Psicopedagoga separa dicas práticas de como evitar abusos psicológicos durante a quarentena

O abuso psicológico é um grande responsável pela geração de traumas na infância, no desenvolvimento pessoal e até mesmo futuramente no âmbito profissional. Nesse momento de quarentena, é notável que a maioria dos responsáveis e crianças já estejam saturados da rotina em casa, o que pode acarretar a prática de abuso psicológico, mesmo que de forma não intencional. Pensando nisso, a psicopedagoga Ana Regina Caminha Braga dá algumas dicas fáceis de como os pais/responsáveis devem agir no ambiente familiar, a fim de evitar essa prática e tornar os relacionamentos em casa emocionalmente saudáveis.

1. Elaborem uma rotina mínima de tarefas domésticas a serem realizadas sozinhas ou com o auxílio do responsável e também atender a rotina das atividades escolares. Ainda nessa construção, considerar os momentos de brincar de maneira livre e em família (juntos).

2. Se morarem em casa, explorem a área externa. Seja um jardim, uma grama, garagem para brincar e respirar um ar em alguns momentos do dia.

3. Caso residam em apartamento, verifiquem se tem a possibilidade de ficar na varanda ou na sacada (com segurança, preferencialmente se tiver tela de proteção) e utilizem esse espaço para momentos de brincadeiras e leituras.

4. O diálogo deve ser sempre parte da rotina para evitar pendências emocionais e psicológicas nesse processo.

Lembrando que os adultos devem sempre ter bom senso e a consciência do volume de atividades que uma criança suporta realizar e também a carga emocional envolvida nas demandas, sejam elas com as tarefas dentro de casa ou com as atividades escolares.

Os responsáveis devem compreender que a quarentena atinge emocionalmente todas as pessoas, sejam elas crianças, adolescentes ou adultos. A instabilidade emocional pode estar presente em vários momentos, por isso é importante não haver sobrecarga de demandas e cobranças nesse período. “É relevante considerar o tempo dedicado dessa criança às aulas on-line ou pela TV para não extrapolar seus limites e ocorrer à falta de interesse e concentração. Outra orientação é conversar e sempre explicar para a criança os novos modelos e desafios chegados com a quarentena”, reforça a psicopedagoga.

RECREAÇÃO ON-LINE É UMA ALTERNATIVA PARA ENTRETER AS CRIANÇAS EM TEMPOS DE PANDEMIA

Para aliviar o estresse dos pequenos e dos pais, o Santa Mônica Clube de Campo oferece aos pequenos associados, encontros semanais on-line com brincadeiras e muita diversão.

Com o novo coronavírus e as orientações de isolamento social nos estados para impedir a propagação e a contaminação das pessoas, as crianças estão passando bastante tempo dentro de suas casas, e muitos pais, por conta do trabalho home office, estão com dificuldades em criar maneiras para que elas gastem toda a energia que possuem. E em tempos de pandemia é preciso que os pais busquem alternativas para entreter de forma segura e lúdica as crianças, e neste momento estão contando com apoio da tecnologia, e por meio de aplicativos e programas. O Santa Mônica Clube de Campo, pensando no bem-estar e comodidade dos pequenos associados, oferece recreação on-line para criançada com brincadeiras e muita diversão.

O Santa Mônica, localizado na Região Metropolitana de Curitiba, começou a utilizar recentemente uma plataforma digital para entreter as crianças em casa neste período. Batizado de Momento Kids, os encontros da recreação realizados por videochamada proporcionam diversos tipos de atividades como Dança, Contação de Histórias, Oficinas de Dobradura, Artesanatos, Colagens, entre outras.

Segundo a Supervisora de Esportes Joycenara Batista, esses momentos para brincar, de realização de atividades lúdicas e divertidas, mesmo que de maneira virtual, possuem grande importância para aliviar o estresse, a ansiedade e alterações no comportamento que o confinamento vem ocasionando nos pequenos. Já para os pais, gera um pouco mais de tranquilidade sabendo que seus filhos estão mantendo laços de amizade e carinho pelos recreadores e amigos, afastando assim, o isolamento e depressão.

Psicopedagoga dá dicas de como retomar os estudos em casa durante a pandemia

Para pais/responsáveis com filhos em casa nesse momento de isolamento social, tem sido um desafio lidar com tantas atividades pessoais e profissionais. Como conciliar o home office com o homeschooling? Pensando nesse assunto, a mestre em educação e psicopedagoga Ana Regina Caminha Braga deu algumas dicas de como os responsáveis podem agir para tornar esse momento produtivo para ambos.

O chamado homeschooling, (educação domiciliar) é uma prática comum em alguns países, mas no Brasil ainda é uma novidade que gera algumas discordâncias e discussões em torno do assunto. Contudo, neste momento pandêmico, a prática foi a alternativa encontrada pelas escolas para que os alunos continuem e aprendam os conteúdos escolares dentro da realidade de cada um, sem sair de casa e mantendo o isolamento social como solicita a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde.

Algumas escolas optaram por aulas on-line de maneira síncrona (tempo real) com a presença do professor na transmissão do vídeo, no horário em que o aluno estaria na escola; outras enviaram vídeos de forma assíncrona (gravado) para o aluno assistir; e algumas preferiram transmitir as aulas pela televisão. Todas as opções com conteúdo virtual para aproximar os professores dos alunos.

No entanto, com este cenário é necessário contar com a presença e a mediação dos pais/responsáveis ao organizar a rotina semanal do seu filho; para isso acontecer, é preciso dialogar e explicar como acontecerá o novo desafio para todos: escola, aluno e família.

A psicopedagoga reforça que a rotina é parte essencial para colocar o homeschooling em prática e de forma eficiente. O ideal é que os pais/responsáveis estipulem um local específico da casa (se houver a possibilidade) para que o aluno possa ficar durante as aulas, e assim mantenha-se concentrado e organizado para esse momento. “A minha orientação é um lugar calmo, que não seja o quarto, o local em que ficam os brinquedos ou o computador, por exemplo. Dessa forma, o conteúdo será melhor compreendido e o aluno assimilará de forma significativa e consciente o conhecimento proposto”.

Ana Regina contribui também ao destacar a importância de intercalar o estudo com os momentos lúdicos e brincadeiras, afinal, o equilíbrio em tempos de isolamento social é primordial se refletirmos que na escola, a rotina também é dividida com momentos diversificados.

Outro aspecto relevante é os pais/responsáveis manterem a calma na hora de explicar o conteúdo para o filho, sendo um mediador e incentivador. Caso perceba que ele não entendeu, ou você, responsável, não esclareceu a dúvida a contento, é possível anotar a atividade ou dificuldade em questão para saná-la junto ao professor. Outra alternativa é buscar outros meio e ferramentas que sejam mais lúdicas, simples e atrativas.

“Os pais/responsáveis agora podem acompanhar com precisão o planejamento e o trabalho desenvolvido pelos professores em sala de aula, inclusive conhecer os materiais e instrumentos, como diversas atividades, projetos e ludicidade para a construção da aprendizagem do seu filho. Apesar de não vivenciarmos dias estáveis, esse é o momento para que os pais/responsáveis se aproximem ainda mais dos seus filhos, estreitando os laços, passando mais tempo juntos e serem conhecedores conscientes dos conteúdos contemplados e repassados pela escola,” afirma a psicopedagoga.

Escoteiros do Brasil lançam novos materiais para atividades em família

As atividades educativas podem ser realizadas por crianças,

adolescentes e familiares

Foto: Renato Silveira

Manter as crianças entretidas dentro de casa, durante este período de distanciamento social, tem sido um desafio bastante grande para muitas famílias. Os Escoteiros do Brasil, cientes da importância de gerar oportunidades educativas e de lazer para as crianças, que nesse momento encontram-se privadas da interação social, da escola e das atividades de lazer ao ar livre, lançam dentro da sua plataforma de atividades online dois novos materiais para serem realizados em casa.

Um dos materiais é a “Cartilha de atividades para o distanciamento social”, um documento com mais de cinquenta sugestões de atividades, organizadas para duas faixas etárias. A primeira delas é para crianças de 6 a 10 anos, focada em atividades que incentivem a leitura, música, criatividade, o desenvolvimento dos sentidos, entre outros. As demais atividades são para jovens de 11 a 15 anos, com atividades mais relacionadas a internet e tecnologia, meditação e autoconhecimento, espiritualidade, cuidados com a saúde e meio ambiente, e organização pessoal. As atividades educativas podem ser utilizadas também por instituições de ensino, educadores, psicólogos e demais adultos que estejam buscando atividades educacionais para crianças e jovens.

Segundo o presidente dos Escoteiros do Brasil, Rafael Macedo, as atividades sugeridas pelos escoteiros são uma maneira de integrar as famílias nesse período atípico de toda a sociedade. “O momento pelo qual estamos passando é um período de reflexão, de fortalecer os laços da família, de conhecer coisas novas e até mesmo desenvolver novas habilidades. É com este objetivo, que os Escoteiros do Brasil apresentam esta cartilha de atividades, uma opção para que os pais possam desenvolver dentro de casa atividades educativas e aproveitar este momento para conhecer melhor os seus filhos e fortalecerem seus vínculos”, considera.

Junto da cartilha, os Escoteiros do Brasil lançaram também o documento “51 Coisas para Fazer Durante o distanciamento social”. Por meio de um guia simples e prático, são sugeridas 51 atividades que jovens e adultos podem incluir em sua rotina, tornando assim os dias mais planejados e também diferentes uns dos outros. Entre as sugestões há atividades de desenvolvimento intelectual e cultural tais como: leia um livro que tem interesse, mas ainda não teve tempo; pinte uma parede, um quadro ou faça artesanato; escreva poesias ou faça um diário da quarentena. Atividades de desenvolvimento afetivo como: ligue pra pessoas, converse, especialmente para aquelas que faz tempo que você não fala; separe roupas e livros para doação; elogie uma pessoa por dia nas redes sociais. Atividades que vão auxiliar a jovens e adultos para quando a rotina voltar ao normal também são sugeridas, tais como: faça uma planilha financeira para ajustar suas contas, realize cursos online, estude um novo idioma, entre outros.

Ambos os documentos estão disponíveis para download gratuito na plataforma online dos Escoteiros do Brasil no site escoteirosonline.org.br. As ações de promoção de atividades educativas para famílias fazem parte do projeto Escoteiros Online, lançado pela instituição no mês de março com o objetivo de oferecer iniciativas de educação não-formal para crianças e jovens. Junto das atividades, semanalmente estão sendo realizadas transmissões ao vivo nas redes sociais da instituição, além de ações com parceiros institucionais como a WWF, UNICEF, CONJUVE e LiveLab.

Serviço

Atividades Educacionais para realizar em família

Produzido pelos Escoteiros do Brasil

Download disponível em https://bit.ly/escotismoemfamilia

Americanas doa 3 milhões de ovos de Páscoa

A Americanas está doando 3 milhões de ovos de Páscoa para crianças de abrigos infantis, em todo o Brasil.

Kits com ovos de Páscoa, pelúcias, canecas infantis e colombas pascais serão entregues nas casas de acolhimento por funcionários das lojas da rede, pelo Brasil a fora. A ação é uma parceria da Americanas com a Top Cau, Nestlè, Garoto e Romanato.

As entregas já começaram e têm sido marcadas por momentos de muita emoção. A companhia ainda quer expandir o número de crianças beneficiadas.

Petrobras Cultural para Crianças recebe inscrições até o dia 30

Seleção de projetos de dança, teatro e circo é totalmente feita pela internet

A Petrobras recebe até o próximo dia 30 inscrições de produtores culturais para projetos de artes cênicas destinados a crianças até 6 anos. A seleção faz parte do Petrobras Cultural e todo o processo é totalmente feito pela internet.

Esta é a primeira de uma série de três chamadas para patrocínios a serem lançadas em 2020, que terão valor total de R$ 10 milhões. A verba para esta primeira chamada é de R$ 3 milhões, destinados à circulação de espetáculos de dança, teatro e circo. As chamadas posteriores, em datas ainda a serem anunciadas, terão foco em feiras literárias e animação audiovisual.

O foco em crianças de zero a 6 anos se dá pela importância desta fase. Diversas pesquisas reforçam que é na primeira infância que se desenvolvem as habilidades cognitivas fundamentais que vão durar para toda a vida. Além disso, até os 6 anos, o cérebro da criança tem um enorme poder de absorção, sendo território fértil e aberto para as práticas artísticas, educativas e culturais.

As inscrições devem ser feitas pelo site www.petrobras.com.br/cultura. A previsão é divulgar os resultados em junho e os projetos serão realizados a partir de outubro. O edital exige que os projetos contemplem apresentações também em cidades com menos de 150 mil habitantes e pelo menos uma capital nas regiões Norte, Nordeste ou Centro Oeste, de forma a democratizar a cultura no país.

Psicopedagoga dá dicas de como entreter as crianças durante o isolamento social

Neste momento pandêmico em decorrência do Covid-19, pais/ responsáveis se perguntam o que fazer com as crianças durante esse período de isolamento social. Entreter os pequenos nem sempre é tarefa fácil, afinal eles geralmente se movimentam bastante e cansam rapidamente dos brinquedos que têm em casa. Pensando nisso, a mestre em educação e psicopedagoga Ana Regina Caminha Braga traz dicas de como lidar com as crianças em casa nesta época.

A psicopedagoga reforça que apesar do tempo livre, é importante frisar que esse momento não é férias e explicar, de forma lúdica, o que é o vírus e o porquê de as pessoas ficarem em casa e seguirem as regras de higiene e rotina de limpeza. Ela reforça ainda que é uma boa oportunidade para estimular a criatividade das crianças, criando novas atividades ou até mesmo resgatando as brincadeiras antigas. “Os pais/responsáveis devem aproveitar esse momento para passar mais tempo com seus filhos e estreitar os laços entre eles. E somando isso as atividades, terão um tempo de qualidade juntos, que além de entretê-los serão importantes para, desenvolvê-los social, cognitiva e emocionalmente."

Ana Regina reforça que os responsáveis devem sugerir opções que vão além dos eletrônicos, “Uma boa recomendação são jogos interativos, de tabuleiro e livros. Atividades lúdicas que auxiliam na coordenação motora com recorte, colagens e pinturas também são alternativas. Ou para quem tem um quintal as atividades ao ar livre também são interessantes, como por exemplo, pular corda, pular elástico, brincar com tinta, gesso. Os pais devem usar a criatividade”.

Além disso, os responsáveis também podem ensiná-los desde cedo a participar dos afazeres domésticos, dessa maneira, ninguém fica sobrecarregado. “Ensine o seu filho a tirar o lixo, guardar a louça e os brinquedos assim que terminar de brincar. As crianças também podem ajudar nos serviços de casa.”

Crianças versus Home Office

Uma das maiores dificuldades na quarentena é conciliar o home office com os filhos. O ideal é que os pais deixem claro o momento de trabalho, definindo um espaço exclusivo para ele. Outra dica da psicopedagoga Ana Regina é criar uma rotina igual quando se trabalhava fora, inclusive se vestindo como se fosse sair. “Dessa forma, fica mais claro na cabeça da criança que os pais/responsáveis estão realmente em horário de expediente. Se vestir com as roupas que costumavam usar no cotidiano, pois, por exemplo, se o adulto estiver em casa no home office trabalhando de pijama, pode ser que a criança não compreenda a mensagem ou o momento”.

A psicopedagoga reforça ainda a importância de organizar uma rotina diária para as crianças, com horário de acordar, hora do café da manhã, das atividades matinais, almoço, descanso, hora do lanche, hora de estudo, hora da brincadeira em família, a hora de brincar sozinha e o momento de dormir. “Com uma rotina delimitada, o dia se torna mais produtivo e o tempo menos ocioso,” finaliza.

Cacau show aposta em linha infantil variada para movimentar a Páscoa

Ovos de chocolate com bola da Juventus de Turim, do Manchester City, ovo com fone de ouvido, ovo com avental ou com chapéu da linha Masterchef e o ovo com pantufa são apenas algumas das opções da linha infantil que a Cacau Show preparou para a Páscoa 2020 e são as apostas para superar o difícil momento imposto pela quarentena devido ao Coronavírus.

“Sabemos da dificuldade que as pessoas têm em sair de casa para procurar chocolate. Mas ao mesmo tempo existe a expectativa de toda criança em ganhar algo na Páscoa. Acreditamos que nossas opções bem variadas para o público infantil pode atender essa demanda”, explica o proprietário de duas filiais da Cacau Show, no Shopping Água Verde e no Bigorrilho, Erlon Ribas.

A principal novidade vem da parceria da fabrica de chocolate com a Champions League que permitiu a produção e comercialização dos ovos de futebol de clubes em alta como a Juventus, de Cristiano Ronaldo, e o Manchester City, de Gabriel Jesus que são comercializados a R$ 66,90 e acompanham uma mini bola.

As duas franquias estão fazendo entregas gratuitas para compras através do whatsapp a partir de R$ 30,00.

Serviço:

Cacau Show – Bigorrilho – Rua Padre Anchieta, 2177 – (41) 32339042 / (41)-99723-7488 whats

Cacau Show – Shopping Água Verde – Av. República Argentina, 1927 – (41) 3342 4442/ (41) 99885-0530 whats

ONGs intensificam ajuda solidária durante pandemia mundial

Entidades brasileiras se unem para combater a fome, promovem arrecadação de produtos de higiene básica e orientam sobre cuidados necessários para evitar o contágio do Coronavírus entre moradores de favelas

A Covid-19 já afeta a vida de milhões de pessoas no mundo todo e nem todos podem trocar os escritórios pelo home office. Com os filhos longe da escola, o consumo alimentar dentro de casa aumentou, mas a renda foi comprometida pela falta de trabalho. Preocupadas com a situação de moradores das favelas, entidades, como a ONG Incanto (Instituto de Cultura, Arte e Novas Tecnologias), de Curitiba, em parceria com a rede de ONGs Gerando Falcões, de São Paulo, conduzem uma campanha solidária com a entrega de cestas básicas digitais e arrecadação de álcool em gel.

Os voluntários das entidades prestarão apoio social para 600 famílias. Cerca de 2.400 moradores de comunidades carentes serão beneficiadas com a ação, em Curitiba e Região Metropolitana. De acordo com a presidente da Incanto, Camila Casagrande, as famílias contempladas são de 20 favelas em que a ONG já atua. “Estamos em um momento muito delicado em que todos os planos tiveram que ser adiados e reformulados. Mas, para essas pessoas, não existem outras alternativas, então vamos nos empenhar ao máximo no que pudermos", explica.

O Instituto Incanto solicita ajuda como doações em dinheiro para realizar a compra de álcool em gel para ser enviado às famílias junto das cestas básicas. O produto não faz parte da realidade na vida dessas pessoas, pelo preço e a dificuldade de encontrar esse produto em mercados populares. É um item essencial que poderá mudar esse cenário de contato com a doença. "Diante da realidade dessas famílias que precisam ir às ruas buscar seu ganha pão, o vírus ganha ainda mais espaço. Precisamos minimizar qualquer possibilidade de contágio e levar esse vírus para dentro das favelas, uma vez que, essa quarentena é totalmente seletiva", concluiu Camila.

Serviço
Para ajudar com as doações acesse: https://painel.dupay.com.br/app/incantocovid19
Tem álcool em gel sobrando em casa, conhece algum fabricante, fornecedor ou comerciante que pode contribuir com grandes quantidades deste produto? Entre em contato agora mesmo através da nossa página na internet pelo link Instituto Incanto, pelo nosso perfil do Instagram: @institutoincanto ou pelo whatsapp +55 (41) 9 9223-5118.

Sobre as ONGS

O Instituto Incanto é uma ONG que faz a conexão entre voluntários artistas com outras ONG's para que sejam aplicadas aulas regulares de arte e cultura. Hoje, o Incanto atende 17 Casas Lares e projetos de contraturno escolar, transformando a vida de 510 crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade.

Gerando Falcões é uma rede de ONGs em âmbito nacional que transforma periferias e favelas. Eles conseguiram juntar em menos de uma semana, 60 mil cartões alimentação que garantem por três meses o sustento dessas famílias. Esses cartões estão sendo entregues nas favelas, via parceiros de todo o Brasil e o Instituto Incanto faz parte desse time.

Contato: Camila Casagrande 41 9 9758 5118

Tecnologia na educação especial: meio efetivo para o desenvolvimento

Jogos e aplicações disponibilizados em ferramentas como a Mesinha Digital Quinyx auxiliam na comunicação e outros processos de aprendizagem

Crianças especiais, sejam portadoras de síndromes ou deficiências, normalmente enfrentam desafios relacionados à aprendizagem. Na mesma medida, as instituições de educação especial que as atendem precisam de ferramentas que incluam e despertem a vontade de aprender. Nesse cenário, uma grande aliada tem sido a tecnologia.

Por meio de jogos eletrônicos e aplicações desenvolvidas com essa finalidade, se promove o desenvolvimento sensório, motor e cognitivo de forma prazerosa e eficaz. Além disso, esses fornecem aos educadores mais ferramentas para exercitar o conteúdo teórico. Uma solução que vem contribuindo com esse processo é a Mesinha Digital Quinyx. Em função do sistema operacional Android e o software aberto, permite o acesso a inúmeros jogos e aplicativos por meio do Google Play.

"O equipamento não se limita aos jogos pré-instalados. Assim, mesmo que não haja um app específico para determinada necessidade especial, os adultos responsáveis, sejam professores, pais ou terapeutas, podem baixá-los conforme a preferência. "Além disso, o dispositivo já é entregue com aplicativos indicados para crianças autistas, com síndrome de down, deficiência auditiva ou visual e possui acessórios opcionais que facilitam o uso por crianças com dificuldade motora", explica Rejane Mello, pedagoga, professora de inglês e consultora pedagógica da 18 Gigas, representante da tecnologia no Brasil.

Outras vantagens da Mesinha Digital Quinyx são a possibilidade de sociabilização, já que pode ser usada simultaneamente por até seis crianças, e o incentivo ao interesse de romper com a limitação na comunicação. Isso é o que vem ocorrendo no Educandário São Batista, localizado em Porto Alegre (RS). Na instituição, que atende 176 crianças divididas entre Escola Especial e Clínica de Reabilitação, o equipamento está trazendo bons resultados.

"Toda criança e adolescente tem muita curiosidade, vontade de mexer em computadores, tablets e smartphones. A Mesinha Digital Quinyx engloba todos esses dispositivos e faz com que muitos sintam-se incluídos digitalmente, explorando imagens e sons enquanto desenvolvem habilidades óculo-manuais, raciocínio lógico, atenção, tempo, ritmo, foco, memória, socialização, limites, tolerância e etc", afirma a professora de teatro, Educação Física e Informática que atua no educandário, Betha Medeiros.

Aplicativo Falaê auxilia na comunicação das crianças especiais

O Falaê, aplicativo de Comunicação Alternativa desenvolvido de forma voluntária pela HP do Brasil, em parceria com o Educandário São João Batista, está sendo utilizado com sucesso por crianças que apresentam dificuldades de fala.

O app, que agora também é distribuído a outros usuários de educação especial da Mesinha Digital Quinyx, possibilita a comunicação com a utilização pictogramas (imagens ou símbolos), os quais representam palavras (verbos, substantivos, adjetivos, entre outros).

"O recurso auxilia no desenvolvimento da comunicação, pois os símbolos e sons se transformam na voz das pessoas que não conseguem falar. Por meio das pranchas elaboradas individualmente, o usuário pode mostrar o que pensa, o que tem vontade de dizer ou fazer de forma mais precisa e rápida. Nas aulas, por exemplo, fazemos chamada com a foto e o nome de cada aluno. A alegria em ouvir o próprio nome e ver sua foto é grande, proporcionando uma sensação de pertencimento", comenta Betha.

"Além disso, os alunos que não conseguem falar, muitas vezes se mostram desconfortáveis e, por não conseguirem expressar o que sentem, ficam frustrados e irritados. Com o Falaê, eles conseguem aprender a se comunicar sem precisar passar por tanto constrangimento ou dor", frisa a professora.

COVID-19: Não é tempo de acelerar, basta não parar e ficar em casa

*Por Joel Moraes

O Coranavírus é uma realidade e mudou a rotina de todos, inclusive a minha. Logo eu que sempre digo para mim mesmo e para todos que me seguem nas mídias sociais: “Vamos. Não pega leva com você. Você pode mais”. Esse pensamento que eu acredito é uma verdade, mas não nessa situação específica. Agora não é hora, não é tempo de se cobrar tanto. Não, enquanto temos a nossa realidade, a nossa rotina alterada por cota desse vírus. Agora, para todos que podem, é momento de ficar em casa, rever as atividades, cuidar ainda mais da família.

Afinal, você colocaria a vida de uma pessoa que ama em risco? Estamos passando por uma situação bem complexa no mundo todo, trata-se de uma pandemia. Quando você não para, não se recolhe, não faz o isolamento, coloca as pessoas, inclusive, um ente querido em risco. Um familiar seu pode vir a óbito por conta disso. O ciclo de vida desse ente pode dar-se por encerrado na Terra por causa de um vírus que, quem sabe, poderia ter o contagio evitado. Com o isolamento, podemos fazer com que essa transmissão não aconteça, mas é preciso entender que quarentena não é férias. Não é porque você não vai trabalhar em seu ambiente normal que você pode aproveitar esse período para ter atitudes irresponsáveis. Temos habilidade cognitiva suficiente para perceber que a coisa está exponencial, piorando a cada dia.

Precisamos usar nossa inteligência, criatividade e, acima de tudo, responsabilidade. Defendo sempre que, em primeiro lugar na nossa vida vem a saúde, depois a família e só então devemos pensar no trabalho. Mas nessas horas de incertezas, percebemos o quanto nossa rotina é importante, e o quanto instáveis nos sentimos por não saber o que fazer. Apesar de persistência, foco e hábitos serem guias essenciais para o sucesso dos nossos projetos, em tempos como os que estamos vivendo agora, não podemos pegar tão pesado conosco. Pegar leve significa protegermos nossa saúde mental e psicológica, além da convivência familiar.

O peso da rotina na exceção

Você sabia que a cobrança de manter a mesma rotina em situações diferentes pode ser um gatilho para desenvolver transtornos? Segundo estudo do The American Journal of Psychiatry, 19% das pessoas pesquisadas tinham transtorno de ajustamento que persistiam três meses após a mudança, muitas vezes por tentar, forçadamente, seguir a rotina acostumada, gerando dificuldade para dormir, ansiedade e até depressão, por exemplo. Por isso, entender que precisamos nos adequar as situações é muito importante.

Estamos vivendo uma exceção, então lide com a situação como uma exceção, ela não é constante. Se permita fazer diferente. Se não der para ir para a academia, faça os exercícios em casa; se não conseguir fazer sua atividade física diária por ter outras funções novas, tudo bem, a situação pediu que você atendesse outra demanda.

Vou dar um exemplo para vocês de como a minha rotina mudou, e não tem problema nenhum nisso, a situação pede adaptação: no meu dia a dia, a minha rotina de entrada é muito importante. Começo meu dia com uma rotina de entrada de TLA, ou seja, toca o despertador, eu levanto e me envolvo com água, seja um banho, ou o simples ato de lavar o rosto. Normalmente faço as minhas lives às 5h07 da manhã e sigo para fazer os meus exercícios matinais.

No entanto, nesse momento, a academia estava fechada, a do meu condomínio também. Moro em Santos, mas não posso e não devo correr na praia, pois a orientação é evitar sair de casa. A saída é manter a prática em casa, mas não é todo dia que isso dá certo. Tem dia que o meu filho acorda, minha esposa tem que levantar-se diversas vezes para amamentar. Então com tanta alteração, tenho decidido ficar com o meu filho durante a manhãs que forem necessárias, assim minha esposa pode descansar. E está tudo bem. A situação pediu que eu alterasse a minha rotina, e se amanhã, por algum outro motivo, não der também, tudo bem de novo.

Quem tem criança em casa sabe que os pequenos sentem toda essa energia diferente, e as vezes não conseguimos pensar em uma atividade mirabolante, educativa e lúdica para ocupar o tempo. Se precisar usar a tecnologia, por exemplo, como um recurso pontual nessas horas, não se cobre, você não será o “pior” ou um “irresponsável” por isso. Use todas as ferramentas que tem disponível, vá no seu tempo. O estresse e tensão gerados pela vontade de manter uma rotina externa, dentro de casa, pode trazer maiores consequências.

Mas atenção, não se cobrar pela mudança da rotina não é ficar parado. É aceitar e se reinventar. Não deixe suas obrigações de lado, apenas as adapte e faça no seu tempo, você dá conta. Os hábitos e rotinas foram afetados drasticamente, portando se cobre menos com as coisas que você vai deixar de fazer para fazer o que está aparecendo no meio do caminho, porque quarentena não é férias. E aproveita para ficar atento a todas as recomendações do Ministério da Saúde, como lavar sempre as mãos, desinfetar os objetos que vieram de fora, e principalmente, ficar em casa (quem conseguir).

Joel Moraes é ex-nadador da seleção brasileira, mestre em esportes pela EEFE-USP e autor do livro Esteja, viva, permaneça 100% presente. Foi coordenador geral do Instituto Neymar e professor universitário. Atuou no esporte nos mais variados setores como: gestão de imagem de atletas, eventos e treinamento. Atualmente, Joel Moraes é empresário, investidor e influencer digital, que tem como missão fazer pessoas comuns se tornarem atletas de alta performance em suas vidas.

COVID-19: Não é tempo de acelerar, basta não parar e ficar em casa

*Por Joel Moraes

O Coranavírus é uma realidade e mudou a rotina de todos, inclusive a minha. Logo eu que sempre digo para mim mesmo e para todos que me seguem nas mídias sociais: “Vamos. Não pega leva com você. Você pode mais”. Esse pensamento que eu acredito é uma verdade, mas não nessa situação específica. Agora não é hora, não é tempo de se cobrar tanto. Não, enquanto temos a nossa realidade, a nossa rotina alterada por cota desse vírus. Agora, para todos que podem, é momento de ficar em casa, rever as atividades, cuidar ainda mais da família.

Afinal, você colocaria a vida de uma pessoa que ama em risco? Estamos passando por uma situação bem complexa no mundo todo, trata-se de uma pandemia. Quando você não para, não se recolhe, não faz o isolamento, coloca as pessoas, inclusive, um ente querido em risco. Um familiar seu pode vir a óbito por conta disso. O ciclo de vida desse ente pode dar-se por encerrado na Terra por causa de um vírus que, quem sabe, poderia ter o contagio evitado. Com o isolamento, podemos fazer com que essa transmissão não aconteça, mas é preciso entender que quarentena não é férias. Não é porque você não vai trabalhar em seu ambiente normal que você pode aproveitar esse período para ter atitudes irresponsáveis. Temos habilidade cognitiva suficiente para perceber que a coisa está exponencial, piorando a cada dia.

Precisamos usar nossa inteligência, criatividade e, acima de tudo, responsabilidade. Defendo sempre que, em primeiro lugar na nossa vida vem a saúde, depois a família e só então devemos pensar no trabalho. Mas nessas horas de incertezas, percebemos o quanto nossa rotina é importante, e o quanto instáveis nos sentimos por não saber o que fazer. Apesar de persistência, foco e hábitos serem guias essenciais para o sucesso dos nossos projetos, em tempos como os que estamos vivendo agora, não podemos pegar tão pesado conosco. Pegar leve significa protegermos nossa saúde mental e psicológica, além da convivência familiar.

O peso da rotina na exceção

Você sabia que a cobrança de manter a mesma rotina em situações diferentes pode ser um gatilho para desenvolver transtornos? Segundo estudo do The American Journal of Psychiatry, 19% das pessoas pesquisadas tinham transtorno de ajustamento que persistiam três meses após a mudança, muitas vezes por tentar, forçadamente, seguir a rotina acostumada, gerando dificuldade para dormir, ansiedade e até depressão, por exemplo. Por isso, entender que precisamos nos adequar as situações é muito importante.

Estamos vivendo uma exceção, então lide com a situação como uma exceção, ela não é constante. Se permita fazer diferente. Se não der para ir para a academia, faça os exercícios em casa; se não conseguir fazer sua atividade física diária por ter outras funções novas, tudo bem, a situação pediu que você atendesse outra demanda.

Vou dar um exemplo para vocês de como a minha rotina mudou, e não tem problema nenhum nisso, a situação pede adaptação: no meu dia a dia, a minha rotina de entrada é muito importante. Começo meu dia com uma rotina de entrada de TLA, ou seja, toca o despertador, eu levanto e me envolvo com água, seja um banho, ou o simples ato de lavar o rosto. Normalmente faço as minhas lives às 5h07 da manhã e sigo para fazer os meus exercícios matinais.

No entanto, nesse momento, a academia estava fechada, a do meu condomínio também. Moro em Santos, mas não posso e não devo correr na praia, pois a orientação é evitar sair de casa. A saída é manter a prática em casa, mas não é todo dia que isso dá certo. Tem dia que o meu filho acorda, minha esposa tem que levantar-se diversas vezes para amamentar. Então com tanta alteração, tenho decidido ficar com o meu filho durante a manhãs que forem necessárias, assim minha esposa pode descansar. E está tudo bem. A situação pediu que eu alterasse a minha rotina, e se amanhã, por algum outro motivo, não der também, tudo bem de novo.

Quem tem criança em casa sabe que os pequenos sentem toda essa energia diferente, e as vezes não conseguimos pensar em uma atividade mirabolante, educativa e lúdica para ocupar o tempo. Se precisar usar a tecnologia, por exemplo, como um recurso pontual nessas horas, não se cobre, você não será o “pior” ou um “irresponsável” por isso. Use todas as ferramentas que tem disponível, vá no seu tempo. O estresse e tensão gerados pela vontade de manter uma rotina externa, dentro de casa, pode trazer maiores consequências.

Mas atenção, não se cobrar pela mudança da rotina não é ficar parado. É aceitar e se reinventar. Não deixe suas obrigações de lado, apenas as adapte e faça no seu tempo, você dá conta. Os hábitos e rotinas foram afetados drasticamente, portando se cobre menos com as coisas que você vai deixar de fazer para fazer o que está aparecendo no meio do caminho, porque quarentena não é férias. E aproveita para ficar atento a todas as recomendações do Ministério da Saúde, como lavar sempre as mãos, desinfetar os objetos que vieram de fora, e principalmente, ficar em casa (quem conseguir).

Joel Moraes é ex-nadador da seleção brasileira, mestre em esportes pela EEFE-USP e autor do livro Esteja, viva, permaneça 100% presente. Foi coordenador geral do Instituto Neymar e professor universitário. Atuou no esporte nos mais variados setores como: gestão de imagem de atletas, eventos e treinamento. Atualmente, Joel Moraes é empresário, investidor e influencer digital, que tem como missão fazer pessoas comuns se tornarem atletas de alta performance em suas vidas.

10 Atividades que geram experiências duradouras

Passeios virtuais e atividades lúdicas podem fazer parte da programação de pais e filhos

Diante das mudanças na rotina pelas quais o mundo está passando, é importante adequar comportamentos e atividades para manter a segurança e bem-estar de todos. A coordenadora de Educação Infantil do Colégio Marista Santa Maria, Ana Paula Detzel, ressalta que, especialmente no caso de crianças pequenas, é interessante que alguns horários, como o do sono e das refeições, sejam mantidos. Porém, isso não impede que sejam feitas programações diferentes, como escolher um dia para ver um filme até tarde, ou dormir na cama dos pais. “É bom manter uma rotina dentro do que for possível. A criança pequena precisa desse hábito para se organizar, quando ela não tem uma programação fixa acaba ficando sem os limites que ajudam na organização do dia a dia”, explica a coordenadora.

Ela orienta também que mesmo com a suspensão das aulas, é possível realizar atividades que trazem informação e aprendizado de uma forma divertida. “Realizar atividades com as crianças reforçam a convivência social e estimulam a aprendizagem prazerosa. Como os pequenos estão descobrindo o mundo, tudo vira fonte de conhecimento”, lembra.

Veja algumas ideias para aproveitar o tempo em casa sem deixar de aprender:

1. Cozinhar

Preparar receitas fáceis com a ajuda das crianças é uma boa oportunidade de integrá-las às atividades de casa. Os filhos podem participar desde a escolha do que fazer, passando pela seleção dos ingredientes, até pôr a mão na massa para fazer biscoitos, sanduíches, pizzas e o que mais a imaginação permitir.

2. Fazer piquenique

Ao invés de parques, use o jardim de casa ou do prédio em horários sem movimento. Montar uma cesta com frutas e coisas gostosas para aproveitar um pouco do tempo fora de casa ajuda a distrair e criar momentos que podem ficar na lembrança de todos. Se não for possível usar as áreas comuns fora de casa, vale explorar outros cômodos. Fazendo uma cabana com lençol, o lanche já ganha ares de aventura.

3. Plantar

Mesmo para quem mora em apartamento, é possível preparar uma hortinha na varanda, por exemplo. As crianças adoram mexer com a terra e ter uma plantinha para cuidar ensina sobre responsabilidade e cuidado.

4. Fazer bolinhas de sabão

Outra atividade ao ar livre que sempre faz sucesso são as bolinhas de sabão. Além das tradicionais, que já vem prontas, dá pra fazer a mistura em casa e confeccionar moldes com arame ou barbante para fazer bolhas gigantes. Se não for possível sair, vale brincar da janela mesmo.

5. Inventar um brinquedo

Reaproveitando materiais que todos têm em casa, como papéis, rolos de papel higiênico, retalhos de tecido e garrafas pet é possível criar os mais variados brinquedos. Uma boa chance de exercitar a criatividade e o talento manual para dar forma à imaginação.

6. Escrever um livro

Com algumas folhas de sulfite dobradas ao meio e grampeadas, é possível criar um pequeno livro em branco que pode ser colorido, desenhado e escrito pelo seu filho. Se a criança ainda não souber escrever, a família pode ajudar colocando no papel o texto da história.

7. Contar histórias

Crianças adoram ouvir histórias. Como parte da rotina, dá para incluir um momento do dia para a contação de histórias. Além da leitura de livros, a mãe e o pai podem narrar aventuras da sua própria infância, lembrando de fatos divertidos para compartilhar com os filhos.

8. Dar banho nos brinquedos

Que tal aproveitar o calor para brincar com água? Especialmente nesses dias, as crianças podem usar bacias para lavar os brinquedos. Além de ser uma atividade que elas gostam muito, ensina sobre responsabilidade com os seus objetos e pode ser uma oportunidade para reforçar atitudes que evitam o desperdício de água.

9. Acampar dentro de casa

Fazer cabaninhas de lençol, com almofadas no chão, é o ambiente perfeito para uma brincadeira que entretém as crianças por bastante tempo.

10. Visitar locais online

Conhecer museus no mundo inteiro se tornou possível com o avanço da tecnologia e da internet. Basta fazer uma pesquisa rápida para achar dezenas de locais que oferecem visitas virtuais e conhecer acervos sem gastar nada.

Sobre a Rede Marista de Colégios: A Rede Marista de Colégios (RMC) está presente no Distrito Federal, Goiás, Paraná, Santa Catarina e São Paulo com 18 unidades. Nelas, os mais de 25 mil alunos recebem formação integral, composta pela tradição dos valores Maristas e pela excelência acadêmica. Por meio de propostas pedagógicas diferenciadas, crianças e jovens desenvolvem conhecimento, pensamento crítico, autonomia e se tornam mais preparados para viver em uma sociedade em constante transformação. Saiba mais em www.colegiosmaristas.com.br.

Escoteiros do Brasil mobilizam mais de 100 mil famílias no combate ao Covid-19

Organização suspende as atividades escoteiras em todo o país e engaja crianças e jovens com iniciativas no ambiente virtual

As mais de 100 mil famílias ligadas ao movimento escoteiro no país, juntamente com a organização Escoteiros do Brasil, estão engajadas nos esforços de toda a sociedade contra a disseminação da Covid-19. As atividades presenciais de todos os grupos foram suspensas e a instituição mobiliza crianças e jovens no ambiente virtual. “Estamos comprometidos com as medidas de prevenção ao Coronavírus e vamos usar toda a nossa expertise como escoteiros para conscientizar as pessoas. É importante lembrar que cada um de nós tem um papel importante na prevenção da doença”, afirma o presidente dos Escoteiros do Brasil, Rafael Rocha de Macedo.

A decisão de suspender as atividades escoteiras presenciais no Brasil permanecerá até que as autoridades federais de saúde orientem sobre a normalização da vida social. A instituição também anunciou o adiamento de todas as suas atividades nacionais, previstas para o primeiro semestre deste ano.

A crise exige o distânciamento social e esse é um dos maiores desafios para a sociedade. “Esse é um momento importante para as pessoas se conectarem. Por meio de ações no universo digital, vamos contribuir com atividades educativas”, revela. “É nosso dever como escoteiros ajudar outras pessoas nesse momento tão delicado e proporcionar alternativas no ambiente online de forma segura.” As atividades domiciliares propostas pelos Escoteiros do Brasil podem ser acessadas no link. Não precisa ser escoteiro para ter acesso, a ferramenta é para todos.

Escoteiros do Brasil

Os Escoteiros do Brasil é a única organização do país reconhecida e certificada pela Organização Mundial do Movimento Escoteiro. É responsável por dirigir e acompanhar as práticas escoteiras adotadas no Brasil. Ao todo, são mais de 110 mil escoteiros, reunidos em 1533 Unidades Escoteiras locais, em 722 cidades espalhadas em todo o território nacional.

Ferramenta de educação não formal, o Escotismo ultrapassa as barreiras e se firma como um movimento educacional por proporcionar aos jovens desenvolvimento em diferentes áreas, de forma sempre contemporânea e variada. O Movimento Escoteiro é uma organização do terceiro setor, sem fins lucrativos, que atende crianças, adolescentes e jovens por meio de um programa educativo próprio, presente há mais de 100 anos no Brasil. Saiba mais em https://www.escoteiros.org.br

https://www.facebook.com/EscoteirosDoBrasilOficial

https://www.instagram.com/escoteirosdobrasil

Fitness, saúde e bem-estar em maior evento do mercado do sul do País

Segunda edição da Curitiba Fitness Fair acontece nos dias 20, 21 e 22 de março no Pavilhão de Exposições do Parque Barigui e pretende receber mais de 10 mil pessoas adeptas a uma indústria que, segundo estudos, deverá valer US$ 106 bilhões em 2020.

Curitiba, 11 de março de 2020 - Entre os dias 20 e 22 de março, a capital paranaense será o foco do mercado de fitness, saúde e bem-estar do Brasil. A Curitiba Fitness Fair acontece no Pavilhão de Exposições do Parque Barigui e vai reunir atrações relacionadas ao universo fitness, como aulas, palestras, talks, campeonatos, além de expositores de produtos e serviços esportivos, de saúde, qualidade de vida e bem-estar.

“A Curitiba Fitness Fair tem como objetivo principal promover e fomentar o mercado fitness na região sul do Brasil, além de oportunizar interação e conexão entre diversos públicos, através de produtos, serviços, entretenimento, informação, conhecimento e conscientização que envolvem o condicionamento físico e o Wellness.”, explica Giselle Bassil, Administradora, Profissional de Educação Física e Sócia-diretora Sport Hero Eventos, empresa organizadora da feira.

O EVENTO

Atrações não vão faltar para os três dias de evento. A começar pelo Expo, com mais de 50 expositores de produtos e serviços como moda fitness, alimentação saudável, nutrição, suplementos, equipamentos, acessórios esportivos, atividades físicas, entre outros.

Haverá também uma programação de palestras e talks para o público em geral, com temas relacionados à saúde, bem-estar, atividades físicas e motivação. Além disso, para quem quer mexer o esqueleto, o evento irá oferecer aulões de Funcional e Zumba. Uma novidade este ano é o Zumba Fest, que inicia suas comemorações de décima edição com participação especial na Curitiba Fitness Fair 2020, movimentando cada vez mais adeptos da modalidade.

Dois campeonatos também vão acontecer na Curitiba Fitness Fair 2020. Mais de 500 atletas de diversas regiões do país irão enfrentar dois dias de provas desafiadoras de condicionamento físico na CF League, um dos maiores e melhores campeonatos do país. E para completar, acontece também a competição de fisiculturismo revelação no Paraná: o II Troféu Curitiba de Fisiculturismo e Fitness promovidos pela IFBB-PR (filiada à International Federation of BodyBuilding & Fitness) com a participação de diversos atletas da região sul do país.

PÚBLICO

CURITIBA FITNESS FAIR é um evento destinado ao público geral, praticantes de atividades físicas, adeptos ao estilo de vida saudável e para quem está em busca de mais qualidade de vida, interessados em nutrição, atletas, estudantes, profissionais, gestores e empresários do setor.

SERVIÇO:

Curitiba Fitness Fair 2020

· Expo

· Palestras e Talks

· Aulões

· Zumba Fest (inscrições abertas)

· CF League

· II Troféu Curitiba de Fisiculturismo e Fitness IFBB

Local: Pavilhão de Exposições do Parque Barigui (Centro de Eventos Positivo) – Alameda Ecológica Burle Marx, 2886, Santo Inácio – Parque Barigui, Curitiba-PR.

Datas: 20, 21 e 22 de março de 2020.

Horários:

20/03 (Sexta-feira) - das 17h às 21h.

21/03 (Sábado) - das 9h às 22h.

22/03 (Domingo) - das 9h às 19h.

Valores de ingressos:

Entrada única: R$10,00

Ingressos promocionais:

R$15,00 (reentrada 1 dia)

R$20,00 (reentrada 3 dias).

Ponto de venda: Na bilheteria ou antecipado em www.curitibafitnessfair.com.br

Informações:

www.curitibafitnessfair.com.br

Instagram: @curitibafitnessfair

Facebook: Curitiba Fitness Fair

O MERCADO DO BEM-ESTAR

Uma cadeia global de terapias, exercícios, nutrientes e mais - viveu uma ascensão triunfante na última década. As percepções de milhões de pessoas sobre a importância da dieta, do cuidado com o corpo e das práticas saudáveis se transformaram, fortalecendo novos e vibrantes nichos de negócios. E, à medida que o cardápio do bem-estar se expande, os mercados relacionados, do comércio de alimentos à hotelaria, estão começando a oferecer produtos que refletem os valores de consumidores preocupados com corpo e mente.

Economia - A procura por uma vida mais saudável tem ajudado a indústria fitness nos últimos anos. A receita desse mercado cresce a uma média anual de 8,7% no mundo — e deve alcançar US$ 99,9 bilhões até o final deste ano, aponta relatório da Associação Internacional de Saúde, Raquete e Clube Esportivo (IHRSA). Mantendo esse ritmo de crescimento, a indústria valerá US$ 106 bilhões em 2020. De acordo com o relatório, existem 210 mil clubes de saúde e esportivos no mundo - quase 35 mil estabelecimentos só no Brasil.

Segundo a IHRSA, a indústria fitness tem potencial de crescer em países como Rússia, Polônia e Turquia. O estudo também identificou Oriente Médio, norte da África e América Latina como regiões com mais oportunidades para negócios dessa área.

Quando alguém decide adotar um estilo de vida mais saudável, não são beneficiadas apenas as academias. Diversos negócios saem ganhando, como os de nutrição esportiva (suplementos), tecnologia (monitores de condicionamento), moda (roupas e tênis para malhar) e até beleza (cosméticos específicos para esportistas). A indústria de atividades físicas movimenta perto de 2,1 bilhões de dólares no Brasil - a receita é a maior da América Latina e a terceira das Américas (em 2019). É verdade que, no ano passado, o país deixou o ranking dos dez que mais lucram com o fitness

Mas a academia não é a escolha principal de quem faz atividade física — essa é a preferência de 28% dos praticantes, de acordo com números da IHRSA. A maior parte (41%) malha ao ar livre. Caminhada e corrida são as modalidades mais populares.
De alguns anos para cá, atividades de todo tipo, como funcional, ioga, dança e luta, também passaram a reunir grupos em parques, praças, escadarias, terraços de shopping e até helipontos nos fins de semana. E aí moram algumas boas oportunidades.

Olho no futuro
Um fator considerado relevante para esse segmento é o envelhecimento da população. O aumento da expectativa de vida dos brasileiros — hoje de 76 anos, segundo o IBGE — vem influenciando a área fitness.

Métodos e rotinas de treinamento focados em força, mobilidade e equilíbrio, visando a saúde, a autonomia e a prevenção de acidentes entre o público mais velho, são as principais tendências apontadas pelo American College of Sports Medicine (ACSM). A população acima de 60 anos representa hoje 13% dos brasileiros, e a estimativa é que alcance 32% até 2060.

Se a área de beleza ainda engatinha no quesito fitness, a de suplementos esportivos já saiu das fraldas faz tempo. É a terceira maior do mundo e movimenta acima de 2 bilhões de reais, de acordo com dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Suplementos Nutricionais e Alimentos para Fins Especiais (Brasnutri) e da Associação Brasileira das Empresas de Produtos Nutricionais (Abenutri).

Das categorias de produtos, as proteínas respondem por 65% do consumo no país, seguidas pelos aminoácidos e energéticos (15% cada um) e hipercalóricos (5%).
Segundo especialistas do setor, estima-se que só 10% das pessoas que praticam exercícios regularmente sejam adeptas desses suplementos. Há, portanto, espaço para crescer.

Na tentativa de abocanhar novos consumidores, a indústria não perde tempo. Aposta, entre outras coisas, na snackfication (em que as pessoas comem refeições fracionadas e saudáveis ao longo do dia), tida como a principal tendência de alimentação para 2019 pela consultoria internacional Euromonitor, e na onda vegana e natural, com produtos sem ingredientes de origem animal nem itens artificiais, como adoçantes, corantes e conservantes.

Além de já existirem empresas com DNA 100% vegano no setor de suplementação, como a recém-criada Mother e a W Vegan, as grandes vêm colocando em seu portfólio itens com esse perfil, com proteínas derivadas de ervilha, ¬arroz e batata.

Tendências do fitness para 2020 no Brasil - Uma pesquisa inédita realizada pela revista americana ACSM’S Health & Fitness Journal traz dados inéditos que mostram as principais tendências do universo fitness para o Brasil no ano de 2020.

O exercício para perda de peso aparece no topo da lista. Frequentemente apontado como um problema de saúde mundial, o sobrepeso e a obesidade não são tratados de forma diferente nos países sul-americanos. Confira o ranking:
1. Exercício para perda de peso: é a incorporação da prática de atividade física em programas de perda de peso.
2. Estilo de vida saudável: um estilo de vida saudável é a prática baseada em evidências de ajudar as pessoas e seus familiares a adotar e manter comportamentos saudáveis que afetam a saúde e a qualidade de vida de todos. Eliminar o uso do tabaco, melhorar a alimentação, aumentar a prática de atividade física e moderar o consumo de álcool são exemplos de um estilo de vida saudável.
3. Personal Training: essa tendência continua à medida que os atendimentos personalizados se tornam mais acessíveis online em academias/estúdios, em casa, condomínios e em locais de trabalho com instalações de condicionamento físico. O treinamento pessoal inclui testes de condicionamento físico e definição de metas com um cliente, além da prescrição de treinos específicos para as necessidades e metas individuais dos clientes.
4. Programa de condicionamento físico para idosos: esta é uma tendência que se destaca e atende às necessidades de adequação do Baby Boom e gerações mais velhas. Esses indivíduos, em geral, têm mais dinheiro do que seus pares mais jovens, e as academias podem capitalizar nesse mercado crescente. As pessoas estão vivendo mais, trabalhando mais anos e permanecendo saudáveis e ativas por muito mais tempo.
5. Treinamento funcional: essa é uma tendência de usar o treinamento neuro motor para melhorar o equilíbrio, a coordenação, a força e a resistência como foco na melhoria das atividades da vida diária. Os programas de exercícios refletem as atividades reais que alguém pode fazer durante o dia-a-dia.
6. Certificação profissional: a busca pela atualização profissional por meio de cursos de extensão e aperfeiçoamento contribuem para o desenvolvimento profissional e inserção no mercado de trabalho.
7. Treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT): esses programas de exercícios frequentemente envolvem momentos curtos de exercícios de alta intensidade, seguidos de um breve período de descanso. Embora existam vários exemplos comerciais de HIIT, todos destacam intensidades mais altas (acima de 90% FCmáx.) durante os segmentos de maior intensidade, seguidos por períodos de descanso e recuperação.
8. Personal training em grupo: essa tendência amplia o papel do personal trainer de um treinamento estritamente individual para o treinamento em pequenos grupos. O personal trainer trabalha com duas ou mais pessoas (mas em um pequeno grupo de menos de 5 pessoas) e oferece descontos para o grupo.
9. Consultoria online: desenvolvido para a vivência de exercícios em casa e durante viagens, essa tendência usa a tecnologia de streaming digital (aulas ao vivo ou gravadas) para oferecer programas de exercícios em grupo, individuais ou instrucionais online. O treinamento online está disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana e pode ser uma aula ao vivo (exercícios de transmissão ao vivo) ou pré-gravados.
10. Treinamento esportivo: esta é uma tendência que incorpora o treinamento esportivo específico, especialmente para jovens atletas envolvidos nas mais diferentes práticas esportivas.
11. Treinamento em circuito (Circuit training): um grupo de 6 a 10 exercícios (podendo ser em formato de estações) que são realizados um após o outro. Cada exercício é feito com um número específico de repetições ou por um período definido antes de ter um descanso rápido e passar para o próximo exercício.
12. Atividades ao ar livre: inclui caminhadas, passeios e/ou corridas em grupos nos parques públicos, praças, praias ou no campo. Podem ser eventos curtos, de um dia inteiro ou excursões planejadas para caminhadas na semana.
13. Avaliação física: esta é uma tendência em direção ao levantamento de dados, objetivando diagnosticar eventuais patologias, definir metas de curto, médio e longo prazo. As medições são necessárias para determinar os benefícios dos programas de condicionamento físico no manejo da doença e documentar o sucesso na mudança dos hábitos de vida.
14. Apps de exercícios para smartphone: agora disponível para dispositivos móveis como celulares e tablets, aplicativos como o Nike Run Club e o MapMyRun ou Ride incluem prompts de áudio e visuais para iniciar e terminar o exercício e sugestões para seguir em frente. Alguns desses aplicativos podem acompanhar o progresso ao longo do tempo, bem como centenas de outras funcionalidades.
15. Academias/estúdios boutique: são estabelecimentos que possuem serviços e atendimento diferenciados, com um ambiente sofisticado e agradável, incluindo longes para relaxar, vestiários luxuosos, restaurantes de comida saudável etc.
16. Treinamento para crianças: programas específicos para crianças com foco na mudança de comportamento, incluindo atividade física, desenvolvimento neuromotor e alimentação.
17. Academia de baixo custo (low cost): muitas razões levam os consumidores a academias de baixo custo, incluindo o custo de uma matrícula em uma academia tradicional. Este tipo estabelecimento oferece pouco do serviço pessoal oferecido por opções mais caras, porém com oferta de equipamentos, geralmente, com boa qualidade.
18. Treinamento com pesos livres: pesos livres, halteres, kettlebells, medicine ball não são apenas inseridas aulas funcionais. Os professores começam ensinando a forma, movimento adequado para cada exercício e depois aumentam progressivamente a resistência assim que a forma correta é cumprida.
19. Coaching de saúde / bem-estar: essa é uma tendência para incorporar a ciência comportamental nos programas de promoção da saúde e estilo de vida para os indivíduos. O coaching de saúde / bem-estar é um processo de desenvolvimento pessoal individual (e às vezes de pequeno grupo), auxiliando na definição de metas ou a aplicação de técnicas e ferramentas de coaching na prescrição do treinamento físico. O coach de saúde / bem-estar enfoca os valores, as necessidades, a visão e os objetivos de curto e longo prazo do cliente usando estratégias de intervenção para mudança de comportamento.
20. Core training: esta é uma tendência que enfatiza a força e o condicionamento dos músculos estabilizadores do abdômen e das costas. O treinamento utiliza como acessórios bolas de estabilidade, bosu®, plataformas de oscilação e rolos de espuma. No treinamento básico geralmente há uma ênfase especial na postura.

O estudo foi publicado na revista ACSM’S Health & Fitness Journal no dia 30 de outubro de 2019. A produção, em parceria com a revista internacional, foi realizada por dois autores brasileiros: Paulo Costa Amaral e Deborah Palma, que trazem em seus currículos larga experiência nos assuntos de fitness e gestão.

O estudo contou com o apoio da Fitness Brasil na divulgação do questionário, que foi respondido por profissionais do segmento fitness, incluindo profissionais de Educação Física, professores universitários e gestores.

O que será que eles vão aprontar no Kharina?

Manu e Pepê recebem fãs e seguidores para um final de tarde especial no Kharina Cabral

Com mais de um milhão de seguidores no Youtube, os irmãos Manu e Pepê estarão no Kharina Cabral, no dia 19 de março, a partir das 19h. Os protagonistas da plataforma de vídeos, vão se encontrar com seus seguidores e fãs, onde poderão tirar fotos e participar de brincadeiras no espaço Kids.

O canal Manu e Pepê possui conteúdo voltado para crianças de dois a seis anos. Os vídeos, que conquistaram o público mirim, mostram passeios, novos brinquedos, além da rotina da dupla de irmãos. E lógico, não poderia faltar as palhaçadas junto ao macaco mais querido do Brasil, o fantoche Pepino.

As reservas de mesa, e assim, aproveitar a gastronomia do Kharina, devem ser realizadas pelo site (www.kharina.com.br) com pelo menos 24h de antecedência.

Kharina Cabral
Endereço: Rua Dep. Joaquim José Pedrosa, 13
Telefone: 3352 8661
@kharinaoficial

Carnaval para toda família é no Santa Villa

Carnaval para toda família é no Santa Villa

Vila gastronômica totalmente coberta é opção ideal para curtir com pequenos

A previsão é de tempo instável em Curitiba durante o feriado de carnaval. Mas, caso a chuva realmente apareça, não vai impedir que as famílias se divirtam muito. O Santa Villa é o único espaço totalmente coberto da cidade e preparou uma programação super especial para o feriado.

No sábado, segunda e terça-feira haverá camarim de pintura, escultura em balões, oficina de máscaras e o tradicional bailinho infantil. No domingo a oficina de slime promete ser disputada pelos pequenos.

O local oferece, ainda, um espaço kids completo com monitoria e pager de segurança. São milhares de bolinhas, em uma grande estrutura, para divertir os pequenos enquanto a família aproveita as diversas opções de alimentação.

As atividades programadas acontecem das 14h às 17h30 (sábado, domingo, segunda e terça). O espaço estará aberto desde o meio-dia durante o feriado.

O Santa Villa Gastronomia está localizado na Rua Francisco Derosso, 809, Xaxim, e conta com estacionamento próprio e gratuito. Mais informações: (41) 99602-2139. Acompanhe nas redes sociais: @santavillagastronomia (Instagram) ou www.facebook.com/santavillagastronomia