Workshop do Sebrae/PR aborda as tendências tecnológicas e ambientais do “Novo Morar”

Com a pandemia e a rotina do dia a dia, as pessoas buscam acesso fácil

a serviços, lazer, mobilidade, além do uso de soluções sustentáveis

O futuro do morar envolve mudanças de comportamento aliadas às inovações tecnológicas e ambientais. Tendo como premissa essa ideia do Novo Morar, o Sebrae/PR, com apoio da 27ª edição da Casacor Paraná e da Prefeitura de Curitiba com o selo da Unesco para Cidades Criativas, realiza no dia 13/10, às 19 horas, o Workshop Foresight para Arquitetos. O evento trará nomes importantes do segmento de arquitetura para discutir o cenário atual e disseminar tendências do mercado internacional. O evento é destinado para arquitetos e empresários fornecedores do projeto Studiotech Sebrae/PR na Casacor Paraná 2021.

“No surgimento de oportunidades para novos tipos de mobiliário, equipamentos e tecnologias, o nomadismo não é a única tendência que será acelerada no pós-pandemia. O futuro do morar envolve também a mobilidade. Hoje, cerca de 90% dos deslocamentos são vinculados à conveniência, à necessidade de ir ao trabalho. Em 10 anos, com a automação, a maior parte desses deslocamentos será feita por lazer, e outra tendência diz respeito à preocupação com projetos de sustentabilidade residencial”, afirma a consultora do Sebrae/PR, Adriana Kalinowski.

O conceito de o “Novo Morar” oferece acesso fácil a serviços e lazer, transporte de qualidade, mobilidade ativa, uso de soluções sustentáveis e tecnológicas, além de igualdade, justiça e alimentação de qualidade. Por ser responsável pelas mudanças urbanas e atender anseios das pessoas, a arquitetura é responsável por esses pontos.

Workshop

O objetivo do Workshop Foresight para Arquitetos: O Futuro do Novo Morar é compartilhar com o maior número possível de pessoas o plano de inovação para o design industrial em Curitiba. Além de ser uma ótima oportunidade para que os arquitetos conheçam melhor essa metodologia para, quem sabe, utilizarem em suas empresas. Como profissionais e empreendedores, é necessário que os arquitetos estejam sempre atentos às novas oportunidades de mercado, às novas tecnologias, conexões internacionais e a evolução dos ambientes urbanos da forma de morar das pessoas.

“O plano de inovação, baseado na metodologia foresight, oferece uma perspectiva única para quem trabalha no setor de design em Curitiba. A partir da análise apresentada pelo documento, os arquitetos podem encontrar novas oportunidades de atuação no mercado, relacionadas à economia circular, tecnologia, parcerias e produção de conhecimento”, explica O assessor de relações internacionais no Gabinete do Prefeito de Curitiba, Guilherme Zuchetti.

Zunchetti é um dos convidados do Workshop. Em uma breve fala sobre a participação de Curitiba na Rede de Cidades Criativas da Unesco, no qual atua como ponto focal, Guilherme falará sobre o título de Cidade do Design, o qual é compartilhado com mais de 40 outras cidades em todos os continentes. “Alguns dos tópicos de destaque nessa fala serão o processo e o estágio atual de participação na rede, a conexão internacional de Curitiba, a vocação que a cidade tem para o design e como podemos promover o design curitibano no exterior”, justifica.

Segundo Emilio Beltrami, que irá apresentar no Workshop as novidades do Salone del Mobile, de Milão, o Novo Morar se baseia na qualidade da vida das pessoas e o lugar onde moram, assim, o conceito de moradia passa a ser um diferencial de mercado. Por meio de uma dinâmica de grupo que será realizada durante o workshop, Beltrami irá desenhar uma estratégia setorial baseada nas novas tendências tecnológicas, além de apresentar uma metodologia Foresight utilizada na definição e prospecção de cenários tecnológicos para geração de inovação no setor do “ambiente casa” em Curitiba.

“As prospecções foresight são abordagem de inteligência setorial utilizadas na definição dos cenários tecnológicos, fomentando a transferência de conhecimento e inovação nas empresas, estimulam uma abertura a novos investimentos que, por sua vez, aumentam a competitividades dos territórios”, garante.

O arquiteto Luiz Maingué, criador do StudioTech, um apartamento de 40m² que traz inovações tecnológicas e ambientais aos moradores e está sendo apresentado no estande do Sebrae/PR na Casacor Paraná, também participará do Workshop. Para ele, o workshop funcionará como um alerta de chamada para os profissionais, levando em conta que conceitos como sustentabilidade, conectividade, inclusão e qualidade de vida são muito debatidos no meio da arquitetura, mas pouco colocados em prática.

“O networking com empresas do ecossistema de inovação nos traz para mais perto de tornar real a aplicação das soluções e inovações tecnológicas em nossas obras e projetos”, afirma.

Segundo Maingué, a arquitetura tem como função melhorar a vida das pessoas, do meio ambiente e deve estar em constante adaptação aos novos modos e culturas da sociedade, andando lado a lado com as novas tecnologias. “Hoje, podemos citar pelo menos quatro vertentes urgentes e latentes que permeiam as soluções mais contemporâneas. São elas a sustentabilidade, com o pensamento direto no renascimento do nosso meio ambiente; a conectividade, também chamada de internet das coisas, que foca no conforto e automação dos espaços aliados a inteligência artificial; a inclusão, ou seja, todos os espaços têm de servir a todas as pessoas; e a qualidade de vida e conforto, que permeiam nossa saúde e a eficiência energética dos edifícios”, finaliza.

Programação:

Abertura Sebrae.
Apresentação Selo Unesco.
Contextualização do cenário internacional - Modelo de referência "Made in Italy” - Tendências do SALONE DEL MOBILE - Milão 2021.
Metodologia Foresight Sebrae para Competitividade Setorial.
Próximos passos e resultados esperados.
Studio Tech Sebrae.
Serviço:

Evento: WORKSHOP FORESIGHT PARA ARQUITETOS: O FUTURO DO NOVO MORAR.

Data: 13/10/2021.

Horário: 19 horas.

Local: Casacor Paraná (Rua Álvaro Alvim, 91 – Seminário, Curitiba/PR.

As vagas são limitadas. Faça sua inscrição pelo link: https://cutt.ly/3EXyp8k

Na vanguarda da indústria de móveis, Bontempo tem soluções estéticas e inovadoras

Tecnologia de ponta e ampla possibilidade de personalização são
diferenciais em produtos exclusivos da marca

Desenvolvido pela equipe de inovação da marca, Bontempo Connect é a primeira
linha de automação de móveis do Brasil

Uma das principais características da Bontempo são as possibilidades de personalização que a marca oferece para deixar projetos com a singularidade que cada casa merece. Para isso, a empresa é capaz de materializar peças que vão ao encontro daquilo que o cliente imaginou para o seu décor, desenvolvendo tecnologias e acabamentos exclusivos que ajudam a inspirar arquitetos e designers de interiores.

Entre as exclusividades Bontempo, se destacam o Bontempo Connect, primeiro sistema de automação de móveis do Brasil. Completamente desenvolvido pela equipe de inovações da marca, o produto foi criado com o objetivo de facilitar o dia a dia para que as pessoas tenham mais tempo livre para curtir com que realmente importa. Bontempo Connect funciona com assistente pessoal digital preferida de cada um e é acionado através de simples comando de voz, capaz de abrir portas e gavetas, além de iluminar painéis de prateleiras utilizando a tecnologia lightfinder.

Estante com acabamento chanfrado exclusivo da Bontempo,
onde as peças se encontro por meio de ângulos perfeitos de 45º

A conexão com o contemporâneo também está presente na estética refinada do mobiliário da Bontempo. Entre elas, peças chanfradas exclusivas da Bontempo, com bordas que se encontram perfeitamente em ângulos de 45º, que deixam os detalhes do décor ainda mais sofisticados.

Quando se fala em personalização, o painel ripado Fresare é um dos destaques. Versátil, ele pode ser aplicado em paredes, portas e divisórias, transmitindo todo o aconchego e a nobreza da madeira para o décor. A peça é feita sob medida e as ripas são espaçadas de acordo com a especificação do cliente. Assim, o produto ganha a personalidade da casa da qual fará parte, com uma característica hand made, que deixa tudo mais charmoso.

Painel Fresare personalidade Bontempo

Sobre a Bontempo

www.bontempo.com.br

Com expertise no desenvolvimento de móveis totalmente personalizados de alto padrão, a Bontempo foi pioneira ao trazer para o mercado moveleiro nacional a liberdade de modulação e customização total de projetos. Por entender que cada casa, apartamento e morador são únicos, a empresa não atua com medidas padrões, oferecendo infinitas possibilidades de personalização para diferentes estilos e ambientes, de acordo com a demanda e especificidades de cada projeto. Isto inclui a possibilidade de o cliente poder criar uma tonalidade exclusiva para os móveis, em uma ampliação sem limites do catálogo de cores da marca. A empresa também disponibiliza a possibilidade de tampos personalizados, podendo contar com iluminação embutida, estampas, formatos geométricos e orgânicos.

LIDE Futuro Paraná apoia curso gratuito de programação

Curso de introdução à programação será online e gratuito para público geral, sem a necessidade de conhecimento prévio. A Kenzie Academy, com apoio do LIDE Futuro Paraná, realiza o evento nos dias 16 a 29 de novembro

A área de Tecnologia está cada vez mais em alta no mercado, a procura de profissionais qualificados só aumenta a cada ano. Para quem nunca teve contato com a área pode ficar difícil saber se este ramo é ou não o indicado para ela. Para abrir as portas a Kenzie Academy, com apoio do LIDE Futuro Paraná, vai oferecer curso online e gratuito sobre introdução à programação. O evento acontecerá entre os dias 16 a 29 de novembro com mais de 80 horas de conteúdo exclusivo. Para quem nunca teve contato com programação esta será uma excelente oportunidade de saber mais sobre o assunto, já que além das aulas haverá suporte em tempo real e uma comunidade exclusiva aos participantes.

Com o mercado de programação em constante ascensão, segundo a consultoria Mckinsey, até 2030 cerca de 3 milhões de vagas na área serão abertas. O mercado que já movimentou R$479 bilhões em 2018 tem previsão de crescimento de 5,7% até 2020, segundo a Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação, a Brasscom. Além disso, dentro da área de Tecnologia da Informação, o setor de programação corresponde a 40% das vagas no mercado.

Acontece que nem todas as pessoas têm a oportunidade de pagar por um curso para compreender mais sobre o assunto. E fazer um curso de programação é extremamente importante para quem busca este primeiro contato com a área. Começar programação pode parecer um desafio muito complicado para quem não tem conhecimento na área de tecnologia, mas com profissionais competentes da área o primeiro passo fica mais fácil e ágil.

Por ser um curso introdutório à programação, os alunos matriculados não precisam de um conhecimento prévio sobre o assunto, muito menos necessitam trabalhar na área. A ideia é justamente passar conhecimento inicial sobre programação. O curso é justamente feito e pensado para quem quer ter o primeiro contato com tecnologia, o único pré-requisito é querer saber mais sobre a área.

Sobre a Kenzie Academy

A Kenzie Academy é uma escola norte-americana que veio para o Brasil com o objetivo de ofertar ensino de qualidade para quem deseja trabalhar na área da tecnologia. Com o foco no aprendizado do aluno, ensina as principais linguagens de programação do mercado para o desenvolvimento de um programador full stack, inclusive soft skills. A metodologia inovadora vai ao encontro do modelo de negócio inédito, em que o estudante só paga a mensalidade do curso após estar empregado e com remuneração mínima de R$ 3 mil por mês.

Para inscrição e mais informações: https://participe.kenzie.com.br/curso-javascript-16

Setor de bares e restaurantes utiliza novas tecnologias para voltar a crescer

Sistemas integrados que fazem a gestão completa do estabelecimento ajudam um dos setores mais afetados pela pandemia

Para se manter em atividade e angariar novos consumidores, um dos setores mais afetados pela pandemia do coronavírus precisou se reinventar. Para isso, foi necessário aliar os pilares de bons produtos e atendimento com as novas tecnologias disponíveis no mercado.

Segundo pesquisa realizada em agosto pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), em cooperação com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), 63% dos empresários do setor relatam que o maior desafio é ter capital de giro para equilibrar os negócios. Focando na gestão, muitos têm buscado soluções que integrem toda a gestão para que haja economia e controle total sobre os custos e lucros do estabelecimento.

Rafael Hasson, CEO da ConnectPlug, startup que desenvolve ferramentas de gestão completa para bares e restaurantes, conta que os empresários do ramo de alimentos e bebidas tem demandado cada vez mais estas soluções. Para atender a procura, a empresa oferece parceria com o sistema myTapp, um serviço de automação e controle total sobre consumo de torneiras de chope. Com a tecnologia integrada, os empreendedores possuem controle de estoque e financeiro, contas a pagar e receber, vendas e relatórios personalizados. Tudo isso faz com que o desperdício de insumos seja reduzido em até 20% e aumenta a eficiência no atendimento ao cliente, o que, consequentemente, melhora o faturamento.

“O myTapp automatiza o controle das torneiras de chope do bar, enquanto o autoatendimento da ConnectPlug traz agilidade e autonomia na hora do cliente fazer o pedido. Além disso, tudo pode ser incorporado ao sistema de gestão ERP, fazendo com que o empresário tenha total controle da gestão”, explica Hasson.

Além dos benefícios para a empresa, as soluções melhoram a experiência do usuário, que pode utilizar um único cartão-comanda para o autosserviço de chope e, também, para o cardápio digital na mesa. Com isso, o cliente pode ver seu extrato parcial de consumo, solicitar o fechamento da comanda no momento que desejar e realizar o pagamento de forma mais rápida e sem enfrentar filas.

“O sistema de autosserviço de chope funciona com o próprio cliente se servindo. Ele é cobrado pelos milímetros que consumir, o que possibilita que ele prove um pouco de cada chope, 25 ou 40 milímetros, por exemplo. Depois, ele pode consumir os que mais gostou. Reduzimos o contato humano, algo importante durante a pandemia, e empoderamos o cliente para provar o que ele quiser”, explica Mateus Bodanese, co-founder e CEO da myTapp.

STF decide que o IPI incidente na revenda de produtos importados é constitucional

Empresário do setor lamenta a decisão e diz que ela vai contra a OMC

O STF julgou no final de agosto que é constitucional a incidência do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) no desembaraço aduaneiro de bem industrializado e na saída do estabelecimento importador para comercialização no mercado interno. Com a decisão, os importadores pagam duas vezes o imposto: a primeira no desembaraço aduaneiro de produto industrializado e a segunda na saída do estabelecimento importador para comercialização no mercado interno, que representa violação ao princípio da isonomia, previsto no artigo 150, II, da Constituição.

No passado, alguns casos chegaram a ser julgados favoravelmente aos importadores pelo STJ, e estima-se que 14 mil empresas brasileiras tinham o processo finalizado ou estavam em processo com liminares para não pagar IPI em duplicidade. Com a queda dessa liminar, o impacto será de aumento de recolhimento de R$68,6 bilhões aos cofres públicos e, consequentemente, aumento de custos do produto final.

Segundo o advogado Alexandre Dalla Vecchia, o impacto imediato no setor de importação é a oneração do produto importado mesmo que pronto e acabado, em um setor que já sofre com a alta carga tributária e volatilidade do dólar. “É recomendável aguardar a finalização do julgamento e, até lá, certamente as empresas que ostentam decisões favoráveis com exclusão do IPI na revenda do produto vão se valer das decisões conquistadas no âmbito do STJ”, explica. “Os desdobramentos de cada caso é particular, e é provável que com o trânsito em julgado já conquistado por alguns importadores, que algum sigam em frente mesmo que com essa decisão contrária em face de todo esse contexto”, completa Vecchia.

A decisão foi recebida com repúdio pelos empresários do setor. O diretor da ES Logistics, Fabiano Ardigó, afirma que essa decisão vai contra a Organização Mundial do Comercio (OMC). “Vemos com preocupação o que aconteceu. O cancelamento da bitributação abriria uma nova perspectiva para o setor de importação no Brasil”, afirma. “Empresas que estavam com liminares com autorização de não recolher o IPI não terão condições de conquistar essa mesma vantagem. A reincidência do imposto na revenda de importados impacta diretamente no valor do produto final pago pelo contribuinte e essa bitributação é um retrocesso para o mercado de importação brasileiro”, completa Ardigó.

A advogada responsável pela área de comércio internacional da Catta-Preta & Salomão Advogados, Maria Eugênia Catta-Preta, dedicou sua dissertação de mestrado na FGV/SP ao tema da não incidência do IPI na revenda de mercadorias nacionalizadas já que, segundo ela, essa discussão é complexa e antiga no país, iniciando-se em 1999 nos tribunais. “Considero que foi uma perda muito grande no debate jurídico a realização de um julgamento virtual, e que não levou em consideração a criação de disparidade entre empresas, inclusive entre importadoras, gerada pelo Judiciário. Lutamos todos os dias para o direito acontecer da forma mais justa possível, mas o direito nos tribunais tem cada vez mais relação com política e economia, do que ele em si”, lamenta Maria Eugênia.

Segundo a advogada, a interpretação da lei precisa acompanhar a evolução do tempo. “Tanto no STF como no STJ, não houve uma análise adequada do contexto apresentado e dos acordos de comércio internacional firmados no âmbito da OMC pelo Brasil. Foi feita uma análise bem superficial que favorece a concorrência desleal e fora dos compromissos internacionais assumidos, o que abre espaço para mais discussões, inclusive nos organismos internacionais. A violação dos Acordos da OMC coloca o país em uma posição delicada que pode ter consequências para a economia como um todo”, alerta a especialista. “Para a indústria nacional, a múltipla incidência do IPI certamente desestimulará investimentos em tecnologia e modernização, e poderá colocar o país em posição ainda mais desfavorável no cenário do comercial internacional”, destaca.

Tecnologia com luz UV auxilia comerciantes e lojistas na prevenção e combate ao vírus da covid-19

A reabertura parcial do comércio em todo o País vem suscitando a preocupação, tanto dos lojistas quanto dos consumidores, com as melhores práticas sanitárias no sentido de evitar a propagação do novo coronavírus. Diminuição do público, obrigatoriedade do uso de máscaras, sinalização de piso indicando distanciamento e higienização de vitrines e objetos com álcool gel estão sendo algumas das medidas obrigatórias nas lojas e também estabelecimentos comerciais, como bares e restaurantes. Já os consumidores, se por um lado avaliam como eficientes esses cuidados, comumente se preocupam com a contaminação dos próprios objetos e alimentos que gostariam de comprar nesses locais que aderiram à reabertura.

Mas e se houvesse uma solução que fosse além de oferecer todos os cuidados e protocolos sanitários para tranquilizar os clientes, e desse ao comerciante a possibilidade de entregar alimentos e objetos desinfectados e livres de qualquer microrganismo causador de doenças? Afinal, o ambiente pode estar livre de perigos, mas e o alimento servido num restaurante? E aquele batom na gôndola de uma perfumaria, por quantas mãos passou? Quantas pessoas experimentaram o mesmo tênis na loja de sapatos? E a pulseira na loja de bijuterias?

A solução para esse dilema está mais perto de ser resolvida do que pensamos. E, por incrível que pareça, não está em produtos químicos que mancham roupas e ressecam a pele. Nós não podemos vê-la, mas ela está numa certa frequência de luz que é capaz de eliminar 99,99% dos microrganismos patogênicos de alimentos e objetos, como o vírus causador da covid-19. É a chamada luz ultra-violeta. Um recurso muito utilizado por hospitais ao longo das últimas décadas e que só agora chega ao mercado, disponível para lojistas, bares e restaurantes, como uma contra essa e muitas outras doenças a partir desta fase de retorno ao que batizamos de “o novo normal”.

Comerciantes que já estão utilizando a tecnologia se dizem satisfeitos com os resultados. Clientes que voltaram a frequentar os estabelecimentos se mostram mais seguros ao saber que os alimentos podem ser esterilizados antes do consumo. E os colaboradores, por outro lado, sentem-se mais tranquilos ao realizar o atendimento, por conta da minimização dos riscos.

“Nossa experiência com o Box UVc , ela conta, acham que 90 segundos é muito tempo de espera, mas no geral todos aguardam tranquilamente. “Os clientes colocam celulares e máscaras na máquina. Já o restaurante desinfeta alimentos e objetos, incluindo os jogos americanos que utilizamos nas mesas”.

Para Neuri Coletto, gerente do Café Journal, em Moema, São Paulo, a experiência com a BOX UV-C está sendo ótima. Ela afirma que os clientes gostam de interagir e realizar testes com o equipamento. “Como ele fica na recepção, desperta muito a curiosidade de todos”.

A facilidade de uso também é ressaltada por Neuri como um dos diferenciais da máquina. “É muito simples de operar. Só abrir, colocar o objeto e apertar um botão. Além dos pedidos de delivery, desinfetamos os celulares e objetos que os clientes trazem com eles. Isso trouxe uma sensação de segurança tanto para colaboradores como para os clientes”.

“Recomendo a tecnologia do Box UV-C para outros comerciantes por ser um produto inovador, prático, por não danificar os objetos”, complementa Karla. “É importante destacar a facilidade de esterilização, o que gera mais credibilidade para o estabelecimento, atraindo e fidelizando mais clientes”.

A BOX UV-C

Com design muito similar a um forno de microondas, a BOX UV-C é um aparelho criado para garantir a desinfecção segura de embalagens, alimentos, remédios, correspondências, pizzas, compras de mercado, bebidas, além de objetos pessoais que as pessoas carregam como celulares, chaves, bolsas e carteiras, eliminando germes, bactérias, fungos e vírus presentes nestes itens. Dotado de um sistema de iluminação ultra-violeta (UV), ele é capaz de eliminar 99,99% de microrganismos patogênicos, que são nocivos à saúde, como o novo coronavírus.

A caixa é um equipamento de simples manuseio, parecido com um forno de microondas, porém em seu interior é utilizada a tecnologia das lâmpadas UV-C, capazes de desinfectar os produtos ou objetos que a pessoa está levando para dentro de sua casa, trazendo tranquilidade e segurança. Na opinião dos empresários do consórcio, a BOX UV-C é um produto que irá fazer parte da nossa vida e da nossa cultura, mesmo após o final da pandemia.

A eficiência das lâmpadas UV-C na desinfecção de objetos e superfícies é reconhecida no mundo inteiro e atestada em pesquisas realizadas por diversas universidades do Brasil e também do Exterior, como a Universidade de Miyasaki, no Japão. O uso da radiação ultra-violeta ocorre há mais de um século na esterilização de hospitais, aviões, escritórios e fábricas.

Apesar de segura na esterilização de objetos e alimentos, a Organização Mundial de Saúde (OMS) não recomenda em nenhuma hipótese o uso das lâmpadas UV-C em seres humanos. Por essa razão, a BOX UV-C tem dispositivos de segurança que impedem o contato do operador com a radiação ultra-violeta. Assim como no sistema utilizado nos fornos de microondas, o aparelho é vedado e impede a passagem dos raios UV. Se e a porta se abre, imediatamente o sistema desliga as lâmpadas.

Como funciona

“A BOX UV-C utiliza duas lâmpadas de 16 watts, que transmitem um comprimento de onda que vai de 200 nanômetros (nm) a 280 nm”, explica Ricardo Van Meenen, sócio-diretor de Criação da Jam Cenografia,

COVID-19 Nova tecnologia de biodesinfecção de ambientes e superfícies chega ao país

A pandemia do novo coronavírus ligou o sinal de alerta da população em relação a cuidados que antes acabavam sendo tomados apenas por alguns setores, como o hospitalar e de alimentos. É o caso da desinfecção de ambientes e superfícies como estratégia para diminuir o contágio e frear a contaminação pela Covid-19.

Uma das soluções que vêm sendo utilizadas com sucesso na Europa é a Nocotech, um sistema de geração de vapor seco que libera nanopartículas e distribui de modo uniforme as soluções biodesinfetantes em cada centímetro quadrado sem deixar residual úmido, capaz de matar microorganismos, vírus, bastérias, com ação antimicrobiana e antifúngica, além de atuar no combate ao novo coronavírus. Sua formulação econ-friendly é biodegradável, não tóxica, não alérgica e não corrosiva.

O sistema já está disponível no Brasil através da DeVant Care, empresa especializada em soluções automatizadas de biodesinfecção de ambientes e superfícies, e foi reconhecido pela ANVISA.

Segundo Ivam Cavalcante Pereira Jr, diretor executivo da DeVant Care, "Cuidar apenas de limpeza de superfície não foi suficiente para limitar o crescimento do número de infectados. A contaminação de ambientes e superfícies deve ser tratada com prioridade. É de extrema importância reforçar o combate à Covid-19, mas a solução não é algo somente para o momento pandêmico, é algo para sempre", diz Ivam, ressaltando que os produtos já eram requisitados antes da pandemia e devem atender às necessidades do futuro também. "Somos efetivos desinfetadores. A maioria das empresas proporciona a sanitização, que combate. A desinfecção mata", explica.

O conceito Nocotech é constituído do equipamento de aplicação automatizada aliado às soluções de biodesinfecção, desinsetização e desodorização. O processo de desinfecção de ambientes com tecnologia avançada dos produtos é intuitivo: é fácil de operar e pode ser programado por qualquer pessoa. O equipamento, móvel, libera um vapor seco com produto a base de peróxido de hidrogênio e prata, uma combinação balanceada, segura, cientificamente testada, analisada e comprovada ação desinfetante, com garantia e efetividade contra o coronavírus e outros vírus, bactérias, fungos e suas variações esporuladas. A biodesinfecção garante ambiente seguro e livre de vírus.

As soluções Nocotech da DeVant Care são projetadas para tratamento em ambientes que vão de 10 m³ a 20.000 m³ e o custo dos equipamentos variam entre R$ 50 mil e R$ 200 mil. "Temos clientes com interesse em compra dos equipamentos para operação dos mesmos com sua própria equipe, e também clientes que estão adquirindo o produto para depois prestar serviço a terceiros, pois o leque de possibilidades para a solução Nocotech é extenso", afirma Ivam. Pode-se fazer a biodesinfecção desde em residência e escritórios, até o varejo, hotéis, hostels, pousadas, ônibus, metrô, escolas, universidades, asilos, academias, clínicas, aeroportos, aeronaves e transatlânticos, restaurantes, shoppings, hospitais e indústrias, como a hospitalar, alimentícia e farmacêutica, entre tantas outras. "Vale para todas as áreas, hoje é uma necessidade até para constar como diferencial competitivo. O modelo de negócio, que inclui comodato do equipamento varia de acordo com o porte e objetivo do cliente", finaliza o executivo.

PERFIL - DEVANT CARE

A DeVant Care é uma empresa provedora de soluções de limpeza e desinfecção, com portfólio de consumíveis, containers, equipamentos, mobiliário, transporte de produtos para saúde, projetos, coletores de perfuro cortantes e biodesinfecção de ambientes e superfícies, fundada em 2017 pelo executivo Ivam Cavalcante. Noventa por cento do seu portfólio é importado de parceiros da Alemanha, França, Turquia e China e, em breve, dos EUA. Conta ainda com fornecedores nacionais e a maior parte dos seus produtos são exclusivos. Sua rede de distribuição está espalhada em todo o território nacional e tem hoje cerca de 600 clientes ativos, entre eles o Hospital Santa Catarina, Hospital Santa Joana e o Hospital do Coração (Hcor), em São Paulo. A DeVant Care é parceira exclusiva no Brasil da Oxy’pharm, empresa que desenvolveu a tecnologia Nocotech de biodesinfecção de ambientes e superfícies, já presente em mais de 85 países e que agora chega ao país.

Mercedes-Benz apresenta veículos Sprinter transformados em estações de arte, cinema, sustentabilidade e tecnologia

· Em homenagem ao Dia Mundial do Meio Ambiente, a marca traz vídeo sobre o projeto Cinesolar em suas redes sociais de Vans
· Ação consiste no primeiro cinema itinerante do Brasil com exibição de filmes por meio de energia solar

Nesta sexta-feira, dia 5, em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, a Mercedes-Benz divulgou em todas as suas redes sociais de Vans um vídeo realizado em parceria com o Cinesolar, primeiro cinema itinerante do Brasil que exibe filmes por meio de energia solar. O conteúdo mostra detalhes desse projeto apoiado pela marca, que contém dois furgões Sprinter transformados em estações móveis de arte, cinema, sustentabilidade e tecnologia.

“O objetivo do Dia Mundial do Meio Ambiente é conscientizar as pessoas sobre a importância da preservação dos recursos naturais e o Cinesolar é um ótimo aliado nesta causa. Apoiado pela Mercedes-Benz, esse projeto leva cultura e conhecimento para todos com o auxílio da tecnologia inovadora da Sprinter, estimulando o uso de energia solar e a sustentabilidade”, afirma Evandro Cunha, gerente de Marketing & Comunicação de Vans da Mercedes-Benz.

No vídeo, os responsáveis pelo projeto contam os bastidores dessa ação, destacando como desenvolveram essa iniciativa e mostrando parte de sua rotina. Eles explicam ao público que, para possibilitar a conversão de energia solar para elétrica, foi instalado o sistema Fotovoltaico, que consiste em uma usina de geração de energia solar. Além disso, é destacado que os veículos foram grafitados com o intuito de disseminar ainda mais a arte urbana por onde os veículos estiverem.

Para otimizar o espaço do modelo, a parte interna do Furgão possui uma função dupla. O local é utilizado para carregar todos os equipamentos do cinema móvel, como o projetor, a tela e o sistema de sol e, em paralelo, também consiste em uma sala de aula lúdica onde as crianças e os adultos são convidados a entrar para vivenciar uma experiência única com arte, tecnologia e sustentabilidade.

O Cinesolar segue viagem com dois furgões Sprinter para exibir filmes a partir da energia solar, além de promover arte e sustentabilidade com a realização paralela de oficinas artísticas e lúdicas, como produção de vídeos, grafites, música e dança. O primeiro veículo é equipado com sistema de som para acompanhar as atividades, enquanto a segunda estação móvel, denominada Cinesolar Tupã, conta com um estúdio de TV.

Confira o vídeo por meio do link https://www.instagram.com/p/CBDnmVzAYLU/ e conheça melhor esse projeto em http://www.cinesolar.com.br/.

Download do Press Release

https://www.mercedes-benz.com.br/resources/media/releases/gallery/thumb/20200605_706526f719054327b7acd5af901baf69_sprinter-cinesolar.jpg https://www.mercedes-benz.com.br/resources/media/releases/gallery/thumb/20200605_510e7e9eb5b64a4fa596587de6dc885f_projeto-cinesolar-2.jpg https://www.mercedes-benz.com.br/resources/media/releases/gallery/thumb/20200605_b927d88a6f1e411b9a64470ae25c5221_sprinter-cinesolar-4.png https://www.mercedes-benz.com.br/resources/media/releases/gallery/thumb/20200605_bcb4f6564b4948fc8f520c4564dd2136_sprinter-cinesolar-3.png

Acesse o link: https://www.mercedes-benz.com.br/institucional/imprensa/releases/vans/2020/6/21803-mercedes-benz-apresenta-veiculos-sprinter-transformados-em-estacoes-de-arte-cinema-sustentabilidade-e-tecnologia

Visite o nosso site: https://www.mercedes-benz.com.br/

Siga nosso perfil no Facebook e no Instagram: @MercedesBenzVansBr e @mbvansbr

GT Building lança série de certificações que atestam a qualidade de seus empreendimentos

Divididos em oito categorias, selos serão a prova real de que a incorporadora entrega os mais diferentes serviços em formato ideal para os clientes

A GT Building – uma das principais incorporadoras imobiliárias do Paraná e pioneira em diversos produtos relacionados ao setor – lança os Selos GT Building, certificações que irão demonstrar quais as virtudes, conceitos, habilidades e serviços oferecidos em seus empreendimentos. São oito diferentes categorias que podem ser aplicadas juntas ou separadamente. São elas: Pet Friendly, Sustentabilidade, Controle por Voz, Personalização, Flexibilidade, Tecnologia, Chave na Mão e Senior Friendly.

Mauricio Fassina, diretor de incorporação da GT Building e um dos idealizadores do projeto, explica como surgiu o plano de criar selos próprios. “Nós temos a pretensão de sempre oferecer aos clientes um conceito inovador, que se alia à tecnologia e à modernidade no setor de construção. A partir desse pensamento, acreditamos que também podemos ser vanguardistas na concepção e validação de certificações exclusivas e que atestem ainda mais a qualidade e os diferenciais que dedicamos a cada projeto”, comenta.

Todos os imóveis do portfólio da incorporadora que ainda não foram entregues estão relacionados a uma ou mais certificações. O Denmark, por exemplo, possui Tecnologia e Controle por Voz. Por sua vez, o Bosco Centrale está relacionado ao selo Sustentabilidade. Além disso, os selos Personalização e Flexibilidade são aplicáveis a quase todos os prédios por serem específicos às mudanças do apartamento, enquanto o Senior Friendly e Pet Friendly possuem uma amplitude de serviços que se espalham por todo o condomínio.

Além dos selos próprios, a GT Buiding também está alinhada a outras certificações de padrão mundial, como o Green Building Council e o Green Building Council Brasil, que garantem a excelência de conceitos sustentáveis em empreendimentos de todo o mundo.

Conheça os selos

Pet Friendly: Este selo constará em empreendimentos que possuirão pet places, ou seja, espaços dedicados exclusivamente ao lazer, atividades e bem-estar dos animais.
Sustentabilidade: Este selo constará em empreendimentos que buscam efetivar o equilíbrio com o meio ambiente ao adotarem práticas sustentáveis como o reaproveitamento de água, uso de luz natural, pontos de carregamento de carros elétricos, tratamento de ruídos, gestão de resíduos e menor consumo de energia.
Controle por Voz: Este selo constará em empreendimentos que terão sistema de automação compatíveis com os dispositivos Alexa e Google Home. Bastará programar uma das Inteligências Artificiais para efetuar facilidades como controle de iluminação e ativação de aparelhos eletrônicos.
Personalização: Este selo chancela o diferencial de exclusividade que a empresa quer entregar ao cliente. O empreendimento que tem o selo permite a mudança na planta de alguns ambientes, bem como alteração dos acabamentos internos, pontos de ilunimação e itens de tecnologia.
Flexibilidade: Este selo garante ao cliente algumas alterações de planta e configuração de cômodos como living ampliado, cozinha e abertura de suites.
Tecnologia: Este selo constará em empreendimentos que possuem segurança e inovação desde a concepção do projeto, disponibilizando acesso facial e biométrico, câmeras inteligentes e, em alguns casos, portaria virtual.
Chave na Mão: Este selo constará em empreendimentos que estarão prontos para morar ou alugar assim que forem entregues. Isso vai desde o mobiliário básico até a decoração do apartamento, que será assinada por arquitetos e designers de interiores de Curitiba.
Senior Friendly: Essa certificação constará em empreendimentos que são específicos para quem quer viver a melhor idade com segurança e conforto. São apartamentos com iluminação controlada por voz, tomadas elevadas, pisos antiderrapantes, portas largas e botões de “help” físicos e por voz.

Sobre a GT Building

A partir de um conceito inovador, aliado à tecnologia, modernidade, qualidade e diferentes projetos de vida, a GT Building faz parte do grupo GT Company, que desde 2017 empreende no setor imobiliário em Curitiba por meio da GT Invest. Com foco na construção de alta qualidade, nos comprometemos com a excelência, ideias inovadoras guiadas pelas mãos dos líderes, a incorporadora chega como uma das maiores empresas do ramo em Curitiba, com 20 empreendimentos em diferentes fases, entre eles o Denmark, Bosco Centrale e o Maison Alto da Glória. Para saber mais, acesse: www.gtbuilding.com.br

A maior animação em stop motion do mundo: novas tecnologias para se ensinar arte

Gulp é um vídeo de animação produzido pela equipe dos estúdios Aardman Animations juntamente com o Estúdio Sumo. Apenas para ter uma ideia da importância dessa empresa para a linguagem da animação, esse estúdio foi responsável pela produção do filme Fuga das Galinhas (2000), que movimentou mais de 45 milhões de dólares.

O projeto de animação foi encomendado pela Nokia, empresa fabricante de aparelhos de celular, que tinha por objetivo divulgar o “Nokia smarthphone N8”.

Nessa animação, existe um pescador que, durante o seu ofício, acaba por enfrentar uma circunstância nada comum. Enquanto fisgava os peixes, o pescador é engolido por um enorme tubarão. Dentro do estômago do peixe, o pescador se depara com um ambiente escuro, no qual descobre haver uma bomba. Ao explodir, a bomba acaba por devolver o pescador para a superfície. Posteriormente à explosão, a animação segue a normalidade até o final do filme.

Gulp entrou para Guinness Word Records como a maior animação em stop motion do mundo, pois utilizou o maior cenário já realizado para uma animação realizada nessa técnica. Geralmente uma animação quadro-a-quadro, como é conhecida a técnica do stop motion, é realizada a partir de frames (imagens) que são dispostas em ordem dentro de uma fração temporal.

No caso de Gulp, a animação foi realizada em uma praia no sudoeste do País de Gales chamada Pendine Sands, ou seja, o espaço fotografado no stop motion foi muito maior do que uma maquete de mesa para animação de bonecos tridimensionais ou uma perspectiva representada em uma folha de papel em uma animação bidimensional. A animação utilizou como suporte a própria praia da cidade.

Aqui poderíamos estabelecer conexões entre a animação Gulp e o ensino de artes visuais. Gulp pode permitir ao professor de arte, que trabalha no ensino básico, a possibilidade de articular na unidade temática de artes visuais os diversos objetos do conhecimento e habilidades em sua disciplina.

Para isso, sugere-se aqui a utilização dos princípios da educomunicação, que visam, dentre outras coisas, a educação por meio da utilização de tecnologia, partindo do princípio de que é possível a uma aprendizagem coletiva e significante.

Em Gulp, por exemplo, o professor poderá trabalhar com contextos e práticas, quando promover a apreciação e analise de formas distintas das artes visuais, nas quais discutam-se aspectos de percepção, imaginário e a capacidade de simbolizar. Poderá ainda propor aos estudantes um diálogo entre a animação vista e o movimento da Land Art e, com isso, promoveria a pesquisa e análise de estilos visuais variados, contextualizando-os no tempo e no espaço.

Talvez, a grande reforma do ensino, tão esperada por muitos, aconteça quando os educadores se conscientizarem, como já previa Paulo Freire, de que existe o mundo de seus estudantes e que se trata de uma realidade mediada pela tecnologia.

As necessidades e anseios do jovem de hoje precisam ser administradas pelo professor de forma que prolifere uma atmosfera propícia ao aprendizado autônomo, na qual leve-se em conta a troca de experiências, o conhecimento prévio dos estudantes, suas necessidades e seus costumes.

Gulp, portanto, é um pretexto para discutirmos a boa educação em arte, aquela que promove, de acordo com o professor Dr. Clóvis de Barros Filho. “a vida que vale a pena ser vivida”.

Autor: André Luiz Pinto dos Santos é professor especialista nos cursos de Licenciatura e Bacharelado em Artes Visuais do Centro Universitário Internacional Uninter.

App Ensina oferece mais de 150 cursos de capacitação

Plataforma dispõe de aulas que podem ser realizadas a partir do celular. Usuário escolhe quantos títulos quer estudar e recebe certificado de conclusão.

Em período de isolamento social, a internet tem sido a principal aliada para a realização de praticamente todas as atividades do dia a dia. Assim como nos demais segmentos, as instituições de ensino, públicas e privadas, tiveram que se reinventar do dia para a noite para adaptação à nova realidade, as aulas online. Para isso, a tecnologia é primordial. A demanda por estudo a distância aumentou, assim como as opções de cursos. Estudo remoto é a nova realidade.

Muitos têm aproveitado o momento para fazer algumas reciclagens e estudos em áreas diversas. Com assinatura mensal, o Ensina oferece aulas com duração média de 3 horas, cada aula tem duração máxima de 4 minutos que podem ser acompanhadas, desde um computador, celular ou tablet. Indicado para jovens e adultos que estão se planejando para terem o próprio negócio ou darem uma turbinada no currículo.

“O Ensina foi desenvolvido para o público que precisava de algum tipo de capacitação para melhorar sua performance como empreendedor ou para desenvolvimento pessoal e não conseguia parar alguns minutos, antes de COVID-19 e quarentena. Hoje, com o cenário de isolamento social, o produto tem sido grande aliado daqueles que, em casa, buscam otimizar o tempo investindo em cursos online. O app oferece cursos livres, de especialização ou qualificação, em Gestão e Negócios, entre outros segmentos”, comenta Marcus Garcia, VP de produtos da FS, empresa desenvolvedora de produtos e serviços em segurança digital.

Como iniciar no Ensina by FS

Com assinatura mensal, o aplicativo pode ser baixado no celular, tablet ou computador. O internauta assiste as aulas online ou off-line e ainda recebe certificados personalizados, ao final dos cursos. Ao iniciar a navegação na plataforma deverá informar qual o principal objetivo no Ensina e selecionar quais os temas de interesse, entre eles Desenvolvimento Pessoal, Direito, Estilo de Vida, Tecnologia e mais.

Feito isso, o próximo passo é escolher os cursos. Entre os títulos e temas estão: Inglês para Atendimento, Beleza e Estética, Tecnologia, Comunicação para Vendas, Planejamento e Gestão de Carreira, todos ministrados por especialistas. No período da assinatura, o usuário pode realizar todos os cursos disponíveis.

“Os cursos disponíveis são das categorias livres, de atualização, especialização ou qualificação. Os certificados de conclusão são para que os clientes utilizem como horas complementares ou para comprovação de curso livre realizado. Não são certificados reconhecidos pelo Ministério da Educação (MEC), uma vez que a entidade só autoriza cursos de graduação e pós-graduação”, explica Garcia.

A cada mês, os assinantes recebem alertas de novos cursos inseridos no aplicativo e assim podem customizar seu ambiente de aula com seus objetivos e interesses de aprendizado.

O Ensina by FS já está disponível para download na Play Store do Google ou App Store da Apple. Os primeiros sete dias tem gratuidade e, após o período de degustação, o valor da mensalidade é de R$ 8,90.

Sobre a FS

Fundada em 2010, a FS desenvolve produtos e serviços de segurança digital, cloud solutions, seguros, assistências, suporte técnico e mobile learning. A empresa é atualmente líder de serviços de valor agregado para operadoras de telecomunicações e varejistas. Está presente em todos os estados brasileiros e já registra a marca de mais de 1 milhão de pessoa que adotaram o Hero como ferramenta de segurança.

A FS já conquistou certificados importantes do segmento, entre eles: Finalista do Prêmio Reclame Aqui (edições 2018 e 2019), XVIII Prêmio ABT (Excelência no Relacionamento com o Cliente) e ABEMD (Associação Brasileira de Marketing de Dados). Recentemente conquistou o prêmio Líderes do Brasil 2019 na categoria Tecnologia.

Divulgação cultural vence barreiras na quarentena

Lívia Zeferino*

Enquanto estamos em casa enfrentando um alto nível de ansiedade quanto à saúde de nossas famílias e em relação ao futuro, algumas pessoas sintonizaram suas antenas criativas e estão nos oferecendo formas de lidar um pouco melhor com o isolamento.
São os artistas, essa classe muitas vezes mal compreendida, mas que tem conseguido romper barreiras neste momento de quarentena. Graças ao trabalho sensível e à interação com diversos públicos, caíram muros de separação relacionados, principalmente, ao preconceito e à tecnologia.
Temos o exemplo da Orquestra Sinfônica do Paraná, que gravou uma versão emocionante para o “Trenzinho do Caipira” de Villa-Lobos, com cada músico em sua casa e a regência do maestro Stefan Geiger, feita diretamente de sua residência na Alemanha. Ao final, a cantora e atriz Uyara Torrente faz um solo da canção escrita por Edu Lobo. O resultado ficou tão bem-acabado que logo viralizou, de forma a alcançar espectadores que jamais estiveram na plateia de um concerto.
O caso do teatro é ainda mais emblemático. Em sua luta por ampliar audiências e ultrapassar estigmas, grupos como o curitibano Ave Lola iniciaram novas formas de alcançar seus fãs e públicos ainda mais abrangentes. A solução encontrada durante o período de isolamento foi criar a websérie “Viver no teatro em tempos de reclusão”, com depoimentos sobre dramaturgia e o fazer teatral, que envolveram quase 500 visualizações a cada capítulo.
As visitas digitais a museus também têm permitido um vínculo maior com as artes visuais, com destaque para o envolvimento de famílias ao redor do mundo na recriação de obras de arte dentro de casa, em fotografias pitorescas.
Esse papel do artista de agregar multidões, ao mesmo tempo em que fala individualmente aos corações, sempre foi fundamental, mas talvez estivesse um tanto quanto soterrado em nosso dia a dia de correrias pelo mundo. A arte é um dos poucos atalhos para a reflexão, rumo à calma interior que leva à transformação e mudanças de pensamento e comportamento.

Ela tem esse poder. Seja por meio da música, da dança, do teatro, um poema ou uma gravura. E mesmo nesse período tão conturbado, é muito importante que o artista continue ativo. A arte vive disso, ela não entra em “suspensão de contrato”.

Além de essas iniciativas ajudarem quem está em casa com muita ansiedade e, por que não, solidão, o ato de refletir decorrente da experiência artística traz mais calma a respeito do futuro – a vida não será a mesma depois. E o que você vai fazer dela?

É possível dizer que esse engajamento entre público e artistas sairá da quarentena para ficar, com um novo valor para a arte. É importante, porém, que a comunicação e divulgação que estão sendo realizadas neste momento não sejam negligenciadas depois, e nada melhor do que contar com apoio profissional para isso, pensando em um planejamento mais amplo de marketing cultural e digital.

É claro que a arte presencial nunca será substituída, mas a experiência que os próprios artistas estão tendo com a tecnologia tem trazido novos recursos a eles, de forma a agregar para sua criação agora e no pós-pandemia.

Esses são exemplos de como a arte nos ajuda na crise e como ela quebra barreiras – é o momento para a arte virar o jogo e mostrar sua verdadeira cara: da solidariedade, proximidade e engajamento.

* Lívia Zeferino é jornalista, atriz e especialista em comunicação cultural da Smartcom – Inteligência em Comunicação.

Sobre a Smartcom: Agência de comunicação sediada em Curitiba, a Smartcom oferece serviços de gerenciamento e conteúdo para redes sociais, assessoria de imprensa internacional, design, endomarketing e auditoria de posicionamento interno e externo. Com braços na Alemanha, Argentina e no interior do Paraná, além de profissionais de comunicação qualificados, garante a conexão entre os pontos envolvidos no segmento do Business to Business, que envolvem newsletters, revistas institucionais internas e externas, informativos, bem como ações de relacionamento individualizado com influenciadores digitais e da mídia. O portfólio de clientes é composto por companhias das áreas de Papel e Celulose, Tecnologia, Meio Ambiente, Saúde, Cultural, Terceiro Setor, Alimentação, Automotivo, Comércio e Indústria, Trânsito & Transporte e Direito.

Viña Concha y Toro certifica seu laboratório de pesquisa para diagnóstico do COVID-19 e doa 50 mil litros de álcool gel e desinfetante

Além de certificar seu laboratório de biologia molecular para a detecção do COVID-19, a Viña Concha Y Toro transferiu equipamentos para outras instituições para aumentar sua capacidade de diagnóstico. Além disso, doará 50 mil litros de álcool gel e desinfetante.

(Santiago, 30 de abril, 2020) - Dada a complexa crise da saúde no Chile e no resto do mundo, a Viña Concha y Toro realizou duas grandes iniciativas que fazem parte de sua contribuição ao Fundo Privado de Emergência em Saúde, promovido pela Confederação de Produção e Comércio (CPC).

O laboratório de biologia molecular do Centro de Pesquisa e Inovação (CII) de Viña Concha y Toro foi certificado pelo Laboratório de Pesquisa Biomédica da Universidade Católica de Maule (UCM) para operar sob a dependência do Serviço de Saúde Maule e realizar testes para a detecção de SARS-Cov2 ou COVID-19, como parte da rede de laboratórios articulados pelo Ministério da Ciência, Inovação, Conhecimento e Tecnologia.

Os recursos do laboratório de biologia molecular da CII destacam-se pela robotização e automação de seus processos, incluindo, entre outros, um equipamento Hamilton Microlab STARLet que processa 2.300 amostras diariamente e um qPCR Thermofisher QuantStudio 5 com capacidade de diagnóstico de 768 amostras por dia.

Eduardo Guilisasti, gerente geral da Viña Concha y Toro, explicou que “queremos aproveitar para usar nossa capacidade de colaborar, para superar conjuntamente essa crise, apoiando a prevenção e o diagnóstico precoce. Como parte de nossa contribuição para o Fundo Privado de Emergência em Saúde, juntamente com a doação de álcool em gel às autoridades, também disponibilizamos equipamentos de ponta e nossa equipe de profissionais do Centro de Pesquisa e Inovação. "Esse marco completa uma primeira etapa que também incluiu a transferência de equipamentos para extração de RNA para a UCM e o Hospital de Talca”, acrescentou.

Esta entrega inclui um gabinete de biossegurança nível 2 ESCO SC2-4E1 e a máquina MagMAX Express 96 Purification System que oferece a possibilidade de quadruplicar a capacidade de extração de amostras por dia, além da doação de kits de purificação para realizar 1.500 extrações de ARN e participação como consultores em equipes de trabalho coordenadas pela autoridade.

"Em tempos de crise, esse tipo de colaboração reafirma o significado mais profundo da aliança público-privada-acadêmica, que é o bem comum e a prosperidade do nosso país. Quero agradecer ao Ministério da Saúde, Ciências, UCM e a cada um de nossos colaboradores por nos permitir tornar isso possível ", afirmou Gerard Casaubon, diretor do Centro de Pesquisa e Inovação da Viña Concha y Toro.

Por sua vez, o ministro da Ciência, Tecnologia, Conhecimento e Inovação, Andrés Couve, destacou que a comunidade científica organizada hoje contribui para o trabalho essencial de combate a essa pandemia : “Graças à atuação de 5 escritórios regionais do Ministério da Ciência, em coordenação com equipes do Ministério da Saúde, do Instituto de Saúde Pública e da generosidade da sociedade científica, das comunidades acadêmicas e do mundo privado, hoje nosso país se destaca por a capacidade de diagnóstico do COVID-19 de maneira articulada e descentralizada”, disse.

Além do exposto, a Viña Concha y Toro fará uma doação de 50 mil litros de álcool gel e desinfetante em diferentes formatos, o que permitirá alcançar pessoas e organizações que o necessitem. Entre eles, a rede de laboratórios de diagnóstico COVID-19, redes de saúde do Ministério da Saúde e comunidades. Destes, 40 mil litros correspondem ao álcool gel fabricado com álcoois da empresa através da Winkler e 10 mil litros de desinfetante fabricados na planta de Lontué em Viña Concha y Toro e que serão entregues ao escritório de administração da região de Maule para distribuição local.

A SOCIEDADE MUNDIAL VIVE A ACELERAÇÃO TECNOLÓGICA EM TEMPOS DE DISTANCIAMENTO SOCIAL

Vivemos um momento de intensas mudanças, com novos hábitos de consumo e necessidade de se reinventar, tanto nos negócios como na carreira. Para discutir essas mudanças rápidas que estão ocorrendo no mundo por conta da Covid-19, a Neoconnection promoveu na última quinta-feira, dia 02, uma Live com Gil Giardelli, um dos maiores difusores de conteúdos ligados à futuro, tecnologia e inovação no Brasil e no Mundo. O tema abordado foi “Sociedade 5.0 e Inovação Global. E Agora?”

Intermediada pela diretora da Neoconnection, Maria Almeida Garcia, a Live com grande interatividade do público, destacou o momento atual, em que a sociedade está conectada em um ambiente global, sem fronteiras. Segundo Gil Giardelli, as relações de trabalho, hoje home office, em grande parte, por conta da necessidade de distanciamento humano para evitar a contaminação pelo Covid-19, estão promovendo uma grande mudança de comportamento, com maior uso de tecnologia para reuniões à distância, palestras, aulas e compras on-line.

Sociedade mais tecnológica

A comunidade científica também tem explorado bastante o uso da tecnologia para se manter conectada, acompanhando e interagindo em busca de soluções para combater o novo coronavírus. Ao todo, já foram realizados mais de 26 mil estudos com o Covid-19, utilizando a Inteligência Artificial.

As indústrias e o comércio estão vivendo um novo momento, com a necessidade de rever o seu negócio, inovando os seus processos e canais. Gil Giardelli destaca que os monopólios precisam rever seus negócios, os micronegócios e a economia compartilhada ganham força na nova era.

Ele ainda ressalta que a projeção do período de distanciamento social deve ser longo, em torno de 18 meses. A sociedade vai passar por momentos difíceis, com picos de quarentena e retornos a vida normal. Será uma mudança de era, com receio de caos social em alguns países, mas depois deste período a humanidade sairá fortalecida.

Distanciamento Social X Distanciamento Digital

Com tudo isso, a tendência é que com o distanciamento social, ocorra em paralelo o distanciamento digital. “Não podemos ficar 16 horas em casa somente olhando para uma tela. Experimente a desconexão”, destacou.

Dificuldades

Ele destacou as dificuldades que as empresas vão encontrar para manter os empregos e a suas atividades, pois 80% das empresas não possuem capital de giro para sustentar as despesas por mais de 30 dias.

Ressalta que todos terão que se reinventar e contribuir para sobreviver neste período, com redução de salários, tanto por empresas como pelo poder público, incluindo o executivo, legislativo e judiciário. “É um absurdo, num momento como este, o judiciário aprovar bônus porque está trabalhando em casa”.

Realidade Virtual

Um dos setores mais afetados neste momento, o do turismo, terá que adotar novas estratégias para se manter no mercado. Ele exemplificou o uso da Realidade Virtual, amplamente utilizada na China, por 90% dos habitantes. Giardelli argumentou que os Programas de Realidade Virtual possuem uma sensação muito próxima de estar presente fisicamente. “A realidade virtual, certamente, vai ajudar muitas empresas, não só no turismo. Em Manaus, por exemplo, já existe robô ajudando a população nessa linha”.

Blockchain no Agronegócio

Um dos setores mais sólidos no Brasil, o agronegócio tem inovado bastante os seus processos com o uso da blockchain para toda a cadeia do agrobusiness. Ele destaca o case da Unilever, que implementou um projeto que monitora e fiscaliza toda a cadeia de produção, desde as sementes até a entrega nas prateleiras dos supermercados.

Roboticista

Em alta, os cursos de Roboticistas (aquele que mexe com robôs eletrônicos e humanoides), ainda são pouco ofertados. Segundo ele, existem mercados ansiosos por esta profissão, pois cada vez mais humanos devem ter interação com robôs humanoides.

Giardelli disse que engenheiros agrônomos, por exemplo, podem ter que assumir várias funções, desde operar uma máquina de colheita, até fazer relatórios de análises de dados como um analista de dados.

Na Educação

A transformação está sendo ampla na educação. O ensino à distância está ganhando força, mas ainda é preciso inovar o conteúdo. Ele cita o exemplo da Escola Eurekando de Curitiba, que trabalha com professores do Século XXI, trazendo a tecnologia para as crianças. É um modelo similar utilizado em São Paulo, a Explore. O ensino é pautado no futuro, com conteúdo criativo e ensino do empreendedorismo.

Redes Sociais Neoconnection 4.0

www.instagram.com/neoconnection4.0/

https://www.facebook.com/neoconnection4.0/

Tecnologia na educação especial: meio efetivo para o desenvolvimento

Jogos e aplicações disponibilizados em ferramentas como a Mesinha Digital Quinyx auxiliam na comunicação e outros processos de aprendizagem

Crianças especiais, sejam portadoras de síndromes ou deficiências, normalmente enfrentam desafios relacionados à aprendizagem. Na mesma medida, as instituições de educação especial que as atendem precisam de ferramentas que incluam e despertem a vontade de aprender. Nesse cenário, uma grande aliada tem sido a tecnologia.

Por meio de jogos eletrônicos e aplicações desenvolvidas com essa finalidade, se promove o desenvolvimento sensório, motor e cognitivo de forma prazerosa e eficaz. Além disso, esses fornecem aos educadores mais ferramentas para exercitar o conteúdo teórico. Uma solução que vem contribuindo com esse processo é a Mesinha Digital Quinyx. Em função do sistema operacional Android e o software aberto, permite o acesso a inúmeros jogos e aplicativos por meio do Google Play.

"O equipamento não se limita aos jogos pré-instalados. Assim, mesmo que não haja um app específico para determinada necessidade especial, os adultos responsáveis, sejam professores, pais ou terapeutas, podem baixá-los conforme a preferência. "Além disso, o dispositivo já é entregue com aplicativos indicados para crianças autistas, com síndrome de down, deficiência auditiva ou visual e possui acessórios opcionais que facilitam o uso por crianças com dificuldade motora", explica Rejane Mello, pedagoga, professora de inglês e consultora pedagógica da 18 Gigas, representante da tecnologia no Brasil.

Outras vantagens da Mesinha Digital Quinyx são a possibilidade de sociabilização, já que pode ser usada simultaneamente por até seis crianças, e o incentivo ao interesse de romper com a limitação na comunicação. Isso é o que vem ocorrendo no Educandário São Batista, localizado em Porto Alegre (RS). Na instituição, que atende 176 crianças divididas entre Escola Especial e Clínica de Reabilitação, o equipamento está trazendo bons resultados.

"Toda criança e adolescente tem muita curiosidade, vontade de mexer em computadores, tablets e smartphones. A Mesinha Digital Quinyx engloba todos esses dispositivos e faz com que muitos sintam-se incluídos digitalmente, explorando imagens e sons enquanto desenvolvem habilidades óculo-manuais, raciocínio lógico, atenção, tempo, ritmo, foco, memória, socialização, limites, tolerância e etc", afirma a professora de teatro, Educação Física e Informática que atua no educandário, Betha Medeiros.

Aplicativo Falaê auxilia na comunicação das crianças especiais

O Falaê, aplicativo de Comunicação Alternativa desenvolvido de forma voluntária pela HP do Brasil, em parceria com o Educandário São João Batista, está sendo utilizado com sucesso por crianças que apresentam dificuldades de fala.

O app, que agora também é distribuído a outros usuários de educação especial da Mesinha Digital Quinyx, possibilita a comunicação com a utilização pictogramas (imagens ou símbolos), os quais representam palavras (verbos, substantivos, adjetivos, entre outros).

"O recurso auxilia no desenvolvimento da comunicação, pois os símbolos e sons se transformam na voz das pessoas que não conseguem falar. Por meio das pranchas elaboradas individualmente, o usuário pode mostrar o que pensa, o que tem vontade de dizer ou fazer de forma mais precisa e rápida. Nas aulas, por exemplo, fazemos chamada com a foto e o nome de cada aluno. A alegria em ouvir o próprio nome e ver sua foto é grande, proporcionando uma sensação de pertencimento", comenta Betha.

"Além disso, os alunos que não conseguem falar, muitas vezes se mostram desconfortáveis e, por não conseguirem expressar o que sentem, ficam frustrados e irritados. Com o Falaê, eles conseguem aprender a se comunicar sem precisar passar por tanto constrangimento ou dor", frisa a professora.