Maturidade é a força da G2 Cia de Dança

Companhia formada por ex-integrantes do Balé Teatro Guaíra com artistas entre 53 e 65 anos comemora duas décadas com temporada no Guairinha

É comum escutar que a profissão de atleta e bailarino tem vida curta. A culpada? A idade. A G2 Cia de Dança vai na contramão dessa ideia. O grupo é composto por ex-integrantes do Balé Teatro Guaíra que não se conformaram com o argumento de que a faixa etária decide a carreira de um artista da dança. Ao contrário, eles usam a maturidade de seus componentes para desenvolverem um trabalho autoral de qualidade artística e técnica. O resultado dessa resiliência? Somaram-se à carreira deles mais 20 anos, que serão comemorados entre os dias 10 e 15 de dezembro, no Guairinha.

Foi em 1999 que um grupo de bailarinos decidiu ir além. Já tinham conhecimento de uma companhia master na Holanda, mantida pelo estado e composta por bailarinos que não queriam parar de dançar, tendo em vista que ainda tinham condições físicas e artísticas para tanto. A ideia foi colocada e Monica Rischbieter, então Diretora Presidente  do Centro Cultural Teatro Guaíra, comprou a ideia. Estava criada a G2 Cia de Dança, pioneira no Brasil com esse formato de atuação, e atualmente única em atividade.

O grupo surgiu com uma característica marcante: desenvolver um trabalho de linguagem contemporânea e com características mais autorais do que a companhia oficial do Guaíra, uma revolução para a época. O objetivo era fazer uso pleno da maturidade pessoal e profissional de seus componentes, apenas promovendo adequações nos parâmetros de uso das técnicas. 

Julio Mota fez carreira no Balé Teatro Guaíra e é um dos bailarinos da G2 Cia de Dança. Segundo ele, o grupo tem uma importância não apenas artística, mas um papel social também. “Com a expectativa de vida do brasileiro aumentando, a atuação da G2 destaca algo de relevância social. Ela mostra para a sociedade que você pode continuar produtivo, ativo e propositor de coisas novas, rompendo com o paradigma do condicionamento físico e da barreira da idade”, declara.

Hoje, a G2 Cia de Dança é formada pelos bailarinos: Ana Silva, Clionise de Barros, Deisi Wor, Grazianni Canalli, Inês Drumond, Julio Mota, Leandro Nascimento, Ricardo Garanhanin e Rogério Halila. Eles têm idade entre 53 a 65 anos. Grande parte deles iniciou a vida profissional dentro do Guaíra, na década de 80.

Em seus 20 anos de atuação, a G2 possui 12 espetáculos montados com a participação de diretores convidados, quatro montagens de criação coletiva do próprio grupo, um espetáculo especial que marcou a retrospectiva dos vinte anos da companhia - o “Portfólio”, circulações nacionais pelo Ceará, Santa Catarina, Pernambuco, Rio Grande do Sul e São Paulo; apresentações internacionais na Argentina e uma premiação da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) como reconhecimento ao trabalho de ampliação da carreira do bailarino.

Em 2019, para comemorar os 20 anos de atuação da G2 Cia de Dança, o grupo iniciou uma nova turnê nacional com os espetáculos “Blow Elliot Benjamin”, “La Cena” e a intervenção “Banquete das Diferenças”. A circulação já passou por Recife, Fortaleza e Vitória, com previsão de apresentações no Rio de Janeiro e São Paulo em 2020. Em Curitiba, a grande comemoração acontece em dezembro, no Guairinha, com espetáculos a preços populares.

O projeto de circulação nacional da G2 Cia de Dança é realizado via Lei de Incentivo à Cultura, com patrocínio da Copel e realização da Associação Brasileira de Apoiadores Beneméritos do Teatro Guaíra (ABABTG), Centro Cultural Teatro Guaíra,  Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura, Governo do Paraná,  Secretaria Especial da Cultura, Ministério da Cidadania, Governo Federal – Pátria Amada, Brasil.

SERVIÇO

 

G2 Cia de Dança no Guairinha

La Cena

Data: 10 e 11 de dezembro

Hora: 20h30

Local: Guairinha

Endereço: Rua XV de Novembro, s/n, Centro

Ingresso: R$20 e R$10, na bilheteria do Teatro e pelo Ticket Fácil

Blow Elliot Benjamin

Data: 14 e 15 de dezembro

Horário: sábado às 20h30 e domingo às 18h 

Local: Guairinha

Endereço: Rua XV de Novembro, s/n, Centro

Ingresso: R$20 e R$10, na bilheteria do Teatro e pelo Ticket Fácil

Maturidade é a força da G2 Cia de Dança

Maturidade é a força da G2 Cia de Dança

Companhia formada por ex-integrantes do Balé Teatro Guaíra com artistas entre 53 e 65 anos comemora duas décadas com temporada no Guairinha

downloadAttachment&Message%5Buid%5D=152902&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253C1edc01d59f1f%25249868df70%2524c93a9e50%2524%2540smartcom.net.br%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3C1edc01d59f1f%249868df70%24c93a9e50%24%40smartcom.net.br%3E-1.1.2

É comum escutar que a profissão de atleta e bailarino tem vida curta. A culpada? A idade. A G2 Cia de Dança vai na contramão dessa ideia. O grupo é composto por ex-integrantes do Balé Teatro Guaíra que não se conformaram com o argumento de que a faixa etária decide a carreira de um artista da dança. Ao contrário, eles usam a maturidade de seus componentes para desenvolverem um trabalho autoral de qualidade artística e técnica. O resultado dessa resiliência? Somaram-se à carreira deles mais 20 anos, que serão comemorados entre os dias 10 e 15 de dezembro, no Guairinha.

Foi em 1999 que um grupo de bailarinos decidiu ir além. Já tinham conhecimento de uma companhia master na Holanda, mantida pelo estado e composta por bailarinos que não queriam parar de dançar, tendo em vista que ainda tinham condições físicas e artísticas para tanto. A ideia foi colocada e Monica Rischbieter, então Diretora Presidente do Centro Cultural Teatro Guaíra, comprou a ideia. Estava criada a G2 Cia de Dança, pioneira no Brasil com esse formato de atuação, e atualmente única em atividade.
O grupo surgiu com uma característica marcante: desenvolver um trabalho de linguagem contemporânea e com características mais autorais do que a companhia oficial do Guaíra, uma revolução para a época. O objetivo era fazer uso pleno da maturidade pessoal e profissional de seus componentes, apenas promovendo adequações nos parâmetros de uso das técnicas.
Julio Mota fez carreira no Balé Teatro Guaíra e é um dos bailarinos da G2 Cia de Dança. Segundo ele, o grupo tem uma importância não apenas artística, mas um papel social também. “Com a expectativa de vida do brasileiro aumentando, a atuação da G2 destaca algo de relevância social. Ela mostra para a sociedade que você pode continuar produtivo, ativo e propositor de coisas novas, rompendo com o paradigma do condicionamento físico e da barreira da idade”, declara.
Hoje, a G2 Cia de Dança é formada pelos bailarinos: Ana Silva, Clionise de Barros, Deisi Wor, Grazianni Canalli, Inês Drumond, Julio Mota, Leandro Nascimento, Ricardo Garanhanin e Rogério Halila. Eles têm idade entre 53 a 65 anos. Grande parte deles iniciou a vida profissional dentro do Guaíra, na década de 80.
Em seus 20 anos de atuação, a G2 possui 12 espetáculos montados com a participação de diretores convidados, quatro montagens de criação coletiva do próprio grupo, um espetáculo especial que marcou a retrospectiva dos vinte anos da companhia - o “Portfólio”, circulações nacionais pelo Ceará, Santa Catarina, Pernambuco, Rio Grande do Sul e São Paulo; apresentações internacionais na Argentina e uma premiação da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) como reconhecimento ao trabalho de ampliação da carreira do bailarino.
Em 2019, para comemorar os 20 anos de atuação da G2 Cia de Dança, o grupo iniciou uma nova turnê nacional com os espetáculos “Blow Elliot Benjamin”, “La Cena” e a intervenção “Banquete das Diferenças”. A circulação já passou por Recife, Fortaleza e Vitória, com previsão de apresentações no Rio de Janeiro e São Paulo em 2020. Em Curitiba, a grande comemoração acontece em dezembro, no Guairinha, com espetáculos a preços populares.

O projeto de circulação nacional da G2 Cia de Dança é realizado via Lei de Incentivo à Cultura, com patrocínio da Copel e realização da Associação Brasileira de Apoiadores Beneméritos do Teatro Guaíra (ABABTG), Centro Cultural Teatro Guaíra, Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura, Governo do Paraná, Secretaria Especial da Cultura, Ministério da Cidadania, Governo Federal – Pátria Amada, Brasil.

SERVIÇO

G2 Cia de Dança no Guairinha

La Cena
Data: 10 e 11 de dezembro

Hora: 20h30

Local: Guairinha

Endereço: Rua XV de Novembro, s/n, Centro

Ingresso: R$20 e R$10, na bilheteria do Teatro e pelo Ticket Fácil

Blow Elliot Benjamin

Data: 14 e 15 de dezembro

Horário: sábado às 20h30 e domingo às 18h

Local: Guairinha

Endereço: Rua XV de Novembro, s/n, Centro

Ingresso: R$20 e R$10, na bilheteria do Teatro e pelo Ticket Fácil

Artrite

Artrite

de 29 de novembro a 1 de dezembro, sexta, sábado e domingo às 20h
Classificação 16 anos
Glauco Flores de Sá Brito – Miniauditório do Teatro Guaíra
Ingressos: R$ 16,00 (dezesseis reais) e R$ 8,00 (oito reais)

Gênero: Drama
Duração: 45 min.

Ficha Técnica:

Texto e Direção: Marcelo Leonel Felczak
Elenco: Janaina Ferreira e Andressa de Lima
Iluminação e Sonoplastia: Cassiano Fonsaca e Marcelo Felczak
Figurinos: Janaina Ferreira e Sabrina Marques
Cenário: Marcelo Felczak

Sinopse

Quando o caminho que tomamos não era aquele planejado no frescor da juventude e o resultado são dores e arrependimentos, um mergulho profundo em nossa história de vida pode nos dar a resposta necessária para, quem sabe, seguir em frente. “Artrite” são dores em articulações femininas, forjadas por homens de atitudes e conduta inflamatória.

Release

O espetáculo “Artrite” fala sobre escolhas e condicionamentos dos quais as mulheres, numa sociedade conduzida por leis formuladas por homens, estão sujeitas. O sentimento de superioridade e a exaltação masculina, ao longo da história, muitas vezes conduziram para a marginalidade as mulheres que ousaram quebrar alguns padrões sociais. A argumentação do texto surgiu no início de 2019, por iniciativa das atrizes Sabrina Marques e Janaína Ferreira, seguida por Andressa de Lima, expondo temas femininos, cabendo ao diretor do espetáculo Marcelo Leonel Felczak compilar toda a discussão em dramaturgia.
A peça apresenta as dificuldades encontradas pela protagonista ao longo de sua vida, seu sonho de ser uma artista e sua trajetória, saindo sozinha de sua cidade natal no interior do Brasil e se aventurando numa grande uma metrópole em busca de oportunidades mais promissoras. Neste caminho desconhecido e complicado a personagem encontra pessoas não muito amigáveis e individualistas, com valores retrógrados e machistas. Uma mulher presa em suas referências pouco libertárias, seguindo padrões que destoam de suas utopias, entre escolhas e imposições concebe a sua e outras vidas, educa reproduzindo sua prisão em novas gerações. Revisitar acontecimentos marcantes e entender laços familiares que forjaram sua personalidade acaba sendo a maneira encontrada de entender seu momento presente.
Um retrato de tempos já passados, com valores que insistem em permanecer enraizados em nossa sociedade, talvez uma página que não foi virada, ainda que muitas palavras já tenham sido modificadas, cabe a cada um tirar suas próprias conclusões e conduzir a discussão para novos patamares.

“CARIOCA AO VIVO” EM DUAS SESSÕES EM CURITIBA NESTA SEXTA E SÁBADO NO GUAIRINHA

“CARIOCA AO VIVO” EM DUAS SESSÕES EM CURITIBA

NESTA SEXTA E SÁBADO NO GUAIRINHA

Márvio Lúcio, o Carioca, canta dança e interpreta versões de personagens icônicos como Moraes Moreira, Padre Fábio de Melo, Fredie Mercury, além de outros, que o comediante prefere manter em segredo, para a surpresa do público.

“Carioca ao Vivo” é um espetáculo ímpar, completamente diferente de tudo que já vimos. “Esse espetáculo faz com que eu apresente no palco tudo que eu não pude mostrar na televisão, é a minha liberdade, levo ao palco o que eu tenho vontade de fazer”, revela o humorista que conta ainda que o público faz parte do show, com muita interação.

Como não podia deixar de ser, Carioca também leva ao palco personagens políticos atuais, que fazem muito sucesso nas redes sociais dele, como Bolsonaro e Sérgio Moro.

“Atualizo as piadas sempre, isso para levar o melhor do meu humor para o público. Tudo o que estiver acontecendo no Brasil no momento vai fazer parte do roteiro do show. Vou mostrar algo que jamais mostrei nos palcos, quero inovar”, completa o humorista.

Sobre o Carioca

Márvio Lúcio é humorista, radialista e repórter brasileiro, conhecido por sua irreverência e versatilidade como ator, repórter e apresentador. São mais de 21 anos de carreira com muito sucesso, conquistando uma grande legião de fãs. Carioca prende a atenção do público com inúmeras e emblemáticas imitações. Entre os personagens mais populares: Bolsonabo (Jair Bolsonaro), Dilma Ducheff (Dilma Roussef), Amaury Dumbo (Amaury Junior), Jô Suado (Jô Soares), Falso Silva (Fausto Silva), o cantor Lelé Santos (Lulu Santos) e muitos outros.

Carioca também se dedica a um espaço mais intimista, no YouTube, para todos que admiram o trabalho do comediante. O Canal do Carioca é um misto de tudo o que o humorista apresenta na televisão, mas com muita ousadia em vídeos jamais imaginados.

Serviço:

Carioca ao Vivo

Quando: 08 e 09 de novembro (sexta e sábado)

Onde: Teatro Guairinha

Horário: 21:00

Valores: Os ingressos variam de R$ 46,00 (meia-entrada a R$ 92,00 (inteira);

Vendas: Disk Ingressos

Produção: Massa Fun, RA Produções e Non Stop

12º Festival de Cinema da Lapa acontece na próxima semana com dezenas de atrações gratuitas

12º Festival de Cinema da Lapa acontece na próxima semana com dezenas de atrações gratuitas
​Realizado na histórica cidade da Lapa, localizada na Região Metropolitana de Curitiba, o festival se consagrou como uma das principais celebrações do cinema nacional nos últimos anos

CURITIBA, 31/10/2019 – Entre os dias 07 e 10 de novembro, será realizada a 12ª edição do tradicional Festival de Cinema da Lapa, na histórica cidade da Lapa (PR), localizada na Região Metropolitana de Curitiba. Promovido pelo Instituto Histórico e Cultural da Lapa, em parceria com o Instituto Borges da Silveira, o evento se consolidou como uma das principais celebrações do cinema nacional e contará com uma programação gratuita repleta de atrações especiais.

Durante a programação oficial, serão exibidos gratuitamente, ao longo de quatro dias, dezenas de filmes, que serão divididos em diferentes mostras, além da realização de shows, homenagens e exposições. O evento acontece em espaços selecionados especialmente para o festival. Um dos destaques da programação ficará por conta da Mostra Competitiva de longa-metragem, que contará com a exibição dos filmes “O Amor dá Trabalho”, “Eu sou Brasileiro”, “Nóis por Nóis” e “Maria do Caritó”. Estarão em disputa, entre outros, os prêmios de Melhor Ator, Melhor Atriz, Melhor Diretor e Melhor Filme.

A programação oficial trará, também, diversos filmes de curta e longa-metragem que vão ser exibidos na “Mostra Infantil” voltadas para as escolas, com destaque para a produção “Turma da Mônica: Laços”; na “Mostra Filmados na Lapa”, somente com produções locais; e nas mostras “Curtas-metragens Paranaenses” e “Celulapa”, com filmes produzidos em celular. Para completar a programação oficial, duas exposições fazem parte do evento: “O Cinema no Olhar ”, que trará fotografias do acervo do Museu da Imagem e do Som do Paraná (MIS – PR), com curadoria de Gefferson Vaz e produção de Tiomkim, em cartaz na Casa Ney Braga; e “Projeções através do tempo”, que vai apresentar o acervo do do colecionador Orlando Gonçalves, disponível para visitação no Theatro São João.

Assim como aconteceu em todas suas edições, o 12º Festival de Cinema da Lapa vai homenagear grandes nomes do cinema nacional com o Troféu Tropeiro da Lapa, que destaca a carreira de grandes artistas brasileiros. Neste ano, o festival vai celebrar a carreira da atriz Lilia Cabral, que desembarca na cidade no sábado (09). Além da tradicional homenagem, o festival entregará a Comenda Tropeiro da Lapa para o Dr. Luiz Lauro Lacks e o Diploma de Mérito para o ator paranaense Licurgo Espínola e para o exibidor Milton Durski.

Mostra competitiva

A primeira exibição da Mostra Competitiva será o filme “O Amor dá Trabalho”, que será apresentado na quinta-feira (07), a partir das 21h. O filme é dirigido por Ale McHaddo e conta a história de Ancelmo, interpretado pelo ator Leandro Hassun, um malandro e aproveitador que morre e acaba ficando preso no limbo. Para garantir seu lugar no céu, o personagem precisa praticar uma boa ação cumprindo a missão de unir um homem e uma mulher com personalidades muito divergentes. O elenco conta, ainda, com Flávia Alessandra e Bruno Garcia.

Na sexta-feira (08), a partir das 20h, será a vez da exibição do filme “Eu sou brasileiro”, dirigido por Alessandro Barros, cujo enredo aborda a vida de Léo, homem que passou a sua vida inteira tentando se tornar um jogador de futebol famoso e bem-sucedido, mas nunca teve sucesso e encontra sua força na família e na vocação ao unir o amor por futebol com a escrita. A sessão contará com a presença do ator Daniel Rocha, interprete do protagonista do longa-metragem. Já no sábado (09), a partir das 20h, será a vez do filme “Nóis por Nóis”, dirigido por Jandir Santir e Aly Muritiba, que mostra a trajetória de quatro jovens que vagam pela pista de um baile de rap, com vidas e objetivos completamente distintos, mas que terão seus destinos selados para sempre após a noite.

Para completar a Mostra Competitiva, também no sábado (09), a partir das 21h, acontece a exibição do filme “Maria do Caritó”, dirigido por João Paulo Jabur. O filme aborda a história de Maria do Caritó, interpretada pela atriz Lilia Cabral, que nas vésperas de completar 50 anos vive em uma pequena cidade do Nordeste e se vê em meio a simpatias para que, enfim, consiga se casar. Prometida a São Djalminha assim que nasceu, devido a um parto difícil, Maria do Caritó nunca encontrou um companheiro de verdade, mas vê suas esperanças ressurgirem com a chegada de um circo, já que uma cartomante lhe disse que seu pretendente seria um homem de fora.

O 12º Festival de Cinema da Lapa é promovido pelo Instituto Histórico e Cultural da Lapa e Instituto Borges da Silveira, com produção à cargo de A Labirinto Produtora. Toda programação é gratuita e aberta para a população da cidade e turistas. A organização do evento disponibilizará uma van para transporte gratuito, durante os 4 dias de evento, com saídas do Guairinha ao 12h30 e retorno ás 23h. Mais informações no site www.festivalcinemalapa.com.br, nas redes sociais do evento ou pelo telefone (41) 3622-0055.

“CARIOCA AO VIVO” EM DUAS APRESENTAÇÕES NO GUAIRINHA EM CURITIBA

“CARIOCA AO VIVO” EM DUAS APRESENTAÇÕES

NO GUAIRINHA EM CURITIBA

Márvio Lúcio, o Carioca, chega a Curitiba no dia 08 de novembro para cantar, dançar e interpretar versões de personagens icônicos como Moraes Moreira, Padre Fábio de Melo, Fredie Mercury, além de outros, que o comediante prefere manter em segredo, para a surpresa do público.

“Carioca ao Vivo” é um espetáculo ímpar, completamente diferente de tudo que já vimos. “Esse espetáculo faz com que eu apresente no palco tudo que eu não pude mostrar na televisão, é a minha liberdade, levo ao palco o que eu tenho vontade de fazer”, revela o humorista que conta ainda que o público faz parte do show, com muita interação.

Como não podia deixar de ser, Carioca também leva ao palco personagens políticos atuais, que fazem muito sucesso nas redes sociais dele, como Bolsonaro e Sérgio Moro.

“Atualizo as piadas sempre, isso para levar o melhor do meu humor para o público. Tudo o que estiver acontecendo no Brasil no momento vai fazer parte do roteiro do show. Vou mostrar algo que jamais mostrei nos palcos, quero inovar”, completa o humorista.

Sobre o Carioca

Márvio Lúcio é humorista, radialista e repórter brasileiro, conhecido por sua irreverência e versatilidade como ator, repórter e apresentador. São mais de 21 anos de carreira com muito sucesso, conquistando uma grande legião de fãs. Carioca prende a atenção do público com inúmeras e emblemáticas imitações. Entre os personagens mais populares: Bolsonabo (Jair Bolsonaro), Dilma Ducheff (Dilma Roussef), Amaury Dumbo (Amaury Junior), Jô Suado (Jô Soares), Falso Silva (Fausto Silva), o cantor Lelé Santos (Lulu Santos) e muitos outros.

Carioca também se dedica a um espaço mais intimista, no YouTube, para todos que admiram o trabalho do comediante. O Canal do Carioca é um misto de tudo o que o humorista apresenta na televisão, mas com muita ousadia em vídeos jamais imaginados.

Serviço:

Carioca ao Vivo

Quando: 08 e 09 de novembro (sexta e sábado)

Onde: Teatro Guairinha – Salvador de Ferrante

Horário: 21:00

Valores: Os ingressos variam de R$ 46,00 (meia-entrada) a R$ 92,00 (inteira);

Vendas: Disk Ingressos

Produção: Massa Fun, RA Produções e Non Stop

Trupe Ave Lola faz sua estreia no Guairinha

Trupe Ave Lola faz sua estreia no Guairinha
Companhia teatral fará temporada curta e aproveitará para apresentar a sua programação para 2020. Ingressos promocionais estão à venda.

A Trupe Ave Lola faz sua estreia no palco do Guairinha com a curta temporada do espetáculo “Manaós - uma saga de luz e sombra OU A Pequena Abelha e a Árvore Alta”. As apresentações marcam também o início das festividades de 10 anos e o anúncio da programação 2020, que já conta com viagens, nacionais e internacionais, além da estreia de novo trabalho.

“Manaós”, que tem trilha sonora ao vivo executada pelos músicos Breno Monte Serrat e Arthur de Lima Jaime, sob direção do músico francês Jean Jacques Lemêtre, artista do Theatre Du Soleil, conta uma história do Brasil pouco conhecida dos brasileiros, ambientada na época áurea do ciclo da borracha, na Manaus de 1911.

A temporada será de 28 de novembro a 1.º de dezembro. Os ingressos estão à venda e ir acompanhado é mais barato. Quem comprar dois ingressos diretamente na bilheteria do Teatro Guaíra vai pagar R$ 25,00 cada. Neste combo, o ingresso sai mais barato do que a meia-entrada. O preço individual válido para as compras pela internet é de R$60,00 (inteira) e R$30 (meia entrada).

Ave Lola – Em nove anos foram montados quatro espetáculos, que chegaram a aproximadamente 45 mil pessoas em apresentações nacionais e internacionais e tiveram o reconhecimento da crítica especializada. A Ave Lola realizou também conquistou o prêmio Myriam Muniz da Funarte, e o “Brasil Fronteiras do Norte” patrocinado pela Petrobras, ambos executados em 2015. Com eles, a trupe levou o teatro para as comunidades ribeirinhas da região norte do país, percorrendo em três meses aproximadamente 7.000km, abrangendo mais de 20 comunidades ribeirinhas.

SERVIÇO
Espetáculo: Manaós - uma saga de luz e sombra OU A Pequena Abelha e a Árvore Alta
Quando: 28, 29, 30/11/2019 às 20h30 e 01/12 às 19h
Local: Teatro Guairinha | Rua XV de Novembro, 971
Ingressos: R$ 60 (inteira) | R$ 30 (meia-entrada)
Classificação Indicativa: 12 anos
Ingressos à venda no site http://www.ticketfacil.com.br/eventos/cctg-a-pequena-abelha-e-a-arvore-alta.aspx e na bilheteria do Teatro Guaíra, de segunda a sábado, das 9h às 21h, e domingos das 9h às 18h. Informações: 3304-7953

PROMOÇÃO + TEATRO
Compre 2 ingressos pelo valor de R$ 25,00 cada. Neste combo, o ingresso sai mais barato do que a meia-entrada. É mais barato se você vier acompanhado! Válido somente para compras realizadas na bilheteria do Teatro Guaíra.

Noite de improvisação no palco do Guairinha

Noite de improvisação no palco do Guairinha

Grupo Antropofocus comemora 19 anos com convidados e em busca da melhor cena. Ingressos antecipados está à venda

No dia em que completa 19 anos de existência, 28 de outubro, o grupo Antropofocus vai receber amigos no palco do Guairinha para começar a celebração de aniversário com a apresentação de RESTA 1, espetáculo em que diversos improvisadores dividem o palco com dois diretores. Além do elenco da companhia, convidados de Santa Catarina, São Paulo e do Paraná participarão do desafio cujo objetivo é um só: fazer uma boa cena! Será uma única apresentação e os ingressos antecipados estão à venda pelo Ticket Fácil www.ticketfacil.com.br ou na bilheteria do teatro Guaíra.
“Nada poderia ser mais perfeito do que estar improvisando cercado de parceiros de criação que estiveram conosco durante estas quase duas décadas. Essa conquista, para nós, é mais do que uma comemoração, é uma celebração à nossa trajetória, à nossa continuidade e principalmente à nossa resistência”, diz Andrei Moscheto, diretor fundador da companhia.
Entre os convidados está o Daniel Nascimento, da Cia Barbixas de Humor, que estava junto com Moscheto quando a ideia que deu origem ao espetáculo nasceu. Eles participavam, em 2011, de um curso no Canadá com um dos mais importantes criadores e professores de improviso do mundo, o inglês Keith Johnstone, quando surgiu a ideia de criar a ImproDnA, uma companhia de improvisadores com o objetivo de trazer formatos internacionais para o Brasil e, no futuro, desenvolver formatos próprios de improvisação. “O primeiro formato trazido foi o RESTA 1, produzido pelo Antropofocus”, explica Moscheto, que será um dos diretores de cena, junto com Daniel.
Nada é previamente ensaiado e tudo acontece espontaneamente, diante da plateia. A cada nova rodada os diretores sorteiam quais improvisadores farão a próxima cena e, com a ajuda da plateia, propõem os temas. Ao final de cada improvisação o público vota e os atores com menor pontuação vão sendo eliminados, até sobrar apenas um improvisador ganhador.
Resta 1 é o começo da festa, que seguirá com a estreia nacional do novo espetáculo da companhia, que será apresentada no Teatro José Maria Santos, de 13 a 24 de novembro.

SOBRE O ANTROPOFOCUS - Desde a sua fundação, em 28 de outubro de 2000, o Antropofocus dedica-se a observar o ser humano e seu comportamento no cotidiano, sabendo que todas as suas ações podem ser consideradas cômicas, dependendo do prisma pelo qual é observado. Esta premissa inicial instigou o grupo a explorar diferentes formas de comicidade, que podem ser reconhecidas no repertório de 12 espetáculos produzidos pelo grupo ao longo de sua trajetória.
Quando o grupo começou a se reunir para montar espetáculos em que todos os artistas pudessem colaborar com a construção da dramaturgia, a improvisação foi o caminho técnico mais viável. Naquela época, enquanto os integrantes ainda cursavam a Faculdade de Artes do Paraná, as referências eram Augusto Boal, Viola Spolin e Dario Fo. Ao desenvolver o caminho para a construção da dramaturgia, no entanto, os atores perceberam o potencial que o improviso em si continha. Com o passar dos anos e com a criação de pontes de comunicação com outros grupos de comédia e improviso no Brasil e no mundo, a amplitude da ferramenta de improvisação ficou cada vez mais evidente e era necessário buscar uma maneira de poder extrapolar sua utilização, com um detalhe: sem abrir mão da teatralidade.
As bases de estudo do Antropofocus vieram de outros grupos de humor, como: o Monty Python (Inglaterra), com a liberdade da linguagem nonsense; o Les Luthiers (Argentina), com seus textos de humor refinado e jogos de palavras; o Asdrúbal Trouxe o Trombone (Brasil), pelo processo colaborativo de criação; os Parlapatões (Brasil) pela referência de ser um grupo de pesquisa de humor.
Além das parcerias e do desenvolvimento da pesquisa continuada, para a construção dos espetáculos, importantes artistas contribuíram para o aprofundamento do Antropofocus nas pesquisas sobre humor, possibilidades cômicas e construção dramatúrgica, entre os quais: Marcio Ballas (SP), Gustavo Miranda (Colombia), Daniel Nascimento (SP), Omar Argentino (Espanha), Adriana Ospina (Colombia), Frank Totino (Canadá), Shawn Kinley (Canadá), Daniel Tausig (SP), Rafa Pimenta (SP).

FICHA TÉCNICA – RESTA 1
Direção: Andrei Moscheto e Daniel Nascimento
Elenco Antropofocus: Anne Celli, Edran Mariano e Marcelo Rodrigues
Elenco Convidados: Alisson Lopes, Bruno Lops, Carlos Becker, Fabricio de Carvalho, Henrique Serena, Larissa Lima, Massa Nakatani, Nilo Netto, Rodrigo Fowolski, Sayuri Schmidt, Vitor Berti
Músico: Andrés Giraldo
Iluminação: Paulo Rosa
Realização: Antropofocus

SERVIÇO – RESTA 1
Dia 28 de outubro às 20h
Local: Guairinha (R. XV de Novembro, 971)
Ingressos: 40,00 (inteira) e 20,00 (meia-entrada)
Vendas de ingresso: Ticket Fácil – http://www.ticketfacil.com.br/eventos/cctg-resta-1.aspx ou na bilheteria do teatro Guaíra
Informações: 3304-7953.

Femusc e Scar desembarcam em Curitiba com espetáculo inédito de música e dança

Femusc e Scar desembarcam em Curitiba com espetáculo inédito de música e dança

O Femusc, maior festival-escola de música da América Latina, vai desembarcar em Curitiba, no próximo dia 22. É que, em parceria com a Scar (Sociedade Cultural Artística), acontece a apresentação única do Concerto Sinfônico com Ballet. O espetáculo é resultado da união da Orquestra Filarmônica e da Escola de Dança Scar e conta com obras de Gounod, Chabrier e Debussy.

A apresentação leva 40 músicos e 11 bailarinos ao palco do Auditório Salvador Ferrante (Guairinha), às 19h, com acesso gratuito. Os ingressos estarão disponíveis para retirada a partir das 14h. No concerto, o público poderá se emocionar com o repertório escolhido pelo maestro André dos Santos que inspirou a criação de duas coreografias inéditas por parte do coordenador de dança da Scar, Egberto Saurini.

Conforme Santos, as obras não foram criadas para ballet e, por isso, não têm uma história por trás. “Então demos liberdade total para que fossem criadas coreografias novas e originais a partir dos sentimentos que a música desperta”, explica o maestro.

Para o coreógrafo Egberto Saurini, o desafio foi criar o espetáculo levando em conta também a experiência e técnica dos alunos de dança, todos jovens com média de idade de 16 anos, e a adequação para diferentes tamanhos e configurações de palco. “A coreografia da Suite Pastorale me permitiu imaginar uma história em que jovens camponesas se apaixonam por um rapaz da vila. Já na Sinfonia n. 1, de Debussy, optamos por um estudo de movimento, um processo em que a coreografia vai se moldando aos bailarinos durante os ensaios”, complementa.

Sobre o Femusc
O Femusc acontece, anualmente, na cidade de Jaraguá do Sul, no Norte de Santa Catarina, e, em 2020, chega à sua 15ª edição. Considerado o maior festival-escola da América Latina, o evento reúne alunos de todo o mundo que, em aulas e concertos, podem dividir o palco com alguns dos professores mais virtuoses da atualidade. Saiba mais acessando www.femusc.com.br ou no www.facebook.com/femusc e instagram/femusc.

Foto: divulgação