Especialista alerta sobre golpe no whatsapp e dá dicas de como recuperar sua conta hackeada

Especialista alerta sobre golpe no whatsapp e dá dicas de como recuperar sua conta hackeada

Um golpe através do WhatsApp está fazendo vítimas por todo o Brasil. Os criminosos usam os dados presentes em anúncios online para clonar o WhatsApp de usuários e com isso tentar pedir dinheiro para familiares e amigos da vítima, se fazendo passar pela pessoa.

A agência especializada em mídias sociais MF Press Global foi uma das primeiras a notificar sobre o golpe quando um de seus clientes foi vítima do golpe e teve seu WhatsApp clonado. Com isso, Fabiano de Abreu, CEO da MF Press Global, recebeu uma mensagem do criminoso se fazendo passar pelo seu cliente, pedindo a transferência de R$ 1790,00: “O golpe, ao meu ver, é muito similar aos sistemas similares ao Ardamax. O hacker chama as pessoas que parecem ser amigos, conhecidos ou familiares mais próximos e se passa pela pessoa para pedir dinheiro usando uma escrita correta e poucas palavras, que sejam neutras o suficiente para não levantar suspeitas”. Também vítima do golpe, o famoso nutricionista Leone Gonçalves que tem muitos clientes em todo Brasil, caiu no golpe, foi hackeado e teve diversos clientes que teve que ser avisado pelo profissional para que não caísse no golpe. “Logo que me avisaram do golpe, tratei de fazer o procedimento de denúncia e recuperação e simultaneamente.” disse o nutricionista.

Como funciona o golpe

Os criminosos usam informações encontradas em plataformas como o OLX e o Mercado Livre, podendo ser outro, que em geral pedem um número de telefone para cadastro dos interessados nos produtos anunciados, e assim os criminosos pegam o número de telefone e mandam mensagens à vítima, dizendo que é preciso enviar um código de confirmação que chegará via SMS para terminar o cadastro.

Contudo, esse código é, na verdade, o autenticador de duas etapas do WhatsApp da vítima, que é a última peça necessária para o golpista clonar a conta. Assim que a clonagem acontece, a vítima perde acesso ao aplicativo, que passa a ser controlado pelo criminoso, que entra em contato com amigos e familiares da vítima para pedir dinheiro.

Como o processo acontece de forma muito rápida, antes mesmo que usuários desatentos acabam acreditando na história.

Como evitar cair neste novo golpe

Fabiano de Abreu diz que é importante perceber que algo não condiz com o discurso regular daquela pessoa e avisar ao real dono da conta: "Eu sugiro que a pessoa ligue para o remetente da mensagem confirmando se é ele mesmo ou até mesmo para alertá-lo ou envie mensagens nas outras redes sociais para confirmar que é ele mesmo”.

Além disso, o especialista também revela que todos os dias chegam relatos de pessoas que já sofreram com esse tipo de tentativa de invasão. Para se proteger do golpe é necessário ter a verificação em duas etapas do WhatsApp ativada e ficar atento ao receber e-mails de serviços que deixam dados de contato expostos publicamente.

Como recuperar seu WhatsApp hackeado?

Abra o WhatsApp no seu celular, clique no ícone de menu, em forma de três pontos verticais, selecione WhatsApp Web, toque no botão Sair de todas as sessões, confirme clicando em Sair.

Caso remover o WhatsApp Web não tenha funcionado, será necessário pedir a desativação de sua conta.

Abra seu aplicativo de email e envie uma mensagem para o endereço support@whatsapp.com e copie e cole esse texto no corpo do email: “Lost/Stolen: Please deactivate my account”. Lembre-se de colocar seu número de celular — com código de país e DDD — para que identifiquem qual conta devem desativar.

Após fazer a desativação, você terá 30 dias para reativar sua conta caso tenha encontrado um meio de recuperá-la. Depois desse período, todos os dados da sua conta serão apagados.

Depois destes procedimentos, restaure seu celular com os padrões de fábrica para eliminar qualquer coisa que seja suspeita e esteja no seu celular.

Maturidade é a força da G2 Cia de Dança

Companhia formada por ex-integrantes do Balé Teatro Guaíra com artistas entre 53 e 65 anos comemora duas décadas com temporada no Guairinha

É comum escutar que a profissão de atleta e bailarino tem vida curta. A culpada? A idade. A G2 Cia de Dança vai na contramão dessa ideia. O grupo é composto por ex-integrantes do Balé Teatro Guaíra que não se conformaram com o argumento de que a faixa etária decide a carreira de um artista da dança. Ao contrário, eles usam a maturidade de seus componentes para desenvolverem um trabalho autoral de qualidade artística e técnica. O resultado dessa resiliência? Somaram-se à carreira deles mais 20 anos, que serão comemorados entre os dias 10 e 15 de dezembro, no Guairinha.

Foi em 1999 que um grupo de bailarinos decidiu ir além. Já tinham conhecimento de uma companhia master na Holanda, mantida pelo estado e composta por bailarinos que não queriam parar de dançar, tendo em vista que ainda tinham condições físicas e artísticas para tanto. A ideia foi colocada e Monica Rischbieter, então Diretora Presidente  do Centro Cultural Teatro Guaíra, comprou a ideia. Estava criada a G2 Cia de Dança, pioneira no Brasil com esse formato de atuação, e atualmente única em atividade.

O grupo surgiu com uma característica marcante: desenvolver um trabalho de linguagem contemporânea e com características mais autorais do que a companhia oficial do Guaíra, uma revolução para a época. O objetivo era fazer uso pleno da maturidade pessoal e profissional de seus componentes, apenas promovendo adequações nos parâmetros de uso das técnicas. 

Julio Mota fez carreira no Balé Teatro Guaíra e é um dos bailarinos da G2 Cia de Dança. Segundo ele, o grupo tem uma importância não apenas artística, mas um papel social também. “Com a expectativa de vida do brasileiro aumentando, a atuação da G2 destaca algo de relevância social. Ela mostra para a sociedade que você pode continuar produtivo, ativo e propositor de coisas novas, rompendo com o paradigma do condicionamento físico e da barreira da idade”, declara.

Hoje, a G2 Cia de Dança é formada pelos bailarinos: Ana Silva, Clionise de Barros, Deisi Wor, Grazianni Canalli, Inês Drumond, Julio Mota, Leandro Nascimento, Ricardo Garanhanin e Rogério Halila. Eles têm idade entre 53 a 65 anos. Grande parte deles iniciou a vida profissional dentro do Guaíra, na década de 80.

Em seus 20 anos de atuação, a G2 possui 12 espetáculos montados com a participação de diretores convidados, quatro montagens de criação coletiva do próprio grupo, um espetáculo especial que marcou a retrospectiva dos vinte anos da companhia - o “Portfólio”, circulações nacionais pelo Ceará, Santa Catarina, Pernambuco, Rio Grande do Sul e São Paulo; apresentações internacionais na Argentina e uma premiação da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) como reconhecimento ao trabalho de ampliação da carreira do bailarino.

Em 2019, para comemorar os 20 anos de atuação da G2 Cia de Dança, o grupo iniciou uma nova turnê nacional com os espetáculos “Blow Elliot Benjamin”, “La Cena” e a intervenção “Banquete das Diferenças”. A circulação já passou por Recife, Fortaleza e Vitória, com previsão de apresentações no Rio de Janeiro e São Paulo em 2020. Em Curitiba, a grande comemoração acontece em dezembro, no Guairinha, com espetáculos a preços populares.

O projeto de circulação nacional da G2 Cia de Dança é realizado via Lei de Incentivo à Cultura, com patrocínio da Copel e realização da Associação Brasileira de Apoiadores Beneméritos do Teatro Guaíra (ABABTG), Centro Cultural Teatro Guaíra,  Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura, Governo do Paraná,  Secretaria Especial da Cultura, Ministério da Cidadania, Governo Federal – Pátria Amada, Brasil.

SERVIÇO

 

G2 Cia de Dança no Guairinha

La Cena

Data: 10 e 11 de dezembro

Hora: 20h30

Local: Guairinha

Endereço: Rua XV de Novembro, s/n, Centro

Ingresso: R$20 e R$10, na bilheteria do Teatro e pelo Ticket Fácil

Blow Elliot Benjamin

Data: 14 e 15 de dezembro

Horário: sábado às 20h30 e domingo às 18h 

Local: Guairinha

Endereço: Rua XV de Novembro, s/n, Centro

Ingresso: R$20 e R$10, na bilheteria do Teatro e pelo Ticket Fácil

Mestre Churrasqueiro ensina os segredos para se fazer um churrasco de sucesso

Jackson Assados Mestre Churrasqueiro ensina os segredos para se fazer um churrasco de sucesso

O Jackson Assados ganhou fama ao servir carnes macias, suculentas e saborosas, como é o caso do tradicional filé de igreja, a alcatra (orelha de elefante) e a irresistível picanha. Saiba quais são os segredos no preparo dessas carnes.

Para fazer um bom churrasco basta acender o fogo, colocar sal grosso na carne e colocar na churrasqueira, certo? Errado!

Entre os meses de dezembro e janeiro, o especialista em carnes, Jackson Silva, proprietário do Jackson Assados Restaurante Rural, irá fornecer dicas valiosas no preparo de um churrasco bem-sucedido.

O primeiro passo é a escolha de um açougue ou frigorífico que irá fornecer peças de qualidade e procedência, para garantir a maciez, suculência e sabor do produto.

O sal grosso ainda é a forma mais usual de temperar a carne. O Mestre Churrasqueiro recomenda salgar a carne minutos antes de assar. Deixar a carne no sal grosso por mais tempo ocasionará uma perda importante de líquido que irá alterar o seu sabor. O tradicional molho caseiro, feito a base de água e sal refinado, é um dos erros mais comuns no tempero. “A água misturada ao sal refinado altera o pH da carne, que terá suas fibras enrijecidas e conseqüentemente endurecerá a carne.”, alerta o especialista.

A escolha do carvão também é dos fatores que mais implica no sucesso do seu churrasco; Jackson optou por utilizar em seu restaurante somente lenhas de eucalipto, o que confere à carne um sabor único e especial. Cada corte tem um tempo diferente na grelha: “A carne não deve ser assada sobre o fogo, e sim sobre brasas.”, explica ele. “Peças inteiras exigem fogo médio ou brando e já os cortes mais finos precisam de mais calor”, finaliza Jackson. Estes são apenas alguns detalhes que precisam ser analisados, do contrário, o churrasco em família poderá ser catastrófico.

Para os clientes interessados em aprender mais sobre os segredos das carnes grelhadas, basta ir ao restaurante rural com a família no horário do almoço ou jantar, fazer o pedido, escolher a peça de sua preferência, e enquanto a carne é assada, o Mestre Churrasqueiro irá mostrar na prática alguns detalhes técnicos imprescindíveis para se fazer um churrasco de sucesso.

Caso o cliente queira fazer um workshop exclusivo e gratuito com um grupo de amigos, em horários alternativos, basta entrar em contato pelo celular/whatsapp: (41) 99963-9236 e fazer a reserva.

A casa tem uma parceria com a JMK TUR Viagens e Passeios, que disponibiliza vans para cerca de 12 pessoas. O agendamento pode ser feito pelo telefone/whatsApp (41) 9 9882-0803. Os preços são bem acessíveis e depende da distância a ser percorrida.

O restaurante rural fica na rota turística e gastronômica de Quatro Barras, distante apenas 27 quilômetros de Curitiba, com fácil acesso pela BR 116.

O horário de atendimento é de terça a sexta das 11h30 às 14h30 e das17h30 às 23h. Aos sábados é das 11h30 às 23h e aos domingos das 11h30 às 18h.

Natal e Ano Novo em família no Jackson Assados

Para aqueles que não querem se aventurar na churrasqueira, o Jackson Assados estará aberto para atender as famílias nas festas de fim de ano. No período do Natal (24/12 e 25/12) e Ano Novo (31/12 e 1º). O horário de atendimento será das 11h30 às 17h.

Serviço:

Jackson Assados

Rua do Contorno 877, Jardim Das Acácias

Quatro Barras – PR.

Aceita cartão de crédito e débito

Como chegar no Jackson Assados:

Saindo de Curitiba pela BR 116, entrar em Quatro Barras pelo trevo, (entrada Principal), até a segunda rotatória, virar à direita e percorrer mais 2,4 km, até chegar a uma placa do Instituto Chico Mendes, onde você irá virar à esquerda na Rua do Contorno. 800 metros adiante se localiza o Restaurante Jackson Assados.

* * * * * *

Fotos: Imprensa Gourmet

Veja as fotos premiadas no EuroClick 2019

Os vencedores do EuroClick 2019 foram anunciados na noite desta sexta-feira (13), durante a abertura da exposição das 20 fotos selecionadas do concurso. 

Amanda Costa Samways, Fábio Teixeira, Nany-Dominguez, Sander-Riquetti e foram os artistas premiados. Cerca de 300 fotógrafos profissionais e amadores participaram desta 9º edição do concurso fotográfico organizado pelo Centro Europeu,  uma das mais conceituadas escolas de idiomas e profissões da América Latina. 

Neste ano o tema escolhido foi “Retratos da Água”. De acordo com uma das supervisoras do curso, Tânia Buchmann, os participantes eram livres para usar tratamento de imagem, colagem digital ou outros recursos de acordo com a linguagem escolhida. “Técnica, criatividade e foco no tema proposto foram os principais. Nossa intenção era incentivar que o participante tivesse liberdade para produzir as imagens que fugissem do olhar comum”, explicou. 

O concurso recebeu inscrições de diferentes regiões do Brasil: Bahia, Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul foram os principais participantes. 

Os jurados foram os fotógrafos Daniel Castellano, Milena Costa e Alexandre Mazzo, com coordenação de Tânia Buchmann e Charly Techio. 

A exposição das fotos selecionadas vai ficar aberta para o público, durante um mês. 

Premiação - O primeiro colocado no Concurso recebeu uma câmera fotográfica Canon Rebel T6 oferecida pela Macro Foto; um vale curso de profissões de até R$ 11 mil, no Centro Europeu, e kit livros do Grupo Photos. Já o segundo colocado levou um curso de quatro níveis de idiomas no Centro Europeu e kit livros do Grupo Photos. O terceiro colocado ganhou um vale curso de dois níveis de idiomas no Centro Europeu e um kit livros do Grupo Photos.

O EuroClick 2019 conta com o apoio da Ticcolor, que ofereceu a impressão das imagens para a exposição, além dos parceiros Macro Foto e Grupo Photos.

Serviço 
Exposição Euroclick 2019
Segunda a sexta: 8h30 às 21h
Sábados: 8h30 às 15h 

Sede Batel do Centro Europeu: R. Benjamin Lins, 999

Premiações:
1º lugar: Amanda Costa Samways, de Curitiba
2º lugar: Fábio Teixeira, do Rio de Janeiro, 

3º lugar: Nany-Dominguez, de Curitiba

Menção Honrosa: Sander-Riquetti, de Curitiba 

Mercado de brechós está aquecido em Curitiba

Novo modelo de compras segue novo conceito de produtos de segunda mão

Economia, consumo sustentável e peças exclusivas, são alguns dos motivos que fizeram a procura por vendas de segunda mão aumentar. Em Curitiba, a busca por brechós tem aumentado consideravelmente nos últimos anos.

De acordo com o Relatório de Revenda Anual de 2019 da thredUP, maior loja de revenda no mercado internacional, as perspectivas das vendas de segunda mão são positivas. Já um levantamento realizado pela GlobalData, empresa de análise de varejo, apontou que em 2018 a venda de peças usadas movimentou US$24 bilhões no mundo, e até 2023 esse número pode chegar a US$51 bilhões.

E é de olho nesta tendência, que muitas lojas colaborativas estão juntando forças e recursos e reunindo-se em um único espaço. Um exemplo é o Luar da Baronesa Coletivo de Brechó e Arte, que inaugura neste final de semana (14 e 15), no centro de Curitiba.

Segundo Rossana Kurscheidt de Oliveira, proprietária do novo espaço colaborativo, o Luar surgiu devido a essa demanda, somado a um desejo de incentivar mulheres a empreender. “A colab surgiu da vontade de dar voz e oportunidade a outras mulheres empreendedoras que não teriam acesso a transformar seu negócio em algo real sozinhas”, diz.

Ao todo, dez expositores compõem a colab que tem uma filosofia totalmente adepta à sustentabilidade. “Nós ajudamos a recuperar o planeta por meio do reuso e do consumo consciente. Além disso, a decoração do nosso espaço é feita com pallets”, afirma.

A ideia da colab é unir pessoas com habilidades diferentes, mas com objetivos parecidos. “A soma de tudo ajuda cada um a crescer junto. Assim, comecei a desenvolver uma linha de acessórios, com colares e brincos, misturando materiais e os pontos clássicos do crochê com um estilo urbano e colorido, para que se integrasse no projeto”, comenta Melanie Alves Oliveira, uma das artesãs que expõe seu trabalho no Luar da Baronesa.

Melanie garante que a Colab também funciona como uma vitrine e ter vários artistas e brechozeiros no mesmo espaço faz com que as peças e produtos possam ser vistos por mais pessoas. “Isso torna todas as marcas envolvidas mais conhecidas e fortalecidas”, fala.

O evento de inauguração começa no sábado (14) e termina no domingo (15), com uma programação que inclui contação de histórias, manequim humano, coffee break, sorteios e, claro, muitas promoções.

A expectativa em torno do novo espaço é grande, tanto por parte das empreendedoras quanto por parte dos clientes. “A tendência é que o movimento cresça ainda mais por conta do público que os brechós e os artistas possuem, e com os produtos em exposição a expectativa é que as vendas aumentem”, declara Stefanny, proprietária do Old Thrift Store Brechó, um dos que integram a colab.

E o desejo pelo sucesso do espaço é grande. “Quero que o espaço vire referência de brechó e da expressão através da arte. Quero que seja um ponto de encontro”, finaliza Rossana.