Trupe Ave Lola faz sua estreia no Guairinha

Trupe Ave Lola faz sua estreia no Guairinha
Companhia teatral fará temporada curta e aproveitará para apresentar a sua programação para 2020. Ingressos promocionais estão à venda.

A Trupe Ave Lola faz sua estreia no palco do Guairinha com a curta temporada do espetáculo “Manaós - uma saga de luz e sombra OU A Pequena Abelha e a Árvore Alta”. As apresentações marcam também o início das festividades de 10 anos e o anúncio da programação 2020, que já conta com viagens, nacionais e internacionais, além da estreia de novo trabalho.

“Manaós”, que tem trilha sonora ao vivo executada pelos músicos Breno Monte Serrat e Arthur de Lima Jaime, sob direção do músico francês Jean Jacques Lemêtre, artista do Theatre Du Soleil, conta uma história do Brasil pouco conhecida dos brasileiros, ambientada na época áurea do ciclo da borracha, na Manaus de 1911.

A temporada será de 28 de novembro a 1.º de dezembro. Os ingressos estão à venda e ir acompanhado é mais barato. Quem comprar dois ingressos diretamente na bilheteria do Teatro Guaíra vai pagar R$ 25,00 cada. Neste combo, o ingresso sai mais barato do que a meia-entrada. O preço individual válido para as compras pela internet é de R$60,00 (inteira) e R$30 (meia entrada).

Ave Lola – Em nove anos foram montados quatro espetáculos, que chegaram a aproximadamente 45 mil pessoas em apresentações nacionais e internacionais e tiveram o reconhecimento da crítica especializada. A Ave Lola realizou também conquistou o prêmio Myriam Muniz da Funarte, e o “Brasil Fronteiras do Norte” patrocinado pela Petrobras, ambos executados em 2015. Com eles, a trupe levou o teatro para as comunidades ribeirinhas da região norte do país, percorrendo em três meses aproximadamente 7.000km, abrangendo mais de 20 comunidades ribeirinhas.

SERVIÇO
Espetáculo: Manaós - uma saga de luz e sombra OU A Pequena Abelha e a Árvore Alta
Quando: 28, 29, 30/11/2019 às 20h30 e 01/12 às 19h
Local: Teatro Guairinha | Rua XV de Novembro, 971
Ingressos: R$ 60 (inteira) | R$ 30 (meia-entrada)
Classificação Indicativa: 12 anos
Ingressos à venda no site http://www.ticketfacil.com.br/eventos/cctg-a-pequena-abelha-e-a-arvore-alta.aspx e na bilheteria do Teatro Guaíra, de segunda a sábado, das 9h às 21h, e domingos das 9h às 18h. Informações: 3304-7953

PROMOÇÃO + TEATRO
Compre 2 ingressos pelo valor de R$ 25,00 cada. Neste combo, o ingresso sai mais barato do que a meia-entrada. É mais barato se você vier acompanhado! Válido somente para compras realizadas na bilheteria do Teatro Guaíra.

Noite de improvisação no palco do Guairinha

Noite de improvisação no palco do Guairinha

Grupo Antropofocus comemora 19 anos com convidados e em busca da melhor cena. Ingressos antecipados está à venda

No dia em que completa 19 anos de existência, 28 de outubro, o grupo Antropofocus vai receber amigos no palco do Guairinha para começar a celebração de aniversário com a apresentação de RESTA 1, espetáculo em que diversos improvisadores dividem o palco com dois diretores. Além do elenco da companhia, convidados de Santa Catarina, São Paulo e do Paraná participarão do desafio cujo objetivo é um só: fazer uma boa cena! Será uma única apresentação e os ingressos antecipados estão à venda pelo Ticket Fácil www.ticketfacil.com.br ou na bilheteria do teatro Guaíra.
“Nada poderia ser mais perfeito do que estar improvisando cercado de parceiros de criação que estiveram conosco durante estas quase duas décadas. Essa conquista, para nós, é mais do que uma comemoração, é uma celebração à nossa trajetória, à nossa continuidade e principalmente à nossa resistência”, diz Andrei Moscheto, diretor fundador da companhia.
Entre os convidados está o Daniel Nascimento, da Cia Barbixas de Humor, que estava junto com Moscheto quando a ideia que deu origem ao espetáculo nasceu. Eles participavam, em 2011, de um curso no Canadá com um dos mais importantes criadores e professores de improviso do mundo, o inglês Keith Johnstone, quando surgiu a ideia de criar a ImproDnA, uma companhia de improvisadores com o objetivo de trazer formatos internacionais para o Brasil e, no futuro, desenvolver formatos próprios de improvisação. “O primeiro formato trazido foi o RESTA 1, produzido pelo Antropofocus”, explica Moscheto, que será um dos diretores de cena, junto com Daniel.
Nada é previamente ensaiado e tudo acontece espontaneamente, diante da plateia. A cada nova rodada os diretores sorteiam quais improvisadores farão a próxima cena e, com a ajuda da plateia, propõem os temas. Ao final de cada improvisação o público vota e os atores com menor pontuação vão sendo eliminados, até sobrar apenas um improvisador ganhador.
Resta 1 é o começo da festa, que seguirá com a estreia nacional do novo espetáculo da companhia, que será apresentada no Teatro José Maria Santos, de 13 a 24 de novembro.

SOBRE O ANTROPOFOCUS - Desde a sua fundação, em 28 de outubro de 2000, o Antropofocus dedica-se a observar o ser humano e seu comportamento no cotidiano, sabendo que todas as suas ações podem ser consideradas cômicas, dependendo do prisma pelo qual é observado. Esta premissa inicial instigou o grupo a explorar diferentes formas de comicidade, que podem ser reconhecidas no repertório de 12 espetáculos produzidos pelo grupo ao longo de sua trajetória.
Quando o grupo começou a se reunir para montar espetáculos em que todos os artistas pudessem colaborar com a construção da dramaturgia, a improvisação foi o caminho técnico mais viável. Naquela época, enquanto os integrantes ainda cursavam a Faculdade de Artes do Paraná, as referências eram Augusto Boal, Viola Spolin e Dario Fo. Ao desenvolver o caminho para a construção da dramaturgia, no entanto, os atores perceberam o potencial que o improviso em si continha. Com o passar dos anos e com a criação de pontes de comunicação com outros grupos de comédia e improviso no Brasil e no mundo, a amplitude da ferramenta de improvisação ficou cada vez mais evidente e era necessário buscar uma maneira de poder extrapolar sua utilização, com um detalhe: sem abrir mão da teatralidade.
As bases de estudo do Antropofocus vieram de outros grupos de humor, como: o Monty Python (Inglaterra), com a liberdade da linguagem nonsense; o Les Luthiers (Argentina), com seus textos de humor refinado e jogos de palavras; o Asdrúbal Trouxe o Trombone (Brasil), pelo processo colaborativo de criação; os Parlapatões (Brasil) pela referência de ser um grupo de pesquisa de humor.
Além das parcerias e do desenvolvimento da pesquisa continuada, para a construção dos espetáculos, importantes artistas contribuíram para o aprofundamento do Antropofocus nas pesquisas sobre humor, possibilidades cômicas e construção dramatúrgica, entre os quais: Marcio Ballas (SP), Gustavo Miranda (Colombia), Daniel Nascimento (SP), Omar Argentino (Espanha), Adriana Ospina (Colombia), Frank Totino (Canadá), Shawn Kinley (Canadá), Daniel Tausig (SP), Rafa Pimenta (SP).

FICHA TÉCNICA – RESTA 1
Direção: Andrei Moscheto e Daniel Nascimento
Elenco Antropofocus: Anne Celli, Edran Mariano e Marcelo Rodrigues
Elenco Convidados: Alisson Lopes, Bruno Lops, Carlos Becker, Fabricio de Carvalho, Henrique Serena, Larissa Lima, Massa Nakatani, Nilo Netto, Rodrigo Fowolski, Sayuri Schmidt, Vitor Berti
Músico: Andrés Giraldo
Iluminação: Paulo Rosa
Realização: Antropofocus

SERVIÇO – RESTA 1
Dia 28 de outubro às 20h
Local: Guairinha (R. XV de Novembro, 971)
Ingressos: 40,00 (inteira) e 20,00 (meia-entrada)
Vendas de ingresso: Ticket Fácil – http://www.ticketfacil.com.br/eventos/cctg-resta-1.aspx ou na bilheteria do teatro Guaíra
Informações: 3304-7953.