FESTIVAL DE ARTE

Sesc PR promove Festival Arte em Rede a partir desta quinta-feira (15)
Propostas de cinco diferentes linguagens culturais foram selecionadas para o festival. A cada semana, durante um mês, haverá o lançamento de oito projetos

Em um período tão restritivo para o setor cultural, o Sesc PR promove, a partir de quinta-feira (15), a primeira edição do Festival Arte em Rede, contemplando 33 propostas artísticas em vídeo e inéditas, selecionadas via edital.
A cada semana, o público poderá acompanhar oito novos projetos de artistas paranaenses, nas linguagens de ates cênicas – que contempla circo, dança e teatro –, artes visuais, audiovisual, literatura e música.
De acordo com os organizadores do evento, o festival é uma nova oportunidade para artistas, pesquisadores e produtores culturais. Além disso, estimula a produção artística nas mais diversas manifestações e garante uma programação cultural diversa em linguagens e temas.

Confira a programação de 15 a 21 de abril, que será transmitida pelo canal do Sesc PR no YouTube:

- Artes Cênicas: Uma fábula contemporânea, com Afeto Produções Artísticas
- Artes Cênicas: Tarja Branca: cinco movimentos por um mundo menor, com Patrícia Machado
- Artes Visuais: Oficina: Cartaz de Artista, com Cristhian Lucas
- Audiovisual: Olhos d´água, com Laura Mazzottini
- Audiovisual: Sopro, com Giuly Biancato
- Literatura: Pescando Histórias, com Izabela Fernandes
- Música: O Som do Silêncio, com Carlos Kalado
- Música: Amor, L´amour, Love!, com Surya Amitrano

Festival Plá Visita recomeça nesta sexta (16)

Artista de rua mais célebre de Curitiba, o compositor Plá se apresenta com colegas em festival online e gratuito de música

Após adiamento por força dos decretos que impuseram restrições a eventos em Curitiba, a primeira edição do Festival Plá Visita recomeça nesta sexta-feira (16), às 16h.

O show de reabertura é do próprio homenageado, o músico Plá, um dos personagens mais importantes da cultura popular de Curitiba.

Durante o festival de música e arte, Plá visitará os artistas que participam do evento e apresentará lives inéditas, produzidas com exclusividade para o público do festival por convidados mais que especiais.

Poeta, músico, filósofo, artista visual, Plá é também cidadão honorário de Curitiba e muito famoso na cidade por apresentar suas canções na Boca Maldita, na Rua XV de Novembro, desde 1984.

Os shows do Festival Plá Visita rolam aos sábados e aos domingos, sempre às 11 e às 16 horas, de abril a maio, a partir do dia 16 de abril até o dia 9 de maio.

Na escalação do festival estão grandes artistas da cena da música popular dos pinheirais como Fabio Elias, Wes Ventura, Deisy Parno, Davi Henn, Diego Raimundo, O Tiziu, Beer, Barões de Curitiba, Marina Prado e Fabio Salgueiro, Marx Cruz, Michele Mabelle, além de duas figuras carimbadas da arte da Rua XV: o palhaço Chameguinho e o Homem Aranha que farão participação especial no show de encerramento, no dia 9 de abril.

A mostra de arte de rua foi idealizada pelo produtor cultural Pedro Hey e pelo anfitrião Plá e conta com o apoio da Lei Aldir Blanc e da Fundação Cultural de Curitiba (FCC).

Programação na Fanpage oficial do Festival: https://www.facebook.com/plafestival
Serviço:
Classificação: Livre
Evento gratuito.

“PROJETO REALIZADO COM RECURSOS DO PROGRAMA DE APOIO E INCENTIVO À CULTURA – FUNDAÇÃO CULTURAL DE CURITIBA, DA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA E DO MINISTÉRIO DO TURISMO”.

Família Lago entrega três obras para o Memorial Paranista João Turin

Memorial Paranista João Turin - entrega de obras 08-04-2021 - foto Maringas Maciel (2).jpeg

Na última quinta-feira (08/04), a Família Lago realizou a entrega de três obras do artista João Turin para a Fundação Cultural de Curitiba, em regime de comodato. Na ocasião, estava presente o prefeito Rafael Greca. As obras vão integrar o Memorial Paranista João Turin, construído pela Prefeitura no Parque São Lourenço, e que deverá ser inaugurado em breve. Detentora dos direitos autorais de João Turin, a Família Lago entregou duas estátuas em gesso (“Luar do Sertão” e “Tigre Esmagando Cobra”) e um baixo relevo em bronze de uma Pietá, que o escultor produziu em 1917. Quanto a esta obra, o primeiro exemplar foi feito em pedra e está na França, em uma Igreja de Saint Martin, em Condé-sur-Noireau, considerada uma verdadeira relíquia, que resistiu aos bombardeios da Segunda Guerra Mundial.

Bienal de Curitiba lança evento on-line com nove meses de programação gratuita

Um dos maiores eventos de arte contemporânea do mundo se reinventou para oferecer exposições virtuais, palestras, lives e entrevistas, que vão acontecer entre dos dias 29 de março e 31 de dezembro

CURITIBA, 24/03/2021 – Considerada um dos principais eventos artísticos e culturais do planeta, a Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba precisou se reinventar em 2021. Devido ao isolamento social tão necessário em mais um ano de pandemia no Brasil, a Bienal vai promover seu primeiro evento majoritariamente on-line, que será inaugurado na próxima segunda-feira, dia 29 de março. A Bienal On-Line integra ainda a 14ª edição do evento, que aconteceu de forma presencial entre 2019 e 2020, e será transmitida nas redes sociais e pelo site www.bienaldecuritiba.com.br. Serão nove meses de palestras, lives, entrevistas e exposições virtuais, fornecendo conteúdo de qualidade sobre artes visuais, design, arquitetura, cinema e literatura.

“Enquanto aguardamos as condições ideais para realização da 15ª Bienal de Curitiba de forma presencial, sentimos a necessidade de oferecer, dentro dos limites impostos pela pandemia, uma programação especial para o nosso público ainda dentro da 14ª edição, além de movimentarmos profissionais e empresas do segmento, que foram intensamente afetados por essa crise humanitária que já dura mais de um ano. Tudo isso com toda a segurança necessária, com as pessoas acompanhando essa extensão da última Bienal de dentro de suas casas”, comenta Carolina Loch, coordenadora institucional da Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba.

Novas temáticas foram propostas para a versão digital. Assuntos variados destacam a relação entre arte e responsabilidade socioambiental, arte e tecnologia, e questões sociais, apontadas pela organização como importantes e necessários para contribuir com uma sociedade mais desenvolvida na contemporaneidade. Na 14ª edição, realizada entre 2019 e 2020, o tema foi “Fronteiras Em Aberto”, discutindo o conceito de fronteiras – e recebendo artistas de todos os continentes, com destaque para membros do BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

Inaugurando a Bienal On-line, o curador e artista curitibano Flávio Carvalho, especialista em arte e tecnologia, vai participar de uma conversa ao vivo. Na próxima segunda-feira, dia 29 de março, a partir das 19h30, vai ao ar “O museu foi para a internet. E agora?”, na qual Carvalho vai discutir as dificuldades, transformações e maneiras de experimentar a arte contemporânea em plataformas on-line, entre outros assuntos. A conversa terá chat aberto para perguntas, comentários e participação do público, e acontecerá pelo Instagram do evento: @bienaldecuritiba.

Além de atingir um público fiel, que há décadas acompanha de perto todos os seus passos, a interação e formação de novos públicos são pontos relevantes da proposta da Bienal para esta edição especial e inédita nas redes sociais. “O evento busca seguir fomentando a cultura com uma audiência plural, proporcionando experiências estéticas adaptadas ao contexto atual de isolamento, facilitando o acesso via celulares e computadores”, completa Carolina.

Programação
As atrações da Bienal On-Line serão divididas por temática de maneira mensal. Após a conversa inaugural, no fim de março, abril traz discussões sobre videoarte. Maio será o mês do design, enquanto junho será o mês da produção internacional. Aproveitando as férias escolares, julho terá a Bienal On-line para o público infanto-juvenil. Em agosto acontece o Take Over – Arte On-line, voltado às plataformas digitais. As temáticas de setembro são o cinema e a literatura, e em outubro, a arquitetura. Novembro é dedicado às exposições, com visitas on-line a mostras e ateliês de artistas. Dezembro retoma o Take Over, destacando artemídia e encerrando o evento. A programação será divulgada de mês a mês, sempre no primeiro dia útil.

Sobre a Bienal

Criada em 1993, a Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba teve suas primeiras edições voltadas a programação expositiva, chegando a ter sedes em outras cidades brasileiras como São Paulo e Brasília, e até em Buenos Aires, na Argentina. A partir de 2007, expandiu sua proposta incluindo performances, interferências urbanas, cursos e palestras. Artistas de renome mundial já participaram da Bienal, como Marina Abramović e Ai Weiwei. Na 14ª edição, o conceito curatorial de “Fronteiras Em Aberto” foi assinado pelo espanhol Adolfo Montejo Navas e pela brasileira residente em Berlim (Alemanha) Tereza de Arruda, e contou com 461 artistas dos cinco continentes. Mais de 100 espaços da capital paranaense foram ocupados por ações do evento, atingindo um público de mais de 900 mil pessoas.

A programação da Bienal On-Line acontece entre os dias 29 de março e 31 de dezembro e estará disponível gratuitamente no site www.bienaldecuritiba.com.br e nas redes sociais da Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba: pelo Facebook (www.facebook.com/bienaldecuritiba) e Instagram (www.instagram.com/bienaldecuritiba).

Projeto cultural incentiva a ‘escuta de textos’

Peças de teatro foram gravadas em formato radiofônico e estão disponíveis para serem ‘visualizadas com os ouvidos’

O projeto “Leituras com a Inominável: dramaturgia em discussão” – que gravou leituras de oito peças de teatro e as adaptou ao formato radiofônico – está em nova fase. As primeiras produções já estão disponíveis gratuitamente ao público nos canais do YouTube, Instagram e Facebook da Inominável Companhia de Teatro.

As demais peças radiofônicas continuam com estreias toda sexta e sábado, até final de março, nas mesmas redes sociais. Além de incentivar o trabalho de artistas locais ou radicados na capital paranaense, valorizar e divulgar a dramaturgia contemporânea, a ideia é transportar o ouvinte para cenários tão distintos quanto aqueles narrados durante as gravações.

“Queremos estimular nas pessoas a escuta de textos, a imaginação, a curiosidade e a fantasia para que o público arquitete mentalmente e ‘visualize’ as histórias narradas”, explica a atriz, diretora de produção e sócia-fundadora da trupe teatral, Lilyan de Souza.

Ver com os ouvidos
Essas peças radiofônicas são chamadas de áudio-dramas e equivalem a um tipo de radionovela, mas sem as continuidades de capítulos que são comuns a esse gênero.

Contrariando a overdose visual dos tempos atuais, o projeto deixa as telas de lado e incita nas pessoas a audição, o ouvir atentamente, a percepção do que não é visto e sim imaginado.

Os atores que fizeram as leituras dramatizadas para o rádio foram Lilyan de Souza, Letícia Guazzelli, Lucas Mattana, Fabiane de Cezaro, Lucas Buchile e Rafael di Lari - membros da Inominável Companhia de Teatro.

Como forma de contrapartida social, eles e dois autores convidados por vez vão debater as obras em quatro lives descontraídas - nos dias 07, 14, 21 e 28 de abril – que poderão ser acompanhadas ao vivo pelo YouTube da Companhia.

Entre os dramaturgos confirmados estão Alexandre França, Ali Freyer, Daniela Passarinho, Iamni Reche, Juliana Partika, Léo Moita, Leonarda Glück e Sueli Araújo – todos autores curitibanos ou radicados em Curitiba.

O projeto – que surgiu pela vontade de compartilhar processos, pesquisas e reflexões da Inominável – foi aprovado pelo edital Aldir Blanc de Curitiba – Fomento e está sendo realizado com recursos do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba, da Prefeitura Municipal de Curitiba e do Ministério do Turismo.

Serviço
O que: Peças de teatro que foram gravadas em formato radiofônico estão disponíveis para serem ‘visualizadas com os ouvidos’
Como assistir: Pelo canal do YouTube da Inominável Companhia de Teatro
Quanto: Gratuito

Sugestão de legenda
Foto 1: O ator Lucas Mattana durante as gravações dos áudio-dramas
Crédito da foto: Lilyan de Souza

Arte 2: As peças radiofônicas continuam com estreias toda sexta e sábado, até final de março, nas redes sociais da Inominável Companhia de Teatro
Crédito da arte: Lucas Buchile

Pela primeira vez, Mostra Paranaense de Dança tem edição online e gratuita

Vídeos podem ser enviados até dia 21 de março e serão comentados por curadores de peso. Selecionados terão suas produções exibidas ao vivo pelo YouTube

Totalmente online, a 13ª edição da Mostra Paranaense de Dança já faz história. Esta é a primeira vez que o maior festival de dança amadora do Paraná acontece virtualmente. Estudantes de dança, bailarinos e grupos já podem fazer inscrições e enviar suas coreografias produzidas e gravadas durante a pandemia. O prazo vai até o dia 21 de março e a participação é gratuita.

A Mostra é realizada pela Associação Brasileira de Apoiadores Beneméritos do Teatro Guaíra (ABABTG), e essa edição conta com recursos da Lei Emergencial Aldir Blanc e do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura da Fundação Cultural de Curitiba, Prefeitura de Curitiba e Ministério do Turismo.

Com a possibilidade da edição online, a mostra abre-se para dançarinos de qualquer região, ganhando assim abrangência nacional. “A ideia é estimular a produção do maior número possível de estudantes de dança e bailarinos amadores, grupos e escolas, além de fomentar o trabalho dos profissionais envolvidos na organização dessas produções, inclusive nas edições dos vídeos”, explica a coordenadora de projetos da Mostra, Simone Bönisch.

Os vídeos enviados podem ter até 3 minutos e 30 segundos e utilizar qualquer linguagem, contanto que respeitem a classificação indicativa livre. Não serão aceitos espetáculos filmados antes da pandemia e o participante pode enviar quantos trabalhos quiser. “É nos momentos críticos que deixamos fluir a criatividade. Acredito que essa Mostra trará trabalhos nunca vistos antes, com ousadia e emoção”, diz a coordenadora.
Análise artística

Cada vídeo inscrito será avaliado e comentado por um time de peso – os curadores Daniel Siqueira, Ian Mickiewicz e Patrícia Machado –, que enviará o feedback em formato de áudio aos participantes individualmente. Além disso, os materiais escolhidos serão exibidos ao vivo pelo YouTube em um evento online previsto para os dias 24 e 25 de abril, às 19h.

Além do evento final, nos dias 17 e 24 de abril estão programadas sete oficinas virtuais escolhidas a dedo: Pilates e Fortalecimentos para Dança (com Daniel Siqueira); Balé Clássico Intermediário (com Ian Mickiewicz); Balé Clássico Infantil e Adulto (Erickson Oliveira); Laboratório de Danças Urbanas (com Raphael Fernandes); Dança Contemporânea (com Patrícia Machado) e Tudo é Jazz (com Juliana Caillot). Para participar é preciso fazer inscrição prévia e não há custo.

No dia 23 de abril, às 19h30, o webinar gratuito “Eventos online e a produção de dança em tempos de pandemia” reunirá os organizadores Simone Bönisch e Jorge Schneider, além dos curadores da Mostra Paranaense de Dança Online 2021 num bate-papo sobre como é fazer dança na atualidade e o papel do artista em tempos de pandemia. “Acredito que o momento de retorno presencial será uma explosão de produções. Mas, enquanto isso não acontece, precisamos entender os limites e os benefícios do audiovisual e dos espetáculos virtuais para a dança”, acredita Simone.

Em 2020, a Mostra Paranaense de Dança chegou a ser organizada e divulgada, mas foi cancelada devido ao distanciamento social imposto pela covid-19. “O virtual não substituirá o presencial – mas é necessário aprender a usar a tecnologia a favor das iniciativas culturais”, finaliza a organizadora.

SERVIÇO

13ª Mostra Paranaense de Dança (Online)

Inscrições de 15 a 21 de março de 2021 pelo site https://www.mostraprdedanca.com.br. Consulte o regulamento.

Dia 23 de abril às 19h30: Webinar “Eventos online e a produção de dança em tempos de pandemia”, com os organizadores Simone Bönisch e Jorge Schneider e curadores da Mostra Paranaense de Dança Online 2021

Dias 24 e 25 de abril às 19h: Live com os vídeos selecionados pelo canal da ABABTG no YouTube.

FOTOS:

- Fotos da edição de 2019, do fotógrafo Cayo Vieira
https://www.dropbox.com/sh/t57a4yzdlhhqhtc/AADsO49vH1bpOfFCrQNMdr7Aa?dl=0

- Alguns vídeos de coreografias apresentadas em 2019
https://www.dropbox.com/s/n10rqzlat7rk7yg/36-%20Jazz%20Juliana%20Hauth%20-%20Fragmentos%20de%20Um%20Elo.wmv?dl=0

https://www.dropbox.com/s/9zbxhu3aax3b9ci/14-%20Cia%20de%20Dan%C3%A7a%20Ol%C3%ADvia%20Hauptmann%20-%20As%20Wandinhas.wmv?dl=0

https://www.dropbox.com/s/6nhvapgp5u7aqbt/17-%20Escola%20de%20Dan%C3%A7a%20Teatro%20Gua%C3%ADra%20-%20La%20Fille%20Mal%20Gard%C3%A9e%20-%20Pas%20de%20Deux.wmv?dl=0

https://www.dropbox.com/s/rbzkq5jp9lktiad/30-%20Amusic%20Escola%20de%20M%C3%BAsica%20e%20Dan%C3%A7a%20-%20ShitPost.wmv?dl=0

ABABTG – A atual Associação Brasileira de Apoiadores Beneméritos do Teatro Guaíra foi fundada em 2008, na cidade de Curitiba. Na época denominada Associação de Bailarinos e Apoiadores do Balé Teatro Guaíra, ela surgiu com o propósito de fortalecer a dança e demais artes, motivando uma ligação sinérgica entre os setores público e privado. Durante esse período, foram realizados diversos projetos culturais, com repercussão local, nacional e internacional, que promoveram ações de formação, atualização, divulgação, fomento e democratização das artes em suas diversas linguagens. A atual nomenclatura foi assumida recentemente, para adaptar-se aos novos níveis de atividades operacionais e aos novos mercados de atuação da ABABTG.

STEPAN NERCESSIAN LANÇA PELA EDITORA TORDESILHAS LIVROS O LIVRO GARIMPO DE ALMAS

Atrizes e atores possuem, talvez, mais vidas em si do que qualquer um de nós. Transformam-se em instrumentos e levam vidas destinadas a abrigar experiências daqueles que, muitas das vezes, sequer existem – personagens são criações com origem em muitos seres, formados a partir de memórias, imagens e ideias. Uma amálgama humana, em que um homem comporta cem. É partindo dessa experiência de múltiplas vidas e vozes que Stepan Nercessian, premiado artista e ator brasileiro, conhecido por trabalhos para a televisão e cinema, se lança em outra forma de contar histórias: a narrativa de ficção.

Publicado pela editora Tordesilhas Livros Garimpo de almas é um livro de prosa experimental no qual a poesia, a memória e um olhar elegantemente desprendido do ego imperam, como o olhar que só se pode conferir à vida em nossos últimos dias. No romance, um homem é abalado pela dura imposição do tempo sobre sua estada no mundo, criando contraste entre o que foi e o que é. Nessa desilusão derradeira, Nercessian constrói um personagem real, que poderia ser qualquer um de nós.

Em sua carreira de anos como ator, Stepan Nercessian conquistou a maestria sobre seu ofício e o reconhecimento do público e da crítica, tendo recebido o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro na categoria de Melhor Ator em 2019 por seu trabalho interpretando o personagem principal no longa de Andrucha Waddington, Chacrinha: O Velho Guerreiro (2018).

Agora, em Garimpo de almas, Nercessian leva a mesma maestria ao construir vidas para o texto, fazendo das palavras e da literatura sua nova ferramenta e campo de estudo para viver vidas para além de si.

“A mente do escritor Stepan Nercessian é, antes de tudo, uma mente brasileira de colonização carioca, capaz de rir do que lhe faz mal, como nossos melhores sambistas, chargistas e escritores. O movimento do nosso autor pode ter duas direções distintas, sempre com as mesmas consequências – ou ele parte de uma desgraceira danada para rir-se dela, ou começa rindo da realidade banal para depois elevá-la a tragédia.” – CACÁ DIEGUES

Stepan Nercessian nasceu em 02 de dezembro de 1953, em Goiás. Filho de Karabet Nercessian, armênio, e dona Luiza Nercessian, cearense. Tem quatro irmãs, Armenia, Hayni, Anita e Celina. Casado com Desireé Nercessian, mora no Rio de Janeiro e tem mais de 50 anos de atuação nas artes. Premiado por suas atuações no cinema, na televisão e com passagens marcantes pelo teatro, Stepan também trabalhou como revisor e repórter no Jornal Cinco de Março, em Goiânia. Agora dedicado à literatura, promete outras obras após sua estreia com Garimpo de almas.

"Devemos ser gratos aos que realizam nossos sonhos e gratíssimos aos que sonham por nós, que nos ensinam a sonhar."

Sobre Tordesilhas

Ampliar sua atuação em outros segmentos do mercado, com ênfase nos gêneros de não ficção mais valorizados pelos leitores brasileiros, como biografias, memórias e livros de reportagem. Esse é o objetivo do selo Tordesilhas em sua nova etapa. O apuro na produção dos títulos continua sendo marca registrada do selo, assim como seu compromisso com o rigor das edições e da busca por autores renomados. Além dos clássicos, revisitados com criatividade, estão no radar da nova Tordesilhas escritores nacionais e internacionais que investiguem temas contemporâneos, capazes de nos ajudar a compreender mutações aceleradas do mundo no início do século 21.

Serviço:

Garimpo de Almas

Festival Plá Visita começa neste domingo (14)

Artista de rua mais célebre de Curitiba, o compositor Plá se apresenta com colegas em festival online e gratuito de música

Um festival de música e arte celebra um dos personagens mais importantes da cultura popular de Curitiba: o músico Plá.

A primeira edição do Festival Plá Visita começa neste domingo (14) com duas LIVES em sequência: a primeira, às 16h, com o anfitrião do evento e a segunda, às 17h, com o convidado Giovanni Caruso, compositor e líder da banda Escambau.

Nesta edição, como o nome indica, Plá visitará os artistas que participam do evento e apresentará lives inéditas, produzidas com exclusividade para o público do festival por convidados mais que especiais.

Poeta, músico, filósofo, artista visual, Plá é também cidadão honorário de Curitiba e muito famoso na cidade por apresentar suas canções na Boca Maldita, na Rua XV de Novembro, desde 1984.

Os shows do Festival Plá Visita rolam aos sábados e aos domingos, sempre às 11 e às 16 horas, de março a abril, a partir do dia 14 de março até o dia 18 de abril.

Na escalação do festival estão grandes artistas da cena da música popular dos pinheirais como Fabio Elias, Wes Ventura, Deisy Parno, Davi Henn, Diego Raimundo, O Tiziu, Beer, Barões de Curitiba, Marina Prado e Fabio Salgueiro, Marx Cruz, Michele Mabelle, além de duas figuras carimbadas da arte da Rua XV: o palhaço Chameguinho e o Homem Aranha que farão participação especial no show de encerramento, no dia 18 de abril.

A mostra de arte de rua foi idealizada pelo produtor cultural Pedro Hey e pelo anfitrião Plá e conta com o apoio da Lei Aldir Blanc e da Fundação Cultural de Curitiba (FCC).

Serviço:

Festival Plá Visita – 1ª Edição
PROGRAMAÇÃO:

Domingo, 14 de março:
16h: PLÁ
17h: GIOVANNI CARUSO
(Shows especiais de abertura)

Sábado, 20 de março:
11h: FABIO ELIAS

Domingo, 21 de março:
16h WES VENTURA

Sábado, 27 de março:
11h: DEISY PARNO
16h: O TIZIU

Domingo, 28 de março:
11h: DAVI HENN
16h: BEER

Sábado, 3 de abril:
11h: BARÕES DE CURITIBA
16h: MARINA PRADO E FABIO SALGUEIRO

Domingo, 4 de abril:
11h: DIEGO RAIMUNDO
16h: MARX CRUZ

Sábado, 17 de abril
16h: MICHELE MABELLE

Domingo, 18 de abril
16h: PLÁ, CHAMEGUINHO E HOMEM ARANHA DA RUA XV
(Show especial de encerramento)
-------------------------------
Classificação: Livre
Evento gratuito.

Fanpage oficial do Festival: https://www.facebook.com/plafestival
Assessoria de comunicação: Sandro Moser - (41) 999250211

“PROJETO REALIZADO COM RECURSOS DO PROGRAMA DE APOIO E INCENTIVO À CULTURA – FUNDAÇÃO CULTURAL DE CURITIBA, DA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA E DO MINISTÉRIO DO TURISMO”.

Sucesso nas paradas musicais, Matheus e Kauan se dedicam à composição e gravam parceria inédita com Alok

A canção “Tu” fará parte do repertório do DJ

Donos de alguns dos maiores sucessos da música sertaneja, Matheus e Kauan emocionam o público pelo talento único, muito além das vozes. Os irmãos, que já somam mais de 11 anos de estrada, dominam também o dom das palavras e são grandes compositores, reconhecidos com excelência pelo mercado.
Desta vez, eles se unem a Alok na gravação especial da canção “Tu”, que chegará em breve nas plataformas digitais e faz parte do repertório do DJ. Juntos, os artistas se dedicaram na composição da letra, que promete ser o novo sucesso do trio, além de assinarem também a produção musical da parceria.
O videoclipe inédito foi gravado nesta sexta-feira (05) com a participação da atriz e humorista Gessica Kayane, a Gkay.
“Há um bom tempo estávamos pensando em trabalhar em uma música juntos. Alok é um grande parceiro, daqueles amigos de verdade. Não poderia estar mais contente com o resultado do nosso projeto. Nos dedicamos ao máximo e esperamos a melhor recepção dos fãs”, destaca Matheus.
“Quando decidimos dar início a essa parceria, resolvemos nos entregar 100% a ele. Todo o processo de composição, produção musical, gravação do clique, foi muito incrível. Alok é um grande amigo e o que ele precisar, estaremos aqui”, completa Kauan.
Vale lembrar que com a canção “Tu”, o trio de artista retoma a parceria musical, que se iniciou há 3 anos, com o lançamento do sucesso “Suave”, que já soma mais de 25 milhões de visualizações no YouTube.

DONOS DE GRANDES SUCESSOS
Matheus e Kauan formam uma das principais duplas da nova geração do sertanejo. Eles marcam presença em diversas paradas musicais e suas canções estão sempre entre as mais ouvidas pelo público do ritmo.
Além de encantarem nos palcos, eles detêm o dom da escrita, sendo compositores de grandes canções, muitas delas que alcançaram o sucesso na voz de outros artistas.
Entre as músicas, podemos citar: “Asas”, de Luan Santana; "Coisas De Quem Ama", da dupla Jorge & Mateus; "Mente Pra Mim", de Cristiano Araújo. E em meio a tantos hits, tem os que compõem os da dupla, entre eles, “Litrão”, “Ao Vivo e a Cores”, “É Problema” e “Que Sorte a Nossa”.

Dia da mulher: 11 obras femininas para inspirar

Professoras sugerem autoras, artistas e sociólogas que mostram o protagonismo feminino em homenagem à data internacional

Celebrado mundialmente em 8 de março, o Dia Internacional da Mulher marca a importância da mulher na sociedade e a luta pelos direitos femininos. Desde a sua criação, que é repleta de divergências, muito já foi conquistado, mas a necessidade de conscientização é constante. Professoras do Colégio Marista de Cascavel listaram artistas, escritoras, poetisas e sociólogas que marcaram época por suas obras e usam o protagonismo feminino para inspirar meninas e mulheres. Confira:

Úrsula - Maria Firmina dos Reis

De acordo com a professora de Redação e Língua Portuguesa do Colégio Marista Cascavel, Carla Eliza Wagner Klein, a obra Úrsula é considerada o primeiro romance publicado por uma mulher negra em toda a América Latina, além de ser o primeiro romance abolicionista de autoria feminina da língua portuguesa. A autora, Maria Firmina dos Reis, foi a primeira romancista do Brasil. Mulher negra, de vida bastante sofrida, destacou-se como cidadã e intelectual ao longo dos noventa e cinco anos de uma vida dedicada a ler, escrever, pesquisar e ensinar. Vale a pena conhecer a história dessa escritora!

As Irmãs Brontë - André Téchiné

Outra indicação que mistura literatura e cinema, da professora Carla Klein é o filme sobre a história das três irmãs Brontë, Charlotte, Emily e Anne. Elas foram importantes mulheres escritoras de alguns dos mais famosos romances da literatura inglesa. O longa retrata as adversidades pelas quais elas passaram para conseguir a publicação de suas obras, como O Morro dos Ventos Uivantes e Jane Eyre, escritas sob pseudônimos masculinos devido às humilhações sofridas por serem mulheres em um mundo masculino.

Cora Coralina

Cora foi uma importante poetisa brasileira, além de ser uma grande incentivadora da cultura nacional. De vida por vezes sofrida e com uma escrita simples, mas expressiva, só se tornou conhecida quando, aos 75 anos, publicou seu primeiro livro. A sugestão de Carla Klein é conhecer a obra desta poetisa que retratou o cotidiano, a delicadeza e a sabedoria dos detalhes da vida em seus poemas, destacando a realidade das mulheres dos anos de 1900 em sua escrita.

Tarsila do Amaral

A sugestão no mundo das artes vem da professora Nicole Kowal Ribeiro, que recomenda as obras de Tarsila do Amaral. Uma das principais artistas modernas da América Latina. Também é considerada a artista que melhor atingiu a ideia da expressão nacional brasileira em um estilo moderno.

Frida Kahlo

Nicole também recomenda a artista mexicana Frida Kahlo, que em sua arte criou retratos e auto retratos inspirados na natureza e artefatos do México. Explorou questões de gênero, feminismo, política, classe e identidade em suas obras. Além de suas obras, vale a pena assistir ao filme que conta sua trajetória: Frida.

Heloisa Hariadne

Uma sugestão de pintora contemporânea brasileira, da professora Nicole Kowal Ribeiro, é Heloisa Hariadne, que faz suas obras junto com o mar. O movimento das ondas guia os pigmentos sobre a tela. Ela faz parte do coletivo Trovoa e em suas pinturas vemos mulheres negras como protagonistas. Suas criações podem ser vistas em sua conta no Instagram: @heloisahariadne.

Flora Tristan

A intelectual franco-peruana é a sugestão da professora de Sociologia, Juliana Matos. O ponto central de suas reflexões está na educação das mulheres e dos trabalhadores. Flora Tristan produziu análises sobre as relações de trabalho capitalistas que mais tarde ficariam consagradas como “grandes sacadas” de pensadores clássicos da sociologia.

Harriet Martineau

Juliana Matos também indica a pesquisadora britânica Harriet Martineau, considerada por muitos como a primeira socióloga mulher da história, produziu sofisticadas reflexões sobre princípios e métodos de pesquisa social e empírica. Além de ter produzido importantes reflexões sobre política, economia, escravidão, divisão do trabalho e sobre a educação das mulheres.

Lélia Gonzalez

É uma das intelectuais e ativistas mais importantes das ciências sociais brasileiras, de acordo com a professora de Sociologia do Colégio Marista Cascavel, Juliana Matos. Dona de produções teóricas que atravessam da antropologia à psicanálise, foi pioneira nas discussões sobre raça e relações de gênero no Brasil. Para conhecer sua história, a sugestão é conferir um dos episódios da série Desbravadores produzida pela PUC-Rio. https://www.youtube.com/watch?v=Rl_rzI_mk48&t=1s

@lascarolitas

Juliana também recomenda o perfil do instagram @lascarolitas, comandado por Caroline Laiza e Carol Andrade, ambas mestras em Ciências Sociais, divulga cotidianamente, de forma muito acessível e descontraída, conceitos e temas vinculados às Ciências Sociais. O debate sobre mulheres e questões de gênero é uma das principais tônicas do perfil.

Sociologia para crianças

O podcast ‘Sociologia para Crianças’, produzido por Tatiana Amendola, doutora em Ciências Sociais pela Unicamp, debate de forma descontraída temas e conceitos trabalhados pelas Ciências Sociais. O podcast é uma conversa entre mãe e filha, que investigam juntas filmes infantis sob uma perspectiva sociológica. Filmes como Moana, Frozen e Monstros S.A estão no rol das problematizações do podcast. É uma possibilidade interessante para auxiliar pais e mães a debaterem temas ‘difíceis’ e complexos com as crianças.

Sobre os Colégios Maristas: os Colégios Maristas estão presentes no Distrito Federal, Goiás, Paraná, Santa Catarina e São Paulo com 18 unidades. Nelas, os mais de 25 mil alunos recebem formação integral, composta pela tradição dos valores Maristas e pela excelência acadêmica. Por meio de propostas pedagógicas diferenciadas, crianças e jovens desenvolvem conhecimento, pensamento crítico, autonomia e se tornam mais preparados para viver em uma sociedade em constante transformação. Saiba mais em www.colegiosmaristas.com.br.

Mês da mulher tem programação especial nos equipamentos culturais gerenciados pela Poiesis

Com saraus, curso, oficinas, shows e podcast, as atividades acontecem nas plataformas on-line

Os Museus Casa da Rosas, Casa Guilherme de Almeida e Casa Mário de Andrade, as Oficinas Culturais e as Fábricas de Cultura, equipamentos da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo e gerenciados pela Poiesis, promovem, durante março, diversas atividades dedicadas ao mês da mulher.

Casa das Rosas

Uma iniciativa do Centro de Referência Haroldo de Campos da Casa das Rosas, a coleção "Poesia Aqui e Agora", que tem início com a publicação E se amputassem a poesia?, divulgará textos que refletem sobre as questões da poesia de hoje. Este evento lançará a primeira plaquete da coleção, com ensaio escrito por Diana Junkes a respeito de um poema de Paulo Ferraz. O evento será realizado no dia 12 de março, às 19h pelo Zoom e contará com uma conversa com a autora e com o poeta cujo poema é tratado no ensaio.

A partir de um corte sincrônico feito na história da literatura brasileira e mundial, Diálogos Sincrônicos, a nova série de saraus da Casa das Rosas, pretende evidenciar o diálogo entre gerações, trazendo leituras de movimentos e grupos já inseridos na tradição literária com o microfone aberto para a multiplicidade poética da atualidade. O sarau acontecerá pelo Zoom, nos dias 13 e 27 de março, das 19h às 21h. O primeiro encontro será realizado a partir da obra de Carolina Maria de Jesus e o segundo a partir da obra de Maria Firmina dos Santos. Não é necessário inscrever-se previamente.

O Slam das Minas - SP é um coletivo de artistas e poetas que nasceu em março de 2016, no mês da Mulher, para criar um espaço de voz e acolhimento para as minas, monas e manas, além de garantir uma vaga feminina para o Slam BR. Neste pocket poesia, o coletivo apresentará textos que se costuram abordando diferentes vertentes que permeiam o universo feminino, do corpo ao pensamento, da luta à liberdade, do sonho ao ser. A atividade será transmitida pela página da Casa das Rosas no YouTube no dia 20 de março, às 19h.

Casa Guilherme de Almeida

O curso Trajetórias do "Eu" feminino na literatura e no cinema se propõe a estudar o discurso que institui duas importantes personagens femininas em narrativas produzidas pela cineasta Agnès Varda e pela escritora Clarice Lispector nos anos 1960 - período em que a voz das mulheres abriu caminhos nos meios artísticos e intelectuais do mundo ocidental para reivindicar e obter maior autonomia de escolhas. As aulas acontecerão às segundas-feiras, dias 8, 15, 22 e 29 de março, das 19h às 21h pela plataforma Zoom. As inscrições estão abertas até o dia 5 de março, neste link.

Em Museu, memória e o público 60+, o núcleo de ação educativa da Casa Guilherme de Almeida entrevistará a conhecida Vovó Neuza sobre sua trajetória de vida e sobre seu trabalho de recuperação, valorização e registro de memórias pessoais. A entrevista será transmitida pelo YouTube e Facebook no dia 12 de março, às 16h30.

Casa Mário de Andrade

Nos encontros do Clube de Leitura da Casa Mário de Andrade, os participantes terão oportunidade de conhecer o movimento de mulheres cordelistas e os esforços de escritoras de cordel que se organizaram para combater a desigualdade de gênero por meio de suas obras e ações. A cada encontro, uma autora convidada fará uma breve apresentação de sua trajetória, seguida da leitura de um de seus cordéis. No dia 27 de março, a cordelista Graciele Castro lançará o cordel inédito ABC da Mulher Cordelista. A atividade será desenvolvida pelo Google Meet e os interessados deverão se inscrever neste link até o dia do evento.

Oficinas Culturais

Na live Mulheres do Gau, Natali Conceição visita o projeto Mulheres do Gau (Grupo de Agricultura Urbana), um coletivo de mulheres imigrantes nordestinas que trabalham como agricultoras no Viveiro Escola localizado na várzea do Rio Tietê, em São Miguel Paulista. A atividade, que faz parte do projeto Ocupação Sustentável: Práticas Artístico-ambientais, será transmitida pelo Instagram no dia 26 de março, sexta-feira, às 11h.

O show Pele em flor é um encontro com o poema em tempos de alerta. Influenciada pelas manifestações da cultura popular brasileira e pela literatura que nasce do povo, Heloisa de Lima costura poesia e música num manto que veste as dores e delícias do dia a dia. As composições trazem elementos da urbanidade, da religiosidade afrobrasileira, das feminilidades e sua relação com o meio. Pelo YouTube , o show será exibido no dia 27 de março, sábado às 15h.

Fábricas de Cultura

DJ Donna sempre sentiu todas as dificuldades e obstáculos de se inserir na cena Hip Hop. Com isso, percebeu a necessidade de conectar todas as mulheres através de sua arte, a música. Pelo YouTube, ela apresentará uma discotecagem especial às mulheres MCs do Rap Nacional na atividade Conexões urbanas femininas no dia 9 de março, terça-feira, às 19h.

O grupo Forró Viola, com Danuza Novaes na voz, Mica Matos no violão, Rayra Maciel na zabumba e Yasmim Matias no triângulo, apresenta um show que evidencia a figura feminina no mundo artístico ocupando os espaços da produção cultural trazendo a arte do sagrado feminino em foco. Entre triângulos e zabumba as mulheres acontecerá no dia 13 de março, sábado às 18h, pelo YouTube.

Conceição Evaristo é uma importante escritora brasileira nascida em Belo Horizonte. A atividade Tomando a voz: mulheres negras tem como objetivo a elaboração de uma breve resenha do livro "Olhos D’ Água" que, de forma muito sensível, discorre sobre desigualdade, gênero, discriminação racial e classe. A exibição será no dia 15 de março, segunda-feira às 11h, pelo YouTube.

O livro "Gasolina & Fósforo - meu corpo em chamas" é a primeira obra autoral, em formato híbrido, da jornalista e escritora Jéssica Balbino. Com poemas, prosa e contos que falam essencialmente sobre o corporalidade, dissidência, sensualidade e sexualidade, a obra é acompanhada por fotografias e reúne textos ácidos sobre como é existir habitando um corpo não padrão na contemporaneidade. Jéssica Balbino apresentará a sua obra no dia 16 de março, terça-feira às 19h, pelo IGTV .

O que é RPG? E a representatividade feminina no mundo dos jogos tem como propósito despertar o interesse do público para o mundo do RPG, com seus jogos que podem ser disputados tanto on-line quanto presencialmente, linkando o trabalho com alguns autores e livros, que influenciam e influenciaram diretamente na criação de grandes jogos deste cenário. A atividade discutirá sobre a questão da representatividade feminina no mundo dos jogos de RPG e seus derivados no dia 17 de março, quarta-feira às 15h, no YouTube.

Domênica David, a Dodô Filosofia é uma das vocais, linha de frente na Banda Filosofia Reggae. Dodô contará sobre suas experiências enquanto mulher preta, em uma banda com formação feminina composta por três irmãs lutando pelo seu espaço em uma trajetória que completa dezessete anos de palco em um cenário musical protagonizado por uma maioria branca e masculina em um dos gêneros mais marginalizados, a música Reggae. O poder do femininsmo na música será realizado pelo Facebook no dia 18 de março, quinta-feira, às 19h.

POTÊNCIAS é a apresentação de poesias e versos compostos pelas poetas Ayana e Jéssica Campos. Através das palavras, elas mostram seu universo, suas visões de mundo, suas ancestralidades, inspirando e reverberando em cada linha e letra tudo que são e tudo o que têm construído. A atividade será transmitida no IGTV no dia 19 de março, sexta-feira, às 19h.

O pocket show Releituras fora de série consiste em uma apresentação da cantora Dri Lima com releituras de músicas gravadas pelo grupo Fora de Série, o primeiro grupo feminino de samba do Brasil, onde Dri Lima foi uma das fundadoras no final da década de 80. O show, que terá a participação de Ademilson Marçal, acontecerá no YouTube, no dia 20 de março, sábado às 17h.

Também no dia 20, às 20h pelo IGTV, será apresentada a história de Pagu em Pagu, a musa dos movimentos modernistas. Pagu foi escritora, jornalista, poeta, produtora cultural e militante política brasileira. Foi celebrada como musa do movimento modernista, pela proximidade com o casal Oswald de Andrade e Tarsila do Amaral que a apresentaram ao movimento antropofágico

Com foco nas modalidades de Break e All Style (Waacking, Vouguing, Popping, Locking, etc), o Projeto BCA: Batom, Cabelo, Atitude e Dança é uma cypher com o intuito de valorizar as mulheres dentro da cena do Hip Hop, onde historicamente tiveram espaço reduzido, especialmente na dança. A atividade será realizada no YouTube, dia 21 de março, domingo às 18h.

No podcast Pode tudo! Pode tudo?, Malu Maria pergunta: as ruas são feitas para as mulheres? Com suas convidadas, será discutida a presença feminina nas grandes cidades: existe lugar e segurança para todas? Depois do bate-papo, será exibido o segundo capítulo da radionovela do podcast Pode Tudo!: "A porta aberta", de Saki, com as vozes da Equipe Biblioteca. O podcast será disponibilizado no dia 22 de março, segunda-feira às 15h, no Soundcloud.

No bate-papo de Empreendedorismo cultura, economia criativa e afroempreendedorismo, Lília Reis, atriz, produtora e coordenadora do Coletivo de Afroempreendedorismo, trará uma conversa com diversas dicas e orientações úteis sobre soluções online para que a ação do empreendedorismo não seja paralisada, já que existem técnicas de propostas e engajamento que possibilitam maiores acessos a conteúdos e vendas online, além de atividades artísticas com qualidade e monetização a partir do momento que cada pessoa empreendedora se compromete a aprender e se colocar também aberta ao aprendizado no ambiente virtual. A conversa será transmitida no IGTV no dia 23 de março, terça-feira, às 18h.

SERVIÇO

Casa das Rosas

Lançamento
E SE AMPUTASSEM A POESIA?
De Diana Junkes
Sexta-feira, 12 de março, das 19h às 21h
Plataforma: Zoom
Link de acesso: https://us02web.zoom.us/j/81995223931

SARAU
DIÁLOGOS SINCRÔNICOS
Carolina Maria de Jesus
Organização: Débora Garcia
Sábado, 13 de março, das 19h às 21h
Plataforma: Zoom
Link de acesso: https://us02web.zoom.us/j/83475057436

Maria Firmina dos Santos
Organização: Eliane Marques
Sábado, 27 de março, das 19h às 21h
Plataforma: Zoom
Link de acesso: https://us02web.zoom.us/j/88915618565

SARAU
SLAM DAS MINAS - POCKET POESIA
Sábado, 20 de março, das 19h às 21h
Página da Casa das Rosas no YouTube

Casa Guilherme de Almeida

TRAJETÓRIAS DO "EU" FEMININO NA LITERATURA E NO CINEMA
Segundas-feiras, 8, 15, 22 e 29 de março das 19h às 21h
Para realizar sua inscrição, clique aqui
As aulas serão transmitidas online, através da plataforma Zoom.

MUSEU, MEMÓRIA E O PÚBLICO 60+ - ENTREVISTA COM NEUZA GUERREIRO DE CARVALHO
Com Núcleo de Ação Educativa
Sexta-feira, 12 de março de 2021 | 16h30
Plataforma: YouTube e Facebook

Casa Mário de Andrade

CLUBE DE LEITURA CASA MÁRIO DE ANDRADE
Com Lucineide Vieira e Graciele Castro
27 de março, das 16h30 às 18h
Inscrições: até o dia 27 de março, https://poiesis.education1.com.br/publico/inscricao/964bc1c4246b6a9d8afaa820e8fdc519

Oficinas Culturais

LIVE: MULHERES DO GAU
Coordenação: Natali Santos.
Data e horário: 26/3 - sexta-feira - 11h às 12h
Faixa Etária: Atividade Livre
Plataforma de exibição: Instagram

SHOW: PELE EM FLOR: UM CONVITE PARA ADUBAR AS RAÍZES
Coordenação: Heloisa Vieira.
Data e horário: 27/3 - sábado - 15h
Plataforma de exibição: YouTube

Fábricas de Cultura

CONEXÕES URBANAS FEMININAS COM DJ DONNA
9/3 - terça-feira - 19h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: livre
Plataforma: YouTube

ENTRE TRIÂNGULOS E ZABUMBA AS MULHERES
13/3 - sábado - 18h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: livre
Plataforma: YouTube

TOMANDO A VOZ: MULHERES NEGRAS NA LITERATURA
15/3 - segunda-feira - 11h às 12h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: livre
Plataforma: YouTube

GASOLINA E FÓSFORO - MEU CORPO EM CHAMAS
16/3 - terça-feira - 19h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: a partir de 12 anos
Plataforma: IGTV

O QUE É RPG? E A REPRESENTATIVIDADE FEMININA NO MUNDO DOS JOGOS
17/3 - quarta-feira - 15h às 16h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: livre
Plataforma: YouTube

O PODER DO FEMINISMO NA MÚSICA - DOMÊNICA DAVID
18/3 - quinta-feira - 19h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: livre
Plataforma: Facebook

POTÊNCIAS - POESIAS DE AYANA E JÉSSICA CAMPOS
19/3 - sexta-feira - 19h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: livre
Plataforma: IGTV

RELEITURAS FORA DE SÉRIE COM DRI LIMA
20/3 - sábado - 17h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: livre
Plataforma: YouTube

PAGU, A MUSA DOS MOVIMENTOS MODERNISTAS
20/3 - sábado - 20h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: livre
Plataforma: IGTV

PROJETO BCA: BATOM, CABELO, ATITUDE E DANÇA
21/3 - domingo - 18h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: livre
Plataforma: YouTube

PODCAST PODE TUDO! PODE TUDO? EP.09 MARIA MALU MATOS E CONVIDADAS - COM EQUIPE BIBLIOTECA
22/3 - segunda-feira - 15h às 16h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: livre
Plataforma: Soundcloud

EMPREENDEDORISMO CULTURAL, ECONOMIA CRIATIVA E AFROEMPREENDEDORISMO
23/3 - terça-feira - 18h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: livre
Plataforma: IGTV

SOBRE A CASA DAS ROSAS
A Casa das Rosas - Espaço Haroldo de Campos é um museu dedicado à poesia, à literatura, à cultura e à preservação do acervo bibliográfico do poeta paulistano Haroldo de Campos, um dos criadores do movimento da poesia concreta na década de 1950. Localizada em uma das avenidas mais importantes da cidade de São Paulo, a Avenida Paulista, o espaço realiza intensa programação de atividades gratuitas, como oficinas de criação e crítica literárias, palestras, ciclos de debates, exposições, apresentações literárias e musicais, saraus, lançamentos de livros, performances e apresentações teatrais. O museu está instalado em um imponente casarão, construído em 1935 pelo escritório Ramos de Azevedo, que na época já tinha projetado e executado importantes edifícios na cidade, como a Pinacoteca do Estado, o Teatro Municipal e o Mercado Público de São Paulo.

SOBRE A CASA GUILHERME DE ALMEIDA
Inaugurada em 1979, a Casa Guilherme de Almeida, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis, está instalada na residência onde viveu o poeta, tradutor, jornalista e advogado paulista Guilherme de Almeida (1890-1969), um dos mentores do movimento modernista brasileiro. Seu acervo é constituído por uma significativa coleção de obras, gravuras, desenhos, esculturas, pinturas, em grande parte oferecidas ao poeta pelos principais artistas do modernismo brasileiro, como Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Emiliano Di Cavalcanti, Lasar Segall e Victor Brecheret. Hoje, o museu oferece uma série de atividades gratuitas relacionadas a todas as áreas de atuação de Guilherme de Almeida, da literatura traduzida ao cinema, passando pelo jornalismo e pelo teatro. Trata-se da primeira instituição não acadêmica a manter um Centro de Estudos de Tradução Literária no país.

SOBRE A CASA MÁRIO DE ANDRADE
A Casa Mário de Andrade funciona no endereço da antiga casa do escritor Mário de Andrade, um dos principais mentores do modernismo brasileiro e da Semana de Arte Moderna de 1922. O museu abriga uma exposição permanente, que é aberta à visitação, com objetos pessoais do modernista, além de documentos de imagem e áudio relacionados à sua trajetória. O museu também realiza uma intensa programação de atividades culturais e educativas. A Casa integra a Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

SOBRE O PROGRAMA OFICINAS CULTURAIS
Como uma iniciativa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo e gerenciado pela POIESIS - Organização Social de Cultura, o Programa Oficinas Culturais dialoga com o interior por meio de dois festivais (FLI - Festival Literário e MIA - Festival de Música Instrumental), Jornadas de Gestão Cultural, Ciclos de Estudos sobre Cultura Tradicional e Contemporaneidade, Programa de Qualificação em Artes que dá orientação artística a grupos, companhias ou coletivos de dança e teatro no interior, litoral e região metropolitana de São Paulo, e o Programa de Formação no Interior que oferece atividades formativas.
Além disso, na cidade de São Paulo, o programa realiza atividades de formação e difusão em três espaços: Oficina Cultural Oswald de Andrade (Bom Retiro), Oficina Cultural Alfredo Volpi (Itaquera) e Oficina Cultural Maestro Juan Serrano (Taipas).

SOBRE AS FÁBRICAS DE CULTURA
As Fábricas de Cultura são espaços de acesso gratuito que disponibilizam diversas atividades artísticas. Criadas com o objetivo de ampliar o conhecimento cultural por meio da interação com a comunidade, as Fábricas oferecem uma programação cultural diversificada. Nas unidades você encontrará cursos, atividades, bibliotecas e estúdios de gravação. Em 2020 e 2021, o Programa Fábricas de Cultura - instituições da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, gerenciadas pela Poiesis - conta com o patrocínio do Instituto Center Norte por meio da Lei Rouanet. O apoio contribui para a realização de atividades de formação e difusão cultural.

SOBRE A POIESIS
A Poiesis - Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

NÚCLEO DE PROJETOS AUDIOVISUAIS DE CURITIBA (NPA) ABRE INSCRIÇÕES PARA A EDIÇÃO 2021

Roteiristas de Séries, de Longas e de Curtas poderão inscrever seus projetos de 02 a 26 de março. A participação é gratuita.

Apesar dos desafios, 2020 foi um ano de expansão para o NPA – Núcleo de Projetos Audiovisuais de Curitiba. As limitações impostas pelo isolamento social felizmente não impediram a realização do projeto. Os encontros foram todos online e bem produtivos. O amplo alcance da internet possibilitou não só um maior número de participantes nos eventos abertos promovidos pelo Núcleo, como oportunizou a participação de pessoas de diversos estados do Brasil e também do exterior. O saldo positivo trouxe novidades para a Edição 2021, que seguirá online, além de receber projetos de séries e de longas, este ano o NPA irá abrir também um grupo para roteiristas de curtas desenvolverem suas ideias, neste caso as vagas serão voltadas para realizadores da periferia ou em início de carreira. Serão 24 vagas para séries e longas e 12 para curtas. As inscrições são gratuitas e estão abertas de 02 a 26 de março, no site: www.tambormultiartes.com
“A cada ano, aprendemos algo, localizamos uma demanda ou tendência que buscamos atender na edição do ano seguinte. Essa é a vantagem de ter um projeto contínuo. O novo Núcleo de Curtas, por exemplo, vem para atender realizadores e roteiristas que estão construindo um campo estético e temático próprios e precisam de um formato de produção mais acessível e ágil. O processo de desenvolvimento, viabilização, produção e distribuição de um curta-metragem é possível em um a dois anos, enquanto que longas e séries demandam muito mais tempo, além de exigirem um portfólio, que é, em geral, preenchido inicialmente por alguns curtas-metragens”, comenta Marcelo Munhoz, um dos coordenadores do Núcleo.
Os selecionados de Longas e Séries terão encontros mensais, de abril a setembro e os de Curtas encontros quinzenais, de abril a junho, com os orientadores dos projetos. São eles: Daniel Tavares, roteirista e professor da renomada escola de cinema latino-americana, EICTV-Cuba; Laís Melo, roteirista, diretora, diretora de arte e educadora em cinema e Renata Sofia, autora e roteirista da TV Globo. A cada encontro os orientadores, de forma individual, direcionam os participantes em prol de melhorias dos projetos inscritos, pretendendo que, ao final, tenhamos roteiros prontos ou argumentos muito bem desenvolvidos.

Além dos projetos selecionados, o NPA disponibiliza, abertas ao público, mediante inscrição, masterclasses com assuntos acerca do fazer audiovisual. Ao longo deste ano serão oferecidas cinco (5) masterclasses. A primeira será a Masterclass de Roteiro para Curtas-Metragens com Laís Melo, prevista para o dia 13 de março. O objetivo será investigar as estruturas das histórias, como escrever em imagens e roteirizar as ideias, as etapas de desenvolvimento, criação dos personagens e pensar sobre a importância do curta como processo de amadurecimento do olhar e caminho para entrada no mercado cinematográfico.
Ainda em março, dia 20, o Núcleo irá oferecer a Masterclass de Roteiro com Daniel Tavares. Nesta masterclass, Tavares vai apresentar uma metodologia de análise da articulação entre drama e tema nas premissas norteadoras de um projeto de ficção e relacionar os três ângulos da dramaturgia audiovisual e seus paradigmas: estruturas, personagens e gêneros dramáticos.
Em abril, dias 10 e 17, está programada a Masterclass de Séries com Camila Agustini, roteirista e script doctor formada pela EICTV-Cuba, com passagem pela Concordia University (Canadá), por meio do Emerging Leaders in the Americas Program. A aula vai tratar os principais temas relacionados à escrita de narrativas seriadas tais como conceito, premissa, formatos, universo, motor, personagens, estrutura, arco da temporada, tramas, piloto, episódios e bíblia, além de questões relativas ao trabalho coletivo desenvolvido nas salas de roteiro.
A inscrição para todas elas será aberta e gratuita pelo site www.tambormultiartes.com, com vagas limitadas.
O NPA é o desdobramento e a consolidação de Núcleos de Desenvolvimento já realizados anteriormente pela Tambor Multiartes desde 2012, em iniciativas que já contribuíram para a formação de mais de 160 roteiristas e realizadores audiovisuais, com pitchings simulados, mostras de projetos, encontros de orientação para inscrição em editais, além de palestras e outras capacitações para seus participantes. Muitos destes projetos já tiveram desde roteiros aprovados em editais de desenvolvimento até filmes em produção ou que se encontram em fase de distribuição. A finalidade do Núcleo é tornar-se referência na área audiovisual no Brasil oferecendo um processo de excelência de longo prazo focado no aprimoramento de talentos em elaboração de argumentos, roteiros e projetos audiovisuais.
“A cada ano sentimos um amadurecimento das propostas, das discussões. Isso se mostra nas inscrições, no processo e nos resultados. Com a concentração das janelas de exibição nas mãos de um grupo cada vez menor de corporações, vivemos uma luta feroz por espaço e atenção do público. Temos a percepção de que o enfrentamento dessa situação passa, de um lado, por compreender o que está sendo produzido e visto, e, de outro lado, estar cada vez mais atento às questões locais e vozes que expressam essas questões de forma viva e sensível. Há aí um equilíbrio que possibilita um campo de produção e distribuição sustentável e de fato relevante”, comenta Marcelo. “É importante ter em mente que o se produz no audiovisual hoje tem um papel importante na construção do campo simbólico que está regendo e vai reger nossas escolhas como sociedade. Sentimos que o NPA deve ser, através da discussão e da poética próprias do audiovisual, um espaço de fortalecimento e respeito à diversidade e a novos protagonismos, mas também um espaço de acolhimento”, completa.
Assim como no ano passado, a Mostra Final dos projetos desenvolvidos na edição 2021 será realizada à distância, em um formato similar ao de um pitching, possibilitando aos participantes a apresentação dos seus projetos às principais produtoras de cinema e players do país e abrindo espaço para parcerias e coproduções.

Projeto realizado com o apoio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura Municipal de Curitiba. Incentivo: Barigui Veículos e Heads

Sobre a Tambor Multiartes:
O NPA é uma inciativa da Tambor Multiartes e teve origem no Núcleo de Dramaturgia Cinematográfica do SESI/PR e no Núcleo Audiovisual SESI/PR que formou roteiristas e ajudou a desenvolver projetos de 2012 a 2015. O Núcleo de Crítica de Cinema em 2016 veio consolidar a formação de pensamento sobre a realização audiovisual. Outro projeto realizado pela Tambor foi o Ficção Viva que trouxe importantes cineastas ibero-americanos para ministrar oficinas de roteiro em Curitiba, como Karim Aïnouz, Kleber Mendonça, Guillermo Arriaga (México), Lucrecia Martel (Argentina) e Pedro Costa (Portugal).
Marcelo Munhoz, um dos coordenadores do NPA, além de fundador da Tambor, foi um dos idealizadores do Projeto Olho Vivo que realizou o Ponto de Cultura Minha Vila Filmo Eu, trabalho de ensino de cinema na Vila das Torres, em Curitiba, que obteve reconhecimento nacional. A Tambor Multiartes realizou ainda o documentário A Grande Nuvem Cinza, com direção de Marcelo Munhoz. Para saber mais visite o site: www.tambormultiartes.com

Sobre os Orientadores e Ministrantes das Masterclasses:

DANIEL TAVARES (orientador e ministrante da Masterclass de Roteiro)
Roteirista, graduado pela UFRJ e pela Escuela Internacional de Cine y Televisión de San Antonio de los Baños/EICTV, Cuba e mestre em Estudos Latino-americanos pela Universidade Federal da Integração Latino-americana/UNILA. Coordenou a cátedra do curso regular de Roteiro da EICTV entre 2011 e 2013. Participou em laboratórios de desenvolvimento como consultor (Nuevas Miradas, 34o Festival de Cinema de Havana, 2012) e como coordenador (I Festival Latino-americano de Cinema 3 Margens, Foz do Iguaçu, 2017); bem como em comissões técnicas de avaliação de projetos de longa-metragem em editais regionais brasileiros (Funcultura, Pernambuco, 2015; FAC, Distrito Federal, 2016; Polo de Cataguases, Minas Gerais, 2019). Atualmente, mantém atividades docentes no Brasil (Porto Iracema das Artes/CE e Universidade de Fortaleza, UNIFOR) e em Cuba (Curso Regular de Roteiro, EICTV). Em paralelo aos Núcleos Criativos dos quais participa (Muiraquitã Filmes/SP, 2016; Cinema Inflamável/CE, 2017; Videofilmes/RJ, 2018-2020) e as consultorias profissionais de roteiro para ficção e documentário, escreve e desenvolve projetos em parceria com roteiristas, produtorxs e diretorxs do Brasil e das mais diversas latitudes da América Latina.

RENATA SOFIA (orientadora)
Roteirista da TV Globo. Autora e roteirista dos longas originais "MC Estrela" em pré-produção pela Kromaki e “Dunas do Abaeté”, selecionado para o 10˚ Laboratório Novas Histórias Sesc. Dramaturga colaboradora da peça “A protagonista”, roteirista colaboradora da série infantil “Detetives do Prédio Azul” (12 e 13 temporadas); desenvolvimento de série de humor para Netflix; piloto de sitcom inédito pro canal Multishow; das séries de ficção em desenvolvimento “Ladrão que Rouba Ladrão”, “Paixão FC”, “Sonhos Suburbanos” e “Dissonantes”; das séries animadas “Arabela”, “Get Along Gang” e do desenvolvimento do Núcleo Criativo da 2Dlab. Participou do painel “Afrobrasilidades” com o projeto original de série infantil "O Laboratório do Porão" no Rio Content Market 2017. Selecionada para o 1º Laboratório de Narrativas Negras para o Audiovisual - Flup, Film2B e TV Globo. Formada pela UERJ em Comunicação Social, trabalhou por quatro anos na TV Globo como produtora de conteúdo web.

LAÍS MELO (orientadora e ministrante da Masterclass de Roteiro para Curtas-Metragens)
Roteirista, diretora, diretora de arte e educadora em cinema. Em 2017 estreou seu primeiro filme, “Tentei”, que percorreu festivais de cinema, ganhando alguns prêmios, incluindo o de melhor filme, fotografia e atuação no 50º Festival de Cinema Brasileiro, em Brasília (DF). Agora finaliza seu segundo curta-metragem autoral, “Me deixei ali”; desenvolve o projeto de longa-metragem ficcional “Histeria”, contemplado no Edital de Produção e Desenvolvimento de Obras Audiovisuais 2019; e o projeto "Filmes-Cartas para o futuro", para a National Geographic, onde atua como co-roteirista e co-diretora. Laís foi diretora assistente do longa-metragem "Deserto Particular", com direção de Aly Muritiba e diretora de arte na série “Fim de Comédia”, dirigida por Jéssica Queiroz; no longa “Tantas Almas”, dirigido por Nicolás Rincón; na série “É Nóis por Nóis”, dirigida por Aly Muritiba e Jandir Santin; além de diversos curtas-metragens.

CAMILA AGUSTINI (ministrante da Masterclass de Séries)
Roteirista e script doctor formada pela EICTV-Cuba com passagem pela Concordia University (Canadá), por meio do Emerging Leaders in the Americas Program. Participou do Talent Campus da Berlinale no Festival de Guadalajara e no Bafici, do Docs Accelerator no HotDocs e do Taller Andino do Ibermedia. Seu roteiro de longa "O Homem Descalço" venceu o Festival Guiões em 2014. Atuou no desenvolvimento de vários projetos transmídia da TV Globo onde também foi analista de projetos de filmes e séries. Escreveu diversos roteiros de longa-metragens e projetos de séries, tendo trabalhado com Karim Ainouz, Guillermo Arriaga, Marcos Schechtman, Ana Luiza Azevedo, entre outros. Como consultora de roteiro já atuou em mais de 20 projetos no Brasil e no exterior (Canadá, Colômbia, Costa Rica, Equador, Espanha e Uruguai). Foi mentora da Incubadora Paradiso. Atualmente é chefe de sala em uma série em desenvolvimento para a Amazon. É produtora associada do FRAPA (Festival de Roteiro Audiovisual de Porto Alegre).

SERVIÇO:

Lançamento do Núcleo de Projetos Audivisuais de Curitiba – NPA - Edição 2021 – Abertura de inscrições
Data: de 02 a 26 de março
Inscrições: www.tambormultiartes.com

Masterclass de Roteiro para Curtas-Metragens (online)
Data e Horário: 13 de março, das 10h às 12h e das 14h às 16h
Ministrante: Laís Melo

Masterclass de Roteiro (online)
Data e Horário: 20 de março, das 10h às 12h e das 14h às 16h
Ministrante: Daniel Tavares

Masterclass de Séries (online)
Data e Horário: 10 e 17 de abril, das 10h às 12h.
Ministrante: Camila Agustini
Todas serão gratuitas / com vagas limitadas
Inscrições: www.tambormultiartes.com

CONTATOS:

Assessoria de Imprensa

Glaucia Domingos

41 99909 7837

glauciadomingos@hotmail.com

Produção e Coordenação

Marcelo Munhoz

41 99903 5516

Vivian Britsch

41 98414 4004

Bruna Junskowski

41 99526 0791

Marianna Holtz

41 99811 0212

contato@tambormultiartes.com
https://www.facebook.com/npacuritiba/
instagram: @npacuritiba

“Por Trás da Cena”, podcast com curadoria de Maíra Lour e Gilmar Kaminski, revela os processos criativos do teatro

Feito para interessados em teatro, cada episódio conta com dois artistas criadores compartilhando suas experiências

Dramaturgia, direção de cena, atuação e cenografia são alguns dos conteúdos que o podcast “Por Trás da Cena” traz para discussão em oito episódios lançados às quintas-feiras, de 25 de fevereiro a 15 de abril. Idealizado pela diretora artística Maíra Lour e pelo produtor cultural Gilmar Kaminski, o podcast convida artistas para compartilharem suas experiências, procedimentos, modos de criação e memórias de teatro. Os episódios estão sendo pensados para que curiosos e amantes do teatro possam conhecer mais o dia a dia dos artistas, podendo se tornar uma ferramenta de aprimoramento técnico e artístico de estudantes, profissionais, pesquisadores e interessados nas artes cênicas.

Maíra define a empreitada “como um espaço de troca, conexões e escuta, para revelar o que não se vê: a sala de ensaio, as coxias, os camarins são locais que guardam a intimidade do teatro, o mecanismo todo que se movimenta para que as criações aconteçam”. E, segundo Gilmar, essa foi uma das formas que encontraram para seguir em movimento e promover encontros, mesmo sem a possibilidade da presença física.

Todos os episódios estão sendo produzidos, editados e lançados de forma remota e seguindo os protocolos sanitários de enfrentamento à COVID-19. O podcast é apresentado por Maíra e como convidados, a dupla buscou mesclar artistas curitibanos com artistas de outras regiões do país e de Portugal envolvidos no fazer teatral: dramaturgas/os, atrizes/atores, diretoras/es, cenógrafas/os, iluminadoras/os.

Maíra e Gilmar não pretendem parar nos oito episódios previstos para a temporada. Segundo eles, a ideia é criar conexões entre artistas e dar continuidade a estas conversas descontraídas e necessárias para os tempos atuais em próximas temporadas.

O podcast está disponível nas principais plataformas de streaming de áudio:
Spotify: https://open.spotify.com/show/1eTjhloMHTDJpFz7yEA224
Google Podcasts: https://www.google.com/podcasts?feed=aHR0cHM6Ly9hbmNob3IuZm0vcy80ZDBhOTRkYy9wb2RjYXN0L3Jzcw==
Youtube: https://www.youtube.com/channel/UC9ipDVH1JUDNxo9yjT9ZZtg

CRIADORES
Maíra Lour é diretora teatral, dramaturga e arte educadora. Diretora da Súbita Companhia de Teatro, colaboradora e orientadora do núcleo IMP de pesquisa em dança – Investigação do Movimento Particular e idealizadora do Plataforma - Espaço de Investigação Artística. Artista profundamente interessada pela intersecção entre teatro, dança e literatura. Dedica-se à pesquisa de autoras mulheres latino-americanas; mulheres diretoras de teatro, procedimentos de direção cênica; dramaturgia contemporânea; estudos do corpo dramático-poético e modos colaborativos de criação e produção.

Gilmar Kaminski é produtor cênico graduado pela Universidade Federal do Paraná (2017) e técnico em contabilidade pelo Instituto Federal do Paraná (2011). Desde 2014 atua como produtor na cidade de Curitiba, desenvolvendo projetos nas diversas linguagens artísticas - teatro, música, audiovisual, patrimônio cultural e literatura. É fundador da Flutua Produções e atualmente integra a equipe de produção d'A Armadilha Cia de Teatro e da Bienal de Quadrinhos de Curitiba.

FICHA TÉCNICA
Curadoria: Gilmar Kaminski e Maíra Lour
Apresentação: Maíra Lour
Produção: Gilmar Kaminski - Flutua Produções
Edição de som e vinheta: Álvaro Antonio
Comunicação: Luísa Bonin e Thays Cristine - Platea Comunicação e Arte
Projeto gráfico: Camila Villanova e Victor Uchoa
Realização: Flutua Produções

Projeto realizado com recursos do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura - Fundação Cultural de Curitiba, da Prefeitura Municipal de Curitiba e do Ministério do Turismo.

Davi Henn e Lucas Lepca esquentam o final de semana do Festival Manifest

No segundo fim de semana de shows, rock, ska e blues artesanais dão o tom do festival digital e gratuito na web

O músico e compositor Lucas Lepca, da banda Lou Dog, abre neste sábado (27/02), às 15h, o segundo final de semana do MANIFEST - Música Autoral e Novidades Independentes Festival.
A mostra de música, digital e gratuita, traz grandes artistas das cenas do rock, pop e blues autorais de Curitiba em shows exclusivos.
No domingo (28), às 11h, o show é com o “homem-banda” curitibano David Henn.
Davi Henn é uma “banda de um homem só”’. Em suas apresentações toca até 4 instrumentos ao mesmo tempo, a maioria deles construídos pelo próprio artista, e um repertório baseado no antigo blues do delta do Mississippi.
Lucas Lepca, é guitarrista, cantor e compositor. Já lançou 5 álbuns com a banda Lou Dog e na sua carreira solo faz um som que mistura rock e influências jamaicanas como o ska e o reggae.
Os shows serão transmitidos em 'livestream' pela FanPage do MANIFEST no Facebook, canal oficial do evento.
O público poderá curtir o conteúdo exclusivo sem sair do conforto e segurança de sua casa.
Nos próximos finais de semana, artistas como Giovanni Caruso (Escambau), Adriano Antunes (Syd Vinicius) compõem a escalação do festival entre outros nomes (veja toda a programação abaixo).
Idealizado em 2013 pelo produtor cultural Pedro Hey Branco e pelo músico Fábio Elias, o festival independente se tornou realidade em 2021.
Confira a programação completa:.
Dia 27/02,15h: Lucas Lepca
Dia 28/02,11h : Davi Henn
Dia 6/3,15h: Giovanni Caruso (ESCAMBAU)
Dia 7/3,11h: Cris Marx Cruz
Dia13/3,15h: Sandra Piola e Bruno Sguissardi (Anacrônica)
Dia14/3,11h: Adriano Antunes (Syd Vinícius) – LIVE
Dia 20/3,15h: Romann – LIVE
Dia 21/03,11h: Vagner Capone (Javali Banguela)
________
SERVIÇO
MANIFEST - Música Autoral e Novidades Independentes Festival
Quando: Entre 20/02 e 21/03
Onde: https://www.facebook.com/manifestmusica
Quanto: Shows gratuitos e online
* PROJETO REALIZADO COM RECURSOS DO PROGRAMA DE APOIO E INCENTIVO À CULTURA – FUNDAÇÃO CULTURAL DE CURITIBA, DA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA E DO MINISTÉRIO DO TURISMO.

Mais de 20 milhões de brasileiros celebram o Dia do Imigrante Italiano neste domingo (21)

Neste domingo (21) é celebrado o Dia do Imigrante Italiano no Brasil. A maior parte dos imigrantes vieram do Velho Continente para o Sul e Sudeste do Brasil. Juntos, os descendentes de italianos nestes quatro estados somam mais de 22,7 milhões de pessoas.

A data foi instituída em 2008 para homenagear o maior movimento migratório internacional da história brasileira. A data foi escolhida para relembrar a chegada em Vitória (ES) do navio La Sofia, em 1874, e que marcou o início do processo de migração de italianos para o Brasil.

Dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) revelam que 50% da população de Santa Catarina é descendente de italianos. Logo em seguida, aparecem os nascidos no Paraná, onde 37% das pessoas têm origem italiana. No estado de São Paulo, esse percentual é de 32,5% da população, enquanto no Rio Grande do Sul chega a 27%.

Quase dois séculos depois, o movimento tem sido no sentido inverso, com a vontade de brasileiros se reconectarem com a história familiar. É para auxiliar neste sentido que a Bússola Italiana, pesquisando a origem das famílias e chegando até à assessoria para reconhecimento de cidadania italiana. É possível obter a cidadania italiana tendo antepassados ou por matrimônio. Para auxiliar nestes processos, a Bússola Italiana oferece serviços de assessoria. A Bússola é uma empresa que se dedica a processos de cidadania italiana e integração em território europeu.

"Compreendemos que o processo de reconhecimento de cidadania italiana é a concretização de um projeto de vida, de um sonho. Por isso, o nosso time é altamente qualificado e expert na legislação italiana e processos civis para auxiliar os descendentes de italianos a obterem o reconhecimento da cidadania italiana com sucesso, bem como os ítalo-brasileiros a usufruírem plenamente de seus direitos", lembra a consultora de negócios e sócia da Bússola Italiana, Patrícia Diniz.

Contatos:

Facebook.com/bussolaitaliana

Instagram.com/bussolaitaliana

WhatsApp: (11) 98558-1353