BAILARINA E FOTÓGRAFO CRIAM LIVRO INTERATIVO POR MEIO DE QR CODES

Coreo(codes): Movimentos Codificados em Espaços Singulares proporciona experiência audiovisual e revela espaços afetivos de cidades do interior do Paraná.

downloadAttachment&Message%5Buid%5D=249960&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253CPH0PR22MB3521EA3CBC919C1D38ADFEE1A18C9%2540PH0PR22MB3521.namprd22.prod.outlook.com%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3CPH0PR22MB3521EA3CBC919C1D38ADFEE1A18C9%40PH0PR22MB3521.namprd22.prod.outlook.com%3E-1.1.2
Foto: Tom Lisboa

Que local na sua cidade é o mais importante pra você? Foi com esta questão que a bailarina Patrícia Machado e o fotógrafo Tom Lisboa abordaram os moradores de Assis Chateaubriand, Lapa, Jacarezinho e Prudentópolis, no interior do Paraná. A ideia de conhecer estes locais por meio da perspectiva de seus habitantes era a proposta inicial do projeto Coreo(codes): Movimentos Codificados em Espaços Singulares cujo resultado foi materializado na forma de um livro.

Coreo(codes) é um livro sobre cidades e resgata a sensação de pertencimento ao local em que se habita por meio da subjetividade de quem ali mora. Essa história, no entanto, é contada de uma forma bem singular. Ela combina depoimentos, fotografias desses lugares e QR Codes que transferem o leitor para uma experiência dançada em cada um dos locais escolhidos.

O desejo de realizar este projeto nasceu em 2016, mas só se concretizou em 2021, em plena pandemia da Covid-19 e, por causa disso, algumas ações tiveram que ser adaptadas para o formato virtual. O primeiro uso foi para selecionar os participantes. A produção de Coreo(codes) fez circular nas redes sociais uma convocatória para os moradores destes locais participarem de um projeto de dança, mas que não era necessário nenhum tipo de experiência prévia. Já a plataforma zoom foi fundamental na realização das oficinas ministradas sob orientação da bailarina e coreógrafa Patrícia Machado. Foram cinco encontros com cada grupo das cidades selecionadas. Nesta etapa, os participantes eram incentivados a improvisarem movimentos e produzirem pequenas coreografias inspiradas em lugares com os quais eles tinham uma conexão afetiva. O encontro presencial só acontecia quando o grupo de uma cidade concluía suas criações coreográficas. Aí a equipe se deslocava até o município para Tom fotografar e filmar o que havia sido ensaiado nos lugares escolhidos pelos participantes. Foram mais de dois mil quilômetros percorridos pelas estradas do Paraná para realizar estes registros.

“Mesmo tendo realizado grande parte do projeto de forma virtual, criamos um vínculo afetivo com os moradores, era emocionante conhecê-los presencialmente no dia das filmagens. Partilhamos histórias íntimas ao longo do processo, relata Patrícia.

A bailarina e coreógrafa conta o quanto foi interessante discutir território, corpo, movimento e modos de pertencer e criar presença nos espaços justamente no período em que lidávamos com as restrições impostas pela pandemia. “Nesses últimos anos fomos sendo obrigados a voltar nosso olhar para os ambientes. A questão corpo-espaço mudou completamente. Ao longo do processo de criação os próprios participantes foram questionando o que entendiam como lugar e o que para eles fazia mais sentido, o que de fato tinha importância. Eles trouxeram para o trabalho lugares como a sala da casa, o colo da vó. A dança serviu como ritual para despedidas e reconhecimento dos espaços”, revela.

“Uma das belezas do projeto foi o modo como os participantes nos abriram suas vidas e mostraram, em seus corpos, um pouco de sua história e como se relacionam com o lugar onde vivem”, acrescenta Tom.

Enquanto Patrícia provocava as narrativas, Tom era o responsável por ilustrá-las. Coreo(codes) reúne 27 coreografias/performances que são acessadas por QR Codes, resultado do registro fotográfico de Tom Lisboa que foi transformado em stop motions. As animações foram compostas, cada uma, por cerca de 300 fotografias editadas e tratadas individualmente. “Utilizei como referência um stop motion que vi na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, Mantenha-me em Pé (Tiens-moi droite, 2012), da cineasta francesa Zoé Chantre. Era uma espécie de "filme rascunho", que era continuamente apagado e refeito. Achei poeticamente impactante porque a vida é uma obra que não se passa a limpo, está sempre em processo. Como eu nunca havia trabalhado com esta técnica, foi desafiador, mas sobretudo pelo volume de trabalho. Para cada coreografia com duração de um minuto eu precisava ter pelo menos 300 fotos que eram tratadas uma a uma”, conta o fotógrafo.

“Essa técnica escolhida pelo Tom nos ajudou a compreender a imagem do movimento como rastro do que deixamos de nós nos lugares, rastros silenciosos, mas repletos de vibração”, comenta Patrícia. Coreo(codes) se revela, para mim, como uma dança poética de coexistência no lugar que integra o visível e o invisível de habitar um tempo-espaço”, completa.

“A conexão criativa que se estabeleceu com a equipe e com cada um dos participantes foi muito gratificante, este projeto possibilitou que descobríssemos novas potencialidades em nós mesmos”, conclui Tom.

Para assistir as coreografias de Coreo(codes) é preciso apontar a câmera de um celular para o QR Code das páginas do livro. Os stop motions não têm som, mas incluem uma indicação de trilha sonora sugerida tanto por Patrícia, quanto por Tom e por quem realizou a performance.

Coreo(codes) está sendo comercializado via instagram do projeto: @coreocodes

Projeto realizado com o apoio da Copel, por meio do PROFICE (Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura), da Secretaria de Estado da Cultura – Governo do Estado do Paraná.

Sobre os criadores

Patrícia Machado é bailarina, coreógrafa, performer e artista docente. Tem formação em Dança pelo Institut del Teatre de Barcelona, Espanha, mestrado em Mediações Educacionais em Artes, pela UNESPAR e é doutoranda em Pedagogia das Artes Cênicas, na UDESC. Atuou na Leine and Roebana Dance Company – Amsterdam, It Danza Joven Compañia –Barcelona, CEDECE – Companhia de Dança Contemporânea – Lisboa e no Balé Teatro Guaíra, Curitiba. Interessada na causa do refúgio e migração, desde 2016 desenvolve trabalhos coreográficos e performativos com a temática. É idealizadora e colaboradora de diferentes projetos na transversalidade da arte e educação como o Criança que Dança Haiti, projeto que promove performances e atividade artísticas com jovens em situação de vulnerabilidade social em Porto Príncipe, no Haiti e o Visita Guiada. Cofundadora do Coletivo Nós em Traço, grupo de artistas interessadas em alternativas para arte e educação através do diálogo entre o corpo, movimento e traço.

Tom Lisboa tem Mestrado em Photography and Urban Cultures, pela Goldsmiths, University of London e Mestrado em Comunicação e Linguagens, pela Universidade Tuitui do Paraná. Atua como artista visual, professor de cinema e fotografia, curador independente e está radicado em Curitiba desde 1987. Em 2020, recebeu, do estado do Paraná, o Prêmio de Reconhecimento por Trajetória Cultural Aldir Blanc. Em 2018, foi agraciado pelo governo britânico com o prêmio Chevening Awards, um programa de bolsa de estudos internacional que permite que profissionais com qualidades de liderança de mais de 160 países e territórios realizem estudos de pós-graduação ou cursos em universidades no Reino Unido. Em 2012, recebeu o Prêmio FUNARTE Marc Ferrez de Fotografia e, em 2005, o Prêmio Porto Seguro de Fotografia, na categoria pesquisas contemporâneas, com a série polaroides (in)visíveis. Neste mesmo ano, foi ainda mapeado pelo Rumos Itaú Cultural. Foi um dos artistas convidados da Bienal de Cerveira(2013), em Portugal; Photovisa(2015), na Rússia e Encuentros Abiertos(2008), na Argentina. Participou ainda dos principais festivais de fotografia do país (Paraty em Foco, Fest POA, Foto Arte, Semana da Foto em Curitiba).

Ficha Técnica

Concepção e Criação: Patrícia Machado e Tom Lisboa

Direção de Movimento: Patrícia Machado

Fotografia e Stop Motion: Tom Lisboa

Montagem: Lívea Castro

Projeto Gráfico: Letícia Lampert

Revisão Português: Ana Guida

Revisão Inglês: Liane von Mühlen

Texto dos participantes e tradução para inglês: Tom Lisboa

Produção: Artéria Cultural

Assistente de Produção: Alessandra Lange

Publicação: Drops Cultural

Rede Social: Ana Paula Luz

Assessoria de Imprensa: Glaucia Domingos

Serviço:

Livro Coreo(Codes): Movimentos Codificados em Espaços Singulares

Contato/vendas: @coreocodes (instagram)

Produção

Alessandra Lange

alelange@yahoo.com

Grande Queima de Inverno no Palladium Curitiba tem descontos de até 70%

Lojistas de diferentes segmentos participam da ação que será realizada entre os dias 21 e 24 de julho e coloca na vitrine centenas de itens em promoção

Para aquecer as vendas durante a estação mais fria do ano, lojistas do Palladium Curitiba, shopping que conta com o maior mix de operações no Paraná, se preparam para ‘queimar’ seu estoque entre os dias 21 e 24 de julho, quando acontece a tradicional ‘Grande Queima de Inverno’, promovida pelo empreendimento. O destaque dos quatro dias de liquidação fica por conta das inúmeras ofertas concedidas em centenas de produtos que chegam a ter descontos de até 70% da etiqueta original.

E são itens de todos os segmentos. Participam da ação lojas de eletroeletrônicos, vestuário feminino, masculino e infantil, eletrodomésticos, decoração, acessórios, brinquedos, beleza e calçados.

Diferente das liquidações que ocorrem ao longo do ano, a Grande Queima de Inverno do Palladium tem como foco justamente comercializar produtos que eventualmente não foram vendidos em promoções e liquidações realizadas pelas lojas de forma pontual. Nesta queima, a ideia é juntar o maior número de operações em torno da campanha, convidando o consumidor a escolher produtos os quais poderão renovar seu guarda-roupa ou mesmo a comprar aquele item que estava precisando a preços vantajosos.

“O Palladium realiza duas grandes queimas ao longo do ano. A de inverno é sempre muito aguardada pelos consumidores, devido aos expressivos descontos aliados a variedade disponível, mesmo se tratando de produtos que eventualmente sobraram de coleções anteriores. Conseguimos esta variedade porque contamos com o maior mix de lojas na região de Curitiba e a adesão da maior parte dos lojistas”, diz a gerente de marketing do Palladium Curitiba, Cida Oliveira.

O objetivo da ação é movimentar o fluxo do mall nesta época do ano ao lado de outras ações que ocorrem em paralelo como Férias de Inverno, que neste ano traz com exclusividade a ‘Fazenda Encantada’, um evento infantil educativo que conta com muitas brincadeiras e aprendizado para os pequenos e para toda a família. “A Queima é uma ação já tradicional no Palladium e movimenta as vendas já no começo do segundo semestre. Nossos estudos mostram que os consumidores estão atentos a promoções que ofertam descontos significativos e, com essa liquidação, atendemos a diferentes anseios dos clientes que frequentam o Palladium”, destaca a gerente de Marketing.

Serviço:

Grande Queima de Inverno – Shopping Palladium Curitiba

21 a 24 de Julho

Descontos de até 70% em centenas de itens de diferentes segmentos

Chico Buarque começa os ensaios da nova turnê

Esta semana Chico Buarque e seus músicos começaram os primeiros ensaios para a turnê ‘Que tal um samba?’ que vai circular o Brasil em setembro com estreia nacional, em João Pessoa (PB), no dia 06. Em Curitiba – terceira cidade a receber o espetáculo -, estão confirmadas três apresentações no Guairão nos dias 23 e 24, sexta e sábado, às 21 horas; e no domingo, dia 25, às 19 horas. Os ingressos podem ser adquiridos pelo site do Disk Ingressos (www.diskingressos.com.br) ou de forma presencial no quiosque do Disk Ingressos no Shopping Ventura – Setor Azul (antigo shopping Total) e/ou no quiosque do Disk Ingressos na recepção do Hotel Mabu.
O show terá Mônica Salmaso como convidada especial, em alguns números solo e duetos com Chico Buarque. A cantora irá participar dos ensaios mais adiante, também no Rio de Janeiro. A nova turnê passará por 11 cidades e percorrerá o Brasil até abril de 2023, com patrocínio da Icatu.
Serão sete semanas de ensaios e, por enquanto, o repertório ainda não foi revelado. A princípio, só terá o novo samba – que dá nome a turnê - como música inédita. A banda será formada pelos músicos que acompanham Chico há alguns anos. O maestro Luiz Cláudio Ramos (Violão, Guitarra, direção musical e arranjos), João Rebouças (Piano), Jorge Helder (Baixo acústico e elétrico), Jurim Moreira (Bateria), Chico Batera (Percussão), Bia Paes Leme (Teclados e vocais) e Marcelo Bernardes (Sopros). A equipe de criação do show traz ainda Daniela Thomas no cenário, Maneco Quinderé na iluminação, Cao Albuquerque nos figurinos.

Serviço:
‘Que tal um samba?’ – Show com Chico Buarque. Convidada: Mônica Salmaso. Sexta-feira, dia 23/09, e sábado, dia 24;09, e domingo dia 25/09, às 19 horas, no Teatro Guaíra - Grande Auditório (Praça Santos Andrade s/n). Classificação indicativa: livre
Preços:
Plateia - R$ 310,00 (meia) / R$ 620,00 (inteira)
1º balcão - R$260,00 (meia) / R$ 520,00 (inteira)
2º balcão - R$ 210,00 (meia) / R$ 420,00 (inteira)

Compras pelo site do Disk Ingressos (www.diskingressos.com.br) ou de forma presencial no quiosque do Disk Ingressos no Shopping Ventura – Setor Azul (antigo shopping Total) e/ou no quiosque do Disk Ingressos na recepção do Hotel Mabu.
Na bilheteria do Guairão serão disponibilizados ingressos somente no dia do show das 10h até às 21h30.

30% de desconto em todos os setores do Teatro sobre o preço de inteira e não cumulativo com outras promoções ou descontos beneficiados por lei para Clube DISK INGRESSOS na compra de até dois ingressos válidos somente para o titular do cartão.

FORMAS DE PAGAMENTO: Dinheiro, cartões de crédito (em até 3 parcelas com acréscimo), cartões de débito e Pix. Não serão aceitos cheques.

MEIA-ENTRADA:
Idosos
Professores
Estudantes
Doador de sangue
Portador de câncer
Pessoas com deficiência (PNE)
Jovens de 15 a 29 anos comprovadamente carentes

Passeio de balão no Parque Vila Velha tem valor promocional para quem doar agasalhos nesse final de semana

Parque estará aberto todos os dias até o final de julho para receber os visitantes e conta com promoções que unem solidariedade à diversão

O mês de julho é ansiosamente esperado pela maioria das pessoas. Uma valiosa pausa proporcionada pelas férias escolares, ele traz consigo o descanso e o fôlego necessários para enfrentar a segunda metade do ano.

E nada melhor do que recarregar as baterias em meio à natureza. O Parque Vila Velha oferece diversas opções para que os visitantes possam se divertir em meio às belezas naturais, além de se aventurar em atividades radicais e aproveitar o que ainda resta das férias de julho.

“Resolvemos oferecer diversas campanhas para que o visitante possa vir ao Parque e passar um dia tranquilo e repleto de atividades com toda a família, aproveitando a nossa estrutura em sua totalidade. As opções são muitas, desde as mais simples, como as caminhadas em meio a natureza, até as mais radicais, como o arvorismo e a tirolesa”, destaca o Gestor do Parque Vila Velha, Leandro Ribas.

Voo da solidariedade

A atração mais aclamada do Parque, o voo de balão estacionário, que encanta a todos com seu visual maravilhoso dos Arenitos e dos Campos Gerais, também estará disponível*, nos dias 23 e 24 de julho, e com preço promocional de R$ 30,00 por pessoa, para quem doar uma peça de agasalho para a Campanha Onde há calor, há mais vida!

“Nosso intuito é arrecadar uma grande quantidade de peças de roupas, porque o inverno ainda não acabou e existem diversas pessoas que necessitam de ajuda. Essa foi a forma que encontramos de unir diversão e solidariedade”, diz o Gestor.

Pacote de novidades

Para que o visitante tenha motivos de sobra para visitar um dos mais belos cartões postais do Paraná, o Parque Vila Velha oferece diversas campanhas para que os frequentadores, além de conferirem os atrativos do Parque, possam exercitar também a solidariedade.

“Estamos com a Campanha do Agasalho, portanto, quem vier ao Parque e doar uma peça de roupa até o dia 31 de julho, ganha um desconto de 10% na compra de um ingresso.

Também firmamos uma parceria com o Instituto Pegaí Leitura Grátis, que também dá 10% de desconto para quem doar um livro em bom estado até o fim do mês”, conta Ribas.

Além disso, para celebrar o Dia do Amigo, comemorado no dia 20 de julho, comprando um combo aventura (arvorismo e tirolesa), o visitante ganha outro para aproveitar um dia incrível em meio a natureza com sua família e amigos.

Completando o pacote de novidades, o aniversariante do dia não paga a entrada. Vale destacar que durante o mês de julho, o Parque abre todos os dias, das 9 às 17 horas.

E, para o dia 30 de julho está programada mais uma Caminhada Noturna, sucesso absoluto entre os visitantes que buscam uma experiência marcante.

Aventuras para todos os gostos

Além dos atrativos naturais, como os Arenitos, Furnas e Lagoa Dourada, opções de aventura estão à disposição dos visitantes, como por exemplo a Tirolesa mais linda do Brasil na Furna dos Lambaris, o Arvorismo em um incrível bosque de Araucárias, o Cicloturismo contemplativo de belas paisagens e o voo em Balão Estacionário.

Dentre as opções gastronômicas, o Parque conta com restaurante e armazém no Centro de Visitantes com vários pratos típicos paranaenses, um container para lanches em Furnas e um café na Lagoa Dourada (aberto somente nos finais de semana e feriados). Energia para antes, durante e depois dos passeios pelo Parque.

*A operação com o voo de balão estacionário depende de condições climáticas favoráveis.

Sobre o Parque Vila Velha

Localizado a uma hora de Curitiba, o Parque Estadual de Vila Velha é o primeiro parque estadual criado no Paraná, em 1953, e atualmente é uma concessão do Governo do Estado do Paraná, por meio do Instituto Água e Terra, à Soul Vila Velha, uma empresa da Soul Parques.

As bilheterias funcionam somente até as 15 horas. O parque indica, a chegada ainda pela manhã, para que o visitantes possam conhecer os três atrativos naturais – Arenitos, Furnas e Lagoa Dourada – se deliciar com as diversas opções gastronômicas e ainda aproveitar as atrações de aventura – Cicloturismo, Arvorismo, Tirolesa e Balonismo.

Mais informações podem ser obtidas no site www.parquevilavelha.com.br ou nas redes através do @parquevilavelha

Zé da Guiomar: o samba de Minas que conquistou o Brasil

Registro audiovisual com 14 canções que representam 20 anos de carreira estará disponível nos aplicativos de música e no YouTube a partir da próxima sexta-feira (22).

Duas décadas de amor ao samba. A trajetória do grupo mineiro Zé da Guiomar está sendo celebrada em grande estilo com o lançamento do "áudio-visuálbum" Zé da Guiomar – 20 anos que reúne uma seleção afetiva de 14 sambas que já tinham sido gravados nos quatro discos da carreira do grupo e que será disponibilizado na próxima sexta-feira (22), nos aplicativos de música e no YouTube. O repertório elegante e de bom gosto traz, além de composições autorais e de novos talentos do “quintal de casa”, releituras de sambistas consagrados como Paulinho da Viola, Eduardo Gudin, Riachão, Batatinha, Wilson das Neves entre outros.
O grupo – que antes da pandemia já contabilizava mais de um milhão de pessoas que assistiram seus shows em diversas cidades do país e até no exterior - é formado por Márcio Souza (vocal e violão), Valdênio Martinho (cavaquinho), Marcos Flávio (trombone), Gustavo Monteiro (7 cordas), Totove Ladeira (percussão), Alexandre Batista (percussão) e Rodrigo Martins (percussão). E o Zé não toca?
Na verdade, a origem do nome do grupo surgiu a partir de uma figura folclórica da aprazível cidade de Conceição de Mato Dentro (MG): o Zé da Guiomar: líder de congado, um sujeito boa praça e com vários casos engraçados, que sem querer batizou o grupo. Os músicos que ainda tinham uma banda sem nome, viram em Zé da Guiomar não só uma bela sonoridade, mas, essencialmente, a representatividade da cultura brasileira, e fizeram uma homenagem a todos os “Zés”, de tantas “Guiomar” (que podem ser mães ou esposas), espalhados principalmente pelo interior do país.
Nesses 20 anos de estrada, o grupo Zé da Guiomar lançou quatro discos, com um repertório marcante. Para o registro audiovisual comemorativo, os integrantes escolheram 14 músicas, divididas em três sambas de cada álbum lançado, exceto para o segundo trabalho – mais autoral – que foram escolhidas cinco faixas. Não foi uma escolha fácil, mas prevaleceu o critério da memória afetiva.
O primeiro disco – com o nome do grupo – foi lançado em 2004 com releituras de sambas. Deste álbum estão as composições “Ainda Mais” (Paulinho da Viola/Eduardo Gudin), “É Preciso Perdoar” (Alcivando Luz/ Carlos Coqueijo) e “Na Cadência do Samba” (Luiz Bandeira).
Quatro anos depois eles gravaram o CD O Samba Tá – basicamente com músicas autorais. Deste disco foram selecionados quatro sambas do grupo: “Dizendo Adeus” (Valdênio Martinho), “Faltou Você” (Valdênio Martinho/ Fernando Tolomelli), “Solidão” (Valdênio Martinho/ Márcio Souza) e “Cinzas” (Valdênio Martinho). E, ainda, “Nega de Obaluauê”, samba-rock do compositor Wando que ganhou um arranjo caprichado.
Respeitando a cronologia bissexta, em 2012, o Zé da Guiomar lançou o disco Samba Feiticeiro com repertório de sambas produzidos na Bahia. Deste trabalho foram selecionadas as faixas “Direito de Sambar” (Batatinha), “Retrato da Bahia” (Riachão) e “Moça Morena Maria” (Edil Pacheco/Wilson das Neves).
Finalmente, em 2017, veio o disco Carta na Manga, quarto álbum do grupo que trouxe no repertório compositores mineiros e sambas autorais. Deste CD, além da faixa-título “Carta na Manga” (Sérgio Astchim), também entraram as músicas “Desamor” (Pirulito da Vila) e “Juro que não” (Valdênio Martinho/Chico Amaral);
O "áudio-visuálbum" Zé da Guiomar – 20 anos trouxe importantes instrumentistas da cena mineira para participar da gravação como convidados especiais. Estão lá o acordeonista Celio Balona, 83 anos, que já havia participado no primeiro e segundo álbum do grupo - que tem o artista como referência e ressalta o bom gosto e a lucidez no repertório que ele desenvolveu ao longo de sua carreira. O cantor, ator e compositor Maurício Tizumba – um ativista do congado que desenvolve uma obra muito ligada às questões da cultura negra, participa no vocal de “Retrato da Bahia”. E o guitarrista e arranjador Juarez Moreira, que imprime sua personalidade jazzística na música “É preciso perdoar”. Fecham o time de participações especiais do Chico Amaral (saxofone) – conhecido como compositor e parceiro de Samuel Rosa -, o baixista Ezequiel Lima e o baterista Ramon Braga.
Em 20 anos de estrada o Zé da Guiomar se transformou em um dos grupos mais bem-sucedidos de Minas Gerais. A fórmula: um instrumental eficiente, arranjos criativos e um repertório cuidadosamente escolhido, que mescla temas próprios e clássicos de várias épocas e tendências. O grupo é um dos principais responsáveis pelo fortalecimento e renovação do samba na capital mineira.
A ideia inicial era gravar este trabalho ao vivo com público, celebrando a data, porém o longo período pandêmico obrigou o grupo a alterar drasticamente os planos. O álbum foi realizado por meio de Campanha de financiamento coletivo e as gravações foram em estúdio, porém com os músicos tocando juntos, ao vivo, o que tornou a sonoridade mais orgânica e realista. O resultado poderá ser conferido em breve nos aplicativos de música e no YouTube. Mas a festa continua. Depois do lançamento, a intenção é rodar o Brasil em turnê comemorativa e a festa começa no dia 13 de agosto, onde tudo começou, em Belo Horizonte, no Catavento Cultural.

FAIXAS (*os arquivos abaixo podem ser visualizados mas somente serão disponibilizados para o público na sexta-feira)

ÁLBUM "Zé da Guiomar – 20 anos"

01 - Ainda Mais (Paulinho da Viola / Eduardo Gudim) - https://youtu.be/xKlv7NHNR-M

02 - Dizendo Adeus (Valdênio Martinho) - https://youtu.be/0GkalWY1xBQ

03 -Direito de sambar (Batatinha) - https://youtu.be/BDYKuUypG1g

04 -Carta na Manga (Sérgio Astchim) https://youtu.be/h-toSqsrhaY

05 - Retrato da Bahia (Riachão) - https://youtu.be/gWXWaE48JPU

06 -Desamor (Pirulito da Vila) - https://youtu.be/rzYGsUmo11U

07 - É preciso perdoar (Alcivando Luz e Carlos Coqueijo) - https://youtu.be/hgAzO2738sI

08- Juro que não (Valdênio Martinho e Chico Amaral) - https://youtu.be/-Of2aLHSF2w

09 -Moça Morena Maria (Wilson das Neves e Edil Pacheco) - https://youtu.be/TntFCxKFFYc

10 - Faltou Você (Valdênio Martinho e Fernando Tolomelli) - https://youtu.be/f_4ABQmx4c0

11 - Solidão (Valdênio Martinho e Marcio Souza) - https://youtu.be/2BNhKh9B42A

12 - Nega de Obaluaê (Wando) - https://youtu.be/V0f97YK7pVw

13 - Cinzas (Valdênio Matinho) - https://youtu.be/oMFwtga3hrM

14 - Na cadência do Samba (Luis Bandeira) - https://youtu.be/6u3cX53SpqA

FICHA TÉCNICA
ÁLBUM Zé da Guiomar – 20 anos
Márcio Souza: Voz e violão
Valdênio Martinho: Cavaquinho
Marcos Flávio: Trombone
Totove Ladeira: Surdo e percussão
Alexandre Batista: Percussão
Rodrigo Martins: Percussão
Gustavo Monteiro: Violão 7 cordas
Convidado especial:
Chico Amaral: Saxofones
Participações especiais:
Célio Balona (Acordeom)
Juarez Moreira (Guitarra)
Mauricio Tizumba (voz)
Ramon Braga (bateria)
Ezequiel Lima (baixo)
Produção Musical: Zé da Guiomar
Gravação, Mixagem e Masterização: Fabricio Galvani (Estúdio Galvani)
Direção de Vídeo e Produção Audiovisual: Luis Evo (Primata Filmes)
Projeto Gráfico: Coletivo É
Assessoria de Comunicação: RB Escritório de Comunicação
Assessoria de Marketing Digital: Geração Y

Cruzília dá show no Minas Láctea 2022

Cruzília dá show no Minas Láctea 2022
Marca coleciona prêmios e reforça o posicionamento como a queijaria brasileira mais premiada no país e no mundo

A Cruzília – marca que integra a UltraCheese, plataforma especialista na produção de queijos – conquistou quatro prêmios no Minas Láctea 2022, realizado nesta semana em Juiz de Fora (MG).

O 1° lugar na categoria Queijo Provolone (pela excelência de suas características ligeiramente picantes e defumado, com textura firme, massa amarela e filada), o 3° lugar na categoria Gouda (já premiado por 8 vezes no Concurso Nacional de Produtos Lácteos do ILCT/EPAMIG, em Minas Gerais) e o 3° lugar na categoria Gorgonzola (o produto já foi eleito um dos melhores 5 gorgonzolas do mundo em 2020, no Wisconsin Cheese Awards/EUA).

Ainda, recebeu o 3° lugar na categoria Produto Inovador, com o queijo Barão de Minas, criação inédita e exclusiva da marca, que é reconhecida mundialmente pela inovação em queijos com produtos como Santo Casamenteiro, Azul de Minas, A Lenda, Manto da Serra e Serra da Mantiqueira. O Queijo Barão de Minas é uma mistura inusitada da cremosidade do queijo Azul com notas intensas e fundo achocolatado do café. O produto homenageia o “casamento” mais famoso do Brasil: o café com leite, que simboliza a união histórica dos estados de São Paulo e Minas Gerais.

“A Cruzília segue colecionando premiações nos principais concursos nacionais e mundiais, destacando a qualidade e a excelência de nossa produção e reforçando nosso posicionamento como a queijaria brasileira mais premiada no mundo”, comemora Edson Martins, COO da UltraCheese.

“Prêmios como esse vem para reforçar a qualidade técnica da Cruzília, detentora de um processo extremamente manual, que faz com que cada queijo seja único. Inovar está no nosso DNA, é nosso compromisso de entregar ao consumidor novas experiências”, complementa Juliana Jensen, Coordenadora de P&D da UltraCheese.

O Minas Láctea englobou cinco grandes eventos do setor laticinista na América Latina: o 35° Congresso Nacional de Laticínios, a 46ª Expomaq, a 46ª Expolac, o 45° Concurso Nacional de Produtos Lácteos (onde os produtos Cruzília foram agraciados) e a 41ª Semana do Laticinista.

Organizado pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, o evento é referência em difusão de tecnologias para leite e derivados, bem como na apresentação de novos produtos, equipamentos e maquinários.

Sobre a UltraCheese – A UltraCheese foi criada a partir do sonho de ser a melhor e mais completa queijaria do país. A marca integra o fundo de investimentos independente Aqua Capital, que tem como objetivo a expansão de empresas de médio porte dentro da cadeia de valor do agronegócio no Brasil e na América do Sul. No portfólio, constam queijos, manteigas e cremes para o dia a dia, queijos únicos e exclusivos para momentos especiais, além de uma linha de derivados premium de leite de búfala. O amor pelo leite e a preservação da verdadeira arte de fazer queijos é o que uniu a Cruzília, Lac Lélo, Búfalo Dourado e Itacolomy neste grande projeto.

Sesc PR prepara semana dedicada à literatura em 26 cidades

Sesc PR

De volta ao formato presencial, 26 cidades paranaenses recebem a 41ª edição da Semana Literária Sesc PR e Feira do Livro

O maior e mais tradicional evento literário do Paraná, a 41ª Semana Literária Sesc PR e 20ª Feira do Livro, retoma em 2022 a programação em formato presencial e, de maneira simultânea, de 12 a 17 de setembro, celebra a literatura em 26 cidades paranaenses.

Para debater sobre o tema “Territórios Imaginários: vozes em trânsito”, o Sesc PR convidou inúmeros autores, escritores, jornalistas, pensadores, artistas e professores para participarem de debates, mesas-redondas, exposições, lançamentos de livros, palestras, sessão de autógrafos, oficinas e apresentações artísticas.

De acordo com os organizadores do evento, o tema central será desdobrado em cinco eixos de discussão: as fronteiras da linguagem; histórias em trânsito; (des)dizeres do corpo; diálogos entre memórias e rio-terra: a terceira margem. Nesta edição a Semana Literária se propõe a ser um espaço de reflexão, leituras e discussões sobre os espaços que habitamos, territórios geográficos e simbólicos, imigração e fronteiras, trânsitos, pertencimento e ancestralidade.

Parceria

Em Curitiba o evento ocorre na Praça Santos Andrade e na Unidade Sesc Paço da Liberdade e é promovido em parceria com a Universidade Federal do Paraná e Editora UFPR, que neste ano celebra a vigésima edição da feira. A Semana Literária também conta com o apoio da Fundação Cultural de Curitiba e da Academia Paranaense de Letras.

Além de Curitiba, a Semana Literária e Feira do Livro será realizada em Apucarana, Bela Vista do Paraíso, Campo Mourão, Cascavel, Cornélio Procópio, Foz do Iguaçu, Francisco Beltrão, Guarapuava, Ivaiporã, Jacarezinho, Londrina, Marechal Cândido Rondon, Maringá, Matinhos, Medianeira, Nova Londrina, Paranaguá, Paranavaí, Pato Branco, Ponta Grossa, Rio Negro, São José dos Pinhais, Toledo, Umuarama e União da Vitória.

Livrarias e editoras

Por meio de editais, o Sesc Paraná selecionou livrarias e distribuidoras de livros que comercializarão livros com descontos de no mínimo 20% sobre o valor de capa. Com isso, o Sesc contribui com o mercado livreiro, com a formação de leitores, com a popularização do livro e com a divulgação da produção literária.

Lançamentos

Pelo sétimo ano consecutivo, o Sesc PR lança durante a Semana Literária a Coletânea de Contos Infantis, com 10 trabalhos de escritores paranaenses selecionados via edital. Para o diretor regional do Sesc PR, Emerson Sextos, este material é resultado do compromisso que o Sesc Paraná tem com a produção literária estadual, com a ampliação do imaginário infantil, com o desenvolvimento da leitura desde a tenra infância, com o despertar da criatividade e com o conhecimento. “Dez autores aceitaram o desafio de alargarem o olhar para os mais diversos elementos que formam a cultura do nosso estado e produzirem contos voltados ao público infantil. Pela literatura, o Sesc Paraná convida o leitor a conhecer e viajar pelo nosso estado, ampliar o conhecimento sobre sua paisagem, seu povo, cidades, costumes, tradições, e a perceber que o Paraná, nossa cultura e identidade vão muito além do pinhão, da erva-mate e da gralha azul. Somos multiculturais”, salienta Sextos.

Em breve, programação completa em www.sescpr.com.br/semanaliteraria.

Flávio Venturini, Sá & Guarabyra e 14 Bis nesta sexta no Teatro Guaíra, em Curitiba

O show "Encontro Marcado" reúne grandes amigos, carreiras de sucesso e um repertório inesquecível que vem embalando gerações. Os ingressos podem ser adquiridos pelo Disk Ingressos.

Curitiba recebe nesta sexta-feira (22), o show histórico o “Encontro Marcado” com os sete amigos Flávio Venturini, Sá & Guarabyra e 14 Bis, no palco do Teatro Guaíra, às 21h, para apresentar um repertório inesquecível para comemorar as quatro décadas de suas carreiras. O projeto será repleto de grandes sucessos que embalaram muitas gerações, costurando a trajetória desses grandes talentos que fazem parte da história da música brasileira. O evento conta com a produção local da Orth Produções e os ingressos estão sendo vendidos pelo Disk Ingressos.

No repertório, os artistas juntos vão acompanhar todos os seus clássicos como Nascente, Me Faça um Favor, Planeta Sonho, Mestre Jonas, Céu de Santo Amaro, Noites com Sol, Linda Juventude, Dona, Primeira Canção da Estrada, O Pó da Estrada, Criaturas da Noite, Caçador de Mim, Espanhola, Sobradinho, Todo Azul do Mar, Nave de Prata e Canção da América - única música do repertório que não é autoral, mas representa bem o momento entre amigos.

“Imagina você ter amigos há mais de 40 anos e, depois de tanto tempo, ter a oportunidade de se reunir para tocar e viajar. É isso que está acontecendo agora!”, comemora Luis Carlos Sá, que junto com o diretor da Nó de Rosa Gegê Lara, conduziu a concretização desse antigo sonho. “A ideia é irresistível porque, além de músicos competentes, são também responsáveis por um repertório que acompanha gerações”, explica Gegê.

Unindo forças com a Cadoro Eventos, comandada por Carlos Alberto Xaulim, o show foi testado anteriormente em Belo Horizonte, para privilégio do público mineiro. “A resposta foi extremamente positiva. Quem não conhece Dona; Espanhola; Caçador de Mim; Criaturas da Noite e Sobradinho? Um show com 100 porcento de hits no repertório só poderia ser sucesso”, explica Xaulim. Agora o Brasil inteiro terá a oportunidade de ouvir e cantar junto com os ídolos reunidos as 28 canções clássicas que tocam mentes e corações.

Encontro Marcado

Há quem acredite que esse encontro já estava marcado há muitos anos, no início da década de 70, quando a nova dupla Sá &Guarabyra convidou o jovem Flávio Venturini para participar da gravação do primeiro disco lançado desde a saída do parceiro Zé Rodrix. “Nunca” promoveu o encontro de Flávio com O Terço, que se tornaria o embrião do 14 Bis com a formalização da parceria entre Flávio e Vermelho, em composições como Espaço Branco, gravada pelo O Terço para um festival de música.

“Quando eu estava começando a tocar fui para São Paulo ver meu irmão Flávio que já estava com o Sá e Guarabyra. Sá queria que eu fosse o guitarrista da banda, mas não me deixaram porque eu era muito novo, só tinha 14 anos. Só fiquei sabendo disso muitos anos depois!”, diverte-se Cláudio Venturini, ao perceber que Sá e Guarabyra foram, de fato, um elo de ligação entre os músicos que hoje fazem parte desse grande projeto de reencontro.

Repertório

O repertório é um clássico, mas também traz grandes novidades. Espanhola, composição de Flávio Venturini e Guarabyra, nunca foi executada ou gravada pelos dois juntos. “Essa música é emblemática na minha carreira, uma das mais antigas. Quando fundamos o 14 Bis ela fazia parte da fita demo que entregamos na EMI/Odeon. Foi imediatamente aceita pela gravadora, que contratou o grupo”, conta Flávio. “Espanhola foi a primeira música que fiz para o Flávio. Ele tinha acabado de se mudar para São Paulo quando me mostrou a composição. Escrevi a música de uma só vez, sem voltar uma palavra. Estava pensando nessa menina. A espanhola da música é real”, relembra Guarabyra.

O mesmo acontece com Caçador de Mim, composição de Sá e Sérgio Magrão, que também nunca foi gravada pelos autores juntos, ouCriaturas da Noite, de Sá e Flávio Venturini, e que só tem uma gravação feita pelo O Terço. Sobradinho, reconhecida pelo seu regionalismo ganha uma pegada mais rock com a base do 14 Bis. São propostas inteiramente novas para canções eternas no imaginário dos amantes da música brasileira.

Serviço:

Flávio Venturini, Sá & Guarabyra e 14 Bis apresentam em Curitiba o show “Encontro Marcado”

Data: 22 de julho de 2022 – Sexta-feira
Horário: Abertura do teatro: 20h / Previsão de início: 21h.

Local: Teatro Guaíra. (R. Amintas de Barros, S/N - Centro, Curitiba - PR).
Classificação etária: Livre.

Ingressos: A partir de R$ 95,00 meia-entrada no 1º Balcão / Azul + taxa administrativa. **Desconto de 40% para assinantes do Clube Gazeta e para os beneficiários do Clube Disk Ingressos.

** A meia-entrada é válida para Doadores de Sangue devidamente comprovados, Estudantes devidamente comprovados, Idosos conforme Lei, PNE, Portador de Câncer e Professor.

** IMPORTANTE: Serão exigidos os documentos e comprovantes que constam nas respectivas leis.

** OS DESCONTOS NÃO SÃO CUMULATIVOS.

Pontos de venda: Disk Ingressos (Call Center 41 3315-0808). Site do Disk Ingressos:

https://www.diskingressos.com.br/evento/3340/22-07-2022/pr/curitiba/encontro-marcado-de-flavio-venturini-sa-guarabyra-14-bis

INFORMAÇÕES: 41 3315-0808 ou diskingressos.com.br