CTB Querência Santa Mônica representa a cultura brasileira na 59ª edição do Folclorize

Neste ano, por conta da pandemia, as apresentações do maior festival folclórico do Estado serão transmitidas on-line

O tradicional e já conhecido Centro de Tradições Brasileiras Querência Santa Mônica com seus mais de 30 anos de atividades, participará novamente neste ano do maior evento folclórico do Estado, a 59ª edição do Festival Folclórico de Etnias do Paraná, o Folclorize, que ocorrerá entre os dias 15 e 30 de agosto. Neste ano, contudo, devido à pandemia do novo coronavírus as apresentações acontecerão em formato diferente, em ambiente virtual. A apresentação do CBT Querência Santa Mônica será no dia 25 de agosto de 2020, às 20h, no Facebook e YouTube do Festival.

O tema encenado nesta edição, pelo CTB, relata a história de uma menina de 9 anos, chamada Lolo, que nasceu praticamente dentro da Tapera do Patrão e sempre acompanhava os espetáculos no Teatro Guaíra. Porém, ela tinha um sonho: ser uma das personagens das apresentações. Com a notícia da pandemia e a impossibilidade de criar uma coreografia neste ano, Lolo revisitando fotos antigas, depara-se com uma de um espetáculo, e como num passe de mágica o folclore ganha vida e convida Lolo, para uma viagem no tempo on-line, trazendo os personagens do CTB dos Festivais de 2010 a 2019. Juntos, assistem às danças do folclore nacional já apresentadas. Resta uma dúvida: Será que isso aconteceu, ou foi criação da sua imaginação?

O tema escolhido reforça a participação da tecnologia e das redes sociais, ao mesmo tempo, ampliando as relações entre os seres humanos, mesmo de longe sem aquele contato físico, mas por videoconferência. O espetáculo de 2020 terá duração de aproximadamente 50 minutos e nele, os espectadores poderão acompanhar 13 danças folclóricas e coreografias teatrais realizadas pelo CTB Querência Santa Mônica nos últimos 10 anos no festival, inclusive com algumas participações do Grupo Folclórico Germânico Alte Heimat.

Sobre o CTB Querência Santa Mônica

Fundado em 1989, o CTB Querência Santa Mônica, do Santa Mônica Clube de Campo, procura manter a rica tradição e a cultura folclórica do povo brasileiro. Segundo o patrão do grupo, Idair Lima, um dos objetivos centrais do CTB é a propagação do folclore brasileiro, para mostrar o quão rico culturalmente é o nosso país, com tantas diferenças e belezas. "Justamente pelo tamanho do território, muitas vezes os próprios brasileiros não têm o conhecimento de culturas tradicionais de outros Estados, e aí que nós entramos, um pouco de história e muita arte em forma de teatro e dança", diz.

Idair comenta ainda que, por meio do CTB também buscam levar o folclore nacional para outros países, com o pensamento agora inverso, de dentro para fora. "Neste momento de pandemia, acreditamos que por meio da arte é possível levar entretenimento, desenvolvendo e empatia no outro, o que nesse momento isso é crucial", conclui.

Sobre o Festival Folclórico de Etnias do Paraná – Folclorize

Marca registrada do Paraná, o evento tem como objetivo promover a cultura e a tradição folclórica difundindo suas raízes e costumes das várias regiões do Estado e também do Brasil. Chegando a sua 59ª edição, este ano por conta da pandemia, pela primeira vez o evento ocorre de forma on-line, com os grupos apresentando suas danças e coreografias por meio de vídeos.

SERVIÇO:

CTB Querência Santa Mônica participa da 59ª edição do Folclorize que será virtual

Data: 25 de agosto de 2020.

Horário: 20h.

Local: plataforma on-line Facebook e Youtube

Mais informações: https://festivalfolclorico.unicultura.com.br/

De Curitiba para o mundo: escola de teatro musical oferece formação virtual e tem alunos de diferentes localidades

Projeto Broadway inova com a criação de formato de aulas artísticas online, com preço acessível e especialistas renomados.

Aprender música, teatro, dança e produção audiovisual sem precisar sair de casa. É isso o que propõe a Virtual Academy - programa de desenvolvimento e treinamento artístico criado pela Escola Projeto Broadway, primeira escola de teatro musical do Sul do Brasil. Além de ampliar o acesso dos alunos ao conteúdo - com estudantes até mesmo de outros países - o formato inovador permite a participação de profissionais renomados da área de diferentes localidades. Entre eles estão Tristan Aronovich (SP), Tony Lucchesi (RJ), Laila Garin (RJ), Hanny Lissa (PR), Edilene Alves (BA) e Miriam Spritzer (NY), que se juntam ao time de 14 especialistas em teatro musical do Projeto Broadway, com sede em Curitiba.
Diferente do formato “EAD”, em que os alunos aprendem com vídeos gravados pelos professores, a Virtual Academy tem aulas online ao vivo. Isso permite que o participante tire dúvidas com os especialistas na hora, além de garantir as orientações necessárias durante a execução de alguma atividade. Além disso, o material também fica gravado e disponível para o aluno caso ele queria rever.
De acordo com uma das diretoras da escola, Giovana Póvoas, a ideia surgiu após as adaptações que foram feitas com as turmas tradicionais, desde que o isolamento social começou. “Com a pandemia, nós continuamos nossas atividades com as aulas online e, ao longo deste tempo, vimos que a experiência tem sido positiva”, conta.
Desde o início das atividades remotas, a escola já registrou a participação de alunos de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Bahia, São Paulo, Rio de Janeiro e até de Dubai. A formação é voltada para artistas em qualquer fase da carreira e também para quem quer desenvolver o lado artístico mas ainda não tem conhecimento técnico sobre a área.
Conheça mais em:

Imagens: https://www.instagram.com/projetobroadway/

Contato para agendar entrevistas: Ana Flavia Silva (41) 98470-2280

Grupo de mulheres apaixonadas por cervejas artesanais comemora 5 anos com festa online

A Comadria Lulupulinhas inova e realiza primeiro encontro virtual para celebrar aniversário em meio à pandemia do novo coronavírus
Comando News, 30 de julho de 2020 - A Comadria Lulupulinhas, comunidade formada apenas por mulheres, se reúne todos os meses para aprender, degustar e compartilhar informações sobre cervejas artesanais, desde 2015. Com a pandemia do novo coronavírus, os encontros mensais foram suspensos. Porém, a necessidade de compartilhar e celebrar o 5° aniversário do grupo fez com que as participantes buscassem um jeito seguro de se encontrar. Por isso, organizaram uma festa online de aniversário que acontece na sexta-feira, dia 31 de julho, às 20h, via Google Meeting.
“Aos longos dos últimos 5 anos sempre nos esforçamos muito para estarmos juntas, conversando, apreciando e aprendendo sobre o mundo das cervejas artesanais. Não poderíamos deixar nosso 5° aniversário passar em branco, então veio a ideia de elaborarmos um kit de aniversário com uma cerveja artesanal e um bolinho para nos reunirmos e celebrarmos virtualmente”, conta Lindslei Antunes, coordenadora das Lulupulinhas Comadria.

Para ajudar na missão de organizar o aniversário online, o grupo contou com a ajuda do projeto Cerveja Fora da Caixa. “O kit de aniversário das Lulupulinhas foi elaborado pensando em um brinde. Para isso, escolhemos uma cerveja à base de trigo de origem belga do estilo witbier, a Vitti Whatever Cervejaria harmonizada com um cupcake de laranja especialmente concebido para o evento”, explica Carolina Scheibe, beer sommelière do Cerveja fora da Caixa.
O evento organizado pelas Lulupulinhas com apoio do Cerveja Fora da Caixa tem o apoio da Comando News - Comunicação & Conteúdo, Whatever Cervejaria, Di Mari Doceria Artesanal, Celebrar Bebidas de Luxo, Vinvino Loja Online, Cervejaria Klein e Belclinic Dermoativos.
Sobre o Cerveja fora da Caixa

O projeto criado pela jornalista Nina Machado, da Comando News - Comunicação & Conteúdo, pela beer sommelière Carolina Scheibe, da Whatever Cervejaria e Mariana Celestrino, confeiteira da Di Mari Doceria Artesanal visa popularizar o acesso à experiências de harmonizações de cerveja com comida.
Para mais informações sobre o Cerveja fora da Caixa acesse www.instagram.com/cervejaforadacaixa
Sobre as Lulupulinhas
Criada em 2015, a comadria Lulupulinhas tem o intuito de estimular e criar um ambiente de amizade e aprendizado em torno da cerveja artesanal. Quando a sommelière Lindslei Monteiro Antunes, reuniu um grupo de amigas pela primeira vez a cerveja artesanal ainda era um assunto dominado pelos homens.
“Há 5 anos lancei um desafio à donos de bares e cervejarias artesanais de Curitiba: receber um grupo mulheres curiosas ávidas por conhecer e provar os mais variados estilos de cervejas artesanais que começavam a despontar no Brasil”, lembra Lindslei. A iniciativa deu tão certo que hoje o grupo é formada por mais de 80 mulheres, já passou por mais de 40 estabelecimentos entre bares e cervejarias artesanais do Paraná e Santa Catarina.
Para conhecer um pouco mais sobre as Lulupulinhas: https://www.facebook.com/lulupulinhas/
https://www.instagram.com/lulupulinhas/

ORQUESTRA SINFÔNICA DO PARANÁ presta homenagem aos profissionais da saúde reproduzindo clássico de PIXINGUINHA

A apresentação virtual de ‘Carinhoso’ conta com a participação especial de Alexandre Nero

A Orquestra Sinfônica do Paraná acaba de estrear um concerto diretamente da casa dos músicos, executando a obra Carinhoso, do compositor Pixinguinha com poema de João de Barro, o Braguinha. A performance é dedicada aos profissionais da saúde que estão na linha de frente do combate ao coronavírus, e conta ainda com a participação do convidado especial o ator, cantor, compositor e instrumentista curitibano Alexandre Nero, que dá voz ao clássico.

Essa é a terceira ação digital executada pelo corpo orquestral paranaense após o início da quarentena. O concerto Assim Falou Kubrick, com a trilha Sonora de 2001: Uma Odisseia no Espaço aconteceu no dia 15 de março no Teatro Guaíra vazio, sem público, e foi disponibilizado nas redes sociais do IAOSP – Instituto de Apoio À Orquestra Sinfônica do Paraná, entidade sem fins lucrativos criada para dar suporte e fomentar a música clássica, democratizando seu acesso. O Trenzinho Caipira, de Heitor Villa-Lobos, foi o segundo projeto online da OSP durante a pandemia, com a voz de Uyara Torrente, d’A Banda Mais Bonita da Cidade.

Na indústria cultural, o segmento mais afetado pela atual situação foi o mercado de apresentações ao vivo. Com a interdição de concertos e festivais, as consequências nas atividades dos profissionais dessa área são diversas. Os artistas estão em processo de adaptação e foi reforçada a importância dos laços humanos, que há muito são a essência das mais bem sucedidas propostas culturais. Por esse motivo, a Orquestra Sinfônica do Paraná reformulou o escopo de todo o segundo semestre da temporada 2020 para ações digitais que, por meio da música, possam transmitir uma mensagem de solidariedade em meio à pandemia. E é dentro desse contexto que Carinhoso, na voz de Nero e com imagens marcantes de profissionais da área da saúde que estão atuando diretamente no combate da Covid-19, inaugura a nova fase digital de apresentações da OSP, chamada OSP ONLINE – MÚSICA PARA TOD@S.

Para o Maestro titular, Stefan Geiger “desde o começo da pandemia, a Orquestra Sinfônica do Paraná tentou encontrar uma maneira de dar continuidade à missão do grupo, que é trazer música nesses tempos estranhos, com boas vibrações ao público. Embora estejamos com saudades de estarmos juntos no palco, ao menos temos nossa própria música. Podemos nos encontrar online e trazer alegria às outras pessoas que estão com uma vida muito mais dura. Todos nós sabemos de 'alguém que conhece alguém' no sistema de saúde que está realizando um trabalho de muito risco e de alta demanda nessas semanas. São essas as pessoas que gostaríamos de dar o nosso apoio, com as possibilidades que temos. Pensamos que o choro "Carinhoso", que é uma bela música, poderia nos ajudar a expressar os agradecimentos a todas essas pessoas que estão cuidando de nós. Além disso, esperançosamente gostaríamos de animar nossos ouvintes e trazer conforto a eles”, revela.

Conviver com a realidade de uma pandemia significou a mudança nas atividades diárias de todos para preservar a saúde e a vida. Porém, a música continua a nos ligar, nos unir e nos fortalecer. “A música tem o poder de acalmar as nossas ansiedades e de transmitir os sentimentos mais profundos de solidariedade, gratidão e esperança”, diz o spalla da OSP, Ricardo Molter.

O vídeo tem a realização da Orquestra Sinfônica do Paraná, Instituto de Apoio à Orquestra Sinfônica do Paraná, Centro Cultural Teatro Guaíra, PalcoParaná, Secretaria da Comunicação Social e da Cultura - Governo do Estado do Paraná. Também conta com os apoios do Estúdio Trilhas Urbanas, S I Z AudioVisual e Andersen Ballão Advocacia. O patrocínio é do Grupo Positivo, através da Lei de Incentivo à Cultura

Acesse: https://www.youtube.com/watch?v=zC3jFZYvg0s

Museu Paranaense promove simpósio virtual sobre arte indígena

Programação contará com palestras, relatos das aldeias e outros vídeos de 25 a 29 de maio na conta do museu no Instagram
O Museu Paranaense (MUPA) promove de 25 a 29 de maio o I Simpósio Virtual “Arte indígena em comunicação: diálogos entre saberes tradicionais, estética e sustentabilidade”. O evento, que será transmitido na conta @museuparanaense no Instagram, tem a colaboração de diferentes comunidades indígenas, pesquisadores e instituições. Todos os dias será publicada a biografia do convidado e, em seguida, exibida a palestra e outros vídeos, além de uma transmissão ao vivo.

Em tempos de muitas reflexões decorrentes da pandemia em um mundo globalizado, o simpósio busca valorizar o sentido de comunidade, formada tanto pelos pesquisadores quanto por indígenas, em atividades que rompem as fronteiras do museu, chegando também nas aldeias. Ele visa criar um espaço de diálogos entre as memórias, o cotidiano nas aldeias, as coleções de arte indígena e as instituições culturais da América do Sul. São contribuições importantes que vão entrelaçar narrativas sobre saberes tradicionais, tanto de povos amazônicos como do sul do Brasil e nordeste da Argentina, com estudos acadêmicos apresentados por pesquisadores experientes.

A diretora do Museu Paranaense, Gabriela Bettega, explica que a arte indígena será analisada sob várias perspectivas, como patrimônio, diversidade, cinema, memórias, produção cultural, e acervos em instituições públicas e privadas. “No simpósio virtual será destacada a importância dos saberes tradicionais em relação à sustentabilidade e à construção das identidades. Serão abordados também os diálogos e articulações da arte indígena com a cosmologia, as narrativas míticas, os saberes tradicionais, os artefatos e os agentes mediadores. A ideia é promover a aproximação entre várias temáticas que vêm sendo estudadas no Museu Paranaense desde as suas origens, em 1876”.

PROGRAMAÇÃO – Na segunda-feira (25/05), às 18h, tem palestra com a professora da Universidad Nacional Mayor de San Marcos, Luisa Elvira Belaunde, sobre a trajetória de mulheres indígenas em Cantagallo, no Peru, na busca de sustentabilidade e no reconhecimento da arte Shipibo-Konibo, e suas relações sociocosmológicas, especialmente a da artista Olinda Silvano.

Dia 26/05 (terça) a programação começa às 13h, com um mergulho na cultura Mbyá-Guarani do litoral paranaense. A cacica Mbyá-Guarani Juliana Kerexu Mirim Mariano, liderança indígena feminina no sul do Brasil, mostra a diversidade e a importância das artes no perpetuar da memória ancestral e na construção da identidade ameríndia. Danças e músicas que se conectam com o sagrado e com a natureza socialmente transformada.

Ainda na terça, às 18h, o professor da Universidade de São Paulo, Pedro de Niemeyer Cesarino, faz uma análise contextualizada das artes de povos ameríndios, especialmente da bacia amazônica e outras regiões das terras baixas da América do Sul, destacando os processos na produção de artefatos e construções. Ele discute as relações entre pessoas e objetos, mitos e ritos, percorrendo múltiplas trajetórias convergentes à impermanência material nas artes.

Na quarta-feira (27/05), às 18h, será realizada uma live com os diretores do filme “Bicicletas de Nhanderú”, os indígenas Mbyá-Guarani Patrícia Ferreira e Ariel Ortega, e a arqueóloga do Museu Paranaense, Claudia Inês Parellada. O link do filme será disponibilizado pelo Instagram do MUPA no próximo domingo, dia 24 de maio, para quem quiser assistir antes do bate-papo.

Na quinta-feira (28/05) tem programação dupla: às 13h será exibido vídeo produzido pelo professor Florêncio Rekayg Fernandes que apresenta aspectos culturais Kaingang na Terra Indígena Rio das Cobras, sudoeste do Paraná, incluindo a herança de saberes e fazeres, como o trançado, importantes na sustentabilidade e na afirmação da identidade étnica. O vídeo mostra a elaboração de cestos em taquara, da forma tradicional e raramente observada, com os motivos decorativos alternando fibras mais claras com as enegrecidas por carvão fixados com cera de abelha jataí.

E às 18h, a arqueóloga responsável pelo Departamento de Arqueologia do Museu Paranaense, Claudia Inês Parellada, fala sobre a busca de novos horizontes no estudo das artes indígenas no Paraná entrelaçando com dados arqueológicos e históricos, e discutindo materialidade e imaterialidade, diversidade e herança cultural. A pesquisadora destaca as coleções arqueológicas e etnográficas do MUPA possibilitando diferentes conexões e rupturas em análises sobre representações simbólicas, mitos e cultura material no transcorrer do tempo.

Encerrando o simpósio, na sexta (29/05), às 18h, a pesquisadora do Museu Paraense Emílio Goeldi, Lúcia Hussak Van Velthem, apresenta um histórico das principais pesquisas já desenvolvidas sobre artes indígenas no Brasil, com a análise de diferentes conceitos que buscam englobar e destacar a diversidade cultural. Com muitos exemplos, aponta articulações entre mitologia e arte, e elenca referências fundamentais para reflexões sobre essa temática.
CONTINUA – Além do simpósio virtual, o Museu Paranaense vai promover também um encontro presencial, previsto para o segundo semestre de 2020, dando continuidade ao projeto, com mais convidados de comunidades indígenas e científicas.

SERVIÇO
I Simpósio Virtual Arte indígena em comunicação: diálogos entre saberes tradicionais, estética e sustentabilidade
De 25 a 29 de maio de 2020
Pelo Instagram do Museu Paranaense – @museuparanaense

PROGRAMAÇÃO
Dia 25 de maio de 2020 (segunda) às 18h
Palestra “Uma biografia urbana do Kene Shipibo-Konibo” com a professora Dra. Luisa Elvira Belaunde (Universidad Nacional Mayor de San Marcos, Lima, Peru)

Dia 26 de maio de 2020 (terça) às 13h
Vídeo “Arte Mbyá-Guarani da Tekoa Takuaty, Ilha da Cotinga, litoral do Paraná” de Juliana Kerexu Mirim Mariano (Cacica Mbyá-Guarani do Tekoa Takuaty, Paraná).

Dia 26 de maio de 2020 (terça) às 18h
Palestra “A política da impermanência nas artes ameríndias” com o professor Dr. Pedro de Niemeyer Cesarino (Universidade de São Paulo).

Dia 27 de maio de 2020 (quarta) às 18h
Live com os diretores do filme “Bicicletas de Nhanderú”, os indígenas Mbyá-Guarani Patrícia Ferreira e Ariel Ortega, e a arqueóloga Dra. Claudia Inês Parellada (Departamento de Arqueologia do Museu Paranaense).

Dia 28 de maio de 2020 (quinta) às 13h
Vídeo “Memória e arte Kaingang em Rio das Cobras, Paraná” do professor Kaingang Florêncio Rekayg Fernandes (doutorando em Antropologia na Universidade Federal do Paraná).

Dia 28 de maio de 2020 (quinta) às 18h
Palestra “Entrelaçando arqueologias e artes indígenas no Paraná, sul do Brasil” com a Dra. Claudia Inês Parellada (Departamento de Arqueologia do Museu Paranaense).

Dia 29 de maio de 2020 (sexta) às 18h
Palestra “Artes dos povos indígenas no Brasil” com a professora Dra. Lúcia Hussak Van Velthem (Museu Paraense Emílio Goeldi).

Competição online vai premiar a melhor IPA de Curitiba

Evento terá 16 cervejarias locais numa competição “virtual”, com delivery para “degustação” e eleição dos rótulos campeões

Mais uma vez Curitiba recebe o “IPA da Galera”, evento promovido pela Beermad – bar de cervejas artesanais localizado na vila gastronômica SOUQ Curitiba. E, enquanto o estabelecimento segue com atividades suspensas em medidas preventivas ao COVID-19, a marca proporciona entretenimento on-line aos amantes das cervejas artesanais.

Muito além de premiar a melhor IPA da capital, um dos estilos mais apreciados pelos curitibanos, a ação vai incentivar o comércio local e as cervejarias da região nesse momento delicado de pandemia. “É a segunda edição do evento, mas o primeiro online a envolver as principais cervejarias da capital paranaense. Estamos realmente unidos e motivados a levar entretenimento aos ipeiros e, ao mesmo tempo, fazer a máquina rodar. Precisamos continuar, né”, comenta a beer Sommelier Daiane Santos.

A disputa pelo melhor rótulo já está acontecendo no Instagram @beermadoficial e as “batalhas”, divididas por “chaves”, vão até dia 09 de maio. Qualquer pessoa pode participar como jurado, até mesmo porque os melhores juízes de cervejas são os próprios consumidores. “Vamos fazer tudo online e no dia três de maio divulgaremos as finalistas. Entre os dias cinco e oito, as quatro IPAS escolhidas estarão no nosso TAP para serem provadas pelos “jurados”, acrescenta.

Basta pedir via delivery, ou buscar no formato TAKE AWAY, os rótulos finalistas para degustação e avaliação. As cervejas serão vendidas em growlers pets de 500 ml e vão acompanhadas de uma ficha avaliação. “A dica que eu dou é ficar atento a questões específicas como cor, aroma, sabor e amargor, por exemplo. São aspectos que realmente definem os melhores rótulos”, explica a Beer Sommelier.
Além do público geral, três participantes especiais serão escolhidos pela Beermad para ajudarem na votação. A IPA campeã será conhecida por todos através de uma live no dia 09, às 16h, com o show do curitibano Marlon Able, com o melhor do Bluegrass, country, folk e rock. Além disso o artista Marcelo – O Homem que Voa – fará um quadro ao vivo durante a transmissão do resultado. Afinal de contas, cerveja também é cultura

Outras atrações

Entre os dias seis e oito de maio, também no insta do bar, serão realizados simpósios on-line e bate papo sobre esse amado estilo de cerveja. Os “ipeiros” vão ouvir sobre a história da cerveja, harmonização com IPAs, além de acompanhar a avaliação das cervejas concorrentes, feitas pelos jurados profissionais.

No dia sete, às 20h, Luis Celso Junior vai falar sobre a história da IPA. Depois é a vez de André Santini, do CWBEER falar sobre harmonização de IPA com churrasco – combinação que a legião de brasileiros tanto ama!
Cervejas confirmadas:
Gobe Brew
Hop Paradise (IPA)
Joy Project Brewing
Cream (IPA)
Maniacs Brewing Co
Yankee (NEW ENGALND IPA)
Cervejaria Terraço
Gárgula Ipa (IPA)
Cervejaria Palta
Want Ipa (IPA)
Swamp Brewing
A vaca e o cachorro foram pro brejo ( IPA)
Ol Beer Cervejas Especiais
Thor Belgian Ipa ( BELGIAN IPA)
Cervejaria Masmorra
Maligna Ipa (IPA)
Hump Beer
Hump Beer Ipa (IPA)
Alright Brewing co.
Red Sky ( RED IPA)
Cervejaria Turbinada
Turbinada American Ipa (IPA)
Ignorus
Mutum Cavalo (IPA)
Moondri
Orange Moon (NEW ENGLAND IPA)
Van Dutch
Mosaic Ipa (IPA)
Way Beer
Ipa Loka (IPA)
Bodebrown
Cacau Ipa (IPA)

Pedidos da Competição
WhatsApp: (41) 99721-4399
Kit das finalistas: até 17h
Atendimento pelo WhatsApp: 11h às 18h.
Take Away: 13h às 18h.
Valor de entrega: R$7
Para compras acima de R$100 – frete grátis!

Locomotiva do Shopping Estação faz “viagem virtual” pela Serra do Mar

Expresso Estação é atração gratuita que valoriza a história do Paraná e vem conquistando crianças e adultos

O período de férias escolares pode ser de muita cultura, além de diversão, pelo menos no Expresso Estação, atração interativa e imersiva na locomotiva do Shopping Estação, que faz com que crianças e adultos voltem a décadas passadas e conheçam os segredos da ferrovia estadual.

A experiência, gratuita e aberta ao público, funciona da seguinte forma: grupos de no máximo 14 pessoas entram no trem e, assim que for acionado o botão de início, os passageiros vivenciam uma ‘viagem sem sair do lugar’ por um dos pontos turísticos mais famosos do Paraná: a Serra do Mar.

Com imagens e sons, o roteiro contempla a viagem de Curitiba a Paranaguá, no litoral do Estado. A aventura leva os participantes para cem anos atrás com narrativas sobre a região, riquezas da época, paisagens naturais, animais, trajeto e referências da Serra.

O Expresso Estação situado no Piso L1, próximo ao Museu Ferroviário, funciona de terça a domingo, das 13h às 18h.

Shopping Estação

Av. Sete de Setembro, 2.775, Rebouças - Curitiba (PR)

(41) 3094-5300

www.shoppingestacao.com.br

@shopping_estacao |www.facebook.com/ShoppingEstacao