MON reabre ao público com exposição inédita do premiado artista Schwanke

O Museu Oscar Niemeyer (MON) reabriu ao público de acordo com o decreto estadual 7.506/2021 e seguindo orientações de segurança determinadas pela Secretaria de Estado da Saúde.

Entre as várias medidas adotadas para a reabertura está o limite de pessoas para visitação nas salas expositivas e em todo o Museu, para garantir o distanciamento seguro. O material impresso, como guias e folders, foi substituído por versões digitais, disponíveis por QR codes. Leia o protocolo de segurança completo aqui: http://bit.ly/protocolomon

Devido à pandemia, o MON ficou fechado ao público nos períodos de 17/3/2020 a 16/10/2020, de 6/12/2020 a 9/1/2021 e de 27/2/2021 a 30/4/2021.

Luiz Henrique Schwanke
Como novidade na reabertura, o Museu Oscar Niemeyer (MON) apresenta a exposição “Schwanke, uma Poética Labiríntica”, concebida exclusivamente para o espaço do Olho. É uma retrospectiva do trabalho do artista Luiz Henrique Schwanke (1951-1992), desde a década de 1970 até as últimas produções, num total de mais de 150 obras, sendo boa parte inédita.

“Ao realizar a exposição, que é inédita e foi idealizada especialmente para o espaço do Olho, o MON reverencia esse artista pesquisador tão importante que, com seu trabalho, explorou magistralmente as mais diversas linguagens, o que faz com que sua obra permaneça tão atual”, afirma a diretora-presidente do Museu, Juliana Vosnika. “Ao visitar a mostra, o público terá a oportunidade de encontrar um conjunto de obras múltiplas que permitem não apenas contemplar, mas que instigam”, comenta.

“Trata-se de uma retrospectiva de toda a produção de Schwanke desde 1976, percorrendo experiências múltiplas. Mais de 70% das obras apresentadas são inéditas, pertencentes ao acervo da família e de colecionadores”, explica Juliana.

A superintendente-geral de Cultura do Paraná, Luciana Casagrande Pereira, destaca a onipresença do artista no cenário das artes entre as décadas de 1970 e 1990. “Com a exposição em seu mais icônico espaço expositivo, o MON reconhece a importância desse profícuo e premiado artista, que viveu alguns anos em Curitiba, cidade que certamente o inspirou”, afirma Luciana.

O premiado artista tem em sua obra a singularidade de permitir diferentes abordagens e se estender por variadas formas, o que inclui desenhos, pinturas, livros, objetos, esculturas e instalações, num conjunto complexo e surpreendente.

“A obra de Schwanke é um campo de inquietação e desassossego e se constitui em um verdadeiro labirinto”, diz a curadora Maria José Justino. “Entrar em sua obra é um convite a percorrer caminhos que oferecem diversas linguagens e, quando acreditamos encontrar a saída, não passa de novas sendas para outras rotas, outras paragens e novos sentidos”, afirma.

A exposição “Schwanke, uma Poética Labiríntica”, realizada pelo MON, conta com o apoio do Instituto Luiz Henrique Schwanke.

Sobre o MON
O Museu Oscar Niemeyer (MON) pertence ao Estado do Paraná. A instituição abriga referenciais importantes da produção artística nacional e internacional nas áreas de artes visuais, arquitetura e design, além da mais significativa coleção asiática da América Latina. No total, o acervo conta com aproximadamente 7 mil peças, abrigadas em um espaço superior a 35 mil metros quadrados de área construída, sendo 17 mil metros quadrados de área para exposições, o que torna o MON o maior museu de arte da América Latina. Os principais patrocinadores da instituição, empresas que acreditam no papel transformador da arte e da cultura, são: Copel, Sanepar, Grupo Volvo América Latina, Vivo e Moinho Anaconda.

Serviço
Museu Oscar Niemeyer
Rua Marechal Hermes, 999 – Centro Cívico – Curitiba/Paraná
Visitação: terça a domingo, das 10h às 18h
www.museuoscarniemeyer.org.br

Mostra Pocket Lives abre espaço para artistas curitibanos

2020 foi um ano diferente para muitos artistas que, por conta da pandemia, não puderam fazer o show de lançamento de seus trabalhos em shows ao vivo. Foi pensando neles que a produtora musical Luciana Monteiro criou a mostra Pocket Live que vai reunir seis músicos que possuem uma sólida carreira no cenário de Curitiba, para apresentar no formato de live. São eles: Roseane Santos, Du Gomide, Alecir Carrigo, Julio Borba, Márcio Juliano e o grupo Bombaião. As apresentações acontecem no dia 30 de janeiro, sábado, em três horários distintos: 11, 15 e 17 horas, com transmissão pelo canal do Youtube, com uma hora de duração onde dois artistas vão dividir o espaço com meia hora para cada um.
Luciana Monteiro conta que buscou a diversidade sonora. Assim a mostra vai apresentar diversas vertentes musicais como: MPB, samba, raiz, pop, baião e instrumental. Ela explica que alguns discos já foram lançados em plataformas digitais, mas os artistas não tiveram a oportunidade de falar sobre o novo álbum, bem como divulgar e obter uma infraestrutura ideal de vídeo e segura para se apresentar. “A ideia é valorizar a diversidade e riqueza musical produzida atualmente no cenário curitibano. No formato pocket-live, cada artista apresentará quatro ou cinco faixas do seu novo trabalho no formato acústico que contará com até mais dois músicos para acompanhá-lo”, explica.
Assim, a live será realizada na Casa Eve, com transmissão realizada pela Vitral Produções. A passagem de som acontecerá uma hora antes de cada live ir ao ar. A apresentação ficará à cargo do jornalista e produtor cultural Rodrigo Browne que realizará um bate papo sobre o mais recente trabalho do artista.
A transmissão contará com uma infraestrutura técnica adequada que inclui todas as normas de segurança à saúde de todos envolvidos no projeto. Além do canal no You Tube, estas apresentações, inéditas nas redes, serão disponibilizadas em outros sites e plataformas digitais e nas redes sociais do próprio artista.
O projeto também oferece, como contrapartida social, a realização de um curso de Capacitação para Transmissão ao Vivo na Área Musical. O curso disponibilizará cinco vagas sendo uma para cada especialidade: Câmera, Fotografia, Direção de live, Corte de imagens e Áudio e luz. Esta ação acontecerá durante a pré-produção do projeto dois dias antes das lives irem ao ar. Os interessados poderão se inscrever durante a divulgação do projeto que acontecerá em breve. O número de vagas é restrito em respeito às normas de saúde para não causar aglomeração nos espaços.
O projeto Mostra Pocket-Live foi realizado com recursos do programa de apoio e incentivo à cultura – Fundação Cultural de Curitiba, da Prefeitura Municipal de Curitiba e do Ministério do Turismo.

Serviço:
Mostra Pocket-live no Youtube, dia 30 de janeiro, sábado.
Transmissão pelo Youtube.
Apresentação em três horários:
11 horas: Roseane Santos e 11h30 - Du Gomide
15 horas: Alecir Carrigo e 15h30 Julio Borba
17 horas: Marcio Juliano e 17h30 Bombaião

Balneário Camboriú terá uma das mais altas esculturas em madeira do mundo

Com 10,80 metros de altura, panda gigante será uma das atrações do PZ Ecomall. A inauguração será em janeiro de 2021.

Nos últimos dois meses, o artista catarinense Cainã Gartner, 30, dorme poucas horas. Dedica-se em tempo integral à produção artesanal de uma escultura que é um sonho e também um resgate da sua história familiar. Quarta geração na arte da carpintaria, o artista, natural de Gaspar, no interior de Santa Catarina, trabalha na construção um panda gigante, de 10,80 metros de altura, todo feito em madeira, que será as boas-vindas do PZ Ecomall, um espaço gastronômico sustentável, que inaugura em janeiro de 2021, em Balneário Camboriú.

Mockup do PNDA gigante no PZ Ecomall

O projeto, que também dá início a marca PNDA, está sendo construído usando apenas serras e parafusadeiras. Ao final, a escultura terá consumido 15 mil pedaços de compensado naval, cortados em pequenos retângulos, de forma abaulada, que são colados um a um para formar os membros, o tronco e a cabeça, e por fim, unidos por uma estrutura interna em ferro. Serão ainda consumidos em torno 50 mil parafusos, 30kg de cola e 45 litros de verniz à prova d’água.

Escultura em produção

A ideia de construir o boneco veio de uma tradição. Há mais de 30 anos, o avô produzia enfeites em madeira para a árvore de Natal, que eram vendidos em vários estados. O urso panda ganhava o destaque, no topo da árvore. “Eram peças feitas em série, baratas, por isso logo pararam de ser produzidas para dar lugar a outros projetos mais rentáveis”, lembra o artista. A reinvenção do artista veio quase de forma mágica. “Há alguns anos, mexendo nas coisas de família, achei uma caixa com os objetos que tinha, inclusive, sobrevivido a uma grande enchente na região de Gaspar”, conta. Entre os pequenos enfeites, estava o pequeno ursinho, que agora ganha proporção de gigante. “Por isso, o PNDA vem para resgatar esse espírito de consciência e de sensibilidade”, define.

Cainã Gartner

O projeto ainda evolui para a marca PNDA, com loja própria no PZ Ecomall, que fará reproduções do boneco no estilo toy art, em madeira certificada, e estampa uma série de produtos, como roupas, acessórios e souvenirs. O PZ Ecomall é um espaço gastronômico sustentável e contará com 10 operações gastronômicas, dentre elas as já confirmadas: Barolo Trattoria, de Curitiba, Matteo Gelato Criativo, de Cuiabá, Café Cultura, de Florianópolis, a nova Puppilo Pizza, de Itajaí e a Yellow Beer Box, de Passo Fundo, Guache Cozinha Oriental, de Itapema, Luau Poke e Siberiano Club. Fica na Rua 3500, esquina com Avenida Brasil, com funcionamento das 11h às 1h.

Experimento artístico “Tudo Junto e Misturado – Presentes”

Tudo Junto e Misturado é uma série de experimentos artísticos interativos digitais, criados pelo Teatro Bom Jesus em 2020, durante a quarentena

A série experimental “Tudo Junto e Misturado”, promovida pelo Teatro Bom Jesus, chega à sua última exibição da temporada 2020. Contando com a participação de atores experientes e a intervenção do público, que rege a dinâmica do espetáculo virtual, a próxima live será no dia 12 de dezembro (sábado), às 19h, no Facebook do Teatro Bom Jesus e no Youtube do Grupo Educacional Bom Jesus. A participação é gratuita!

O último experimento artístico terá como tema “Presentes”. Serão 12 das melhores cenas já apresentadas da série, adaptadas às festas de fim de ano.

De acordo com a atriz e assessora cultural do Grupo Educacional Bom Jesus, Mazé Portugal, a ideia do “Tudo Junto e Misturado” é mesclar cenas que agradem a um público variado, com cenas lúdicas, performances com críticas sociais, poesias, textos reflexivos e comédia. “E, como é ao vivo, com cada artista na sua casa fazendo muitas improvisações, o público poderá determinar a ordem das cenas para que os artistas adaptem a encenação”, complementa Mazé.

O espetáculo contará com a participação da bailarina Inês Drumond, dos atores César Cantão, Luis Benkard, ZéAntonio do Carmmo, da cantora Luísa Oliveira e também da atriz Mazé Portugal.

Serviço
Experimento “Tudo Junto e Misturado - Presentes”
Quando: 12 de dezembro (sábado), às 19h
Onde: Ao vivo no Facebook do Teatro Bom Jesus e no canal do Youtube do Grupo Educacional Bom Jesus
Evento gratuito!
Realização: Teatro Bom Jesus

Conheça os artistas!

ZéAntonio do Carmmo: especialista em Arteterapia - Terapias expressivas pelo Instituto de Artes da Unesp. Licenciado em Educação Artística com habilitação em Artes Cênicas pela Faculdade Paulista de Artes. Formação técnica como ator pelo Teatro Universitário da UFMG. Participou do CPT - Centro de Pesquisas Teatrais, sob a coordenação de Antunes Filho, e do núcleo artístico da Cia. Truks - Teatro de Bonecos. Atualmente compõe o núcleo artístico do Grupo Morpheus Teatro.

Luis Benkard: diretor, ator, escritor e cenógrafo. Interessado em gênero e raça, escreveu sobre Odelair Rodrigues e a mulher negra no teatro brasileiro. Trabalha com desconstrução dramatúrgica e cênica e seus shows têm alto impacto visual. Diretor artístico da Tirso Theatre Company, em Londres.

César Cantão: ator formado pelo Teatro-escola Célia Helena e pelo Núcleo de Atores do Ágora. Estreou profissionalmente no espetáculo “Rei Lear”, com Raul Cortez. Na TV, participou das minisséries “Força-tarefa”, da Rede Globo e dirigida por José Alvarenga Jr, “Crimes.com”, para o Discovery Channel, “9mm”, na Fox, “O negócio”, na HBO, entre outras. No teatro, atuou em inúmeras peças, com destaque para “Literatura contemporânea”, monólogo escrito e dirigido por Fernando Bonassi, “A senhora de Dubuque”, de Edward Albee, com direção de Leonardo Medeiros, entre outras. Seu último trabalho foi no longa “Modo avião”, de César Rodrigues para a Netflix.

Inês Drumond: formada pela Escola de Danças Clássicas do Teatro Municipal do Rio de Janeiro e pela Embap (curso superior de piano). Estudou dança flamenca, dança de salão e técnica vocal no Conservatório de MPB. É pós-graduada em Dança de Salão. Integrou o Corpo de Baile do Ballet Teatro Guaíra. Foi coreógrafa nos ateliês coreográficos do BTG, tendo sido premiada duas vezes. Recebeu o Troféu Gralha Azul pela melhor coreografia para teatro em duas edições do prêmio. Atualmente é integrante do G2 Cia de Dança (Ballet Teatro Guaíra 2), em que os bailarinos são intérpretes-criadores, trabalhando com pesquisa de movimentos. Entre seus últimos trabalhos, destaca-se sua participação como bailarina convidada em dois projetos de vídeo do cantor tunisiano Fahd Saidi: “Asturias Navara Hnina”, no qual dançou no Parthenon (Grécia), e “Sway”.

Mazé Portugal: produtora cultural, publicitária e atriz. Profissional com mais de 30 anos de carreira, iniciou na TV, tendo participado em várias campanhas publicitárias, novelas, filmes e seriados de televisão, com destaque para “Sabor da paixão” (TV Globo), “A vida colorida de Dalton” (TV Cultura) e os curtas “Vazio” e “Fragmentos”. Em teatro, já trabalhou, entre outros, com Desmond Jones (Londres), Hugo Mengarelli, Felipe Hirsh, Roberto Innocente, Francisco Medeiros, Rodolfo Garcia Vazquez, Marco Antonio Braz, José Antonio do Carmmo, Jairo Mattos, Márcio Mattana e Catherine Marnás. Recebeu dois prêmios de melhor atriz por “Os cantos de Maldoror” e “Aconteceu enquanto o ônibus não vem”. Entre São Paulo e Curitiba, trabalhou como produtora e atriz com a Cia.Satyros e, desde 2003, é empreendedora na Cia.Serial Cômicos.

É amanhã! SBT exibe Campanha AACD Teleton 2020

Confira endereço da Sala de Imprensa
Diante dos desafios de 2020, maratona de solidariedade se reinventa e terá seu grande momento em 7 de novembro, diretamente dos estúdios do SBT, em São Paulo, com participações virtuais de artistas e influenciadores

No sábado, 07 de novembro, o SBT exibe o Teleton 2020. Como todos estarão acompanhando de casa, a Assessoria de Comunicação disponibilizará uma Sala de Imprensa com fotos e textos, que será atualizada durante todo o evento:

https://photos.app.goo.gl/zX3qvefnHYbVGiYv9

A Campanha AACD Teleton 2020 se adequou ao novo normal para seguir os protocolos devido à pandemia da Covid-19. O grande momento da maratona de solidariedade, transmitida diretamente dos estúdios do SBT, em São Paulo, terá diversas novidades neste ano, com atrações musicais e participações especiais de artistas e influenciadores. Entre eles: Alcione, Darlisson Dutra, Aline Barros, Márcia Dantas, André Valadão, Luis Ricardo, Chitãozinho & Xororó, Silvinha Abravanel, Daniel, Zé Américo, Dilsinho, Ticiana Villas Boas, Felipe Araujo, Livia Andrade, Gustavo Mioto, Danilo Gentili, Ivete Sangalo, Ratinho, Joelma, Chris Flores, Júlia & Rafaela, Helen Ganzarolli, Léo Chaves, Gabriel Cartolano, Maiara & Maraisa, Nadja Haddad, Maneva, Marlei Cevada, Marilia Mendonça, Maisa, Matogrosso & Mathias, Celso Portiolli, Patati Patatá, Eliana, Paula Fernandes, Daniel, Sorriso Maroto, Tiago Abravanel, Vitor Kley, Patricia Abravanel, 3 Palavrinhas, Rebeca Abravanel, Wanessa Camargo, Jota Quest, entre outros. E ainda, o evento contará com o apoio dos artistas: Marcão do Povo, Liminha, Flor, Ana Paula Renault, Carlos Bertolazzi, Quintal da Cultura, Otávio Mesquita, Tiago Barnabé (Narcisa), Mara Maravilha, Murilo Couto, Milene Pavorô, Christina Rocha, Raul Gil, Teo José, Jackson Foolmann, Carlos Alberto de Nóbrega, César Filho, Rodrigo Faro, Marcos Mion, Sabrina Sato, Olivier Anquier, Beca Milano, Juliana Oliveira, Arlindo Grund, Lilia Cabral, Padre Juarez, Adriane Galisteu, Tirulipa, Carlos Nascimento, Guga Kuerten e Tony Ramos. O Teleton 2020 acontece em 7 de novembro, com flashes a partir das 7h e o evento, ao vivo, das 10h30 às 20h30, com apresentadores que se revezarão no palco do SBT. A música-tema desta edição será Pra Ser Feliz, do cantor Daniel.

Neste ano, pela primeira vez na história, as pessoas podem fazer doações pelo 0500 durante quatro meses. A campanha teve início em setembro e até 31 de dezembro os números estarão disponíveis (informações completas, com todos os canais de doação, abaixo). Além disso, neste ano o digital está tendo um papel fundamental, promovendo diversas ações de engajamento que contribuem para a captação de recursos. Além da live inédita, realizada no início desse mês, na semana que antecede o Teleton na TV haverá uma ação com diversos gamers engajados na causa da pessoa com deficiência.

Para gerar engajamento e audiência de arrecadação para a campanha, o SBT Games vai realizar a maior ação beneficente com gamers já feita no Brasil, serão oito dias de lives com mais de 120 horas de entretenimento digital com a participação de mais de 70 personalidades, como publishers, pro players, streamers, jogadores de futebol, organizações de E-Sports, youtubers, entre outros convidados. No dia que antecede o evento, em 6 de novembro, a partir das 19h será realizada a Liga Teleton, uma noite de jogos virtuais com gamers e influenciadores com algum tipo de deficiência física. No dia 7 de novembro, a partir das 19h, também será apresentada uma live no canal do Youtube do SBT, apresentada por Maisa, Yudi Tamashiro, Priscilla Alcantara, entre outros. O público poderá entrar ao vivo no programa, interagir com os apresentadores e concorrer a prêmios. A transmissão também acontecerá pelo canal 500 da Claro TV.

Outra novidade neste ano é que não haverá meta de captação. A AACD e o SBT optaram por seguir dessa maneira devido à crise econômica proveniente dos impactos da Covid-19. "Diante do cenário que estamos vivendo, essa certamente é uma das campanhas mais importantes de toda a história de 70 anos da AACD. Afinal, a crise nos trouxe um gap financeiro de cerca de R$ 50 milhões, fazendo nossa necessidade de captação saltar de R$ 80 milhões para R$ 130 milhões neste ano. Por isso, contamos muito com a colaboração de todos os que puderem doar e ajudar a não deixar os nossos pacientes sem os tratamentos que tanto precisam", diz Edson Brito, superintendente de Marketing e Relações Institucionais da AACD

"O compromisso esse ano será muito maior e complexo, é poder realizar o Teleton com a questão do distanciamento, tendo que se adaptar a essa nova realidade e sempre com o compromisso de conseguir ajudar com os recursos necessários para que a AACD mantenha sua atividade. É muito importante que o público continue apoiando esse projeto, ainda que esse ano de uma maneira diferente, mas sempre com a mesma preocupação para que a AACD de fato continue cumprindo com o seu papel", explica José Roberto Maciel, CEO do SBT. Os parceiros já confirmados até o momento na Campanha AACD Teleton 2020 são Assaí, BB Seguros, Drogasil, Hipercard, Riachuelo e Votorantim.

Família símbolo
É por meio das histórias de vida de pacientes que a AACD consegue mostrar a realidade do amplo trabalho que realiza no Brasil. Para esta campanha, dará destaque à trajetória da Mariana de Oliveira, de 38 anos, e seu filho Dudu, de 9 anos. Com doença de Crohn, Mariana teve uma perfuração intestinal seguida de infecção generalizada que causou necrose. Ao completar um ano da amputação das pernas e mãos, Mariana estava em pé e realizando as tarefas junto a seu filho Dudu. “Meu filho nasceu com mielomeningocele e acompanho desde pequeno sua reabilitação na AACD, vejo o cuidado dos terapeutas. Quando chegou a minha vez de precisar de tratamento, sabia que queria ir para a Instituição, pois eles estão preparados para receber não só quem nasce com deficiência, mas também quem adquire alguma”.

Assista ao vídeo da campanha: https://www.youtube.com/watch?v=8_Expn0Ktgg

Como doar

Site: www.teleton.org.br

0500
0500 12345 05 – Para doar R$ 5,00
0500 12345 20 – Para doar R$ 20,00
0500 12345 40 – Para doar R$ 40,00
- R$ 0,39 por minuto, chamadas terminais fixos + Impostos
- R$ 0,71 por minuto, chamadas terminais móveis + Impostos

0800
0800 770 1231
- Doações mínimas de R$ 5,00 pode ser feitas via cartão de débito ou crédito. Valores a partir de R$ 10,00 podem ser pagos por boleto, que é enviado via e-mail.

SMS
Envie mensagem para o número 30265 com a palavra Teleton.
Você receberá uma mensagem para acessar o link da Pagtel
Neste link você menciona o valor a ser doado e a forma de pagamento
Os pagamentos podem ser feitos através de cartão de crédito ou boleto

Bonecos
Tonzinho ou Nina – R$80,00
Tonzinho + Nina – R$150,00
*Os bonecos podem ser adquiridos pelo Site, 0800 ou SMS

Sobre o SBT
Em 19 de agosto de 1981, foi inaugurado o Sistema Brasileiro de Televisão. Considerado o canal da família brasileira, o SBT cobre 194 milhões de telespectadores e 64 milhões de lares. Atualmente conta com 110 emissoras em todo país com 24 horas de programação diversificada com participação em de 16% em audiência na Grande São Paulo e 15% da audiência no Brasil. O complexo do SBT tem uma área total de 230.000m² com 74.000m² de área construída. Conta com oito estúdios, somando uma área de mais de 4.400 m² e uma cidade cenográfica de 6.500 m². O SBT é referência em produções infantis e programas de auditório proporcionando o bem-estar da família. Fontes: Kantar IBOPE Media –MW –Grande São Paulo e Regiões Metropolitanas (15 Praças) –Dados Domiciliares (Shr%) –Faixa 24 Horas –Jan a Jul/19 / Kantar IBOPE Monitor (29 Praças) –Dados brutos, sem desconto –Total TV aberta -Jan a Mai/17 / Atlas de Cobertura SBT.

Sobre a AACD
Fundada em 1950, a AACD possui uma infraestrutura completa dedicada à reabilitação e habilitação de pessoas com deficiências físicas e necessidades ortopédicas – composta por um hospital ortopédico, oito unidades de reabilitação e cinco oficinas para fabricação de produtos ortopédicos. Em 2019 realizou mais de 880 mil atendimentos especializados para pacientes de todas as idades, via SUS, particular e convênios, entregou 61 mil produtos ortopédicos e fez cerca de 7.500 cirurgias ortopédicas. Conta ainda com o Lar Escola SF, a área de Ensino e Pesquisa, que dissemina os conhecimentos adquiridos ao longo de sua história aos profissionais de todo o País, e com a AACD Esporte, que contribui, por meio da prática esportiva, para a inclusão da pessoa com deficiência. Acesse: aacd.org.br

Sobre o Teleton
O Teleton é uma campanha de captação de recursos da AACD. A transmissão do programa é realizada pelo SBT e pela Rede da Solidariedade, composta por diversos canais de comunicação. O objetivo é sensibilizar e mobilizar a população em prol da causa da pessoa com deficiência e arrecadar recursos para o tratamento e reabilitação dos pacientes da instituição.

União Brasileira de Compositores convida artistas para série de lives que apoiam a campanha “Juntos Pela Música”

Russo Passapusso, do grupo BaianaSystem e Hyldon são alguns dos participantes desta semana. A programação colabora com fundo financeiro criado para auxiliar profissionais do meio musical durante a pandemia.

Desenvolvida no início do período de quarentena pela União Brasileira de Compositores com transmissões em seu perfil do Instagram, a Janela UBC é uma série de lives que conecta profissionais de diferentes áreas da indústria musical ao grande público. De 12 a 15 de outubro, receberá sempre às 16h Sandra de Sá, Russo Passapusso, Hyldon e Iuri Freiberger no link http://www.instagram.com/ubcmusica/ .

Criado pela UBC, o fundo Juntos Pela Música visa auxiliar financeiramente profissionais da indústria musical que foram severamente prejudicados pelas consequências da pandemia da Covid-19. Em seis meses de campanha, a organização arrecadou mais de R﹩ 1,7 milhão através de doações realizadas via Benfeitoria, plataforma brasileira de crowdfunding. Aqueles que quiserem continuar ajudando a iniciativa podem doar diretamente para a instituição, por meio de depósito. O valor conquistado tem sido capaz de ajudar aproximadamente 1.057 famílias pelo curso de 4 meses, e foi alcançado graças à parceria de matchfunding feita com o Spotify, que como parte de seu programa global de suporte, intitulado Covid-19 Music Relief, dobrou as doações recebidas pela UBC até agosto.

6=ImN4Q2N0ojci5SbvNmLhJnclRHQpxGblNWdsFWbhN3cl5WY2pjMyIjNzYzN2YjOnVGcq5iN4gjM0MTOwMzMGJTJwMzMGJTJyADM1YkMlUDMyQTMf1SNx0yXt92YuIHct1SaGJTJGJTJBNTJwRHdopTO

Abrindo a programação da semana, na segunda-feira, 12/10, às 16h, a cantora Sandra de Sá entrevistará o produtor, compositor e cantor baiano Hyldon, responsável por sucessos como "Na Rua, Na Chuva, Na Fazenda" e "As Dores do Mundo", que foram popularizados por nomes como Kid Abelha e Jota Quest. O artista começou sua carreira musical aos 14 anos e ganhou reconhecimento na década de 1970, integrando a tríade da soul music brasileira juntamente com Tim Maia e Cassiano. A conversa faz parte do quadro "Música Preta Importa", no qual todas as segundas-feiras Sandra convida uma personalidade marcante para a cultura negra no país.

4=kjM3UWOzojci5SbvNmLhJnclRHQpxGblNWdsFWbhN3cl5WY2pjMyIjNzYzN2YjOnVGcq5SN3QDN5kDN5UjMGJTJ5UjMGJTJyADM1YkMlUDMyQTMf1SNx0yXt92YuIHct1SaGJTJGJTJBNTJwRHdopzM

As entrevistas prosseguem na terça-feira, 13/10, às 16h, quando Elisa Eisenlohr, Gerente de Comunicação da UBC conversa com Iuri Freiberger sobre aceleração de carreiras artísticas e o Projeto Impulso, iniciativa da organização para auxiliar artistas, a qual oferece mentoria, capacitação, networking e um aporte monetário para seguimento do trabalho. Iuri, além de ser produtor musical desde a década de 1990, é mestre em Design Estratégica, e também tem experiência como gestor público, professor universitário e gestor de projetos.

5=MjZmljMwojci5SbvNmLhJnclRHQpxGblNWdsFWbhN3cl5WY2pjMyIjNzYzN2YjOnVGcq5iN2UTNyMDO1EzMGJTJ1EzMGJTJyADM1YkMlUDMyQTMf1SNx0yXt92YuIHct1SaGJTJGJTJBNTJwRHdopjN

Quarta-feira, 14/10, é a vez do cantor e compositor baiano Manno Goés receber o duo OutroEu, composto pelos músicos Mike Tulio e Guto Oliveira. O conjunto teve início no programa Superstar, da Rede Globo, e em sua formação inicial havia outros dois integrantes. O grupo ficou em terceiro lugar da edição de 2016 do reality show, assinando com o selo SLAP. Em 2017 lançaram seu primeiro álbum, "OutroEu" e passaram a se apresentar como uma dupla, tendo participado em um single da dupla Anavitória. No ano passado passaram a fazer parte do casting da Universal Music Brasil e lançaram o EP "Encaixe", que conta com a faixa "Não Olha Assim para Mim", parte da trilha sonora da novela "Amor Sem Igual", da emissora Record.

4=AzNiFjNjpjci5SbvNmLhJnclRHQpxGblNWdsFWbhN3cl5WY2pjMyIjNzYzN2YjOnVGcq5iMxgzNzcDOxQjMGJTJxQjMGJTJyADM1YkMlUDMyQTMf1SNx0yXt92YuIHct1SaGJTJGJTJBNTJwRHdopTM

Encerrando a programação desta semana, na quinta-feira, 15/10, às 16h, a cantora Paula Lima conversará com Russo Passapusso, frontman do grupo BaianaSystem. O músico é dono de uma voz e estilo marcantes que têm feito enorme sucesso ao redor do país nos últimos anos, tanto em seus trabalhos com a banda, vencedora do prêmio de melhor álbum de Rock ou de Música Alternativa em Língua Portuguesa da edição de 2019 do Grammy Latino, quanto em sua carreira solo. Desde 2008, Russo trabalhou juntamente com artistas como Margareth Menezes, Gilberto Gil, Curumin, Manu Chao e Elza Soares.

Sobre o fundo "Juntos Pela Música"

A pandemia do Covid-19 acertou em cheio a indústria da música. A proibição da realização de eventos estancou quase por inteira a fonte de renda de milhares de artistas. A crise afeta também a arrecadação de direitos autorais por execução pública, que terá queda de R﹩ 140 milhões em 3 meses, segundo o Ecad. Diante deste cenário, a União Brasileira de Compositores (UBC) e o Spotify lançam o fundo "Juntos Pela Música", que remunerará artistas que enfrentam dificuldades financeiras. O fundo nasceu com R﹩ 1 milhão, sendo R﹩ 500 mil da UBC e outros R﹩ 500 mil do Spotify, destinados a milhares de artistas afetados pela quarentena.

Para ampliar o alcance dos benefícios, as entidades abriram a campanha para doações da sociedade civil, através de uma plataforma de crowdfunding, a Benfeitoria, mas já alcançaram a meta estipulada no início do projeto, que conseguiu apoiar 1.057 famílias. Agora a campanha segue para a fase dois: aqueles que quiserem continuar contribuindo com a causa poderão fazer suas doações por meio de depósito direto para a organização, por meio da conta da UBC no Banco Santander: agência 0057, conta corrente 13005545-5, CNPJ 33.576.166/0001-00. Após a doação, solicita-se que seja enviado um comprovante para o e-mail comunicacao@ubc.org.br, para que o valor seja contabilizado.

O movimento faz parte do projeto global " Spotify COVID-19 Music Relief ". A empresa irá igualar as doações arrecadadas via crowdfunding, em parceria com a UBC, para atender os artistas. Neste caso, o Spotify se compromete a equiparar a doação em 1:1. Para cada real doado pela sociedade, a empresa doará o mesmo valor, além do aporte inicial de R﹩ 500 mil, até o limite do seu programa global de ajudas do gênero.

Atualmente, a campanha já soma mais de R﹩1,6 milhão. O valor arrecadado ajudará 1.057. 896 músicos já foram aprovados para receber o benefício de R﹩1.600, divididos em 4 parcelas.

Sobre a UBC

A União Brasileira de Compositores - UBC é uma associação sem fins lucrativos, dirigida por autores, que tem como objetivo principal a defesa e a promoção dos interesses dos titulares de direitos autorais de músicas e a distribuição dos rendimentos gerados pela utilização das mesmas, bem como o desenvolvimento cultural.

A UBC foi fundada em 1942 por autores e atua até hoje com dinamismo, excelência em tecnologia da informação e transparência, representando mais de 30 mil associados, entre autores, intérpretes, músicos, editoras e gravadoras. Para mais informações: Elisa Eisenlohr: elisa.eisenlohr@ubc.org.br / Whatsapp: (21) 99746-4047

SERVIÇO - JANELA UBC

Transmissão: http://www.instagram.com/ubcmusica/

Data: 12/10 (segunda-feira)

Horário: 16 horas

Convidados: Sandra de Sá e Hyldon

Data: 13/10 (terça-feira)

Horário: 16 horas

Convidados: Elisa Eisenlohr e Iuri Freiberger

Data: 14/10 (quarta-feira)

Horário: 16 horas

Convidados: Manno Goés e OutroEu

Data: 15/10 (quinta-feira)

Horário: 16 horas

Convidados: Paula Lima e Russo Passsapusso

CLUBE CURITIBANO PROMOVE FESTIVAL DIGITAL DE ARTES E NOVAS TECNOLOGIAS

Entre 2 de outubro e 27 de novembro o Clube Curitibano realiza o Festival Impulso 2020, evento completamente digital que promove diferentes tipos de arte. Recheado de performances, bate-papos com artistas, show musicais e apresentações, o festival acontece completamente via a página do Instagram @impulsofestival.

Com a suspensão de todos os eventos sociais e culturais por tempo indeterminado, o Clube recorreu às redes sociais, com uma programação de lives desde abril deste ano. O festival vem como uma nova iniciativa, sendo o primeiro de seu gênero na instituição. Vinculado à tecnologia, o evento promove a versatilidade da arte em novas plataformas e em novos formatos.

E para esse projeto foi convidado um time de embaixadores, começando pela madrinha do evento, a prestigiada bailarina Ana Botafogo.

Com mais de 1 mês de programação, o festival é dividido em duas partes: o mostra artística, aberta ao público; e o concurso criativo, voltado aos associados do Clube.

O concurso convida todos os associados a exercitar a criatividade por meio das novas tecnologias. Depois de uma programação exclusiva de workshops, os participantes deverão fazer vídeos curtos mostrando o seu dom (seja cantando, atuando, dançando, tocando, imitando, dublando, o que achar melhor). O material passará por avaliação do júri e os melhores vídeos serão votados pelo público no Instagram oficial do Festival Impulso.

Regulamento do Concurso: http://bit.ly/regulamento_impulso2020

Para acompanhar todo o conteúdo do evento online, siga a página @impulsofestival. Confira a programação:

FESTIVAL IMPULSO 2020:

AO VIVO:

Instagram @impulsofestival

21/10 - 16h | Bate-papo com Jessé Batista Junior e Nathalia Tedeschi - “A Influência do Contemporâneo na Produção Artística”

YouTube oficial do Clube Curitibano

15/10 - 19h30 | Apresentação de dança com o grupo “Sashas”

16/10 - 18h | Show Jimmy Reuther

20/10 - 19h30 | Bate-papo com o coreógrafo Matheus Brusa

VÍDEOS DE PERFORMANCES, APRESENTAÇÕES E BATE-PAPOS:

17/10 | Leitura Dramática com Teatro Adulto do Clube Curitibano

19/10 | Bate-papo com o grupo de Dança “Sashas” - “A história e a criação de um estilo”

19/10 | Vídeodança “Cíclico” com Matheus Brusa

22/10 | Bate-papo com DANCEP (Companhia de Dança do Colégio Estadual do Paraná)

22/10 | Vídeo coreografia “Recalculando” com Matheus Brusa

26/10 | Performance da Curitiba Cia. de Dança

27/10 | Bate-papo com a Curitiba Cia. de Dança

27/10 | Apresentação do Grupo de Dança de Salão do Clube Curitibano e convidados

28/10 | Bate-papo com Grupo de Dança de Salão do Clube Curitibano

29/10 | Apresentação da peça “Let it Be” da Turma de Teatro Infantojuvenil do Clube Curitibano

30/10 | Bate-papo com o Professor Orly Veras de Teatro Infantojuvenil

Vídeos disponibilidades no Instagram @impulsofestival e no YouTube do Clube Curitibano

Grupo de MPB lança produção com 48 artistas em casa no evento cultural online da UFPR; banda de médicos no combate à pandemia também integra programação

Segunda edição do Movimento Conexão será dias 25 e 26 de junho e terá 14 atrações gratuitas com diferentes estilos musicais, aula de forró, batalha de poesias e webinários

É de Aldir Blanc a letra da canção que será interpretada por 48 artistas do Grupo de MPB da UFPR em suas casas. Em um vídeo com mosaico de vozes e sons, cantores e instrumentistas vão homenagear o compositor brasileiro que morreu por Covid-19 cujo nome virou lei que prevê auxílio emergencial à cultura durante a pandemia. A produção será lançada na segunda edição do evento cultural online Movimento Conexão, que será transmitido gratuitamente nos dias 25 e 26 de junho das 15h às 18h pelo Facebook da Agência Escola UFPR. Ao todo, serão 14 atrações com diferentes estilos musicais, aula de forró em clima de festa junina, sarau e batalha de poesias e webinários – confira a programação completa neste link (http://www.agenciacomunicacao.ufpr.br/site/?p=1609).

A canção que será apresentada pelo Grupo de MPB da UFPR foi composta por Aldir Blanc na década de 1970 e celebrizada por Elis Regina. Regente do Grupo de MPB da UFPR, Vicente Ribeiro conta que a letra retrata questões sociais vividas pelo Brasil na época, mas que tem muita relação com o momento atual. “Parece que foi feita para o tempo que estamos vivendo”. O nome da música será surpresa ao público a critério do grupo.

Com novos elementos técnicos e artísticos, a apresentação SOS Brasil encerrará o Movimento Conexão às 17h30 do dia 26, sexta-feira – na primeira edição do evento o Grupo de MPB apresentou a performance “Dança do Ouro”. “Com essas produções virtuais, mostramos que continuamos fazendo arte, que a arte está viva. A arte se confunde com a própria vida e nos humaniza, nos torna pessoas melhores”, acrescenta Vicente ao se referir ao contexto de pandemia.

Coordenadora da Agência Escola UFPR e diretora do Setor de Artes, Comunicação e Design (Sacod), a professora Regiane Ribeiro destaca que a segunda edição do evento potencializa as diferentes linguagens artísticas, além de ampliar a participação dos campi avançados da UFPR. “A programação traz diversidade de atrações e linguagens de grande relevância dentro do contexto cultural da cidade e da universidade”.

O Movimento Conexão é uma realização da Agência Escola de Comunicação Pública UFPR em parceria com o Setor de Artes, Comunicação e Design (Sacod) e a Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (Proec) da Universidade.

Pluralidade

Para a produtora cultural do Sacod, Patricia Salles o diferencial do Movimento Conexão é mostrar produções da UFPR com trabalhos e pesquisas de alunos, professores e técnico-administrativos e ao mesmo tempo dialogar com convidados de outros segmentos ou instituições. “A curadoria do evento é sempre pensada a partir de uma pluralidade tanto das linguagens artísticas quanto de público e formato de conteúdo”.

“Buscamos trazer propostas que fossem diferentes do que o público conferiu na edição passada e também atrações que fossem diferentes entre si em termos de estilo, temática e linguagens artísticas”, acrescenta Kleiton Costa, produtor cultural da Coordenadoria de Cultura da Proec. Para ele, o destaque é a própria diversidade do evento, que mistura música pop e clássica, poesia, debates e forró com atrações para todos os gostos.

Banda de médicos no combate à pandemia

Rogerio de Fraga, Marcos Sigwalt, Luiz Araújo, Alexandre Soares e Marcelo Wada são médicos formados na UFPR e atuam no combate à pandemia de Covid-19 seja linha de frente ou na gestão. Ao Movimento Conexão trarão arte para o público no dia 25, quinta-feira, às 17h30, com apresentação da banda de rock Uso Utópico que criaram em 2004. Recentemente o formando de Medicina Gabriel Schier de Fraga também passou a integrar a banda.

“É recompensador poder compartilhar algo lúdico neste momento tão reflexivo e doloroso para tantas pessoas. A música é uma das conexões humanas mais ancestrais que existe. É um exercício excelente para a saúde mental e social”, diz o médico Rogerio de Fraga, que também atua no Complexo Hospital de Clínicas da UFPR, e vocalista da banda Uso Utópico.

Orgulho LGBTI

No mês do orgulho LGBTI, o Movimento Conexão traz o webinário “Gênero e cultura pop: identidades LGBTI+ nas animações seriadas” no dia 26, sexta-feira, às 16h30. Mestrandos em Comunicação na UFPR, Leonardo José Costa e Romão Matheus Neto discutem as animações seriadas como materialidade para se pensar questões de gênero na cultura pop.

Ainda na sexta-feira, dia 26, às 15h30, Jeruza Miller, drag queen pianista com carreira internacional, apresenta o projeto PianoDrag unindo piano e canto em repertório clássico, jazzístico e popular. “O mês do orgulho LGBTI é uma visibilidade para a comunidade. Artistas que defendem e contribuem para a diversidade também devem ter a oportunidade de apresentar o seu trabalho. Nesse momento de pandemia é importante que essas plataformas virtuais aconteçam”, diz.

Fotos em alta resolução: bit.ly/movimentoconexao

Link da notícia no portal UFPR: https://www.ufpr.br/portalufpr/noticias/grupo-de-mpb-lanca-producao-com-48-artistas-em-casa-no-evento-cultural-online-da-ufpr-confira-programacao-completa/

CONTRATEMPO FESTIVAL REÚNE MAIS DE 100 ARTISTAS DE TODO PARANÁ

Evento online, na próxima terça-feira (23), é também um manifesto da classe, que aguarda o pacote de medidas de apoio ao setor cultural prometido pelo Governo do Estado do Paraná para maio

Nasce um novo espaço para exaltar o poder transformador da cultura e levar sanidade às pessoas isoladas devido a pandemia. Artistas do Paraná se unem para a primeira edição do Contratempo Festival, um evento online, com mais de 100 ações ao vivo durante 12 horas consecutivas. As transmissões serão entre 9h e 21h de terça-feira, dia 23 de junho, no canal do Instagram das/dos artistas.

Contratempo Festival traz a multiplicidade e versatilidade do setor cultural: música, teatro, cinema, circo, literatura, performances, dança, artes plásticas, fotografia, juntas em um só evento. A cada hora, apresentações exclusivas que prometem surpreender as espectadoras e espectadores. Serão oito artistas solo, companhias e/ou bandas por hora. Karol Conka, Alexandre Nero, Fabíula Nascimento (única que será no twitter porque seus perfis foram ocupados por pessoas negras em junho), A Banda Mais Bonita da Cidade, Ave Lola, Baque Mulher, Mandicuera, Mulamba, Cia dos Palhaços, Letícia Sabatella, Janine Mathias, Dow Raiz, Fotofolia, Rimon Guimarães, Slam das Gurias CWB, Caburé Canela, De um filho, de um cego, Abacate Contemporâneo, Luís Melo, Katiuscia Canoro e cia brasileira de teatro, entre outros, outras e outres movimentam a terça-feira do Paraná.

Mais que apresentações, o evento é um manifesto, um pedido de socorro da classe artística, uma das primeiras a parar e que não tem previsão de retorno presencial. Ao contrário de outros estados do Brasil, que logo no início da pandemia publicaram editais de auxílio emergencial ao setor, o Governo do Paraná segue sem ações efetivas. O tímido pacote de medidas de “apoio e fortalecimento do setor cultural”, anunciado para maio, ainda não aconteceu, e quando questionada sobre recursos para o Fundo Estadual de Cultura, a Superintendente de Cultura, Luciana Casagrande Pereira, comenta sobre a esperança na aprovação da Lei Aldir Blanc como único plano do Estado. A lei aguarda a sanção presidente até dia 1º de julho.

Live Arte de Casa by Márcia Fernandes

Live da artista Márcia Fernandes. Envio abaixo o material para análise e posterior publicação no site divirta-se Curitiba.com/

Informações do Evento

Nome da Artista: Márcia Fernandes

Nome do Evento: Live Arte de Casa

Descrição do Evento:. A artista, soteropolitana, Márcia Fernandes, cantora, compositora, violonista, poeta e artista plástica, faz a apresentação ao vivo, acompanhada por seu violão, a baiana de voz e presença marcantes, traz a alegria no repertório, que passeia por diversos ritmos musicais, ao recitar de poemas e a exposição de suas pinturas. A artista multifacetada, promete surpreender ao público com seu show autoral.

Local: Facebook/marcia.fernandes.167527

Data: 20.06.2020

Hora:. às 20h

Email: m.somfernandes@yahoo.com.br

Fone: (71) 991206943

Realização: Márcia Fernandes

Classificação Etária: Livre

Portfolio em Casa entrevista o fotógrafo das personalidades brasileiras

O entrevistado deste sábado (13), no canal do YouTube da Escola Portfolio, será o fotógrafo Luiz Garrido, que há vários anos vem fotografando personalidades brasileiras das mais variadas áreas da sociedade, e cujo arquivo tem mais de 950 personagens.

Em 1968, Garrido abandonou a faculdade de economia e foi para Paris, onde iniciou sua carreira como repórter fotográfico na sucursal da revista Manchete. Foi durante esse período que teve a oportunidade de conhecer John Lennon e Yoko Ono, por ocasião de sua estada em Paris na famosa jornada “Bed-in For Peace”. De volta ao Rio de Janeiro, em 1971, dedicou-se a fotografia de moda e publicidade, tendo sido colaborador assíduo de revistas como Vogue (Brasil e França), Interview, Claudia Moda, Moda Brasil, Elle (Brasil, França e Itália), Playboy, Big (EUA), G.Q.(Inglaterra) e Photo (França).

A entrevista será conduzida pelo fotógrafo Nilo Biazzetto Neto, e poderá ser assistida por qualquer pessoa interessada. O link para inscrição e acesso é o https://www.youtube.com/channel/UCRgN87r9vS5SDL7rh3wUJYQ. A ideia do programa Portfolio em Casa, segundo Nilo, é disponibilizar conteúdo que seja de interesse a fotógrafos, artistas e profissionais de imagem em geral, por meio de formatos que variem de entrevistas a bate-papos e aulas.

Serviço
Portfolio em casa
https://www.youtube.com/channel/UCRgN87r9vS5SDL7rh3wUJYQ
Alberto Folloni, 634 A, Centro Cívico. Curitiba – PR
escolaportfolio.com.br
41- 99655-0271 (Whatsapp)

Nave Gris Cia Cênica anuncia chamamento para Mostra de Videodança.

Até 31 de julho de 2020 grupo recebe obras de bailarinas(os), coreógrafas(os), performers e artistas do audiovisual de todo o país que exploram a linguagem videodança.

Mostra faz parte de projeto contemplado pela 27ª Edição do Programa de Fomento a Dança para a Cidade de São Paulo

/ws/index.php?r=message/downloadAttachment&Message%5Buid%5D=171524&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253C00e201d63ea9%25240767b300%252416371900%2524%2540iarafilardi.com%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3C00e201d63ea9%240767b300%2416371900%24%40iarafilardi.com%3E-1.1.2

Até 31 de julho de 2020 a Nave Gris Cia Cênica receberá obras de bailarinas(os), coreógrafas(os), performers e artistas do audiovisual de todo o país que exploram a linguagem videodança, e que possuem como matéria poética as culturas tradicionais-populares brasileiras em sua inter-relação com as artes contemporâneas. As produções selecionadas estarão na GIRA - Mostra Nave Gris de Videodança, que tem previsão de estreia para o segundo semestre deste ano, na cidade de São Paulo. O evento faz parte do “Mãos que bordam o tempo, pés que acordam o chão - circulação dos espetáculos A-VÓS e Corredeira” contemplado pela 27ª Edição do Programa de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo. O projeto, que tem duração de 18 meses, prevê apresentações gratuitas dos espetáculos A-VÓS e Corredeira, palestras, rodas de conversa e cursos gratuitos que visam fomentar um olhar ético e sensível para maneiras de conceber e vivenciar o tempo, a memória e os saberes ancestrais presentes nas culturas negras e ameríndias.
Tanto o regulamento da mostra como o formulário para inscrições estarão disponíveis a no site www.navegris.com.br. O resultado dos selecionados será divulgado em 31 de agosto de 2020 por meio dos canais da Nave Gris e as produções selecionadas serão exibidas gratuitamente em outubro de 2020, em espaço cultural aberto ao público, na capital paulista. De caráter não competitivo, a mostra visa proporcionar um espaço de visibilidade e circulação artística sem fins lucrativos, não havendo premiação de qualquer espécie.

Critérios:
1.A – Serão aceitas videodanças executadas por artistas que dialogam com as culturas tradicionais-populares do Brasil e suas inter-relações com as artes contemporâneas, explorando as possibilidades entre corpo e audiovisual.
1.B - Podem ser inscritas videodanças finalizadas com produção feitas a partir de 2015.
1.C – Serão aceitos vídeos finalizados de 01 até 10 minutos, que poderão estar hospedados em qualquer site ou compartilhamento de vídeos como Vimeo, YouTube, Dropbox, OneDrive ou SendSpace com resolução mínima de 640X480, em qualquer extensão.
1.D - Vídeos fora dos critérios acima não serão aceitos.
1.E– Limite de até 02 vídeos por artista e/ou grupo.
1.F – Até 20 videodanças serão selecionadas para esta edição.

2. Sobre a seleção dos vídeos:
A curadoria da GIRA - Mostra Nave Gris de Videodança é composta pelos diretores artísticos da Nave Gris Cia Cênica, Kanzelumuka e Murilo De Paula, e pela artista da videodança Vanessa Hassegawa.
A seleção dos trabalhos será baseada na qualidade das propostas cênicas dos(as) artistas, na relação com o conceito da mostra e na possibilidade de adequação do trabalho ao espaço da mostra.

Sobre a Nave Gris Cia Cênica:
A Nave Gris Cia Cênica, dirigida por Kanzelumuka e Murilo De Paula, nasceu em 2012 na cidade de São Paulo do encontro entre artistas de linguagens distintas e dedica-se, desde então, à pesquisa e desenvolvimento da cena como campo de pluralidade, espaço expandido e limiar entre dança, teatro e performance. As culturas afro-brasileiras e ameríndias estão presentes no trabalho da companhia como motores na pesquisa e produção de estéticas contemporâneas que afirmam a multiplicidade de vozes, corpos e pensamentos que nos constituem como latino-americanos. A Cia realizou Poéticas do Desacontecer (performance), o espetáculo de dança negra contemporânea Dikanga Calunga, a intervenção coreográfica Minha Cabeça Me Salva ou Me Perde, os espetáculos Corredeira, que estreou na Bienal Sesc de Dança 2017, e A-VÓS, indicado ao APCA 2018 na categoria Espetáculo/Estreia e como um dos melhores espetáculos de dança de 2018 pelo júri do Guia Folha de São Paulo.

Zezé Di Camargo e Luciano estão entre os artistas selecionados pelo “Domingão do Faustão” para um especial ao Dia dos namorados

Neste domingo (07), o programa irá reexibir momentos da dupla em seu palco

downloadAttachment&Message%5Buid%5D=171311&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253CRO1P152MB0412D5EED5B399ADE8AD8FD0F5870%2540RO1P152MB0412.LAMP152.PROD.OUTLOOK.COM%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3CRO1P152MB0412D5EED5B399ADE8AD8FD0F5870%40RO1P152MB0412.LAMP152.PROD.OUTLOOK.COM%3E-1.2

Foto: Divulgação

Dia 12 de junho está chegando e, com ele, as promessas de amor eterno embaladas por canções de sucessos. Você já parou para pensar o quanto as músicas nos trazem memórias afetivas? São muitas lembranças quando ouvimos determinadas trilhas sonoras, a melodia tem o dom de traduzir sentimentos que, muitas vezes, achamos difícil, por tão imensos que são. Por isso, amanhã (07), domingo que antecede o dia dos namorados, o programa Domingão do Faustão, exibido há 31 anos, na Rede Globo, preparou uma surpresa pra lá de romântica, que irá invadir os lares de todo país.

A atração selecionou os melhores momentos que já aconteceram em seu palco e irá reexibir para todo Brasil. Entre as atrações, destacam-se os filhos de Francisco, Zezé Di Camargo e Luciano, e Roberto Carlos.

Artistas propõem reflexão sobre o mundo depois da pandemia

O “Pensando o Amanhã”, projeto do Goethe-Institut, apresenta depoimentos de artistas e intelectuais de diversos países que lançam olhares diferentes sobre o que será o planeta pós-coronavírus

O que será do mundo pós-pandemia? Tentar responder a essa pergunta atualmente é quase como tentar decifrar o sentido da vida. Para pensar sobre que mundo teremos passada a maior crise sanitária já vivida pelo planeta Terra, o Goethe-Institut buscou em “Pensando o Amanhã”, a partir do depoimento de artistas e intelectuais do mundo todo, uma reflexão sobre o futuro. Escritores, músicos, filósofos, historiadores tentaram, a partir da vivência de cada um, projetar o planeta encerrada a necessidade de isolamento social.

A transformação pela arte
Angela Su, artista de mídia e performer de Hong Kong, não acredita em mudanças radicais no comportamento humano pós-pandemia enquanto a sociedade ainda estiver enraizada em conceitos neoliberais, capitalistas e patriarcais. Ela teme uma guerra por recursos naturais, dependência ainda maior da internet e China e Rússia em luta para se tornar o país mais poderoso do mundo. Mas vê esperança na beleza, expressa na maneira em que a arte pode emocionar e transformar um indivíduo. “Continuo com a ilusão de que a arte de alguém, ou até mesmo meu trabalho, possa tocar uma pessoa em um canto remoto do mundo e fazer com que essa pessoa traga mudanças capazes de salvar a humanidade”.
https://www.goethe.de/ins/br/pt/kul/sup/dan/21841782.html
Treinador elíptico
A escritora tcheca Petra Hulová cita o filósofo também tcheco Václav Bělohradský para refletir sobre o momento e o que há de vir passada a pandemia. Václav definiu certa vez que uma crise deveria nos permitir a escolha entre catástrofe e alternativas. “O que estamos todos experimentando no momento é um empurrão nos limites da nossa imaginação”, acredita Petra. “Sempre nos foi dito que vivemos em um sistema que não pode ser mudado, para o qual não há alternativas. No entanto, agora vemos como a vida pode mudar radicalmente em questão de dias. Essa experiência em si é valiosa”, aponta. Para ela, a esperança está no potencial de mudança. Ela entende haver conexões entre o capitalismo, mudança climática e o covid-19, sendo o vírus a “personificação de uma natureza e uma sociedade doentes”. “O coronavírus é nosso treinador elíptico, nos ensinando a ver o mundo e a nós mesmos sob uma nova luz. Se ele não nos quebrar, vai nos fazer mais fortes”.
https://www.goethe.de/ins/br/pt/kul/sup/dan/21851280.html
Lidar com o luto
Ciente de que o número de mortos em alguns países da América Latina deve ficar na casa dos milhares – se não dos milhões – a filósofa mexicana Julieta Lomelí entende que o saldo final de vítimas deve causar um impacto indelével na saúde mental das populações. Fundamental para o enfrentamento da covid-19, o confinamento social também tem um preço a ser pago, não só econômico. E isso tem se refletido em seu país, onde boa parte da economia está pautada no comércio informal. “No longo prazo, a generalização da dor da perda de membros da família forçará o Estado a dedicar mais atenção e um orçamento maior a questões de saúde mental”, avalia. Neste caso, Julieta entende que o desafio imediato do México e também da América Latina será o de aprender a lidar com a morte em larga escala, superar o luto e lembrar que a recessão econômica, em algum momento, vai passar. “Uma consequência positiva será a exigência, vigilância e mobilização de cidadãos para que o Estado garanta o direito à saúde e faça da assistência médica um serviço universal e gratuito, independentemente da classe social.”
https://www.goethe.de/ins/br/pt/kul/sup/dan/21849895.html
Desejo insistente de viver
Vivendo no país em que o governo federal se coloca contra as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS), o artista soteropolitano Tiago Sant’anna vê com dificuldades fazer uma previsão do que será o mundo pós-pandemia. “Mas um fator é quase certo”, constata: “as desigualdades irão aumentar razoavelmente. As medidas para as pessoas mais pobres são limitadas. As campanhas de doação e as ações de filantropia não serão suficientes porque precisamos de políticas sociais mais profundas e efetivas – em curto e longo prazos”, lamenta. Apesar do desalento com que a realidade atual se apresenta, o artista vê que a superação a essa crise sanitária sem precedentes virá por meio de “lutas diárias, do senso comunitário que nos une e do desejo insistente de viver.”
https://www.goethe.de/ins/br/pt/kul/sup/dan/21856136.html
De volta à caverna
O jornalista alemão George Seesslen retorna à alegoria da caverna, de Platão, para apontar o momento atual, em que “somos dobrados novamente e, enquanto podemos esperar por um novo desdobramento, isso não é uma situação tão miserável. Mas quanto tempo dura essa espera? E que poder ganha a impaciência?”, questiona. Embora ainda veja o mundo enfrentando crises diferentes – a “matriosca” (uma crise dentro de uma crise); a “teoria da idade das trevas” (ascensão de doutrinas de salvação e redenção e teorias da conspiração; ameaça de uma ampla catástrofe ecológica; guerras civis como um estado permanente) e a própria crise do coronavírus, que une as crises entre si enquanto aparenta encobri-las – sua esperança está na libertação do sujeito que pensa criticamente. E que pode ser ele o agente provocador da mudança no mundo a partir do isolamento.
https://www.goethe.de/ins/br/pt/kul/sup/dan/21820816.html
De Curitiba
Em breve, o site apresentará também uma contribuição genuinamente curitibana: a escritora, jornalista e ativista Bebeti do Amaral Gurgel foi convidada pelo Goethe-Institut Curitiba a escrever para o site. O texto de Bebeti irá ao ar nos próximos dias.

Sobre o Goethe-Institut Curitiba
Em Curitiba desde 1972, o Goethe-Institut é o Instituto Cultural oficial da República Federal da Alemanha, fundado em 1951 na cidade de Munique, na Alemanha. Atualmente, o Goethe-Institut possui 157 sedes em 98 países, sendo 12 somente na Alemanha e cinco no Brasil. O objetivo é promover o conhecimento da língua alemã em todo o mundo assim como o intercâmbio cultural. Mais informações, acesse o site do Goethe-Institut Curitiba: https://www.goethe.de/de/index.html.