vai piorando conforme os dias passam.

“A falta de interesse pelas coisas também pode ser sinal da doença. Ficar muito agitado, rejeitar carinhos do tutor, destruir objetos da casa, urinar em local diferente e latir em demasia também podem indicar um transtorno depressivo”, acrescenta a especialista da Nutrire.

Às vezes, a mudança de ambiente pode desencadear o problema. “O que parece simples para nós, não é tão simples para o pet. As mudanças sempre causam desconforto ao animal, que já estava ambientado ao local que vivia. Sair da zona de conforto pode causar medo aos bichinhos e uma série de doenças, inclusive a ansiedade e depressão”, revela.

O mais indicado para quem vai se mudar é levar o animal para reconhecer o local antes da mudança. Além disso, evitar ao máximo mudar seus hábitos e rotinas também é importante. “Leve o pet para passear nos mesmos horários, mantenha as mesmas brincadeiras e redobre o afeto para que ele se sinta acolhido nesse novo ambiente”, indica Luana.

Ao notar qualquer mudança no pet, seja física ou de comportamento, o recomendado é consultar o veterinário imediatamente. “Muitos desses sintomas estão relacionados com outras doenças mais graves, que exigem tratamento imediato. Por isso, é sempre importante que o animal esteja com as vacinas em dia e frequente um especialista regularmente”, alerta.

O tratamento varia de acordo com cada caso, mas pode ser necessário o uso de medicamentos alopáticos - que têm ação específica nos sintomas. Você pode ajudar a prevenir o transtorno depressivo estabelecendo uma rotina de brincadeiras e mantendo os passeios em dia. “O ambiente em que o animal vive deve ser limpo diariamente e, claro, protegido da chuva. É importante que os bichinhos aproveitem o sol, mas com cuidado para evitar o câncer de pele, especialmente nos gatinhos brancos. Todos esses fatores influenciam no bem estar do pet”, conclui Luana.

Crédito da foto: Pixabay / Download da imagem aqui.

Semifinalista do programa Canta Comigo vai se apresentar na Vila Urbana

O complexo de entretenimento recebe a cantora Emanuelle Strapassom nesta sexta-feira (10)

CURITIBA, 09/01/2020 – Para animar ainda mais a 2ª sexta-feira do ano, a cantora Emanuelle Strapassom, semifinalista do programa Canta Comigo, da TV Record, vai se apresentar no palco da Vila Urbana nesta sexta-feira, dia 10 de janeiro, a partir das 19h. Durante o evento gratuito, a artista vai estrear seu novo show, com muito Pop e Reggae 100% nacional.

Além da música, quem estiver na Vila Urbana durante a apresentação vai poder se deliciar com diversos sabores baseados nas mais variadas vertentes gastronômicas mundiais. No local é possível encontrar, por exemplo, pizzas, batata suíça, pratos executivos, salgados veganos, comida oriental, pastel, hambúrgueres, saladas, comida havaiana, comida mexicana, carnes especiais e doces gourmets. Para harmonizar com as refeições, o complexo de entretenimento conta ainda com lojas especializadas em cerveja artesanal, drinks autorais e vinhos.

A apresentação de Emanuelle Strapassom vai acontecer nesta sexta-feira, dia 10 de janeiro, a partir das 19h, no complexo de entretenimento Vila Urbana (Rua Marechal Deodoro, nº 686), no Centro de Curitiba. A entrada é gratuita. Mais informações no perfil oficial do empreendimento nas redes sociais.

Boa nova: clientes pedem e Outback oferece tábuas de Mates Club a qualquer hora do dia

Menu que apresenta duas novas opções de steaks servidos com acompanhamentos e ideais para compartilhar, agora está disponível durante o dia todo

O Outback Steakhouse começou 2020 com uma novidade deliciosa para seus fãs. O menu exclusivo Mates Club - que oferece aos clientes cortes de carnes diferentes, servidos em tábuas com molhos e acompanhamentos para compartilhar, permitindo a criação de deliciosas combinações – agora pode ser pedido a qualquer hora do dia nos 99 restaurantes da rede no país. O Outback tem duas unidades em Santa Catarina: em Florianópolis, no Beiramar Shopping, e em Balneário Camboriú, no Balneário Shopping.

O menu é imperdível para quem ainda não experimentou ou quer repetir a experiência de degustar um brisket braseado e um cupim grelhado marinados e cozidos lentamente que garantem uma incrível suculência e sabor.

As duas opções são: Mates N’ Steaks (R$ 74,90), uma tábua que traz Billy Ribs (costeletas de porco ao molho barbecue), brisket braseado e cortes de cupim grelhado cobertos com Caroline Mustard. Como acompanhamentos são servidas pétalas de Bloomin’ Onion, Homemade Golden Potatoes, Mac n’ Cheese com bacon, picles de cebola roxa, sour cream e molhos TABASCO® Tradicional e Chipotle. E Mates N’ Burgers (R$ 67,90), a icônica costela de porco do Outback desfiada, cortes de brisket braseado e o cupim grelhado coberto com Caroline Mustard. Junto com eles são servidos seis minipães tipo brioche, cheddar cream, pétalas de Bloomin’ Onion, picles de cebola roxa, coleslaw, fritas e molhos TABASCO® Tradicional e Chipotle.

Lembrando que as novidades de Mates Club ficam disponíveis por tempo limitado em todas as unidades da marca no Brasil.