Nave Gris Cia Cênica anuncia chamamento para Mostra de Videodança.

Até 31 de julho de 2020 grupo recebe obras de bailarinas(os), coreógrafas(os), performers e artistas do audiovisual de todo o país que exploram a linguagem videodança.

Mostra faz parte de projeto contemplado pela 27ª Edição do Programa de Fomento a Dança para a Cidade de São Paulo

/ws/index.php?r=message/downloadAttachment&Message%5Buid%5D=171524&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253C00e201d63ea9%25240767b300%252416371900%2524%2540iarafilardi.com%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3C00e201d63ea9%240767b300%2416371900%24%40iarafilardi.com%3E-1.1.2

Até 31 de julho de 2020 a Nave Gris Cia Cênica receberá obras de bailarinas(os), coreógrafas(os), performers e artistas do audiovisual de todo o país que exploram a linguagem videodança, e que possuem como matéria poética as culturas tradicionais-populares brasileiras em sua inter-relação com as artes contemporâneas. As produções selecionadas estarão na GIRA - Mostra Nave Gris de Videodança, que tem previsão de estreia para o segundo semestre deste ano, na cidade de São Paulo. O evento faz parte do “Mãos que bordam o tempo, pés que acordam o chão - circulação dos espetáculos A-VÓS e Corredeira” contemplado pela 27ª Edição do Programa de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo. O projeto, que tem duração de 18 meses, prevê apresentações gratuitas dos espetáculos A-VÓS e Corredeira, palestras, rodas de conversa e cursos gratuitos que visam fomentar um olhar ético e sensível para maneiras de conceber e vivenciar o tempo, a memória e os saberes ancestrais presentes nas culturas negras e ameríndias.
Tanto o regulamento da mostra como o formulário para inscrições estarão disponíveis a no site www.navegris.com.br. O resultado dos selecionados será divulgado em 31 de agosto de 2020 por meio dos canais da Nave Gris e as produções selecionadas serão exibidas gratuitamente em outubro de 2020, em espaço cultural aberto ao público, na capital paulista. De caráter não competitivo, a mostra visa proporcionar um espaço de visibilidade e circulação artística sem fins lucrativos, não havendo premiação de qualquer espécie.

Critérios:
1.A – Serão aceitas videodanças executadas por artistas que dialogam com as culturas tradicionais-populares do Brasil e suas inter-relações com as artes contemporâneas, explorando as possibilidades entre corpo e audiovisual.
1.B - Podem ser inscritas videodanças finalizadas com produção feitas a partir de 2015.
1.C – Serão aceitos vídeos finalizados de 01 até 10 minutos, que poderão estar hospedados em qualquer site ou compartilhamento de vídeos como Vimeo, YouTube, Dropbox, OneDrive ou SendSpace com resolução mínima de 640X480, em qualquer extensão.
1.D - Vídeos fora dos critérios acima não serão aceitos.
1.E– Limite de até 02 vídeos por artista e/ou grupo.
1.F – Até 20 videodanças serão selecionadas para esta edição.

2. Sobre a seleção dos vídeos:
A curadoria da GIRA - Mostra Nave Gris de Videodança é composta pelos diretores artísticos da Nave Gris Cia Cênica, Kanzelumuka e Murilo De Paula, e pela artista da videodança Vanessa Hassegawa.
A seleção dos trabalhos será baseada na qualidade das propostas cênicas dos(as) artistas, na relação com o conceito da mostra e na possibilidade de adequação do trabalho ao espaço da mostra.

Sobre a Nave Gris Cia Cênica:
A Nave Gris Cia Cênica, dirigida por Kanzelumuka e Murilo De Paula, nasceu em 2012 na cidade de São Paulo do encontro entre artistas de linguagens distintas e dedica-se, desde então, à pesquisa e desenvolvimento da cena como campo de pluralidade, espaço expandido e limiar entre dança, teatro e performance. As culturas afro-brasileiras e ameríndias estão presentes no trabalho da companhia como motores na pesquisa e produção de estéticas contemporâneas que afirmam a multiplicidade de vozes, corpos e pensamentos que nos constituem como latino-americanos. A Cia realizou Poéticas do Desacontecer (performance), o espetáculo de dança negra contemporânea Dikanga Calunga, a intervenção coreográfica Minha Cabeça Me Salva ou Me Perde, os espetáculos Corredeira, que estreou na Bienal Sesc de Dança 2017, e A-VÓS, indicado ao APCA 2018 na categoria Espetáculo/Estreia e como um dos melhores espetáculos de dança de 2018 pelo júri do Guia Folha de São Paulo.

Até que ponto os efeitos da pandemia podem ser contornados pela tecnologia?

Nem todos os eventos culturais, que estão entre os mais afetados pela crise, podem ser realizados online

O fato é que o mundo está transformado pela tecnologia. Nesse período de pandemia, as empresas, e, principalmente, as pessoas tiveram que mudar seus hábitos, comportamentos, atitudes e a forma de viver. O planeta exigiu de todos nós uma grande adaptação.

Para as instituições, há mudanças em todos os processos, em que a tecnologia, se não era usada antes, tornou-se essencial para a sobrevivência do negócio. Para as escolas, ocorreu uma adequação do processo educacional. Para os trabalhadores, a incorporação do sistema de trabalho home office somado ao aprendizado de novas ferramentas tecnológicas.

E alguém pensou nas artes? A produção artística também está sendo ajustada. Rapidamente, artistas e público tiveram que se instrumentalizar e familiarizar com todos os aparatos tecnológicos. Já havia uma forte tendência ao compartilhamento digital dos produtos artísticos e culturais, e a pandemia veio para acelerar esse movimento.

Mercado Cultural em meio à crise

O mercado cultural foi um dos segmentos mais afetados pela pandemia, já que muitas vezes, precisa de um grande número de pessoas para acontecer. Desde teatros, escolas de artes, centros culturais, casas de eventos, bares, circos, cinemas entre outros. O mundo da cultura e do entretenimento presencial está parado, as portas foram fechadas em março e ainda sem previsão de volta. Além desses espaços, as grandes mostras, festivais, shows, feiras e eventos foram todos adiados ou cancelados. Alguns conseguiram propor ações em formatos de webinar, lives, vídeos nas redes sociais e na internet, porém nem todos conseguiram migrar para esses ambientes.

É preciso também considerar que a arte movimenta a economia e gera empregos. Dados apresentados pelo Mapa Tributário da Economia Criativa, realizado pelo Ministério da Cultura, apontam que o valor movimentado pelo segmento de negócios que se originam de produtos ou serviços ligados a cultura, tecnologia e inovação — a chamada economia criativa — já supera as receitas com serviços de telecomunicações em todo o mundo. No ano de 2019, foram gerados em torno de 30 milhões de empregos e movimentados cerca de US$ 2,5 bilhões, valor que corresponde a 3% de todas as riquezas produzidas no mundo no período.

No Paraná, grandes festivais foram cancelados, como a Mostra Paranaense de Dança realizada pela ABABTG, entre outros eventos e shows. Em Santa Catarina, o Festival de Dança de Joinville adiou as atividades para o segundo semestre de 2020, mas ainda sem data definida. Até mesmo a Broadway parou, o que é um marco histórico.

Cenário das Mostras

Para Jorge Schneider, bailarino e diretor da ABABTG, o cenário é delicado para toda a cadeia produtiva artística. Por trás de qualquer espetáculo, concerto, show, festival etc., há uma equipe enorme de profissionais seriamente impactada pela atual situação, para os quais, as alternativas digitais não acolhem. “Estamos com todos os projetos suspensos. Agora, entre maio e junho aconteceria a Mostra Paranaense de Dança, que há 12 anos reúne mais de 2.000 artistas, em geral jovens estudantes da dança de todo o Estado, em uma agenda extensa de atividades que culminam em espetáculos no grande auditório do Teatro Guaíra. Pensamos em uma versão digital, mas não encontramos um modelo que pudesse satisfazer às expectativas destes jovens artistas, dos profissionais colaboradores e do público que sempre participam”, conta.

A bailarina e também coordenadora de projetos da ABABTG, Simone Bönisch, reforça que a arte é troca, encontro e relação. “A tecnologia é uma grande aliada sendo o meio mais eficiente - senão único, que temos para a arte alcançar as pessoas hoje. É certo que quando tudo passar, ela permanecerá fortemente presente e nenhum artista poderá ignorá-la. Mas, acredito ser consenso que nada substitui a experiência presencial. A medida que as pessoas sentirem-se seguras, haverá um movimento de resgate dos meios “convencionais" de se vivenciar os eventos artísticos, sobretudo os cênicos”, comenta.

E encerra com um questionamento: Tem como a arte, enquanto agente humanizador, em tempos de distanciamento social e tecnologias digitais, transcender a interface da tela?

ABABTG – A atual Associação Brasileira de Apoiadores Beneméritos do Teatro Guaíra foi fundada há 12 anos, na cidade de Curitiba. Na época denominada Associação de Bailarinos e Apoiadores do Balé Teatro Guaíra, ela surgiu com o propósito de fortalecer a dança e demais artes motivando uma ligação sinérgica entre os setores público e privado. Durante esse período foram realizados diversos projetos culturais, com repercussão local, nacional e internacional, que promoveram ações de formação, atualização, divulgação, fomento e democratização das artes em suas diversas linguagens. A atual nomenclatura foi assumida recentemente, para adaptar-se aos novos níveis de atividades operacionais e aos novos mercados de atuação da ABABTG.

RECREAÇÃO ON-LINE É UMA ALTERNATIVA PARA ENTRETER AS CRIANÇAS EM TEMPOS DE PANDEMIA

Para aliviar o estresse dos pequenos e dos pais, o Santa Mônica Clube de Campo oferece aos pequenos associados, encontros semanais on-line com brincadeiras e muita diversão.

Com o novo coronavírus e as orientações de isolamento social nos estados para impedir a propagação e a contaminação das pessoas, as crianças estão passando bastante tempo dentro de suas casas, e muitos pais, por conta do trabalho home office, estão com dificuldades em criar maneiras para que elas gastem toda a energia que possuem. E em tempos de pandemia é preciso que os pais busquem alternativas para entreter de forma segura e lúdica as crianças, e neste momento estão contando com apoio da tecnologia, e por meio de aplicativos e programas. O Santa Mônica Clube de Campo, pensando no bem-estar e comodidade dos pequenos associados, oferece recreação on-line para criançada com brincadeiras e muita diversão.

O Santa Mônica, localizado na Região Metropolitana de Curitiba, começou a utilizar recentemente uma plataforma digital para entreter as crianças em casa neste período. Batizado de Momento Kids, os encontros da recreação realizados por videochamada proporcionam diversos tipos de atividades como Dança, Contação de Histórias, Oficinas de Dobradura, Artesanatos, Colagens, entre outras.

Segundo a Supervisora de Esportes Joycenara Batista, esses momentos para brincar, de realização de atividades lúdicas e divertidas, mesmo que de maneira virtual, possuem grande importância para aliviar o estresse, a ansiedade e alterações no comportamento que o confinamento vem ocasionando nos pequenos. Já para os pais, gera um pouco mais de tranquilidade sabendo que seus filhos estão mantendo laços de amizade e carinho pelos recreadores e amigos, afastando assim, o isolamento e depressão.

Grupo da Univali apresenta criação coletiva no Dia Internacional da Dança

Bailarinos interpretam a música “Atrás do Temporal”, do O Mimo

Itajaí – Em tempos de confinamento e pouco contato físico, é preciso criatividade para expressar os sentimentos. O Grupo de Dança da Universidade do Vale do Itajaí (Univali) uniu-se, mesmo distante fisicamente, e criou uma coreografia coletiva apresentada em um vídeo (disponível em https://youtu.be/7R-4Gcwbdro), que celebra o Dia Internacional da Dança, 29 de abril.

downloadAttachment&Message%5Buid%5D=168343&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253CFR1PR80MB51637D67492177CD1F8441F798AD0%2540FR1PR80MB5163.lamprd80.prod.outlook.com%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3CFR1PR80MB51637D67492177CD1F8441F798AD0%40FR1PR80MB5163.lamprd80.prod.outlook.com%3E-1.2
O corpo fala, em alternância de movimentos leves e bem marcados, os bailarinos interpretam a canção “Atrás do Temporal", do grupo O Mimo. Sob direção da professora Luciana Gomes Alves, coordenadora do grupo e docente dos cursos de Dança e de Educação Física da Univali, eles gravaram em suas próprias casas, em cenários diversos, que ajudam a compor a mensagem que a música traz, de leveza e esperança de que viver é mais do que sonhar e há sol atrás do temporal.

“Cada um trouxe a sua contribuição, gesto, interpretação. O nosso grupo tem várias linguagens coreográficas e essa produção é uma homenagem a todas as pessoas que, de alguma forma, estão contribuindo para deixar esses dias de pandemia melhores, desde os profissionais que atuam diretamente com a doença até as pessoas que estão em casa. É um presente também aos artistas, que, em sua maioria, não podem atuar na área no momento e ficam muito prejudicados", afirma a professora Luciana.

O Grupo de Dança Univali

O Grupo de Dança Univali é um projeto vinculado à Seção de Artes da Vice-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários, que desenvolve a arte da dança no ambiente universitário e possibilita o acesso à cultura por parte da comunidade interna e externa à universidade. O projeto também proporciona aos participantes novas linguagens corporais e formação acadêmica por meio da dança. Acadêmicos e voluntários com experiência em dança integram o grupo. Além de realizar oficinas de criação e aulas de técnica de dança, o grupo desenvolve coreografias de Jazz, Contemporâneo e Street Dance para apresentação nos eventos do calendário estadual e dos campi da Univali.

Sobre O Mimo

O projeto "Mimo" é formado pelos cantores e compositores Giana Cervi, alumna (egressa) do curso de Fonoaudiologia e docente do curso de Música da Univali, por Vê Domingos e Bruno Kohl. A proposta do trio é explorar a leveza do contato entre o artista e o público, com letras sensíveis e melodias contagiantes.

Para mais informações sobre o curso de Dança da Univali, acesse www.univali.br/danca-itajai.

Projeto inspirador da Duplo Produções Culturais

@duploproduçõesculturais que teve essa ideia bacana para promover nossos artistas!!
👇🏽
Projeto inspirador da Duplo Produções Culturais:
Você artista pode se inscrever gratuitamente e se conectar a esta Rede para promover o seu trabalho!
Você empreendedor, empresário, e/ou executivo de marketing pode se inscrever gratuitamente também! Incentive a cultura para seus colaboradores e clientes e contrate esses profissionais para desenvolver ações criativas para impactar seus públicos no período de quarentena e após sairmos desta crise do Covid-19!
O objetivo é aproximar o artista de marcas, produtoras e produtores independentes para gerar parcerias e movimentar o segmento da arte e da cultura no Paraná!
Participe! Compartilhe!
O teatro, a música, a dança e as artes visuais (como já percebemos em algumas ações pioneiras online) aproximam e propõem uma experiência inesquecível. A hora é agora!!

Espetáculo de dança “A Maré de Maria” circula pela Fazenda Rio Grande

Aprovada no 2o. Edital do PROFICE a obra é voltada para o público infantil e mostra grandes aventuras no fundo do mar

downloadAttachment&Message%5Buid%5D=163817&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253C041d01d5f89a%25241c8c5ab0%252455a51010%2524%2540smartcom.net.br%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3C041d01d5f89a%241c8c5ab0%2455a51010%24%40smartcom.net.br%3E-1.1.2

Desenvolvido especialmente para o público infantil, o espetáculo solo de dança contemporânea “A Maré de Maria” conta a história de uma menina especial, que costuma navegar em sua própria imaginação com um barquinho de papel. Por meio de um visual lúdico repleto de bonecos coloridos que dançam em cena com a bailarina, o público é envolvido pelas aventuras da pequena sonhadora. O espetáculo, que foi contemplado com o Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna, em 2013, terá circulação por oito cidades do Paraná nos meses de março e abril com entrada franca, viabilizada pelo Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura da Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura, do Governo do Paraná.

O espetáculo, colorido, alegre, poético e sensível, se passa no fundo do mar, onde a personagem principal viaja após navegar em um barquinho de papel. Para contar as aventuras da menina Maria neste mundo misterioso, animais marinhos aparecem em cena e são manipulados pela própria bailarina.

Para a diretora, coreógrafa e criadora do projeto, Eunice Oliveira, que também está em cena no espetáculo, o Paraná tem uma certa carência por criações de dança voltadas ao público infantil, especialmente direcionadas à Primeira Infância. A obra passará por Apucarana, Arapongas, Araucária, Campo Mourão, Fazenda Rio Grande, Francisco Beltrão, Paranavaí e Toledo, cidades com 50 a 150 mil habitantes. “Queremos levar o espetáculo aos municípios do estado por entender a importância de democratizar o acesso à cultura na região”, diz. No total, são 28 espetáculos gratuitos, sendo 16 dirigidos aos alunos de escolas públicas.

Professores e educadores de cada cidade contam ainda com uma palestra gratuita que abordará o papel da arte no desenvolvimento do ser humano, bem como sua importância na formação de futuros agentes da economia criativa. As palestras serão ministradas por Eunice Oliveira, que é mestre e doutora em Educação.
O projeto “A Maré de Maria” estreou em Curitiba em fevereiro de 2015, e agora volta aos palcos com produção da BPC Produções Culturais.

SERVIÇO
A Maré de Maria
Circulação
Aberto ao público
Fazenda Rio Grande - Teatro Municipal - 21/03 às 16h
Arapongas - Cine Teatro Mauá - 28 e 29/03 às 16h
Paranavaí - Casa da Cultura Carlos Drummond de Andrade - 01/04 às 16h
Apucarana - Cine Teatro Fênix - 04 e 05/04 às 16h
Araucária - Teatro da Praça - 18/04 às 16h

Escolas
Nos espetáculos para as escolas, o projeto disponibiliza transporte para alunos residentes em cidades pequenas (com menos de 50 mil habitantes) localizadas próximas às cidades-sede, que não têm a possibilidade de receber a obra. Veja quais são:

- Região de Fazenda Rio Grande: Mandirituba, Quitandinha e Agudos do Sul
- Região de Arapongas: Pitangueiras, Astorga e Mandaguari
- Região de Paranavaí: Alto Paraná, São João do Cauiá, Paraíso do Norte e Amaporã
- Região de Apucarana: Rio Bom, Jandaia do Sul, Califórnia e Novo Itacolomi
- Região de Araucária: Contenda e Balsa Nova

FICHA TÉCNICA
EUNICE OLIVEIRA
Iniciou os estudos de dança no Teatro Guaíra em 1975 e ingressou o Balé Teatro Guaíra em 1980. Em 1993 foi dançar na Alemanha, em Gelsenkirchen e, mais tarde, em Nordhausen. No MusiktheaterImRevierGelsenkirchen colaborou com a criação coreográfica na obra La BelleetlaBète. No StadtheaterNordhausen participou das três Oficinas Coreográficas realizadas com os trabalhos In YourHands, Em Louvor e Gratidão, NotreAmour e Theeof a Kind. Coreografou também duas peças para teatro: Heinrich V de IgnaceCornelissen e Kleiner Mann, wasnun? De T.Dorst e P.Zadek. Retornou ao Brasil e ao Centro Cultural Teatro Guaíra em 2001, onde atuou até 2012 como ensaiadora do Balé Teatro Guaíra. Coreografou Sem texto, sem contexto para o Atelier Coreográfico do Balé Teatro Guaíra em 2007, e em 2009, o espetáculo Faces para a G2 Cia de Dança. Graduou-se em pedagogia em 2008 e concluiu em 2010 o Mestrado e em 2017 o Doutorado em Educação, pela Universidade Federal do Paraná.

Projeto aprovado no Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura | PROFICE da Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura | Governo do Estado do Paraná.
Apoio: Copel

Mais informações:
www.facebook.com/bpcproducoes/

BPC Produções - A BPC Produções Culturais foi criada em outubro de 2017 pela produtora cultural Simone Bönisch. A empresa atua na elaboração, execução, produção, gerenciamento e consultoria de projetos culturais e iniciativas artísticas socioeducacionais. Desde a sua fundação, vem atuando na coordenação e produção dos projetos: Brasil x Israel (intercâmbio cultural entre artistas da dança contemporânea brasileira e israelense), Vilosidade (trabalho solo em dança contemporânea da artista Lívea Castro aprovado no Edital da Área da Dança – Solar 2018), Vário (espetáculo de dança-música aprovado no Edital de Mecenato Subsidiado da Fundação Cultural de Curitiba), Autorretrato (projeto de Cayo Vieira que usa a fotografia em intervenções psicoterapêuticas no tratamento de adolescentes internos no Hospital San Julian)

Novozymes apoia o Programa Guritiba, mostra infantil do Festival de Curitiba 2020

Curitiba, março 2020 - A Novozymes, por meio da Lei Rouanet, é uma das empresas apoiadoras do Programa Guritiba 2020, mostra que faz parte do Festival de Curitiba, um dos maiores eventos culturais do Brasil e um dos mais importantes em artes cênicas do mundo, que será realizado de 24 de março até 5 de abril, em aproximadamente 70 espaços da capital paranaense e região metropolitana, com mais de 400 atrações. O Guritiba surgiu como a mostra infantil do Festival e hoje, na sua 11ª edição, é um projeto independente que atende mais de 8 mil crianças em situação de vulnerabilidade social e suas famílias, integrantes 31 instituições em 7 municípios, levando as apresentações teatrais gratuitas e muita diversão a esses locais.

Estão abertas as bilheterias da
29ª edição do Festival de Curitiba



As vendas nos espaços físicos, nos shoppings Mueller e ParkShoppingBarigüi, no site e no aplicativo oficial estão abertas
Reunindo mais de 400 atrações em aproximadamente 70 espaços de Curitiba e da Região Metropolitana, o Festival de Curitiba chega a sua 29ª edição, com uma programação que contempla grandes nomes da classe artística nacional e internacional. Este ano, o Festival ocorre de 24 de março até 5 de abril, com estreias nacionais, espetáculos premiados e mostras que levarão teatro, dança, circo, música, oficinas, shows e performances para os diferentes públicos, de todas as idades. “Nesta edição mantemos nosso mote de ‘Festival para Todos’, com uma programação que possibilita arte e entretenimento para todos os tipos de públicos, de forma acessível e diversificada, em diferentes pontos da cidade”, explica Fabíula Passini, codiretora do Festival de Curitiba. 

Os ingressos estão à venda nas bilheterias oficiais, localizadas no ParkShoppingBarigüi (Piso térreo próximo à praça de eventos) e no Shopping Mueller (Piso L3) e nas plataformas online, pelo site www.festivaldecuritiba.com.br e aplicativo oficial “Festival de Curitiba 2020” (disponíveis para os sistemas Android e IOS).
 
Ao manter sua tradição em destacar os novos, bem como os experientes artistas, a programação do Festival de Curitiba este ano conta com montagens de sucesso, com nomes reconhecidos no cenário nacional, como Denise Fraga, Emicida, Luis Miranda, Mateus Solano, Laila Garin, Denise Stoklos, Otávio Mueller, Lúcio Mauro Filho, Marcos Breda, Cacá Carvalho, Grupo Corpo, Rodrigo Portella, Ranieri Gonzales, Grupo Armazém, Gabriel Villela, Renata Carvalho, Grupo Galpão, entre outros.

Na Mostra, a curadoria sequencial de Guilherme Weber e Marcio Abreu investiga “O que é um Corpo?”, pergunta que inspira e faz pensar a nova resistência do mundo, redefinindo a vida e seus sentidos de liberdade. As Interlocuções, espaço dedicado aos debates, encontros, pensamento crítico, performances e ações de diversas naturezas, com o intuito de ampliar a experiência e os sentidos de convivência e troca, ganham mais uma edição em 2020. Seguem com a palavra aberta, palestras documentadas, oficinas gratuitas, temporada de performance, lançamentos de livros, encontros e outras atividades reunindo artistas e o público. “O sentido maior de um festival”, observam Weber e Abreu.
 
No Fringe serão mais de 370 espetáculos, espalhados por 60 espaços de Curitiba e da Região Metropolitana, que atuarão nos mais diferentes gêneros artísticos (comédia, drama, infantil, lambe-lambe, de rua, entre outros), possibilitando ainda mais o enriquecimento e a democratização da programação do Festival de Curitiba. Entre as atrações, peças vindas de 17 estados brasileiros e de 9 países, como Argentina, Chile, Colômbia, Cuba, Equador, Paraguai, Peru e Portugal. Serão em média 1500 apresentações, sendo que mais de 390 são gratuitas e 340 no “Pague Quanto Puder”. Além disso, o Fringe este ano contará com 19 mostras especiais, propostas por grupos artísticos de Curitiba e de várias partes do Brasil. “O Fringe é um grande centro de encontro das artes cênicas do país e apresenta as principais tendências da área. Ele possibilita a troca de informações, a divulgação de trabalhos, a colocação de ideias em cena. O Fringe é uma mostra que promove a arte no geral”, comenta a coordenadora do Fringe, Carol Scabora.
 
No Guritiba, uma programação voltada para as crianças de todas as idades, com companhias premiadas e reconhecidas nacionalmente, além de atividades recreativas, educacionais e sociais. São 3 grandes espetáculos, com destaque para o Grupo Triii, um fenômeno da música infantil na internet. O MishMash, que ocorrerá nos dias 4 e 5 de abril, continuará trazendo a sua magia e fantasia, em uma atração para toda a família. Com sua variedade artística, que reúne circo, música, dança, mágica, performance e teatro, o show este ano promete, mais uma vez, ser inesquecível, para ser apreciado entre pais e filhos. Já o Risorama, um dos maiores festivais de humor do País, manterá sua tradição de reunir os maiores nomes da comédia nacional, da televisão, da internet e dos palcos, em uma verdadeira festa do riso. A convite de Diogo Portugal, nomes como Fábio Rabin, Murilo Couto, Rodrigo Marques, Marlei Cevada, Victor Sarro, Igor Guimarães, entre outros, já estão confirmados. Encerrando as atividades do Festival de Curitiba, o Gastronomix promoverá o encontro da arte e da gastronomia, reunindo nomes de destaque da culinária nacional.
  
Acompanhe todas as novidades e informações pelo site do Festival de Curitiba, pelo aplicativo oficial “Festival de Curitiba 2020” (IOS e Android), pelas redes sociais disponíveis, no Facebook @fest.curitiba, pelo Instagram @festivaldecuritiba e pelo Twitter @Fest_curitiba. Cadastre-se também na newsletter oficial.
 
Apresentadores, patrocinadores e apoiadores
O Festival de Teatro de Curitiba tem parceiros fundamentais para sua realização e é patrocinado pelo Ebanx, Vivo, Uninter, Renault do Brasil, Electrolux, Banco RCI Brasil, Junto Seguros, Copel - Pura Energia, Sanepar, Governo do Estado e GRASP. O Programa Guritiba é apresentado por New Holland, com patrocínio de Novozymes e Fibracem. O MishMash é apresentado pela Unimed Curitiba e Thales Group, com o apoio da Ritmo Logística. Quem apresenta o Risorama é a Potencial Petróleo, com o patrocínio de Previsul Seguradora, tendo como a cerveja oficial a Cacildis e o apoio de FH Consultoria e Grupo Barigui. As bilheterias do Festival de Curitiba são uma parceria com o ParkShoppingBarigüi e o Shopping Mueller.
  
Valores:
Mostra 2020 – De R$ 0 a R$ 80,00 (entrada inteira)*
Fringe – De R$ 0 a R$ 60,00 (entrada inteira) + taxa administrativa
Risorama – R$ 70,00 (entrada inteira) + taxa administrativa
MishMash – R$ 40,00 (entrada inteira) + taxa administrativa
Guritiba – De R$ 0 a R$ 40,00 (entrada inteira) + taxa administrativa
*Os espetáculos dos espaços José Maria Santos e Mini Guaíra, são acrescidos de taxa de R$ 1.44.

Serviço:
O que: 29.º Festival de Curitiba
Quando: De 24/03 a 05/04 de 2020.
Valores: Os ingressos vão de R$ 0,00 até R$ 80,00.
Ingressos: www.festivaldecuritiba.com.br, pelo aplicativo “Festival de Curitiba 2020”, e nas bilheterias físicas do ParkShoppingBarigui (Piso térreo próximo à praça de eventos), de segunda

a sexta-feira, das 11h às 23h; sábado das 10h às 22h e domingos das 14h às 20h; e no Shopping Mueller (piso L3), de segunda-feira a sábado, das 10h às 22h; domingos e feriados, das 14h às 20h.
Verifique a classificação indicativa e orientações de cada espetáculo
  
Hashtags oficiais – #festivaldecuritiba #festcuritiba #ofestivalparatodos #omeufestival
Sugestão de Tags – festival, curitiba, festival de curitiba, mostra, fringe, teatro, gastronomix, mishmash, guritiba, risorama, stand-up, artes cênicas, artes, circo, dança, música, cultura, show, atrações

Chá para Elas – com Desfile de Modas e Tendências

Foto: Divulgação Santa Mônica
Legenda Foto: Aula de defesa pessoal

MÊS DA MULHER TERÁ PROGRAMAÇÃO ESPECIAL NO SANTA MÔNICA

As mulheres são incríveis, versáteis, empoderadas e, por isso, merecem toda atenção, respeito e cuidados. Para celebrar o Dia Internacional da Mulher, o Santa Mônica Clube de Campo promoverá uma programação especial em março com muitas atividades e eventos exclusivamente para o público feminino. O tradicional Chá para Elas, que será realizado no dia 8 de março, a partir das 16h no Salão Social, terá desfile de modas e tendências de Gianni Cocchieri e Jaqueline Borges Fitness and Beach, além de uma tarde deliciosa com café colonial e muito bate-papo.

Serão ministrados dois cursos de beleza com a especialista Beatriz de Oliveira com dicas de cuidados faciais e automaquiagem, ensinando truques simples e básicos de uma make incrível.

Para as mulheres que gostam de se exercitar, três aulões com atividades como Zumba, Dança e Hidroginástica, prometem não deixar ninguém parado. Haverá também a prática de simulação de Tiro Airsoft, onde as participantes poderão disparar munições plásticas com armas semelhantes às verdadeiras, sendo acompanhadas por profissionais experientes e capacitados.

Outro curso, neste mês especial, será o de Defesa Pessoal, ministrada pela campeã mundial de Karatê e Sensei do Santa Mônica, Giordana de Souza que ensinará técnicas e habilidades para que as mulheres aprendam a se defender de possíveis ataques e importunações.
Já para as apreciadoras da alta gastronomia, o renomado e premiado Chef paranaense Eudemar Cavalcanti, proporcionará uma verdadeira aula show sobre um dos pratos italianos mais conhecidos do brasileiro, o risoto.

As inscrições estão abertas na Secretaria do Clube e, parte delas serão solidárias. O Departamento de Ação Social do Clube, arrecadará produtos de higiene pessoal que serão doados às entidades filantrópicas parceiras do Santa Mônica. Todos os eventos acontecerão entre os dias 7 e 26 de março. Participe!

Confira a programação, datas e horários:

Airsoft para Mulheres

Dia 7 de março – Das 9h às 16h – Área de Lazer

Inscrição: Doação de um produto de higiene pessoal

Dia 8 de março - 16h – Salão Social

Inscrição: Doação de um item de higiene pessoal

Aulão de Zumba

Dia 14 de março – 10h – Sala de Ginástica

Inscrição: Doação de um item de higiene pessoal

Aula de Dança

Dia 14 de março – 15h - Sala de Ginástica

Curso de Cuidados Faciais com Beatriz de Oliveira

Dia 14 de março – Turmas às 10h, 14h e 16h30 – Sala Vip

Investimento: R$ 15

Aulão de Hidroginástica

Dia 15 de março – 16h15 – Piscina Semiolímpica Coberta

Inscrição: doação de um item de higiene pessoal

Curso de Automaquiagem

Dia 21 de março – Turmas às 10h, 14h e 16h30 – Salão PUB

Investimento: R$ 15

Aulão de Defesa Pessoal com Giordana Souza

Dia 21 de março – 15h – Sala de Karatê

Inscrição: doação de um item de higiene pessoal

Curso de Culinária de Risotos com o Chef Eudemar Cavalcanti

Dia 26 de março – 19h30 – Salão Tia Mônica

Investimento: R$ 40

Inscrições abertas até o dia 7 de março e as vagas são limitadas!

Ingressos e mais informações na Secretaria do Clube ou pelo telefone 3675-4232.

Estão abertas as bilheterias da 29ª edição do Festival de Curitiba

As vendas nos espaços físicos, nos shoppings Mueller e ParkShoppingBarigüi, estão abertas.
Na sequência, os ingressos também estarão disponíveis no site e no aplicativo oficial.

Reunindo mais de 400 atrações em aproximadamente 70 espaços de Curitiba e da Região Metropolitana, o Festival de Curitiba chega a sua 29ª edição, com uma programação que contempla grandes nomes da classe artística nacional e internacional. Este ano, o Festival ocorre de 24 de março até 5 de abril, com estreias nacionais, espetáculos premiados e mostras que levarão teatro, dança, circo, música, oficinas, shows e performances para os diferentes públicos, de todas as idades. “Nesta edição mantemos nosso mote de ‘Festival para Todos’, com uma programação que possibilita arte e entretenimento para todos os tipos de públicos, de forma acessível e diversificada, em diferentes pontos da cidade”, explica Fabíula Passini, codiretora do Festival de Curitiba.

Os ingressos estão à venda nas bilheterias oficiais, localizadas no ParkShoppingBarigüi (Piso térreo próximo à praça de eventos) e no Shopping Mueller (Piso L3). Na sequência, as vendas dos ingressos nas plataformas online, pelo site www.festivaldecuritiba.com.br e aplicativo oficial “Festival de Curitiba 2020” (disponíveis para os sistemas Android e IOS), também estarão acessíveis.

Ao manter sua tradição em destacar os novos, bem como os experientes artistas, a programação do Festival de Curitiba este ano conta com montagens de sucesso, com nomes reconhecidos no cenário nacional, como Denise Fraga, Emicida, Luis Miranda, Mateus Solano, Laila Garin, Denise Stoklos, Otávio Mueller, Lúcio Mauro Filho, Marcos Breda, Cacá Carvalho, Grupo Corpo, Rodrigo Portella, Ranieri Gonzales, Grupo Armazém, Gabriel Villela, Renata Carvalho, Grupo Galpão, entre outros.

Na Mostra, a curadoria sequencial de Guilherme Weber e Marcio Abreu investiga “O que é um Corpo?”, pergunta que inspira e faz pensar a nova resistência do mundo, redefinindo a vida e seus sentidos de liberdade. As Interlocuções, espaço dedicado aos debates, encontros, pensamento crítico, performances e ações de diversas naturezas, com o intuito de ampliar a experiência e os sentidos de convivência e troca, ganham mais uma edição em 2020. Seguem com a palavra aberta, palestras documentadas, oficinas gratuitas, temporada de performance, lançamentos de livros, encontros e outras atividades reunindo artistas e o público. “O sentido maior de um festival”, observam Weber e Abreu.

No Fringe serão mais de 370 espetáculos, espalhados por 60 espaços de Curitiba e da Região Metropolitana, que atuarão nos mais diferentes gêneros artísticos (comédia, drama, infantil, lambe-lambe, de rua, entre outros), possibilitando ainda mais o enriquecimento e a democratização da programação do Festival de Curitiba. Entre as atrações, peças vindas de 17 estados brasileiros e de 9 países, como Argentina, Chile, Colômbia, Cuba, Equador, Paraguai, Peru e Portugal. Serão em média 1500 apresentações, sendo que mais de 390 são gratuitas e 340 no “Pague Quanto Puder”. Além disso, o Fringe este ano contará com 19 mostras especiais, propostas por grupos artísticos de Curitiba e de várias partes do Brasil. “O Fringe é um grande centro de encontro das artes cênicas do país e apresenta as principais tendências da área. Ele possibilita a troca de informações, a divulgação de trabalhos, a colocação de ideias em cena. O Fringe é uma mostra que promove a arte no geral”, comenta a coordenadora do Fringe, Carol Scabora.

No Guritiba, uma programação voltada para as crianças de todas as idades, com companhias premiadas e reconhecidas nacionalmente, além de atividades recreativas, educacionais e sociais. São 3 grandes espetáculos, com destaque para o Grupo Triii, um fenômeno da música infantil na internet. O MishMash, que ocorrerá nos dias 4 e 5 de abril, continuará trazendo a sua magia e fantasia, em uma atração para toda a família. Com sua variedade artística, que reúne circo, música, dança, mágica, performance e teatro, o show este ano promete, mais uma vez, ser inesquecível, para ser apreciado entre pais e filhos. Já o Risorama, um dos maiores festivais de humor do País, manterá sua tradição de reunir os maiores nomes da comédia nacional, da televisão, da internet e dos palcos, em uma verdadeira festa do riso. A convite de Diogo Portugal, nomes como Fábio Rabin, Murilo Couto, Rodrigo Marques, Marlei Cevada, Victor Sarro, Igor Guimarães, entre outros, já estão confirmados. Encerrando as atividades do Festival de Curitiba, o Gastronomix promoverá o encontro da arte e da gastronomia, reunindo nomes de destaque da culinária nacional.

Acompanhe todas as novidades e informações pelo site do Festival de Curitiba, pelo aplicativo oficial “Festival de Curitiba 2020” (IOS e Android), pelas redes sociais disponíveis, no Facebook @fest.curitiba, pelo Instagram @festivaldecuritiba e pelo Twitter @Fest_curitiba. Cadastre-se também na newsletter oficial.

Apresentadores, patrocinadores e apoiadores

O Festival de Teatro de Curitiba tem parceiros fundamentais para sua realização e é patrocinado pelo Ebanx, Vivo, Uninter, Renault do Brasil, Electrolux, Banco RCI Brasil, Junto Seguros, Cielo, Copel - Pura Energia, Sanepar, Governo do Estado e GRASP. O Programa Guritiba é apresentado por New Holland, com patrocínio de Novozymes e Fibracem. O MishMash é apresentado pela Unimed Curitiba e Thales Group, com o apoio da Ritmo Logística. Quem apresenta o Risorama é a Potencial Petróleo, com o patrocínio de Previsul Seguradora, tendo como a cerveja oficial a Cacildis e o apoio de FH Consultoria e Grupo Barigui. As bilheterias do Festival de Curitiba são uma parceria com o ParkShoppingBarigüi e o Shopping Mueller.

Valores:
Mostra 2020 – De R$ 0 a R$ 80,00 (entrada inteira)*
Fringe – De R$ 0 a R$ 60,00 (entrada inteira) + taxa administrativa
Risorama – R$ 70,00 (entrada inteira) + taxa administrativa
MishMash – R$ 40,00 (entrada inteira) + taxa administrativa
Guritiba – De R$ 0 a R$ 40,00 (entrada inteira) + taxa administrativa
*Os espetáculos dos espaços José Maria Santos e Mini Guaíra, são acrescidos de taxa de R$ 1.44.

Serviço:
O que: 29.º Festival de Curitiba
Quando: De 24/03 a 05/04 de 2020.
Valores: Os ingressos vão de R$ 0,00 até R$ 80,00.
Ingressos: www.festivaldecuritiba.com.br, pelo aplicativo “Festival de Curitiba 2020”, e nas bilheterias físicas do ParkShoppingBarigui (Piso térreo próximo à praça de eventos), de segunda a sexta-feira, das 11h às 23h; sábado das 10h às 22h e domingos das 14h às 20h; e no Shopping Mueller (piso L3), de segunda-feira a sábado, das 10h às 22h; domingos e feriados, das 14h às 20h.
Verifique a classificação indicativa e orientações de cada espetáculo

Hashtags oficiais – #festivaldecuritiba #festcuritiba #ofestivalparatodos #omeufestival

Sugestão de Tags – festival, curitiba, festival de curitiba, mostra, fringe, teatro, gastronomix, mishmash, guritiba, risorama, stand-up, artes cênicas, artes, circo, dança, música, cultura, show, atrações

Maturidade é a força da G2 Cia de Dança

Companhia formada por ex-integrantes do Balé Teatro Guaíra com artistas entre 53 e 65 anos comemora duas décadas com temporada no Guairinha

É comum escutar que a profissão de atleta e bailarino tem vida curta. A culpada? A idade. A G2 Cia de Dança vai na contramão dessa ideia. O grupo é composto por ex-integrantes do Balé Teatro Guaíra que não se conformaram com o argumento de que a faixa etária decide a carreira de um artista da dança. Ao contrário, eles usam a maturidade de seus componentes para desenvolverem um trabalho autoral de qualidade artística e técnica. O resultado dessa resiliência? Somaram-se à carreira deles mais 20 anos, que serão comemorados entre os dias 10 e 15 de dezembro, no Guairinha.

Foi em 1999 que um grupo de bailarinos decidiu ir além. Já tinham conhecimento de uma companhia master na Holanda, mantida pelo estado e composta por bailarinos que não queriam parar de dançar, tendo em vista que ainda tinham condições físicas e artísticas para tanto. A ideia foi colocada e Monica Rischbieter, então Diretora Presidente  do Centro Cultural Teatro Guaíra, comprou a ideia. Estava criada a G2 Cia de Dança, pioneira no Brasil com esse formato de atuação, e atualmente única em atividade.

O grupo surgiu com uma característica marcante: desenvolver um trabalho de linguagem contemporânea e com características mais autorais do que a companhia oficial do Guaíra, uma revolução para a época. O objetivo era fazer uso pleno da maturidade pessoal e profissional de seus componentes, apenas promovendo adequações nos parâmetros de uso das técnicas. 

Julio Mota fez carreira no Balé Teatro Guaíra e é um dos bailarinos da G2 Cia de Dança. Segundo ele, o grupo tem uma importância não apenas artística, mas um papel social também. “Com a expectativa de vida do brasileiro aumentando, a atuação da G2 destaca algo de relevância social. Ela mostra para a sociedade que você pode continuar produtivo, ativo e propositor de coisas novas, rompendo com o paradigma do condicionamento físico e da barreira da idade”, declara.

Hoje, a G2 Cia de Dança é formada pelos bailarinos: Ana Silva, Clionise de Barros, Deisi Wor, Grazianni Canalli, Inês Drumond, Julio Mota, Leandro Nascimento, Ricardo Garanhanin e Rogério Halila. Eles têm idade entre 53 a 65 anos. Grande parte deles iniciou a vida profissional dentro do Guaíra, na década de 80.

Em seus 20 anos de atuação, a G2 possui 12 espetáculos montados com a participação de diretores convidados, quatro montagens de criação coletiva do próprio grupo, um espetáculo especial que marcou a retrospectiva dos vinte anos da companhia - o “Portfólio”, circulações nacionais pelo Ceará, Santa Catarina, Pernambuco, Rio Grande do Sul e São Paulo; apresentações internacionais na Argentina e uma premiação da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) como reconhecimento ao trabalho de ampliação da carreira do bailarino.

Em 2019, para comemorar os 20 anos de atuação da G2 Cia de Dança, o grupo iniciou uma nova turnê nacional com os espetáculos “Blow Elliot Benjamin”, “La Cena” e a intervenção “Banquete das Diferenças”. A circulação já passou por Recife, Fortaleza e Vitória, com previsão de apresentações no Rio de Janeiro e São Paulo em 2020. Em Curitiba, a grande comemoração acontece em dezembro, no Guairinha, com espetáculos a preços populares.

O projeto de circulação nacional da G2 Cia de Dança é realizado via Lei de Incentivo à Cultura, com patrocínio da Copel e realização da Associação Brasileira de Apoiadores Beneméritos do Teatro Guaíra (ABABTG), Centro Cultural Teatro Guaíra,  Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura, Governo do Paraná,  Secretaria Especial da Cultura, Ministério da Cidadania, Governo Federal – Pátria Amada, Brasil.

SERVIÇO

 

G2 Cia de Dança no Guairinha

La Cena

Data: 10 e 11 de dezembro

Hora: 20h30

Local: Guairinha

Endereço: Rua XV de Novembro, s/n, Centro

Ingresso: R$20 e R$10, na bilheteria do Teatro e pelo Ticket Fácil

Blow Elliot Benjamin

Data: 14 e 15 de dezembro

Horário: sábado às 20h30 e domingo às 18h 

Local: Guairinha

Endereço: Rua XV de Novembro, s/n, Centro

Ingresso: R$20 e R$10, na bilheteria do Teatro e pelo Ticket Fácil

oBalé clássico e repertório brasileiro neste fim de semana no Guairão

oBalé clássico e repertório brasileiro neste fim de semana no Guairão

#FimDoAnoNoGuaíra: Escola de Dança Teatro Guaíra apresenta espetáculo especial com mais de 100 alunos no palco. Orquestra Sinfônica do Paraná faz concerto com obras brasileiras e norte-americanas

No próximo fim de semana, o Teatro Guaíra apresenta dois espetáculos que fazem parte da programação especial de fim de ano: o balé João e Maria, da Escola de Dança Teatro Guaíra, e o concerto América Tropical, interpretado pela Orquestra Sinfônica do Paraná. A EDTG se apresenta entre os dias 22 e 24 e a OSP no domingo, dia 24. Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada) e estão à venda na bilheteria do teatro e pelo Ticket Fácil. Todas as apresentações serão no Guairão.

América Tropical
No próximo domingo, 24/11, a Orquestra Sinfônica do Paraná apresenta um concerto com obras brasileiras e norte-americanas. O espetáculo será às 10h30, no Guairão. O programa de concerto terá regência do maestro convidado Sílvio Viegas, da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais. O maestro Viegas já trabalhou com grandes orquestras nacionais e internacionais. Ele também foi convidado da OSP durante a Temporada 2018, quando apresentou o concerto Místico.

As três obras que compõe o concerto de domingo têm uma característica em comum: o tom nacionalista. Appalachian Springs, de Aaron Coppeland, é uma suíte orquestral inspirada em um balé de mesmo nome, apresentado pela primeira vez na Biblioteca do Congresso Americano. A música tem traços do folclore dos Estados Unidos e é considerada pelos norte-americanos como um retrato musical do país.

Já Sinfonia Tropical, de Francisco Mignone, traz elementos do folclore brasileiro para a música. Composta durante a fase nacionalista de seu autor, a obra trabalha com as cores da orquestra em uma alusão a diversidade de cores que representa o Brasil.

Por fim, já clássico da música orquestral nacional, Bacchianas Brasileiras nº 7, de Heitor Villa-Lobos. Nessa música, o compositor se inspirou nos ritmos nordestinos, trazendo o espírito do seresteiro e das rodas de viola para a orquestra.

João e Maria

Entre os dias 22 e 24 de novembro a Escola de Dança Teatro Guaíra apresenta o espetáculo João e Maria, sexta e sábado, às 20h30 e domingo às 18h. A montagem é baseada em um conto de fadas da cultura popular alemã e levará para o palco do Guairão 110 alunos da EDTG. Haverá ainda duas apresentações especiais para a rede pública de ensino.

Os ensaios começaram em agosto e abrangem desde técnica de balé clássico até interpretação cênica. O espetáculo é uma criação da equipe de professores da EDTG, que assinam a coreografia, direção e roteiro. A iluminação e o cenário estão sendo produzidos pelos profissionais do Teatro Guaíra, este último inclui a casa da bruxa e uma floresta.

A fábula de João e Maria foi imortalizada pelos irmãos Grimm no século XIX e narra as aventuras de dois irmãos para se livrar de uma bruxa que os capturou em uma floresta encantada. Para Patricia Otto, coordenadora da EDTG, essa montagem propõe uma viagem através de cores e sentimentos. “Levaremos ao palco uma obra de arte utilizando toda a expressividade da dança clássica, que proporcionará um momento de reflexão e a certeza de que o nosso mundo atual é certamente real, mas também pode ser encantado, com sonhos e mais humano”, diz.

A diretora-presidente do Teatro Guaíra, Monica Rischbieter, afirma que o projeto pedagógico da escola tem dois pilares: a formação técnica e o foco cidadão. "Essas apresentações são justamente um momento de troca: os alunos podem mostrar o que aprenderam e vivenciar uma experiência profissional. Ao mesmo tempo, retribuem para a sociedade o investimento público que a escola recebe. É a união entre a cultura e cidadania, por isso é sempre um momento especial para nós", finaliza.

Serviço
Orquestra Sinfônica do Paraná | América Tropical
24 de novembro, domingo, 10h30
Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto – Guairão
Classificação: 7 anos
Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)

Escola de Dança Teatro Guaíra | João e Maria
De 22 a 24 de novembro, sexta e sábado, às 20h30 e domingo às 18h
Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto – Guairão
Classificação: livre
Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)

Guaíra tem programação especial de fim de ano

Guaíra tem programação especial de fim de ano
#FimDoAnoNoGuaíra Público poderá prestigiar espetáculos de dança, música e teatro a preços populares. Há atrações para todas as idades

Dança, música e teatro marcam a programação de fim de ano do Centro Cultural Teatro Guaíra. Entre as atrações há a estreia de João e Maria, montagem especial da Escola de Dança Teatro Guaíra, com mais de 100 alunos em cena. Já a Orquestra Sinfônica do Paraná apresenta cinco concertos até o fim de dezembro, incluindo o espetáculo My Fair Lady, com 14 trechos do musical clássico, que será cantado ao vivo em português. O Balé Teatro Guaíra remonta O Lago dos Cisnes, sucesso de público e crítica em 2018, com público de 25,8 mil pessoas e 13 sessões esgotadas antecipadamente. Para fechar a temporada, o G2 Cia. de Dança celebra 20 anos apresentando dois aclamados trabalhos: La Cena e Blow Elliot Benjamin. Nos últimos anos, o grupo vem desenvolvendo uma técnica inovadora que une dança, teatro e música.

Para Monica Rischbieter, diretora do Centro Cultural Teatro Guaíra, 2019 é um ano que ficará marcado na história da instituição. “Celebramos neste ano duas datas importantes: o cinquentenário do BTG e 20 anos do G2. Isso mostra a força da dança e da cultura no Paraná. São companhias públicas, que representam a identidade do nosso estado. E comemoramos esse sucesso com nossos espectadores, que são nossa razão de existir”, afirma. Mônica explica que o Guaíra preparou essa programação especial com atrações para todos os públicos. “Temos espetáculos para a família, para quem gosta de comédia, dança ou música clássica. Queremos a população cada vez mais próxima do teatro”, finaliza.

Atrações

João e Maria

Entre os dias 22 e 24 de novembro a Escola de Dança Teatro Guaíra apresenta o espetáculo João e Maria. A montagem é baseada em um conto de fadas da cultura popular alemã e levará para o palco do Guairão 110 alunos da EDTG. Os ingressos serão vendidos ao público em geral a partir do dia 8 de novembro e custam R$ 10 e R$ 20. Haverá ainda duas apresentações especiais para a rede pública de ensino. A fábula de João e Maria foi imortalizada pelos irmãos Grimm no século XIX e narra as aventuras de dois irmãos para se livrar de uma bruxa que os capturou em uma floresta encantada.

Serviço
Escola de Dança Teatro Guaíra - João e Maria
De 22 a 24 de novembro, sexta e sábado, às 20h30 e domingo, às 18h
Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto - Guairão
Classificação: livre
Ingressos: R$ 20,00 e R$ 10,00. Lugares Numerados. Dia 08/11/19 – Início da venda aberta ao público em geral.

O Lagos dos Cisnes

O Lago dos Cisnes foi revisitado pelo BTG com linguagem moderna e conta a história de amor entre o príncipe Siegfried e Odette, transformada em animal após ser amaldiçoada. Juntos, os dois buscam no amor sua redenção. O balé mais dançado do mundo ganhou uma versão com toques de modernidade e faz chover no palco do Guairão.

Balé Teatro Guaíra – O Lago dos Cisnes
De 6 a 8 de dezembro, sexta e sábado, às 20h30 e domingo, às 19h
Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto - Guairão
Classificação: 7 anos
Ingressos: R$ 20,00 e R$ 10,00

La Cena
Com texto e direção de Cleide Piasecki, a montagem mescla dança e interpretação para contar a história de um grupo de empregados que preparam a festa de fim de ano de uma mansão.
La Cena estreou em 2016 e é inspirado nos contos e personagens de Hoffmann (Quebra-Nozes, Camundongo Rei e o Homem de Areia), de Neil Gaiman (Sandman) e de Serguei Diaguilev (Ballets Russes). O grupo trabalha na mansão do Sr. Stahlbaum e, após alguns incidentes, todos mergulham em um sono profundo que desperta os desejos mais secretos e inconfessáveis pesadelos.

Serviço
G2 Cia. de Dança – La Cena
Dias 10 e 11 de dezembro, terça e quarta, às 20h30
Auditório Salvador de Ferrante – Guairinha
Classificação: Livre
Ingressos: R$ 20,00 e R$ 10,00

Blow Elliot Benjamin

Espetáculo criado em 2011, também com texto e coreografia da diretora teatral Cleide Piasecki. É resultado do trabalho coletivo feito pela coreógrafa com os bailarinos do G2 Cia. de Dança. Entre os personagens da história há um aviador que cai do céu, uma serial killer - Jack o estripador - e uma cantora de ópera que morre dentro de um teatro. A história real de um britânico - Elliot, diagnosticado erroneamente com uma doença terminal - foi o ponto de partida para a montagem.

Serviço
G2 Cia. de Dança – Blow Elliot Benjamin
Dias 14 e 15 de dezembro, sábado, às 20h30 e domingo, às 18h
Auditório Salvador de Ferrante – Guairinha
Classificação: Livre
Ingressos: R$ 20,00 e R$ 10,00

Orquestra Sinfônica do Paraná

A OSP encerra a programação da temporada 2019 com cinco concertos distribuídos entre os meses de novembro e dezembro. No dia 10/11, às 10h30, o maestro-titular Stefan Geiger e Orquestra recebem a violinista Sarah Christian para o Concerto Heroico. O maestro Geiger encerra sua participação com a OSP em 2019 em My Fair Lady, dia 16/11, às 20h30. A Orquestra ainda apresenta os concertos América Tropical, com Sílvio Viegas; Suíte Sinfônica, com Ezequiel Silberstein, e Beethoven & Schumann, com François Lopez-Ferrer.

Serviço
Orquestra Sinfônica do Paraná
Dias 10/11, 24/11, 08/12 e 15/12, às 10h30
Dia 16/11, às 20h30
Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto - Guairão
Classificação: 7 anos
Ingressos: R$ 20,00 e R$ 10,00

O sonho de menina pode se tornar realidade no Dreams, o novo Studio de Dança de Curitiba

O sonho de menina pode se tornar realidade no Dreams, o novo Studio de Dança de Curitiba

Sabe aquele sonho de menina de ser bailarina ou dançarina que ficou esquecido ou foi interrompido pelo ritmo da vida? Ele pode se tornar realidade no Dreams Studio de Dança, o mais novo espaço de dança de Curitiba que inaugura no dia 9 de novembro com o conceito de inspirar a realização de sonhos.

Voltado para mulheres a partir de 15 anos, o Dreams vai oferecer flexibilidade de horários para que as pessoas possam encaixar a dança em suas rotinas, independente de idade, estilo de vida, histórico ou experiências com dança.

“Vamos oferecer mais de 50 aulas por semana, num modelo diferente das escolas de dança tradicionais, com aulas independentes e flexibilidade de horários. Nossa proposta é oferecer uma experiência nova todos os dias”, explica Emanuelly Martins, professora e sócia-proprietária do Dreams.

As alunas poderão escolher qualquer aula, em qualquer horário, seguindo a grade horária disponível e plano de aula contratado. Tradicionalmente, quem se envolve com a dança assume uma responsabilidade grande com ensaios, horários extras e espetáculos, que acaba por se tornar mais uma obrigação no dia a dia, principalmente para mulheres adultas.

“Foi assim que nasceu o conceito do Dreams, numa proposta de incluir a dança no dia a dia de qualquer pessoa, com qualquer rotina. Queremos criar uma vida sem barreiras e despertar as mulheres para que elas vivam seus sonhos plenamente e se realizem”, conta Laryssa Mattos, bailarina e sócia-proprietária.

Por meio da dança, o studio busca o equilíbrio do corpo e da alma proporcionando bem-estar por meio do estímulo a um estilo de vida mais saudável, com resultados físicos, mentais e espirituais.

“Somos movidas pelo amor à dança, o que ela nos proporciona, nos desenvolve, o que nos realiza, transforma e nos faz crescer como pessoas. Queremos estimular que as pessoas se permitam sonhar e realizar seus sonhos por meio da dança.”, conclui Daisy Victor, professora e sócia-proprietária do Dreams.

O Dreams Studio de Dança inaugura dia 9 de novembro. Interessadas podem optar por mensalidade, aula avulsa ou pacotes de aulas. Informações podem ser adquiridas pelas redes sociais ou pelo site.

Serviço

Dreams Studio de Dança

Endereço: Rua Desembargador Otávio do Amaral 1244, Mercês

Telefone e whastapp: (41)3328-1613

Instagran: @DreamsStudioDeDanca

Facebook: Dreams Studio de Dança

Na foto as empresárias Laryssa Mattos, Dayse Victor e Emanuelly Martins

Carlinhos de Jesus vem a Curitiba para seminário de dança

Carlinhos de Jesus vem a Curitiba para seminário de dança

O dançarino e coreógrafo Carlinhos de Jesus, um dos maiores nomes da dança de salão no Brasil, está em Curitiba para participar o 2º Seminário Nacional de Dança de Salão. O dançarino está hospedado no Radisson Hotel, que apoia o evento. O seminário se propõe a discutir ideias, reflexões, práticas e experimentações no âmbito do entretenimento, espetáculos, ensino e competições.

O dançarino participará do evento falando sobre a dança de salão nos dias atuais e as possibilidades de transformar esse tipo de dança em um espetáculo. Carlinhos tornou-se sinônimo de dança de salão e referência nacional como dançarino, coreógrafo, diretor e professor, difundindo sua arte no Teatro, Cinema, Carnaval, em grandes eventos nacionais e internacionais e tem registrado para a posteridade depoimento de sua vida no Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro.

Rede HCC- Hotels

Escola de Dança Teatro Guaíra abre processo seletivo para contratação de professores

Escola de Dança Teatro Guaíra abre processo seletivo para contratação de professores

Inscrições podem ser feitas até o dia 5 de novembro no site da Fundatec e custam R$ 150

A Escola de Dança Teatro Guaíra está com um processo seletivo aberto para a contratação de três professores, sendo duas vagas para professor de Dança Clássica e uma para professor de Dança Clássica/Contemporânea. Os novos profissionais serão contratados pelo Departamento de Ensino do Serviço Social Autônomo PalcoParaná.
As inscrições podem ser realizadas até o dia 5 de novembro no site da Fundatec e custam R$ 150. Os interessados devem ter ensino superior completo em Dança ou ensino superior em Educação Física, neste caso com especialização na área de Dança.

As provas serão realizadas em duas etapas, sendo a primeira prática/didática e a segunda de títulos. A banca examinadora será constituída por quatro docentes, com três titulares e um suplente.

A prova de títulos terá apenas caráter classificatório. Somente os candidatos aprovados nas provas didáticas/práticas terão seus títulos avaliados.

O período provável de aplicação das provas práticas/didáticas será entre os dias 27 de novembro e 17 de dezembro de 2019.

EDTG
É uma instituição pública, mantida pelo Governo do Estado do Paraná, e oferece os seguintes cursos livres: juvenil e Formação do Artista Bailarino. Atualmente tem 110 alunos com sete níveis de formação diferentes.

Mais informações nos sites:
PalcoParaná - http://www.palcoparana.org
Fundatec - https://www.fundatec.org.br/portal/concursos/index_concursos.php?concurso=542