Finados: Grupo Jardim da Saudade celebra 50 anos

Finados: Grupo Jardim da Saudade celebra 50 anos

Pioneiro no conceito de cemitérios-parque no Brasil, Grupo comemora aniversário com evento no Dia de Finados (2 de novembro) em suas três unidades

Outubro, 2019 – O Dia de Finados será celebrado de forma especial pelo Grupo Jardim da Saudade. Um dos maiores, mais tradicionais e importantes grupos funerários do Brasil comemora 50 anos na data em que os cemitérios país afora recebem o maior número de visitantes.

Com uma programação diversificada para o Dia de Finados, a proposta do Jardim da Saudade é reunir as famílias em uma confraternização em celebração à vida daqueles que se foram nas três unidades que o Grupo mantém: duas no Paraná (Curitiba e Pinhais) e uma em Santa Catarina (Blumenau).

“Todos os anos, o Grupo Jardim da Saudade realiza eventos em datas específicas, como Dia dos Pais e Mães, em especial o Dia de Finados, que é quando há mais movimento em suas unidades. Neste ano, a celebração ganhará destaque, pois será comemorado os 50 anos do Grupo”, conta o diretor do Grupo Jardim da Saudade, Andrei Matzenbacher. Andrei é neto do fundador da organização, Jayme Matzenbacher. Ele foi o pioneiro em implantar o conceito de cemitério-parque no país. É do Jardim da Saudade também o pioneirismo em cremação no estado do Paraná.

CELEBRAÇÃO ESPECIAL

Para comemorar essa data especial, em memória de quem se foi e de seu aniversário de 50 anos, o Jardim da Saudade preparou diversas atividades a fim de reunir as famílias.

“Estamos programando diversas atividades em nossas três unidades para que as famílias venham partilhar esse dia de celebração. Nosso destaque será o museu, que contará a nossa história, e o livro da saudade, onde nossos frequentadores poderão registrar mensagens para os seus falecidos ou até mesmo contar sua história com o Jardim da Saudade. Ou seja, o Jardim conta a sua história por meio do museu e ouve as histórias por meio do livro”, conta o herdeiro que confidencia: o livro da saudade é um livro em tamanho gigante (2 metros de altura).

Além do museu e do livro, haverá apresentações teatrais, contação de histórias para as crianças, meditação e reflexão, e também a presença das psicólogas Michele Maba (na unidade de Curitiba) e Bruna Basile (na unidade de Pinhais). Também haverá, na unidade de Curitiba e de Pinhais, uma ação voluntária por um grupo de escoteiros. “Vamos promover a pintura das lápides daquelas famílias que quiserem e elas poderão contribuir com o valor a que estiverem dispostas. Este recurso será destinado ao grupo de escoteiro. Os escoteiros passaram por treinamento e estão aptos a pintarem, com os materiais padrão e fornecidos pelo Grupo”.

Para completar a celebração, uma praça de alimentação com a presença de food trucks será montada nas três unidades, a fim de propiciar um dia de tranquilidade e interação para as famílias, justamente em um dos dias em que há mais movimento nos cemitérios.

Outra novidade será o lançamento do plano funeral. “Chegou a hora de lançarmos esse produto. Foram anos de estudo de mercado para podermos oferecer as melhores condições para nossos clientes. Depois de termos uma estrutura completa, estava na hora de termos nosso plano funeral próprio”, destaca Matzenbacher.

UMA HISTÓRIA DE RESPEITO

A primeira unidade do Jardim da Saudade foi estabelecida em Curitiba, no ano de 1969, e teve como presença ilustre o jogador Pelé no descerramento de sua pedra fundamental. Esse foi um marco para o Grupo, pioneiro em implantar o conceito de cemitério-parque no país. Em 1983, o Jardim da Saudade inaugurou a segunda unidade no Estado do Paraná, localizada em Pinhais. A unidade recebeu, no ano 2000 o Crematorium Jardim da Saudade, o primeiro do Estado. No ano de 2004, o Cemitério Parque Jardins, em Blumenau/SC, passa a fazer parte do Grupo, tendo em seguida o seu nome alterado para Jardim da Saudade.

Ao longo do tempo, o Grupo Jardim da Saudade priorizou não somente as relações pessoais com os falecidos e seus entes, mas também as relações com o meio ambiente. O Jardim da Saudade é o único no Brasil com excelência na construção desse tipo de cemitério. “Nós compramos o know-how americano de implantação e construção de cemitérios-parque, o que atesta que nós seguimos os mais rigorosos padrões de controle de qualidade”, declara Matzenbacher.

O Crematorium Jardim da Saudade, localizado em Pinhais (PR), possui padrão Internacional de qualidade e é certificado pela Underwriters Laboratories, oferecendo um serviço de excelência e em conformidade com as normas ambientais existentes.

O cemitério de Blumenau, em Santa Catarina, é o único cemitério-parque da região. Possui um terreno com aproximadamente 70 mil metros quadrados de área verde em que toda a sua estrutura foi desenvolvida em torno da preocupação com o meio ambiente, utilizando os mais modernos sistemas não poluentes.

Atualmente, mais de 40 mil famílias confiam nos serviços oferecidos pelo Grupo, que realiza parcerias com diversas empresas do segmento em Curitiba, cedendo seu crematório para cerimônias funerárias de cremação.

PERPETUANDO MEMÓRIAS

Manter viva a memória de quem se foi está entre princípios do Grupo Jardim da Saudade, que prioriza o conforto e acolhimento aos familiares e amigos daqueles que partiram.

Para quem escolheu a cremação, o Jardim da Saudade oferece uma alternativa ambientalmente responsável. Além das já tradicionais urnas para depósito das cinzas, são disponibilizadas urnas ecológicas biodegradáveis. Atualmente, dois tipos de urnas são oferecidas: as hidrossolúveis, confeccionadas em areia, e as de fibra de bananeira.

Feitas em fibra de bananeira, as urnas ecológicas são acompanhadas por sementes de flor ou árvore, além de 100 gramas de terra para juntar às cinzas e serem plantadas em um vaso ou no solo. Cada urna comporta 2,500 kg de cinzas. “As cinzas são colocadas dentro de urnas biodegradáveis. Em seguida, é feito o plantio, em alguns dias a semente começa a crescer, uma forma de eternizar a lembrança do ente querido, gerando uma nova vida”, conta o neto do fundador do Grupo Jardim da Saudade.

Quem decide jogar as cinzas no mar, rios ou lagos, pode optar por uma urna específica para isso. Matzenbacher explica que as urnas confeccionadas em areia são hidrossolúveis. “Essas urnas dissolvem-se em até duas horas, além disso, todo o material, inclusive a alça, é biodegradável, o que não causa impactos na natureza”.

Além do material ecológico, as urnas são produzidas em versão mini. “Oferecemos a opção mini porque muitas vezes os familiares optam por dividir as cinzas do ente querido entre si”, conta o empresário.

PREOCUPAÇÃO E RESPEITO AO ENLUTADO

Em uma iniciativa inédita, o Grupo Jardim da Saudade disponibiliza a toda a comunidade o grupo Apoio ao enlutado, que proporciona apoio às pessoas que estão passando por momentos de dor em virtude da perda de alguém.

As reuniões contam com o apoio da psicóloga especialista em luto, Michele Maba, e acontecem no primeiro domingo de cada mês, na unidade de Curitiba.

Serviço

Evento em homenagem ao Dia de Finados e celebração dos 50 anos do Grupo Jardim da Saudade – Programação:

Jardim da Saudade Curitiba

- R. João Bettega, 999 – Portão

9h – Missa

10h – Meditação com a psicóloga

11h – Apresentação Coral

13h – Contação de história

14h – Missa

15h – Meditação com a psicóloga

16h – Missa

17h – Encerramento e soltura de balões

Jardim da Saudade Pinhais

- Av. Maringá, 3300 - Conj. Res. Inocoop, Pinhais

9h – Teatro

10h – Missa

11h – Meditação com a psicóloga

13h – Contação de história

14h – Apresentação musical

15h – Meditação com a psicóloga

16h – Missa

17h – Encerramento e soltura de balões

Jardim da Saudade Blumenau

- BR-470, km 51, s/n - Fortaleza, SC

9h – Harpista e Culto Evangélico – Assembleia de Deus

10h30 – Culto Evangélico – Igreja Luterana

13h – Contação de história

16h – Missa

17h – Encerramento e soltura de balões

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 0800 007 0001 ou pelo site http://www.jardimdasaudade.com e pela página oficial do Grupo Jardim da Saudade no Facebook www.facebook.com/grupojardimdasaudade

Balé Teatro Guaíra abre as comemorações dos 50 anos com A Sagração da Primavera

Balé Teatro Guaíra abre as comemorações dos 50 anos com A Sagração da Primavera

As apresentações serão nos dias 03, 04 e 05 de maio e serão acompanhadas pela Orquestra Sinfônica do Paraná

A programação especial do Balé Teatro Guaíra (BTG) para seu aniversário de 50 anos começa na próxima sexta, sábado e domingo, dias 03, 04 e 05 de maio, no Guairão. A companhia irá apresentar a montagem de A Sagração da Primavera com coreografias da portuguesa Olga Roriz, versão que veio aos palcos do Guairão pela primeira vez em 2012. As apresentações serão às 20h30 na sexta e no sábado, e às 19h no domingo. Ingressos R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada). Todas as os espetáculos contarão com a presença da Orquestra Sinfônica do Paraná (OSP).

Entre os anos de 2012 e 2014, o BTG apresentou A Sagração da Primavera por 09 estados brasileiros, alcançando mais de 30 mil espectadores. Com esta obra, a companhia recebeu um lugar de destaque no cenário nacional da dança.

"No meu ponto de vista, A Sagração da Primavera é uma das obras mais inquietantes e impactantes do repertório musical e coreográfico. A composição musical de Stravinsky e a concepção dramatúrgica e coreográfica de Olga Roriz me tocam profunda e genuinamente", diz Cintia Napoli, atual diretora do Balé Teatro Guaíra.

Esse sentimento de inquietação que a obra traz pode ser explicado, segundo Stefan Geiger, maestro-titular da Orquestra Sinfônica do Paraná, pela maneira como a música foi escrita. "Stravinsky transformou toda a orquestra em uma grande percussão. Podemos ouvir violinos imitarem o som das caixas claras e tambores, o que nos leva para dentro da época tribal na qual a história do balé se desenvolve".

O destaque para os sons da percussão faz sentido com a história de A Sagração da Primavera. A obra fala sobre um ritual pré-histórico de sacrifício ao Deus da primavera, movido pelos sons de bumbos e tambores. Uma jovem é escolhida pelos anciãos de sua tribo para dançar até a morte, na esperança de trazer boas colheitas e fertilidade ao seu povo. Essa atmosfera ritualística aparece na coreografia de Olga Roriz na forma dos movimentos carregados por fortes respirações dos bailarinos.

A versão que será apresentada nas comemorações dos 50 anos do BTG é diferente da original em vários aspectos. O mais evidente é o palco coberto com serragem e a névoa que envolve os bailarinos e ajudam a aproximar a plateia do clima primitivo que envolve a dança, a música e a história.

Outras duas mudanças acontecem com os personagens do Sábio e da Eleita. Em vez de ser um mero espectador da narrativa, o Sábio traça o percurso e prepara o terreno para o ritual de sacrifício ao deus da primavera. Já a Eleita não é mais uma vítima, e sim uma jovem mulher que se sente privilegiada por dar sua vida em troca de prosperidade ao seu povo. Para as três bailarinas que interpretarão o papel, esta é a chance de mostrar não só seus conhecimentos técnicos, mas também uma entrega total à personagem.

"Acredito que o grande desafio em dançar A Sagração da Primavera de Olga Roriz é lidar e se entregar à força expressiva imposta pela própria obra", afirma Cíntia Napoli. “Não existe outra possibilidade que não seja se entregar 100% até o final, este é o maior desafio, mas também o maior prazer em dançar esta montagem", complementa.

Mostra de Repertório - Balé Teatro Guaíra 50 anos

Além da Sagração da Primavera, o Balé Teatro Guaíra apresenta em maio os espetáculos Carmen (08/05, 20h30) e O Segundo Sopro (11/05, 20h30 e 12/05, 19h), duas grandes montagens de sucesso na história da companhia. Todas as apresentações serão abertas com trechos de O Grande Circo Místico, em memória a um dos balés mais famosos do Brasil e que foi concebido originalmente para o BTG.

Serviço:

Balé Teatro Guaíra 50 anos - Mostra de Repertório

Homenagem O Grande Circo Místico + A Sagração da Primavera -

com participação da Orquestra Sinfônica do Paraná

De 03 a 05 de maio, sexta e sábado às 20h30 e domingo às 19h

Homenagem O Grande Circo Místico + Carmen

Dia 08 maio, quarta-feira, às 20h30

Homenagem O Grande Circo Místico + O Segundo Sopro

Dias 11 e 12 de maio, sábado às 20h30 e domingo às 19h

Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto - Guairão

Classificação: Livre

Preço: R$20 (vinte reais) e R$ 10 (dez reais)