QUINTA-FEIRA (1/10) às 20h, A Vicunha apresenta seu primeiro desfile virtual com tecidos funcionais para proteção contra o SARS-CoV-2, vírus responsável pela COVID-19, com transmissão no Youtube

Inédita no segmento jeanswear, a fabricante convidou 13 estilistas para assinarem peças com os tecidos da linha V. Tech Protective. A coleção conceitual será apresentada em desfile 100% online e inspirará marcas em como utilizar os artigos protetivos em suas criações.

Para assinar os modelos do desfile, a fabricante convidou 13 marcas e estilistas parceiros: A La Garçonne, Another Place, Amapô, Caiu Toró, Diego Favaro, Daura, Igor Dadona, Isaac Silva, VIHE, Cartel 011 CZO, Jal Vieira, Uma e Das Hauss, para interpretar a linha em criações exclusivas.

Você é nosso convidado! Não perca!!

Canal do Youtube: http://www.youtube.com/channel/UCpseeGI79b8fp70KQLjZXCg

Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais entrou em vigor em setembro. O que minha empresa precisa fazer?

Pesquisa aponta que 84% das empresas não estão preparadas para a implementação das novas regras

A nova Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), entrou em vigor na última sexta-feira, dia 18 de setembro. A LGPD é uma norma federal aprovada em 2018 que estabelece regras para o uso, coleta, armazenamento e compartilhamento de dados dos usuários por empresas públicas e privadas, com o objetivo de garantir mais segurança, privacidade e transparência no uso de informações pessoais. Segundo o consultor de negócios da ESIC Internacional, Alexandre Weiler, a nova lei prevê o consentimento expresso dos clientes para o uso das informações. “As companhias precisarão deixar muito claro como essas informações serão usadas”, afirma.

Uma pesquisa realizada pela consultoria de riscos ICTS Protiviti, no final de 2019, apontou que 84% das empresas não estão preparadas para a implementação das novas regras As sanções administrativas previstas na legislação, tais como as multas de até 50 milhões de reais para cada infração que poderão ser aplicadas pela Autoridade Nacional de Proteção de Dados, só entram em vigor no dia 1º de agosto de 2021, porém os demais artigos da LGPD passam a valer imediatamente, o que significa que órgãos reguladores já podem fazer cumprir a legislação, realizando investigações, abrindo inquéritos civis para averiguar eventuais violações ou aplicando sanções por descumprimento à lei. “É fundamental para a imagem e segurança de qualquer empresa que a LGPD comece a ser implementada, sob o risco de severas ações judiciais e graves risco a imagem das corporações”, alerta Weiler.

Independentemente do tipo da empresa, seja de pequeno, médio ou grande porte, todas precisam atender as exigências da LGPD. “As empresas precisam ter total controle sobre essas informações, se estão armazenados de maneira segura, se foram coletadas mediante consentimento e para que serão usadas, e assegurar o sigilo de informações dos colaboradores que lidam com dados das pessoas, sejam clientes ou demais colaboradores”. explica.

Uma das regras da nova lei é que todos os dados sejam criptografados, para que não possam ser lidos por terceiros ou ocorra o vazamento de informações. “Será imprescindível um profissional de TI nas organizações, que esteja familiarizado com as particularidades da LGPD, e crie instrumentos para garantir a segurança das informações se processos nas empresas”, lembra Weiler. No dia 22 de setembro, três dias após a lei entrar em vigor, o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) ajuizou a primeira ação civil pública baseada na Lei Geral de Proteção de Dados.

Como a consultoria de imagem pode ajudar a recuperar a autoestima no pós-pandemia

Ilse Gaedke, consultora de imagem, dá dicas para começar a retomar a rotina de se arrumar para trabalhar, mesmo mantendo o trabalho remoto

Comando News, setembro de 2020 - A pandemia do novo coronavírus afastou as pessoas dos ambientes de trabalho, escola, academia e tantas outras atividades externas por meses. Desde meados do mês de março, a casa passou a ser o ambiente central da vida de milhões de brasileiros. Essa mudança forçada de hábitos fez com que o estilo e a necessidade de roupas mudassem junto. “Durante a pandemia as pessoas estão preferindo roupas, calçados e acessórios mais práticos e confortáveis. A tendência comfy deve permanecer no pós-pandemia, com roupas e acessórios que transitem bem em diversos ambientes, mantendo sempre o conforto e praticidade sem perder o estilo”, explica Ilse Gaedke, consultora de imagem pessoal.
Porém, esse período usando apenas roupas despojadas, pode impactar a autoestima. Muitas pessoas têm se sentido desmotivadas para se vestir, uma vez que a recomendação ainda é para sair de casa somente se necessário. “Minha dica é estabelecer uma rotina diária que ajude a retomar, mesmo que aos poucos, o hábito de se arrumar para sair. A ideia é ir voltando ao normal e procurando restabelecer a vontade de elaborar mais o visual do dia-a-dia”, sugere Ilse.

A consultora de imagem ainda reforça que em termos de estilo não existe certo e errado e que cada pessoa tem o seu. “A nossa missão é fazer com que a pessoa se sinta bem em sua melhor versão de apresentação pessoal. Para isso, é importante ter a cabeça aberta para receber as informações e, a seu tempo, colocar em prática os ajustes propostos no processo de consultoria de imagem”, finaliza Ilse Gaedke.
Sobre Ilse Gaedke

Consultora de imagem desde 2017, quando fez transição de carreira da área de gerenciamento de projetos, Ilse Gaedke já ajudou dezenas de pessoas com seu método exclusivo de trabalho. Em seus atendimentos, Ilse faz análise de estilo e cores, análise facial e visagismo, etiqueta, montagem de visuais, orientação para compra de peças sempre de forma objetiva e levando em consideração o perfil de cada cliente.

WhatsApp: 41 9.9175-6998
https://www.ilsegaedkeconsultoria.com.br/
https://www.instagram.com/ilsegaedke/
https://www.facebook.com/ilsegaedkeconsultoria
https://www.linkedin.com/in/ilse-gaedke-consultora-de-imagem/

Instituto TMO recebe doações de notas fiscais das compras do Dia das Crianças

Consumidores podem doar notas e cupons sem CPF, que valem créditos no Programa Nota Paraná, para ajudar a manter a instituição
cupom fiscal 2.jpg

Lide Multimídia – Em 12 de outubro será comemorado o Dia das Crianças. O momento de comprar presentes é também uma ocasião para praticar a solidariedade. Ao realizar uma compra, a pessoa pode pedir nota fiscal sem CPF e doá-la para o Instituto TMO (ITMO), instituição sem fins lucrativos, de Curitiba, que há 31 anos apoia ações em prol do transplante de medula óssea e do acolhimento a pessoas em tratamento.

As notas ou cupons fiscais doados valem créditos no Programa Nota Paraná, que ajudam a manter este importante trabalho. As doações podem ser de três formas: depositando nas urnas com a logo do Instituto TMO em estabelecimentos parceiros, por meio do app Nota Paraná, ou ser enviada para o WhatsApp (41) 99790-2260. As instruções completas estão no site www.institutotmo.org.br/apoie, no item Programa Nota Paraná.

Novozymes apresentará painel de sustentabilidade no Household Summit

Novozymes apresentará painel de sustentabilidade no Household Summit

Curitiba, setembro de 2020 – Nos próximos dias 06 e 07 de outubro, a Novozymes marcará presença o evento Household Summit, no painel Sustentabilidade. Este é o evento mais completo sobre tecnologia e inovação em produtos de limpeza e afins. Um dos painéis do seminário será sobre sustentabilidade e contará com a participação da gerente regional de Sustentabilidade, Angela Fey, que falará sobre as estratégias e desafios de implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS – ONU) e os impactos no setor de produtos de limpeza. O evento é online e as inscrições podem ser feitas no site: www.householdsummit.com.br

Buggy 100% elétrico é finalista em desafio de inovação para o turismo

Startup paranaense está na final e concorreu com mais de 790 projetos

Curitiba-PR–29/09/2020 - A startup paranaense eiON – que criou o primeiro buggy 100% elétrico do mundo – tens bons motivos para comemorar. Ela acaba de ser selecionada entre as dez finalistas do 1º Desafio Brasileiro de Inovação em Turismo - realizado com a Organização Mundial do Turismo, Ministério do Turismo e o Wakalua Innovation Hub, primeiro polo global de inovação no setor.

Mais de 790 projetos de todo país se inscreveram e somente dez estão na etapa decisiva. O vencedor será conhecido no fim de setembro e ganhará uma viagem a Madrid (Espanha) para um programa de treinamento e participação na FITUR 2021, a maior feira de turismo do mundo.

Parcerias estratégicas
A eiON – que já possui uma parceria com a WEG, uma das referências globais em máquinas elétricas - também acaba de fazer uma parceria estratégica com a gaúcha FuelTech, empresa líder no segmento de tecnologia para veículos à combustão e que está de olho na tendência de converter os motores tradicionais em elétricos.

Dessa forma, o primeiro buggy 100% elétrico do mundo em breve será fabricado com 100% de tecnologia brasileira. “Apenas as células de íons de lítio – utilizadas nas baterias - ainda não serão produzidas no país”, explica o engenheiro eletricista Milton Francisco dos Santos Junior, idealizador da eiON.

Com diferentes tecnologias embarcadas, o buggy elétrico é o que se pode chamar de mobilidade totalmente sustentável. Ele não emite gases poluentes, não tem ruídos, roda mais de 100 km com menos de R$ 9,00 e gera economia de mais de 70% no custo do quilômetro rodado quando comparado aos modelos à combustão.

Projetado inicialmente para atender resorts e locais voltados ao ecoturismo, o carro também pode ser utilizado na área urbana, na zona rural e no litoral.

Perfil
A startup eiON www.aaaeion.com nasceu em Curitiba-PR, em outubro de 2018, após dois anos de estudos e pesquisas do engenheiro eletricista Milton Francisco dos Santos Junior. Ele decidiu criar o buggy 100% elétrico para oferecer às futuras gerações um ambiente mais limpo, seguro e sustentável.

Com criatividade e a ajuda de um grupo de engenheiros e técnicos, Milton fez o sonho se tornar realidade e viabilizou o primeiro buggy 100% elétrico do Brasil, que foi batizado de Buggy Power.

A startup eiON foi acelerada no Centro de Tecnologia de Veículos Híbridos e Elétricos do Sistema da Federação das Indústrias do Paraná (FIEP), na capital paranaense, e também no Programa InovAtiva Brasil, do Ministério da Economia do Governo Federal.

A startup eiON está prestes a finalizar a estruturação para a fabricação do veículo em escala comercial.

Sugestão de legenda
Milton Francisco dos Santos Junior e o Buggy Power; Primeiro buggy 100% elétrico do mundo está entre os dez finalistas do 1º Desafio Brasileiro de Inovação em Turismo

Terminal de Contêineres de Paranaguá quebra recordes de movimentações

Em agosto foram movimentados 87.455 TEUs, além do maior volume movimentado em um único navio pela empresa, totalizando 2.083 movimentos no navio Cap San Lorenzo
Foto para download

Pelo segundo mês consecutivo, a TCP – empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá, registrou recorde de movimentação de contêineres ao operar 87.455 TEUs (unidades equivalentes a contêineres de 20 pés) em agosto, 8,8% acima em comparação ao mesmo mês de 2019, quando foram movimentados 80.388 TEUs. No acumulado do ano (janeiro a agosto), a movimentação total é de 646.630 TEUs, superando 7,0% o mesmo período do ano passado, quando o acumulado era de 606.410 TEUs.

Além da marca de movimentação geral, o terminal também quebrou o recorde de movimentação realizada em um único navio, com 2.083 movimentos no CAP San Lorenzo, operado no dia 31 de agosto. O recorde anterior havia sido registrado no dia 12 de outubro de 2017, quando o terminal realizou 2.037 movimentos no navio Maersk Lins.

De acordo com Thomas Lima, Diretor Comercial da TCP, os recordes são resultados da modernização da infraestrutura da empresa e forte atuação comercial. O terminal é responsável pelo maior investimento no setor portuário brasileiro na atualidade, permitindo que o porto de Paranaguá atue como um Hub Marítimo, para importação e exportação de contêineres na América do Sul. Além disso, a TCP oferece soluções logísticas como armazéns e ramal ferroviário dentro de sua zona alfandegada.

“Almejamos sempre aumentar nossa produtividade, o que desonera e agiliza toda a cadeia para armadores, exportadores e importadores. Além disso, oferecemos as melhores condições comerciais para nossos clientes, com períodos livres de armazenagem, tornando a TCP a melhor opção no país”, afirma Thomas Lima. Durante agosto, os principais segmentos movimentados foram commodities e carnes, originadas de todo o país e vizinhos do Mercosul.

Em julho, a TCP havia registrado três recordes: o de movimentação de contêineres cheios; de exportação e contêineres cheios, e de exportação de contêineres reefer.

RECORDE POR NAVIO
Em relação ao recorde de movimentação por navio, Thomas Lima explica que as novas condições operacionais permitiram estratégias de atracação mais elaboradas e, por consequência, um aumento na produtividade. “Ações como essa geram confiança entre nós e os armadores. A expectativa é de que novos recordes como esse voltem a acontecer”, conclui.

O navio foi operado com quatro guindastes STS (Ship to Shore) próprios, sendo dois deles os maiores da América Latina, em aproximadamente 24 horas entre a chegada da embarcação na Barra de Paranaguá e sua desatracação do Terminal. Com carga de importação, o veículo integra o serviço Samba Sul da Maersk, uma das 17 rotas marítimas que passam pela TCP.

Sobre a TCP (serviço)
A TCP é a empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá - o maior terminal de contêineres da América do Sul - Responsável pelo maior investimento do setor portuário brasileiro atual, destinando mais de R$ 550 milhões para obras de ampliação da estrutura e capacidade de movimentação do terminal de 1,5 milhão TEUs/ano para 2,5 milhões TEUs/ano. A TCP se prepara para atender à demanda de mercado brasileiro pelos próximos 30 anos.

Desde março de 2018, a TCP integra o portfólio da China Merchants Port Holding Company (CMPort), o maior e mais competitivo desenvolvedor, investidor e operador de portos públicos da China. Em março de 2020, o portfólio global de portos da CMPort abrangia 6 continentes, 26 países e regiões e 50 portos. Em 2019, a CMPort movimentou 110 milhões de TEUs.

Via Volare se reinventa, mostra postura de vanguarda com forte posicionamento online, alinhado ao novo comportamento de consumo

Criada há 17 anos pela empresária Adriana Soares (foto), a Via Volare já nasceu com um DNA diferenciado. A jovem graduada em Design de Produto pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, empreendeu no varejo feminino determinada a oferecer ao mercado qualidade superior e diferenciação em sapatos, bolsas e acessórios (como lenços, cintos e bijuterias) para mulheres contemporâneas. Daí nasceu a multimarcas Via Volare, uma loja especial tanto em produtos quanto no atendimento. E foi essa essência original e de vanguarda que fez com que a marca implementasse no começo do ano um processo de digitalização e venda via e-commerce. Iniciativa que fez todo sentido no momento da pandemia e mostrou o posicionamento e a visão da Via Volare em se antecipar às demandas do mercado e oferecer o que o consumidor necessita.

Antes mesmo das determinações de isolamento social, a loja já vinha trabalhando fortemente nas redes sociais. “Havíamos percebido um faturamento bem expressivo. Ou seja, as pessoas viam os produtos nas redes sociais e iam comprar na loja física”, ressalta Adriana. Assim, mesmo com o fechamento total do comércio as compras on-line continuavam a todo vapor. Foi a hora de mais uma inovação, o serviço de delivery. “Ao invés de irem na loja, as pessoas pediam e a gente entregava”, lembra a empresária. Isso levantou o questionamento sobre a permanência da loja física – visto que as vendas externas iam bem, mas pediam investimentos em logística. “Isso foi determinante para mim, por conta, justamente, desse poder que tínhamos com as vendas externas por meio principalmente do Instagram”, reforça.

Como resultado, foram ampliados os investimentos nas redes sociais – com a contratação de uma equipe para interação com o consumidor e a divulgação dos catálogos e novidades – além da reformulação do site institucional para uma nova plataforma de e-commerce e a implantação de canais de relacionamento com o cliente via WhatsApp, tornando a marca multicanal e com vários pontos de contato com o consumidor. “Encontramos dentro das dificuldades pelas quais o mundo passa uma maneira de driblar as adversidades e reforçar nosso posicionamento de marca e relevância no cotidiano do nosso consumidor”, comemora Adriana.

Segundo ela, a recepção da clientela tem sido bem calorosa e positiva. O que é potencializado por três formas diversas de entrega: o delivery (ou seja, a entrega do produto adquirido via canais digitais), a bag (entregue na casa do consumidor que quer provar o produto antes e concluir a aquisição) e o lounge (com atendimento feito em hora marcada). Nesse espaço, a cliente tem uma nova experiência de compra, com atendimento personalizado e exclusivo, pensado para que ela se sinta em casa.

“Para o futuro, a marca planeja sua expansão nacional, crescendo em vendas em todo o território”, conclui Adriana. Os agendamentos podem ser feitos pelos telefones (41) 99667-9596 / (41) 3077-4393. Mais em https://www.viavolare.com.br/

Império do Brigadeiro inaugura nova unidade

Adoçar a vida das pessoas. Desde o seu início essa foi a proposta da Império do Brigadeiro, loja especializada no tradicional doce. Agora, é a vez de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, receber uma unidade da loja.
Além dos tradicionais brigadeiros em suas versões gourmet, a loja também oferecerá suas sobremesas em taças, além de outras delícias.
A nova unidade atenderá para consumo no local, retirada no balcão (take away) e delivery. A Império do Brigadeiro fica na Av. Rui Barbosa, 9090 e funcionará das 13h às 18h30 e para delivery desde às 10h, todos os dias da semana. Há outras unidades localizadas no Sítio Cercado e no Batel.
Acompanhe as novidades da Império do Brigadeiro através das redes sociais: @imperio.brigadeiro e www.facebook.com/imperio.brigadeiro

Cerveja: descubra como a bebida trazida pelos portugueses caiu no gosto dos brasileiros

O beer sommelier da cervejaria Berggren, Robson Vergillio, fala sobre as primeiras cervejas produzidas no país e explica como elas chegaram no Brasil

downloadAttachment&Message%5Buid%5D=178905&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253C224401d692a1%2524a1f0a160%2524e5d1e420%2524%2540noticiaexpressa.com.br%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3C224401d692a1%24a1f0a160%24e5d1e420%24%40noticiaexpressa.com.br%3E-1.5Muitos não sabem, mas uma das bebidas mais consumidas em nosso país, a cerveja, chegou antes da independência e foi bastante consumida pelos portugueses que moravam aqui. Se antes o mercado era limitado e com pouca variedade, hoje os consumidores podem explorar novos sabores e estilos com as cervejas artesanais.

Segundo dados divulgados pela startup myTapp, em 2018, o Brasil contava com 889 cervejarias operantes e cadastradas no MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento). Já em fevereiro deste ano, o mercado abrigava por volta de 1.171 estabelecimentos. “Por conta da facilidade de conseguir informações através da internet, os brasileiros estão mais informados e interessados em descobrir os sabores, estilos e combinações que uma cerveja artesanal é capaz de proporcionar”, explica Robson Vergillio, beer sommelier da cervejaria Berggren.

O início de tudo

Quando as primeiras indústrias de cervejas nacionais foram implantadas no país, as bebidas recebiam o nome de cerveja barbante, já que elas eram envasadas como os “growlers” de hoje em dia e os barbantes é que seguravam as rolhas das garrafas para evitar que saltassem por conta do gás da bebida engarrafada. “No fim do período monárquico, as cervejarias brasileiras deram os primeiros passos, e foi a família real portuguesa responsável por trazê-las ao Brasil”, afirma Vergillio.

Para evitar que a bebida conquistasse o paladar de todos, e no intuito de incentivar o consumo do vinho que era produzido em Portugal, a produção da cerveja era apenas para as famílias de imigrantes. “No Brasil, as primeiras cervejas vendidas recebiam o nome de Gengibirra e Caramuru. A Gengibirra era feita com cascas de limão, água, farinha de milho e gengibre, e custava 80 réis. Já a Caramuru, levava em sua receita gengibre, milho, água e açúcar mascavo, e tinha um preço mais acessível, custava 40 réis”, ressalta o beer sommelier.

A partir de 1840, os primeiros alemães começaram a chegar ao Brasil e fizeram com que a bebida ficasse ainda mais relevante no país, pois eles foram os responsáveis em dar continuidade na cultura cervejeira implantada pelos colonizadores. Depois disso, a cerveja caiu no gosto dos brasileiros e foi crescendo cada vez mais através de grandes cervejarias que foram surgindo no decorrer da história do Brasil. “Hoje é possível encontrar facilmente, em qualquer local, cervejas cada vez mais elaboradas e que levam em sua composição chocolate, café e manga”, finaliza Vergillio.

Sobre a Berggren

A Berggren é uma cervejaria que foi oficialmente inaugurada em novembro de 2015. Quem está à frente dos trabalhos é o Diretor Geral Lucas Berggren. A empresa teve seu projeto iniciado entre 2008/2009, quando a família Berggren começou a estudar o funcionamento dos equipamentos para a montagem da fábrica e entre 2013/2014 a família, que tem atuação na indústria têxtil, ganhou um fôlego financeiro e deu retomada definitiva ao projeto.

Produzindo cervejas de estilo clássico, e outras inspiradas na Escola Americana, a Berggren Bier conta com uma fábrica piloto (com laboratório e estrutura de envase) para testar as cervejas – algo presente em poucas cervejarias do país.

Matheus e Kauan apresentam “O Nosso Santo Bateu”

Live acontece neste domingo, a partir das 18h, no canal da dupla no Youtube

"O Nosso Santo Bateu”, música que fez Matheus e Kauan conquistarem o Brasil inteiro, agora, dá o título ao show virtual que os irmãos goianos vão apresentar neste domingo, dia 27 de setembro, às 18h, no Villagio JK, em São Paulo.
Eles, que em 17 de março de 2020, quando a quarentena havia sido decretada, criaram um universo musical através de um “challenge”: “Não vamos confinar as nossas vozes!”. Foi com este título que eles apresentaram a primeira live com voz e violão, diretamente da casa de Matheus, transmitida no instagram da dupla e desafiaram alguns colegas a fazer o mesmo. Assim, a cada dia, haveria uma live diferente para o público. O que eles não imaginavam era a proporção gigantesca que a homenagem ao Dia do Fã (18/3) tomaria, se tornando o principal atrativo da web nos últimos meses.
“ Estamos com tanta saudade dos palcos. Já são 6 meses sem fazer shows e então resolvemos fazer mais uma live. Desta vez vamos seguir o formato do show que fizemos em São Paulo em dezembro do ano passado. É a nossa primeira live fora do estúdio ou de casa, tenho certeza que, vai ser um show incrível. Vai dar pra sentir um pouco da energia da galera”, completa Matheus.
Com duas músicas do DVD, gravado em Recife, deste ano, entre as “50 mais tocadas do Brasil”, importante playlist do Spotify, Matheus e Kauan se dão por satisfeitos. Mesmo sem os shows, a internet tem sido o termômetro dos sertanejos. “Nem Doeu” e “Litrão” ocupam a 23º e 29º posição, respectivamente. E, para comemorar este feito, claro que, elas se unem a outras conhecidas do público na playlist da transmissão virtual da semana.
No repertório temos: sucessos como “Te amar cada vez Mais”, “Quarta cadeira”, “A rosa e o beija flor”, “ Tô com moral no céu!”, “ Nessas horas”, “Vou ter que superar” e músicas que revelam a identidade do show, como Já sei namorar, dos Tribalistas, O sol, de Vitor Kley, Se, de Djavan, Do seu lado, de Jota Quest, Pais e filhos, de Legião Urbana, Quero ser feliz também, do Natiruts, entre outras.
“O Santo Bateu foi a nossa primeira música de sucesso nacional, então estamos usando ela para intitular a live e temos um projeto que estreamos ano passado, estava mais do que na hora de criar esse conceito de evento, para mostrar ao nosso público que também gostamos e podemos cantar em outros estilos. As músicas estão mais para cima, decidimos dar uma ‘mexida”, completa Kauan

Aula solidária apoia tribo indígena do litoral do Paraná

Longe das telas, a cultura indígena brasileira é tema de aula para toda família em Curitiba

Nem só nos computadores acontecem as aulas durante a pandemia. Em Curitiba (PR), os alunos da Educação Infantil 2 e 3, que inclui crianças entre 2 e 4 anos de idade, participaram de uma atividade diferente. Elas visitaram o colégio com a família e de dentro do carro, aprenderam sobre a cultura indígena no Brasil. O drive-thru cultural contou com 10 estações montadas pela escola, onde foram representadas as tradições de diversos povos originários. O encontro também serviu para arrecadar alimentos para a etnia Guarani Mbya que vive na Ilha da Cotinga – Taquaty, próximo à Paranaguá.

A ideia, de acordo com a coordenadora da Educação Infantil, Sibele Guimarães, é incluir toda família no percurso de carro, dentro das dependências do colégio. “Em cada parada sinalizada, existe um fragmento da cultura, como: artesanato, alimentação, moradia, brincadeira e demais formas de expressões artísticas e de linguagem indígena”, explica.

As crianças e as famílias permanecem dentro dos carros e, mesmo a distância, são diversos os encontros proporcionados com a diversidade cultural do Brasil. Grande parte dos artefatos indígenas que expostos são dos Povos Indígenas Brasileiros, materiais que compõem o acervo da Loja de Arte indígena Xondaro.

Educação e solidariedade

O tema da aula especial também serve para praticar a solidariedade. A doação de alimentos não perecíveis como farinha de trigo, fubá, leite, quirerinha, canjica, óleo, arroz, feijão, café, entre outros, foram repassados para a etnia Guarani Mbya. Também chamados de mbiás e M’byá, eles são um subgrupo do povo Guarani que habita a região meridional da América do Sul, e no Brasil, existem cerca de 2400 índios.

Sobre a Rede Marista de Colégios: A Rede Marista de Colégios (RMC) está presente no Distrito Federal, Goiás, Paraná, Santa Catarina e São Paulo com 18 unidades. Nelas, os mais de 25 mil alunos recebem formação integral, composta pela tradição dos valores Maristas e pela excelência acadêmica. Por meio de propostas pedagógicas diferenciadas, crianças e jovens desenvolvem conhecimento, pensamento crítico, autonomia e se tornam mais preparados para viver em uma sociedade em constante transformação. Saiba mais em www.colegiosmaristas.com.br.

Tendência das embalagens para o Hortifruti

Fonte - Aparecido Borghi, executivo sênior para América Latina da Daymon Worldwide, agência de gestão estratégica de marcas e produtos e VP da Associação Brasileira de Marcas Próprias e professor da ESPM.

Quando – HOJE - dia 24 de setembro Hora- 17h

Webinar PMA Talks Brasil - http://bit.ly/pma24setembrow

Não é novidade que as embalagens cumprem papel fundamental nas vendas. Com a pandemia, criou-se a necessidade de embalagem para produtos frescos e aumentou a exigência do consumidor. Ao mesmo tempo, a sustentabilidade tem produzido efeitos também nas expectativas dos consumidores em relação às embalagens dos produtos, refletindo a preocupação com a própria saúde e a do planeta.

Para entender como as marcas estão respondendo a esta demanda, quais inovações do mercado e como produtores, fornecedores de serviços/produtos e varejo da indústria de Flores, Frutas, Legumes e Verduras, o PMA Talks Brasil de setembro traz o conhecimento de Aparecido Borghi.

** Imprensa – é necessário se inscrever para PMA Talks Brasil “Tendências de embalagens para FFLV” para ter acesso à plataforma zoom. O mediador Ivo Tunchel, executivo da Johnson Matthey, e o palestrante Aparecido Borghi ficam à disposição para entrevista, assim como conselheiros da PMA Brasil - produtores, distribuidores, exportadores e varejo de FFLV.

Inscrições: http://bit.ly/pma24setembrow

Sobre PMA – Produce Marketing Association é uma associação global de produtos agrícolas frescos e flores, fundada em 1949, com a missão de conectar os interesses das cadeias produtivas de frutas, flores, legumes e verduras. A entidade conta com 3.000 empresas associadas, 50.000 compradores e fornecedores, em 46 países dos seis continentes. No Brasil, a entidade conta com 93 associados (produtores, distribuidores, fornecedores de produtos/serviços e varejistas).

Como fortalecer sua marca online e vender mais

Especialista dá dicas para posicionar melhor a empresa online e atrair mais clientes

As vendas online, que já eram uma realidade em crescente e rápida ascensão no país, apresentaram números expressivos durante a pandemia da COVID-19. Segundo um levantamento feito pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm), foram abertas mais de uma loja virtual por minuto desde o início do isolamento social, em março. Mais de 107 mil novas empresas foram criadas na internet em pouco mais de dois meses.

Com a concorrência acirrada no mercado online, as empresas precisam estabelecer estratégias para se comunicar com seus públicos. Segundo o especialista em marketing e estratégia de negócios, Frederico Burlamaqui, a presença online precisa ser planejada, estruturada e embasada em pesquisas e conhecimento técnico. “Quem não é visto não é lembrado. As marcas precisam traçar estratégias para aparecer e estarem disponíveis para seus clientes”, explica. Confira as dicas do especialista para se manter presente no mundo online:

1- Tenha um site otimizado para os mecanismos de busca. Uma página na internet ainda é essencial para qualquer empresa. Ela é a sua casa e precisa estar organizada para ser funcional. Invista em ter um site com conteúdos otimizados com SEO, para conseguir ranqueamento e posicionar seu produto e serviço no topo dos resultados de busca;

2- Esteja presente nas redes sociais. Facebook, LinkedIn, Instagram, TikTok. Priorize a criação de conteúdo para as redes nas quais seu consumidor se encontra mais predisposto para a compra e/ou construção de afinidade com sua marca.

3 – Invista em Google Ads e tráfego pago. Sabe aquelas empresas que são destaque na página do Google, que aparecem primeiro nas pesquisas? Que surgem nas páginas das redes sociais sem você ser seguidor? Todas elas investem recursos no Google Ads e em tráfego pago nas redes sociais. Hoje, com pouco investimento, já é possível conseguir um bom alcance, posicionamento e impactar um maior número de clientes;

4 – Crie conteúdos exclusivos. Criar uma identificação com seu cliente, empatia e oferecer para ele informação de qualidade, são ações essenciais para gerar um vínculo e fidelidade com seu consumidor. Os conteúdos disponíveis da sua empresa, seja no site, redes sociais, e-mail marketing ou qualquer outra forma de comunicação, devem ser exclusivos e direcionados para os clientes;

5 – Defina seu público. Se você não sabe quem é o seu público, como vai se comunicar com essas pessoas? Conheça o seu mercado, tenha claro o que o seu produto ou serviço proporciona ao cliente e realize pesquisas. Sabendo quem é e onde está o seu consumidor, é possível criar campanhas e ações mais direcionadas para o negócio. Ferramentas digitais, como o Google Trends ou o Google Think Insights podem ajudar também nessas ações, porém é de maior importância conhecer o comportamento do seu consumidor no todo.

7 - Invista na relevância e no fortalecimento da sua marca. Tenha uma personalidade do negócio clara e bem definida, que seja relevante para o público que se destina a atender. Incentive recomendações públicas e crie afinidade com uma ótima entrega, pois as pessoas tendem a preferir marcas pelas quais sentem afinidade e/ou já tiveram experiências positivas.

O índice MCC-ENET, desenvolvido pelo Comitê de Métricas da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net) em parceria com o Movimento Compre & Confie, aponta que as vendas online mais que dobraram (137,35%) ao comparar maio de 2020 com o mesmo período do ano passado, e o faturamento do setor, no mesmo período, seguiu essa tendência, com alta de 127,77%.

Burlamaqui alerta para a importância de planejar de forma estruturada e embasada a presença digital das empresas. “Mais do que postar com frequência nas mídias sociais, o mais importante é se destacar positivamente na percepção do consumidor e gerar confiança", afirma, lembrando que pode levar anos para construir a reputação de uma empresa, mas segundos para acabar com ela. “O marketing deve ser focado na construção de uma marca forte, com o objetivo de encantar o cliente, gerando desejo pelo produto ou serviço que a empresa oferece”, finaliza.

Sobre Frederico Burlamaqui Marketing & Estratégia:

Consultoria de marketing e estratégia de negócios mais recomendada no Sul do Brasil, segundo o Google Places, a Frederico Burlamaqui Marketing & Estratégia atua nas áreas de marketing, estratégia de negócios, fortalecimento de marcas e inovação. Com metodologia única, atua capacitando empresas e estruturando processos para que os clientes sejam vistos e desejados pelo seu público alvo, ampliando assim o faturamento, com maior vantagem competitiva na área de atuação. A empresa conta com escritórios em Curitiba, São Bento do Sul e Porto Alegre.

www.marketingestrategia.com.br

Quer estender a sua marca para outros países? Conheça o protocolo de Madrid

Registrar a sua marca dentro do protocolo é o primeiro passo

Muitas pessoas podem pensar que ao possuírem o direito de uma marca aqui no Brasil, esse se estende para os outros países mundo a fora, mas na verdade não é bem assim. Por isso se você quer levar o seu produto para o exterior você precisa entender mais sobre o Protocolo de Madrid.

Vale lembrar que o registro de marca no exterior é uma proteção adicional para a sua empresa, já que ele garante o direito exclusivo de uso para além do território nacional.

O protocolo
O Protocolo de Madri é caracterizado por um tratado internacional para o registro de marcas, basicamente, para que você não precise sair registrando-a em todos os países para os quais você quer expandir.

Apesar deste ter sido assinado no ano de 1998, a adesão do Brasil só foi formalizada em 2019.

As principais vantagens que o protocolo apresenta, segundo o INPI, são:

- Simplificação burocrática;

- Redução de custos;

- Participação de 121 nações, entre estas estão o Estados Unidos, Alemanha, Reino Unido, Japão, Canadá, Itália e China.

Entretanto, se o registro de patentes for negado em vários países, o empresário terá que entrar com um recurso em cada país.

Registrando a marca em outros países
Nós sempre lembramos que é muito importante que a sua marca seja registrada aqui no Brasil conforme orientado pelo INPI.

Após realizar o seu pedido no Brasil, você poderá estender a sua solicitação para todos os países pertencentes ao tratado, mas cada país, individualmente, analisará o pedido e decidirá sobre o deferimento da marca.

Assim, as oposições de pedido devem ser tratadas diretamente com o responsável pelo país, então será necessário contratar um representante que possa ajudar-lhe

O prazo para realizar esse pedido é de até 18 meses.

Passo a Passo
A) cadastro: para começar o seu pedido de registro de marca no exterior é necessário realizar um cadastro de usuário no e-INPI e pagar a devida taxa;

B) protocolo de pedido: com a guia paga em mãos, é necessário acessar o sistema e-Marcas e protocolar o pedido (em inglês ou espanhol) de registro internacional da sua marca;

C) preenchimento do formulário MM2: preencha o formulário disponível no idioma escolhido, indicando em quais países você deseja registrar sua marca. É importante ficar atento na etapa de preenchimento e seleção dos países já que alguns deles podem exigir o envio de formulários e documentos complementares. Depois de preencher, basta enviar e salvar o número de protocolo que será gerado;

D) acompanhamento: após o envio você pode acompanhar o andamento do seu pedido na Revista de Propriedade Industrial ou mediante notificação enviada pela Secretaria Internacional da OMPI.

Além disso, pressupõe-se que se a empresa gostaria de sair do Brasil, essa também realizará transações internacionais, por isso, além do registro da sua marca, é importante estar atento e em dia com um planejamento financeiro, para que nenhum prazo seja perdido ou alguma ilegalidade cometida. Processos que podem alcançar a sua criação negativamente.

Serviço: A Capelatto

Márcia Araújo da silva

Diretora executiva

Contato: (41) 3051-5551

www.acapelattomarcas.com.br

Instagram: @acapelatto

Facebook: A Capelatto Marcas e Patentes

Linkedin: @acapelatto

comercial@acapelattomarcas.com.br

O que é um Inquérito Policial?

Entenda todos os quesitos de um inquérito a seguir

O Inquérito Policial se inicia a partir de uma notícia de um crime, que geralmente é o Boletim de Ocorrência e é tratado no Art. 5 do Código de Processo Penal, transcrevo porque acho importante o conhecimento do texto legal.

Segundo o Superior Tribunal de Justiça:

“O inquérito policial é procedimento administrativo de caráter inquisitório cuja finalidade é fornecer ao Ministério Público elementos de informação para a propositura de ação penal. Tais elementos, antes de tornarem-se prova apta a fundamentar eventual édito condenatório, devem submeter-se ao crivo do contraditório, sob estrito controle judicial. Assim, carece de fundamento razoável a arguição de suspeição da autoridade policial nos atos do inquérito” (RHC 105.078 –SC, 5.ª T., rel. Felix Fischer, j. 12.02.2019, v.u.)

Art. 5o Nos crimes de ação pública o inquérito policial será iniciado:

I - de ofício;

II - mediante requisição da autoridade judiciária ou do Ministério Público, ou a requerimento do ofendido ou de quem tiver qualidade para representá-lo.

1o O requerimento a que se refere o no II conterá sempre que possível:

a) a narração do fato, com todas as circunstâncias;

b) a individualização do indiciado ou seus sinais característicos e as razões de convicção ou de presunção de ser ele o autor da infração, ou os motivos de impossibilidade de o fazer;

c) a nomeação das testemunhas, com indicação de sua profissão e residência.

2o Do despacho que indeferir o requerimento de abertura de inquérito caberá recurso para o chefe de Polícia.

3o Qualquer pessoa do povo que tiver conhecimento da existência de infração penal em que caiba ação pública poderá, verbalmente ou por escrito, comunicá-la à autoridade policial, e esta, verificada a procedência das informações, mandará instaurar inquérito.

4o O inquérito, nos crimes em que a ação pública depender de representação, não poderá sem ela ser iniciado.

5o Nos crimes de ação privada, a autoridade policial somente poderá proceder a inquérito a requerimento de quem tenha qualidade para intentá-la.

"A lei é bem clara e determina as formas de abrir um inquérito bem como para quem se recorrer caso seja indeferido pela Autoridade Policial. Importante salientar que qualquer um do povo pode relatar um fato criminoso que tenha conhecimento para os crimes de ação penal pública que são a maioria, os crimes de ação penal privada, exemplificativamente, os crimes contra a honra, injúria, calúnia e difamação, o próprio ofendido que realiza a comunicação do crime" apresenta Marcelo Campelo, Advogado especialista em direito empresarial.

O prazo do Inquérito, que segundo o Art. 10 é de 10 dias para réu preso e 30 dias para réu solto.

Art. 10. O inquérito deverá terminar no prazo de 10 dias, se o indiciado tiver sido preso em flagrante, ou estiver preso preventivamente, contado o prazo, nesta hipótese, a partir do dia em que se executar a ordem de prisão, ou no prazo de 30 dias, quando estiver solto, mediante fiança ou sem ela.

1o A autoridade fará minucioso relatório do que tiver sido apurado e enviará autos ao juiz competente.

2o No relatório poderá a autoridade indicar testemunhas que não tiverem sido inquiridas, mencionando o lugar onde possam ser encontradas

3o Quando o fato for de difícil elucidação, e o indiciado estiver solto, a autoridade poderá requerer ao juiz a devolução dos autos, para ulteriores diligências, que serão realizadas no prazo marcado pelo juiz.

"Destaco que as provas orais realizadas pela Autoridade Policial serão repetidas perante o Judiciário sob o crivo do contraditório, melhor explicando, com a participação de todos os atores do processo, esse se chama o sistema acusatório. O Inquérito, sob o sistema inquisitório não se submete ao contraditório, pois o Delegado que determina quais provas deve realizar. Para exemplificar, uma testemunha de acusação, no inquérito é ouvida sem a presença do advogado do réu, enquanto que em juízo pode configurar uma nulidade a ausência do advogado" completa.

Para muitos advogados, o inquérito é um momento muito importante da defesa, no qual já se consegue inserir as teses defensivas. Por isso, recomenda-se que sob qualquer circunstância, o acompanhamento de um advogado em depoimentos é essencial.

Serviço: Dr. Marcelo Campelo