Bolhas gigantes, muita música e diversão no primeiro Carnaval do Jockey Plaza Shopping

O Carnabolhas é direcionado para todas as idades e acontece durante os quatro dias do feriado de Carnaval, gratuitamente

Entre os dias 22 e 25 de fevereiro, das 14h30 às 18h30, a folia está garantida no Jockey Plaza Shopping. Na praça de eventos B (acesso do estacionamento externo), bolhas de sabão gigantes e boa música animam os foliões no Carnabolhas: evento realizado em parceria com o Bubble System, projeto composto por música, interação com bolhas de sabão, brincadeiras de circo e bambolês.

O Projeto Bubble System concilia as práticas de liberdade de expressão do corpo por intermédio da brincadeira e da dança. As práticas circenses compõem a interação de forma livre e arbitrária ao público, e ativam as partes sensoriais dos participantes de forma abrangente: movimentando-se, ouvindo uma boa música e brincando livremente.

“Pensamos naqueles que querem viver a cidade neste feriado e curtir a data de forma diferente e criativa, proporcionando momentos de muita diversão aos nossos clientes nos quatro dias de carnaval”, convida a coordenadora de marketing do shopping, Fernanda Hickson.

O Carnabolhas é um evento gratuito: a pista de dança estará aberta livremente e o espaço das bolhas de sabão gigantes receberá crianças a cada 15 minutos. Nos dias do evento, a Bublle System estará com uma mesa de exposição de brinquedos à venda para que as crianças continuem brincando com bolhas em outros momentos.

Não é necessário inscrição prévia para participar. O Jockey Plaza Shopping fica no Tarumã, na Rua Konrad Adenauer, 370 e tem estacionamento com valor fixo de R$10 para automóveis e R$ 5 para motos, por todo o período de utilização dentro da mesma diária.

Sobre o Jockey Plaza Shopping:

Inaugurado em junho de 2019, o Jockey Plaza Shopping possui mais de 200 mil m² de área construída, com 325 operações, sendo 28 opções na praça de alimentação, além de um boulevard gastronômico com vista panorâmica para a pista de corridas do Jockey Club do Paraná. O empreendimento conta ainda com oito salas de cinema Cinépolis e espaços para jogos e lazer, que tornam o local ainda mais completo. Com um vasto mix de lojas e serviços, é um shopping que se propõe a atender de forma democrática todos os seus perfis de público. O projeto arquitetônico prioriza espaços amplos, iluminação natural e muita área verde, e busca ressignificar o lazer, remetendo o local a uma extensão de um espaço externo. O Jockey Plaza Shopping é um empreendimento do Grupo Tacla Shopping, Casteval, Paysage e GRCA.

www.jockeyplaza.com.br

CARNAVAL

Horário Especial de Funcionamento – Jockey Plaza Shopping

Lojas

22/02 – sábado – 10h às 22h

23/02 – domingo – 14h às 20h

24/02 – segunda- 11h às 23h

25/02 – terça - FECHADAS

26/02 – quarta – 12h às 23h

Alimentação

22/02 – sábado – 10h às 23h

23/02 – domingo – 11h às 22h

24/02 – segunda- 11h às 23h

25/02 – terça – 11h às 22h

26/02 – quarta – 11h às 23h

Serviço: Jockey Plaza Shopping

Rua Konrad Adenauer, 370 – Tarumã

Lojas:

De segunda a sexta, das 11h às 23h

Sábados, das 10h às 22h

Domingos e feriados, das 14h às 20h.

Alimentação e Lazer:

De segunda a sexta, das 11h às 23h

Sábados, das 10h às 23h

Domingos e feriados, das 11h às 22h.

Pesquisadores da UFPR desenvolvem embalagem biodegradável como alternativa para uso de sacolas plásticas

Algumas embalagens plásticas podem demorar mais de 100 anos para se degradarem. A desenvolvida por pesquisadores da Universidade Federal do Paraná (UFPR) leva em torno de cinco meses. O Laboratório de Engenharia Bioquímica e de Biotecnologia (Lengebio) do Departamento de Engenharia Química (DEQ) atua no desenvolvimento de soluções tecnológicas e inovadoras para a sociedade. Desta vez, o estudo trabalhou com embalagens biodegradáveis.
A pesquisa intitulada “Produção de filmes biodegradáveis” é coordenada pela professora Michele Rigon Spier, do Departamento de Engenharia Química e do Programa de Pós-graduação em Engenharia de Alimentos (PPGEAL) da UFPR. Segundo ela, seu grande sonho é transferir o conhecimento desenvolvido para a sociedade. “Trabalhamos para que a sociedade produza novos produtos para a geração de emprego local e regional, além de contribuir com geração de renda e produtos eco-friendly. Além disso, existe uma grande preocupação com o meio ambiente, reduzindo quantidades de embalagens plásticas que o poluem”.

Professora Michele Rigon Spier e estudante de pós-graduação Luis Alberto Garcia integram equipe do estudo que usa matéria-prima renovável para embalagens. Foto: Divulgação

O produto trata-se de uma nova alternativa aos plásticos, pois usa matéria-prima renovável e não polui o meio ambiente. Este projeto de pesquisa teve início em 2018 e encontra-se em andamento com dissertações e teses sobre o tema. O estudo alcançou resultados interessantes do ponto de vista das propriedades mecânicas dessas novas embalagens. De acordo com Michele, algumas propriedades mecânicas são similares às propriedades de filmes plásticos de petróleo, tal como o polietileno de baixa densidade (PEBD). “Os filmes que produzimos poderiam ser aplicados em filmes para recobrimento de produtos, para a produção de sacolas plásticas e mesmo para produção de sacos de armazenamento de lixo. Variando algumas propriedades, podemos inclusive produzir copos, canudos e outros recipientes plásticos”.
Para a pesquisadora, é essencial que as pessoas parem de usar sacolas plásticas oriundas do petróleo. “É importante a utilização das sacolas e outras embalagens que são naturalmente degradadas em poucos meses (até cinco), sem poluir ou desequilibrar o ecossistema, como já é comum em lugares como Europa, Estados Unidos e Canadá”.
O projeto busca apoiadores para ser levado adiante. “Precisamos do suporte institucional governamental, estadual e municipal para tornar esse sonho realidade. Outra alternativa é a iniciativa privada”, diz a professora. Além dela, dois alunos de mestrado e uma aluna de doutorado estão trabalhando nesta linha de pesquisa. O laboratório situa-se no Centro Politécnico da UFPR e é laboratório satélite do Departamento de Engenharia Química e do PPGEAL.
Atenciosamente,
Assessoria de Imprensa e Redação
Superintendência de Marketing e Comunicação (Sucom)
Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Narrações de histórias para crianças chegam ao Vale do Ribeira

Narrações de histórias para crianças chegam ao Vale do Ribeira

“Quantas estrelas cabem no bolso? Quantas histórias brilham no céu?” A delicadeza da pergunta inspira a narrativa de histórias como incentivo à leitura que chegam a 06 cidades do Vale do Ribeira a partir de novembro. O trabalho desenvolvido pelo grupo Malasartes envolve toda a comunidade escolar, por meio de apresentações interativas que fomentam a formação de famílias leitoras.

O projeto “Histórias de Bolso para Gente Miúda – Vivências para Despertar a Leitura” se destina a crianças, da educação infantil ao 2º ano, de creches e escolas públicas de ensino fundamental. Serão realizadas 140 sessões de histórias nas cidades de Adrianópolis, Bocaiúva do Sul, Cerro Azul, Itaperuçu, Rio Branco do Sul e Tunas do Paraná.

As interações literárias serão mediadas pelas atrizes e arte-educadoras Adriane Havro e Milene Dias. As histórias escolhidas trazem como traço essencial a capacidade de dirigir o olhar para o aspecto minúsculo, de “bolso” da vida cotidiana. “Aquelas situações que geralmente passam despercebidas dos adultos na correria do dia-a-dia, mas que não escapam aos olhos atentos dos pequenos”, relata a coordenadora pedagógica do projeto Adriane Havro.

_AAA0711.jpg
Foto: Arte-educadoras Adriane Havro e Milene Dias.

Histórias de um bolso que é maior que o mundo

São histórias adequadas às crianças pequenas, compartilhadas pelas narradoras-guias em uma vivência lúdica de despertar para a leitura, por meio de livros e cantigas. A proposta é levar a essas instituições a história narrada como uma troca afetiva com o imaginário da criança. Luís Teixeira, produtor do projeto, observa que “a iniciação literária implica em compreendê-la como lugar de relações, de brincadeiras, de produção de sentido, de pertencimento, de conhecimento de si e do outro, em um processo atencioso de escuta e construção coletiva”.

O projeto “Histórias de Bolso para Gente Miúda – Vivências para Despertar a Leitura” é realizado pela Malasartes – Educação Sensível com o apoio da COPEL e incentivo do Governo do Estado do Paraná por meio do PROFICE - Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura do Paraná.

Grupo Malasartes

O Grupo Malasartes é um coletivo de intervenção cultural dedicado a levar vivências artísticas itinerantes a crianças e educadores, com foco na pesquisa e difusão da cultura popular e de histórias da tradição oral. Criado em 1995, esse grupo realiza há mais de 20 anos trabalhos de interação sensível em espaços comunitários, e traz em sua trajetória a realização de cerca de 30 projetos culturais, por meio de rodas de leitura, sessões de histórias, oficinas lúdicas e espetáculos.
Para maiores informações, você pode acessar a Fanpage do Projeto “Histórias de Bolso para Gente Miúda – Vivências para Despertar a Leitura” neste link.

FANPAGE DO PROJETO - https://www.facebook.com/historiasdebolsoparagentemiuda/?ref=page_internal

FICHA TÉCNICA

Mediação / narração de histórias: Adriane Havro e Milene Dias

Produção e Coordenação do projeto: Luis Teixeira

Coordenação Pedagógica: Adriane Havro

Design Gráfico: Adriana Alegria

Ilustração: Rosangela Grafetti

Assessoria/ Mídias Sociais: Kika Marquardt

Contatos: (41) 99988-9589 – Malasartes / Luis Teixeira

(41) 98802-7881 – Kika Marquardt / Assessoria

Narrações de histórias para crianças chegam ao Vale do Ribeira

“Quantas estrelas cabem no bolso? Quantas histórias brilham no céu?” A delicadeza da pergunta inspira a narrativa de histórias como incentivo à leitura que chegam a 06 cidades do Vale do Ribeira a partir de novembro. O trabalho desenvolvido pelo grupo Malasartes envolve toda a comunidade escolar, por meio de apresentações interativas que fomentam a formação de famílias leitoras.

O projeto “Histórias de Bolso para Gente Miúda – Vivências para Despertar a Leitura” se destina a crianças, da educação infantil ao 2º ano, de creches e escolas públicas de ensino fundamental. Serão realizadas 140 sessões de histórias nas cidades de Adrianópolis, Bocaiúva do Sul, Cerro Azul, Itaperuçu, Rio Branco do Sul e Tunas do Paraná.

As interações literárias serão mediadas pelas atrizes e arte-educadoras Adriane Havro e Milene Dias. As histórias escolhidas trazem como traço essencial a capacidade de dirigir o olhar para o aspecto minúsculo, de “bolso” da vida cotidiana. “Aquelas situações que geralmente passam despercebidas dos adultos na correria do dia-a-dia, mas que não escapam aos olhos atentos dos pequenos”, relata a coordenadora pedagógica do projeto Adriane Havro.

_AAA0711.jpg
Foto: Arte-educadoras Adriane Havro e Milene Dias.

Histórias de um bolso que é maior que o mundo

São histórias adequadas às crianças pequenas, compartilhadas pelas narradoras-guias em uma vivência lúdica de despertar para a leitura, por meio de livros e cantigas. A proposta é levar a essas instituições a história narrada como uma troca afetiva com o imaginário da criança. Luís Teixeira, produtor do projeto, observa que “a iniciação literária implica em compreendê-la como lugar de relações, de brincadeiras, de produção de sentido, de pertencimento, de conhecimento de si e do outro, em um processo atencioso de escuta e construção coletiva”.

O projeto “Histórias de Bolso para Gente Miúda – Vivências para Despertar a Leitura” é realizado pela Malasartes – Educação Sensível com o apoio da COPEL e incentivo do Governo do Estado do Paraná por meio do PROFICE - Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura do Paraná.

Grupo Malasartes

O Grupo Malasartes é um coletivo de intervenção cultural dedicado a levar vivências artísticas itinerantes a crianças e educadores, com foco na pesquisa e difusão da cultura popular e de histórias da tradição oral. Criado em 1995, esse grupo realiza há mais de 20 anos trabalhos de interação sensível em espaços comunitários, e traz em sua trajetória a realização de cerca de 30 projetos culturais, por meio de rodas de leitura, sessões de histórias, oficinas lúdicas e espetáculos.
Para maiores informações, você pode acessar a Fanpage do Projeto “Histórias de Bolso para Gente Miúda – Vivências para Despertar a Leitura” neste link.

FANPAGE DO PROJETO - https://www.facebook.com/historiasdebolsoparagentemiuda/?ref=page_internal

FICHA TÉCNICA

Mediação / narração de histórias: Adriane Havro e Milene Dias

Produção e Coordenação do projeto: Luis Teixeira

Coordenação Pedagógica: Adriane Havro

Design Gráfico: Adriana Alegria

Ilustração: Rosangela Grafetti

Assessoria/ Mídias Sociais: Kika Marquardt

Contatos: (41) 99988-9589 – Malasartes / Luis Teixeira

(41) 98802-7881 – Kika Marquardt / Assessoria

Nova coleção do projeto SouCuritiba “brinda” aos 40 anos do Bar do Alemão

Nova coleção do projeto SouCuritiba “brinda” aos 40 anos do Bar do Alemão

Souvenires inovadores de Curitiba serão apresentados nesta terça-feira (19), às 16 horas

O Bar do Alemão receberá nessa terça-feira (19), a partir das 16 horas, o lançamento de uma coleção de souvenires do projeto Sou Curitiba, iniciativa de economia criativa que ajuda a estimular o turismo na capital paranaense. Como comemoração aos 40 anos de um dos mais tradicionais bares de Curitiba, os participantes do programa criaram uma coleção específica com nove produtos, que incluem camisetas, placas, porta objetos, chaveiros, entre outros.

Os produtores criativos fizeram uma visita técnica, conheceram curiosidades e a história do estabelecimento e desenvolveram produtos. “A criação dessa coleção destaca a importância da cultura alemã para a colonização da cidade e a formação de alguns dos hábitos dos curitibanos. E também foi uma forma de homenagear o bar que faz parte da história de Curitiba”, explica a coordenadora estadual de turismo do Sebrae/PR, Patrícia Albanez.

O dono do Bar do Alemão, Jorge Tonatto, elogiou a qualidade das peças que serão exibidas na terça-feira. “Ficamos lisonjeados com o convite para os artistas produzirem as peças em homenagem ao bar. Esses são materiais muito bem produzidos, com ótimo acabamento e que superaram as nossas expectativas”, afirmou.

Os produtores credenciados pelo Sou Curitiba também realizaram uma visita guiada por alguns pontos turísticos através da Linha Turismo com o objetivo de conhecerem importantes elementos da iconografia, símbolos e momentos da história da capital curitibana como inspiração para a criação dos produtos.

A iniciativa colaborativa Sou Curitiba surgiu na época da Copa do Mundo de 2014 com o objetivo de aproveitar o fluxo de turistas para oferecer souvenires inovadores, que contassem a história de locais e personagens tradicionais e, com isso, incrementar o desenvolvimento do turismo da cidade. Voltado para designers, artesãos, arquitetos e criativos, o projeto passa pelas etapas de empreendedorismo, imersão na cultura e no turismo da cidade e inovação com o design.

Os souvenires aprovados em uma curadoria passam a ter a marca SouCuritiba e são vendidos em locais estratégicos da cidade que vão de pontos turísticos como o Museu Oscar Niemeyer e Ópera de Arame, até cafés, hotéis, bares e restaurantes. São 12 pontos de venda físicos parceiros e um ponto de venda online.

Em sete edições, já foram selecionados 306 produtos, sendo 50 deles apenas na edição de 2019 e já passaram pelo projeto 187 empreendedores criativos. Ao todo, já foram vendidos mais de 80 mil produtos, o que representou quase R$1,5 milhão de reais em vendas.

Ouro para ação social do Shopping Mueller em prêmio latino-americano

Ouro para ação social do Shopping Mueller em prêmio latino-americano
Reconhecimento internacional veio através do prêmio Global Awards Latin America & Caribbean 2019, com o projeto Mueller Ecodesign Social

Concorrendo com mais de mil projetos de toda a América Latina, o Mueller Ecodesign Social, do Shopping Mueller, conquistou o ouro na categoria Marketing de Causa do Global Awards Latin America & Caribbean 2019. Os vencedores foram revelados na noite da última quarta-feira (6), em Lima, no Peru, na premiação que reconhece projetos que trazem uma ruptura para o mercado de shoppings centers.

O projeto une profissionais de diversas áreas para revitalizar instituições que abrigam crianças e adolescentes em vulnerabilidade social, com a missão de oferecer um lar seguro, confortável e acolhedor para esses jovens. Seu impacto positivo já foi reconhecido por outras premiações envolvendo assuntos ligados à responsabilidade social - em uma dos prêmios mais importantes do segmento no país, a Associação Brasileira de Shoppings Centers (Abrasce) que também endossou a relevância do Projeto Mueller Ecodesign Social. “Além de contribuir com o desenvolvimento da comunidade e deixar um legado para a cidade, com este projeto vimos que pessoas com grandes sonhos reunidas podem transformar vidas”, comenta a superintendente do shopping, Daniela Baruch.

Sobre o Mueller Ecodesign Social
Construído a partir da Mostra Mueller Ecodesign, iniciada em 2008, que durante seis anos projetou ambientes assinados por profissionais de arquitetura e design de interiores, o Projeto Mueller Ecodesign Social surgiu através do mesmo pilar: a sustentabilidade. A principal proposta foi levar a exposição do Shopping Mueller para espaços reais, amparando diretamente o público. Em todas as edições, a missão foi sempre a mesma: a de alcançar os jovens, beneficiando-os diretamente com as melhorias realizadas no local onde frequentam.

Em sua primeira edição, em 2014, o projeto atendeu a Casa do Piá 1, já a segunda edição, em 2015, contemplou a Casa das Meninas do Novo Mundo. No terceiro ano, o projeto reformou o Portal do Futuro do Bairro Novo. Em 2017, a quarta edição revitalizou o Lar Batista Esperança. E em 2018, a ação trouxe novos ambientes para o Lar Infantil Sol Amigo. Todas as instituições são curitibanas e atendem jovens em vulnerabilidade social.

Em todos os anos, o projeto foi idealizado e organizado pelos arquitetos Rose Guazzi e Marcelo Calixto, que desempenham fundamental papel no estudo da arquitetura sustentável.

SERVIÇO:
Shopping Mueller
Local: Avenida Cândido de Abreu, 127 - Centro Cívico / Curitiba (PR)
Telefone: 41 3074-1000
Informações: www.shoppingmueller.com.br
Facebook: www.facebook.com/MuellerCtba
Instagram: @muellercwb

Banco do Brasil e Grupo Boticário buscam startups em projeto com a Liga Ventures

Banco do Brasil e Grupo Boticário buscam startups em projeto com a Liga Ventures

Gigantes em seus setores, as empresas agora querem acelerar a conexão com as inovações do mercado no programa de aceleração Liga Emerging Technologies, do qual já fazem parte a TIVIT e Cateno

Startups interessadas podem se inscrever até o dia 15/12

A Liga Ventures - aceleradora especializada em gerar negócios entre startups e grandes corporações - acaba de abrir as inscrições para o terceiro ciclo de aceleração da Liga Emerging Technologies (https://liga.ventures/emerging-tech/), programa de inovação aberta que irá prospectar, selecionar e acelerar startups em conjunto com grandes empresas.

Para essa nova rodada de aceleração, a vertical contará mais uma vez com a parceria da TIVIT - multinacional brasileira de soluções digitais com operações em dez países da América Latina - e da Cateno - uma joint venture do Banco do Brasil com a Cielo, que conecta e analisa processos, dados e pessoas. Neste ciclo a grande novidade é a chegada de novos importantes parceiros: o Banco do Brasil - uma das maiores instituições financeiras da América Latina - e o Grupo Boticário – um dos maiores grupos de beleza do mundo referência na estratégia multimarca e multicanal.

"Inovação e empreendedorismo estão no DNA do Grupo Boticário, já acompanhávamos de perto o universo e o movimento das startups, com a parceria da Liga Ventures iremos concretizar e viabilizar ainda mais projetos que estejam em sintonia com nosso negócio e este universo’, conta Anatazio Porte (Nato), Diretor da Mooz, Unidade de Soluções Financeiras do Grupo Boticário - líder da parceria com a Liga Ventures.

Já para Carla Sarkis, gerente executiva na diretoria de Negócios Digitais do Banco do Brasil, “a parceria com a Liga Ventures vem para contribuir e complementar os serviços que o BB pode oferecer a seus clientes. Sabemos que serviços financeiros não são mais exclusivos de bancos, por isso, é importante estar sempre preparado para as mudanças a cada dia mais velozes”.

De acordo com Rogério Tamassia, co-fundador da Liga Ventures, o programa é uma grande oportunidade para essas grandes empresas terem acesso a startups que estão desenvolvendo tecnologias com potencial para criar ou transformar o ambiente de negócios nos próximos anos.

Programa de Aceleração Liga Emerging Technologies
O processo de seleção contará com as seguintes etapas: inscrições, entrevistas e pitches para os executivos da Liga Ventures e das quatro corporações parceiras. As startups escolhidas passarão por um processo de aceleração de 4 meses - com início em março de 2020 - em que terão contato direto com executivos do Banco do Brasil, Cateno, Grupo Boticário e TIVIT com o objetivo de explorar sinergias e oportunidades de negócios, além de todo o acompanhamento da equipe da Liga Ventures e acesso a uma extensa rede de mentores, parceiros e potenciais investidores.

Nos ciclos anteriores 10 startups foram aceleradas, entre elas a Sentimonitor - plataforma de Big Data Analytics, que gera insights estratégicos e comerciais por meio de dados de redes sociais, sites, e outras fontes de informações abertas, além de análise de riscos e fraudes - e a Swipe - startup que fornece as ferramentas para tornar soluções financeiras mais eficientes usando Blockchain e redes DLT.

Serviço:
Liga Emerging Technologies
Inscrições até o dia 15/12 pelo site https://liga.ventures/emerging-tech/.

Sobre a Liga Ventures
Criada em 2015, a Liga Ventures (http://liga.ventures/) é uma das maiores aceleradoras de startups do país e pioneira no mercado de aceleração corporativa e corporate venture, com parceiros como BNDES, GPA, Brink's, Porto Seguro, Embraer, Mercedes-Benz, AES Brasil, Intel, TIVIT, Eaton, WebMotors, Cateno, Saint-Gobain, Unilever, Ticket Log, Vedacit, Souza Cruz, Suvinil, Bauducco, Ferrero, Colgate-Palmolive, Unimed FESP, BNDES e Sodexo. A Liga também já acelerou mais de 200 startups em seus ciclos de aceleração e criou estudos inéditos por meio do projeto Liga Insights, apontando startups que estão inovando nos setores de AutoTech, Retail, Tecnologias Emergentes, HR Techs, Health Techs, IT, Real Estate, Eleições 2018, MarTechs, AgroTechs e EdTechs.

Ação literária promove cultura e educação no Paraná

Ação literária promove cultura e educação no Paraná

A escritora Cléo Busatto realiza oficinas de formação de contadores de histórias e espetáculos infantis em sete cidades do Sudeste

Aproximar o leitor do autor e capacitar profissionais para a arte de contar histórias são os objetivos do projeto Histórias da Cléo PR 2, que será realizado em novembro de 2019. Ao todo, sete cidades do Sudeste paranaense (Bituruna, General Carneiro, Mallet, Paula Freitas, Porto Vitória, Cruz Machado e Rio Azul) participam da ação idealizada pela escritora Cléo Busatto e viabilizada por meio da Lei Rouanet, com patrocínio da Sanepar e do Grupo Potencial.

O projeto acontece em dois atos: a intervenção artístico-literária Histórias da Cléo e a oficina de formação de contadores de histórias Contar e Encantar, pequenos segredos da narrativa. O primeiro é um espetáculo para crianças que apresenta a obra literária da autora de maneira interativa, colocando a plateia como protagonista. O segundo é uma oficina dedicada a professores, mediadores e agentes de leitura, que propõe a reflexão e a prática da arte de contar histórias. Todas as ações são gratuitas.

“Eu vivo duas estações na minha jornada como escritora. A primeira é o tempo da solidão criativa, no qual crio as histórias e fico na companhia dos personagens. A segunda é o tempo de compartilhar com o leitor, ser afetada pelo seu olhar e me inspirar para novas criações. Para mim é uma alegria estar com o leitor. Ele é quem dá vida aos meus livros”, conta Cléo Busatto.

Essa é a terceira edição do projeto Histórias da Cléo que já levou as obras da escritora para 10.700 crianças da rede pública de Curitiba e da região metropolitana, além de 20 cidades paranaenses. O projeto também capacitou 102 pessoas nas oficinas de contadores de histórias.

Intervenção artístico-literária para crianças, Histórias da Cléo
No espetáculo, a obra literária é apresentada de forma performática, por meio da atuação da escritora e com a participação da criança. A construção do trabalho é uma releitura de algumas obras de autoria de Cléo Busatto por meio de várias linguagens, como a narração oral, o canto e a leitura em voz alta. A plateia é convidada a se tornar protagonista dessa ação, interagindo na atuação da escritora, por meio da exploração sonora e linguística das obras.

Cléo Busatto constrói com o público momentos criativos e prazerosos e demonstra que as histórias podem nos divertir e instruir. As obras de Cléo Busatto que integram o espetáculo fazem parte de programas de leitura (federal, estadual e municipal) e catálogos internacionais, como a Feira do Livro Infantil e Juvenil de Bologna, Itália.

Serão quatro espetáculos em cada cidade, dirigidos a crianças de 6 a 11 anos. A ação acontece na Biblioteca Pública ou Cidadã de cada cidade participante, valorizando o uso da biblioteca e reforçando o conceito biblioteca-viva, ou seja, espaço que recebe e atua com cultura.

Oficina de formação de contadores de histórias, Contar e Encantar, Pequenos Segredos da Narrativa

A oficina de formação de contadores de histórias propõe a reflexão e a prática da arte de contar história, exercitando os três eixos (ritmo, intenção e imagens) que qualificam a técnica da autora, descrita no seu livro Contar e encantar, pequenos segredos da narrativa (8ª ed., editora Vozes). Serão abordadas considerações significativas sobre o texto literário, como a importância das histórias na formação do ser humano e a narrativa como um caminho para aproximar pessoas.

A oficina de formação será realizada na cidade de Rio Azul e oferece dez vagas para profissionais de cada um dos municípios participantes.

Histórico do projeto

A primeira edição do projeto Histórias da Cléo, 2014, circulou pelas bibliotecas escolares e Faróis do Saber, da Rede Municipal de Bibliotecas Escolares, de Curitiba. Contou com o incentivo da Caixa Cultural e da Prefeitura Municipal de Curitiba – Fundação Cultural de Curitiba. Oportunizou o acesso gratuito a 5,4 mil crianças da rede pública de Curitiba e da região metropolitana.

Em 2016 foi realizada a segunda edição, que se chamou Histórias da Cléo PR1. O projeto foi selecionado no edital Circula Paraná, da Secretaria de Cultura do Estado do Paraná. Com o patrocínio do MINC e da Copel. Atuou em 20 municípios da Mesorregião Metropolitana de Curitiba e oportunizou o acesso a 5,3 mil crianças e adultos nas ações que aconteceram nas bibliotecas Públicas e Cidadãs de cada cidade. As oficinas de formação de contadores de histórias capacitaram 67 participantes.

Serviço:
Histórias da Cléo PR2
Patrocínio: Lei Rouanet, Sanepar e Grupo Potencial.
Locais dos espetáculos: Bituruna, General Carneiro, Mallet, Paula Freitas, Cruz Machado, Porto Vitória e Rio Azul.
Oficina de formação de contadores de histórias: dia 19 de novembro de 2019, no Salão da Secretaria de Educação de Rio Azul (Rua Getulio Vargas, 270).
Intervenção artístico-literária para crianças, Histórias da Cléo: Mallet (04/11), Cruz Machado - (5/11), Paula Freitas (06/11), General Carneiro (11/11), Bituruna (12/11), Porto Vitória (13/11) e Rio Azul (18/11).
Inscrições gratuitas pelo site http://cleobusatto.com.br/historiasdacleo

Sobre Cléo Busatto
Cléo Busatto é uma artista da palavra. Como escritora publicou seu primeiro livro, Dorminhoco, em 2001. É autora de mais de 25 obras, entre literatura para crianças, teóricos sobre oralidade e CD-ROMs, que venderam em torno de 280 mil exemplares. Eles fazem parte de programas de leitura e catálogos internacionais, como a Feira do Livro Infantil de Bolonha, Itália. Seu livro A fofa do terceiro andar foi finalista do Prêmio Jabuti 2016, categoria juvenil.

Como narradora oral contou histórias para mais de 150 mil pessoas, no Brasil e exterior. Também produz e narra histórias no meio digital. Esta pesquisa, que foi tema da sua dissertação de mestrado, já originou cinco mídias.

Enquanto mediadora de projetos sobre oralidade, leitura e literatura formou mais de 80 mil pessoas, em oficinas e palestras. Cléo Busatto é mestre em Teoria Literária, pela Universidade Federal de Santa Catarina, e pesquisadora transdisciplinar, formada pelo Centro de Educação Transdisciplinar - SP.

Por meio da produtora CLB Produções concebe e executa projetos culturais e educativos de mediação de leitura, literatura e teatro.

Mais informações no site http://cleobusatto.com.br/

Obras recentes:
- Histórias que eu gosto de contar. Curitiba, PR: CLB Produções, 2018. PNLD Literatura 2018. Programa Minha Biblioteca SME SP 2019.
- Livro dos Números, Bichos e Flores. Alfenas, MG: Cria Editora, 2017.
- O tempo das coisas. Alfenas, MG: Cria Editora, 2017.
- Como vender bem, a arte de se comunicar contando histórias. Petrópolis: Vozes, 2017.
- A fofa do terceiro andar. 2ª ed. Rio de Janeiro: Galera Record, 2015. Finalista do Jabuti 2016, categoria Juvenil. PNLD 2020.

Serra Verde Express inaugura primeiro vagão pet friendly do Brasil

Serra Verde Express

Serra Verde Express inaugura primeiro vagão pet friendly do Brasil

Com serviços exclusivos e projeto sustentável, vagão foi desenvolvido para garantir segurança e conforto dos viajantes e animais de estimação

A Serra Verde Express, maior operadora de trens turístico do Brasil, inova mais uma vez e lança nesta quinta-feira (24), o primeiro vagão de luxo e pet friendly do país. Com o objetivo de oferecer uma experiência única tanto para os passageiros, como para seus animaizinhos, o novo vagão é assinado pela arquiteta Lucille Amaral e todo pensado para garantir o conforto e a segurança dos pets durante a viagem.

A estrutura permite que os animais fiquem fora das caixas de transporte e conta também com poltronas exclusivas para eles. Os assentos pets tem tecido impermeável e cinto de segurança. O piso é emborrachado e poroso para que os bichinhos possam se movimentar com segurança durante o passeio. No centro do vagão, uma varanda Panorâmica oferece espaço com tapetes higiênicos e potes com água para que os animais possam se refrescar durante a viagem e não fiquem restritos apenas a área interna. “ O projeto foi elaborado pensando no conforto e segurança deles, em primeiro lugar” comenta a arquiteta Lucille Amaral.

Alinhado ao posicionamento sustentável da empresa, o vagão foi construído com revestimentos ecológicos no piso, paredes e tetos, madeira maciça certificada, painel de energia solar e barras de led. Além disso, a Serra Verde Express busca valorizar o trabalho de fornecedores locais, como a Mikuska Móveis Clássicos, empresa curitibana que também atuou em outros projetos ferroviários da empresa. A obra foi executada em 60 dias, envolveu cerca de 30 profissionais e representa um investimento de 205 mil reais.

De acordo com a arquiteta que já esteve à frente de outros cinco projetos da Serra Verde Express, o vagão pet foi um dos mais desafiadores. “Unir o conforto do ser humano e dos animaizinhos num espaço pequeno, garantir uma boa área de circulação e visibilidade para ambos exigiu bastante planejamento da equipe, mas chegamos num resultado excelente”, comenta a profissional.

De categoria primeira classe, o vagão tem capacidade para 28 pessoas e oito poltronas pets. Animais de pequeno e médio porte podem viajar no colo dos passageiros e é permitido, a todos, a circulação livre pelo vagão. O serviço de bordo também contempla os bichinhos. Para os adultos, café da manhã e bebidas à vontade, para os pets, kits lanche especial.

Homenagem a Sylvio Bove

Segundo o diretor-presidente da Serra Verde Express, Adonai Aires de Arruda, veterinário de formação, o vagão é uma das formas de homenagear o consagrado veterinário paranaense Sylvio Bove que atuou de forma expressiva em prol da vida selvagem. “Bove foi um grande cirurgião e mestre. Figura ilustre da medicina veterinária, em Curitiba, inspirou a todos nós com o trabalho magistral que desenvolveu no Passeio Público da cidade” afirma Arruda.

Além da homenagem, o novo vagão conta ainda com um mascote exclusivo, o primeiro da Serra Verde Express. O Ferox (que em latim significa selvagem/ feroz) representa os animais selvagens presentes da Mata Atlântica.

Mundo pet

Além de ser um diferencial para passeios turísticos, o novo vagão da Serra Verde Express também atende a uma demanda do mercado pet que atualmente oferece diversas opções em produtos e serviços. Segundo estimativa do Instituto Pet Brasil, em 2019 o faturamento desse setor deve chegar a R$ 36, 2 bilhões, 5,4% a mais do que em 2018.

A viagem no novo vagão tem saídas regulares de Curitiba, sempre às 8h30, de acordo com o calendário de circulação do trem e tem valor de R$ 235 por adulto, R$145 por crianças e R$ 35 por pet. É necessário apresentar carteira de vacinação em dia, autorização do veterinário, e levar caixa de transporte do animazinho para quem optar pelo retorno rodoviário.

As compram podem ser feitas pelo site www.serraverdexpress.com.br ou diretamente na Estação de trem. Mais informações: (41) 3888 3488, whatsapp (41) 98867 8022 ou email contato@serraverdeexpress.com.br .

Sobre a Serra Verde Express

A Serra Verde Express é a operadora oficial do trem turístico de passageiros da Serra do Mar Paranaense na ferrovia Paranaguá - Curitiba desde 1997. Em mais de vinte anos de trabalho, incrementou o turismo ferroviário do Paraná e se tornou uma das mais importantes operadoras de trens turísticos do Brasil. É considerada, hoje, referência no setor em todo o mundo e administra o único trem de luxo nacional. Anualmente, cerca de 200 mil pessoas passeiam nos trens operados pela empresa. Além do turismo ferroviário, a Serra Verde Express oferece city tour, pacotes turísticos, serviços de transfer, receptivo e eventos. Para garantir a satisfação dos visitantes a empresa investe periodicamente em melhorias, treinamentos de colaboradores e na preservação do meio ambiente. A Serra Verde Express pertence à Holding Higi Serv e tem como diretor geral Adonai Aires de Arruda Filho. O executivo é presidente da Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos Culturais (ABOTTC). Mais informações: www.serraverdeexpress.com.br.

Convenção de Vendas 2019 da GT Building reúne 700 corretores de imóveis

Convenção de Vendas 2019 da GT Building reúne 700 corretores de imóveis
Evento realizado em dois dias aconteceu no novo espaço da incorporadora, localizado no Seminário, em Curitiba

Nos dias 15 e 16 de outubro (terça e quarta-feira), uma das mais novas incorporadoras do mercado imobiliário, a GT Building, lançou sua campanha de Natal para mais de 700 corretores. Estavam presentes funcionários da Imobiliária Thá, Imobiliária Lopes e algumas outras imobiliárias da plataforma, que puderam conferir em primeira mão as novidades da empresa para o último trimestre. O CEO da GT Company, Geninho Thomé, e o Diretor da empresa, João Alfredo Thomé, também participaram da convenção.

Geninho Thomé, CEO da GT Building, afirma que reunir tantos especialistas do mercado imobiliário em um único lugar prova que a empresa já proporciona credibilidade mesmo tendo sido criada há pouco tempo. “A GT Building já nasce gigante e derivada da ótima performance que os últimos empreendimentos tiveram. Até o fim de 2019 entregaremos quatro projetos finalizados e já temos 12 terrenos com planos em desenvolvimento. Ou seja, tudo isso demonstra a capacidade financeira que a empresa possui e prova aos funcionários e corretores que eles estão investindo no lugar certo”, diz.

No evento foram exibidos teasers dos próximos empreendimentos da GT Building, mas a principal atração foi a apresentação do projeto do novo espaço físico da incorporadora, que contemplará um ambiente muito mais confortável para atender aos clientes, além de hospedar os apartamentos decorados dos próximos lançamentos.

Sobre a GT Building

A GT Building foi fundada em 2019 e nasceu como uma das maiores incorporadoras imobiliárias da cidade. A empresa paranaense é parte do grupo GT Company, do empresário Geninho Thomé, e atualmente conta com 18 projetos em diferentes fases.

A GT Building contará com uma plataforma de vendas composta pelas maiores imobiliárias do mercado. Entre elas estão a Imobiliária Thá e a Lopes, envolvendo quase 500 corretores.