Sábado é dia de Festival de Curitiba no Shopping Mueller

Atrações fazem parte da programação infantil do maior evento de artes cênicas da América Latina

Atividades gratuitas reúnem a criançada no Shopping Mueller neste sábado (9), das 15h às 17h. Crédito: André Sanches.
Neste sábado, dia 9 de abril, o Shopping Mueller recebe atrações da programação infantil do Festival de Curitiba - maior evento de artes cênicas da América Latina. Entre as apresentações estão malabarismo, músicos, teatro e contação de histórias. A participação das crianças é gratuita.

Além das atividades infantis, o público pode conferir a exposição “Trinta anos de Festival pelo olhar de Lenise Pinheiro”, na passarela do Shopping Mueller. O acesso à passarela é feito pelo estacionamento G2.

O Shopping Mueller é parceiro do Festival de Curitiba e o ponto de venda físico exclusivo do evento fica no piso L2 do mall. A bilheteria tem atendimento ao público nos horários de funcionamento do shopping: de segunda-feira a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos e feriados, das 14h às 20h. Este ano, a edição ocorre de 29 de março até 10 de abril, com estreias e pré-estreias nacionais, espetáculos premiados, remontagens especiais e mostras que levarão teatro, dança, circo, música, oficinas, shows e performances para diferentes públicos, de todas as idades.

SERVIÇO:
30.º FESTIVAL DE CURITIBA NO SHOPPING MUELLER
Exposição “Trinta anos de Festival pelo olhar de Lenise Pinheiro”, na passarela.
Atrações infantis e contação de histórias, no sábado (9 de abril), das 15h às 17h.
Bilheteria oficial do Festival de Curitiba: até o dia 10 de abril de 2022, no piso L2
Horários: segunda-feira a sábado, das 10h às 22h/ domingos e feriados, das 14h às 20h
Local: Shopping Mueller | Avenida Cândido de Abreu, 127 - Centro Cívico
Informações: www.shoppingmueller.com.br
Facebook: www.facebook.com/MuellerCtba
Twitter: twitter.com/muellercwb
Instagram: @muellercwb

Sobre o Shopping Mueller
Desde sua inauguração, em 1983, o Mueller se preocupou em permanecer como uma referência em estilo, conforto e sofisticação. São mais de 200 lojas de marcas de renome nacional e internacional, além do moderno complexo de cinemas Cinemark, que conta com salas de exibição em 3D, restaurantes, atividades culturais e as melhores experiências.

facebook.png
Shopping Mueller

CAMPO DAS ARTES RECEBE MARCIO JULIANO OUTRO SAMBA NA MOSTRA PÔR DO SOL

As apresentações do show (dias 01,02, 08 e 09 de abril) também fazem parte da programação do Festival de Teatro de Curitiba.

Foto: Leandro Taques
Ousadia, contemporaneidade, lirismo e bom humor caracterizam o show Marcio Juliano Outro Samba, próxima atração da Mostra Pôr do Sol, dias 01, 02, 08 e 09 de abril, às 20h, no Campo das Artes, em São Luiz do Purunã. O evento marca a abertura oficial do espaço, projeto de vida do ator paranaense Luís Melo, que vem sendo construído desde 2008.
O show é uma experiência cênica musical multimídia que tem como fonte de inspiração o repertório e os artistas da Época de Ouro da música brasileira, período que vai de 1929 a 1945. Desdobramento da pesquisa realizada pelo cantor Marcio Juliano em trabalhos anteriores, No Samba” (2016) e “Noël” (2006).
Com caráter teatral e leitura contemporânea deste universo musical, Outro Samba conta com interações e intervenções de projeções mapeadas, com áudios sincronizados. “A ideia é revisitar uma estética muito explorada por esta geração de compositores, a do cinema”, revela Marcio que também dirige o show. A assistência de direção e iluminação é de Nadja Naira (Companhia Brasileira de Teatro). Outro Samba traz ao palco músicos virtuosos: Sérgio Albach (clarone), que assina a direção musical, Lucas Melo (violão 7 cordas) e Luis Rolim (bateria e percussão). Misturando diferentes linguagens projeta em cena participações especiais como a Orquestra à Base de Sopro e o trombonista Raul de Souza, falecido no ano passado.
Dorival Caymmi, Wilson Baptista, Noel Rosa, Pixinguinha, Ary Barroso estão presentes no repertório com narrativa diversa que homenageia o samba e suas múltiplas possibilidades, mas que sobretudo evoca a alegria, o amor e a superação da melancolia.
O show estreou em Curitiba, no final de 2019, ano de lançamento do CD de mesmo nome e, durante a pandemia, em 2021, foi adaptado ao formato digital, virou DVD e circulou virtualmente pelo interior do Paraná. “Participar da Mostra é uma experiência muito feliz, vamos oferecer ao público um espetáculo com uma abordagem diferente, é um show de música ancorado no teatro. Voltar ao presencial, poder ensaiar, preparar o show e o espaço para receber o público é muito emocionante”, comemora Marcio que também é o produtor geral da Mostra Pôr do Sol.
“O Campo das Artes é um espaço muito importante, único no Brasil. O fato dele estar situado no Paraná é uma riqueza para nós. Espero que esta iniciativa privada do Luís Melo sirva de inspiração ao poder público para que, por meio das leis de incentivo, movimente este lugar com muitas atrações e oportunidades artísticas porque o público está sedento de arte. Todos os ingressos da Mostra esgotaram em apenas 8 horas após a distribuição pelo site”, conta.
O evento integra a programação do Festival de Teatro de Curitiba – edição 2022.

Confira a PROGRAMAÇÃO da Mostra que segue até 16 de abril:
1 e 2 de abril – 20h
Marcio Juliano Outro Samba – Cia Ilimitada
*durante o Festival de Teatro de Curitiba

8 e 9 de abril – 20h
Marcio Juliano Outro Samba – Cia Ilimitada
*durante o Festival de Teatro de Curitiba

15 e 16 de abril – 20h
O Arquipélago - Súbita Companhia de Teatro

MOSTRA PÔR DO SOL VIRTUAL
Local: Canal Campo das Artes no Youtube
https://www.youtube.com/channel/UCAVR2jOa08eYZ46p31YuzLw
Horário: 20h
Datas:
19 de abril
Manaós – Trupe Ave Lola (Duração: 80min)
20 de abril
Noël.doc – Marcio Juliano e Cia ilimitada (Duração: 53min)
21 de abril
Aqui - Súbita Companhia de Teatro (Duração: 60min)

Projeto realizado com o apoio da Copel, por meio do PROFICE (Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura), da Secretaria de Estado da Cultura – Governo do Estado do Paraná.
SERVIÇO:
MOSTRA PÔR DO SOL - 11 de março a 16 de abril

Espetáculo: SHOW MARCIO JULIANO OUTRO SAMBA
Data: 01, 02, 08 e 09 de abril
Horário: 20h
Local: Campo das Artes (Estrada da Lage, 370 – São Luiz do Purunã/Balsa Nova-PR)
Contato exclusivo por whatsapp: 41 99995 8383
Email: contato@campodasartes.com.br
Ingressos gratuitos mediante reserva pelo site: https://www.campodasartes.com.br/
Capacidade: 100 pessoas por apresentação
Duração: 60 minutos
Classificação Indicativa: Livre

Ficha Técnica - Show Marco Juliano Outro Samba
Direção, Pesquisa e Concepção: Marcio Juliano. Direção Musical: Sérgio Albach. Iluminação e Assistência de Direção: Nadja Naira. Som: Chico Santarosa. Projeções: Alan Raffo. Animação: Carlon Hard e Rômolo D’hipólito. Figurino: Áldice Lopes. Elenco: Marcio Juliano, Luís Rolim, Lucas Melo e Sérgio Albach. Participação Virtual: Raul de Souza, Uyara Torrente, Érica Silva, Iria Braga, Milena Tupi, Cássia Damasceno e músicos da Orquestra à Base de Sopro de Curitiba. Assessoria de Comunicação: Glaucia Domingos. Realização e Produção: Companhia Ilimitada.
Sobre Marcio Juliano
Marcio Juliano é um artista brasileiro. Natural de Curitiba, começou no teatro e na música aos 15 anos. De lá para cá escreveu, compôs, cantou, atuou, dirigiu, dançou, operou luz, foi contrarregra, produziu. Em 2005, fundou a Cia Ilimitada, produtora cultural onde realiza seus projetos. Como cantor, estreou em 2006, Noël, show cênico musical em homenagem a Noel Rosa, com direção de Marcio Abreu e Direção Musical de Sérgio Albach. O disco Noël veio em 2009, com ele Marcio visitou teatros de 25 cidades brasileiras, em mais de 70 apresentações, que tiveram um público de 50 mil espectadores. Seu trabalho mais recente é o projeto Outro Samba, que faz uma releitura das composições da Época de Ouro e inclui a gravação de CD e também DVD e pode ser conferido no site do artista: http://marciojuliano.com.br/
SAIBA MAIS:
https://www.campodasartes.com.br/
https://www.instagram.com/_campodasartes/
Facebook: @campodasartesbrasil

#9- Boletim do 30º Festival de Curitiba

Hoje é 28 de março e começa o Festival de Curitiba

Festa de Abertura do 30º Festival de Curitiba

Nesta segunda-feira (28), uma festa no Museu Oscar Niemeyer (MON) abre oficialmente o 30º Festival de Curitiba. O evento para convidados começa às 19h e acaba às 22h30.

Amanhã, dia 29, o Festival começa para valer, com a programação aberta ao público.
Veja alguns números do Festival de Curitiba 2022:

· O Festival de Curitiba terá em torno de 200 atrações;
· Cerca de 900 artistas estão envolvidos nos espetáculos e produção;
· 4 mil empregos, entre diretos e indiretos, são gerados pelo Festival de Curitiba;
· 25 espetáculos integram a mostra Lúcia Camargo que promove um resgate histórico dos 30 anos do evento.

Mostra Lúcia Camargo:

A grande novidade do 30º Festival de Curitiba é a homenagem à memória da produtora cultural, professora e jornalista Lúcia Camargo com a mudança permanente do nome da mostra oficial. A programação faz um resgate histórico dos 30 anos do evento, com 25 espetáculos e a participação de companhias, diretores e atores que passaram pelos palcos durante o período. Em cartaz, montagens de sucesso e com a presença de nomes conhecidos nacionalmente, como Mateus Solano, Vladimir Brichta, Júlia Lemmertz, Denise Fraga, Guta Stresser, Ranieri Gonzalez, Luís Melo, Deborah Colker, Denise Stoklos, Emicida, Nicole Puzzi, Rosana Stavis, Edson Bueno. A programação completa você vê aqui: https://bit.ly/36mMzql

Risorama

Uma semana com os principais nomes do humor nacional em um grande comedy club, com serviço de bar e muitas gargalhadas. Essa é 18ª Edição do Risorama, o pioneiro festival de comédia do Brasil. Este ano, o Risorama será na Live Curitiba. A programação, com seis comediantes e um mestre de cerimônias por noite, contará com Fábio Porchat, Thiago Ventura, Nany People, Danilo Gentili, Murilo Couto, Victor Sarro, Ed Gama, Afonso Padilha, Bruna Louise, Rodrigo Marques, entre outros.
Saiba tudo sobre o Risorama aqui: https://bit.ly/3Lj6S6S

Guritiba

O Guritiba é a programação que reúne o público infanto-juvenil no 30º Festival de Curitiba. São peças, exposições, contação de histórias e outras atrações. Instituições escolares de Curitiba e da Região Metropolitana também vão receber a programação da mostra, em ações gratuitas com o intuito de formar plateias e tornar ainda mais amplo o acesso à arte e à cultura. Saiba quais são cada uma das atrações do Guritiba aqui: https://bit.ly/35ePxwo

Festival Na Rua

De 1° a 9 de abril, a Mostra Festival na Rua vai levar arte para vários pontos de Curitiba em espetáculos gratuitos. A Mostra Festival na Rua terá cerca de 60 companhias locais, 11 espaços e um total de 130 apresentações. Saiba tudo sobre os palcos e todas as atrações da mostra de rua aqui: https://bit.ly/3tDt1q9

MishMash

É a mostra de variedades artísticas e performáticas que diverte famílias inteiras com números de malabarismo, mágica, mímicas, circo, palhaçaria, música, entre outras vertentes, o MishMash ocorrerá 8 e 10 de abril, na Live Curitiba, tendo como anfitrião o famoso Palhaço Alípio, que já confirma a presença de artistas como o ilusionista Willian Seven, o equilibrista Fábio Salgueiro, manobras de bike aérea com Marina Prado, entre outras atrações. Saiba todas aqui: https://bit.ly/3NoPnUa

Circuito Aberto
O Circuito Espaço Aberto recebe apresentações de artistas da Grande Curitiba e convidados em seus próprios espaços, integrando a programação da 30ª edição do Festival de Curitiba. Serão 52 espetáculos, sendo 5 gratuitos e 15 no sistema “Pague Quanto Puder”, com atrações para diferentes idades e espalhados por toda a cidade. Veja a programação completa: https://bit.ly/3IHko2n

Material do Festival de Curitiba 2022 para imprensa:
Os releases, fotos das atrações do Festival de Curitiba estão aqui:
https://bit.ly/36js5hE

O 30º Festival de Curitiba nas Redes Sociais:
Instagram: https://www.instagram.com/festivaldecuritiba/
Twitter: https://twitter.com/Fest_Curitiba
Facebook: https://www.facebook.com/fest.curitiba/
Youtube: https://www.youtube.com/c/festivalcuritiba
Linkedin: https://www.linkedin.com/company/parnaxxoficial/

Festival de Curitiba completa 30 anos e celebra o aniversário da cidade

Lançado em 1992 como um presente de aniversário para a cidade de Curitiba, que é comemorado em 29 de março, o Festival inaugurou um capítulo importante no calendário da cultura curitibana, paranaense e certamente brasileira.
Desde então, o evento promove o encontro das artes com o entretenimento e reforça a cada edição a marca de maior Festival de artes cênicas da América Latina.
Com o passar dos anos o Festival foi ganhando reforço. Em 1998, teve início a primeira edição do Fringe, uma mostra que surgiu espontaneamente em 1947, na cidade de Edimburgo, na Escócia e que reúne companhias de teatro que não estavam na programação oficial do Festival, em um evento paralelo.
Em 2004 surgiu o Risorama, que reúne grandes nomes do stand-up comedy nacional. Em 2008, foi a vez do Gastronomix celebrar a gastronomia e a música em uma programação única, que contempla as criações de chefs renomados no cenário.
Ainda em 2008 teve início o Programa Guritiba, que promove a formação de plateia em áreas de vulnerabilidade social e atua em pilares como educação, arte e apropriação de espaços culturais da cidade.
Já em 2009, surgiu o MishMash, trazendo a magia das artes circenses no roteiro do Festival. E finalmente em 2017, começaram as interlocuções, onde oficinas, encontros críticos, palestras e outras atrações aprofundam os debates propostos pelos espetáculos do Festival.
Em 2020, devido a pandemia, o Festival não aconteceu de forma presencial, mas em setembro do mesmo ano foi realizado o FestOnline.
E para a edição 2022, o Festival de Curitiba vem para matar as saudades, das apresentações, da plateia, da troca cultural e social. E tudo isso próximo ao aniversário de Curitiba, pois o Festival terá início no dia 29 de março (aniversário de Curitiba) e vai até 10 de abril.
Muitas empresas que apoiam a iniciativa a cultura, vem em parceria, realizando sorteios de ingressos em suas redes sociais, como é o caso da também curitibana, Daju, que irá sortear ingressos no dia 28 de março (véspera da abertura do Festival).
Para mais informações sobre como concorrer acesse o instagram da rede de lojas no endereço @daju.oficial e para informações sobre a programação completa do Festival e como adquirir ingressos acesse o site oficial do Festival de Curitiba festivaldecuritiba.com.br .

Fonte: Cris Osike Nova Comunicação
& Festival de Curitiba

TRUPE AVE LOLA DE TEATRO REALIZA MOSTRAINTERNACIONAL NO FESTIVAL DE CURITIBA

A Trupe Ave Lola reúne uma série de ações artísticas e formativas com artistas nacionais e internacionais, além de shows ao vivo na 6ª Mostra Ave Lola - Celebrando a Resistência que acontecerá ao ar livre

Após dois anos, o Festival de Curitiba volta a acontecer e junto retorna a Mostra Ave Lola com sua sexta edição trazendo como tema “Celebrando a Resistência”, com mais de 30 horas de programação, incluindo espetáculos teatrais do Brasil e do Chile, shows musicais, ações formativas, leituras dramáticas e exibições audiovisuais. A mostra acontecerá na Ave Lola ao ar livre – Teatro na tenda, situada na Associação Eunice Weaver do Paraná (R. Dr. Alarico Vieira de Alencar, 10 – Bacacheri, Curitiba – PR), de 1º a 10 de abril. Para mais informações sobre programação e reservas, o público interessado deve acessar o site www.avelola.net.br.

A 6ª Mostra Ave Lola - Celebrando a Resistência é uma ação independente de uma trupe fundada há mais de 10 anos pela diretora, atriz e dramaturga Ana Rosa Genari Tezza. A diretora explica que a companhia possui genética feminina e que todos os papéis de liderança são ocupados por jovens mulheres que tiveram suas formações profissionais iniciadas na Ave Lola, ainda nos primeiros anos de existência do grupo. “O debate sobre o papel da mulher no espaço artístico e na sociedade como um todo, tem se aprofundado e isso tem mostrado que nós da Ave Lola somos feministas mesmo antes de nos engajarmos de forma direta no movimento. A Ave Lola tem uma liderança feminina muito presente. Nosso núcleo de tomada de decisão é composto integralmente por mulheres, bem como a chefia de setores estratégicos como produção, comunicação e criação artística”. Ressalta a diretora que também é quem assina a dramaturgia da companhia. “Na dramaturgia e nos espetáculos, os papéis femininos protagonizam e isso não é uma casualidade, isso é uma construção pela necessidade que eu, enquanto diretora mulher, sinto visto o esforço que nós mulheres temos que fazer para obter o mesmo reconhecimento que figuras normativas de uma sociedade hegemonicamente masculina”, declara Ana Rosa.

Para a trupe, o tema da mostra “celebrando a resistência” remete à postura e iniciativas que o grupo adotou diante de uma pandemia e a defasagem das políticas públicas para a classe artística nos últimos anos. Em 2020, no início da pandemia a Ave Lola precisou adiar a estreia do espetáculo "Cão Vadio" e manter-se ativa com projetos artísticos que não demandassem presencialidade, como publicações literárias, podcast, exibições teatrais, oficinas online e até uma radioteatro. Em mais um ato de resistência, num espaço ao ar livre, com a equipe e boa parte da população vacinadas, em setembro de 2021, numa proposta inusitada e pioneira, a Ave Lola retomou o teatro presencial com uma temporada de três meses com reservas esgotadas e lista de espera, numa tenda montada no bairro Bacacheri, em parceria com a Associação Eunice Weaver. Nessa ocasião, finalmente a estreia do espetáculo "Cão Vadio" aconteceu e centenas de pessoas puderam voltar a experienciar o teatro ao vivo novamente, após quase dois anos de confinamento.
O que veremos na Tenda Ave Lola
Agora, no mês de abril, durante o Festival de Curitiba, a Tenda Ave Lola volta com uma programação internacional artística e formativa. “Na programação da nossa mostra, nós escolhemos fortalecer os nossos laços com parcerias importantes com nomes da América Latina que tem nos inspirado como o diretor e dramaturgo Jaime Lorca do Chile e o ator Alfredo Allende da Argentina que apresentarão o espetáculo “Frankenstein”, e também quisemos dar um olhar especial para questão da crítica e do pensamento sobre as artes cênicas convidando as jornalistas, professoras e críticas de teatro Julia Guimarães e Michele Rolim que ministrarão o minicurso “Observatório de espectadores” no intuito de contribuir e estimular a escrita sobre obras de arte e quem sabe, ajudar a retomar o momento em que os jornais e meios de comunicação preocupavam-se em dar uma pauta mais profunda para cultura e arte”, explica a diretora que também conta que a programação terá apresentações do mais recente espetáculo da trupe: “Certamente, depois de uma temporada de absoluto sucesso entre os meses de outubro e novembro com ‘Cão Vadio’, sentimos que o espetáculo deveria voltar porque o Festival é uma oportunidade de que pessoas de outras cidades, de outros locais também possam assistir”.

A 6ª Mostra Ave Lola - Celebrando a resistência terá as leituras dramáticas dos espetáculos Manaós - Uma Saga de Luz e Sombra e Tchekhov, as quais serão gravadas como parte de dois audiobooks da companhia que terão a participação do público, entre os dias 07 e 10/04.

Pela primeira vez a mostra trará shows musicais com a Bananeira Brass Band no dia 02/04 e Klüber que se apresentará na Festa Ave Lola, no dia 06/04, que também contará com a discotecagem do DJ acreano Dande Tavares, um pesquisador de ritmos brasileiros, latinos e universais atemporais.

Gratuitamente, o público poderá participar de um bate-papo, na Tenda Ave Lola, com o premiado diretor Chileno Jaime Lorca, uma referência do teatro de animação. Outra programação gratuita da mostra será no Cine Passeio, onde serão exibidas duas produções audiovisuais da trupe: “A Pausa - um ensaio sobre as memórias de ontem” e Trupe Ave Lola de Teatro - 10 anos em 5 atos.

As demais atrações têm como forma de pagamento o sistema “Pague o quanto vale”, uma política adotada desde o surgimento da trupe que tem o intuito de democratizar o acesso a bens artísticos. Já o minicurso “Observatório de espectadores” com duração de três dias será cobrado o investimento de R$180 e contará com certificado de participação.

A programação detalhada da mostra, bem como reservas, pode ser verificada no site da trupe: http://www.avelola.net.br/

SERVIÇO:
6ª Mostra Ave Lola - Celebrando a resistência (de 1º a 10 de abril)

ESPETÁCULOS TEATRAIS:
Espetáculo: Cão Vadio
Companhia: Trupe Ave Lola (BR)
Gênero: Contemporâneo
Duração: 105 minutos
Classificação Indicativa: 16 anos
Dias de apresentação: 01, 02, 03, 08, 09 e 10 de abril às 19h
Ingressos: Pague O Quanto Vale
Reservas pelo site: www.avelola.net.br

Espetáculo: Frankenstein
Companhia: Viajeinmóvil (CL)
Gênero: Teatro de Animação
Duração: 60 minutos
Classificação Indicativa: 10 anos
Dias de apresentação: 04, 05, 06 e 07 de abril às 19h
Ingressos: Pague O Quanto Vale
Reservas pelo site: www.avelola.net.br

LEITURAS DRAMÁTICAS:

Leitura dramática: Tchekhov
Companhia: Trupe Ave Lola
Gênero: Aventura
Duração: 120 minutos
Classificação Indicativa: livre
Dias de apresentação: 07 e 08 de abril às 14h30
Ingressos: Pague O Quanto Vale
Reservas pelo site: www.avelola.net.br

Leitura dramática: Manaós - Uma Saga de Luz e Sombra
Companhia: Trupe Ave Lola
Gênero: Melodrama
Duração: 80 minutos
Classificação Indicativa: livre
Dias de apresentação: 09 e 10 de abril às 14h30
Ingressos: Pague O Quanto Vale
Reservas pelo site: www.avelola.net.br

SHOWS MUSICAIS:
Bananeira Brass Band
Dia de apresentação: 02 de abril às 22h
Ingressos: Pague O Quanto Vale
Reservas pelo site: www.avelola.net.br

Klüber
Dia da apresentação: 06 de abril às 22h
Ingressos: Pague O Quanto Vale
Reservas pelo site: www.avelola.net.br

Celebrando a resistência - Festa Ave Lola com DJ Dande Tavares
Dia da apresentação: 06 de abril às 23h
Ingressos: Pague O Quanto Vale
Reservas pelo site: www.avelola.net.br

AÇÕES FORMATIVAS:
Observatório de espectadores
Ministrantes: Julia Guimarães e Michele Rolim
Vagas: Até 30 pessoas
Dias: 2, 3 e 4 de abril, das 14h30 às 16h30
Público-alvo: estudantes de artes cênicas, letras e jornalismo, professores do ensino básico e superior, programadores culturais, público geral do Festival de Curitiba e outras pessoas interessadas em teatro. Não é necessário conhecimento prévio na área.
Investimento: R$ 180,00
Inscrições pelo formulário: www.avelola.net.br

Bate-papo com Jaime Lorca
Dia do bate-papo: 05 de abril às 20h30
Ingressos: Gratuito

As exibições audiovisuais integram a Mostra de Conteúdos Digitais Pandêmicos, que será realizada no Cine Passeio – Sala Valêncio Xavier. A programação completa com datas e horários estará disponível pelo site do Festival de Curitiba.

Exibição: A Pausa - um ensaio sobre as memórias de ontem
Produção: Ave Lola e as Meninas Produções Artísticas
Gênero: Documentário híbrido
Duração: 15’11’’
Classificação Indicativa: livre
Exibição: Trupe Ave Lola de Teatro - 10 anos em 5 atos
Produção: Ave Lola e as Meninas Produções Artísticas
Gênero: Documentário
Duração: 80’
Classificação Indicativa: livre

6ª Mostra Ave Lola - Celebrando a resistência (de 1º a 10 de abril)
Local: Ave Lola ao ar livre – Teatro na tenda, situada na Associação Eunice Weaver do Paraná (R. Dr. Alarico Vieira de Alencar, 10 – Bacacheri, Curitiba – PR)
Ingressos: A programação da 6ª Mostra Ave Lola - celebrando a resistência segue o sistema de pagamento de ingressos "Pague O Quanto Vale" mediante reserva pelo site: http://avelola.net.br/ .

Contatos com a companhia:
41-99668-8927 (Dara van Doorn - produção)
41-98510-6389 (Larissa de Lima - comunicação)
92-98161-1848 (Jamilssa Melo - assessoria de imprensa)

Site: Ave Lola - Espaço de Criação
Facebook: Ave Lola Espaço de Criação | Facebook
Instagram: Trupe Ave Lola (@ave_lola) • Fotos e vídeos do Instagram
YouTube: Trupe Ave Lola - YouTube

#8- Boletim do 30º Festival de Curitiba

Hoje é 25 de março e faltam 4 dias para o Festival de Curitiba

Observatório de Espectadores

O Observatório de Espectadores é uma oficina aberta ao público que se interessa por teatro. Segundo as organizadoras, as jornalistas Michele Rolim e Julia Guimarães, a iniciativa é voltada “à escuta das pessoas para quem um festival é feito: o público”. “Queremos estimular um debate livre, apaixonado e crítico em torno de obras que se apresentam no Festival de Curitiba. A ideia é que o curso funcione como uma extensão da experiência com o espetáculo, ao dilatar a memória sobre a obra e a partilha coletiva em torno de questões que atravessam cada criação”.
Saiba mais sobre a oficina e como se inscrever aqui: https://bit.ly/3wwu9Oo

Alterações na data das palestras

Foram alteradas as datas das Palestras Documentadas que acontecem nos dias 30 de março e 4 e 10 de abril, no Sesc Paço da Liberdade, dentro da programação do Interlocuções. As palestras são gratuitas, tem mediação dos críticos Ruy Filho e Luciana Romagnolli. As novas datas são as seguintes:

Dia 30/03 - Grupo Parlapatões (SP), das 14h30 às 16h
Dia 30/03 - Gerald Thomas, das 16h às 17h30
Dia 04/04 - Companhia Brasileira de Teatro (PR), das 14h30 às 16h
Dia 04/04 - Grupo Magiluth (PE), das 16h00 às 17h30
Dia 10/04 - Fodidos e Privilegiados (RJ), das 14h30 às 17h30

3 peças da Mostra Lúcia Camargo:

Estudo Nº 1: Morte e Vida - Com Estudo N° 1, o Grupo Magiluth, baseado em Recife, propõe novas conexões com a literatura brasileira por meio de uma montagem que lança sobre a poesia de João Cabral de Melo Neto o olhar sempre crivado de radicalidade que caracteriza as criações do grupo pernambucano. É o clássico "Morte e Vida Severina" trazido para os dias de hoje com música, poesia e potência no palco.
Saiba tudo sobre a peça aqui: https://bit.ly/3D62d5f

Till, a Saga de um Herói Torto - Doze anos depois de sua estreia na capital paranaense, o espetáculo “Till, a Saga de um Herói Torto” volta aos palcos do Festival de Curitiba para uma dupla celebração: os 40 anos do Grupo Galpão e os 30 anos do evento. O espetáculo terá duas apresentações no Teatro da Reitoria, nos dias 4 e 5 de abril, às 21h. A peça mostra Till como um típico anti-herói cheio de artimanhas e dotado de um irresistível charme. Um personagem encontrado em várias culturas, que se assemelha ao nosso Macunaíma ou Pedro Malasartes. Tudo sobre a peça aqui: https://bit.ly/3NmcWgo

Quarto 19 é o trabalho solo de Amanda Lyra construído a partir do conto No Quarto Dezenove (To Room Nineteen), da escritora britânica Doris Lessing (1919-2013), prêmio Nobel de Literatura em 2007. A direção é de Leonardo Moreira, dramaturgo e diretor da Companhia Hiato, de São Paulo. É a história de uma mulher de classe média que vive “uma vida perfeita”. Após anos sem trabalhar para se dedicar à criação dos filhos, ela espera o momento em que o mais novo entrará para a escola, quando finalmente voltará a ter algum tempo para si. Mas quando isso acontece, ela não encontra dentro de si a liberdade que buscava. Saiba tudo sobre a peça aqui: https://bit.ly/3D62d5f

Material do Festival de Curitiba 2022 para imprensa:
Os releases, fotos das atrações do Festival de Curitiba estão aqui:
https://bit.ly/36js5hE

O 30º Festival de Curitiba nas Redes Sociais:
Instagram: https://www.instagram.com/festivaldecuritiba/
Twitter: https://twitter.com/Fest_Curitiba
Facebook: https://www.facebook.com/fest.curitiba/
Youtube: https://www.youtube.com/c/festivalcuritiba
Linkedin: https://www.linkedin.com/company/parnaxxoficial/

Clima do Festival de Curitiba toma conta do Shopping Mueller

Os 30 anos de evento serão contados em exposição na passarela do mall

Exposição “Trinta anos de Festival pelo olhar de Lenise Pinheiro” na passarela do Shopping Mueller. Divulgação.
A passarela mais instagramável da cidade entra no clima do Festival de Curitiba. A partir de 25 de março, o espaço ganha uma exposição com imagens dos 30 anos do maior festival de teatro da América Latina. A linha do tempo faz parte da exposição “Trinta anos de Festival pelo olhar de Lenise Pinheiro”, que é considerada a referência de fotografia cênica no Brasil. O acesso à passarela é feito pelo estacionamento G2 do Shopping Mueller.
No sábado, dia 26, o Shopping Mueller recebe personagens do MishMash, a atração de variedades para a família do Festival de Curitiba, como um aquecimento para o evento que começa oficialmente no dia 29.

Nos sábados seguintes, dias 2 e 9 de abril, o Shopping Mueller recebe atrações da programação infantil, como malabarismo, músicos, teatro e contação de histórias.

O Shopping Mueller é parceiro do Festival de Curitiba e o ponto de venda físico exclusivo do evento fica no piso L2 do mall. A bilheteria tem atendimento ao público nos horários de funcionamento do shopping: de segunda-feira a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos e feriados, das 14h às 20h. Este ano, a edição ocorre de 29 de março até 10 de abril, com estreias e pré-estreias nacionais, espetáculos premiados, remontagens especiais e mostras que levarão teatro, dança, circo, música, oficinas, shows e performances para diferentes públicos, de todas as idades.

SERVIÇO:

30.º FESTIVAL DE CURITIBA NO SHOPPING MUELLER

Exposição “Trinta anos de Festival pelo olhar de Lenise Pinheiro” na passarela, a partir de 25 de março.

Personagens do MishMash, no sábado (26 de março).

Atrações infantis e contação de histórias, nos sábados (2 e 9 de abril).

Bilheteria oficial do Festival de Curitiba: até o dia 10 de abril de 2022, no piso L2

Horários: segunda-feira a sábado, das 10h às 22h/ domingos e feriados, das 14h às 20h

Local: Shopping Mueller | Avenida Cândido de Abreu, 127 - Centro Cívico

Informações: www.shoppingmueller.com.br

Facebook: www.facebook.com/MuellerCtba
Twitter: twitter.com/muellercwb
Instagram: @muellercwb

Sobre o Shopping Mueller

Desde sua inauguração, em 1983, o Mueller se preocupou em permanecer como uma referência em estilo, conforto e sofisticação. São mais de 200 lojas de marcas de renome nacional e internacional, além do moderno complexo de cinemas Cinemark, que conta com salas de exibição em 3D, restaurantes, atividades culturais e as melhores experiências.

#7 – Boletim do 30º Festival de Curitiba

Hoje é 24 de março e faltam 5 dias para o Festival de Curitiba

O mapa da exposição “Viva! 30 anos por Lenise Pinheiro”
O registro dos 30 anos de história do Festival de Curitiba pelo olhar da fotógrafa Lenise Pinheiro vai ocupar 15 pontos diferentes de Curitiba durante a exposição “Viva! 30 anos por Lenise Pinheiro”, um dos destaques da programação do evento em 2022. A mais importante fotógrafa de teatro do país, ela cobriu todas as edições Festival desde 1992. Sua exposição com mais de 150 imagens estará em cartaz em vários formatos e espaços culturais ligados ao festival, em 15 pontos diferentes de Curitiba, entre os dias 29 de março e 29 de abril.

Veja o mapa dos locais de exposição: https://bit.ly/3tw2pYn

Saiba tudo sobre a exposição “Viva! 30 anos por Lenise Pinheiro”: https://bit.ly/3tHoSSt

Mateus Solano no 30º Festival de Curitiba
Filho do diplomata, Mateus Solano Schenker Carneiro da Cunha cresceu em Washington, nos Estados Unidos e em Lisboa, Portugal. Foi aluno do curso O Tablado, tradicional escola de teatro estreou como ator na peça A Aurora da Minha Vida, de Naum Alves de Souza em 1996. No ano seguinte, estagiou na França, no Théâtre du Soleil. De volta ao Brasil, participou de mais de 20 peças, com destaque para o Hamlet, em 2009, espetáculo dirigido por Aderbal Freire-Filho em que atuou ao lado de Wagner Moura. Após uma longa carreira de sucesso na TV e no Cinema, Solano chega ao 30.º Festival de Curitiba com um verdadeiro blockbuster do teatro nacional: O Mistério de Irma Vap.

Saiba tudo sobre a peça: https://bit.ly/3JPJMV7

As peças do Primeiro Festival
Nascido como Festival de Teatro de Curitiba, em 1992, o maior festival de artes cênicas da América latina começou acelerando. A primeira edição, além de provocar a construção da Ópera de Arame, trouxe uma seleção com os grupos e criadores mais importantes do teatro brasileiro naquele momento. Confira abaixo a lista das primeiras atrações do FTC 92:

1) Sonho de Um Noite de Verão, dir. Cacá Rosset, Grupo Ornitorrinco
2) Romeu e Julieta, dir. Moacyr Goés, Cia. De Encenação Teatral
3) ARN, Cia Intrépida Trupe
4) O Cobrador, dir. Beth Lopes, Cia de Teatro em Quadrinhos
5) A Comédia da Esposa Muda/Corra Enquanto é Tempo, Grupo Galpão
6) Brincante/ Figural, dir. Romero Andrade Lima, com Antônio Nobrega
7) Nova Velha História, dir. Antunes Filho, Grupo Macunaíma
8) A Vida É Sonho, dir. Gabriel Villela, com Regina Duarte
9) A Bao A Qu, dir. Enrique Diaz, com Bel Garcia e Alexandre Akerman
10) As Boas, dir José Celso Martinez Corrêa
11) Mega – Mix, dir Osvaldo Gabrieli, Grupo XTPO
12) Tango Varsoviano, dir. Alberto Felix, grupo Teatro Del Sur
13) The Flash And Crash Days, dir. Gerald Thomas, com Fernanda Torres e Fernanda Montenegro
14) Caim, dir. Édson Bueno, Grupo Papa Brazilis
Confira um arquivo com o histórico de 30 anos do Festival de Curitiba: https://bit.ly/3wvVhNE

Roberta, Uma Opera Rock
Com texto do dramaturgo Roberto Inocente (falecido em abril de 2021, vítima da Covid), composição e direção musical do maestro Alessandro Sangiorgi, e direção artística de Nena Inoue e Mauricio Vogue, o musical “Roberta, uma Ópera Rock” fará sua estreia nacional na programação do Festival na Rua. A trama é sobre um grupo de jovens em busca de respostas para seus dilemas. Uma tragédia contemporânea que fala de amor, drogas e juventude, ao misturar Ópera Clássica e Rock’n’Roll. Saiba mais sobre a peça aqui: https://bit.ly/36gunyA

Circuito Aberto
O Circuito Espaço Aberto divulga espetáculos com programação independente, promovidos e produzidos por companhias e espaços artísticos da Grande Curitiba que já elaboram arte durante o ano todo e que, durante o Festival de Curitiba, disponibilizam suas produções. A programação completa você confere aqui: https://bit.ly/3twmIEP

Playlists do Festival
Preparamos uma playlist com as canções e temas que fazem parte das trilhas das peças Abjeto - Sujeito: A Hora da Estrela e Parlapatões Revistam Angeli. Tem Elis Regina, Chico César, Titãs e Jackson do Pandeiro.
Dá o play aí: https://spoti.fi/3txUNVa

Lugar de fala
A coreógrafa Deborah Colker fala sobre o Festival de Curitiba: https://bit.ly/3JApqPf

Material do Festival de Curitiba 2022 para imprensa:
Os releases, fotos das atrações do Festival de Curitiba estão aqui:
https://bit.ly/36js5hE

O 30º Festival de Curitiba nas Redes Sociais:
Instagram: https://www.instagram.com/festivaldecuritiba/
Twitter: https://twitter.com/Fest_Curitiba
Facebook: https://www.facebook.com/fest.curitiba/
Youtube: https://www.youtube.com/c/festivalcuritiba
Linkedin: https://www.linkedin.com/company/parnaxxoficial/

Arte Viva! Viva a Arte!

Versão cênica de Paulo de Moraes para a obra-prima de Tony Kushner é uma das atrações da Mostra Lucia Camargo, da 30ª edição do Festival de Curitiba

Considerada por muitos estudiosos como um dos textos teatrais mais importantes dos últimos 50 anos, Angels In América é um díptico escrito por Tony Kushner no início dos anos 1990. Composto de “O Milênio se Aproxima (parte 1)” e “Perestroika (parte 2)” e jamais montado integralmente no Brasil*, o texto recebeu os principais prêmios da dramaturgia americana, incluídos aí os prestigiados Tony Award, Drama Desk Award e Pulitzer Prize. É com este espetáculo que a Armazém Cia.de Teatro retorna ao Festival de Curitiba para a edição que celebra 30 anos do evento.
Angels fará duas apresentações dentro da Mostra Lúcia Camargo, no dia 9 a partir das 21h e no dia 10 de abril partir das 19h, no Guairinha. As duas partes da montagem serão apresentadas em sequência, com intervalo de 30 minutos entre elas. Os ingressos para cada parte deve ser adquirido separadamente e quem comprar os passes para as duas partes terá desconto no valor total do pacote, que sairá por R$120,00 (R$60,00)
Os ingressos estão à venda pelo site oficial www.festivaldecuritiba.com.br e na bilheteria do evento, localizada no Shopping Mueller (Piso L2).
ANGELS IN AMERICA se passa na década de 1980, em Nova York, durante a chamada “Era Reagan” e quando a AIDS assola a cidade como uma espécie de epidemia. Mas Nova York aqui pode ser qualquer um desses lugares densamente povoados, onde é fácil pensar que a pessoa ao seu lado no metrô ou no elevador, ou mesmo na cama, pode estar do outro lado do mundo. Há uma pressa, uma urgência, nesse ir e vir constante da grande cidade que parece não permitir o tempo estendido de se conectar ao outro. Mas, apesar e por conta disso, as personagens arrebatadas de Tony Kushner – cheias de dor, medo e uma frágil esperança – tentam fazer contato dentro deste abismo.
“É um épico teatral em duas partes. É uma peça especial, um mergulho no final do século XX, mas que revela uma atualidade esmagadora. É uma obra que reflete sobre o mundo ocidental, religiões, política, relações afetivas, sexo, medo da morte, covardia, crueldade, História. Há um sentido de devastação se alastrando por toda a peça. Mas o resultado cênico é um movimento constante, personagens se fazendo vivos por estarem em movimento”, comenta o diretor Paulo de Moraes. “Embora haja um cheiro de realidade permanente, a nossa montagem não é nada realista. Usamos um espaço nu, aberto. E pairando sobre o espaço, um grande teto branco, uma espécie de asa geométrica, como um anjo pairando sobre a História. Fora isso, usamos pouquíssimos elementos, para que os corpos dos atores sejam determinantes pra narrativa e a imaginação do público seja cúmplice e finalizadora do acontecimento estético”, conclui Moraes. O espetáculo contém cenas de nudez.
Sobre a ARMAZÉM - Com mais de 30 prêmios nacionais no currículo, a companhia também foi premiada duas vezes no Festival Fringe de Edimburgo (na Escócia), com o prestigiado Fringe First Award (2013 e 2014) e no Festival Off de Avignon (na França), com o Coup de Couer de la Presse d’Avignon (2014). A Armazém Companhia de Teatro foi formada em 1987, em Londrina, em meio à efervescência cultural vivida pela cidade paranaense na década de 80 - de onde saíram nomes importantes no teatro, na música e na poesia. Liderados pelo diretor Paulo de Moraes, o senso de ousadia daqueles jovens buscando seu lugar no palco impregnaria para sempre os passos do grupo: a necessidade de selar um jogo com o seu espectador, a imersão num mundo paralelo, recriado sobretudo pela ação do corpo, da palavra, do tempo e do espaço. Com sede no Rio de Janeiro desde 1998, a companhia tem mais de 30 anos de formação. Sempre baseando seus espetáculos em pesquisas temáticas e formais (que se refletem na utilização do espaço, na construção da cenografia, ou nas técnicas utilizadas pelos atores para conviver com o risco de encenar em cima de um telhado, atravessando uma fina trave de madeira ou imersos na água), a questão determinante para a companhia segue sendo a arte do ator.

A Mostra Lúcia Camargo é apresentada por EBANX, Paraná Banco, Governo do Estado do Paraná e New Holland, com patrocínio de ClearCorrect, Vonder, SulAmérica e Novozymes.
Acompanhe todas as novidades e informações da Mostra Lúcia Camargo do Festival de Curitiba pelo site www.festivaldecuritiba.com.br, pelas redes sociais disponíveis, no Facebook @fest.curitiba, pelo Instagram @festivaldecuritiba e pelo Twitter @Fest_Curitiba

FICHA TÉCNICA:
Autor: Tony Kushner Direção: Paulo de Moraes Tradução: Maurício Arruda Mendonça
Iluminação: Maneco Quinderé Cenografia: Paulo de Moraes e Carla Berri
Figurinos: Carol Lobato Música Original: Ricco Viana Projeção Cênica: Rico Vilarouca e Renato Vilarouca Diretor de Movimento: Paulo Mantuano Fotografia: Mauro Kury e Nityam
Designer Gráfico: Daniel de Jesus Diretor Técnico: Hugo da Matta Performance de Bateria: Rick De La Torre Assistente de Figurino: Amanda Rubelsperger Assistente de Cenografia: Samanta Toledo Costura e Alfaiataria: Ateliê das Meninas e Alex Leal Cenotécnicos: Marco Souza e Zé Maranhão Técnico de Montagem: José Djavan Costa Consultoria Ídiche e Hebraico: Sonia Kramer Assistente de Produção: Malu Selonk Produção Executiva: Isabel Pacheco Direção de Produção: Patrícia Selonk Produção: Armazém Companhia de Teatro

Elenco: Felipe Bustamante (Louis Ironson), Isabel Pacheco (Anjo), Jopa Moraes (Prior Walter)
Lisa Eiras (Harper Pitt), Patrícia Selonk (Hannah Pitt + Ethel Rosemberg), Ricardo Martins (Joe Pitt). Sergio Machado (Roy Cohn) Zéza (Belize + Sr. Mentira)

Serviço:
O que: ANGELS IN AMERICA no 30.º Festival de Curitiba
Quando: 09 de abril a partir das 21h e 10 de abril a partir das 19h.
Onde: Guairinha (XV de Novembro, 971)
Valores: R$ 80,00 (inteira). Combo (parte 1 + parte 2): R$120,00 (R$60)
Ingressos: www.festivaldecuritiba.com.br e na bilheteria física exclusiva do Shopping Mueller (piso L2), de segunda-feira a sábado, das 10h às 22h; domingos e feriados, das 14h às 20h.
Classificação: 16 anos (Contém cenas de nudez)
Duração: 300 (140’ parte 1 e 160’ parte 2)

Hashtags oficiais – #festivaldecuritiba #festcuritiba30anos #vivaofestival #omeufestival

Sugestão de Tags – festival, curitiba, festival de curitiba, mostra, teatro, artes cênicas, artes, Guairinha, Armazém Companhia de teatro, Tony Kushner

“Trava Bruta”, solo de Leonarda Glück sobre a vivência da sua transexualidade na realidade brasileira, chega a 30ª edição do Festival de Teatro de Curitiba

Espetáculo estreou em São Paulo em dezembro de 2021 e marca os 25 anos de carreira da artista Leonarda Glück, que teve trabalhos apresentados em países da Europa e da América Latina

Após realizar estreia nacional na cidade de São Paulo e cumprir temporadas presencial e online no Centro Cultural São Paulo, o espetáculo “Trava Bruta”, solo escrito e encenado por Leonarda Glück com direção de Gustavo Bitencourt, faz duas únicas apresentações gratuitas no Festival de Teatro de Curitiba, dias 5 e 6 de abril, às 19h, no Auditório da Biblioteca Pública do Paraná. Os ingressos podem ser retirados na própria Biblioteca Pùblica do Paraná 1h antes de cada sessão.

“Trava Bruta” é um manifesto que parte da experiência transexual da própria Glück para propor uma ponte e um embate entre o contexto artístico e a atual conjuntura política e social brasileira no que se refere ao campo da sexualidade. O trabalho marca as comemorações de 25 anos de carreira da artista e também o seu reencontro com o diretor Gustavo Bitencourt. Juntos os dois já desenvolveram criações em performance, dança e teatro, com destaque para Valsa Nº 6, montagem do texto de Nelson Rodrigues premiada pela Funarte em 2012, na ocasião do centenário do autor.

Leonarda, que hoje mora na capital paulista, começou a escrever o texto ainda em Curitiba, sua cidade de origem, onde fundou importantes coletivos do cenário teatral nacional como a Companhia Silenciosa e a Selvática Ações Artísticas. Seus trabalhos tratam de diversas temáticas, e já foram apresentados em vários países da Europa e América Latina, mas esta é a primeira vez em que a artista dedica uma criação exclusivamente à transexualidade: “Me veio uma possível angústia repentina de talvez não ter conseguido em outro momento antes escrever tão intimamente sobre o assunto da transexualidade, e seus efeitos na minha mente e na vida social da qual faço parte”, diz Leonarda.

Sobre o processo de direção do espetáculo, Gustavo Bitencourt conta que percebeu o quanto o texto fala de vivências que dizem respeito a todos, e não somente às relacionadas a transexualidade no Brasil: “É importante que a gente olhe tanto para o que tem de específico nesse contexto do qual ela fala, quanto para onde essa história se conecta com outras tantas”. Partindo daí, ele entendeu o texto de “Trava Bruta” como uma auto-ficção, gênero literário e teatral que combina autobiografia com ficção.

Leonarda e Gustavo, então, se encontraram no conceito, como nos diz o diretor: “Ficção que é o que eu pesquiso, é a minha profissão – como drag queen, que é o que eu faço da vida há 12 anos - e é uma necessidade básica de qualquer ser humano. Humano precisa de ficção pra viver, e em diferentes medidas, com diferentes graus de comprometimento e de risco, todo mundo vai dando um jeito de concretizar”, destaca.

Para Gustavo, o ponto chave da ideia no trabalho encontra-se no fato de que “algumas ficções são permitidas e outras não. Quando se trata de gênero, as pessoas tendem a ficar muito assustadas”. Leonarda complementa: “chego aqui com a certeza de que o herói macho branco, heterossexual, cristão e suas ideias precisam urgentemente ser substituídos, trocados ou mesmo revisitados por outros ângulos. Estão chatos. De alguns eu ainda gosto muito, mas estão chatos.”

A participação de Leonarda, Gustavo e da Pomeiro no Festival marca, também, o retorno dos artistas à cidade: por muitos anos os três integraram eventos variados dentro do Festival (como o Fringe, a Mostra Oficial, a Mostra Novos Repertórios, a Curitiba Mostra e outras). Embora suas obras mais recentes tenham estreado em outros municípios do país nos últimos anos, boa parte de suas trajetórias foi consolidada em Curitiba.

O espetáculo chega à capital paranaense integrando a edição comemorativa de 30 anos do Festival de Curitiba, dentro do Interlocuções, uma das ações do evento, a convite da curadoria de Giovana Soar e Celso Curi.

Sobre os artistas:
Leonarda Glück é atriz, dramaturga e diretora curitibana radicada em São Paulo. Co-fundadora da Companhia Silenciosa e do Coletivo Selvática. Graduada em Direção Teatral pela Faculdade de Artes do Paraná (FAP). Tem mais de vinte textos encenados por diferentes grupos, companhias e artistas brasileiros e internacionais de diversas linguagens artísticas. Publicou A Perfodrama de Leonarda Glück - Literaturas Dramáticas de Uma Mulher (Trans) de Teatro, coletânea com seis textos teatrais. Para maiores informações acesse www.leonardagluck.com
Gustavo Bitencourt é diletante profissional, nascido e residente em Curitiba, Paraná. Estudou Letras na UFPR. Atua em diversos campos artísticos e tem na indisciplinaridade uma das principais características de seu trabalho. Trabalha como ilustrador, designer gráfico, redator e tradutor, performer, ator, diretor de teatro, drag queen, crítico de arte e já compôs trilhas para teatro, dança e vídeo.

SERVIÇO
TRAVA BRUTA.
Dias 5 e 6 de abril, às 19h.
Teatro da Biblioteca Pública do Paraná (Rua Cândido Lopes, 133 - Centro, Curitiba - PR).
Entrada gratuita, com retirada de ingressos 1h antes do espetáculo no próprio teatro.
18 Anos, 70 Minutos.

FICHA TÉCNICA
Criação, texto e interpretação: Leonarda Glück
Direção: Gustavo Bitencourt
Direção de produção: Igor Augustho
Trilha original: Jo Mistinguett
Luz: Wagner Antônio
Assistente de iluminação: Dimitri Luppi
Criação em vídeo e projeções: Ricardo Kenji
Figurino: Fabianna Pescara e Renata Skrobot
Fotografias: Alessandra Haro
Assessoria de imprensa São Paulo: Pombo Correio
Assessoria de imprensa Curitiba: Platea Comunicação e Arte
Realização e produção: Pomeiro Gestão Cultural

Musical “Roberta, uma Ópera Rock” abre programação de rua do Festival de Curitiba e reúne Alessandro Sangiorgi, Nena Inoue e Maurício Vogue na equipe de criação

Estreia está marcada para o dia 01 de abril, às 19h30, na Praça Santos Andrade. Ao todo, serão sete apresentações gratuitas ao ar livre até o dia 09, na Praça Santos Andrade e também no Centro Cultural Boqueirão

Entre os dias 01 e 09 de abril, acontece a estreia gratuita e ao ar livre do musical “Roberta, uma Ópera Rock”, que integra a programação oficial de rua do tradicional Festival de Curitiba. As apresentações estão divididas entre o Palco EBANX, na Praça Santos Andrade, e o Centro Cultural Boqueirão. A entrada é gratuita e não é necessário retirar ingressos antecipadamente.

O espetáculo retrata a trajetória de um grupo de jovens que, na década de 80, circulam pelas ruas da cidade em busca de respostas para seus dilemas. Na trama, Roberta, uma jovem usuária de drogas, encontra em Giovanni uma oportunidade de fugir do vício e deixar o grupo liderado pelo traficante Ugo que, por sua vez, fará de tudo para mantê-la por perto. A tragédia contemporânea funde as linguagens da Ópera Clássica e do Rock and Roll para falar de amor e do uso de drogas na juventude.

A obra se destaca como evento de abertura da programação de rua do Festival de Teatro de Curitiba, que retoma as atividades presenciais depois de dois anos devido às restrições causadas pelo coronavírus. A estreia do espetáculo é na sexta-feira, 01 de abril, às 19h30, no Palco EBANX, instalado na Praça Santos Andrade. As exibições seguem no mesmo local e horário nos dias 02 e 03 (sábado e domingo). Já nos dias 06, 07, 08 e 09 (quarta a sábado), o grupo se apresenta às 20h no Centro Cultural Boqueirão (Rua José Guercheski, 281).

O texto é de Roberto Innocente, e a obra tem composição e direção musical de Alessandro Sangiorgi, com direção artística de Nena Inoue e Maurício Vogue. Além dos atores convidados Marwem Hd e Ranieri Gonzalez, o elenco selecionado a partir de audições e oficinas, conta com os artistas Duilio de Pol, Gustavo Godoy, Larissa Carangi, Madu Forti, Margheurita Dissá, Marina Gobetti, Matheus González, Paulo Soares, Wilyah Schmitt e Priscila Esteves como Roberta.

“Patrícia, uma Ópera Rock” era o tíitulo original da obra, porém Nena Inoue e Alessandro Sangiorgi decidiram pela mudança para “Roberta, uma Ópera Rock” em homenagem ao dramaturgo e idealizador do projeto, Roberto Innocente, diretor, ator e produtor italiano radicado em Curitiba, que faleceu em abril de 2021, vítima de COVID-19.

Ao todo, são 18 músicas originais, que remetem aos anos 80, tocadas e cantadas ao vivo pela banda convidada “Eles Mesmos” - Luiz Carlos Braga na bateria; Valter Rodrigues Ferraz no baixo e Fernando Gouvêa na voz e guitarra. O diretor musical do projeto, Alessandro Sangiorgi, fala sobre os principais desafios. “O rock sempre fez parte da minha vida, e a ideia de escrever músicas de uma ópera rock me instigou muito. Sou maestro de música clássica e pianista por ofício, então o desafio já começou por aí. Depois veio a necessidade de readequar o projeto por conta do falecimento do Roberto que, além de parceiro no projeto, era um grande amigo. E o grande desafio de fazer um musical e combinar as músicas com o texto, mas está sendo uma experiência muito interessante”, declara o maestro.

A diretora artística da obra, Nena Inoue - que só acatou o convite em dirigir este musical por tratar-se de uma homenagem a Roberto Innocente - comenta sobre a trama: “este espetáculo fala sobre o uso de drogas na juventude e suas consequências e estão presentes os desencantos da vida, o amor como saída, o tempo, a noite, a morte. E situa onde esses jovens estão, porquê estão, o que querem e o que conseguem… ou não”, completa a artista.

Para assistir o espetáculo, é obrigatório o uso de máscara de proteção e o distanciamento seguro de 1,5m.

O projeto tem o apoio da Copel e foi aprovado no Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura (Profice) - Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura - Governo do Estado do Paraná.

Sobre Roberto Innocente
Nascido em Padova, Itália, formou-se como ator na “Academia Veneta dello Spettacolo” em 1985. Chegou ao Brasil em 2005 convidado pelo Teatro Guaíra para dirigir “La Boheme” e coordenar no ano seguinte o projeto de montagem de “La serva padrona”, atelier de formação sobre todos os aspectos cênico de encenação da ópera. Com a direção de “L’occasione fa il ladro” e “Suor Angelica” em 2015 começou a colaborar com a Opera Orquestra Curityba apresentando na Opera de Arame. Convidado pela direção cênica da Camerata Antígua de Curitiba, em 2008, com a obra “A comédia do senhor Carlo Goldoni”, e em 2018 com “La Barca di Venezia per Padova”. Dirigiu na Capela S. Maria “Livietta e Tracollo” em 2013 e “Marc’Antonio e Cleopatra” em 2015. E em 2013-14 colaborou com o Projeto Ademar Guerra, em São Paulo. Criou o Grupo Comedia Dell’ACT (2006 a 2008) onde recebeu vários prêmios por seu trabalho em direção e em seguida, o Grupo Arte da Comédia, referência de Comédia dell’Arte no Brasil, onde se manteve até o ano de seu falecimento em 2021.

SERVIÇO
Roberta, uma Ópera Rock
Exibições gratuitas de 01 a 09 de abril
01, 02 e 03 (sexta a domingo), às 19h30, no Palco EBANX (Praça Santos Andrade - Centro)
06, 07, 08 e 09 (quarta a sábado), às 20h, no Centro Cultural Boqueirão (Rua José Guercheski, 281 - Boqueirão)
Classificação indicativa: 14 anos
Duração: 90 minutos

FICHA TÉCNICA
Texto: Roberto Innocente
Direção Musical: Alessandro Sangiorgi
Direção Artística: Nena Inoue e Mauricio Vogue
Elenco: Duilio de Pol, Gustavo Godoy, Joseane Berenda, Madu Forti, Margheurita Dissá, Marina Gobetti, Matheus González, Paulo Soares, Wilyah Schmitt e Priscila Esteves
Atores Convidados: Marwem Hd e Ranieri Gonzalez
Músicas: Alessandro Sangiorgi
Banda: Eles Mesmos (Luiz Carlos Braga - bateria; Valter Rodrigues Ferraz - baixo; Fernando Gouvêa - voz e guitarra)
Pianista: Priscila Malanski
Preparação Vocal: Babaya Morais
Coreografia: Raphael Fernandes
Cenografia e Figurino: Paulinho Maia
Iluminação: Beto Bruel
Visagista e Arte Visual (tambores): Fabi Melatte
Designer Gráfico: Martin Castro
Fotografia: Roberto Reitenbach
Assessoria de Imprensa e Mídias Sociais: Platea Comunicação e Arte
Técnico de Áudio: Luigi Castel
Assistente de Produção: Vinícius Jardim e Ana Luiza Metzger
Diretor de Produção: Marcos Trindade
Proponente: Alessandro Sangiorgi
Apoio Cultural: Centro Cultural Teatro Guaíra, UFPR, Padaria América, Bar Quermesse

Apoio: Copel - Companhia Paranaense de Energia
Incentivo: Profice - Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura - Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura - Governo do Estado do Paraná.

“PROJETO REALIZADO COM O APOIO DO PROGRAMA ESTADUAL DE FOMENTO E INCENTIVO À CULTURA (PROFICE) – SECRETARIA DE ESTADO DA COMUNICAÇÃO SOCIAL E DA CULTURA – GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ”.

#5 – Boletim do 30º Festival de Curitiba

Hoje é 22 de março e faltam 7 dias para o Festival de Curitiba

***** SESSÕES EXTRAS: Emicida e Fábio Porchat *****
As duas atrações com maior procura, e que estavam esgotadas há dias no 30.º Festival de Curitiba, terão sessões extras.
Olho no horário das vendas de ingressos:
O espetáculo AmarElo, de Emicida, e a primeira noite de apresentações no Risorama, que tem Fábio Porchat e outros humoristas no line-up, abriram a venda de ingressos para os novos horários hoje (22), na bilheteria física do Shopping Mueller e no site oficial do festival: https://festivaldecuritiba.com.br

Olho nos novos horários:
Emicida fará uma sessão extra de AmarElo no mesmo dia 07/4, quinta-feira, às 17h, no Teatro Guaíra. Saiba tudo sobre o show de Emicida aqui: https://bit.ly/3i8EkjB

No Risorama, a primeira sessão cujo line-up tem Arianna Nutt; Confraria Comedy; Diogo Portugal; Igor Guimarães; Fábio Porchat e Murilo Couto será repetida as 22h30, no mesma quinta-feira, dia 31/03. Tudo sobre o Risorama aqui: https://bit.ly/3tuQVEc

8 Peças baseadas em clássicos da literatura
A melhor literatura sempre foi matéria prima para o melhor teatro. Autores do primeiro time da literatura brasileira e mundial estarão presentes no 30.º Festival de Curitiba em adaptações de suas obras ou de espetáculos baseados nelas. Tem Nelson Rodrigues, Clarice Lispector, Shakespeare e muito mais.
Confira oito espetáculos inspirados em clássicos literários que estão na programação: https://bit.ly/3qpDKCC

Pão com Bolinho

Duas tradições de Curitiba se encontram em 2022: pela primeira vez, o popular Festival de Pão com Bolinho, organizado pela Curitiba Honesta, fará parte da programação do 30º Festival de Curitiba. O Festival de Pão Com Bolinho começa dia 28 de março e vai até 17 de abril. Participam 62 estabelecimentos. Todos estarão vendendo o sanduíche ao preço fixo de R$19,00. Tem bolinho pra todos os gostos. Quer saber quais os bares estão participando, clique aqui: https://bit.ly/3D088J0

Peças com temática racial

Espetáculos para adultos e para crianças e oficinas voltadas a que debatem a questão racial, inclusão e diversidade compõem a programação do 30.º Festival de Curitiba. Veja três exemplos no link abaixo e se programe: https://bit.ly/37PAni3

Encontro Críticos no INTERLOCUÇÕES

Dentro da programação do INTERLOCUÇÕES os críticos e pesquisadores teatrais Valmir Santos e Luciana Romagnolli recebem artistas de diferentes vertentes do teatro e da performance para conversar sobre as possibilidades e o futuro de suas pesquisas a partir dos sintomas do presente. Os “Encontros Críticos – Porvires” acontecem sempre entre as 17h e 19h, na Alfaiataria, com acesso livre. Confira a programação completa aqui: https://bit.ly/3usI8ST

Angels in America

Tida por muitos como um dos textos teatrais mais importantes dos últimos 50 anos, ANGELS IN AMERICA é uma peça em duas partes escrita por Tony Kushner no início dos 1990. Jamais montado integralmente no Brasil, o texto recebeu os principais prêmios da dramaturgia americana, incluídos aí os prestigiados Tony Award, Drama Desk Award e Pulitzer Prize. A Armazém Cia.de Teatro retorna ao Festival de Curitiba com esta histórica montagem. A peça é uma das atrações imperdíveis do 30º Festival de Curitiba. Saiba tudo sobre a peça aqui: https://bit.ly/36k0vkB

Material do Festival de Curitiba 2022 para imprensa:
Os releases, fotos das atrações do Festival de Curitiba estão aqui:
https://bit.ly/36js5hE

O 30º Festival de Curitiba nas Redes Sociais:
Instagram: https://www.instagram.com/festivaldecuritiba/
Twitter: https://twitter.com/Fest_Curitiba
Facebook: https://www.facebook.com/fest.curitiba/
Youtube: https://www.youtube.com/c/festivalcuritiba
Linkedin: https://www.linkedin.com/company/parnaxxoficial/

“Viva arte! Arte Viva!”

A rua será palco da 30.° Festival de Curitiba. De 1° a 9 de abril, a Mostra Festival na Rua transformará os espaços públicos e mudará a rotina da capital paranaense, levando a arte para vários pontos da cidade, tudo totalmente gratuito. É a arte ao alcance de todos.

A Mostra Festival na Rua terá cerca de 60 companhias locais, 11 espaços e um total de 130 apresentações. A novidade é que nesta edição quatro espaços terão estrutura de palco, com iluminação e sonorização. São eles: Ruínas São Francisco, Praça Santos Andrade, Centro Cultural do Boqueirão e Praça Rui Barbosa. A programação ainda conta com outros seis espaços preparados para receber apresentações: Calçadão e Parque de São José dos Pinhais, Praça da Bíblia - em Araucária -, Largo da Ordem, Centro Pop Plinio Tourinho, Parque Barigui e Boca Maldita.

“O Festival na Rua busca a democratização da cultura, pois não há cobrança de ingressos e acomodamos maior número de pessoas de maneira acessível a todas as classes sociais”, explica a coordenadora da mostra, Carol Scabora.

O Festival na Rua terá a participação de companhias locais, com o objetivo de estimular a economia criativa na região, por meio da contratação de artistas e fornecedores do município. A produtora Iara Elliz destaca a importância do evento para fomentar a cultura. “O conceito é ser democrático e buscamos dar espaço ao maior número de companhias possível. O festival abriga companhias profissionais com mais de 10 anos atuando, bem como grupos mais novos”.

O evento envolverá mais de 400 artistas e conta com cerca de 50 pessoas na organização. Um grande incentivo à cultura e valorização dos profissionais ligados ao setor. E para que tudo isso seja possível, o Festival montou uma grande estrutura. Cada espaço tem um produtor - responsável por manter a programação e o cumprimento dos horários -, e equipe técnica com assistente, maquinista, técnico de luz e técnico de som, além da equipe de logística e seguranças.

Atrações – Entre os espetáculos há peças e artistas vencedores dos principais prêmios do teatro e destaques da cultura nacional. É o caso do espetáculo de estreia “Roberta, uma Ópera Rock”, que tem na direção artística Nena Inoue, vencedora do Prêmio Shell, e composição e direção musical do maestro Alessandro Sangiorgi. A estreia está marcada para o dia 1° de abril, às 19h30, na Praça Santos Andrade. Ao todo, serão sete apresentações gratuitas ao ar livre até o dia 9, na Praça Santos Andrade e também no Centro Cultural Boqueirão.

O espetáculo retrata a trajetória de um grupo de jovens que, na década de 80, circula pelas ruas da cidade em busca de respostas para seus dilemas. A tragédia contemporânea funde as linguagens da Ópera Clássica e do Rock and Roll para falar de amor e do uso de drogas na juventude. A diretora artística comenta sobre a trama: “Este espetáculo fala sobre o uso de drogas na juventude e suas consequências. Estão presentes os desencantos da vida, o amor como saída, o tempo, a noite, a morte. E situa onde esses jovens estão, o porquê estão, o que querem e o que conseguem… ou não”, afirma Nena.

Outra peça premiada presente na Mostra Festival de Rua é “Hi, Breasil!”, ganhadora do Gralha Azul, que estreia no dia 2 de abril, às 17h, na Boca Maldita e terá outras duas apresentações: dia 3, na Praça Santos Andrade, às 14h30, e dia 9, no Parque Barigui, às 18h.

“Hi Breasil” é a terra de um professor, uma mãe, uma atriz, uma jovem e um peixe que, por medo de ser fisgado, nada. É uma terra construída que fricciona o real com o ficcional, o presente e passado e eclode em momentos de realidades poéticas.

Tradição no Festival – A programação contempla ainda companhias que têm tradição em se apresentar no Festival de Curitiba. É o caso da Cia. Máscaras de Teatro, comandada pelo ator e dramaturgo João Luiz Fiani. O grupo participa do Festival de Curitiba desde 1998. De acordo com Fiani o teatro na rua é a essência mais pura das artes cênicas. “O Festival, ao levar o teatro para rua, está elevando o nível do festival a um momento único, de aproximação popular. É uma energia verdadeira e sincera. Um renascimento para celebrar o momento de retorno à normalidade. Celebrar o teatro e a vida!”.

A Cia Máscaras de Teatro apresentará, nos dias 5 e 6, às 16h, nas Ruínas São Francisco, o musical para crianças “A Cigarra e a Formiga”, levando ao palco a magia da clássica história de Esopo, autor da Grécia Antiga. Uma das fábulas mais famosas da literatura mundial numa montagem cheia de magia e encantamento, ela fala sobre uma cigarra preguiçosa e uma formiga esforçada, comparando as suas posturas sobre o trabalho e o futuro.

Quem também é presença frequente no Festival de Curitiba é o Teatro Rodrigo D’Oliveira, que este ano levará a peça “Tintino, o espetáculo continua...” nos dias 8 e 9 de abril, nas Ruínas São Francisco. “O Festival de Teatro de Curitiba sempre foi o pontapé inicial das temporadas do ano nos teatros de Curitiba. E agora pode ser também o ponta pé inicial da retomada do teatro presencial”, afirma o diretor do teatro, Rodrigo D’Oliveira.

A peça conta a vida do palhaço Tintino, da infância à velhice, até o dia de sua partida. Ele, que ao longo dos anos colore a vida de outras pessoas, ao envelhecer é esquecido. Quando chega o dia de ir embora e quando tudo parecia triste, o reencontro com a plateia no lado de lá o enche de luz.

Desafios para adaptação – Se na rua está a essência do teatro, o desafio é redobrado. A maior parte das cerca de 60 peças presentes na mostra foi concebida para palco, o que requer diversos cuidados para adaptá-las para a rua. Algumas foram feitas para exibição na internet, em razão da pandemia, e agora ganham montagem especial na rua.

“Adaptar uma peça para a rua exige muito do artista e produtores. No nosso caso, foi desafiador porque é um espetáculo criado com muitos detalhes para dar a ideia de uma passagem da vida física para vida espiritual. Mas nem sempre precisamos de grandes palcos e produções para tocar as pessoas. Acredito que será uma boa experiência fazer Tintino ao ar livre”, comenta Rodrigo D’Oliveira.

Acessibilidade – A acessibilidade também estará presente na Mostra Festival na Rua. Com audiodescrição, o festival conta com as seguintes peças: “Tupi Pererê” (dias 02 e 03/04, às11h, na Praça Santos Andrade); “Negro não Nego” (no dia 7, às 16h, no dia 8, às 12h e no dia 09, às 20h, nas Ruínas São Francisco); “Pitombas do amor” (no dia 7, às 18h30 e no dia 8, às 12h30, no Palco Boca Maldita e Praça General Osório);

Já na lista de espetáculos com acessibilidade em libras temos: “Bamberê”, nos dias 08 e 09/04, às14h30, na Praça Santos Andrade); “Aqui é minha casa” (nos dias 7,8 e 9, às 19h30, na Praça Santos Andrade); “Fandango” (dias 2 e 3, às 15h, no Palco Boca Maldita - Praça General Osório); “Fome” (no dia 6, às 16h30 e 19h30, na Praça Santos Andrade).

O espetáculo “Astrocirco” terá tanto libras quanto audiodescrição (no dia 4, às 10h e às 14h, no Parque Cachoeira).

Programação Completa – A programação completa da Mostra Festival na Rua, com os horários e locais de todas as cerca de 60 peças, pode ser acessada através do site https://festivaldecuritiba.com.br

A Mostra Festival na Rua é apresentada por Uninter, Junto Seguros, Banco CNH Industrial e Bosch, com patrocínio de Vivo, Instituto Cultural Vale e Da Magrinha 100% Integral, Copel e Governo do Estado do Paraná.

Lista dos Espaços com endereço:

Espaços com estrutura de palco

- Largo da Ordem (Rua Cel. Enéas, S/N – São Francisco)
- Praça Rui Barbosa (Rua André de Barros, S/N – Centro)
- Praça Santos Andrade (Travessa Alfredo Bufren, S/N – Centro)
- Centro Cultural de Boqueirão (Rua José Guercheski, 281)
- Calçadão de São José dos Pinhais (Rua XV de Novembro – Centro)
- Centro Pop Plínio Tourinho (Rua Engenheiro Rebouças, 845 – Jardim Botânico)
- Praça da Bíblia (Rua Nossa Senhora dos Remédios - Fazenda Velha, Araucária
- Praça General Osório (Rua Voluntários da Pátria, S/N – Centro)
- Praça João Candido (Rua Jaime Reis, S/N – Centro)

Serviço:
O que: Mostra Festival na Rua | 30.º Festival de Curitiba
Quando: De 1º/04 a 9/04 de 2022.
Espetáculos Gratuitos
Verifique a classificação indicativa e orientações de cada espetáculo

Hashtags oficiais – #festivaldecuritiba #festcuritiba #viva #vivaofestival #festival30anos

Sugestão de Tags – festival, curitiba, festival de curitiba, mostra, teatro, festival na rua, rua, peças gratuitas, artes cênicas, artes, circo, dança, música, cultura, show, atrações

#3- Boletim do 30º Festival de Curitiba

Hoje é 18 de março e faltam 11 dias para o Festival de Curitiba

MishMash

O circo chega ao 30º Festival de Curitiba no dia 8 de abril. Mágicos, equilibristas, palhaços contorcionistas e arqueiros estão entre as atrações do MishMash, a miscelânea de artistas que se unem no palco para surpreender, divertir e encantar adultos e crianças durante o Festival. Nesta edição, o MishMash será na Live Curitiba (Rua Itajubá, 143, Novo Mundo). Saiba tudo sobre as atrações, ingressos e horários aqui: https://bit.ly/34P3mBo

Vem trabalhar no Festival de Curitiba!

Hoje, 18/03, é o último dia para a inscrição às 100 vagas de trabalho temporário no 30º Festival de Curitiba. Os postos são de aprendiz de técnico de som, montador de som, operador de luz, técnico de som, recepcionista, entre outros. O trabalho dos selecionados será entre os dias 28 de março e 10 de abril.

Além de experiência e habilidades técnica, os candidatos devem ter disponibilidade integral para o período e devem comparecer à Agência do Trabalhador da Cultura (Rua Saldanha Marinho, 240, Centro), com documentos pessoais e preencher uma ficha. Mais detalhes aqui: https://bit.ly/3tkgt74

Uma Homenagem à Lúcia Camargo

A principal mostra do 30º Festival de Curitiba é uma homenagem a uma das mais importantes personalidades culturais brasileiras: a jornalista, produtora e curadora Lúcia Camargo (1944-2020).

Como gestora cultural, Lúcia foi diretora (1979-1983) e presidente da Fundação Cultural de Curitiba (1989-1992), e secretária de Estado da Cultura (1998-2004) do Paraná Fora do Paraná, foi diretora artística do Teatro Municipal de São Paulo, presidente do Instituto Cultural da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, secretária-adjunta de Cultura do Estado de São Paulo e coordenadora da organização SP Escola de Teatro, entre outros cargos.

Seu legado nas artes e na cultura, contudo, vai além das posições oficiais que ocupou. Lucia esteve envolvida com o Festival de Curitiba desde a edição de 1995. Foi curadora durante anos e deu uma larga contribuição na consolidação do festival como evento internacional.

A partir de 2022, o Festival faz uma homenagem permanente à sua memória. A Mostra Lúcia Camargo traz 25 opções de espetáculos reunindo estrelas brasileiras, atrações premiadas e aclamadas pela crítica, tudo isso com a atuação de fortes nomes profissionais das artes! Saiba tudo sobre a mostra aqui: https://bit.ly/3wlNlhT

O Casamento e algumas frases fatais

O Festival de Curitiba sem uma peça de Nelson Rodrigues (1912-1980) não fica completo. Sem o maior dramaturgo brasileiro falta aquele olhar pelo buraco da fechadura que enxerga as sombras de cada um de nós.

No 30º Festival de Curitiba o grupo Os Fodidos Privilegiados monta um dos mais célebres textos, O Casamento, único romance assinado por Nelson, proibido pela censura em 1966. Com adaptação de João Fonseca e Antônio Abujamra, a peça já teve outras duas montagens no Festival de Curitiba. Saiba tudo sobre a remontagem da peça aqui: https://bit.ly/36oZjw4

Algumas frases do texto de Nelson Rodrigues só para entrar no clima de O Casamento:

“Todo canalha é magro!"

"Qualquer um pode ser obsceno, menos o ginecologista."

"O amor normal é triste e doente. Doente, não. Mas é triste, o amor normal é triste."

"O que não se diz apodrece em nós."

"Em cada família, há trevas que convém não provocar."

“Só não estamos de quatro, urrando no bosque, porque o sentimento de culpa nos salva”.

Léo Sem Filtro no Festival

Quem também está no 30º Festival de Curitiba é o ator, humorista, criador de conteúdo, influencer e Tiktoker Léo Sem Filtro, que já tem mais de 1,5 milhão de seguidores na internet.

Pela #leonofest é possível acompanhar o vídeos e conteúdos sobre a programação e bastidores do festival: Olha o Léo aqui no Insta: https://bit.ly/3KQpLxB

Material do Festival de Curitiba 2022 para imprensa:
Os releases, fotos das atrações do Festival de Curitiba estão aqui:
https://bit.ly/36js5hE

O 30º Festival de Curitiba nas Redes Sociais:
Instagram: https://www.instagram.com/festivaldecuritiba/
Twitter: https://twitter.com/Fest_Curitiba
Facebook: https://www.facebook.com/fest.curitiba/
Youtube: https://www.youtube.com/c/festivalcuritiba
Linkedin: https://www.linkedin.com/company/parnaxxoficial/

Arte Viva! Viva a Arte!

Espetáculo PPP@wllmshkpr.br, que estreou em Curitiba há 24 anos, volta com status de clássico imperdível

Na 7ª edição do Festival de Curitiba, em 1998, o Grupo Parlapatões fez estrondoso sucesso com a estreia nacional da peça PPP@wllmshkpr.br. Foi com este espetáculo que o grupo construiu sua reputação em todo o Brasil. O nome incomum do espetáculo precisa ser explicado.

PPP é a sigla para Parlapatões, Patifes e Paspalhões, nome original do grupo de humor circense criado em 1991. O resto do endereço eletrônico é o nome sem vogais do bardo William Shakespeare.

Como a peça foi apresentada aqui há longos 24 anos fizemos uma lista para demonstrar porque a remontagem deste novo clássico do teatro de humor internacional é uma das peças imperdíveis do 30º Festival de Curitiba, na Mostra Lúcia Camargo:

1) O argumento da peça é ótimo:
A ideia original do espetáculo é sensacional: pegar as 37 peças de William Shakespeare, cânone máximo do teatro mundial, resumi-las num texto de 90 minutos e entregá-lo a uma enlouquecida trupe de palhaços. A montagem pode ser resumida como uma hora e meia de tirar o fôlego de um público que ri ouvindo os textos mais brilhantes da história do teatro.

2) Uma seleção do teatro brasileiro a montou:
O texto original da peça é dos atores americanos Adam Long, Jess Borgeson e Daniel Singer, cuja trupe montou a primeira versão e conseguiu ficar seis anos ininterruptos em cartaz em Londres. Mas na versão brasileira da montagem convergiram forças poderosas do teatro brasileiro: a tradução do texto foi de Bárbara Heliodora, professora, ensaísta e crítica de teatro brasileira, maior autoridade da obra de Shakespeare no Brasil. Já a direção foi de Emílio Di Biasi, histórico ator e diretor paulistano que também foi muito importante dirigindo a Oficina de Atores da Rede Globo, onde revelou grandes talentos. Junte a eles a força dos Parlapatões...

3) Tem Shakespeare para todos os gostos
Na encenação predominam trechos da popularíssima peça Romeu e Julieta e há muito Hamlet, considerada a maior obra da dramaturgia ocidental, mas há um pouco de todos os escritos de Shakespeare. Mas tudo é trazido para a rês do chão: as peças históricas com sangrentos embates por reinos, coroas e poder são comparadas a jogos de futebol; os versos de Otelo são ditos sobre beats de rap; e as comédias são condensadas em uma única encenação absurda, que faz sátira ao teatro de animação.

4) Não tem desculpa para não ver (ou rever)
Os cenários, figurinos e elenco original mudaram, mas o texto brilhante é o mesmo. Assim a peça é e não é uma reprise. A reencenação então serve, como dizem os próprios Parlapatões, “para quem diz que não viu e ouviu falar muito, possa ver. Para quem já viu, poder rever. Para quem não tinha idade para ver, poder ver”. Se você se enquadra em qualquer dessas categorias não perca tempo e garanta seu ingresso.

A Mostra Lúcia Camargo é apresentada por EBANX, Paraná Banco, New Holland, com patrocínio de Neodent, Vonder, SulAmérica, Novozymes e Governo do Estado do Paraná

Acompanhe todas as novidades e informações da Mostra Lúcia Camargo do Festival de Curitiba pelo site www.festivaldecuritiba.com.br, pelas redes sociais disponíveis, no Facebook @fest.curitiba, pelo Instagram @festivaldecuritiba e pelo Twitter @Fest_Curitiba

FICHA TÉCNICA: PPP@ WllmShkspr.Br
Texto: Adam Long
Direção: Emílio Di Biasi
Tradução: Barbara Heliodora
Elenco: Hugo Possolo, Raul Barretto e Alexandre Bamba
Duração: 90 minutos
Classificação: 14 anos

Serviço:
O que: PPP@wllmshkspr.br – Parlapatões no 30.º Festival de Curitiba
Quando: 31 de março e 01 de abril às 21h
Onde: Sesc da Esquina (Visc. do Rio Branco, 969 - Mercês).
Valores: R$ 80,00 (inteira)
Ingressos: Ingressos: www.festivaldecuritiba.com.br e na bilheteria física exclusiva do Shopping Mueller (piso L2), de segunda-feira a sábado, das 10h às 22h; domingos e feriados, das 14h às 20h.

#2 – Boletim do 30º Festival de Curitiba

Hoje é 17 de março e faltam 12 dias para o Festival de Curitiba

Risorama, 18 anos. Viva a Gargalhada!

Com 18 anos de história, o Risorama já é “de maior” - e considerado um dos mais importantes eventos de humor no Brasil. O primeiro evento do segmento no país que mistura variados estilos de humor com os melhores artistas do gênero como Fábio Porchat, Nany People, Murilo Couto e outros humoristas. Tudo com curadoria de Diogo Portugal, um dos pioneiros do stand-up comedy nacional. O Risorama começa dia 31 de março e vai até 5 de abril, na Live. Todas as informações sobre ingressos, datas e atrações estão aqui: https://bit.ly/3teqym4

Hora de rever (e ouvir) um clássico
Mais de 50 anos após a primeira montagem de Brasileiro, Profissão: Esperança, o clássico do teatro nacional renasce adaptado ao momento atual do país. Com direção da dupla de magos do musical, Charles Möeller e Claudio Botelho, o texto escrito por Paulo Pontes é um dos grandes destaques da Mostra Lúcia Camargo nos dias 31 de março e 01 de abril, às 21h, no Guairinha. A peça é toda baseada em textos e canções dos compositores Antônio Maria e Dolores Duran. Para entrar no clima, criamos uma playlist com a nata da MPB cantando os temas da peça, além da gravação do espetáculo dos anos 1970 com Paulo Gracindo e Clara Nunes.

Ouça a playlist aqui: https://spoti.fi/3tZH5cN
Saiba tudo sobre a peça aqui: https://bit.ly/3MVyoZs

Baseado em Histórias Reais

Mona Lisa, Noel Rosa, Hitler e Angeli... Você é do tipo que adora uma biografia? Então é aqui o seu lugar. O 30º Festival de Curitiba traz entre os dias 29 de março e 10 de abril uma seleção imperdível de espetáculos baseados em histórias reais. Tem de tudo, musical, comédia, drama, é só escolher e correr para adquirir os ingressos. Aqui a programação: https://bit.ly/34O63Df

O Dia em Que Norma Bengell Chorou
Uma das maiores atrizes e diretoras do teatro e do cinema brasileiro, Norma Bengell chorou no palco do Guairinha no festival de 2008 enquanto interpretava a personagem Madame Clessi da peça “Vestido de Noiva” montada pela Cia. De Teatros Os Satyros. Quer saber o que aconteceu leia a matéria sobre o episódio aqui: https://bit.ly/3Jn0nPG

Os Satyros, aliás, estão de volta, no 30º Festival de Curitiba com duas peças na Mostra Lúcia Camargo, ambas no Teatro Zé Maria, às 21h: “Aurora”, nos dias 7 e 8 de abril; e “Pessoas Brutas”, nos dias 5 e 6 de abril.
Saiba tudo sobre Aurora aqui: https://bit.ly/3iisfs8

E sobre Pessoas Brutas aqui: https://bit.ly/3CQk7cc

Mostra Ave Lola
A Mostra Ave Lola está de volta ao Festival de Curitiba com o tema “Celebrando a Resistência”. São mais de 30 horas de programação, incluindo espetáculos teatrais do Brasil e do Chile, shows musicais, ações formativas, leituras dramáticas e exibições audiovisuais. A mostra acontecerá na Ave Lola ao ar livre – Teatro na tenda, situada na Associação Eunice Weaver do Paraná (Dr. Alarico Vieira de Alencar, 10 – Bacacheri, Curitiba – PR), de 1º a 10 de abril. Para mais informações sobre programação e reservas, o público interessado deve acessar o site www.avelola.net.br

Uma homenagem a Emílio di Biasi

Emílio di Biasi (1939-2020) é uma eminência do teatro nacional. Ator e diretor foi um dos fundadores do Grupo Decisão, nos anos 1960, ao lado de nomes como Antônio Abujamra e Lauro César Muniz. Dirigiu novelas como Renascer e Rei do Gado e coordenou a Oficina de Atores da Rede Globo, onde deu oportunidade a gerações de atores e atrizes. Em 1998, foi dele a direção, no Festival de Curitiba, da estreia de ppp@wlmshkspr.com.br, a peça do grupo Parlapatões que compila toda a obra de William Shakespeare em 90 minutos. Segundo o grupo, a remontagem da peça no 30.º Festival de Teatro é, também, uma homenagem a Emílio. Veja aqui por que a peça é imperdível: https://bit.ly/3CL4wKQ

Bye-bye, baby, bye-bye...

O 30º Festival de Curitiba nem começou e já tem gente ansiosa pela festa de encerramento. Não é pra menos, pois a atração da festa é a Blitz, a banda mais teatral do rock brasileiro. Na árvore genealógica da banda um dos ascendentes é o grupo teatral Asdrúbal Trouxe o Trombone. A festa rola no dia 9 de abril, no Jockey Eventos, parte da turnê de 40 anos da Blitz.
Com sucessos como A Dois Passos do Paraíso e Mais Uma de Amor (Geme-Geme), Evandro Mesquita e Cia prometem fechar com muita classe a edição mais celebrativa do Festival de Curitiba, Detalhes sobre preços e locais de compra de ingressos aqui: https://bit.ly/3N8inzN

Material do Festival de Curitiba 2022 para imprensa:
Os releases, fotos das atrações do Festival de Curitiba estão aqui:
https://bit.ly/36js5hE

O 30º Festival de Curitiba nas Redes Sociais:
Instagram: https://www.instagram.com/festivaldecuritiba/
Twitter: https://twitter.com/Fest_Curitiba
Facebook: https://www.facebook.com/fest.curitiba/
Youtube: https://www.youtube.com/c/festivalcuritiba
Linkedin: https://www.linkedin.com/company/parnaxxoficial/