O QUE ROLOU NO 3º DIA DE GEEK CITY

Final de concurso de cosplay, empreendedorismo e painéis de conteúdo e entretenimento

E chega ao fim, a segunda edição do maior evento de cultura pop e tecnologia do sul do país, o Geek City. No último dia, os destaques ficaram por conta do irreverente grupo Choque de Cultura e o painel nostálgico sobre os clássicos da TV Cultura.

No Main Stage, quem abriu o dia de evento foi o painel Quando Uma Start Up Vira Um Negócio Milionário, que contou com a presença de diversos cases de sucesso em um bate-papo rico de insights de empreendedorismo.

Em seguida rolou um bate-papo com Fulvio Pacheco, da Gibiteca e outros ilustradores, quadrinistas e roteiristas. O painel mostrou a força curitibana na produção de quadrinhos, apenas perdendo para São Paulo. 

Às 16h quem subiu ao palco foram Ian SBF e Totoro do Porta dos Fundos, para um painel repleto de informações para os geradores de conteúdo na internet. Com estrelas como Rosi Campos, Flávio de Souza, Eduardo da Silva e Fernando Gomes, não é preciso dizer que a atração, “Senta que Lá Vem a História” foi um sucesso, que levou as crianças da década de 90 a uma viagem no tempo.

E se você achou que esse painel não iria acontecer, achou errado! O highlight da noite é claro que foi deles, o grupo Choque de Cultura, que entrou no palco ovacionado. Os personagens Maurílio, Julinho da Van, Rogerinho do Ingá e Renan ficaram de lado, no lugar, Caito Mainier, Daniel Furlan, Leandro Ramos e Raul Chequer contaram todo a trajetória do grupo até chegar ao sucesso atual, sempre com muito bom humor e simpatia. 

Seguindo a tradição dos outros dias, de finalizar o evento com chave de ouro, a última etapa do concurso diário de cosplay do Geek City, teve como vencedor na categoria principal Evelyn Schneider, de Dr. Estranho.  A melhor presença de palco ficou com Camila de Camargo como Newt Scamande e a escolha do público foi Davi Batista, como o Dustin de Stranger Things.

A grande final do Concurso de Cosplay encerrou o palco principal em uma batalha épica! Júlio César foi eleito o melhor cosplay do evento como Warmachine e levou para casa uma TV LED de 32 polegadas, Camila Camargo como Newt Scamande, recebeu o prêmio de melhor presença de palco e ganhou uma caixa de som Bluetooth JBL e a escolha do público que levou um Atari Flashback para casa foi Davi Batista, como o Dustin de Stranger Things. 

Fechando os trabalhos na Arena Geek City, a Battlerite Pro League teve quatro confrontos emocionantes com supremacia da Pink Sloths. O time venceu a 3 Tigres Tristes por 3 a 2 e a equipe dos Visionários por 3 a 0, seguindo com força em direção à segunda semana dos playoffs. Nas outras duas partidas, vitória da Cansativo sobre a 3 Tigres Tristes, por 3 a 0, e da Ce Acredita Kevinho sobre os Hermanos Gordos, também por 3 a 0.

O Geek City 2018 chegou ao fim, mas vai deixar saudades, por isso já mantém a promessa de que no próximo ano, Curitiba se tornará a capital Geek do Brasil por mais alguns dias. 


Painel-Castelo-5Estandes do Geek City ofereceram diversas opções de entretenimento

Os participantes do evento puderam usufruir de todas as atrações disponíveis no pavilhão

Além dos painéis do Main Stage, pelo qual passaram muitos artistas reconhecidos pela cultura POP, e da Arena Geek, voltada ao pessoal que curte assistir aos campeonatos de e-sports, quem participou do Geek City pode se envolver com as atrações dos estandes do evento. 

Logo na entrada um caminhão da PlayStation, no qual os amantes de games faziam fila para jogar os lançamentos e criações da marca. Para quem prefere outras alternativas, o Xbox estava logo em seguida com três fileiras de opções para quem quisesse jogar novidades como Halo 5, ou clássicos como Fifa e Dragon Ball. Segundo Caio Mateus, um dos responsáveis pelo estande, o público que frequentou o espaço era bem diversificado. Ele achou muito interessante o fato dos filhos jogando com os pais em uma interação bonita de se ver. 

Para os amantes da vanguarda, havia jogos de tabuleiro no espaço Board Games. Lá, os jogadores lotaram as mesas para disputar partidas de RPG, que, se quisessem, poderiam comprar e levar para casa. Mesmo com um ar nostálgico, Eraldo Portugal, responsável pelo estande, afirmou que são poucas as pessoas que não têm qualquer informação sobre os jogos, até porque muitas dessas atividades se modernizaram e se adaptaram à realidade atual. “O público está rejuvenescendo. Há quatro anos, o target era de 30 anos, e hoje, muitos jovens e até crianças procuram mais por essa atração. Fora que, para os pais, pode ser uma oportunidade para relaxar e passar um tempo com seus filhos, além de estimular habilidades e imaginação”, contou. 

Aos ligados à arte da ilustração, havia espaços para desenhar, praticar suas técnicas quadrinistas e conhecer o trabalho de diversos profissionais paranaenses, que levaram seus trabalhos à Galeria de Artistas by UCI. Porém, os que queriam um pouco mais de adrenalina, puderam experimentar um gostinho do Escape 60, em um estande feito em parceria com a Jovem Pan, ao jogarem Operação Elementary com a intenção de descobrir a solução para sair da sala. Michel Godoi, responsável pelo ambiente, contou que isso fez com que muitas pessoas se interessassem pela atração e quisessem ainda mais. “Essa sala é só uma degustação. Os participantes entram em grupos de 6 a 8 pessoas e tentam descobrir, em 10 minutos, e com o auxílio de uma pessoa especializada, como sair da sala. Mas geralmente são 60 minutos e cinco espaços diferentes, então com certeza quem experimenta aqui, sai com um gostinho de quero mais”. 

Da área tecnológica, o público pode degustar o Motion Sphere que condizia à uma espécie de bola na qual os participantes entravam e podiam desfrutar da realidade virtual, podendo se sentir em uma montanha-russa ou em uma fuga de carros. Segundo Chrys Soares, que comandava o espaço, a receptividade do público foi muito alta e a atração consegue atender um público que vai desde os mais novos até o pessoal mais velho. “O simulador é muito didático. É possível ensinar desde matemática à biologia com ele. Por exemplo, nós já fizemos uma arte em que a pessoa é um comprimido dentro de um corpo humano, então a aplicabilidade é muito grande. Estar em um evento como o Geek City faz com que possamos mostrar o nosso trabalho também. Resumindo em uma palavra: é fantástico”. 

Além disso, empresas como a Copel, Intel, Wise Up, Positivo e Fanta também estavam com espaços dos quais o público podia participar, interagir e até mesmo concorrer a bolsas e promoções. Outra atração muito procurada pelos visitantes foi o estande do Zero 1, programa de TV sobre games e tecnologia, onde os participantes podiam comandar a atração, assim como o apresentador faz em estúdio, vivenciar a realidade virtual por meio dos óculos hololens e, ainda, utilizarem um capacete que funcionava com a força do pensamento para realizar ações como chutar uma bola no gol. 

Bruno Neves, diretor da Seven Entretenimento, falou da importância de trazer espaços como esses ao Geek City. “Tivemos muitos parceiros nessa temporada e todos tiveram uma importância incrível na produção e realização do evento. Buscamos ser democráticos e colocar diversas atrações que falasse com todo o público, até porque, a galera nerd tem uma vasta experiência em diferentes áreas. Por isso, só tenho a agradecer”, revelou. 

*com divulgação

Fotos: Caroline Hecke/Seven Entretenimento

 

Categorias:AGÊNCIAS DE COMUNICAÇÃO, AGENDA DO FIM DE SEMANA, BRASIL, COLUNA VANESSA MALUCELLI, CULTURA, DIVIRTA-SE, evento, FREE LIFESTYLE, LANÇAMENTOSTags:, , , , , ,

VanessaMalucelliAndersen

Colunista do Site — Divirta-se Curitiba!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s