Rosés para brindar a Primavera

Marques de Casa Concha Rosé, de alta pontuação é a sugestão da Concha Y Toro para celebrar a chegada da nova estação

Muita gente já torceu o nariz para rosés, mas fato é que estes vinhos já tem adeptos cativos, de origens variadas - dos rosés de Provence a notáveis e altamente pontuados rótulos do Novo Mundo, caso do Marques de Casa Concha Cinsault Rosé (à venda no www.descorcha.com.br, novo e-commerce oficial da Concha y Toro no Brasil).

Um dos ícones da vinícola Concha y Toro, este vinho tem como origem o Vale do Itata, no Chile, e é produzido com uvas Rosé provenientes dos vinhedos dessa região. De refinada cor damasco pálido, com notas de romã e melão rosado, MARQUES DE CASA CONCHA CINSAULT ROSÉ é um vinho que em boca mostra uma sensação suave e cremosa com notas minerais cheias de frescor e delicadeza.

Harmoniza muito bem com aperitivos e entradas leves, além de carne de aves, legumes assados, peixes e queijos. O método de vinificação reduz o uso de barricas novas e adota o uso de fudres (grandes tonéis de carvalho francês). Marcelo Papa, enólogo responsável pela linha Marques de Casa Concha e diretor técnico da Viña Concha Y Toro segue inovando e incorporando nos últimos anos mudanças na vinificação de algumas cepas mais emblemáticas, caso da Cinsault Rosé.

Sobre Marques de Casa Concha

Desde sua criação, Marques de Casa Concha tem sido amplamente reconhecido pela imprensa internacional e conquistado menções por 5 vezes na lista dos 100 melhores vinhos do mundo pela Wine Spectator. São vinhos fiéis à expressão de origem e variedade, e que representam a diversidade de terroirs do Chile. Experimentar novas técnicas de vinificação e manter o espírito inovador da marca, somando-se à habilidade de dar aos vinhos personalidade e sentido de origem, é o que move o enóogo Marcelo Papa a criar rótulos excepcionais, e o que faz dele um dos profissionais mais reconhecidos e respeitados do Chile.

Super premiado, e diretor técnico da Concha Y Toro, Marcelo Papa está à frente dos vinhos Marques de Casa Concha há mais de dez anos. Foi enólogo do ano em 2004 pelo Guide to Chilean Wine, e em 2007, pela Chilean Circle of Wine Writers e Chilean Food and Wine Association. Em 2019 conquistou novamente a posição de melhor enólogo do ano pelo Chile Special Report do Tim Atkin.

Imagens relacionadas

bb6c765897992e9332c26669818e79b6_small.jpg
Marques de Casa Concha Cinsault Rosé
divulgação
baixar em alta resolução

876202dead80780fc14823e13d0b82b2_small.jpg
cepa Cinsault Rosé
divulgação
baixar em alta resolução

8c83fbd110635d58bb4d437408c569f9_small.jpg
Vale do Itata, onde é produzido Marques de Casa Concha Cinsault Rosé
divulgação
baixar em alta resolução

VCTConcha Y Toro apresenta Gran Reserva, nova linha de vinhos

Elaborados dentro das mais rigorosas práticas sustentáveis, e que chega ao Brasil com três rótulos - Sauvignon Blanc, Carménère e Cabernet Sauvignon. Os vinhos estão a venda no Grupo Pão de Açúcar até setembro, após o que entram para a rede nacional de distribuição.
Muito obrigada pela atenção.

368255a10bcdee1360b4e630124fc650_medium.jpg

Gran Reserva: a nova linha de vinhos sustentáveis da Concha Y Toro

Lançamento chega ao Brasil esta semana com três diferentes rótulos - um branco e dois tintos - e reafirma compromisso da companhia chilena em elaborar vinhos que contribuem para o desenvolvimento sustentável e os hábitos de vida saudáveis de seus consumidores

Com o propósito de reafirmar seu compromisso com a preservação da natureza e elaborar vinhos de qualidade, com consciência ambiental, a Concha y Toro acaba de lançar Gran Reserva, vinho produzido dentro das mais rigorosas práticas sustentáveis, concebidas para proteger a biodiversidade dos biomas chilenos em todos os âmbitos possíveis. Esta é a primeira linha da vinícola chilena, na qual a origem de cada variedade está associada a diferentes bacias hidrográficas no Chile. Isto porque os rios são os responsáveis por trazer características especiais em termos de solo e clima destes lugares, já que agem como verdadeiros corredores por onde entra a brisa marinha ou andina que resfria os vinhedos, gerando condições excepcionais para o cultivo da videira. Gran Reserva chega ao mercado brasileiro nos rótulos Sauvignon Blanc, Cabernet Sauvignon e Carménère, ao preço sugerido de R$ 109,90 (à venda exclusivamente no Pão de Açúcar até o final de setembro).

Após uma pesquisa exaustiva, foram selecionados os vinhedos Palo Santo na ribeira do Tinguiririca, Denominação de Origem (D.O.) Marchigüe, no vale de Colchagua, onde nasce o Cabernet Sauvignon; Peumo, na ribeira do Cachapoal, D.O. Peumo, no vale de Cachapoal, berço do Carménère; e Ucúquer, na ribeira do rio Rapel, D.O. Litueche, no vale de Colchagua, que dá origem ao Sauvignon Blanc. Marcio Ramirez, nome forte na seleta família de enólogos da Concha Y Toro está à frente dos rótulos tintos Gran Reserva, enquanto Max Weinlaub, outro destacado enólogo da companhia, é responsável pela elaboração do Gran Reserva Sauvignon Blanc. Vale ressaltar que, um dos principais interesses da Concha y Toro é a conservação da flora e da fauna para alcançar uma produção sustentável e ecologicamente correta em áreas próximas às margens dos rios dos vales vitivinícolas mais importantes do Chile, como parte de sua busca por maior frescor em seus vinhos.

“Na Concha Y Toro o compromisso com Sustentabilidade avança em direção a metas ambiciosas. A companhia visa reduzir suas emissões totais de CO2 em 35% até 2025 (em comparação com 2017) e depois, em 55% até 2030. Por sua vez, em 2019, a Viña anunciou seu compromisso de zero emissões de CO2 até 2050. Junto com isso, a Concha Y Toro busca estar cada vez mais em linha com a demanda global por políticas de consciência ambiental e social, além de buscar inovação através de estudos e pesquisas para elaborar vinhos ecologicamente corretos e ao mesmo tempo excelentes”, comenta Pietro Capuzzi, Diretor de Marketing no Brasil.

Ao longo desses anos, a empresa apresentou avanços concretos na pauta ambiental ao conquistar várias certificações importantes, incluindo o selo B Corporation adquirido no ano passado e renovado este ano; o Forest Stewardship Council (FSC), o selo Green-e, e o Código de Sustentabilidade Wines of Chile a partir de 2012, o que reafirma seu compromisso em elaborar vinhos cujas uvas e manejo do vinhedo estejam totalmente em linha com práticas sustentáveis. Isto se traduz em vinhos com grande concentração, personalidade e um perfil aromático amplo e complexo, além do frescor que define a nova marca Gran Reserva, reflexo da qualidade e do compromisso com o meio ambiente que caracteriza a Viña Concha y Toro.

Além disso, em 2021, a Concha y Toro se uniu à rede global de biodiversidade, o que a converte na primeira empresa vitivinícola a contribuir com informação para o E-BioAtlas, um projeto da União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN), e o NatureMetrics, que procura conhecer as espécies presentes no ecossistema, bem como seus hábitos de migração. Soma-se a isto a participação da companhia chilena na Rede de Pegada Hídrica (Water Footprint Network), com geração de 100% da eletricidade necessária para produzir os vinhos, provenientes de fontes renováveis através de energia solar e hídrica.

Gran Reserva Sauvignon Blanc

É um Sauvignon Blanc de clima frio que busca proteger e restaurar a biodiversidade da Bacia do Rio Rapel. Sua origem é o Vinhedo Ucúquer, localizado a 14 quilômetros do Oceano Pacífico, onde as constantes brisas do mar e do Lago Rapel refrescam o vinhedo, onde crescem 22 hectares de videiras Sauvignon Blanc. Dada a relevância destas bacias nos seus respectivos vales, a equipe enológica considera extremamente importante proteger a biodiversidade e promover o desenvolvimento de práticas agrícolas mais sustentáveis e em harmonia com o seu ambiente natural.

Gran Reserva Sauvignon Blanc descansa 6 meses em tanques de inox, e uma pequena porção do vinho é envelhecida em barricas de carvalho francês. De cor amarelo palha brilhante, é um vinho mineral, com notas cítricas. Na boca é fresco, longo e intenso. Harmoniza bem com pratos da culinária oriental ligeiramente picantes, como sushis, ostras e ceviche. Tem potencial de guarda de 3 anos.

Pontuações de Destaque:

92 pts - Guia Descorchados / 91 pts. – La Cave

Gran Reserva Carménère

O rótulo Carménère é produzido no Vinhedo Peumo, D.O. Peumo, no vale de Cachapoal, conhecido como ribeira do Cachapoal. O vinhedo está localizado a 170 metros acima do nível do mar e se estende ao longo do rio Cachapoal, em terraços de colinas da cordilheira da Costa. As parreiras correspondem à seleção massal pré-filoxera e são conduzidas em espaldeira vertical. Os solos são profundos e, graças a uma primeira camada de argila, retém a umidade, o que permite à parreira estar ativa até o final de maio quando o Carménère é colhido, além de controlar seu vigor e crescimento. O clima, por sua vez, é mediterrâneo, com estação seca prolongada, mas sem temperaturas extremas, com dias quentes e noites temperadas, moderadas pela influência do rio Cachapoal e do lago Rapel.

De cor púrpura intensa e escura, traz no nariz muito mirtilo, páprica grelhada e um toque de pimenta negra e branca. Apresenta boa concentração de aromas, e na boca é frutado, com sabor fresco, acidez rica, taninos doces com muita fruta, que lhe conferem um final longo. O potencial de guarda é de 5 anos, e este rótulo combina bem com queijos maduros e a típica cozinha chilena.

Pontuações de Destaque:

93 pts – James Suckling / 93 pts – Robert Parker / 93 pts – Tim Atkin / 93 pts - Descorchados

Gran Reserva Cabernet Sauvignon

Gran Reserva Cabernet Sauvignon é produzido no Vinhedo Palo Santo, localizado a 180 metros acima do nível do mar, e se estende ao longo de encostas e terraços próximos à ribeira sul do rio Tinguiririca. As parreiras correspondem à uma seleção pré-filoxera e são conduzidas em espaldeira vertical. O solo é coluvial, com suaves encostas de origem granítica. Também apresenta terraços originados pelo depósito de sedimentos arrastados pelo rio Tinguiririca. O clima é mediterrâneo, com prolongada estação seca. As temperaturas são moderadas pela influência do rio e por brisas costeiras.

A cor é violeta escuro e profundo, e em boca, apresenta notas de cereja, amora e um toque de pimenta negra. De textura suave, quase sedosa, apresenta taninos suaves, que aparecem no seu final prolongado. Tem potencial de guarda de 5 anos, e harmoniza bem com carnes vermelhas, comida mexicana e queijos.

Pontuações de Destaque:

92 pts – Descorchados / 92 pts – James Suckling / 92 pts – Wine Spirits / 92 pts – Robert Parker

Enólogos

Marcio Ramirez

Na Concha y Toro desde 1997, Marcio Ramirez destacou-se imediatamente por sua grande paixão e profissionalismo. Estudou na Universidade do Chile, e de 1998 até 2000 trabalhou com Enrique Tirado na adega de Puente Alto como enólogo-assistente na produção de Don Melchor, para posteriormente ser transferido para Cachapoal. Entre 2002 e 2003 participou de vindimas em reconhecidas vinícolas ao redor do mundo como Château Mouton Rothschild, em Pauillac, no Médoc, na França; e em Castello Banfi, em Montalcino, na Itália, onde adquiriu grande conhecimento sobre os processos de vinificação de variedades brancas e tintas.

Ao regressar ao Chile, passou a fazer parte da equipe enológica das linhas Marques de Casa Concha, Gran Reserva e, posteriormente, Terrunyo, sendo hoje o enólogo-chefe das duas últimas. Além disso, é o responsável pela adega Cachapoal localizada no vale de Rapel, e lidera a produção dos Carménère ícones, ultra e super premiuns da Concha y Toro. Marcio escolheu a enologia como profissão porque o fascina estar em contato com o vinhedo, percorrer cada fileira da vinha e acompanhar de perto a evolução da uva.

Gran Reserva nasceu após Ramírez começar a explorar áreas próximas às ribeiras dos vales vitivinícolas mais importantes do Chile com o objetivo de obter vinhos com maior frescor para criar uma linha que representasse esse conceito. E é assim que ele consegue produzir vinhos de excelente qualidade, protegendo a biodiversidade e promovendo o desenvolvimento de práticas agrícolas mais sustentáveis, em harmonia com seu entorno natural, que é o espírito desta nova linha super premium do Novo Mundo, da família Concha Y Toro

“O enólogo escolhe o campo, semeia e cuida do vinhedo, decide sobre a colheita, trabalha com os mostos e os leva aos barris, decide sobre sua permanência na madeira, e sobre sua passagem para a garrafa. Somos os pais do vinho e responsáveis por ele até seu engarrafamento”, conclui Ramirez.

Max Weinlaub

Max Weinlaub desenvolveu ampla experiência na indústria do vinho tanto nacional como no exterior, já que trabalhou durante duas vindimas no estado da Califórnia, nos Estados Unidos. Primeiro, na La Crema Winery (Santa Rosa), em 1999, e, em seguida, na Franciscan Estate Winery (Oakville), em 2000. Ao retornar para o Chile, ingressou na Viña Concha y Toro como enólogo-assistente na adega Puente Alto, trabalhando diretamente com os destacados enólogos Ignacio Recabarren e Marcelo Papa, com os quais aprendeu a paixão pelos detalhes e pela qualidade, assim como a versatilidade e a praticidade na tomada de decisão.

Em 2007, foi nomeado enólogo-chefe da Viña Maipo, da Concha y Toro, onde esteve por uma década, tempo durante o qual conduziu um projeto enológico centrado na produção de vinhos de alta qualidade e fortemente ligados ao Syrah. Além disso, esteve a cargo do Gran Devoción Sauvignon Blanc, proveniente de Ucúquer, graças ao qual compreende o grande potencial deste vinhedo.No final de 2017, foi promovido ao cargo de enólogo principal da Concha y Toro para liderar a produção de vinhos brancos da adega Lontué, no vale de Curicó. A partir desse momento, assumiu o desafio de entregar uma marca característica a cada uma das linhas de vinho sob sua responsabilidade, elaborando especialmente Sauvignon Blanc e Chardonnay provenientes de diversos terroirs, desde Casablanca até Mulchén. Nesta tarefa, foi fundamental a equipe formada com os enólogos Rafael Campos, Víctor Olivares e Nicolás Osorio, e o viticultor Cristian Ibarra.

“Elaborar o Gran Reserva Sauvignon Blanc com as uvas da fazenda Ucúquer é um privilégio para mim. Acredito, sinceramente, que com esta linha, a Viña Concha y Toro está contribuindo para posicionar o Chile como uma referência no cenário mundial dos vinhos de alta qualidade”, diz Max Weinlaub.

Sobre a Concha Y Toro

Viña Concha y Toro é uma empresa global líder na indústria do vinho com mais de 135 anos de história. Atualmente é a maior exportadora de vinhos da América Latina e uma das principais marcas de vinho do mundo, com presença em mais de 130 países, segundo dados do ranking da Wine Intelligence, consultoria mundial em vinhos. As origens de sua produção no Chile, Argentina e Estados Unidos conferem aos seus vinhos caráter e identidade, resultando em uma grande família de marcas globais únicas, reconhecidas mundialmente por sua qualidade, inovação e sustentabilidade.

A empresa está sediada em Santiago do Chile e possui 12.313 hectares de vinhedos plantados nos principais vales vitivinícolas do Chile, Argentina e Estados Unidos. A companhia também possui 13 escritórios de vendas localizados nos principais mercados ao redor do mundo. Em 2021, Viña Concha y Toro tornou-se uma Certified B Corporation, selo concedido às empresas comprovadamente comprometidas com a agenda ESG.

Opções para comemorar o Dia da Cabernet Sauvignon com rótulos Concha y Toro

Motivos para celebrar o Dia da Cabernet Sauvignon, em 02 de setembro, não faltam! Prova disso é a variedade de rótulos oferecidos pela Concha y Toro, cada um dedicado especialmente para ocasiões diferentes, mas todos com algo em comum: a oportunidade em apreciar um belo vinho com a cepa que tem sua origem entre o cruzamento natural de Cabernet Franc e a variedade Sauvignon Blanc. Cabernet Sauvignon é soberana entre as uvas tintas - vinho que costuma envelhecer muito bem em barricas, de taninos amaciados, encorpados e de cor profunda. O resultado? Uma bebida intensa, versátil e de grande personalidade.

Reflexo de excelência e dedicação, Don Melchor é um grande Cabernet Sauvignon capaz de oferecer uma experiência única sobre a uva. O enólogo Enrique Tirado soube encontrar o equilíbrio de diferentes expressões de Puente Alto, terroir da Viña Don Melchor, um dos mais privilegiados do mundo. Presença marcada por frutas vermelhas, o rótulo apresenta taninos suaves que resultam em um vinho de elegância e densidade, com diferentes camadas de aromas e sabores, além de um nariz prolongado e persistente. Tal complexidade teve como reconhecimento a mais perfeita pontuação para a safra 2018: 100 pontos conferidos pelo crítico norte-americano James Suckling, o que é considerado um marco no setor vitivinícola do Chile.

Se a ideia for um jantar, podemos pensar na linha de alta gama da vinícola, a The Cellar Collection, com vinhos finos e raros originados dos mais prestigiados terroirs do Novo Mundo. As sugestões ficam por conta de Gravas Cabernet Sauvignon, com tremenda intensidade aromática e notas de frutas vermelhas e especiarias. Em seu paladar suave exibe uma fina evolução, um notável equilíbrio e uma destacada rede de taninos que conferem elegância e corpo a este grande vinho. 85% de cabernet sauvignon, 2% de cabernet franc, 3% Petit Verdot, com graduação alcóolica de 14,5%. Harmoniza bem com carnes vermelhas e brancas, aves e carnes de caça, massas com diferentes molhos, terrines e patês, queijos secos, maduros e cremosos. Há ainda o Terrunyo Cabernet Sauvignon, de cor vermelho vivo, um vinho muito expressivo no nariz, com aromas de frutos vermelhos, salsaparrilha negra e mirtilos, bem como notas minerais, como grafite de lápis. Com boa estrutura e equilíbrio na boca, oferece excelente densidade, acidez fresca e taninos sedosos, com notas sutis de baunilha e terra no seu final persistente. 99,75% Cabernet Sauvignon e 0,25% Cabernet Franc. Graduação alcóolica de 14,5%. Harmoniza com cordeiro, carnes vermelhas e carnes de caça, como cervo e javali, preparadas com tomate, vinho e ervas aromáticas como tomilho e louro. Perfeito para acompanhar queijos de sabor intenso.

Ótima opção para uma reunião descontraída, o vinho Marques de Casa Concha harmoniza muito bem para receber familiares e os mais chegados em casa, ou também no preparo de um jantar a dois, por exemplo. O rótulo Cabernet Sauvignon, do portfólio de Marques, apresenta uma cor vermelha profunda, com taninos firmes e uma textura suave que chega a ser quase sedosa no paladar. Harmoniza perfeitamente com carnes bovinas e de caça, assadas ou na grelha, molhos intensos e com toques de acidez e é a combinação ideal com queijos.

Sobre Marques de Casa Concha

A permanente vocação para explorar novas variedades de terroirs do Chile dá origem à vinhos inovadores e de vanguarda como os da linha Marques de Casa Concha, rótulo de alta gama da Vinícola Concha Y Toro. Desde sua criação, Marques de Casa Concha tem sido amplamente reconhecido pela imprensa internacional e conquistado menções por 5 vezes na lista dos 100 melhores vinhos do mundo pela Wine Spectator. São vinhos fiéis a expressão de origem e variedade, e que representam a diversidade de terroirs do Chile. Experimentar novas técnicas de vinificação e manter o espírito inovador da marca, somando-se à habilidade de dar aos vinhos personalidade e sentido de origem, é o que move Marcelo Papa, enólogo de Marques de Casa Concha, a criar rótulos excepcionais, e o que faz dele um dos profissionais mais reconhecidos e respeitados do Chile.

São atualmente 9 rótulos na linha completa, incluindo Rosé, Chardonnay, Pinot noir, Merlot, Cabernet Sauvignon, Carmenère, Syrah, Malbec e Etiqueta Negra.Suas uvas são cultivadas desde a costa, passando pela Cordilheira dos Andes, representando toda a diversidade do Chile. Possui 7 origens para suas variedades, o que garante que cada uma delas seja cultivada na área mais adequada a seu tipo, resultando em vinhos excepcionais.

Sobre The Cellar Collection

A Concha y Toro, em sua busca constante por inovar e levar qualidade a um novo patamar lançou The Cellar Collection, uma exclusiva seleção de vinhos finos e raros originados dos mais prestigiados terroirs do Novo Mundo. Chile, Argentina e Estados Unidos são as três origens que dão vida às marcas que compõem este portfolio, no qual se incluem vinhos atraentes, de antigas e atuais safras, e que são altamente reconhecidos pela mídia especializada.

Sobre Don Melchor

A cada ano, o enólogo Enrique Tirado percorre o vinhedo, provando fileira por fileira e checando a maturação dos cachos para definir o momento exato no qual a uva deve ser colhida. A vindima de Don Melchor é determinada após a degustação e a realização de análises específicas na uva. As frutas são colhidas manualmente, entre meados de abril e princípio de maio e apenas aquelas bagas de uva maduras, intactas e saudáveis são selecionadas para a fermentação em tanques de aço inoxidável. Cada seção homogênea é vinificada separadamente, com especial cuidado com a temperatura e as remontagens de cada tanque. A cor e os taninos são extraídos do bagaço e das sementes da uva através de uma delicada maceração. Após a fermentação, o bagaço juntamente com as sementes é prensado para preservar a máxima qualidade dos taninos da uva. Uma nova safra de Don Melchor nasce quando é definida a proporção dos distintos Cabernet Sauvignon, provenientes dos diversos lotes do vinhedo, que formarão o blend final, podendo chegar a representar 60 a 70% do vinho total.

Alguns anos, pequenas porcentagens de Cabernet Franc, Merlot e Petit Verdot são adicionadas para entregar complexidade e elegância ao blend final. Assim, todos os anos no povoado de Lamarque, Bordeaux, na França, o enólogo Enrique Tirado se reúne com Eric Boissenot - filho do renomado consultor bordalês Jacques Boissenot - para degustar em torno de 150 lotes do vinhedo, selecionando apenas aqueles que, na proporção exata, definirão uma nova safra de Don Melchor. Uma vez definida a mescla, a nova safra de Don Melchor é transferida para barris de carvalho francês dos bosques de Allier, Tronçais e Nevers. Cerca de dois terços dos barris são novos e o terço restante já foi usado anteriormente. Após um período de 14 a 15 meses, o vinho é engarrafado e continua seu envelhecimento por mais um ano, desenvolvendo assim a complexidade e a elegância próprias de Don Melchor.

Entre telas e taças

Confira 5 bons filmes com vinhos no roteiro, para assistir no streaming ou na sua TV, em companhia de seu rótulo preferido ou de alguns da Concha Y Toro

Quem aí não ama um bom filme que gire em torno do universo dos vinhos? Principalmente agora, que estamos limitados a viajar para visitar vinícolas espetaculares mundo afora, vale se contentar com uma história fascinante e uma bela taça de vinho para acompanhar. A VCT – Vinícola Concha Y Toro , que recentemente disponibilizou conteúdo gratuito de um curso EAD para amantes do vinho através do link https://www.youtube.com/channel/UCH_ZwYUmBgnMhDzX7e444aA?guided_help_flow=3 e lançou em abril a campanha #continue , estimulando as pessoas a fazer o que mais gostam em companhia de seus rótulos preferidos, sugere 5 vinhos e 5 filmes para as semanas que ainda nos restam na quarentena.

Confere aqui!

1)Um bom ano –Russel Crowe interpreta um investidor da bolsa e herda de seu avô, o notável ator Albert Finney, uma bela vinícola na Provence. O filme ainda tem Marion Cotillard, para alegria dos fãs da bela atriz francesa. As paisagens são de tirar o fôlego, e a cada vez que uma taça de vinho aparece em cena, dá vontade de sair correndo abrir uma garrafa.

Vinho para acompanhar – Don Melchor, porque é um corte de grandes cepas francesas, é requintado e único, como a própria história deste filme adorável.

Nada menos que o célebre enólogo Enrique Tirado está por trás deste grande rótulo! Foi produzido com 93% Cabernet Sauvignon, 3% Cabernet Franc, 3% Petit Verdot, 1% Merlot e descansou 14 meses em barris de carvalho francês (55% novos e 45% de segundo uso). Temperaturas inferiores às da anterior, marcaram esta safra, também influenciada pelo fenômeno El Niño. Os solos pedregosos de Puente Alto contribuíram para a drenagem das chuvas no período de colheita, permitindo um amadurecimento equilibrado. De vermelho escuro profundo, este vinho esbanja elegância e fineza, e apresenta importante expressão aromática, na qual se destacam notas de frutas vermelhas pequenas. Em boca, um ataque suave que se perpetua com um perfeito equilíbrio de sabores e um final de boa duração, com destaque para taninos delicados e equilibrados. Teor alcóolico de 14%

2) Sideways- Amelia Chardonnay – Não bastasse a carismática atuação de Paul Giamatti, o filme conta ainda com Thomas Haden, protagonista da série HBO Divorce, em interpretação hilária. O enredo se baseia na história de Miles Raymond, aspirante a escritor que presenteia seu amigo em sua despedida de solteiro com uma viagem enoturística pela California. Ambos se envolvem com duas mulheres, sendo uma delas tão apaixonada por vinho quanto Miles Raymond. O filme ganhou Oscar de melhor roteiro, inclusive. Vale a pena rever!

Vinho para acompanhar: Amelia Chardonnay, porque traz uma emblemática cepa tão popular na California e evoca o fascínio de vinhos feitos com ela.

Com o enólogo Marcelo Papa à frente deste premiado rótulo, Amelia tem um novo visual e uma nova origem para a produção de seu Chardonnay. A nova origem de Amelia é o resultado da busca da vinícola chilena Concha Y Toro por vinhos com caráter, que expressam as características únicas que o Vale de Limarí contribui para a Chardonnay, proporcionando grande frescura, mineralidade e acidez equilibrada aos vinhos. O vale de Limarí está localizado na região de Coquimbo, a cerca de 300 km ao norte de Santiago. De cor amarelo cristalino e brilhante, este vinho é complexo e possui várias camadas de aromas de flores branca e pêra, além de notas minerais predominantes. É refrescante e apresenta uma excelente combinação de estrutura e mineralidade, com um atraente nível de salinidade, em seu final fresco e longo.

3) O Julgamento de Paris – Don Melchor – O filme relata a impressionante performance dos vinhos californianos que desbancaram a supremacia francesa e colocaram produtores do Novo Mundo no Olimpo dos críticos e experts de vinhos. O famoso “Julgamento de Paris” aconteceu em 1976. No enredo, uma família de vinhateiros californianos à beira da falência, consegue colocar seu vinho nesta prova às cegas, arrematando a maior nota. E ainda tem os ótimos Bill Pullman e Chris Pine no elenco. Imperdível!

Vinho para acompanhar: Marques de Casa Concha Etiqueta Negra, porque traz na garrafa a elegância e a surpresa de um vinho complexo e notável, perfeito para acompanhar este filme intrigante

Elegante e complexo, com belos tons de vermelho escuro, o vinho tem corpo untuoso, com notas de cereja, salsaparrilha preta, cedro, amora e breu, além de um toque de grafite. Apresenta uma profunda concentração de sabores emoldurados por taninos intensos. Uma textura quase sedosa envolve sua estrutura tânica, que se destaca realmente no começo do longo final.

4) Sob o Sol da Toscana – Baseado em livro homônimo, o filme conta a história de Frances Maye, que foge para a Toscana ao descobrir que seu marido a trai. Além de belas paisagens desta região - uma das grandes produtoras de vinhos no mundo – as cenas sempre ganham a companhia de uma bela taça de vinho, elemento que compõe o pano de fundo e nos faz viajar pelo belo vilarejo toscano, em Cortona, onde as cenas são rodadas.

Vinho para acompanhar: Casillero Carménère, pela suavidade e o pomar de frutas e especiarias que traz, é uma boa companhia para rever este filme e suas belas paisagens.

Guardado em barricas de carvalho americano, cor vermelho intenso, escuro e profundo sugere aroma de ameixas negras, especiarias e groselhas maduras, junto com chocolate, notas de café e tostado. Boa estrutura e suave na boca. A carmenere é uma variedade de cepa que desapareceu de seu lugar de origem, o Médoc, ao norte de Bordeaux, depois da peste filoxera, reaparecendo depois no Chile no final do século XX. Taninos suaves e redondos, o fazem ideal para acompanhar queijos maduros.

5) Caminhando nas Nuvens - Passados 4 anos da II Guerra Mundial, Keanu Reeves, que faz o papel de um vendedor de chocolates, se envolve com Vitoria Aragon, interpretada por Aitana Sanches Guijon. No cenário, o vinhedo Las Nubes se destaca, e o casal se apaixona durante a colheita de uvas. Ambos enfrentarão grandes desafios a partir daí para viver este grande amor.

Vinho para acompanhar: Marques de Casa Concha Cabernet Sauvignon, um vinho cheio de personalidade, com forte senso de origem, e que também passou por desafios de elaboração para chegar ao seu notável caráter.

Outra obra prima de Marcelo Papa, este Cabernet Sauvignon descansa em 16 barris de carvalho francês e em fudre piemontês de 5 mil litros, por 16 meses. Tem potencial de guarda para ser consumido até 2024 ou pode ser bebido agora. De cor vermelho profundo, sugere nas notas de prova cereja untuosa, salsaparrilha, cedro, amora, alcatrão e presença de fumaça. Possui grande concentração de sabores moldurados por seus taninos firmes. Uma textura suave, quase sedosa, que cobre a firme estrutura tânica subjacente, que realmente aparece no início do seu longo final.

Concha Y Toro lança campanha #continue e disponibiliza curso de vinhos online gratuito

Rótulos Marques de Casa Concha e Casillero del Diablo protagonizam ações e campanha digital. Curso EAD já está disponível a partir de hoje

A Vinicola Concha Y Toro Brasil, filial e distribuidora do Grupo Concha Y Toro no país, sensível ao cenário de quarentena e isolamento social impostos pelo avanço do coronavírus mobilizou sua equipe de marketing e vendas em São Paulo para deflagar este mês ações de relacionamento e a campanha #continue junto a consumidores, influenciadores digitais e mídias em geral.

Entre outras iniciativas, a VCT também está disponibilizando um curso EAD para que amantes do vinho possam desfrutar de seu fascinante universo. O curso é ideal tanto para iniciantes quanto para iniciados, pode ser acessado através deste link e estará disponível a partir de quarta-feira, 15 de abril.

A Concha y Toro acredita que nesses momentos todas as marcas devam disponibilizar seus conteúdos e informações para que amantes do vinho continuem desfrutando de conhecimento, degustando e aprendendo mais sobre seus rótulos preferidos. A mensagem que a vinícola chilena quer passar é que todos continuem fazendo aquilo que mais gostam, mesmo no isolamento social. Seja preparando uma receita, maratonando séries preferidas, fazendo lives ou calls com amigos, a ideia é que todas essas atividades possam ser prazerosas, ainda que em quarentena.

A hashtag #continue define o espírito da campanha que tem como protagonistas os rótulos Marques de Casa Concha – como companheiro na hora de preparar receitas e compartilhá-las com os amigos – e Casillero del Diablo - para seguir fazendo tudo o que as pessoas mais gostam, sem que abdiquem de seus pequenos prazeres, entre os quais, uma boa taça de vinho.

Confira aqui a URL do curso EAD: https://www.youtube.com/channel/UCH_ZwYUmBgnMhDzX7e444aA?guided_help_flow=3

Sobre a Concha Y Toro

Fundada em 1883, a Concha Y Toro se tornou o principal produtor de vinhos da América Latina, com uma posição de destaque entre as mais importantes empresas de vinho do mundo e presença em mais de 130 paises. A empresa possuir cerca de 11.600 hectares de vinhedos no Chile, Argentina e Estados Unidos. Seu portfolio inclui os ícones Don Melchor e Almaviva e suas emblemáticas marcas Marques de Casa Concha e Casillero del Diablo, além de vinhos Trivento, da Argentina, e Fetzer, da California. A companhia conta com mais de 3 mil funcionários e seus escritórios principais estão em Santiago, Chile.