Série Duos: bandolinista Daniel Migliavacca recebe violinista Gabriel Vieira para concerto no Teatro Barracão EnCena

A segunda apresentação da série acontece nos dias 10 e 11 de agosto, às 20h, com entrada a preços populares

Após estrear a série inédita “Duos”, o bandolinista Daniel Migliavacca volta ao palco do Teatro Barracão EnCena. Para o segundo concerto do projeto, o músico recebe o violinista catarinense Gabriel Vieira nos dias 10 e 11 de agosto, quarta e quinta-feira, às 20h. Os ingressos têm preços populares a R$10 (inteira) e R$5 (meia-entrada) e ficam disponíveis na bilheteria do próprio teatro uma hora antes da apresentação.

Em seu novo projeto, Daniel busca explorar a sonoridade do bandolim, solando e acompanhando, enquanto experimenta combinações inusitadas com outros seis instrumentos, a exemplo da percussão, que protagonizou o primeiro concerto. Agora, o escolhido da vez é o violino, tocado com maestria pelo multi-instrumentista e produtor musical Gabriel Vieira, residente de Joinville, Santa Catarina.

A série acontece até dezembro, sempre no Teatro Barracão EnCena, localizado na região central de Curitiba. No total, serão 12 shows, sendo dois concertos seguidos por mês. Os próximos convidados são o baixista Glauco Sölter (14 e 15 de setembro); a cantora Izabel Padovani (19 e 20 de outubro); o guitarrista Mário Conde (23 e 24 de novembro) e o clarinetista Sérgio Albach (14 e 15 de dezembro).

O músico comenta que a estreia foi um momento muito especial e ressalta a importância do bandolim na sua trajetória musical. “Foi esplêndido subir ao palco do Barracão EnCena estreando um projeto dedicado ao bandolim, buscando explorar todas as suas possibilidades como instrumento solista e acompanhador, além de tocar em duo, que é uma formação muito desafiadora e que exige muito diálogo no palco. É muito gratificante tocar o que eu gosto ao lado de pessoas que admiro”, relata.

O projeto, que conta com o incentivo do CEDIP, da Bosch e da Celepar, através da Lei de Incentivo à Cultura da cidade de Curitiba, também prevê a realização de seis concertos didáticos em regiões descentralizadas, com o objetivo de ampliar o alcance do projeto e fomentar a formação de plateia nos bairros.

Sobre Daniel Migliavacca
O bandolinista Daniel Migliavacca é um dos jovens representantes do Choro e do bandolim no Brasil. Tem se destacado em diversos projetos como instrumentista, compositor, arranjador e diretor musical. Já conquistou prêmios pelo Brasil como instrumentista e compositor e possui 7 CDs lançados. É bacharel em Música Popular pela UNESPAR (2011) e mestre em Música pela UFRJ (2019) tendo lançado uma série de Dez Estudos para Bandolim Solo contribuindo para o desenvolvimento técnico do instrumento no Brasil.
Atualmente, prepara o lançamento de dois álbuns com o seu quarteto, um em parceria com a cantora Rogéria Holtz e outro dedicado ao trombonista Raul de Souza em parceria com o flautista e saxofonista Eduardo Neves.

SERVIÇO DUOS
10 e 11 de Agosto, às 20h - Daniel Migliavacca convida Gabriel Vieira (violino/SC)
14 e 15 de Setembro, às 20h - Daniel Migliavacca convida Glauco Sölter (baixo elétrico/PR)
19 e 20 de Outubro, às 20h - Daniel Migliavacca convida Izabel Padovani (voz/SP)
23 e 24 de Novembro, às 20h - Daniel Migliavacca convida Mário Conde (guitarra/PR)
14 e 15 de Dezembro, às 20h - Daniel Migliavacca convida Sérgio Albach (clarone e clarinete/PR)
Local: Teatro Barracão Encena
(R. Treze de Maio, 160 - Centro, Curitiba - PR, 80020-270)
Ingressos: R$10 (inteira) / R$5 (meia entrada)
Vendas no local, uma hora antes das apresentações

FICHA TÉCNICA
Direção musical: Daniel Migliavacca
Músicos: Daniel Migliavacca, Caíto Marcondes, Gabriel Vieira, Glauco Solter, Izabel Padovani, Mario Conde e Sérgio Albach
Direção de produção e Gestão de projeto: Gilmar Kaminski
Produção executiva: Luana Camargo
Assistência de produção: Záire Osório
Técnico de som: Chico Santarosa
Iluminação: Victor Sabbag
Projeto gráfico: Pablito Kucarz
Redes sociais e Assessoria de imprensa: Platea Comunicação e Arte
Registro fotográfico: Ricardo Soca
Registro audiovisual: Renato Próspero
Captação de recursos: Meire Abe

Produção: Flutua Produções
Incentivo: CEDIP, Bosch e Celepar

Projeto realizado com recursos do Programa de Apoio de Incentivo à Cultura - Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba.

Flávio Venturini, Sá & Guarabyra e 14 Bis apresentam em Curitiba o show “Encontro Marcado”

Projeto reúne grandes amigos, carreiras de sucesso e um repertório inesquecível que vem embalando gerações. Os ingressos podem ser adquiridos pelo Disk Ingressos.

Para comemorar quatro décadas de carreira, sete amigos se reunirão em Curitiba no dia 22 de julho, no palco do no Teatro Guaíra, às 21h, para um show histórico o “Encontro Marcado” de Flávio Venturini, Sá & Guarabyra e 14 Bis será repleto de grandes sucessos que embalaram muitas gerações. O projeto que costura a trajetória desses grandes talentos que fazem parte da história da música brasileira, conta com a produção local da Orth Produções e com os ingressos sendo vendidos pelo Disk Ingressos.

No repertório, os artistas juntos vão acompanhar todos os seus clássicos como Nascente, Me Faça um Favor, Planeta Sonho, Mestre Jonas, Céu de Santo Amaro, Noites com Sol, Linda Juventude, Dona, Primeira Canção da Estrada, O Pó da Estrada, Criaturas da Noite, Caçador de Mim, Espanhola, Sobradinho, Todo Azul do Mar, Nave de Prata e Canção da América - única música do repertório que não é autoral, mas representa bem o momento entre amigos.

“Imagina você ter amigos há mais de 40 anos e, depois de tanto tempo, ter a oportunidade de se reunir para tocar e viajar. É isso que está acontecendo agora!”, comemora Luis Carlos Sá, que junto com o diretor da Nó de Rosa Gegê Lara, conduziu a concretização desse antigo sonho. “A ideia é irresistível porque, além de músicos competentes, são também responsáveis por um repertório que acompanha gerações”, explica Gegê.

Unindo forças com a Cadoro Eventos, comandada por Carlos Alberto Xaulim, o show foi testado anteriormente em Belo Horizonte, para privilégio do público mineiro. “A resposta foi extremamente positiva. Quem não conhece Dona; Espanhola; Caçador de Mim; Criaturas da Noite e Sobradinho? Um show com 100 porcento de hits no repertório só poderia ser sucesso”, explica Xaulim. Agora o Brasil inteiro terá a oportunidade de ouvir e cantar junto com os ídolos reunidos as 28 canções clássicas que tocam mentes e corações.

Encontro Marcado

Há quem acredite que esse encontro já estava marcado há muitos anos, no início da década de 70, quando a nova dupla Sá &Guarabyra convidou o jovem Flávio Venturini para participar da gravação do primeiro disco lançado desde a saída do parceiro Zé Rodrix. “Nunca” promoveu o encontro de Flávio com O Terço, que se tornaria o embrião do 14 Bis com a formalização da parceria entre Flávio e Vermelho, em composições como Espaço Branco, gravada pelo O Terço para um festival de música.

“Quando eu estava começando a tocar fui para São Paulo ver meu irmão Flávio que já estava com o Sá e Guarabyra. Sá queria que eu fosse o guitarrista da banda, mas não me deixaram porque eu era muito novo, só tinha 14 anos. Só fiquei sabendo disso muitos anos depois!”, diverte-se Cláudio Venturini, ao perceber que Sá e Guarabyra foram, de fato, um elo de ligação entre os músicos que hoje fazem parte desse grande projeto de reencontro.

Repertório

O repertório é um clássico, mas também traz grandes novidades. Espanhola, composição de Flávio Venturini e Guarabyra, nunca foi executada ou gravada pelos dois juntos. “Essa música é emblemática na minha carreira, uma das mais antigas. Quando fundamos o 14 Bis ela fazia parte da fita demo que entregamos na EMI/Odeon. Foi imediatamente aceita pela gravadora, que contratou o grupo”, conta Flávio. “Espanhola foi a primeira música que fiz para o Flávio. Ele tinha acabado de se mudar para São Paulo quando me mostrou a composição. Escrevi a música de uma só vez, sem voltar uma palavra. Estava pensando nessa menina. A espanhola da música é real”, relembra Guarabyra.

O mesmo acontece com Caçador de Mim, composição de Sá e Sérgio Magrão, que também nunca foi gravada pelos autores juntos, ouCriaturas da Noite, de Sá e Flávio Venturini, e que só tem uma gravação feita pelo O Terço. Sobradinho, reconhecida pelo seu regionalismo ganha uma pegada mais rock com a base do 14 Bis. São propostas inteiramente novas para canções eternas no imaginário dos amantes da música brasileira.

Serviço:

Flávio Venturini, Sá & Guarabyra e 14 Bis apresentam em Curitiba o show “Encontro Marcado”

Data: 22 de julho de 2022 – Sexta-feira
Horário: Abertura do teatro: 20h / Previsão de início: 21h.

Local: Teatro Guaíra. (R. Amintas de Barros, S/N - Centro, Curitiba - PR).
Classificação etária: Livre.

Ingressos: A partir de R$ 95,00 meia-entrada no 1º Balcão / Azul + taxa administrativa. **Desconto de 40% para assinantes do Clube Gazeta e para os beneficiários do Clube Disk Ingressos.

** A meia-entrada é válida para Doadores de Sangue devidamente comprovados, Estudantes devidamente comprovados, Idosos conforme Lei, PNE, Portador de Câncer e Professor.

** IMPORTANTE: Serão exigidos os documentos e comprovantes que constam nas respectivas leis.

** OS DESCONTOS NÃO SÃO CUMULATIVOS.

Pontos de venda: Disk Ingressos (Call Center 41 3315-0808). Site do Disk Ingressos:

https://www.diskingressos.com.br/evento/3340/22-07-2022/pr/curitiba/encontro-marcado-de-flavio-venturini-sa-guarabyra-14-bis

Inicia a venda de ingressos para o show de Almir Sater no Guairão

O cantor Almir Sater retorna a Curitiba, onde se apresentará em 29 de outubro (sábado) no Teatro Guaíra, após um hiato de dois anos sem realizar shows na capital paranaense devido à pandemia. Os ingressos já estão disponíveis, com valores a partir de R$ 120,00 pelo Disk Ingressos (www.diskingressos.com.br) ou de forma presencial no quiosque do Shopping Ventura (de segunda a sábado das 10h às 22h e domingos das 14h às 22h) e na recepção do Hotel Mabu (Rua XV de Novembro, 830, de segunda a sábado das 10h às 14h e das 15h às 18h). Será concedido 50% de desconto (não cumulativo com outras promoções ou descontos) para pessoas vacinadas contra Covid-19, titulares do cartão do Clube do Assinante da Gazeta do Povo ou Clube Disk Ingressos (na compra de até dois ingressos) e demais condições para meia entrada previstas em lei. Almir Sater fará uma única apresentação, cantando seus principais sucessos (como “Tocando em Frente”, “Chalana”, “Trem do Pantanal”, entre outros) e também composições mais recentes como “D de Destino” e “Assim os Dias Passarão”, em um repertório que contempla diversos períodos de sua carreira.

Link do evento no Disk Ingressos: www.diskingressos.com.br/event/3273

Teatro Guairinha recebe “Quando eu for mãe quero amar deste jeito” com Vera Fischer

A peça ainda traz no elenco Larissa Maciel e Mouhamed Harfouch. O texto é de Eduardo Bakr e direção de Tadeu Aguiar
Nos dias 3, 4 e 5 de junho, o Teatro Guairinha recebe “Quando eu for mãe quero amar deste jeito”, pela escrita por Eduardo Bakr com direção de Tadeu Aguiar. O espetáculo marca o retorno de Vera Fischer ao palco depois de 4 anos. Ao mesmo tempo completa 55 anos de carreira. No elenco ainda estão Larissa Maciel e Mouhamed Harfouch.

“A peça coloca uma lente de aumento sobre sentimentos e sensações de cada um dos personagens. Destaco no texto o exagero sobre os pensamentos, desejos e motivações”, conta o autor Eduardo Bakr.

Vera Fischer é dona Dulce Carmona, uma septuagenária que recebe a notícia de que seu único filho, Lauro (Mouhamed Harfouch), vai se casar com uma mulher que ela não conhece (Larissa Maciel). A partir daí, a comédia mostra a luta de uma mãe obcecada para dar ao filho um futuro digno de sua “classe social”. A aristocrática Dona Dulce Carmona entra numa guerra com a noiva do filho para manter a imagem da família.

Conhecido pela direção de grandes musicais, Tadeu Aguiar completa 42 anos de carreira encenando uma comédia ácida. “Além do amor materno, há outros amores permeando a peça: o amor do filho pela mãe, do homem pela mulher, da mulher pelo homem, e, até, pelos filhos que poderão vir. “Quando eu for mãe quero amar desse jeito” mostra um pouco desse amor atávico, mais forte do que a gente”, detalha. Tadeu, também diretor do musical “A cor púrpura”, com mais de 70 prêmios.

“Quando eu for mãe quero amar desse jeito” reúne três atores com trajetórias bem diferentes. Recém-completados 70 anos, Vera Fischer diz que ama fazer teatro e trabalhar: “Minha vida não faz sentido sem trabalho. Eu preciso do trabalho. Sou independente. Quero trabalhar até meus 100 anos, quero fazer uma festa maior e melhor do que a dos meus 50! É isso! Eu sou daquele tipo de pessoa que todos os dias comemora a vida!". Larissa Maciel, lembrada até hoje pela interpretação da cantora Maysa na série da TV Globo, diz que sua personagem vai se revelando aos poucos. “O público terá que decifrá-la. Estou trabalhando com a Vera Fischer pela primeira vez, e pela segunda com o Mouhamed. Nosso trio teve sinergia desde a primeira leitura e temos nos divertido muito em cena”, revela Maciel. “Passa um filme na minha cabeça. A saudade do teatro era tanta antes dos ensaios, que quando o cenário chegou, parei e fui correndo brincar com os objetos de cena”, diz Mouhamed Harfouch.

O figurino de Dani Vidal e Ney Madeira busca acentuar a personalidade dos personagens, oferecendo apoio a suas transformações ao longo do espetáculo. Uma paleta que vai do tom nude ao bordô intenso, marca a trajetória de Carmona, sendo utilizada a mesma paleta em gradação inversa para Gardênia. “Desta forma, buscamos posicionar gradativamente a noiva e futura esposa de Lauro, no lugar em que encontra Carmona, inicialmente”, conta Dani Vidal. “Lauro se mantém em posição intermediária, mediando as duas intensas e queridas mulheres, marcado em tons de azul. Um contraste surpreendente será revelado na cena de casamento de Gardênia e Lauro, identificando os desejos reais das duas mulheres de sua vida”, especifica Ney Madeira.

O cenário de Natália Lana ambienta o espetáculo em uma casa aristocrática com certa decadência. “Apesar de à primeira vista termos um cenário realista, buscamos quebras e cortes que simbolizam a força da relação entre estas duas mulheres que não medem esforços para atingir seus objetivos. Optamos pela paleta de cores carregada no dourado e vermelho para enfatizar ainda mais esta força”, afirma Natália. A luz de Daniela Sanchez pretende manter a atmosfera de tensão constante. Com a luz é possível manipular quase que imperceptivelmente, através dos diferentes ângulos e recortes, as mudanças de cenas, num clima de mistério e suspense. Isso, sem perder a lado do humor ácido que a peça proporciona. A trilha sonora de Liliane Secco será toda original. ”Faço uso de instrumentos virtuais, recurso que dispensa a participação de músicos ao vivo”, finaliza Secco.

FICHA TÉCNICA
Texto: Eduardo Bakr
Direção: Tadeu Aguiar
Elenco: Vera Fischer, Larissa Maciel e Mouhamed Harfouch
Cenário: Natália Lana
Figurino: Ney Madeira e Dani Vidal
Desenho de luz: Daniela Sanchez
Trilha sonora original: Liliane Secco
Assistência de direção: Flavia Rinaldi
Produção Executiva: Edgard Jordão
Coordenação de produção: Norma Thiré

Serviço
“Quando eu for mãe quero amar desse jeito”
Classificação indicativa: 12 anos
Duração: 80 minutos
Data: 03, 04 e 05 de Junho | Sexta e Sábado às 21h e Domingo às 18h
Local: Teatro Guairinha – Rua XV de Novembro, s/n - Centro | Curitiba - PR
Telefone: (51) 3227.510 | 3227.5300
Vendas Online: www.ticketfacil.com.br
Bilheteria: CCTG - Centro Cultural Teatro Guaíra
Rua Conselheiro Laurindo, s/n - Centro, Curitiba – PR
Horário: Segunda à Sexta das 12h às 18h
Valores Ingressos
Balcão: Inteira – R$ 90,00 | Meia-entrada: R$ 45,00
Plateia: Inteira – R$ 140,00 | Meia-entrada: R$ 70,00
Descontos: consulte os descontos legais no site da ticketeira

ENCUENTROS traz a Curitiba programação internacional de arte contemporânea e propõe intercâmbio latino-americano

De 30 de maio a 11 de junho Curitiba será palco da “ENCUENTROS | ações de diálogo em dança Curitiba - Bogotá”. Ao todo vinte artistas do Brasil e da Colômbia vão apresentar espetáculos, performances e trabalhos em processo ao público. Serão quinze trabalhos de repertório, quatro oficinas, uma residência artística além de diálogos mediados sobre arte contemporânea. Nessas duas semanas também haverá espaço para encontros festivos e para que esse intercâmbio latino-americano ocorra livremente. A participação em todas as atividades é gratuita e para as oficinas é preciso fazer inscrição pelo Sympla.

“É mais do que apenas uma mostra de arte contemporânea. É uma proposta de encontro criativo entre artistas de Curitiba e de Bogotá”, afirma Mariana Mello, idealizadora e coordenadora artística. "É a primeira edição do que vemos como uma plataforma para o desenvolvimento de redes profissionais e afetivas. E que conectem artistas de Curitiba e da América Latina no âmbito das artes cênicas e performativas”, completa.

Prevista para antes da pandemia, a programação presencial está confirmada depois de dois anos de suspensão. As idealizadoras acreditam que se tornou ainda mais importante realizar este evento e proporcionar uma programação presencial para artistas e público depois deste período. “Convidamos todes que se interessam em entrar em diálogo e abrir-se aos encontros para construir coletivamente um espaço de trocas e de celebração da alteridade. E prepare o portuñol, que será o idioma mais falado durante o evento”, diz Cindy Napoli, idealizadora e coordenadora de produção..

ARTISTAS

_srRHYBXxb0JtE87qXLtoiqptijFRB9GpuuP78QdVwL2ufYSvS5cskD1XCujNyLAKrmbQdMc_B0y9iKtltrOb0jfFVHOsGE7kFBlJuFeWJo0wrhMQAoCA8FkheiB_1zsx4ZjynRSlD1l15HOlA
Cena do espetáculo “Vilosidade” da brasileira Lívea Castro (Foto: Cayo Vieira)

Os trabalhos que integram a programação foram selecionados através de convocatória pública. Do Brasil participam Ailén Scandurra, Bernardo Stumpf, Bia Figueiredo, Lívea Castro, Patrícia Cipriano, Rubia Romani, Siamese e Vitória Gabarda. E da Colômbia Paola Correa, Margarita Roa Vargas, La Resistencia Colectivo de Artistas, Jenny Ocampo, La Compañía, Tika Michel e Tapioca.

O artista Francisco Mallmann, vai atuar como provocador de diálogos entre artistas e público. Ele também fará registros ao longo do evento que estarão em uma publicação, na qual também constarão os olhares da fotógrafa Elenize Dezgeniski e da artista visual Thalita Sejanes. A curadoria da programação é do artista e produtor cultural Augusto Ribeiro e da criadora e pesquisadora cênica colombiana Eloisa Jaramillo.

ENCUENTROS é realizado através do Profice, o Programa de Apoio e Incentivo à Cultura do Estado do Paraná e tem o apoio da Havan. A participação em todas as ações é gratuita e em alguns casos é preciso fazer reserva antecipada pelo Sympla.

SERVIÇO
ENCUENTROS - ações de diálogo em dança
de 30 de maio a 11 de junho de 2022 em Curitiba/PR

Programação e mais informações: www.encuentros.art
Instagram e Facebook @encuentros.art
Inscrição para oficinas: sympla.com.br/encuentros

Locais:
> Casa Hoffmann (R. Dr. Claudino dos Santos, 58 - São Francisco)
> Alfaiataria Espaço de Artes (R. Riachuelo, 274 - Centro)
> Casa Quatro Ventos (R. da Paz, 51 - Centro)

> Ingressos gratuitos, distribuídos 1 hora antes no local de cada ação.
> As inscrições para as oficinas são antecipadas via sympla.com.br/encuentros.

Galeria Poty Lazzarotto: Curitiba ganha espaço cultural que homenageia um dos principais artistas curitibanos

Obras restauradas ficam no Curso Positivo e mostram a vida escolar dos alunos, por meio de 18 painéis

Quando o Curso Positivo completou 25 anos, em 1996, o artista plástico curitibano Poty Lazzarotto retratou a trajetória de seus alunos com um mural em uma das unidades. Os 18 módulos mostram a vida escolar, desde o Ensino Básico até a preparação para o Ensino Superior. Agora, ao comemorar mais de 50 anos de história, a instituição inaugura a Galeria Poty Lazzarotto, com as mesmas obras, totalmente restauradas. O espaço fica na sede mais central, na avenida Vicente Machado, em Curitiba, e está aberto à visitação do público.

A inauguração da galeria reuniu, no último dia 17, mais de 100 pessoas, entre elas a secretária municipal da Educação de Curitiba, Maria Silvia Bacila, a superintendente geral da Cultura do Paraná, Luciana Casagrande Pereira, representantes da família do artista, outras autoridades, imprensa e demais convidados. "Para nós é uma grande honra poder sediar esse espaço com obras desse grande artista, que marcou época não apenas em Curitiba, mas em todo o mundo", destacou Renato Ribas Vaz, diretor do Curso Positivo.

Sobre a Galeria Poty Lazzarotto

A estrutura do mural se destaca pela harmonia e as tonalidades de pastel como fundo. Amarelo, salmão, cinza-azulado e creme destacam a pintura em preto. Os painéis foram executados pelo também artista plástico e cenógrafo paranaense Bira Paes, a partir da projeção dos originais de Poty, sobre os painéis de madeira. Na época, os dois dirigiram todo o processo e acompanharam de perto a instalação dos painéis na antiga sede do Curso Positivo.

No primeiro painel é possível ver um autorretrato de Lazzarotto no processo de criação do mural. O croqui em suas mãos tem a logomarca da instituição de ensino e a janela mostra a paisagem paranaense, onde nasceu o Curso Positivo. Nos painéis seguintes estão as atividades esportivas e artísticas em diferentes modalidades. A largada de uma corrida representa o esporte, e também o vestibular. Os candidatos, lado a lado, buscam uma vaga na universidade. A cena seguinte enfatiza as pernas dos candidatos, demonstrando precisar de "muita perna", isto é, de muita determinação para vencer esta corrida. A mão com o gesto de Positivo significa o resultado conquistado. O painel final mostra a entrada na Universidade Federal do Paraná, a mais tradicional instituição de ensino superior do Estado.

SERVIÇO

Galeria Poty Lazzarotto

Local: Curso Positivo - Rua Vicente Machado, 317, Centro, Curitiba/PR

Horário de Funcionamento: 8h às 19h

Entrada Franca, mediante agendamento

Mais informações e agendamento de visita: 3232-4011

Sobre o Curso Positivo

Fundado em 1972, o Curso Positivo nasceu de um sonho de um grupo de jovens professores, apaixonados pela profissão, que se uniram por um ideal: criar um curso pré-vestibular diferente, que acompanhasse os estudantes até os dias que antecediam o vestibular - algo pioneiro no Brasil, no início da década de 70. Desde então, o Curso Positivo se estabeleceu como uma instituição de destaque, registrando, historicamente, o maior índice de aprovação nos vestibulares mais concorridos das mais importantes faculdades e universidades do Paraná, bem como excelentes resultados nos exames das principais instituições de Ensino Superior do Brasil. O Curso Positivo conta com duas sedes em Curitiba (PR), uma em Joinville (SC) e uma em Ponta Grossa (PR), e dispõe de uma equipe de professores com grande experiência, material didático de alta qualidade para a melhor preparação e um inovador sistema de aulas dinâmicas totalmente focado na aprovação dos vestibulandos. O Curso Positivo utiliza o Sistema Positivo de Ensino.

DJ brasileiro EME agita festa de estreia da Vibra São Paulo

Um palco foi montado exclusivamente para o set do artista na entrada da maior casa de shows e espetáculos do Brasil

O formato open air deu um ar de festival e o repertório contagiante colocou o público para dançar

839d2bf9-d134-dd89-e1c0-0519a1677852.jpg
Crédito das foto: Mila Maluhy

O produtor e DJ brasileiro EME foi uma das estrelas que fizeram parte da histórica festa de abertura da Vibra São Paulo, a maior casa de shows e espetáculos do Brasil.

Considerado uma das grandes sensações da música eletrônica, o artista teve um palco de LED montado exclusivamente na entrada do imponente espaço cultural. Ele contagiou a todos os convidados, celebridades e autoridades, que prestigiavam o evento.

EME tocou por mais de uma hora e o set executado foi a perfeita trilha sonora para a performance dos bailarinos da Nau de Ícaros, que protagonizaram um verdadeiro balé nas alturas, dançando no ar sobre a arquitetura frontal da casa. Enquanto isso, os personagens da companhia Dark brincavam e tiravam fotos com o público no foyer.

A festa aconteceu, no último sábado (14/05), e teve como show principal o projeto “Irmãos”, que reúne Seu Jorge e Alexandre Pires, e participação especial dos cantores Daniel e Mauricio Manieri.

8c8958d7-ec3b-823e-8dcb-c8366912d245.jpg
c09f3166-7cff-1682-71d9-5840cd81c496.jpg
935fab3e-d553-6c0c-d4ad-4dcd720ed4b4.png
d9d1db0f-83ac-3519-315d-40dee84f74b9.png
fotos: David Teixeira

Carismático e com presença de palco marcante, podemos dizer que as palavras Energia, Motivação e Emoção formam EME, que tem se destacado não só pelo talento, mas pelo seu feeling musical surpreendente, que transformou o ambiente e preparou os convidados para uma verdadeira imersão no mundo da música.

Artista completo, ele navega muito bem no mercado premium, já tendo marcado presença em grandes eventos e festas nacionais e internacionais.

Dono dos hits “Say Goodbye”, “Felicidade”, “Crazy”, “Deixa ser”, “Fé”, que agitaram a pista de grandes eventos e festas nacionais e internacionais, EME é a grande aposta da Opus Entretenimento na música eletrônica.

O mineiro é um artista completo. Versátil, o seu principal trunfo é sentir o que a pista pede, portanto, cada show se torna uma performance exclusiva.

Em pouco tempo de trajetória, EME está em os 30 DJs mais bem posicionados na cena eletrônica do Brasil e figurou na posição de 122º entre as mais ouvidas no Brasil na plataforma Spotify, conquistou mais de 8 milhões de plays em 1 ano de carreira e foi capa da playlist eletrônica mais ouvida do aplicativo: EletroBR.

Em apenas três anos, EME já conquistou reconhecimento nacional e internacional, marcando presença em grandes eventos e festas de labels nacional e internacionalmente reconhecidas como Festa do Tim, Festa do Zebu, Bacana, Café Jurerê, P12, Le Barbaron, Villa Mix, Pacha Tour, Sirena Tour, FDS Araxá, Pipa Weekend, Escarpas Weekend, Beats Patos, CRO BAR (Argentina), Caldas Cowntry, Rifaina Beach, Camarote Barretos, Audi Connection, Circuito Kia, Wall Miami, Redford São Francisco, Attic Orlando, entre outros.

O DJ é figura presente na TV brasileira e nos principais veículos de mídia, dentre eles podemos destacar: Globo, SBT, Record, Caras, QUEM, G1 entre outros.
Vibra na cultura - O patrocínio da Vibra à casa de espetáculos integra um projeto maior da companhia, que começou a redesenhar a sua estratégia de suporte à cultura no fim do ano passado ao apoiar o Festival Rock Brasil 40 Anos, que passou pelo Rio de Janeiro, Belo Horizonte e agora está em São Paulo e irá para Brasília. Pautada pelo conceito “Energia que aproxima”, um dos pilares da marca corporativa apresentada em 2021, a companhia escolheu a música para dar início a esta nova plataforma de atuação.

O movimento consolida a retomada da empresa de energia no incentivo à cultura e ao entretenimento. A iniciativa visa, além de fortalecer a base de atuação da Vibra no mercado e incentivar as artes, também apresentar ao público sua nova marca corporativa em uma experiência de conexão com as pessoas através da energia da música e cultura.

Sobre a Opus Entretenimento - A Opus Entretenimento irá administrar a casa de espetáculos seguindo sua crença no poder transformador da tríade cultura, conteúdo e experiência. A empresa se valerá de seu conhecimento de mais de 46 anos no show business, trabalhando na administração de espaços por todo o país e em turnês nacionais e internacionais, para trazer diversidade de conteúdo e ampliar a oferta de entretenimento com espaço de música para ensaios e gravações, aumentando assim a experiência e o tempo de permanência dos visitantes no local.

Ali também funcionará o escritório de gerenciamento artístico da produtora, que já conta com talentos como KLB, Seu Jorge, Alexandre Pires, Luccas Neto, Daniel, Maurício Manieri, Ana Carolina, Roupa Nova, Só Pra Contrariar, Munhoz e Mariano, Hello Adele Tribute e Sinatra 1915 Tribute.

Atualmente, a Opus Entretenimento administra as seguintes casas:
São Paulo (SP): Vibra São Paulo, Teatro Bradesco e Teatro Opus Frei Caneca
Porto Alegre (RS): Teatro Bourbon Country
Grande Florianópolis (SC): Hard Rock Live
Curitiba (PR): Live
Xangri-lá (RS): Maori Beach Club
Fortaleza (CE): Teatro RioMar
Recife (PE): Teatro RioMar
Natal (RN): Teatro Riachuelo

Musical “One Night Of Tina” será nesta terça-feira no Guairão

O musical internacional de grande sucesso de crítica na Europa "ONE NIGHT OF TINA – A História de Tina Turner", desembarca em Curitiba nesta terça-feira(17), no Guairão para retratar a incrível trajetória de uma das cantoras mais icônicas da música internacional de todos os tempos. Os maiores sucessos da cantora estarão no repertório do show que tem direção do renomado Gary Lloyd, conhecido por ensaiar e coreografar inúmeros espetáculos, inclusive o Musical Thriller. A estrela pop, Tina Turner será interpretada pela cantora e atriz britânica Sharon Ballard, que já esteve em outros musicais teatrais e como atriz em séries da televisão, entre elas Sherlock. Os ingressos estão à venda pelo Disk Ingressos.

Os espectadores poderão acompanhar os hits consagrados como "Simply the Best", "Private Dancer", "What's Love Got To Do With It" e "We Don't Need Another Hero". A apresentação, que reúne grandes profissionais, entre eles dançarinos, intérpretes e músicos, que estão entre os melhores do West End de Londres, terá duração de 90 minutos.

Com quase 200 milhões de discos vendidos e 12 Grammys a cantora é uma lenda viva, tornando-a uma das artistas de maior sucesso de todos os tempos. E “ONE NIGHT OF TINA” retrata a sua história icônica, por cada de suas canções, não sendo apenas sobre música, mas principalmente, sobre a sobrevivência de uma mulher, negra, pobre, submissa às violências da vida nos anos 50 e 60, em um país racista, e que mesmo com as adversidades tornou-se forte e venceu seus obstáculos, sendo hoje uma das grandes representantes da música internacional. “Se você é um apaixonado por estas canções, certamente se encantará com esta produção”, diz o Diretor Gary Lloyd.

O Musical One Night Of Tina faz parte do Top Cat Concert Series, um projeto que traz shows e eventos internacionais ao Brasil, voltados ao jazz, blues e rock do mundo todo.

Sobre o diretor do musical

Gary Lloyd, conhecido por ensaiar e coreografar inúmeros espetáculos, inclusive o Musical Thriller. “A história fascinante de Tina é conhecida pela música, mas é tudo em torno da sua sobrevivência, sendo uma mulher forte, negra em face da adversidade. “ONE NIGHT OF TINA” celebra este catálogo de canções com passagens históricas da sua vida, declara Lloyd.”

Destaque para sua participação como vocalista em turnê com David Gest, onde liderava os vocais femininos, em dueto com o vencedor do Grammy Bill Medley (Righteous Brothers) e duas vezes vencedor do Grammy, Peabo Bryson. Ela cantou como backing vocals para oito outras lendas do Soul, incluindo; Freda Payne, Billy Paul, Deniece Williams, Sheila Ferguson (The Three Degrees), Dorothy Moore, Cece Peniston, Gregory Abbott e Barbara Weathers (Atlantic Starr).

SERVIÇO:
ONE NIGHT OF TINA – A História de Tina Turner
Data: 17 de maio de 2022 (terça-feira).
Horário: Abertura do Teatro: 20h / Início show: 21h.
Local: Teatro Guaíra. (R. Amintas de Barros, S/N - Centro, Curitiba - PR).
Classificação etária: 12 anos.

Ingressos: a partir de R$ 180,00 – Plateia C / Laranja (meia-entrada).
* Não está inclusa a taxa administrativa Disk Ingressos de R$ 12,00.

** A meia-entrada é válida para Doadores de Sangue devidamente comprovados, Estudantes devidamente comprovados, Idosos conforme Lei, PNE, Portador de Câncer e Professor.

** IMPORTANTE: Serão exigidos os documentos e comprovantes que constam nas respectivas leis.

** OS DESCONTOS NÃO SÃO CUMULATIVOS.

Pontos de venda: Disk Ingressos (Call Center 41 3315-0808). Site do Disk Ingressos:
https://www.diskingressos.com.br/evento/1102/17-05-2022/pr/curitiba/musical-one-night-of-tina-a-historia-de-tina-turner

INFORMAÇÕES: 41 3315-0808 ou diskingressos.com.br

Já está no ar a 2ª edição do Festival Arte em Rede do Sesc PR

Propostas de diferentes linguagens culturais foram selecionadas para o festival. A cada semana, durante um mês, haverá o lançamento de diferentes projetos

A segunda edição do Festival Arte em Rede do Sesc PR já está no ar, será realizada totalmente no ambiente virtual e contempla 29 propostas artísticas inéditas, em vídeos, selecionadas pela instituição via edital.

A cada semana o público poderá acompanhar a estreia de novos projetos de artistas paranaenses nas linguagens de música, audiovisual, artes visuais, literatura e artes cênicas e cada vídeo permanecerá no ar, no hotsite do evento, por 15 dias. Para conferir os vídeos clique AQUI.

O festival foi criado em 2021 com o intuito de ser uma nova oportunidade para artistas, pesquisadores e produtores culturais, estimulando a produção artística nas mais diversas manifestações. Segundo os organizadores do evento, a pandemia trouxe demandas diferentes e o formato virtual do festival permitiu alcançar um público que anteriormente não era contemplado com as ações do Sesc PR.

Confira a programação do evento:

SEMANA 1 - de 28/4 a 12/5

- Apresentação teatral: Uma história que não se conta - Ernerto e eu, com Renan Parma

- Apresentação musical: Violino Esperança, com Mateus Tonette

- Apresentação musical: Músicas Intuitivas, com Ellen Mirú

- Apresentação musical: TRANScendo, com Rapuso

- Mediação: Exposição Arte Natural, com Isaurina Maria - Sarika

- Curta-metragem AterrAr, de Moyá

- Curta-metragem: Errata: Novo Epílogo, de Cristina Fergutz

- Curta-metragem: Aquela Mesma Estação, de Luiz Lepchak

SEMANA 2 - de 5 a 19/5

- Apresentação de dança: Flamenco Para Todos, com ST Produções Teatrais

- Contação de Histórias: Loulyia, a princesa do deserto, com Cadu Cinelli (Os Tapetes Contadores de Histórias)

- Apresentação musical: Canções autorais de Nakao, com João Nakao

- Apresentação musical: Heiligenstadt: O “Silêncio” do Som - Variações “Eroica”, com Salete Chiamulera

- Palestra: Práticas artísticas e pensamentos circundantes no trabalho de Milla Jung, com Milla Jung

- Curta-metragem: AVC: Arte Vive Comigo, de Claudia Batista

- Curta-metragem: Mãe, de Eduardo Ramos

SEMANA 3: de 12/5 a 26/5

- Apresentação teatral: Brincando em Casa, com Grupo Baquetá

- Apresentação musical: Solstícios Acústicos, com Thiago Juraski

- Apresentação musical: Absynch, com Ricardo Verocai e Rafael Didones

- Oficina: A escrita sensível, com Jocelize Souza Santos

- Oficina: Pintura em Tela - Canoa Caiçara, com Marcial Neves

- Curta-metragem: A Casa, de Patrícia Grabowski

- Curta-metragem: Ma, de Raia Schnaider

SEMANA 4: de 19/5 a 2/6

- Apresentação musical: Cantar é Resistir, com Daniel Montelles e Matheus Braga

- Apresentação musical: Guitarra Jazz Solo, com Samuel Strapasson

- Contação de Histórias: Dum Dum Sererê - Uma História de Quase Dar Medo, com Daniela Fioruci

- Curta-metragem: A Beleza que Mora em Mim, de Taciane Vieira

- Curta-metragem: Valentin em Faça Você Mesmo, de Naiara Parolin Bastos

- Curta-metragem: A medida do (Im)possív eu, de Amanda Leal

- Curta-metragem: Através dos Sonhos, de Mandy

Sesc da Esquina recebe apresentação de Fernando Anitelli Sesc PR

“Sem horas e sem dores! Respeitável público pagão!” O Teatro Sesc da Esquina recebe no dia 21 de maio, a partir das 19h30, o show musical Fernando Anitelli apresenta: O Teatro Mágico Voz, Violão e Circo.

Intimista, o show mistura violão, voz e poesia, traz acrobacias aéreas feitas por Andrea Barbour e Nô Stopa, além da assistência de palco do Palhaço Toicinho.

Anitelli apresentará canções que marcaram a trajetória da banda, como “Ana e o Mar”, “O anjo mais velho”, “Cuida de Mim”, entre outros sucessos e composições inéditas.

O Teatro Mágico conta com mais de dois milhões de álbuns vendidos, sete CDs autorais, três DVDs, quatro músicas em novelas e um dos maiores projetos da música independente nacional.

Os ingressos são limitados e a venda já está disponível do SAC do Sesc da Esquina.

Ficha Técnica:

Voz e violão: Fernando Anitelli

Palhaço Toicinho: Mateus Faria

Aéreas: Andrea Barbour e Nô Stopa

Produção: Juan Corral

Técnico de som: Nilson Paulo da Silva

Técnica de luz: Deivid de Oliveira

SERVIÇO

Fernando Anitelli apresenta “O Teatro Mágico Voz, Violão e Circo”

Data: 21 de maio de 2022

Horário: 19h30

Duração: 120 minutos

Local: Teatro Sesc da Esquina - Rua Visconde do Rio Branco, 969 - Centro

Ingressos: R$70 (inteira), R$35 (meia) e R$25 (trabalhador do comércio)

UM JARDIM ENCANTADO EM CURITIBA

“A capital paranaense é palco de estreia da exposição de artes visuais ‘Jardim Sensorial’, que fica em cartaz até 03 de julho na Ópera de Arame. A mostra recria elementos do universo da fauna e da flora brasileira e mundial a partir de esculturas do artista plástico e designer carioca Marcos Scorzelli. Um jardim pensado para criar encantamento e também para instigar a curiosidade de quem o visita, com formas tridimensionais e uma explosão de cores vibrantes, que se propõe mostrar mais do que os olhos estão acostumados a ver”.

Um passeio sensorial que recria elementos do universo da fauna e da flora brasileira e mundial a partir de esculturas do artista e designer carioca Marcos Scorzelli será aberto aos paranaenses. Curitiba foi o cenário escolhido para a estreia da exposição de artes visuais ´Jardim Sensorial´, que chega a um dos cartões-postais da cidade, a Ópera de Arame (R: João Gava, 920) e fica em cartaz até 03 de julho. Idealizado e realizado pela Guanabara Produções Culturais por meio da Lei de Incentivo à Cultura, a mostra traz obras que estarão em um jardim pensado para criar encantamento e também para instigar a curiosidade de quem o visita, com formas tridimensionais e uma explosão de cores vibrantes, que se propõe mostrar mais do que os olhos estão acostumados a ver. A visitação é aberta de terça a domingo, das 10h às 18h e tem o valor simbólico para entrar no espaço de R$15,00 (inteira)/ R$7,50 (meia-entrada).

O Jardim Sensorial busca estimular as percepções dos visitantes de forma lúdica e surpreendente. A fauna será representada por uma série de dezesseis esculturas tridimensionais de animais e cinco peças que representam a flora da cidade. Criadas a partir do universo da geometria, as peças gigantes seguem uma técnica de dobradura e são resultantes do vinco e corte da chapa de aço sem soldas, recortes ou sobra de material.

O Marcos tem um trabalho fantástico em que ele traz a chapa metálica com dobraduras, como se fossem origamis em tamanho gigante. São peças que têm alma, que têm identidade e que conversam com a gente. E mais do que isso, são peças que permitem a interatividade, que as crianças podem manipular. Elas conversam e criam uma conexão forte com as pessoas, são peças com expressão e com alma. Nada mais interessante do que trazê-las para a Ópera de Arame”., revela Felipe Guerra, que assina a curadoria da mostra. “A Ópera de Arame foi uma obra de arquitetura construída 100% em estrutura metálica, dentro de uma antiga pedreira de Curitiba, em apenas três meses, para abrigar o primeiro Festival de Teatro de Curitiba. Então, essa arquitetura metálica vai conversar perfeitamente com as obras metálicas do Marcos. E os espaços entre a arquitetura e a natureza vão servir perfeitamente como pano de fundo para essas peças. Teremos uma conexão, uma conversa direta entre a arquitetura, a natureza e as artes”, completa Felipe.

Os bichos de Scorzelli são todos desenvolvidos a partir de uma forma geométrica inicial – um círculo ou retângulo – para em seguida serem transformados pelo designer em um objeto espacial complexo, apenas com a interferência de movimentos precisos. O resultado é uma fauna minimalista e muito colorida, formada por diversos bichos que chegam até três metros de altura, como girafas, polvo, ema, elefante, beija-flor, bicho preguiça, touro, coelho e capivaras, que propiciam inúmeras conexões imaginativas e inventivas e estimulam de forma divertida a cognição de pessoas de todas as idades e classes sociais.

“Meus animais são ao mesmo tempo a continuidade do sentido lúdico e a problematização da geometria. Nesse sentido, adequam-se ao desenvolvimento de um viés educativo, explorado agora nessa exposição. A aparente simplicidade da transformação de uma forma geométrica plana em um volume espacial complexo, travestido de figuras de bichos coloridos, dinâmicos e cheios de personalidade, vai certamente encantar toda a família. Desde que eu pisei em Curitiba, estou inquieto para criar um dos símbolos da cidade – a capivara, que será feita especialmente para esta mostra.”, comenta o artista e designer Marcos Scorzelli.

Com movimentos precisos surgem formas tridimensionais da flora que complementa e dialoga com a fauna e estarão representadas por cinco peças, como a flor da bracatinga, flor do manacá, vitória régia, pinha e mandacaru. Ela traz um diferencial em que o artista vai trabalhar com positivo (presença da chapa) e negativo (ausência da chapa). Primeiro a projeção da sombra que vai dar no ambiente com o sol incidindo sobre essas esculturas. As sombras são muito geométricas, assim como são as esculturas. E segundo, o negativo que é a ausência da chapa. Esse vazio vai proporcionar uma visibilidade através da escultura e a textura de fundo será preenchida sempre por um elemento pertencente a Ópera de Arame, principalmente a natureza ao redor, como a arquitetura metálica do espaço, a água, rocha, vegetação e céu. “Essa sobreposição de planos geométricos estimula a observação do movimento e da geometria das sombras projetadas pelos elementos vazados. Estimula a observação entre o bi e o tridimensional. Será algo surpreendente!”, explica Marcos.

Scorzelli sempre parte da premissa de usar cores primárias e muito saturadas. Em um espaço como a Ópera de Arame, que tem essa leitura de uma arquitetura metálica integrada à natureza, com rochas e muita vegetação, é um ambiente perfeito para essas esculturas, porque elas têm cores complementares. Por serem cores muito saturadas, têm um contraste muito grande com a vegetação, com o cinza, com o espelho d'água. “A gente já teve experiências assim no Rio de Janeiro, no Museu do Açude, em que a observação é muito interessante. Eu digo que são crianças de todas as idades porque não são só crianças. Os adultos também ficam muito estimulados, porque como são objetos muito simples e muito lúdicos, a observação desperta uma curiosidade de tentar buscar uma desconstrução e tentar entender de onde surgiu aquele movimento que gerou aquela forma. Acho que a Ópera de Arame é o ambiente perfeito para receber essas peças. São esculturas que estimulam muito a integração da família, de passeios, de visualização, de observação, é um ambiente realmente muito favorável para receber esse material todo”, conta Marcos.

“A ideia é aproveitar o espaço, o silêncio e o respiro entre a natureza e a arquitetura, aproveitar esse pano de fundo, esses pequenos interstícios, para acrescentar a obra do Marcos. Então, a gente tem a água, o próprio metal, as esculturas, as estruturas, as pedras, as árvores, tudo isso será aproveitado para que cada peça seja abraçada ou pela arquitetura ou pela natureza ou pelos dois”, finaliza Felipe.

Acessibilidade e Social
Pensada para ser totalmente acessível, a exposição Jardim Sensorial conta com QR codes de audiodescrição em todas as esculturas. Além disso, uma versão on-line da mostra em 3D ficará disponível para visitação gratuita no site da produtora (www.montenegroproducoes.com/projeto/casa-dos-sentidos).

Em paralelo à exposição, serão realizadas também ações sociais externas, como uma oficina criativa com materiais da natureza para 500 alunos de escolas da rede pública de Curitiba, além de palestras para professores.

O projeto Jardim Sensorial tem patrocínio Tetra Pak, Grupo Barigüi, Britânia, Celepar e Da Magrinha; além de parcerias com Instituto Barigüi e Montenegro Produções Culturais.

FICHA TÉCNICA
Coordenação Geral: Guanabara Produções Culturais
Direção Artística: Carolina Montenegro
Produção Executiva: Camila Guanabara
Coordenação Técnica: Renato Hollanda Cavalcant
Design Gráfico: Caio Vitoriano
Assistente de Criação: Janine Bello, Patrick Miguel
Assistentes de Produção: Ruan Brito
Coordenação de Comunicação: Juliana Girardi
Curadoria: Felipe Guerra e Carolina Montenegro
Artista Convidado: Marcos Scorzelli
Concepção da Expografia: Marcos Scorzelli
Assessoria de Imprensa: Ana Paulla Righetto
Fotografia: Brunno Covello
Realização: Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Lei Federal de Incentivo à Cultura

Serviço:
Idealizado e realizado pela Guanabara Produções Culturais por meio da Lei de Incentivo à Cultura
JARDIM SENSORIAL - Exposição de arte visual
QUANDO: de 03 de maio a 03 de julho de 2022
LOCAL: Ópera de Arame (R. João Gava,920)
HORÁRIOS PARA VISITAÇÃO: de terça-feira a domingo, das 10h às 18h.
Entrada para Ópera de Arame: R$15,00 (inteira) e R$7,50 (meia-entrada). Meia-entrada válida para moradores de Curitiba e região metropolitana, crianças entre 05 e 11 anos, estudantes e professores, pessoas com mais de 60 anos, portadores de necessidades especiais e acompanhante, doadores de sangue e jovens de baixa renda que possuam o CadÚnico.
Isenção de entrada: estudantes do ensino público e crianças até 05 anos
Classificação indicativa: livre

Festival de Felicidade: um evento para redescobrirmos o óbvio

Evento artístico e cultural online promove reflexão, elevação da consciência e a paz

A internet vai sediar a primeira edição online do Festival de Felicidade, entre os dias 13 e 17 de abril. O evento foi idealizado por Gustavo Arns, um dos maiores expoentes na psicologia positiva no Brasil, realizador do Congresso Internacional de Felicidade. As inscrições são gratuitas pelo site do festival.

O Festival de Felicidade surge com o propósito de chamar a atenção das pessoas para a conexão entre a felicidade no âmbito individual e coletivo. "A gente está usando da arte para fazer essa conexão com o bem-estar e com a felicidade, porque a arte nos conecta. A arte nos conecta conosco, nos conecta com o outro. A arte nos leva a um lugar de profundeza emocional", explica Gustavo.

"O processo de construção foi um processo de reinvenção. O Festival de Felicidade acontece desde 2016, paralelamente ao Congresso Internacional de Felicidade, e nesse ano ele ganha uma edição extra". O evento tem o intuito de levar alento às pessoas, ser um espaço de descompressão e de encontro, um momento de autoconhecimento, de conexão, de relacionamento, principalmente após o período de distanciamento social decorrente da pandemia de Covid-19.

Na sua última edição, em 2019, foram mais de 10 mil visitantes, e nesses quatro anos de evento mais de 18 mil pessoas já passaram pelo Parque Barigui, em Curitiba (PR). E, esse ano a edição presencial acontecerá nos dias 05 e 06 de novembro.

Com a edição online, o evento conta com a Orquestra à Base de Cordas, e os musicais, "O Grande Circo Místico" e "A Roupa Nova do Rei". Além das atrações, Arns também acredita que o modelo online possibilita que mais pessoas participem. "Qualquer pessoa, de qualquer lugar, vai poder acessar e assistir apresentações realmente fantásticas". Tanto que a expectativa dos organizadores do evento é de 10 mil acessos durante os quatro dias.

O que esperar do Festival de Felicidade?

Na quarta-feira, dia 13 de abril, às 19h o Festival começa com a cerimônia de abertura e logo em seguida abre espaço para os mestres de cerimônia, Gustavo Arns e Carol para falarem da abertura e dando um panorama geral do Festival. No dia também acontecem as apresentações musicais do Trio Que Chora e do Gilson Peranzzetta, do espetáculo Memória de Brinquedo,produzido pela Curitiba Cia de Dança, além de muitas outras atrações.

Já, na quinta-feira, 14 de abril, acontece a mesa com a temática indígena, com a participação de Gustavo Arns, Djuena Tikuna e convidados, e também com uma apresentação musical. Passam pelo evento no mesmo dia com voz e instrumentos: Winston Ramalho, Choro e Seresta ICAC, Jazzmin’s. Além das apresentações do Balé Guaíra e Celso Athayde.

E na sexta-feira no dia 15 de abril, o Festival conta com a presença de Tiago Ramalho Loop Station, Bia Soked, Balé Guaíra, o musical “O Grande Circo Místico” de Rodrigo Fornos e muito mais.

No sábado, 16 de abril, a programação conta com a Orquestra à base de Cordas OABICAC, a exibição do webdocumentário Fábio, o musical infantil “A roupa nova do rei” de Maurício Vogue, e outras atrações para trazer paz, reflexão e espiritualidade para o final de semana.

Para encerrar o Festival de Felicidade com chave de ouro, a programação contará com o filme “Samadi Road”, e em seguida uma mesa com o diretor do filme, a performance em libras de Anne Magalhães e a apresentação da Alma Síria.

Ao todo serão cinco dias de evento e, para aqueles que não conseguirem assistir a première nas datas marcadas, o conteúdo ficará disponível na plataforma por mais 30 dias para os inscritos.

Para conferir a programação online do Festival de Felicidade, acesse esse link.

Serviço:
Festival de Felicidade
Data: 13 a 17 de abril
Local: https://festivaldefelicidade.com.br/#festival

Escolas públicas de Campo Largo recebem projeto de arte e tecnologia

Tetear Tech é um catalisador de potenciais humanos e contribui para formação cultural de crianças e adolescentes

Com o objetivo de transformar a educação por meio da arte e da tecnologia, a cidade de Campo Largo, pioneira do projeto e da Região Metropolitana de Curitiba, receberá pela nona vez, a partir de 21 de março, o projeto Tetear Tech em escolas municipais e estaduais que beneficiará 600 alunos no ano. Em sua 9ª edição, o projeto realizado pela Criacom e Parabolé, oferece aulas de Artes Plásticas, Musicalização, Circo, Teatro, Dança e CIT – Criatividade, Inovação e Tecnologia.

O projeto Tetear Tech, que ganhou força e espaço nas escolas públicas nos estados do Paraná e São Paulo, traz uma novidade para este ano: essas modalidades, agora, estão inclusas na grade curricular dos estudantes, o que reforça, ainda mais o caráter pedagógico atrelado a tais práticas, assim como valoriza a possibilidade de educar por meio de diferentes linguagens.

O coordenador cultural do Tetear Tech em Campo Largo, Thiago Domingues, está feliz com a retomada do projeto depois das dificuldades da pandemia. “A educação passou por muitas transformações neste período pandêmico. E o projeto fez parte disso também, em que ser flexível nos ajudou muito a encarar as mudanças e adaptações necessárias para se viver em um mundo em constantes alterações. A educação do futuro é a educação para a incerteza. É exatamente isso que trabalhamos com os estudantes, o olhar curioso, a possibilidade de investigar, tentar, encontrar alternativas, colocar em questão preceitos básicos, tudo isso voltado ao âmbito social mais amplo, que valoriza a importância de sermos adaptáveis, conectados, atentos ao mundo e às pessoas com quem vivemos. O Tetear Tech é uma oportunidade de desenvolvimento não apenas profissional, com qualificação nas áreas artísticas e tecnológicas, mas, principalmente, favorece o olhar sensível de cada participante, de maneira a observar e praticar a simplicidade da vida”, conta.

O projeto é um catalizador de potenciais humanos, colaborando com a comunidade escolar para ampliar os horizontes dos estudantes em relação a aplicação prática dos conteúdos curriculares aprendidos na escola e, também, no desenvolvimento de aprendizagem sociais e emocionais - como o trabalho em equipe, a empatia, o autoconhecimento e a comunicação efetiva.

Para isso, as atividades são direcionadas para vivências de processos criativos e experiências estéticas que promovam o contato dos estudantes com as diferentes linguagens artísticas e com atividades de cunho tecnológico, representadas pelo movimento maker e pelo currículo STEAM (Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática), por meio de um viés “mão na massa” e na perspectiva do “aprender fazendo”.

Um dos objetivos do Tetear Tech é contribuir para a formação cultural de crianças e adolescentes de diferentes níveis socioeconômicos, fortalecendo a autoestima de cada sujeito, assim como a inclusão social. Os alunos passam a ter contato com novas perspectivas de aprendizagem, desenvolvem habilidades de trabalho em equipe, acessam diferentes tecnologias e ampliam seu repertório cultural. “O projeto favorece as competências para a vida. Ele possibilita a descoberta, pesquisa, investigação e a criação, tudo isso associado ao conviver em grupo. São as competências socioemocionais”, revela Thiago.

O coordenador ainda fala sobre exemplos reais de participantes do projeto que conseguiram seguir carreira na área. “Ao longo dos anos, uma participante do projeto, depois, virou professora de dança do próprio Tetear e, futuramente, seguiu carreira na área, em Portugal. Sabemos o quanto contribuímos para o desenvolvimento dela. Outro exemplo é de uma aluna de circo que achou que nunca faria a atividade, pois não tinha recursos financeiros para investir em aulas especializadas em tal área. Então, sabemos que realizamos e proporcionamos acesso aos sonhos dos alunos”, revela Thiago.

Outra novidade é que o projeto está pautado nas ODS (Objetivos do Desenvolvimento Sustentável), causando uma aproximação com importantes temas a serem desenvolvidos em relação a agenda 2030, construída e trabalhada pela ONU. Isso fortalece o pensamento sistêmico, o olhar para sustentabilidade e dialoga com as questões sociais e ambientais que afetam a todos e da qual fazemos parte.

Patrocinadores e Apoiadores

O projeto Tetear Tech é uma realização da Criacom e Parabolé através da lei de incentivo à cultura e tem como patrocinadores:

Scala Data Center, Blau Farmacêutica, Oji Papéis Especiais, Frameport, Ademicon, Atlas Eletrodomésticos, Caterpillar, ScanSource, ArcelorMittal, Gonvarri, Artely, Metisa e Ritmo Logística.

Apoiadores

Instituto CLQ e Prefeitura Municipal de Campo Largo.

Instituição Beneficiada

Hospital Pequeno Príncipe.

Havan destina mais de R$ 1 milhão para patrocínio de projetos sociais e culturais

Valores são referentes ao primeiro trimestre de 2022 e beneficiaram iniciativas adequadas às leis de incentivo

A rede varejista Havan acaba de fazer a destinação de R$ 1,1 milhão para patrocinar 14 projetos sociais, culturais e equipes esportivas por meio de leis de incentivo. Os valores são referentes ao primeiro trimestre de 2022.

Com os patrocínios foram beneficiadas iniciativas que atendem às Leis Federais de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet), Incentivo ao Esporte (LIE), Fundo para Infância e Adolescência (FIA) e Fundo Nacional do Idoso. Além disso, também houve o repasse mensal para o Programa de Ação Cultural de São Paulo (ProAc).

Para receber os recursos, os projetos precisam atender os requisitos das leis de incentivos. A partir daí, ao invés da Havan destinar os valores para os cofres públicos por meio do pagamento de impostos, ela faz o repasse de uma parcela para atender iniciativas sociais, culturais e voltadas ao esporte. “É mais uma forma conseguimos apoiar projetos que fazem a diferença nos lugares em que estão inseridos. Ficamos muito felizes em dar essa contribuição e estar ainda mais presentes na vida das pessoas”, afirma a coordenadora de Marketing Institucional, Ana Maria Leal da Veiga.

Paixão e Morte de um Homem Livre
Entre os projetos contemplados, está o espetáculo “Paixão e Morte de um Homem Livre”, promovido pela Associação Artística Cultural São Pedro (AACSP), em Guabiruba (SC). Realizado há mais de 20 anos, o teatro retrata a história de Jesus Cristo e tem o objetivo de evangelizar através da arte.

Em cada edição, a história é narrada por um personagem diferente. Este ano, com apresentações nos dias 14 e 15 de abril, a trajetória do Nazareno será retratada pelos olhos de uma criança, uma menina chamada Ângela. O espetáculo conta com mais de 300 pessoas envolvidas, entre atores e equipe de apoio, que em sua maioria atuam voluntariamente. Entre os destaques, nesta 23ª edição, está a participação da atriz Mônica Carvalho, que será a intérprete de Maria. “O “Paixão e Morte de um Homem Livre” tomou uma proporção de nível nacional. É um espetáculo de um porte enorme, neste ano, por exemplo, teremos nove palcos, que somam 800m² e uma estrutura grandiosa. Todo esse projeto precisa de apoio para acontecer e ficamos muito felizes de ter o reconhecimento e o patrocínio das empresas. Nosso muito obrigado à Havan por acreditar, mais uma vez, no evento e em tudo que ele representa para a comunidade”, concluiu o presidente da AACSP, Marcelo do Nascimento.

Veja os projetos beneficiados:

Cultura
Festival Mia Cara – Curitiba (PR)
Filme “A cidade que um país esqueceu” – Brusque (SC)
Filme “O dia da Virada” – Joinville (SC)
Espetáculo “Paixão e Morte de um Homem Livre - 23º edição” – Guabiruba (SC)
Ação cultural em hospitais “Notas para Vida” – Curitiba (PR)
Instituto Beto Carrero – Penha (SC)

ESPORTE
Abel Voleibol – Brusque (SC)
Futebol Metropolitano – Blumenau (SC)

FIA
Pelo Direito à Vida III: Hospital Pequeno Príncipe – Curitiba (PR)
Infância bem cuidada: Sociedade Hospitalar Angelina Caron – Curitiba (PR)

IDOSO
Revitalização Brechó: Associação Casa Irmã Dulce – Tijucas (SC)
Casa de Campo: Associação Beneficente Auta de Souza - Rio Verde (GO)

PROAC
EMCENA BRASIL: Circuito Paulista 2022 - Itanhaém (SP)

O espetáculo “Paixão e Morte de um Homem Livre” é um dos projetos patrocinados pela Havan. Neste mês, acontece a 23ª edição do evento que narra a história de Jesus Cristo - Crédito: Jailson Pollheim

#6 – Boletim do 30º Festival de Curitiba

Hoje é 23 de março e faltam 6 dias para o Festival de Curitiba

Gigante Tarsila
Este é o nome da exposição inspirada livremente na obra dos artistas plásticos Tarsila do Amaral (1886-1973) e Di Cavalcanti (1897-1976) montada na comemoração dos 100 anos da Semana de Arte Moderna, em São Paulo. De 1.º a 7 de abril, os infláveis gigantes, recriando figuras importantes da obra dos modernistas, farão parte do Festival de Curitiba, instalados na praça Santos Andrade.

Emicida – Ingressos Esgotados
Acabaram em duas horas os ingressos para balcão e plateia da sessão extra do espetáculo AmarElo, de Emicida. A sessão extra acontece dia 07 de abril, às 17h no Teatro Guaira. Saiba mais sobre AmarElo e Emicida aqui: https://bit.ly/3i8EkjB

Interlocuções
O Interlocuções é um evento com curadoria de Giovana Soar e Celso Curi que acontece dentro do 30.º festival de Curitiba e promove debates, oficinas, encontros, lançamento de livros, exibição de filmes e outras vivências que visam ampliar a experiência e integração entre artistas, público e atrair estudantes e grupos estimulando o pensamento sobre as artes cênicas. Toda a programação pode ser acessada aqui: https://bit.ly/3itzH3S

Nicole Puzzi de volta
Com 48 anos no teatro, televisão e cinema, Nicole Puzzi está de volta ao 30.º Festival de Curitiba. Paranaense de Floraí, Nicole foi enfermeira e modelo antes de começar na TV Tupi em 1974 com a novela “O Machão”. Entre as décadas de 1970 e 80, foi uma das estrelas do cinema brasileiro em uma de suas fases mais populares em filmes como Ariella (1980) e O Convite ao Prazer (1980). No teatro, Nicole já trabalhou em mais de 20 peças como atriz, autora e diretora. Em 2022, Nicole Puzzi está em cena na peça Aurora, da Cia de Teatro Os Satyros, com sessões no dia 7 e 8 de abril. Saiba tudo sobre a peça Aurora aqui: https://bit.ly/3iqhnc7

Cordel do Amor Sem Fim
O diretor, cenógrafo e figurinista mineiro Gabriel Villela é um dos mais premiados do teatro brasileiro e estará representado no 30.º Festival de Curitiba 2022 pelo espetáculo “Cordel do Amor sem Fim - ou A Flor do Chico”, que será encenado pelo grupo “Os Geraldos”. A peça conta a história de três irmãs que vivem às margens do Rio São Francisco e traz reflexões sobre espera, tempo e amor. Com músicas tocadas e cantadas ao vivo, a obra trará canções da Música Popular Brasileira. Saiba mais sobre este espetáculo musical aqui: https://bit.ly/3um7IJ5

Palestras Documentadas

Durante a programação do Interlocuções 2022, cinco palestras com grupos e criadores importantes vão debater questões de suas pesquisas e da situação do teatro contemporâneo. Vão participar o diretor e autor Gerald Thomas e os grupos Parlapatões, Magiluth, Os Fodidos Privilegiados e a Cia. Brasileira de Teatro. As palestras são gratuitas, tem mediação dos críticos Ruy Filho e Luciana Romagnolli e acontecem nos dias 30 e 31 de março e 4 e 10 de abril, no Sesc Paço da Liberdade. Confira a programação completa aqui: https://bit.ly/37FhYnV

Boca de Cena

É o questionário do 30.º Festival de Curitiba com 4 perguntas para atores e criadores que estão na programação do festival. O primeiro entrevistado foi o ator Luís Melo: https://bit.ly/3qrahsh

Material do Festival de Curitiba 2022 para imprensa:
Os releases, fotos das atrações do Festival de Curitiba estão aqui:
https://bit.ly/36js5hE

O 30.º Festival de Curitiba nas Redes Sociais:
Instagram: https://www.instagram.com/festivaldecuritiba/
Twitter: https://twitter.com/Fest_Curitiba
Facebook: https://www.facebook.com/fest.curitiba/
Youtube: https://www.youtube.com/c/festivalcuritiba
Linkedin: https://www.linkedin.com/company/parnaxxoficial/

Peça provoca reflexão na retomada cultural

A retomada do setor cultural está ocupando lentamente os espaços criativos da capital paranaense. Ainda com muito cuidado, o setor teatral comemora a volta do ator em cena e do público presencial. A peça Se Eu Fosse Deus, em cartaz na Cia. Do Abração (Rua Paulo Ildefonso Assumpção, 725, Bacacheri) é um exemplo disso. Em cartaz há três semanas, a montagem dirigida por Daniel de Mattos Keller, tem sido um sucesso de público e mostra que existe uma demanda muito grande de pessoas interessadas em voltar a frequentar os teatros. “Nós fomos um dos primeiros setores a fechar durante a pandemia e estamos sendo um dos últimos a voltar. As pessoas estavam com saudades de assistir as peças ao vivo”, analisa o diretor.
O público, por sua vez, vem prestigiando as apresentações – sempre aos sábados e domingos – com casa cheia. A peça Se Eu Fosse Deus continua por mais três finais de semana até o dia 10 de abril. Keller avalia que nessas primeiras semanas o público reagiu muito bem e, ao mesmo tempo, foi surpreendido com um texto que trabalha temas atuais e questiona: se fosse você Deus, como seria a sociedade em que você vive? “A peça traz como elemento de provocação, o julgamento. Ao mesmo tempo, apresentamos isso de forma suave, por meio de personagens típicos e de fácil identificação para que o público possa refletir e levar essas discussões para dentro do seu próprio cotidiano”.
Machismo, religião, intolerância, submissão são apenas alguns dos temas que estão presentes no texto de Oderval Figueiredo que, a partir de uma reunião de condomínio, apresenta sete personagens com personalidades diferentes e conflitantes. O diretor Daniel de Mattos Keller acredita que é fundamental provocar a discussão dessas divergências com uma sociedade contemporânea tão dividida. “Nós ficamos muito tempo fechados em casa. Agora que estamos voltando para os espetáculos presenciais é fundamental que a arte e a cultura, por meio de uma apresentação teatral, promovam uma reflexão sobre o momento que estamos vivendo. Esse é o nosso objetivo com essa apresentação teatral e o público está aprovando”, finaliza.

Serviço: Se Eu Fosse Deus. Texto: Oderval Figueiredo. Direção: Daniel de Mattos Keller. Elenco: André Moiano, Angélica Bueno, Patty Sozzi, Lara Moutinho, Kaue Marquetti, Luana Johnson e Vilson Kurz. Participação especial de Anidria Zielinski. Trilha original de André Richter. Maquiagem de Taynara Siqueira.
Cia. Do Abração (Rua Paulo Ildefonso Assumpção, 725, Bacacheri). Ingressos: R$30 – a venda pela plataforma Sympla: https://www.sympla.com.br/eventos?s=se+eu+fosse&tab=eventos. Classificação: 16+. Apresentações aos sábados, às 19h30, e domingos, às 18h30. A temporada prossegue até o dia 10 de abril.