MON inaugura exposição do artista Juarez Machado

A exposição comemorativa “Juarez Machado – Volta ao Mundo em 80 Anos”, que será inaugurada no Museu Oscar Niemeyer no dia 2 de junho, apresenta a obra de um dos mais representativos e importantes artistas brasileiros.

O multiartista catarinense Juarez Machado tem sua história ligada a Curitiba, para onde se mudou no início dos anos 1960 para estudar na Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Ele completou 80 anos em 2021.

A exposição reúne 166 obras em diversos suportes: pintura, desenhos, fotos, escultura e instalação. A coletânea abrange desde o início da carreira do pintor na capital paranaense até sua fase internacional com a mudança para Paris, em 1986 — passando pelos períodos no Rio de Janeiro, onde se destacou também como ilustrador, cenógrafo para televisão e teatro, figurinista, escultor e cartunista, entre outros ofícios criativos. A curadoria é de Edson Busch Machado.

“Lúdica e poética como tudo o que Juarez Machado produz, a mostra percorre com interatividade diferentes décadas, estilos, localidades, materiais, técnicas, mídias e vertentes artísticas”, afirma a diretora-presidente do Museu Oscar Niemeyer (MON), Juliana Vosnika. “Artista com obra no acervo, ele escreve agora o seu nome definitivamente na história do MON, num importante momento em que completa 20 anos e se consolida entre os principais museus da América Latina”, comenta.

Curitiba
A exposição inclui trabalhos que remetem ao início da carreira de Juarez Machado em Curitiba. “Seu despertar como artista teve início em Joinville. Mas foi em Curitiba que ele fundamentou esse trabalho antes de seguir pelo mundo”, diz Busch, que é também irmão do artista.

A mostra conta, por exemplo, com desenhos feitos com graxa para sapato na Rua XV de Novembro, no início dos anos 1960, quando Juarez nem sequer tinha recursos para comprar tintas. “O público de Curitiba irá se identificar com o Juarez que viveu em Curitiba de 1961 a 1964, quando também fez grandes amizades com nomes como Fernando Velloso, João Osorio Brzezinski, Fernando Calderari e Domício Pedroso”, lembra o curador.

Ateliês
O nome da exposição — uma referência ao clássico de Júlio Verne “A Volta ao Mundo em 80 Dias” — traduz, em parte, o movimento constante de Juarez Machado, que nasceu em Joinville (SC), em 1941, e hoje se divide entre seus ateliês nas capitais fluminense e francesa depois de correr o mundo.

A mostra inclui obras produzidas em diferentes locais — sobretudo em ateliês em Paris, mas também em locais temporários para o artista, como Veneza e Saint Paul de Vence, na França. “Cada ateliê é representado com cores, códigos e uma linha pictórica diferente, que a exposição reúne muito didaticamente”, explica Busch.

Influência
A obra de Juarez Machado tornou-se patrimônio mundial, colecionando prêmios de arte nacionais e internacionais. Suas criações, ricas em ousadia, complexidade e humor, influenciaram gerações de artistas no Brasil e no exterior.

Entre os artistas influenciados por Juarez Machado está o diretor francês de cinema Jean-Pierre Jeunet, que se inspirou no inconfundível universo de cores do pintor para criar o visual do famoso filme “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain” (2001). O diretor conheceu o artista no início dos anos 2000, comprou quadros e estudou seu estilo.

“É possível relacionar a temática, as paletas de cores e diversas nuances do filme com todas as pinturas da exposição, pois Jeunet se inspirou diretamente nas obras do artista”, explica Busch. “O público conseguirá identificar cores como o verde veronese e o vermelho terral que são vistos em ‘Amélie’”, explica Busch.

Mímica
No Brasil, o artista multimídia também deixou sua marca em referências da cultura popular como o semanário impresso “O Pasquim” e a TV Globo, onde criou quadros humorísticos e musicais, além de assinar a criação de cenários e figurinos. Muitos ainda se lembram dos vídeos de mímica que Juarez Machado criou e estrelou para o programa “Fantástico” nos anos 1970.

A exposição fará referência a este famoso personagem nacional com a exibição de alguns desses vídeos em dois monitores. “É realmente uma figura significativa para muita gente que começou a conhecer Juarez a partir deste quadro do ‘Fantástico’”, lembra o curador.

Ilustração
Também tiveram a assinatura de Juarez Machado capas de livros e discos e projetos de design e arquitetura ao lado de nomes como Sergio Rodrigues e o próprio Oscar Niemeyer.

Algumas das mais de 200 capas de discos e livros criadas pelo artista poderão ser vistas na vitrine de artes gráficas da mostra, que ajudará a compor a retrospectiva da vida e obra de Juarez, juntamente com um painel de fotografias e informações biográficas.

Escultura
Entre os destaques da exposição estão dezenas de esculturas, suporte com o qual Juarez Machado se destacou logo no início da carreira. Há obras em bronze, metal e gesso, além da conhecida instalação criada com estátuas de Branca de Neve e os Sete Anões.

Também estará presente a famosa bicicleta com rodas quadradas que inspirou o logotipo do Instituto Juarez Machado.

Instituto
Mais recente empreendimento de Juarez Machado em Joinville, o instituto que leva seu nome foi fundado pelo artista em 2014, com a ideia de estimular a arte na cidade catarinense. A instituição, sediada em uma antiga casa da família construída em meados da década de 1930, desenvolve pesquisas, resgate e promoção de obras de Juarez e de outros artistas locais.

O instituto vem desenvolvendo mostras paralelas a partir da aprofundada pesquisa sobre a trajetória de Juarez Machado para a exposição que será aberta agora no Museu Oscar Niemeyer.

Bicicleta
Segundo o curador da exposição, Edson Busch Machado, a ideia é que o público percorra a mostra como se estivesse fazendo um passeio de bicicleta — um dos ícones do universo pictórico de Juarez. Esse é o tema da projeção de vídeo que encerra a exposição.

“Juarez mescla a bicicleta, um elemento da infância em sua cidade natal, com a descoberta da figura humana, seja no estudo da anatomia na Belas Artes ou das belas mulheres que ele tão bem retrata em suas pinturas. E, a partir desses dois elementos, a curadoria parte para suas demais obras”, explica. “É uma viagem de bicicleta que percorre esses 80 anos e relembra todos esses elementos — os ateliês, as paisagens, as mulheres”, explica Busch.

Educativo
Ao longo do período expositivo, estão previstas seis oficinas para escolas públicas de Curitiba. Também haverá duas visitas mediadas, realizadas pelo curador da exposição para o público visitante, com tradução em libras, conforme o cronograma a seguir:

– Oficinas com público espontâneo: dias 8 e 22 junho, das 15h às 17h
– Oficinas com público agendado: dias 6 e 20 de julho: das 15h às 17h
– Oficinas com escola pública: dias 10 e 24 de agosto, das 15h às 17h
– Visitas mediadas ao público espontâneo com o curador, Edson Busch Machado: dia 24 de agosto, às 11h e às 15h

Catálogo
No dia 23 de agosto, às 19h, será lançado ao público o catálogo da exposição contendo texto curatorial, linha do tempo do artista e imagens de obras. O lançamento será marcado por uma mesa redonda no miniauditório do MON com a participação do curador da exposição, Edson Busch Machado, e do crítico de arte Fernando Bini.

A exposição “Juarez Machado – Volta ao Mundo em 80 Anos” foi concebida pelo Instituto Juarez Machado e fica em cartaz até 18 de setembro. A mostra é uma realização da Secretaria Especial da Cultura (Ministério do Turismo) e do MON e tem patrocínio da Vonder.

Sobre o MON
O Museu Oscar Niemeyer (MON) é patrimônio estatal vinculado à Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura do Paraná. A instituição abriga referenciais importantes da produção artística nacional e internacional nas áreas de artes visuais, arquitetura e design, além de grandiosas coleções asiática e africana. No total, o acervo conta com aproximadamente 14 mil obras de arte, abrigadas em um espaço superior a 35 mil metros quadrados de área construída, sendo 17 mil metros quadrados de área para exposições, o que torna o MON o maior museu de arte da América Latina. Os principais patrocinadores da instituição, empresas que acreditam no papel transformador da arte e da cultura, são: Copel, Sanepar, Grupo Volvo América Latina, Vivo, Grupo Focus e Moinho Anaconda.

Serviço
Exposição “Juarez Machado – Volta ao Mundo em 80 Anos”
De 2 de junho a 18 de setembro de 2022
Sala 3
Museu Oscar Niemeyer (R. Marechal Hermes, 999), (41) 3350-4400. De terça a domingo, das 10h às 17h30 (permanência até 18h). R$ 30 e R$ 15 (meia-entrada). Toda quarta-feira, entrada gratuita.
www.museuoscarniemeyer.org.br

Foto de Juarez: Max Schwoelk
Fotos das obras: Dico Kremer
Legendas:
"Verão em Deauville" – Óleo sobre tela (40x100) – Paris, 1999
"Lembranças do Piano de Tom Jobim" – Óleo sobre tela (73x100) – Paris, 1994
"Diretas Já" – Óleo sobre tela (70x95) – 1984
Sem título – Escultura em bronze (35,2 x 26,6 x 12,8) – 2000

MON abre normalmente nos feriados de abril

O Museu Oscar Niemeyer (MON) estará aberto normalmente ao público nos feriados de Sexta-feira Santa, Páscoa e Tiradentes, dias 15, 17 e 21 de abril. O horário de funcionamento é das 10h às 18h, sendo o último horário de acesso às 17h.

A MON Loja também abrirá nestes dias, seguindo o horário de funcionamento do Museu. Nela, o visitante encontra presentes, peças de design assinadas, livros de arte e livros infantis, além de catálogos e souvenirs de exposições de arte com a marca do Museu Oscar Niemeyer. Para mais informações, acesse www.museuoscarniemeyer.org.br/visite/ingressos-horarios.

O MON Café segue o horário de funcionamento das 9h às 19h.

Em cartaz
Várias exposições estão em cartaz atualmente no MON. São elas: “O Labirinto da Luz”; “África, Expressões Artísticas de um Continente”; “Ásia: a Terra, os Homens, os Deuses – Segunda Edição”; “O Mundo Mágico dos Ningyos”; “Lados Lados”; “Afinidades”; “Da Vinci Experience”; “Espaço Niemeyer”; “Cones” e obras do Pátio das Esculturas.

Ingressos
Os ingressos custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada para professores e estudantes com identificação; doadores de sangue; pessoas com deficiência; titulares da ID Jovem; pessoas com câncer com documento comprovatório). Menores de 12 anos, maiores de 60 anos, jornalistas, taxistas credenciados à URBS, membros da Associação Profissional dos Artistas Plásticos do Paraná (APAP) e membros do International Council of Museums (ICOM) têm direito à entrada gratuita, mediante apresentação de documento que comprove a condição.
Eles podem ser adquiridos online ou diretamente na bilheteria, sem a necessidade de fazer agendamento prévio.

SOBRE O MON
O Museu Oscar Niemeyer (MON) é patrimônio estatal vinculado à Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura do Paraná. A instituição abriga referenciais importantes da produção artística nacional e internacional nas áreas de artes visuais, arquitetura e design, além de grandiosas coleções asiática e africana. No total, o acervo conta com mais de 14 mil peças, abrigadas em um espaço superior a 35 mil metros quadrados de área construída, sendo 17 mil metros quadrados de área para exposições, o que torna o MON o maior museu de arte da América Latina. Os principais patrocinadores da instituição, empresas que acreditam no papel transformador da arte e da cultura, são: Copel, Sanepar, Grupo Volvo América Latina, Vivo, Grupo Focus e Moinho Anaconda.

Serviço:
Museu Oscar Niemeyer (MON)
Aberto nos feriados de abril, das 10h às 18h.
Rua Marechal Hermes, 999
www.museuoscarniemeyer.org.br

MON promove visita mediada e oficina na exposição de Orlando Azevedo

A edição de março do programa Arte para Maiores, do Museu Oscar Niemeyer (MON), destinado especialmente ao público com mais de 60 anos, terá visita mediada e oficina prática na exposição “O Labirinto da Luz”, do fotógrafo Orlando Azevedo.

Será no dia 15 de março, das 14h às 17h, com a equipe do Educativo do Museu. As vagas são limitadas e não é necessário possuir conhecimento prévio em artes visuais. Para se inscrever é necessário preencher o formulário online.
Haverá também uma videoconferência com o fotógrafo e com o curador da exposição, Rubens Fernandes Junior, no dia 22 de março, das 14h às 15h30. Mais informações e inscrição em: bit.ly/APMmarco.

O Labirinto da Luz
A mostra “O Labirinto da Luz” celebra os 50 anos de fotografia de Orlando Azevedo. São 237 imagens, com curadoria de Rubens Fernandes Junior, que podem ser vistas pelo público na Sala 1 do MON.

O curador criou um labirinto que divide a exposição em núcleos referentes a algumas das vertentes criativas do fotógrafo. São eles: “Ruínas”; “Religiosidade”; “Índia”; “Cósmica”; “Retratos”; “Marinhas”; “Corpo e Movimento”; “Paisagem”; “Festas e Populares”; “iPhone”; “Surreal” e “Voo”.

Orlando Azevedo possui obras em diversos acervos do Brasil e de outros países, como no International Center of Photography, em Nova York; Centre Georges Pompidou e Museu Francês de Fotografia, em Paris; Museu de Arte de São Paulo (MASP); Museu de Arte Moderna de São Paulo; Instituto Cultural Itaú; Museu de Fotografia Cidade de Curitiba; Empresa Portuguesa das Águas Livres/Lisboa; Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro; Museu Afro-Brasileiro, em São Paulo; Fototeca de Cuba, em Havana, além do próprio Museu Oscar Niemeyer (MON), e também várias e importantes coleções privadas nacionais e internacionais.

No total, Orlando tem 12 livros publicados e entre eles estão: “Mestiço – Retrato do Brasil” (2019); “Augusto Weiss 1890/1990” (2017) e “Rio Grande/RS” (2014).

Arte para Maiores
Em 2019, o programa Arte para Maiores conquistou um importante reconhecimento nacional na área de educação em museus, o Prêmio Darcy Ribeiro 2019, concedido pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM). Em 2020, o programa tornou-se on-line, em decorrência das restrições impostas pela pandemia. Em 2021, o Arte para Maiores retornou em sua versão presencial, seguindo o protocolo de segurança.

SOBRE O MON
O Museu Oscar Niemeyer (MON) é patrimônio estatal vinculado à Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura do Paraná. A instituição abriga referenciais importantes da produção artística nacional e internacional nas áreas de artes visuais, arquitetura e design, além de grandiosas coleções asiática e africana. No total, o acervo conta com mais de 9 mil peças, abrigadas em um espaço superior a 35 mil metros quadrados de área construída, sendo 17 mil metros quadrados de área para exposições, o que torna o MON o maior museu de arte da América Latina. Os principais patrocinadores da instituição, empresas que acreditam no papel transformador da arte e da cultura, são: Copel, Sanepar, Grupo Volvo América Latina, Vivo, Grupo Focus e Moinho Anaconda.

Serviço
Visita mediada e oficina
Data: 15 de março
Horário: das 14h às 18h

Videoconferência
Data: 22 de março
Horário: das 14h às 15h30
Inscrição: bit.ly/APMmarco

Museu Oscar Niemeyer
Rua Marechal Hermes, 999
Curitiba – Paraná
museuoscarniemeyer.org.br

Catálogo com imagens inéditas da exposição “OS GÊMEOS: Segredos” no MON já está disponível

O Museu Oscar Niemeyer (MON) acaba de lançar um novo catálogo da exposição “OSGÊMEOS: Segredos”, com imagens inéditas da mostra realizada no MON, que já foi vista por mais de 143 mil visitantes. Este é o último mês da exposição, que irá até o dia 3 de abril.

Produção original da Pinacoteca de São Paulo, a exposição em Curitiba é uma parceria com o Museu Oscar Niemeyer, apresentada pela Copel e viabilizada pelo Governo do Estado do Paraná. Estão expostos mais de 850 itens, entre pinturas, instalações imersivas e sonoras, esculturas, intervenções site specific, desenhos e cadernos de anotações.

O novo catálogo é um complemento do anterior, que já está esgotado, e traz imagens específicas da exposição no MON. Os exemplares são limitados e estão disponíveis na MON Loja. Outros produtos relacionados à exposição também estão disponíveis na loja, como camiseta, garrafinha e marcador de páginas.

Os artistas
A dupla de artistas formada pelos irmãos Gustavo e Otávio Pandolfo (São Paulo, 1974) construiu uma trajetória no mundo das artes sem nunca ter perdido de vista o desejo de manter-se acessível ao grande público.

Esse percurso inclui a participação em mostras nas principais instituições internacionais, como o Hamburger Bahnhof, em Berlim, em 2019, com um projeto concebido em parceria com o grupo berlinense de breakdance Flying Steps – um dos mais premiados mundialmente; a Vancouver Biennale, no Canadá (2014); o MOCA – Museum of Contemporary Art, em Los Angeles (2011); o MOT – Museum of Contemporary Art Tokyo, em Tóquio, no Japão (2008); a Tate Modern, em Londres, no Reino Unido (2008), onde os artistas pintaram a fachada, e a Trienale de Milão (2006), entre outros. Ao longo de sua carreira, os irmãos também receberam convites para criar para os principais espaços públicos de mais de 60 países, incluindo Suécia, Alemanha, Portugal, Austrália, Cuba, Estados Unidos – com destaque para os telões eletrônicos da Times Square, em Nova York (2015) –, entre outros.

Gustavo e Otávio sempre tomaram o espaço urbano como lugar de vivência e de pesquisa desde o início de sua produção, em meados da década de 1980. Os artistas partiram de uma forte imersão na cultura hip hop, que havia chegado ao Brasil no momento em que os irmãos começaram a produzir, e da influência da dança, da música, do muralismo e da cultura popular para desenvolver um estilo singular, com atmosfera alegre, que acabou se tornando um emblema dos espaços urbanos pelo Brasil e pelo mundo.

SOBRE O MON
O Museu Oscar Niemeyer (MON) é patrimônio estatal vinculado à Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura do Paraná. A instituição abriga referenciais importantes da produção artística nacional e internacional nas áreas de artes visuais, arquitetura e design, além de grandiosas coleções asiática e africana. No total, o acervo conta com mais de 9 mil peças, abrigadas em um espaço superior a 35 mil metros quadrados de área construída, sendo 17 mil metros quadrados de área para exposições, o que torna o MON o maior museu de arte da América Latina. Os principais patrocinadores da instituição, empresas que acreditam no papel transformador da arte e da cultura, são: Copel, Sanepar, Grupo Volvo América Latina, Vivo, Grupo Focus e Moinho Anaconda.

Serviço:
Catálogo “OSGEMEOS: Segredos, a Exposição”
Disponível na MON Loja
Valor: R$ 70
Contato: (41) 3350-4467, ou lojadomon@gmail.com
www.museuoscarniemeyer.org.br

Mulheres artistas com obras no acervo são destaque na programação deste mês no MON 

Em comemoração ao Dia Internacional das Mulheres, em 8 de março, o Museu Oscar Niemeyer (MON) oferece ao público, ao longo deste mês, várias atividades desenvolvidas por mulheres artistas que têm obras no acervo da instituição. São mediações em texto, videoconferência e oficinas artísticas.

A programação terá início no dia 7, com uma série de publicações nas redes sociais do MON, que trarão mediações em texto sobre obras de artistas mulheres presentes no acervo.

No dia 8, haverá uma videoconferência gratuita com a artista Lilian Gassen, às 19h. Com o título “Campo Artístico, uma Arena de Disputas”, a conversa vai abordar a inserção de artistas mulheres no sistema da arte no Estado do Paraná. A partir dessa perspectiva vamos discutir a instauração de um espaço de luta e resistência e todas as contradições nele estabelecidas por sua complexidade e constante transformação.

Lilian Gassen é licenciada em Educação Artística – Artes Plásticas (2001) e em Educação Artística – Desenho (2000) pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). É mestre em História pela UFPR (2007). Atua principalmente como artista visual, pesquisadora e professora. Atualmente é professora no Departamento de Escultura da Escola de Música e Belas Artes do Paraná – Embap, onde ministra disciplinas de graduação como Escultura II, Gerenciamento e Documentação e Técnica de Projeto em Escultura. Também atua como docente em cursos de extensão universitários e palestras nos seguintes temas: técnicas tradicionais de escultura, teoria e prática da cor e mudanças culturais no meio artístico de Curitiba, de 1960 a 1990. Juliane Fuganti - Crédito_ Cadi Busatto.jpg

MON estará aberto ao público no Carnaval

O Museu Oscar Niemeyer (MON) estará aberto normalmente ao público em todos os dias do feriado de Carnaval, incluindo segunda, terça e quarta-feira (dias 28, 1° e 2), em horário normal: das 10h às 18h.

Maior museu de arte da América Latina, o MON oferece atualmente aos seus visitantes 12 exposições simultâneas. Para acessá-las, os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria física ou on-line, a partir do site da instituição, mas existem algumas especificações. São elas:

Para a exposição “OSGEMEOS: Segredos”, o ingresso é vendido exclusivamente online, com dia e horário marcados. Não é possível fazer a compra na bilheteria física. Ingressos isentos e as entradas gratuitas das quartas-feiras também precisam ser agendados. O ingresso dá direito a visitar as demais mostras em cartaz no Museu.

Para as demais exposições, inclusive “Da Vinci Experience e suas Invenções”, os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria física do MON ou de maneira on-line, no site do Museu, não sendo necessário o agendamento prévio. O acesso à exposição pode ser feito até as 17h. Esses ingressos não dão acesso à exposição “OSGEMEOS: Segredos”, localizada no Olho.

“Da Vinci Experience e suas Invenções”, a mais recente exposição inaugurada pelo MON, apresenta a trajetória de uma das mentes mais brilhantes da história, de forma interativa e inovadora, com reproduções de suas principais obras e réplicas artesanais das famosas máquinas criadas por ele, como bicicleta, paraquedas, volante, tanque blindado e asa-delta.

Essencialmente didática, interativa e imersiva, a exposição conduz o público a penetrar em espaços digitais, vivenciando as mais diversas experiências multissensoriais.

Além de “Da Vinci Experience e suas Invenções”, as exposições atualmente em cartaz no MON são: “O Labirinto da Luz”, de Orlando Azevedo; “Forma e Matéria”, de Claudia Moreira Salles; “Afinidades”; “OSGEMEOS: Segredos”; “Mens Rea: A Cartografia do Mistério”, de Mac Adams; “África, Expressões Artísticas de um Continente”; “Ásia: a Terra, os Homens, os Deuses – Segunda Edição”; “O Mundo Mágico dos Ningyos”; “Espaço Niemeyer”; “Cones” e obras do Pátio das Esculturas.

O MON fica aberto até as 18h, mas o último horário de acesso é às 17h. Os momentos mais tranquilos para visitação do Museu são terças, quintas e sextas-feiras, ou aos fins de semana, na parte da manhã.

SOBRE O MON
O Museu Oscar Niemeyer (MON) é patrimônio estatal vinculado à Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura do Paraná. A instituição abriga referenciais importantes da produção artística nacional e internacional nas áreas de artes visuais, arquitetura e design, além de grandiosas coleções asiática e africana. No total, o acervo conta com mais de 9 mil peças, abrigadas em um espaço superior a 35 mil metros quadrados de área construída, sendo 17 mil metros quadrados de área para exposições, o que torna o MON o maior museu de arte da América Latina. Os principais patrocinadores da instituição, empresas que acreditam no papel transformador da arte e da cultura, são: Copel, Sanepar, Grupo Volvo América Latina, Vivo, Grupo Focus e Moinho Anaconda.

Serviço
Museu Oscar Niemeyer (MON)
www.museuoscarniemeyer.org.br

Semana de Arte Moderna de 1922 é tema de série de posts do MON

A partir deste domingo, dia 13, as redes sociais do Museu Oscar Niemeyer (MON) darão início a uma série informativa de posts e quiz sobre a Semana de Arte Moderna, que completa 100 anos.

O evento, realizado em São Paulo em fevereiro de 1922 por um grupo de intelectuais, tinha o objetivo de mostrar e promover uma arte livre, sem paradigmas, e tornou-se marco da arte moderna no Brasil.

Os artistas que participaram da Semana de Arte Moderna e que têm obras no acervo do MON são: Anita Malfatti, Di Cavalcanti e Vicente do Rego Monteiro.

Anita Malfatti (1889-1964)
Depois de entrar em contato com a arte moderna em seus estudos na Alemanha e nos Estados Unidos, Anita Malfatti produziu uma série de pinturas especialmente influenciada pelo Expressionismo. Suas obras, no entanto, foram qualificadas como “coisas dantescas” por seu tio, que até então a patrocinava. Pouco depois, a própria pintora foi considerada uma artista equivocada em ferina crítica publicada por Monteiro Lobato. Apesar disso, Anita foi acolhida com entusiasmo pelos modernistas, sendo uma das artistas que mais tiveram espaço na exposição da Semana de Arte Moderna de 1922.
O MON possui em seu acervo uma pintura de Anita intitulada “Caminho da Vila”, na qual a artista mostra, com sua usual e reduzida paleta, como ela via aquela paisagem composta de uma estrada que conduz ao interior de uma vila rural.

Di Cavalcanti (1897-1976)
Di Cavalcanti, reconhecido pintor de temas que abordam a cultura e a sociedade brasileiras, começou como chargista e ilustrador de revistas. Foi um dos idealizadores da Semana de Arte Moderna de 1922 e quem ilustrou a capa do programa e do catálogo da exposição que foi realizada no hall do Teatro Municipal. O próprio Di participou dessa mostra expondo 11 telas. Depois de 1922, ele passou um tempo em Paris, de onde retornou bastante influenciado pelo Cubismo, que passou a ser refletido nas suas obras, sempre ligadas, contudo, à realidade brasileira.
O MON possui em seu acervo a aquarela “Mulher com Flores e Cachorro”, onde se vê a figura volumosa da mulher morena tantas vezes representada em suas obras.

Vicente do Rego Monteiro (1899-1970)
Seis anos após retornar de Paris, onde havia feito seus estudos de arte, Vicente do Rego Monteiro realizou uma exposição em São Paulo inspirada na arte indígena e que foi considerada “futurista” pela crítica, o que não significava, então, algo lisonjeiro. O artista acabou se aproximando dos modernistas e, em 1922, antes de retornar a Paris, deixou oito pinturas, entre óleos e aquarelas, para serem expostas na Semana de Arte Moderna.
O MON possui em seu acervo uma pintura de Vicente do Rego Monteiro intitulada “Meditação”, na qual se vê o característico traço do artista, que transmite volume e textura aveludada à figura.
Exposições realizadas
O MON também já realizou exposições sobre alguns dos artistas que participaram da Semana de Arte de 1922. São eles: Anita Malfatti, Di Cavalcanti e John Graz. Saiba mais sobre as mostras:

Anita Malfatti
Em 2011, o MON promoveu a exposição “Anita Malfatti”, que contou com 93 obras da artista, de diferentes épocas. Nessa exposição, o público pôde observar as primeiras obras com ímpetos modernos, marcadas pelo tom expressionista e, também, obras produzidas no final de sua vida, pinturas bucólicas e que beiravam o primitivismo. Compreende-se o percurso de Anita, presente na exposição, pelas palavras da própria artista: “Procurei todas as técnicas e voltei à simplicidade, diretamente, não sou mais moderna nem antiga, mas escrevo e pinto o que me encanta”.

Di Cavalcanti
Em 2012, o MON realizou a exposição de 74 obras de Di Cavalcanti intitulada “Di Cavalcanti, Brasil e Modernismo”, uma das maiores exposições até então realizadas sobre o artista. O público pôde entrar em contato com obras inéditas do artista e com outras já consagradas, como “Cinco Moças de Guaratinguetá”.

John Graz (1891-1980)
John Graz, artista suíço radicado no Brasil e considerado um dos introdutores do estilo art déco no país, participou com sete obras na exposição da Semana de Arte Moderna de 1922. Além de pintor, Graz conquistou reconhecimento como arquiteto de interiores e designer de móveis. Em 2010, o MON apresentou a exposição “John Graz”, que mostrava desenhos, pinturas, esculturas e móveis criados por ele, num total de 108 peças que testemunhavam sua versatilidade.

Modernismo
Em 2016, o MON recebeu a exposição “Arte Moderna na Coleção da Fundação Edson Queiroz”. Foram expostas 76 obras produzidas entre as décadas de 1920 e 1960 por diversos artistas modernistas que vieram na esteira dos acontecimentos da Semana de Arte Moderna de 1922. A exposição contou com obras de Anita Malfatti, Di Cavalcanti, Victor Brecheret e Vicente do Rego Monteiro, artistas que participaram da exposição de arte daquela semana.
O catálogo da exposição “Arte Moderna na Coleção da Fundação Edson Queiroz” está à venda na loja do MON, assim como outros de exposições vinculadas ao modernismo, como “Anita Malfatti”, “John Graz”, “Di Cavalcanti - Brasil e Modernismo”, “Luiz Sacilotto” e “Abraham Palatnik”.

SOBRE O MON
O Museu Oscar Niemeyer (MON) é patrimônio estatal vinculado à Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura do Paraná. A instituição abriga referenciais importantes da produção artística nacional e internacional nas áreas de artes visuais, arquitetura e design, além de grandiosas coleções asiática e africana. No total, o acervo conta com mais de 9 mil peças, abrigadas em um espaço superior a 35 mil metros quadrados de área construída, sendo 17 mil metros quadrados de área para exposições, o que torna o MON o maior museu de arte da América Latina. Os principais patrocinadores da instituição, empresas que acreditam no papel transformador da arte e da cultura, são: Copel, Sanepar, Grupo Volvo América Latina, Vivo, Grupo Focus e Moinho Anaconda.

Serviço
Museu Oscar Niemeyer (MON)
www.museuoscarniemeyer.org.br
@museuoscarniemeyer

MON abre mostra Da Vinci Experience

Exposição interativa apresenta projeções em realidade virtual e maquetes de invenções

A exposição “Da Vinci Experience e suas invenções” celebra os 500 anos da morte do gênio Leonardo da Vinci (1452-1519) e chega a Curitiba para apresentar a trajetória de uma das mentes mais brilhantes da história, de forma interativa e inovadora.

A mostra é dividida em quatro núcleos que mostram as diversas abordagens do artista - engenharia, arquitetura, pintura e anatomia -, além de vídeos e uma sala de imersão que convidam o público a mergulhar no universo criativo de Da Vinci por meio de diferentes linguagens.

“Da Vinci Experience e suas invenções” poderá ser vista nas salas 3 e 6 do Museu Oscar Niemeyer no período de 17 de fevereiro a 8 de maio de 2022.

“Com o propósito de sensibilizar as pessoas para a arte e pela arte, a realização da mostra Da Vinci Experience vem ao encontro das premissas do MON”, afirma a diretora-presidente do Museu Oscar Niemeyer, Juliana Vosnika. Ela explica que além de colecionar e expor artes visuais, arquitetura e design, a instituição busca oferecer aprendizados transformadores e diálogos constantes entre público e arte. “O Museu Oscar Niemeyer é um espaço vivo que proporciona experiências únicas e inesquecíveis. A mostra imersiva sobre Da Vinci sem dúvida será mais uma delas”, comenta Juliana.

“A exposição destina-se a um público de todas as idades. O objetivo é compartilhar o universo particular das criações de Da Vinci e revelar alguns dos mistérios que habitavam a mente do gênio”, explica Ricardo Ribenboim, diretor da Base7 Projetos Culturais, responsável pela mostra.

Na Sala de Máquinas, o visitante encontra dez reproduções artesanais das famosas máquinas pensadas e desenvolvidas pelo artista, como o paraquedas, o volante e a asa-delta. Leonardo da Vinci, acima de tudo, foi um cientista brilhante e projetou dispositivos que, posteriormente, viriam à luz em sua forma definitiva.

Projeções gigantescas e uma trilha sonora Dolby Surround 360o coroam a narrativa, formando a Sala Imersiva. Nela, o público mergulha em centenas de imagens digitalizadas e vídeos em alta definição.

Concebida pela Crossmedia Group e consultoria de Roberta Barsanti, diretora do Museo Leonardiano, em Vinci, a exposição foi exibida na Itália, nas cidades de Milão, Florença e Treviso; no Peru, em Lima; no Chile, em Santiago; na Colômbia, em Bogotá; e no Brasil, em São Paulo.

Ministério do Turismo e Copel apresentam a exposição, que conta com patrocínio da Uninter, apoio do Park Shopping Barigüi, Peregrino Neto Advogados, Colégios Marista de Curitiba e apoio institucional do Consulado Geral da Itália em Curitiba. Uma realização do MON e da Secretaria da Comunicação Social e da Cultura do Estado do Paraná.

Educativo -
Ao longo do período expositivo, estão previstos atendimentos ao público espontâneo e grupos agendados, por meio de visitas guiadas e oficinas, além de palestras para o público geral.
Para mais informações e inscrições, basta entrar em contato pelo e-mail agendamentodavinci@gmail.com ou pelo telefone 41- 99920-0419 (atendimento de terça a sexta, das 14h às 17h).
Oficinas para o público espontâneo, aos domingos, das 14h às 17h (respeitando o limite de público da oficina do MON).
Todas as quartas feiras, haverá visita guiada com mediação de tradutores de libras, às 16h.
Mediações para o público espontâneo: de terça à domingo, das 10h às 18h; mediações ao público agendado: terças, quintas e sábados - das 10:30h às 12h; das 14:30h às 16h; e das 16h às 17:30h.

SOBRE O MON
O Museu Oscar Niemeyer (MON) é patrimônio estatal vinculado à Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura do Paraná. A instituição abriga referenciais importantes da produção artística nacional e internacional nas áreas de artes visuais, arquitetura e design, além de grandiosas coleções asiática e africana. No total, o acervo conta com mais de 9 mil peças, abrigadas em um espaço superior a 35 mil metros quadrados de área construída, sendo 17 mil metros quadrados de área para exposições, o que torna o MON o maior museu de arte da América Latina. Os principais patrocinadores da instituição, empresas que acreditam no papel transformador da arte e da cultura, são: Copel, Sanepar, Grupo Volvo América Latina, Vivo, Grupo Focus e Moinho Anaconda.

Serviço
“Da Vinci Experience e suas invenções”
de 17 de fevereiro a 8 de maio de 2022
Salas 3 e 6
Museu Oscar Niemeyer
www.museuoscarniemeyer.org.br

Como economizar nas viagens de verão

Passageiros do 99Carona já economizaram R$40 mil em comparação com os preços dos mesmos trajetos de ônibus

110 milhões de quilômetros foram percorridos com a 99Carona apenas na região Sul, o equivalente a uma viagem de ida e volta até Marte!

As viagens e encontros de confraternização do final do ano, junto ao verão e às festas, voltam a aquecer o setor de turismo. Isso porque, com o avanço da vacinação, muitos atrativos turísticos já retomaram o trabalho - obedecendo as medidas sanitárias e de segurança. E quem não está animado para cair na estrada e aproveitar para rever amigos e passear?

Para se ter uma ideia, só na região sul os usuários do 99Carona percorreram 110 milhões de quilômetros, o equivalente a uma viagem de ida e volta até Marte! Ainda, o serviço de caronas da 99 já ajudou passageiros a economizarem R$40 mil em comparação com os preços dos mesmos trajetos de ônibus e, com crescimento constante na região, essa economia somada tende a crescer. Só no feriado de 15 de novembro, o 99Carona registrou 24% de crescimento quando comparado à semana anterior. Em 2021 o 99Carona triplicou o número de viagens realizadas entre cidades.
As cidades do Paraná estão entre os principais destinos.

Desde março de 2021, o 99Carona já permite viagens intermunicipais, possibilitando que as pessoas usufruam da economia em uma viagem de carro. Confira os destinos mais comuns:
Curitiba Paranaguá
Blumenau Itajaí
FloripaItajaí
Gramado Porto Alegre
Osório Porto Alegre
Porto Alegre São Jerônimo

O que curtir em Curitiba e Paranaguá
Curitiba - É possível começar com passeios em locais abertos e tranquilos, como o cartão postal da cidade, o Jardim Botânico de Curitiba: inspirado no Palácio de Cristal de Londres, o local atrai um grande número de turistas da região que adora passear e aproveitar a natureza urbana entre jardins e estruturas de descanso. A Ópera de Arame, outro local emblemático da cidade, é palco para espetáculos dos mais variados estilos. Já o Bosque do Alemão, espaço em homenagem aos germânicos, possibilita a observação da cidade junto à natureza da Serra do Mar, de um dos pontos mais altos da cidade. Além disso, Curitiba tem atrações culturais marcantes, como o Museu Oscar Niemeyer (MON) - ou Museu do Olho, que mantém obras de Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Andy Warhol, Portinari, entre outros; e o Museu Paranaense, que desde 1876, preserva um grande acervo que conta a história do estado do Paraná e de Curitiba. Uma cereja do bolo para aqueles que adoram uma experiência inesquecível é o passeio de trem de Curitiba até Morretes. O trem percorre o trajeto que segue pela Ferrovia Curitiba-Paranaguá e percorre a Serra do Mar por entre as paisagens naturais.

Paranaguá - Paranaguá é a cidade mais antiga do Paraná e a principal do litoral paranaense. O seu centro histórico por si só já é uma atração. Com arquitetura colonial às margens do Rio Itiberê, reúne a maioria dos atrativos da cidade, como museus, casarões antigos, igrejas, além de espaços culturais e comércios. A principal atração natural de Paranaguá é a Ilha do Mel, que se mantém preservada com acesso somente por meio de barco e reserva bons momentos aos mais aventureiros que gostam de trilhas e praias.

Como pedir (ou oferecer) uma carona pela 99?
Como pedir carona?
Para agendar um trajeto que deseja viajar, basta baixar o aplicativo da 99 no seu smartphone, se cadastrar e publicar um pedido de carona no 99Carona, colocando o endereço de embarque (que pode ser a casa do passageiro ou um ponto de encontro mais conveniente) e o de destino. Também é possível escolher entre locais de caronas já disponibilizadas por condutores. O aplicativo já indica o valor da viagem neste momento, antes mesmo do embarque. Para que o condutor identifique o trajeto do passageiro e possa aceitar a carona, o agendamento deve ser feito com pelo menos 15 minutos de antecedência e o pagamento pode ser realizado por meio do próprio app - com cartão de crédito ou Pix - ou em dinheiro, diretamente ao condutor no fim da viagem.

Como oferecer Carona?
Para quem possui carro próprio e deseja oferecer caronas para economizar ainda mais no dia a dia e em viagens, é só se cadastrar pelo celular como condutor no site www.99app.com/99carona/, tendo em mãos CPF, carteira de habilitação e documento do carro. Em até dois dias úteis o 99Carona te retorna e, se aprovado, o acesso já é liberado para botar o pé na estrada.

O 99Carona contribui com a segurança de todos os condutores e passageiros e segue orientações de segurança desenvolvidas para a empresa pela consultoria Sírio-Libanês e durante a pandemia da covid-19, enviando lembretes sobre o uso de máscara, manter vidros abertos e higienizar as mãos com frequência. Além disso, o 99Carona é o aplicativo de intermediação de carona mais seguro do mercado, que possui métodos rigorosos de confirmação de cadastro, como verificação de antecedentes criminais e mais de 40 funcionalidades de segurança já utilizadas nos demais produtos oferecidos pela empresa em todo o Brasil.

Sobre a 99
A 99 é uma empresa de tecnologia que oferece conveniência e soluções para as necessidades dos brasileiros. O aplicativo faz parte da companhia global Didi Chuxing (“DiDi”) e no Brasil conecta pessoas a serviços de mobilidade, pagamentos e entregas.

Visitas a museus, presenciais ou virtualmente, são ótimas opções de lazer durante as férias

Em qualquer canto do mundo, os museus estão entre as melhores opções de lazer para se fazer, sempre muito procurados especialmente no período de férias. São espaços que oferecem diversas formas de aprendizado, interação e até mesmo diversão.

Muitos já reabriram suas portas ao público, seguindo todos os protocolos de segurança necessários. Mas, para quem vive distante dos museus que gostaria de conhecer, muitos deles também podem ser visitados virtualmente.

Para a Profa. Dra. Maria Aparecida de Menezes Borrego, supervisora do Museu Republicano de Itu, ainda que a visita online não ofereça as mesmas sensações de vivenciar esses espaços presencialmente, é uma maneira de acessá-los de forma imersiva.

"A visita online, pelos recursos tecnológicos que oferece, garante ao público a possibilidade de escolher o roteiro a ser percorrido dentro do Museu, se deter nas obras de maior interesse e conhecer o acervo e o edifício", afirma a supervisora.

No caso do Museu Republicano, o tour virtual oferece recursos de acessibilidade para pessoas com deficiência visual, recursos de audiodescrição e descrição do conteúdo em espanhol e inglês.

Confira outras instituições pelo Brasil que também podem ser visitadas virtualmente:

- Pinacoteca, em São Paulo
- MASP, em São Paulo
- Museu Afro Brasil, em São Paulo
- Inhotim, em Minas Gerais
- Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro
- Museu Oscar Niemeyer, no Paraná.

Retrospectiva: MON triplicou o seu acervo e realizou 16 exposições em 2021

Ao longo de 2021, o Museu Oscar Niemeyer realizou 14 exposições, além de duas itinerantes. São elas: “Yutaka Toyota – O Ritmo do Espaço”; “Fernando Velloso por ele mesmo”; “Japonésia, de Naoki Ishikawa”; “Schwanke, uma Poética Labiríntica”, “A Travessia do Desastre, de François Andes”; "Radical”, de Sonia Dias Souza; “Formas & Anjos: Obras de Kika Costa (1984-2021)”; “Mens Rea: A Cartografia do Mistério”, de Mac Adams; “África, Expressões Artísticas de um Continente”; “Concursos como Prática: A Presença da Arquitetura Paranaense”; “OSGEMEOS: Segredos”; “Afinidades”; “Forma e Matéria”, de Claudia Moreira Salles, e “Labirinto da Luz”, de Orlando Azevedo.

O sucesso da exposição “OSGEMEOS: Segredos”, a maior já realizada pelos artistas, fez com que o MON, pela primeira vez na história do museu, fizesse venda exclusivamente on-line de ingressos, com horários agendados.

Também foram realizadas pelo MON, no ano de 2021, duas exposições itinerantes, ambas na Região Metropolitana de Curitiba: “Estruturas e Valores”, do artista paranaense Antonio Arney, na Casa da Memória Manoel Alves Pereira, em Piraquara; e “O Mundo Mágico dos Ningyos”, no Museu Atílio Rocco, em São José dos Pinhais.

No mesmo ano, o Museu Oscar Niemeyer recebeu a grandiosa doação de uma das mais importantes e significativas coleções de arte africana contemporânea, com aproximadamente 1.700 obras, oriunda da Coleção Ivani e Jorge Yunes (CIJY), de São Paulo. Um recorte desta coleção está em exposição na sala 4, na mostra “África, Expressões Artísticas de um Continente”, de longa duração.

Além das muitas atividades educativas on-line, realizadas desde 2020 pelas redes sociais do MON (52 oficinas artísticas, 20 mediações e
19 exposições no Google Arts and Culture), em 2021 tiveram início duas novas atividades: MON ao Vivo (oficinas artísticas em tempo real por meio de videoconferências) e MON na Escola (versão reformulada e virtual do tradicional MON para Educadores). No final do ano, o MON voltou a receber grupos agendados, escolas e a realizar mediações presenciais.

Intercâmbio cultural -
Em novembro de 2021, o governador Carlos Massa Ratinho Junior autorizou uma exposição com obras itinerantes do Acervo do Museu Oscar Niemeyer (MON) no Teatro Municipal de Cascavel. A iniciativa atende solicitação da Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (AMOP) e deverá ser replicada em outras regiões do Estado.

As obras serão expostas em uma sala do terceiro piso do Teatro Municipal de Cascavel, que comporta até 300 pessoas e está localizado no Centro da cidade. A expectativa de inauguração da exibição é para fevereiro de 2022.

Maior museu de arte –
O Museu Oscar Niemeyer tem um consistente acervo que reúne pintura, gravura, desenho, fotografia, videoarte, escultura, instalações, mobiliário, objetos de design e maquetes de arquitetura. Na atual gestão, o acervo do MON foi triplicado, sendo composto hoje por cerca de 9.400 obras.

Abrigado em um espaço superior a 35 mil metros quadrados de área construída, sendo 17 mil metros quadrados apenas para exposições, o MON é o maior museu de arte da América Latina.

SOBRE O MON
O Museu Oscar Niemeyer (MON) é patrimônio estatal vinculado à Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura do Paraná. A instituição abriga referenciais importantes da produção artística nacional e internacional nas áreas de artes visuais, arquitetura e design, além de grandiosas coleções asiática e africana. No total, o acervo conta com mais de 9 mil peças, abrigadas em um espaço superior a 35 mil metros quadrados de área construída, sendo 17 mil metros quadrados de área para exposições, o que torna o MON o maior museu de arte da América Latina. Os principais patrocinadores da instituição, empresas que acreditam no papel transformador da arte e da cultura, são: Copel, Sanepar, Grupo Volvo América Latina, Vivo, Grupo Focus e Moinho Anaconda.

Serviço:
Museu Oscar Niemeyer (MON)
www.museuoscarniemeyer.org.br

No mês de aniversário, MON abre em todas as segundas-feiras

Além dos dias comuns de funcionamento (terça a domingo), o Museu Oscar Niemeyer (MON) abre também em todas as segundas-feiras de novembro, das 10h às 18h – inclusive no feriado de Proclamação da República (15/11). Para celebrar seu aniversário de 19 anos, comemorado em 22/11, o Museu oferece mais uma opção de dia para que o público visite o local. MON Café e MON Loja também estarão abertos durante todo o mês.

Desde a reabertura do MON, em maio de 2021, uma série de medidas foi adotada para garantir uma visita segura. Entre elas está a substituição de todo o material impresso, como guias e folders, por versões digitais disponíveis em QR codes. O amplo espaço físico de 35 mil metros quadrados faz com que o MON, maior museu de arte da América Latina, seja uma das opções mais seguras de lazer durante a pandemia.

Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada para professores e estudantes com identificação; doadores de sangue; pessoas com deficiência; titulares da ID Jovem e portadores de câncer com documento comprobatório). Menores de 12 anos, maiores de 60 anos, jornalistas, taxistas credenciados à URBS, membros da Associação Profissional dos Artistas Plásticos do Paraná (APAP) e membros do International Council of Museums (ICOM) têm direito a entrada gratuita, mediante apresentação de documento que comprove a condição.

Para a exposição “OSGEMEOS: Segredos”, não há bilheteria física e as vendas são exclusivas pelo site – é necessário agendamento de horário. O bilhete dá direito também a visitar todas as mostras do MON. Para ver somente as demais exposições, o ingresso pode ser adquirido na bilheteria física até 17h30 ou on-line (esse ingresso não inclui a exposição “OSGEMEOS: Segredos”).

EM CARTAZ
Várias exposições estão em cartaz atualmente no MON. São elas: “Afinidades”; “OSGEMEOS: Segredos”; “Concurso como Prática: A Presença da Arquitetura Paranaense”; “Mens Rea: A Cartografia do Mistério”, de Mac Adams; “África, Expressões Artísticas de um Continente”; “Ásia: a Terra, os Homens, os Deuses – Segunda Edição”; “O Mundo Mágico dos Ningyos”; “Luz ≅ Matéria”; “Espaço Niemeyer”; “Cones” e obras do Pátio das Esculturas.

SOBRE O MON
O Museu Oscar Niemeyer (MON) é patrimônio estatal vinculado à Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura do Paraná. A instituição abriga referenciais importantes da produção artística nacional e internacional nas áreas de artes visuais, arquitetura e design, além da mais significativa coleção asiática da América Latina. No total, o acervo conta com mais de 9 mil peças, abrigadas em um espaço superior a 35 mil metros quadrados de área construída, sendo 17 mil metros quadrados de área para exposições, o que torna o MON o maior museu de arte da América Latina. Os principais patrocinadores da instituição, empresas que acreditam no papel transformador da arte e da cultura, são: Copel, Sanepar, Grupo Volvo América Latina, Vivo, Grupo Focus e Moinho Anaconda.

SERVIÇO
Museu Oscar Niemeyer
Em novembro, aberto todos os dias
Das 10h às 18h
Rua Marechal Hermes, 999
www.museuoscarniemeyer.org.br

MON realiza exposição inédita da designer Cláudia Moreira Salles

O Museu Oscar Niemeyer (MON) abre ao público no dia 19/11, na Sala 2, a exposição “Forma e Matéria”, da designer brasileira Claudia Moreira Salles. Com 44 peças, sendo três inéditas, ficará em cartaz até o dia 13 de março de 2022. A mostra, idealizada por Katia D'Avilezz, tem curadoria de Waldick Jatobá.

A realização é um passeio pelo processo criativo e artesanal de peças de mobiliário, objetos e luminárias que flertam entre o design autoral e o minimalismo construtivo. A estética contemporânea e artesanal, desenvolvida durante a trajetória da designer, é apresentada na exibição por meio de peças criadas dos anos de 1990 até os dias de hoje, que mesclam materiais como madeira – tão fundamental na carreira de Claudia –, pedra bruta, mármore, metal e fibra.

“Estudiosa de materiais variados, Cláudia entrega peças com equilíbrio perfeito entre peso e leveza, entre contemporaneidade e técnicas tradicionais, sempre com delicada brasilidade. Seu design refinado muito se aproxima da arte”, afirma a diretora-presidente do MON, Juliana Vosnika.

Ela comenta que, ao realizar essa mostra, o MON cumpre seu propósito de sensibilizar as pessoas para a arte e pela arte. “Faz parte da missão do museu, além de colecionar e expor, proporcionar experiências transformadoras e diálogos entre público e arte, o que também é alcançado com esta exposição”, diz a diretora-presidente.

Para a superintendente-geral da Cultura, Luciana Casagrande Pereira, a exposição vai instigar e provocar um impacto positivo no público. “Essa ponte que o MON promove com design, arquitetura e outras formas de expressão faz parte da gênese do museu e também da receita do seu imenso sucesso. Esse interessante diálogo que Cláudia Moreira Salles estabelece entre forma e função, arte e design, nos coloca constantemente na posição de espectadores surpreendidos e maravilhados”, afirma.

Com criações que são um exercício da capacidade de adaptação de um móvel ou objeto, Claudia Moreira Salles subverte o conceito que a forma segue a função e lança, assim, um novo olhar para o design. Móveis que podem ser esculturas e objetos que ocupam o lugar de obras de arte. Fazem parte desse universo mesas de centro, mancebos, poltronas, mesas, bancos, carrinho de chá (que não tem pregos nem parafusos), luminárias e objetos como fruteiras, castanheiras, entre outros, cada um com sua especificidade que transita entre a elegância e a originalidade.

Processo criativo
Mesmo que a exposição seja uma viagem nas produções de Claudia Moreira Salles ao longo do tempo, a expografia não segue uma ordem cronológica – pelo contrário, ela é organizada pela afinidade do processo criativo de cada peça. As compilações vão se revelando aos poucos na exposição, que é dividida por telas, que instigam o visitante a conhecer as criações que estão atrás delas.

As paredes da sala de exposição também se tornaram uma obra de arte. Nelas estão expostos os processos de concepção das peças, com ilustrações, croquis e fotos de maquetes. “Ao observar essas informações, o visitante pode compreender o caminho percorrido até que a peça se materialize e entender que as ideias nem sempre começam e terminam iguais”, explica Claudia Moreira Salles.

Sintonia Fina
Também faz parte da exposição a “Coleção Sintonia Fina”, uma linha de luminárias de mesas, pé e teto que são produzidas com madeira de demolição, cobre e nióbio (metal raro encontrado no Brasil). Os objetos apresentam um contraste entre linhas retas e arredondadas, entre o quente e o frio dos materiais usados e o equilíbrio entre as cumbucas e discos de nióbio e as hastes finas de cobre. Inclusive, uma curiosidade: a variedade de cores das luminárias é obtida por um processo de anodização e da voltagem utilizada em cada uma delas. Estes também são objetos que harmonizam tranquilamente entre a arte e o design, muito característicos de Claudia.

“Foi uma surpresa e uma alegria receber o convite do Museu Oscar Niemeyer para expor ‘Forma e Matéria’. É tão significativo por ser justamente um museu que valoriza e organiza exposições de design. Além disso, Curitiba é uma cidade que tem tradição com a arte e realizar algo aqui, neste momento, é uma espécie de ressureição, e a arte tem esse poder”, diz a designer.

Claudia Moreira Salles
Claudia Moreira Salles é designer formada, em 1978, pela Escola Superior de Desenho Industrial do Rio de Janeiro. Trabalhou no Instituto de Desenho Industrial do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e atuou na equipe de designer da Escriba (indústria de móveis). Aos poucos começou a se dedicar a projetos mais artesanais e autorais, especialmente com a madeira. Primeiramente, criou peças para a Nanni Movelaria e, mais tarde, passou a desenhar móveis para Etel Carmona. Com o tempo, estendeu a colaboração com outras marcas, como Casa 21, Firma Casa, Dpot, Riva, Bertolucci e Lumini. Fora do Brasil, a designer é representada pela Espasso, com sede em Nova York (EUA).

SOBRE O MON
O Museu Oscar Niemeyer (MON) é patrimônio estatal vinculado à Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura do Paraná. A instituição abriga referenciais importantes da produção artística nacional e internacional nas áreas de artes visuais, arquitetura e design, além da mais significativa coleção asiática da América Latina. No total, o acervo conta com mais de 9 mil peças, abrigadas em um espaço superior a 35 mil metros quadrados de área construída, sendo 17 mil metros quadrados de área para exposições, o que torna o MON o maior museu de arte da América Latina. Os principais patrocinadores da instituição, empresas que acreditam no papel transformador da arte e da cultura, são: Copel, Sanepar, Grupo Volvo América Latina, Vivo, Grupo Focus e Moinho Anaconda.

Serviço:
Exposição “Forma e Matéria”, de Claudia Moreira Salles
De 19 de novembro a 13 de março
Sala 2
Museu Oscar Niemeyer (MON)
www.museuoscarniemeyer.org.br

MON inaugura sua 16ª exposição virtual no Google Arts & Culture

O Museu Oscar Niemeyer (MON) inaugura a exposição “Gente no MON”, do fotógrafo Dico Kremer, no Google Arts & Culture. É a 16ª exposição virtual do MON na plataforma.

Realização do próprio Museu, a mostra foi inaugurada em outubro de 2020, com curadoria do professor Fernando Bini. Reuniu 84 fotos selecionadas entre mais de 5 mil imagens de visitantes anônimos do MON entre março de 2016 e novembro de 2019.

GOOGLE ARTS & CULTURE – O MON ingressou na plataforma Google Arts & Culture em fevereiro de 2018, ao lado dos grandes museus do Brasil e do mundo. Além de “Gente no MON”, outras exposições estão disponíveis na plataforma. Entre elas: “Fernando Velloso por ele mesmo”; “O que é Original?”, de Marcelo Conrado; “Declaração de Princípios”, de Geraldo Leão; “Luz ≅ Matéria”; “Ásia: a Terra, os Homens, os Deuses”; “Nos Pormenores um Universo – Centenário de Vilanova Artigas”; “Irmãos Campana”; “Não Está Claro até que a Noite Caia”, da artista Juliana Stein; “Circonjecturas”, do artista Rafael Silveira; “O Último Império”, de Serguei Maksimishin; “Man Ray em Paris”; “Antanas Sutkus: Um Olhar Livre” e “União Soviética Através das Câmeras”.

Lançado em 2011, o Google Arts & Culture tem parcerias com mais de 2 mil museus e instituições culturais em todo o mundo. O MON está entre os mais de 60 museus brasileiros desde fevereiro de 2018.

SOBRE O MON
O Museu Oscar Niemeyer (MON) é patrimônio estatal vinculado à Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura do Paraná. A instituição abriga referenciais importantes da produção artística nacional e internacional nas áreas de artes visuais, arquitetura e design, além da mais significativa coleção asiática da América Latina. No total, o acervo conta com mais de 9 mil peças, abrigadas em um espaço superior a 35 mil metros quadrados de área construída, sendo 17 mil metros quadrados de área para exposições, o que torna o MON o maior museu de arte da América Latina. Os principais patrocinadores da instituição, empresas que acreditam no papel transformador da arte e da cultura, são: Copel, Sanepar, Grupo Volvo América Latina, Vivo e Moinho Anaconda.

Serviço:
Museu Oscar Niemeyer
“Gente no MON”, do fotógrafo Dico Kremer
Plataforma Google Arts & Culture
Disponível em https://bit.ly/MONGoogleArtsAndCulture

Prestinaria anuncia que vai assumir café do MON

A novidade vai funcionar no modelo “petit”, ou seja, nos mesmos moldes da unidade localizada no bairro Juvevê, com o diferencial de que também servirá cafés

CURITIBA, 14/09/2021 – Quem não gosta de um croissant crocante de amêndoas, preparado com massa levemente doce, aerada e dourada? Agora, que tal se deparar com esse e outros preparos deliciosos em um dos pontos turísticos mais famosos de Curitiba, o Museu Oscar Niemeyer (MON), com toda facilidade do “take away”? A Prestinaria – A Casa de Pães, um dos empreendimentos gastronômicos mais tradicionais da capital paranaense, acaba de anunciar o lançamento de uma nova loja: a Prestinaria do MON.

“É com muita felicidade que vemos a nossa marca vinculada a um dos endereços mais incríveis de Curitiba: o Museu Oscar Niemeyer. Os curitibanos têm muito orgulho do museu, que além de todo simbolismo cultural e arquitetônico, se transformou em uma parada obrigatória para quem deseja ter momentos muito agradáveis. Ver a Prestinaria fazendo parte do espaço sempre foi um sonho, que agora vai se transformar em realidade, criando essa conexão cada vez mais intensa entre arte e gastronomia”, comenta o empresário Marcelo Almeida, que comanda a Prestinaria ao lado de Fábio Sarraff.

O empreendimento vai funcionar, a partir do dia 17 de setembro, no modelo “petit”, ou seja, nos mesmos moldes da unidade da Prestinaria localizada na Rua Moyses Marcondes, no Juvevê, que se transformou em um grande sucesso. O diferencial do modelo é a praticidade, com autoatendimento fácil e rápido, sem deixar de lado a tradição e a qualidade. Além disso, a novidade será inicialmente uma loja pop up, com duração de seis meses de contrato.

No cardápio, além dos famosos croissants, que serão assados no próprio local, nas versões tradicional e Amêndoas, o público poderá encontrar e levar para casa – ou para o gramado do MON, os deliciosos Pain Au Chocolat, Pastel de Belém, Le Croque e Le Veggie. Todos os itens oferecidos são preparos artesanais de fermentação natural desenvolvidos com produtos de alta qualidade e sem aditivos químicos, livres de pesticidas e agrotóxicos.

Para potencializar a experiência, a nova unidade da Prestinaria contará com diferentes opções de cafés especiais, que serão servidos em copos especiais para viagem. As bebidas são preparadas com blends exclusivos produzidos pela microtorrefação 4Beans Coffee Company. “Na Prestinaria do MON, vamos oferecer de maneira prática e rápida preparos que carregam toda a nossa excelência a fim de deixar os dias dos curitibanos e dos turistas ainda mais agradáveis e repletos de sabor”, completa Fábio Sarraff.

Sobre a Prestinaria

Com mais de 20 anos de história, a Prestinaria, comandada por Fábio Sarraff e Marcelo Almeida, se consolidou como uma das principais referências da gastronomia curitibana. Com muita tradição e qualidade, resultado do cuidado com cada detalhes do processo de produção, a primeira unidade da Prestinaria, que funciona desde 1999 no bairro Bigorrilho, é um grande sucesso de público e críticas.

Além disso, em 2020 a fórmula do sucesso da Prestinaria foi replicada em dois novos endereços na cidade: no bairro São Lourenço, onde funciona uma unidade no modelo tradicional, com toda linha de produtos e serviços da casa de pães, e no bairro Juvevê, que recebeu a primeira unidade da Prestinaria Petit, baseada no conceito “take away”.

A Prestinaria do MON vai funcionar ao lado da bilheteria do Museu Oscar Niemeyer, com o conceito “take away”, com pedido e retirada no local. A inauguração está prevista para sexta-feira, dia 17 de setembro, em tempo para a estreia da exposição de OSGEMEOS, marcada para o dia 18. Mais detalhes, entre eles os horários de funcionamento, serão divulgados nos próximos dias no perfil oficial da Prestinaria no Instagram (@prestinaria).

Arte dentro de casa: museus e eventos culturais com exposições virtuais

Ícones nacionais da arte, da Pinacoteca à Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba, contam com atrações gratuitas em meios digitais

CURITIBA, 15/06/2021 – O acesso à arte e cultura, ainda que limitado pela pandemia, continua sendo essencial às pessoas. Conhecer artistas e obras, revisitar importantes períodos históricos do Brasil e apreciar a produção cultural do país são ótimas pedidas. Ainda que muitos espaços estejam fechados ou com visitas limitadas, plataformas digitais fornecem conteúdo e qualidade para o público.

Confira uma lista de indicações:

Bienal On-Line: Ação digital da 14ª Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba, a Bienal On-Line apresenta muito conteúdo gratuito pelas redes sociais. Até dezembro, o evento tem programação de exposições, lives e bate-papos, entre outras atividades como a chamada aberta para artistas divulgarem seus trabalhos nos stories do Instagram @bienaldecuritiba. Pintura, escultura, vídeoarte, design e arquitetura, entre muitos outros, são apresentados na Bienal, que celebra discussões sobre responsabilidade socioambiental, tecnologia e arte. Mais informações em www.instagram.com/bienaldecuritiba e bienaldecuritiba.com.br.

Museu do Amanhã: Localizado no Rio de Janeiro, o Museu do Amanhã é dedicado à ciência. Foi inaugurado em 2015 com a proposta de pensar o futuro, sobre como podemos moldar os próximos 50 anos. Discussões ambientais, de sustentabilidade e convivência são promovidas pelo espaço e por suas exposições. A visita virtual apresenta fotos, vídeos e áudios explicando o conceito dos detalhes da construção, das obras de arte e das pesquisas que ganham as paredes do museu. Confira em: https://museudoamanha.org.br/tourvirtualpratodomundo/.

Museu Oscar Niemeyer: Com um espaço de 35 mil metros quadrados de área construída, é considerado o maior museu de arte da América Latina. Contando com acervo próprio e recebendo grandes exposições, já realizou desde 2002mais de 350 mostras nacionais, internacionais e itinerantes. No site, é possível conferir informações e imagens de algumas destas atrações. A visita virtual 3D destaca os espaços do MON, do famoso Olho ao jardim de esculturas, passando pelas maquetes e até uma sala de exposição. Disponível em www.museuoscarniemeyer.org.br/visite/visita-virtual-3D.

Pinacoteca de São Paulo: Fundada em 1905, a Pinacoteca de São Paulo é um museu de artes visuais, destacando produções a partir do século XIX até hoje. Seu cervo conta com 11 mil peças, incluindo nomes que mudaram os rumos da arte brasileira, como Tarsila do Amaral e Candido Portinari. A visita virtual conta com vídeo pelos corredores do prédio centenário que abriga o museu e a apreciação de obras, com explicações e links para entender a trajetória da arte brasileira. Mais em pinacoteca.org.br/visite/tour-virtual.

Museu Nacional de Belas Artes: Localizado no Rio de Janeiro, o Museu Nacional de Belas Artes abriga o maior acervo de obras de arte do século XIX. Inaugurado em 1938, abriga pinturas e esculturas de variados temas, desde um conjunto de esculturas africanas e arte decorativa até mobiliário e obras de arte popular e sacra. Documentos, livros, desenhos e objetos históricos também completam o acervo. Há dois roteiros de visita disponíveis, além da visualização de coleções, em artsandculture.google.com/partner/museu-nacional-de-belas-artes.